Você está na página 1de 4

PROVA 161 / 4 págs.

PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA - MATRIZ


11.º Ano de Escolaridade (Decreto-Lei n.º 74/2004)
Curso Científico - Humanístico
Duração da prova: 90 minutos 2011

PROVA ESCRITA DE FILOSOFIA

1. ESTRUTURA E CARACTERIZAÇÃO DA PROVA

A prova tem por referência o Programa de Filosofia em vigor e permite avaliar as competências previstas no Programa passíveis de
avaliação em prova escrita de duração limitada, em articulação com os conteúdos e conceitos específicos nucleares.

A prova reflecte uma visão integradora dos diferentes conteúdos programáticos da disciplina. O facto de não conter especificamente
itens com base em «Módulo Inicial – Iniciação à actividade filosófica» não impede que os alunos mobilizem (ou devam mobilizar), na
resolução da prova, competências e conhecimentos adquiridos no seu percurso de aprendizagem deste módulo.

A prova será constituída por 4 tipos de itens. A sequência dos itens pode não corresponder à sequência de apresentação dos temas no
programa da disciplina.

TIPO I: itens de escolha múltipla. Cotação por item: 5 pontos.


Visam testar a compreensão de conceitos, problemas e teorias implicados nas várias unidades programáticas.

TIPO II: itens de resposta curta. Cotação por item: 5 a 10 pontos.

Filosofia – prova de equivalência à frequência – Matriz – p. 1 de 4


Tratando-se de respostas curtas, serão classificadas de acordo com o seu grau de rigor e com a relevância dos seus conteúdos.

TIPO III: itens de resposta restrita. Cotação por item: 15 a 25 pontos.


Solicitar-se-á, no seu conjunto, a análise e a interpretação de um texto filosófico e o seu relacionamento com conhecimentos
adquiridos no estudo dos problemas filosóficos das várias unidades programáticas.
As respostas serão classificadas tendo como referência a objectividade da análise do texto e o nível de exploração
argumentativa do mesmo.

TIPO IV: 1 item de resposta extensa. Cotação: 35 pontos.


O examinando deverá redigir um texto de carácter argumentativo sobre um dos problemas tratados nas várias unidades
programáticas.
O texto será classificado de acordo com o nível de
 Conhecimento do problema em questão e das perspectivas filosóficas sobre o mesmo;
 Questionamento dessas perspectivas;
 Argumentação a favor de uma posição pessoal;
 Clareza e articulação do texto.

2. CRITÉRIOS GERAIS DE CLASSIFICAÇÃO DA PROVA


Para os critérios de classificação dos vários tipos de itens, ver a secção “Estrutura e caracterização da prova”.
O aluno terá que indicar na sua folha de respostas a versão a que está a responder. Caso não o faça, as suas respostas aos itens de
escolha múltipla serão classificados com zero pontos.
Em cada item serão atribuídas obrigatoriamente classificações expressas num número inteiro de pontos.

3. MATERIAL A UTILIZAR
Caneta azul ou preta.

Filosofia – prova de equivalência à frequência – Matriz – p. 2 de 4


4. CONTEÚDOS E OBJECTIVOS

CONTEÚDOS OBJECTVOS ESTRUTURA/ TIPO DE


COTAÇÃO
EXERCÍCIO
II - A ACÇÃO HUMANA E OS  Distinguir acções de outros actos, através das
VALORES características e da estrutura da acção.
 Relacionar os valores com as decisões e as acções
1. A Acção Humana - Análise e
humanas.
compreensão do agir
 Compreender o problema do livre-arbítrio, a partir
1.1. A rede conceptual da acção dos conceitos de livre-arbítrio e determinismo. 20 a 30 pontos
1.2. Determinismo e liberdade na acção  Caracterizar as respostas possíveis a esse problema.
humana
 Compreender as críticas a essas respostas.
 Tomar posição em relação ao problema referido,
tendo em conta as várias respostas.
(ver secção “Estrutura e
2. Dimensões da acção humana e dos  Discutir o problema da justificação dos juízos
valores morais, pelo confronto das várias respostas ao caracterização da prova”)
problema.
2.1. A dimensão ético-política - Análise e
 Discutir o problema de saber se o ponto de vista
compreensão da experiência convivencial
moral exclui o egoísmo.
2.1.1. O problema da justificação dos juízos  Analisar o deontologismo e o consequencialismo
morais enquanto perspectivas sobre a fundamentação da 40 a 60 pontos
2.1.2. A dimensão social e pessoal da ética moral.
2.1.3. A necessidade de fundamentação da  Analisar as respostas de Hobbes e Locke ao
moral - análise comparativa de duas problema da justificação do Estado.
perspectivas filosóficas
2.1.4. Ética, direito e política - liberdade e  Analisar a teoria da justiça de Rawls.
justiça social; igualdade e diferenças; justiça e  Avaliar essa teoria, a partir da crítica de Nozick.
equidade

Filosofia – prova de equivalência à frequência – Matriz – p. 3 de 4


CONTEÚDOS OBJECTVOS ESTRUTURA/ TIPO DE
COTAÇÃO
EXERCÍCIO
III - RACIONALIDADE  Compreender noções básicas de Lógica: validade,
ARGUMENTATIVA E FILOSOFIA 1. validade dedutiva, validade formal, termo geral,
Argumentação e lógica formal quantificador, classes vazias.
 Saber negar proposições quantificadas. 20 a 30 pontos
1.1. Distinção validade - verdade
1.2. Formas de inferência válida  Saber testar a validade silogística.
1.3. Principais falácias
 Saber construir silogismos válidos.
IV - O CONHECIMENTO E A
 Analisar a definição tradicional de conhecimento, à
RACIONALIDADE CIENTÍFICA E
luz de contra-exemplos e de uma das respostas a
TECNOLÓGICA
esses contra-exemplos.
1. Descrição e interpretação da actividade
cognoscitiva  Comparar as respostas de Descartes, dos cépticos e 40 a 50 pontos
1.1. Estrutura do acto de conhecer de Hume, ao problema da possibilidade do
1.2. Análise comparativa de duas teorias conhecimento.
explicativas do conhecimento
2. Estatuto do conhecimento científico  Compreender o problema da demarcação.
 Discutir o critério da verificabilidade.
2.1. Ciência e construção - validade e
verificabilidade das hipóteses  Compreender o critério de falsificabilidade e a
2.2. A racionalidade científica e a questão da relação entre falsificabilidade e conteúdo empírico.
objectividade  Compreender as perspectivas indutivista e
falsificacionista sobre o método científico. 50 a 60 pontos
 Avaliar essas perspectivas.
 Avaliar as respostas de Hume e Popper ao problema
da indução.
 Avaliar as perspectivas de Popper e Kuhn sobre os
problemas da objectividade e da evolução da ciência.

Filosofia – prova de equivalência à frequência – Matriz – p. 4 de 4