Você está na página 1de 7

ARTIGO

Riscos da eletricidade
◗ As medidas de proteção e as condutas dos resgatistas em ocorrências
que envolvam veículos em contato com linhas eletrificadas
ARQUIVO CBMGO (CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIAS)

Segundo Ana Maria de Oliveira Gue- senvolvimento, em busca do progresso linhas eletrificadas, segundo a Estatísti-
na, a energia elétrica ou eletricidade é econômico e, aos cidadãos, conforto, ca Geral de Atendimentos/Ocorrências
como são chamados os fenômenos em comodidade, bem-estar e praticidade - 2018 e 2019 - dinâmica, do CBMGO,
que estão envolvidas cargas elétricas. Ela fatores associados à qualidade de vida. traz muitas dúvidas em relação à atua-
é a base do progresso e desenvolvimento Todas estas vantagens tornam a socie- ção neste tipo de ocorrência. Portanto,
do mundo moderno. O seu surgimen- dade atual cada vez mais dependente de na maioria das vezes, a falta de conhe-
to propiciou melhora na saúde; no sa- seu fornecimento, destaca Ruth Leão. cimento prático e teórico pode gerar
neamento; no abastecimento de água e Dado o exposto mediante os referidos consequências desastrosas, que podem
alimentos; na qualidade de vida e tam- autores, é indiscutível que a eletricidade inclusive levar à morte.Com efeito, le-
bém fez surgir a sociedade capitalista e é cogente para a vida contemporânea, vando em consideração esses aspectos,
de consumo. inclusive na rotina das atividades do o reconhecimento dos riscos envolvi-
A energia elétrica se tornou um bem bombeiro militar, sendo que, na maioria dos, bem como as medidas de proteção
de consumo essencial, que proporciona das ocorrências atendidas,a eletricidade e condutas são essenciais para oferecer
à sociedade trabalho, produtividade e de- se faz presente. Entretanto, as atividades um serviço seguro e eficaz.
que envolvem eletricidade apresentam Em virtude do que foi mencionado,
Licurgo Borges Winck - Tenente, Mergulhador do CBMGO,
Doutor em Ciências Mecânicas grandes riscos aos seus consumidores o presente estudo é de singular impor-
licurgo2006@gmail.com e profissionais executores de serviços tância para demonstrar procedimentos
Wheslley Alves Sardinha - Tenente, Perito de Incêndio do
em sua proximidade; logo, havendo falta e condutas de segurança para o bombei-
CBMGO e Graduado em Física de atenção e cuidados devidos,poderão ro militar no que tange ao atendimento
ocorrer graves acidentes. de ocorrências envolvendo veículos em
Jair Merlim Filho - Aspirante a Oficial, Chefe de SECIP do
CBMGO e Especialista em Gestão, Agronegócios e Operações O fato de haver poucas ocorrências contato com cabos energizados, a fim de
Logísticas que envolvam veículos em contato com proteger tanto os bombeiros, quanto as
24 Emergência MAI/JUN / 2021
vítimas envolvidas.

RISCOS
Segundo Rodrigo Suzano Rodrigues
Silva, a eletricidade é indiscutível na vida
das pessoas, sendo a forma de energia
mais utilizada mundialmente. Todavia, as
atividades com eletricidade apresentam
grandes riscos aos seus usuários, tais co-
mo queimaduras, choque elétrico, danos
econômicos (explosão, incêndio, etc.)
e morte. Com efeito, de acordo com o
MOB (Manual Operacional de Bombei-
ros) de Salvamento Terrestre, do CBM-
GO, é essencial para o bombeiro mili- média tensão (superior a 1 kV e igual ou vimento ordenado dos elétrons livre sem
tar conhecer as principais propriedades inferior a 69 kV) e baixa tensão (igual ou um meio condutor, que surge a partir
- como tensão elétrica, corrente elétrica, inferior a 1 kV). de uma diferença de potencial (ddp). A
resistência elétrica e aterramento elétrico Para Alex Benfica e Henrique Mattede, unidade que representa a intensidade de
- os riscos - de passo potencial, de toque as linhas de transmissão no Brasil - geral- corrente elétrica é o ampère (A), no SI.
potencial, arco elétrico e outros - e o fe- mente três conjuntos de cabos localiza- Ela origina efeitos diversos, tais como
nômeno gaiola de Faraday - que envol- dos nas torres de transmissão - são clas- térmico, químico, magnético, luminoso
vem ocorrências de eletricidade, com o sificadas conforme o seu nível de tensão e fisiológico (ver box Efeitos da corren-
objetivo de garantir, tanto a sua própria elétrica de operação: A1 - igual ou su- te elétrica).
segurança, quanto a de sua guarnição e perior a 230 kV, A2 - entre 88 e 1­ 38 kV­ Santos define a resistência elétrica co-
a de vítimas envolvidas e contribuindo e A3 - de 69 kV. Elas se estendem por mo sendo a característica que os mate-
para uma atuação segura e de excelência. longas distâncias e são responsáveis por riais têm de se oporem à corrente elé-
De acordo com Kelly Vinente dos conduzir a energia gerada das usinas aos trica. Esteaferro é provocado pela difi-
Santos, a tensão elétrica ou voltagem é grandes consumidores (mineradoras, fá- culdade que os elétrons encontram em
a diferença de potencial elétrico (ddp) bricas, etc.), que necessitam de alta ten- se deslocarem pela estrutura atômica do
entre dois pontos em um circuito. Es- são, e para as empresas distribuidoras material. O valor da resistência elétrica
sa altercação é responsável pela movi- de energia, que vão alimentar as cidades, determina se um material é isolante, se-
mentação ordenada dos elétrons, que é consumidores industriais, o meio rural, micondutor ou condutor. Os materiais
denominada de corrente elétrica. Desse etc, a partir da rede de distribuição (são de altíssima resistência são classificados
modo, quanto maior for essa diferença compostas por linha de alta, média e bai- como isolantes (porcelana, vidro, borra-
de potencial entre dois pontos, maior xa tensão). Assim, conhecendo a Figura cha e plástico, por exemplo), nos quais
será a intensidade da corrente elétrica. 1, a guarnição empenhada na ocorrên- as cargas não podem se mover, enquan-
A unidade que representa a tensão elé- cia conseguirá realizar uma leitura bre- to os de baixa resistência são chamados
trica ou voltagem é o Volt (V),unidade ve da tensão elétrica envolvida na cena de condutores (como alumínio, cobre,
do SI (Sistema Internacional de Unida- do acidente. ouro, corpo humano e água de tornei-
des). Os níveis de tensão são classifica- Conforme Antônio Pereira Afonso e ra), nos quais as cargas se movem com
dos em: alta tensão (superior a 69 kV), Ênio Filoni, a corrente elétrica é o mo- facilidade. Silício e germânio são semi-
condutores - esses elementos estão entre
os isolantes e condutores. A resistência
EFEITOS DA CORRENTE ELÉTRICA elétrica depende do material, das dimen-
 Efeito térmico (ou Efeito joule) - cons- efeito aplicado para o funcionamento de trans- sões do condutor e da temperatura (agi-
titui o aquecimento do condutor, provocado formadores, motores, geradores, etc.; tação térmica). Ela é representada pela
pela colisão dos elétrons livres com os átomos. letra R e medida em ohms (Ω), no SI.
 Efeito luminoso - quando a corrente
Transformação da energia elétrica em calor. Outro aspecto a ser observado é que
e­létrica atravessa um gás metálico ou uma fita
São exemplos de aplicações: chuveiros, ferros
de LED ocorre a emissão de luz. Esse efeito é
a eletricidade busca todos os caminhos
elétricos, etc.;
aplicado nas lâmpadas fluorescentes, de vapor, em sentido à terra (solo). Conforme a
 Efeito químico - quando a corrente elétri- de LED, etc.; 1º Lei de Ohm (I=V/R→ V=RI), mais
ca atravessa certas soluções, contribuindo pa- corrente elétrica percorrerá pelo traje-
 Efeito fisiológico - quando o corpo é per-
ra a reação química. Esse efeito é aplicado na to de menor resistência elétrica. Sendo
corrido por uma corrente elétrica que pode pro-
galvanização de metais (cromeação, prateação,
vocar diferentes efeitos (como contrações mus- assim, quando uma pessoa tocar um
niquelação, etc.) e eletrólise (aplicada na sepa-
culares muito vigorosas, queimaduras graves e cabo energizado e o solo ou dois ca-
ração de gases, purificação de alumínio, etc.); bos energizados ao mesmo tempo, ela
levar até à morte - maior que 20 miliampères),
 Efeito magnético - quando um condutor dependendo da intensidade, da duração e do se tornará parte de um circuito elétrico
é percorrido por uma corrente elétrica, dá ori- caminho que percorre nos tecidos, chamamos e poderá ser gravemente ferida ou até
gem a um campo magnético a seu redor. Esse de choque elétrico. mesmo ir a óbito. Todavia, conforme
MAI/JUN / 2021 Emergência 25
ARTIGO
segurança). Por exemplo, quando um tos de contato (condutores), quando a
cabo energizado está no solo, a eletri- corrente elétrica salta de um ponto pa-
cidade espalhará em todos os pontos ra o outro lado, provocado por falha no
onde houver contato com o chão. Em contato entre condutores. Esse é extre-
qualquer ponto de contato há um efeito mamente quente, libera calor, ruído e
ondulante, que pode ser maior em con- luminosidade. Quem for exposto ao fe-
dições úmidas, e o fluxo de eletricidade nômeno do arco elétrico poderá sofrer
pelo solo pode ser distribuído de forma diversos danos na visão, pele, audição e,
desigual. Esse efeito é conhecido como no pior caso, a morte. Devido à libera-
gradiente potencial (solo) ou diferen- ção de calor, o arco elétrico poderá dar
ça de tensão e o seu conhecimento é início a um incêndio, pois ele pode in-
proeminente, podendo até salvar vidas. flamar materiais combustíveis ou gases
Ainda de acordo com o Handbook, nas proximidades. Nesse caso, é de fun-
qualquer objeto (escadas, macas e ou- damental importância que se reconheça
tros) que possa conduzir eletricidade e o fenômeno arco elétrico ou voltaico.
ainda amplie a distância dentro do gra- Ainda convém lembrar da gaiola de
diente potencial, tem a capacidade de Faraday, experimento que surgiu no ano
causar sérios danos aos bombeiros que de 1930, realizado pelo físico inglês Mi-
fazem os procedimentos. O gradiente chael Faraday. Esta gaiola é uma forma
potencial ou diferença de tensão cria de impedir a entrada de campo elétrico
dois riscos conhecidos como “passo po- e magnético no interior de superfícies e
tencial” e “toque potencial”. Supondo estruturas condutoras. Dessa forma, elas
que um cabo energizado esteja tocando ficariam livres das cargas externas, sendo
o solo e criou o gradiente de eletricida- seguro permanecer no seu interior. En-
de. Ao colocar um pé próximo ao pon- fim, a gaiola de Faraday é uma barreira
o Handbook for Emergency Responders, os to de contato (no ponto X) e outro pé de proteção contra campos elétricos e
sistemas elétricos usam os aterramen- um passo de distância (no ponto Y), o magnéticos indesejados e tem uma vas-
tos para lidarem com possíveis falhas e gradiente potencial (diferença de tensão) ta aplicação prática. Pode-se mencionar,
equalizarem seu sistema com o poten- fará com que a corrente elétrica flua pe- por exemplo, o aparelho de micro-on-
cial elétrico da terra. lo corpo da pessoa. Então, quanto mais das, o qual possui um revestimento in-
De acordo com Everton Moraes, o distantes forem “X” e “Y”, maior será o terno apropriado para conter as ondas
aterramento elétrico é o processo de risco de contato elétrico (eletrocussão) e, eletromagnéticas de aquecimento ape-
conectar mecanicamente fios e equi- consequentemente, fará com que a cor- nas em seu interior, explicam Benfica
pamentos isolados no mesmo poten- rente elétrica possa ser fatal. Este efeito e Mattede.
cial (tensão) que a terra, de modo que é conhecido como “passo potencial” e De acordo com Mateus Bunde, outro
a diferença de potencial entre a terra e é ilustrado na Figura 2. bom exemplo são os próprios veículos,
equipamento seja zero. Ele tem como Segundo o Handbook, de uma maneira Figura 4, que são constituídos de gran-
objetivo proteger a integridade dos usu- similar ao passo potencial, a diferença de des áreas metálicas, estrutura análoga à
ários de um possível choque elétrico, tensão de uma extremidade para a outra da gaiola de Faraday. Essa estrutura im-
pois a corrente de fuga é direcionada à faz com que a eletricidade flua através pede a troca de cargas em seu interior,
terra através dos condutores, visando do corpo, caso a pessoa coloque a sua protegendo os passageiros que estejam
diminuir a variação de tensão, facilitar mão em uma fonte energizada, enquan- dentro do carro em diversos casos, co-
o bom funcionamento de dispositivos to seus pés estejam a alguma distância mo a queda de um raio sobre o veículo
de proteção, descargas de cargas eletros- da fonte, nesse caso é chamada de “to- ou de um fio ligado à rede elétrica sobre
táticas(são geradas pelo atrito), dentre que potencial”e é ilustrado na Figura 3. o carro. Neste caso, deve-se permanecer
outras funções. Dado o exposto, o ater- Conforme o MOB (Manual Operacio- dentro do carro, uma vez que ao sair e
ramento elétrico é uma das formas de nal de Bombeiros) de Salvamento Ter- encostar em qualquer outra superfície,
interferir na eletricidade, de maneira a restre, do CBMGO, é importante a utili-
proteger os usuários e garantir o bom zação de um tapete isolante de controle
funcionamento das instalações elétricas. gradiente de chão para evitar os riscos
Conforme o Handbook, são utilizadas de passo e toque potencial, quando es-
hastes de aterramento para garantir que tiver manuseando qualquer dispositivo
qualquer corrente elétrica de fuga volte ou viatura próxima de locais ou objetos
para a terra e essas colocadas profun- energizados.
damente na terra para garantir a vasta Para Emily Sobral, outra preocupa-
dissipação da energia elétrica perdida. ção constante é o arco elétrico ou vol-
Entretanto, a eletricidade pode ser libe- taico, que ocorre de um súbito clarão de
rada em ponto que não esteja protegido eletricidade - fluxo de corrente elétrica
pelo aterramento elétrico (sistemas de através do ar ionizado - entre dois pon-
26 Emergência MAI/JUN / 2021
ocorrerá uma descarga elétrica. A cor- um número e pela
rente sai da estrutura carregada do veí- chancela CE (con-
culo, passando pela pessoa até chegar a forme especifica-
outra superfície, geralmente o chão. A ções). Já as NBRs
pessoa desavisada, ao descer do carro, vigentes versam
nessa situação, passa a compor o circui- sob o enfoque da
to, sendo condutora da energia. As con- Segurança do Tra-
sequências são bem severas, levando a balho e Proteção
pessoa, geralmente, à morte. Se alguma Contra Incêndio,
outra pessoa tentar salvá-la, nesse mo- segundo o MOB
mento, também vai levar choque a não (Manual Opera-
ser que use uma ferramenta ou dispositi- cional de Bombei-
vo específico para isso. E para realização ros) de Salvamen-
de ações de forma segura é necessária to em Altura, do
assistência de pessoal treinado, qualifi- CBMGO.
cado e utilização de todo conhecimento Conforme Nestor Waldhelm Neto, natural, de cor preta, com proteção
técnico adquirido. os EPIs de fabricação nacional ou im- das mãos do usuário contra choques
Em suma, o entendimento das pro- portados, antes de serem comercializa- elétricos, 17 kV. Este equipamento
priedades, dos riscos e fenômenos que dos, devem obter o CA (Certificado de deverá apresentar o selo de marcação
envolvem a eletricidade é de grande va- Aprovação), expedido pelo órgão nacio- do Inmetro (Instituto Nacional de
lor para se preservar a integridade do nal competente em matéria de Seguran- Metrologia, Qualidade e Tecnologia),
bombeiro militar, promovendo um me- ça e Saúde no Trabalho do Ministério conforme as NBR 10622:1989 e NBR
lhor conhecimento técnico-profissional, da Economia, ou seja, estabelecendo o 10624:1989. Para o MOB (Manual
de forma que os mesmos tenham condi- prazo de validade, bem como garantir Operacional de Bombeiros) de Com-
ções de atuarem com segurança e de de- a qualidade e funcionalidade de um de- bate a Incêndio Urbano, do CBMGO,
sempenharem com êxito o seu serviço. terminado EPI. a balaclava é confeccionada em mate-
Segundo o MOB (Manual Operacio- rial retardante às chamas, com prote-
EPI E EPC nal de Bombeiros) de Combate a In- ção do crânio e pescoço do usuário
Conforme Diego Garcia Baumgardt, cêndio Urbano, do CBMGO, o conjun- contra riscos provenientes de fontes
ainda convém lembrar, nos atendimen- to de aproximação deve obedecer um geradoras de calor, conforme a EN
tos que envolvam veículos em contato requisito mínimo de isolamento térmi- 13911. Segundo o consultaca, a bota
com cabos energizados, da utilização co chamado de performance de pro- de combate a incêndio é confeccio-
obrigatória dos EPIs (Equipamentos teção térmica (TPP) - devendo haver nada em borracha vulcanizada na cor
de Proteção Individual), destinados a resistência a temperaturas superiores a preta com detalhes em amarelo, com
diminuir os riscos durante a ocorrên- 250°C por, pelo menos, dez segundos, resistência ao isolamento contra ca-
cia. Assim, o militar deverá utilizar os com isolamento térmico interno, anti- lor e isolante elétrico (até 10 kV), em
seguintes equipamentos: conjunto de chamas, faixas refletivas, proteção do conformidade com a EN 15090:2012.
aproximação; luvas de combate a in- bombeiro militar contra queimaduras na Além dos EPIs, outro fator existente
cêndio; luvas isolantes de borracha; ba- pele, exaustão pelo calor, golpe de calor é a utilização dos EPCs (Equipamen-
laclava; capacete com viseira; bota tipo e ferimentos por ação de instrumentos tos de Proteção Coletiva) em ocorrên-
de incêndio; e EPRA (Equipamento de cortantes ou perfurantes, mas não ofe- cias de tais naturezas. De acordo com
Proteção Respiratória Autônoma). rece proteção contra choques elétricos, o MOB (Manual Operacional de Bom-
Em geral, os equipamentos seguem de acordo com NFPA 1971/2007 e EN beiros) de Salvamento Terrestre, do CB-
as especificações das normas técnicas 469:2005. MGO, os principais EPCs (Figura 5 e
da NFPA (National Fire Protection As- De acordo com o site consultaca, as Foto 1) para uma atuação segura são:
sociation), EN (Normas Europeias) ou luvas devem ser de segurança isolan- gancho croque (fabricado conforme a
NBR (Normas Brasileiras). A NFPA é te de borracha, fabricada em borracha NBR 11854), que é um equipamento
uma associação independente america- de segurança contra eletricidade com
na, destinada a promover a segurança gancho de aço e anticorrosivo e bastão
contra incêndio e outras emergências, de fibra de vidro, para realizar mano-
todavia, a própria não certifica equipa- bras em redes elétricas de baixa e média
mentos, sendo a certificação realizada tensão, fitas zebradas para sinalização,
por laboratórios de testes independen- tapete de material isolante (para opera-
tes e idôneos. Um conselho ligado à ção do corpo de bombas), etc.
União Europeia cria as Normas Eu-
ropeias (EN), sendo que os estados SITUAÇÕES
membros devem seguir as normas e No Handbook for Emergency Responders
emitirem os certificados, cuja fabrica- existem diversas situações que envol-
ção nessa conformidade é indicada por vem resgates de vítimas em veículos em
MAI/JUN / 2021 Emergência 27
ARTIGO
contato com cabos energizados. Dentre Operacional de Bombeiros) de Salva- qualquer atendimento à vítima, os riscos
elas, destacam-se cinco. Por exemplo, mento Terrestre, do CBMGO, tanto devem ser eliminados ou mitigados. A
um cabo energizado caído encontra-se nessas situações, como em quaisquer concessionária de energia elétrica deve
sobre ou sob um veículo com um ou ocorrências atendidas pela corporação, ser contatada para o desligamento da
mais ocupantes: o motorista é capaz de deve-se priorizar a segurança por meio alimentação elétrica.
mover o veículo; o motorista não po- da regra dos três “S”(ver box Regras de Os procedimentos de resgate de
de mover o veículo ou o veículo não se Segurança). emergência elétrica para tal ocorrência
moverá; as vítimas estão inconscientes; Dado o exposto das situações que serão descritos na sequência.
os ocupantes não estão feridos, o veí- envolvem veículos em contato com
culo não pode ser movido e sofre um cabos energizados é de fundamental RESGATE
incêndio, que não pode ser facilmente importância o conhecimento e aplica- Em virtude do que foi mencionado
extinto; e os ocupantes estão feridos ou ção da regra dos três “S” e a utilização a respeito das situações que envolvem
inconscientes, o veículo não pode ser obrigatória dos EPIs e EPCs, no intui- resgates de vítimas em veículos em con-
movido e sofre um incêndio, que não to de buscar a compreensão no quesi- tato com cabos energizados, quando
pode ser facilmente extinto. to de avaliação da cena de emergência e um cabo energizado caído encontra-se
De acordo com o MOB (Manual melhor segurança. Entretanto, antes de sobre ou sob um veículo com um ou
mais ocupantes, o procedimento geral
de resgate de emergência elétrica para
REGRAS DE SEGURANÇA tal ocorrência deve seguir alguns passos,
S1 (Scene - cena do acidente) sinais de estarem energizados, apenas com o conforme o MOB (Manual Operacio-
Nesta fase é importante que a guarnição, medidor adequado nas mãos de um especialis- nal de Bombeiros) de Salvamento Ter-
antes de sair da viatura, avalie as imediações ta da operadora de energia pode-se determinar restre, do CBMGO. Primeiro, avaliar a
com bastante cuidado e estacione de forma isso; situação a dez metros ou mais de dis-
segura, com uma distância considerável dos Cuidar da segurança de todos: do bombei- tância. Avaliar de dentro do seu veícu-
cabos caídos; ro militar e de sua guarnição, dos espectadores lo aumenta sua margem de segurança.
Uma distância de, pelo menos, dez metros e das vítimas envolvidas.
a partir do cabo descendente ou objeto conduti-
Um gradiente potencial estará presen-
vo com o qual está o contato é o recomendado; te se a linha estiver ativa e você poderia
Caso for à noite, portar-se da mesma for- ser eletrocutado. Segundo, determinar
ma, ou seja, não sair da viatura, e com um au- a zona de segurança e proteger a área.
xílio de uma lanterna examinar cuidadosamente Terceiro, manter a si e aos outros fora
os arredores. da linha de alcance dos pneus do veícu-
lo. Eles podem explodir. Quarto, solici-
tar a presença da concessionária elétrica
local. Quinto, mantenha os pés juntos,
usar passos curtos enquanto se apro-
xima do veículo ou objeto energizado
chegando até dez metros.
S3 (Situation - situação) De acordo com o Handbook for Emer-
Afastar-se bem, pelo menos, dez metros gency Responders, essa mesma ocorrência
de distância; pode evoluir em cinco situações já des-
Procurar e localizar todas as extremidades critas anteriormente. Dessa forma, os
dos cabos. Podem ser encontradas no solo ou procedimentos de resgate foram anali-
suspensas no ar; sados, interpretados e descritos levan-
Caso um cabo eletrificado entre em conta-
S2 (Security - segurança) to com um veículo, cerca de metal ou qualquer
do em consideração os cinco cenários.
Estabelecer a zona de segurança, pelo outro objeto condutor, o objeto oferecerá grande No caso da primeira situação, em que
menos, dez metros ou mais de distância dos ca- risco às pessoas; um cabo energizado caído encontra-se
bos ou de algo que esteja em contato com eles Poças d’água podem se tornar mortais se sobre ou sob um veículo com um ou
(a eletricidade pode ser conduzida para outros eletrificadas. mais ocupantes e o motorista é capaz
pontos a alguma distância); de mover o veículo, o procedimento
Garantir que todos os objetos potencial- de resgate pode ser descrito da seguin-
mente eletrificados estejam inacessíveis. Infor- te maneira, conforme o MOB (Manual
mar todos os riscos a outros socorristas presen- Operacional de Bombeiros) de Salva-
tes na ocorrência;
Manter os espectadores afastados, pelo
mento Terrestre, do CBMGO: certifi-
menos, dez metros, de cabos quebrados ou que-se de que você e outras pessoas não
baixos ou de outros objetos eletricamente car- estão no alcance, caso os fios forem ar-
regados; remessados depois de soltos ou se mo-
Não tentar mover qualquer cabo caído e vam repentinamente quando o veículo
aguardar os responsáveis pela operadora da se mover; oriente o motorista para que
rede. A maioria dos cabos no chão não mostram mova o carro muito lentamente para
28 Emergência MAI/JUN / 2021
longe do fio, e que evite qualquer po- crito da seguinte maneira, conforme o
ça de água que pode ser atingida pelo Handbook for Emergency Responders: deter-
fio eletrificado; e se os fios estiverem minar e continuamente monitorar a zo-
presos ao veículo, oriente o motorista na segura; isolar a área e manter as pes-
a parar e permanecer no veículo até a soas distantes; monitorar de perto para
chegada do pessoal da operadora de qualquer alteração da situação (o início
eletricidade. de um incêndio, por exemplo); instrua
No caso da segunda situação, em que qualquer vítima que possa recuperar a
um cabo energizado caído encontra-se consciência para que aguarde no veículo
sobre ou sob um veículo com um ou até que a eletricidade seja desligada de
mais ocupantes e o motorista não po- forma segura.
de mover o veículo ou o veículo não Já no caso da quarta situação, em que
se moverá, o procedimento de resgate um cabo energizado caído encontra-se rem em contato com o chão. A fazer
pode ser descrito da seguinte maneira, sobre ou sob um veículo com um ou em passos curtos, mantendo ambos os
conforme o MOB (Manual Operacional mais ocupantes e eles não estão feri- pés o mais próximo possível. Devem
de Bombeiros) de Salvamento Terrestre, dos, o veículo não pode ser movido e evitar contato com os outros. Mover-se
do CBMGO: oriente o motorista para sofre um incêndio, que não pode ser desta forma para longe do carro, pelo
aguardar no veículo, até que o pessoal da facilmente extinto, o procedimento de menos, dez metros (Figura 10); instrua
operadora de eletricidade chegue; conti- resgate pode ser descrito da seguinte os ocupantes a saltarem somente quan-
nuamente, monitore a zona quente; iso- maneira, conforme o MOB (Manual do estiverem prontos; saltar do veículo
le a área e mantenha as pessoas longe; Operacional de Bombeiros) de Salva- pode ser muito perigoso e só deve ser
os pneus de um veículo podem produzir mento Terrestre, do CBMGO: explicar tentado em circunstâncias nas quais não
fumaça ou explodirem pelo aquecimen- aos ocupantes que se entrarem em con- há alternativa (por exemplo, incêndio do
to. Logo, só aconselhe a vítima a deixar tato com o veículo e o solo ao mesmo veículo); e também devem ser conside-
o veículo em caso de incêndio. tempo isto poderá matá-los; instrua os radas a condição do veículo e a capaci-
Na terceira situação, em que um cabo ocupantes sobre como saltarem para fo- dade física do ocupante.
energizado caído encontra-se sobre ou ra do veículo e afastarem-se. Diga-lhes: Por último, no caso em que um cabo
sob um veículo com um ou mais ocu- “Mantenham os pés juntos ao saltar do energizado caído encontra-se sobre ou
pantes e as vítimas estão inconscientes, veículo” (Figura 9); oriente-os a não to- sob um veículo com um ou mais ocu-
o procedimento de resgate pode ser des- carem no carro, quando os pés entra- pantes e eles estão feridos ou incons-

1/2H EMERGÊNCIA DIGITAL

MAI/JUN / 2021 Emergência 29


ARTIGO
Comando da Academia e Ensino Bombeiro Militar.
BENFICA, Alex; MATTEDE, Henrique. Gaiola de Faraday, o que
é? Qual a sua aplicação? Disponível: <https://www.mundodaele-
trica.com.br/gaiola-de-faraday-o-que-e-qual-a-sua-aplicacao/>.
Acesso em: 05 de novembro de 2019.
BENFICA, Alex; MATTEDE, Henrique. Redes de energia elétrica,
tipos e características. Disponível: <https://www.mundodaeletrica.
com.br/redes-de-energia-eletrica-tipos-e-caracteristicas/>. Aces-
so em: 12 de fevereiro de 2020.
BUNDE, Mateus. Gaiola de Faraday. Disponível: <https://www.
todoestudo.com.br/fisica/gaiola-de-faraday>.Acesso em: 05 de
novembro de 2019.
ELECTRICAL SAFETY. Handbook for emergency responders.
Canadá, 2013. Disponível:<https://firenotes.ca/download/Electri-
cal_Safety_Handbook_for_Emergency_Responders.pdf>. Acesso
em: 01 de novembro de 2019.
GERAIS. Ferramentas. Luva borracha para eletricista 10” - Orion
.Disponível:<https://www.fg.com.br/luva-borracha-para-eletricis-
estabelece o MOB ta-10----orion/p>. Acesso em: 12 de fevereiro de 2020.
(Manual Operacio- GOIÁS. Corpo de Bombeiros Militar do Estado de. Manual ope-
racional de Bombeiros (MOB) de resgate pré-hospitalar. Corpo
nal de Bombeiros) de Bombeiros Militar. Goiânia: 2016. 318 p.
de Combate a In- GOIÁS. Corpo de Bombeiros Militar do Estado de. Manual ope-
cêndio Urbano, do racional de Bombeiros (MOB) de combate a incêndio urbano.
Corpo de Bombeiros Militar. Goiânia: 2017.453 p.
CBMGO. De for- GOIÁS. Corpo de Bombeiros Militar do Estado de. Manual ope-
ma simultânea, um racional de Bombeiros (MOB) de salvamento em altura. Corpo
terceiro bombeiro de Bombeiros Militar. Goiânia: 2017a. 334 p.
GOIÁS. Corpo de Bombeiros Militar do Estado de. Manual ope-
se aproximará do racional de Bombeiros (MOB) de salvamento terrestre. Corpo
carro a passos cur- de Bombeiros Militar. Goiânia: 1ª ed. atualizada - 2018. 390 p.
tos, abrirá a porta GOIÁS. Corpo de Bombeiros Militar do Estado de. Estatística geral
de atendimentos/ocorrências 2018 e 2019 – dinâmica. Atualizado
do veículo e reti- em: 01 de outubro de 2019.Disponível: <https://www.bombeiros.
rará a vítima in- go.gov.br/estatistica-e-analise-da-informacao>. Acesso em: 02
consciente com a de novembro de 2019.
GUENA, Ana Maria de Oliveira. Avaliação ambiental de diferentes
utilização da técni- formas de geração de energia elétrica. 2007.146p. Dissertação
ca “Chave de Rau- (Mestrado em Ciências de Tecnologia Nuclear-Material) Instituto
teck” (Foto 2). De de Pesquisas Energéticas e Nucleares-IPEN, Universidade de
São Paulo, São Paulo-SP, 2007.
cientes, o veículo não pode ser movido acordo com o MOB (Manual Operacio- LBOR. Tapete isolante elétrico. Disponível:<https://www.lborbor-
e sofre um incêndio, que não pode ser nal de Bombeiros) de Resgate Pré-Hos- rachas.com.br/p/tapete-isolante-eletrico-de-borracha>. Acesso
facilmente extinto, o procedimento de pitalar, do CBMGO, esta manobra é de em: 12 de fevereiro de 2020.
LEÃO, Ruth. GTD – Geração, Transmissão e Distribuição de ener-
resgate tem vários cuidados, conforme caráter emergencial, fácil de ser aplicada gia elétrica. Apostila - Centro de Departamento de Engenharia
o MOB (Manual Operacional de Bom- e muito rápida e é utilizada em situações Elétrica, Universidade Estadual do Ceará, 2009.
beiros) de Salvamento Terrestre, do CB- extremas, tais como incêndios em veícu- LOSS, R. MARCIO. Gaiola de Faraday. Postado em: 29 de julho
de 2019. Disponível: <http://loos.prof.ufsc.br/ensino/videos/>.
MGO. Um deles é que para a realização los, estrutura que está em iminência de Acesso em: 05 de novembro de 2019.
de ações de forma segura é necessário atingir a vítima, veículos em despenha- MORAES, Everton. Aterramento elétrico: o que é e qual seu ob-
que o bombeiro esteja devidamente deiros, etc., melhor dizendo, quando a jetivo. Postado em: 15 de dezembro de 2017. Disponível:<https://
www.saladaeletrica.com.br/aterramento-eletrico/>. Acesso em: 01
treinado, qualificado e equipado - com vítima está em local que ofereça perigo de novembro de 2019.
auxílio do gancho croque (equipamen- iminente de morte. NETO, Nestor Waldhelm. O que é certificado de aprovação – CA.
to de segurança contra eletricidade, para A partir do que foi mencionado e si- Disponível:<https://segurancadotrabalhonwn.com/o-que-e-certi-
ficado-de-aprovacao-ca/>. Acesso em: 12 de fevereiro de 2020.
realizar manobras em redes elétricas de tuações demonstradas, notam-se que SAFETY TEC. Luva isolante de borracha.Disponível:<https://
baixa e média tensão, no máximo 100 os procedimentos e condutas de se- consultaca.com/29773/luva-isolante-de-borracha>. Acesso em:
kV). Observação: Em caso de alta ten- gurança são primordiais para o bom- 12 de fevereiro de 2020.
SAFETY TEC. Calçado tipo bota para uso no combate incêndio.
são aguardar a chegada da concessio- beiro militar que estará envolvido em Disponível:<https://consultaca.com/29773/luva-isolante-de-bor-
nária de energia local. Outro cuidado ocorrência de tal natureza, tendo como racha>. Acesso em: 12 de fevereiro de 2020a.
é que o bombeiro realize passos curtos objetivo principal a proteção do profis- SANTOS, Kelly Vinente dos. Fundamentos de eletricidade. Curso
Técnico em Manutenção e Suporte em Informática. Manaus:
na direção do veículo e ao se aproximar sional empenhado e a preservação da Centro de Educação Tecnológica do Amazonas, 2011. 130p.
retire o fio que está sob ou sobre o ve- vida da vítima. SILVA, Rodrigo Suzano Rodrigues. A importância da implantação
ículo, com o auxílio do gancho croque, da disciplina segurança em eletricidade nos cursos de capacita-
ção profissional para praças bombeiro militar do Estado de Goiás.
e o afaste mais distante possível do ve- Goiânia, 2015. 46 p. Artigo científico para obtenção de título de
ículo. Após a retirada do fio, um segun- REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS aspirante a oficial – Curso de Formação de Oficiais, Comando
do bombeiro se aproximará do veículo, AFONSO, Antônio Pereira; FILONI, Ênio. Eletrônica: circuitos elé-
tricos. Manual técnico. Centro Paula Souza. São Paulo: Fundação
da Academia e Ensino Bombeiro Militar.
SOBRAL, Emily. É preciso que se reconheça a natureza
se possível, com o vento a favor (vento Padre Anchieta, 2011. Disponível: <http://eletro.g12.br/arquivos/ do arco elétrico: mortal ao trabalhador que é exposto ao
pelas costas) de forma segura (a passos materiais/eletronica1.pdf>. Acesso em: 28 de outubro de 2019. fenômeno elétrico. Postado em: 22 de fevereiro de 2018.
curtos) e direcionará o jato d’água tipo BAUMGARDT, Diego Garcia.Proposta de procedimento opera-
cional padrão para combate incêndio em subestação de energia
Disponível:<https://segurancaocupacionales.com.br/e-preciso-
que-se-reconheca-a-natureza-do-arco-eletrico-mortal-ao-traba-
chuveiro (neblinado) com abertura de elétrica. Goiânia, 2016. 27 p. Artigo científico para obtenção de lhador-que-e-exposto-ao-fenomeno-eletrico/>. Acesso em: 01
60º para a base das chamas, conforme título de aspirante a oficial – Curso de Formação de Oficiais, de novembro de 2019.
30 Emergência MAI/JUN / 2021

Você também pode gostar