Você está na página 1de 43

O QUE É TCC EM PSICOLOGIA?

É o Trabalho de Conclusão de Curso realizado por alunos de nono e décimo semestres


do curso de Psicologia e avaliado por banca examinadora. Na defesa de seu trabalho, o aluno
apresenta os resultados de sua pesquisa, sob a orientação de um professor do curso.
É um trabalho que deve apresentar contribuições relevantes para o conhecimento
científico, para a comunidade, para a formação do aluno e para a promoção da iniciação
científica no meio discente. Como característica principal do TCC em Psicologia, pode ser
indicada sua relação direta com o trabalho de intervenção que o aluno desenvolve em seu
estágio.
Este caderno visa ser um meio de divulgação dos resumos dos Trabalhos de Conclusão
de Curso desenvolvidos pelos alunos do Curso de Psicologia. Neste ano, objetivando ampliar
a semana científica do curso, serão apresentados também, além dos Trabalhos de Conclusão
de Curso, pesquisas desenvolvidas por professores e por alunos de iniciação científica do
Curso.
Além dos resumos dos Trabalhos de Conclusão de Curso, no caderno constam também
as datas e locais de apresentação das pesquisas. Confira a seguir...
DATA, HORA E LOCAL DAS DEFESAS
E DAS APRESENTAÇÕES DE PESQUISAS DE PROFESSORES E DE ALUNOS DE
INICIAÇÃO CIENTÍFICA DO CURSO DE PSICOLOGIA
Data Hora Sala/Bloco Autor (a) Título do trabalho Orientador (a) Banca examinadora
A elaboração do luto pela perda Paulo Roberto
8:00 – 311F Silvia de Arruda da saúde, em sujeitos Sandrini
Maria do
22/06 9:30 Cunha portadores de HIV positivo em
Rosário Stotz
psicoterapia psicodinâmica Leandro de Castro
Oltramari
Em que posso ajudar? Maria Esther Baibich
Renata de Avaliação de sinais de Carolina Bunn
8:00 – Machado sofrimento psíquico em Bartiloti Marilda Contessa
9:30 Auditório C vendedores que trabalham no Lisboa
comércio de Shopping Center
da Grande Florianópolis
Vera Márcia Um estudo sobre a sanidade e Gabriela Luiza
9:50- 311F Silveira a doença na produção artística Maria do Campos
22/06 11:20 Machado Ferraz de Arthur Bispo do Rosário Rosário Stotz
Paulo Roberto
Sandrini
A voz da sabedoria: A Maria Esther Souza
22/06 9:50- Cristina Casér percepção de professores Carolina Bunn Baibich
11:20 Araujo universitários acerca das Bartiloti
Auditório C relações entre estresse Mauricio Eugênio
ocupacional e alterações vocais Maliska
Casando com a violência – Saidy Karolin Maciel
22/06 19:00 – 110F Michelli Garcia Mulheres em situação de Regina Ingrid
20:30 Santos violência no cenário conjugal Bragagnolo Zuleica Pretto
DST/AIDS e deficiência: um Maria da Graça
19:00 – Débora Marques estudo sobre a vulnerabilidade Leandro Castro Machado Moukarzel
22/06 20:30 Gomes de pessoas com deficiência Oltramari
Auditório C visual Mauricio Eugênio
Maliska

Ana Paula As representações sociais de Leandro Castro Regina Ingrid


22/06 20:45 – 110F Oliveira Ramos conjugalidade para mulheres Oltramari Bragagnolo
22:15 casadas e mulheres separadas
Nádia Kienen
Enfrentamentos vivenciados Juliana Belicanta
20:45 – 109F Gislaine por mulheres no processo de Ana Maria
22/06 22:15 Machado ruptura do relacionamento Pereira Lopes Saidy Karolin Maciel
conjugal
A prática da meditação na Ana Maria Lima da
22/06 20:45 – Maíra de Souza redução de estresse: um Mauricio Luz
22:15 Flôr estudo bibliográfico sobre os Eugênio Maliska
Auditório C aspectos Paulo Mendes Sbissa
psiconeuroimunológicos
Resultados alcançados e
23/06 8:00 – 311F Valéria da Silva descritos por sujeitos com Maria do Maria Angela Giordani
9:30 Faria dependência química em Rosário Stotz
cocaína que estão ou estiveram Nádia Kienen
em processo psicoterápico

23/06 8:00- Geraldo Mollick Direito das pessoas com Ana Maria Sandra Ribeiro de
9:30 Auditório C Brandão transtornos mentais durante o Pereira Lopes Abreu
atendimento em saúde mental Gabriela Luiza
Campos
O papel do cinema como Gabriela Luiza
23/06 9:50 – Carla Cristine recurso terapêutico Maria do Campos
11:20 311F Reiter Rosário Stotz
Nádia Kienen
Alina Wallauer O conhecimento dos Mauricio Alessandra D’Ávila
23/06 10:15- Blassioli profissionais da saúde acerca Eugênio Maliska Scherer
11:30 do suicídio
Auditório C Zuleica Pretto
A relação transferencial dos Ana Maria Lima da
23/06 19:00- 110F Vanessa de Agentes Comunitários de Luz
20:30 Andrade Manoel Saúde com a equipe técnica do Ana Maria
posto Pereira Lopes Terezinha Pfleger
Bazil
Data Hora Sala/Bloco Autor (a) Título do trabalho Orientador (a) Banca examinadora
Articulação entre epistemofilia e Gabriela Luiza
23/06 19:00- 109F Lílian Cipriano saúde mental de um sujeito Campos
20:30 Kautnick
Maria do
Tânia Vanessa
Rosário Stotz
Mascarello

A folga que eu achei que ia ter, Simone Vieira de


23/06 19:00- Fabiane Araújo não existe!”: um estudo sobre Souza
20:30 Auditório C Chaves teletrabalhadoras no domicílio Vanderlei Brasil
Regina Ingrid
Bragagnolo
Estratégias para o manejo de Tânia Vanessa
23/06 20:45- Luciane Maria tentativas de suicídio em Mascarello
Maria do
22:15 Auditório C Dacol Molim Serviços emergências móveis
Rosário Stotz
na grande Florianópolis Gabriela Luiza
Campos
As percepções de mulheres Angela Luzia Neis
23/06 20:45- 110F Silvia Matos de climatéricas acerca das Ana Maria Assunção
22:15 Oliveira Corrêa alterações emocionais Pereira Lopes
vivenciadas neste período Nádia Kienen
Psicólogo na Empresa:
20:45- 109F Daniela Xavier Percepção de trabalhadores
Vanderlei Brasil
23/06 22:15 Antória acerca da atuação do psicólogo
Carolina Bunn
organizacional e do trabalho na
Bartiloti Michelle Regina da
promoção de Qualidade de
Natividade
Vida do Trabalhador

Tríade: As implicações da Deise Maria do


8:00 – Flávia Cunha chegada do primeiro filho no Regina Ingrid Nascimento
24/06 9:30 Auditório C Machado processo de separação dos Bragagnolo
casais Leandro Castro
Oltramari
Mediação acordista ou Deise Maria do
24/06 9:50 – Priscila Netto de transformadora? : um estudo Regina Ingrid Nascimento
11:20 Auditório C Campos da sobre a percepção dos Bragagnolo
Silva participantes acerca do Leandro Castro
processo mediativo Oltramari
24/06 9:50- Sala 311F Gabriel Gomes Características de componentes de comportamentos básicos constituintes da
11:20 de Luca classe geral de comportamentos denominada 'avaliar a confiabilidade de
informações
Reconhecimento e eficiência. A Isabel Cristina Alves
24/06 19:00- Laidiara percepção da equipe de saúde Mauricio Maliska
20:30 Auditório C Schneider acerca da inserção dos Eugênio Maliska
Simoni Vieira de Souza
estagiários do curso de
psicologia em um hospital geral
Léa Mara da Características do Gabriel Gomes Alessandra D’Ávila
24/06 19:00- 109F Cunha Leal conhecimento do profissional de Luca Scherer
20:30 técnico em enfermagem sobre
os sintomas psicóticos Maria Angela Giordani
apresentados por pacientes Machado
internados em hospital geral
Eu vejo a mente como vejo o Simone Vieira de
24/06 20:45- 110F Amanda corpo? A percepção da equipe Mauricio Souza
22:15 Schmitz de saúde de um hospital geral Eugênio Maliska
acerca das influências dos Isabel Cristina Alves
aspectos psicológicos sobre o Maliska
processo de adoecimento de
pacientes hospitalizados
24/06 20:45- Emanuelle Um estudo sobre os objetivos Vanderlei Brasil Leandro Castro Oltramari
22:15 Auditório C Ribeiro Santana de gestores de empresas no
empreendimento de ações de Michelle Regina da
Natividade
responsabilidade social
“O apego às origens”: um
25/06 8:00 – Auditório C Kateusa da Cruz estudo sobre jovens oriundos Deise Maria do
9:30 Rosar do meio rural que se Nascimento
Vanderlei Brasil
qualificaram no meio urbano e
escolheram suas origens para Iúri Novaes Luna
o exercício profissional

Data Hora Sala/Bloco Autor (a) Título do trabalho Orientador (a) Banca examinadora
Ser mulher é mais do que ser Deise Maria do
25/06 9:45- Auditório C Roberta mãe”: um estudo sobre Nascimento
Vanderlei Brasil
11:20 Rodrigues mulheres que trabalham e que
Ramos optaram por não ser mãe Iúri Novaes Luna
A percepção de vendedoras do Maria Fernanda Diogo
Carolina Bunn
25/06 9:45- 311F Patrícia Corrêa comércio de telefonia da
Bartiloti
11:20 Lima Vieira Grande Florianópolis-SC Juliana Silveira
110F Escuta da criança na mediação Deise Maria do
25/06 19:00- Valdir Rosa familiar Leandro Castro Nascimento
20:30 Correia Oltramari
Saidy Karolin Maciel
Iúri Novaes Alunas participantes
25/06 19:00 109F Núcleo de Pesquisa Trabalho e Subjetividade Luna do núcleo

Vanderlei Brasil

25/06 19:00- Auditório C Palestra sobre o acordo Ortográfico


22:00
Alterações de consciência: um Alessandra D`Ávila
estudo junto a pacientes Gabriel Gomes Scherer
26/06 14:00 101F Eduardo Marchi terminais internados em um de Luca
hospital geral a partir de Mauricio Eugênio
depoimentos de familiares e de Maliska
técnicos de enfermagem que
cuidam desses sujeitos
RESUMOS
ANTÓRIA, Daniela Xavier. Psicólogo na Empresa: Percepção de trabalhadores acerca da
atuação do psicólogo organizacional e do trabalho na promoção de Qualidade de Vida do
Trabalhador. Trabalho de Conclusão de Curso – TCC (Curso de Psicologia – Graduação).
Universidade do Sul de Santa Catarina, Palhoça, 2009.

Resumo

O objetivo do presente trabalho de conclusão de curso foi caracterizar a percepção de


trabalhadores acerca da atuação do psicólogo organizacional e do trabalho na promoção de
Qualidade de Vida do Trabalhador. Quanto ao método a pesquisa se caracteriza como
exploratória e descritiva realizada a partir de um estudo de caso, com amostra de 14
trabalhadores, de duas empresas de pequeno porte, da grande Florianópolis. Como
instrumento de coleta de dados foi utilizado um questionário com 14 questões acerca do
entendimento dos trabalhadores quanto ao trabalho de Psicólogos nas organizações de
trabalho. Na organização e análise dos dados, a técnica utilizada foi análise de conteúdo, na
qual foram estabelecidas categorias para cada temática abordada no questionário. Ao final da
pesquisa, se constatou a percepção dos trabalhadores acerca da possibilidade do Psicólogo
Organizacional promover Qualidade de Vida no Trabalho, verificando que a maioria dos
participantes da pesquisa compartilham da mesma percepção, no sentido de reconhecerem que
as atividades dos Psicólogos estão voltadas à promoção de QVT, afirmando que isso ocorre
de diversas formas, possibilitando verificar nas respostas uma percepção positiva, mas ainda
pouco esclarecida das atividades realizadas por Psicólogos nas organizações de trabalho.

Palavras-chave: Palavras-chave: Percepção dos trabalhadores. Práticas dos Psicólogos nas


organizações. Qualidade de vida no trabalho.

Núcleo Orientado: Psicologia e Trabalho Humano


Orientador: Carolina Bunn Bartilotti
Membros da Banca examinadora: Vanderlei Brasil
Michelle Regina da Natividade

Data, hora e local da Defesa: 23 de junho de 2009, às 20:45h, sala 109F


ARAÚJO, Cristina Casér. A voz da sabedoria: A percepção de professores universitários
acerca das relações entre estresse ocupacional e alterações vocais. Trabalho de Conclusão de
Curso – TCC (Curso de Psicologia – Graduação). Universidade do Sul de Santa Catarina,
Palhoça, 2009.

Resumo

A presente pesquisa está vinculada ao Projeto Saúde do Trabalhador que desenvolve projetos
que envolvem o processo trabalho-saúde-doença em trabalhadores de todas as categorias. Esta
pesquisa caracteriza-se como um estudo referente à percepção de professores universitários
acerca das relações entre estresse ocupacional e alterações vocais. Para tanto foi realizada
uma pesquisa qualitativa e quantitativa, de natureza descritiva–exploratória e cujo
delineamento é do tipo levantamento que investigou docentes de uma universidade de Santa
Catarina. Para a realização da coleta de dados foi elaborado um questionário auto-aplicável
que foi encaminhado a 488 professores universitários. Com uma amostra de 86 professores
foram levantados dados importantes quanto aos fatores do ambiente de trabalho considerados
como estressantes, aos sintomas de alterações vocais mais freqüentes, às percepções da
presença de estresse ocupacional e de alterações vocais e às percepções das possíveis relações
entre os mesmos. Pôde-se perceber alta incidência de alterações vocais e nível moderado de
estresse ocupacional. Dentre as possíveis relações entre estresse ocupacional e alterações
vocais verificou-se que os professores consideram que o estresse ocupacional pode contribuir
para o desenvolvimento de alterações vocais. Diante dos resultados obtidos é possível
perceber que a presente pesquisa cumpre com seu objetivo de analisar a percepção de
professores universitários acerca das relações entre estresse ocupacional e alterações vocais.
Longe de concluir estudos a esse respeito, os resultados desta pesquisa apontam para a
necessidade de treinamento vocal para professores universitários no processo de integração do
mesmo na organização e a necessidade também da criação de programas que atentem para a
influência dos aspectos do trabalho sobre a saúde profissional, dentre eles a saúde vocal e a
saúde mental.

Palavras-chave: Estresse ocupacional. Alterações vocais. Saúde do trabalhador. Professores


universitários.

Orientadora TCC I: Fabiane Silveira Martins


Orientadora TCC II: Carolina Bunn Bartilotti

Núcleo Orientado: Psicologia e Trabalho Humano


Membros da Banca examinadora: Maria Esther Souza Baibich
Maurício Eugênio Maliska
Data, hora e local da Defesa: 22 de junho de 2009, as 9h50min, auditório C.
BRANDÃO, Geraldo Mollick. Direito das pessoas com transtornos mentais durante o
atendimento em saúde mental. Trabalho de Conclusão de Curso – TCC (Curso de Psicologia
– Graduação). Universidade do Sul de Santa Catarina, Palhoça, 2009.

RESUMO

Na concepção de Michael Foucault (1979) o isolamento era considerado como método de


alijar pessoas Portadoras de Transtornos mentais (PTM). Crítico a isto, Basaglia (1982)
propõe mudanças que possibilitaram aos PTM novas condições de atendimento que se
traduzem em serviços em saúde, de forma a contemplar um atendimento promotor de
dignidade e cidadania. Nesse sentido, no Brasil, a Reforma Psiquiátrica, por meio da lei
10216/01, determina a construção de uma rede substitutiva ao hospital psiquiátrico que além
dos CAPS, que são Centros de Atenção Psico-Social, deve ser contemplada com serviços
ambulatoriais em saúde mental e serviços nas Unidades Básicas de Saúde. Nesse novo cenário
de atendimento o direito do PTM é preconizado no atendimento. O presente estudo tem como
objetivo conhecer a percepção de usuários de um serviço ambulatorial quanto ao seu direito
de informação a respeito de sua doença e de diagnóstico e tratamento no processo de
atendimento. Esta pesquisa foi realizada em um ambulatório de saúde mental que funciona
nas dependências da Unidade Básica de Saúde (UBS), do bairro Bela Vista do Municipio de
Palhoça/SC. Caracteriza-se como qualitativa e exploratória, utiliza como instrumento de
coleta de dados a entrevista semi-estruturada e foi efetuada com cinco PTM´s. A análise dos
dados coletados foi efetuada através da organização de categorias seguidas da análise do
conteúdo. Os dados das entrevistas permitem entender que o tratamento se dá de modo
centrado na medicação e que fatores sociais e econômicos não são observados no processo de
atendimento. Ainda na análise observa-se que os PTM´s percebem os atendimentos em Saúde
Mental de forma confusa evidenciando-se falhas no cumprimento da legislação em vigor.
Logo os atendimentos aparecem como precários, confusos, sem diálogo; dificultando, assim,
informações sobre saúde mental, limitando a realização de encaminhamentos, que alimentam
perspectivas de melhoras para os pacientes. Percebeu-se dessa maneira, a necessidade de
trabalhos educativos, capacitação profissional e de controle social para o cumprimento da lei,
de acordo com os ditames da Constituição Federal de 1988 e da Reforma Psiquiatrica
Brasileira.

Palavras-chave: Direito. Portador de Transtorno Mental. Serviço de Saúde Mental. Atenção


Básica. Reforma Psiquiátrica.

Núcleo Orientado: Psicologia e Saúde


Orientadora: Ana Maria Pereira Lopes
Membros da Banca examinadora: Gabriela Luiza Campos
Sandra Ribeiro de Abreu

Data, hora e local da Defesa: 23 de junho de 2009, às 08:00h, auditório C


CHAVES, Fabiane Araujo. “A folga que eu achei que ia ter, não existe!”: um estudo sobre
teletrabalhadoras no domicílio. Trabalho de Conclusão de Curso – TCC (Curso de Psicologia
– Graduação). Universidade do Sul de Santa Catarina, Palhoça, 2009.

RESUMO

O trabalho realizado por mulheres em âmbito mundial vem crescendo nos últimos anos, além
disso, o final do século XX se caracteriza como transformador no que se refere ao surgimento
de novas tecnologias de comunicação e informação (TICs). Nesse contexto, o teletrabalho no
domicílio surge como uma possibilidade para a realização de determinados trabalhos, sendo
possível trabalhar na própria residência, utilizando-se de equipamentos tecnológicos, tais
como: computador em rede e telefone celular, tendo vínculo empregatício com a empresa de
origem. Esta pesquisa sobre teletrabalho no domicílio teve como principal objetivo
compreender as relações entre a identidade profissional de mulheres teletrabalhadoras no
domicílio com os outros papéis sociais que desempenham. Para tanto, dialoga-se
principalmente com referenciais sobre a perspectiva do teletrabalho e de gênero. O método
utilizado nesta pesquisa foi estudo de caso. Como critérios de escolha das participantes
definiu-se que seriam mulheres, que realizam teletrabalho no domicílio, são casadas e/ou tem
filho(s). Foram entrevistadas duas teletrabalhadoras no domicílio, ambas desenvolvem seu
trabalho como coordenadoras de vendas e grande parte deste é realizado em sua própria
residência. O instrumento de coleta de dados utilizado foi a entrevista com base em um roteiro
semi-estruturado, com questões referentes à trajetória profissional, teletrabalho, papéis
sociais, vida pessoal e identidade profissional. A partir da transcrição das entrevistas foram
estabelecidas categorias de análises a posteriori, e o material foi analisado com base na
análise de conteúdo. A pesquisa apresenta como resultados, que ambas as mulheres
escolheram realizar teletrabalho no domicílio para poder conciliar o papel social de mãe e de
trabalhadora em um mesmo ambiente, além de terem uma garantia de renda proveniente do
contrato de trabalho. No entanto, o papel social de trabalhadora se sobrepõe ao papel social de
mãe, pois dedicam mais tempo ao trabalho do que à família. O papel social de esposa é
desempenhado por uma teletrabalhadora, a outra participante é solteira, e considera não ter
tempo para se dedicar à este papel. Apesar de trabalharem em casa, a cobrança por parte da
empresa é percebida em ambos os casos, sendo realizada de forma freqüente. O horário
flexível de trabalho também foi destaque, pois as teletrabalhadoras costumam trabalhar mais
horas semanais do que o previsto em seu contrato de trabalho, sendo que uma delas costuma
trabalhar setenta horas por semana. Uma das teletrabalhadoras não se identifica com o
trabalho que realiza, pensa em seu trabalho como um outro qualquer, a outra relata não se
imaginar trabalhando em outra profissão. Assim sendo, conclui-se que ter uma boa
remuneração, trabalhar em casa, disponibilizar um tempo durante o dia para o(s) filho(s) e
compensar o trabalho à noite só é possível, segundo elas, realizando teletrabalho no domicílio.

Palavras-chave: Teletrabalho. Trabalho feminino. Identidade profissional.

Núcleo orientado: Psicologia e Trabalho Humano


Orientador: Vanderlei Brasil
Membros da Banca examinadora:Regina Ingrid Bragagnolo
Simone Vieira de Souza.
Data, local e hora da defesa: 23 de junho de 2009 às 19:00h, auditório C.
CORRÊA, Silvia Matos de Oliveira. As percepções de mulheres climatéricas acerca das
alterações emocionais vivenciadas neste período. Trabalho de Conclusão de Curso – TCC
(Curso de Psicologia – Graduação). Universidade do Sul de Santa Catarina, Palhoça, 2009.

RESUMO

A presente pesquisa tem como objetivo compreender as percepções de mulheres acerca das
alterações emocionais que as mesmas vivenciam no climatério/menopausa. Entende-se por
climatério o conjunto de alterações físicas, psicológicas e sociais, que ocorrem ao final do
período fértil da mulher. Tem como perspectiva teórica a Psicologia sócio-histórica para a
compreensão do fenômeno menopausa. A pesquisa é de natureza qualitativa e exploratória,
tendo como participantes cinco mulheres freqüentadoras do Posto de Saúde Bela-Vista,
Palhoça, com idades entre 53 e 64 anos, e que passaram por alguma fase do climatério. O
instrumento de coleta de dados foi a entrevista semi-estruturada. Esta foi gravada com o
consentimento das participantes e em seguida foram transcritas, categorizadas e analisadas.
As mulheres percebem alterações físicas, psicológicas e sociais, que demonstram que a
menopausa é um fenômeno biopsicossocial. Contudo, as análises demonstraram uma
percepção biológica das participantes quanto à menopausa. Além disso, percebeu-se a falta de
informação destas acerca das alterações decorrentes desta fase, ocasionando um
estranhamento frente essas alterações, prejudicando e intensificando a sensação das mesmas.
Pode-se concluir que os atendimentos em saúde da mulher devem contemplar o fenômeno da
menopausa como um todo, a fim de proporcionar um menor distanciamento das mulheres
com a menopausa, as possíveis alterações decorrentes dela auxiliando-as dentro de seu
contexto e da sua realidade sociocultural.

Palavras-chave: Climatério; Menopausa; Psicologia sócio-histórica; Psicologia da saúde.

Núcleo orientado: Psicologia e Saúde


Orientadora: Ana Maria Pereira Lopes.
Membros da Banca Examinadora: Nádia Kienen
Angela Luzia Neis Assunção

Data, local e hora da defesa: 23 de junho de 2009, às 20:45h, sala 110F


CORREIA, Ranúsia Bonin. Ética na Mediação Familiar. Trabalho de Conclusão de Curso –
TCC (Curso de Psicologia – Graduação). Universidade do Sul de Santa Catarina, Palhoça,
2009.

RESUMO

A elaboração do trabalho “Ética na Mediação Familiar” teve como premissa, identificar os


referenciais e as concepções de Ética dos psicólogos que atuam no serviço de mediação
familiar, presente na literatura de psicologia, mais especificamente em artigos científicos e
livros que tratam sobre o assunto: psicologia e mediação familiar. O estudo utilizou como
método a pesquisa exploratória bibliográfica, realizada com palavras-chave: ‘Ética’,
‘Psicologia’ e ‘Mediação Familiar’ para triagem de fontes a serem analisadas. Foram
considerados os referenciais quanto a: ‘instituição de origem’, ‘ano de publicação’ e ‘conceito
de Ética’ abordado pelos autores. Estes dados deram origem a uma matriz classificatória de
categorias e sub-categorias, elaboradas a posteriori. A análise dos dados e conceitos a partir
de fragmentos encontrados no conteúdo das referências bibliográficas, refletem sobre o papel
do profissional de psicologia, nesta atividade, e os preceitos éticos que os acompanham. Com
base na pesquisa, foram construídas categorias definidoras do conceito de ética. Dentre os
artigos (16) e livros (8) analisados, foram encontrados conceitos de “Ética na Mediação
Familiar numa perspectiva Pós-Moderna” (freqüência de 18/44 citações); “Ética na
perspectiva Histórico-Crítica” (numa freqüência de 22/44 citações), e ainda, a “Ética como
Preceitos Morais e Normáticos”, (com freqüência de 4/44 citações). Das categorias
pesquisadas a de maior evidência foi a Ética na concepção Histórico-Crítica, seguida da Ética
Pós-Moderna, e a de menor incidência foi a Ética enquanto Preceitos Morais e Normáticos. A
preponderância desta perspectiva demonstra uma postura problematizadora, com
comprometimento político e de caráter social do psicólogo ao propiciar o acesso das classes
menos favorecidas ao Judiciário. No entanto, os autores pesquisados abordam com freqüência
relevante, aspectos da Ética dentro de uma visão pós-moderna para a mediação familiar, o que
demonstra uma tendência quanto a compreensão dos conflitos e os aspectos psicológicos
subjacentes sob ótica da complexidade e da multidimensionalidade. Os dados evidenciam que
uma postura crítica e compromissada é fundamental para contribuir com a justiça social,
embora a discussão sobre este assunto ainda seja recente, quanto às publicações consultadas e
uma atividade relativamente nova como campo de estudo.

Palavras-Chave: Psicologia, Mediação Familiar, Ética, Justiça Social.

Núcleo orientado: Psicologia e Práticas da Saúde


Professor Orientador: Leandro Castro Oltramari
Membros da Banca examinadora: Deise Maria do Nascimento
Vanderlei Brasil

Data, hora e local da Defesa: 24 de junho de 2009, às 19h, sala 110F


CORREIA, Valdir Rosa. Escuta da criança na mediação familiar. Trabalho de Conclusão de
Curso – TCC (Curso de Psicologia – Graduação). Universidade do Sul de Santa Catarina,
Palhoça, 2009.
RESUMO

A mediação é uma prática não adversarial importante à nossa sociedade, facilitando a


resolução de conflitos familiares, especialmente aqueles que surgem na separação de casais,
dentre eles o da guarda dos filhos. Essa pesquisa teve por finalidade investigar as
representações sociais dos mediadores advogados e mediadores psicólogos, acerca da escuta
das crianças na mediação familiar, no processo de separação dos pais. Essa pesquisa foi
classificada como exploratória de natureza qualitativa e o delineamento estudo de campo.
Entre os dez mediadores participantes da pesquisa nove atuam ou já atuaram no Serviço de
Mediação Familiar nos Fóruns da região da Grande Florianópolis. A média da experiência em
mediação familiar e a média da idade dos participantes é de 4,8 e 49,4 anos, respectivamente.
O instrumento de coleta de dados utilizado foi uma entrevista com roteiro semi-estruturada
com perguntas básicas norteadoras da pesquisa de tal forma de possibilitar ao participante
manifestar seu pensamento e a sua prática. Os dados coletados a partir da falas dos
entrevistados foram submetidos à análise de conteúdo por meio da categorização a posteriori.
Os entrevistados entendem que: a escuta da criança na mediação familiar raramente ocorre e
quando ocorre é por iniciativa do mediador e não por uma política institucional; as categorias
com maiores freqüencias referente aos procedimentos dos mediadores na escuta das crianças
foram a necessidade de formação dos mediadores para escuta, ouvir as crianças separadas dos
pais, o mediador precisa ter sensibilidade, responsabilidade do mediador com as crianças,
explorar os sentimentos das crianças; quanto as atitudes dos mediadores frente a escuta da
criança as categorias que se destacaram foram a escuta da criança depende da característica de
cada caso e favorável a escuta; e as categorias com maiores freqüências referente à
representação social da escuta da criança na mediação familiar foram a escuta como um
auxílio na obtenção de mais informações/percepções sobre o caso para a instrumentalização
técnica, a escuta como um auxílio a uma relação saudável entre pais e filhos, a escuta na
mediação protege mais a criança, a criança é integrante da família por isso deve ser ouvida, a
escuta é benéfica em casos de guarda. Esses resultados mostram a importância de explorar e
de conhecer esse tema para o desenvolvimento de práticas que possam vir a ser aplicadas em
programas de políticas públicas em benefício da sociedade.

Palavras-chave: Escuta da criança. Mediação Familiar. Representações sociais. Atitudes.


Núcleo Orientado: Psicologia e Saúde
Orientador:Leandro Castro Oltramari
Membros da Banca examinadora: Deise Maria do Nascimento
Saidy Karolin Maciel

Data, hora e local da Defesa: 25 de junho de 2009, às 19h, sala 110F.


COUTINHO, Althoff Cassia. A importância da Prática Religiosa no tratamento de pacientes
com estrutura psicótica. Trabalho de Conclusão de Curso – TCC (Curso de Psicologia –
Graduação). Universidade do Sul de Santa Catarina, Palhoça, 2009.

RESUMO

O presente trabalho refere-se a um assunto polêmico, pois cruza informações de ordem


cientifica e indagações religiosas. Percebe-se a importância de trabalhar o tema psicose e
religião; já que as pessoas podem utilizar a religiosidade como suporte para as dificuldades
que esta doença provoca. A presente pesquisa tem como objetivo principal verificar se
existem pesquisas cientificas já realizadas que constataram que a prática religiosa dos sujeitos
com estrutura psicótica pode auxiliar na diminuição ou eliminação de sintoma. Para isso, têm-
se como objetivos específicos conceituar a prática religiosa e religiosidade, identificar quais
são os sintomas psicóticos mais freqüentemente associados à religiosidade; verificar a prática
religiosa em sujeitos com estrutura psicótica pode auxiliar na diminuição de sintomas e
constatar se a prática religiosa em sujeitos com estrutura psicótica pode auxiliar na eliminação
de sintomas. Para alcançar esses objetivos, foram realizadas pesquisas bibliográficas acerca
deste tema. A pesquisa foi de natureza qualitativa de cunho exploratório com delineamento
bibliográfico. Para a coleta de dados, utilizaram-se pesquisas através de fichamento,
realizadas a partir de livros e artigos científicos referentes ao tema pesquisado. Foram
analisados os dados através de categorias selecionadas a partir dos objetivos da pesquisa e do
conteúdo dos dados encontrados acerca deste tema, sendo fundamentado através de
referencial teórico. Na análise dos dados pôde-se identificar que a religião serve como um
amparo para a doença mental do sujeito, estabilizando a ansiedade do sujeito frente sua
doença. Quanto a eliminação dos sintomas verificou-se que a religião não cura a doença;
porém pode adequar o sujeito, auxiliando-o na ressignificação da sua doença e no
enfrentamento da mesma.

Palavras-chave: Prática Religiosa. Psicose. Sintomas Psicóticos.


Núcleo Orientado: Psicologia e Saúde
Orientador:Maria do Rosário Stotz
Membros da Banca examinadora: a definir.

Data, hora e local da Defesa: a definir


CUNHA, Silvia de Arruda. A elaboração do luto pela perda da saúde, em sujeitos portadores
de HIV positivo em psicoterapia psicodinâmica. Trabalho de Conclusão de Curso – TCC
(Curso de Psicologia – Graduação) . Universidade do Sul de Santa Catarina, Palhoça, 2009.

RESUMO

O tema desse estudo é o luto pela perda da saúde e sua elaboração em psicoterapia
psicodinâmica vivida por sujeitos portadores de HIV positivo. Caracterizar e descrever os
elementos psíquicos envolvidos no processo de luto, no luto pela perda da saúde, sua
elaboração em psicoterapia psicodinâmica e na especificidade do sujeito portador de HIV
positivo foram objetivos específicos dessa pesquisa. A partir de pesquisa bibliográfica, na
literatura científica e em base de dados eletrônica, foram feitos recortes de 6 casos clínicos
de sujeitos portadores de HIV positivo em psicoterapia de diferentes abordagens
psicodinâmicas, e 2 experiências de psicoterapia de grupo. Evidenciou-se a presença de luto a
ser elaborado em todos os casos relatados. Os elementos que foram evidenciados nas
diferentes situações específicas foram: negação, culpa, raiva, ambivalência, recusa ao
reconhecimento da realidade, exposição ao risco, ferida narcísica, angústia de castração e por
vezes aceitação. Corroborando pesquisas anteriores foram encontradas a presença de
associação de HIV e quadro clínico de melancolia e a coincidência entre exposição ao risco e
presença de lutos anteriores não elaborados, no momento imaginário da infecção em alguns
desses sujeitos.

Palavras chaves: luto, luto pela perda da saúde, hiv positivo, psicoterapia psicodinâmica.

Núcleo Orientado: Núcleo e Saúde.


Orientador:Maria do Rosário Stotz.
Membros da banca examinadora: Paulo Roberto Sandrini.
Leandro de Castro Oltramari.

Data, hora e local da Defesa: 22 de junho de 2009, às 8 horas, sala 311F


DETONI, Giovanna Mubarac. Comportamento de consumo e consciência ambiental:
características da percepção dos consumidores acerca do consumo de produtos ecológicos.
Trabalho de conclusão de curso de Psicologia. Unisul. Palhoça, 2009.

RESUMO

Estima-se que vários elementos motivadores da degradação ecológica estão relacionados às


formas de produção e consumo. Dessa forma, considera-se que seja necessário obter
informações sobre o consumo de produtos ecológicos para que seja possível planejar ações
que visem sensibilizar o consumidor para o consumo ecologicamente correto. A presente
pesquisa de conclusão de curso objetivou caracterizar a percepção dos consumidores acerca
do consumo de bens e serviços ecológicos. Para esse fim, foi utilizado um questionário com
quatro questões fechadas que foi aplicado em 110 alunos dos cursos de Psicologia e
Administração de uma universidade pública e uma particular. Os dados foram analisados a
partir de categorias pré estabelecidas relacionadas às questões fechadas. A partir da pesquisa
foi possível verificar que ainda existe desconhecimento acerca da classificação de produtos
como sendo ecológicos e que a afirmação da maioria dos participantes de consumir produtos
ecológicos pode estar relacionada ao desconhecimento sobre o que é de fato um produto
ecológico. Dentre os produtos ecológicos mais consumidos foi identificado que seu consumo
pode estar relacionado com fatores como economia financeira e benefícios à saúde e não
propriamente a proteção ambiental. Os consumidores consideram que há pouca oferta e pouca
propaganda de produtos ecológicos e estes são considerados produtos relativamente caros. No
entanto, grande parte dos consumidores considera importante o consumo de produtos e
serviços ecologicamente corretos e consideram que mudar o seu comportamento terá
influência no meio ambiente. Dessa forma foi possível examinar o comportamento de
consumo relacionado a produtos ecologicamente corretos como um tema necessário de ser
desenvolvido pela Psicologia.

Palavras Chaves: comportamento de consumo; produtos ecológicos; Psicologia do


consumidor.

Núcleo Orientado: Psicologia e Trabalho Humano


Orientador: Juliane Viecili
Membros da banca examinadora: Vanderlei Brasil
Hélder de Lima Gusso

Data, hora e local da Defesa: 08 de junho, às 17:30h.


FARIA, Valéria da Silva. Resultados alcançados e descritos por sujeitos com dependência
química em cocaína que estão ou estiveram em processo psicoterápico. Trabalho de
Conclusão do Curso – TCC (Curso de Psicologia – Graduação). Universidade do Sul de Santa
Catarina, Palhoça, 2009.

RESUMO

Esta pesquisa apresenta como tema central a dependência química de cocaína e a psicoterapia
em pacientes atendidos nos vários níveis de atenção a saúde. Tem como população de
pesquisa 5 (cinco) usuários que recebem ou receberam tratamento para dependência química
no PSM do município de São José, no CAPS AD em Florianópolis e Intituto São José
localizado também no município de São José, todos no estado de Santa Catarina. O objetivo
geral desta pesquisa é: identificar os resultados alcançados e descritos por sujeitos
dependentes químicos em cocaína que estão ou estiveram em processo psicoterápico, sendo os
objetivos específicos: verificar quais os serviços, nos diferentes níveis de atenção à saúde que
prestam atendimento a sujeitos com dependência química em cocaína; verificar quais são as
expectativas que os dependentes em cocaína têm em relação ao tratamento psicoterápico;
identificar se os dependentes em cocaína foram ou são submetidos à outra forma de
tratamento; coletar dados junto a sujeitos com dependência química em cocaína quais foram
os resultados alcançados a partir do processo psicoterápico. No marco teórico foram
abordados os temas relacionados à definição de droga e suas formas de classificação,
informações e características gerais sobre a cocaína, ação cerebral da mesma, sintomas gerais
decorrentes do uso e abuso da cocaína, transtornos mentais e de comportamento devido ao uso
de substâncias, especificamente da cocaína, sintomas físicos e psicológicos anteriores ou
decorrentes do uso de drogas, aspectos sociais culturais envolvidos na dependência química, o
papel da família nesse processo e sua possível inclusão no tratamento, bem como alguns tipos
de tratamentos para dependentes que fazem uso abusivo de drogas. Quanto à metodologia
trata-se de uma pesquisa exploratória, bem como de campo, de natureza qualitativa. O
delineamento revela-se um estudo de multi casos e a coleta de dados foi efetuada por meio de
uma entrevista semi estruturada com usuários dos referidos serviços, sendo a análise dos
dados realizada através de análise de conteúdo. Os principais resultados alcançados através do
processo psicoterápico são percebidos e descritos pelos sujeitos com relação a melhora na
qualidade de vida, nas relações interpessoais e na aquisição de diferentes habilidades e
comportamentos que têm permitido evitar o consumo e prevenir recaídas.

Palavras-chave: Dependência Química, Tratamento, Psicoterapia, Resultados Alcançados.

Núcleo Orientado: Psicologia e Saúde


Orientador:Maria do Rosário Stotz
Membros da Banca examinadora: Maria Angela Giordani Machado
Nádia Kienen

Data, hora e local da Defesa: 23 de junho de 2009, às 08h, sala 311F


FERRAZ, Vera Marcia Silveira Machado. Um estudo sobre a sanidade e a doença na
produção artística de Arthur Bispo do Rosário. Trabalho de Conclusão de Curso – TCC
(Curso de Psicologia – Graduação). Universidade do Sul de Santa Catarina, Palhoça, 2009.

RESUMO

O presente trabalho tem por objetivo descrever fenômenos psíquicos na expressão artística na
obra de Arthur Bispo do Rosario. O referencial teórico foi construido pautando-se
principalmente na psicanálise discutindo acerca da psicose, sobre arte e saúde mental, bem
como em alguns dados biograficos de Arthur Bispo do Rosario. Este trabalho é classificado
como sendo uma pesquisa exploratória de delineamento bibliográfico. Para análise dos dados
coletados por meio de fichamento utilizou-se da hermêutica articulando-os a luz do
referencial teórico. Ao final deste processo constatou-se que as obras de Arthur Bispo do
Rosario, provavelmente serviram como forma de reorganização de seu mundo interno, que
tinha como base seu delírio religioso e as alucinações auditivas que lhe ordenavam como
deveria construir esse mundo. Em diversas de suas obras observou-se a presença da
linguagem, existente nos bordados, que consistiram na maioria das obras, e nos demais
escritos, encontrados principalmente nos estandartes. Essa linguagem possui um discurso
fragmentado, indicando perda da realidade, fator característico da psicose, percebendo-se seu
sofrimento psíquico. Assim pode-se pensar que Arthur Bispo do Rosario, encontrou na arte
uma forma de subjetivar seus desejos e conflitos internos, ocorrendo uma diminuição de seu
sofrimento psíquico, pois ao utilizar da arte. Bispo expressa-se artisticamente, essa atividade
concreta funciona como uma forma de linguagem, já que por Arthur Bispo do Rosario ter uma
estrutura psíquica psicótica, onde não há a metáfora paterna, não há filiação, o mesmo não
consegue articular através da linguagem os registros do real, simbólico e imaginário.

Palavras-chave: Expressão artística, saúde mental, sofrimento psíquico.

Núcleo Orientado: Psicologia e Saúde


Orientador:Maria do Rosário Stotz
Membros da Banca examinadora: Gabriela Luiza Campos
Paulo Roberto Sandrini

Data, hora e local da Defesa: 22 de junho de 2009, às 9:50h, sala 311F


FLÔR, Maira de Souza. A prática da meditação na redução de estresse: um estudo
bibliográfico sobre os aspectos psiconeuroimunológicos. Trabalho de Conclusão de Curso –
TCC (Curso de Psicologia – Graduação). Universidade do Sul de Santa Catarina, Palhoça,
2009.

RESUMO

O estresse apresenta-se, na atualidade, como um importante gerador de adoecimento na


população. Deste modo, precisa-se desenvolver formas de reduzí-lo e a prática da meditação
apresenta-se como um destes recursos. Utilizando a psiconeuroimunologia como um
articulador entre a prática da meditação e a redução do estresse, esta pesquisa propôs-se a
identificar, na literatura, possíveis alterações nos aspectos psiconeuroimunológicos
envolvidos no estresse advindas da prática da meditação. Para atingir tal objetivo foi
necessário: identificar na literatura os aspectos psiconeuroimunológicos envolvidos no
estresse; identificar na literatura os aspectos psiconeuroimunológicos envolvidos na prática da
meditação; e articular os aspectos psiconeuroimunológicos envolvidos na prática da
meditação com os do estresse. A discussão sobre estes aspectos foi realizada sob um olhar
permeado pelo contexto da saúde, principalmente pela psicologia da saúde e hospitalar. Para
que se cumprissem os objetivos propostos realizou-se um estudo exploratório, de abordagem
qualitativa que apresenta um delineamento de pesquisa bibliográfica. Deste modo, utilizaram-
se como fontes de informação, principalmente livros e artigos científicos coletados em
bibliotecas, bases de dados online e acervo pessoal da pesquisadora. As obras identificadas
por descritores pré-selecionados passaram por três etapas de depuração: por título; por
resumo, no caso dos artigos, e por sumário, no caso dos livros; e por leitura integral. Ao longo
da seleção das obras, adotou-se como critério a cientificidade, a aproximação dos conteúdos
aos objetivos da pesquisa e o idioma português como idioma de veiculação das obras. Após a
seleção do material, este foi lido, descrito e concomitantemente realizou-se uma análise
descritiva. Dentre os resultados encontrados, pode-se destacar que o estresse ativa o eixo
hipotálamo-hipófise-adrenal e a prática da meditação, por sua vez, desestimula a ativação
deste eixo. Deste modo, pode-se pensar na prática da meditação enquanto um recurso a ser
utilizado na redução do estresse, inclusive na redução do estresse hospitalar, podendo ser
articulada às intervenções da psicologia neste contexto.

Palavras-chave: Meditação. Estresse. Psiconeuroimunologia. Saúde. Psicologia.

Núcleo Orientado: Psicologia e Saúde


Orientador: Maurício Eugênio Maliska
Membros da Banca examinadora: Ana Maria Lima da Luz
Pedro Paulo Mendes Sbissa

Data e hora da Defesa: 22 de junho de 2009, às 20: 45h, auditório C


GOMES, Débora Marques. DST/AIDS e deficiência: um estudo sobre a vulnerabilidade de
pessoas com deficiência visual. Trabalho de Conclusão de Curso – TCC (Curso de Psicologia
– Graduação). Universidade do Sul de Santa Catarina, Palhoça, 2009.

RESUMO

O crescente avanço da epidemia de AIDS vem suscitando o desenvolvimento de pesquisas


que contribuam com estratégias de combate a este aumento. Neste sentido, a presente
pesquisa objetivou caracterizar as condições de vulnerabilidade às DST/AIDS de pessoas com
deficiência visual residentes no município de Florianópolis/SC. Uma vez que este estudo foi
classificado como pesquisa exploratória, de natureza qualitativa, adotou-se o delineamento
estudo de campo e foi utilizada a entrevista semi-estruturada como instrumento de coleta de
dados. Para alcançar o objetivo proposto, foram entrevistadas vinte pessoas com deficiência
visual, com idades entre 20 e 49 anos, membros da associação de cegos do município de
Florianópolis. Buscou-se coletar esses dados para que posteriormente fosse feita a
categorização e análise de conteúdo dos mesmos à luz do referencial teórico levantado. A
partir da análise, verificou-se que de algum modo as pessoas cegas entrevistadas estão
vulneráveis à epidemia de AIDS, pois estes mantém práticas sexuais que produzem condição
de vulnerabilidade, uma vez que não há a efetividade no uso de preservativo em suas práticas
cotidianas. Além disso, foram detectadas barreiras sociais que dificultam o acesso às
informações sobre DST/AIDS, bem como, a outros aspectos da vida social, como por
exemplo, a iniciação sexual, a conquista por parceiros, entre outros elementos, o que os
coloca ainda mais em situação de vulnerabilidade. Deste modo, é premente que estratégias em
saúde sejam desenvolvidas, contemplando esta categoria de deficiência, bem como as demais,
para que seja possível evitar que ocorra a deficientização da epidemia.

Palavras-chave: Deficiência Visual; Vulnerabilidade; DST/AIDS.

Núcleo Orientado: Psicologia e Saúde

Orientador: Leandro Castro Oltramari


Co-orientador:Adriano Henrique Nuernberg

Membros da Banca examinadora: Maurício Eugênio Maliska


Maria da Graça Machado Moukarzel

Data, hora e local da Defesa: 22 de junho de 2009, às 19h, auditório C


KAUTNICK, Lilian Cipriano. Articulação entre epistemofilia e saúde mental de um sujeito.
Trabalho de Conclusão de Curso – TCC (Curso de Psicologia – Graduação). Universidade do
Sul de Santa Catarina, Palhoça, 2009.

RESUMO

O presente trabalho apresenta uma articulação entre epistemofilia e saúde mental, tendo seu
referencial téorico pautado na psicanálise, abordando principalmente os conceitos de pulsão e
sublimação e também aspectos téoricos acerca da saúde mental. A epistemofilia, é originária
da curiosidade sexual infantil, enquanto um de seus possiveis destinos, mais precisamente do
terceiro destino considerado o mais satisfatório, pois esta curiosidade é sublimada desde o
iníco em pulsão de saber. A articulação com a temática de saúde mental se dá por meio da
sublimação considerada tanto um mecanismo de defesa quanto capaz promover a substituição
de um objeto sexual em um objeto não sexual valorizado socialmente. Este trabalho é
classificado como uma pesquisa exploratória de delineamento bibliográfico que teve por
objetivo verificar quais as implicações da epistemofilia na saúde mental que podem ser
percebidas em ações realizadas por sujeitos. Para atingir esse objetivo utilizou de fichamentos
que posteriormente foram analisados a partir de categorias delimitadas a priori e de
subcategarias destas, criadas a posteori. No processo de análise essas subcategorias foram
articuladas entre si e a luz do referencial teórico. A partir da pesquisa feita constatou-se que a
investigação intelectual possui sua energia na epistemofilia, por se tratar de uma pulsão de
saber. A epistemofilia evoca uma busca por conhecer, que é inerente a própria vida humana, e
a partir de ações realizadas nessa busca pode ter influiência nos principais processos
sublimatórios: a arte, a religião, o pensamento científico e atividades laborais. Pode mesclar-
se a outras atividades sublimadas, devido a plasticidade pulsional. Outro fator observado
consiste na relação da pulsão epistemofílica com a aprendizagem e aquisição do
conhecimento, que envolve questões emocionais que trazem sofrimento. Consiste numa
elaboração do luto do conhecimento, e acaba colocando em foco uma mistura entre sofrer e
conhecer, e que devido a energia pulsional via sublimação da pulsão epistemofília gera uma
satisfação pela valorização social. Percebe-se que a pulsão sexual, através da sublimação em
epistemofilia, encontra uma meta, um novo alvo que promove a saúde mental.

Palavras-chave: Fatores psicológicos, saúde mental, epistemofilia.

Núcleo Orientado: Psicologia e Saúde


Orientador: Maria do Rosário Stotz
Membros da Banca examinadora: Gabriela Luiza Campos
Tânia Vanessa Mascarello

Data, hora e local da Defesa: 23 de junho, às 19:00h, sala 109F


LEAL, Léa Mara da Cunha. Características do conhecimento do profissional técnico em
enfermagem sobre os sintomas psicóticos apresentados por pacientes internados em hospital
geral. Trabalho de Conclusão de Curso – TCC (Curso de Psicologia – graduação).
Universidade do Sul de Santa Catarina, Palhoça, 2009.

RESUMO

O profissional Técnico de Enfermagem intervém sobre múltiplos tipos de enfermidade


apresentadas por pacientes, indicando haver necessidade de esse profissional apresentar
conhecimento sobre tais enfermidades. Entre elas, um processo com o qual tal profissional
pode e provavelmente se depara em suas intervenções profissionais, é com sintomas
psicóticos. Esses sintomas podem ser apresentados em pacientes com problemas psicológicos
ou podem ainda se manifestar durante o processo de internação, quando os pacientes
costumam ser submetidos a tratamentos intensos. Foi objetivo avaliar características do
conhecimento do profissional Técnico em Enfermagem sobre os sintomas psicóticos
apresentados por pacientes internados em hospital geral, em especial em relação ao que esses
profissionais entendem por “sintomas psicóticos”, às características dos diversos tipos desses
sintomas e aos procedimentos profissionais realizados ao intervir sobre eles. Para tanto, foi
realizada investigação descritiva exploratória, com abordagem qualitativa. Os dados foram
coletados a partir de entrevistas semi-estruturas, realizadas com cinco profissionais Técnicos
em Enfermagem, que trabalham em um Hospital Geral. As entrevistas foram gravadas e
transcritas, sendo os depoimentos dos Técnicos de Enfermagem sobre sintomas psicóticos
analisados em categorias estabelecidas de acordo com o objetivo do trabalho e com as
informações apresentadas nos depoimentos. A entrevista foi composta em duas partes, sendo
que a parte I era sobre o perfil dos participantes, possibilitando caracterizá-los. A parte II da
entrevista teve o propósito de avaliar o conhecimento do Técnico de Enfermagem sobre
sintomas psicóticos. As respostas apresentadas foram categorizadas, o que possibilitou avaliar
as definições sobre sintomas psicóticos indicados por Técnicos de Enfermagem, o
conhecimento desses sujeitos sobre esses tipos de sintomas, a identificação dos sintomas
psicóticos pelos técnicos de enfermagem, os determinantes dos sintomas psicóticos segundo
os técnicos em enfermagem, a opinião dos técnicos em enfermagem sobre a apresentação dos
sintomas psicóticos em um quadro clínico estável, os procedimentos adotados para pacientes
com sintomas psicóticos, os problemas encontrados no trabalho com os pacientes psicóticos, a
opinião sobre tratamento diferenciado aos pacientes internados com sintomas psicóticos, os
procedimentos adotados para melhor atendimento aos pacientes que apresentam sintomas
psicóticos. A partir disso, foi possível concluir que os Técnicos de Enfermagem possuem
conhecimento parcial acerca da “psicose” e dos “sintomas psicóticos”, indicando necessidade
de aperfeiçoamento na formação e na atuação desses profissionais em relação ao tratamento
específico com esse processo.

Palavras-chave: Sintomas psicóticos. Técnico de Enfermagem.Tratamento de Psicoses.

Núcleo Orientado: Psicologia e Saúde


Orientador: Gabriel Gomes de Luca
Membros da Banca examinadora: Alessandra D’Ávila Scherer
Maria Angela Giordani Machado

Data, hora e local da Defesa: 24 de junho, às 19:00h, sala 109F


LEMOS, Joseane Cordazzo. Caracterização da percepção de funcionários sobre inserção de
pessoa com deficiência em organização de trabalho. Trabalho de conclusão de curso de
Psicologia. Unisul. Palhoça, 2009.

RESUMO

Este estudo teve o objetivo de caracterizar a percepção de funcionários sobre a inserção de


pessoa com deficiência em organização de trabalho. Buscou identificar a percepção de
funcionários acerca das condições de trabalho, desempenho e relações interpessoais de pessoa
com deficiência em ambiente laboral. Os dados foram coletados por meio de aplicação de
uma escala de atitudes com trinta e seis afirmativas em 108 trabalhadores de três organizações
de médio e grande porte da grande Florianópolis. Em cada uma das três organizações
participou unicamente o setor de trabalho que apresentou maior número de colaboradores com
deficiência. Quanto às empresas, duas são do ramo de indústria e uma do ramo de comércio e
estão a mais de dez anos no mercado. Os resultados indicaram que os funcionários destas
organizações, consideram, em sua maioria, que o ambiente de trabalho é adequado para
pessoas com deficiência, e que buscam se envolver e melhorar a estrutura física na empresa
para essa finalidade e que estas desempenham adequadamente suas funções na empresa,
embora também concordem que existam diferenças de oportunidades de crescimento
profissional oferecidas para trabalhadores com e sem deficiência. A maioria dos trabalhadores
demonstrou interagir e gostar de trabalhar com colegas com deficiência e acreditam que não
há discriminação nem preconceito para com estes no ambiente de trabalho. Desse modo,
parece que os funcionários buscam satisfatória relação com pessoa com deficiência
demonstrando interesse em facilitar a inclusão destes sujeitos no ambiente laboral.

Palavras-chave: pessoa com deficiência. inserção no trabalho. acessibilidade;

Núcleo Orientado: Psicologia e Trabalho Humano


Orientador: Juliane Viecili
Membros da Banca examinadora: Carolina Bunn Bartilotti
Regina Ingrid Bragagnolo

Data, hora e local da defesa: 08 de junho, às 15:30h.


MACEDO, Iara Regina. A percepção de funcionários acerca de fatores que influenciam a
ocorrência de absenteísmo na sua organização de trabalho. Trabalho de Conclusão de Curso –
TCC (Curso de Psicologia – Graduação). Universidade do Sul de Santa Catarina, Palhoça,
2009.

RESUMO

O absenteísmo nas organizações de trabalho tem preocupado gestores de diversos segmentos


empresarias devido às conseqüências que traz para a organização e para funcionários. Além
de gerar prejuízos financeiros diretos e indiretos para a sociedade, comprometem o
desenvolvimento do trabalho e a saúde do trabalhador. Neste sentido, o presente trabalho de
conclusão de curso teve como principal objetivo caracterizar a percepção de funcionários
acerca de fatores que influenciam a ocorrência do absenteísmo na organização em que
trabalham. Para desenvolver esta pesquisa. O instrumento de coleta de dados utilizado foi um
questionário aplicado a 105 funcionários que trabalham em três organizações de trabalho de
grande porte da região de Florianópolis. O questionário foi aplicado aos funcionários pela
pesquisadora em um ambiente da própria empresa. A partir da coleta de dados, objetivando
identificar a percepção dos funcionários sobre os motivos que levam a ocorrência do
absenteísmo, foi possível evidenciar, que determinadas características da organização de
trabalho repercutem em adoecimento do mesmo e consequentemente ocasionam o
absenteísmo. Ao identificar a percepção dos funcionários sobre as implicações da ocorrência
do absenteísmo, foi possível perceber que o funcionário faltar ao dia de trabalho ele deixa de
receber o benefício oferecido pela organização, o dia faltado é descontado ou recebe
advertência, portanto esta política de “punição” por parte da organização pode gerar
insatisfação ao funcionário. Outra implicação identificada é que quando um funcionário falta
ao trabalho sobrecarrega os demais colegas de trabalho. No que se refere às implicações da
ocorrência do absenteísmo para a organização de trabalho os funcionários compreendem que
a organização tem prejuízo, como atraso na produção e atraso no prazo de entrega de
mercadorias. Porém, quanto à percepção que os funcionários têm sobre a intensidade dos
prejuízos para organização quando um funcionário se ausenta, é que o prejuízo é pequeno. A
pesquisa revelou que os índices de absenteísmo podem estar relacionados ao adoecimento
físico e psíquico em função de aspectos da organização de trabalho, como as condições do
mesmo. A pesquisa ratifica ainda, a relevância do desenvolvimento de políticas e de práticas
de gestão que promovam saúde e bem estar aos funcionários para que haja redução do
absenteísmo.

Palavras-chave: Organização de trabalho. Absenteísmo. Gestão de Pessoas.

Núcleo Orientado: Psicologia e Trabalho Humano


Orientadora:Juliane Viecili
Membros da Branca examinadora: Marilda Contessa Lisboa
Renata Susan Pereira

Data, hora e local da Defesa: 09 de Junho de 2009, às 09:30h


MACHADO, Flavia. Tríade: As implicações da chegada do primeiro filho no processo de
separação dos casais. Trabalho de conclusão de curso- tcc (Curso de psicologia- graduação).
Universidade do Sul de Santa Catarina, Palhoça, 2009.

RESUMO

O presente trabalho buscou identificar quais as implicações da chegada do primeiro filho no


processo de separação dos casais. Para isso, foram entrevistadas seis pessoas que se
encontravam em processo de separação, pelo serviço de Mediação Familiar, do Fórum de São
José. O requisito central para a seleção dos participantes foi, que cada um deles deveria ter um
filho de até dois anos de idade no momento da separação. Assim, buscou-se, através deste,
compreender qual é a percepção dos participantes em relação a sua conjugalidade antes do
período gestacional; identificar quais são as possíveis mudanças que ocorrem na relação
conjugal durante a gestação; assim como, caracterizar a configuração da relação do casal
depois da chegada do primeiro filho. Quanto ao método, esta pesquisa define-se por ser
qualitativa, exploratória e seu delineamento caracteriza-se por pesquisa de campo. Para
alcançar os resultados, foi realizada coleta de dados, através de entrevistas semi- estruturadas.
Em um segundo momento, foi devidamente realizado categorizações das falas dos
participantes e analisadas aposteriori, de acordo com o referencial teórico deste trabalho.
Os resultados foram os mais variados, sendo que de forma geral, conflitos surgiram e se
acentuaram na vida dos participantes durante o período gestacional e depois com o
nascimento do primeiro filho, o que acarretou em um processo de separação dos casais.

Palavras chave: Conjugalidade. Conflito. Separação. Gestação. Primeiro filho.

Núcleo orientado: Psicologia e Saúde


Orientador: Regina Ingrid Bragagnolo
Membros da banca examinadora: Deise Maria do Nascimento
Leandro Castro Oltramari

Data, hora e local da defesa: 24 de junho, às 8:00h, auditório C


MACHADO, Gislaine. S. Enfrentamentos vivenciados por mulheres no processo de ruptura
do relacionamento conjugal. Trabalho de Conclusão de Curso – TCC (Curso de Psicologia –
Graduação). Universidade do Sul de Santa Catarina, Palhoça, 2009.

RESUMO

Dados do IBGE apontam que os índices, referente ao número de separações no Brasil vem
aumentando consideravelmente. Assim, esta pesquisa emerge da necessidade de se conhecer
de forma mais aprofundada a realidade das mulheres que passam pela ruptura da relação
conjugal. Esse tema é abordado em meio à um cenário de dualidades de paradigmas a respeito
da re-configuração dos papéis femininos, do casamento e de estruturas familiares, que
resultam de construções norteadas por códigos sociais, estigmas culturais e contexto histórico.
O objetivo deste estudo é caracterizar os enfrentamentos vivenciados por mulheres no
processo de ruptura do relacionamento conjugal. Trata-se de uma pesquisa de natureza
qualitativa, que pretende identificar os sentidos atribuídos na ótica de mulheres que vivenciam
situações de separação. Esta pesquisa teve como delineamento a pesquisa exploratória. Para
realizar a coleta de dados, optou-se pela utilização de uma entrevista semi-estruturada. Os
dados foram coletados junto a um grupo de quatro mulheres, na faixa etária de 30 à 41 anos,
usuárias do serviço de atenção à saúde da mulher da Unidade Básica de Saúde Bela Vista, em
Palhoça.SC. Os dados foram organizados a partir de categorias a posteriori e analisados à luz
da teoria Sistêmica. Os principais resultados desse estudo, apontam para questões de
conflitos, que se dão no âmbito psicossocial feminino e que surgem mediante as demandas
conjugais e da separação. As mulheres optam pelo casamento de modo idealizado, e o modelo
que seguem é o convencionado pela sociedade. Dentre os enfrentamentos experienciados com
a separação, emergem como sendo primordiais as condições de reestruturação de vida e o
suporte familiar, que se refletem nas instâncias emocionais e estruturais das informantes. No
âmbito emocional, as mulheres sofrem com a sua separação e pela separação dos filhos de
seus respectivos pais. As mulheres trabalham ainda mais com a partida do cônjuge contudo,
esse revela-se um recurso indispensável para a manutenção básica de sua família. Na esfera
social, fontes de apoio podem ser tornar complicadores, e desse modo as mulheres se
movimentam em direção à auto-preservação. Por fim, pode-se observar que apesar de as
mulheres terem tido uma evolução em relação ao seu empoderamento, muitas ainda não estão
cientes desse fato.

Palavras- chave: Ruptura conjugal; Mulheres

Núcleo Orientado: Psicologia e Saúde


Orientador:Ana Maria Pereira Lopes
Membros da Banca examinadora: Saidy Karolin Maciel
Juliana Belicanta

Data, hora e local da Defesa: 22 de junho de 2009, às 20:45, sala 109F


MANOEL, Vanessa de Andrade. A relação transferencial dos Agentes Comunitários de Saúde
com a equipe técnica do posto. TCC em Psicologia. (Curso de Psicologia – Graduação).
Trabalho de Conclusão de Curso. Palhoça, Universidade do Sul de Santa Catarina, 2009.

RESUMO

Os Agentes Comunitários de Saúde tem papel fundamental na estrutura do SUS em suas


diretrizes para efetivação do Programa de Saúde da Família, pois é o elo do posto com a
comunidade e a comunidade com o posto. O presente trabalho refere-se à relação
transferencial dos Agentes Comunitários de Saúde com a equipe técnica do posto de saúde do
bairro Bela Vista na Palhoça - SC. Este trabalho, que se utiliza do enfoque psicanalítico, tem
como objetivo compreender os tipos de relações de transferência que se estabelecem entre
Agentes Comunitários de Saúde e equipe, por meio do conceito psicanalítico de transferência
no âmbito institucional. Para que este objetivo fosse alcançado, foram entrevistas quatro
Agentes Comunitárias de Saúde que atuam nesta unidade de saúde. A presente pesquisa é
classificada como exploratória e qualitativa e utiliza entrevistas semi-estruturadas para a
coleta de dados. Buscou-se com esse tipo de entrevista obter informações, justificativas de
ordem teórica e/ou pessoais dos participantes acerca do seu trabalho. Os dados coletados
foram analisados num primeiro momento por categorias e no segundo momento, fez-se um
apanhado destas categorias, analisando-as e articulando-as com o referencial teórico presente.
Ao fim deste processo constatou que existe uma transferência positiva das Agentes
Comunitárias de Saúde para com a comunidade e uma transferência negativa das ACS para
com a equipe de saúde do posto. Conclui-se que há necessidade evidente de informação, de
reflexão e de um trabalho interdisciplinar não só entre as equipes, mas como em toda saúde
pública, no sentido de revisar as dificuldades que se fazem presentes nesse processo.

Palavras-chave: Agentes Comunitários de Saúde. Transferência. Equipe de Saúde.


Núcleo Orientado: Psicologia e Saúde
Orientador: Ana Maria Pereira Lopes
Membros da Banca Examinadora: Ana Maria Lima da Luz
Terezinha Pfleger Bazil

Data, hora e local da Defesa: 23 de junho, às 19:00h, sala 110F


MARCHI, Eduardo. Alterações de consciência: um estudo junto a pacientes terminais
internados em um hospital geral a partir de depoimentos de familiares e de técnicos de
enfermagem que cuidam desses sujeitos. Trabalho de Conclusão de Curso – TCC (Curso de
Psicologia – Graduação). Universidade do Sul de Santa Catarina, Palhoça, 2009.

RESUMO

Comumente as alterações de consciência são fenomenos apresentados por pacientes terminais.


Alguns dos possíveis tipos de alterações de consciência que podem ser apresentados por
essses sujeitos são Topor, Obnubilação da consciência e Amência. A multiplicidade dessas
alterações indica haver necessidade de que os profissionais que assistem esses sujeitos tenham
conhecimento acerca desses diferentes tipos de alteração de consciência, uma vez que sem
esse conhecimento, os profissionais podem se equivocar em relação ao diagnóstico e ao tipo
de tratamento a ser realizado. Foi objetivo avaliar as alterações consciência de pacientes em
fase terminal, a partir de depoimentos de familiares e de técnicos de Enfermagem que cuidam
destes sujeitos. Para tanto, foram entrevistados uma enfermeira, um técnico e uma técnica de
Enfermagem, e três familiares de pacientes terminais que sofrem de câncer, internados em
uma ala de um hospital geral. Classificado como pesquisa exploratória e qualitativa, foi
realizado como procedimento de coleta de dados entrevista semi-estruturada. Os dados
coletados a partir dos depoimentos dos profissionais que cuidam de pacientes terminais e dos
familiares desses pacientes foram analisados em categorias, de acordo com os objetivos
especificos do trabalho e com as informações apresentadas. A partir do depoimento deles, foi
possível constatar que diversos tipos de alterações de consciência são apresentadas pelos
pacientes terminais tais como Dissociação da consciência, Amência e Obnubilação da
consciência. No entando, há dificuldade por parte da equipe de Enfermagem em identificar as
alterações de consciência, pois somente algumas caracteristicas são percebidas dificultando a
descrição da alteração de consciência. Por sua vez, os familiares dos pacientes detalham os
comportamentos de seus entes, possibilitando relacionar os tipos de alterações de consciência
apresentados pelos pacientes com os tipos de alterações de consciência apresentados no marco
teórico.

Palavras-chave: Alterações de consciência. Pacientes terminais. Hospital.

Núcleo Orientado: Psicologia e Saúde


Orientador: Gabriel Gomes de Luca
Membros da Banca examinadora: Alessandra D`Ávila Scherer
Maurício Eugênio Maliska

Data, hora e local da Defesa: 26 de junho, às 14:00h, sala 101F


MARTINS, Elizandra Malvina. Implicações do Comprometimento Organizacional e o Setor
de Gestão de Pessoas: Características das Implicações do Comprometimento Organizacional
de Funcionários do Setor de Gestão de Pessoas na Percepção dos Mesmos. Trabalho de
conclusão de curso de Psicologia. Unisul. Palhoça, 2009.

RESUMO

O Comprometimento Organizacional tem tido um espaço considerável na literatura


organizacional. São comuns estudos que discutam dos focos, dimensões e outros aspectos do
comprometimento, no entanto, pouco se estuda a respeito das possíveis implicações desse
constructo para as pessoas. É comum também a ocorrência de pesquisas sobre o tema
comprometimento organizacional em diversos setores das organizações de trabalho, públicas
e privadas, no entanto pouco sobre o comprometimento dos funcionários do setor de Gestão
de Pessoas, uma vez que, normalmente são esses os responsáveis dentro das organizações de
trabalho em desenvolver ações para promover o comprometimento dos outros funcionários.
Sendo assim, o trabalho de conclusão de curso teve como objetivo caracterizar a percepção de
funcionários do setor de gestão de pessoas acerca das implicações do seu comprometimento
com a organização. Para tanto, foi realizada uma pesquisa descritiva com 07 funcionários do
setor de Gestão de Pessoas que atuam em organizações de médio e grande porte na região da
Grande Florianópolis. Foi realizada com os funcionários uma entrevista semi-estruturada com
21 questões acerca das implicações percebidas por eles decorrentes do seu comprometimento
com a organização de trabalho, buscando levantar as características do comprometimento
desses funcionários, as ações que são desenvolvidas na organização que são promotoras de
comprometimento e as implicações do comprometimento organizacional na saúde e nas
relações pessoais desses trabalhadores. Foi aplicada, também, uma escala para avaliar as
intenções comportamentais do comprometimento dos funcionários do setor de Gestão de
Pessoas. Os dados coletados foram categorizados de acordo com as informações obtidas e os
objetivos propostos. Foi possível perceber que os funcionários do setor de Gestão de Pessoas
participantes possuem intenções comportamentais de um médio-alto a alto comprometimento
com a organização e que na sua grande maioria possuem um comprometimento afetivo e
normativo, sendo que é pouco realizada nas organizações ações para promover o
comprometimento instrumental dos funcionários. Das ações que são promotoras de
comprometimento, na sua grande parte, são as ações tradicionais realizadas pelos funcionários
do setor de Gestão de Pessoas, como recrutamento e seleção, treinamento e desenvolvimento,
e principalmente a identificação com os valores organizacionais, no entanto os funcionários
do setor não indicam de forma clara que as atividades que eles executam sejam promotoras de
comprometimento, o que seria indicativo de que talvez eles pouco conheçam da função de
cada atividade realizada por eles. É possível perceber que o alto comprometimento trás
implicações tanto para a saúde como para as relações pessoais dos funcionários do setor de
Gestão de Pessoas, sendo a maioria, implicações negativas para os funcionários do setor de
Gestão de Pessoas como, a influência em doenças, no estresse, cansaço, falta de tempo,
indisposição, além de possuírem uma alta carga horária de trabalho, precisando assim abrir
mão de alguns momentos de lazer com a família e com os amigos.

Palavras-chave: Comprometimento organizacional. Gestão de Pessoas. Implicações do


comprometimento organizacional.
Núcleo Orientado: Psicologia e Trabalho Humano
Orientador: Juliane Viecili
Membros da Banca examinadora: Michelle Regina da Natividade
Gabriel Gomes de Luca

Data, hora e local da Defesa: 08 de junho, às 13:00h


MOLIM, Luciane Maria Dacol. Estratégias para o manejo de tentativas de suicídio em
Serviços emergências móveis na grande Florianópolis. Trabalho de Conclusão de Curso –
TCC (Curso de Psicologia – Graduação). Universidade do Sul de Santa Catarina, Palhoça,
2009.

RESUMO

O presente trabalho de pesquisa articula a temática suicídio e tentativa de suicídio com a


saúde mental. Para referenciar a temática foram trabalhados, dentre outros, os temas: evolução
histórica da saúde-doença, causas do suicídio, luto e melancolia. O objetivo geral da pesquisa
é: Investigar quais são as mais frequentes estratégias utilizadas para o manejo de tentativas de
suicídio realizadas por profissionais que atuam nos serviços de emergência móvel da grande
Florianópolis. A pesquisa classifica-se como exploratória e descritiva, tendo como
delineamento estudo de caso. A coleta de dados foi realizada com oito entrevistados, sendo
dois profissionais de cada um dos principais serviços de atendimento a emergências móveis
da grande Florianópolis. Os dados coletados foram apresentados em categorias e,
posteriormente, analisados estabelecendo-se a correlação com o referencial teórico do
presente trabalho de pesquisa, através de análise de categorias. Os principais resultados
encontrados são: os principais serviços de emergência móvel identificados foram o SAMU, o
Corpo de Bombeiros e sua Divisão de Busca e Salvamento e emergências móveis privadas.
Como maior ocorrência caracterizada como tentativa de suicídio aparece a ingesta de
substâncias. Dentre as causas apontadas as que obtiveram maior freqüência foram a depressão
e conflitos familiares. O manejo físico é o principal procedimento adotado pelos profissionais
e o encaminhamento dado, na maioria dos casos, é para o hospital geral, raramente para
hospitais psiquiátricos. Quanto a possível encaminhamento posterior os profissionais relatam
não ter conhecimento.

Palavras chave: Tentativa de suicídio. Suicídio. Manejo. Emergências móveis.

Núcleo Orientado: Psicologia e Saúde


Orientador: Maria do Rosário Stotz
Membros da Banca examinadora: Tânia Vanessa Mascarello
Gabriela Luiza Campos

Data, hora e local da Defesa: 23 de junho, às 20:45h, auditório C


RAMOS, Ana Paula de Oliveira. As representações sociais de conjugalidade para mulheres
casadas e mulheres separadas. Trabalho de Conclusão de Curso – TCC (Curso de Psicologia
– Graduação). Universidade do Sul de Santa Catarina, Palhoça, 2009.

RESUMO

A conjugalidade tem sido objeto de discussão no campo das ciências sociais pelo fato de
terem aumentado o número das dissoluções conjugais. Ainda não se têm explorado muito as
justificativas para estas dissoluções. Assim, o presente trabalho refere-se às representações
sociais de conjugalidade para mulheres casadas e para mulheres separadas. A pesquisa é
classificada como exploratória, qualitativa e utilizou-se como delineamento desta pesquisa o
estudo de campo, tendo a coleta de dados realizada por meio de uma entrevista com o roteiro
semi-estruturado, aplicado em cinco mulheres casadas e cinco mulheres separadas. As
respostas foram agrupadas, para fins de estabelecer as categorias de acordo com os objetivos
específicos e em seguida, foram feitas as análises de conteúdo do material pesquisado. Ao
final da pesquisa constatou-se que as expectativas que as entrevistadas casadas e separadas
tinham sobre casamento era uma união para formar uma família nuclear, sendo uma resposta
representativa para os dois grupos. As mulheres casadas trouxeram o ritual do casamento
como uma expectativa que também tinham sobre o casamento. As separadas consideraram
que tinham antes de se casarem uma expectativa positiva do matrimônio e assim como, o
amor romântico. As expectativas sobre o enlace matrimonial que as mulheres casadas e
separadas têm hoje estão relacionadas aos seguintes aspectos: confiança no parceiro, o marido
como gestor da família, amor confluente, diálogo, relação de compartilhar tarefas e também a
constituição de família. Na percepção de casamento, no presente momento, apontaram
aspectos como companheirismo, diálogo e fidelidade conjugal. Em geral, foi verificado que as
participantes dos dois grupos trouxeram representações sociais semelhantes em relação ao
enlace matrimonial.

Palavras-chave: Representações Sociais. Conjugalidade. Mulheres

Núcleo Orientado: Psicologia e Saúde


Orientador:Leandro Castro Oltramari
Membros da Banca examinadora: Nádia Kienen
Regina Ingrid Bragagnolo

Data, hora e local da Defesa: 22 de junho, às 20h45min, sala 110F


RAMOS, Roberta Rodrigues. “Ser mulher é mais do que ser mãe”: um estudo sobre mulheres
que trabalham e que optaram por não ser mãe. Trabalho de Conclusão de Curso – TCC (Curso
de Psicologia – Graduação). Universidade do Sul de Santa Catarina, Palhoça, 2009.

RESUMO

Ao longo da história passou-se a associar à imagem da mulher ao papel de mãe, paralelamente a isso o
trabalho no meio público passou a se configurar como um aspecto importante na vida da mulher. Estas
duas dimensões, em muitos momentos, colocam a mulher diante de uma escolha entre ser mãe ou
trabalhar. Diante desta escolha dilemática, buscou-se por meio desta pesquisa compreender a auto-
imagem de mulheres que trabalham e optaram por não ser mãe. Para alcançar este objetivo, foram
realizados estudos de caso com três mulheres, sendo elas trabalhadoras e não mães por escolha
própria. Como instrumento de coleta de dados, foi aplicada uma entrevista semi-estruturada contendo
59 questões que visavam: caracterizar aspectos fundamentais da vida profissional, social, familiar e
pessoal das mulheres; caracterizar a trajetória profissional das mesmas; verificar a percepção delas
quanto ao sentido do trabalho e da maternidade; e identificar na percepção das mulheres as possíveis
decorrências sociais, profissionais e psíquicas da escolha de trabalhar e não ser mãe. As discussões ao
longo desta pesquisa foram feitas sob a ótica teórica Sócio-Histórica da constituição humana, passando
por temas como gênero, trabalho e maternidade. Para a realização da análise dos dados foram
categorizadas as falas das participantes de acordo com os objetivos do trabalho. Dentre os resultados
encontrados, no que se refere ao sentido da maternidade, pode-se destacar que há ausência de desejo
materno, bem como o sentido da maternidade atrelado à perda da autonomia. No que tange ao aspecto
profissional, percebe-se que o trabalho assume centralidade na vida destas mulheres, ou seja, o
trabalho é extremamente relevante e significativo, assumindo, assim, um papel importante para a
constituição da identidade delas. Além disso, elas percebem o trabalho como forma de realização
pessoal. Percebe-se também o quanto é conflituoso para a mulher optar por não ter filhos, em função
de eleger outras prioridades, como a carreira profissional, pois, ao fazer este movimento, a mulher
nega um papel que é socialmente naturalizado e decorrente disso, algumas conseqüências são
percebidas como: sentimento de inadequação social, percebem-se como sendo egoístas; e encontram-
se sob coerção social, devido aos desejos familiares, de amigos e da sociedade de forma geral. Estas
questões fazem com que elas questionem sua escolha, uma vez que esta é entendida como contrária a
sua suposta natureza. Em relação à primeira participante da pesquisa, conclui-se, principalmente, que
esta se sente completa e realizada no aspecto profissional, todavia sente-se insegura quanto a escolha
de não ter filhos. Conclui-se com a segunda participante da pesquisa, que esta se percebe realizada no
aspecto profissional e segura quanto a sua escolha por não ter filhos. No entanto, percebe-se como
sendo egoísta, isso ocorre, sobretudo, pois ela acredita que, por não querer ter filhos prioriza apenas
seus interesses individuais. No que se refere à terceira sujeita desta pesquisa, conclui-se que, assim
como as duas primeiras, esta se percebe completa e realizada no aspecto profissional. No entanto,
percebe-se que a pressão e a expectativa social relacionadas à maternidade desencadearam sofrimento
psíquico e, por conseqüência disso ela passou a questionar a escolha de ter ou não ter filhos.

Palavras-chave: Maternidade. Trabalho feminino. Gênero.

Núcleo Orientado: Psicologia e Trabalho Humano


Orientador:Vanderlei Brasil
Membros da Banca examinadora: Deise Maria do Nascimento
Iúri Novaes Luna

Data, hora e local da Defesa: 25 de junho, às 9:45, auditório C.


REITER, Carla Cristine. O papel do cinema como recurso terapêutico. Trabalho de Conclusão
de Curso II – Curso de Psicologia. Universidade do Sul de Santa Catarina, Palhoça, 2009.

RESUMO

O presente trabalho apresenta como temática o cinema e sua possibilidade de uso enquanto
instrumento terapêutico. O objetivo geral identifica as possibilidades de utilização da
linguagem do cinema como recurso terapêutico. Para que este objetivo fosse alcançado,
realizou-se pesquisa em fontes bibliográficas sobre os possíveis usos do cinema, investigou-se
qual destes possíveis usos mobilizam fenômenos psicológicos no sujeito e verificou-se, dentre
aqueles que mobilizam fenômenos psicológicos, quais possuem resultado terapêutico. Para
tanto, o marco teórico foi construído versando sobre arteterapia, pensando o cinema como
uma possibilidade neste contexto, ao cinema propriamente dito, como uma linguagem que
expressa sentimentos, veicula idéias e comunica pensamentos, e um olhar psicanalítico, onde
se torna viável uma interpretação sobre o tema. No método utilizou-se de pesquisa
exploratória e pesquisa bibliográfica. A coleta de dados teve como base de dados virtual
chamada bireme e aconteceu em três fases: identificação, localização e reunião dos materiais
para posterior análise de conteúdo. A partir desse estudo pode se constar que são vários os
usos feitos com cinema, e que fenômenos psicológicos são mobilizados, mas não foi
encontrado registros de uso do cinema como recurso terapêutico, embora seja usado na prática
como um instrumento de mediação.

Palavras-chave: Cinema. Psicanálise. Arteterapia.

Núcleo Orientado: Psicologia e Saúde.


Orientador: Maria Rosário Stotz.
Membros da Banca Examinadora: Gabriela Luiza Campos
Nádia Kienen

Data, hora e local da Defesa: 23 de junho, às 9:50h, sala 311F


ROSAR, Kateusa da Cruz. “O apego às origens”: um estudo sobre jovens oriundos do meio
rural que se qualificaram no meio urbano e escolheram suas origens para o exercício
profissional. Trabalho de Conclusão de Curso – TCC (Curso de Psicologia – Graduação).
Universidade do Sul de Santa Catarina, Palhoça, 2009.

RESUMO

O presente trabalho tem como tema a juventude no meio rural, sendo o objetivo geral
identificar as variáveis determinantes que fazem jovens oriundos do meio rural a se
qualificarem no meio urbano e escolherem o seu meio de origem para exercício profissional.
Para cumprir este objetivo, buscou-se distinguir a configuração do núcleo familiar dos sujeitos
pesquisados, a percepção dos pais diante da qualificação do filho, as influências da escolha de
qualificação e do exercício profissional, a trajetória acadêmica do sujeito, bem como suas
perspectivas futuras e percepções sobre os meios rurais e urbanos. A fundamentação teórica
constitui-se dos temas: juventude, identidade e identidade profissional, trabalho e trabalho no
meio rural. Estes suportes teóricos foram embasados pela abordagem Sócio-Histórica, que
compreende o homem como um ser social em que a mediação dos outros faz parte de sua
construção e da forma com que se relacionam no mundo. No que concerne ao método, este se
delineou como sendo estudo de caso, com objetivos exploratórios. Como forma de obtenção
dos dados realizou-se entrevistas semi-estruturadas, com dois jovens que nasceram no meio
rural, e com seus respectivos pais, os quais estudaram no meio urbano e optaram por
permanecer no meio de origem após conclusão de seus estudos. Os dados foram submetidos à
análise de conteúdo e como forma de organização das informações foram estabelecidas
categorias a priori e subcategorias a posteriori. As categorias a priori foram: 1) variáveis
determinantes que antecederam o estudo no meio urbano; 2) variáveis determinantes que
antecederam o retorno a escolha pelo meio rural; 3) percepções sobre o meio rural e meio
urbano, e projetos futuros. Esta pesquisa concluiu que as mediações familiares exercidas nos
jovens foram cruciais no movimento de estudar no meio urbano e de optarem por
permanecerem trabalhando no meio rural. O retorno financeiro foi também outro fator que
mediou à escolha destes jovens em permanecerem trabalhando no meio rural, pois existia a
possibilidades de trabalhar nas terras da família, de forma livre e autônoma. Relacionado aos
fatores de continuar os estudos ou permanecer no meio rural, pode-se dizer que os sujeitos
reconhecem o campo de possibilidades que tinham em sua vida no momento da decisão em
escolher o meio rural para viver, assim agiram no mundo de forma responsável com relação
aos seus projetos futuros.

Palavras-chave: Juventude. Meio rural. Identidade profissional.

Núcleo Orientado: Psicologia e Trabalho Humano


Orientador:Vanderlei Brasil
Membros da Banca examinadora: Iúri Novaes Luna
Deise Maria do Nascimento

Data, hora e local da Defesa: 25 de junho, às 8h, auditório C.


SANTANA, Emanuelle Ribeiro. Um estudo sobre os objetivos de gestores de empresas no
empreendimento de ações de responsabilidade social. Trabalho de conclusão de curso- TCC
(curso de Psicologia- Graduação). Universidade do Sul de Santa Catarina, Palhoça, 2009.

RESUMO

Freqüentemente são vistas no cotidiano diversas empresas que se vinculam às práticas de


responsabilidade social, um tema que está sendo incorporado e operacionalizado por estas de
várias formas. Todavia, são muitas as especulações sobre o real envolvimento da empresa
com as causas sociais. O presente estudo refere-se à caracterização dos processos que
envolvem objetivos e decisões por parte das empresas ao empreenderem ações de
responsabilidade social, um tema atual e cada vez mais debatido e questionado pelas diversas
áreas e campos de conhecimento. Para alcançar este objetivo foram analisados três casos de
empresas de grande porte da Grande Florianópolis. Os informantes foram três gestoras
indicadas pela empresa para participar da pesquisa. O trabalho é classificado como pesquisa
exploratória e qualitativa e utiliza a entrevista semi-estruturada e análise documental para a
coleta de dados. Foi necessária apenas uma entrevista por gestora com temas significativos
para o estudo dos seguintes objetivos: identificar as políticas e ações de responsabilidade
social da empresa; levantar entre os gestores, as motivações explicitadas para as ações de
responsabilidade social; descrever a percepção de gestores acerca da responsabilidade social;
identificar a percepção de gestores sobre o impacto das ações de responsabilidade social para
o contexto social e para a empresa. Utilizou-se a pesquisa documental para a verificação dos
documentos e materiais de divulgação sobre a responsabilidade social da empresa. A partir
dos dados coletados, foram criadas categorias à posteriori, e num segundo momento, os
conteúdos foram analisados e vinculados ao referencial teórico. Após o processo de análise,
constatou-se que os casos se diferenciam pelo modo com que operacionalizam as ações de
responsabilidade social e que os motivos para as ações podem ser de ordem pessoal, sociais
ou econômicos de acordo com os valores culturais e objetivos dos negócios.

Palavras-chave: Responsabilidade social. Empresas. Ações sociais.


Núcleo Orientado: Psicologia e Trabalho Humano
Orientador: Vanderlei Brasil
Membros da Banca examinadora: Leandro Castro Oltramari
Michelle Regina da Natividade

Data, hora e local da defesa: 24 de Junho, às 20:45h, auditório C


SANTOS, Michelli Garcia. Casando com a violência – Mulheres em situação de violência no
cenário conjugal. Trabalho de Conclusão de Curso – TCC (Curso de Psicologia – Graduação).
Universidade do Sul de Santa Catarina, Palhoça, 2009.

RESUMO

A presente pesquisa tem como objetivo, Descrever a concepção de violência e conjugalidade


para mulheres que viveram situações de violência conjugal . Visto que a violência na relação
conjugal está presente nos discursos de muitas mulheres, onde atribuem a violência a um
sofrimento social. Foram utilizados como principais autores para discutir este tema: Gregori
(1993), Saffioti; Almeida (2003), Soares (1999), Souza (2008), Suarez; Bandeira (1999) e
Zanella (1997). A pesquisa classifica-se como descritiva e qualitativa, valendo-se da
entrevista semi-estruturada como técnica de coleta de dados. Foram realizadas três entrevistas,
com três mulheres que viveram situação de violência conjugal, duas eram usuárias do serviço
da Vara Criminal e uma usuária do serviço de mediação familiar do Fórum de São José, as
quais estavam em situação de separação conjugal. Os dados coletados foram categorizados e
analisados a partir da análise de conteúdo. Nos resultados debateu-se a existência de uma
crença na mudança do comportamento violento por parte de seus companheiros. Todas as três
entrevistadas relataram que os companheiros eram alcoolistas. Duas entres as três relataram o
uso da droga também como fator desencadeante da violência. Durante a pesquisa, foi possível
perceber que as três entrevistadas denunciaram seus companheiros realizando o Boletim de
Ocorrência, sendo que duas das três entrevistadas deram continuidade no processo judicial
que foram abertos junto a Vara Criminal devido à situação de violência, porém, uma entre as
três arquivou o processo dando o assunto como encerrado.

Palavras-chave: Violência. Gênero. Conjugalidade.

Núcleo Orientado: Psicologia e Saúde


Orientador: Regina Ingrid Bragagnolo
Membros da Banca examinadora: Saidy Karolin Maciel
Zuleica Pretto

Data, hora e local da Defesa: 22 de Junho, às 19:00h, sala 110F


SCHMITZ, Amanda. Eu vejo a mente como vejo o corpo? A percepção da equipe de saúde de
um hospital geral acerca das influências dos aspectos psicológicos sobre o processo de
adoecimento de pacientes hospitalizados. Trabalho de Conclusão de Curso – TCC (Curso de
Psicologia – Graduação). Universidade do Sul de Santa Catarina, Palhoça, 2009.

RESUMO

A presente pesquisa tem por finalidade relacionar a visão sobre o processo de saúde-doença
que vem passando por várias transformações ao longo do tempo. Com o intuito de atingir o
objetivo geral de verificar a percepção da equipe de saúde de um hospital geral acerca das
influências dos aspectos psicológicos sobre o processo de adoecimento de pacientes
hospitalizados, este estudo, inicialmente, procurou identificar quais conceitos a equipe de
saúde possui acerca dos aspectos psicológicos, assim como, identificar quais conceitos desta
equipe acerca do processo de adoecimento e, por fim, identificar quais as percepções que a
equipe de saúde possui sobre a relação da influência dos aspectos psicológicos com o
processo de adoecimento. Trata-se de uma pesquisa exploratória, de natureza qualitativa, com
o delineamento de levantamento de informações, sendo que os dados foram colhidos através
de uma entrevista semi-estruturada aplicada em cinco profissionais da área da saúde de um
Hospital Geral da Grande Florianópolis. Os dados obtidos foram analisados e categorizados a
partir de categorias a posteriore, que foram relacionadas aos objetivos específicos da
pesquisa. As categorias foram analisadas de acordo com o seu conteúdo, no intuito de
relacioná-las aos resultados obtidos em campo com a fundamentação teórica e a construção de
argumentos da pesquisadora. Os principais resultados obtidos mostraram que a maioria dos
participantes considerou que os sentimentos e as emoções estão relacionados ao conceito de
aspectos psicológicos; constatou-se também a percepção de um dos participantes ainda
pautada em uma visão dualista de corpo-mente. É possível reconhecer que o processo de
adoecimento foi compreendido pela maioria dos sujeitos como um conceito para além das
dimensões físicas do organismo, que igualmente implica em suas dimensões psíquicas e
sociais. Na relação dos aspectos psicológicos como o processo de adoecimento, verificou-se,
entre alguns participantes, a falta de comunicação e trocas na área da saúde que dificulta uma
atuação interdisciplinar. Por fim, considerou-se entre todos os sujeitos uma possível relação
entre as dimensões psíquicas no desencadeamento de algumas doenças orgânicas.

Palavras-chave: Equipe de saúde. Aspectos psicológicos. Processo de adoecimento.


Holismo.

Núcleo Orientado: Psicologia e Saúde


Orientador: Maurício Eugênio Maliska.
Membros da Banca examinadora: Simone Vieira de Souza
Isabel Cristina Alves Maliska

Data, hora e local da Defesa: 24 de junho, às 20:45h, sala 110F


SCHNEIDER, Laidiara. Reconhecimento e eficiência. A percepção da equipe de saúde acerca
da inserção dos estagiários do curso de psicologia em um hospital geral. Trabalho de
Conclusão de Curso – TCC (Curso de Psicologia). Universidade do Sul de Santa Catarina,
Palhoça, 2009.

RESUMO

A inserção da psicologia como parte da equipe multidisciplinar no ambiente hospitalar é um


processo contínuo e em constante atualização. Diante disso, esta pesquisa teve como objetivo
verificar a percepção da equipe de saúde acerca da inserção dos estagiários do curso de
Psicologia em um Hospital Geral. Para alcançar este objetivo foram realizadas entrevistas
com profissionais da saúde que já tiveram contato com a atuação dos estagiários de
psicologia, por, no mínimo, um semestre durante o período de 2006 a 2008 nas alas em que é
desenvolvido o estágio em psicologia. A pesquisa é de natureza qualitativa, possui um caráter
exploratório, de levantamento e utilizou entrevista semi-estruturada para a realização da
coleta dos dados. A análise de conteúdo foi realizada através da construção de categorias
selecionadas a partir dos objetivos da pesquisa e do conteúdo das entrevistas. Na análise,
verificou-se que os profissionais de saúde parecem perceber os estagiários de psicologia como
parte da equipe multidisciplinar, de um modo geral, percebendo suas intervenções de maneira
positiva. Os resultados apontam que os profissionais entrevistados percebem as intervenções
dos estagiários como acompanhamento e suporte psicológico para pacientes e familiares.
Além disso, percebem que os resultados das intervenções são eficientes, havendo assim, um
reconhecimento do trabalho por parte desta equipe. Ainda, percebem uma relação de parceria
entre a equipe, reconhecendo o empenho por parte dos estagiários de psicologia.

Palavras-chave: Equipe de saúde. Estagiários de psicologia. Hospital geral.

Núcleo Orientado: Psicologia e Saúde


Orientador: Maurício Eugênio Maliska
Membros da banca examinadora: Isabel Cristina Alves Maliska
Simone Vieira de Souza

Data, hora e local da defesa: 24 de junho, às 19:00h, auditório C


SILVA, Priscila Netto Campos. Mediação acordista ou transformadora? : um estudo sobre a
percepção dos participantes acerca do processo mediativo. Trabalho de conclusão do curso de
Psicologia. UNISUL: Palhoça, 2009.

RESUMO

O número de separações e divórcios tem aumentado significativamente no séc. XXI. Com


base no crescente aumento de separações e nas conseqüências provenientes deste processo, se
fez necessário a criação de novas formas de resolução de conflitos, como é o caso da
mediação familiar. A mediação tenta suprir a ineficiência do poder estatal, e englobar tanto as
questões legais, quanto as questões de cunho emocional e afetivo do processo de separação.
Assim, esta pesquisa teve por finalidade analisar a percepção dos participantes sobre o
processo de mediação familiar após a homologação do acordo. Para atingir tal objetivo foi
necessário identificar a percepção dos participantes em relação a: comunicação entre eles e
seus ex-cônjuges; a efetivação do acordo e sobre o atendimento do serviço de mediação
familiar. Para que se cumprissem os objetivos propostos realizou-se um estudo exploratório,
de abordagem quali-quantitativa. No que se refere ao delineamento esta pesquisa
caracterizou-se como um levantamento. Deste modo, foram aplicados formulários em vinte
participantes, sendo eles, dez requerentes e dez requeridos. Dentre os resultados encontrados,
verificou-se que a mediação possibilitou aos casais apreenderem formas pacíficas de
comunicação, sendo a mediação, portanto, fator determinante para a melhoria da comunicação
do casal. Em relação à efetivação do acordo, conclui-se que, o mesmo, está sendo realizado de
forma efetiva pelas partes. Por fim, pode-se verificar que, o serviço de mediação familiar tem
obtido uma aprovação quase que unânime daqueles que o utilizam.

Palavras- chave: Separação. Mediação Familiar. Comunicação. Direito de Família.

Núcleo Orientado: Psicologia e Saúde


Orientadora:Regina Bragagnolo
Banca Examinadora:Deise Maria Nascimento
Leandro Castro Oltramari

Data, hora e local da defesa: 24 de junho, às 9:50h, auditório C


SILVA, Vanessa Aparecida da. Comprometimento organizacional de gestores herdeiros de
empresas familiares. Trabalho de Conclusão de Curso – TCC (Curso de Psicologia –
Graduação). Universidade do Sul de Santa Catarina, Palhoça, 2009.

RESUMO

O presente trabalho de conclusão de curso teve como objetivo caracterizar o


comprometimento organizacional dos gestores herdeiros de empresas familiares. Para
alcançar esse objetivo buscou-se caracterizar o processo de sucessão de gestores familiares e
os aspectos envolvidos no comprometimento organizacional dos sucessores; identificar o tipo
e o grau de comprometimento organizacional dos sucessores familiares que constituem
empresas familiares. A pesquisa caracterizou-se como exploratória e para obtenção dos dados
foi relaizada entrevista semi-estruturada e aplicado questionário de medida do
comprometimento organizacional com cinco gestores herdeiros de empresas familiares. A
coleta dos dados ocorreu em uma sala do departamento administrativo das respectivas
empresas, e durou em torno de quarenta minutos cada. As informações obtidas através das
entrevistas foram organizadas em categorias e analisadas, já os dados referentes ao grau de
comprometimento foram organizados em um gráfico e também analisados. De acordo com a
análise é possível concluir que os sucessores herdeiros de empresas familiares se inserem na
empresa familiar desde a infância e na gestão da empresa por solicitação de parentes, por
vontade própria. É possível afirmar que assim como ocorreu com a sucessão dos gestores
herdeiros, parece que a próxima geração de herdeiros não está sendo planejada. Os gestores
herdeiros demonstram estar comprometidos com a empresa familiar, pois buscam promover o
crescimento da empresa através de ações que intencionam o desenvolvimento e o avanço da
empresa no mercado, além da satisfação e do desejo do gestor em estar junto à organização,
porém é visto que dispõem de pouco tempo para vida pessoal. É predominante o número de
gestores que apresentam o comprometimento organizacional afetivo, porém além desse tipo
de comprometimento é notado em alguns também a presença do comprometimento contínuo e
em outros o comprometimento normativo, uma vez que além de estarem vinculados com a
empresa familiar emocionalmente, também estão interessados nos lucros providos ou em
permanecer na empresa pelo compromisso moral com o antecessor. É identificado alto grau
de comprometimento organizacional entre os gestores herdeiros de empresas familiares. E por
fim é possível concluir que mesmo sem a sucessão ter sido planejada formalmente, os
gestores se mostram altamente comprometidos e com indícios de ligação afetiva com a
organização de trabalho.

Palavras chave: Empresa familiar. Sucessão Familiar. Comprometimento Organizacional.

Núcleo Orientado: Psicologia e Trabalho Humano


Orientador:Juliane Viecili
Membros da Banca examinadora: Iúri Novaes Luna
Geovane Testa Correa

Data, hora e local da Defesa: 12 de junho de 2009, às 11:30h.


VIEIRA, Patrícia Corrêa Lima. Estresse no trabalho: A percepção de vendedoras do comércio
de telefonia da Grande Florianópolis-SC. Trabalho de Conclusão de Curso – TCC (Curso de
Psicologia – Graduação). Universidade do Sul de Santa Catarina, Palhoça, 2009.

RESUMO

A presente pesquisa teve como objetivo, caracterizar a percepção de vendedoras do comércio


de telefonia da grande Florianópolis – SC, acerca do estresse no ambiente de trabalho.
Buscou-se levantar a compreensão de estresse para a trabalhadora. Identificar quais fatores
decorrentes do trabalho são considerados estressores, descrever quais as reações físicas e
psicológicas as trabalhadoras relacionam ao estresse no trabalho e por fim, identificar quais
recursos as trabalhadoras utilizam para enfrentar o estresse em seu cotidiano no trabalho.
Compreendendo que o sujeito constitui e é constituído por meio das relações numa
perspectiva sócio-histórica, esta pesquisa está baseada na teoria histórico-dialética. Tendo o
delineamento como um estudo de caso, utilizando para coleta de dados um questionário
compostos de perguntas abertas e fechadas que visaram responder as questões supracitadas. O
instrumento elaborado pela pesquisadora foi aplicado em todas as vendedoras que compõe o
quadro funcional de duas lojas da mesma empresa, totalizando onze vendedoras. Os dados
quantitativos foram tabulados em planilha de Excel e demais dados foram categorizados por
meio de análise de conteúdo. A análise dos resultados demonstrou que ao conceituar estresse
as vendedoras pesquisadas tendem a descrever os sintomas. Fatores como pressão no trabalho,
elevada carga de trabalho, discriminação, dificuldades financeiras, insegurança com a
estabilidade do emprego, não ter tempo para os filhos, relacionamento com clientes e chefia e
o barulho excessivo, foram considerados como estressores importantes do ambiente de
trabalho. Os sintomas psicológicos como, irritabilidade, desânimo, depressão e mau humor
foram os mais relacionados ao estresse no trabalho, como os sintomas físicos, destacando-se o
cansaço, dores de cabeça, dores musculares e no pescoço, porém sintomas físicos específicos
da mulher como, alterações no ciclo menstrual e os do sistema digestivo, foram considerados
pouco ou nada relacionados ao estresse. Como formas de enfrentar o estresse no trabalho, as
ações mais mencionadas foram, sair com amigos, dormir, manter a tranqüilidade e ter
pensamentos motivadores, destacando que algumas declaram não identificar seus recursos de
enfrentamento do estresse, apesar de relatarem estar estressadas. Desta forma, é possível
concluir que permanecem as dificuldades em conceituar estresse, mesmo entre a população.
Que os fatores desencadeantes de estresse mais percebidos foram fatores intrínsecos a
organização, os fatores pessoais, das relações de trabalho e em menor proporção o fator
ambiental. Quanto aos sintomas mais percebidos e relacionados ao estresse, destacam-se em
maior proporção os sintomas psicológicos e em segundo momento os sintomas físicos. Como
forma de enfrentamento de estresse, as vendedoras destacaram ações que partiram delas
mesmas.

Palavras chave: Estresse, Trabalho, Mulheres.

Núcleo Orientado: Psicologia e Trabalho Humano


Orientadora: Carolina Bunn Bartilotti.
Banca Examinadora: Maria Fernanda Diogo
Juliana Silveira.

Data, hora e local da Defesa: 25 de junho, às 9:45h, sala 311F.


WALLAUER, Alina. O conhecimento dos profissionais da saúde acerca do suicídio. Trabalho
de Conclusão de Curso- TCC (Curso de Psicologia – Graduação). Universidade do Sul de
Santa Catarina, Palhoça, 2009.

RESUMO

Este trabalho teve como objetivo identificar o conhecimento dos profissionais da saúde de um
hospital geral acerca do suicídio, conforme preconiza o Manual de Prevenção do Suicídio
elaborado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), e pelo Ministério da Saúde do Brasil
(MSB). Com caráter quali-quantitativo, esta pesquisa descreve o conhecimento atual de 35
profissionais da saúde, sendo eles 8 médicos, 11 enfermeiros, 9 técnicos de enfermagem, 3
auxiliares de enfermagem e 4 psicólogos. Para a coleta de dados, foi elaborado, com base no
Manual de Prevenção do Suicídio da OMS, um questionário semi-aberto contendo 17
questões, sendo 10 específicas para identificar o conhecimento acerca dos possíveis fatores de
risco, e 7 específicas para identificar o conhecimento acerca de possíveis ações em
atendimento a esses pacientes. Para análise dos dados coletados, foram utilizadas, análise
estatística para questões fechadas e análise de conteúdo para questões abertas. A partir da
coleta de dados, foi possível identificar o conhecimento dos profissionais da saúde acerca dos
fatores de risco envolvidos na tentativa de suicídio (psicológicos, psiquiátricos, sócio-
demográficos, e ambientais). Além disso, foi possível identificar o conhecimento dos
profissionais da saúde acerca das possíveis ações no atendimento aos pacientes com risco de
suicídio (modo de comunicação, identificação de risco, e possíveis intervenções). Os
resultados desta pesquisa apontaram tanto as deficiências como o preparo desses profissionais
para atuar na prevenção do suicídio.

Palavras-chave: Suicídio. Conhecimento. Profissionais da saúde.

Núcleo Orientado: Psicologia e Saúde.


Orientador: Maurício Eugênio Maliska
Membros da Banca Examinadora: Zuleica Pretto
Alessandra D’Ávila Scherer.

Data, hora e local da Defesa: 23 de junho, às 10:15h, auditório C.