Você está na página 1de 8

REUNIÃO GRUPO MATA ATLÂNTICA 09/05/2006

João Renato Stehmann – UFMG -


Paulo Brack - UFRGS
Ângela Branco - Renctas
André Hirsch – Fundação Biodiversitas
Gustavo Martinelli - Biologia e conservação de bromeliáceas da mata atlântica
Loreta Freitas - URGS
Ingrid Heydrich – FZB-RS, Estudo da biologia de uma espécie de molusco
Waldney Martins – CECO
Mônica Fonseca – CI / Programa Mata Atlântica
Luiz Dias – Projeto
Louri Kleimann Júnior - Bem ambiental
Paulo Vila Nova – IESB – Corredor Central
Paulo Becknkamp (ECOMAR)
Adriana Baese - CI

Paulo Brack
Ocotea odorífera
Espécie endêmica da Mata Atlântica, Uso comercial (Óleo, Brasil exportador), baixas densidades e
Espécie secundária tardia.
Objetivos: localizar populações e demografia;
- uma população no norte do Estado do Rio Grande do Sul (litoral norte, avaliação das pressões).
- Viveiros de espécies nativas (situação atual - 25% funcionando precariamente)
- necessidade de buscar de parcerias;
- Iniciativas das ONGs, sistemas agroflorestais, novas parcerias buscando a restauração, parceria
com moradores locais.
- Ocotea odorifera poderia ser uma espécie bandeira para a conservação;
- problema de como fazer viveiros ideais para a espécie considerando a variabilidade genética e etc.

Loreta
- 13 espécies endêmicas de petúnia
- descrever a variabilidade genética.
- 5 a seis indivíduos por populações para algumas espécies
- uma espécie endêmica com baixíssima variabilidade
- Competição com outra espécie e formando híbridos. Tal fato decorreu da alteração do ambiente.
- Proposta de criação de um parque.
- Problema de com os proprietários rurais que estão alterando a vegetação original permitindo o
contado entre as espécies de petúnia
- Criação de Apis;
- Deslocamento das espécies polinizadoras nativas (por exemplo abelhas nativas);

Gustavo Martinelli - Biologia e conservação de bromeliácias da mata atlântica


- grande número de animais depende das bromélias;
- Levantamento de Bromélias, Ceará até Rio Grande do Sul (1998/2000) principais manchas;
- Resultados (amostras vivas e de herbário);
- Problemas a fragmentação dificultou o trabalho, seleção de fragmentos.
- Objetivo – Produzir um diagnóstico completo deste grupo taxonômico da flora;
- Definir os centros de diversidade e endemismo deste grupo (Centro de endemismo de
Pernambuco, Espírito Santo, Paraná/Santa Catarina);
- Estratégia de conservação para essa família;
- Elaboração de mapas de distribuição;
- Banco de dados;
- Lista de espécies de Bromélias da Mata Atlântica;
- 47.000 amostras desta família em herbários localizados neste bioma;
- 876 espécies de bromélias para a Mata Atlântica;
- Coleções não estão atualizadas;

João Renato – UFMG - Mapeamento dos endemismos com base nos dado de literatura.
Os corredores da Mata Atlântica Central e do Mar são aparentemente os que possuem maior
número de Gêneros endêmicos. Propor áreas de conservação.
- Listar a riqueza de espécies da Mata Atlântica
- Listar áreas de endemismo;
- Dados de herbário e literatura;
- Todos os dados serão georeferenciados;
- Ordem de prioridades de famílias;
- Problema de obtenção de dados (liberação de dados informatizados);
- Analisar os dados ao nível de espécie;
- Publicar um livro com a síntese de todos os dados;

Ingrid - Estudo da biologia de uma espécie de molusco Megalobulino


- Registros do ultimo animal vivo coletado foi na década de 80;
- apenas 5 registros coletados com as partes moles;
- falta de informações sobre a biologia da espécie;
- uma área onde se encontra 5 a 6 conchas da espécie;
- seca no Rio grande do Sul pode ter afetado a população;
- introdução de espécies exóticas (caramujo-gigante-africano);
- Proposta de monitoramento dos caramujos nativos (causa danos econômicos, ambientais e serve
de vetor para algumas doenças)
- Objetivo de conhecer a biologia da espécie;

Paulo Becknkamp (– Peixe Mero


- Conhecimento da ecologia da espécie;
- pouco se sabe;
- Investigar o conhecimento local da ecologia da espécie;
- Interação com a comunidade;
- Fase de entrevistas preliminares;
- Definir tamanhos mínimos para pesca;
- Propor estratégias para o turismo tendo a espécie como atrativo;

Ângela - Renctas
- Sistema de informação nacional gerenciado pelo MMA ou MCT;
- Diagnostico do trafico de animais silvestres;
- Plano estratégico de combate ao trafico;
- Disponibilizar ferramentas para combater o trafico de animais www.diagnostico.org.br;

Louri - Bem ambiental, Pato-mergulhão


- Projeto está no início
- espécie exigente em termos de ambiente e naturalmente raro;
- No Paraná registro de 10 anos atrás;
- Objetivo localizar populações remanescentes que ainda sobrevivem no Paraná;
- Ainda não foi localizado nenhum individuo;
- Pouquíssima informação sobre a espécie;

Luiz Gustavo Dias – Muriqui


- segunda fase do projeto pelo CEPF;
- Na primeira fase realizou-se um diagnostico do status de conservação em três áreas de MG;
- Coleta de dados comparativos sobre a biologia da espécie, demografia;
- Monitorar os tamanhos das populações;

Waldney Martins - Muriqui


- dois sub projetos;
- redescobrimento de uma população no Ibitipoca;
- apenas 5 indivíduos e uma fêmea solitária;
- Dados ecológicos destes animais em dois fragmentos;
- Avaliar o tamanho da população de muriquis na Fazenda Córrego de Areia;

GRUPO MATA ATLÂNTICA


Grupos de trabalho não necessariamente com os Corredores

Grupo heterogêneo
1) Qual os principais resultados dos projetos do CEPF na Região?
- Maior Capacitação de recursos humanos.
- Aumento do conhecimento cientifico sobre as espécies e reavaliação do Estado do conservação
anteriormente atribuído;
- Por ser um dos únicos programas de espécies ameaçadas está detectando as principais ameaçadas
.- Detecção de problemas atuais e riscos potenciais relacionados às espécies invasoras;

2) Quais os principais desdobramentos dessas ações?


- Resultados para proposição de novas estratégias
- Interação com as comunidades
- Criação da base técnicas e Subsídios para a gestão ambiental;
- As experiências destes projetos poderão nortear os próximos editais, linhas de pesquisa e outras
estratégias de conservação;- Poderão induzir demandas nas Fundações de Amparo à Pesquisa Que
os Divulgar o programa e seus resultados nos órgãos ambientais públicos;
- Subsídios para reavaliação das listas

3) Quais as 5 ações mais urgentes necessárias para a implementação do Corredor da Serra do


Mar?
- Dar maior visibilidade dos resultados dos projetos dos três editais para que alcancem à população
e os tomadores de decisão; .
- Estruturar um sistema de informações sobre a diversidade do bioma da Mata Atlântica e as
espécies ameaçadas, estabelecendo políticas de integração de informações e disponibilização de
dados de forma ampla;
- Utilização dos resultados dos projetos para a criação e implementação efetiva de APPs, Reserva
Legal e novas UCs, associadas com o planejamento de corredores e as espécies ameaçadas;
- Implantação de programas de monitoramento para a avaliação da efetividade das ações de
conservação das espécies ameaçadas.
- Inventariar a diversidade nos Corredores.

4) Recomendações para maior integração dos projetos, ações e informação.


- Estabelecer uma rede de informações e forum de discussões sobre as espécies aproveitando a
estrutura da BAZE (Aliança Brasileira para a Extinção Zero, com seleção de áreas prioritárias para
conservação de espécies ameaçadas e as ações sugeridas para cada sítio).para implementação das
ações;
-
- Estímulo para criação de Comitê do de especialistas para a Flora ameaçada no IBAMA
GRUPO MATA ATLÂNTICA
Grupo heterogêneo de trabalho não
necessariamente com os Corredores

Adriana Baese – CI
Ângela Branco - Renctas
André Hirsch – Fundação Biodiversitas
João Renato Stehmann – UFMG -
Gustavo Martinelli - Biologia e conservação de bromeliáceas da mata atlântica
Ingrid Heydrich – FZB-RS, Estudo da biologia de uma espécie de molusco
Loreta Freitas - URGS
Luiz Dias – Projeto
Louri Kleimann Júnior - Bem ambiental
Mônica Fonseca – CI / Programa Mata Atlântica
Paulo Brack - UFRGS
Paulo Vila Nova – IESB – Corredor Central
Paulo Becknkamp (ECOMAR)
Waldney Martins – CECO
1) Qual os principais resultados dos projetos
do CEPF na Região?

- Maior Capacitação de recursos humanos.


- Aumento do conhecimento científico sobre as espécies
e reavaliação do Estado do conservação anteriormente
atribuído;
- Por ser um dos únicos programas de espécies
ameaçadas está detectando as principais ameaçadas;
- Detecção de problemas atuais e riscos potenciais
relacionados às espécies invasoras;
2) Quais os principais
desdobramentos dessas ações?

- Resultados para proposição de novas estratégias;


- Maior interação com as comunidades;
- Criação da base técnicas e subsídios para a gestão
ambiental;
- As experiências destes projetos poderão nortear os
próximos editais, linhas de pesquisa e outras estratégias
de conservação. Poderão ser induzidas demandas nas
Fundações de Amparo à Pesquisa;
- Redirecionamento de ações de licenciamento nos órgãos
ambientais públicos;
- Subsídios para reavaliação das listas.
- Dar maior visibilidade dos resultados dos projetos dos três editais para que
alcancem à população e os tomadores de decisão;

- Estruturar um sistema de informações sobre a diversidade do bioma da Mata


Atlântica e as espécies ameaçadas, estabelecendo políticas de integração
de informações e disponibilização de dados de forma ampla;

- Utilização dos resultados dos projetos para a criação e implementação efetiva


de APPs, Reserva Legal e novas UCs, associadas com o planejamento de
corredores e as espécies ameaçadas;

- Implantação de programas de monitoramento para a avaliação da efetividade


das ações de conservação das espécies ameaçadas;

- Inventariar a diversidade nos Corredores.


• 4) Recomendações para maior integração
dos projetos, ações e informação.
• - Estabelecer uma rede de informações e Fórum de
discussões sobre as espécies aproveitando a estrutura
da BAZE (Aliança Brasileira para a Extinção Zero, com
seleção de áreas prioritárias para conservação de
espécies ameaçadas e as ações sugeridas para cada
sítio) para implementação das ações;
• - Estímulo para criação de Comitê do de especialistas
para a Flora Ameaçada no IBAMA