Você está na página 1de 781

Abrir tela principal

Manual de Serviços

JS160 - JS190
Manual de Serviços - JS160 - JS190
Seção 1 – Informações Gerais
Seção 2 – Cuidados e Segurança
Seção 3 – Manutenção
Seção B – Carroçaria e Estrutura
Seção C – Elétrica
Seção E – Hidráulica
Seção F – Transmissão
Seção J – Esteira e Mecanismo de Acionamento
Seção K – Motor

Nº da Publicação
9803/6570-2

Suporte ao Cliente de
Categoria Internacional
Copyright © 2004 SERVIÇO JCB Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação pode ser reproduzida, armazenada em sistema de recuperação
ou transmitida de qualquer forma ou por qualquer outro meio, seja ele eletrônico, mecânico, fotocópia ou qualquer outro, sem permissão prévia de JCB SERVICE.

Publicado por JCB Technical Publications, JCB Aftermarket Training, Woodseat, Rocester, Staffordshire, ST14 5BW, Inglaterra. Tel +44 1889 591300 Fax +44 1889 591400
Seção 0 – Manual de Serviço

Página deixada intencionalmente em branco

0-0 9803/6570-2 0-0


Abrir tela principal
Seção 1

Informações Gerais
Manual de Serviços - JS160 - JS190
Seção 1 - Informações Gerais
Seção 2 - Cuidados e Segurança
Seção 3 - Manutenção
Seção B - Carroceria e Estrutura
Seção C - Elétrica
Seção E - Hidráulica
Seção F - Transmissão
Seção J - Esteira e Mecanismo de Acionamento
Seção K - Motor

Nº da publicação
9803/6570-2
Produzido por:
ASC Comunicação Técnica
www.asccomunicacao.com.br

Suporte ao Cliente
de Categoria Mundial
Copyright © 2004 JCB SERVICE. Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação pode ser reproduzida, armazenada em um sistema de recuperação
ou transmitida de qualquer forma ou por qualquer outro meio, seja eletrônico, mecânico, fotocópia ou algum outro, sem permissão anterior de JCB SERVICE.

Publicado por Depto. Publicações Técnicas JCB, Treinamento de Pós-vendas JCB, Woodseat, Rocester, Staffordshire, ST14 5BW, Inglaterra. Tel +44 1889 591300 Fax +44 1889 591400
Seção 1 – Informações Gerais

Página deixada em branco intencionalmente

1-0 9803/6570-2 1-0


Seção 1 – Informações Gerais

Índice Página Nº

Introdução
Sobre este Manual.................................................................. 1 - 1
Identificando sua Máquina...................................................... 1 - 3

Configurações de Torque
Fixadores Zincados e Fixadores Dacromet............................. 1 - 5
Conexões Hidráulicas.............................................................. 1 - 9

Ferramentas
Lista Numérica........................................................................ 1 - 13
Referências de Detalhes das Ferramentas............................. 1 - 16

Itens de Consumo
Compostos de Retenção e Vedação....................................... 1 - 33

Termos e Definições
Código de Cores..................................................................... 1 - 35

1-i 1-i
Seção 1 – Informações Gerais
Índice

Índice Página Nº

1 - ii 1 - ii
Seção 1 – Informações Gerais

Introdução
Sobre este Manual
Modelo e Número de Série da Máquina Finalmente, por favor, lembre-se que a segurança vem
antes de todas as recomendações acima!
Este manual fornece informações para os seguintes
modelos de máquinas JCB: Numeração das Seções
T11-005
JS160 – JS180, do número de série 1612500 a
1612899. O manual é compilado em seções, as três primeiras
são numeradas e contém informações como as se-
JS190, do número de série 1314100 a 1314299. guintes:
Usando o Manual de Serviço
1 Informações Gerais – incluem as configurações
T11-004 de torque e ferramentas.
Esta publicação foi desenvolvida para benefício dos
Engenheiros de Serviço dos Distribuidores JCB que 2 Cuidados e Segurança – incluem avisos
estão recebendo, ou já receberam, treinamento pelo e precauções per tinentes a aspectos de
Departamento de Treinamento Técnico JCB. procedimentos de oficina, etc.

Estas pessoas devem ter um sólido conhecimento 3 Manutenção – incluem programações de serviços
das práticas de oficina, procedimentos de segurança, e lubrificantes recomendados para toda a
e técnicas gerais associadas com a manutenção e máquina.
reparação de equipamentos hidráulicos de movimen- As seções remanescentes são codificadas alfabetica-
tação de terra. mente e referem-se à Desmontagem, Revisão, etc.,
As ilustrações nesta publicação são somente para de componentes específicos, por exemplo:
orientação.
A Anexos
Onde as máquinas apresentam diferenças, o texto e
/ ou ilustração será específica. B Carroçaria e Estrutura, etc.
Os avisos gerais na Seção 2 são repetidos por todo o Os índices das seções, os dados técnicos, as descri-
manual, bem como os avisos específicos. Leia todos ções de circuitos, as descrições de operações, etc.,
os regulamentos de segurança regularmente, para estão inseridas no início de cada seção codificada
não esquecê-los. alfabeticamente.
A renovação de vedadores de óleo, juntas, etc., e Unidades de Medição
quaisquer outros componentes que mostrem sinais T1-001_2
óbvios de desgaste ou danos, é considerado como
Nesta publicação, é usado o sistema de unidades S.
natural. Espera-se que aqueles componentes sejam
I. Por exemplo, capacidades de líquido são dadas em
limpos e lubrificados onde for apropriado, e que quais-
litros. As unidades Imperiais seguem em parênteses
quer conexões de mangueiras ou tubulações sejam
(), como 28 litros (6 galões).
bloqueadas para evitar a perda excessiva de fluido
hidráulico e entrada de sujeira. Lado esquerdo, Lado direito
Onde uma configuração de torque for fornecida numa As referências neste manual para ‘esquerdo’ e ‘direito’
figura única, esta configuração pode variar em mais são como se fossem vistas para frente, a partir da
ou menos 3%. As figuras de torque indicadas são para traseira da máquina.
roscas secas. Assim sendo, para roscas lubrificadas,
podem ser reduzidas em um terço.
Uma das políticas do fabricante é a de contínuo
desenvolvimento. O direito de alterar as especifica-
ções da máquina sem aviso é reservado. Nenhuma
responsabilidade será aceita por discrepâncias que
possam ocorrer entre especificações da máquina e
as descrições contidas nesta publicação.

1-1 9803/6570-2 1-1


Seção 1 – Informações Gerais
Introdução
Sobre este Manual

Referências Cruzadas
T1-004_2

Nesta publicação as páginas de referências cruzadas


são feitas pela apresentação de títulos impressos em
negrito, itálico e sublinhado. É precedido pelo símbolo
‘vá para’. O número da página no qual o assunto co-
meça, é indicado dentro de parênteses. Por exemplo:
_ Referências Cruzadas (/ 1-2). _Tabela de Lu-
brificação do Motor (/ 3-15)

1-2 9803/6570-2 1-2


Seção 1 – Informações Gerais
Introdução
Identificando sua Máquina

Identificando sua Máquina


Placa de Identificação da Máquina Número de Identificação Típico de Produto (PIN)

Sua máquina possui uma placa de identificação, loca-


1 2 3 4 5
lizada no exterior da cabina, como mostra a indicação
A. O número de série da máquina está inscrito na JCB JS16C C 6 1612510
indicação B, que é a placa básica da estrutura traseira.
1 Identificação Mundial do Fabricante (JCB)

2 Tipo e Modelo da Máquina (JS16C = JS160 De


esteiras)

3 Carta de verificação gerada aleatoriamente.

4 Ano de fabricação (6 = 2006, 7 = 2007, 8 = 2008,


etc).

5 Número de Série da Máquina (1612510).

Placas de Identificação de Componentes


Número de Identificação do Motor típico
Se o motor for substituído por um motor novo, os
dados da placa de número de série estarão errados.
Estampar o novo número na placa ou descartar a placa
Fig. 1. antiga. Isto evitará que o número errado seja anotado
quando você solicitar novas peças de reposição.

Fig. 2.
Fig. 3.

O tipo de modelo de motor está estampado em A e


o número de série do motor está estampado em B.

1-3 9803/6570-2 1-3


Seção 1 – Informações Gerais
Introdução
Identificando sua Máquina

Página deixada em branco intencionalmente

1-4 9803/6570-2 1-4


Seção 1 – Informações Gerais
Configurações de torque
Fixadores Zincados e Fixadores Dacromet

Configurações de Torque
Fixadores Zincados e Fixadores Dacromet
T11-002

Introdução Pinos e Parafusos


Alguns fixadores externos nas máquinas JCB são Use as seguintes tabelas de configuração de torque
produzidos usando um tipo de acabamento melho- somente onde nenhuma configuração de torque está
rado resistente à corrosão. Este tipo de acabamento especificada no texto.
é chamado Dacromet e substitui o original zincado e
amarelo usado nas máquinas anteriores. Nota: Os fixadores Dacromet são lubrificados como
parte do processo de acabamento. Não os
Os dois tipos de fixadores podem ser facilmente iden- lubrifique.
tificados pela cor e pelo sufixo do número de peça.
_ Tabela 1. Tipos de Fixadores (/ 1-5) As configurações de torque são fornecidas nas
seguintes condições:
Tabela 1. Tipos de Fixadores
Condição 1
Tipo de Cor Sufixo do Número
Fixador de Peça – Fixadores não lubrificados
Zincado e Acabamento 'Z' (como: – Fixadores zincados
Amarelo dourado 1315/3712Z)
Acabamento – Fixadores com acabamento amarelo
'D' (como:
Dacromet com pontos Condição 2
1315/3712D)
prateados
– Fixadores zincados em camadas (Dacromet)
Nota: Como os fixadores Dacromet possuem uma
especificação de torque menor do que os fixa- – Fixadores lubrificados com acabamento zincado
dores zincados e amarelos, as configurações e amarelo
de torque usadas precisam ser relevantes para – Onde houver lubrificação natural. Por exemplo:
cada tipo de fixador. componentes de ferro fundido
Nota: Um parafuso Dacromet não deve ser utilizado
em conjunto com um zincado ou amarelo, Parafusos auto atarraxantes
pois isto poderia alterar as características das
configurações de torque. Pela mesma razão,
Uma porca Dacromet não deve ser utilizada
com um parafuso zincado ou amarelo.

Nota: Todos os parafusos utilizados nas máquinas


JCB são de alta elasticidade e não podem ser
substituídos por parafusos de especificação
de menor elasticidade.

Nota: Os parafusos Dacromet, devido a sua alta re-


sistência à corrosão, são utilizados em áreas
onde a corrosão pode ocorrer. Os parafusos
Dacromet somente são utilizados em aplica- Fig. 4.
ções externas. Não são utilizados em aplica-
ções como caixas de mudanças ou junção de As configurações de torque para estes parafusos são
partes do motor ou em aplicações internas. determinadas pela aplicação. Consulte o procedimento
relevante para a configuração requerida.

1-5 9803/6570-2 1-5


Seção 1 – Informações Gerais
Configurações de torque
Fixadores Zincados e Fixadores Dacromet

Tabela 2. Configurações de Torque – Fixadores ‘S’ Grau UNF

Dimensão do Parafuso Sextavado Condição 1 Condição 2


(A / F)
pol. mm pol. Nm kgfm lbpé Nm kgfm lbpé
1/4 6.3 7/16 11.2 1.1 8.3 10.0 1.0 7.4
5/16 7.9 1/2 22.3 2.3 16.4 20.0 2.0 14.7
3/8 9.5 9/16 40.0 4.1 29.5 36.0 3.7 26.5
7/16 11.1 5/8 64.0 6.5 47.2 57.0 5.8 42.0
1/2 12.7 3/4 98.00 10.0 72.3 88.0 9.0 64.9
9/16 14.3 13/16 140.0 14.3 103.2 126.0 12.8 92.9
5/8 15.9 15/16 196.0 20.0 144.6 177.0 18.0 130.5
3/4 19.0 1 1/8 343.0 35.0 253.0 309.0 31.5 227.9
7/8 22.2 1 15/16 547.0 55.8 403.4 492.0 50.2 362.9
1 25.4 1 1/2 814.0 83.0 600.4 732.0 74.6 539.9
1 1/8 31.7 1 7/8 1181.0 120.4 871.1 1063.0 108.4 784.0
1 1/4 38.1 2 1/4 1646.0 167.8 1214.0 1481.0 151.0 1092.3

Tabela 3. Configurações de Torque – Fixadores Métricos Grau 8.8

Dimensão do Parafuso Sextavado Condição 1 Condição 2


(A / F)
Rosca ISO mm mm Nm kgfm lbpé Nm kgfm lbpé
Métrica
M5 5 8 5.8 0.6 4.3 5.2 0.5 3.8
M6 6 10 9.9 1.0 7.3 9.0 0.9 6.6
M8 8 13 24.0 2.4 17.7 22.0 2.2 16.2
M10 10 17 47.0 4.8 34.7 43.0 4.4 31.7
M12 12 19 83.0 8.5 61.2 74.0 7.5 54.6
M16 16 24 205.0 20.9 151.2 184.0 18.8 135.7
M20 20 30 400.0 40.8 295.0 360.0 36.7 265.5
M24 24 36 690.0 70.4 508.9 621.0 63.3 458.0
M30 30 46 1372.0 139.9 1011.9 1235.0 125.9 910.9
M36 36 55 2399.0 244.6 1769.4 2159.0 220.0 1592.4

1-6 9803/6570-2 1-6


Seção 1 – Informações Gerais
Configurações de torque
Fixadores Zincados e Fixadores Dacromet

Tabela 4. Fixadores Métricos Grau 10.9

Dimensão do Parafuso Sextavado Condição 1 Condição 2


(A / F)
Rosca ISO mm mm Nm kgfm lbpé Nm kgfm lbpé
Métrica
M5 5 8 8.1 0.8 6.0 7.3 0.7 5.4
M6 6 10 13.9 1.4 10.2 12.5 1.3 9.2
M8 8 13 34.0 3.5 25.0 30.0 3.0 22.1
M10 10 17 67.0 6.8 49.4 60.0 6.1 44.2
M12 12 19 116.0 11.8 85.5 104.0 10.6 76.7
M16 16 24 288.0 29.4 212.4 259.0 26.4 191.0
M20 20 30 562.0 57.3 414.5 506.0 51.6 373.2
M24 24 36 971.0 99.0 716.9 874.0 89.1 644.6
M30 30 46 1930.0 196.8 1423.5 1737.0 177.1 1281.1
M36 36 55 3374.0 344.0 2488.5 3036.0 309.6 2239.2

Tabela 5. Fixadores Métricos Grau 12.9

Dimensão do Parafuso Sextavado Condição 1 Condição 2


(A / F)
Rosca ISO mm mm Nm kgfm lbpé Nm kgfm lbpé
Métrica
M5 5 8 9.8 1.0 7.2 8.8 0.9 6.5
M6 6 10 16.6 1.7 12.2 15.0 1.5 11.1
M8 8 13 40.0 4.1 29.5 36.0 3.7 26.5
M10 10 17 80.0 8.1 59.0 72.0 7.3 53.1
M12 12 19 139.0 14.2 102.5 125.0 12.7 92.2
M16 16 24 345.0 35.2 254.4 311.0 31.7 229.4
M20 20 30 674.0 68.7 497.1 607.0 61.9 447.7
M24 24 36 1165.0 118.8 859.2 1048.0 106.9 773.0
M30 30 46 2316.0 236.2 1708.2 2084.0 212.5 1537.1
M36 36 55 4049.0 412.9 2986.4 3644.0 371.6 2687.7

1-7 9803/6570-2 1-7


Seção 1 – Informações Gerais
Configurações de torque
Fixadores Zincados e Fixadores Dacromet

Tabela 6. Configurações de Torque – Parafusos e Porcas

Dimensão do Parafuso
Rosca ISO mm Nm kgfm lbpé
Métrica
M3 3 1.2 0.1 0.9
M4 4 3.0 0.3 2.0
M5 5 6.0 0.6 4.5
M6 6 10.0 1.0 7.5
M8 8 24.0 2.5 18.0
M10 10 48.0 4.9 35.5
M12 12 82.0 8.4 60.5

Tabela 7. Configurações de Torque – Parafusos de cabeça com sextavado interno (Zincados)

Dimensão
do Parafuso
Rosca ISO Nm kgfm lbpé
Métrica
M3 2.0 0.2 1.5
M4 6.0 0.6 4.5
M5 11.0 1.1 8.0
M6 19.0 1.9 14.0
M8 46.0 4.7 34.0
M10 91.0 9.3 67.0
M12 159.0 16.2 117.0
M16 395.0 40.0 292.0
M18 550.0 56.0 406.0
M20 770.0 79.0 568.0
M24 1332.0 136.0 983.0

1-8 9803/6570-2 1-8


Seção 1 – Informações Gerais
Configurações de torque
Conexões Hidráulicas

Conexões Hidráulicas
T11-003

Sistema de Vedação Facial ‘O’ Ring


Adaptadores Parafusados Dentro de Blocos de
Válvulas
Adaptadores parafusados dentro de blocos de válvu-
las, vedam com um 'O’ ring que está comprimido dentro
de um assento usinado a 45º, na face da porta cônica.

Tabela 8. Configurações de Torque – Adaptadores BSP

Adaptador Dimensão do
BSP Sextavado (A / F)
pol. mm Nm kgfm lbpé
1/4 19.0 18.0 1.8 13.0
3/8 22.0 31.0 3.2 23.0
1/2 27.0 49.0 5.0 36.0
5/8 30.0 60.0 6.1 44.0
3/4 32.0 81.0 8.2 60.0
1 38.0 129.0 13.1 95.0
1 1/4 50.0 206.0 21.0 152.0

Tabela 9. Configurações de Torque – Conexões SAE

Sextavado
Dimensão D i m e n s ã o d a (A / F)
do tubo SAE Rosca Porta SAE
mm Nm kgfm lbpé
4 7/16 - 20 15.9 20.0 - 28.0 2.0 - 2.8 16.5 - 18.5
6 9/16 - 18 19.1 46.0 - 54.0 4.7 - 5.5 34.0 - 40.0
8 3/4 - 16 22.2 95.0 - 105.0 9.7 - 10.7 69.0 - 77.0
10 7/8 - 14 27.0 130.0 - 140.0 13.2 - 14.3 96.0 - 104.0
12 1 1/16 - 12 31.8 190.0 - 210.0 19.4 - 21.4 141.0 - 155.0
16 1 5/16 - 12 38.1 290.0 - 310.0 29.6 - 31.6 216.0 - 230.0
20 1 5/8 47.6 280.0 - 380.0 28.5 - 38.7 210.0 - 280.0

1-9 9803/6570-2 1-9


Seção 1 – Informações Gerais
Configurações de torque
Conexões Hidráulicas

Mangueiras Parafusadas Dentro de Adaptadores

Fig. 5.

Mangueiras 5-B parafusadas dentro de adaptadores Nota: A dimensão 5-D variará dependendo do torque
5-A, vedam com um 'O’ ring 5-C que está comprimido aplicado.
dentro de um assento usinado a 45º, na face da porta
do adaptador.

Tabela 10. Mangueira BSP – Configuração de Torque

Dimensão da Sextavado (A / F)
Mangueira BSP
pol. mm Nm kgfm lbpé
1/8 14.0 14.0 - 16.00 1.4 - 1.6 10.3 - 11.8
1/4 19.0 24.0 - 27.0 2.4 - 2.7 17.7 - 19.9
3/8 22.0 33.0 - 40.0 3.4 - 4.1 24.3 - 29.5
1/2 27.0 44.0 - 50.0 4.5 - 5.1 32.4 - 36.9
5/8 30.0 58.0 - 65.0 5.9 - 6.6 42.8 - 47.9
3/4 32.0 84.0 - 92.0 8.6 - 9.4 61.9 - 67.8
1 38.0 115.0 - 126.0 11.7 - 12.8 84.8 - 92.9
1 1/4 50.0 189.0 - 200.0 19.3 - 20.4 139.4 - 147.5
1 1/2 55.0 244.0 - 260.0 24.9 - 26.5 180.0 - 191.8

1 - 10 9803/6570-2 1 - 10
Seção 1 – Informações Gerais
Configurações de torque
Conexões Hidráulicas

Adaptadores dentro de conexões de Componentes com Arruelas fixadas com adesivo químico

Tabela 11. Adaptadores BSP com Arruelas fixadas com adesivo químico – Configurações de Torque

Dimensão
BSP
pol. Nm kgfm lbpé
1/8 20.0 2.1 15.0
1/4 34.0 3.4 25.0
3/8 75.0 7.6 55.0
1/2 102.0 10.3 75.0
5/8 122.0 12.4 90.0
3/4 183.0 18.7 135.0
1 203.0 20.7 150.0
1 1/4 305.0 31.0 225.0
1 1/2 305.0 31.0 225.0

1 - 11 9803/6570-2 1 - 11
Seção 1 – Informações Gerais
Configurações de torque
Conexões Hidráulicas

Sistema de Mangueiras ‘Torque Stop’

Fig.6.

As Mangueiras ‘Torque Stop’ 6-B parafusadas dentro demasiado, as mangueiras ‘Torque Stop’ possuem
de adaptadores 6-A, vedam com um 'O’ ring 6-C que uma saliência 6-D, que atua como um batente físico.
está comprimido dentro de um assento usinado a 45º,
dentro da face da porta do adaptador. Para evitar que Nota: A dimensão mínima 6-E é fixada pela saliência
o ‘O’ ring seja danificado como resultado de aperto 6-D.

Tabela 12. Mangueira ‘Torque Stop’ – Configuração de Torque

Dimensão da Sextavado (A / F)
Mangueira BSP
pol. mm Nm kgfm lbpé
1/8 14.0 14.0 1.4 10.0
1/4 19.0 27.0 2.7 20.0
3/8 22.0 40.0 4.1 30.0
1/2 27.0 55.0 5.6 40.0
5/8 30.0 65.0 6.6 48.0
3/4 32.0 95.0 9.7 70.0
1 38.0 120.0 12.2 89.0
1 1/4 50.0 189.0 19.3 140.0
1 1/2 55.0 244.0 24.9 180.0

1 - 12 9803/6570-2 1 - 12
Seção 1 – Informações Gerais

Ferramentas
Lista Numérica
As ferramentas listadas na tabela são ferramentas e conjuntos, consulte a Referência de Detalhes de
especiais requeridas para a realização dos procedi- Ferramentas, Seção 1.
mentos descritos neste manual.
Nota: Ferramentas diferentes daquelas listadas serão
Estas ferramentas estão disponíveis nos Serviços JCB. necessárias. Espera-se que as ferramentas
Algumas ferramentas estão disponíveis como kits ou convencionais estejam disponíveis em qual-
conjuntos, os números de peças dentro destes kits ou quer oficina bem equipada ou estejam dispo-
conjuntos não estão listadas aqui. Para os detalhes níveis localmente em qualquer bom fornecedor
completos de todas as ferramentas, incluindo os kits de ferramentas.

Peça Descrição Ver a


Número Seção
- Arruelas fixadas – ver Referência de Detalhes de Ferramentas (Seção 1) para o índice E
Plugues Fêmeas com Cônicos Abertos – ver Referência de Detalhes de Ferramentas E
- (Seção 1) para o índice
Conectores Fêmeas – ver Referência de Detalhes de Ferramentas (Seção 1) para E
- o índice
Equipamento de Teste de Fluxo Hidráulico – ver Referência de Detalhes de Ferra- E
- mentas (Seção 1) para o índice
Equipamento de Bomba Manual Hidráulica – ver Referência de Detalhes de Ferra- E
- mentas (Seção 1) para o índice
Adaptadores Machos BSP x BSP - ver Referência de Detalhes de Ferramentas (Se- E
- ção 1) para o índice
Adaptadores Machos BSP x NPT (Somente USA) - ver Referência de Detalhes de E
- Ferramentas (Seção 1) para o índice
Tampas Macho com Cônicos Abertos – ver Referência de Detalhes de Ferramentas E
- (Seção 1) para o índice
Pontos de Teste de Pressão - Adaptadores – ver Referência de Detalhes de Ferra- E
- mentas (Seção 1) para o índice
Pontos de Teste de Pressão - Adaptadores ‘T’ – ver Referência de Detalhes de Fer- E
- ramentas (Seção 1) para o índice
Ferramenta para fixação de porcas – ver Referência de Detalhes de Ferramentas B
- (Seção 1) para o índice
331/22966 Ferramenta de Alinhamento de Acionamento da Bomba E
331/31069 Bloco de Teste para A.R.V. E
4104/1310 Limpador para mãos B
892/00039 Presilha da bobina E
892/00041 Ferramenta para remoção de esmalte K
892/00137 Mangueira micro perfurada E
892/00223 Bomba Manual E
de Teste de Pressão de Circuito Hidráulico – ver Referência de Detalhes de Fer-
892/00253 Kit E
ramentas (Seção 1) para o índice
892/00254 Mangueira E
892/00271 Adaptador E

1 - 13 9803/6570-2 1 - 13
Seção 1 – Informações Gerais
Ferramentas
Lista numérica

Peça Descrição Ver a


Número Seção
892/00272 Adaptador E
892/00273 Adaptador E
892/00274 Adaptador E
892/00275 Adaptador E
892/00276 Adaptador E
892/00279 Medidor E
892/00280 Medidor E
892/00281 Medidor AVO C
892/00284 Tacômetro Digital C
892/00285 Hidráulica teste de Temperatura de óleo C
892/00298 Medidor Fluke C
892/00334 Ferramenta para ajuste do vedador Ram E
892/00346 Medidor E
892/00347 Conector E
892/00706 Ponta de Teste E
892/00842 Elevador do vidro B
892/00843 Suporte Dobrável para Manter do vidro B
892/00845 Cartucho para Pistola B
892/00846 Extrator do Vidro (Alças) B
892/00847 Espátula de Nylon B
892/00848 Fio da Partida B
892/00849 Fio de Corte Trançado B
892/01016 Luva de Proteção Ram para Haste de 25 mm de Diâmetro E
892/01017 Luva de Proteção Ram para Haste de 30 mm de Diâmetro E
892/01018 Luva de Proteção Ram para Haste de 40 mm de Diâmetro E
892/01019 Luva de Proteção Ram para Haste de 50 mm de Diâmetro E
892/01020 Luva de Proteção Ram para Haste de 50 mm de Diâmetro (Movimento Ram) E
892/01021 Luva de Proteção Ram para Haste de 60 mm de Diâmetro E
892/01022 Luva de Proteção Ram para Haste de 60 mm de Diâmetro (Movimento Ram) E
892/01023 Luva de Proteção Ram para Haste de 65 mm de Diâmetro E
892/01024 Luva de Proteção Ram para Haste de 70 mm de Diâmetro E
892/01025 Luva de Proteção Ram para Haste de 75 mm de Diâmetro E
892/01026 Luva de Proteção Ram para Haste de 80 mm de Diâmetro E
892/01027 Ferramenta do Conjunto de Vedadores do Pistão E
926/15500 Blocos Espaçadores de Borracha B
992/02800 Extrator ARV E
992/09300 Chave Sextavada 55 mm A / F E
992/09400 Chave Sextavada 65mm A / F E

1 - 14 9803/6570-2 1 - 14
Seção 1 – Informações Gerais
Ferramentas
Lista numérica

Peça Descrição Ver a


Número Seção
992/09500 Chave Sextavada 75mm A / F E
992/09600 Chave Sextavada 85mm A / F E
992/09700 Chave Sextavada 95mm A / F E
992/09900 Chave Sextavada 115mm A / F E
992/10000 Chave Sextavada 125mm A / F E
992/10100 Presilha da bobina E
992/12300 Forno móvel de 12 V B
992/12400 Forno Estático 24 V (2 Cartuchos) B
992/12800 Faca de Corte B
992/12801 Lâminas ‘L’ B
Kit de Martelos Deslizantes – ver Referência de Detalhes de Ferramentas (Seção
993/68100 B
1) para o índice

1 - 15 9803/6570-2 1 - 15
Seção 1 – Informações Gerais
Ferramentas
Referência de Detalhes de Ferramentas

Referência de Detalhes de Ferramentas


Seção B – Carroçaria e Estrutura

Nota: Nem todas as ferramentas estão ilustradas.

T11-009

Fig 7. Kit de Martelos Deslizantes 993/68100

1 993/68101 Martelo Deslizante 7 993/68107 Barra - M20 x M20 X 800 mm


2 993/68102 Batente 8 993/68108 Adaptador - M20 x 7/8” UNF
3 993/68103 Adaptador - M20 x 5/8” UNF 9 993/68109 Adaptador - M20 x M12
Adaptador - M20 x 1” UNF Adaptador - M20 x 5/8” UNF
4 993/68104 10 993/68110
(Saliência)
5 993/68105 Adaptador - M20 x M20 11 993/68111 Adaptador - M20 x 1/2” UNF
6 993/68106 Adaptador - M20 x M24

826/01099 Porca de Fixação M6 x 16 mm


T11-007
826/01101 Porca de Fixação M6 x 19 mm
826/01102 Porca de Fixação M8 x 18 mm
1
826/01103 Porca de Fixação M8 x 21 mm
826/01104 Porca de Fixação M10 x 23 mm
826/01105A Porca de Fixação M10 x 26 mm
Ferramenta de Instalação dispo-
2 - nível de: Bollhoff Fixadores Ltda
(www.bollhof.com)

Fig 8. Ferramenta para Fixação de Porcas

1 - 16 9803/6570-2 1 - 16
Seção 1 – Informações Gerais
Ferramentas
Referência de Detalhes de Ferramentas

T11-008 T11-008

Fig 9. 892/00842 Elevador do Vidro Fig 12. 892/00846 Extrator de Vidro (Alças)

Mínimo de 2 – Essencial para a instalação do vidro, Usadas com fio de corte trançado para cortar vidros
são necessários 2 para manusear grandes placas de quebrados. _ Fig. 15 (/ 1-18).
vidro. Assegure-se de que as ventosas de segurança
de sucção sejam protegidas contra danos durante o
armazenamento. T11-008

Fig 13. 892/00847 Espátula de Nylon

Ferramenta de uso geral para vedadores macios –


Fig 10. 892/00843 Suporte Dobrável também utilizado para reinstalar o vidro em guarnição
de borracha porque as ferramentas metálicas lascarão
Essencial para a preparação do novo vidro antes da a borda do vidro.
instalação.

T11-008

T11-008

Fig 14. 892/00848 Fio de Partida


Fig 11. 892/00845 Cartucho para Pistola
Usado para acesso ao fio trançado de corte através do
Operado à mão. Essencial para a aplicação de veda- vedador original de poliuretano. _ Fig. 15. (/ 1-18).
dores, materiais de poliuretano, etc.

1 - 17 9803/6570-2 1 - 17
Seção 1 – Informações Gerais
Ferramentas
Referência de Detalhes de Ferramentas

T11-008 T11-008

Fig 15. 892/00849 Fio trançado de corte Fig 18. 992/12400 Forno Estático 240V

Fio de corte pesado consumível usado com a fer- Requerido para pré-aquecer o adesivo antes do uso.
ramenta de extração do vidro. _ Fig. 12. (/ 1-17). O plugue não é fornecido.
Aproximadamente 25 m de comprimento.
Nota: Modelos de 110 V disponíveis sob pedido –
Entre em contato com o Serviço Técnico JCB.
T11-008

T11-008

Fig 16. 926/15500 Blocos Espaçadores de Borracha


Fig 19. 992/12800 Faca de corte
Usados para fornecer o ajuste da folga correto entre
a borda do vidro e a estrutura da cabina Quantidade
Usada para remover vidro quebrado.
de unidades = 500

T11-008
T11-008

Fig 17. 992/12300 Forno Móvel 12 V Fig 20. 992/12801 Lâminas ‘L’.

Capacidade de 1 cartucho. Requerido para pré- Corte de 25 mm (1 pol.). Lâminas de reposição para
aquecer o adesivo antes do uso. É conectado com a faca de corte. _ Fig. 19. (/ 1-18). Quantidade de
um plugue macho (703/23201) que se encaixa num unidades = 5
soquete fêmea (715/04300).

1 - 18 9803/6570-2 1 - 18
Seção 1 – Informações Gerais
Ferramentas
Referência de Detalhes de Ferramentas

T11-008

Fig 21. 4104/1310 Limpador de mãos

Marca especial para remoção de adesivos de poliure-


tano (454 g; Tubo de 1 lb)

1 - 19 9803/6570-2 1 - 19
Seção 1 – Informações Gerais
Ferramentas
Referência de Detalhes de Ferramentas

Seção C – Sistema Elétrico


Nota: Nem todas as ferramentas estão ilustradas.

T11-015

Fig 22. 892/00298 Medidor Fluke


Fig 25. 892/01174

T11-015
Cabo de interconexão, DLA para a máquina,
1
soquete de diagnóstico ECU.
Cabo de interconexão, DLA para a máquina,
2
soquete de diagnóstico ECU.
3 Maleta de transporte do kit.
4 Cabo de interconexão, DLA ao Laptop PC.
Adaptador de transmissão de dados (DLA),
permite a troca de dados entre a ECU (Uni-
5 dade de Controle Eletrônico) da máquina e
Fig 23. 892/00285 Teste de Temperatura hidráulica um laptop PC carregado com o software de
diagnóstico aplicável.
6 Cabo de interconexão, DLA ao Laptop PC.
T11-015

Fig 24. 892/00284 Tacômetro Digital Microtach


Venture

1 - 20 9803/6570-2 1 - 20
Seção 1 – Informações Gerais
Ferramentas
Referência de Detalhes de Ferramentas

Seção E – Sistema Hidráulico

Nota: Nem todas as ferramentas estão ilustradas.

Adaptadores Machos – BSP x BSP


T11-010
1606/2052 3/8 pol. x 1/4 pol
1604/2052 3/8 pol. x 3/4 pol.
892/00071 3/8 pol. x 3/8 pol. cônico
1606/0004 1/2 pol. x 1/4 pol.
1606/0007A 1/2 pol. x 3/8 pol.
1604/0004A 1/2 pol. x 1/2 pol.
1606/0017 5/8 pol. x 1/2 pol.
Fig 26. Adaptadores Machos 1606/0008 3/4 pol. x 3/8 pol.
Adaptadores Machos – BSP x NPT 1606/0009 3/4 pol. X 1/2 pol
(Somente USA)
816/00439 3/8 pol. x 1/4 pol. 1604/2055 3/4 pol. x 3/4 pol.
816/00440 1/2 pol. x 1/4 pol. 1606/0012 3/4 pol. x 1 pol.
816/15007A 3/8 pol. x 3/8 pol. 1606/0014 3/4 pol. x 1.1/4 pol.
816/15008 1/2 pol. x 3/8 pol. 1606/0015 1 pol. x 1.1/4 pol.

892/00255 1/4 pol. BSP x Ponto de Teste


T11-010
892/00256 3/8 pol. BSP x Ponto de Teste
892/00257 1/2 pol. BSP x Ponto de Teste
892/00258 5/8 pol. BSP x Ponto de Teste
816/15118 3/4 pol. BSP x Ponto de Teste
892/00259 1 pol. BSP x Ponto de Teste
1,1/4 pol. M BSP x 1,1/4 pol. F BSP x
892/00260 Ponto de Teste
1,1/4 pol. M BSP x 1,1/2 pol. F BSP x
Fig 27. Adaptadores de Teste de Pressão 892/00267 Ponto de Teste

1/4 pol. M BSP x 1/4 pol. F BSP x Ponto


816/55045
T11-010
de Teste
3/8 pol. M BSP x 3/8 pol. F BSP x Ponto
816/55038 de Teste
1/2 pol. M BSP x 1/2 pol. F BSP x Ponto
816/55040 de Teste
5/8 pol. M BSP x 5/8 pol. F BSP x Ponto
892/00263 de Teste
3/4 pol. M BSP x 3/4 pol. F BSP x Ponto
892/00264 de Teste
1 pol. M BSP x 1 pol. F BSP x Ponto
892/00265 de Teste
1,1/4 pol. M BSP x 1,1/4 pol. F BSP x
892/00266 Ponto de Teste

Fig 28. Adaptadores ‘T’ de Teste de Pressão 1,1/4 pol. M BSP x 1,1/2 pol. F BSP x
892/00267 Ponto de Teste

1 - 21 9803/6570-2 1 - 21
Seção 1 – Informações Gerais
Ferramentas
Referência de Detalhes de Ferramentas

892/00047 3/8 pol. BSP (A) x 1/4 pol. BSP (B)


T11-010
892/00048 1/2 pol. BSP (A) x 1/4 pol. BSP (B)
892/00049 5/8 pol. BSP (A) x 1/4 pol. BSP (B)
816/00043 3/4 pol. BSP (A) x 1/4 pol. BSP (B)
892/00051 1 pol. BSP (A) x 1/4 pol. BSP (B)
816/50005 1/2 pol. BSP (A) x 1/2 pol. BSP (B)
816/60096 3/4 pol. BSP (A) x 3/4 pol. BSP (B)
Fig 29. Adaptadores ‘T’ 816/00017 1 pol. BSP (A) x 1 pol. BSP (B)

892/00055A 1/4 pol. BSP


T11-010
892/00056A 3/8 pol. BSP
892/00057 1/2 pol. BSP
892/00058A 5/8 pol. BSP
892/00059A 3/4 pol. BSP
Fig 30. Tampas Abertas Fêmeas 892/00060 1 pol. BSP

816/00045 1/4 pol. BSP


T11-010
816/00189A 3/8 pol. BSP
816/00190A 1/2 pol. BSP
816/90022 5/8 pol. BSP
816/90274 3/4 pol. BSP
Fig 31. Tampas Abertas Machos Cônicos 816/90205 1 pol. BSP

892/00074 3/8 pol. BSP x 3/8 pol. BSP


T11-010
892/00075 1/2 pol. BSP x 1/2 pol. BSP
892/00076 5/8 pol. BSP x 5/8 pol. BSP
892/00077 3/4 pol. BSP x 3/4 pol. BSP

Fig 32. Conectores Fêmeas

1406/0011 1/4 pol. BSP


T11-010
1406/0018 1/2 pol. BSP
1406/0014 5/8 pol. BSP
1406/0021 3/4 pol. BSP
Fig 33. Arruelas Fixas 1406/0029 1,1/4 pol. BSP

1 - 22 9803/6570-2 1 - 22
Seção 1 – Informações Gerais
Ferramentas
Referência de Detalhes de Ferramentas

892/01016 Para Diâmetro da Haste de 25 mm


T11-011
892/01017 Para Diâmetro da Haste de 30 mm
892/01018 Para Diâmetro da Haste de 40 mm
892/01019 Para Diâmetro da Haste de 50 mm
Para Diâmetro da Haste de 50 mm (ram
892/01020
leve)
892/01021 Para Diâmetro da Haste de 60 mm
Para Diâmetro da Haste de 60 mm (ram
892/01022
leve)
892/01023 Para Diâmetro da Haste de 65 mm
892/01024 Para Diâmetro da Haste de 70 mm
892/01025 Para Diâmetro da Haste de 75 mm
892/01026 Para Diâmetro da Haste de 80 mm
Fig 34. Luvas de Proteção Ram 892/00167 Para Diâmetro da Haste de 90 mm

T11-011 T11-011

Fig 35. 892/00334 Ferramenta de Ajuste dos


Vedadores Ram

T11-011

Fig 37. 892/01027 Ferramenta do Conjunto de


Fig 36. Chave sextavada para Pistões Ram e Vedadores do Pistão
Capas de Extremidades

992/09300 55mm A / F
992/09400 65mm A / F
992/09500 75mm A / F
992/09600 85mm A / F
992/09700 95mm A / F
992/09900 115mm A / F
992/10000 125mm A / F

1 - 23 9803/6570-2 1 - 23
Seção 1 – Informações Gerais
Ferramentas
Referência de Detalhes de Ferramentas

892/00268 Unidade de Monitoramento de Fluxo


T11-012
Sensor do Cabeçote 0 – 100 l / mm
892/00269
(0 - 22 UK gal / min).
Sensor do Cabeçote 0 – 380 l / mm
892/00273
(0 -85,5 UK gal / min).
892/00293 Tubo Conector
892/00270 Válvula de Carga
1406/0021 Arruela Fixa
1604/0006A Adaptador 3/4 pol. x 3/4 pol. M BSP
1612/2054 Adaptador 3/4 pol. F x 3/4 pol. M BSP
892/00271 Adaptador 3/4 pol. F x 5/8 pol. M BSP
892/00272 Adaptador 5/8 pol. F x 3/4 pol. M BSP
816/20008 Adaptador 3/4 pol. F x 1/2 pol. M BSP
892/00275 Adaptador 1/2 pol. F x 3/4 pol. M BSP
892/00276 Adaptador 3/4 pol. F x 3/8 pol. M BSP
892/00277 Adaptador 3/8 pol. F x 3/4 pol. M BSP
Adaptador 1,1/4 pol. M BSP x 1 pol.
1606/0015
M BSP
892/00078 Conector 1 pol. F x 1 pol. F BSP
1604/0008 Adaptador 1 pol. M x 1 pol. M BSP
1604/0008 Adaptador 1 pol. M x 3/4 pol. M BSP
Fig 38. Equipamento de Teste de Fluxo 816/20013 Adaptador 3/4 pol. F x 1 pol. M BSP

Medidor de Reposição 0-20 bar


T11-012 892/00201
(0-300 lb / pol.2).
Medidor de Reposição 0-40 bar
892/00202
(0-600 lb / pol2).
Medidor de Reposição 0-400 bar
892/00203
(0-6000 lb / pol.2).
892/00254 Mangueira de Reposição
Kit de Vedadores 892/00254 (Também
993/69800 pode ser usado com Ponta de Teste
892/00706).
892/00706 Ponta de Teste
892/00347 Conector – Mangueira ao Medidor

Fig 39. 892/ 00253 Kit de Teste de Pressão de


Circuitos Hidráulicos

1 - 24 9803/6570-2 1 - 24
Seção 1 – Informações Gerais
Ferramentas
Referência de Detalhes de Ferramentas

892/00223 Bomba Manual


T11-013
Mangueira micro furos 1/4 pol. BSP x
892/00137 3 metros.
Adaptador 1/4 pol. M BSP x 3/8 pol.
892/00274 M BSP Cônico.
1/4 pol. M BSP x 1/4 pol. F BSP x Ponto
892/00262 de Teste
892/00706 Ponta de Teste
892/00278 Medidor 0 – 40 bar (0 – 600 lbf/pol.2)

Fig 40. Equipamento da Bomba Manual 892/00279 Medidor 0 – 400 bar (0 – 6000 lbf/pol.2)

T11-014

Fig 41. 892/00881 Ferramenta de Ajuste dos


Vedadores da Bobina da Válvula

Medidor de Pressão 0 – 600 bar


T11-017 892/00280
(0 – 9000 lbf / pol.2)
Medidor de Pressão 0 – 400 bar
892/00279
(0 – 6000 lbf / pol.2)
Medidor de Pressão 0 – 70 bar
892/00346
(0 – 1000 lbf / pol.2)
892/00347 Conector
892/00254 Mangueira

Fig 42. Medidores de Teste de Circuitos


Hidráulicos e Conexões

1 - 25 9803/6570-2 1 - 25
Seção 1 – Informações Gerais
Ferramentas
Referência de Detalhes de Ferramentas

993 / 99512 Chave 55 mm A / F


993 / 99513 Chave 60 mm A / F
993 / 99514 Chave 65 mm A / F
993 / 99515 Chave 70 mm A / F
993 / 99516 Chave 75 mm A / F
993 / 99517 Chave 85 mm A / F
993 / 99518 Chave 90 mm A / F

993 / 99519 Chave 100 mm A / F

993 / 99520 Chave 110 mm A / F

993 / 99521 Chave 115 mm A / F

JS07050 SSP0046 Chave 80 mm A / F


Fig 43. Chave Ajustável / Remoção da
Porca do Pistão Ram SSP0047 Chave 95 mm A / F

Conjunto do Dispositivo (Não incluídas


T11-018 993/99525
chaves e pistão)
Placa de Ancoragem lateral (fornecida
993/99522
solta, não soldada).
Travessa de Ancoragem (fornecida solta,
993/99523
não soldada).
Conjunto da Placa de Modificação da
993/99524
Extremidade do Olhal Ram.
556/43400 Elevador Ram
545/18000 Pino Lynch
811/50232 Pino de Pivotamento 1,1/4 pol.

Fig 44. Dispositivo Ajustável / Remoção da


Porca do Pistão Ram

1 - 26 9803/6570-2 1 - 26
Seção 1 – Informações Gerais
Ferramentas
Referência de Detalhes de Ferramentas

A408900

Fig. 45. Chave de Encaixe de Soquete

Nota: Para desmontagem e montagem da caixa de mudanças do motor de movimento.

1 - 27 9803/6570-2 1 - 27
Seção 1 – Informações Gerais
Ferramentas
Referência de Detalhes de Ferramentas

A408860

Fig. 46. Adaptador da Porca

Nota: Para desmontagem e montagem da caixa de mudanças do motor de movimento.

1 - 28 9803/6570-2 1 - 28
Seção 1 – Informações Gerais
Ferramentas
Referência de Detalhes de Ferramentas

A408880-C1

Fig. 47. Ferramenta do Anel Vedador

Nota: Para montagem e desmontagem da caixa de mudanças do motor de movimento.

A408890

Fig. 48. Batente

1 - 29 9803/6570-2 1 - 29
Seção 1 – Informações Gerais
Ferramentas
Referência de Detalhes de Ferramentas

Nota: Para montagem da caixa de mudanças do motor de movimento.

A408870-C1

Fig. 49. Guarnição do Rolamento

Nota: Para remoção do rolamento do motor de movimento.

1 - 30 9803/6570-2 1 - 30
Seção 1 – Informações Gerais
Ferramentas
Referência de Detalhes de Ferramentas

Guia de correção e inserção do anel vedador

WDB 2052 Pistão Diâmetro interno do cilindro 120mm


WDB 2054 Lança Diâmetro interno do cilindro 125mm
WDB 2164 Lança Diâmetro interno do cilindro 130mm
WDB 2056 Braço Diâmetro interno do cilindro 150mm

Guia para extração, bucha prensada

WDB 2166 Pistão Diâmetro da biela do pistão 80mm


WDB 2167 Lança Diâmetro da biela do pistão 85mm
WDB 2170 Braço Diâmetro da biela do pistão 100mm
WDB 2168 Pistão Diâmetro da biela do pistão 90mm
WDB 2168 Lança Diâmetro da biela do pistão 90mm
WDB 2171 Braço Diâmetro da biela do pistão 105mm

Guia para ajuste da prensagem do anel limpador

WDB 2166-1 Pistão Diâmetro da biela do pistão 80mm


WDB 2167-1 Lança Diâmetro da biela do pistão 85mm
WDB 2170-1 Braço Diâmetro da biela do pistão 100mm
WDB 2168-1 Pistão Diâmetro da biela do pistão 90mm
WDB 2168-1 Lança Diâmetro da biela do pistão 90mm
WDB 2171-1 Braço Diâmetro da biela do pistão 105mm

Guia para inserção do cabeçote do cilindro

WDB 2174 Pistão Diâmetro interno da biela do pistão 80mm


WDB 2175 Lança Diâmetro interno da biela do pistão 85mm
WDB 2178 Braço Diâmetro interno da biela do pistão 100mm
WDB 2176 Pistão Diâmetro interno da biela do pistão 90mm
WDB 2176 Lança Diâmetro interno da biela do pistão 90mm
WDB 2179 Braço Diâmetro interno da biela do pistão 105mm

Guia de conexão e anel vedador

WDB 2052 Conjunto de guia de conexão e inserção do anel vedador

Nota: O número de peça acima é aplicável a um tubo de 120mm de diâmetro.

Guia de remoção da bucha

WDB 2166 Guia de remoção da bucha

1 - 31 9803/6570-2 1 - 31
Seção 1 – Informações Gerais
Ferramentas
Referência de Detalhes de Ferramentas

WDB 2166-1 Retentor

Nota: O número de peça acima é aplicável a uma biela de 80mm de diâmetro.

Guia de ajuste da bucha

WDB 2166 Guia de ajuste da bucha prensada


WDB 2166-1 Retentor

Nota: O número de peça acima é aplicável a uma biela de 80mm de diâmetro.

Guia de ajuste do anel limpador

WDB 2166-1 Ajuste do anel limpador

Nota: O número de peça acima é aplicável a uma biela de 80mm de diâmetro.

Guia de ajuste do anel limpador

WDB 2174 Guia de inserção do cabeçote

Nota: O número de peça acima é aplicável a uma biela de 80mm de diâmetro.

1 - 32 9803/6570-2 1 - 32
Seção 1 – Informações Gerais
Itens de consumo
Compostos de Retenção e Vedação

Itens de Consumo
Compostos de Retenção e Vedação
T11-001_3

Tabela 13
Nº de
Tipo Descrição Quantidade
Peça
Vedador de resistência média disponível para
Multi-junta JCB todas as dimensões de flanges de juntas, e para 4102/1212 50 ml
conexões hidráulicas de 25 – 65 mm de diâmetro.
Fluido de alta resistência de travamento para uso
Trava rosca de alta resistên- com componentes roscados. Junção para todas
4102/0551 50 ml
cia JCB as dimensões de flanges onde a resistência da
junção é importante.
Retentor JCB (Alta resis- Para retenção de todas as peças cuja desmonta-
4101/0651 50 ml
tência) gem seja improvável.
Fluido de média resistência de travamento para 4101/0250 10 ml
porcas e parafusos de vedação e retenção até
Trava roscas e vedador JCB
50mm de diâmetro, e para conexões hidráulicas 4101/0251 50 ml
até 25mm de diâmetro.
Fluido de alta resistência de travamento para por- 4101/0550 10 ml
Trava roscas e vedador JCB cas e parafusos de vedação e retenção até 50mm
(Alta resistência) de diâmetro, e para conexões hidráulicas até 25mm 4101/0552 200 ml
de diâmetro.
Vedador de roscas JCB Composto vedador de roscas de média resistência.
200 ml
4104/0251
Primer de limpeza que acelera a taxa de cura de (Aerosol)
Ativador JCB
produtos anaeróbicos. 1 Litro
4104/0253
(Frasco)
Limpador / Desengraxante Para desengraxar componentes antes do uso de 400 ml
4104/1557
JCB adesivos e vedadores anaeróbicos. (Aerosol)
Para uma placa de vidro, contém:
- 1 adesivo ultra-rápido (310 ml)
Kit de polimento direto - 1 limpador ativo 205 (30 ml) 993/55700
- 1 Primer preto 206J (30 ml)
- mais bico aplicador, etc.
Adesivo ultra-rápido Para polimento direto 4103/2109 310 ml
Limpador ativo Para polimento direto 205 4104/1203 250 ml
Primer preto 206J Para polimento direto 4201/4906 30 ml
Vedador de silicone claro Para vedar juntas de vidro 4102/0901
Aglutinante plástico a metal Para vedar junções de plástico a metal 4103/0956 50 g
Vedador de poliuretano Para acabamento de bordas expostas de vidro
4102/2309 310 ml
preto laminado.

1 - 33 9803/6570-2 1 - 33
Seção 1 – Informações Gerais
Itens de consumo
Compostos de Retenção e Vedação

Página deixada em branco intencionalmente

1 - 34 9803/6570-2 1 - 34
Seção 1 – Informações Gerais

Termos e Definições
Código de Cores
Códigos de Cores dos Esquemas Hidráulicos
T11-006

O código de cores a seguir, utilizado nas ilustrações, indica as várias condições de pressão e fluxo de óleo, é
padronizado em todas as Publicações de Serviços JCB.

Pressão total: Pressão gerada na operação de um serviço. Dependendo da


Vermelha aplicação, pode ser qualquer pressão entre um circuito neutro e a pressão de
operação MRV.

Pressão: Pressão que está acima da pressão do circuito neutro, mas abaixo
Pink
do que o indicado em vermelho.

Laranja Servo: Pressão de óleo utilizada para controlar um dispositivo (servo).

Azul Neutral: Pressão de um circuito neutro.

Verde Escapamento

Cavitação: Óleo sujeito a vácuo parcial devido a uma queda de pressão (ca-
Verde clara
vitação).

Fechamento: Óleo aprisionado dentro de uma câmara ou linha, evitando o


Amarela
movimento de componentes (fechamento).

1 - 35 9803/6570-2 1 - 35
Seção 2

Cuidados e Segurança
Manual de Serviços - JS160 - JS190
Seção 1 – Informações Gerais
Seção 2 – Cuidados e Segurança
Seção 3 – Manutenção
Seção B – Carroçaria e Estrutura
Seção C – Elétrica
Seção E – Hidráulica
Seção F – Transmissão
Seção J – Esteira e Mecanismo de Acionamento
Seção K – Motor

Nº da Publicação
9803/6570-2

Suporte ao Cliente de
Categoria Internacional
Copyright © 2004 SERVIÇO JCB Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação pode ser reproduzida, armazenada em sistema de recuperação
ou transmitida de qualquer forma ou por qualquer outro meio, seja ele eletrônico, mecânico, fotocópia ou qualquer outro, sem permissão prévia de JCB SERVICE.

Publicado por JCB Technical Publications, JCB Aftermarket Training, Woodseat, Rocester, Staffordshire, ST14 5BW, Inglaterra. Tel +44 1889 591300 Fax +44 1889 591400
Seção 2 – Cuidados e Segurança

Página deixada intencionalmente em branco

2-0 9803/6570-2 2-0


Seção 2 – Cuidados e Segurança

Índice Página
Verificação de Segurança
Informações importantes........................................................................ 2 - 1
Lista de verificação da segurança.......................................................... 2 - 2
Decalques de segurança...................................................................... 2 - 11

2-i 9803/6570-2 2-i


Seção 2 – Cuidados e Segurança

Índice Página

2 - ii 9803/6570-2 2 - ii
Seção 2 – Cuidados e Segurança

Verificação de Segurança

Informações Importantes
T1-015

O Manual do Operador Avisos de Segurança


Este sistema de alerta de segurança
! AVISO identifica mensagens importantes de

Leia o Manual do Operador antes de ligar a máquina.


Você deve entender e seguir as instruções do Manual
do Operador. Você deve observar todas as leis e
! segurança neste manual. Quando você
encontrar este símbolo, esteja alerta,
sua segurança está envolvida, leia
cuidadosamente a mensagem a seguir e
regulamentações aplicáveis. Se você estiver inseguro informe os outros operadores.
sobre qualquer assunto, pergunte ao seu Distribuidor
JCB ou ao seu superior. Não tente adivinhar, pois Nesta publicação e na máquina, há textos sobre
você ou outros podem sofrer sérias lesões ou mesmo segurança. Cada texto começa com uma palavra de sinal.
a morte. Os significados das palavras de sinal estão indicados
abaixo.
INT-1-1-1_2

Não operar a máquina sem um Manual do Operador. ! PERIGO


Tratar o Manual do Operador como parte da máquina. Indica existência de perigo extremo. Se as precauções
Mantê-lo limpo e em boas condições. Substitua o Manual apropriadas não forem tomadas, é muito provável que
do Operador imediatamente em caso de perda, danos ou o operador (ou outro) podem sofrer sérias lesões ou
tornar-se ilegível. mesmo morrer.

INT-1-2-1

! AVISO
Indica existência de perigo. Se as precauções
apropriadas não forem tomadas, o operador (ou outro)
pode sofrer sérias lesões ou mesmo morrer.

INT-1-2-2

! CUIDADO
Serve como lembrete para práticas de segurança. A
não observação destas práticas de segurança pode
provocar ferimentos ao operador (ou a outro) e/ ou
possíveis danos à máquina.

INT-1-2-3

2-1 9803/6570-2 2-1


Seção 2 – Cuidados e Segurança
Informações de Segurança
Lista de Verificação da Segurança

Lista de Verificação da Segurança

Segurança – Sua e de Outros Segurança Geral T1-007_2


INT-1-3-1_3

Todo maquinário pode ser perigoso. Quando uma máquina


é operada corretamente e recebe manutenção adequada ! AVISO
é considerada uma máquina segura para o trabalho,
mas quando é operada sem cuidados ou manutenção Manual do operador
adequada pode transformar-se em um perigo para você Você e outros podem ser feridos se operar ou realizar
(operador) e os outros. manutenção na máquina sem primeiramente estudar o
Manual do Operador. Leia as instruções de segurança
Neste manual e na máquina você encontrará mensagens antes de operar a máquina. Se você não compreender
de advertência. Leia e compreenda as mensagens qualquer coisa, pergunte ao seu superior ou um
de perigos potenciais e como evitá-los. Se você Distribuidor JCB. Manter o Manual do Operador limpo
não compreender integralmente as mensagens de e em boas condições. Não operar a máquina sem um
advertência, peça a seu superior ou um distribuidor JCB Manual do Operador na cabine, ou se houver qualquer
que os explique. coisa na máquina que você não compreenda.
Mas a segurança não é somente obedecer aos avisos. INT-1-3-2_2
Todo o tempo que você estiver trabalhando com a máquina
você deve pensar sobre os perigos que aquela situação
irá colocá-lo e como evitá-los. ! AVISO
Não trabalhe com a máquina até que você esteja certo Cuidados e Falta de atenção
que você pode controlá-la. Durante todo o tempo em que você estiver trabalhando
com a máquina, tome cuidado e esteja alerta. Seja
Não iniciar nenhum trabalho até que esteja certo de que
sempre cuidadoso. Esteja sempre alerta aos perigos.
você e aqueles à sua volta estão seguros.
INT-1-3-5
Se você está incerto sobre qualquer assunto, máquina ou
trabalho, pergunte a alguém que conhece. Não suprima
qualquer coisa. ! AVISO
Lembre-se Roupas
SEJA CUIDADOSO Você pode ser ferido se você não utilizar roupas
ESTEJA ALERTA apropriadas. A roupa solta pode enganchar no
ESTEJA SEGURO maquinário. Utilize roupas de proteção adequadas ao
trabalho.
Exemplos de equipamentos de proteção são: capacete,
sapatos de segurança, óculos de segurança, um bom
macacão apropriado, protetores auriculares e luvas
industriais. Manter os punhos da roupa presos.

INT-1-3-6

! AVISO
Álcool e Drogas
É extremamente perigoso operar máquinas sob a
influência do álcool e drogas. Não consumir bebidas
alcoólicas ou tomar drogas antes ou durante a
operação da máquina e seus acessórios. Tome
precaução e ciência quanto a remédios que podem
causar sonolência.

INT-1-3-9_2

2-2 9803/6570-2 2-2


Seção 2 – Cuidados e Segurança
Informações de Segurança
Lista de Verificação da Segurança

! AVISO ! PERIGO
Sentindo-se Indisposto Relâmpago
Não tente operar a máquina se você estiver indisposto. O relâmpago pode matá-lo. Não usar a máquina se
Deste modo você pode ser um perigo para si mesmo e houver relâmpagos em sua área.
para aqueles que trabalham com você.
5-1-1-2
8-1-2-4

! AVISO
! AVISO
Modificações na Máquina
Telefones Celulares Esta máquina é fabricada em conformidade com
Desligue seu telefone celular antes de entrar em uma requisitos legais e outras normas. Não alterar em
área com uma atmosfera potencialmente explosiva. hipótese alguma, caso contrário poderá afetar ou
As faíscas nesta área podem causar uma explosão ou invalidar qualquer uma destes requisitos. Para
incêndio causando morte ou ferimentos sérios. maiores explicações consulte um Distribuidor JCB.
Desligar e não usar seu telefone celular ao reabastecer INT-1-3-10_2
a máquina.

INT-3-3-9

! AVISO
Equipamentos de elevação
Você pode ser ferido se utilizar um equipamento
de elevação defeituoso. Certificar-se de que o
equipamento de elevação esteja em boas condições.
Assegure-se de que o equipamento atende a todos os
regulamentos locais e seja apropriado para o trabalho.
Certificar-se de que o equipamento de elevação é
suficientemente forte para o trabalho.

INT-1-3-7

! AVISO
Equipamento elevado
Equipamento elevado pode cair e feri-lo. Não andar
ou trabalhar sob o equipamento elevado a menos que
esteja apoiado com segurança.

13-1-1-6

! AVISO
Máquina elevada
NUNCA se posicione completamente ou qualquer
parte de seu corpo sob uma máquina elevada que
não esteja apoiada apropriadamente. Se a máquina
mover-se inadvertidamente você pode ficar preso,
sofrer ferimentos sérios ou mesmo morrer.

INT-3-3-7_1

2-3 9803/6570-2 2-3


Seção 2 – Cuidados e Segurança
Informações de Segurança
Lista de Verificação da Segurança

Operação com Segurança ! AVISO


Você pode matar-se ou ser seriamente ferido se
! AVISO operar uma máquina com o ROPS/FOPS danificado ou
faltante. Se a Proteção Estrutural Contra Capotamento
Condição da máquina
(ROPS) / Proteção Estrutural Contra Queda de Objetos
Uma máquina defeituosa pode ferir você ou outros. (FOPS) tiver sido envolvida em um acidente, não usar
Não opere uma máquina que esteja defeituosa a máquina até que a estrutura tenha sido reparada. As
ou tenha peças faltantes. Certificar-se de que os modificações e reparos não aprovados pelo fabricante
procedimentos de manutenção neste manual tenham podem ser perigosos e invalidarão a certificação de
sido realizados antes de usar a máquina. ROPS/FOPS.
INT-2-1-2_2 INT-2-1-9_6

! AVISO ! AVISO
Limites da Máquina Locais de trabalho
Operar a máquina além de seus limites de projeto Locais de trabalho podem ser perigosos. Inspecionar
pode danificá-la, e isto pode ser também perigoso. o local antes de trabalhar nele. Procure por buracos,
Não operar a máquina fora de seus limites. Não terra fofa, rochas escondidas, etc. Verificar quanto a
tentar incrementar o desempenho da máquina com itens existentes no local, tais como cabos elétricos
modificações não aprovadas. (suspensos ou subterrâneos) tubulações de gás e
água, etc. Marque as posições de cabos e tubulações
INT-2-1-4
subterrâneas. Certificar-se de que há distância
suficiente dos cabos e das estruturas suspensas.
! AVISO  INT-2-2-1
Falha do Motor/ Direção
Se o motor ou a direção falhar, pare a máquina o mais
rapidamente possível. Não opere a máquina até que a
! AVISO
falha tenha sido corrigida. Comunicações
INT-2-1-5
Más comunicações podem causar acidentes. Manter
as pessoas à sua volta informadas do que você está
fazendo. Se você estiver trabalhando com outras
! AVISO pessoas, certificar-se de que alguns sinais de mão
possam ser usados e compreendidos por todos. Os
O motor possui peças rotativas expostas. Desligue o locais de trabalho podem ser ruidosos, não confie em
motor antes de trabalhar no compartimento do motor. comandos por voz.
Não usar a máquina com a tampa do motor aberta.
INT-2-2-3
5-2-6-5

! AVISO
! AVISO
Estacionamento
Gases do escapamento Uma máquina incorretamente estacionada pode
Respirar os gases do escapamento da máquina pode mover-se sem operador. Siga as instruções no Manual
prejudicá-lo e possivelmente matá-lo. Não operar a do Operador para estacionar corretamente a máquina.
máquina em espaços fechados sem certificar-se de
que há uma boa ventilação. Se possível, instalar um INT-2-2-4_2
extensor de exaustão. Se você sentir mal estar, parar a
máquina imediatamente e permitir a entrada de fresco.
! AVISO
INT-2-1-10_2
Aterros e Valas
Materiais de aterros e valas podem desmoronar. Não
trabalhe ou dirija muito próximo a aterros e valas,
onde há perigo de desmoronamento.

INT-2-2-5

2-4 9803/6570-2 2-4


Seção 2 – Cuidados e Segurança
Informações de Segurança
Lista de Verificação da Segurança

! AVISO ! AVISO
Rampas e Reboques Reversão
Água, lama, gelo, graxa e óleo em rampas ou Reversão em altas velocidades pode causar
reboques podem causar acidentes sérios. Certificar- acidentes. Não aplicar o reverso em uma marcha
se que as rampas e reboques estejam limpos antes de elevada com aceleração plena. Conduzir sempre em
dirigir para eles. Ter extremo cuidado ao conduzir em uma velocidade segura para adequar-se às condições
rampas e reboques. de trabalho.

INT-2-2-6  INT-2-2-9_1

! AVISO ! AVISO
Barreiras de segurança Partículas leves de material combustível tais como
Máquinas não sinalizadas em lugares públicos podem palha, grama, serragem e pequenos pedaços de
ser perigosas. Em lugares públicos, ou onde sua madeira, etc. não devem acumular-se dentro do
visibilidade é reduzida, coloque barreiras em torno do compartimento do motor ou nos protetores do
local de trabalho para manter as pessoas distantes. eixo propulsor longitudinal (quando montado).
Inspecionar estas áreas freqüentemente e limpá-las
INT-2-2-8 no início de cada deslocamento de trabalho ou mais
freqüentemente, se necessário. Antes de abrir a tampa
do motor, assegurar-se de que a parte superior esteja
! PERIGO livre de detritos.
Faíscas 5-3-1-12_3
Explosões e incêndio podem ser causados por faíscas
de gases de escapamento ou do sistema elétrico. Não
usar a máquina em locais fechados onde há material ! AVISO
inflamável, vapores ou poeira.
Manter os controles de máquina limpos e secos.
INT-2-2-10 Suas mãos e pés podem escorregar em controles
escorregadios. Se isso acontecer você pode perder o
controle da máquina.
! AVISO
 2-2-3-6
Atmosferas perigosas
Esta máquina é desenvolvida para uso em condições
atmosféricas externas. Não deve ser usada em áreas ! AVISO
fechadas sem ventilação adequada. Não usar a
Visibilidade
máquina em ambientes potencialmente explosivos,
como por exemplo: vapores combustíveis, gás ou Acidentes podem ser causados por trabalhar com
poeira, sem antes consultar seu Distribuidor JCB. pouca visibilidade. Usar suas luzes para melhorar a
visibilidade. Manter as luzes de trabalho, janelas e
INT-2-1-14 espelhos limpos. Não operar a máquina se você não
puder ver claramente.

! ADVERTÊNCIA 5-1-4-7

Regulamentos
Obedecer todas as leis, locais de trabalho e
regulamentos locais que afetem a você e sua máquina.

INT-1-3-3

! AVISO
Práticas
Você ou outros podem ser mortos ou sofrer ferimentos
graves se você fizer operações não familiares sem
praticá-las primeiro. Pratique longe do local de trabalho
e numa área desobstruída. Mantenha outras pessoas
distantes. Não executar operações novas até que você
estar certo de que pode executá-las com segurança.

INT-2-1-1

2-5 9803/6570-2 2-5


Seção 2 – Cuidados e Segurança
Informações de Segurança
Lista de Verificação da Segurança

! AVISO ! AVISO
Cabos de corrente elétrica Cinto de segurança
Você pode ser eletrocutado ou queimado se ligar a Operar a máquina sem cinto de segurança pode ser
máquina ou seus acessórios muito próxima de cabos perigoso. Antes de ligar o motor, certificar-se de que
de corrente elétrica. seu cinto de segurança está preso. Verificar o aperto
e a condição dos parafusos de fixação do cinto de
Você está bem ciente de que deve tomar todas as segurança regularmente (veja tabela de manutenção).
precauções de segurança no local para atender as
leis locais e regulamentos relacionados a trabalho INT-2-1-8_1
próximo de linhas de energia elétrica.

Antes de você começar a utilizar a máquina, verifique ! AVISO


com a empresa de fornecimento de energia elétrica se
há algum cabo enterrado no local. Entrando/ Saindo
Entrar ou sair da cabine ou de outro compartimento
Há uma distância mínima requerida para trabalhar deve somente ser feito onde existam escadas e
sob cabos de energia suspensos. Você precisa obter corrimões. Sempre entre ou saia voltado para a
detalhes de seu fornecedor de energia local. máquina. Certificar-se que as escadas, corrimões e
solas dos sapatos estejam limpas e secas. Não saltar
 2-2-5-4
da máquina. Não usar os controles da máquina como
alças de apoio, utilizar o corrimão.
! ADVERTÊNCIA INT-2-1-7_1
Se você tem um acessório que não esteja coberto no
Manual do Operador, não o instale, o utilize e nem o
remova até que você tenha obtido, lido e compreendido
! PERIGO
a informação pertinente. Instalar somente acessórios Remoção da lança
desenvolvidos para a máquina. Nunca remover a lança da máquina, pois isto pode
 5-5-1-1_2 alterar seriamente o equilíbrio da máquina e, em
determinadas condições de terreno, pode incliná-la
para trás.
! AVISO 8-2-8-4
Usar somente os acessórios aprovados pela JCB que
são especificados para sua máquina. Operar com
acessórios não especificados pode sobrecarregar a
! AVISO
máquina, causando a instabilidade e possível dano à Controles
máquina, que podem feri-lo ou provocar ferimentos a Você ou outros podem ser mortos ou sofrer sérios
outros. ferimentos se operar as alavancas de controle pelo
lado externo da máquina. Operar as alavancas de
O uso de acessórios não aprovados pode invalidar a
controle somente quando você estiver sentado
Garantia.
corretamente na máquina.
2-4-5-2_1
0179

! ADVERTÊNCIA
Passageiros
Passageiros dentro ou sobre a máquina podem causar
acidentes. Não transporte passageiros.

 INT-2-2-2_1

2-6 9803/6570-2 2-6


Seção 2 – Cuidados e Segurança
Informações de Segurança
Lista de Verificação da Segurança

Manutenção de Segurança ! AVISO


Se você tentar carregar uma bateria congelada, ou
! AVISO fazer uma ligação direta para partida e funcionar o
Comunicações motor, a bateria pode explodir. Não usar uma bateria
se seu eletrólito estiver congelado. Para impedir que
Má comunicação pode causar acidentes. Se duas ou
o eletrólito da bateria se congele, mantenha a bateria
mais pessoas estão trabalhando na máquina, certificar-
com carga total.
se de que cada uma esteja ciente do que a outra está
fazendo. Antes de ligar o motor, certificar-se de que 0125
o outro está fora de zonas de perigo. Exemplos de
zonas de perigo são: lâminas em rotação e correia do
motor, acessórios e articulações, e em qualquer lugar ! AVISO
abaixo ou atrás da máquina. As pessoas podem ser
mortas ou sofrer ferimentos graves se não tomarem Gases de bateria
estas precauções. As baterias desprendem gases explosivos. Manter a
bateria longe do fogo e faíscas. Não fumar perto da
INT-3-1-5 bateria. Certificar-se de que há uma boa ventilação nas
áreas fechadas onde baterias estão sendo usadas ou
carregadas. Não verificar a carga da bateria colocando
! AVISO os terminais em curto circuito com um metal; usar um
Reparos hidrômetro ou um voltímetro.
Se sua máquina não funciona corretamente de INT-3-1-8
modo algum, repare-a imediatamente. A omissão
dos reparos necessários pode provocar acidentes
sérios ou afetar sua saúde. Não tente fazer reparos ou ! PERIGO
qualquer outro tipo de trabalho de manutenção que
você não compreende. Para evitar ferimentos e / ou Eletrólito
danos solicite o trabalho um engenheiro especialista. O eletrólito da bateria é tóxico e corrosivo. Não
respirar os gases desprendidos pela bateria. Manter
GEN-1-5_2 o eletrólito longe de sua roupa, pele, boca e olhos.
Utilizar óculos de segurança.
! AVISO INT-3-2-1_3

Cavacos de Metal
Você pode ser ferido por cavacos de metal lançados ! AVISO
ao instalar ou remover pinos metálicos. Usar um
martelo de borracha ou pino de cobre para remover Terminais da bateria
e instalar os pinos metálicos. Utilizar sempre óculos A máquina é aterrada pelo pólo negativo. Conectar
de segurança. sempre o pólo negativo da bateria ao aterramento.

INT-3-1-3_2 Ao conectar a bateria, ligar o aterramento (-) por último.

Ao desconectar a bateria, desconectar primeiro a


! AVISO ligação do aterramento (-).

Circuitos elétricos INT-3-1-9


Compreender os circuitos elétricos antes de conectar
ou desconectar um componente elétrico. Uma
conexão errada pode causar ferimentos e / ou danos.
! AVISO
Fluido sob pressão
INT-3-1-4
Os jatos finos de fluido sob alta pressão podem
penetrar na pele. Manter o rosto e mãos bem longe
! ADVERTÊNCIA de fluidos sob pressão e utilizar óculos de segurança.
Segure um pedaço de cartão próximo de locais
Não desconectar a bateria enquanto o motor está em suspeitos de vazamentos e observe se há sinais de
funcionamento, caso contrário os circuitos elétricos fluido no cartão. Se o líquido penetrar na sua pele,
podem ser danificados. procure ajuda médica imediatamente.
 INT-3-1-14 INT-3-1-10_2

2-7 9803/6570-2 2-7


Seção 2 – Cuidados e Segurança
Informações de Segurança
Lista de Verificação da Segurança

! AVISO ! AVISO
Pressão hidráulica Terra fofa
O fluido hidráulico sob pressão do sistema pode feri- Uma máquina pode afundar-se em solo sem
lo. Antes de conectar ou remover qualquer mangueira compactação ou terra fofa. Nunca trabalhar com a
hidráulica, deve-se eliminar qualquer pressão máquina em terra fofa.
hidráulica residual do sistema. Certificar-se de que
a linha de serviço da tubulação tenha sido drenada INT-3-2-4
antes de conectar ou remover mangueiras. Certificar-
se de que o motor não pode ser ligado enquanto as
mangueiras estiverem abertas.
! AVISO
Fluido de arrefecimento quente
INT-3-1-11_2
O sistema de arrefecimento é pressurizado quando o
motor está quente. O líquido de arrefecimento quente
! AVISO pode espirrar para fora quando você remover a tampa
de abastecimento. Deixar o sistema esfriar antes de
Gasolina remover a tampa de abastecimento. Para remover a
Não usar a gasolina nesta máquina. Não misturar tampa, girá-la até o primeiro entalhe e deixar sair a
gasolina com diesel combustível; nos tanques de pressão do sistema e, em seguida, remover a tampa.
combustível, a gasolina subirá para a parte superior,
INT-3-2-9_1
formando vapores inflamáveis.

INT-3-1-6
! AVISO
! AVISO Sempre utilizar óculos de segurança ao desmontar os
conjuntos que contêm componentes sob pressão de
Diesel Combustível molas. Isto irá protegê-lo de possíveis ferimentos nos
O Diesel Combustível é inflamável; mantenha o olhos por componentes que saltarem acidentalmente.
sistema de combustível longe do fogo. Não fumar ao
GEN-6-2
reabastecer ou ao trabalhar no sistema de combustível.
Não reabastecer com o motor em funcionamento. Isto
poderia provocar um incêndio e feri-lo, se você não
seguir estas precauções.
! ADVERTÊNCIA
Cilindros
INT-3-2-2_1
A eficiência dos cilindros será afetada se não forem
mantidos livres de sujeiras solidificadas. Limpar a
! AVISO sujeira em torno dos cilindros regularmente. Ao deixar
ou estacionar a máquina, feche todos os cilindros, se
Óleo possível, para reduzir o risco de corrosão pela ação
O óleo é tóxico. Se você ingerir algum óleo, não da intempérie.
induza o vômito e procure um médico. O óleo usado
INT-3-2-10
do motor contém contaminantes prejudiciais que
podem causar câncer de pele. Não manusear óleo de
motor usado mais do que o necessário. Usar sempre
creme bloqueador ou luvas para impedir o contato
! ADVERTÊNCIA
direto com a pele. Lavar a pele contaminada com óleo Limpeza
em água morna com sabão. Não usar gasolina, diesel A limpeza de peças metálicas com o uso de solventes
combustível ou parafina para limpar sua pele. incorretos pode causar corrosão. Usar somente
agentes e solventes recomendados para limpeza.
INT-3-2-3
INT-3-2-11
! ADVERTÊNCIA
É ilegal poluir drenos, esgotos ou o solo. Limpar ! AVISO
todos os fluidos e / ou lubrificantes derramados. Ao usar agentes de limpeza, solventes ou outros
Os fluidos e / ou os lubrificantes usados, filtros e produtos químicos, você deve consultar as instruções
materiais contaminados devem ser dispostos de do fabricante e as precauções de segurança.
acordo com os regulamentos locais. Usar locais de  GEN-1-9
descarte autorizados.

INT-3-2-14

2-8 9803/6570-2 2-8


Seção 2 – Cuidados e Segurança
Informações de Segurança
Lista de Verificação da Segurança

! ADVERTÊNCIA ! AVISO
Anéis “O”, Selos e Juntas Certos selos e juntas (por exemplo, retentor de óleo
Os anéis “O”, selos e juntas mal instaladas, danificados da árvore de manivelas) nas máquinas JCB, contêm
ou cortados podem causar vazamentos e possíveis materiais fluorelastoméricos como Viton, Fluorel e
acidentes. Resolver qualquer problema a menos que Tecnoflon.
seja instruído de outra forma. Não usar tricloroetano ou
thinners de pintura perto dos anéis “O” e selos. Os materiais fluorelastoméricos sujeitos às altas
temperaturas podem produzir o ácido fluorídrico que
 INT-3-2-12 é altamente corrosivo. ESTE ÁCIDO PODE QUEIMAR
SEVERAMENTE.

! AVISO Os componentes fluorelastoméricos novos em


temperatura ambiente não exigem nenhuma
Mangueiras hidráulicas precaução de segurança especial.
As mangueiras danificadas podem causar acidentes
fatais. Inspecionar as mangueiras regularmente Os componentes fluorelastomércos usados, cujas
quanto a: temperaturas não excederam a 300°C (572°F) não
exigem nenhuma precaução de segurança especial.
– Terminais de mangueira danificados Se forem encontradas evidências de decomposição
– Mangueiras com sinais de atrito externamente (por exemplo, carbonização), veja o parágrafo
seguinte para instruções de segurança. NÃO TOQUE
– Mangueiras com bolhas externas
NOS COMPONENTES OU ÁREAS AO REDOR.
– Mangueiras torcidas ou esmagadas
– Capas de proteção dilatadas Componentes fluorelastoméricos usados submetidos
às temperaturas mais altas que 300°C (572°F) (por
– Terminais de ajuste deslocados
exemplo, incêndio de motor) devem ser tratados
INT-3-3-2 utilizando o procedimento de segurança abaixo.
Certificar-se de que estejam sendo utilizadas as luvas
para serviço pesado e óculos de segurança:
! ADVERTÊNCIA
1 Lavar o local contaminado com 10% de hidróxido
Waxoyl contém um substituto da terebintina que é de cálcio ou outra solução alcalina apropriada e,
inflamável. Manter longe do fogo ao aplicar Waxoyl. se necessário, utilizar uma escova com fios de lã
Waxoyl pode demorar algumas semanas para secar para remover resíduos de queima.
completamente. Manter longe do fogo durante o
período de secagem. 2 Lavar a área contaminada com detergente e água.

Não soldar perto da área afetada durante o período 3 Armazenar todo o material, luvas, etc. usados
de secagem. Tomar as mesmas precauções utilizadas nesta operação em sacos plásticos selados
para o óleo com a pele ao manusear Waxoyl. Não e descartá-los de acordo com as normas e
respirar os vapores. Aplicar em uma área bem legislações locais.
ventilada.
NÃO QUEIMAR MATERIAIS FLUORELASTOMÉRICOS.
5-3-1-9
INT-3-3-5_3

! AVISO
! AVISO
Trabalhando sob a máquina
Faça com que a máquina esteja segura antes de iniciar Proteger seus olhos ao afiar metais. Utilizar óculos de
os trabalhos debaixo dela. Assegurar-se de que todos segurança. Remover ou proteger todos os materiais
os encaixes na máquina estejam seguros; acionar o combustíveis da área que possam inflamar-se por
freio de estacionamento, remover a chave de ignição faíscas.
e desconectar a bateria. GEN-1-12
INT-3-3-8_2

2-9 9803/6570-2 2-9


Seção 2 – Cuidados e Segurança
Informações de Segurança
Lista de Verificação da Segurança

! AVISO ! AVISO
Para evitar queimaduras, utilizar luvas protetoras ao Ligando o motor
segurar componentes quentes. Para proteger seus Não tentar ligar o motor puxando o ventilador ou
olhos, utilizar óculos de proteção quando usar uma correia do ventilador. Isto pode causar ferimentos ou
escova de aço para limpar componentes. falha prematura dos componentes.
HYD-1-3 0094

! AVISO
! AVISO
Solda elétrica
Para evitar possíveis danos a componentes Acumuladores
eletrônicos, desconectar a bateria e alternador Os acumuladores contêm fluido hidráulico e gás sob
antes de realizar solda elétrica na máquina ou nos alta pressão. Antes de realizar qualquer trabalho nos
implementos anexados. sistemas que possuam acumuladores incorporados,
a pressão do sistema deve ser esgotada por um
Se a máquina estiver equipada com equipamento distribuidor JCB, pois a liberação repentina de fluido
elétrico sensível, como amplificadores, unidades hidráulico ou gás pode causar ferimentos.
de controle eletrônico do motor (E.C.U.), telas
de monitor, etc., então, desconecte-os antes de INT-3-1-17
soldar. Não desconectar os equipamentos elétricos
sensíveis pode resultar em danos irreparáveis nestes
componentes. ! ADVERTÊNCIA
As peças da máquina são feitas em ferro fundido; Nunca usar água ou vapor para limpar o interior da
soldas no ferro fundido podem enfraquecer a estrutura cabina. O uso de água ou vapor pode danificar o
e provocar ruptura. Não soldar ferro fundido. Não computador de bordo e tornar a máquina inoperável.
conectar o cabo do soldador nem aplicar qualquer Remover a sujeira usando uma escova ou pano úmido.
solda nas peças do motor. 8-3-4-8
Conectar sempre o cabo negativo do soldador
(aterramento) ao mesmo componente que está sendo
soldado, como lança ou braços, para evitar dano aos ! PERIGO
pinos de pivotamento, rolamentos e buchas. Conectar
Antes de remover a lança da máquina, assegurar-se de
um cabo negativo do soldador (aterramento) com não
que o contrapeso esteja suportado adequadamente,
mais que 0.6 metros (2 pés) da peça a ser soldada.
pois em determinadas condições de terreno onde
INT-3-1-15_2 a máquina pode tombar para trás. Nunca viajar ou
transportar a máquina com a lança removida.

! AVISO BF-6-3

Contrapesos
Sua máquina pode ser montada com contrapesos.
Estes são extremamente pesados. Não tente removê-
los.

INT-3-2-5

2 - 10 9803/6570-2 2 - 10
Seção 2 – Cuidados e Segurança
Informações de Segurança
Decalques de Segurança

Decalques de Segurança

Introdução  T1-014

! AVISO
Decalques
Os decalques na máquina advertem para perigos
específicos. Você pode ferir-se caso não obedeça às
instruções de segurança do decalque.

Cada decalque é anexado perto de uma peça da


máquina onde há um possível perigo. Certificar-se de
que as peças de reposição incluam os decalques de
advertência, onde necessário.

Manter todos os decalques limpos e legíveis.


Substituir os decalques perdidos ou danificados.
Cada decalque tem um número de peça impresso
nele, utilize este número para requisitar um decalque
novo em seu distribuidor JCB.

 INT-3-3-3_1

! AVISO
Se você necessita de óculos de grau para leitura,
certificar-se de que esteja utilizando-os ao ler os
decalques da segurança. Os decalques são colocados
estrategicamente em torno da máquina para lembrá-lo
de perigos possíveis. Não se estique nem se coloque
em posições perigosas para ler os decalques.

INT-3-3-4_1

Nota: As ilustrações mostram um típico modelo de


máquina, sua máquina pode parecer diferente do modelo
apresentado.

2 - 11 9803/6570-2 2 - 11
Seção 2 – Cuidados e Segurança
Informações de Segurança
Decalques de Segurança

Reconhecimento dos Decalques de Segurança


Tabela 1.
Etiqueta No. da peça Definição
A 817/19470 Advertência, braço ou a caçamba podem mover-se; manter-se afastado.
B JLP0283 Advertência, não usar a lança ou braço da máquina para levantar cargas.
C 817/19660 Instrução, condições de tempo frio. Veja o manual do operador.
D 817/18535 1-AVISO, Líquido de arrefecimento sob pressão. 2-AVISO, Risco severo nas mãos / dedos
nas peças em rotação. 3-AVISO, Superfícies quentes. 4-Remover a chave de ignição e ver
o Manual do Operador e Manual de Manutenção.
E 817/18536 Advertência, superfícies quentes; Manter as mãos afastadas.
F 817/18537 Advertência, Sistema de arrefecimento sob alta pressão e temperatura; Manter as mãos
afastadas.
G 817/18538 Advertência, Risco de danos severos a dedos / mãos nas peças em rotação; Manter as
mãos afastadas.
H 817/18566 Não andar ou colocar o peso do corpo nesta área.
K 817/18528 Advertência, contrapeso ou toda a máquina pode mover-se; manter-se afastado.
L 817/02370 Advertência, 24V.
M 817/70003 Advertência, Riscos de prender os dedos / mãos na porta; Manter as mãos afastadas.
N JHP0111 Advertência. Não usar mangueiras ou jatos de lavagem na cabine.
P 817/70116 Advertência, movimento inesperado de peça ou mesmo a máquina inteira; Mover a alavanca
de travamento para a posição travado.
Q 817/18541 Advertência, ler o manual de operação e manutenção.
R 817/19960 Advertência, sistema hidráulico de alta pressão; 1-Parar o motor. 2- Comprimir a borracha
da válvula de alívio de pressão até que toda a pressão do tanque seja liberada. 3-Remover
o bujão de abastecimento/ conjunto do respiro conforme solicitado.
S 817/18527 Diesel combustível, AVISO, produto inflamável. Não usar fonte de ignição.
T Quadro de lubrificação. Ver o “Quadro de definições” para maiores detalhes.
V Quadro de elevação. Ver o ”Quadro de definições” para maiores detalhes.
W 817/70117 1-Instruções, a caçamba pode tocar a lança quando o braço estiver balançando para dentro.
Manter a folga entre a caçamba e o braço. 2-Advertência, Perigo de colisão, manter a folga
entre a caçamba e a cabina. 3- Advertência, Risco de queda; elevar a alavanca de travamento
antes de sair. 4- Advertência, Risco de ferimento por esmagamento; Não se inclinar para fora
da janela dianteira. 5- Advertência, Risco de eletrocussão; Manter o afastamento mínimo
recomendado por seu fornecedor de energia local.
X 817/18531 Advertência, bordas sem proteção; Mantenha-se longe das bordas.
Y 817/18532 Advertência, Mangueiras podem expelir jatos de alta pressão capazes de penetrar na pele;
Remova a chave de ignição e veja o manual do operador e manual de manutenção.

2 - 12 9803/6570-2 2 - 12
Seção 2 – Cuidados e Segurança
Informações de Segurança
Decalques de Segurança

2 - 13 9803/6570-2 2 - 13
Seção 2 – Cuidados e Segurança
Informações de Segurança
Decalques de Segurança

2 - 14 9803/6570-2 2 - 14
Seção 2 – Cuidados e Segurança
Informações de Segurança
Decalques de Segurança

Definições do quadro Tabela 3. Definições dos ícones

Quadro típico de lubrificação

Engraxar a escavadora

Troca do óleo do motor

Troca do filtro de óleo do motor

Troca do líquido de arrefecimento do motor

Troca do filtro de ar do motor

Tabela 2. Identificador da posição


Limpeza do filtro de ar do motor
A Caixa de engrenagens
B Filtro de óleo do motor
C Filtro Plexus
D Cárter de óleo do motor Troca de óleo da transmissão
E Sistema de arrefecimento do motor
F Filtro de óleo do sistema servo
G Filtro de combustível
Nível de óleo da transmissão
H Anel do rolamento de giro
J Filtro externo do ar
K Filtro interno do ar
L Filtro de linha do dreno Combustível (diesel)
M Separador de combustível
N Filtro de retorno hidráulico
P Respiro de ar do tanque hidráulico
Troca do filtro de combustível
Q Filtro de sucção
R Tanque hidráulico
S Dentes de engrenagem do rolamento de giro
T Tanque de combustível Troca de óleo hidráulico
U Caixa do redutor de giro
V Pontos de graxa da lança/ Braço
W Pontos de graxa da lança/ Braço

2 - 15 9803/6570-2 2 - 15
Seção 2 – Cuidados e Segurança
Informações de Segurança
Decalques de Segurança
Quadro Típico de Elevação

Troca do filtro do respiro do tanque hidráulico

Troca do filtro de óleo hidráulico

Limpeza do filtro de óleo hidráulico

Nível de óleo hidráulico

Nível de óleo do motor

1 Pressão do circuito de retenção

Nível do tanque de combustível 2 Consultar os manuais dos operadores antes de tentar


levantar

3 Circuito de pressão em operação

4 Para balanço completo da estrutura superior


Drenagem da água / sedimentos
5 Elevar com o cilindro da caçamba retraído

6 Massa do contrapeso

Ao utilizar martelo / triturador / pulverizador 7 Indicação da largura da esteira

Ao utilizar óleo biodegradável

Ao utilizar em condições severas ou solo


molhado

2 - 16 9803/6570-2 2 - 16
Seção 3

Manutenção
Manual de Serviços - JS160 - JS190
Seção 1 - Informações Gerais
Seção 2 - Cuidados e Segurança
Seção 3 - Manutenção
Seção B - Carroceria e Estrutura
Seção C - Elétrica
Seção E - Hidráulica
Seção F - Transmissão
Seção J - Esteira e Mecanismo de Acionamento
Seção K - Motor

Nº da publicação
9803/6570-2
Produzido por:
ASC Comunicação Técnica
www.asccomunicacao.com.br

Suporte ao Cliente
de Categoria Mundial
Copyright © 2004 JCB SERVICE. Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação pode ser reproduzida, armazenada em um sistema de recuperação
ou transmitida de qualquer forma ou por qualquer outro meio, seja eletrônico, mecânico, fotocópia ou algum outro, sem permissão anterior de JCB SERVICE.

Publicado por Depto. Publicações Técnicas JCB, Treinamento de Pós-vendas JCB, Woodseat, Rocester, Staffordshire, ST14 5BW, Inglaterra. Tel +44 1889 591300 Fax +44 1889 591400
Seção 3 - Manutenção

Página deixada em branco intencionalmente

3-0 9803/6570-2 3-0


Seção 3 - Manutenção

Índice Página Nº

Manutenção de Rotina
Requisitos de Serviço.............................................................. 3-1
Saúde e Segurança................................................................. 3-3
Planos de Manutenção............................................................ 3-7
Lubrificantes e Capacidades................................................... 3 - 14
Limpeza da Máquina............................................................... 3 - 16
Verificação de Danos.............................................................. 3 - 17
Verificação da Estrutura FOPS............................................... 3 - 18
Cinto de Segurança................................................................. 3 - 19
Verificação Diária.................................................................... 3 - 20
Aplicação de Graxa................................................................. 3 - 23
Sistema Elétrico...................................................................... 3 - 26
Especificações de Torque de Parafusos e Porcas................... 3 - 30
Motor....................................................................................... 3 - 33
Sistema de Combustível.......................................................... 3 - 41
Sistema Hidráulico.................................................................. 3 - 51
Caixa de Transmissão de Percurso......................................... 3 - 63
Esteiras e Trem de Acionamento............................................. 3 - 64
Caçamba................................................................................. 3 - 67
Para-brisa................................................................................ 3 - 68
Diagnóstico de Falhas............................................................. 3 - 69

3-i 3-i
Seção 3 - Manutenção

Índice Página Nº

3 - ii 3 - ii
Seção 3 - Manutenção

Manutenção de Rotina
Requisitos de Serviço
Introdução Suporte ao Proprietário/Operador
T3-002
Tanto a JCB como o seu Distribuidor desejam que
Sua máquina foi projetada e construída para propor- você fique completamente satisfeito com a sua nova
cionar máximo desempenho, economia e facilidade máquina JCB. No entanto, caso você tenha um pro-
de utilização em uma ampla gama de condições de blema, deverá entrar em contato com o Departamento
operação. Antes da entrega, sua máquina foi inspe- de Assistência Técnica do seu Distribuidor que está
cionada tanto pela Fábrica como pelo seu Distribuidor lá para ajudá-lo!
para assegurar que ela chegue a você em condições
ideais. Para manter essas condições e assegurar Quando a máquina foi instalada, foram fornecidos a
uma operação sem problemas, é importante que as você nomes dos principais contatos de assistência
revisões periódicas indicadas neste manual sejam técnica no seu Distribuidor.
realizadas por um Distribuidor JCB aprovado nos Para tirar o máximo proveito do seu Distribuidor, ajude-
intervalos recomendados. o a satisfazê-lo:
Esta seção do manual fornece detalhes completos 1 Fornecendo o seu nome, endereço e número de
sobre os requisitos de assistência necessários para telefone.
manter a sua máquina JCB operando com máxima
eficiência. 2 Fornecendo o modelo e nº de série da máquina.
Pode-se constatar nos Planos de Manutenção nas 3 Data da compra e horas de funcionamento.
páginas seguintes que muitas das verificações essen-
ciais de assistência técnica somente devem ser con- 4 Tipo de problema.
duzidas por um especialista treinado da JCB. Somente
os Engenheiros de Assistência Técnica do Distribuidor Lembre-se, somente o seu Distribuidor JCB tem
JCB foram treinados pela JCB para realizar tais tarefas acesso aos vastos recursos disponíveis na JCB para
especializadas e somente os Engenheiros de Assis- auxiliar a dar suporte a você. Além disso, o seu Dis-
tência Técnica do Distribuidor JCB estão equipados tribuidor está capacitado a oferecer uma variedade de
com as ferramentas especiais e os equipamentos de programas abrangendo Garantia, Assistência Técnica
teste necessários para realizar tais tarefas de maneira a Preço Fixo e Inspeções de Segurança, incluindo
completa, segura, precisa e eficiente. testes de peso, abrangendo ambos os requisitos legais
e de seguro.
A JCB atualiza periodicamente os seus Distribui-
dores orientando-os quanto a quaisquer evoluções Acordos de Assistência Técnica/Manuten-
dos produtos, alterações nas especificações e nos ção
procedimentos. Assim, somente o Distribuidor JCB
está plenamente capacitado a manter e a prestar Para ajudar a planejar e distribuir os custos de manu-
assistência técnica à sua máquina. tenção de sua máquina ao longo do tempo, recomen-
damos insistentemente que você aproveite as vanta-
Uma Ficha ou Livro de Registro de Assistência Técnica gens dos diversos Acordos de Assistência Técnica e
é fornecido para possibilitar seu planejamento dos re- Manutenção que seu Distribuidor pode oferecer. Eles
quisitos de assistência técnica e a manutenção de um podem ser elaborados sob medida para atender a suas
registro do histórico de assistência técnica. Ele deverá condições operacionais, cronograma de trabalho, etc.
ser datado, assinado e carimbado pelo seu Distribuidor
toda vez que sua máquina receber assistência. Por favor, consulte seu Distribuidor JCB para obter
detalhes.
Lembre-se, a manutenção correta de sua máquina não
somente lhe proporcionará uma maior confiabilidade,
mas seu preço de revenda será altamente valorizado.

3-1 9803/6570-2 3-1


Seção 3 - Manutenção
Manutenção de Rotina
Requisitos de Serviço

Obtenção de Peças Sobressalentes


T3-004_2

Recomendamos que instale somente Peças Genuínas


JCB. Um Manual de Peças da Retroescavadeira irá
auxiliar você a identificar peças e encomendá-las do
seu Distribuidor JCB.
O seu representante necessitará conhecer o modelo
exato, número de fabricação e de série da sua má-
quina. Consulte Identificação da Sua Máquina na
seção INTRODUÇÃO.
A placa de dados do fabricante mostra também os
números de série do motor, transmissão e eixo (s),
onde aplicável. Mas lembre-se de que se alguma des-
sas unidades tiver sido substituída, o número de série
na placa de dados do fabricante poderá estar errado.
Verifique na unidade propriamente dita.
Normas para Elevação - Inspeções e Tes-
tes
T3-003

Somente seu Distribuidor JCB pode cumprir totalmente


os requisitos da inspeção e os parâmetros de teste
para atender aos requisitos legais da UK Health and
Safety Executive (H.S.E.), órgão regulamentador de
saúde e segurança britânico, além de realizar Inspe-
ções Anuais para atender às condições de sua Apólice
da Companhia de Seguros.
Somente seu Distribuidor JCB tem a capacidade de
atender à definição descrita que abrange uma “Pessoa
Competente” para efetuar estes testes e inspeções
necessários. Isto assegura que somente Engenheiros
treinados, experimentados e atualizados contando
com o suporte de todos os dados e materiais disponí-
veis fornecidos somente para um Distribuidor JCB irão
assegurar um padrão meticuloso e confiável.

3-2 9803/6570-2 3-2


Seção 3 - Manutenção
Manutenção de Rotina
Saúde e Segurança

Saúde e Segurança
T3-001_3

Lubrificantes Todos os resíduos e desperdícios devem ser descarta-


dos de acordo com todos os regulamentos relevantes
Introdução aplicáveis.
É muito importante que você leia e compreenda estas A coleta e o descarte do óleo usado do motor devem
informações e publicações a que elas se referem. ser feitos de acordo com a legislação local. Nunca
Assegure-se que todos os seus colegas que lidam derrame óleo usado em esgotos, drenos ou no chão.
com lubrificantes também leiam.
Manuseio
Higiene
Óleo Novo
Os lubrificantes JCB não representam um risco para Não há nenhuma precaução especial necessária para
a saúde quando usados adequadamente para os fins o manuseio ou utilização do óleo novo, além dos cui-
a que se destinam. dados e hábitos de higiene normais.
No entanto, um contato excessivo ou prolongado com Óleo Usado
a pele pode retirar as gorduras naturais da sua pele,
causando pele seca e irritação. Os lubrificantes usados do cárter do motor contêm
contaminantes perigosos.
Os óleos de baixa viscosidade são mais susceptíveis
de causar isto, assim tenha um cuidado especial ao Aqui estão as precauções para proteger a sua saúde
manusear óleos usados que possam estar diluídos ao manusear óleo usado do motor:
pela contaminação com combustível.
1 Evite o contato prolongado, excessivo ou repetitivo
Sempre que manusear produtos de óleo, mantenha de óleos usados com a pele.
padrões satisfatórios de segurança e de higiene
pessoal e da máquina. Para os detalhes sobre estas 2 Aplique um creme protetor para pele antes de
precauções, aconselhamos que sejam lidas as publi- manusear óleo usado. Ao remover óleo de motor
cações relevantes publicadas pela sua autoridade local da pele, observe o seguinte:
de saúde, mais o que se segue. a Lave completamente a pele com água e
Armazenamento sabão.
b O uso de uma escova de unha ajudará.
Mantenha os lubrificantes sempre fora do alcance de
crianças. c Use limpadores especiais para ajudar a limpar
as mãos sujas.
Nunca armazene lubrificantes em recipientes abertos
ou sem rótulo. d Nunca use gasolina, óleo combustível ou
parafina para a lavagem.
Destino do Lixo
3 Evite o contato da pele com roupas sujas de óleo.
ATENÇÃO
4 Não coloque panos sujos de óleo nos bolsos.
É ilegal poluir ralos, esgotos ou o solo. Limpe com-
5 Lave a roupa suja antes de reutilizar.
pletamente todos os fluidos e/ou lubrificantes der-
ramados. Fluidos e/ou lubrificantes usados, filtros 6 Jogue fora sapatos encharcados de óleo.
e materiais contaminados devem ser descartados
de acordo com as regulamentações locais. Use
locais autorizados para o descarte de resíduos.
INT-3-2-14

3-3 9803/6570-2 3-3


Seção 3 - Manutenção
Manutenção de Rotina
Saúde e Segurança

Primeiros Socorros - Óleo


Olhos
No caso de contato com os olhos, lave com água
durante 15 minutos. Se a irritação persistir, procure
assistência médica.
Ingestão
Se houver ingestão de óleo, não provoque vômito.
Procure orientação médica.
Pele
No caso de contato excessivo com a pele, lave com
água e sabão.
Derramamento
Absorva com areia ou com uma marca aprovada no
local de granulados absorventes. Varra e remova o lixo
para uma lixeira de produtos químicos.
Incêndios

ADVERTÊNCIA

Não use água para apagar óleo em chamas. Isso


somente espalhará o fogo porque o óleo flutua
na água.
Apague óleo e lubrificante em chamas com dióxido
de carbono, pó químico seco ou espuma. O pessoal
da brigada de incêndio deverá usar aparelhos de
respiração autônoma.
7-3-1-3_1

3-4 9803/6570-2 3-4


Seção 3 - Manutenção
Manutenção de Rotina
Saúde e Segurança

Bateria Símbolos de Advertência

ADVERTÊNCIA Os seguintes símbolos de advertência podem ser


encontrados na bateria.
As baterias geram gases explosivos. Não fume
quando manusear ou trabalhar na bateria. Mante- Símbolo Significado
nha a bateria afastada de chamas e faíscas.
O eletrólito da bateria contém ácido sulfúrico. Ele Mantenha afastado de crianças.
poderá causar queimaduras se entrar em contato
com sua pele ou olhos. Use óculos de proteção.
Manuseie a bateria cuidadosamente para evitar
vazamentos. Mantenha itens metálicos (relógios
de pulso, anéis, zíperes, etc.) longe dos terminais Use proteção ocular.
da bateria. Esses itens podem causar um curto-cir-
cuito entre os terminais e provocar queimaduras.
Desligue todos os interruptores da cabine antes de
desconectar e conectar a bateria. Quando desco- Proibido fumar, chamas expostas ou
nectar a bateria, remova o cabo-terra (–) primeiro. faíscas.
Recarregue a bateria afastada da máquina, em uma
área bem ventilada. Desligue o circuito de carga
antes de conectar ou desconectar a bateria. Depois
de instalar a bateria na máquina, aguarde cinco Gás explosivo.
minutos antes de conectá-la.
Quando reconectar, instale o cabo positivo (+)
primeiro.
Ácido de bateria.
Primeiros socorros - Eletrólito
ADVERTÊNCIA
Proceda do seguinte modo, se o eletrólito:
Observe as instruções de operação.
ENTRAR EM CONTATO COM OS SEUS OLHOS
Lave imediatamente com água durante 15 minutos,
sempre procure orientação médica.
ATENÇÃO
FOR INGERIDO
Não desconecte a bateria com o motor em fun-
Não provoque vômito. Beba muita água ou leite. Depois cionamento. Caso contrário, os circuitos elétricos
beba leite de magnésia, ovo batido ou óleo vegetal. poderão ser danificados.
Procure orientação médica.
INT-3-1-14
ENTRAR EM CONTATO COM A SUA PELE
Lave com água e retire a roupa atingida. Cubra as
queimaduras com gaze esterilizada e em seguida
procure orientação médica.
5-3-4-3_1

3-5 9803/6570-2 3-5


Seção 3 - Manutenção
Manutenção de Rotina
Saúde e Segurança

ADVERTÊNCIA
Circuitos Elétricos
Entenda o circuito elétrico antes de conectar ou
desconectar um componente elétrico. Uma cone-
xão incorreta pode causar ferimentos e/ou danos.
INT-3-1-4

PERIGO
Eletrólito
O eletrólito da bateria é tóxico e corrosivo. Não
respire os gases gerados pela bateria. Mantenha o
eletrólito longe de suas roupas, pele, boca e olhos.
Use óculos de segurança.

INT-3-2-1_3

ATENÇÃO
Baterias danificadas ou irrecuperáveis e quaisquer
resíduos de incêndios ou vazamentos deverão ser
colocados em um recipiente fechado à prova de
ácidos e descartado de acordo com as regulamen-
tações ambientais locais sobre resíduos.

INT-3-1-12

ADVERTÊNCIA
Gases da Bateria
As baterias liberam gases explosivos. Mantenha
chamas e faíscas afastadas da bateria. Não fume
perto da bateria. Assegure uma boa ventilação em
áreas fechadas onde as baterias sejam utilizadas
ou recarregadas. Não verifique a carga da bateria
provocando um curto-circuito entre os terminais
com um objeto metálico; use um densímetro ou
voltímetro.
INT-3-1-8

3-6 9803/6570-2 3-6


Seção 3 - Manutenção
Manutenção de Rotina
Planos de Manutenção

Planos de Manutenção
Introdução Nota: Os serviços deverão ser efetuados de acordo
com o intervalo de horas ou o intervalo do
Uma máquina com manutenção inadequada é um calendário, o que ocorrer primeiro.
perigo. Realizar as tarefas regulares de manutenção
e lubrificação listadas nestes planos de manutenção Como Usar os Planos de Manutenção
irá ajudar a conservar a máquina em uma condição T3-012_2
de funcionamento seguro. No exemplo mostrado, A indica todos os requisitos de
serviços a serem efetuados a cada 10 horas e B indica
ADVERTÊNCIA os requisitos a serem efetuados a cada 500 horas.
A manutenção deve ser feita somente por pessoas
adequadamente qualificadas e competentes.
Antes de fazer qualquer manutenção, garanta a
segurança da máquina. Ela deverá ser estacionada
corretamente em um solo firme e nivelado.
Para impedir que alguém dê partida no motor,
remova a chave de partida. Desconecte a bateria
quando não estiver usando energia elétrica. A não-
observância destas precauções poderá causar sua
morte ou ferimentos.
8-3-1-1

Um Livro de Registro do Histórico de Serviços é


fornecido com cada máquina para possibilitar o
planejamento de seus requisitos de serviços e a
conservação do registro do histórico de serviços.
Este livro de registro deverá ser datado, assinado
e carimbado por seu Distribuidor na instalação
da máquina e toda vez que sua máquina receber
serviços.

2-3-1-9

Diferentemente das tarefas diárias, os planos de ma-


nutenção se baseiam em horas de funcionamento da
máquina. Faça uma verificação regular das leituras do
horímetro para estabelecer os intervalos de serviços
corretamente. Não use uma máquina programada para
a realização de um serviço. Assegure que quaisquer
defeitos encontrados durante as inspeções regulares
de manutenção sejam corrigidos imediatamente.
Equivalência do calendário:
A cada 10 horas = Diariamente
A cada 50 horas = Semanalmente
A cada 250 horas = Mensalmente
A cada 500 horas = Trimestralmente
A cada 1000 horas = Semestralmente
A cada 2000 horas = Anualmente
A cada 4000 horas = 2 anos
A cada 5000 horas = 2 anos e 6 meses

3-7 9803/6570-2 3-7


Seção 3 - Manutenção
Manutenção de Rotina
Planos de Manutenção

Verificações, Pontos de Serviço e Níveis de Fluido Pré-Partida a Frio

Operação 10 50 250 500 1000 2000 4000 5000


MOTOR
Nível de óleo - Verifique c c c c c c c c

Óleo e filtro(1) - Troque c c c c c

Filtro de derivação de óleo


- Troque c c c c c
(se equipado)
Óleo - Analise c c c c

Pré-filtro (se equipado) - Limpe c c c c c c

Elemento externo do filtro de ar - Troque c c c c

Elemento interno do filtro de ar - Troque c c

- Verifique e
Válvula de poeira do filtro de ar c c c c c c
limpe
Nível de combustível - Verifique c c c c c c c c

Tanque de combustível - Água e se-


- Drene c c c c c c c
dimentos
Qualidade/nível do líquido de arrefe-
- Verifique c c c c c c c c
cimento
Líquido de arrefecimento - Troque c

Elemento filtrante da bomba de com-


- Troque c c c c c
bustível
Filtro de combustível primário/sedi- - Drene e c c c c c c c
mentador limpe
Filtro de combustível primário/filtro-
- Troque c c c c c
sedimentador
Filtro de combustível principal/sedi- - Drene e c c c c c c c
mentador limpe
Filtro de combustível principal/filtro-
- Troque c c c c c
sedimentador
Tampa do gargalo de abastecimento - Verifique e c c c c c c
de combustível limpe
Tampa do gargalo de abastecimento
- Verifique e
de combustível (Condições de muita c c c c c c c
limpe
poeira)
Tensão/condição da correia da ven-
- Verifique c c c c c c
toinha
- Verifique e
Folgas das válvulas c c c c
ajuste
Aperto dos parafusos dos coxins do
- Verifique c c c c c
motor
Firmeza do sistema de escapamento - Verifique c c c c c

Firmeza do sistema de admissão de ar - Verifique c c c c c c

- Limpe e
Radiador c c c c c c
verifique

3-8 9803/6570-2 3-8


Seção 3 - Manutenção
Manutenção de Rotina
Planos de Manutenção

Operação 10 50 250 500 1000 2000 4000 5000


TRANSMISSÃO
Firmeza de parafusos e porcas de
- Verifique c c c c c
fixação
Nível de óleo da caixa de transmissão
- Verifique c c c c c c
da esteira
Nível de óleo da caixa de transmissão
- Verifique c c c c c c
de giro
Óleo das caixas de transmissão das
- Troque c c c c c
esteiras e giro (2)
Óleo das caixas de transmissão das - Analise/ c c c c
esteiras e giro Troque
SISTEMA HIDRÁULICO
Nível de óleo - Verifique c c c c c c c c

Óleo (biodegradável e não-biodegra-


- Analise c c c c c
dável)
Óleo (biodegradável) - Troque c c

Óleo (Não-biodegradável) - Troque c

Elemento filtrante do servo (2) (3) - Troque c c c c c

Elemento filtrante Plexus (3) - Troque c c

Elemento filtrante do retorno (2) (3) - Troque c c c c c

Elemento filtrante do dreno (2) (3) - Troque c c c c c

Filtro de tela de sucção (2) - Limpe c c c c c

Filtro de tela de sucção - Troque c c

Filtro da válvula de amortecimento - Limpe c c c c c

Filtro da válvula de amortecimento - Troque c c c c

Cilindros hidráulicos - Condição do


- Verifique c c c c c c
cromado
Resfriador de óleo - Limpe c c c c

Tanque - Água e sedimentos - Drene c c c c c c

Respiro do tanque hidráulico - Troque c c c c

Indicador do filtro do circuito auxiliar


- Verifique c c c c c c c c
(caso utilize um rompedor de rochas)
Mangueira de saída da linha da bomba - Troque c

Mangueiras dos cilindros hidráulicos


- Troque c
das linhas da lança
Mangueiras dos cilindros hidráulicos
- Troque c
das linhas do braço extensível
Mangueiras dos cilindros hidráulicos
- Troque c
das linhas da caçamba

3-9 9803/6570-2 3-9


Seção 3 - Manutenção
Manutenção de Rotina
Planos de Manutenção

Operação 10 50 250 500 1000 2000 4000 5000


SISTEMA ELÉTRICO
Nível de eletrólito da bateria (se apli-
- Verifique c c c c c c
cável)
Fiação quanto a abrasão/passagem - Verifique c c c c c c c

Condição e aperto dos terminais da


- Verifique c c c c c c
bateria
CHASSI INFERIOR
Roletes das esteiras - Verifique c c c c c c c c

Rodas livres - Verifique c c c c c c c

Condição e torque dos parafusos das


- Verifique c c c c c c
placas da esteira
Tensão da esteira - Verifique c c c c c c c c

Desgaste da esteira - Verifique c c c c c c

CARROCERIA E CABINE
Todos os pinos e buchas (exceto base
- Engraxe c c c c c c c
da lança e braço extensível da lança)
Pinos de articulação da lança/caçam-
ba/braço extensível (se utilizada em
- Verifique e
condições muito úmidas ou severas, c
aplique graxa
exceto base da lança e braço extensí-
vel da lança)
Pinos de articulação da base da lança
- Engraxe c c c c
e braço extensível da lança
Retentores de graxa dos pinos de arti-
- Verifique c c c c c c
culação da caçamba
Rolamento do anel de giro - Engraxe c c c c c c

Dentes do anel de giro - Engraxe c c c c c

Dobradiças da porta/janelas - Lubrifique c c c c c c

Filtro do aquecedor da cabine/ar- - Limpe/ c c c c c


condicionado Troque
Nível de fluido do lavador do para-brisa - Verifique c c c c c c c c

Condição da pintura - Verifique c c c c c c

- Verifique e
Máquina em geral c c c c c c c c
limpe
ACESSÓRIOS
Rotação do motor em Modo Rompedor
- Verifique c c c c c
- Compatível com rompedor equipado.
Engate rápido - Engraxe c c c c c c c c

EQUIPAMENTO OPCIONAL
Conforme necessário - Verifique c c c c c c c c

(1) Os tempos de serviço podem ser alterados dependendo do combustível utilizado, veja ‘Combustíveis com
Alto Teor de Enxofre’ na seção Combustível.
(2) Estes procedimentos somente devem ser efetuados depois das primeiras 500 horas de uso de uma máquina
nova. A partir daí eles devem ser efetuados conforme detalhado nas próximas verificações periódicas.
(3) Caso utilize um rompedor, britador ou pulverizador, veja ‘Intervalos de Serviço para Acessórios’ depois
desta seção.

3 - 10 9803/6570-2 3 - 10
Seção 3 - Manutenção
Manutenção de Rotina
Planos de Manutenção

Teste de Funcionamento e Inspeção Final

Operação 10 50 250 500 1000 2000 4000


MOTOR
Rotação máxima sem carga - Verifique c c c c

Fumaça do escapamento (excessiva) - Verifique c c c c c c c

Sistema de arrefecimento - Vazamen-


- Verifique c c c c c
tos
Controle de parada - Funcionamento - Verifique c c c c c

Sistema de combustível - Vazamentos


- Verifique c c c c c c c
e contaminação
Todas as mangueiras de combustível - Troque c

TRANSMISSÃO
Funcionamento do freio de giro - Verifique c c c c

SISTEMA HIDRÁULICO
Funcionamento de todos os serviços - Verifique c c c c c c c

Acumulador (motor desligado) - Verifique c c c c c c c

Mangueiras e tubulações - Danos/


- Verifique c c c c c
vazamentos
SISTEMA ELÉTRICO
- Verifique/
Motor de partida - Conexões c c c c c
Limpe
Alternador - Saída - Verifique c c c c c

Funcionamento de todos os equi-


pamentos elétricos, (ex. luzes de
- Verifique c c c c c c c
advertência, luzeiro, alarmes, buzina,
limpadores, etc.)
CHASSI INFERIOR
Funcionamento da esteira - Verifique c c c c c c c

CARROCERIA E CABINE
Portas e cobertura - Encaixe/vaza-
- Verifique c c c c
mentos
Assento/Cintos de segurança - Condi-
- Verifique c c c
ção e firmeza
Travas - Verifique c c c c

ACESSÓRIOS
Dentes e cortadores laterais - Verifique c c c c

Pressão do circuito de acessórios - Verifique c c c c

Funcionamento - Verifique c c c c

EQUIPAMENTO OPCIONAL
Advertência de sobrecarga - Verifique c c c c

Bomba de reabastecimento de com-


- Verifique c c c c c c c
bustível (se equipado)

3 - 11 9803/6570-2 3 - 11
Seção 3 - Manutenção
Manutenção de Rotina
Planos de Manutenção

Intervalos de Serviço para Acessórios Quando um rompedor, britador ou pulverizador for ins-
talado, assegure que o óleo e os filtros sejam trocados
Quando utilizar um rompedor, britador ou pulverizador, nos intervalos mostrados na tabela abaixo.
a contaminação e a degradação do óleo hidráulico
ocorrerão muito mais rapidamente do que no uso O óleo hidráulico deve ser analisado e verificado
em escavação normal. Se a máquina for usada com quanto à contaminação e degradação nos intervalos
óleo cada vez mais degradado, isso poderá causar mostrados.Consulte seu Distribuidor JCB que dispõe
problemas na válvula de controle, desgaste prematuro das instalações para realizar este trabalho e assegurar
da bomba hidráulica e danos ao sistema hidráulico que o sistema hidráulico receba a manutenção correta.
como um todo.
A manutenção do óleo hidráulico e filtros deve ser feita
mais frequentemente de acordo com a porcentagem
de horas totais de operação envolvendo o uso do
rompedor, britador ou pulverizador.

Tabela 1. Intervalos de Serviço para Óleo Hidráulico e Filtros de Acordo com a Frequência de Uso de
Rompedor, Britador ou Pulverizador
Item Frequência de Uso
Maior do que 50 - 75% 25 - 50% 10 - 25% Menos do que
75% 10%
10 100 600 10 200 1000 10 300 1500 10 600 3000 10 800 4000
h h h h h h h h h h h h h h h
Óleo hidráulico ¡ n ¡ n ¡ n ¡ n ¡ n

Filtro de retorno(1) n n n n n

Filtro de sucção(1) c n c n c n c n c n

Filtro de drena- n n n n n
gem(1)
Filtro do servo(1) n n n n n

Filtro Plexus(1) n n n n n

Filtro em linha do n n n n n
rompedor(1)
Análise do óleo hi-
A cada 200 h A cada 200 h A cada 300 h A cada 600 h A cada 800 h
dráulico

(1) Os filtros devem ser trocados sempre que o período de uso do rompedor/britador/pulverizador exceder
100 h, independente do número total de horas que a máquina tenha trabalhado
¡ Verifique o nível de óleo e complete conforme necessário
n Troque
c Limpe

3 - 12 9803/6570-2 3 - 12
Seção 3 - Manutenção
Manutenção de Rotina
Planos de Manutenção

Substituição Periódica de Componentes útil de componentes específicos por inspeção visual


Relacionados à Segurança ou a partir do funcionamento, portanto substitua-os
rotineiramente como componentes importantes a
Substitua rotineiramente os componentes importantes cada 2 anos.
relacionados à segurança. É difícil determinar a vida

Tabela 2. Sistema de Combustível


Componentes importantes Intervalo de Substituição
Mangueira de combustível (Tanque de combustível
- Motor) A cada 2 anos ou a cada 4000 horas, o que ocorrer
Mangueira de combustível (Filtro de combustível - primeiro.
Bomba injetora)

Tabela 3. Sistema Hidráulico


Componentes importantes Intervalo de Substituição
Mangueira de saída da bomba (Bomba - Válvula de
operação)
Mangueira da linha do cilindro hidráulico da lança A cada 2 anos ou a cada 4000 horas, o que ocorrer
Mangueira da linha do cilindro hidráulico do braço primeiro.
extensível
Mangueira da linha do cilindro hidráulico da caçamba

Caso encontre alguma anormalidade em alguma des- efetue a inspeção descrita em _ Tabela 4. (/ 3-13).
tas peças antes do momento da substituição, Repare Reaperte, substitua, etc., quando encontrar alguma
ou substitua como você faria normalmente. anormalidade.
Quando substituir as mangueiras, caso encontre algu- Nota: Substitua os O-rings e juntas ao mesmo tempo
ma abraçadeira deformada ou trincada, substitua as em que mangueiras. Entre em contato com
abraçadeiras ao mesmo tempo em que as mangueiras. seu Distribuidor JCB para a substituição de
Em relação às mangueiras hidráulicas não incluídas na componentes de segurança. Efetue a inspeção
substituição rotineira de componentes de segurança, das mangueiras hidráulicas e mangueiras de
combustível na inspeção rotineira descrita em
_ Tabela 4. (/ 3-13).

Tabela 4.
Classificação da Inspeção Item Inspecionado
Conexões das mangueiras hidráulicas e de combustí-
Inspeção de partida
vel, vazamento de óleo das peças calafetadas.
Conexões das mangueiras hidráulicas e de com-
bustível, vazamento de óleo das peças calafetadas.
Inspeção independente especial (Inspeção mensal)
Danos às mangueiras hidráulicas e de combustível
(rachaduras, desgaste, perfuração)
Conexões das mangueiras hidráulicas e de com-
bustível, vazamento de óleo das peças calafetadas.
Inspeção independente especial (Inspeção anual) Interferência, esmagamento, envelhecimento, torção,
danos das mangueiras hidráulicas e de combustível
(rachaduras, desgaste, perfuração)

3 - 13 9803/6570-2 3 - 13
Seção 3 - Manutenção
Manutenção de Rotina
Lubrificantes e Capacidades

Lubrificantes e Capacidades

JS160 - JS190 e Variantes

Item Lubrificante Especificação Internacional Capacidade


15 litros
_Tabela de Lubrifica-
MOTOR - JS160-JS180 (3,3 gal. UK)
ção do Motor (/ 3-15)
(4 gal. EUA)
23,5 litros
_Tabela de Lubrifica-
MOTOR - JS190 (5,2 gal. UK)
ção do Motor (/ 3-15)
(6,2 gal. EUA)
2 x 4,4 litros
CAIXA DE TRANSMISSÃO Óleo de transmissão (2 x 1 gal. UK)
API-GL-5, MIL-L-2105
DA ESTEIRA JCB HD90 Gear Oil (2 x 1,2 gal.
EUA)
6 litros
CAIXA DE TRANSMISSÃO Óleo de transmissão
API-GL-5, MIL-L-2105 (1,3 gal. UK)
DE GIRO JCB HD90 Gear Oil
(1,6 gal. EUA)
ROLETES DAS ESTEIRAS E Óleo de transmissão
API-GL-5, MIL-L-2105
RODAS LIVRES JCB HD90 Gear Oil
Graxa à base de lítio (NLGI)
CILINDRO DA MOLA DE
JCB Special HP inc. aditivos de extrema pressão
REBOBINAMENTO

142 litros
_ Tabela de Óleos Hi-
SISTEMA HIDRÁULICO (31,2 gal. UK)
dráulicos (/ 3-15)
(37,5 gal. EUA)

ANEL DE GIRO Graxa à base de lítio (NLGI) inc.


JCB Special HP
aditivos de extrema pressão --
- ROLAMENTO
Graxa à base de lítio (NLGI) inc. 11 kg (24,25 lb)
- DENTES DE ENGRENAGEM JCB Special HP
aditivos de extrema pressão
TODOS OS OUTROS PON-
Graxa à base de lítio (NLGI) inc.
TOS DE APLICAÇÃO DE JCB Special HP --
aditivos de extrema pressão
GRAXA
JCB HP Coolant _ Mistu- 16,4 litros
SISTEMA DE ARREFECI-
ras de Líquido de Arre- ASTM D - 6210 (3,8 gal. UK)
MENTO - JS160-JS180
fecimento (/ 3-40) (4,3 gal. EUA)
JCB HP Coolant _ Mistu- 26 litros
SISTEMA DE ARREFECI-
ras de Líquido de Arre- ASTM D - 6210 (5,7 gal. UK)
MENTO - JS190
fecimento (/ 3-40) (6,9 gal. EUA)
253 litros
_ Sistema de Combus-
TANQUE DE COMBUSTÍVEL (55,6 gal. UK)
tível (/ 3-41)
(66,7 gal. EUA)

3 - 14 9803/6570-2 3 - 14
Seção 3 - Manutenção
Manutenção de Rotina
Lubrificantes e Capacidades

Tabela de Lubrificação do Motor

Uso de acordo com temperatura ambiente °C (°F)


-30 (-22) -20 (-4) -10(14) 0 (32) 10 (50) 20 (68) 30 (86) 40 (104)

ÓLEO PARA MOTOR MULTIVISCOSO JCB SUPER 15W/40,


API CF4/SG MIL L-2104F

ÓLEO PARA MOTOR MULTIVISCOSO JCB SUPER 10W/30,


API CF4/SG MIL L-2104F

Tabela de Óleos Hidráulicos

Uso de acordo com temperatura ambiente °C (°F)


-30 (-22) -20 (-4) -10 (14) 0 (32) 10 (50) 20 (68) 30 (86) 40 (104)

FLUIDO HIDRÁULICO JCB 32, ISO VG 32

FLUIDO HIDRÁULICO JCB 46, ISO VG 46

FLUIDO HIDRÁULICO JCB 68, ISO VG 68

3 - 15 9803/6570-2 3 - 15
Seção 3 - Manutenção
Manutenção de Rotina
Limpeza da Máquina

Limpeza da Máquina
Exterior
Limpe o exterior da máquina utilizando água e/ou
vapor.
Caso utilize vapor, a máquina deverá ser engraxada
completamente em seguida. _Aplicação de Graxa
(/ 3-23)
Preste atenção especial às janelas da cabine. Asse-
gure que a grade do radiador não esteja bloqueada.
Não permita o acúmulo de lama nas esteiras e trem
de acionamento. _ Esteiras e Trem de Acionamento
(/ 3-64)
Interior

ATENÇÃO

Nunca use água ou vapor para limpar o interior da


cabine. O uso de água ou vapor pode danificar o
computador de bordo e tornar a máquina inope-
rável. Remova a sujeira utilizando uma escova ou
pano úmido.

8-3-4-8

3 - 16 9803/6570-2 3 - 16
Seção 3 - Manutenção
Manutenção de Rotina
Verificação de Danos

Verificação de Danos
Inspecione a lataria quanto a danos. Anote a pintura
danificada para reparar futuramente.
Assegure que todos os pinos de articulação estejam
posicionados corretamente e fixados por seus dispo-
sitivos de travamento.
Assegure que os degraus e corrimãos estejam firmes
e livres de danos.
Verifique quanto a algum vidro das janelas quebrado,
trincado ou estilhaçado. Substitua itens danificados.
Verifique todos os dentes da caçamba quanto a danos
e firmeza.
Verifique todas as lentes das luzes quanto a danos.
Assegure que todas as etiquetas de segurança este-
jam nos locais e livres de danos.
Instale etiquetas novas onde necessário.
Verifique quanto à tensão suficiente da esteira e a
algum parafuso frouxo de placa da esteira.

3 - 17 9803/6570-2 3 - 17
Seção 3 - Manutenção
Manutenção de Rotina
Verificação da Estrutura FOPS

Verificação da Estrutura FOPS


Todas as escavadeiras são projetadas de modo a po- Instalação em estrutura
derem ser equipadas com uma estrutura de proteção
para o operador. Em determinadas aplicações, como
a demolição, as máquinas devem ser equipadas com
uma estrutura de proteção contra queda de objetos
(FOPS) opcional. A identificação dos riscos de uma
aplicação é de responsabilidade do operador.

ADVERTÊNCIA

Operar a máquina com a estrutura ROPS/FOPS


faltante ou danificada pode causar sua morte ou
ferimentos graves. Se a estrutura de proteção
contra capotagem (ROPS)/estrutura de proteção
contra queda de objetos (FOPS) tiver sofrido um
acidente, não use a máquina até que a estrutura
tenha sido recondicionada. Modificações e reparos
sem a aprovação do fabricante podem ser perigo-
sos e invalidarão a certificação ROPS/FOPS.
INT-2-1-9_6

Assegure que todos os parafusos de fixação da es-


trutura FOPS estejam nos locais e livres de danos.
Verifique os parafusos de fixação da estrutura FOPS
quanto ao torque de aperto correto.
Instalação em cabine

Fig. 2.

1 Torque de aperto de 78 Nm (57,5 lbf.pé)

2 Torque de aperto de 343 Nm (253 lbf.pé)

3 Torque de aperto de 343 Nm (253 lbf.pé)

4 Torque de aperto de 78 Nm (57,5 lbf.pé)

5 Torque de aperto de 343 Nm (253 lbf.pé)

6 Torque de aperto de 137 Nm (101 lbf.pé)

Fig. 1.

1 Torque de aperto de 78,4 Nm (58 lbf.pé)

3 - 18 9803/6570-2 3 - 18
Seção 3 - Manutenção
Manutenção de Rotina
Cinto de segurança

Cinto de Segurança
Verificação da Condição e Firmeza do Cin-
to de Segurança
T3-008

ADVERTÊNCIA

Quando houver um cinto de segurança instalado


em sua máquina, substitua-o por um novo se es-
tiver danificado, se o tecido estiver gasto, ou se a
máquina sofrer um acidente. Instale um novo cinto
de segurança a cada três anos.
2-3-1-7_1

Inspecione o cinto de segurança quanto a indícios de


desfiamento e estiramento.
Assegure que as costuras não estejam frouxas ou
danificadas. Assegure que o conjunto da fivela esteja
isento de danos e funcione corretamente.
Assegure que os parafusos de fixação do cinto estejam
livres de danos, corretamente instalados e apertados.

3 - 19 9803/6570-2 3 - 19
Seção 3 - Manutenção
Manutenção de Rotina
Verificação Diária

Verificação Diária
É vital verificar determinadas funções e componentes
da máquina diariamente para assegurar que ela possa
ser operada com segurança e eficiência.

1 Motor (Inspeção antes da partida)

Siga as etapas 1-3 da verificação diária.

2 Prepare a máquina

Estacione a máquina sobre um solo firme e


nivelado e abaixe a caçamba até o solo.

3 Localize os componentes a serem verificados, veja


Descrição da Máquina na seção Introdução.

4 Desligue o motor e remova a chave de partida.

5 Verificação visual. Verifique a máquina quanto ao


seguinte:
a Vazamento de óleo, combustível e líquido de
arrefecimento.
b Aperto correto dos fixadores.
c Rompimento de fios, curto-circuito de cabos
e fixação de terminais. Fig. 3.
d Limpeza do óleo.
f Verificação do nível e reabastecimento do
e Acúmulo de poeira. líquido de arrefecimento. Verifique o nível de
líquido de arrefecimento no reservatório A. Se
ADVERTÊNCIA estiver baixo, remova a tampa do reservatório
B e reabasteça com líquido de arrefecimento.
O sistema de arrefecimento se mantém pressuriza- O nível correto é entre as marcas FULL
do quando o líquido de arrefecimento está quente. (cheio) e LOW (baixo).
Ao remover a tampa, o líquido de arrefecimento
quente poderá espirrar e causar queimaduras. 6 Verificação depois da partida inicial
Assegure que o motor tenha esfriado antes de a O nível de óleo do motor é verificado
verificar o nível de líquido ou o sistema de arre- automaticamente. Verifique o mostrador do
fecimento. monitor na partida quanto a uma possível
9-3-3-1_1
advertência.
b Funcionamento de buzina e instrumentos no
painel.
c Facilidade de partida do motor, ruído anormal
e cor dos gases de escapamento.
d Vazamento de óleo, combustível e líquido de
arrefecimento.

3 - 20 9803/6570-2 3 - 20
Seção 3 - Manutenção
Manutenção de Rotina
Verificação Diária

ADVERTÊNCIA

Não remova a tampa do gargalo de abastecimento


do tanque hidráulico ou placa de cobertura com
o motor em funcionamento. O sistema hidráulico
está sob pressão. Você ou outras pessoas poderão
sofrer ferimentos. Primeiro desligue o motor e em
seguida libere a pressão.
8-3-4-4

8 Verificação do nível e reabastecimento de óleo


hidráulico
a Siga as etapas 1-3 do procedimento de
verificação diária deixando a lança, braço
extensível e caçamba posicionados conforme
_ Fig. 4. (/ 3-21).
b Assegure que o nível de óleo hidráulico esteja
próximo ao centro do visor de nível D.
c Se estiver baixo, remova a placa do gargalo de
abastecimento E e reabasteça. Tome cuidado
para impedir a entrada de qualquer sujeira ou
poeira junto com o óleo hidráulico durante o
reabastecimento.
d Verifique os parafusos de fixação dos tanques
de combustível e óleo hidráulico quanto a
Fig. 4. afrouxamento e quanto a vazamentos de
combustível e óleo hidráulico.
7 Verificação do nível de combustível
e Verifique os parafusos de fixação dos
Verifique o nível de combustível inspecionando componentes elétricos e terminais da bateria
o mostrador de nível de combustível do monitor. quanto a afrouxamento e rompimento de fios.
Se estiver baixo, reabasteça através do orifício
de abastecimento de combustível C. 9 Mecanismo de esteiras
a Verifique as sapatas F quanto a afrouxamento,
desgaste e quebra.
b Verifique o motor da esteira G, os roletes
superiores/inferiores H, J e as rodas livres K
quanto a vazamento de óleo e desgaste.
c Verifique cada parafuso de fixação quanto a
afrouxamento e/ou parafusos faltantes.

Nota: A ilustração é apenas típica. O número de ro-


letes superiores H e roletes inferiores J varia
de acordo com o modelo da máquina.

10 Lança/Braço extensível

Verifique as mangueiras/uniões de alta pressão


e os cilindros hidráulicos quanto a vazamento de
óleo.

11 Acumulador - Verifique a carga.


a Estenda o braço extensível e levante a lança.

3 - 21 9803/6570-2 3 - 21
Seção 3 - Manutenção
Manutenção de Rotina
Verificação Diária

b Aplique a parada de emergência.


c Opere a função de abaixamento da lança.
d Assegure que a lança abaixe até o solo por
seu próprio peso.

12 Caçamba e Articulação.
a Verifique os dentes da caçamba e cortador
lateral quanto a afrouxamento, desgaste e
quebra.
b Verifique a lubrificação da articulação L e
peças circundantes. Assegure que a folga
lateral da caçamba esteja dentro da faixa
admissível. (Consulte a seção Caçamba para
o ajuste da folga lateral.)

Fig. 5.

3 - 22 9803/6570-2 3 - 22
Seção 3 - Manutenção
Manutenção de Rotina
Aplicação de Graxa

Aplicação de Graxa
Notas Gerais
Para o tipo de graxa a ser usada em cada ponto
_Lubrificantes e Capacidades (/ 3-14).
Não misture tipos diferentes de graxa. Mantenha-os
separados.

ADVERTÊNCIA

Você estará trabalhando próximo à máquina para


realizar estes serviços. Abaixe os acessórios, se
possível. Remova a chave de partida e desconecte
a bateria. Isso impedirá a partida do motor.
8-3-1-3

Rolamento do Anel de Giro


Há dois bicos graxeiros na frente da máquina e um
na frente do anel.
Dentes do Anel de Giro e Pinhão de Giro
Assegure que o anel de giro seja mantido cheio de
graxa. Sempre aplique graxa após cada limpeza da
máquina com limpadores a vapor.
Para a localização da cremalheira do anel de giro,
consulte Identificação de Componentes da Máquina. Fig. 6.
1 Coloque a máquina em uma condição segura.
Desligue o motor e remova a chave de partida. 3 Gire a máquina.

2 Aplique graxa no anel de giro. Dê partida no motor e gire a máquina por alguns
graus. Desligue o motor e remova a chave de
a Remova a tampa do orifício de inspeção A partida. Aplique graxa novamente.
(na seção central inferior).
Efetue a operação novamente até que todo o
b Remova a tampa do orifício de descarga de
anel esteja engraxado. Assegure que a graxa saia
graxa B (no lado interno inferior).
pelos vãos ao redor de toda a circunferência.
c Remova a graxa contaminada.
4 Reinstale a tampa.
d Substitua a tampa do orifício de descarga.
e Aplique graxa no anel de giro via abertura C.

3 - 23 9803/6570-2 3 - 23
Seção 3 - Manutenção
Manutenção de Rotina
Aplicação de Graxa

Pontos de Aplicação de Graxa

ADVERTÊNCIA

Você estará trabalhando próximo à máquina para


realizar estes serviços. Abaixe os acessórios, se
possível. Remova a chave de partida e desconecte
a bateria. Isso impedirá a partida do motor.
8-3-1-3

Tabela 5.
Pontos de Aplicação de Graxa Nº Horas
Fig.7.
A Base da lança 3 1000
B Cilindro hidráulico da lança, pino 2 50
da extremidade do olhal
C Cilindro hidráulico do braço ex- 1 50
tensível, pino da extremidade de
descarga
D Cilindro hidráulico da lança, pino 2 50
da extremidade de descarga
E Cilindro hidráulico da caçamba a 3 50
Articulação da caçamba
F Articulação da caçamba a Pino da 1 50
caçamba
G Braço extensível a Pino da articu- 1 50
lação da caçamba
H Braço extensível a Pino da ca- 1 50
çamba
J Cilindro hidráulico da caçamba, 1 50
pino da extremidade de descarga
K Cilindro hidráulico do braço exten- 1 50
sível, pino da extremidade do olhal
L Lança a Braço extensível, pino de 1 1000
conexão
Fig. 8.
M Cilindro hidráulico de posiciona- 1 50
mento TAB, pino da extremidade
de descarga
N Cilindro hidráulico de posiciona- 1 50
mento TAB, pino da extremidade
do olhal
O Pino de articulação da lança supe- 1 50
rior/inferior TAB
P Dentes do anel de giro 1 500
R Rolamento do anel de giro 3 250

Fig. 9.

3 - 24 9803/6570-2 3 - 24
Seção 3 - Manutenção
Manutenção de Rotina
Aplicação de Graxa

Fig. 10.

Fig. 11.

3 - 25 9803/6570-2 3 - 25
Seção 3 - Manutenção
Manutenção de Rotina
Sistema Elétrico

Sistema Elétrico
Bateria 2 Remova os parafusos B e placa da tampa da
bateria C, ou porcas D, retentores de bateria E e
Nota: Antes de começar a trabalhar na bateria, leia as tampas F.
atentamente o seguinte procedimento descrito
em Saúde e Segurança: _ Bateria (/ 3-5).
Verificação do Nível de Eletrólito

ATENÇÃO

Não desconecte o alternador, a bateria, ou qualquer


componente do circuito de carga com o motor em
funcionamento.
8-3-4-1

As baterias livres de manutenção utilizadas em apli-


cações normais de clima temperado não deverão
necessitar que o nível seja completado. Entretanto, em
determinadas condições (como operação prolongada
em temperaturas tropicais ou com sobrecarga do
alternador) o nível de eletrólito deverá ser verificado
conforme descrito abaixo.

1 Abra o compartimento da bateria A.

Fig. 13. JS160-JS260

3 Remova as tampas e verifique o nível de eletrólito


em cada célula. O eletrólito deverá estar 15 mm
(0,6 pol.) acima das placas.

ADVERTÊNCIA

Não complete o nível de eletrólito da bateria com


ácido. O eletrólito poderá ferver e provocar quei-
maduras.
2-3-4-6

4 Complete se necessário com água destilada ou


água deionizada.

5 Verifique as conexões. Assegure que os terminais


estejam apertados e limpos. Cubra-os com
vaselina para evitar corrosão.

Fig 12. JS330

3 - 26 9803/6570-2 3 - 26
Seção 3 - Manutenção
Manutenção de Rotina
Sistema Elétrico

Desconexão/Substituição da Bateria 6 Substituição

1 Prepare a máquina. Posicione a máquina sobre Quando substituir a bateria, não instale baterias
um solo firme e nivelado. Desligue o motor e novas e usadas em conjunto. Elas devem ser
remova a chave de partida. substituídas como um par, caso contrário a vida
útil da nova bateria será encurtada.
2 Obtenha acesso à bateria. _ Verificação do Nível
Limpeza dos Terminais
de Eletrólito (/ 3-26).

3 Desconecte o terminal de aterramento primeiro. 1 Prepare a máquina. Posicione a máquina sobre


Para conexão, conecte o terminal de aterramento um solo firme e nivelado. Desligue o motor e
por último. remova a chave de partida.

4 Se remover a bateria, remova as porcas que fixam 2 Obtenha acesso à bateria e remova os terminais.
as placas de retenção da bateria D. Em seguida _ Desconexão/Substituição da Bateria
remova ambas as baterias depois da desconexão (/ 3-27).
do cabo.
3 Se o terminal estiver sujo, limpe o polo.

Fig. 15.

4 Se o polo do terminal estiver corroído e gerar


um pó branco, lave o terminal com água quente.
Caso detecte uma corrosão considerável, limpe
com uma escova de arame ou lixa.

5 Depois da limpeza, aplique uma fina camada de


vaselina ao terminal.

6 Reconecte os ter minais _ Desconexão/


Fig. 14. Substituição da Bateria (/ 3-27).

5 A substituição é feita pelo procedimento inverso


da remoção.

3 - 27 9803/6570-2 3 - 27
Seção 3 - Manutenção
Manutenção de Rotina
Sistema Elétrico

Partida do Motor com Bateria Auxiliar 1 Desligue todos os interruptores da cabine.


2 Conecte os cabos da bateria auxiliar como segue:
ADVERTÊNCIA
Nota: Estas máquinas possuem 2 baterias que são
Em temperaturas abaixo do ponto de congela- conectadas em série para fornecer 24 volts.
mento, o eletrólito da bateria poderá congelar Use uma alimentação de bateria auxiliar de
se a bateria estiver descarregada ou com carga 24 volts.
insuficiente. Não use uma bateria se seu eletrólito a Abra o painel lateral para obter acesso às
estiver congelado. Para evitar o congelamento do baterias.
eletrólito da bateria, mantenha a bateria sempre
totalmente carregada. b Conecte o cabo positivo da bateria auxiliar
ao terminal positivo (+) na bateria dianteira
Não tente carregar uma bateria congelada nem da máquina A.
dê partida usando uma bateria auxiliar e manten-
c Conecte a outra extremidade deste cabo ao
do o motor em funcionamento, a bateria poderá terminal positivo (+) da alimentação auxiliar
explodir. B.
As baterias produzem um gás inflamável, que é d Conecte o cabo negativo (–) da bateria
explosivo; não fume quando verificar os níveis de auxiliar a uma parte de metal nu da máquina
eletrólito. C afastado da bateria e abaixo dela.
Quando fizer a partida com bateria auxiliar de Nota: A conexão na máquina deve estar isenta de
outro veículo, assegure que os dois veículos não tinta e sujeira. Não use um pino de articulação
encostem um no outro. Isso evita qualquer chance para o aterramento.
de ocorrerem faíscas nas proximidades da bateria. e Conecte a outra extremidade deste cabo ao
Desligue todos os circuitos que não sejam contro- terminal negativo (–) da alimentação auxiliar.
lados pelo interruptor de partida.
3 Faça as verificações pré-partida.
Não conecte a alimentação auxiliar (secundária)
diretamente ao motor de partida. 4 Dê partida no motor.

Use somente cabos auxiliares maciços com co- Acione a máquina no modo de Redundância por
nectores fixados firmemente. Conecte um cabo dez minutos antes de comutar para o modo de
auxiliar de cada vez. computador.

A máquina possui um sistema elétrico de aterra- 5 Desconecte os cabos da bateria auxiliar.


mento negativo. Verifique qual terminal da bateria a Desconecte o cabo negativo (–) da bateria
é positivo (+) antes de fazer qualquer conexão. auxiliar do aterramento no chassi da máquina.
Mantenha pulseiras metálicas e relógios de pulso Em seguida desconecte-o da alimentação
afastados dos conectores do cabo auxiliar e dos auxiliar.
terminais da bateria - um curto-circuito acidental b Desconecte o cabo (+) da bateria auxiliar do
poderá causar queimaduras graves e danos ao terminal positivo (+) na bateria. Em seguida
equipamento. desconecte-o da alimentação auxiliar.
Tenha certeza quanto à voltagem da máquina. A
alimentação auxiliar (secundária) não deve ser
mais alta do que aquela da máquina. Utilizar uma
alimentação de voltagem mais elevada danificará
sistema elétrico de sua máquina.
Se não souber a voltagem de sua alimentação
auxiliar (secundária), então entre em contato com
seu Distribuidor JCB para orientação. Não tente
dar partida com bateria auxiliar até que tenha
certeza sobre a voltagem da alimentação auxiliar
(secundária).
8-2-7-4

Fig. 16.

3 - 28 9803/6570-2 3 - 28
Seção 3 - Manutenção
Manutenção de Rotina
Sistema Elétrico

Fusíveis
Fusível Circuito (s) Protegido Nominal

ATENÇÃO 11 Alimentação da bateria ECU- 10A


STD, EMS
Sempre substitua os fusíveis por outros de ca- 12 Diagnóstico 10A
pacidade de corrente nominal correta para evitar
13 Auxiliar 15A
danos ao sistema elétrico.
14 Alimentação da ignição de 5A
8-3-3-5 interface, ECU-STD, EMS
Os circuitos elétricos são protegidos por fusíveis. A 15 Bomba de reabastecimento 15A
de combustível
caixa de fusíveis se localiza na área de armazenagem
traseira. Abra a tampa da caixa de fusíveis A para obter 16 Motor elétrico da bomba de 10A
elevação
acesso aos fusíveis.
Alimentação da bateria ECM
C1 do motor (Cor do chicote - 25A
WR/R)
Alimentação da bateria caixa
C2 de fusíveis principal (Cor do 25A
chicote - WB/W)

C3 Alimentação da ignição (Cor 60A


do chicote - W/R)

Fig. 17.

Caso ocorra a queima de um fusível, descubra o motivo


antes de instalar um novo.
Para identificação do fusível, a etiqueta B é fixada na
traseira da tampa A.

Identificação dos Fusíveis

Fusível Circuito (s) Protegido Nominal

1 Saídas de controle 1-6 15A Fig. 18.

2 Saídas de controle 7-12 15A


3 Saídas de controle 13-16 15A
4 Saídas de controle 17-22 10A
5 Saídas de controle 23-28 10A
Aquecedor/Ar-condicionado,
6 20A
Ventoinha automática
7 Limpador, Assento aquecido 20A
Luzes de trabalho, Opcional
8 hidráulico, Rádio (Ign), Acen- 20A
dedor
Rádio (Memória), Interruptor da
9 10A
luz interna da cabine
Fig. 19.
10 Interruptor com chave 10A

3 - 29 9803/6570-2 3 - 29
Seção 3 - Manutenção
Manutenção de Rotina
Especificações de Torque de Parafusos e Porcas

Especificações de Torque de Parafusos e Porcas


JS160 - JS190 e Variantes Aperte os parafusos e porcas depois das primeiras 50
horas da fase de amaciamento e a cada 250 horas a
Aperte os parafusos e porcas de acordo com as ta- partir daí.
belas abaixo.
Para torques de aperto para os parafusos e porcas
Antes e depois do trabalho diário, verifique os parafu- não relacionados _ Tabela 7. (/ 3-32).
sos e porcas quanto a afrouxamento e sua falta. Aperte
se estiverem frouxos e substitua-os em caso de falta.

Tabela 6. JS160/180/190 e variantes


Nº Ponto de Aperto Diâmetro Chave mm Torque de Aperto
do Parafuso
Nm kgf.m lbf.pé
1(1)
Motor de percurso M16 24 270~310 27,6~31,8 200~230
Engrenagem motora da
2(1) M16 24 220~310 27,6~31,8 200~230
corrente
3(1) Roda livre M16 24 270~310 27,6~31,8 200~230
270~310/ 27,6~31,8/ 200~230/
4(1) Rolete superior (suporte) M16/M20 24/30
520~608 53,2~62,2 385~450
5(1) Rolete inferior (esteira) M16 24 270~310 27,6~31,8 200~230
6(1) Protetor da esteira M16 24 270~310 27,6~31,8 200~230
310~360/ 32~37/ 229~266/
7 Parafuso de sapata M16 24
640~750 65~76,5 472~553
8 Contrapeso M30 46 1060~1236 108~126 782~911
Rolamento da mesa gira- 280~310/ 28,4~31,8/ 205~230/
9(1) M16/M20 24/30
tória (Chassi inferior) 475~550 48,4~55,3 350~400
Rolamento da mesa gira- 280~310/ 28,4~31,8/ 205~230/
10(1) M16/M20 24/30
tória (Chassi de giro) 475~550 48,4~55,3 350~400
280~310/ 28,4~31,8/ 205~230/
11(1) Equipamento de giro M16/M20 24/30
475~550 48,4~55,3 350~400
12(1) Motor (Coxim do motor) M16 24 265~310 27~32 195~230
13 (1)
Suporte do motor M10 17 65~75 6,5~7,6 47~55
14 Radiador M12 19 60~70 6,2~7,2 45~52
15 (1)
Bomba hidráulica M10 17 62~72 6,3~7,3 46~53
16 (1)
Tanque de óleo hidráulico M16 24 205~285 21~29 152~210
17(1) Tanque de combustível M16 24 225~285 22,4~29 162~210
18(1) Válvula de controle M16 24 270~310 27,6~31,8 200~230
19(1) Acoplamento rotativo M12 19 110~125 11,1~13,0 80~94
20 Cabine M16 24 127~137 13~14 94~101
21 Bateria M10 17 20~30 2,1~2,9 15~21

(1) Use trava química de alta resistência JCB Threadlocker and Sealer (High Strength) e aperte com o torque
relacionado.

3 - 30 9803/6570-2 3 - 30
Seção 3 - Manutenção
Manutenção de Rotina
Especificações de Torque de Parafusos e Porcas

Fig. 20.

3 - 31 9803/6570-2 3 - 31
Seção 3 - Manutenção
Manutenção de Rotina
Especificações de Torque de Parafusos e Porcas

Tabela 7.

Diâmetro do Parafuso (tamanho) M6 M8 M10 M12 M14 M16 M18 M20


Chave mm 10 13 17 19 22 24 27 30
Parafuso Nm 6,9 15,7 32,3 58,8 98 137,2 196 274,4
sextavado Torque de
kgf.m 0,7 1,6 3,2 5,9 9,8 13,7 19,6 27,4
Aperto
lbf.pé 5 12 24 43 72 101 145 202
Chave mm 5 6 8 10 12 14 16 17
Parafuso Nm 8,8 21,6 42,1 78,4 117,6 176,4 245 343
Allen Torque de
kgf.m 0,88 2,2 4,2 7,8 11,8 17,6 24,5 34,3
Aperto
lbf.pé 6,5 16 31 58 87 130 181 253

3 - 32 9803/6570-2 3 - 32
Seção 3 - Manutenção
Manutenção de Rotina
Motor

Motor
Verificação do Nível de Óleo do Motor Troca do Óleo e Filtro

1 Abra o compartimento do motor. ATENÇÃO


2 Verifique o nível de óleo. O óleo e os componentes do motor aquecidos
a Localize a vareta medidora A e remova. O podem provocar queimaduras. Assegure que o
óleo deverá estar entre as duas marcas. motor tenha esfriado antes de executar esta tarefa.
Se necessário, adicione óleo através do
2-3-3-2
gargalo B. Use somente o óleo recomendado
_ Lubrificantes e Capacidades 1 Prepare a máquina. Estacione a máquina sobre
(/ 3-14). Verifique novamente o nível de óleo um solo firme e nivelado. Abaixe a caçamba até
aproximadamente 10-15 minutos após o o solo.
reabastecimento.
2 Desligue o motor.
b Assegure que a vareta medidora e a tampa
do gargalo de abastecimento estejam firmes. a Remova a chave de partida.
b Deixe o motor em repouso. Não verifique o
óleo logo após desligar o motor, o nível de
óleo indicado será inferior à realidade.
3 Drene o óleo.
a Remova o protetor do cárter.
b Coloque um recipiente de coleta de óleo de
tamanho adequado debaixo do ponto de
drenagem do cárter.

Fig. 21.

Fig. 22.

c Remova a tampa externa do bujão de


drenagem autovedante C.

3 - 33 9803/6570-2 3 - 33
Seção 3 - Manutenção
Manutenção de Rotina
Motor

d Instale a união roscada do kit de drenagem 5 Abasteça o sistema.


autovedante (com o tubo fixado) D. Drene o
a Abasteça o motor com óleo novo através do
cárter em um recipiente adequado.
gargalo B _ Lubrificantes e Capacidades
e Remova o kit de drenagem autovedante, (/ 3-14).
limpe e reinstale a tampa externa. (Não aperte
b Limpe completamente todo o óleo derramado.
excessivamente a tampa).
c Verifique quanto a vazamentos.
4 Troque o filtro.
d Assegure que a tampa do gargalo de
a Remova o filtro E. abastecimento esteja reinstalada corre-
tamente.

6 Verifique quanto a vazamentos.


a Antes de dar partida no motor, faça-o girar
com o botão de parada de emergência
acionado até que a luz de advertência da
pressão do óleo se apague.
b Deixe o motor em repouso antes de verificar
o nível de óleo _Verificação do Nível de
Óleo (/ 3-33).

Fig. 23.

b Limpe o cabeçote do filtro.


c Umedeça a vedação do novo filtro E com óleo.
d Abasteça o filtro com óleo do motor antes de
instalar.
e Aperte o filtro até que a vedação entre em
contato com a carcaça do filtro.
f Aperte o filtro no mínimo por mais uma volta
completa.

3 - 34 9803/6570-2 3 - 34
Seção 3 - Manutenção
Manutenção de Rotina
Motor

Troca do Elemento Externo do Filtro de Ar 1 Desligue o motor.

2 Pressione as presilhas A e remova a tampa B.


ATENÇÃO Remova elemento externo C. Tome cuidado para
não bater ou golpear o elemento.
O elemento externo deverá ser substituído ime-
diatamente se a luz de advertência no painel de 3 Limpe o interior da tampa B e carcaça D.
instrumentos se acender.
4 Introduza um novo elemento na carcaça, e
2-3-3-1
verifique se a vedação E está completamente
Nota: Não tente lavar ou limpar os elementos - eles assentada. Instale a tampa B com válvula de
somente devem ser substituídos. poeira F na parte inferior. Empurre a tampa
firmemente na posição correta e assegure que
Nota: Não acione o motor com a válvula de poeira F esteja fixada pelas presilhas A.
removida.
5 Assegure que o fio esteja conectado ao interruptor
Nota: Troque o elemento externo mais frequentemen- de filtro de ar bloqueado.
te caso opere em condições de muita poeira.
Um novo elemento interno deverá ser instalado 6 Verifique todas as mangueiras quanto à condição
no mínimo a cada terceira vez que o elemento e ao aperto.
externo for trocado. Como um lembrete, mar-
que o elemento interno com um pincel atômico
cada vez que o elemento externo for trocado.

Fig. 24.

3 - 35 9803/6570-2 3 - 35
Seção 3 - Manutenção
Manutenção de Rotina
Motor

Troca do Elemento Interno do Filtro de Ar 3 Levante as alças J e remova elemento interno G.

Nota: Não tente lavar ou limpar os elementos - eles 4 Limpe o interior da tampa B e carcaça D.
somente devem ser substituídos. 5 Introduza cuidadosamente o novo elemento
Nota: Não acione o motor com a válvula de poeira F interno G na carcaça. Assegure que ele assente
removida. corretamente. Verifique se a vedação H está
completamente assentada.
Nota: Troque o elemento externo mais frequentemen-
te caso opere em condições de muita poeira. 6 Introduza um novo elemento externo C na carcaça,
Um novo elemento interno deverá ser instalado e verifique se a vedação E está completamente
no mínimo a cada terceira vez que o elemento assentada. Instale a tampa B com válvula de
externo for trocado. Como um lembrete, mar- poeira F na parte inferior. Empurre a tampa
que o elemento interno com um pincel atômico firmemente na posição correta e assegure que
cada vez que o elemento externo for trocado. esteja fixada pelas presilhas A.

1 Desligue o motor. 7 Assegure que o fio esteja conectado ao interruptor


de filtro de ar bloqueado.
2 Pressione as presilhas A e remova a tampa B.
Remova elemento externo C. 8 Verifique todas as mangueiras quanto à condição
e ao aperto.

Fig. 25.

3 - 36 9803/6570-2 3 - 36
Seção 3 - Manutenção
Manutenção de Rotina
Motor

Verificação da Tensão da Correia da Ven-


toinha

ADVERTÊNCIA

Assegure que seja impossível dar partida no motor.


Desconecte a bateria antes de realizar este serviço.
2-3-3-5

1 Prepare a máquina. Coloque a máquina sobre um


solo firme e nivelado e abaixe a caçamba até o
solo.

2 Desligue o motor. Remova a chave de partida.

3 Verifique a tensão da correia da ventoinha. Deve


haver uma folga de 6-8 mm (0,24-0,31 pol.) no
ponto X.

Fig. 27.

Instalação de Nova Correia da Ventoinha


Complete as etapas 1 e 2.

1 Solte o alternador. Afrouxe os parafusos A, B e a


placa de ajuste C de modo que o alternador seja
forçado com a alavanca em direção ao motor,
possibilitando a remoção da correia da ventoinha
D.

2 Instale uma nova correia da ventoinha. Remova a


Fig. 26. correia da ventoinha D e substitua-a por uma nova.
Assegure que o perfil em “V” fique posicionado
4 Solte o alternador. Afrouxe os parafusos A e B.
corretamente nas polias.
5 Ajuste a correia da ventoinha
Nota: Pode ser necessário aplicar uma alavanca à
a Use uma alavanca para reposicionar o nova correia para instalá-la sobre as polias.
alternador a fim de ajustar a tensão da correia
da ventoinha. 3 Ajuste a correia da ventoinha. Efetue a etapa 5
do Ajuste da Correia da Ventoinha.
Nota: Se a correia da ventoinha estiver estirada a
ponto de impedir seu ajuste correto, instale 4 Verifique novamente a tensão da correia da
uma nova correia. ventoinha. Verifique depois de manter a máquina
em funcionamento por 5 minutos em marcha lenta
b Enquanto força o alternador com uma
alavanca aperte temporariamente o parafuso de baixa rotação.
A e verifique a tensão da correia.
c Se não estiver corretamente tensionada,
complete as etapas 4 e 5.
d Quando obtiver a tensão correta, aperte
completamente os parafusos A e B.

3 - 37 9803/6570-2 3 - 37
Seção 3 - Manutenção
Manutenção de Rotina
Motor

Verificação de Nível do Líquido de Arrefe-


cimento

1 Estacione a máquina sobre um solo firme e


nivelado. Desligue o motor e deixe-o esfriar. Abra
o compartimento do motor.

ADVERTÊNCIA

O sistema de arrefecimento se mantém pressuriza-


do quando o líquido de arrefecimento está quente.
Ao remover a tampa, o líquido de arrefecimento
quente poderá espirrar e causar queimaduras.
Assegure que o motor tenha esfriado antes de
verificar o nível de líquido ou o sistema de arre-
fecimento.
Fig. 29.
9-3-3-1_1

4 Reinstale a tampa de pressão A. Assegure-se que


2 Libere a pressão do sistema. Para localizar
esteja apertada.
o radiador do motor, consulte Identificação
d e C o m p o n e n t e s d a M á q u i n a . A f r o u xe Nota: Verifique a qualidade da mistura do líquido de
cuidadosamente a tampa A. Deixe toda a pressão arrefecimento a cada ano antes do início da
escapar. Remova a tampa. temporada de inverno. Troque-o a cada dois
anos.
Limpeza do Radiador e Resfriador de Óleo
Um radiador e/ou resfriador de óleo obstruído pode
causar o superaquecimento do motor. Verifique regu-
larmente quanto ao acúmulo de sujeira e detritos e se
necessário, use ar comprimido para limpar a grade. Si-
multaneamente verifique todas as mangueiras quanto
a danos ou deterioração, e substitua se necessário.

Fig. 28.

3 Verifique o nível. O radiador deverá ser abastecido


completamente e o nível do reservatório de
expansão deverá estar entre as marcas FULL
(cheio) e LOW (baixo) no reservatório C.Remova
a tampa B e complete o reservatório e o radiador
com mistura de água e aditivo para radiador
preparada previamente, se necessário. Reinstale
a tampa B, veja _ Misturas de Líquido de
Arrefecimento (/ 3-40).

3 - 38 9803/6570-2 3 - 38
Seção 3 - Manutenção
Manutenção de Rotina
Motor

Troca do Líquido de Arrefecimento

1 Efetue as etapas 1 e 2. _ Verificação de Nível


do Líquido de Arrefecimento (/ 3-38)

2 Drene o sistema.
a Remova a tampa de pressão do radiador A.
b Abra o bujão de drenagem do radiador B.
c Remova a tampa do reservatório de expansão
D.
d Solte a conexão de drenagem do bloco de
cilindros C.
e Aguarde o escoamento do líquido de
arrefecimento.

3 Lave internamente o sistema, se necessário. Use


água limpa.

4 Reinstale os bujões de drenagem.

Aperte a conexão de drenagem do bloco de


cilindros, e assegure-se quanto à firmeza.
Reinstale o bujão de drenagem do radiador.

5 Abasteça o sistema.
a Abasteça via radiador utilizando a mistura
necessária de água limpa, desmineralizada e
aditivo para radiador. _ Misturas de Líquido
de Arrefecimento (/ 3-40).
b Abasteça o reservatório de expansão até que
o nível no reservatório fique entre as marcas
FULL (cheio) e LOW (baixo).

6 Reinstale a tampa de pressão do radiador.


Assegure-se que esteja apertada.

7 Reinstale a tampa do reservatório de expansão.


Assegure-se que esteja apertada.

8 Verifique quanto a vazamentos. Mantenha o motor


em funcionamento por algum tempo para elevar o Fig. 30. JS330 Mostrada
líquido de arrefecimento à temperatura e pressão
normais de trabalho.

Desligue o motor. Verifique quanto a vazamentos.


Verifique novamente o nível no reservatório de
expansão e complete se necessário.

3 - 39 9803/6570-2 3 - 39
Seção 3 - Manutenção
Manutenção de Rotina
Motor

Misturas de Líquido de Arrefecimento – Assegure que ele contenha um inibidor de corro-


T3-009_3
são. Podem ocorrer graves danos ao sistema de
arrefecimento se não forem utilizados inibidores
Verifique a concentração da mistura do líquido de arre- de corrosão.
fecimento no mínimo uma vez por ano, preferivelmente
no início da temporada de inverno. – Assegure que o aditivo para radiador seja à base
Substitua a mistura do líquido de arrefecimento de de etilenoglicol e não utilize uma tecnologia de
acordo com os intervalos mostrados no Plano de ácidos orgânicos (OAT).
Manutenção da máquina.

CUIDADO

O aditivo para radiador pode fazer mal à saúde.


Obedeça as instruções do fabricante quando
manusear aditivo para radiador concentrado ou
diluído.
7-3-4-4_1

Dilua o aditivo para radiador concentrado com água


limpa antes do uso. Use água limpa no máximo de du-
reza moderada (valor do pH 8,5). Se isso não puder ser
obtido, use água deionizada. Para mais informações
sobre a dureza da água, entre em contato com sua
autoridade local de abastecimento de água.
A concentração correta de aditivo para radiador
protege o motor contra danos por geada no inverno
e proporciona proteção contra corrosão ao longo de
todo o ano.
A proteção fornecida pelo aditivo para radiador JCB
High Performance Antifreeze and Inhibitor é mostrada
abaixo.

Concentração (Padrão) de 50%


Protege contra dano até o mínimo de -40 °C (-39 °F)

Concentração de 60% (somente condições extre-


mas)
Protege contra dano até o mínimo de -56 °C (-68 °F)

Importante: Não exceda a concentração de 60%,


pois a proteção contra o congelamento
fornecida se reduz além deste ponto.
Caso utilize qualquer outra marca de aditivo para
radiador:

– Assegure que o aditivo para radiador atenda à


especificação internacional ASTM D6210.

– Sempre leia e compreenda as instruções do


fabricante.

3 - 40 9803/6570-2 3 - 40
Seção 3 - Manutenção
Manutenção de Rotina
Sistema de Combustível

Sistema de Combustível
Combustível Combustíveis de Baixo Teor de Enxofre
Introdução Os combustíveis de baixo teor de enxofre devem
possuir os aditivos apropriados de lubricidade do com-
A qualidade e a categoria do combustível podem afe- bustível adicionados para evitar o desgaste prematuro
tar seriamente a vida útil do sistema de combustível. da bomba e injetores. Estes melhoradores não devem
São fundamentais a utilização da categoria correta criar depósitos de resíduos que bloqueiem o sistema
de combustível, a manutenção de um alto padrão de combustível, ex. injetores, filtros etc.
de armazenamento do combustível e que o uso de Como orientação, as áreas onde alguns combustíveis
combustível velho seja evitado. de baixo teor de enxofre podem requerer a adição de
Os seguintes fatores deverão ser utilizados para aditivos lubrificantes são Canadá, América do Norte,
assegurar que a vida útil do sistema de combustível Rússia, Australásia e Japão.
seja mantida.
– _ Especificações de Combustíveis (/ 3-41) ATENÇÃO
– _ Limpeza (/ 3-42)
– _ Armazenamento de Combustível a Granel É importante utilizar aditivos de lubricidade nas
(/ 3-42) regiões onde são consumidos combustíveis de
baixo teor de enxofre.
– _ Análise do Combustível (/ 3-42)
GEN-9-6
Especificações de Combustíveis
Nota: Os aditivos relacionados abaixo são anuncia-
dos como adequados para aumentar os níveis
ATENÇÃO de lubricidade dos combustíveis de baixo
teor de enxofre para níveis similares aos de
Consulte seu fornecedor de combustível ou Distri- combustíveis diesel normais. Eles deverão ser
buidor JCB a respeito da adequabilidade de qual- utilizados conforme especificado por seu for-
quer combustível sobre o qual não tenha certeza. necedor de combustível, que deverá conhecer
o nível de concentração necessário.
GEN-9-2
1 Elf 2S 1750. Dosagem de 1000-1500 ppm (0,1 -
Especificações de Combustíveis Recomendados 0,15%), especificamente para querosene Indian
Superior (SKO), mas pode ser aplicável a outros
Os seguintes combustíveis são recomendados para combustíveis.
uso com máquinas Tier III.
2 Lubrizol 539N. Dosagem (em combustível de baixo
– Combustível Diesel EN590 Tipos - Auto/Co/C1/ teor de enxofre sueco) de 250 ppm (0,025%).
C2/C3/C4.
3 Paradyne 7505 (de Infineum). Dosagem de 500
– ASTM D975-91 Classe 2, US DF1, US DF2, US ppm (0,05%).
DFA.
– JIS K2204(1996) Categorias 2, 3, e Categoria Combustíveis com Alto Teor de Enxofre
Especial 3.
ATENÇÃO
Especificação de Combustível Aceitável
Os seguintes combustíveis irão requerer alguns cuida- A combinação de água e enxofre terá um efeito
dos e necessidades de serviços adicionais. químico corrosivo sobre o equipamento de injeção
de combustível. É essencial que água seja elimi-
ATENÇÃO nada completamente do sistema de combustível
quando forem utilizados combustíveis de alto teor
As especificações de combustíveis abaixo são de enxofre.
aceitáveis, entretanto eles podem reduzir a vida ENG-3-2
útil do equipamento de injeção de combustível.
O uso destes combustíveis também pode afetar a O alto teor de enxofre pode causar o desgaste do
performance do motor. motor. Caso você necessite usar combustível de alto
teor de enxofre, será necessário trocar o óleo do motor
GEN-9-3 mais frequentemente. _ Tabela 8. (/ 3-41).
– ASTM D975-91 Classe 1-1DA. Tabela 8.
– JP7, MIL T38219 XF63.
– OTAN F63. Porcentagem de enxo- Intervalo de troca do
fre no combustível (%) óleo/filtro
– EN590 francesa (RME5) com máximo de 5%.
– Teor de RME misturado com diesel derivado de Menor que 0,2 500 h (normal)
mineral (máximo de 5%) 0,2 a 0,4 250 h (50% do normal)
Maior que 0,4 125 h (25% do normal)

3 - 41 9803/6570-2 3 - 41
Seção 3 - Manutenção
Manutenção de Rotina
Sistema de Combustível

Como orientação, áreas onde alto teor de enxofre Armazenamento de Combustível a Granel
(>0,3%) no combustível pode ser um problema são
Oriente Médio, Norte da África, Sudeste Asiático, É importante manter um alto padrão de armazenagem
Índia e Japão. do combustível para evitar falhas prematuras do sis-
tema de combustível.
Como orientação, áreas onde o teor de enxofre pode
ser marginal (0,1 - 0,3%) no combustível e, portan- Os tanques de armazenagem devem possuir capaci-
to, atenção é necessária, são Canadá, América do dade de receber limpeza e remoção da sujeira e água,
Norte, América do Sul, África do Sul, Leste Asiático a fim de manter a qualidade do combustível.
e Australásia. Também evite usar combustível velho, já que o com-
Limpeza bustível diesel pode se decompor e causar uma falha
prematura.
Poeira
Análise do Combustível
Um contaminante que causa danos severos. As super-
fícies finamente usinadas e em contato nas válvulas A análise do combustível está disponível via JCB
alimentadoras e rotor distribuidor são suscetíveis à na- Wearcheck.
tureza abrasiva das partículas de poeira — o aumento Esta análise está disponível em dois níveis.
do desgaste levará quase inevitavelmente a um maior
vazamento, funcionamento irregular e alimentação 1 U m a ve r i f i c a ç ã o s i m p l i f i c a d a q u a n t o à
deficiente de combustível. contaminação.
Todo combustível adquirido deve ser de produtores/ 2 Uma análise detalhada mostrando o nível de
fornecedores de derivados de petróleo de confiança cetanas, temperatura do ponto de fulgor e teor
e armazenado de acordo com as recomendações do de enxofre.
fabricante.
Nenhuma reivindicação de garantia de qualquer tipo
Os filtros de combustível devem receber manutenção será aceita para uma falha de equipamento de injeção
regularmente para evitar obstrução do filtro, o que de combustível onde essa falha seja atribuída à quali-
poderia causar um desempenho deficiente da má- dade e categoria do combustível utilizado.
quina devido a falta de combustível. _ Planos de
Manutenção (/3-7).
Múltiplos pré-filtros de combustível adicionais são
disponíveis como opções de produção. Eles devem
ser instalados em máquinas que serão utilizadas em
áreas com problemas conhecidos de contaminação
do combustível.
Como orientação, áreas onde poeira no combustível
pode ser um problema são Escandinávia, Europa
Meridional, Rússia, Oriente Médio, China, América
do Sul, Leste Asiático e Índia.
Água
A água pode contaminar o combustível através de
armazenamento inadequado ou manuseio descuidado.
Pequenas quantidades de água na bomba injetora
podem causar um rápido desgaste, corrosão e, em
casos severos, até mesmo seu emperramento.
O filtro/coletores de água no pré-filtro de combustível
e filtro de combustível principal devem ser drenados
regularmente. _ Planos de Manutenção (/ 3-7).
Para impedir a condensação no tanque de combustí-
vel das máquinas, recomendamos que o tanque seja
abastecido ao final de cada dia de trabalho.

3 - 42 9803/6570-2 3 - 42
Seção 3 - Manutenção
Manutenção de Rotina
Sistema de Combustível

Abastecimento do Tanque
Para informações a respeito do combustível correto
a ser utilizado, veja a especificação do combustível
recomendado _ Especificação de Combustível
Recomendado ( / 3-41).
Localize o tanque de combustível. _ Descrição da
Máquina ( / 1-3).

ADVERTÊNCIA

Combustível Diesel
O combustível diesel é inflamável; mantenha
chamas expostas afastadas do sistema de com-
bustível. Não fume durante o reabastecimento
de combustível quando trabalhar no sistema de
combustível. Não reabasteça combustível com o
motor em funcionamento. Pode ocorrer um incên- Fig. 31.
dio e ferimento caso estas precauções não sejam
obedecidas. Abastecimento do tanque.
INT-3-2-2_1
a Ao final de cada dia de trabalho, abasteça o
tanque com o tipo correto de combustível. Isso
ADVERTÊNCIA evitará o desenvolvimento de condensação no
combustível ao longo da noite.
Telefones Celulares
Desligue seu telefone celular antes de entrar em b Recomendamos que você trave a tampa de
uma área com atmosfera potencialmente explosiva. combustível para evitar furto e adulteração.
Faíscas em tal área poderão causar uma explosão
ou incêndio, resultando em morte ou ferimentos c Depois de abastecer, verifique o nível de
graves.
combustível observando o medidor de combustível,
Desligue e não use seu telefone celular durante o veja Monitor do Painel na seção Operação.
reabastecimento de combustível da máquina.
INT-3-3-9
Nota: Verifique e limpe a tampa do gargalo de abas-
tecimento de combustível periodicamente, veja
1 Prepare a máquina. Estacione a máquina sobre Planos de Manutenção na seção Manuten-
um solo firme e nivelado. Abaixe a caçamba até ção.
o solo. Gasolina
2 Desligue o motor. Remova a chave de partida.
ADVERTÊNCIA
3 Abasteça removendo a tampa do gargalo A.
Gasolina
Não use gasolina nesta máquina. Não misture
gasolina com o combustível diesel; durante a ar-
mazenagem nos tanques, a gasolina mais leve se
separará e formará vapores inflamáveis.
INT-3-1-6

Nível de Combustível
A quantidade de combustível no tanque é indicada
no medidor de combustível _ Monitor do Painel (/
1-38). Fique alerta para a luz de advertência vermelha
no medidor. Quando a luz de advertência se acender,
abasteça o tanque na primeira oportunidade.

3 - 43 9803/6570-2 3 - 43
Seção 3 - Manutenção
Manutenção de Rotina
Sistema de Combustível

Bomba de Reabastecimento de Combustível


A bomba de reabastecimento de combustível é insta-
lada em todas as máquinas Auto. A bomba pode ser
utilizada nos modos Auto ou Manual.

Nota: A bomba não será ativada com o motor em


funcionamento.
Remova a tampa do gargalo de abastecimento do
tanque de combustível para deixar o ar escapar.
Remova a mangueira de combustível das presilhas
de fixação e o suporte. Verifique se a extremidade
de sucção da mangueira B está limpa e a válvula de
bloqueio C está parafusada aberta. Se estiver suja,
use um pequeno recipiente de combustível para limpar
a extremidade de sucção. Coloque a extremidade de
sucção da bomba de reabastecimento de mangueira
de combustível B no recipiente de combustível.

Nota: Se o interruptor for pressionado por menos de


2 segundos, a bomba entrará no modo Automá-
tico. Se o interruptor for mantido pressionado
por mais de 2 segundos, a bomba entrará no
modo Manual.
Modo Automático
Pressione o interruptor D uma vez e a bomba começa-
rá a funcionar. A bomba pode ser desligada a qualquer
momento pressionando-se novamente o interruptor. A
bomba deixará de funcionar automaticamente quando
o visor de nível atingir 90% da capacidade do tanque.
Para encher o tanque completamente, use o modo
Manual.
Modo Manual
Mantenha pressionado o interruptor D até que a quan-
tidade requerida de combustível tenha sido bombeada
no tanque.
Remova a mangueira da alimentação de combustível,
rosqueie para fechar a válvula de bloqueio e guarde a
mangueira _ Fig. 32. (/ 3-44). Fig. 32. JS330 ilustrada

3 - 44 9803/6570-2 3 - 44
Seção 3 - Manutenção
Manutenção de Rotina
Sistema de Combustível

Drenagem de Impurezas do Tanque de Com- ADVERTÊNCIA


bustível
O óleo combustível é altamente inflamável. Desli-
1 Desligue o motor e remova a chave de partida. gue o motor imediatamente caso suspeite de um
vazamento de combustível. Limpe completamente
2 Remova os parafusos e retire a placa de cobertura qualquer combustível derramado que possa cau-
do fundo do tanque de combustível. sar um incêndio.
3 Coloque um recipiente adequado sob o dreno. 8-3-4-3_1

Nota: A máquina é equipada com um bujão de dre-


nagem autovedante X.

Fig. 33.

4 Remova a tampa roscada externa do bujão de


drenagem autovedante.

5 Instale a união roscada do kit de drenagem


autovedante com o tubo fixado Y. Drene a água
e os depósitos até obter um fluxo de óleo diesel
limpo.

6 Remova o kit de drenagem autovedante,


limpe e reinstale a tampa externa. Não aperte
excessivamente a tampa.

3 - 45 9803/6570-2 3 - 45
Seção 3 - Manutenção
Manutenção de Rotina
Sistema de Combustível

Drenagem do Filtro Primário/Sedimentador 3 Drene a água abrindo o registro B. Quando a água


for drenada, feche o registro B. Assegure que ele
O filtro/sedimentador deverá ser drenado no mínimo a esteja bem fechado e firme.
cada 50 horas, e mais frequentemente, se necessário.
4 Se houver sedimentos na cuba após a drenagem,
apoie a cuba e libere o anel-trava C.
ADVERTÊNCIA 5 Lave a cuba com combustível limpo.
O óleo combustível é altamente inflamável. Desli- 6 Reinstale a cuba, fixe-o na posição correta com
gue o motor imediatamente caso suspeite de um
vazamento de combustível. Limpe completamente o anel-trava C.
qualquer combustível derramado que possa cau-
sar um incêndio. Troca do Elemento do Filtro Primário/Sedi-
mentador
8-3-4-3_1

1 Estacione a máquina sobre um solo firme e


1 Estacione a máquina sobre um solo firme e nivelado. Desligue o motor e remova a chave de
nivelado. Desligue o motor e remova a chave de partida.
partida.
2 Localize o filtro/sedimentador A.
2 Localize filtro/sedimentador A _ Fig. 34. (/ 3-46).
3 Drene e remova a cuba separadora de água.

4 Para remover o elemento filtrante, solte o anel-


trava D e descarte elemento.

5 Instale um novo elemento e fixe-o na posição


correta com o anel-trava D.

6 Reinstale a cuba separadora de água.

Fig. 34.

3 - 46 9803/6570-2 3 - 46
Seção 3 - Manutenção
Manutenção de Rotina
Sistema de Combustível

Troca do Filtro da Bomba de Alimentação 7 Instale a tampa B e gire no sentido horário para
de Combustível prender.

8 Remova todo o combustível derramado.


ADVERTÊNCIA

O óleo combustível é altamente inflamável. Desli-


gue o motor imediatamente caso suspeite de um
vazamento de combustível. Limpe completamente
qualquer combustível derramado que possa cau-
sar um incêndio.
8-3-4-3_1

1 Estacione a máquina sobre um solo firme e


nivelado. Desligue o motor e remova a chave de
partida.

2 Localize a bomba de alimentação de combustível


A.

Fig. 35.

3 Gire a tampa B no sentido anti-horário e remova.

4 Remova o ímã D e lave com combustível limpo.

5 Remova o elemento filtrante C.

6 Substitua o ímã e instale um novo elemento


filtrante.

3 - 47 9803/6570-2 3 - 47
Seção 3 - Manutenção
Manutenção de Rotina
Sistema de Combustível

Drenagem do Filtro Principal/Sedimentador 4 Solte o bujão de sangria B e abra o registro E


para drenar toda a água da cuba.
O alojamento do filtro de combustível contém uma boia
que se move para cima e para baixo de acordo com 5 Depois da drenagem, feche o registro E e
a quantidade de água separada. assegure que o bujão de sangria B esteja fechado.
Drene toda a água da cuba como segue. 6 Limpe completamente todo o combustível
derramado.
ADVERTÊNCIA 7 Faça a sangria do sistema de combustível.
O óleo combustível é altamente inflamável. Desli-
gue o motor imediatamente caso suspeite de um
vazamento de combustível. Limpe completamente
qualquer combustível derramado que possa cau-
sar um incêndio.
8-3-4-3_1

1 Prepare a máquina. Estacione a máquina sobre


um solo firme e nivelado e abaixe a caçamba até
o solo.

2 Desligue o motor. Remova a chave de partida.

3 Localize o filtro de combustível A, veja


_Fig. 38. (/ 3-50).

Fig. 36.

3 - 48 9803/6570-2 3 - 48
Seção 3 - Manutenção
Manutenção de Rotina
Sistema de Combustível

Troca do Elemento do Filtro Principal/Sedi-


mentador

ADVERTÊNCIA

O óleo combustível é altamente inflamável. Desli-


gue o motor imediatamente caso suspeite de um
vazamento de combustível. Limpe completamente
qualquer combustível derramado que possa cau-
sar um incêndio.
8-3-4-3_1

1 Prepare a máquina. Estacione a máquina sobre


um solo firme e nivelado e abaixe a caçamba até
o solo.

2 Desligue o motor. Remova a chave de partida.

3 Localize o filtro de combustível A, veja


_ Fig. 38. (/ 3-50).

4 Solte o bujão de sangria B e abra o registro C para


drenar o combustível do filtro em um recipiente
adequado.

5 Utilizando uma chave para filtros, nº peça


892/01236, solte a cuba do filtro D do cabeçote
do filtro.

6 Remova a vedação e o elemento filtrante E.

7 Umedeça o novo anel de vedação com óleo


combustível e instale com o elemento filtrante na
cuba D.

8 Reinstale a cuba no cabeçote do filtro e aperte


utilizando uma chave para filtros, nº peça
892/01236.

9 Limpe completamente todo o combustível


derramado.

10 Faça a sangria do sistema de combustível.

Fig. 37.

3 - 49 9803/6570-2 3 - 49
Seção 3 - Manutenção
Manutenção de Rotina
Sistema de Combustível

Sangria do Sistema 11 Use o dial do acelerador para operar a máquina


em rotação máxima.
A presença de ar no sistema de combustível poderá
causar falhas na combustão ou partida. O ar entrará 12 Desligue a máquina e verifique quanto a
no sistema se qualquer parte dele for desconectada vazamentos.
ou esvaziada.

Nota: O funcionamento do motor com ar no sistema


poderá danificar a bomba injetora de combus-
tível. Depois da manutenção, remova o ar do
sistema de combustível conforme detalhado
abaixo.

ADVERTÊNCIA

O óleo combustível é altamente inflamável. Desli-


gue o motor imediatamente caso suspeite de um
vazamento de combustível. Limpe completamente
qualquer combustível derramado que possa cau-
sar um incêndio.
8-3-4-3_1

1 Prepare a máquina. Estacione a máquina sobre


um solo firme e nivelado e abaixe a caçamba até
o solo.

2 Desligue o motor. Remova a chave de partida.

3 Localize o filtro de combustível A, veja


_ Fig. 38. (/ 3-50).

4 Solte o bujão de sangria B e acione a bomba de


escorva C até que apareça combustível no bujão
B.

5 Aperte o bujão B e acione a bomba C até que Fig. 38.


o filtro de combustível fique abastecido com
combustível.

6 Aguarde aproximadamente um minuto e solte o


bujão de sangria B para eliminar todo o ar do filtro
de combustível.

7 Efetue novamente as três etapas anteriores até


que o ar pare de sair pelo bujão de sangria B.

8 A p e r t e o bu j ã o B f i r m e m e n t e e l i m p e
completamente todo o combustível derramado.

9 Dê partida no motor, mas não aumente sua


rotação. Caso a partida do motor venha a falhar,
efetue o procedimento novamente a partir da
etapa 5.

10 Depois da partida do motor, mantenha em rotação


de marcha lenta por cinco segundos antes de
aumentar lentamente a rotação por três minutos.

3 - 50 9803/6570-2 3 - 50
Seção 3 - Manutenção
Manutenção de Rotina
Sistema Hidráulico

Sistema Hidráulico
2 Verifique o nível. Observe o nível de fluido no tubo
ADVERTÊNCIA
visor B. O nível deverá estar entre as duas marcas
A temperatura do óleo hidráulico estará mais ele- do tubo. Um fluido turvo indica sua contaminação
vada logo depois de desligar o motor. Aguarde até por água ou ar.
que ele esfrie (menos de 40°C) antes de iniciar a
manutenção. A presença de água ou ar no sistema poderá
danificar a bomba hidráulica. Entre em contato
8-3-4-10
com seu Distribuidor JCB se o fluido estiver turvo.

ADVERTÊNCIA

Fluido Sob Pressão


Jatos finos de fluido sob alta pressão podem pe-
netrar na pele. Mantenha o rosto e as mãos bem
afastados de fluido sob pressão e use óculos de
proteção. Segure um pedaço de papelão próxi-
mo ao local com suspeita de vazamento e então
inspecione o papelão quanto a indícios de fluido.
Caso o fluido penetre em sua pele, obtenha ajuda
médica imediatamente.
INT-3-1-10_2

Verificação do Nível de Fluido

1 Prepare a máquina. Posicione a máquina sobre um


solo firme e nivelado com os cilindros hidráulicos
da caçamba e braço extensível completamente
estendidos e a lança abaixada para apoiar o
acessório no solo, conforme mostrado em A.

Fig. 39.

3 - 51 9803/6570-2 3 - 51
Seção 3 - Manutenção
Manutenção de Rotina
Sistema Hidráulico

Liberação da Pressão do Tanque Completando o Nível de Fluido

1 Prepare a máquina. Posicione a máquina sobre


ADVERTÊNCIA
um solo firme e nivelado. Desligue o motor.
Não remova a tampa do gargalo de abastecimento Remova a chave de partida.
do tanque hidráulico ou placa de cobertura com
o motor em funcionamento. O sistema hidráulico 2 Libere a pressão do tanque. _ Liberação da
está sob pressão. Você ou outras pessoas poderão Pressão do Tanque (/ 3-52)
sofrer ferimentos. Primeiro desligue o motor e em
seguida libere a pressão. 3 Adicione fluido.
8-3-4-4 a Remova a placa B.
b Reabasteça o óleo através do gargalo de
1 Prepare a máquina. Posicione a máquina sobre
abastecimento utilizando um funil adequado.
um solo firme e nivelado. Desligue o motor.
Remova a chave de partida. c Verifique o nível através do visor de nível no
lado do tanque.
2 Libere a pressão do tanque.
d Reinstale a placa B.
Comprima a coifa de borracha A para liberar a
pressão do tanque.

Fig. 40.

3 - 52 9803/6570-2 3 - 52
Seção 3 - Manutenção
Manutenção de Rotina
Sistema Hidráulico

Troca do Fluido 4 Substitua o filtro de tela de sucção D e filtro de


retorno E.
1 Prepare a máquina. Posicione a máquina sobre (_ Limpeza/Troca do Filtro de Tela de Sucção
um solo firme e nivelado. Desligue o motor. (/ 3-54) e _ Troca do Filtro de Retorno (/
Remova a chave de partida. 3-55)).
2 Libere a pressão do tanque. _ Liberação da 5 Aperte o bujão de drenagem C firmemente.
Pressão do Tanque (/ 3-52)
6 Reabasteça o tanque com o óleo especificado ao
nível especificado. (Veja Fluidos e Lubrificantes).

7 Vedação do sistema. Instale o O-ring B e a tampa


do gargalo de abastecimento A.

Nota: Se o O-ring estiver danificado, substitua-o por


um novo.

8 Faça a sangria dos componentes hidráulicos, veja


_ Procedimentos de Sangria (/ 3-61).

9 Dê par tida no motor e mantenha-o em


funcionamento sem carga por 5 minutos.

Opere lentamente os cilindros hidráulicos várias


vezes e em seguida coloque a máquina na
posição de verificação do óleo hidráulico.

10 Assegure que o óleo hidráulico esteja dentro da


faixa apropriada.
Drenagem de Água e Sedimentos do Tanque
Hidráulico

1 Prepare a máquina. Posicione a máquina sobre


um solo firme e nivelado. Desligue o motor.
Remova a chave de partida.

2 Libere a pressão do tanque, veja _ Liberação


da Pressão do Tanque (/ 3-52).
Fig. 41.
3 D r e n e a á g u a e o s s e d i m e n t o s. S o l t e
3 Remova o óleo. cuidadosamente o bujão de drenagem C na
a Remova a tampa A e o O-ring B. parte inferior do tanque e drene os sedimentos e
a água acumulados no fundo do tanque.
b Use uma bomba e descarregue o óleo
hidráulico em um recipiente vazio. Nota: Prepare um recipiente adequado para a drena-
gem. A tarefa estará finalizada quando ocorrer
c Remova o bujão de drenagem C na parte a saída de fluido hidráulico limpo.
inferior do tanque e drene o óleo remanescente
do tanque. 4 Faça a vedação do sistema. Aperte o bujão de
drenagem C.
Nota: Prepare um recipiente adequado para a dre-
nagem.

3 - 53 9803/6570-2 3 - 53
Seção 3 - Manutenção
Manutenção de Rotina
Sistema Hidráulico

Limpeza/Troca do Filtro de Tela de Sucção

1 Prepare a máquina sobre um solo firme e nivelado.


Desligue o motor. Remova a chave de partida.

2 Localize o filtro de tela de sucção. Veja Descrição


da Máquina na seção Introdução.

3 Libere a pressão do tanque, veja _ Liberação


da Pressão do Tanque (/ 3-52)

Fig. 42.

4 Remova o filtro de tela de sucção.


a Remova a tampa do gargalo de abastecimento
A e o O-ring B.
b Remova o filtro de tela de sucção C do tanque
e substitua.

5 Instale o filtro de tela de sucção. O procedimento


de instalação é inverso ao de remoção. Quando
fizer a troca do filtro de tela de sucção, instale um
novo O-ring de vedação na tampa do gargalo de
abastecimento A e trave os fixadores.

6 Verifique o nível do fluido hidráulico.

3 - 54 9803/6570-2 3 - 54
Seção 3 - Manutenção
Manutenção de Rotina
Sistema Hidráulico

Troca do Filtro de Retorno

1 Prepare a máquina. Posicione a máquina sobre


um solo firme e nivelado. Desligue o motor.
Remova a chave de partida.

2 Localize o filtro de retorno. Veja Descrição da


Máquina na seção Introdução.

3 Libere a pressão do tanque, veja _ Liberação


da Pressão do Tanque (/ 3-52)

Fig. 43.

4 Remova o elemento.
a Remova a tampa A e o O-ring B.
b Remova a mola C, válvula D e filtro de retorno
E do tanque.

5 Instale um novo elemento. Faça a montagem na


sequência inversa utilizando um novo elemento
filtrante E e um novo O-ring da tampa B.

3 - 55 9803/6570-2 3 - 55
Seção 3 - Manutenção
Manutenção de Rotina
Sistema Hidráulico

Troca do Filtro Plexus

1 Prepare a máquina. Posicione a máquina sobre


um solo firme e nivelado. Desligue o motor.
Remova a chave de partida.

2 Localize o filtro Plexus, veja Descrição da


Máquina na seção Introdução.

3 Libere a pressão do tanque, veja _ Liberação


da Pressão do Tanque (/ 3-52)

Fig. 45.

b Remova os parafusos e arruelas E.


c Afrouxe as porcas G e introduza os parafusos
F para remover a tampa D.
d Remova a tampa D e remova o O-ring H.
e Levante o filtro Plexus A cuidadosamente e
remova.
Tome cuidado para não deixar cair nenhum
sedimento.

5 Instale um novo elemento


a Introduza lentamente o novo filtro Plexus
A. Instale o O-ring H, tampa D, porcas G e
parafusos F e parafusos E.
b Aperte os parafusos E com o torque de 20
Nm (14,75 lbf.pé)
c Abra os registros B e C girando-os para a
posição Y.

6 Escorva do filtro Plexus


a Dê partida no motor e mantenha em marcha
lenta, solte o bujão J, em seguida aperte o
Fig. 44. bujão quando o óleo hidráulico começar a sair.

4 Remova o filtro Plexus A. b Desligue o motor, verifique o nível de óleo


hidráulico e complete se estiver baixo, veja
a Feche os dois registros da carcaça do filtro B _ Completando o Nível de Fluido (/ 3-52)
e C girando-os para a posição X.

3 - 56 9803/6570-2 3 - 56
Seção 3 - Manutenção
Manutenção de Rotina
Sistema Hidráulico

Troca do Elemento do Respiro 5 Reinstale a tampa do filtro C.


Ajuste a tampa de modo que se encaixe sobre o
1 Prepare a máquina. Posicione a máquina sobre prisioneiro, e instale a porca sextavada B e a coifa
um solo firme e nivelado. Desligue o motor. de borracha A.
Remova a chave de partida.

2 Libere a pressão do tanque, veja _ Liberação


da Pressão do Tanque (/ 3-52)

3 Localize o elemento do respiro. Veja Descrição


da Máquina na seção Introdução.

4 Substitua o elemento do respiro


a Remova a coifa de borracha A, porca-trava B
e a tampa C.

Fig. 46.

Nota: A tampa C pode ser instalada somente em


uma de duas posições por causa da ranhura
F na tampa que se localiza sobre um ressalto
de formato similar no prisioneiro de fixação.
b Remova o elemento filtrante antigo D junto
com a vedação esponjosa E.
c Substitua o elemento filtrante antigo D por um
novo.
Quando instalar o novo elemento filtrante D
coloque a vedação esponjosa E no elemento.

3 - 57 9803/6570-2 3 - 57
Seção 3 - Manutenção
Manutenção de Rotina
Sistema Hidráulico

Troca do Filtro de Óleo Piloto c Parafuse a carcaça do filtro A no cabeçote


B e aperte no torque correto utilizando a
1 Prepare a máquina. Posicione a máquina sobre ferramenta.
um solo firme e nivelado. Desligue o motor.
Remova a chave de partida. Tabela 9. Torques de Aperto

2 Libere a pressão do tanque, veja _ Liberação Item Nm kgf.m lbf.pé


da Pressão do Tanque (/ 3-52) A 24,4 a 34,3 2,5 a 3.5 18,07 a 25,5
3 Desmonte o filtro.
Nota: Quando reinstalar a cuba do filtro piloto depois
da troca do elemento filtrante, é importante
apertar a cuba do filtro cuidadosamente para
evitar danificar a rosca do alojamento.

Fig. 47.

a Utilizando uma ferramenta na carcaça, solte


a carcaça do filtro A do cabeçote do filtro B.
Tome cuidado para não derramar o óleo de
seu interior.
b Remova e descarte o elemento C e o O-ring
D.

4 Limpe a base e a carcaça do filtro. Descarte todo


o fluido da carcaça do filtro. Limpe o exterior da
carcaça e o lado inferior do cabeçote.

5 Instale os novos componentes do filtro.


a Cubra o novo O-ring D com fluido hidráulico
e coloque-o no cabeçote do filtro B.
b Cubra a área de vedação do novo elemento
C e instale-o na carcaça do filtro A.

3 - 58 9803/6570-2 3 - 58
Seção 3 - Manutenção
Manutenção de Rotina
Sistema Hidráulico

Troca do Filtro em Linha do Rompedor Troca do Filtro da Linha de Drenagem

Nota: Este filtro deverá ser trocado nos intervalos 1 Prepare a máquina. Posicione a máquina sobre
mencionados nos Planos de Manutenção ou um solo firme e nivelado. Desligue o motor.
quando o indicador visual X tiver saltado para Remova a chave de partida.
fora. NÃO USE O ROMPEDOR COM UM FIL-
TRO BLOQUEADO. 2 Libere a pressão do tanque, veja _ Liberação
da Pressão do Tanque (/ 3-52).
1 Prepare a máquina. Posicione a máquina sobre
um solo firme e nivelado. Desligue o motor. 3 Localize o filtro. Veja Descrição da Máquina na
Remova a chave de partida. seção Introdução.

2 Libere a pressão do tanque, veja _ Liberação 4 Solte e remova o filtro A do cabeçote B.


da Pressão do Tanque (/ 3-52). 5 Instale o novo filtro. Cubra a vedação do novo filtro
3 Localize o filtro. Veja Descrição da Máquina na com fluido hidráulico limpo. Parafuse o novo filtro
seção Introdução. no cabeçote B e aperte. Verifique e complete o
nível do fluido hidráulico.
4 Solte e remova filtro A do cabeçote B.

5 Instale o novo filtro. Cubra a vedação do novo filtro


com fluido hidráulico limpo. Parafuse o novo filtro
no cabeçote B e aperte. Verifique e complete o
nível do fluido hidráulico.

Fig. 49.

Fig. 48.

3 - 59 9803/6570-2 3 - 59
Seção 3 - Manutenção
Manutenção de Rotina
Sistema Hidráulico

Verificação do Nível de Óleo da Caixa de Troca do Óleo da Caixa de Transmissão de


Transmissão de Giro Giro

1 Prepare a máquina. Posicione a máquina sobre 1 Prepare a máquina. Posicione a máquina sobre
um solo firme e nivelado. Desligue o motor e um solo firme e nivelado. Desligue o motor e
remova a chave de partida. remova a chave de partida.

2 Localize a caixa de transmissão de giro. Veja 2 Drene o óleo.


Descrição da Máquina na seção Introdução.
a Remova o bujão de drenagem, localizado sob
3 Verifique o nível. o bloco de válvulas. Aguarde o escoamento
do óleo.
a Remova a vareta medidora A, limpe-a
completamente e reinstale. b Limpe completamente o bujão de drenagem.
Remova quaisquer partículas metálicas.
b Remova a vareta medidora novamente e
assegure que o nível de óleo esteja dentro c Reinstale o bujão de drenagem. Assegure-se
da faixa mín. - máx.. que esteja apertado.

c Se necessário, complete através do gargalo 3 Abasteça com o óleo recomendado através do


de abastecimento B. _ Lubrificantes e gargalo de abastecimento B. _ Lubrificantes e
Capacidades (/ 3-14) para o tipo do óleo. Capacidades (/ 3-14).

4 Reinstale a vareta medidora. 4 Verifique o nível.


a Remova a vareta medidora A, limpe-a
completamente e reinstale.
b Remova a vareta medidora novamente e
assegure que o nível de óleo esteja dentro
da faixa mín. - máx..
c Se necessário, complete através do gargalo
de abastecimento B. _ Lubrificantes e
Capacidades (/ 3-14) para o tipo do óleo.

5 Reinstale a vareta medidora.

6 Verifique quanto a vazamentos. Acione a máquina,


opere os controles de giro e certifique-se de que
não haja vazamentos.

Fig. 50.

3 - 60 9803/6570-2 3 - 60
Seção 3 - Manutenção
Manutenção de Rotina
Sistema Hidráulico

Procedimentos de Sangria Sangria de Cilindros Hidráulicos

Depois de substituir o óleo hidráulico ou reparar ou Se não for feita a sangria dos cilindros hidráulicos
substituir componentes hidráulicos ou remover tubos quando substituídos ou reparados, o pistão e/ou re-
hidráulicos, faça a sangria do circuito hidráulico tentores de óleo poderão ser danificados.
Sangria da Bomba Hidráulica 1 Prepare a máquina. Mantenha o motor em marcha
lenta de baixa rotação e estenda e retraia cada
1 Prepare a máquina. Posicione a máquina sobre cilindro hidráulico 5 vezes, detendo o cilindro
um solo firme e nivelado. Desligue o motor. hidráulico 100 mm antes do final de cada curso.
Remova a chave de partida.
2 Sangria. Opere cada cilindro hidráulico 4 vezes
2 Localize a bomba hidráulica. Veja Descrição da pelo curso total para sangrar completamente o ar.
Máquina na seção Introdução.

3 Solte temporariamente a conexão da mangueira


em A para verificar se sai óleo da bomba.

4 Caso saia óleo, reaperte a conexão. Se ele não


sair, remova a mangueira e verta óleo hidráulico
na carcaça da bomba através do orifício. Reinstale
a conexão da mangueira quando o óleo sair pelo
orifício.

5 Acione a máquina em marcha lenta por cinco


minutos.

Fig. 51. JS160-180

3 - 61 9803/6570-2 3 - 61
Seção 3 - Manutenção
Manutenção de Rotina
Sistema Hidráulico

Sangria do Motor de Giro


Se o ar não for sangrado completamente do motor de
giro, seus rolamentos ou outras peças poderão ser
danificados.

1 Prepare a máquina. Posicione a máquina sobre


um solo firme e nivelado, desligue o motor.

2 Localize o motor de giro. Veja Descrição da


Máquina na seção Introdução.

3 Procedimento de verificação do óleo.


a Solte o bujão de sangria B e assegure que o
óleo comece a sair do orifício de sangria.
b Se nenhum óleo sair, remova o bujão de
sangria B, e abasteça a carcaça do motor
com óleo hidráulico.
c Aperte o bujão de sangria B.

Fig. 52.

4 Faça a vedação do sistema. Mantenha o motor em


marcha lenta de baixa rotação e gire lentamente a
máquina da esquerda para a direita em velocidade
constante, duas vezes.

3 - 62 9803/6570-2 3 - 62
Seção 3 - Manutenção
Manutenção de Rotina
Caixa de Transmissão de Percurso

Caixa de Transmissão de Percurso


Verificação do Nível de Óleo da Caixa de 2 Drene o óleo em um lado.
Transmissão da Esteira a Coloque um recipiente debaixo do bujão de
drenagem para recolher o óleo. O recipiente
1 Prepare a máquina. deve ser grande o suficiente para conter a
Posicione a máquina sobre um solo firme e capacidade máxima da caixa de transmissão,
nivelado com os bujões de nível e drenagem veja _ Lubrificantes e Capacidades (/3-14)
conforme ilustrado _ Fig. 53. (/ 3-63).
ATENÇÃO

O óleo jorrará com força do orifício quando o bujão


de drenagem for removido. Fique de lado quando
remover o bujão.
2-3-4-2

b Remova o bujão de abastecimento/nível A e


bujão de drenagem B. Aguarde o escoamento
do óleo.
c Limpe completamente os bujões. Assegure-se
de remover todas as partículas metálicas.
d Aplique fita de vedação no bujão de drenagem
B e reinstale.

3 Abasteça com o óleo novo _ Lubrificantes e


Capacidades (/ 3-14) para o tipo e volume do
Fig. 53.
óleo.
2 Verifique o nível de um lado. a Verta óleo novo através do orifício do bujão de
abastecimento/nível A até que o óleo comece
Limpe a área ao redor do bujão de abastecimento/
a sair pelo bujão A.
nível A e remova-o. O óleo deverá estar no nível
do bujão A. Se necessário, complete através b Verifique a condição do O-ring, substitua
do orifício do bujão A _ Lubrificantes e se estiver danificado. Reinstale o bujão de
Capacidades (/ 3-14) para os tipos de óleo. abastecimento/nível.

3 Limpe e reinstale o bujão. Assegure-se que esteja 4 Troque o óleo no outro lado.
apertado.
Efetue novamente as etapas 1 a 3.
4 Verifique o nível no outro lado.
5 Verifique quanto a vazamentos.
Efetue novamente as etapas 1 a 3.
Acione a máquina, opere os controles de
Troca de Óleo da Caixa de Transmissão da movimentação das esteiras e em seguida
Esteira certifique-se de que não haja vazamentos.

1 Prepare a máquina, veja _ Verificação do Nível


de Óleo da Caixa de Transmissão da Esteira
(/ 3-63)

3 - 63 9803/6570-2 3 - 63
Seção 3 - Manutenção
Manutenção de Rotina
Esteiras e Trem de Acionamento

Esteiras e Trem de Acionamento


Limpeza das Esteiras 5 Abaixe a esteira.

Opere os controles da lança e braço extensível


ADVERTÊNCIA para abaixar a esteira até o solo.
Se duas pessoas realizarem este serviço, assegu- 6 Faça o mesmo com a esteira oposta.
re que a pessoa que opera os controles seja um
operador competente. Se a alavanca de controle Movimente a lança para o outro lado e efetue
incorreta for movida, ou se os controles forem novamente as etapas 2 a 5 inclusive para a outra
movidos violentamente, a outra pessoa poderá
morrer ou sofrer ferimentos graves. esteira.
Caso vá trabalhar com outra pessoa, assegure Verificação/Ajuste da Tensão da Esteira
que ambos entendam perfeitamente o que deve
ser feito. Aprenda e use os procedimentos de si-
nalização reconhecidos. Não confie em gritar – a 1 Prepare a máquina.
outra pessoa não estará ouvindo.
Posicione a máquina sobre um solo firme e
Para limpar as esteiras, é necessário girá-las.
Quando as esteiras estiverem girando, fique longe nivelado. Movimente-a para um lado e outro várias
das peças rotativas. Antes de iniciar esta tarefa, vezes. Desligue depois de movê-la para frente.
assegure-se de não estar usando roupas folgadas
(mangas, gravatas, etc.) que possam enroscar nas Efetue as etapas 1 a 3 de Limpeza das Esteiras.
partes móveis. Mantenha as pessoas não envolvi- Calce a estrutura do chassi inferior. Finalize a
das com esta tarefa a uma distância segura! rotação da esteira movendo a esteira para frente.
Desligue o motor e remova a chave de partida.
MD-3-3-2

1 Prepare a máquina. ADVERTÊNCIA


Estacione a máquina sobre um solo firme e Máquina Elevada
nivelado. Abra a caçamba e movimente a lança NUNCA se posicione ou coloque qualquer parte de
até que fique a 90° em relação à esteira. seu corpo debaixo de uma máquina elevada que
não esteja apoiada apropriadamente. Se a máquina
Abaixe a caçamba até o solo. se mover inesperadamente você poderá ficar preso
e sofrer ferimentos graves ou morrer.
2 Levante a esteira.
INT-3-3-7_1
Opere os controles da lança e braço extensível
de modo que a esteira no lado mais próximo da 2 Verifique a Tensão.
caçamba fique acima do solo. Meça a folga A em linha com o terceiro rolete
3 Gire a esteira. a partir da frente e entre a superfície inferior
do quadro da esteira e a superfície superior da
Quando for seguro fazer isso e estiver certo de sapata. A dimensão deverá ser de 275-295 mm
que todos estejam afastados da máquina, opere para condições de solo firme.
os controles para girar a esteira que está livre do Para funcionamento em areia mole ou lama
solo. Gire-a primeiro em um sentido e depois no pegajosa ela deverá ser de 340-360 mm.
outro para desagregar a lama.
Se necessário, a pessoa do lado de fora da 3 Ajuste a tensão da esteira.
máquina poderá usar água para remover a lama. O ajuste é feito por injeção ou remoção de graxa
4 Inspecione a esteira. da válvula de retenção B. Injete graxa para reduzir
a folga (aumentar a tensão) ou abra para liberar
Ao finalizar, inspecione os roletes das esteiras, a graxa e aumentar a folga.
engrenagens da corrente e rodas livres quanto a
danos e vazamentos de óleo.

3 - 64 9803/6570-2 3 - 64
Seção 3 - Manutenção
Manutenção de Rotina
Esteiras e Trem de Acionamento

4 Abaixe a esteira.
ADVERTÊNCIA
Remova os calços de debaixo do chassi inferior e
Quando abrir a válvula de retenção sempre fique
de lado e solte um pouco de cada vez até que a abaixe a esteira até o solo utilizando os controles
graxa comece a sair. Se a abertura for excessiva, da lança e braço extensível.
poderá ser expelido um excesso de graxa ou a
tampa da válvula será arremessada e causará 5 Faça o mesmo com a esteira oposta.
ferimentos graves.
Gire a lança para o outro lado e efetue novamente
8-3-4-5 as etapas 1 a 4 acima.

ADVERTÊNCIA Verificação de Roletes e Rodas Livres Quan-


to a Vazamentos de Óleo
Não desmonte a válvula de retenção nem tente
remover o bico graxeiro da válvula de retenção 1 Prepare a máquina.
sob nenhuma circunstância.
Efetue as etapas 1 a 3 de Limpeza das Esteiras.
8-3-4-9
Calce a estrutura do chassi inferior.
Se existir uma folga C entre o eixo da roda livre e o
quadro da esteira, poderá ser usada pressão para apli- ADVERTÊNCIA
car a graxa. Se não houver folga C depois da aplicação
de graxa, então providencie os reparos necessários Máquina Elevada
por parte de seu Distribuidor JCB. NUNCA se posicione ou coloque qualquer parte de
seu corpo debaixo de uma máquina elevada que
não esteja apoiada apropriadamente. Se a máquina
se mover inesperadamente você poderá ficar preso
e sofrer ferimentos graves ou morrer.
INT-3-3-7_1

2 Inspeção quanto a Vazamentos de Óleo.

Verifique os roletes superiores e inferiores e as


rodas livres quanto a vazamentos de óleo. Caso
encontre algum vazamento, entre em contato com
seu Distribuidor JCB para agendar o serviço.

ATENÇÃO

Não acione a máquina no caso de encontrar algum


vazamento de óleo nos roletes superiores e infe-
riores ou rodas livres. A falha em reparar esses
vazamentos poderá danificar a máquina.
8-3-4-6

3 Abaixe a esteira.

Remova os calços de debaixo do chassi inferior e


abaixe a esteira até o solo utilizando os controles
Fig. 54. da lança e braço extensível.

4 Faça o mesmo com a esteira oposta.


Nota: Uma tensão excessiva pode fazer com que o
trilho da esteira desgaste os roletes e engre- Giro a lança ao outro lado e efetue novamente as
nagem da corrente de acionamento, tensão etapas 1 a 3 acima.
insuficiente pode causar o desgaste da engre-
nagem motora e trilho da esteira.

3 - 65 9803/6570-2 3 - 65
Seção 3 - Manutenção
Manutenção de Rotina
Esteiras e Trem de Acionamento

Inspeção das Placas da Esteira

1 Prepare a máquina.

Posicione a máquina sobre um solo firme e


nivelado. Desligue o motor. Remova a chave de
partida.

Nota: Se um parafuso de sapata for utilizado enquan-


to estiver frouxo, poderá se quebrar. Aperte
imediatamente os parafusos das sapatas
sempre que eles estiverem frouxos.

2 Verifique e Aperte.

Fig. 55.

Aperte os parafusos com o torque correto _ Tabela


10. (/ 3-66), de acordo com a sequência indicada e
assegure que as porcas e as sapatas estejam insta-
ladas sem folga na superfície de união do elo.

3 Efetue novamente o procedimento.


a Dê partida no motor e mova a máquina para
frente ou para trás. Desligue o motor.
b Efetue o procedimento acima novamente até
que toda a esteira esteja apertada.

Tabela 10.
Máquina Torque
640-750 Nm
JS160 - JS190
(472-553 lbf.pé)

3 - 66 9803/6570-2 3 - 66
Seção 3 - Manutenção
Manutenção de Rotina
Caçamba

Caçamba
Verificação/Ajuste da Folga Lateral Posicione a máquina sobre um solo firme
e nivelado. Posicione a caçamba conforme
É possível compensar o desgaste lateral que resulta na mostrado _Fig. 57. (/ 3-67). Gire-a levemente
folga lateral da caçamba. O uso regular deste recurso para a esquerda e posicione-a de modo que a
de compensação resulta em um desgaste menor do extremidade do braço fique pressionada para o
pino de articulação da caçamba A e das buchas do lado que não será ajustado. Desligue o motor e
braço extensível B. remova a chave de partida.

2 Meça a folga em C.

A folga deverá ser aproximadamente de 0,8 mm


_ Fig. 56. (/ 3-67).

3 Verifique a folga.

Fig. 56.

1 Prepare a máquina.

JS03353

Fig. 57.

3 - 67 9803/6570-2 3 - 67
Seção 3 - Manutenção
Manutenção de Rotina
Para-brisa

Para-brisa
Lavador do Para-brisas
Localize o reservatório do lavador do para-brisa A e
abasteça com água limpa. O líquido deverá conter um
fluido anticongelante para evitar seu congelamento.
NÃO USE ADITIVO PARA RADIADORES.

Nota: Não use o lavador quando não houver líquido


no reservatório, caso contrário o motor será
danificado.

Fig. 58.

3 - 68 9803/6570-2 3 - 68
Seção 3 - Manutenção
Manutenção de Rotina
Diagnóstico de Falhas

Diagnóstico de Falhas
Para prolongar a vida útil e melhorar o funcionamento Caso ocorra um problema, encontre a causa nos
da máquina, são necessárias inspeção e lubrifica- itens abaixo e faça os ajustes, reparos, etc. conforme
ção diárias, assim como o isolamento imediato e o necessário. Se a causa não puder ser isolada, entre
tratamento de qualquer problema encontrado. Se a em contato com seu Distribuidor JCB.
máquina for operada sem que o problema seja cor-
rigido, poderá causar o agravamento do problema e
possivelmente um grande acidente.

Motor e Área Relacionada


Tabela 11. Motor não dá partida

Causa Solução
Interruptor de partida defeituoso Conecte, repare a conexão
Rotação defeituosa do motor de partida (Motor de Bateria descarregada, problemas no motor de partida,
partida gira lentamente) conexão da fiação contaminada ou frouxa
Viscosidade inadequada do óleo do motor Inspecione e substitua conforme necessário
Pré-aqueça com aquecedor de ar. Aqueça o líquido
Arrefecimento excessivo do motor (Clima frio)
de arrefecimento (adicione água quente)
Possível emperramento no motor Repare(1)
Sangria incompleta do sistema de combustível Faça a sangria completa
Falta de combustível no tanque Reabasteça
Qualidade do combustível inadequada Inspecione e substitua conforme necessário
Filtro de combustível obstruído Limpe ou substitua
Compressão baixa Repare(1)
Sistema de injeção de combustível defeituoso Repare(1)

Tabela 12. Motor morre durante o funcionamento

Causa Solução
Falta de combustível no tanque Reabasteça
Filtro de combustível obstruído Limpe e substitua
Reaperte as conexões do tubo de combustível e faça
Mistura de ar no sistema de combustível
a sangria do sistema

Tabela 13. Baixa pressão de óleo

Causa Solução
Óleo baixo Reabasteça
Interruptor de pressão de óleo defeituoso Substitua(1)
Filtro de óleo obstruído Substitua o elemento
Substitua com óleo de viscosidade correspondente
Baixa viscosidade do óleo
à temperatura
Funcionamento incorreto da bomba de óleo Substitua as peças(1)
Vazamento de óleo em conexões Aperte as conexões

3 - 69 9803/6570-2 3 - 69
Seção 3 - Manutenção
Manutenção de Rotina
Diagnóstico de Falhas

Tabela 14. Fumaça de escapamento do motor é branca ou azul

Causa Solução
Consumo excessivo de óleo Desmonte e repare, substitua as peças(1)
Viscosidade do óleo excessivamente baixa Substitua com o óleo correto
Arrefecimento excessivo por radiador Ajuste
Sincronização de injeção de combustível incorreta Ajuste ou substitua se necessário(1)
Compressão baixa Desmonte e repare, substitua as peças(1)

Tabela 15. Fumaça de escapamento do motor é preta ou cinza escura

Causa Solução
Combustível inadequado Substitua com o combustível correto
Folga de válvula incorreta Ajuste
Bomba injetora de combustível defeituosa Ajuste ou substitua se necessário(1)
Compressão baixa Desmonte e repare, substitua as peças(1)
Admissão de ar insuficiente (filtro de ar obstruído) Limpe ou substitua o elemento

Tabela 16. Consumo excessivo de combustível

Causa Solução
Bomba injetora de combustível defeituosa Substitua(1)

Pulverização inadequada do bico injetor de combus-


Substitua(1)
tível
Sincronização de injeção de combustível incorreta Ajuste ou substitua se necessário(1)
Combustível inadequado Substitua com o combustível correto
Compressão baixa Desmonte e repare, substitua as peças(1)
Admissão de ar insuficiente Limpe ou substitua o elemento

Tabela 17. Consumo excessivo de óleo do motor

Causa Solução
Excesso de óleo Drene o óleo para o nível correto
Substitua com óleo de viscosidade correspondente
Baixa viscosidade do óleo
à temperatura
Vazamento de óleo Reaperte e substitua as peças se necessário
Anéis do pistão e cilindro desgastados Desmonte e repare, substitua as peças(1)

Tabela 18. Ruído anormal (combustível ou mecânico)

Causa Solução
Combustível ruim Substitua
Danos no interior do silencioso Substitua

3 - 70 9803/6570-2 3 - 70
Seção 3 - Manutenção
Manutenção de Rotina
Diagnóstico de Falhas

Tabela 19. Superaquecimento do motor (temperatura da água sobe excessivamente)

Causa Solução
Líquido de arrefecimento baixo Reabasteça
Vazamento de água Repare
Correia alongada ou contaminada com óleo Limpe ou substitua
Radiador defeituoso Repare ou substitua(1)
Ventoinha quebrada Substitua(1)
Mistura incorreta de aditivo para radiador Substitua
Válvula termostática defeituosa Substitua(1)
Bomba d’água defeituosa Substitua(1)
Sensor de água defeituoso Substitua(1)

Tabela 20. Carga da bateria defeituosa

Causa Solução
Tensão incorreta da correia Ajuste
Problema na fiação Repare
Bateria defeituosa Substitua
Regulador defeituoso Substitua(1)
Alternador defeituoso Substitua(1)

(1) Indica serviços que deverão ser feitos por um especialista. Consulte o Manual de Serviços do Motor.

3 - 71 9803/6570-2 3 - 71
Seção 3 - Manutenção
Manutenção de Rotina
Diagnóstico de Falhas

Mostrador do Monitor - Mensagens de Falha

Nota: Para mais informações, consulte Monitor na


seção Operação.

Tabela 21. Temperatura da água e óleo hidráulico

Mensagem Causa Solução


WATER TEMP Vazamento de água Repare
Alongamento da correia, contami-
Limpe ou substitua
nação com óleo
Radiador defeituoso Repare ou substitua(1)
Ventoinha quebrada Substitua(1)
Mistura de aditivo do radiador in-
Substitua
correta
Válvula termostática defeituosa Substitua(1)
Bomba d’água defeituosa Substitua(1)
Resfriador de óleo sujo (obstruído) Limpe
Radiador sujo (obstruído) Limpe
Tela de proteção de poeira defeitu-
Limpe
osa (obstruída)
HYD TEMP Monitor defeituoso Substitua(1)

Tabela 22. Baixa pressão de óleo

Mensagem Causa Solução


OIL PRESS Óleo baixo do motor Reabasteça
Vazamento de óleo em conexões Repare
Sensor de pressão do óleo do mo-
Substitua(1)
tor defeituoso
Substitua com óleo de viscosidade
Viscosidade baixa do óleo do motor
correspondente à temperatura
Bomba de óleo do motor defeituosa Ajuste, limpe, Substitua(1)
Monitor defeituoso Substitua(1)

Tabela 23. Filtro de ar

Mensagem Causa Solução


AIR FILTER Elemento do filtro de ar obstruído Limpe, substitua

Sistema de admissão obstruído,


Limpe
entrada de material estranho.

Tabela 23. Filtro de ar

Mensagem Causa Solução


Combustível baixo Reabasteça
LOW FUEL
Sensor defeituoso Substitua(1)

3 - 72 9803/6570-2 3 - 72
Seção 3 - Manutenção
Manutenção de Rotina
Diagnóstico de Falhas

Tabela 25. Alternador

Mensagem Causa Solução


ALTERNATOR Tensão da correia Ajuste
Falha na fiação Repare
Bateria defeituosa Substitua
Regulador defeituoso Substitua(1)
Alternador defeituoso Repare ou substitua(1)

Tabela 26. Líquido de arrefecimento baixo

Mensagem Causa Solução


COOLANT LOW Líquido de arrefecimento baixo Reabasteça

Sensor defeituoso Substitua(1)

Tabela 27. Filtro de óleo do motor

Mensagem Causa Solução


Substitua o óleo do motor, filtro
OIL FILTER Óleo do motor sujo
de óleo

Sensor defeituoso Substitua(1)

Tabela 28. Falha elétrica

Mensagem Causa Solução


Falha elétrica. Anormalidades de
ELECT FAULT Inspecione, Repare(1)
curto-circuito, etc.

(1) Indica serviços que deverão ser feitos por um especialista. Consulte o Manual de Serviços.

Operações

Tabela 29. Dificuldade de operação dos controles

Causa Solução
Material estranho preso no carretel da válvula de
Lave a válvula de controle(1)
controle
Válvula emperrada Repare ou substitua o conjunto da válvula(1)
Lubrificação incorreta de articulação da alavanca Engraxe
Emperramento da articulação da alavanca Engraxe

(1) Indica serviços que deverão ser feitos por um especialista. Consulte o Manual de Serviços.

3 - 73 9803/6570-2 3 - 73
Seção 3 - Manutenção
Manutenção de Rotina
Diagnóstico de Falhas

Bomba Hidráulica

Tabela 30. Falta de fornecimento de óleo pela bomba

Causa Solução
Óleo hidráulico baixo Reabasteça
Filtro de sucção obstruído Repare

Tabela 31. Incapacidade de elevação da pressão pela bomba hidráulica

Causa Solução
Vazamento de óleo no interior da bomba hidráulica Substitua a bomba hidráulica(1)
Reabasteça o óleo ou verifique a mangueira no lado
Ar no interior da bomba hidráulica
de sucção
Pressão principal da válvula de alívio ajustada muito
Ajuste a pressão(1)
baixa

Tabela 32. Ruído anormal da bomba hidráulica

Causa Solução
Cavitação resultante de mangueira deformada no lado
Substitua o filtro, substitua o óleo hidráulico se sujo
de sucção ou filtro de sucção obstruído
Reaperte ou aplique graxa nas uniões. Assegure que
União do lado de sucção está frouxa ou o óleo hidráu-
óleo esteja abastecido no nível correto no interior de
lico está baixo e há sucção de ar
carcaça
Cavitação resultante de viscosidade excessivamente Substitua com óleo hidráulico de viscosidade ade-
alta do óleo hidráulico quada

Tabela 33. Vazamento de óleo da bomba hidráulica

Causa Solução
Vedação defeituosa na bomba hidráulica Substitua a vedação ou a bomba hidráulica(1)

(1) Indica serviços que deverão ser feitos por um especialista. Consulte o Manual de Serviços.

3 - 74 9803/6570-2 3 - 74
Seção 3 - Manutenção
Manutenção de Rotina
Diagnóstico de Falhas

Acessórios de Trabalho

Tabela 34. Potência geral baixa

Causa Solução
Potência do motor insuficiente Consulte o Manual de Serviços do Motor
Função cai devido a desgaste da bomba hidráulica Substitua a bomba hidráulica(1)
Válvula de alívio principal defeituosa Ajuste a pressão ou substitua(1)
Óleo hidráulico baixo Reabasteça
Substitua com óleo hidráulico de viscosidade ade-
Viscosidade de óleo hidráulico incorreta
quada
Filtro de sucção obstruído Substitua o filtro de sucção

Tabela 35. Operação Defeituosa

Causa Solução
Bomba hidráulica quebrada Substitua a bomba hidráulica(1)
Óleo hidráulico baixo Substitua o filtro de sucção

Tabela 36. Potência de trabalho insuficiente

Causa Solução
Pressão ajustada para válvula de alívio principal ou
Ajuste a pressão ou substitua a válvula de alívio(1)
porta está baixa ou incorreta
Vedações do cilindro hidráulico danificadas Substitua as vedações do cilindro hidráulico(1)
Cilindro hidráulico, pistão danificado Substitua o cilindro hidráulico/pistão ou o conjunto(1)

Tabela 37. Acessório não se mantém na posição

Causa Solução
Vedações do cilindro hidráulico danificadas Substitua as vedações do cilindro hidráulico(1)
Cilindro hidráulico, pistão danificado Substitua o cilindro hidráulico/pistão ou o conjunto(1)
Vazamento de óleo no interior de válvula de controle Repare o conjunto da válvula, substitua(1)
Vazamento de óleo no interior de válvula de retenção Repare o conjunto da válvula, substitua(1)

(1) Indica serviços que deverão ser feitos por um especialista. Consulte o Manual de Serviços.

Tabela 38. Ruído anormal de uniões do acessório

Causa Solução
Graxa insuficiente Engraxe
Emperramento do pino de conexão Substitua a bucha e/ou pino

3 - 75 9803/6570-2 3 - 75
Seção 3 - Manutenção
Manutenção de Rotina
Diagnóstico de Falhas

Percurso

Tabela 39. Força de percurso insuficiente

Causa Solução
Ajuste de pressão para válvula de alívio principal está
Ajuste a pressão(1)
muito baixa
Válvula equilibradora defeituosa Substitua a válvula equilibradora(1)
Redução de desempenho de motor de percurso Substitua o motor de percurso(1)
Dano na junta de união da articulação Substitua a junta de união da articulação(1)
Redução de desempenho da bomba hidráulica Substitua a bomba hidráulica(1)

Tabela 40. Percurso aos solavancos

Causa Solução
Esteira apertada excessivamente Ajuste para a tensão correta
Pedra ou material estranho preso na esteira Remova a pedra ou material estranho
Válvula defeituosa Repare a válvula ou substitua(1)
Redução de desempenho de motor de percurso Substitua o motor de percurso(1)
Ar no motor de percurso Reabasteça com óleo

Tabela 41. Percurso com desvio

Causa Solução
As esteiras esquerda e direita não estão apertadas Faça a sangria de esquerda e direita, ajuste as esteiras
igualmente com a mesma tensão
Redução de desempenho da bomba hidráulica Substitua a bomba hidráulica(1)
Redução de desempenho de motor de percurso Substitua o motor de percurso(1)
Vazamento de óleo no interior de válvula de controle Substitua conjunto do alojamento da válvula(1)
Dano na junta de união da articulação Substitua a junta de união da articulação(1)
Articulação da alavanca frouxa Ajuste

(1) Indica serviços que deverão ser feitos por um especialista. Consulte o Manual de Serviços.

3 - 76 9803/6570-2 3 - 76
Seção 3 - Manutenção
Manutenção de Rotina
Diagnóstico de Falhas

Giro

Tabela 42. Força de giro insuficiente

Causa Solução
Redução de desempenho do motor de giro Substitua o motor de giro(1)
Emperramento térmico de eixo de giro Engraxe ou substitua o eixo de giro(1)

Tabela 43. Giro em vazio durante frenagem do giro

Causa Solução
Ajuste baixo da válvula do freio Ajuste a pressão (1)

Válvula obstruída Lave a válvula(1)


Redução de desempenho do motor de giro Substitua o motor de giro(1)
Vazamento interno de óleo de válvula de controle Repare ou substitua o conjunto da válvula(1)

Tabela 44. Giro em vazio durante parada do giro

Causa Solução
Ajuste baixo da válvula do freio ou orifício de alívio Ajuste a pressão (1)

Válvula obstruída Lave a válvula(1)


Redução de desempenho do motor de giro Substitua o motor de giro(1)
Vazamento interno de óleo de válvula de controle Repare ou substitua o conjunto da válvula(1)

Tabela 45. Ruído anormal durante giro

Causa Solução
Ar no motor de giro Reabasteça com óleo
Aplicação insuficiente de graxa de rolamento de giro Adicione graxa

Cilindro Hidráulico

Tabela 46. Força insuficiente do cilindro hidráulico

Causa Solução
Ajuste de pressão baixa para a válvula de alívio Ajuste a pressão (1)

Vazamento de óleo no interior do cilindro hidráulico Substitua as vedações do cilindro hidráulico(1)


Danos do cilindro hidráulico ou haste Substitua o cilindro hidráulico ou haste(1)
Vazamento de óleo no interior da válvula de controle Repare ou substitua o conjunto da válvula(1)

Tabela 47. Vazamento de óleo externo ao cilindro hidráulico

Causa Solução
Vedações do cilindro hidráulico defeituosas Substitua as vedações do cilindro hidráulico(1)
Danos na haste do cilindro hidráulico* Substitua a haste do cilindro hidráulico(1)

(1) Indica serviços que deverão ser feitos por um especialista. Consulte o Manual de Serviços.

3 - 77 9803/6570-2 3 - 77
Seção B

Carroceria e Estrutura
Manual de Serviços - JS160 - JS190
Seção 1 - Informações Gerais
Seção 2 - Cuidados e Segurança
Seção 3 - Manutenção
Seção B - Carroceria e Estrutura
Seção C - Elétrica
Seção E - Hidráulica
Seção F - Transmissão
Seção J - Esteira e Mecanismo de Acionamento
Seção K - Motor

Nº da publicação
9803/6570-2
Produzido por:
ASC Comunicação Técnica
www.asccomunicacao.com.br

Suporte ao Cliente
de Categoria Mundial
Copyright © 2004 JCB SERVICE. Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação pode ser reproduzida, armazenada em um sistema de recuperação
ou transmitida de qualquer forma ou por qualquer outro meio, seja eletrônico, mecânico, fotocópia ou algum outro, sem permissão anterior de JCB SERVICE.

Publicado por Depto. Publicações Técnicas JCB, Treinamento de Pós-vendas JCB, Woodseat, Rocester, Staffordshire, ST14 5BW, Inglaterra. Tel +44 1889 591300 Fax +44 1889 591400
Seção B – Carroceria e Estrutura

Página deixada em branco intencionalmente

B-0 9803/6570-2 B-0


Seção B – Carroceria e Estrutura

Índice Página Nº

Dados Técnicos
Dimensões Estáticas............................................................... B-1
Diagrama de Profundidade de Escavação.............................. B-5
Peso de Embarque.................................................................. B-9
Acessórios............................................................................... B - 10
Ar Condicionado (Opcional).................................................... B - 22

Operação Básica
Ar Condicionado...................................................................... B - 23

Encontrando Falhas
Ar Condicionado...................................................................... B - 29

Procedimentos de Serviço
HVAC / Unidade do Ar Condicionado...................................... B - 35
Compressor do Ar Condicionado............................................ B - 37
Estrutura da Cabina................................................................ B - 38

Painéis da Cabina
Remoção do Painel da Cabina................................................ B - 47

B-i B-i
Seção B – Carroceria e Estrutura

Índice Página Nº

B - ii B - ii
Seção B – Carroceria e Estrutura
Dados Técnicos
Dimensões Estáticas

Dados Técnicos
Dimensões Estáticas
JS160 – Lança Monobloco

Dimensões em milímetros (pés.pol.) NLC LC


A Comprimento da esteira no solo 3090 (10 pés 1 pol.) 3090 (10 pés 1 pol.)
B Comprimento total da esteira 3940 (12 pés 11 pol.) 3940 (12 pés 11 pol.)
C Bitola da estrutura 1990 (6 pés 6 pol.) 2200 (7 pés 3 pol.)
D Largura externa das esteiras (sapatas de 500 mm) 2490 (8 pés 2 pol.) -
D Largura externa das esteiras (sapatas de 600 mm) 2590 (8 pés 6 pol.) 2800 (9 pés 2 pol.)
D Largura externa das esteiras (sapatas de 700 mm) 2690 (8 pés 10 pol.) 2900 (9 pés 6 pol.)
D Largura externa das esteiras (sapatas de 800 mm) - 3000 (9 pés 10 pol.)
D Largura externa das esteiras (sapatas de 900 mm) - 3100 (10 pés 2 pol.)

Comprimento do braço 2,25m 2,7m 3,05m


E Comprimento do transporte 8338 (27 pés 4 pol.) 8338 (27 pés 4 pol.) 8338 (27 pés 4 pol.)
F Altura do transporte 2992 (9 pés 9 pol.) 2992 (9 pés 9 pol.) 2992 (9 pés 9 pol.)

Dimensões em milímetros (pés.pol.) NLC / LC


I Vão livre - Contrapeso 1030 (3 pés 5 pol.)
J Raio de giro da torre 2338 (7 pés 8 pol.)
K Largura da torre 2470 (8 pés 1 pol.)
L Altura da cabina 2965 (9 pés 8 pol.)
M Altura da alça de acesso 2992 (9 pés 9 pol.)
N Vão livre da estrutura 470 (1 pé 7 pol.)
P Altura da esteira 880 (2 pés 11 pol.)

B-1 9803/6570-2 B-1


Seção B – Carroceria e Estrutura
Dados Técnicos
Dimensões Estáticas

JS160 - Lança de Articulação Tripla

Dimensões em milímetros (pés.pol.) NLC LC


A Comprimento da esteira no solo 3090 (10 pés 1 pol.) / 3090 (10 pés 1 pol.)
B Comprimento total da esteira 3940 (12 pés 11 pol.) 3940 (12 pés 11 pol.)
C Bitola da estrutura 1990 (6 pés 6 pol.) 2200 (7 pés 3 pol.)
D Largura externa das esteiras (sapatas de 500 mm) 2490 (8 pés 2 pol.) -
D Largura externa das esteiras (sapatas de 600 mm) 2590 (8 pés 6 pol.) 2800 (9 pés 2 pol.)
D Largura externa das esteiras (sapatas de 700 mm) 2690 (8 pés 10 pol.) 2900 (9 pés 6 pol.)
D Largura externa das esteiras (sapatas de 800 mm) - 3000 (9 pés 10 pol.)
D Largura externa das esteiras (sapatas de 900 mm) - 3100 (10 pés 2 pol.)

Comprimento do braço 2,1m 2,5m 3,0m


G Comprimento do transporte 8624 (28 pés 4 pol.) 8646 (28 pés 4 pol.) 8616 (28 pés 3 pol.)
H Altura do transporte 2854 (9 pés 4 pol.) 2738 (9 pés 0 pol.) 2801 (9 pés 2 pol.)

Dimensões em milímetros (pés.pol.) NLC / LC


I Vão livre - Contrapeso 1030 (3 pés 5 pol.)
J Raio de giro da torre 2338 (7 pés 8 pol.)
K Largura da torre 2470 (8 pés 1 pol.)
L Altura da cabina 2965 (9 pés 8 pol.)
M Altura da alça de acesso 2992 (9 pés 9 pol.)
N Vão livre da estrutura 470 (1 pé 7 pol.)
P Altura da esteira 880 (2 pés 11 pol.)

B-2 9803/6570-2 B-2


Seção B – Carroceria e Estrutura
Dados Técnicos
Dimensões Estáticas

JS180 / JS190 - Lança Monobloco

Dimensões em milímetros (pés.pol.) NLC LC


A Comprimento da esteira no solo 3370 (11 pés 11 pol.) 3370 (11 pés 11 pol.)
B Comprimento total da esteira 4170 (12 pés 10 pol.) 4170 (12 pés 10 pol.)
C Bitola da estrutura 1990 (6 pés 6 pol.) 2200 (7 pés 3 pol.)
D Largura externa das esteiras (sapatas de 500 mm) 2490 (8 pés 2 pol.) -
D Largura externa das esteiras (sapatas de 600 mm) 2590 (8 pés 6 pol.) 2800 (9 pés 2 pol.)
D Largura externa das esteiras (sapatas de 700 mm) 2690 (8 pés 10 pol.) 2900 (9 pés 6 pol.)
D Largura externa das esteiras (sapatas de 800 mm) - 3000 (9 pés 10 pol.)

Comprimento do braço 2,25m 2,7m 3,05m


E Comprimento do transporte 8366 (27 pés 5 pol.) 8366 (27 pés 5 pol.) 8366 (27 pés 5 pol.)
F Altura do transporte 3014 (9 pés 10 pol.) 3014 (9 pés 10 pol.) 4014 (9 pés 10 pol.)

Dimensões em milímetros (pés.pol.) NLC / LC


I Vão livre - Contrapeso 1072 (3 pés 6 pol.)
J Raio de giro da torre 2338 (7 pés 8 pol.)
K Largura da torre 2470 (8 pés 11 pol.)
L Altura da cabina 2987 (9 pés 9 pol.)
M Altura da alça de acesso 3014 (9 pés 10 pol.)
N Vão livre da estrutura 486 (1 pé 7 pol.)
P Altura da esteira 885 (2 pés 11 pol.)

B-3 9803/6570-2 B-3


Seção B – Carroceria e Estrutura
Dados Técnicos
Dimensões Estáticas

JS180 / JS190 - Lança de Articulação Tripla

Dimensões em milímetros (pés.pol.) NLC LC


A Comprimento da esteira no solo 3370 (11 pés 11 pol.) 3370 (11 pés 11 pol.)
B Comprimento total da esteira 4170 (12 pés 10 pol.) 4170 (12 pés 10 pol.)
C Bitola da estrutura 1990 (6 pés 6 pol.) 2200 (7 pés 3 pol.)
D Largura externa das esteiras (sapatas de 500 mm) 2490 (8 pés 2 pol.) -
D Largura externa das esteiras (sapatas de 600 mm) 2590 (8 pés 6 pol.) 2800 (9 pés 2 pol.)
D Largura externa das esteiras (sapatas de 700 mm) 2690 (8 pés 10 pol.) 2900 (9 pés 6 pol.)
D Largura externa das esteiras (sapatas de 800 mm) - 3000 (9 pés 10 pol.)

Comprimento do braço 2,25m 2,7m 3,05m


G Comprimento do transporte 8652 (28 pés 5 pol.) 8674 (28 pés 5 pol.) 8644 (28 pés 4 pol.)
H Altura do transporte 2876 (9 pés 5 pol.) 2760 (9 pés 1 pol.) 2823 (9 pés 3 pol.)

Dimensões em milímetros (pés.pol.) NLC / LC


I Vão livre - Contrapeso 1072 (3 pés 6 pol.)
J Raio de giro da torre 2338 (7 pés 8 pol.)
K Largura da torre 2470 (8 pés 11 pol.)
L Altura da cabina 2987 (9 pés 9 pol.)
M Altura da alça de acesso 3014 (9 pés 10 pol.)
N Vão livre da estrutura 486 (1 pés 7 pol.)
P Altura da esteira 885 (2 pés 11 pol.)

B-4 9803/6570-2 B-4


Seção B – Carroceria e Estrutura
Dados Técnicos
Diagrama de Profundidade de Escavação

Diagrama de Profundidade de Escavação


JS160 – Lança Monobloco

5,15 m
Braço de escavação 2,25m 2,7m 3,05m
m (pé pol.) m (pé pol.) m (pé pol.)
A Alcance máximo de escavação 8.51 (27 11) 8.91 (29 3) 9.23 (30 3)
B Alcance máximo de escavação (no solo) 8.33 (27 4) 8.74 (28 7) 9.06 (29 8)
C Profundidade de escavação máxima 5.48 (17 11) 5.94 (19 6) 6.29 (20 7)
D Altura de escavação máxima 8.86 (29 1) 9.05 (29 8) 9.22 (30 3)
E Altura máxima de carregamento 6.54 (21 5) 6.73 (22 1) 6.89 (22 2)
F Profundidade de corte de parede vertical
4.91 (16 1) 5.37 (17 7) 5.65 (18 6)
máxima
G Raio de giro mínimo 3.00 (9 10) 3.00 (9 10) 3.00 (9 10)

B-5 9803/6570-2 B-5


Seção B – Carroceria e Estrutura
Dados Técnicos
Diagrama de Profundidade de Escavação

JS160 - Lança de Articulação Tripla

5,15 m
Braço de escavação 2,25m 2,7m 3,05m
m (pé pol.) m (pé pol.) m (pé pol.)
A Alcance máximo de escavação 8.83 (28 11) 9.26 (30 5) 9.59 (31 6)
B Alcance máximo de escavação (no solo) 8.65 (28 5) 9.09 (29 10) 9.46 (31 1)
C Profundidade de escavação máxima 4.12 (13 6) 4.65 (15 3) 5.32 (17 6)
D Altura de escavação máxima 10.23 (33 7) 10.65 (34 11) 10.8 (35 5)
E Altura máxima de carregamento 7.98 (26 2) 8.37 (27 5) 8.67 (28 5)
F Profundidade de corte de parede vertical
3.74 (12 3) 4.21 (13 10) 4.6 (15 2)
máxima
G Raio de giro mínimo 2.88 (9 5) 2.72 (8 11) 2.88 (9 5)

B-6 9803/6570-2 B-6


Seção B – Carroceria e Estrutura
Dados Técnicos
Diagrama de Profundidade de Escavação

JS180 / JS190 - Lança Monobloco

5,15 m
Braço de escavação 2,25m 2,7m 3,05m
m (pé pol.) m (pé pol.) m (pé pol.)
A Alcance máximo de escavação 8.51 (27 11) 8.91 (29 3) 9.23 (30 3)
B Alcance máximo de escavação (no solo) 8.33 (27 5) 8.77 (28 9) 9.09 (29 10)
C Profundidade de escavação máxima 5.80 (19 0) 6.25 (20 6) 6.59 (21 7)
D Altura de escavação máxima 9.40 (30 9) 9.63 (31 8) 9.89 (32 5)
E Altura máxima de carregamento 7.05 (23 1) 7.32 (24 0) 7.54 (24 8)
F Profundidade de corte de parede vertical
5.30 (17 2) 5.68 (18 8) 6.03 (19 9)
máxima
G Raio de giro mínimo 3.00 (9 10) 3.00 (9 10) 3.00 (9 10)

B-7 9803/6570-2 B-7


Seção B – Carroceria e Estrutura
Dados Técnicos
Diagrama de Profundidade de Escavação

JS180 / JS190 - Lança de Articulação Tripla

5,15 m
Braço de escavação 2,25m 2,7m 3,05m
m (pé pol.) m (pé pol.) m (pé pol.)
A Alcance máximo de escavação 8.83 (29 0) 9.26 (30 5) 9.59 (31 6)
B Alcance máximo de escavação (no solo) 8.65 (28 5) 9.09 (29 10) 9.46 (31 1)
C Profundidade de escavação máxima 4.09 (13 5) 4.62 (15 2) 5.29 (17 5)
D Altura de escavação máxima 10.25 (33 7) 10.67 (35 0) 10.82 (35 6)
E Altura máxima de carregamento 8.00 (26 3) 8.44 (27 8) 8.67 (28 5)
F Profundidade de corte de parede vertical
3.72 (12 2) 4.19 (13 9) 4.59 (15 1)
máxima
G Raio de giro mínimo 2.88 (9 5) 2.72 (8 11) 2.88 (9 5)

B-8 9803/6570-2 B-8


Seção B – Carroceria e Estrutura
Dados Técnicos
Peso de Embarque

Peso de Embarque
Peso aproximado quando equipado com a Lança
Monobloco, braço de comprimento médio, caçamba,
operador e tanque de combustível cheio exceto onde
especificado de outro modo.

Modelo Largura da sapata Peso


da esteira
JS160NLC 500mm 16.985 kg
JS160LC 600mm 17.205 kg
JS160LC 700mm 17.455 kg
JS160LC 800mm 17.695 kg
JS160LC 900mm 17.925 kg

Modelo Largura da sapata Peso


da esteira
JS180NLC 500mm 18.895 kg
JS180NLC 600mm 19.021 kg
JS180LC 600mm 19.105 kg
JS180LC 700mm 19.021 kg

Modelo Largura da sapata Peso


da esteira
JS190NLC 500mm 19.903 kg
JS190NLC 600mm 20.029 kg
JS190LC 600mm 20.113 kg
JS190LC 700mm 20.468 kg

(1) Modelo equipado com TAB.

B-9 9803/6570-2 B-9


Seção B – Carroceria e Estrutura
Dados Técnicos
Acessórios

Acessórios

Fig.1.

Item Nome do Equipamento Consultar a referência abaixo:


A Instalação da Lança na Estrutura de Giro _Instalação da Lança na Estrutura de Giro (/ B-11)
B Instalação do Cilindro da Lança na Estrutura _Instalação do Cilindro da Lança na Estrutura de
de Giro Giro (/ B-12)
C Instalação do Cilindro na Lança _ Instalação do Cilindro na Lança (/ B-13)
D Instalação do Cilindro do Braço de Escavação _ Instalação do Cilindro do Braço de Escavação
(/ B-14)
E Instalação do Pino de Articulação do Braço _ Instalação do Pino de Articulação no Braço de
de Escavação Escavação (/ B-15)
F Instalação do Cilindro no Braço de Escavação _ Instalação do Cilindro no Braço de Escavação
(/ B-16)
G Instalação do Cilindro da Caçamba _ Instalação do Cilindro da Caçamba (/ B-17)
H Instalação do Tirante no Braço de Escavação _ Instalação do Tirante no Braço de Escavação
(/ B-18)
J Instalação do Tirante na Caçamba _ Instalação do Tirante na caçamba (/ B-19)
K Instalação do Cilindro no Tirante da Caçamba _ Instalação do Cilindro no Tirante na Caçamba
(/ B-20)
L Instalação da Caçamba no Braço de Escava- _ Instalação da Caçamba no Braço de Escavação
ção (/ B-21)

B - 10 9803/6570-2 B - 10
Seção B – Carroceria e Estrutura
Dados Técnicos
Acessórios

Instalação da Lança no Chassi de Giro

Nome do Equipamento Para localização Nome da Peça Código Valor Padrão Limite de Serviço
(mm) (mm)
_ Localização (/ B-10).
Estrutura de Giro A 569 579
Lança B 568 566
A. Instalação da Lança na Estrutura de Giro Folga C 1.0 - 3.5 Calço para Ajuste
Pino D ø75 ø74
Bucha (Lança) E ø75 ø76.5

C024100-C2

Fig.2.

B - 11 9803/6570-2 B - 11
Seção B – Carroceria e Estrutura
Dados Técnicos
Acessórios

Instalação do Cilindro da Lança na Estrutura de Giro

Nome do Equipamento Para localização Nome da Peça Código Valor Padrão Limite de Serviço
(mm) (mm)
_ Localização (/ B-10).
Estrutura de A 86 92
Giro
B. Instalação do Cilindro da Lança na Lança B 85 83
Estrutura de Giro Folga C 1.0 - 2.5 Calço para Ajuste
Pino D Ø65 Ø64
Bucha (Lança) E Ø65 Ø66.5

C024120-C2

Fig.3.

B - 12 9803/6570-2 B - 12
Seção B – Carroceria e Estrutura
Dados Técnicos
Acessórios

Instalação do Cilindro na Lança

Nome do Equipamento Para localização Nome da Peça Código Valor Padrão Limite de Serviço
(mm) (mm)
_ Localização (/ B-10).
Cilindro da
Lança (Olhal A 92 90
da Haste)
C. Instalação do Cilindro na Lança Lança B 434 428
Folga C 1.0 - 2.5 Calço para Ajuste
Pino D Ø70 Ø69
Bucha (Lança) E Ø70 Ø71.5

C024140-C2

Fig.4.

B - 13 9803/6570-2 B - 13
Seção B – Carroceria e Estrutura
Dados Técnicos
Acessórios

Instalação do Cilindro do Braço de Escavação

Nome do Equipamento Para localização Nome da Peça Código Valor Padrão Limite de Serviço
(mm) (mm)
_ Localização (/ B-10).
Lança A 99 105
Cilindro do
Braço (Olhal da B 98 96
D. Instalação do Cilindro do Braço de base do cilindro)
Escavação
Folga C 0.5 - 3.0 Calço para Ajuste
Pino D Ø70 Ø69
Bucha (Lança) E Ø70 Ø71.5

C024150-C2

Fig.5.

B - 14 9803/6570-2 B - 14
Seção B – Carroceria e Estrutura
Dados Técnicos
Acessórios

Instalação do Pino de Articulação do Braço de Escavação

Nome do Equipamento Para localização Nome da Peça Código Valor Padrão Limite de Serviço
(mm) (mm)
_ Localização (/ B-10).
Lança A 231 234
Braço de
B 230.5 228.5
escavação
E. Instalação do Pino de Articulação do Folga C 0.5 - 1.8 Calço para Ajuste
Braço de Escavação Pino D Ø75 Ø74
Bucha (Lança) E Ø75 Ø76.5
Bucha (Lança) F Ø75 Ø76.5
Lança G Ø65 Ø63

C024160-C2

Fig.6.

B - 15 9803/6570-2 B - 15
Seção B – Carroceria e Estrutura
Dados Técnicos
Acessórios

Instalação do Cilindro no Braço de Escavação

Nome do Equipamento Para localização Nome da Peça Código Valor Padrão Limite de Serviço
(mm) (mm)
_ Localização (/ B-10).
Lança A 99 105
Braço
B 98 96
(Olhal da haste)
F. Instalação do Cilindro no Braço de
Folga C 0.5 - 3.0 Calço para Ajuste
Escavação
Pino D Ø70 Ø69
Bucha (Cilindro
E Ø70 Ø71.5
do Braço)

C024170-C2

Fig.7.

B - 16 9803/6570-2 B - 16
Seção B – Carroceria e Estrutura
Dados Técnicos
Acessórios

Instalação do Cilindro da Caçamba

Nome do Equipamento Para localização Nome da Peça Código Valor Padrão Limite de Serviço
(mm) (mm)
_ Localização (/ B-10).
Braço de
A 88 94
escavação
Cilindro da
Caçamba B 87 85
G. Instalação do Cilindro da Caçamba (Olhal Haste)
Folga C 0.5 - 3.0 Calço para Ajuste
Pino D Ø65 Ø64
Bucha (Cilindro
E Ø65 Ø66.5
da Caçamba)

C024170-C3

Fig.8.

B - 17 9803/6570-2 B - 17
Seção B – Carroceria e Estrutura
Dados Técnicos
Acessórios

Instalação do Tirante no Braço de Escavação

Nome do Equipamento Para localização Nome da Peça Código Valor Padrão Limite de Serviço
(mm) (mm)
_ Localização (/ B-10).
Braço de
A 37 34
escavação
Cilindro da
H. Instalação do Tirante no Braço de Caçamba B 254 252
Escavação (Olhal Haste)
Folga C 1.0 - 1.5 Calço para Ajuste
Pino D Ø65 Ø64
Bucha (Braço) E Ø65 Ø66.5

C024200-C2

Fig.9.

B - 18 9803/6570-2 B - 18
Seção B – Carroceria e Estrutura
Dados Técnicos
Acessórios

Instalação do Tirante na Caçamba

Nome do Equipamento Para localização Nome da Peça Código Valor Padrão Limite de Serviço
(mm) (mm)
_ Localização (/ B-10).
Caçamba A 255 261
Tirante da
B 37 34
Caçamba
J. Instalação do Tirante na Caçamba Folga C 1.0 - 1.5 Calço para Ajuste
Pino D Ø65 Ø64
Bucha (Tirante
E Ø65 Ø66.5
da Caçamba)

C024190-C2

Fig.10.

B - 19 9803/6570-2 B - 19
Seção B – Carroceria e Estrutura
Dados Técnicos
Acessórios

Instalação do Cilindro no Tirante da Caçamba

Nome do Equipamento Para localização Nome da Peça Código Valor Padrão Limite de Serviço
(mm) (mm)
_ Localização (/ B-10).
Tirante do Braço A 37 34
Tirante da
B 254 252
Caçamba
Folga C 1.0 - 1.5 Calço para Ajuste
Tirante da
D 99 101
Caçamba
Cilindro da
K. Instalação do Cilindro no Tirante da
Caçamba E 98 96
Caçamba
(Olhal Haste)
Folga F 1.0-2.0 Calço para Ajuste
Pino G Ø65 Ø64
Bucha (Tirante
H Ø65 Ø66.5
da Caçamba)
Bucha (Cilindro
I Ø65 Ø66.5
da Caçamba)

C024210-C2

Fig.11.

B - 20 9803/6570-2 B - 20
Seção B – Carroceria e Estrutura
Dados Técnicos
Acessórios

Instalação da Caçamba no Braço de Escavação

Nome do Equipamento Para localização Nome da Peça Código Valor Padrão Limite de Serviço
(mm) (mm)
_ Localização (/ B-10).
Caçamba A 255 261
Braço de
B 254 252
escavação
Folga C 1.0 - 3.5 Calço para Ajuste
Bucha
L. Instalação da Caçamba no Braço de D 16 8
(Caçamba)
Escavação
Pino E Ø65 Ø64
Bucha
F Ø65 Ø66.5
(Caçamba)
Bucha
G Ø65 Ø66.5
(Caçamba)

C024220-C2

Fig.12.

B - 21 9803/6570-2 B - 21
Seção B – Carroceria e Estrutura
Dados Técnicos
Ar Condicionado (Opcional)

Ar Condicionado (Opcional)
Ajustes do Interruptor de Pressão Binário

Baixa Pressão 2.1 bar (2.14 kgf/cm2 30.4 lbf / pol.2)


Alta Pressão 28 bar (28,56 kgf/cm2 406 lbf / pol.2)

Refrigerante

R-134a 1.415 Kg +/- 10g

Óleo
Óleo PAG 150g +/- 5g óleo PAG (PoliAlkileno Glycol) para ISO 100

B - 22 9803/6570-2 B - 22
Seção B – Carroceria e Estrutura

Operação Básica
Ar Condicionado
Operação
Para manter o máximo de conforto para o operador
em climas quentes ou durante as estações de alta
temperatura ambiente, o Sistema de Ar Condicionado
recircula, limpa e desumidifica o ar dentro da cabina.
A refrigeração é fornecida pela passagem do ar recir-
culado através de um conjunto do evaporador, dentro
da unidade do ar condicionado.
O Sistema de Ar Condicionado é um circuito fechado
através do qual o Refrigerante é circulado, seu estado
muda de gás para líquido e retorna para gás novamen-
te, no momento que ele é forçado através do sistema.
Os componentes principais do sistema são o Compres-
sor 13-H, Condensador 13-D, Secador / Acumulador
13-F, Válvula de expansão 13-A e o Conjunto do
Evaporador 13-B.

716480-C1

Fig.13.

A Válvula de Expansão Termostática (TEV)

B Conjunto do Evaporador

C Filtro de Ar

D Condensador

E Interruptor Binário

F Secador / Acumulador

G Visor de Líquido (Indicador de Umidade)

H Compressor

J Painel de Controle

B - 23 9803/6570-2 B - 23
Seção B – Carroceria e Estrutura
Operação Básica
Ar Condicionado

Controles do Aquecedor / Ar Condiciona- Ar Fresco / Ar Recirculado


do
Gire o interruptor 14-D totalmente no sentido anti-
Localizados no lado esquerdo do painel traseiro, os horário para obter ar fresco, gire-o totalmente no
controles do aquecedor / ar condicionado são utiliza- sentido horário para obter ar recirculado. (posições
dos em conjunto com os controles do ventilador do intermediárias fornecem uma mistura de ar fresco e
aquecedor. ar recirculado).

Controles do Aquecedor
Ventilador do Aquecedor
Gire o interruptor 14-A (no painel do interruptor de
luzes) no sentido horário para ligar o ventilador do
aquecedor. O volume de ar do aquecedor aumenta
à medida que se gira mais o interruptor no sentido
horário.
Temperatura
Gire o interruptor 14-B totalmente no sentido anti-horá-
rio para obter a temperatura mínima, gire-o totalmente
no sentido horário para obter a temperatura máxima.
(posições intermediárias fornecem temperaturas in-
termediárias.)

Fig.14.

Controles do Ar Condicionado (Se instalado)


Gire o interruptor 14-C no sentido horário para se-
lecionar o ar condicionado. Gire o interruptor 14-C
totalmente no sentido horário para uma refrigeração
máxima. (posições intermediárias fornecem tempera-
turas de refrigeração intermediárias.)

B - 24 9803/6570-2 B - 24
Seção B – Carroceria e Estrutura
Operação Básica
Ar Condicionado

Operação do Sistema de Ar Condicionado Controle


O acionamento do Sistema de Ar Condicionado é O controle do sistema é alcançado pela ação cícli-
realizado pelo motor, através de uma embreagem ca da embreagem eletromagnética do compressor.
eletromagnética, no compressor. Três interruptores, Quando a corrente elétrica alimenta a bobina de
conectados em série, estão inclusos na linha de ali- campo da embreagem do compressor, um campo
mentação da embreagem, Todos precisam estar fe- magnético é criado entre a bobina de campo e a
chados para que a embreagem, e conseqüentemente armadura que atrai a bobina de campo, acoplando o
o Sistema de Ar Condicionado funcione. conjunto da embreagem com o rotor do compressor.
Neste momento o conjunto da embreagem, que está
O compressor 13-H conduz o gás refrigerante em
girando constantemente através da correia acionada
baixa pressão da linha de sucção (evaporador para o
pela polia da árvore de manivelas, faz o compressor
compressor) e aumenta a pressão do refrigerante atra-
girar, começando o ciclo de refrigeração. A corrente
vés da compressão. Este processo também aumenta
elétrica alimenta a bobina de campo através de três
a temperatura do refrigerante.
interruptores montados em série, cujos contatos são
O Refrigerante em alta pressão é forçado do compres- controlados da seguinte modo:
sor para o Condensador 13-D, que está montado no
radiador ao lado do motor. O ar ambiente é conduzido 1 O interruptor manual 14-D dentro da cabina.
através do condensador, pelo ventilador de arrefe-
cimento, acionado pelo motor. No condensador, o 2 O interruptor termostático que monitora a
refrigerante muda de estado para um líquido com alta temperatura do evaporador.
temperatura e alta pressão, mas com um conteúdo de
3 O interruptor de pressão do nível alto e baixo.
calor muito baixo.
O refrigerante passa através do secador / acumulador O interruptor 14-D iniciará o ciclo de refrigeração desde
13-F, que contém um dessecante para remover a que a temperatura da cabina seja maior 0°C e que a
umidade do sistema. O Secador / Acumulador serve pressão do refrigerante permaneça dentro dos limites
como um reservatório para o refrigerante e também especificados.
inclui um filtro para remover as partículas estranhas O termostato tem o seu sensor introduzido no con-
do sistema. O gás refrigerante em alta temperatura e junto evaporador. Ele controla o ciclo de refrigeração
alta pressão é forçado pela ação do compressor dentro pelo liga-desliga da embreagem do compressor para
da válvula de expansão 13-A, que mede a quantidade evitar o congelamento do condensador no conjunto
de refrigerante que entrou no evaporador. Na válvula do evaporador.
de expansão o refrigerante expande-se instantane-
amente, tornando-se um líquido de baixa pressão e O interruptor de nível de pressão está alojado em um
baixa temperatura. conjunto único localizado no Secador / Acumulador.
Se a pressão do refrigerante exceder ao limite supe-
O Refrigerante é conduzido através do conjunto do rior especificado ou cair abaixo do limite inferior, os
evaporador 13-B, pela sucção do compressor. A tem- contatos se abrirão e a embreagem se desacoplará,
peratura do refrigerante está agora consideravelmente terminando o ciclo de refrigeração.
abaixo do ar que passa através do evaporador forçado
pelos ventiladores. O calor é transferido do ar ambiente
e do ar recirculado para o refrigerante, fazendo com
que o líquido de baixa pressão vaporize e se torne
um gás de baixa pressão. A umidade no ar condensa
na serpentina do conjunto do evaporador e é drenada
para fora através do condensador.
O ar frio e desumidificado é enviado para a parte in-
terna da cabina através das saídas de ar.
O refrigerante contendo alto calor, baixa temperatura
e baixa pressão, é agora conduzido por sucção, de
volta para o compressor, onde o ciclo é completado.

B - 25 9803/6570-2 B - 25
Seção B – Carroceria e Estrutura
Operação Básica
Ar Condicionado

Ajustes do Interruptor de Pressão ATENÇÃO


Interruptor de Alta Pressão 28 bar (406 lbf/pol2) O Sistema de Ar Condicionado é um sistema de
circuito completo fechado e contém refrigeração
Interruptor de Baixa Pressão 2,1 bar (30,4 lbf/ pressurizada. Nenhuma parte do sistema deve ser
pol2) desconectada até o sistema ser descarregado por
Nota: Em condições de muita poeira, é recomendável um engenheiro especializado em refrigeração ou
que o ar seja recirculado dentro da cabina, uma pessoa adequadamente treinada. Você pode
caso contrário o filtro poderá ser obstruído. ser severamente queimado por congelamento ou
ser ferido pelo vazamento de refrigerante.
Duas saídas de ar estão localizadas no painel traseiro
da cabina e duas saídas estão localizadas no lado 4-3-4-1_2

direito do console. Uma saída de ar está localizada


debaixo do assento do operador. As saídas podem ser ATENÇÃO
giradas para direcionar o fluxo de ar onde for requerido.
Quando as saídas de ar estão abertas, o ar quente ou O Sistema de Ar Condicionado é um sistema de
frio será conduzido diretamente para dentro da cabina. circuito completo fechado e contém refrigeração
pressurizada. Nenhuma parte do sistema deve ser
Para um desembaçamento mais efetivo do pára-brisa, desconectada até o sistema ser descarregado por
todas as saídas de ar devem ser fechadas e o controle um engenheiro especializado em refrigeração ou
de circulação de ar deve ser girado totalmente para uma pessoa adequadamente treinada. Você pode
a esquerda. ser severamente queimado por congelamento ou
ser ferido pelo vazamento de refrigerante.
Procedimentos de Segurança
4-3-4-1_2
O Sistema de Ar Condicionado inclui um circuito fe-
chado pressurizado, contendo um refrigerante tipo R-
CUIDADO
134a, não-CFC, ambientalmente amigável. Qualquer
procedimento de serviço que viole o circuito fechado Não acione o Sistema de Ar Condicionado quando
e que, portanto, exija descarga do sistema, deve ser não houver refrigerante no sistema, caso contrário
executado somente por pessoal de manutenção, com o compressor será danificado.
conhecimento especializado em sistemas de Ar Con-
4-3-4-4
dicionado. As diretrizes seguintes devem ser seguidas
por todo pessoal de manutenção do Sistema de Ar
1 É vital que o refrigerante correto (R-134a) seja
Condicionado.
utilizado e que esta carga seja feita somente por
pessoal qualificado. Como uma precaução, no
ATENÇÃO caso de vazamento acidental, a descarga e a
carga do refrigerante do sistema do veículo deve
O Sistema de Ar Condicionado é um sistema de
ser realizada em área bem ventilada.
circuito completo fechado e contém refrigeração
pressurizada. Nenhuma parte do sistema deve ser 2 Os reservatórios de refrigerante devem ser
desconectada até o sistema ser descarregado por armazenados em ambiente frio longe da luz direta
um engenheiro especializado em refrigeração ou do sol.
uma pessoa adequadamente treinada. Você pode
ser severamente queimado por congelamento ou
ATENÇÃO
ser ferido pelo vazamento de refrigerante.
Não execute trabalhos de solda perto do circuito
4-3-4-1_2
do refrigerante do ar-condicionado. Um gás ve-
nenoso é produzido quando o refrigerante entra
em contato com chamas abertas. Não fume ou
permita chamas abertas próximas ao circuito de
refrigerante.
BF-1-9

B - 26 9803/6570-2 B - 26
Seção B – Carroceria e Estrutura
Operação Básica
Ar Condicionado

3 Não execute trabalhos de solda próximo das


mangueiras do refrigerante (mantenha uma
distância de pelo menos 0,5 m das mangueiras).

4 Não limpe com vapor os componentes do sistema


do refrigerante.

5 Ao carregar ou descarregar o sistema do


refrigerante, evite fumar. Chamas abertas não
podem ser permitidas nas proximidades. O
refrigerante não emite nenhum odor venenoso,
porém, quando entra em contato com uma chama
aberta, produz um gás venenoso.

6 Quando manusear o refrigerante utilize luvas de


borracha e óculos de proteção. Os operadores
devem assegurar que nenhum refrigerante
entre em contato com a pele. Cuidado especial
deve ser tomado quando estiver conectando
ou desconectando mangueiras de carga
ou interruptores de pressão.Quando estes
componentes são conectados ao sistema, ocorre
uma pequena liberação de refrigerante. Isto
resulta em um gás muito frio em alta velocidade,
sendo emitido do ponto de conexão.

B - 27 9803/6570-2 B - 27
Seção B – Carroceria e Estrutura
Operação Básica
Ar Condicionado

Página deixada em branco intencionalmente

B - 28 9803/6570-2 B - 28
Seção B – Carroceria e Estrutura

Encontrando Falhas
Ar Condicionado
Verificações Preliminares Encontrando Falhas

Antes que qualquer verificação seja efetuada no cir- Importante: Consulte os procedimentos apropriados
cuito do refrigerante as seguintes verificações devem de remoção e substituição antes de
ser efetuadas: trabalhar em qualquer componente do
sistema.
1 Verifique se a correia do compressor está em
condições de uso e corretamente tensionada.

2 Verifique se o condensador e o radiador do motor


não estão bloqueados por resíduos, se necessário
limpe com ar comprimido ou água.

3 Verifique se as aletas do condensador não estão


dobradas ou danificadas, as aletas devem permitir
a passagem de ar livremente.

4 Verifique se o filtro da entrada de ar fresco da


cabina não está bloqueado.

5 Verifique se, com a chave de partida ligada


(motor parado), o ventilador funciona em todas
as velocidades.

6 Verifique se, com a chave de partida ligada (motor


parado), o ventilador e o Ar Condicionado ligados,
a embreagem do compressor é acionada.

Nível da carga:

Nota: Não é possível verificar o nível da carga do


refrigerante em sistema com R134a utilizan-
do o visor de vidro do secador / acumulador.
Quaisquer bolhas, vistas no visor de vidro do
secador / acumulador, podem ser bolhas do
óleo e estar tudo perfeitamente normal.

Nota:

– Gás -1415g R134A +/- 10g

– Óleo - 150g +/- 5g óleo PAG (PoliAlkileno Glycol)


para ISO 100

B - 29 9803/6570-2 B - 29
Seção B – Carroceria e Estrutura
Encontrando Falhas
Ar Condicionado

Localização dos Componentes Elétricos

716430-C1

Fig. 15.

B - 30 9803/6570-2 B - 30
Seção B – Carroceria e Estrutura
Encontrando Falhas
Ar Condicionado

Encontrando Falhas Elétricas


Unidade de Controle (A)

Pino Cor do Fio Função Notas:


1 Verde Saída do Relê da bateria +
2 Laranja Interruptor de Pressão

3 Branca Alimentação da Embrea-


gem do A/C

4 Verde / Branca Sinal de Controle do Ven-


tilador

5 Azul Sinal do atuador da válvula


d’água

6 Amarela / vermelha Relê


A/C
da Embreagem do

7 Azul / Branca Sinal do Atuador de Recir-


culação

8 Azul / Verde Positivo da Bateria Através


da Chave
9 Azul / Laranja Motor do atuador + 12V
10 Preta / Azul Aterramento
11 Não utilizado
12 Não utilizado
85 Marrom Bateria + Relê Do Pino 4 no PWM para o Pino 85 no Relé da Bateria

86 Vermelha Alimentação Bobina do Pino 85 no Rele da Embreagem


Relê

Control Panel (B)

Pino Cor do Fio Função Notas:


1 Preta Aterramento
2 Azul / Laranja Aliment. +12V do PWM Leitura ~12.9V
3 Lilás Aliment. +24V da Unidade Alimenta os LEDS do “Backligtht”

4 Azul / Branca Sinal saída Embreagem Fornece o sinal de saída para o modo Atuador. Deve
A/C variar entre 0 - 12V conforme o interruptor é ajustado.
5 Não utilizado
6 Não utilizado

7 Amarela / vermelha Sinal de Saída da Embre- Fornece o sinal de saída para o Relé Embreagem AC.
agem do A/C Fornece um sinal de saída baixo para ativar o relé.

8 Azul Sinal de saída do potenciô- Fornece


ar
o sinal de saída para a porta de mistura
VÁLVULA de água. Deve variar entre 2.5 e 7V
metro de temperatura (+/- 10%)
Fornece o sinal de controle da rotação do ventila-
9 Verde / Branca Saída do ventilador dor para o modulo PWM. Deve variar entre 6 -10V
conforme o potenciômetro do ventilador é ajustado.
10 Não utilizado
11 Não utilizado
12 Não utilizado

B - 31 9803/6570-2 B - 31
Seção B – Carroceria e Estrutura
Encontrando Falhas
Ar Condicionado

Controlador PWM (C)

Pino Cor do Fio Função Notas:


1 Azul / Verde Aliment. +24V da Unidade
2 Não utilizado
3 Branca Energia protegida Saída do relê da bateria
Alimentação do relê da
4 Marrom
bateria
5 Azul / Laranja Saída + 12 V Alimentação para os controles dos atuadores
Sinal de Controle do Ven- Entrada do Painel de Controle , utilizado para ajustar
6 Verde / Branca
tilador a rotação do ventilador
Rotação baixa do venti- Saída para o lado negativo do motor. Usado para
7 Amarela
lador controlar a rotação do ventilador.
8 Não utilizado
9 Não utilizado
10 Não utilizado
11 Não utilizado
12 Preta Aterramento

Atuador da Válvula de Recirculação (D)

Pino Cor do Fio Função Notas:


1 Azul / Laranja Alimentação + 12V
2 Não utilizado
3 Preta Aterramento
4 Azul / Branca Sinal
5 Não utilizado
6 Não utilizado

Atuador da Válvula d’água (E)

Pino Cor do Fio Função Notas:


1 Azul / Laranja Alimentação + 12V
2 Não utilizado
3 Preta / Azul Aterramento
4 Azul Sinal
5 Não utilizado
6 Não utilizado

B - 32 9803/6570-2 B - 32
Seção B – Carroceria e Estrutura
Encontrando Falhas
Ar Condicionado

716440GB

Fig. 16.

B - 33 9803/6570-2 B - 33
Seção B – Carroceria e Estrutura
Encontrando Falhas
Ar Condicionado
716420-C1

Fig.17.
B - 34 9803/6570-2 B - 34
Seção B – Carroceria e Estrutura

Procedimentos de Serviço
HVAC / Unidade do Ar Condicionado
Remoção e Substituição
Remoção

Nota: Antes de remover a Unidade do Ar Condiciona-


do / HVAC, o sistema precisa ser descarregado.
Veja Carga e Descarga do Refrigerante.

ATENÇÃO

O Sistema de Ar Condicionado é um sistema de


circuito completo fechado e contém refrigeração
pressurizada. Nenhuma parte do sistema deve ser
desconectada até o sistema ser descarregado por
um engenheiro especializado em refrigeração ou
uma pessoa adequadamente treinada. Você pode
ser severamente queimado por congelamento ou
ser ferido pelo vazamento de refrigerante.
4-3-4-1_2

CUIDADO

Não acione o Sistema de Ar Condicionado quando


não houver refrigerante no sistema, caso contrário
o compressor será danificado.
4-3-4-4
Fig. 18.
ATENÇÃO
2 Remova os parafusos de fixação 18-A e retire o
Não execute trabalhos de solda perto do circuito painel traseiro 18-B.
do refrigerante do ar-condicionado. Um gás ve-
nenoso é produzido quando o refrigerante entra 3 Desconecte o chicote 18-C da unidade do
em contato com chamas abertas. Não fume ou aquecedor, soltando as fitas do cabo. Desconecte
permita chamas abertas próximas ao circuito de o conector 18-D do conjunto do aquecedor.
refrigerante.
BF-1-9

As unidades do Aquecedor e do Ar Condicionado


estão montadas dentro do mesmo módulo, permitindo
que as unidades possam ser intercambiadas como
conjuntos completos.

1 Trabalhando na cabina, remova o assento do


operador de seus trilhos para ter acesso à unidade
do aquecedor.

B - 35 9803/6570-2 B - 35
Seção B – Carroceria e Estrutura
Procedimentos de Serviço
HVAC / Unidade do Ar Condicionado

Fig. 19.

4 Remova as mangueiras de ventilação 19-A.

5 Identifique as mangueiras de água 19-B e as


mangueiras do Ar Condicionado 19-C e remova-
as.

6 Remova os parafusos de montagem 19-D de


ambos os lados da unidade e retire o aquecedor
da maquina.

Substituição
A substituição é o procedimento inverso da remoção.

Nota: Certifique-se de que as mangueiras de drena-


gem 19-E estão passando através dos furos no
assoalho da cabina e não estão presas debaixo
da unidade.

B - 36 9803/6570-2 B - 36
Seção B – Carroceria e Estrutura
Procedimentos de Serviço
Compressor do Ar Condicionado

Compressor do Ar Condicionado
Remoção e Substituição
Remoção

Nota: Antes de remover qualquer uma das man-


gueiras do compressor, o sistema deve ser
descarregado. Veja Carga e Descarga do
Refrigerante.

ATENÇÃO

O Sistema de Ar Condicionado é um sistema de


circuito completo fechado e contém refrigeração
pressurizada. Nenhuma parte do sistema deve ser
desconectada até o sistema ser descarregado por
um engenheiro especializado em refrigeração ou
uma pessoa adequadamente treinada. Você pode
ser severamente queimado por congelamento ou
ser ferido pelo vazamento de refrigerante.
4-3-4-1_2

CUIDADO

Não acione o Sistema de Ar Condicionado quando Fig. 20.


não houver refrigerante no sistema, caso contrário
o compressor será danificado. Substituição
4-3-4-4 A substituição é o procedimento inverso da remoção.

Nota: Se a maquina não foi previamente montada


ATENÇÃO
com Ar Condicionado, devem ser montados 2
Não execute trabalhos de solda perto do circuito novos suportes de fixação do motor.
do refrigerante do ar-condicionado. Um gás ve- O Sistema de Ar Condicionado deve ser recarregado,
nenoso é produzido quando o refrigerante entra veja Carga e Descarga do Refrigerante.
em contato com chamas abertas. Não fume ou
permita chamas abertas próximas ao circuito de Tabela 1. Definições de Torque
refrigerante.
Item Nm Kgfm lb pé
BF-1-9
G 56 5.7 42
1 Identifique e remova as mangueiras 20-A do
compressor 20- B.

2 Solte o tensionador da correia do compressor


20-C e remova a correia 20-D.

3 Desconecte os chicotes do compressor no 20-E.

4 Remova os quatro parafusos 20-G e remova o


compressor do suporte de montagem 20-F.

B - 37 9803/6570-2 B - 37
Seção B – Carroceria e Estrutura
Procedimentos de Serviço
Estrutura da Cabina

Estrutura da Cabina
Envidraçamento Direto Removendo o Vidro Quebrado e a Vedação
TB-002_4
Antiga
Os procedimentos seguintes explicam como remo-
ver e instalar corretamente painéis de vidro que são ATENÇÃO
diretamente acoplados às aberturas da moldura da
cabina. Quando executar os procedimentos, precau- Utilize sempre óculos protetores quando remover
ções relevantes de segurança precisam ser tomadas: ou instalar painéis de vidro. Nunca use faca elé-
trica quando remover a vedação ao redor do vidro
1 Sempre utilize óculos de segurança durante a temperado. A ação da faca pode lançar partículas
remoção e substituição. de vidro com força suficiente para causar sérios
danos, até mesmo quando óculos de segurança
2 Utilize luvas protetoras – do tipo de couro estão sendo usados. Use somente ferramentas
industrial, quando cortar fora os vidros quebrados; operadas manualmente quando estiver trabalhan-
do tipo antideslizante quando manusear / mover do com vidro temperado.
painéis de vidro; luvas do tipo cirúrgico quando
usar os adesivos de poliuretano. BF-2-3_1

3 Use capa de proteção. 1 Estacione a máquina em local nivelado e acione


o freio de estacionamento. Pare o motor. Coloque
4 Não fume - os ativadores e revestimentos usados coberturas de proteção sobre o assento e
nos procedimentos são altamente inflamáveis. pedestais de controle.
5 Não tente manusear ou mover painéis de vidro a 2 Se um vidro laminado trincar ele permanecerá
menos que você esteja usando sustentadores de como uma peça até que seja quebrado. Um vidro
vidro. temperado quebrará imediatamente e cairá em
Algumas ferramentas especiais são necessárias para pedaços. O método de remoção do vidro depende
completar com sucesso os procedimentos de remoção de seu tipo.
e substituição. a Vidro laminado – deixe instalado até que a
No texto, há referências das ferramentas. A maioria vedação antiga tenha sido cortada, após isto
destas ferramentas podem ser obtidas localmente e será possível retirar o vidro quebrado por
as remanescentes solicitadas à Serviços JCB (Veja inteiro da sua moldura.
Ferramentas de Serviço JCB) b Vidro temperado – remova o Maximo possível
O trabalho deve ser executado somente em ambiente dos pedaços de vidro antes de cortar a
seco, livre de gelo. Pode ser necessária uma cobertura vedação antiga.
protetora ou a máquina / painel devem ser removidos
3 Corte a vedação antiga, deixando aproximadamente
para uma área protegida. Em condições úmidas ou
de 1 a 2 mm na moldura da cabine. Existem várias
molhadas, as portas com dobradiças e janelas com
ferramentas e técnicas para fazer isso:
molduras podem ser removidas da máquina e levadas
para um ambiente mais apropriado (seco). a Faca pneumática. _ Fig. 21. (/ B-39).
Isto oferece um dos métodos mais fáceis
O vidro não deve ser substituído em temperaturas
para remover a vedação em volta de vidro
abaixo de 5°C (41°F).
laminado. A ferramenta, acionada com ar
comprimido, deve ser encontrada localmente.
ATENÇÃO

O vidro laminado deve ser manuseado com extre-


mo cuidado para evitar que se quebre. Sempre que
possível, armazenar e manusear na posição verti-
cal. Quando apoiar ou levantar o vidro na posição
horizontal, o vidro precisa ser apoiado em toda a
extensão de sua área, e não apenas nas bordas.

BF-1-8_1

B - 38 9803/6570-2 B - 38
Seção B – Carroceria e Estrutura
Procedimentos de Serviço
Estrutura da Cabina

ii Insira o fio trançado de corte 5-B embaixo do


centro do tubo de aço. Se necessário, lado
externo, corte a vedação local no ponto onde o
tubo tem o acesso do fio.

iii Utilizando um alicate apropriado puxe o fio de


corte através da vedação para o lado externo do
vidro.

iv Segure as extremidades do fio trançado de corte


com as manoplas especiais 22-C.

v Movimente o fio de corte para frente e para trás


como se fosse o movimento de uma serra e ao
mesmo tempo levemente puxe e empurre o fio
para cortar através da vedação antiga.

c Faca de corte _ Fig. 23. (/B-39). A faca de


Fig. 21. Faca Pneumática
corte pode ser utilizada como uma ferramenta
manuseada pela mão esquerda ou pela mão
i Pressionar a alavanca do cabo para iniciar a
direita.
oscilação da lâmina da faca.

Importante: Esta ferramenta não deve ser utilizada


em vidro temperado.

ii Introduza a lâmina da faca na vedação.

iii Movimente lentamente a faca pela vedação com


a lâmina posicionada o mais próximo possível
do vidro. Não permita que a lâmina da faca
superaqueça ou a vedação derreterá.
b Fio Trançado de Corte e Manoplas. _ Fig. 22.
(/ B-39). Este método utiliza um cabo de 3
fios trançados, um tubo acionador de partida
e duas manoplas.

i Insira o tubo de aço 22-A dentro da vedação


antiga pelo lado interno do vidro.
Fig. 23. Faca de Corte

i Introduza a lâmina da faca na vedação.

ii Certifique-se de que a lamina da faca esteja contra


o vidro 23-A.

iii Utilize a “manopla-puxar” para puxar a faca


através da vedação antiga, cortando-o.
d Faca Manual. _ Fig. 24. (/ B-40). As lâminas
24-A são substituíveis.

i Introduza a lâmina da faca na vedação.

ii Puxe a faca através da vedação antiga, cortando-o.

Fig. 22. Fio Trançado de Corte e Manoplas.

B - 39 9803/6570-2 B - 39
Seção B – Carroceria e Estrutura
Procedimentos de Serviço
Estrutura da Cabina

b A vedação antiga ter inadvertidamente


cortado além da moldura da cabine durante
os procedimentos de remoção de vidro /
vedação.

Preparação da Abertura da Moldura da Cabina.

1 Se estiver úmida ou molhada, seque a área da


abertura utilizando uma pistola de ar quente
(disponível localmente).

2 Utilize o “Removedor Ativo 205” para limpar


profundamente e “preparar” a vedação cortado.
Utilize um pano livre de linhas e fiapos para
aplicar o “Removedor Ativo 205”, e deixe agir por
5 minutos para evaporar (tempo de secagem).
Fig. 24. Faca Manual Nota: Não utilize qualquer outro tipo de fluído limpan-
te, pois podem ser absorvidos pela vedação
4 Vidro laminado – Retire o vidro quebrado antiga e, principalmente, podem impedir a
utilizando um levantador de vidros. colagem do novo vidro.

Vidro temperado – remova a vedação antiga e Preparação do Vidro Novo


todos os pedaços do vidro quebrado.

5 Se necessário, aparar a vedação remanescente ATENÇÃO


para deixar aproximadamente de 1 a 2 mm na
superfície vertical da abertura da moldura da O vidro laminado deve ser manuseado com extre-
cabine. _ Fig. 25. (/ B-40). mo cuidado para evitar que se quebre. Sempre que
possível, armazenar e manusear na posição verti-
cal. Quando apoiar ou levantar o vidro na posição
horizontal, o vidro precisa ser apoiado em toda a
extensão de sua área, e não apenas nas bordas.

BF-1-8_1

1 Certifique-se de que o vidro novo ajusta-se


corretamente na abertura da moldura. 26-A.
a Posicione dois blocos espaçadores 26-B na
parte inferior da abertura da moldura.
b Instale o novo vidro nos blocos espaçadores
– Utilizar sempre os levantadores de vidro
26-C. Verifique se existe uma folga igual em
todas as bordas do vidro.

Nota: Os calços espaçadores são de forma retangu-


lar para permitir folgas de duas dimensões. Se
Fig. 25.
necessário eles podem ser cortados para um
tamanho menor para permitir que a folga seja
6 Aplicar uma camada de “Primer Preto 206J” para
igual em toda a volta do vidro.
pintura, se:
a A pintura foi danificada ou riscada durante Importante: As bordas do vidro não deverão en-
os procedimentos de remoção da vedação / costar-se à moldura, caso contrário o
vidro. movimento da moldura poderá trincar
e eventualmente quebrar o novo vidro
instalado.

B - 40 9803/6570-2 B - 40
Seção B – Carroceria e Estrutura
Procedimentos de Serviço
Estrutura da Cabina

Fig. 28.

3 Certifique-se de que o vidro esteja posicionado


Fig. 26. na bancada na posição correta para cima (isto é,
com a faixa de tinta cerâmica preta para cima)
pronto para a aplicação do primer, etc.
2 Após verificar o tamanho, remova o novo vidro
e apóie-o em uma bancada especialmente 4 Limpe o vidro.
destinada para isso. _ Fig. 27. (/ B-41).
a Utilize o “Removedor Ativo 205” para limpar
profundamente e “preparar” a faixa de tinta
cerâmica preta impressa no vidro (veja Nota).
Utilize um pano livre de linhas e fiapos para
aplicar o “Removedor Ativo 205”, e deixe
agir por 5 minutos para evaporar (tempo de
secagem).
Nota: Não toque no vidro após limpar com o “Remo-
vedor Ativo 205”
b Se o vidro não tiver uma faixa de tinta
cerâmica preta, pintar uma faixa no vidro,
utilizando o “Primer Preto 206J”. A faixa
deve ter aproximadamente 25 mm (1 pol.) de
largura, e a extremidade deve ser uma linha
reta e limpa. _ Fig. 29. (/ B-41).
Fig. 27. Bancada para o Vidro

Vidros menores necessitarão ser colocados sobre


uma prancha de madeira de 600 mm x 700 mm
com 15 a 19 mm de espessura 28-A, disponível
localmente, para ser montado sobre a bancada.É
recomendável que seja feito um furo de acesso
na bancada para acomodar o levantador de vidro,
tornando mais fácil e seguro manusear os vidros
de tamanho menores.A prancha de madeira
deverá ser recoberta com feltro ou carpete para
garantir uma superfície anti-risco.Apoiar o vidro
sobre quatro blocos espaçadores permitirá folga
para a ponta do bico do injetor durante a aplicação
da vedação de poliuretano.
Fig. 29.

5 Instale o cartucho do Adesivo Ultra Rápido (veja


Compostos de Fixação e Vedação, Seção 1 e
Nota) em uma pistola aplicadora apropriada:

B - 41 9803/6570-2 B - 41
Seção B – Carroceria e Estrutura
Procedimentos de Serviço
Estrutura da Cabina

a Remova a cobertura de disco de alumínio Nota: Uma vez aplicado o adesivo pré-aquecido no
da base do cartucho e jogue fora a “cápsula vidro, monte o vidro na abertura o mais rápido
dessecante”. possível. Após aproximadamente 10 minutos
b Certifique-se de que a extremidade enrolada a vedação formará uma “película”, e isto vai
do cartucho não esteja danificada – se impedir que o vidro seja colado.
necessário, as extremidades devem ser
pressionadas, do contrário será difícil remover 7 Após aplicar o adesivo, deixe uma pequena
o cartucho da pistola aplicadora. quantidade de vedação saindo do bico. Isto evitará
a secagem do adesivo deixado no cartucho.
c Perfure a extremidade dianteira do “bico” do
cartucho para o seu diâmetro máximo. Instalação do Vidro Novo
d Monte o bico pré-cortado. _ Fig. 30. (/B-42).
1 Se a faixa de acabamento estiver danificada,
e Instale o cartucho na pistola aplicadora. substitua por outra nova (corte no comprimento
Nota: O Material frio é muito difícil de expulsar. Os necessário) antes de montar o vidro novo.
cartuchos devem ser pré-aquecidos em forno Certifique-se de que os blocos espaçadores
especial por uma hora, a uma temperatura de estão na posição. _ Preparação do vidro novo
80°C (176°F). O pré-aquecimento dos cartu- (/ B-40) – Passo 1.
chos torna o adesivo mais fácil de trabalhar e
também reduz o tempo de “secagem” para 30 2 Instale o vidro na abertura da moldura:
minutos. a Sempre utilize ferramentas especiais
de levantamento quando movimentar o
vidro. Utilize uma correia de levantamento
para segurar vidros maiores na posição.
_ Fig. 32. (/ B-42).

Fig.30.

6 Aplique o adesivo pré-aquecido no vidro (não


comece pelo canto). Mantenha a guia do bico
4-A contra a extremidade do vidro, e certifique
que o adesivo assuma uma forma contínua de Fig.32.
“pirâmide”. _ Fig. 31. (/ B-42).
b Assentar a borda inferior do vidro nos blocos
espaçadores. _ Fig. 33. (/ B-43).

Fig.31.

B - 42 9803/6570-2 B - 42
Seção B – Carroceria e Estrutura
Procedimentos de Serviço
Estrutura da Cabina

c Limpe o vidro utilizando um limpador de


vidros, específico para esta finalidade.

6 Após concluir os procedimentos de instalação do


vidro, limpe a área de trabalho:
a Remova todo vidro quebrado da área da
cabina.
b Remova as coberturas de proteção colocadas
sobre o assento e pedestais de controle.
c Renove todos os decalques de “aviso” e
“informação” de forma que a nova instalação
esteja em conformidade com a instalação da
cabina original.

Fig.33.

c Certifique que o vidro esteja corretamente


posicionado, em seguida pressione-o ao
redor de todas as bordas e assegure-se de
que o contato com o adesivo seja total. Não
pressione demasiadamente o vidro ou o
adesivo poderá sair.

3 Alise a vedação pelo lado interno.


a Utilizando luvas cirúrgicas, molhe seu dedo
em uma solução de água e sabão.
b Utilize seu dedo para alisar a vedação no lado
interno.

4 Todas as bordas expostas devem ser vedadas


utilizando a vedação Poliuretano Preto (veja
Compostos de Fixação e Vedação, Seção 1).

Importante: Tenha extremo cuidado quando limpar


o interior do novo vidro – empurrar com
muita força lado interno do vidro afetará
a integridade da vedação de ligação.

5 Limpe o vidro após a instalação.


a Pequenas quantidades de resíduo da vedação
podem ser limpas do vidro utilizando o
“Removedor Ativo 205”.
b Grandes quantidades de resíduo da vedação
podem ser deixadas para “curar” e então
cortadas com uma faca afiada.

Nota: Após completar os procedimentos de substi-


tuição do vidro, o tempo de “secagem” é de 30
minutos. Isto significa que a máquina poderá
ser utilizada após 30 minutos, mas não pode
ser utilizada durante o período de secagem.

B - 43 9803/6570-2 B - 43
Seção B – Carroceria e Estrutura
Procedimentos de Serviço
Estrutura da Cabina

Verificações
Falha em tomar estas precauções pode resultar em
morte ou acidentes ao operador.
Verifique se a estrutura está danificada. Verifique se
os seis parafusos de fixação A estão corretamente
instalados e em perfeito estado. Verifique o torque de
aperto dos parafusos. Aperte-os com o torque correto,
se necessário.

Definições de torque

Item Nm Kgfm lb pé
A 130 14 96

Fig. 34.

B - 44 9803/6570-2 B - 44
Seção B – Carroceria e Estrutura
Procedimentos de Serviço
Estrutura da Cabina

Verificação da Estrutura da Cabine FOPS


Todas escavadoras são projetadas para que uma es-
trutura de proteção do operador possa ser ajustada.
Em certas aplicações, como demolições, as máquinas
devem ser equipadas com uma Estrutura de Proteção
para Queda de Objetos (FOPS). È responsabilidade
do operador identificar os riscos de uma aplicação.

ATENÇÃO

Você pode morrer ou ser seriamente acidentado


se operar a máquina com uma estrutura ROPS/
FOPS danificada ou removida. Se a Estrutura de
Proteção de Rotação (ROPS) / Estrutura de Prote-
ção para Queda de Objetos (FOPS) tiver sofrido
um acidente, não utilize a máquina até a estrutura
ter sido recuperada. Modificações e Reparos não
aprovados pelo fabricante podem ser perigosos e
invalidarão a certificação ROPS/FOPS.
INT-2-1-9_6

Verifique se todos os parafusos de montagem da


FOPS estão instalados e não danificados. Verifique
se os parafusos de montagem da FOPS estão com o
torque de aperto correto. _ Fig. 35. (/ B-45).

Fig. 35.

1 O Aperto de Torque é 78 Nm (57.5 lbpé)

2 O Aperto de Torque é 343 Nm (253 lbpé)

3 O Aperto de Torque é 343 Nm (253 lbpé)

4 O Aperto de Torque é 78 Nm (57.5 lbpé)

5 O Aperto de Torque é 343 Nm (253 lbpé)

6 O Aperto de Torque é 137 Nm (101 lbpé)

B - 45 9803/6570-2 B - 45
Seção B – Carroceria e Estrutura
Procedimentos de Serviço
Estrutura da Cabina

Página deixada em branco intencionalmente

B - 46 9803/6570-2 B - 46
Seção B – Carroceria e Estrutura

Painéis da Cabina
Remoção do Painel da Cabina
Remova os parafusos como mostrado nas seguintes
ilustrações.

Nota: Tenha cuidado para não forçar os Painéis quan-


do for retirá-los da cabina, pois isto poderia
resultar em quebra dos painéis da cabina.

Painéis da Cabina – Lado Direito

Fig. 38.
Fig. 36.

Fig. 37.

B - 47 9803/6570-2 B - 47
Seção B – Carroceria e Estrutura
Painéis da Cabina
Remoção do Painel da Cabina

Painéis da Cabina – Lado Esquerdo

A408510

Fig. 39.

B - 48 9803/6570-2 B - 48
Seção C

Elétrica
Manual de Serviços - JS160 - JS190
Seção 1 - Informações Gerais
Seção 2 - Cuidados e Segurança
Seção 3 - Manutenção
Seção B - Carroceria e Estrutura
Seção C - Elétrica
Seção E - Hidráulica
Seção F - Transmissão
Seção J - Esteira e Mecanismo de Acionamento
Seção K - Motor

Nº da publicação
9803/6570-2
Produzido por:
ASC Comunicação Técnica
www.asccomunicacao.com.br

Suporte ao Cliente
de Categoria Mundial
Copyright © 2004 JCB SERVICE. Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação pode ser reproduzida, armazenada em um sistema de recuperação
ou transmitida de qualquer forma ou por qualquer outro meio, seja eletrônico, mecânico, fotocópia ou algum outro, sem permissão anterior de JCB SERVICE.

Publicado por Depto. Publicações Técnicas JCB, Treinamento de Pós-vendas JCB, Woodseat, Rocester, Staffordshire, ST14 5BW, Inglaterra. Tel +44 1889 591300 Fax +44 1889 591400
Seção C – Elétrica

Página deixada em branco intencionalmente

C-0 9803/6570-2 C-0


Seção C – Elétrica

Índice Página Nº

Operação Básica do Sistema


Controles e Componentes....................................................... C-1
Controles e Interruptores do Operador................................... C-3
Alavancas / Pedais de Operação............................................ C - 18
Símbolos dos Circuitos............................................................ C - 20
Identificação de Componentes................................................ C - 21
Diagrama Esquemático........................................................... C - 24
Identificação de Componentes................................................ C - 25
Diagrama Esquemático........................................................... C - 28
A. M. S. (Sistema de Gerenciamento Avançado)..................... C - 29
Conceitos dos Circuitos........................................................... C - 31
(PWM) Modulação da Largura de Pulso................................. C - 34
ECU / EMS / FACIA Fonte de Energia e Rede........................ C - 35
ECU 1 Suprimento para saídas do Operador......................... C - 36
Sensibilidade dos Equipamentos............................................ C - 37
Controle de Aceleração do Motor............................................ C - 38
Pressão de Sobre-Alimentação Automática............................ C - 43
Advertência do Nível de Óleo do Motor.................................. C - 46
Pré-Aquecimento do Motor (Velas de Aquecimento).............. C - 48
Aquecimento Automático do Motor......................................... C - 50
Marcha Lenta Automática do Motor........................................ C - 52
Marcha Lenta Instantânea do Motor....................................... C - 53
Partida / Parada do Motor....................................................... C - 55
Sistema do Modo de Retorno para Oficina (Limp Home)....... C - 57
Controle da Bomba para Cada Modo...................................... C - 59
Trava da Alavanca................................................................... C - 65
Isolador do Servo.................................................................... C - 66
Limpador................................................................................. C - 68
Limpador Inferior (Opcional).................................................... C - 70
Lavador.................................................................................... C - 72
Buzina..................................................................................... C - 74
Alarme de Translação.............................................................. C - 76
Suave / Rígido (Amortecimento)............................................. C - 78
Freio de Giro (100%)............................................................... C - 80
Trava de Giro (100% Freio de Giro)......................................... C - 83
Falha da Válvula Solenóide do Freio de Giro.......................... C - 85
Translação de 3 Velocidades................................................... C - 86
Luzes de Trabalho................................................................... C - 90
Sensor de Nível de Combustível / Advertência....................... C - 92
Sensor de Temperatura do Motor / Advertência...................... C - 95
Advertência do Nível de Líquido de Arrefecimento................. C - 99
Advertência do Filtro de Ar Obstruído..................................... C - 100
Luzes Indicadoras de Advertência.......................................... C - 101
Sensor de Temperatura do Sistema Hidráulico / Advertência. C - 102
Advertência de Falta de Carga / Alternador............................ C - 106
Engate Rápido (Opcional)....................................................... C - 108
Alerta de Sobrecarga (Opcional)............................................. C - 110
Luz de Sinalização Rotativa.................................................... C - 112

C-i C-i
Seção C – Elétrica

Índice Página Nº

Somente Martelo..................................................................... C - 114


Opção Eletroímã de Sucata.................................................... C - 117
Luz Interna da Cabine............................................................. C - 118
Bomba de Reabastecimento de Combustível......................... C - 120
Ar Condicionado...................................................................... C - 121
Banco Aquecido...................................................................... C - 122
Conversor de 24 para 12 Volts, Radio e Acendedor de
Cigarros................................................................................... C - 123
Advertência de Necessidade de Serviço................................ C - 125
Menu SET do EMS.................................................................. C - 127
Menu SET + Modo (5 Seg) do EMS........................................ C - 128
Menu SET + Modo (20 Seg) do EMS...................................... C - 129

Localização de Falhas
Serviço Master JCB................................................................. C - 131
Utilização do Serviço Master................................................... C - 132
Seleção de Aplicativos de Ferramentas de Serviço................ C - 133
Páginas da Máquina de Serviço Master 2............................... C - 134
Menus de Sistemas................................................................. C - 136
Visão Geral da Configuração HP............................................ C - 137
Utilização do ECM Setup........................................................ C - 138
Uso do Ajuste de HP............................................................... C - 142
Configuração da Porta DLA.................................................... C - 149
Adaptador do Link de Dados................................................... C - 151
HPDataLogs............................................................................ C - 152
Aplicativo de Programação FLASH......................................... C - 164
Introdução à Ferramenta de Diagnósticos.............................. C - 166
Conexão ao Veículo................................................................. C - 167
Início do Modo de Diagnóstico................................................ C - 168
Diagramas dos Circuitos......................................................... C - 169
Luzes Indicadoras (LEDs)....................................................... C - 170
Interrupção do Modo de Diagnóstico...................................... C - 171
Configuração de Idioma.......................................................... C - 172
Lista das Mensagens de Texto Mostradas no EMS................. C - 173
Localização de Falhas Sem o Uso da Ferramenta de
Diagnósticos Serviço Master JCB........................................... C - 178

Procedimentos de Serviço
Teste de Entradas + Saídas da ECU....................................... C - 183
Reparo do Chicote de Fios...................................................... C - 185
Bateria..................................................................................... C - 188

Dados dos Chicotes


Chicote Principal..................................................................... C - 191
Chicote de Ligação da Interface.............................................. C - 200
Chicote da Cabina................................................................... C - 203
Chicote do Motor..................................................................... C - 214

C - ii C - ii
Seção C – Elétrica

Operação Básica do Sistema


Controles e Componentes

Fig. 1.

1 Console Direito _ Console Direito (/ C-3) 6 Alavanca de Controle Esquerdo da Escavadeira


_ Console Esquerdo (/ C-6)
2 Alavanca de Controle Direito da Escavadeira
_ Console Direito (/ C-3) 7 Alavanca de Travamento de Controle _ Console
Esquerdo (/ C-6)
3 Tela do Monitor (Visão ajustável) _Painel do
Monitoramento (/ C-7) 8 Console Esquerdo _ Console Esquerdo (/ C-6)

4 Controle da Esteira Direita _ Alavancas de 9 Alavanca de Liberação da Trava da Porta


Operação (/C-19)

5 Controle da Esteira Esquerda _ Alavancas de


Operação (/ C-19)

C-1 9803/6570-2 C-1


Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Controles e Componentes

Fig. 2.

10 Pedal de Circuito Opcional (Se equipado) _ Pedal 16 Porta copo


de Circuito Opcional (/ C-19)
17 Suporte para telefone celular
11 Quadro do Painel _ Painel de Controle (/ C-12)
18 Cinzeiro
12 Controles do Ar Condicionado / Aquecedor
_ Controles do Ar Condicionado / Aquecedor 19 Acendedor de cigarros / carregador de telefone
(/ C-14) celular

13 Interruptor de Luzes Internas (Ajustável) _ Luzes


Internas da Cabina (/ C-17)

14 Alavanca de deslizamento do Banco / Console

15 Alavanca de operação do dosador _ Console


Direito (/ C-3)

C-2 9803/6570-2 C-2


Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Controles e Interruptores do Operador

Controles e Interruptores do Operador


Console Direito

Fig. 3.

1 Interruptor de Partida II – Esta posição não é utilizada nesta aplicação.

Este interruptor é operado pela chave de ignição. III – Partida. Opera o motor de partida para
Possui quatro posições. A chave somente pode acionar o motor. O interruptor de partida
ser removida quando está na posição “O”. possui um inibidor para parar o interruptor
que está sendo girado na posição LIGADO,
“O” Motor parado / desligado Gire a chave para quando o motor começa a funcionar.
esta posição para parar o motor. Certifique-se de
que os controles estão na posição neutra e que a Nota: Não opere a partida por mais de 20 segundos
escavadeira e o repouso estão abaixados antes por vez.
de parar o motor.
I – Ligado. Girando a chave para esta posição,
conecta-se a bateria aos circuitos elétricos.
A chave voltará à posição inicial por ação
de mola, quando liberada da posição III.

C-3 9803/6570-2 C-3


Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Controles e Interruptores do Operador

2 Indicador do Acelerador O interruptor B possui três posições, pressione


o interruptor para alterar o circuito hidráulico
Este controle giratório proporciona um controle adicional do circuito 1 do britador, o circuito
progressivo sobre toda a faixa da rotação do auxiliar 2 ou o fluxo do circuito combinado 3.
motor.

Se o motor for acionado com o indicador do


acelerador sem estar na posição mínima, nenhum
controle de rotação do motor será possível até
que o indicador seja primeiramente colocado na
posição mínima.

Nota: Se a rotação do motor não se alterar mesmo


após a colocação do indicador, isto é porque
a marcha lenta automática ou o interruptor de
um toque está LIGADO. Empurre o interruptor
de marcha lenta para a posição DESLIGADO,
para reativar o indicador do acelerador.

3 Luz indicadora SAE / ISO (Se equipado).

A luz indica se o modo dos controles do servo está


ligado. A luz indicadora ficará sempre iluminada
no modo selecionado quando o motor estiver Pressione o interruptor para alterar o circuito
funcionando. hidráulico adicional do circuito auxiliar
(fluxo total) para o circuito do martelo (fluxo
4 Interruptor auxiliar / martelo (Se equipado).
reduzido).
a Máquinas com britador combinado e circuito
auxiliar de duas vias. 5 Interruptor do banco aquecido (Se equipado).
O interruptor A possui duas posições, O interruptor ativa ou desativa o aquecimento do
pressione o interruptor para alterar o circuito banco.
hidráulico adicional do circuito 1 do britador
para o circuito auxiliar 2. Nota: O elemento do banco somente é aquecido
quando o termostato cai abaixo de 20ºC.

6 Abaixe o interruptor do limpador (se equipado).

O interruptor ativa ou desativa o limpador inferior.

7 Interruptor de Prioridade da Lança (Se equipado).

Pressione o interruptor para alterar a prioridade


de elevação da lança para inclinação. Selecionar
o interruptor de prioridade da lança durante uma
operação simultânea com a esteira e operação da
lança, restringirá o fluxo para o motor da esteira
e, portanto fornecerá maior fluxo à operação de
elevação da lança.

Quando o interruptor é pressionado, o monitor


mostrará a mensagem de aviso “BOOM PRIOR”.

8 Interruptor de acionamento do radio.


b Máquinas com britador, circuito auxiliar de
duas vias e circuitos combinados. Este interruptor é utilizado para interromper
temporariamente o som do radio. Quando o
interruptor de acionamento é selecionado, a luz
indicadora se iluminará. Quando o interruptor é
re-selecionado, o som do radio será restaurado
e a luz indicadora apagará.

C-4 9803/6570-2 C-4


Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Controles e Interruptores do Operador

9 Interruptor da luz de serviço

Pressione o interruptor na primeira posição para


acender as luzes Standard (Na lança e do lado
direito da máquina). Pressione o interruptor na
segunda posição para acender as luzes opcionais
(Na cabina e no contrapeso – se equipado).

10 Interruptor do Circuito Auxiliar (Fluxo baixo)

Este interruptor oscilante de três posições, com


carga de mola para a parte central DESLIGADO,
fornece o fluxo bi-direcional para os acessórios
relevantes, isto é cortador de grama, garra
rotativa. Pressione e mantenha o interruptor
para a direita ou para a esquerda, conforme
necessário, enquanto o acessório estiver sendo
utilizado. Libere o interruptor para desligar o
acessório.

11 Interruptor de Marcha Lenta Instantânea

Ao pressionar este interruptor, a rotação do


motor altera-se imediatamente para menos
e para mais entre aquele selecionado para
trabalhar em rotação de “marcha lenta baixa”.
Quando a rotação de “marcha lenta baixa” tiver
sido selecionada, a mensagem “LOW IDLE”
é mostrada na tela do monitor. Este recurso é
cancelado quando o interruptor de alteração de
Manual / Auto é colocado na posição “Auto”.

12 Ponto de energia de 12 V / Acendedor de cigarros

Pa ra o p e ra r o a c e n d e d o r, p r e s s i o n e - o
completamente para dentro de seu soquete.
Quando estiver suficientemente aquecido, será
projetado um pouco para fora de seu soquete,
por uma mola. Pode então ser removido para
uso. LEMBRE-SE QUE ELE ESTARÁ QUENTE.
Retorne o acendedor para sua posição após o uso.
Esta máquina está equipada com um sistema de
12 V e pode ser utilizada para carregar a bateria
de telefones celulares ou outros dispositivos
energizados com 12 V (máximo de 5A).

13 Interruptor de Mudança de Velocidade de


Translação

Este interruptor é utilizado para alterar a velocidade


da máquina entre alta, média e baixa _Botão de
Mudança da Velocidade deTranslação ( / C-18)

C-5 9803/6570-2 C-5


Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Controles e Interruptores do Operador

Console Esquerdo

Fig. 4.

1 Interruptor da Buzina

Quando o interruptor da buzina é pressionado, a


buzina soa.

Nota: Pressione sempre o interruptor e acione a buzi-


na para dar sinais, quando a máquina começa
a funcionar ou quando você engrenar para uma
translação ou mover as esteiras.

2 Alavanca de Segurança

Levantar esta alavanca possibilita isolar os


controles hidráulicos e constitui parte integrante
do procedimento de abandono da cabine. Abaixe
a alavanca para ativar os controles hidráulicos.

3 Interruptor de Prioridade da Lança


Fig. 5.
Pressione e mantenha o interruptor para alterar a
prioridade de oscilação para elevar a lança. Libere
o interruptor para desabilitar a prioridade da lança.

4 Luz de Cortesia

Uma luz de cortesia é fornecida se a iluminação


da cabina for necessária durante a entrada ou
na preparação para deixar a cabina. Interruptor
de luz programada está localizado na lateral do
console esquerdo, junto à porta em 4. A luz se
apagará automaticamente após 5 minutos ou
após o interruptor ser pressionado pela segunda
vez.

C-6 9803/6570-2 C-6


Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Controles e Interruptores do Operador

Painel de Monitoramento 4 Interruptor ACK (reconhecimento)

1 Tela do Painel de Monitoramento Pressione este interruptor para validar as


advertências mostradas na tela. Isto cancelará
O painel de monitoramento está localizado na a mensagem, mas não apagará as luzes de
frente da cabina, na linha de visão do banco do advertência. O interruptor ACK pode cancelar o
operador. Ele fornece a interface com o sistema funcionamento do alarme sonoro de advertência.
das máquinas. A tela possui 20 segmentos em
barras para indicação das temperaturas da 5 Interruptor de Rolagem da Tela Para Cima
água do motor e óleo hidráulico e do volume do 6 Interruptor de Rolagem da Tela Para Baixo
reservatório de combustível, um relógio, indicação
de velocidade, potência do motor e indicador de 7 Luzes de Advertência
funcionamento do horímetro. O painel também
apresenta uma área de mensagens de onze Dezoito luzes indicadoras de advertência estão
caracteres. incluídas no monitor.

2 Interruptor de Modo

Pressione para selecionar o modo de trabalho. A


máquina permanecerá no mesmo modo em que
for desligada. Cada seleção alternará os modos
da seguinte maneira:

E-A-P-L-E

(O modo aplicado é indicado próximo à mensagem


POWER MODE (modo de potência)).

Selecione o modo de trabalho apropriado


adequado para o trabalho efetuado:
A - AUTO MODE para a escavação pesada ou
potência maior de trabalho e escavação geral.
Não recomendado para nivelamento devido
à variação na RPM do motor e controle da
bomba.
E - ECONOMY MODE para a escavação e
carregamento com baixo consumo de
combustível.
P - PRECISION MODE para trabalho de precisão
ou baixo esforço. Fig. 6.
L - LIFTING MODE para operações que exigem
exatidão máxima, incluindo elevação, com Indica que as horas de trabalho da máquina
disponibilidade de pressão hidráulica extra, são exibidas no canto superior esquerdo da
se necessário. tela. Este símbolo pisca quando a máquina
está operando, e isto significa o horímetro
3 Interruptor de Ajuste está aumentando o tempo de serviço.

Pressione o interruptor SET (ajuste) para acessar


o menu do monitor. O menu pode ser rolado pelo Indica a hora no canto superior direito da
uso dos interruptores de Rolagem Para Cima e tela.
Para Baixo.

C-7 9803/6570-2 C-7


Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Controles e Interruptores do Operador

Indica que a transmissão de informações Isolador do Servo Ativado


está mostrada no centro superior da tela. Ilumina-se quando o isolador do servo das
máquinas está acoplado. Abaixe a alavan-
ATENÇÃO ca de trava ou pressione o interruptor do
isolador para desacoplar o isolador.
Todas as luzes de advertência devem se apagar
menos de 10 segundos após a partida do motor.
Nível Baixo de Líquido de Arrefecimento
Corrija todas as falhas imediatamente.
Ilumina-se caso o nível de líquido de ar-
0009 refecimento do motor fique muito baixo.
Inspecione e reabasteça com líquido de
Luzes de Advertência arrefecimento.

Trava de Giro Ativada


Temperatura Alta do Líquido de Arrefecimento
Ilumina-se quando a trava de giro da
do Motor
máquina está ativada. Pressione o inter-
ruptor da trava do giro para desativar a Ilumina-se caso a temperatura do líqui-
trava do giro. do de arrefecimento do motor aumente
excessivamente. Coloque o motor em
marcha lenta e aguarde até que a tem-
Diagnóstico do Motor peratura se normalize (inspecione e limpe
Ilumina-se quando ocorre um erro com o o radiador).
motor. O código de erro do motor é exibi-
do na tela do painel. Consulte o Manual
Pressão Baixa do Óleo do Motor
de Serviços do Motor.
Ilumina-se caso a pressão do óleo do mo-
tor diminua excessivamente. A luz deverá
Falha no Sistema de Carga se apagar após a partida do motor. Caso
Ilumina-se quando a tensão da bateria permaneça acesa, desligue o motor, veri-
é baixa. Caso ela se acenda, verifique o fique o nível de óleo e inspecione quanto
circuito elétrico. a vazamentos.

Necessidade de Serviço Filtro de Ar do Motor Obstruído


Esta luz de advertência ilumina-se quan-
do há necessidade de um serviço. A Ilumina-se caso filtro de ar do motor esteja
luz de advertência pisca para indicar a obstruído. Substitua o elemento.
necessidade de um serviço secundário
(250 horas) e pode ser cancelada pres-
sionando-se o interruptor ACK no monitor. Temperatura Alta do Óleo Hidráulico
A luz de advertência permanecerá acesa
Ilumina-se caso a temperatura do fluido
continuamente quando for necessário
hidráulico aumente excessivamente. Co-
um serviço primário (500 horas). Caso
loque o motor em marcha lenta e aguarde
permaneça acesa continuamente, entre
até que a temperatura se normalize (ins-
em contato com seu Concessionário JCB.
pecione e limpe o radiador).

Indicador de Falha

Veja a mensagem na tela do painel.

C-8 9803/6570-2 C-8


Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Controles e Interruptores do Operador

Controle de Cruzeiro (Somente Máquina com Ajustes do Monitor


Rodas) Interruptor SET (ajuste)
Ilumina-se quando o controle de cruzeiro Pressione o interruptor SET para acessar o menu do
é ativado no painel de interruptores do monitor. Use o menu SET para alterar os ajustes de
console esquerdo. algumas das funções da máquina. O menu pode ser
rolado para cima e para baixo por meio dos respectivos
interruptores de rolagem. Quando o item requerido
Indicador de Direção (Somente Máquina com for exibido ou após finalizar os ajustes, pressione o
Rodas) interruptor ACK (validação) para confirmar.
Acende-se intermitentemente junto com Velocidade Intermitente do Limpador do Pára-
os indicadores de direção (Também pisca Brisas - Usado para ajustar o intervalo de tempo
com as luzes do pisca-alerta. Sempre do limpador intermitente do pára-brisas.
utilize os indicadores para sinalizar antes
de realizar uma manobra).
ACK
WIPER SPD-1 Use as teclas de rolagem para
Indicador das Luzes do Pisca-Alerta (Somente alterar a velocidade
Máquina com Rodas)
ACK
Acende-se intermitentemente junto com
as luzes do pisca-alerta (mesmo com o
interruptor de partida desligado). Ligue Idioma - Usado para alterar o idioma das mensa-
as luzes do pisca-alerta sempre que sua gens da tela.
máquina apresentar um possível risco.
Data - Usado para ajustar a data.
Indicador de Farol Alto (Somente Máquina com DATE
Rodas)
ACK 02-10-1999 Use as telas de rolagem para al-
terar a data.
Ilumina-se quando o farol principal está
aceso. ACK

Set Clock - Use para ajustar a hora exibida.


Modo de Translação (Somente Máquina com CLOCK
Rodas)
ACK
Ilumina-se quando a translação em estra-
12/24? Use as teclas de rolagem para
da é ativada no painel de interruptores do
alterar o relógio para 12h ou 24h.
console esquerdo.

ACK
Pressão Baixa do Freio (Somente Máquina com
Rodas) 12:10 Use as teclas de rolagem para
alterar a hora.
Ilumina-se quando a pressão no circuito
ACK
do freio diminui abaixo do mínimo permis-
sível predeterminado.

Modo de Direção de Emergência (Somente Má-


quina com Rodas)
Acende-se para indicar que houve falha
da pressão da direção hidráulica. O es-
terçamento ainda é possível, apesar de
requerer maior esforço.

C-9 9803/6570-2 C-9


Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Controles e Interruptores do Operador

Horas do martelo - Usado para visualizar o total Quando os ajustes estiverem completos ou a qualquer
cumulativo de horas de utilização do martelo. tempo, pressione o interruptor SET novamente para
Usado também para reiniciar o contador de horas sair do menu SET e retornar à tela normal.
desde o último serviço do martelo.
HAMMER HRS
ACK
12345 (quantidade 1234 (horas desde o último
total de horas de utili- serviço do martelo)
zação do martelo)
ACK
RESET HRS? Reinicializa o contador de
horas desde o último serviço
do martelo.
ACK

Velocidade do motor para martelo - Usado para


ajustar a rotação máxima do motor para a utiliza-
ção de um britador. A utilização de um britador
poderá requerer a limitação da rotação do motor.
Consulte seu Concessionário JCB.
HAMMER
RPM
ACK
RPM 1200 Use as teclas de rolagem para alterar
a RPM.
ACK

Tempo de marcha lenta automática - Usado para


ajustar o retardo de tempo para o sistema de
marcha lenta automática.
AUTO
IDLE T
ACK
5 Use as teclas de rolagem para alterar
o tempo.
ACK

Bomba de reabastecimento - Usado para ajustar


o nível de abastecimento.
REFUEL_LVL
ACK
50 Use as teclas de rolagem para alterar o
nível de abastecimento de 50 até 100%
em incrementos de 5%.
ACK

C - 10 9803/6570-2 C - 10
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Controles e Interruptores do Operador

Lista das Mensagens do Monitor

Mensagem Exibida Significado


Motor em marcha lenta (quando o modo de marcha lenta automática ou marcha lenta
LOW IDLE
instantânea está ativado)
SWING LOCK Trava de giro ativada
OVERLOAD Advertência quando a máquina está levantando uma carga superior a sua capacidade
Sistema de advertência de sobrecarga ativado. Ativa uma advertência se a carga
OVERLOAD ON
sendo elevada exceder a capacidade segura
Sistema de aquecimento automático do motor ativado (o aquecimento automático será
AUTO WARM cancelado se o interruptor de marcha lenta instantânea for pressionado, o botão do
acelerador for movido ou as alavancas da escavadeira forem operados)
Aquecimento do motor ativado. Quando a temperatura é baixa, o ECM do motor ativa
PREHEAT
automaticamente o pré-aquecimento.
Verifique visualmente se o engate rápido está conectado, o alarme soará. (Pressione
CHECK Q/H
ACK para confirmar, o alarme cessará)
Q/H DISCON? Desconectar o engate rápido da caçamba? (Pressione ACK para confirmar)
Q/H DISCON Engate rápido da caçamba desconectado
LOW FUEL Nível baixo no tanque de combustível
RES FUEL Nível de reserva no tanque de combustível
Parada de emergência (o motor é desativado e o interruptor deve ser pressionado
EMER STOP
novamente para permitir nova partida do motor)
NO THROTTLE Falha no sistema de controle do motor - consulte um Concessionário JCB.
A máquina está no modo de emergência. (_Interruptor alimentação de emergência
LIMP MODE
(/ C13)).
AUTO Para escavação pesada ou potência de trabalho aumentada e escavação geral.
ECONOMY Escavação e carregamento com baixo consumo de combustível
PRECISION Para trabalho com exatidão ou leve
Para operações que requerem a máxima exatidão, incluindo elevação, com pressão
LIFT
hidráulica extra se necessário.
NÃO DESLIGUE O INTERRUPTOR. O motor é incapaz de dar nova partida devido a
NO RESTART
uma falha do motor. Mova a máquina para um local seguro antes de desligá-la.
LOW POWER A potência do motor é reduzida devido a uma falha do motor.
Martelo utilizado continuamente por 10 segundos (Portanto com risco de superaque-
MOVE HAMMER
cimento e aumento de desgaste).
OIL CHANGE Indica necessidade de troca de óleo.
SERVICE RQD Indica necessidade de serviço de manutenção.

C - 11 9803/6570-2 C - 11
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Controles e Interruptores do Operador

Painel de Controle

Fig. 7.

1 Parada de emergência 5 Travamento do sistema hidráulico


Pressione para desligar o motor. O monitor exibirá Pressione o interruptor para travar o sistema
a mensagem de reconhecimento “EMER STOP”. hidráulico. O monitor exibirá a mensagem de
Pressione-o novamente para permitir a nova reconhecimento “ISOLATOR” (travado). Quando
partida do motor. pressionado, os controles hidráulicos são travados
e nenhum movimento da máquina é possível.
2 Trava do giro
6 Engate rápido (opcional) - Posicione a caçamba
Pressione o interruptor para aplicar a trava do giro. no chão.
O monitor exibirá a mensagem de reconhecimento
“SWING LOCK” (trava do giro). Pressione-o Quando um sistema de engate rápido estiver
novamente para liberar a trava do giro. Ele retorna instalado, pressione o interruptor para liberar
para a condição desligada quando o motor dá o engate. O monitor exibirá a mensagem “Q/H
nova partida. DISCON?” (desconectar engate rápido?) e o
alarme soará. Pressione o interruptor ACK no
3 Alerta de sobrecarga (opcional) monitor em menos de 5 segundos. O monitor
exibirá a mensagem de reconhecimento “Q/H
Nos modos A, E e P, o sistema de alerta da DISCON” (desconectar engate rápido).
sobrecarga é ajustado desligado. Pressione o
interruptor para ativar o sistema. No modo L, o Pressione o interruptor novamente para reaplicar
sistema de alerta de sobrecarga é ajustado ligado. o engate rápido. O monitor exibirá a mensagem
Pressione o interruptor para desativar o sistema. “CHECK Q/H” (verificar engate rápido) e o alarme
Quando o sistema está ativado, caso uma carga soará. Verifique visualmente o engate rápido e
exceda a capacidade de elevação da máquina, ative o interruptor ACK no monitor para confirmar.
o monitor exibirá a mensagem de advertência O alarme cessará.
“OVERLOAD” (sobrecarga) e um alarme sonoro
soará. 7 Luz de sinalização rotativa
4 Amortecimento Quando houver uma luz de sinalização rotativa
instalada, pressione este interruptor para ativá-la.
Este interruptor seleciona ou desabilita o modo
amortecido de operação dos cilindros hidráulicos O monitor exibirá mensagem de reconhecimento
de elevação/abaixamento da lança e os cilindros “BEACON ON” (luz de sinalização rotativa ligada).
hidráulicos de entrada/saída do braço. O interruptor acionará a tomada na qual a luz
de sinalização rotativa ou a luz da inspeção de
O modo suave é ligado automaticamente durante serviços está conectada.
a partida da máquina. Pressione-o para mudar
para o modo rígido. O monitor exibirá a mensagem 8 Lavador do pára-brisas
de reconhecimento “HARD MODE” (modo rígido).
Pressione novamente para selecionar o modo Pressione este interruptor para usar o lavador do
amortecido. pára-brisas. O funcionamento do lavador cessará
quando o botão for liberado. O limpador do pára-
brisas funcionará enquanto o lavador for utilizado.

C - 12 9803/6570-2 C - 12
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Controles e Interruptores do Operador

9 Limpador do pára-brisas

Pressione o interruptor uma vez para operar o


limpador do pára-brisas no modo intermitente.
O monitor apresentará a mensagem de
reconhecimento “WIPER INT” (limpador
intermitente). A freqüência do limpador pode ser
ajustada por meio do menu do monitor. Pressione
uma segunda vez para operar o limpador
continuamente. O monitor exibirá a mensagem de
reconhecimento “WIPER ON” (limpador ligado).

10 Marcha lenta automática

Pressione este interruptor para ativar o sistema


de marcha lenta automática do motor. O monitor
apresentará a mensagem de reconhecimento
“AUTO IDLE” (marcha lenta automática). A
rotação do motor, automaticamente se reduzirá
para rotação de marcha lenta quando o motor
permanecer mais de 5 segundos em rotação
constante e sem carga a tela do monitor mostrará
“LOW IDLE”. O intervalo de tempo pode ser
ajustado por meio do menu do monitor (_Painel
de Monitoramento (/ C-7). Fig. 8.
Nota: No modo automático, esta função permanece
ativada permanentemente.

Interruptor de alimentação de emergência


Sob condições normais, o interruptor A permanece
desligado. Em condições de emergência, torna-se
necessário ligar o interruptor. O interruptor possui uma
trava na tampa que deve ser deslizada para o centro
do interruptor durante o pressionamento.
Ativando-se o interruptor de alimentação de emer-
gência, é possível dar partida no motor e operar as
funções hidráulicas. O motor funcionará em marcha Fig. 9.
lenta e, no modo de alimentação de emergência, o
monitor exibirá a mensagem “LIMP MODE” (modo de
retorno para oficina). A máquina somente poderá ser
operada neste modo para permitir seu deslocamento
para uma posição segura.

C - 13 9803/6570-2 C - 13
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Controles e Interruptores do Operador

Controles do Aquecedor/Ar-condicionado Utilização do Ar-condicionado

Localizados no console direito, os controles do aque- 1 Em clima quente, para produzir condições de
cedor/ar-condicionado são usados em conjunto com trabalho confortáveis:
os controles do ventilador do aquecedor.
a Feche a porta e as janelas.
Controles do aquecedor b Ajuste o controle D totalmente no sentido
anti-horário para evitar aspirar ar quente
proveniente do exterior da cabine.
c Coloque o controle A totalmente no sentido
horário para direcionar o ar para o interior da
cabine.
d Ajuste o controle B totalmente no sentido anti-
horário para evitar reaquecer o ar-condicionado
desumidificado. Se a temperatura no interior
da cabine abaixar demasiadamente, ajuste o
controle de aquecimento no sentido horário
para corrigir a situação.

2 Em clima frio / úmido, para minimizar o


embaçamento:
a Feche a porta e as janelas.
b Ajuste o controle D totalmente no sentido
Fig. 10. anti-horário para evitar aspirar o ar úmido
proveniente do exterior da cabine.
Ventilador do Aquecedor
c Ajuste o controle A totalmente no sentido
Gire a chave rotativa A no sentido horário para ligar o horário para direcionar o ar para o pára-brisas.
ventilador do aquecedor. O volume de ar proveniente
d Coloque o controle B totalmente no sentido
do aquecedor aumenta girando-se a chave ainda mais
horário para aquecer o ar-condicionado
no sentido horário.
desumidificado, desembaraçar o pára-brisas
e desumidificar de modo geral o ar da
Temperatura
cabine.a Close the door and windows.
Gire a chave rotativa B no sentido anti-horário para
Importante: Funcione o ar condicionado pelo menos
obter a temperatura mínima. Gire-a totalmente no
10 minutos por mês.
sentido horário para a temperatura máxima (as po-
sições intermediárias proporcionam temperaturas
intermediárias).

Controles do Ar-condicionado (se equipado)


Gire a chave rotativa C no sentido horário para sele-
cionar o ar-condicionado.
Gire a chave rotativa C totalmente no sentido horário
para a máxima refrigeração (as posições intermediá-
rias proporcionam temperaturas intermediárias).

Ar Fresco/Ar Recirculado
Gire a chave rotativa D totalmente no sentido anti-ho-
rário para obter ar fresco. Gire-a totalmente no sentido
horário para recircular o ar (as posições intermediárias
proporcionam uma mistura de ar fresco e recirculado).

C - 14 9803/6570-2 C - 14
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Controles e Interruptores do Operador

Controles Somente do Aquecedor Ventilador do Aquecedor (Três Velocidades)

Localizado no console direito, o sistema de aquecimen- Gire o controle 3 para acionar o ventilador do aquece-
to é controlado pelos seguintes interruptores: dor de três velocidades da cabina. Funciona somente
com o interruptor da partida na posição IGN.
1 Interruptor de recirculação

2 Interruptor do ventilador de três velocidades

3 Interruptor de controle da temperatura

Fig. 11.

Controles do Aquecedor
O ar aquecido pode ser direcionado para o pára-brisa
dianteiro (para desembaçamento) e / ou para o piso
da cabina, pelo ajuste dos difusores de ar. A tempe-
ratura pode ser ajustada pelo controle de operação.
O interruptor de controle 2 controla o ventilador de
três velocidades.

Controle do Ar
Gire o controle 1 para a posição A para permitir que o
ar fresco entre na cabina. A posição B proporciona ar
recirculado e deve ser usada ao operar em ambientes
de trabalho com muita poeira. A posição B também
pode ser utilizada para aumentar o desempenho do
aquecedor durante o aquecimento da cabina, e na
operação da máquina em serviços leves.

Controle de Aquecimento
Gire o controle no sentido horário para aumentar a
temperatura. Gire no sentido anti-horário para diminuir
a temperatura.

C - 15 9803/6570-2 C - 15
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Controles e Interruptores do Operador

Controles do Aquecedor / Ar Condiciona- 1 O modo automático é ativado pelo interruptor 2,


do (ATC) o LED se iluminará e uma letra “A” aparecerá na
tela 7.
O aquecedor / ar condicionado pode ser ajustado para
controle automático da temperatura (ATC). 2 Gire o controle 5 para ajustar a temperatura
desejada.
Localizado no console direito, o sistema de aquecimen-
to é controlado pelos seguintes interruptores: 3 A temperatura ajustada será mostrada no painel
7.

4 A velocidade do ventilador será automaticamente


ajustada para alcançar e então manter a
temperatura ajustada.

Nota: Se o controle 6 for movido, o modo automático


precisará ser reajustado. Pressione o interrup-
tor 2 para reativar.

5 Em clima quente ou ambientes com muita poeira,


o modo de recirculação deve ser usado. Selecione
o interruptor 3.

Modo Descongelamento / Desembaçamento


Para ativar pressione o interruptor 4, o LED se ilumi-
nará e o símbolo do interruptor será mostrado em 7.
Fig. 12. 1 Em clima quente, para produzir condições de
trabalho confortáveis.
1 Interruptor Liga-Desliga
a Feche portas e janelas.
2 Interruptor do modo automático b Selecione o interruptor de recirculação 3.
3 Interruptor de recirculação c Gire o controle 6 no sentido horário e direcione
o ar para o interior da cabina.
4 Interruptor de Descongelamento/ Desemba-
çamento d Gire o controle 5 completamente no sentido
anti-horário para descongelamento máximo.
5 Interruptor de controle da temperatura Se a temperatura na cabina cair, gire o
controle no sentido horário.
6 Interruptor do ventilador
2 Em clima frio / úmido, para minimizar o
7 Tela
embaçamento.
Controles do Aquecedor a Feche portas e janelas.

O ar aquecido pode ser direcionado para o pára-brisa b Selecione o interruptor de recirculação 3.


dianteiro (para desembaçamento) e / ou para o piso c Ajuste o controle 6 completamente no sentido
da cabina, pelo ajuste dos difusores de ar. Para ativar horário e direcione o ar para o pára-brisa.
os controles, pressione o interruptor 1, o interruptor
LED e o painel 7 se iluminarão. d Ajuste o controle 5 completamente no sentido
horário para aquecer o ar condicionado
Modo Automático desumidificado, desembaçar a tela e
geralmente desumidificar o ar da cabina.
O aquecedor pode ser ajustado para uma temperatura
selecionada. O controle da velocidade e temperatura
do ventilador será então automaticamente controlada
para manter a temperatura selecionada.

C - 16 9803/6570-2 C - 16
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Controles e Interruptores do Operador

Luzes Internas da Cabina


A luz interna A se localiza no lado esquerdo da parede
traseira da cabine.
Para acendê-la, pressione qualquer lado da luz. Para
apagá-la, pressione o outro lado e retorne-a à posição
central. A luz também pode ser ligada por um período
de cinco minutos utilizando-se o interruptor do console
esquerdo.

Fig. 13.

C - 17 9803/6570-2 C - 17
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Alavancas / Pedais de Operação

Alavancas / Pedais de Operação


Alavancas / Pedais de Translação Botão de Mudança da Velocidade deTrans-
lação
A translação é controlada por duas alavancas / pedais,
A e B, localizados na parte frontal da cabine. Cada A velocidade de translação da máquina pode ser
alavanca controla a esteira do mesmo lado, ou seja, a alterada para alta, média e baixa. (A velocidade de
alavanca esquerda controla a esteira esquerda quando translação é registrada no desligamento do motor e
a cabine está voltada para frente, ou seja, na direção reaplicada na próxima partida). Cada vez que o botão
das unidades de recuo. Antes de operar a alavanca de C é pressionado, a velocidade é alterada para a próxi-
translação, confirme se o chassi inferior está voltado ma velocidade superior. (Quando estiver na velocidade
para frente ou para trás. alta, será selecionada a velocidade baixa).

Fig. 14. Fig. 15.

Nota: Quando não estiver em translação, não coloque Modo de


seus pés sobre os pedais de translação. Opção Selecionada
Translação
Alta velocidade. Use quando o
ADVERTÊNCIA solo for nivelado. Ao subir um acli-
ve, com o conseqüente aumento
Quando a cabine é girada de modo que fique
da carga, a velocidade mudará
voltada na direção da extremidade do motor da
automaticamente para média e,
esteira do chassi inferior, a ação dos controles
quando a carga se reduzir, retor-
das esteiras será invertida. Tome extremo cuidado!
nará automaticamente para alta.
8-2-8-1

Velocidade Média

Velocidade Baixa. Use quando


subir ou descer uma rampa ou
quando o terreno for irregular.
Esta velocidade não muda auto-
maticamente.

C - 18 9803/6570-2 C - 18
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Alavancas / Pedais de Operação

Alavancas de Operação Pedal de Circuito Opcional (se equipado)


As operações da lança, braço, caçamba e giro podem Operando-se o pedal A, um circuito auxiliar de fluxo
ser controladas de maneira individual ou simultânea. A total poderá ser operado (se equipado).
velocidade de operação varia de acordo com o curso
da alavanca de operação. Ao soltar a alavanca de
operação, a alavanca retorna automaticamente para
o ponto neutro.

Fig. 17.

401870
Nota: Quando não estiver utilizando os pedais de
serviço, não descanse seus pés sobre os pe-
Fig. 16. dais .

Nota: Quando a alavanca de giro for colocada no- Método de Operação ISO
vamente no ponto neutro, a máquina não irá
parar de girar imediatamente devido à inércia. A operação desta máquina está em conformidade com
Considere isto quando efetuar operações de o método de operação ISO, a menos que ela esteja
orientação. O funcionamento do acessório da equipada com um interruptor de conversão ISO para
caçamba será invertido quando ele for instala- SAE.
do na posição inversa; tome extremo cuidado.

C - 19 9803/6570-2 C - 19
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Símbolos dos Circuitos

Símbolos dos Circuitos


As seguintes notações são usadas na descrição de circuitos e desenhos.

Fig. 18.

Entradas e Saídas
As letras I/p e O/p se referem à entrada e saída.
As letras entre parênteses, ou seja, (C-21), se referem
ao conector e número do pino.

Fig. 19.

C - 20 9803/6570-2 C - 20
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Identificação dos Componentes

Identificação dos Componentes


JS160 / JS180
Os números dos itens da seguinte tabela são identificados no esquema elétrico apresentado nesta seção.
_ Fig. 22. (/C-24).

item Nº Peça Descrição Localização


1 728/80071 Unidade de controle eletrônico 1 Atrás do painel traseiro da cabine
2 728/80073 Sistema de monitoração eletrônica Frente da cabine
3 701/80369 Painel de interruptores Lado direito da cabine
5 716/30155 Botão do acelerador No console direito
6 701/80184 Interruptor com chave No console direito
7 701/80214 Interruptor (redundância) Atrás do assento do operador
8 30/926484 Ar-condicionado Abaixo do painel traseiro da cabine
9 30/926483 Aquecedor Abaixo do painel traseiro da cabine
10 30/925588 Controlador (ar-condicionado) No console direito
11 701/60030 Corpo de interruptores Debaixo do console direito
12 701/58826 Tampa dos interruptores (luz de trabalho) No console direito
13 717/12900 Acendedor de cigarros (12 V) No console direito
14 717/20346 Rádio Traseira da cabine no teto
15 701/80215 Interruptor de limite (alavanca) Abaixo da barra de trava da alavanca
16 701/60041 Interruptor (luz da cabine) Lado externo do console esquerdo
18 700/43900 Luz de trabalho Caixa de ferramentas
19 700/50022 Luz de trabalho Lança
20 701/80374 Interruptor piloto do britador Debaixo da cabine no pedal do britador
21 25/221094 Interruptor da alavanca esquerda Alavanca de controle esquerda
22 25/221095 Interruptor da alavanca direita Alavanca de controle direita
Atrás do painel traseiro da cabine na parte superior da
23 717/20154 Tomada de voltagem
caixa do aquecedor
25 6900/0624 Limpador do pára-brisas Pára-brisas dianteiro
26 6900/0587 Luz ambiente Traseira da cabine no teto
27 716/30205 Relé da bateria No compartimento do lado esquerdo
28 708/04100 Bateria No compartimento do lado esquerdo
29 KHR1589 Conexão fusível (25A) No compartimento do lado esquerdo
30 KHR1592 Conexão fusível (60A) No compartimento do lado esquerdo
32 25/222203 Válvula solenóide No alojamento da bomba do lado direito
33 215/220996 Válvula solenóide No alojamento da bomba do lado direito
34 01/145194 Motor Traseira da máquina
Interruptor inferior no lado direito da válvula de controle
35 701/80374 Interruptor piloto, superior
principal
Interruptor superior no lado direito da válvula de controle
36 701/80375 Interruptor piloto, translação
principal
37 701/80373 Interruptor piloto x 2 Orientação e Lança No coletor debaixo da cabine
40 717/07700 Alarme de translação Debaixo do contrapeso
41 20/925502 Bomba No alojamento da bomba do lado direito
42 20/925546 Bomba de reabastecimento Caixa de ferramentas

C - 21 9803/6570-2 C - 21
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Identificação dos Componentes

item Nº Peça Descrição Localização


43 215/11950 Limpador do pára-brisas inferior Debaixo da cabine
44 700/26700 Luz de sinalização Seção central
45 714/40226 Compressor Ar Condicionado Frente do motor
Interruptor binário do ar condicionado No condensador do ar-condicionado no alojamento do
46 30/925618
radiador
47 717/20152 Buzina Entre os cilindros hidráulicos da lança
48 JHN0160 Reservatório do lavador do pára-brisas Caixa de ferramentas
49 716/30260 Relé de pré-aquecimento No compartimento esquerdo debaixo do relé da bateria
50 716/30129 Sensor de temperatura No tubo de sucção da bomba hidráulica
51 701/80328 Interruptor de superaquecimento No tubo de sucção da bomba hidráulica
52 704/50186 Sensor do nível de combustível No lado esquerdo do tanque de combustível
Interruptor do nível de líquido de arrefeci- No reservatório de expansão no alojamento do radiador
53 331/13929
mento
54 JNH0070 Interruptor de obstrução do filtro de ar No duto de indução de ar
Pressostato de sobrecarga Parte posterior do coletor entre os pés do cilindro hidráu-
55 701/80192
lico da lança
56 701/80372 Interruptor piloto, modo automático No coletor debaixo da cabine
Interruptor piloto, sobre-alimentação auto- Parte dianteira inferior do bloco de válvulas principal
57 701/80462
mática
58 701/60000 Interruptor (emudecimento do rádio) No console direito
59 701/60031 Interruptor (assento aquecido) No console direito
60 40/910552 Interruptor do assento aquecido Cabine
61 JRJ0343 Válvula de controle de direção No compartimento direito
62 25/220536 Válvula solenóide No compartimento direito
63 25/222887 Válvula de prioridade (c/ bloqueador) No compartimento direito
Válvula de prioridade (rotação da garra) No compartimento direito
64 721/10455 Chicote
65 701/11632 Chicote
66 701/80223 Corpo de interruptores
67 721/11632 Corpo de interruptores
68 721/10458 Chicote de ligação Martelo/Aux/Misto
71 25/222397 Solenóide proporcional
72 721/12305 Chicote principal
73 721/12059 Chicote da cabine
74 721/11637 Chicote Facia
75 721/12060 Chicote do motor
77 JHR0174 Relê
78 701/80310 Interruptor da bomba de reabastecimento
79 721/11451 Chicote – Fluxo baixo
80 716/30259 Sensor barométrico
81 716/26100 Relé de segurança do motor de partida
82 716/30262 Sensor de temperatura da admissão de ar
83 728/80070 ECU do motor
84 17/926100 Bomba de elevação de combustível

Nota: Os itens 64 a 68 são códigos de peças para os chicotes de ponte e interruptores para o interruptor opcional
no console direito.

C - 22 9803/6570-2 C - 22
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Identificação dos Componentes

A408581

Fig. 21.

E Cabos múltiplos

F Cabos simples

G Cabos unidos

H Cabos não unidos

I Cabos-terra

Fig. 20.

C - 23 9803/6570-2 C - 23
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Diagrama Esquemático
Diagrama Esquemático

Fig. 22. 1/67321 1ª edição


JS 160 / JS 180
C - 24 9803/6570-2 C - 24
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Identificação dos Componentes

Identificação dos Componentes


JS 190
Os números dos itens da seguinte tabela são identificados no esquema elétrico apresentado nesta seção.
_ Fig 22 (/ C 24)

item Nº Peça Descrição Localização


1 728/80071 Unidade de controle eletrônico 1 Atrás do painel traseiro da cabine
2 728/80073 Sistema de monitoração eletrônica Frente da cabine
3 701/80369 Painel de interruptores Lado direito da cabine
5 716/30155 Botão do acelerador No console direito
6 701/80184 Interruptor com chave No console direito
7 701/80214 Interruptor (redundância) Atrás do assento do operador
8 30/926484 Ar-condicionado Abaixo do painel traseiro da cabine
9 30/926483 Aquecedor Abaixo do painel traseiro da cabine
10 30/925588 Controlador (ar-condicionado) No console direito
11 701/60030 Corpo de interruptores Debaixo do console direito
12 701/58826 Tampa dos interruptores (luz de trabalho) No console direito
13 717/12900 Acendedor de cigarros (12 V) No console direito
14 717/20346 Rádio Traseira da cabine no teto
15 701/80215 Interruptor de limite (alavanca) Abaixo da barra de trava da alavanca
16 701/60041 Interruptor (luz da cabine) Lado externo do console esquerdo
18 700/43900 Luz de trabalho Caixa de ferramentas
19 700/50022 Luz de trabalho Lança
20 701/80374 Interruptor piloto do britador Debaixo da cabine no pedal do britador
21 25/221094 Interruptor da alavanca esquerda Alavanca de controle esquerda
22 25/221095 Interruptor da alavanca direita Alavanca de controle direita
Atrás do painel traseiro da cabine na parte superior da
23 717/20154 Tomada de voltagem
caixa do aquecedor
25 6900/0624 Limpador do pára-brisas Pára-brisas dianteiro
26 6900/0587 Luz ambiente Traseira da cabine no teto
27 716/30205 Relé da bateria No compartimento do lado esquerdo
28 708/04100 Bateria No compartimento do lado esquerdo
29 KHR1589 Conexão fusível (25A) No compartimento do lado esquerdo
30 KHR1592 Conexão fusível (60A) No compartimento do lado esquerdo
32 25/222203 Válvula solenóide No alojamento da bomba do lado direito
33 215/220996 Válvula solenóide No alojamento da bomba do lado direito
34 01/145194 Motor Traseira da máquina
Interruptor inferior no lado direito da válvula de controle
35 701/80374 Interruptor piloto, superior
principal
Interruptor superior no lado direito da válvula de controle
36 701/80375 Interruptor piloto, translação
principal
37 701/80373 Interruptor piloto x 2 Orientação e Lança No coletor debaixo da cabine
40 717/07700 Alarme de translação Debaixo do contrapeso
41 20/925502 Bomba No alojamento da bomba do lado direito
42 20/925546 Bomba de reabastecimento Caixa de ferramentas

C - 25 9803/6570-2 C - 25
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Identificação dos Componentes

item Nº Peça Descrição Localização


43 215/11950 Limpador do pára-brisas inferior Debaixo da cabine
44 700/26700 Luz de sinalização Seção central
45 714/40226 Compressor Ar Condicionado Frente do motor
Interruptor binário do ar condicionado No condensador do ar-condicionado no alojamento do
46 30/925618
radiador
47 717/20152 Buzina Entre os cilindros hidráulicos da lança
48 JHN0160 Reservatório do lavador do pára-brisas Caixa de ferramentas
49 716/30260 Relé de pré-aquecimento No compartimento esquerdo debaixo do relé da bateria
50 716/30129 Sensor de temperatura No tubo de sucção da bomba hidráulica
51 701/80328 Interruptor de superaquecimento No tubo de sucção da bomba hidráulica
52 704/50186 Sensor do nível de combustível No lado esquerdo do tanque de combustível
Interruptor do nível de líquido de arrefeci- No reservatório de expansão no alojamento do radiador
53 331/13929
mento
54 JNH0070 Interruptor de obstrução do filtro de ar No duto de indução de ar
Pressostato de sobrecarga Parte posterior do coletor entre os pés do cilindro hidráu-
55 701/80192
lico da lança
56 701/80372 Interruptor piloto, modo automático No coletor debaixo da cabine
Interruptor piloto, sobre-alimentação auto- Parte dianteira inferior do bloco de válvulas principal
57 701/80462
mática
58 701/60000 Interruptor (emudecimento do rádio) No console direito
59 701/60031 Interruptor (assento aquecido) No console direito
60 40/910552 Interruptor do assento aquecido Cabine
61 JRJ0343 Válvula de controle de direção No compartimento direito
62 25/220536 Válvula solenóide No compartimento direito
63 25/222887 Válvula de prioridade (c/ bloqueador) No compartimento direito
Válvula de prioridade (rotação da garra) No compartimento direito
64 721/10455 Chicote
65 701/11632 Chicote
66 701/80223 Corpo de interruptores
67 721/11632 Corpo de interruptores
68 721/10458 Chicote de ligação Martelo/Aux/Misto
71 25/222397 Solenóide proporcional
72 721/12305 Chicote principal
73 721/12059 Chicote da cabine
74 721/11637 Chicote Facia
75 721/12060 Chicote do motor
77 JHR0174 Relê
78 701/80310 Interruptor da bomba de reabastecimento
79 721/11451 Chicote – Fluxo baixo
80 716/30259 Sensor barométrico
81 716/26100 Relé de segurança do motor de partida
82 716/30262 Sensor de temperatura da admissão de ar
83 728/80070 ECU do motor
84 17/926100 Bomba de elevação de combustível

Nota: Os itens 64 a 68 são códigos de peças para os chicotes de ponte e interruptores para o interruptor opcional
no console direito.
C - 26 9803/6570-2 C - 26
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Identificação dos Componentes

A408581

Fig. 24.

E Cabos múltiplos

F Cabos simples

G Cabos unidos

H Cabos não unidos

I Cabos-terra

Fig. 23.

C - 27 9803/6570-2 C - 27
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Diagrama Esquemático
Diagrama Esquemático

Fig. 25. 1/67321 1ª edição


JS 190
C - 28 9803/6570-2 C - 28
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
A. M. S. (Sistema de Gerenciamento Avançado)

A. M. S. (Sistema de Gerenciamento Avançado)

Operação do A. M. S.
O sistema A. M. S. (sistema de gerenciamento avan-
çado) da JCB é um sistema de controle eletrônico
de toda a máquina. O sistema controla a rotação
do motor, a potência da bomba, a transmissão, as
funções da escavadeira, as luzes, o limpador do pára-
brisa, os circuitos auxiliares, as luzes de advertência,
etc. O sistema constitui um ‘CAN BUS’ (barramento
CAN) que faz a ligação das Unidades de Controle
Eletrônico (ECUs) no veículo. A abreviação “CAN”
significa “Controlled Area Network” (Rede de Área
Controlada) e utiliza um cabo especial no chicote de
fiação do veículo, que consiste de um par trançado de
fios de sinal recobertos por uma blindagem metálica,
para impedir a interferência elétrica. Este fio de sinal
forma o barramento CAN-BUS. O CAN-BUS é usado
para enviar textos e códigos de falhas entre as ECUs.
As unidades eletrônicas recebem as entradas dos
interruptores e sensores e ativam as saídas, como
solenóides, lâmpadas e motores elétricos. As saídas
das ECUs possuem capacidades nominais, de acordo
com o requisito de corrente do atuador.
O sistema compreende os seguintes componentes Fig. 26.
eletrônicos principais.

A Unidade de Controle Eletrônico-1 (ECU-1)

B Sistema de Monitoração Eletrônica (EMS)

C Painel lateral de Interruptores (FSP)

D Módulo de Controle do Motor (ECM)

Fig. 27.

C - 29 9803/6570-2 C - 29
O Sistema AMS
C - 30
9803/6570-2

A. M. S. (Sistema de Gerenciamento Avançado)


Operação Básica do Sistema
Fig. 28.

Seção C – Elétrica
Legenda

A Porta de Diagnóstico E Solenóide da bomba


B Painel Lateral de Interruptores F E n t r a d a s p r ove n i e n t e s d o s
interruptores e solenóides
C Interruptores e Sensores
G Saídas para injetores e motores
C - 30

D Solenóide, lâmpadas e motores


Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Conceitos de Circuitos

Conceitos de Circuitos
Entradas
Há dois tipos principais de entrada: Digital e Analógica.
As entradas do tipo Digital são entradas do tipo liga/
desliga (ou seja, interruptores) e podem ser entradas
Lado Baixo ou entradas Lado Alto. As entradas Lado
Baixo fornecem um aterramento para a ECU, enquan-
to as entradas Lado Alto fornecem uma alimentação
positiva para a ECU.
As Entradas Analógicas são entradas do tipo sensor
que fornecem uma entrada do tipo variável para a ECU,
e podem ser do tipo resistência ou do tipo freqüência.

Entradas Digitais (entradas do tipo interruptor


liga/desliga)
Fig. 30.
1 Entrada Lado Baixo. A entrada Lado Baixo é a
utilizada mais frequentemente no sistema A.M.S.
A entrada Lado Baixo pode ser feita na forma de
interruptores tipo balancim ou interruptores de
pressão.

Fig. 29.

2 Entrada Lado Alto. A entrada Lado Alto é usada


em circuitos que requerem uma alimentação
positiva quando a ignição está desligada, ou seja,
luzes laterais ou luzes do pisca-alerta. A entrada
Lado Alto também é usada no circuito de pré-
aquecimento do motor

C - 31 9803/6570-2 C - 31
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Conceitos de Circuitos

Entrada Analógica (ou seja, entradas do tipo sensor)

Fig. 31.

C - 32 9803/6570-2 C - 32
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Conceitos de Circuitos

Saídas
Há três tipos principais de saídas: Saída Lado Baixo,
Saída Lado Alto e Saída Modulada.
No circuito de saída Lado Baixo, o atuador (solenóide,
relé, etc.) que está sendo acionado já possui uma ali-
mentação positiva disponível, e a ECU então fornece
o lado terra do circuito.
No circuito de saída Lado Alto, o atuador que está
sendo acionado já possui um terra disponível e a ECU
fornece o lado positivo do circuito.
No circuito de saída Modulada, a ECU fornece um
sinal PWM (modulação por largura de pulso) para uma
válvula proporcional. Conforme a ECU variar o ciclo de
ocupação do sinal, a válvula proporcional selecionará
mais ou menos, dependendo da mudança no ciclo de Fig. 33.
ocupação.
3 Saídas Moduladas. Os circuitos que utilizam a
1 Saída Lado Baixo. Os circuitos que utilizam a
saída modulada são o controle do acelerador,
saída Lado Baixo são o relé de pré-aquecimento,
controle da bomba e prioridade da lança.
o relé do solenóide de parada e as luzes de
trabalho.

Fig. 34.
Fig. 32.

2 Saída Lado Alto. A saída Lado Alto é usada para


operar os solenóides, lâmpadas e buzina.

C - 33 9803/6570-2 C - 33
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Modulação da Largura do Pulso (PWM)

Modulação da Largura do Pulso (PWM)


A lei de Ohm afirma que a quantidade de corrente que O gráfico A, apesar de instável, corresponderia a uma
flui em um circuito é determinada pela tensão e pela corrente nominal de três amperes. Para estabilizar a
resistência. Um circuito de 24V com uma resistência corrente no circuito, a freqüência precisaria ser au-
de 6 ohms consumirá uma corrente de 4A. Este seria mentada. Se a escala de tempo no gráfico A for de um
o caso para um solenóide padrão, que é ligado ou segundo, a freqüência será de 4Hz (Hertz ou ciclos
desligado. por segundo). O gráfico B mostra o mesmo ciclo de
ocupação, mas em uma freqüência mais elevada de
Assim que a tensão é aplicada ao circuito, ela está
32 Hz. Os solenóides proporcionais instalados nas
presente 100% do tempo. Isto é conhecido como um
máquinas JS operam em uma freqüência de 125 Hz.
ciclo de ocupação 100%. Portanto, o circuito consumirá
4A constantemente.

Fig. 36.
Fig. 35.

Um solenóide proporcional requer quantidades diferen-


tes de corrente, dependendo de sua condição. Como
a bobina possui uma resistência fixa, a alteração da
capacidade de corrente pode ser feita por uma de
duas maneiras.

1 Contar com vários resistores diferentes comutados


para dentro e fora do circuito em momentos
diferentes para alterar o fluxo de corrente.

2 Alterar o ciclo de ocupação do solenóide.


É mais fácil, mais econômico e mais confiável alte-
rar o ciclo de ocupação do circuito, especialmente
utilizando-se a tecnologia atual de computadores/
controladores.
O ciclo de ocupação é a quantidade de tempo que um
componente está ligado comparado ao tempo em que
está desligado. Se um solenóide for ligado por três
segundos, e então desligado por um segundo, ligado
por três, desligado por um, etc., isso corresponderá a
um ciclo de ocupação de 75%.

C - 34 9803/6570-2 C - 34
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
ECU 1 / EMS / FACIA Fonte de Energia e Rede
ECU 1 / EMS / FACIA Fonte de Energia e Rede

Fig. 37.
C - 35 9803/6570-2 C - 35
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
ECU 1 Suprimento para saídas do Operador
ECU 1 Suprimento para saídas do Operador

Fig. 38.
C - 36 9803/6570-2 C - 36
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Sensibilidade do Equipamento

Sensibilidade do Equipamento

Fig. 39.

Devido a mudanças na operação de alguns sistemas Todas as máquinas descritas neste manual possuirão
e chicotes de fiação de máquinas a partir de Janeiro esta entrada instalada.
de 2006, a ECU1 precisa saber que sistemas estão
instalados para operar as saídas corretas. Para perce-
ber isso, as máquinas construídas a partir de Janeiro
de 2006 possuem alimentação viva permanente para
O/p 36 (C-29) da ECU1. Isso pode ser visto no menu
de 5 segundos no item “Harness Type, new” (tipo de
chicote, novo). As máquinas anteriores a Janeiro de
2006 não possuirão esta entrada.

C - 37 9803/6570-2 C - 37
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Controle de Aceleração do Motor

Controle de Aceleração do Motor

Fig. 40.

Operação Durante a calibração, a ECU anotou as posições má-


xima e mínima do sensor de posição do acelerador.
O valor máximo de rotação por minuto para cada modo O ponto máximo se tornou o máximo do modo A.
é especificado no software. O valor máximo de rpm é Quando o modo de trabalho é selecionado, a ECU faz
usado como máximo do modo A. O máximo do modo a escala da deflexão total do controle do acelerador (0
E é 100 rpm menor do que o máximo do modo A. O ~ 5V) para ajustar a rotação do motor entre a posição
máximo dos modos P e L é 200 rpm menor do que o de marcha lenta e a velocidade máxima para o modo
máximo do modo A. particular selecionado.

C - 38 9803/6570-2 C - 38
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Controle de Aceleração do Motor

Controle de Aceleração do Motor para cada Quando o interruptor de pressão superior é fechado, a
modo rotação do motor aumenta para a velocidade máxima
menos 100 rpm (ou em proporção à entrada almejada
do acelerador, caso seja menor do que 100%). Quando
Operação
o interruptor de pressão superior reabre, a rotação
A máquina JS pode operar em um de quatro modos do motor permanece nesta posição por 3 segundos e
diferentes, dependendo da aplicação requerida. Os então diminui para 70% desta posição para a rotação
modos são selecionados por meio do botão “Modo” no automática de marcha lenta pré-estabelecida, depois
EMS. O EMS exibe o modo selecionado junto com a do qual diminuirá para a marcha lenta.
legenda do modo de potência. Selecionar os diferen- Quando o interruptor de pressão do modo automático
tes modos tem o efeito de ajustar a máxima rotação é fechado, a rotação do motor aumenta para a máxima
possível do motor para cada modo de trabalho. Pres- velocidade disponível do motor. Quando o interruptor
sionar sucessivamente o interruptor Modo alternará de pressão do modo automático reabrir, a rotação do
os diferentes modos na seqüência mostrada abaixo. motor diminuirá para a velocidade máxima menos 100
rpm por três segundos e então para 70% da diferença
Nota: Quando a máquina for desligada, o último modo
entre a velocidade automática e a marcha lenta (mais
operacional selecionado será restaurado para
a velocidade de marcha lenta) pelo tempo estabelecido
a nova partida da máquina.
da marcha lenta automática, depois do qual diminuirá
para a marcha lenta.
Quando o interruptor de pressão de translação é fecha-
do, a rotação do motor aumenta para a rotação máxima
disponível do motor. Quando o interruptor de pressão
de translação reabre, a rotação do motor permanece
na máxima por três segundos, então diminui para a
velocidade máxima menos 100 rpm pelo tempo de
marcha automática pré-selecionado, depois do qual
ele diminuirá para a marcha lenta.
A rotação do motor variará de acordo com as seguintes
características: veja _ Fig 42. (/ C-40)
Fig. 41.

E Economia

A Automático

P Precisão

L Elevação

Modo Automático “A”


No modo Automático, o EMS exibe “AUTO” e a letra “A”
próxima ao ícone do modo de potência. O motor pode
operar acima de sua faixa de rotações selecionada
conforme definido por seu limite de rotações progra-
mado. O limite máximo de rotações é o mesmo que o
máximo permissível de rotações do motor.
Quando no modo automático, o recurso de marcha
lenta automática permanece ativo permanentemente.
Se a posição do botão do acelerador for alterada, a ro-
tação do motor não se alterará até que os interruptores
de pressão de translação (I/p 27), superior (I/p 26) ou
modo automático (I/p 25) sejam fechados.

C - 39 9803/6570-2 C - 39
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Controle de Aceleração do Motor

Fig. 42.

C - 40 9803/6570-2 C - 40
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Controle de Aceleração do Motor

Modo Econômico “E”


No modo padrão, o EMS exibe “ECONOMY” (eco-
nomia) e a letra “E” próxima ao ícone do modo de
potência. É possível operar o motor acima de sua faixa
de rotações selecionada conforme definido por seu
limite de rotações programado, em proporção direta
à entrada do acelerador. Entretanto, o limite máximo
de rotações é de 100 rpm menos do que o máximo
permissível. Assim, para um ajuste máximo do poten-
ciômetro do acelerador, as rotações do motor serão
100 rpm inferiores ao que seriam no modo Automático.

Modo Precisão “P”


No modo Precisão, o EMS exibe “PRECISION” (pre-
cisão) e a letra “P” próxima ao ícone do modo de po-
tência. É possível operar o motor acima de sua faixa
de rotações selecionada conforme definido por seu
limite de rotações programado, em proporção direta
à entrada do acelerador. Entretanto, é imposto o limi-
te máximo de rotações de 200 rpm menos do que o
máximo permissível. Assim, para o ajuste máximo do
potenciômetro do acelerador, as rotações do motor
serão 200 rpm inferiores ao que seriam no modo Au-
tomático, ocorrendo o mesmo para o modo Elevação.

Modo Elevação “L”


No modo Elevação, o EMS exibe “LIFTING” (elevação)
e a letra “L” próxima ao ícone do modo de potência. É
possível operar o motor acima de sua faixa de rota-
ções selecionada conforme definido por seu limite de
rotações programado, em proporção direta à entrada
do acelerador. Entretanto, é imposto o limite máximo
de rotações de 200 rpm menos do que o máximo
permissível. Assim, para o ajuste máximo do poten-
ciômetro do acelerador, as rotações do motor serão
200 rpm inferiores ao que seriam no modo Automático,
ocorrendo o mesmo no modo Precisão.

Tipo de Marcha Rotação


Rotação Lenta Máxima
Automático
4 cilindros 900 2050
T3

C - 41 9803/6570-2 C - 41
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Controle de Aceleração do Motor

Relacionamento Entre o Modo e as Rotações O máximo dos modos P e L é 200 rpm menos do que
por Minuto do Motor o máximo do modo A.

O valor máximo de rpm para cada modo é especificado Durante a calibração, a ECU anotou as posições má-
no software. xima e mínima do sensor de posição do acelerador. O
ponto máximo se tornou o máximo do modo A.
O valor máximo de rpm é usado como o máximo do
modo A. Quando o modo de trabalho é selecionado, a ECU fará
a escala da deflexão total do botão do acelerador (0
O valor máximo do modo E é 100 rpm menos do que ~ 5V) para ajustar a rotação do motor entre a posição
o máximo do modo A. de marcha lenta e a máxima rotação para o modo
particular selecionado.

Fig. 43.

C - 42 9803/6570-2 C - 42
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Pressão de Sobre-alimentação Automática

Pressão de Sobre-alimentação Automática

Fig. 44.

Operação Se o interruptor de pressão de sobre-alimentação for


atuado por mais do que 1,5 segundo, então a válvula
A função de pressão de sobre-alimentação automá- de alívio de 2 estágios deverá permanecer aberta por
tica somente está disponível quando a escavadeira 1,5 segundo adicional. A válvula não poderá ser re-
se encontra no modo “Auto (A)”. Por padrão, ela não energizada por 9 segundos depois do final da última
está disponível nos modos “Precisão (P)” e “Economia ativação.
(E)” e está ativada permanentemente (apesar de não
indicado no EMS) no modo “Elevação (L)”. Entretanto, durante uma operação de translação (no-
tada pela entrada do interruptor piloto de translação
No modo Auto, quando o interruptor de pressão de 39B), a válvula de alívio de 2 estágios é energizada. Se
sobre-alimentação 39C é fechado, a válvula de alívio o interruptor de pressão de sobre-alimentação 39C for
de 2 estágios 39A (O/p 24 da ECU1) é energizada (de fechado quando o interruptor de pressão de translação
acordo com a lógica abaixo). Isso permite que a pres- é válido, o solenóide permanecerá energizado.
são aumente no circuito hidráulico de escavação, ge-
rando dessa maneira uma “força de escavação extra”.
Se o interruptor de pressão de sobre-alimentação
39C for atuado por menos do que 1,5 segundo, então
a válvula de alívio de 2 estágios 39A será energizada
até que o interruptor de pressão de sobre-alimentação
seja desenergizado, de modo que a seqüência é res-
tabelecida e permite que a seqüência seja iniciada
novamente.

C - 43 9803/6570-2 C - 43
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Pressão de Sobre-alimentação Automática

Fig. 45.

C - 44 9803/6570-2 C - 44
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Pressão de Sobre-alimentação Automática
Fig. 46.
C - 45 9803/6570-2 C - 45
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Advertência de Nível de Óleo do Motor

Advertência de Nível de Óleo do Motor

Fig. 47.

A chave-bóia do nível de óleo 47A está posicionada A verificação do nível de óleo deverá ser feita antes
na lateral do motor (em máquinas Tier 3). que surjam outras falhas da máquina ou do motor.
Quando o nível de óleo do motor está em um nível Quando o EMS recebe uma mensagem CAN prove-
aceitável, a chave-bóia é fechada, aplicando um terra niente da ECU1 indicando que o nível de óleo está
à i/p 35 (pino A-3) da ECU1. normal (OK), o EMS exibe a mensagem “ENG OIL
OK” (óleo do motor normal) por 5 segundos.
Quando o nível de óleo do motor diminui abaixo do
nível aceitável, a chave-bóia se abre, removendo o Quando o EMS recebe uma mensagem CAN prove-
terra da i/p da ECU1. niente da ECU1 indicando que o nível de óleo está
baixo, o EMS exibe a mensagem “CHK ENG OIL”
A i/p somente é verificada com a chave de ignição da
(verifique o óleo do motor) por 5 segundos e o alarme
máquina ligada.
sonoro soa por 1,5 segundo.

C - 46 9803/6570-2 C - 46
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Advertência de Nível de Óleo do Motor

Fig. 48.

C - 47 9803/6570-2 C - 47
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Pré-aquecimento do Motor (Velas de Aquecimento)

Pré-aquecimento do Motor (Velas de Aquecimento)

Fig. 49.

Operação O ECM envia uma mensagem `Sinal de Pré-aqueci-


mento’ via barramento CAN para o EMS, que exibe a
Este recurso permite que os cilindros do motor sejam mensagem “PREHEAT” (pré-aquecimento).
pré-aquecidos antes do acionamento do motor para
melhorar o desempenho da partida a frio. Quando a chave do interruptor é girada para a posição
`Crank’ (acionamento do motor de partida), a ECU1
Quando a chave do interruptor é girada para a po- envia uma mensagem via barramento CAN para o
sição `Ignição’, o ECM detecta a temperatura para ECM dar partida no motor.
determinar se e por quanto tempo será requerido o
Pré-aquecimento. A ignição fornece a alimentação
positiva para o relé de pré-aquecimento e uma entrada
para o ECM em I/P V24.
Quando o Pré-aquecimento é requerido, o ECM for-
nece um terra para a bobina do relé de aquecimento
proveniente de O/P V10. O relé é energizado, permi-
tindo que a voltagem da bateria atravesse o relé de
aquecimento para as velas de aquecimento.

C - 48 9803/6570-2 C - 48
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Pressão de Sobre-alimentação Automática
Fig. 50.
C - 49 9803/6570-2 C - 49
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Aquecimento Automático do Motor

Aquecimento Automático do Motor

Fig. 51.

Operação 4 Se a entrada de volume do acelerador se alterar


durante o aquecimento automático, então a função
Este recurso permite que o motor se aqueça rapida- de aquecimento automático será cancelada.
mente até a temperatura normal de operação se o
veículo não estiver sendo utilizado. Quando o aquecimento automático é ativado, o EMS
exibe a mensagem “AUTO WARM” (aquecimento
O aquecimento automático somente será efetuado 15 automático).
segundos depois da partida do motor e contanto que
as seguintes condições sejam satisfeitas: A ECU1 enviará a mensagem da RPM almejada para
o ECM de maneira que o motor funcionará de acordo
1 A temperatura da água seja inferior a 50°C (a com ajuste do botão do acelerador por 5 minutos, e
temperatura do líquido de arrefecimento do motor as rotações do motor serão então aumentadas em
é enviada pelo ECM via barramento CAN). incrementos de 300 rpm em intervalos de 3 minutos
até a rotação máxima de 1800 rpm.
2 O interruptor de pressão piloto superior esteja
desligado (ser viços de escavadeira não Depois de 3 minutos de funcionamento a 1800 rpm,
selecionados) (I/p A6) as rotações do motor retornarão ao ajuste do botão do
acelerador. Se durante a seqüência de aquecimento
3 O interruptor de pressão piloto de translação automático qualquer das condições requeridas se al-
esteja desligado (serviço de translação não terar, ou seja, a temperatura da água do motor atingir
selecionado) (I/p A16) 50°C ou o operador mover o botão do acelerador ou
selecionar um serviço de escavadeira, o aquecimento
automático será interrompido.

C - 50 9803/6570-2 C - 50
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Aquecimento Automático do Motor

Fig. 52.

C - 51 9803/6570-2 C - 51
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Marcha Lenta Automática

Marcha Lenta Automática

Fig. 53.

Operação As rotações do motor podem ser aumentadas pressio-


nando-se o interruptor de Marcha Lenta Automática
Quando a função de marcha lenta automática for na FSP, ou alterando-se estado dos interruptores pi-
selecionada por meio do interruptor no Painel de loto (ou seja, se o serviço de escavadeira/translação
Interruptores Laterais (FSP), o motor retornará auto- for selecionado). Quando liberado de Marcha Lenta
maticamente para o ajuste de marcha lenta baixa se Automática, as rotações do motor retornam ao ajuste
nenhum serviço tiver sido selecionado em menos de 5 do botão do acelerador. Por padrão, a Marcha Lenta
segundos (padrão). Este tempo pode ser variado entre Automática permanece desligada.
5 e 30 segundos por meio do menu de ajuste no EMS.
A função de marcha lenta automática é permanente-
Pressionar este interruptor uma segunda vez desa- mente ativa no modo Automático.
bilitará a função. Se os interruptores piloto Superior,
Translação e Inferior da lança tiverem permanecido O interruptor de Marcha Lenta Automática FS10 é
inativos durante o período de tempo predeterminado, desabilitado quando no modo Automático.
a função de marcha lenta automática atuará e as rota-
ções do motor diminuirão para o valor de marcha lenta.
O EMS exibirá a mensagem “Low Idle” (marcha lenta
baixa).

C - 52 9803/6570-2 C - 52
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Marcha Lenta Instantânea do Motor

Marcha Lenta Instantânea do Motor

Fig. 54.

Operação Pressionar este interruptor uma segunda vez desabi-


litará a função e as rotações do motor retornarão ao
Quando a marcha lenta instantânea é selecionada ajuste do controle do acelerador.
por meio do botão no Controlador da mão direita, o
motor retornará ao ajuste de marcha lenta baixa, In- A condição de marcha lenta instantânea será retida
dependente de qualquer outra entrada, o EMS exibirá quando se desligar a ignição. (p.ex., se a marcha lenta
a mensagem “Low Idle” (marcha lenta baixa) para instantânea para selecionada e a ignição desligada,
confirmar a seleção. quando o veículo der partida novamente a marcha
lenta instantânea será ativada automaticamente.)

C - 53 9803/6570-2 C - 53
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Marcha Lenta Instantânea do Motor
Marcha Lenta Automática e Marcha Lenta Instantânea do Motor

Fig. 55.
C - 54 9803/6570-2 C - 54
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Partida / Parada do Motor

Partida / Parada do Motor

Fig. 56.

Operação Quando o motor está em funcionamento, se a chave


de ignição é desligada, os 24V provenientes da ECU
Partida / Parada do Motor O/P 22, C-26 para o Relé de Parada de Emergência
serão removidos. O relé é desenergizado, alimentando
Quando a chave de ignição é girada para a posição 24V da bateria para a I/P V47 – ENGSTP do ECM, e
de acionamento do motor de partida, a alimentação o motor é desligado.
de 24V vai para:
Pressionamento do Botão de Parada de Emer-
– a ECU em I/P 28, A-26 - acionamento do motor gência
de partida,
Se o botão de parada de emergência na FSP é pres-
– o ECM em I/P V46 - PARTIDA, sionado enquanto o motor está em funcionamento, os
– o Relé de Segurança. 24V provenientes da ECU O/P22, C-26 para o Relé
de Parada de Emergência serão desligados. O relé
A ECU fornece 24V a partir de O/P 22, C-26, através é desenergizado, alimentando 24V da bateria para o
dos contatos fechados do botão de Parada de Emer- ECM I/P V47 – ENGSTP, e o motor é desligado.
gência na FSP para a bobina do Relé de Parada de
Emergência. O relé é energizado, removendo 24V do Ao mesmo tempo o EMS exibirá a mensagem ‘EMER
ECM I/P V47 – ENGSTP. STOP’ (parada de emergência). Se a ignição é desliga-
da e então ligada novamente, o sistema reterá a função
O Relé de Segurança fornece uma saída para o Motor de parada de emergência até que o botão de parada
de Partida, e o ECM dá partida no motor. de emergência na FSP seja pressionado novamente.

C - 55 9803/6570-2 C - 55
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Partida / Parada do Motor
Fig. 57.
C - 56 9803/6570-2 C - 56
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Sistema do Modo de Retorno para Oficina (Limp Home)

Sistema do Modo de Retorno para Oficina (Limp Home)

Fig. 58.

Operação Na posição “redundância”, a voltagem de ignição é


alimentada para o interruptor “Parada de Emergência”
Na eventualidade de uma falha da ECU1, o interruptor na FSP (painel de interruptores laterais), via um diodo.
de redundância permite a função de:
O interruptor de “Parada de Emergência” na FSP é
1 Trava da alavanca alimentado a partir da ECU1 (o/p 22 - desativação
do motor). As funções “Trava da alavanca” e “Trava
2 Trava de orientação de orientação” são alimentadas a partir de ECU1 (o/p
21 - trava da alavanca).
3 Desativação de emergência
Na posição “normal”, o interruptor de redundância
alimenta a voltagem de ignição para a ECU1 e a “i/p
de “redundância” do EMS.

C - 57 9803/6570-2 C - 57
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Sistema do Modo de Retorno para Oficina (Limp Home)
Fig. 59.
C - 58 9803/6570-2 C - 58
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Controle da Bomba Para Cada Modo

Controle da Bomba Para Cada Modo

Fig. 60.

Operação
A máquina pode operar de quatro modos diferentes, dependendo do tipo de trabalho requerido, veja Controle
do Acelerador do Motor. A potência da bomba é variada por meio de um sinal PWM para a válvula solenóide
de controle da bomba, que varia para cada modo. A saída possui circuitos internos de monitoração da corrente,
que são usados para alimentar uma corrente constante sobre diferentes faixas ambientais (ou seja, mudanças
na temperatura da bobina do solenóide)

Fig 61. Correspondência de torque de Motor e Bomba

C - 59 9803/6570-2 C - 59
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Controle da Bomba Para Cada Modo

O Torque da Bomba é Estabelecido Pelo


Sinal de mA de Controle da Bomba
Modo A: A máxima potência do motor é usada, o motor
ajustado para rotação máxima. O torque da bomba é
ajustado para corresponder ao torque do motor, no
ponto de potência máxima. O controle da bomba é feito
por monitoração da rotação do motor. Se o torque da
bomba excede ao torque disponível do motor, o torque
da bomba é reduzido e o controle tentará encontrar o
ponto de correspondência. Se a rotação do motor for
ajustada abaixo da máxima, o torque da bomba será
ajustado para o modo E.
Modo E: É utilizado o consumo otimizado de combus-
tível, a rotação máxima do motor é reduzida em 100
rpm, o torque de absorção máximo da bomba é fixado
acima de 1400 rpm. Abaixo de 1400 rpm (quando a ro-
tação do motor está aumentando), o torque da bomba
é ajustado para o modo L, para evitar que o motor pare.
Modo L + P: O torque de absorção da bomba é ajus-
tado para o mínimo em todas as rotações do motor.
A máxima rotação do motor é reduzida em 200 rpm.

C - 60 9803/6570-2 C - 60
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Controle da Bomba Para Cada Modo
Fig. 62.
C - 61 9803/6570-2 C - 61
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Controle da Bomba Para Cada Modo

Modo Automático “A”


A potência de saída da bomba é ajustada para absorver 100% da potência disponível do motor. O sinal de
controle da bomba varia com a rotação do motor de acordo com a figura abaixo.

Fig. 63.

Modo Economia “E”


A potência de saída da bomba é ajustada para absorver 90% da potência disponível do motor. O sinal de
controle da bomba varia com a rotação do motor de acordo com a figura abaixo.

Fig. 64.

C - 62 9803/6570-2 C - 62
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Controle da Bomba Para Cada Modo

Modo de Elevação “L” e Modo de Precisão “P”


A potência de saída da bomba é ajustada para absorver 70% da potência disponível do motor. O sinal de con-
trole da bomba é ajustado para zero % de PWM, independente da rotação do motor. O valor em mA da bomba
contra a característica de rotação do motor varia de acordo com o modelo, conforme mostrado na tabela abaixo:

Modos
Modo“A” Modo “E” PWM Hz Rotação do Motor (RPM)
“P&L”
Max (A) Min (B) (C) (D) (E) (B) (A)
540 340 340 0 75hZ 1000 1200 2000 2040

C - 63 9803/6570-2 C - 63
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Controle da Bomba Para Cada Modo

Fig. 65.

C - 64 9803/6570-2 C - 64
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Trava da Alavanca

Trava da Alavanca

Fig. 66.

Operação Quando a trava da alavanca é levantada para a posição


vertical, o circuito do terra para o solenóide é inter-
A máquina é equipada com uma alavanca de trava rompido. Há a entrada de terra para ECU1 I/p A-33 e
do controle, a qual deve ser levantada para se sair da a luz de advertência da trava da alavanca se acende.
cabine e abaixada antes que seja possível qualquer
operação hidráulica da máquina. No modo de retorno para oficina a válvula solenóide
de trava da alavanca é alimentada diretamente pelo
Quando a alavanca de trava de segurança se encontra interruptor do modo de retorno para oficina.
na posição abaixada não há terra disponível para I / p
A 33 da ECU. Isso faz com que a O/p C 36 para a vál-
vula isoladora seja energizada e será possível operar
os controles da escavadeira quando um terra estiver
disponível através do interruptor da trava da alavanca.

C - 65 9803/6570-2 C - 65
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Isolador Servo

Isolador Servo

Fig. 67.

Operação Pressionar uma segunda vez o interruptor do isolador


apaga ambos, a luz de advertência e o indicador da
O operador tem a capacidade de isolar os controles situação do interruptor. A ECU1 agora energiza a
da escavadeira pressionando o interruptor do isolador saída do isolador (O/p C 36) e, contanto que a trava
no painel de interruptores laterais. da alavanca esteja na posição correta, será possível
Quando o interruptor do isolador é pressionado, am- operar os controles da escavadeira.
bos, a luz de advertência e o indicador da situação do
interruptor, se acendem. A ECU1 agora desenergiza a
saída para a válvula solenóide do isolador (O/p C 36).

C - 66 9803/6570-2 C - 66
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Isolador Servo
Fig. 68.
Trava da Alavanca e Isolador do Servo
C - 67 9803/6570-2 C - 67
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Limpador

Limpador

Fig. 69.

Operação Um retardo de tempo variável de segundos é ativado


antes que a saída seja energizada novamente, dessa
O limpador do pára-brisa possui três modos de maneira proporcionando a operação intermitente.
operação, intermitente, ligado permanentemente e
desligado. A temporização para a função intermitente Pressionar uma segunda vez o interruptor habilita o
é efetuada pela ECU 1, e pode ser variada por meio limpador do pára-brisa a operar contínuamente e a
do menu de ajuste do EMS. saída permanece energizada permanentemente.

Quando o interruptor do limpador do pára-brisa no Pai- Pressionar uma terceira vez o interruptor desabilita a
nel Lateral de Interruptores (FSP) é pressionado uma operação do limpador do pára-brisa.
vez, a O/p C 17 na ECU 1 é pulsada por 0,5 segundo
para iniciar a varredura do limpador do pára-brisa.
Um contato de retenção ligado dentro do conjunto do
motor elétrico retém a energia para o curso de retorno
da palheta.

C - 68 9803/6570-2 C - 68
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Limpador
Fig. 70.
C - 69 9803/6570-2 C - 69
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Limpador Inferior (Opcional)

Limpador Inferior (Opcional)

Fig. 71.

Operação Pressionar o interruptor uma segunda vez habilita o


limpador do pára-brisa a funcionar continuamente e
O limpador do pára-brisa inferior é um opcional sele- a saída permanece energizada permanentemente.
cionado pelo cliente e é instalado no painel de vidro
inferior na frente da cabine do operador. Pressionar uma terceira vez o interruptor desabilita a
operação do limpador do pára-brisa.
O limpador do pára-brisa possui três modos de opera-
ção: intermitente, contínuo e desligado. A temporiza- Nota: Se o limpador do pára-brisa superior (principal)
ção para a função intermitente é efetuada pela ECU1. for energizado, então a saída do limpador do
O mesmo temporizador utilizado para o limpador do pára-brisa inferior será energizada ao mesmo
pára-brisa padrão é usado para sincronizar ambos tempo, sincronizando ambos os limpadores.
os limpadores.
Quando o botão do limpador do pára-brisa inferior é
acionado, a saída da ECU1 número C 15 é energizada
para iniciar a varredura do limpador do pára-brisa. Um
contato de retenção ligado dentro do conjunto do motor
elétrico retém a energia para o curso de retorno da
palheta. Um retardo de tempo igual ao ajustado para
limpador do pára-brisa principal é ativado antes da
saída ser energizada novamente, proporcionando a
operação intermitente.

C - 70 9803/6570-2 C - 70
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Limpador Inferior (Opcional)
Fig. 72.
C - 71 9803/6570-2 C - 71
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Lavador

Lavador

Fig. 73.

Operação Se o limpador inferior tiver sido selecionado como


um opcional, quando o botão do lavador é pressio-
Quando o interruptor do lavador do pára-brisa no pai- nado, ambos os limpadores, superior e inferior, são
nel de interruptores é pressionado, a ECU 1 aciona a energizados.
saída O / p C 23 para a bomba do lavador. A saída da
ECU somente é energizada enquanto o interruptor é
pressionado.
Sempre que a saída do lavador do pára-brisa é energi-
zada, a saída do limpador do pára-brisa (ECU 1 O / p
C 17) também é energizada. Quando o interruptor do
lavador é liberado, o limpador executará três passadas
adicionais e então se desligará.

C - 72 9803/6570-2 C - 72
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Lavador
Fig. 74.
C - 73 9803/6570-2 C - 73
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Buzina

Buzina

Fig. 75.

Operação
Quando o botão traseiro da alavanca esquerda é pres-
sionado, a entrada ECU 1 I / p A 14 é selecionada, e
a saída da buzina ECU 1 O / p C 14 será energizada
enquanto o botão for pressionado.

C - 74 9803/6570-2 C - 74
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Buzina
Fig. 76.
C - 75 9803/6570-2 C - 75
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Alarme de Translação

Alarme de Translação

Fig. 77.

Operação
O alarme de translação está disponível como um
opcional nas máquinas de esteiras. Sempre que o
movimento de translação é solicitado o interruptor de
pressão de translação ECU 1 I / p A-16 é selecionado.
Quando esta entrada é aterrada, a saída do alarme de
translação ECU 1 O / p C 23 é energizada.

C - 76 9803/6570-2 C - 76
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Alarme de Translação
Fig. 78.
C - 77 9803/6570-2 C - 77
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Suave / Rígido (Amortecimento)

Suave / Rígido (Amortecimento)

Fig. 79.

Operação Para mudar para o modo rígido, o operador deve


selecionar a opção pressionando o interruptor de
O modo suave / rígido permite que o operador se- amortecimento no painel de interruptores. A saída
lecione a resposta dos circuitos hidráulicos, suave do solenóide de amortecimento O / p C 25 da ECU é
correspondendo a controlado e rígido correspondendo energizada.
a intenso quando é eliminada a seleção de funções
de lança e do braço. O modo suave é o ajuste padrão O modo Rígido é cancelado desligando-se a ignição
durante a partida da máquina. ou pressionando-se o interruptor de amortecimento
uma segunda vez.

C - 78 9803/6570-2 C - 78
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Suave / Rígido (Amortecimento)
Fig. 80.
C - 79 9803/6570-2 C - 79
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Freio de Giro (100%)

Freio de Giro (100%)

Fig. 81.

Operação Se, entretanto, o interruptor de pressão piloto superior


permanece desativado por 5 segundos ou mais, o so-
O freio de estacionamento de giro retém efetivamente lenóide do Freio de Giro será desenergizado (ativação
a posição de giro atual da máquina, e tem a finalidade do freio). O solenóide do Freio de Giro permanecerá
de evitar o giro descontrolado quando em ponto morto. desenergizado até que o interruptor de pressão piloto
Esta é a operação padrão com o motor em funciona- de giro seja ativado.
mento. Quando o modo L (elevação) é selecionado, o inter-
O operador sinaliza o movimento de giro movendo a ruptor de pressão piloto superior é ignorado e 100%
alavanca esquerda. Isso resulta na ativação do inter- do freio aplicado. Quando o interruptor piloto de giro
ruptor de pressão piloto de giro. Isso sinaliza para a é energizado, o freio de estacionamento de giro é
ECU 1 energizar a válvula solenóide do freio de esta- levantado.
cionamento de giro, assim habilitando o giro. Por Padrão, o freio de estacionamento de giro é apli-
O interruptor de pressão piloto de giro é desativado cado automaticamente na partida.
retornando as alavancas para a posição neutra, e a
estrutura superior pára utilizando um freio hidrostático
(válvula de alívio de linhas cruzadas). Se esta condição
existir por 5 segundos, então o solenóide do freio de
estacionamento de giro será desenergizado, assim
aplicando o Freio de Giro.
Para prevenir qualquer dano ao Freio de Giro que
ocorra durante a escavação somente, o solenóide do
Freio de Giro permanecerá energizado e o Freio de
Giro permanecerá desligado, se o interruptor de pres-
são piloto superior for ativado ou reativado dentro de
5 segundos do fechamento do interruptor de pressão
de giro.

C - 80 9803/6570-2 C - 80
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Freio de Giro (100%)

Válvula Solenóide do
Interruptor do Piloto de Interruptor do Piloto Freio de Estaciona- Modo de Trabalho da
Giro I / p 29 (A-36) Superior I / p 26 (A-6) mento de Giro O / p 9 Máquina
(C-4)
O O O (=100% do freio) A, E, e P
P O P (=0% do freio) A, E, e P
O Menos que 5 segundos O P (=0% do freio) A, E, e P
O Maior ou igual a 5
O O (=100% do freio) A, E, e P
segundos
O P P (=0% do freio) A, E, e P
P P P (=0% do freio) A, E, e P
O P O (=100% do freio) L
P P P (=0% do freio) L
P O P (=0% do freio) L

C - 81 9803/6570-2 C - 81
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Freio de Giro (100%)
Fig. 82.
C - 82 9803/6570-2 C - 82
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Trava de Giro (100% Freio de Giro)

Trava de Giro (100% Freio de Giro)

Fig. 83.

Operação A trava de giro é desativada pressionando-se o in-


terruptor pela segunda vez. Isso faz o indicador da
A trava de giro previne qualquer operação de giro da situação do interruptor e a luz de advertência do EMS
máquina, mesmo se a alavanca esquerda for movida. se apague. A ECU 1 desenergiza a trava de giro e as
Ele é efetivamente 100% freio de estacionamento de válvulas solenóides de desligamento do giro. O freio
giro e desabilita o circuito piloto de giro, aplicando de estacionamento de giro não será energizado nova-
pressão igual em cada lado do carretel de giro no bloco mente até que uma entrada proveniente do interruptor
de válvulas principal (giro desligado). de pressão piloto de giro seja detectada.
A trava é acionada pressionando-se o interruptor da Por padrão, após a partida a trava de giro é desaco-
trava de giro no painel de interruptores. Quando pres- plada automaticamente.
sionado, o indicador de situação se acende. O EMS
exibe a mensagem “Swing lock” (trava do giro), e a luz
de advertência se acende. O EMS transmite a solicita-
ção da trava de giro para a ECU1 através da conexão
de comunicações CAN. O solenóide de desligamento
de giro é energizado (isolando efetivamente as ala-
vancas) e o solenóide do freio de estacionamento de
giro é deixado desenergizado pela ECU 1.

Válvula Solenóide
Válvula Solenóide Válvula solenóide
Trava de Orienta- Piloto de orienta- do freio de estacio-
de trava de orien- de desligamento
ção ção PSW namento de orien-
tação da orientação
tação
FSO I/p29(A-36) O/p8 (C-3) O/p9 (C-4) O/p10 (C-16)
O P O P O
P ì O O (= 100% Freio) P
P + 5 Seg ì P O (= 100% Freio) P

C - 83 9803/6570-2 C - 83
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Trava de Giro (100% Freio de Giro)
Fig. 84.
C - 84 9803/6570-2 C - 84
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Falha da Válvula Solenóide do Freio de Giro

Falha da Válvula Solenóide do Freio de Giro


Operação
Na eventualidade do solenóide do freio de giro ou o
interruptor de pressão de giro falharem, o freio de giro
ainda atuará. O sinal piloto proveniente da alavanca
passa através do bloco de retenção e entra na válvula
do freio de giro através da porta A, quando a pressão
se sobrepõe à retenção do freio de giro, o sinal passa
através da válvula do freio de giro através da porta B e
é direcionado para o freio de giro. Quando a pressão
se eleva o suficiente, o freio de giro é levantado.
A operação de giro tenderá a apresentar solavancos,
já que a tempo da ativação e desativação do freio
dependerá da posição da alavanca de giro.

Nota: Esta operação somente deve usada para co-


locar a máquina em uma condição segura, ou
seja, para girar a máquina para uma posição
segura, para transporte para um local onde um
reparo apropriado possa ser efetuado.

C - 85 9803/6570-2 C - 85
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Translação de 3 velocidades

Translação de 3 velocidades

Fig. 85.

C - 86 9803/6570-2 C - 86
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Translação de 3 velocidades

Operação
Utilizando uma combinação de dois solenóides (so- indicada no EMS como uma Lebre (Alta), seta dupla
lenóide de translação em alta velocidade e solenóide (Intermediária), ou Tartaruga (Avanço lento) e é altera-
de corte do fluxo máximo), o fluxo da bomba e a da por pressionamentos sucessivos do interruptor de
posição da placa defletora do motor de translação mudança de translação. O modo de operação atual da
são usados para proporcionar três velocidades de máquina altera a lógica na qual os solenóides operam.
translação. A velocidade de translação selecionada é

Fig. 86.

Quando o interruptor de mudança de translação


(ECU1 I/p A 13) é pressionado, o EMS exibe o ícone
de marcha “Lebre”. O solenóide de translação em
Avanço lento alta velocidade é energizado (ECU1 O/p C 7), assim
movendo a placa defletora para a posição de deflexão
mínima (alta velocidade). As entradas dos interruptores
de pressão são ignoradas. A máquina está agora no
Avanço intermediário
modo de translação em alta velocidade.
Quando o interruptor de mudança de translação é
pressionado novamente, o EMS exibe o ícone de
Avanço rápido marcha “Tartaruga”. A máquina está agora in modo
de translação de avanço em baixa velocidade. O so-
lenóide de translação em alta velocidade (ECU1 O/p
C 7) é desenergizado. Se o interruptor de pressão de
translação é ativado, ou seja, a opção Translação é
Nota: A última velocidade de translação selecionada selecionada (ECU1 I/p A 16), então o solenóide de
quando a máquina é desligada, é reaplicada corte do fluxo máximo é energizado (ECU1 O/p C 1)
durante a nova partida da máquina. e a bomba é colocada no modo “corte de Q” (corte de
Q). O solenóide de corte do fluxo máximo somente
Modos “E” Economia, “P” Precisão e “A” Auto- é energizado enquanto o interruptor de pressão de
mático translação é ativado. A entrada proveniente do in-
terruptor de pressão superior é ignorada. O próximo
Na velocidade de translação intermediária, placa de-
pressionamento sucessivo do interruptor de mudança
fletora do motor está na posição de deflexão máxima
de translação (ECU1 I/p A 13) seleciona a velocidade
(baixa velocidade) e a bomba se encontra no ajuste
de translação intermediária e o EMS exibe o ícone de
padrão. Os solenóides de corte do fluxo máximo e de
marcha “Seta”.
translação em alta velocidade são desenergizados e
as situações dos interruptores de pressão de transla-
ção e superior são ignoradas. O EMS exibe o ícone
de marcha “Seta”.

C - 87 9803/6570-2 C - 87
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Translação de 3 velocidades

Relacionamento entre Modos de Translação A / E + P, posição da placa defletora do mo-


tor de translação e “Saída de corte máximo de Q da Bomba”

Velocidade de translação Saída do solenóide de translação em Saída do solenóide de corte máximo


alta velocidade ECU 1 O/p C 7. de Q ECU 1 O/PC1.
Avanço lento (Tartaruga) Desligado Desligado
Intermediária (Seta) Desligado Desligado
Alta (Lebre) Ligado (24V) Desligado

Modo de Elevação “L” Quando o interruptor de mudança de translação é


pressionado novamente, o EMS exibe o ícone de
Na velocidade de translação intermediária, a placa marcha “Tartaruga”. O solenóide de translação em alta
defletora do motor está posição de máximo deflexão velocidade (ECU1 O/p C 7) é desenergizado, assim
(baixa velocidade), o solenóide de translação em alta a placa defletora é ajustada para a posição de alta
velocidade (ECU 1 O / p C 7) é desenergizado. Quando deflexão (baixa velocidade). O solenóide de corte do
somente o interruptor de pressão de translação (ECU 1 fluxo máximo (ECU1 O/p C 1) é energizado, colocando
I / p A 16) é selecionado, o solenóide de corte do fluxo assim a bomba no modo “corte de Q”. A máquina está
máximo (ECU 1 O / p C 1) é desenergizado. agora no modo de translação de avanço em baixa
Quando somente o interruptor de pressão superior velocidade. A operação do interruptor de pressão de
(ECU1 I/p A 6) é selecionado, a válvula solenóide de translação (ECU1 I/p A 16) e do interruptor de pressão
corte do fluxo máximo é energizada, colocando assim superior (ECU1 I/p A 6) é ignorada.
a bomba no ajuste “Corte de Q”. Se ambos, o inter- O próximo pressionamento sucessivo do interruptor
ruptor de pressão de translação (ECU1 I/p A 16) e o de mudança de translação (ECU1 I/p 34) seleciona a
interruptor de pressão superior (ECU1 I/p A 6) forem velocidade de translação intermediária e o EMS exibe
selecionados, o solenóide de corte do fluxo máximo o ícone de marcha “Seta”.
(ECU1 O/p C 1) permanecerá energizado, assim dei-
xando a bomba no modo “corte de Q”. O EMS exibe
Combinação de modo L e translação
o ícone de marcha “Seta”.
Quando o interruptor de mudança de translação
(ECU1 I/p C 7) é pressionado, o EMS exibe o ícone Translação em veloci- - Padrão da bomba.
de marcha “Lebre”. O solenóide de translação em alta dade intermediária so-
velocidade (ECU1 O/p C 7) é energizado, movendo a mente
placa defletora do motor de translação para a posição Escavação somente - Corte máximo de Q.
de deflexão mínima (alta velocidade). Translação e escavação - Corte máximo de Q.
Quando somente o interruptor de pressão de trans-
lação (ECU1 I/p A 16) é selecionado, o solenóide de
Translação em alta velo- - Padrão da bomba.
corte do fluxo máximo (ECU1 O/p C 1) é desenergiza-
cidade somente
do. Quando o interruptor de pressão superior (ECU1
I/p A-6) é selecionado, a válvula solenóide de corte do Escavação somente - Corte máximo de Q
fluxo máximo é energizada, assim ajustando a bomba Translação e escavação - Corte máximo de Q
para o ajuste “corte de Q”. Se ambos o interruptor de
pressão de translação (ECU1 I/p A 16) e o interruptor
de pressão superior (ECU1 I/p A 6) forem selecio- Translação em veloci- - Corte máximo de Q
nados, o solenóide de corte do fluxo máximo (ECU1 dade de avanço lento
O/p C 1) permanecerá energizado, deixando assim a somente
bomba no modo “corte de Q”. Escavação somente - Corte máximo de Q
Translação e escavação - Corte máximo de Q

C - 88 9803/6570-2 C - 88
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Translação de 3 velocidades
Fig. 87.
C - 89 9803/6570-2 C - 89
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Luzes de Trabalho

Luzes de Trabalho

Fig. 88.

Operação Pressionar o mesmo interruptor pela segunda vez


seleciona ECU1 I/p A17 e A28 as quais, por sua vez,
As luzes de trabalho se localizam na lança e chassi energizam o segundo conjunto opcional de luzes de
dianteiro (caixa de ferramentas) da máquina. Um trabalho da cabine (ECU1 O/p C5 + C6 e do contrape-
conjunto opcional de três luzes de trabalho adicionais so (ECU1 O/p C18)), caso instalados, e contanto que
pode ser instalado na cabine e no contrapeso. estas opções tenham sido selecionadas na ferramenta
Quando o interruptor da luz de trabalho é movido de configuração da máquina.
para a primeira posição, a entrada A 28 para a ECU1 O interruptor retorna à condição original quando
é selecionada. Isto, por sua vez, habilita as saídas pressionado na direção oposta, as luzes de trabalho
a serem ativadas para a Lança (ECU1 O/p C 39) e da lança, caixa de ferramentas e luzes de trabalho
chassi dianteiro inferior (Caixa de ferramentas) (ECU1 opcionais se apagam.
O/p C20).

C - 90 9803/6570-2 C - 90
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Luzes de Trabalho
Fig. 89.
C - 91 9803/6570-2 C - 91
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Sensor / Advertência do Nível de Combustível

Sensor de Nível de Combustível / Advertência

Fig. 90.

C - 92 9803/6570-2 C - 92
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Sensor / Advertência do Nível de Combustível

Operação
Um sensor de bóia é instalado no tanque de combustí- Mensagens de advertência são fornecidas para ambas
vel para medir o nível de combustível no tanque. Uma as condições, de reserva de combustível e de baixo
bóia magnética eleva um tubo que contém uma série nível de combustível. A informação de baixo nível de
de resistores de 5 ohm com interruptores em paralelo. combustível também é reforçada por um gráfico de
O nível de combustível é indicado para o operador barras piscando.
por meio de um instrumento de gráfico de barras. Os A condição de combustível baixo deve estar presente
valores reais podem ser indicados via o menu SET+ por um minuto consecutivo antes que a advertência
MODO do EMS. Ambos os valores real e do gráfico de “LOW FUEL” (combustível baixo) seja indicada.
barras devem ser uma média de leituras consecutivas
para fornecer um grau de amortecimento para prevenir A condição de reserva de combustível deve estar
leituras falsas. presente por um minuto consecutivo antes que a ad-
vertência “RES FUEL” (reserva de combustível) seja
indicada.

Altura da Bóia a
Barra Nº Símbolo Ohms Ação EMS
partir de Cheio
Gráfico de barras piscando +
0 Vazio Maior que 646 Maior que 107,5 “COMBUSTÍVEL RESERVA”
(combustível baixo)
1 646 Maior que 102,5 Reserva de Combustível.
2 612 Maior que 97,5
3 578 Maior que 92,5
4 544 Maior que 87,5
5 510 Maior que 82,5
6 476 Maior que 77,5
7 442 Maior que 7,5
8 408 Maior que 67,5
9 374 Maior que 6,5
10 Metade 340 Maior que 57,5
11 306 Maior que 5,5
12 272 Maior que 47,5
13 238 Maior que 5,5
14 204 Maior que 7,5
15 170 Maior que 0,5
16 136 Maior que 7,5
17 102 Maior que 0,5
18 68 Maior que 17,5
19 34 Maior que 1,5
20 Cheio 0 Menos de 1,5

C - 93 9803/6570-2 C - 93
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Sensor / Advertência do Nível de Combustível
Fig. 91.
C - 94 9803/6570-2 C - 94
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Sensor / Advertência de Temperatura do Motor

Sensor de Temperatura do Motor / Advertência

Fig. 92.

Operação
O motor é instalado com um sensor de temperatura e O interruptor de superaquecimento é incluído como
interruptor térmico para medir a temperatura da água. uma medida de segurança em caso de falha do sensor
de temperatura. Se esta entrada for aterrada, então o
A temperatura do motor (em °C) é enviada a partir do EMS acenderá o LED “WATER TEMP” (temperatura
ECM para a ECU1 via barramento CAN. A temperatura da água), o gráfico de barras piscará, o alarme sonoro
é indicada para o operador por meio de um instrumen- soará “WATER ETEMP” (temperatura da água) será
to de gráfico de barras. Os valores reais podem ser indicado no EMS e o modo mudará para “E” se esti-
indicados via o menu SET + MODO do EMS. ver em “A”. A advertência sonora pode ser cancelada
– Quando a temperatura sobe para 101°C o LED pressionando-se o botão “ACK” no EMS.
“WATER TEMP” (temperatura da água) se acende O instrumento do gráfico de barras da temperatura da
no EMS. água do motor atua da seguinte maneira.
– Acima de 103°C, o modo de operação muda para
“E” se estiver em “A”.

– Acima de 105°C, o gráfico de barras piscará, o


alarme sonoro soará, e a mensagem “WATER
TEMP” (temperatura da água) será indicada no
EMS. A advertência sonora pode ser cancelada
pressionando-se o botão ACK no EMS.

– Acima de 108°C, o LED “caution!” (atenção!) se


acenderá e “LOW POWER” (potência baixa) será
indicado no EMS. Isso indica que o ECM possui
saída do motor limitada a 50% da máxima.

C - 95 9803/6570-2 C - 95
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Sensor / Advertência de Temperatura do Motor

Auto Tier 3

LED da Redu- Gráfi-


BAIXA
Temp. Temp Tem- LED ção co de TEMP.
Alarme PO-
Barra Nº Cor Liga- Desli- pera- Aten- para o Barras DA
sonoro TÊN-
do gado tura da ção modo Piscan- ÁGUA
CIA
água E do
1 Verde 50 48
2 Verde 60 58
3 Verde 70 68
4 Verde 75 73
5 Verde 80 78
6 Verde 82 80
7 Verde 84 82
8 Verde 86 84
9 Verde 88 86
10 Verde 89 87
11 Verde 90 88
12 Verde 92 90
13 Verde 93 91
14 Verde 95 93
15 Verde 97 95
16 Verde 99 97
17 Vermelha 101 99 
18 Vermelha 103 101  
19 Vermelha 105 103     
20 Vermelha 108 106       
Interrup-
tor de su-
105 91+/-4     
peraque-
cimento
Módulo de Controle
do Motor – Controle 108 Desempenho reduzido (50%)
de superaquecimento

C - 96 9803/6570-2 C - 96
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Sensor / Advertência de Temperatura do Motor

Fig. 93.

C - 97 9803/6570-2 C - 97
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Sensor / Advertência de Temperatura do Motor
Fig. 94.
C - 98 9803/6570-2 C - 98
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Advertência de Nível de Líquido de Arrefecimento

Advertência de Nível de Líquido de Arrefecimento

Fig. 95.

Operação
A chave-bóia é instalada no reservatório do líquido de
arrefecimento do motor. Quando o reservatório está
vazio, a chave-bóia ECU1 I/p A 2 é conectada ao terra.
Isto faz o EMS soar um alarme. O alarme sonoro soa
por 1,5 segundo com a mensagem “COOLANT LOW”
(Nível baixo do líquido de arrefecimento) e o LED
piscando “nível baixo do líquido de arrefecimento” por
5 segundos, seguido de uma mensagem repetitiva e
LED aceso constantemente.

C - 99 9803/6570-2 C - 99
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Advertência do Filtro de Ar Obstruído

Advertência do Filtro de Ar Obstruído

Fig. 96.

Operação
Há um interruptor de pressão instalado no filtro de ar
do motor. Quando o filtro está obstruído a pressão
aumenta, acionando o interruptor e a ECU 1 I/p A-7 é
conectada ao terra. Isto faz o EMS soar um alarme. O
alarme sonoro soa por 1,5 segundo com a mensagem
“AIR FILTER” (filtro de ar) e o LED piscando “filtro de ar
do motor obstruído” por 5 segundos, seguido de uma
mensagem repetitiva, e o LED aceso constantemente.

C - 100 9803/6570-2 C - 100


Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Luzes Indicadoras de Advertência
Luzes Indicadoras de Advertência

Fig. 97.
C - 101 9803/6570-2 C - 101
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Sensor de Temperatura do Sistema Hidráulico / Advertência

Sensor de Temperatura do Sistema Hidráulico / Advertência

Fig. 98.

Operação A advertência sonora pode ser cancelada pressionan-


do-se o botão “ACK” no EMS.
O sistema hidráulico é instalado com um sensor de
temperatura e um interruptor térmico para medir as O interruptor de superaquecimento é incluído como
temperaturas. A temperatura é indicada para o opera- uma medida de segurança em caso de falha do sensor
dor por meio de um instrumento de gráfico de barras. de temperatura. Se esta entrada for aterrada, então o
Os valores reais podem ser indicados via o menu SET EMS acenderá a luz de advertência, soará o alarme
e MODO do EMS. sonoro e exibirá a mensagem de superaquecimento. A
advertência sonora pode ser cancelada pressionando-
Quando a temperatura do óleo hidráulico atinge 97°C, se o botão “ACK” no EMS.
o EMS acende a luz de advertência. Se a temperatura
continuar a subir, o gráfico de barras piscará e uma Nota: Quando a temperatura atinge 98°C, a bomba
advertência sonora e a mensagem “HYD.TEMP” (tem- deve ser abaixada para o modo E.
peratura do hidráulico) será mostrada.

C - 102 9803/6570-2 C - 102


Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Sensor de Temperatura do Sistema Hidráulico / Advertência

Auto Tier 3

Men-
Redu- Gráfi- Men-
Alar- sagem
LED do LED ção co de sagem
Temp. Temp. me SUPE-
Barra Nº Cor Óleo Aten- para o Barras do
Lig. Desl. So- RAQUE-
Hid. ção modo Piscan- Óleo
noro CIMEN-
E do Hid.
TO
1 Verde 0 -2
2 Verde 10 8
3 Verde 20 18
4 Verde 30 28
5 Verde 40 38
6 Verde 50 48
7 Verde 60 58
8 Verde 70 68
9 Verde 75 73
10 Verde 80 78
11 Verde 85 83
12 Verde 90 88
13 Verde 92 91
14 Verde 94 93
15 Verde 95 94
16 Verde 96 95
17 Vermelha 97 96 
18 Vermelha 98 97  
19 Vermelha 99 98     
20 Vermelha 100 99       
Interrup-
tor de su-
101 99       
peraque-
cimento

C - 103 9803/6570-2 C - 103


Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Sensor de Temperatura do Sistema Hidráulico / Advertência

C - 104 9803/6570-2 C - 104


Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Sensor de Temperatura do Sistema Hidráulico / Advertência
Interruptor de Superaquecimento do Óleo Hidráulico

Fig. 99.
C - 105 9803/6570-2 C - 105
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Advertência de Falta de Carga / Alternador

Advertência de Falta de Carga / Alternador

Fig. 100.

Operação Se o motor está em funcionamento, conforme detec-


tado pela mensagem de RPM proveniente do ECM,
A saída do alternador é monitorada pela ECU 1 e então o alarme sonoro interno no EMS soa e a men-
um alarme de advertência soa se a tensão de saída sagem “Alternator” (alternador) é exibida junto com a
diminui abaixo de um valor predeterminado. luz de advertência.
Quando o valor da entrada do alternador (ECU 1 I/p
A-9) diminui abaixo de 23 volts ou se eleva acima de
32 volts, a ECU 1 envia uma mensagem CAN para o
EMS, o qual, por sua vez, acende a luz de advertência.

C - 106 9803/6570-2 C - 106


Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Advertência de Falta de Carga / Alternador
Fig. 101.
Relé de Carga do Alternador e Bateria
C - 107 9803/6570-2 C - 107
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Engate Rápido (Opcional)

Engate Rápido (Opcional)

Fig. 102.

Operação
AJUSTE + MODO Role para opção ENGATE
(20 s) RÁPIDO
ADVERTÊNCIA
HABILITAR ENGA- ACK
Quando utilizar um Engate rápido Tipo 2, o aces- TE RÁPIDO?
sório pode se desacoplar inesperadamente do ENGATE RÁPIDO Role para cima / para baixo
Engate Rápido quando ocorrer qualquer dos se- Ligado para alternar entre Ligado e
guintes fatos: Desligado, ACK
Falha de energia para a Unidade de Controle Ele- TIPO DE ENGATE ACK
trônico (ECU). RÁPIDO?

Quando o interruptor de redundância for ativado. ENGATE RÁPIDO Role para cima / para baixo
TIPO 1 para alternar entre tipo 1 e
Em caso de falha de um componente elétrico no 2 ACK
sistema de Engate Rápido.
0178 Quando o interruptor Engate Rápido é ativado, o EMS
exibirá a mensagem “Q/H DISCON?” (desconectar
A opção de Engate Rápido permite que o operador engate rápido?) para verificar a operação do interruptor
troque rapidamente o acessório de dentro da cabine. e o indicador da situação do interruptor se acenderá.
Se o interruptor “ACK” no EMS não for pressionado
Há dois tipos que podem ser instalados e eles operam
dentro de 5 segundos então o mostrador reverte para
de maneiras diferentes. normal e o indicador da situação do interruptor se
apaga.
Engate rápido tipo 1 QH Desligado – saída
ativada A válvula solenóide somente será energizada / dese-
nergizada assim que o botão “ACK” no EMS for ativado.
QH Ligado – saída de- Isso é incluído como um recurso de segurança para
sativada prevenir a operação acidental do sistema de engate
rápido.
Engate rápido tipo 2 QH Desligado – saída Assim que o botão “ACK” é pressionado, o EMS exibe
desativada a mensagem “Q/H DISCON” (desconectar engate
rápido) e a ECU 1 O/p C 28 é desenergizada (tipo 1)
QH Ligado – saída ati- ou energizada (tipo 2). O alarme sonoro soa enquanto
vada o engate rápido é desconectado.
Para re-conectar o engate rápido, pressione “ACK”.
O sistema pode ser habilitado e chaveado entre O EMS exibirá a mensagem “Check Q/H” (verificar
tipos via o menu SET + MODO (20 segundos): o engate rápido) instruindo o operador a verificar
visualmente se o acessório do engate rápido está
firmemente conectado. Pressione “ACK” novamente
para desativar o alarme sonoro.

C - 108 9803/6570-2 C - 108


Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Engate Rápido (Opcional)
Fig. 103.
C - 109 9803/6570-2 C - 109
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Alerta de Sobrecarga (Opcional)

Alerta de Sobrecarga (Opcional)

Fig. 104.

Operação Pressionar o interruptor uma segunda vez desabilita


a função ignorar sobrecarga e o LED de situação se
O Alerta de Sobrecarga é usado como uma advertên- apaga.
cia ao operador de que a máquina está levantando uma
carga que excede a capacidade de carga da máquina Quando entrar no Modo L (elevação), o sistema de
com segurança. Uma sobrecarga é indicada depois advertência de ignorar sobrecarga é ativado automa-
que o interruptor de pressão de sobrecarga (ECU1 ticamente.
I/p A 27) tenha sido ativado. O indicador de situação para FS6 se acende. A opera-
Por padrão, a opção de ignorar sobrecarga não é ção do interruptor de sobrecarga cancelará o sistema
habilitada nos modos A (Automático), E (Economia) de advertência de sobrecarga.
e P (Precisão) até que o interruptor de sobrecarga Se a condição de sobrecarga for atingida enquanto a
seja selecionado. Quando selecionar o interruptor de função de sobrecarga estiver selecionada, o EMS exi-
sobrecarga no FSP, o EMS exibirá a mensagem de birá ‘Overload’ (sobrecarga) e o alarme sonoro soará.
reconhecimento “overload on” (sobrecarga ativada).

C - 110 9803/6570-2 C - 110


Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Alerta de Sobrecarga (Opcional)
Fig. 105.
C - 111 9803/6570-2 C - 111
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Luz de Sinalização Rotativa

Luz de Sinalização Rotativa

Fig. 106.

Operação
A luz de sinalização rotativa é acesa pressionando-se
o interruptor da luz de sinalização rotativa no painel
de interruptores lateral e ECU 1 O/p C 22 é ativada.
A operação da luz de sinalização rotativa é cancelada
pressionando-se o interruptor lateral uma segunda vez,
desabilitando assim a saída da ECU 1 e apagando o
LED de situação.

C - 112 9803/6570-2 C - 112


Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Luz de Sinalização Rotativa
Fig. 107.
C - 113 9803/6570-2 C - 113
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Somente Martelo

Somente Martelo

Fig. 108.

Operação O potenciômetro do acelerador normalmente aumenta


/ diminui a rpm do motor a partir da marcha lenta para
O martelo é acionado pressionando-se o pedal para a rotação máxima do motor, mas não excederá o valor
frente, o que alimenta um sinal de pressão piloto para preestabelecido do martelo, independente de sua po-
fechar o interruptor de pressão e operar o carretel op- sição. O número máximo de “hammer revs” (rotações
cional na válvula de controle principal (MCV). Quando do martelo / rpm do motor) pode ser estabelecido pelo
o interruptor de pressão é fechado (ECU 1 I/p A 11) operador por meio do menu “set” no EMS. Os botões
sente o aterramento do interruptor de pressão, o que de seta para cima e para baixo aumentarão / dimi-
reduz a rpm do motor ao nível preestabelecido no nuirão o valor em 25 rpm para cada pressionamento.
menu de ajuste. Seja qual for o valor ajustado pelo operador, ele será
armazenado e se tornará o novo valor padrão. O valor
padrão original para “Hammer RPM” (rpm do martelo)
é de 1200 rpm.

C - 114 9803/6570-2 C - 114


Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Somente Martelo
Fig. 109. Somente Martelo
C - 115 9803/6570-2 C - 115
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Somente Martelo
Fig. 110. Martelo Combinado / Auxiliar / Misto
C - 116 9803/6570-2 C - 116
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Opção Eletroímã de Sucata

Opção Eletroímã de Sucata

Fig. 111.

Operação Pressione o botão ‘ACK’, a tela mudará para ‘RPM


1000’. Pressionar os botões de rolagem alterará o valor
Quando um acessório eletroímã para manipulação de de rotação em incrementos de 50 rpm (faixa disponível
sucata é instalado na máquina, a alta tensão requerida para ser o ajuste de marcha lenta baixa para o ajuste
para sua operação é alimentada por um moto-gerador. de rotação total do motor no modo S para o modelo
Se a rotação mínima do motor for excessivamente particular). O ajuste padrão para a rotação mínima do
baixa, a tensão de alimentação para o eletroímã motor é 1000 rpm.
poderá diminuir ao ponto de permitir a queda de al-
gum material retido pelo eletroímã. Para evitar isso, O ajuste de RPM deste recurso é memorizado e utili-
a máquina possui a capacidade de ajuste da rotação zado cada vez que a máquina for usada com a função
mínima do motor de modo que ela não diminua abaixo eletroímã de sucata habilitada. A opção eletroímã de
de um nível predeterminado durante a utilização do sucata é desligada através do menu Set (ajuste) do
eletroímã de sucata. EMS.

O recurso pode ser ativado ou desativado e a rpm Caso seja selecionado um valor almejado inferior à
mínima ajustada por meio do menu Set (ajuste) do rotação de marcha lenta, então a máquina entrará por
EMS pela opção “SCRAP MAG” (eletroímã de sucata). padrão no ajuste de marcha lenta original.
Quando este recurso é habilitado, o potenciômetro de
volume do acelerador é re-escalonado de modo que
na posição mínima a rotação do motor seja aquela que
é pré-estabelecida através do seguinte procedimento:

Para ajustar a rotação mínima do motor para uso


com eletroímã de sucata.
Pressione os botões ‘SET + MODE’ no EMS por 5
segundos e, então, use os botões de rolagem até que
a mensagem ‘SCRAP MAG’ (eletroímã de sucata)
seja exibida.
Pressione o botão ‘ACK’ (isto alternará a função ligada
/ desligada). Ajuste o mostrador para ‘Ligado’. A tela
se alternará entre ‘MAG ON’ (eletroímã ligado) e ‘MAG
OFF’ (eletroímã desligado).

C - 117 9803/6570-2 C - 117


Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Luz Interna da Cabine

Luz Interna da Cabine

Fig. 112.

Operação
É possível pressionar o interruptor próximo à porta
da cabine para acender a luz interna da cabine para
acessar a máquina no escuro. Uma entrada (I/p 7)
ativa a ECU1 quando a ignição é desligada. Quando o
interruptor da luz é pressionado, a luz da cabine será
acesa por 5 minutos ou até que o interruptor da luz
seja pressionado novamente dentro de um período
de 5 minutos.
A luz interna da cabine possui um interruptor de anu-
lação integral para acender a luz independentemente
da ECU1.

C - 118 9803/6570-2 C - 118


Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Luz Interna da Cabine
Fig. 113.
C - 119 9803/6570-2 C - 119
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Bomba de Reabastecimento de Combustível

Bomba de Reabastecimento de Combustível

Fig. 114.

A bomba de reabastecimento é instalada em todas as Nota: Se houver qualquer erro no sensor de combus-
máquinas JS Auto. Esta bomba pode ser usada em tível, não será permitido o modo automático da
dois modos diferentes: automático ou manual. bomba de reabastecimento de combustível.
A função não atuará se o motor estiver em funciona- Para evitar que a bomba de combustível funcione a
mento. seco, a saída da bomba de reabastecimento de com-
bustível será desligada depois de 15 segundos se não
Modo Automático houver mudança na leitura do medidor de medidor de
combustível.
Um breve pressionamento do interruptor pulsante
de combustível é usado para ligar e desligar o modo Modo Manual
automático da bomba de combustível.
A qualquer momento que a entrada da bomba de
Quando o interruptor da bomba de reabastecimento
reabastecimento seja pressionada por mais de 2 se-
é pressionado, uma tensão alta (+Vbat) será medida
gundos, a bomba de reabastecimento entrará no modo
na entrada para a ECU 1. Quando o botão é liberado,
manual. Este modo permite que o usuário adicione
a entrada abrirá o circuito e uma tensão “baixa” será
manualmente combustível ao tanque.
medida pela ECU 1. Se o botão for mantido pressio-
nado por menos de 2 segundos, isso acionará o modo Uma vez em modo manual, a saída da bomba de
automático da bomba de reabastecimento reabastecimento será ligada. A saída permanecerá
ligada até que o interruptor de reabastecimento de
Enquanto estiver no modo automático, a saída para o
combustível seja liberado. Neste ponto a saída será
relé da bomba de reabastecimento será energizada.
desligada.
A entrada do nível de combustível será monitorada
durante esta função. Quando o nível de combustível Nota: Se o modo manual for introduzido a partir do
atingir 90% do total, a saída da bomba de combustível modo automático, então o modo automático
será desligada. NÃO será retomado quando o interruptor for
Caso se detecte um segundo pressionamento do botão liberado.
na entrada da bomba de combustível, então o recurso
será desativado e a saída da bomba de combustível
será desligada.

C - 120 9803/6570-2 C - 120


Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Ar Condicionado
Ar Condicionado

Fig. 115.
C - 121 9803/6570-2 C - 121
Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Banco Aquecido

Banco Aquecido

Fig. 116.

Quando o interruptor do assento aquecido é selecio- No acionamento inicial, quando o interruptor do assen-
nado, uma corrente elétrica passa pelo termostato do to aquecido é selecionado, o elemento de aquecimento
assento para o elemento aquecedor. O elemento então do assento somente ligará se o termostato estiver
aquecerá o assento. abaixo de 30°C. Assim que o termostato atingir 30°C,
o aquecedor será desligado. O elemento somente será
O termostato é ajustado para ligar a 20°C e desligar
reaquecido se a temperatura do termostato diminuir
a 30°C.
abaixo de 20°C.

C - 122 9803/6570-2 C - 122


Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Conversor de 24 para 12 Volts, Rádio e Acendedor de Cigarros

Conversor de 24 para 12 Volts, Rádio e Acendedor de Cigarros


Conversor de 24 para 12 Volts
A máquina é equipada com um conversor de tensão,
que fornece energia para o rádio e para o acendedor
de cigarros / carregador de bateria de telefone celular.
A tomada se situa na parte superior do conjunto aque-
cedor da cabine.
O conversor é alimentado por uma alimentação per-
manente proveniente da bateria através do fusível nº 9
para o pino 1 do conversor, e uma alimentação chave-
ada através do fusível nº 8 para o pino 2 do conversor.
Ambas as alimentações são de 24 volts. A tensão
é então reduzida e proporciona uma alimentação
permanente de 12 volts no pino 4 e uma alimentação
chaveada de 12 volts no pino 5.
O pino 3 é o fio-terra para a unidade.

Radio
O rádio possui uma alimentação permanente de 12
volts proveniente do pino 4 do conversor de tensão
para o pino 5 do rádio. A alimentação permanente
serve para preservar a memória do rádio.
A alimentação chaveada de 12 volts para energizar o
rádio provém do pino 5 do conversor de tensão para
o pino 2 do rádio via um interruptor balancim (botão
Mute - emudecimento) no console do lado direito da
cabine. Operar o botão de emudecimento simples-
mente desliga a alimentação de energia para o rádio.

Acendedor de Cigarros
O acendedor de cigarros / carregador de bateria de
telefone celular é alimentado somente pela alimenta-
ção chaveada.

C - 123 9803/6570-2 C - 123


Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Conversor de 24 para 12 Volts, Rádio e Acendedor de Cigarros

Fig. 117.

C - 124 9803/6570-2 C - 124


Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Advertência de Necessidade de Serviço

Advertência de Necessidade de Serviço

Fig. 118.

O LED de advertência de serviço no EMS se acenderá As advertências serão exibidas nos seguintes inter-
(sem alarme sonoro) quando da ocasião do próximo valos:
serviço, de acordo com o cronograma de serviços.
O tempo total decorrido será decidido pelas horas 1 250 horas 150 horas após as horas
registradas no horímetro. reais do 1º serviço

Nos intervalos de 250 horas de serviço (marcados) o 2 500 horas 250 horas após as horas
LED piscará até que o botão ACK seja pressionado no reais do serviço anterior
SEM e então apagará de uma vez. Este é um lembrete
para serviços pequenos somente. 3 750 horas 250 horas após as horas reais
do
Nos intervalos maiores (500 horas) de serviço, o LED serviço anterior
piscará 20 horas antes que o tempo pré-estabelecido
de 500 horas seja alcançado. Ele se iluminará continu- 4 1000 horas 250 horas após as horas reais
amente por 20 horas após o tempo pré-estabelecido do
ter sido alcançado desde o serviço anterior, e somente serviço anterior
pode ser reajustado por um dos dois métodos con-
forme detalhado abaixo. Se este ponto for alcançado 5 1250 horas 250 horas após as horas reais do
uma mensagem de erro será escrita, indicando que o serviço anterior
serviço não foi realizado. 6 A cada 250 horas subseqüentes após as horas
A advertência de serviço maior pode ser cancelada reais do serviço anterior
por uma de duas maneiras:

1 Por meio da ferramenta de serviço aprovada pela


JCB.

2 Por meio de Set + menu Mode (20 s) do EMS.

C - 125 9803/6570-2 C - 125


Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Advertência de Necessidade de Serviço

Cancelamento da Luz Indicadora de Serviço Assim que o código é introduzido e o botão Set (ajuste)
pressionado, a advertência de serviço é cancelada e
O pessoal de Serviços da JCB será capaz de cancelar o código salvo na memória. Os dados salvos serão
a luz indicadora principal de serviços introduzindo atualizados no próximo intervalo de serviço por meio
o código de concessionário a partir da estrutura do do código de concessionário recém introduzido.
menu SET+ Mode.
Nota: O código de concessionário introduzido pode
Quando o menu secundário Service (serviço) é atin-
ser acessado somente pelos engenheiros de
gido e introduzido o concessionário será solicitado a
serviço da Fábrica com o software da ferra-
introduzir um código de quatro dígitos por meio das
menta de serviço.
teclas de rolagem “Para Cima/Para Baixo” e o botão
“ACK”. O dígito requerido piscará até que o botão
“ACK” seja pressionado, e depois disso o próximo
dígito piscará até que todos os dígitos tenham sido
introduzidos.

Etapa Ação Observação


1 SET + MODE (20 segundos)
2 FORA DE SERVIÇO
3 ACK
4 0000
Pressione “Para Cima/Para Baixo” para selecionar o Efetue novamente a etapa 5 até intro-
5 dígito, “ACK” para aceitar a seleção e mover para o duzir todos os cinco dígitos
próximo dígito
6 Ex. 1 2 3 4
Pressione “Set” (ajuste) para introduzir e salvar o código,
7 reinicializar a advertência de serviço e apagar a luz de
advertência.
8 Retorne para o menu SET + Mode.
9 FORA DE SERVIÇO

C - 126 9803/6570-2 C - 126


Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Menu SET do EMS

Menu SET do EMS


Quando o botão Set (ajuste) no EMS é pressionado, aparece uma estrutura de menu secundário, habilitando
o operador a personalizar as operações da máquina e confirmar a hora/data local. As seguintes funções estão
disponíveis: As setas Para Cima/Para Baixo percorrem o menu e o item é selecionado pressionando o botão
“ACK”. Pressionar “Set” (ajuste) a qualquer momento retornará o operador para a tela normal.

Clock: 12 / 24? 24 Formato de relógio As teclas de setas selecionam o formato 12/24 hor-
Pressione “ACK” para aceitar o formato, então a hora atual será exibida.
XX:XX Use as teclas de rolagem para estabelecer a hora atual. Pressione “ACK”
para aceitar o valor
Hammer XXXXX - - As horas totais que o interruptor de pressão do martelo tenha sido ativado
Hrs: são exibidas à esquerda da tela (até o máximo de 99.999) e os dígitos pis-
XXXX
cando à direita representam as horas acumuladas desde o último serviço
do martelo (até o máximo de 9.999).

Os quatro dígitos piscando podem ser reinicializados por meio do pressio-


namento do botão “ACK”. Este item somente será exibido caso seleciona-
do previamente na ferramenta de configuração Reset Hrs? (reinicializar
horas?). Pressionar novamente o botão “ACK” ajustará as horas de serviço
para zero.
Auto Idle T: 5 Tempo de retardo da marcha lenta automática. As teclas de rolagem
aumentam / diminuem o tempo de retardo. Pressione “ACK” para aceitar o
novo tempo de retardo

Language: O idioma pode ser alterado entre um e até quatro idiomas carregados pre-
viamente, os idiomas são instalados na configuração da máquina configu-
ração da máquina.
Int. Wiper S: Wiper SPD-1 Velocidade intermitente do limpador do pára-brisa. As teclas de rolagem
aumentam / diminuem o retardo do tempo entre varreduras. Pressione
“ACK” para aceitar o novo valor.
Hammer RPM XXXX O número máximo permitido de rpm do martelo. Use as teclas de rolagem
Rpm: para ajustar a rpm desejada. Incrementos / decrementos de 50 rpm. Pres-
sione “ACK” para aceitar o novo valor.
Date: XX-XX-XXXX A data atual. Use as teclas de rolagem para aumentar o valor. Pressione
“ACK” para mover para a seção mês. Efetue a operação novamente até
introduzir o ano. Pressione “ACK” para retornar ao menu.

C - 127 9803/6570-2 C - 127


Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Menu SET + Modo (5 Seg) do EMS

Menu SET + Modo (5 Seg) do EMS


Quando os botões Set (ajustar) e Mode (modo) no EMS são pressionados por 5 segundos, aparece um menu
secundário, habilitando o técnico a visualizar dados mais detalhados na máquina e a ajustar configurações de
opções. As seguintes funções estão disponíveis:

Model : JXXXXX Exibe o tipo de modelo.


Serial No: XXXX Exibe o número de série.
Software ver: Exibe a versão do software.
Hardware ver: Exibe a versão do hardware.
Exibe a situação dos interruptores de pressão. Use as teclas de rolagem para percorrer
os seguintes interruptores, a situação atual será exibida:
Hammer (martelo) Situação do interruptor de pressão do martelo
Interr uptor Piloto: Slew (giro) Situação do interruptor de pressão de giro
XXXXX Desligado /
Travel (translação) Situação do interruptor de pressão de translação
Ligado
Upper (superior) Situação do interruptor de pressão superior
Boost (turbo) Situação do interruptor de pressão do turbo
A-mode (modo A) Situação do interruptor de pressão do modo automático
Sense Pot : XX Exibe o valor da resposta da alavanca de aceleração em Ohms
Throttle Pot: XX Exibe o valor do botão de volume do acelerador em Ohms
Sense Volts: XX Exibe a voltagem do circuito do sensor em volts.
Alt Volts: XX Exibe a voltagem de saída do alternador em volts.
Bat Volts: XX Exibe a voltagem da bateria em volts.
Fuel Level: XX Exibe o valor do sensor de nível de combustível em %
Water Temp: XXX Exibe a temperatura atual do líquido de arrefecimento do motor em °C
HYD Temp: XXX Exibe a temperatura atual do óleo hidráulico em °C
Throttle PWM: XXX Exibe o ciclo de ocupação atual da válvula solenóide do acelerador em %.
PUMP AMPS: XXX Exibe o ciclo de ocupação atual do solenóide de controle da bomba em mA
RPM Value: XXXX Exibe o valor atual da rotação do motor em RPM.
As setas para cima ou para baixo habilitam/desabilitam a função. Pressione a tecla
Q/H enable?
ACK para acessar o menu de configuração.
As setas para cima ou para baixo alternam entre o tipo 1 e o tipo 2. Pressione a tecla
Q/H Type ?
ACK para aceitar a seleção e retornar.
Habilita a válvula de prioridade a operar quando as esteiras estão em movimento.
Pressione a tecla ACK para acessar o menu de configuração Pressione as teclas
LF + Track?
LF+TR OFF para cima ou para baixo para alternar entre LIGADO e DESLIGADO.
Pressione a tecla ACK para aceitar a seleção e retornar.
Exibe a situação atual da função do eletroímã de sucata. As setas para cima alteram a
Scrap Magnet situação para “ON” (ativado) e as setas para baixo a alteram para “OFF” (desativado).
Se o botão “ACK” for pressionado, a tela apresentará a rpm do eletroímã de sucata.
Electrical Fault Pressione a tecla ACK, e então role através dos códigos de erros da corrente elétrica.
Pressione a tecla ACK. Use os botões de rolagem para alternar entre LIGADO e
Kerosene Mode
DESLIGADO. Pressione a tecla ACK.
Hydraulic Fan Exibe o ciclo de ocupação atual do solenóide de controle da bomba em mA.

C - 128 9803/6570-2 C - 128


Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Menu SET + Modo (20 Seg) do EMS

Menu SET + Modo (20 Seg) do EMS


Quando os botões Set e Mode no EMS são pressio- Para entrar na calibração do acelerador, execute o
nados juntos por 20 segundos, aparece uma estrutura seguinte procedimento:
de menu secundário, habilitando o pessoal treinado
pela JCB a cancelar as advertências intermediárias – Dê partida no motor e aqueça-o até as tempera-
de serviços, calibrar o acelerador e anular a entrada turas normais de operação.
do sensor de velocidade do motor para energizar os
– Mantenha pressionados os botões “Set” (ajuste) e
solenóides com finalidade de testes. As setas Para
“Mode” (modo) no EMS simultaneamente durante
Cima / Para Baixo percorrem o menu e o item é
20 segundos, até que a mensagem “Service off”
selecionado por meio do pressionamento do botão
(serviço desativado) seja exibida.
“ACK”. Pressionar “Set” (ajuste) a qualquer momento
retornará o operador para a tela normal. – Use as teclas de rolagem até que a mensagem
Serviço Desativado “Calibrate” (calibrar) seja exibida.

A advertência intermediária de serviço pode ser can- – Pressione o botão “ACK”. Você está agora na
celada entrando neste menu. Para entrar neste menu, rotina de calibração do acelerador e a mensagem
execute o seguinte procedimento: “Lower Limit”(Limite mínimo) aparecerá na tela.

– Mantenha pressionados os botões “Set” (ajuste) e – Gire o botão de volume do acelerador para a
“Mode” (modo) no EMS juntos durante 20 segun- posição mínima.
dos, até que a mensagem “Service off” (serviço
desativado) seja exibida. – Pressione “ACK”. A mensagem “Upper Limit”
(Limite máximo) será então exibida.
– Pressione o botão “ACK”. Você está agora na roti-
na “Service off” (serviço desativado), quatro zeros – Gire o botão de volume do acelerador para a
aparecerão na tela e será solicitada a introdução posição máxima.
do código de concessionário JCB. – Pressione “ACK”. A mensagem “Working” (Fun-
– “0”000 Será exibido e o dígito esquerdo estará cionando) será então exibida e o motor acelerará
piscando. As setas para cima e para baixo são até a rotação máxima e lentamente reduzirá até
usadas para selecionar o valor do dígito e “ACK” a marcha lenta. (Isto levará aproximadamente 3
para introduzir / aceitar o valor e mover para o minutos).
próximo dígito. Quando todos os dígitos são intro- – Ao finalizar, o motor retornará ao máximo e o
duzidos, o pressionamento final de “ACK’ seguido controle do acelerador será restaurado para o
por um pressionamento do botão “Set” (ajuste) botão de volume do acelerador. O SEM reverterá
apagará a luz indicadora de serviço e registrará para a tela normal.
o evento do serviço. (horas, tempo e código de
concessionário para o arquivo do histórico de Nota: Se o motor for desligado durante a calibração,
serviços). a mensagem “recalibrate” (calibrar novamen-
te) será exibida e o procedimento deverá ser
Nota: As informações gravadas no histórico de servi- reiniciado. Se os valores mínimo e máximo do
ços estão disponíveis por meio da ferramenta botão de volume do acelerador forem os mes-
de Diagnóstico JCB. mos, ou girados no sentido invertido, então a
mensagem “recalibrate” (calibrar novamente)
Calibração do acelerador também será exibida.
A calibração do acelerador é obtida através do menu
Set + Mode (20 s) no EMS. A calibração do acelerador
deve ser efetuada em cada máquina nova, quando os
componentes da articulação do acelerador são subs-
tituídos ou quando a advertência “No throttle” (sem
acelerador) aparece no EMS.

C - 129 9803/6570-2 C - 129


Seção C – Elétrica
Operação Básica do Sistema
Menu SET + Modo (20 Seg) do EMS

Anulação de Solenóide Recurso de Registro de Dados de Controle de


Potência
Funções Controladas pela Máquina
Quando selecionada, esta função registrará informa-
Quando a ignição é energizada e o motor não está ções sobre a rotação do motor, miliamperes da bomba
em funcionamento, a ECU pode detectar qualquer das e modo ao longo de um período selecionável até 15
seguintes entradas: minutos e exibirá os dados na forma de um gráfico.

Entrada do sensor de pressão do óleo do motor e / ou – Mantenha pressionados os botões “Set” (ajuste)
de velocidade do motor. Então as seguintes funções e “Mode” (modo) no EMS simultaneamente por
são permitidas: 20 segundos, até que a mensagem “Service off”
(serviço desativado) seja exibida.
a Limpador do pára-brisa
– Use as teclas de rolagem até que a mensagem
b Lavador do pára-brisa “HRSEPWR MON” (monitoração de potência) seja
c Buzina exibida.
d Luzes indicadoras – Pressione o botão “ACK”. O equipamento
entrará na função de registro de dados. Isso
e Lampejador do Farol
será confirmado pela mensagem “MINUTES 1”
f Luzes de Trabalho O alarme sonoro so- (minutos 1).
ará, mas poderá ser – O período de tempo para registro agora pode ser
cancelado por “ACK”) ajustado de 1 a 15 minutos utilizando as teclas de
g Luzes laterais O alarme sonoro so- setas.
ará, mas poderá ser – Pressione ‘ACK’ para iniciar o registro. O EMS
cancelado por “ACK”) exibirá “RUNNING” (em execução). Ao finalizar,
h Faróis O alarme sonoro so- a tela retornará para o normal.
ará, mas poderá ser – Os resultados deste teste são então visualizados
cancelado por “ACK”) por meio do aplicativo de registro de dados
i Luz de sinalização O alarme sonoro soa- Service Master utilizando um laptop.
rá, mas poderá ser
cancelado por “ACK”)

Com a ignição ligada, mas sem dar partida no motor,


todos os solenóides, com a exceção dos solenóides
ESOS, são desenergizados para reduzir a fuga de car-
ga da bateria e para reduzir a carga do motor durante
o acionamento do motor de partida.
Para fins de manutenção, um recurso de anulação é
incorporado para operar com segurança as saídas
dos solenóides enquanto o motor não estiver em
funcionamento. Este recurso, assim que habilitado, é
cancelado automaticamente ao desligar a ignição e
então ligá-la novamente. Para entrar neste recurso de
anulação, faça o seguinte procedimento:
– Mantenha pressionados os botões “Set” (ajuste)
e “Mode” (modo) no EMS simultaneamente por
20 segundos, até que a mensagem “Service off”
(serviço desativado) seja exibida.
– Use as teclas de rolagem até que a mensagem
“Over-ride?” (anular?) seja exibida.
– Pressione o botão “ACK”. O equipamento entrará
na função de anulação do solenóide. Isso será
confirmado pela mensagem “Over-ride” (anular)
e o alarme sonoro interno soará. Os solenóides
agora podem ser operados como se o motor
estivesse em funcionamento.

C - 130 9803/6570-2 C - 130


Seção C – Elétrica

Localização de Falhas
Serviço Master JCB
Service Master é um software que permite que um O Service Master também fornece vários recursos
grande número de Aplicativos de Apoio ao Veículo essenciais que acompanharão todos os projetos JCB,
seja conectado utilizando uma interface familiar. A uma ferramenta de edição multi-idiomas que fornece
interface atua na forma de uma ferramenta gráfica para um recurso de tradução de strings de texto individu-
selecionar o veículo almejado a partir de um banco de ais para todos os aplicativos JCB e os recursos para
dados de Famílias de Veículos e acionar o Aplicativo selecionar uma tradução de idioma localizada para
de Ferramenta de Serviço particular desejado. Isso cada aplicativo JCB.
elimina a necessidade do usuário ‘lembrar’ cada fer-
O conteúdo deste documento objetiva explicar a você,
ramenta individual de serviço disponível e selecionar
Usuário, como operar este aplicativo e obter o máximo
aquela destinada a uma máquina em particular.
de sua funcionalidade.

Fig. 119.

C - 131 9803/6570-2 C - 131


Seção C – Elétrica
Localização de Falhas
Utilização do Service Master

Utilização do Service Master


O Aplicativo Service Master consiste de um banco de
dados de registros relacionados a Gamas de Produtos
Veículos e Aplicativos de Ferramentas de Serviços.
Idealmente, qualquer gama de produtos possui um
aplicativo para cada um dos módulos de Ferramenta
de Serviço. Na imagem ao lado, vemos representadas
duas Gamas de Produtos JCB, atualmente a gama
de veículos selecionada é a gama de escavadeiras
‘Heavy Products’ (produtos para serviço pesado). Os
botões do aplicativo (ou ícones) visíveis abaixo das
imagens dos veículos são portais para os Aplicativos
de Ferramentas de Serviços individuais. O usuário
necessita somente decidir que tipo de ferramenta é
requerido para a tarefa a ser realizada, clicar no ícone
respectivo e a ferramenta de serviço será aberta.

Seletores de Gama de Use os dois ícones de


Produtos seta para alternar ao
longo da lista do banco
de dados de ‘Gamas de
Produtos’ supor tados
pelo Service Master.
Botões de Aplicações Esses botões acessam
os aplicativos das ferra-
mentas de serviço sub-
jacentes disponíveis para
o Sistema de Gama de
Produtos selecionado.
Menus de Sistemas As funções são acessa-
das clicando o botão di-
reito do mouse em qual-
quer lugar no formulário
principal.

C - 132 9803/6570-2 C - 132


Seção C – Elétrica
Localização de Falhas
Seleção de Aplicativos de Ferramentas de Serviços

Seleção de Aplicativos de Ferramentas de Serviços


Os aplicativos de Ferramentas de Serviços são sele- Somente os aplicativos suportados pela CFE apresen-
cionados primeiro por meio da localização e seleção tarão um ícone visível. À medida que novos aplicativos
da gama de Produtos que contém o veículo no qual são disponibilizados pelos fornecedores de software,
se deve trabalhar na lista de Gamas de Produtos. Os eles podem ser incluídos na gama de produtos por
aplicativos de Ferramentas de Serviços disponíveis atualização do banco de dados da Gama de Produtos.
para a Gama de Produtos selecionada ficam acessí-
veis clicando em um dos ícones que será exibido parte
inferior da tela principal.

Vehicle Setup (confi- Ajustes de Parâmetros Operacionais, Controle de Opção/Acessório,


guração do veículo) Suporte a Idioma Alternativo, Identificação de Número de Modelo/Série.

Data Logging (regis- Coleta de Dados de Funcionamento, Dados Operacionais, Estatísticas,


tro de dados) Registro de Erros do Dispositivo. _ Utilização de HPDataLogs
(/ C-152).

Service History (his- Registros de Horas de Serviço/Motor, Códigos de Concessionário de


tórico de serviços) Serviços. ⇒ _ Utilização de HP Service (/ C-161).

Flash Loader (carre- Reprogramação da ECU e atualização de Software /Capacidade de


gador flash) Revisão.

Diagnostics (diag- Testes e diagnóstico de I/O (entradas e saídas) da ECU


nóstico)

Technical Data (da- Atalho para a planilha de dados técnicos para performance e ajuste da
dos técnicos) máquina. Necessário instalar o CD3.

JS Fault Finding Atalho para o guia de localização de falhas JS. Necessário instalar o
Guide (guia de loca- guia de localização de falhas do CD3.
lização de falhas JS)

Error Log Reset Tool Atalho para reconfiguração. Faça um clique duplo no ícone para aces-
(ferramenta para sar a tela de reconfiguração. Clique no botão “send” para reconfigurar
reconfigurar erros) todos os erros.

ECM Setup (configu- Específico para máquinas com motor Tier 3.


ração do ECM)

Injector Checker (ve- Atalho para a ferramenta verificadora de injetores. Esta ferramenta habi-
rificador de injetores) lita o usuário a ligar ou desligar cada injetor conforme requerido, para o
diagnóstico de falhas de injetores.

C - 133 9803/6570-2 C - 133


Seção C – Elétrica
Localização de Falhas
Páginas de Máquina de Service Master 2

Páginas de Máquina de Service Master 2


Páginas JS Service History Icon (Histórico de Serviços)
Selecionar este ícone abrirá a ferramenta de Histórico
de Serviços. Esta ferramenta exibe um registro de
serviços dos serviços finalizados e faltantes. Também
é possível acrescentar um comentário de serviço adi-
cional como “pressões reinicializadas” para o registro
de serviços. O registro de serviços também pode ser
impresso ou exportado para um disquete.

Data Logger Icon (Registrador de Dados)


Selecionar este ícone abrirá a ferramenta de registro
de dados. Esta ferramenta memoriza e exibe infor-
mações sobre falhas elétricas e códigos de erros.
Esta ferramenta também registra e exibe informações
sobre a operação da máquina , ou seja, os números
de horas que a máquina passou em cada modo de
funcionamento, o número de horas que a máquina se
Fig. 120. manteve em translação, orientação e escavação. Os
registros de erros também podem ser reinicializados.
Vehicle Setup Icon (Configuração de Veículo)
Selecionar este ícone abrirá a ferramenta de configu- Flashloader Icon (Carregador Flash)
ração de veículo que é usada para habilitar circuitos Selecionar este ícone abrirá a ferramenta de progra-
ou funções como luzes de trabalho adicionais, circuito mação utilizada para a entrada de novo software para
do martelo, estabilizadores e prioridade da lança, os máquinas com versão 8 e posteriores do software da
quais são adicionais à máquina básica. ECU.
Nota: Observe que, se um circuito ou função não es-
tiver habilitado na ferramenta de configuração,
então ela não operará.

Diagnostics Icon (Diagnóstico)


Selecionar este ícone abrirá a ferramenta de diagnós-
tico, o que permite que o operador teste uma quan-
tidade significativa de funções na máquina, incluindo
a operação de solenóides, rotação do motor e sinal
de controle da bomba. As funções de diagnóstico
são agrupadas nas seções do Motor e Sistemas de
Acionamento, Sistema Hidráulico, Sistema Elétrico e
Veículo e Informação CAN.
Uma lista dos circuitos disponíveis em cada categoria
será apresentada quando selecionar a seção funcional.
Cada item na lista pode ser selecionado para visua-
lização enquanto a ferramenta de diagnóstico estiver
operando. Para visualizar um diagrama esquemático,
clique na área da caixa de verificação à esquerda do
item na lista. Quando marcada, o diagrama esquemáti-
co será apresentado no lado direito da janela. Quando
um item for desmarcado, o diagrama esquemático
será fechado.
Fig. 121.

C - 134 9803/6570-2 C - 134


Seção C – Elétrica
Localização de Falhas
Páginas de Máquina de Service Master 2

HP Flashloader Icon (Carregador Flash HP)


Selecionar este ícone abrirá a ferramenta de progra-
mação utilizada para a entrada de novo software para
máquinas com software da ECU anterior à versão 8.

ECM Setup Tool (Configuração do ECM)


Selecionar este ícone abrirá a ferramenta de configu-
ração do controle do motor usada para a programação
dos ECMs. Os dados podem ser copiados de um ECM
antigo, danificado, e então carregados para um ECM
de reposição, por exemplo.

Injector Checker (Verificador de Injetores)


Selecionar este ícone abrirá a ferramenta verificadora
de injetores. Esta ferramenta habilita o usuário a ligar
ou desligar cada injetor conforme requerido, para
diagnosticar falhas de injetores.

Fault Finding Guide Icon (Guia de Localização


de Falhas)
Selecionar este ícone abrirá o Guia de Localização de
Falhas JS localizado no DVD do Pacote de Informa-
ções de Serviço JCB, caso não tenha sido instalado
durante a configuração do Service Master 2.
Este guia fornece informações úteis em procedimentos
de teste e localização de falhas nos sistemas hidráu-
licos e elétricos JS.

Technical Data (Dados Técnicos)


Selecionar este ícone abrirá um documento pdf con-
tendo diversos dados técnicos de máquinas JS.

Tier 3 Troubleshooting (Diagnóstico de Fa-


lhas Tier 3)
Selecionar este ícone abrirá um documento pdf des-
crevendo a estrutura e o diagnóstico de falhas de
sistemas de injeção eletrônica de combustível (tipo
common rail) em motores industriais 4HK1, 4JJ1 e
6HK1 (Isuzu T3).

C - 135 9803/6570-2 C - 135


Seção C – Elétrica
Localização de Falhas
Menus de Sistemas

Menus de Sistemas
As funções dos Menus de Sistemas são acessadas
por meio do botão direito do mouse em qualquer lugar
no formulário principal Service Master.

Manage Applica- Abre o formulário Configurar


tions (Aplicativos Aplicativos que permitem que o
de Gerenciamento) usuário adicione, exclua e atu-
alize informações relacionadas
aos aplicativos suportados por
Gamas de Produtos.
Multi Lingual Abre uma ferramenta de edição
Support (Suporte de texto usada para controlar
Multi-idiomas) faixas de Texto de Aplicativos
que podem ser traduzidos para
quase qualquer idioma suporta-
do por WINDOWS.
DLA Programmer Abre um aplicativo para a repro-
(Programador DLA) gramação de um módulo DLA.
Properties (Pro- Usado para definir diversas
priedades) opções e ajustes usados pelo
Aplicativo Service Master.
About Box (Sobre a Apresenta a versão do software,
Caixa) data, informação dos desenvol-
vedores, etc.

Fig. 122.

C - 136 9803/6570-2 C - 136


Seção C – Elétrica
Localização de Falhas
Visão Geral da Configuração HP

Visão Geral da Configuração HP


A configuração HP é parte de um conjunto de módulos
de softwares projetados para o Sistema Avançado de
Gerenciamento (MAS). A tarefa da Configuração HP
é assegurar que o veículo possa ser configurado em
campo como deixa a linha de produção, conforme
os requisitos do cliente. Isto inclui a habilitação para
configurar vários acessórios opcionais do veículo
para diferentes funções / objetivos do veículo e a
programação de idiomas alternativos dentro do SEM
de maneira que o operador possa ver as informações
em seu / sua língua nativa.

Recursos
Funcionalidade Vehicle Profile Read and Write (Leitura
e Escrita do Perfil do Veículo) que oferece a capaci-
dade de modificar as opções instaladas nos veículos.
Data Link Adaptor (DLA) (adaptador do link de dados)
que utiliza a Interface Padrão CAN Bus J1939.
Aplicativo Multi Language Support (suporte multi-
idiomas), opções fornecidas para permitir que o apli-
cativo para PC opere em vários idiomas diferentes.
Observe que não é o mesmo que o Alternative Lan-
guages (idiomas alternativos) usado no módulo EMS.
Nesta situação, nos referimos aos aplicativos para PC
divergentes de um teste em Inglês padrão para outro
idioma escolhido.

C - 137 9803/6570-2 C - 137


Seção C – Elétrica
Localização de Falhas
Utilização do ECM Setup

Utilização do ECM Setup


A ferramenta ECM Setup é incluída no Service Master Escrever o Código QR
para uso com motores Tier 3.
Para escrever o código QR de um injetor de reposição
A ferramenta ECM Setup é usada para: para o ECM, use o seguinte procedimento:
1 Escrever `código QR’ de um injetor de combustível Nota: O exemplo apresenta a substituição do injetor
de reposição para um ECM. _ Escrever o código nº 3.
QR (/ C-138).
1 Conecte o PC à máquina por meio de um DLA e
2 Ler detalhes exclusivos do motor a partir de ligue a ignição.
um ECM danificado. _ Ler detalhes do motor
(/ C-139). 2 Abra a ferramenta ECM Setup a partir do Service
Master.
3 Escrever detalhes exclusivos do motor para um
ECM de reposição. _ Escrever detalhes do
motor (/ C-141).

Fig. 123.

3 A ferramenta ECM Setup tentará se conectar ao


barramento CAN, após o que, o botão “Connect”
(conectar) ficará cinzento.

4 Selecione na lista suspensa, a opção “Código


de Modelo do Motor”. _ Escrever detalhes do
motor ( / C-141). _ Fig. 124. (/ C-138).

Fig. 124.

C - 138 9803/6570-2 C - 138


Seção C – Elétrica
Localização de Falhas
Utilização do ECM Setup

5 A partir do novo injetor, anote o código QR. _ Fig. Ler Detalhes do Motor
125. (/ C-139).
1 Conecte o PC à máquina por meio de um DLA e
Nota: Não use os números eliminados. ligue a ignição.

2 Abra a ferramenta ECM Setup a partir do Service


Master.

Fig. 125.

6 Introduza o novo código QR nas caixas para o


injetor de reposição, conforme mostrado. _ Fig. Fig. 127.
126. (/ C-139).
3 A ferramenta ECM Setup tentará se conectar ao
barramento CAN, após o que, o botão `Connect’
(conectar) ficará cinzento.

Fig. 126.

7 Selecione o botão A. O código QR agora está


gravado no ECM. Fig. 128.

4 Selecione botão A. A ferramenta ECM Setup lerá


e exibirá o seguinte:
a Códigos QR dos Injetores. _ Fig. 129.
(/C-140).

C - 139 9803/6570-2 C - 139


Seção C – Elétrica
Localização de Falhas
Utilização do ECM Setup

Fig. 129.

b Número de Série do Motor. _ Fig. 130. 5 Selecione `Disconnect’ (desconectar) a partir do


(/ C-140). menu de opções `File’ (arquivo) ou selecione o
botão B.

6 Para copiar os detalhes para um novo ECM, siga


o próximo procedimento. _ Escrever detalhes
do motor ( / C-141).
Importante: NÃO desligue o laptop, feche a ferramen-
ta ECM Setup ou desconecte o DLA durante a leitura
ou escrita para um novo ECM.

Nota: Se os detalhes não puderem ser lidos a partir


do ECM, entre em contato com o Serviço JCB.

Fig. 130.

c Tom Q. _ Fig. 131. (/ C-140).

Fig. 131.

C - 140 9803/6570-2 C - 140


Seção C – Elétrica
Localização de Falhas
Utilização do ECM Setup

Escrever Detalhes do Motor


Copiar os detalhes existentes no ECM. _ Ler detalhes
do motor ( / C-139).

Importante: NÃO desligue o laptop, feche a ferra-


menta ECM Setup ou desconecte o
DLA durante a leitura ou escrita para
um novo ECM.

1 Desligue a ignição.

2 Remova a unidade do ECM e substitua-a por outra


nova. 6 Na página da aba `Rewrite Engine Serial Number’
(reescrever número de série do motor), selecione
3 Selecione o botão de conexão A. o botão C para escrever o número de série para
o ECM.

7 Na página da aba `Rewrite Q Tone’ (reescrever


tom Q), selecione o botão D para escrever valores
de limite de Q para o ECM.
Fig. 132.

4 A ferramenta ECM Setup tentará se conectar ao


barramento CAN, após o que, o botão `Connect’
(conectar) ficará cinzento.

5 O código QR será exibido para cada injetor.


Selecione os botões B para escrever cada código
para o ECM.

C - 141 9803/6570-2 C - 141


Seção C – Elétrica
Localização de Falhas
Utilização do HPSetup

Utilização do HPSetup
Para operar este software corretamente, ele deve ter
sido instalado utilizando o disco de Instalação Service
Master JCB para assegurar que os arquivos, bancos
de dados e recursos corretos tenham sido inicializados.

1 Conexão ao veículo.

2 Início de HPSetup.

3 Configuração de um Perfil de Veículo.

4 Escrita de Perfil de Veículo.

5 Leitura de Perfil de Veículo atual.

6 Encerramento.

7 Opções.

C - 142 9803/6570-2 C - 142


Seção C – Elétrica
Localização de Falhas
Utilização do HPSetup

1 Conexão do Adaptador do Link de 2 Início de HPSetup.


Dados (DLA)
Para abrir o Aplicativo HPSetup:
O DLA fornecido para a JCB e Concessionários rela-
1 Inicialize o PC em WINDOWS.
cionados é a única ferramenta requerida para conexão
ao rede de dados CAN a bordo dos veículos. 2 Inicie o JCB Service Master CFE.
Você necessitará um PC e todos os aplicativos JCB
3 Selecione a Gama de Produtos de Serviço Pesado
instalados, além de uma porta Paralela ou porta serial
(Heavy Products Range) de Escavadeiras
livre.
4 Clique no ícone para abrir o aplicativo HPSetup.
– Conecte o DLA ao seu computador.

– Instale o segundo cabo entre o DLA e o co- A abertura do HPSetup demora alguns segundos
nector de serviço no veículo, localizado neste porque ele precisa pesquisar a rede do veículo e
diagrama. detectar a presença de todas as ECUs instaladas e
identifica-las. Assim que a análise da rede é finalizada,
– Energize o veículo (opcionalmente, a energia o formulário principal será visualizado.
pode ser permanente).
Há também muitas verificações de erro feitas em
– Assegure-se que o LED de energização esteja relação à operação do DLA. Caso surja qualquer
aceso. ocorrência de erro do DLA, você necessitará ler o
Diagnóstico de Falhas do DLA.
O HPSetup agora deverá estar pronto para uso.

Fig. 133.

C - 143 9803/6570-2 C - 143


Seção C – Elétrica
Localização de Falhas
Utilização do HPSetup

3 Configuração de um Perfil de Veículo Clique no botão esquerdo do mouse ou selecione


botão “Next” (próximo) na Aba Languages (idiomas).
A informação do Perfil do Veículo (VP) enviada para a Use a caixa da lista de opções Country (país) para
máquina requer que o usuário selecione os seguintes exibir a lista de Idiomas Alternativos suportados pelo
campos de dados. HPSetup. As caixas de texto abaixo da Caixa da lista
Country (país) exibem até três idiomas alternativos
Model Number Lista de opções de máquinas que serão gravados no EMS. ⇒ _Tabela 2. Referência
(Número do atualmente suportadas a partir Cruzada de Idiomas ( / C-148)
Modelo) da qual o usuário deve selecionar
um valor particular. Esta seleção Uma opção foi fornecida para programar os idiomas
por sua vez controla o número independentemente da programação do VP completo
e o tipo das opções disponíveis do veículo, esta maneira é um pouco mais simples para
(e alguns ajustes-padrão que atualizar o texto do idioma quando mover o veículo de
não podem ser mudados) para um local para outro.
aquele modelo particular. O VP agora está pronto para ser gravado.
Serial Number Deve ser completado antes do Clique no botão Write (escrever) (ou F12) para ter
(Número de VP poder ser gravado no veículo. o VP atual gravado na máquina. As mensagens de
Série) diagnóstico recebidas durante as operações de leitu-
Build Date Data em que a máquina foi pro- ra e escrita são exibidas na área da tela fornecida. A
(Data de gramada pela primeira vez. verificação da escrita pode ser feita clicando no botão
Fabricação) Read (ler) (F11). Isto lê os dados de volta a partir da
Alternative Texto predefinido exibido nas ECU1 (entretanto, não lê o conteúdo das tabelas do
Languages mensagens usadas no EMS. Idioma Alternativo). Verifique o valores lidos de volta
(Idiomas em relação aos seus ajustes originais.
Alternativos)
Models Lista de opções instaladas no
Options veículo conforme requerido para
(Opções atender aos requisitos do cliente.
de Modelos) (veja as diretrizes)

As Opções instaladas no veículo podem então ser


selecionadas utilizando as caixas de verificação (a
caixa marcada define a Opção como ‘Instalada’).
A caixa de verificação “Custom Options” (opções
personalizadas) permite que o usuário configure as
opções fora das diretrizes normais para os dispositivos
implementados em máquinas particulares. Em geral,
as máquinas Wheeled (com rodas) e Tracked (com
esteiras) possuem várias Opções distintas disponíveis
que nem sempre estão disponíveis de um tipo para o
outro. As Opções Personalizadas permitem que elas
sejam sobrescritas por encomenda, e o uso desta
opção somente deverá ser feito mediante instrução
proveniente da Engenharia da JCB Heavy Products.
A data de fabricação é programável somente uma
vez, ao deixar a linha de produção (fabricação real).
Programaçõea adicionais serão ignoradas.
Fig. 134.
Após configurar o VP, o usuário deve agora selecionar
os arquivos de Idiomas Alternativos o que devem ser
enviados para o módulo EMS para memorização. O
EMS é capaz de selecionar um idioma de operação
alternativo além do Inglês (o idioma padrão em todas
as máquinas JCB).

C - 144 9803/6570-2 C - 144


Seção C – Elétrica
Localização de Falhas
Utilização do HPSetup

6 Encerramento do HPSetup

O encerramento do HPSetup é efetuado utilizando


os métodos normais baseados na seleção de
menu e/ou clicar no ícone ‘fechar’ no canto
superior direito da barra de títulos da janela do
WINDOWS.

7 Opções – Suporte Multi-Idiomas

A partir do menu de utilidades, escolha “Select


Language” (selecionar idioma) para selecionar o
Idioma do país que o texto visual para o Aplicativo
de PC (HPSetup) necessita ser traduzido. Esta
função permite que o HPSetup seja operado
por Usuários de muitos países, reduzindo
Fig. 135. assim a necessidade de fazer muitos aplicativos
de Ferramenta de Configuração de Serviço
4 Escrita de Perfil de Veículo <F12> personalizados.

O usuário pode programar o veículo conectado utili- Quaisquer arquivos de idiomas fornecidos como
zando o botão Write (escrever) a qualquer momento parte do HPSetup serão automaticamente
(ou pressionar a tecla F12). Diversas verificações da detectados pelo software e exibidos na caixa de
programação são feitas para assegurar que todos seleção. Representações são feitas por Bandeiras
os valores requeridos sejam feitos (Tipo de modelo, Nacionais e alguns textos identificadores (região
Idiomas, etc.) e assegurar que os dados gravados ou dialeto) pertencentes ao país selecionado. Em
não tornem qualquer condição inválida no sistema geral, isso permite que vários dialetos regionais
do veículo. de um mesmo país possam ser selecionados.

O botão Write (escrever) será desabilitado se a cone- Assim que uma nova Bandeira é selecionada,
xão da rede não estiver disponível. Se este for o caso, todo o texto baseado em WINDOWS é traduzido
tente primeiro o botão Connect (conectar). utilizando os arquivos de tradução de texto.

5 Leitura de Perfil de Veículo <F11>


Em uma ocasião em que possa ser necessário ler
VP de volta a partir da ECU1 para verificar os ajustes
ou carregar previamente ajustes atuais prontos para
atualização por causa de novas opções sendo insta-
ladas no veículo.
Conecte o veículo ao PC através do DLA, energize o
veículo e então execute o HPSetup.
Clique no botão Read (ler).
Quando os dados tiverem sido lidos a partir da ECU1,
eles serão gravados de volta nas caixas de entrada
de dados nas abas Vehicle Setup (configuração do
veículo) e Languages (idiomas).

Nota: Não é possível extrair do EMS o conteúdo das Fig. 136.


tabelas de Idioma EMS.

C - 145 9803/6570-2 C - 145


Seção C – Elétrica
Localização de Falhas
Utilização do HPSetup

Diretrizes para Configuração de um Veículo Utilizando a Ferramenta de Configuração


Selecione as opções de acordo com as seguintes diretrizes:

Para todas as máquinas com esteiras para EUA ou máquinas


Alarme de Translação
instaladas com a opção alarme de translação.
Overload Caution (alerta de Para todas as máquinas com a opção Válvulas de Retenção de
sobrecarga): Mangueira Rompida (HBCV).
Quick Hitch (engate rápido): Máquinas equipadas com a opção engate rápido.
Lower Wiper (limpador do Para todas as máquinas equipadas com a opção de limpador de pára-
pára-brisa inferior): brisa inferior.
Para máquinas com rodas com tubulação de baixo fluxo sem válvula
Grab Rotate (rotação de garra):
de prioridade.
Weed Cutter A/Bucket (cortador Para máquinas com rodas com tubulação de baixo fluxo com válvula
de grama A/Caçamba): de prioridade.
Para máquinas com esteiras com tubulação de baixo fluxo (qualquer
Low Flow (baixo fluxo):
especificação).
Stabilisers (estabilizadores): Para todas as máquinas com rodas equipadas com estabilizadores.
Add. Work Lamps (luzes de Máquinas equipadas com luzes adicionais de cabine e contrapeso
trabalho adicionais): (incluindo JS130HD).
Full Flow Lines (linhas de fluxo Para todas as máquinas equipadas com tubulação de fluxo total
total): (circuitos de bomba de rompedor, auxiliar, combinado ou misto).
Boom priority (prioridade da Para máquinas equipadas com opção de prioridade da lança (opção
lança): futura).
Permitem que todas as opções acima sejam especificadas para
Custom Options (opções qualquer máquina.
personalizadas):
Esta opção deve ser usada somente para vendas especiais.

C - 146 9803/6570-2 C - 146


Seção C – Elétrica
Localização de Falhas
Utilização do HPSetup

Referência Cruzada de Idiomas Alternativos


As tabelas de idiomas programadas no módulo EMS
são selecionadas utilizando a tabela seguinte. Os
idiomas predefinidos são carregados automatica-
mente quando o usuário seleciona o Território (País)
de destino. Até três idiomas (além do Inglês) podem
ser memorizados nos módulos EMS, cada um deles
selecionável pelo Operador utilizando as funções de
Menu do EMS.

Tabela 1. Guia de Abreviaturas


País Abr. País Abr.
África AF Itália IT
Áustria AT América Latina LA
Bélgica BE Luxemburgo LU
BA /
Bósnia/Croácia Holanda NL
HR
Canadá CA Noruega NO
Rep. Checa CZ Polônia PL
Dinamarca DK Portugal PT
Europa Oriental EE Rússia RU
Finlândia FI Espanha ES
França FR Suécia SE
Alemanha DE Suíça CH
Grécia GR Turquia TR
Islândia IS Reino Unido UK
Irlanda IE EUA US
Israel IL Hungria HU
⇒_Tabela 2. Referência Cruzada de Idiomas
( / C 148).

C - 147 9803/6570-2 C - 147


Seção C – Elétrica
Localização de Falhas
Utilização do HPSetup
Tabela 2. Referência Cruzada de Idiomas

_ Tabela 1. Guia de Abreviaturas (/ C 147)


C - 148 9803/6570-2 C - 148
Seção C – Elétrica
Localização de Falhas
Configuração da Porta DLA

Configuração da Porta DLA


O Service Master 2 pode ser configurado para se
comunicar através de portas especificadas no laptop.

1 A partir de qualquer tela do Service Master, clique


na aba “Utilities” (utilidades), role a tela para baixo
e clique em “DLA setup” (configurar DLA) _ Fig
23. ( / C 149).

Fig. 139.

3 Caso selecione a opção “Parallel/Serial” (paralela/


série), aparecerá uma segunda caixa de diálogo.
As portas de comunicação que o Service Master
2 utilizará para se comunicar e a seqüência em
que ele tentará e se comunicará será exibida na
janela _Fig 140. ( / C 149).
Fig. 137.

Ou selecione “DLA” a partir do menu de opções e en-


tão dê um clique duplo no ícone “COM port Chooser”
(selecionador de porta COM). _ Fig 138. ( / C 149).

Fig. 138.

2 É exibida uma caixa de diálogo. Escolha o tipo de Fig. 140.


dispositivo requerido e então clique em “Apply”
(aplicar).

C - 149 9803/6570-2 C - 149


Seção C – Elétrica
Localização de Falhas
Configuração da Porta DLA

4 Adicione uma nova porta de comunicação para


a lista clicando em “Add” (adicionar). Introduza o
novo número de porta conforme requerido. _ Fig.
141. ( / C-150).

Fig. 141.

Nota: É recomendável não utilizar mais do que as


quatro portas identificadas na lista. Caso con-
trário, poderá ocorrer travamento do Service
Master durante a conexão ao veículo.

C - 150 9803/6570-2 C - 150


Seção C – Elétrica
Localização de Falhas
Adaptador do Link de Dados

Adaptador do Link de Dados


O DLA é um dispositivo universal para a conexão de 5 Com a energia do veículo ligada, inicie o
vários meios de comunicação de dados para o PC atra- aplicativo HPSetup e observe visualmente o
vés de uma única peça de hardware. O HPSetup utiliza LED de atividade da CAN e anote a mensagem
a Especificação CAN J1939 na rede e comunicações de erro exibida pelo PC. Se o LED não piscar
do veículo. Sendo um dos métodos mais econômicos várias vezes depois de ter sido inicializado pelo
de conexão do PC ao barramento do veículo, o DLA PC, então provavelmente haverá um problema
comprovou sua capacidade em aplicativos como o de hardware com o DLA. Substitua o DLA. As
Diagnostics (diagnóstico), Data Logging (registro de mensagens de erro exibidas pelo software de
dados) e ferramentas de procedimento de configura- acionamento do DLA frequentemente indicam a
ção do veículo como o HPSetup. A energia elétrica origem do problema. Pode ser útil desenergizar o
para o DLA é obtida da alimentação de energia do veículo, aguardar alguns segundos e então tentar
veículo via o conector de 15 vias, de maneira que ele novamente estabelecer a conexão.
não requer fonte interna de energia e é auto-regulável
até +40V, proporcionando grande proteção e versatili-
dade porque pode ser conectado à maioria das formas
de operação automotiva entre 5 e 40V CC. Assim que
conectado ao PC, o DLA é autodetectado e inicializado
por software, eliminando qualquer necessidade de o
usuário determinar configurações de portas ou taxas
de transferência de dados.

Diagnóstico de Falhas do DLA


A falha do software para inicializar o DLA impedirá
qualquer operação de leitura/escrita. Esta seção
ajudará a eliminar problemas de erro e colocar o DLA
em funcionamento. Siga esta lista de verificações para
efetuar e ajudar a diagnosticar o problema.

1 Cabos: assegure-se que sejam utilizados os cabos


corretos entre o PC/DLA/Conector do veículo.

2 Inspecione os cabos quanto a possível dano, e


substitua-os se necessário.

3 Assegure-se que as conexões estejam firmes


entre todos os dispositivos.

4 Energize o veículo e assegure-se que o LED


de energização no DLA esteja aceso. Se o LED
não acender, pode haver um problema com a
energia alimentada para a unidade ou o sistema Fig. 142.
regulador do DLA não está funcionando. Para
verificar a energia para o DLA, desconecte o
DLA do veículo e use um multímetro digital para
verificar a voltagem entre os pinos 6 e 8. Deve
haver um mínimo de 12 V CC (ou voltagem da
IGNIÇÃO, veja as especificações do veículo)
entre esses dois pinos. Se não houver, verifique
a alimentação de energia do veículo, ou o DLA
deverá ser substituído por causa de um problema
com seus circuitos internos.

C - 151 9803/6570-2 C - 151


Seção C – Elétrica
Localização de Falhas
HPDataLogs

HPDataLogs
O HPDataLogs é um aplicativo projetado para extrair,
compilar e apresentar os dados operacionais obtidos
das Escavadeiras JS operando o Sistema de Geren-
ciamento Avançado. O software aplicativo conecta um
PC à rede de bordo do veículo via DLA (Adaptador
do Link de Dados) e fornece um meio simples de
solicitar dados dos nós de nós de rede (ECU1, EMS
e/ou ECW1).
Os dados coletados incluem as horas de operação
para funções do veículo particular, e estatísticas
do sistema hidráulico e arrefecimento. Uma função
secundária no aplicativo deve fazer o download de
informação adicional obtida do registro do ‘run time’
(tempo de funcionamento), onde o operador coloca
o AMS em um modo para coletar informações de
funcionamento por 15 minutos de cada vez. O aplica-
tivo permite que estes dados sejam descarregados,
exibidos e impressos.

Utilização de HPDataLogs

Início de HPDatalogs

1 Conecte o DLA ao conector de serviço a bordo do Fig. 143.


veículo e ao computador pessoal que executará
o aplicativo HPDataLogs.

2 Abra o JCB Service Master.

3 Selecione a Gama de Produtos de Serviço Pesado


(Heavy Products Range) de Escavadeiras

4 Clique no ícone Data Loggin (registro de dados).


_Seleção de Aplicativos de Ferramentas de
Serviços ( / C 133).

5 A tela principal do Registro de Dados HP se abrirá.

C - 152 9803/6570-2 C - 152


Seção C – Elétrica
Localização de Falhas
HPDataLogs

Funções de Usuário

Fig. 148.
Fig. 144. Altera o idioma usado para o texto gravado no aplica-
tivo e retorne para o Service Master CFE.
Permite que o operador imprima o Registro de Dados
selecionado atual.

Fig. 149.
Fig. 145. Visualiza a situação do nó de rede no veículo.
Permite que o operador leia o registro de Dados atual
do veículo. Após fazer o download, o AMS apaga auto-
maticamente os registros antigos e fica pronto para a
próxima utilização do veículo. F11 é a tecla de atalho
para esta função.

Fig. 150.
Visualiza o arquivo de ajuda.

Fig. 146.
Os Dados em Funcionamento registrados durante a
operação do veículo podem ser visualizados, descar-
regados e impressos utilizando este recurso.

Fig. 151.
Visualiza a caixa About (sobre) e informações sobre
o aplicativo.

Fig. 147.
Permite que o operador feche o aplicativo.

C - 153 9803/6570-2 C - 153


Seção C – Elétrica
Localização de Falhas
HPDataLogs

Critérios de Seleção do Banco de Dados


Os conjuntos de registros passados e presentes per-
tencentes ao Registro de Dados do veículo podem ser
selecionados utilizando os seguintes controles.

Fig. 152.

Permite que o operador selecione a partir do banco


de dados a lista de registros pertencentes a um veí-
culo específico utilizando seu Número de Série como
campo indexador. Estabeleça este campo primeiro.

Fig. 153.

Registro de Dados pertencentes ao Número de Série


do Veículo selecionado são filtrados adicionalmente
por meio da seleção da data de download dos regis-
tros.

C - 154 9803/6570-2 C - 154


Seção C – Elétrica
Localização de Falhas
HPDataLogs

Opções da Caixa de Abas


Os campos TAB (ABA) selecionam as informações do Registro de Dados que você deseja visualizar.

Fig. 154.

Working Hours Apresenta as horas de operação acumuladas para as funções do


(Horas de Funcionamento) veículo.
Engine Coolant
Apresenta as horas de operação acumuladas em várias faixas de
(Líquido de Arrefecimento
temperatura e registros de dados de eventos críticos.
do Motor)
Apresenta as horas de operação acumuladas em várias faixas de
Hydraulic Oils (Óleos Hidráulicos)
temperatura e registros de dados de eventos críticos.
Visualiza a lista de Registros de Erros relatados durante o período
Error Logs (Registros de Erros)
selecionado.

C - 155 9803/6570-2 C - 155


Seção C – Elétrica
Localização de Falhas
HPDataLogs

Working Hours (Horas de Funcionamento) Engine Coolant (Líquido de Arrefecimento do


Motor)
Detalha as horas de funcionamento reais acumuladas
do veículo para as diversas condições de operação. Detalha as condições de operação e horas de opera-
ção acumuladas dentro de faixas definidas de tempe-
ratura do líquido de arrefecimento do motor.

Data Data do evento.


Duração Tempo do evento em minutos.
Horas da Horas reais do motor nas quais os
Máquina eventos ocorreram.

Fig. 155.

Fig. 156.

C - 156 9803/6570-2 C - 156


Seção C – Elétrica
Localização de Falhas
HPDataLogs

Hydraulic Oils (Óleos Hidráulicos) Error Logs (Registros de Erros)


Detalha as condições de operação do óleo hidráulico Diversos eventos de erros são registrados e salvos
desde o último serviço e as horas de operação acu- como registros para análise futura pelo pessoal de
muladas dentro de faixas definidas de temperatura. Serviço e Engenharia. Quaisquer registros de erros
detectados e enviados pelo veículo podem ser exibidos
Data Data do evento. na Planilha de Registro de Erros.
Duração Tempo do evento em minutos.
Tipos de Erros Detalha o tipo de erro do evento
Horas da Horas reais do motor nas quais os
registrado.
Máquina eventos ocorreram.
Horas do Horas do motor nas quais o evento
Motor de erro ocorreu.
Duração (min) Tempo em minutos do evento de
erro. Pode estar em branco ou
zero, dependendo do tipo de erro.
Alguns eventos não requerem um
parâmetro de duração.
Número Identifica a Saída de hardware uti-
da Saída lizando a ID do sistema/diagrama
esquemático.

Fig. 157.

Fig. 158.

C - 157 9803/6570-2 C - 157


Seção C – Elétrica
Localização de Falhas
HPDataLogs

Monitoração do Controle de HP Os Registros de Dados de Funcionamento são ar-


quivados até a próxima vez que o usuário solicitar o
A Monitoração do Controle de Potência é usada registro dos Dados de Funcionamento.
para registrar as condições de operação durante os
15 minutos anteriores à interrupção do registro pelo
operador do veículo. O gráfico exibe PWM da Bomba
e RPM em relação ao tempo.

Fig. 159.

C - 158 9803/6570-2 C - 158


Seção C – Elétrica
Localização de Falhas
HPDataLogs

Download dos Dados de Funcionamento Impressão de Relatórios

1 Selecione e abra o formulário Running Data O formulário Running Data (dados de funcionamento)
(dados de funcionamento) a partir da barra do pode ser impresso como um documento adequado
menu principal dos aplicativos HPDLog. para fins de distribuição ou envio por fax.

2 Utilizando as opções do menu no formulário


Running Data (dados de funcionamento),
agora abra e selecione função Read (leitura).
Alternativamente, use a tecla F11.

Fig. 162.

Entrada de Usuário
Zoom: O operador pode usar o botão esquerdo do
Fig. 160. mouse para arrastar sobre uma área do gráfico para
ampliá-la quando o botão esquerdo é liberado. Para
Exportação de Dados isso, o usuário deve colocar o ponteiro do mouse na
parte superior esquerda da área do gráfico que deve
O formulário Running Data (dados de funcionamento) ser ampliada, manter pressionado o botão esquerdo
pode ser exportado para um arquivo de texto, delimi- do mouse e arrastar o cursor sobre a área que deve
tado por linhas, para importação por outro aplicativo ser realçada. Continue arrasando o mouse até que
baseado em Windows. atingir a parte inferior direita da área almejada e libere
o botão esquerdo do mouse. A área selecionada será
então ampliada.

Fig. 161.

C - 159 9803/6570-2 C - 159


Seção C – Elétrica
Localização de Falhas
HPDataLogs

Service History (histórico de serviços) As diversas formas dos eventos do Histórico de Ser-
viços são registradas pelo módulo EMS.
A ferramenta Service History (histórico de serviços)
é um aplicativo projetado para recuperar e exibir os
registros do Histórico de Serviços gravados pelo
AMS. Sua funcionalidade simples a torna a ferramen-
ta ideal para consulta rápida dos dados gravados, e
adicionalmente, os recursos Import (importar), Export
(exportar) e Printing (imprimir), facilitam muito a troca
de informações entre os Departamentos de Serviço
da empresa e da JCB.

Scheduled Service Events Onde em intervalos predefinidos o LED de Serviço na tela do EMS é
(eventos de serviços ativado e a luz indicadora de Serviço é reconhecida (ACK) pelo operador.
programados) Esses eventos são geralmente para operações de serviço obrigatórias
conforme especificado o manual de serviços.
Unscheduled Service Events São aqueles eventos que podem se desenvolver devido a mudanças na
(eventos de serviço não especificação da máquina ou o reparo de alguma função de sistema, sis-
programados) tema ou componente. Esses events não programados são ‘acrescentados’
para a lista de eventos do Histórico de Serviços do EMS pelo Engenheiro
de Serviços responsável pelo serviço.

Este aplicativo é responsável pela leitura, escrita,


impressão, importação, exportação e controle dos
registros do Histórico de Serviços obtidos de qualquer
veículo HP.

C - 160 9803/6570-2 C - 160


Seção C – Elétrica
Localização de Falhas
HPDataLogs

Utilização de HP Service Permite que o usuário selecio-


O HP Service pode ser usado como um aplicativo inde- ne a partir do banco de dados
pendente ou por meio do Service Master CFE da JCB. o Histórico de Serviços para
qualquer veículo que tenha
1 Conecte o Veículo/DLA/PC utilizando os cabos sido conectado a ele e feito o
fornecidos. download.
Carrega a lista do Histórico de
2 Energize o veículo.
Serviços do veículo conecta-
3 Execute o HPSetup. do ao PC. _ Carregar Histó-
rico de Serviços ( / C 162).
Abra o programa utilizando o Service Master CFE. Importa o Histórico de Ser-
Abra o Service Master CFE. viços expor tado de outro
Clique no ícone Service History (histórico usuário do Histórico de Servi-
de serviços). _ Seleção de Aplicativos de ços. _Importar Histórico de
Ferramentas de Serviços ( / C 133). Serviços ( / C 162).
Exporta o Histórico de Ser-
Abra Utilizando o Windows. viços, exporta o conjunto de
registros atual do Histórico de
Clique no botão Iniciar do Windows, na barra de
Serviços para um arquivo para
ferramentas. Selecione EXECUTAR... item de
importação por outro usuá-
menu. Use o botão de navegação para localizar
rio._ Exportar Histórico de
“HPService.exe”. Clique em OK após selecionar
Serviços ( / C 162).
o arquivo.
Excluir Histórico de Serviços,
exclui a lista atual de entradas
do Banco de dados. _ Excuir
Histórico de Serviços ( / C
163).
Imprimir Serviço, registra o
Histórico de Serviços atual.
_ Imprimir Histórico de
Serviços ( / C 163).
Adicionar Registro de Ser-
viço, permite que o usuário
introduza um registro no His-
tórico de Serviços atual do
veículo. Uma opção especial
para Serviços que não estão
planejados previamente. _
Adicionar um Registro do
Fig. 163. Histórico de Serviços ( /
C 163).
O aplicativo HP Service abrirá e se parecerá com a
figura mostrada.

C - 161 9803/6570-2 C - 161


Seção C – Elétrica
Localização de Falhas
HPDataLogs

Carregar Histórico de Serviços


Os registros do Histórico de Serviços podem ser
obtidos do veículo clicando botão Carregar histórico
de serviços. _ Utilização de HP Service ( / C 161).
A lista de registros do Histórico de Serviços é então
gravada no banco de dados local em ordem cronoló-
gica, conforme mostrado abaixo.

Fig. 165.

Todos os arquivos Importados/Exportados possuem


a extensão.shi. Após importar o arquivo, ele é exibido
na grade SH usual.

Exportar Histórico de Serviços


A lista de registros do Histórico de Serviços exibida
atualmente pode ser exportada para um arquivo para
Fig. 164.
distribuição para outros usuários que estejam interes-
sados em qualquer informação gravada nos registros.
No exemplo acima quatro registros SH foram salvos
do veículo, detalhando o Intervalo de serviço, Horas Para exportar os registros do Histórico de Serviços,
do Motor Atuais no momento do serviço e o código selecione na Lista de Números de Série de Veículos o
de concessionário do Centro de Serviços que efetuou Número de série pertencente ao veículo que deve ser
o serviço. exportado. Clique no botão Exportar Histórico de Ser-
viços para abrir a caixa de diálogo ‘Save as...’ (salvar
Caso o módulo que registra o SH venha a ser subs-
como) (apresentada abaixo). Digite ou selecione um
tituído, o Gerenciador do Histórico de Serviços man-
nome de arquivo (para ser sobregravado) que deve
terá em segurança estes dados e irá acrescentar os
receber os dados exportados. _ Utilização de HP
novos registros provenientes do módulo substituído.
Service ( / C 161).
Entretanto, isso somente será verdadeiro enquanto o
Número de Série do veículo não for alterado e as Horas
do Motor não sejam ‘ajustadas’ por aproximadamente
o número antigo de Horas do Motor anterior à troca.

Importar Histórico de Serviços


O Gerenciador do Histórico de Serviços fornece
ferramentas para Importar e Exportar registros SH
individuais de um computador pessoal para outro, o
que torna a tarefa de compartilhar informações muito
simples ao longo de um sistema computacional am-
plamente distribuído.
Para importar um arquivo, o usuário simplesmente Fig. 166.
clica no botão Importar Histórico de Serviços e então
usa a caixa de diálogo para localizar o arquivo que Clique no botão ‘Save’ (salvar) para exportar o conte-
deve ser importado, _ Utilização de HP Service údo da tabela.
( / C 161).

C - 162 9803/6570-2 C - 162


Seção C – Elétrica
Localização de Falhas
HPDataLogs

Imprimir Histórico de Serviços Adicionar Registro do Histórico de Serviços


O Histórico de Serviços de qualquer veículo pode ser Em algum momento um veículo pode sofrer alguma
impresso utilizando os ajustes-padrão de impressora forma de operação de serviço que esteja fora dos In-
do PC que executa o aplicativo. tervalos de Serviços normais preestabelecidos. Esta
opção permite que o Engenheiro de Serviços inclua na
Como Imprimir o Histórico de Serviços:
lista do Histórico de Serviços atual uma entrada para
Use a caixa de seleção do Número de Série do Veículo um evento de serviço não programado. A significação
para selecionar um conjunto de Registros do Histórico. especial deste evento é dupla, primeiramente porque
as horas programadas estão ‘não programadas’,
então devemos ajustar o Intervalo de Serviço para
zero, e porque temos a capacidade de introduzir um
texto no campo de comentários que o Engenheiro de
Serviços poderá associar com o evento de serviço
não programado.

Para Adicionar um Registro do Histórico de


Serviços
Conecte o veículo, energize-o e assegure-se que o PC
tenha se registrado na rede do veículo.
Clique no botão Adicionar Registro do Histórico de
Fig. 167. Serviços. _ Utilização de HP Service ( / C 161).
Clique no botão Print (Imprimir). _ Utilização de HP No formulário abaixo, digite o Código de Concessioná-
Service ( / C 161). rio e um comentário (até o máximo de 30 caracteres)
relacionados à natureza do serviço não programado.
Excluir Histórico de Serviços
O Histórico de Serviços do Veículo selecionado atual-
mente pode ser excluído a qualquer momento.
Como Excluir um Histórico de Serviços:
Use a caixa de seleção do Número de Série do Veículo
para selecionar um conjunto de Registros do Histórico.

Fig. 169.

Clique no botão OK para enviar o registro para a tabela


de Histórico de Serviços interna do veículo. O botão
OK é habilitado somente quando dados válidos são
introduzidos nos campos de Código de Concessionário
e Comentário.

Fig. 168. Encerramento de HPService

Clique no botão Delete (excluir). _ Utilização de HP Para fechar o HPService, use o item de menu Exit (sair)
Service ( / C 161). na barra de menus da janela principal do HPService.

C - 163 9803/6570-2 C - 163


Seção C – Elétrica
Localização de Falhas
Aplicativo de Programação FLASH

Aplicativo de Programação FLASH


Guia de Treinamento “FLASHECU”
Este aplicativo se baseia principalmente em um de-
sign de programação FLASH genérico que requer
pouca informação de volta do módulo que deve ser
programado, diferente de seu endereço de fonte (SA).
FLASHECU utiliza o DLA para conectar a rede CAN
no veículo para obter informações do nó de rede e
passar o código do aplicativo do programa FLASH.
Para limitar o uso ao Aplicativo JCB Heavy Products,
as opções de seleção do operador foram limitadas à
programação da ECU1, EMS e ECUW. Outra entrada
de Operador é restrita ao fornecimento dos nomes de
arquivos para aplicativos que devem ser gravados nos
nós de rede individuais.

Utilização de FLASHECU

Preparação

1 Conecte o DLA ao PC e ao conector no veículo


utilizando os cabos do DLA fornecidos.

2 Energize o veículo com o motor desligado e Fig. 171.


verifique se o veículo está operacional.
Selecione o Aplicativo FLASH.
Abertura do aplicativo FLASHECU
Use os botões de navegação ou digite na caixa de
1 Abra o JCB Service Master CFE. entrada de texto o nome do arquivo que deve ser
programado no módulo da ECU.
2 Selecione Heavy Products JS Excavator (gama
de produtos de escavadeiras serviço pesado JS). Programação FLASH
3 Clique no ícone do disquete mostrado abaixo. Somente os módulos das ECUs detectados na rede
poderão ser programados. Os botões de programação
do módulo são habilitados se o nó que representam
está identificado na rede. Após selecionar o aplica-
tivo para programar no FLASH, clique no botão que
identifica a ECU desejada. A programação FLASH
começará imediatamente.
A barra de progresso indica o progresso da progra-
mação FLASH.

Fig. 170.

4 O aplicativo deverá abrir conforme mostrado.

C - 164 9803/6570-2 C - 164


Seção C – Elétrica
Localização de Falhas
Aplicativo de Programação FLASH

Fig. 172.

Parar Programação
O botão Stop (parar) interrompe a programação a
qualquer momento, com o efeito colateral de corromper
algum código incluso já existente antes da reprogra-
mação. O botão Stop (parar) somente deve ser usado
se o ‘progresso’ da função FLASH travar, então o pro-
grama FLASH deverá ser interrompido para colocar
novamente a ECU desejada no modo de programação.

C - 165 9803/6570-2 C - 165


Seção C – Elétrica
Localização de Falhas
Introdução à Ferramenta de Diagnóstico

Introdução à Ferramenta de Diagnóstico


A janela Diagnostics (diagnóstico) fornece um quadro 2 Início do Modo de Diagnóstico
para que análise de cada seção funcional do veículo.
Ela faz isto solicitando e coletando dados da rede do 3 Análise de Circuitos
veículo através do DLA (Adaptador do Link de Dados).
4 Interrupção do Modo de Diagnóstico
Após filtragem e interpretação, os dados são então
usados para exibir o estado de I/O em tempo real atual, 5 Preferências de Idioma
em valores de dados em funcionamento, etc. do circuito
de controle de função particular sob observação. Como A barra de status localizada na parte inferior da janela
a ferramenta Diagnóstico adiciona pequeno esforço da Ferramenta de Diagnóstico apresenta algumas
sobre o barramento CAN ou carregamento nos nós da informações da Rede CAN. O endereço CAN de cada
ECU, ela opera sem ser notada, conservando assim um dos módulos (se presentes) é apresentado nas
um alto grau de eficiência em tempo real. seções da ECU, ECUW e EMS. As luzes indicadoras
Para informações sobre a utilização desta ferramenta vermelhas e verdes acendem quando há mensagens
de diagnóstico, veja as seguintes seções: recebidas ou enviadas pelo software de diagnóstico.

1 Conexão ao veículo.

Fig. 173.

C - 166 9803/6570-2 C - 166


Seção C – Elétrica
Localização de Falhas
Conexão ao Veículo

Conexão ao Veículo
O DLA fornecido para a JCB e Concessionários
relacionados é a única ferramenta requerida para a
conexão à rede CAN de bordo do veículo.
Será necessário um PC com Windows 95/98 e uma
porta de impressora paralela. Um cabo é fornecido
com o DLA e é especificamente projetado para este
aplicativo.
Conecte o DLA à porta paralela do seu computador
utilizando o cabo de 25 pinos fornecido com o DLA.
Instale o segundo cabo entre o DLA e o conector 174-
A de serviço, no veículo.
Certifique-se se o LED de energização no DLA está
iluminado.

Fig. 175.

416401-C1

Fig. 174.

C - 167 9803/6570-2 C - 167


Seção C – Elétrica
Localização de Falhas
Início do Modo de Diagnóstico

Início do Modo de Diagnóstico


Para iniciar o modo de diagnóstico, pressione botão
“iniciar” verde, ou selecione Start Diagnostics (iniciar
diagnóstico) no menu Options (opções).
Quando o modo de diagnóstico é iniciado:

o software de diagnóstico verifica o número do


modelo do veículo e opções instaladas e exibe
somente as funções de diagnóstico que estão
disponíveis no veículo. inicia a monitoração em
tempo real dos sistemas do veículo.

todas as janelas de esquema elétrico são


continuamente atualizadas com os valores atuais.

Nota: Se o DLA não estiver conectado ao computa-


dor ou não esteja energizado, você verá uma
mensagem de erro quando iniciar o modo
de diagnóstico. Você será solicitado a tentar
novamente ou cancelar. Se clicar em Cancel
(cancelar), o modo de diagnóstico iniciará,
mas não será capaz de apresentar qualquer
informação do veículo em tempo real. Se você
pressionar Retry (tentar novamente), após co-
nectar e ativar o DLA, o modo de diagnóstico
iniciará e a informação em tempo real será
apresentada.

C - 168 9803/6570-2 C - 168


Seção C – Elétrica
Localização de Falhas
Diagramas de Circuito

Diagramas de Circuito
Os diagramas de circuitos fornecem informação em
tempo real enquanto o software de diagnóstico estiver
em funcionamento. Os estados ou níveis de todas as
entradas e saídas de cada circuito funcional são apre-
sentados e continuamente atualizados à medida que
as condições se alteram no veículo. Esta informação
permite diagnosticar rapidamente as falhas do veículo.
Há dois exemplos de diagramas de circuito abaixo
apresentando o estilo da informação de diagnóstico.
O diagrama da Buzina apresenta o estado (ligado /
desligado) dos interruptores da buzina e o estado da
saída que aciona a buzina.

Fig. 176.

O diagrama do alternador apresenta os valores de


corrente para a entrada do volante e a voltagem do
alternador.

Fig. 177.

C - 169 9803/6570-2 C - 169


Seção C – Elétrica
Localização de Falhas
Luzes indicadoras (LEDs)

Luzes indicadoras (LEDs)


As luzes indicadoras nos diagramas de circuito de diagnóstico aparecerão em um dos estados (cores) abaixo.
Este código de cores também é visível no canto inferior esquerdo da janela principal de Diagnóstico HP.

Apagada (Verde Escuro) - a entrada ou saída está desligada ou inativa.

Acesa / Ativa (Verde Claro) - a entrada ou saída está ligada ou ativada.

Ausente (Branca) - esta opção não está disponível nesta máquina.

Circuito Aberto (Azul Claro) - a saída se encontra na condição de circuito aberto indicando que
nada está conectado à saída (somente saídas PWM e Lado Alto).

Curto-circuito (Vermelha) - a saída se encontra na condição de curto-circuito indicando que a


saída está conectada diretamente à bateria ou aterramento (somente saídas PWM e Lado Alto).

Superaquecimento (Magenta) - a saída registra uma condição de superaquecimento.

Sem Tensão (Amarela) - o circuito de saída não possui energia da bateria indicando que um
fusível pode estar aberto (somente saídas PWM e Lado Alto).

Sem Dados (Cinzenta) – nenhum dado está sendo recebido pela ECU.

C - 170 9803/6570-2 C - 170


Seção C – Elétrica
Localização de Falhas
Interrupção do Modo de Diagnóstico

Interrupção do Modo de Diagnóstico


Para interromper o modo de diagnóstico, pressione
o botão vermelho “stop” (parar) ou selecione Stop
Diagnostics (interromper diagnóstico) a partir do menu
Options (opções).
A interrupção do modo de diagnóstico cessará a
monitoração em tempo real do veículo e desacoplará
o DLA da rede CAN. As janelas de esquema elétrico
não são atualizadas com novos valores.

C - 171 9803/6570-2 C - 171


Seção C – Elétrica
Localização de Falhas
Configuração de Idioma

Configuração de Idioma
Selecione Preferences (preferências) a partir do menu
Options (opções) para visualizar o Preferences Dialog
(diálogo de preferências). Para mudar o idioma usado
pelo sundown da Ferramenta de Diagnóstico, selecio-
ne o idioma desejado na lista de idiomas suportados.
Todos os arquivos de idiomas fornecidos como parte
da Ferramenta de Diagnóstico serão automaticamente
detectados pelo software e exibidos na caixa de sele-
ção. Representações são feitas por Bandeiras Nacio-
nais e alguns textos identificadores (região ou dialeto)
pertencentes ao país selecionado. Isto permite que
vários dialetos regionais de um mesmo país possam
ser disponibilizados.
Assim que um novo idioma é selecionado e o botão OK
é pressionado, todo o texto do programa é traduzido
(alterado) utilizando o arquivo de idioma selecionado.

C - 172 9803/6570-2 C - 172


Seção C – Elétrica
Localização de Falhas
Lista das Mensagens de Texto Mostradas no EMS

Lista das Mensagens de Texto Mostradas no EMS


Tabela 1: Mensagens de Erro
MENSAGEM DESCRIÇÃO
Air Filter Filtro de ar bloqueado
Air Pressure Baixa pressão de ar
Alternator Sem carga / Carga baixa
Brake Fail Freio sem pressão
Comms Fault Falha da rede Can / SPI
Coolant low Nível de líquido de arrefecimento
Elec Fault Falha no chicote das ECUs
Hyd oil low Nível de óleo hidráulico
Oil Filter Filtro de óleo bloqueado
Oil Press Pressão do Óleo do Motor
Temperatura do Motor /
Over Heat
Hidráulico alta
Advertência de superaqueci-
Overload
mento alcançado
2º aviso de baixo nível de
Low Fuel
combustível
No Trottle Falha no sistema de aceleração
1º aviso de baixo nível de
Res Fuel
combustível

Tabela 2: Mensagens de Situação


MENSAGEM DESCRIÇÃO
Seqüência de aquecimento
Auto warm
automático do motor
Para de emergência do motor
Emer Stop
ativada
Sistema de modo de retorno à
Limp mode
oficina ativado
Low idle Rotação do Motor
Alerta de Sobrecarga ativada
Overload on
(opcional)
Força de elevação de escavação
Power up
instantanea ativada
Pré-aquecimento do motor
Pre Heat
ativado
Q/H Discon Situação do engate rápido
Q/H Discon? Engate rápido desconectado
Service Rqd. Indicador de serviço requerido
Soft mode Situação de amortecimento
Slew lock Trava de translação acoplada

C - 173 9803/6570-2 C - 173


Seção C – Elétrica
Localização de Falhas
Lista das Mensagens de Texto Mostradas no EMS

Tabela 3: Código de Erro de Falha Elétrica Nota: 2 Somente é possível detectar condições de
curto-circuito quando a saída estiver ativada.
Os erros elétricos são exibidos imediatamente no Curto-circuitos são indicados por um código
EMS com um alarme sonoro. Pressionar “ACK” pára da série 200.
o alarme sonoro e faz com que as mensagens se
tornem repetitivas. Nota: 3 As detecções de circuitos abertos, curto-
circuitos e falta de voltagem não podem ser
Nota: 1 Somente é possível detectar circuitos aber- feita nos drivers de lado baixo.
tos quando a saída tiver sido desativada. Um
circuito aberto é indicado pelos códigos da Nota: 4 Veja os Dados dos Chicotes.
série 100.

Código
Série do erro Descrição
de erro
101 CRANK Um sinal de acionamento do motor de partida não foi detectado pela ECU1.
102 FUEL O sensor de combustível apresenta circuito aberto.
O interruptor de pressão do óleo informa a existência de pressão do óleo
107 OIL SW
quando o motor não está em funcionamento.
O sensor do volante do motor informa uma velocidade do motor apesar do
108 FLYWHEEL
motor não estar em funcionamento.
O alternador informa uma tensão mesmo quando o motor não está em fun-
109 ALT
cionamento.
O solenóide do acelerador apresenta circuito aberto. Isto pode ser detectado
110 THR SOL
somente quando o motor não está em funcionamento.
111 BOOM SP A saída de regulagem da velocidade inferior da lança apresenta circuito aberto.
O solenóide de fluxo máximo apresenta circuito aberto. Para máquinas JS200W,
113 MAX FLW este erro pode ser detectado somente quando o motor não está em funciona-
mento devido ao fato de que esta é uma válvula proporcional nessas máquinas.
115 BOOM O solenóide de prioridade da lança apresenta circuito aberto.
116 FL PMP A saída da bomba de reabastecimento de combustível apresenta circuito aberto.
117 HORN A saída da buzina apresenta circuito aberto.
A bomba hidráulica apresenta circuito aberto. Porque esta é uma válvula pro-
118 HYD PMP porcional, este erro pode ser detectado somente quando o motor não está em
funcionamento.
119 SLW LCK O solenóide de trava do giro apresenta circuito aberto.
A saída da hélice do sistema hidráulico apresenta circuito aberto. Isto pode ser
120 HYD FAN
detectado somente quando o motor não está em funcionamento.
121 SLW BRK O solenóide do freio de giro apresenta circuito aberto.
122 SLW ST O solenóide de corte de giro apresenta circuito aberto.
127 TL CHNG O solenóide de mudança de translação apresenta circuito aberto.
128 WASHER O motor do lavador de pára-brisa apresenta circuito aberto.
129 DOZER O solenóide da pá mecânica apresenta circuito aberto.
130 GRB CW O solenóide da garra/rotor no sentido horário apresenta circuito aberto.
131 CRB CCW O solenóide da garra/rotor no sentido anti-horário apresenta circuito aberto

C - 174 9803/6570-2 C - 174


Seção C – Elétrica
Localização de Falhas
Lista das Mensagens de Texto Mostradas no EMS

Código
Série do erro Descrição
de erro
133 ISOL’ O solenóide do isolador do hidráulico apresenta circuito aberto.
135 STAGE O solenóide de alívio do 2º estágio apresenta circuito aberto.
136 QK HTCH O solenóide do engate rápido apresenta circuito aberto.
138 HAMMER O solenóide do martelo apresenta circuito aberto.
139 CUSHION O solenóide de amortecimento rígido/macio apresenta circuito aberto.
142 ENG SD A saída de desativação do motor apresenta circuito aberto.
143 GLW PLG A saída das velas de pré-aquecimento apresenta circuito aberto.
156 TL FLW O solenóide de fluxo de translação 3 apresenta circuito aberto.
157 TL FLW O solenóide de fluxo de translação 2 apresenta circuito aberto.
158 GR CHNG O solenóide de M2 ou mudança de marcha apresenta circuito aberto.
159 AXLE LK O solenóide de bloqueio do eixo apresenta circuito aberto.
160 STAB UP O solenóide de elevação do estabilizador apresenta circuito aberto.
161 STAB DN O solenóide de abaixamento do estabilizador apresenta circuito aberto.
162 STAB LH O solenóide esquerdo do estabilizador apresenta circuito aberto.
163 STAB RH O solenóide direito do estabilizador apresenta circuito aberto.
O solenóide de isolamento da extremidade de escavação apresenta circuito
164 DIG ISL
aberto.
165 PRK BK O solenóide do freio de estacionamento apresenta circuito aberto.
202 FUEL O sensor de nível de combustível apresenta curto-circuito.
203 EN TMP O sensor de temperatura do motor apresenta curto-circuito.
204 HYD TMP O sensor de temperatura do hidráulico apresenta curto-circuito.
205 SET PT O potenciômetro de ajuste do acelerador apresenta curto-circuito.
206 SENS PT O potenciômetro do sensor do acelerador apresenta curto-circuito.
210 THR SOL O solenóide do acelerador apresenta curto-circuito.
211 BOOM SP A saída de regulagem da velocidade inferior da lança apresenta curto-circuito.
212 INT LT A luz interna apresenta curto-circuito.
O solenóide de fluxo máximo apresenta curto-circuito. Para máquinas JS200W,
213 MAX FLW este erro pode ser detectado somente quando o motor não está em funciona-
mento porque esta é uma válvula proporcional, nessas máquinas.
214 BEACON A saída da luz de sinalização apresenta curto-circuito.
215 BOOM O solenóide de prioridade da lança apresenta curto-circuito
O solenóide da bomba de reabastecimento de combustível apresenta curto-
216 FL PMP
circuito.
217 HORN A saída da buzina apresenta curto-circuito.
A bomba hidráulica apresenta curto-circuito. Como esta é uma válvula propor-
218 HYD PMP cional, este erro pode ser detectado somente quando o motor não está em
funcionamento.
219 SLW LCK The slew lock solenoid is short-circuited.
A válvula solenóide do ventilador do sistema hidráulico apresenta curto-circuito.
220 HYD FAN A falha pode ser detectada somente quando o motor não está em funciona-
mento.
221 SLW BRK O solenóide do freio de giro apresenta curto-circuito.

C - 175 9803/6570-2 C - 175


Seção C – Elétrica
Localização de Falhas
Lista das Mensagens de Texto Mostradas no EMS

Código
Série do erro Descrição
de erro
222 SLW ST O solenóide de corte de giro apresenta curto-circuito.
223 LWR WP O motor do limpador de pára-brisa inferior apresenta curto-circuito.
224 WIPER O motor do limpador de pára-brisa apresenta curto-circuito.
225 LH CAB LT A luz de trabalho da lança apresenta curto-circuito.
226 RH CAB LT A luz de trabalho da caixa de ferramentas apresenta curto-circuito.
227 TL CHNG O solenóide de mudança de translação apresenta curto-circuito.
228 WASHER O motor do lavador de pára-brisa apresenta curto-circuito.
229 DOZER O solenóide da pá mecânica apresenta curto-circuito
230 GRB CW O solenóide da garra/girar no sentido horário apresenta curto-circuito.
231 CRB CCW O solenóide da garra/girar no sentido anti-horário apresenta curto-circuito.
232 LW FLOW O solenóide de fluxo baixo apresenta curto-circuito.
233 ISOL O solenóide do isolador apresenta curto-circuito.
234 EMG STP O solenóide da parada de emergência apresenta curto-circuito.
235 2 STAGE O solenóide de alívio do 2º estágio apresenta curto-circuito.
236 QK HTCH O solenóide do engate rápido apresenta curto-circuito.
237 TL ALRM A saída do alarme de translação apresenta curto-circuito.
238 HAMMER O solenóide do martelo apresenta curto-circuito.
239 CUSHION O solenóide de amortecimento rígido/macio apresenta curto-circuito.
240 BOOM LT A luz de trabalho da lança apresenta curto-circuito.
241 TLBX LT A luz de trabalho da caixa de ferramentas apresenta curto-circuito.
242 ENG SD O solenóide de desativação do motor apresenta curto-circuito.
243 GLW PLG As velas de pré-aquecimento apresentam curto-circuito.
244 CNT WT LT A luz de trabalho do contrapeso apresenta curto-circuito.
245 LH IND A luz indicadora de direção esquerda apresenta curto-circuito.
246 LH SIDE A luz lateral esquerda apresenta curto-circuito.
247 LH FOG O farol de neblina esquerdo apresenta curto-circuito.
248 LH MAIN O farol principal esquerdo apresenta curto-circuito.
249 LH DIP O farol do braço esquerdo apresenta curto-circuito.
250 RH IND A luz indicadora de direção direita apresenta curto-circuito.
251 RH SIDE A luz lateral direita apresenta curto-circuito.
252 RH FOG O farol de neblina direito apresenta curto-circuito.
253 RH MAIN O farol principal direito apresenta curto-circuito.
254 RH Dip O farol do braço direito apresenta curto-circuito.
255 HZD LED O LED do pisca-alerta apresenta curto-circuito.
256 TL FLW3 O solenóide de fluxo de translação 3 apresenta curto-circuito.
257 TL FLW2 O solenóide de fluxo de translação 2 apresenta curto-circuito.
258 GR CHNG O solenóide de mudança de marcha apresenta curto-circuito.

C - 176 9803/6570-2 C - 176


Seção C – Elétrica
Localização de Falhas
Lista das Mensagens de Texto Mostradas no EMS

Código
Série do erro Descrição
de erro
259 BRKE LT O circuito da luz de freio apresenta curto-circuito.
260 AXLE LK O solenóide de bloqueio do eixo apresenta curto-circuito.
261 STAB UP O solenóide de elevação do estabilizador apresenta curto-circuito.
262 STAB DN O solenóide de abaixamento do estabilizador apresenta curto-circuito.
263 STAB LH O solenóide esquerdo do estabilizador apresenta curto-circuito.
264 STAB RH O solenóide direito do estabilizador apresenta curto-circuito.
265 CRUISE O solenóide de controle de cruzeiro apresenta curto-circuito.
266 DIG ISL O solenóide de isolação da extremidade de escavação apresenta curto-circuito.
267 PRK BK O solenóide do freio de estacionamento apresenta curto-circuito.
300 ECU1 CAN O módulo da ECU1 deixou de se comunicar no barramento CAN.
301 ECUW CAN O módulo da ECUW deixou de se comunicar no barramento CAN.
A diferença entre os pontos mínimo e máximo de calibração para o potenciô-
302 THRT CAL
metro do botão do acelerador é menor do que 100.
The difference between the minimum and maximum calibration points for the
303 THRT CAL throttle sense pot is less than 100. This error does not exist on machines fitted
with an engine ECM.
O potenciômetro do botão do acelerador é maior do que 10%, mas o motor
ainda está em funcionamento na posição de marcha lenta. Esta condição deve
304 THRT CAL
existir pelo menos durante 15 segundos antes de ser relatada. Este erro não
existe em máquinas equipadas com um ECM.
O termo de erro do algoritmo é maior que 20 pontos por mais de 20 segundos
305 THRT CAL
consecutivos.

C - 177 9803/6570-2 C - 177


Seção C – Elétrica
Localização de Falhas
Localização de Falhas Sem o Uso da Ferramenta de Diagnósticos Serviço Master JCB

Localização de Falhas Sem o Uso da Ferramenta de


Diagnósticos Serviço Master JCB
Introdução 6 Para remover a ECU-1, remova os três parafusos
Allen que fixam os computadores ao quadro. Para
O sistema AMS é projetado de maneira que todos remover os chicotes elétricos da máquina dos
os componentes conectados ao sistema possam computadores, solte integralmente o parafuso
comunicar-se um com o outro. Isto significa que as Allen para cada conector. A remontagem é o
horas da máquina não somente são exibidas no Mo- inverso deste procedimento.
nitor Eletrônico (EMS), mas também são registradas
na Unidade de Controle Eletrônico 1 (ECU-1). Nota: Na ECU-1, as letras de identificação para os
conectores de chicotes elétricos individuais
Substituição de Componentes da Máquina e as conexões de chicotes elétricos fixos no
próprio computador, são as letras gravadas
Sob tais circunstâncias, onde o diagnóstico da fa- (A, B, C) na carcaça do computador. Isso é
lha não for possível utilizando-se a Ferramenta de fundamental para a identificação de conectores
Diagnóstico JCB Service Master, as seguintes ações e pinos durante o diagnóstico da falha.
precisam ser efetuadas em circunstâncias onde a
substituição da Unidade de Controle Eletrônico 1 7 O Painel Frontal de Interruptores (FSP) não é
(ECU-1) e/ou o Sistema de Monitor Eletrônico (EMS) afetado por quaisquer substituições de outro
for inevitável. componentes.
1 Se uma nova ECU-1 ou um novo EMS for
instalado em uma máquina nova ou antiga, as
horas de funcionamento das máquinas passarão
automaticamente para as novas unidades e as
atualizarão quando a ignição das máquinas for
ligada.
Nota: Isto inclui máquinas em estoque com mais de
1 hora registrada pelo sistema AMS.
2 Somente sob circunstâncias extremas uma ECU-1
ou EMS deverá ser transferida para uma máquina
com menos horas de funcionamento do que a
máquina doadora. O efeito disto seria transferir
automaticamente a informação do maior número
de horas para a máquina recipiente.
Nota: Este processo não é reversível.
3 Quando uma ECU-1 ou EMS é substituída em
uma máquina, o sistema da máquina deve ser
configurado novamente utilizando a Ferramenta
de Serviço Set Up (configuração). Sem esta
ação, algumas opções previamente ativas não
funcionariam e o sistema de aceleração não seria 4017401-C
calibrado.
4 Pa r a r e m o v e r a u n i d a d e E M S , p u x e Fig. 178.
cuidadosamente a unidade para fora do painel
frontal. A unidade é mantida no local apenas O sistema compreende os seguintes componentes
por uma vedação retentora e é um ajuste com eletrônicos principais:
interferência, não tente forçar a unidade para fora
com uma alavanca pois isto poderia causar danos 179-A Unidade de Controle Eletrônico -1 (ECU-
ao EMS e ao painel frontal. O procedimento de 1)
remontagem é inverso ao da desmontagem. 178-B Sistema de Monitoração Eletrônica (EMS)
5 Para acessar a ECU-1, remova os sete parafusos 178-C Painel Frontal de Interruptores (FSP).
que fixam o painel atrás do assento e remova o
painel.

C - 178 9803/6570-2 C - 178


Seção C – Elétrica
Localização de Falhas
Localização de Falhas Sem o Uso da Ferramenta de Diagnósticos Serviço Master JCB

Fig. 179.

C - 179 9803/6570-2 C - 179


Seção C – Elétrica
Localização de Falhas
Localização de Falhas Sem o Uso da Ferramenta de Diagnósticos Serviço Master JCB

Diagnóstico de Falha (Geral) Verifique a resistência entre Pino 7 e Pino 8 no Conec-


tor de Diagnóstico onde a Ferramenta de Serviço do
Nota: O método de testes do EMS e as tensões de Adaptador de conexão de Dados se conecta à máquina
entrada e saída da ECU-1 são apresentados 181-B. O valor deve ser de 60 ohms, + / – 5 ohms.
na Seção C Procedimentos de Serviço.

Nota: Veja a Seção C Dados de Chicotes para deta-


lhes de Conectores.

Alimentação Permanente da Bateria (Ignição


Desligada)
A alimentação permanente da bateria da ECU-1 pode
ser medida no Conector B do chicote, Pino 6 (24 v+).
A alimentação permanente da bateria da EMS pode
ser medida no Conector do chicote, Pino 13 (24 v+).

Ignição Ligada
A alimentação da ignição da ECU-1 pode ser medida
no Conector B do chicote, Pino 5 (24 v+).
As tensões de saída da ECU-1 podem ser medidas no
Conector B do chicote, Pinos 1, 2, 7, 8, 13, 14, 19, 20.
A alimentação da ignição da EMS pode ser medida
no Conector do chicote, Pino 16 (24 v+).

Testes de Aterramento
Fig. 180.
Os aterramentos da ECU-1 podem ser testados no
Conector B do chicote, Pinos 11,17, 23 e Conector C
do chicote, Pinos 9, 10. Testes da Unidade
Os aterramentos do EMS podem ser testados no Verifique a existência de resistência entre Pino 6 e
Conector do chicote, Pinos 14, 17, 18. Pino 7 na unidade EMS, a leitura deve ser de 120
ohms + / – 10 ohms.
Testes da Rede Can-Bus Verifique a resistência entre Pino 15 e Pino 21 no
conector 181-B da unidade ECU-1, a leitura deve ser
Se todos os símbolos do modo de translação piscarem
de 120 ohms + /– 0 ohms.
juntos, isso indicará um problema da Rede Can-Bus,
use os Testes de Chicotes e Testes da Unidade para
identificar o componente defeituoso.

Testes de Chicotes
Verifique a existência de continuidade entre:
Conector do chicote do EMS, Pino 6, e Conector B do
chicote da ECU1, Pino 21.
Verifique a existência de continuidade entre o Conector
do chicote do EMS, Pino 7, e Conector B do chicote
da ECU1, Pino 15.

C - 180 9803/6570-2 C - 180


Seção C – Elétrica
Localização de Falhas
Localização de Falhas Sem o Uso da Ferramenta de Diagnósticos Serviço Master JCB

A ECU-1 memoriza as seguintes Informações do


Registro de Dados:
Superaquecimento do Sistema Hidráulico.
Superaquecimento do motor.
Falta de Aceleração.
Recalibração do acelerador
Filtro de ar bloqueado.
Baixa pressão de ar.
Baixa Pressão do Óleo do Motor.

Se a ECU-1 for substituída, as Informações do Registro


416401-C2 de Dados memorizadas nele não serão transferidas
para a nova unidade. Portanto, se possível, o download
das informações do Registro de Dados deve ser feito
Fig. 181.
antes que ocorra a substituição.

Diagnóstico de Falha de ECU-1 Falha do EMS


Se o motor gira, mas não dá partida, mude para “Limp Na partida da máquina, todas as 18 luzes indicado-
Mode” (modo retorno para oficina). Se a máquina der ras de advertência devem “acender brevemente” por
partida, pode ter ocorrido uma falha na ECU-1. Esta aproximadamente 1 segundo e os elementos dentro
verificação pressupõe que todas as outras verifica- dos monitores de tela de cristal líquido (LCD) devem
ções de “Falha do Motor Para Partida” tenham sido acender pelo mesmo período de tempo.
efetuadas.
Se houver uma falha da unidade EMS, a máquina pode
Se houver uma falha da unidade ECU-1, a máquina ser movimentada utilizando o interruptor “LIMP MODE”
pode ser movimentada utilizando o interruptor “LIMP (retorno para casa) 181-A localizado atrás do assento.
MODE” (retorno para oficina) 181-A localizado atrás
do assento. Nota: A máquina somente funcionará com a rpm do
motor em marcha lenta e somente deverá ser ope-
Nota: A máquina somente funcionará na rpm de mar- rada neste modo para permitir que a máquina seja
cha lenta do motor e deverá ser operada somente movimentada para uma posição segura para reparos.
neste modo para permitir que a máquina seja mo- A máquina não funciona da mesma maneira que os
vimentada para uma posição segura para reparos. modelos anteriores equipados com um Interruptor de
A máquina não funciona da mesma maneira que os Redundância.
modelos anteriores equipados com um Interruptor de
Redundância. O EMS memoriza as seguintes informações do Re-
gistro de Dados:
Para testar a ECU-1, vários circuitos individuais podem
ser usados para identificar a falha da ECU-1. Esses são Uso no Modo Limp (retorno para oficina).
circuitos básicos que não requerem o uso de solenói-
des, mas são atuados por meio de um interruptor único. Advertência de Baixa Carga do Alternador.

Circuito da buzina Erros de Acionamento de Circuitos (Circuitos


abertos, Curto-circuitos, Falta de Voltagem.)
Circuito do limpador do pára brisa
Circuito do lavador do pára brisa Se o EMS for substituído, as informações do Registro
de Dados memorizadas nele não serão transferidas
Circuito do alarme de translação (somente para a nova unidade. Portanto, se possível, o download
máquinas norte-americanas) das informações do Registro de Dados deve ser feito
Circuito das luzes de trabalho antes que ocorra a substituição.
O circuito individual pode então ser verificado por
testes das voltagens de entrada e saída da ECU-
1. O método de testes das voltagens de entrada e
saída é apresentado na Seção C, Procedimentos
de Serviço.

C - 181 9803/6570-2 C - 181


Seção C – Elétrica
Localização de Falhas
Localização de Falhas Sem o Uso da Ferramenta de Diagnósticos Serviço Master JCB

Diagnóstico da Falha - Painel Frontal de


Interruptores (FSP)
Ao ligar a ignição, todos os LEDs dos botões dos in-
terruptores devem se acender por 1 segundo.
Caso contrário, conduza testes utilizando a Ferramen-
ta de Diagnóstico JCB Service Master. (Seção C).
Verifique a existência de alimentação da ignição de
+24v no Pino 1 do conector do FSP. Verifique a exis-
tência de terra no Pino 2 do conector do FSP. (Veja
Dados de Chicotes, Seção C)
Remova cuidadosamente o Painel de Interruptores
Lateral 182-C utilizando uma chave de fenda para
forçar a unidade para fora do painel da cabine.

Fig. 182.

C - 182 9803/6570-2 C - 182


Seção C – Elétrica

Procedimentos de Serviço
Teste de Entradas + Saídas da ECU
Remova o painel atrás do assento do operador para Teste de Entrada Lado Baixo
acessar a ECU A.
Com o interruptor aberto o medidor lerá 0v.
Com o interruptor fechado o medidor lerá 24-28v.

Fig. 184.

Teste de Entrada Lado Alto


Com o interruptor aberto o medidor lerá 0v.
Com o interruptor fechado o medidor lerá 24-28v.

Fig. 183.

Tome cuidado ao testar as entradas + saídas da ECU


para assegurar que o método de teste correto seja usa-
do para determinar o funcionamento normal da ECU.

Nota: As entradas / saídas devem ser verificadas


com o motor em funcionamento ou no modo de
anulação do solenóide (veja Operação Básica
do Sistema, menu Set (ajuste) + Mode (modo)
20 s).

Fig. 185.

C - 183 9803/6570-2 C - 183


Seção C – Elétrica
Procedimentos de Serviço
Teste de Entradas + Saídas da ECU

Teste de Saída Lado Baixo A ECU é configurada internamente para proporcionar


proteção contra curto-circuito e detecção de curto-
Com a saída desligada o medidor lerá 0v. circuito / circuito aberto, e isto é feito por resistores
Com a saída ligada o medidor lerá 24-28v. internos. Esta configuração interna pode dar alguns
resultados confusos ao testar as saídas na ECU.
Tensão no ponto A:
Solenóide conectado, saída desligada = 0,1 V aprox.
Solenóide conectado, saída ligada = Tensões nominais
da bateria.
Solenóide desconectado, saída desligada = tensão
reduzida (15 V - 22 V).
Solenóide desconectado, saída ligada = Tensões
nominais da bateria.
Em curto ao aterramento = 0 V.
Em curto alto (para positivo) = tensão da bateria.

Fig. 186.

Teste de Saída Lado Alto


Com a saída desligada o medidor lerá 0v.
Com a saída ligada o medidor lerá 24-28v.

Fig. 188.

Fig. 187.

C - 184 9803/6570-2 C - 184


Seção C – Elétrica
Procedimentos de Serviço
Reparo do Chicote de Fios

Reparo do Chicote de Fios


TC-004

Introdução ATENÇÃO
Ocorrem situações onde é necessário incorporar Quando utilizar o aquecedor, o refletor e o ar que
componentes elétricos auxiliares aos circuitos elétri- sai estão extremamente quentes. Mantenha-se
cos existentes e, apesar disso ser improvável com os afastado para evitar queimaduras acidentais. Não
chicotes de fios instalados, pode haver necessidade de toque no refletor até que ele tenha tido tempo para
reparo ou substituição de fios individuais específicos esfriar após ser desligado. Se a chama reaparecer
dentro de um chicote. Isto também se aplica a outras no refletor quando o aquecedor estiver em uso, o
máquinas, além daquelas de nossa fabricação. elemento catalisador estará danificado ou consu-
Para assegurar que a inclusão de um componente mido totalmente. Pare de trabalhar imediatamente
elétrico auxiliar ou um reparo dentro de um chicote e substitua o aquecedor.
sejam feitos de acordo com um padrão aceitável, é for-
ELEC-2-3
temente recomendado que as seguintes ferramentas,
equipamento e procedimentos sejam usados sempre.
Note que os chicotes elétricos da JCB possuem uma Procedimentos de Reparo
classificação de Proteção Internacional igual a 67
(I.P.67). Tabela 3. Ferramentas Necessárias
A capa que recobre a junção recomendada é termo- Número
contraída sobre a isolação original do fio. Isso resulta Descrição Quant.
da Peça
na vedação e correspondente união com especifica-
892/00350 Conjunto Aquecedor a gás
ções IP 67. 1
butano
892/00349 Ferramenta de crimpagem 1
ATENÇÃO
892/00351 Junção 0,5-1,5 mm 50
Quando instalar Componentes Elétricos Auxiliares, (Vermelha)
sempre se assegure que a carga adicional nominal 892/00352 Junção 1,5-2,5 mm (Azul) 50
seja compatível com aquele circuito particular. É
892/00353 Junção
inaceitável simplesmente aumentar a capacida- 3,0-6,0 mm 50
de nominal do fusível, já que isso pode causar (Amarela)
sobrecarga e conseqüente falha da fiação, junto
com a falha de componentes do circuito integral Corte o fio e remova a isolação protetora por uma
protegido pelo fusível. distância adequada que depende do tamanho do fio
ELEC-2-1 e da junção a ser usada. Para as junções detalhadas
em _ Tabela 1. ( / C 185), a dimensão é 7mm.
ADVERTÊNCIA

Além das advertências incorporadas neste proce-


dimento, tome cuidado extremo quando manusear
a ferramenta de aquecimento a gás para assegurar
que a chama não danifique ou inicie um incêndio
em qualquer item na vizinhança do reparo, ou seja,
outros fios, painéis do assoalho, tapetes do piso,
isolante acústico, pintura, etc. Esta ferramenta não
deve ser usada em qualquer local restrito que pro-
íba o uso de “Chamas Expostas” ou onde o risco
de gases explosivos ou parâmetros de segurança
similares se apliquem. Nenhuma outra fonte de
calor deve ser usada para tentar vedar a união.
Fig. 189.
ELEC-2-2

Utilizando a junção de tamanho correto, instale a


nova seção de fio requerida ou ponta de fio auxiliar
no chicote existente e fixe-a utilizando a ferramenta
de crimpagem. _ Fig. 189. ( / C-185). Note que cada
uma das junções detalhadas é codificada por cores
para tornar o tamanho e a faixa claramente visíveis.

C - 185 9803/6570-2 C - 185