Você está na página 1de 11

1

SISTEMA DE ENSINO PRESENCIAL CONECTADO


CURSO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO - BACHARELADO

ELENICE VELOSO FERNANDES

ANÁLISE CONTÁBIL

Montes Claros
2010
2

ELENICE VELOSO FERNANDES

ANÁLISE CONTÁBIL

Trabalho apresentado ao Curso Administração -


Bacharelado da UNOPAR - Universidade Norte do
Paraná, para a disciplina Análise Contábil

Orientador: Prof.: Luciano Gomes dos Reis

Montes Claros
2010
3

SUMÁRIO

1 INTRODUÇÃO .......................................................................................................04

2 DESENVOLVIMENTO............................................................................................05

CONCLUSÃO............................................................................................................10

REFERÊNCIAS...........................................................................................................11
4

1 INTRODUÇÃO

A análise contábil, também conhecida por análise fundamental, trata


de determinar a situação econômico-financeira de uma empresa através da
informação emitida pela mesma. A extração dos estados financeiros as informações
acerca da rentabilidade, solvência, liquidez e eficiência da empresa que contribuam
para a tomada de decisões por parte dos investidores, atuais ou potenciais,
credores, organismos de administração pública e trabalhadores. São igualmente
utilizadas diversas técnicas estatísticas para a utilização dessas informações, com
vista à análise dos diferentes setores de atividade e à previsão de algumas variáveis
fundamentais (como os benefícios e as perdas). Para isso, são utilizados diversos
programas informáticos que permitem o manuseio de grandes bases de dados.
Em Contabilidade, o termo análise originariamente tem a ver com a
conhecida análise racional ou cartesiana, método criado por Descartes e que
consiste em se abordar um problema ou objeto de análise a partir da decomposição
de um todo ou de partes maiores, em parte menores. Dessa forma,as contas
contábeis que representassem partes menores de um objeto contábil foram
chamadas de "contas analíticas", enquanto as contas maiores e que agrupassem os
saldos de contas analíticas, denominaram-se "contas sintéticas". Um procedimento
que se usa para a análise contábil é o dos ajustes contábeis ou conciliações.
5

DESENVOLVIMENTO

As demonstrações contábeis são uma representação monetária


estruturada da posição patrimonial e financeira em determinada data e das
transações realizadas por uma entidade no período findo nessa data. O objetivo das
demonstrações contábeis de uso geral é fornecer informações sobre a posição
patrimonial e financeira, o resultado e o fluxo financeiro de uma entidade, que são
úteis para uma ampla variedade de usuários na tomada de decisões. As
demonstrações contábeis também mostram os resultados do gerenciamento, pela
Administração, dos recursos que lhe são confiados. Para atingir esse objetivo, as
demonstrações contábeis fornecem informações sobre os seguintes aspectos de
uma entidade:
ativos;
passivos;
patrimônio líquido
receitas, despesas, ganhos e perdas; e
fluxo financeiro (fluxos de caixa ou das origens e aplicações de
recursos).
Essas informações, juntamente com outras constantes das notas explicativas às
demonstrações contábeis, auxiliam os usuários a estimar os resultados futuros e os
fluxos financeiros futuros da entidade.

Principais Conceitos:

Balanço Patrimonial;

O balanço patrimonial é a demonstração contábil destinada a


evidenciar, quantitativa e qualitativamente, numa determinada data, o patrimônio e a
composição do patrimônio líquido da entidade. Conforme determina o artigo 178 da
Lei nº 6.404-76, “No balanço, as contas serão classificadas segundo os elementos
do patrimônio que registrem, e agrupadas de modo a facilitar o conhecimento e a
análise da situação financeira da companhia”. Essa demonstração deve ser
estruturada de acordo com os preceitos da Lei nº 6.404-76 e segundo os Princípios
Fundamentais de Contabilidade e as Normas Brasileiras de Contabilidade.
6

Demonstração do Resultado do Exercício;

A demonstração do resultado é a demonstração contábil destinada a


evidenciar a composição do resultado formado num determinado período de
operações da entidade. A demonstração do resultado, observado o princípio da
competência, evidenciará a formação dos vários níveis de resultados, mediante
confronto entre as receitas e os correspondentes custos e despesas.

Demonstração de Lucros ou Prejuízos Acumulados;

A demonstração de lucros ou prejuízos acumulados é a


demonstração contábil destinada a evidenciar, num determinado período, as
mutações nos resultados acumulados da entidade.

Demonstração das Origens e Aplicações de Recursos;

A demonstração das origens e aplicações de recursos é a


demonstração contábil destinada a evidenciar, num determinado período, as
modificações que originaram as variações no capital circulante líquido da entidade.
A Lei nº 6.404-76, em seu artigo 176, inciso IV, tornou obrigatória
essa demonstração para todas as companhias. Contudo, o § 6º do referido artigo
dispõe que a companhia fechada, com patrimônio líquido, na data do balanço, não
superior a R$ 1.000.000,00 (um milhão de reais) não será obrigada à elaboração e
publicação da demonstração das origens e aplicações de recursos.

Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido;

A demonstração das mutações do patrimônio líquido é aquela


destinada a evidenciar as mudanças, em natureza e valor, havidas no patrimônio
líquido da entidade, num determinado período de tempo.
A Comissão de Valores Mobiliários (CVM), mediante a Instrução
CVM nº 059-86, tornou esta demonstração e sua publicação de caráter obrigatório,
para as companhias abertas, em substituição à demonstração dos lucros ou
7

prejuízos acumulados.

Notas Explicativas

A forma de apresentação e o conteúdo das Notas Explicativas estão


explicitados na Resolução CFC nº 737, de 27-11-92, que aprova a NBC T – 6 – Da
Divulgação das Demonstrações Contábeis.
As informações nelas contidas devem ser relevantes,
complementares e/ou suplementares àquelas não suficientemente evidenciadas ou
não constantes nas demonstrações contábeis propriamente ditas.
As notas explicativas incluem informações de natureza patrimonial,
econômica, financeira, legal, física e social, bem como os critérios utilizados na
elaboração das demonstrações contábeis e eventos subseqüentes ao balanço.

Grupo Ativo:

Ativo circulante

É uma referência aos bens e direitos que podem ser convertidos em


dinheiro em curto prazo.Os ativos que podem ser considerados como circulantes
incluem: dinheiro em caixa, conta movimento em banco, aplicações financeiras,
contas a receber, estoques, despesas antecipadas, numerário em caixa, depósito
bancário, mercadorias, matérias-primas e títulos

Ativo não circulante

São todos os bens de permanência duradoura, destinados ao


funcionamento normal da sociedade e do seu empreendimento, assim como os
direitos exercidos com essa finalidade.

Ativo realizável a longo prazo

É conjunto de bens e direitos que irão realizar-se em até 360 dias


8

contados do ultimo dia do exercicio social da data de publicação do balanço a que


faz parte. Exemplos clássicos são os Impostos a Recuperar, os Contratos de Mútuo
valor. (com os sócios).

Ativo permanente

São os bens e direitos de uma empresa que não sofrem


movimentação constante. Fazem parte do patrimônio desta empresa, chamados
Bens Patrimoniais. Ativo Fixo possui como sinônimo a expressão Ativo Imobilizado.

Grupo Passivo:

Passivo circulante

são as obrigações que normalmente são pagas dentro de um ano:


contas a pagar, dívidas com fornecedores de mercadorias ou matérias-prima,
impostos a recolher (para o governo), empréstimos bancários com vencimento nos
próximos 360 dias, provisões (despesas incorridas, geradas, ainda não pagas, mas
já reconhecidas pela empresa: imposto de renda, férias, etc.

Passivo não circulante

São escrituradas as obrigações da entidade, inclusive


financiamentos para aquisição de direitos do ativo não-circulante, quando se
vencerem após o exercício seguinte. No caso de o ciclo operacional da empresa ter
duração maior que a do exercício social, a concepção terá por base o prazo desse
ciclo.

Passivo exigível a longo prazo


são as dívidas de uma empresa que serão liquidadas com prazo
superior a um ano, financiamentos, títulos a pagar, entre outros.
O passivo exigível trata-se das obrigações com terceiros, como
duplicatas a pagar, notas promissórias a pagar, fornecedores, impostos a recolher,
9

contas a pagar, títulos a pagar, contribuições a recolher e outras, que terão seu
vencimento 360 dias após a data da publicação do balanço de que fazem parte.

Resultados de exercícios futuros; (não existe mais)

são as receitas de exercícios futuros correspondem a um acréscimo


no ativo da companhia que ocorre antes de ela cumprir sua obrigação contratual, o
que normalmente corresponde à entrega da coisa vendida, ou à prestação de
serviço contratado. Exemplo: aluguéis recebidos antecipadamente.

Patrimônio líquido

representa os valores que os sócios ou acionistas têm na empresa


em um determinado momento. No balanço patrimonial, a diferença entre o valor dos
ativos e dos passivos e resultado de exercícios futuros representa o PL (Patrimônio
Líquido), que é o valor contábil devido pela pessoa jurídica aos sócios ou acionistas,
baseado no Princípio da Entidade.
10

CONCLUSÃO

A escrituração contábil é a essência da formação e da apresentação


do profissional da Contabilidade. Os resultados dessa escrituração são as
demonstrações contábeis, onde se apresenta a movimentação patrimonial e
financeira de uma entidade econômica, bem como suas mutações. É a partir das
demonstrações que se extrae todas as informações de gestão, administrativas,
econômicas e financeiras. Analisando-as, se verifica a capacidade da empresa para
assumir financiamentos, e pode-se projetar a sua expansão. As demonstrações
contábeis não devem evidenciar apenas o Balanço Patrimonial e o Demonstrativo de
Resultados, mas também as mutações do patrimônio, as origens e as aplicações de
recursos, acompanhadas de notas explicativas, com informações complementares
de itens relevantes, permitindo maior transparência das administrações.
As demonstrações contábeis devem ser apresentadas de acordo
com a legislação vigente, atendendo aos Princípios Fundamentais da Contabilidade
e às Normas Brasileiras de Contabilidade.
11

REFERÊNCIAS

http://ocw.universia.net/pt-BR/asignatura/41/analise-contabil-(ocw-
universidade-carlos-iii)/

http://www.portaldecontabilidade.com.br/ibracon/npc27.htm

http://www.crcsc.org.br/comunicacao/publicacoes/demonstracoes_co
ntabeis.pdf

http://www.portaldecontabilidade.com.br/guia/estruturabalanco.htm