Você está na página 1de 17
UniversidadeUniversidade FederalFederal dodo ParanáParaná CursoCurso dede EngenhariaEngenharia IndustrialIndustrial
UniversidadeUniversidade FederalFederal dodo ParanáParaná
CursoCurso dede EngenhariaEngenharia IndustrialIndustrial MadeireiraMadeireira
ELEMENTOSELEMENTOS ORGÂNICOSORGÂNICOS DEDE MÁQUINASMÁQUINAS IIII
AT-AT-102102
M.Sc.M.Sc. AlanAlan SulatoSulato dede AndradeAndrade
alansulato@ufpr.bralansulato@ufpr.br
TRANSMISSÕESTRANSMISSÕES PORPOR
CORRENTESCORRENTES
TRANSMISSÕESTRANSMISSÕES PORPOR CORRENTESCORRENTES INTRODUÇÃO: Normalmente são utilizadas em situações em
TRANSMISSÕESTRANSMISSÕES PORPOR CORRENTESCORRENTES
INTRODUÇÃO:
Normalmente
são
utilizadas
em
situações em
que
transmissões por meio de engrenagens ou correias
não sejam possíveis.
TRANSMISSÕESTRANSMISSÕES PORPOR CORRENTESCORRENTES INTRODUÇÃO: Correntes
TRANSMISSÕESTRANSMISSÕES PORPOR CORRENTESCORRENTES
INTRODUÇÃO:
Correntes
TRANSMISSÕESTRANSMISSÕES PORPOR CORRENTESCORRENTES UTILIZAÇÃO:
TRANSMISSÕESTRANSMISSÕES PORPOR CORRENTESCORRENTES
UTILIZAÇÃO:
TRANSMISSÕESTRANSMISSÕES PORPOR CORRENTESCORRENTES CARACTERÍSTICAS: Transmitem grande quantidade de energia. Muito
TRANSMISSÕESTRANSMISSÕES PORPOR CORRENTESCORRENTES
CARACTERÍSTICAS:
Transmitem grande quantidade de energia.
Muito utilizado em sistemas “pesados”
Possuem bom sincronismo, devido as engrenagens e
pinhões.
Possuem bom rendimento: 0,95 a 0,99.
TRANSMISSÕESTRANSMISSÕES PORPOR CORRENTESCORRENTES CARACTERÍSTICAS: São muito utilizadas em sistemas que necessitam
TRANSMISSÕESTRANSMISSÕES PORPOR CORRENTESCORRENTES
CARACTERÍSTICAS:
São muito utilizadas em sistemas que necessitam de
acionamento de vários eixos por um único eixo motor.
Nesse caso, torna-se fundamental importância que
todas as rodas pertençam a um mesmo plano.
Motor
TRANSMISSÕESTRANSMISSÕES PORPOR CORRENTESCORRENTES TIPOS: Correntes de rolos, Correntes de buchas, Correntes de
TRANSMISSÕESTRANSMISSÕES PORPOR CORRENTESCORRENTES
TIPOS:
Correntes de rolos,
Correntes de buchas,
Correntes de dentes,
Correntes com elos fundidos.
TRANSMISSÕESTRANSMISSÕES PORPOR CORRENTESCORRENTES TIPOS: Muitos tipos em função da diversidade de formas de
TRANSMISSÕESTRANSMISSÕES PORPOR CORRENTESCORRENTES
TIPOS:
Muitos tipos em função da diversidade de formas de utilização
TRANSMISSÕESTRANSMISSÕES PORPOR CORRENTESCORRENTES TIPOS: Correntes de rolos, mais comuns, Roda dentada (Movimenta o
TRANSMISSÕESTRANSMISSÕES PORPOR CORRENTESCORRENTES
TIPOS:
Correntes de rolos, mais comuns,
Roda dentada (Movimenta o conjunto)
Pino
Bucha
Rolo
Tala
TRANSMISSÕESTRANSMISSÕES PORPOR CORRENTESCORRENTES DIMENSÕES CARACTERÍSTICAS: Dr – diâmetro do rolo S –
TRANSMISSÕESTRANSMISSÕES PORPOR CORRENTESCORRENTES
DIMENSÕES CARACTERÍSTICAS:
Dr – diâmetro do rolo
S – espessura
t – passo da corrente
bz – largura do dente
bl – largura interna da corrente
b – largura externa da corrente
db – diâmetro do pino
dh – diâmetro da bucha
TRANSMISSÕESTRANSMISSÕES PORPOR CORRENTESCORRENTES RODAS DENTADAS PARA CORRENTES Diametro primitivo d0: d0=t/sen α
TRANSMISSÕESTRANSMISSÕES PORPOR CORRENTESCORRENTES
RODAS DENTADAS PARA CORRENTES
Diametro primitivo d0:
d0=t/sen α
α=180/z
d0=t/(sen180/z)
Diametro da base:
dg=d0.cos α
Diametro da base:
df=d0-1,01.dr
TRANSMISSÕESTRANSMISSÕES PORPOR CORRENTESCORRENTES RODAS DENTADAS PARA CORRENTES Espessura axial do dente (medida do
TRANSMISSÕESTRANSMISSÕES PORPOR CORRENTESCORRENTES
RODAS DENTADAS PARA CORRENTES
Espessura axial do dente (medida do primitivo)
L=0,95b-0,25dr
Diâmetro externo:
dk=d0+0,70dr (Z<12)
dk=d0+0,83dr (12<Z<25)
dk=d0+0,87dr (25<Z<38)
dk=d0+0,90dr (Z>38)
Diametro de divisão: 2α=360/z
TRANSMISSÕESTRANSMISSÕES PORPOR CORRENTESCORRENTES DIMENSIONAMENTO (GOST-URSS) O desgaste é o principal critério
TRANSMISSÕESTRANSMISSÕES PORPOR CORRENTESCORRENTES
DIMENSIONAMENTO (GOST-URSS)
O desgaste é o principal critério que deve ser levado
em conta nas transmissões por correntes. Os valores
encontrados para a roda dentada e a corrente nesse
critério asseguram o perfeito funcionamento da
transmissão. Considera-se a transmissão desgastada
quando ocorrer alongamento provocado pelo
estiramento das talas e o desgaste das articulações, no
momento em que alongamento atingir
aproximadamente 3% do comprimento original
TRANSMISSÕESTRANSMISSÕES PORPOR CORRENTESCORRENTES DIMENSIONAMENTO (GOST-URSS) Deve dimensionar o número adequado de
TRANSMISSÕESTRANSMISSÕES PORPOR CORRENTESCORRENTES
DIMENSIONAMENTO (GOST-URSS)
Deve dimensionar o número adequado de dentes para
que a transmissão funcione adequadamente, caso isto
não ocorra, a transmissão pode ser comprometida ou o
ruído pode aumentar sensivelmente.
TRANSMISSÕESTRANSMISSÕES PORPOR CORRENTESCORRENTES DIMENSIONAMENTO (GOST-URSS) Utilizaremos uma tabela que
TRANSMISSÕESTRANSMISSÕES PORPOR CORRENTESCORRENTES
DIMENSIONAMENTO (GOST-URSS)
Utilizaremos uma tabela que determinada o número de
dentes da engrenagem menor por meio da relação de
transmissão.
TRANSMISSÕESTRANSMISSÕES PORPOR CORRENTESCORRENTES DIMENSIONAMENTO (GOST-URSS) Número mínimo de dentes: Rolos:
TRANSMISSÕESTRANSMISSÕES PORPOR CORRENTESCORRENTES
DIMENSIONAMENTO (GOST-URSS)
Número mínimo de dentes:
Rolos:
Zmin≥9
Silenciosas Zmin≥13
Número máximo de dentes:
Rolos: Zmax≤120
Silenciosas Zmax≤140
TRANSMISSÕESTRANSMISSÕES PORPOR CORRENTESCORRENTES DIMENSIONAMENTO (GOST-URSS) Passo da Corrente – quanto menor
TRANSMISSÕESTRANSMISSÕES PORPOR CORRENTESCORRENTES
DIMENSIONAMENTO (GOST-URSS)
Passo da Corrente – quanto menor melhor será a
transmissão.
Rotação máxima (correias dentadas)
Passo
1,3mm
1,6
1,9
2,5
3,2
rpm (max) 3300 2650 2200 1650 1300
Velocidade periférica (não exceder)
Rolos – vp=12m/s
Dentadas – vp=16m/s
TRANSMISSÕESTRANSMISSÕES PORPOR CORRENTESCORRENTES DIMENSIONAMENTO (GOST-URSS) Tipo N.Dentes Passo (mm) 12 15 20
TRANSMISSÕESTRANSMISSÕES PORPOR CORRENTESCORRENTES
DIMENSIONAMENTO (GOST-URSS)
Tipo
N.Dentes
Passo (mm)
12
15
20
25
30
TRANSMISSÕESTRANSMISSÕES PORPOR CORRENTESCORRENTES DIMENSIONAMENTO (GOST-URSS) Carga máxima na Corrente Rolos:
TRANSMISSÕESTRANSMISSÕES PORPOR CORRENTESCORRENTES
DIMENSIONAMENTO (GOST-URSS)
Carga máxima na Corrente
Rolos:
Fmax=Frup/ns.k
Dentada:
Fmax=Frup.b/10.ns.k
TRANSMISSÕESTRANSMISSÕES PORPOR CORRENTESCORRENTES DIMENSIONAMENTO (GOST-URSS) Carga máxima na Corrente Onde:
TRANSMISSÕESTRANSMISSÕES PORPOR CORRENTESCORRENTES
DIMENSIONAMENTO (GOST-URSS)
Carga máxima na Corrente
Onde:
Fmax=carga máxima que pode atuar na corrente (N)
Frup=carga de ruptura da corrente (N)
ns=coeficiente de segurança
k=fator de operação
b=largura da corrente
TRANSMISSÕESTRANSMISSÕES PORPOR CORRENTESCORRENTES DIMENSIONAMENTO (GOST-URSS) Coeficiente de segurança – ns
TRANSMISSÕESTRANSMISSÕES PORPOR CORRENTESCORRENTES
DIMENSIONAMENTO (GOST-URSS)
Coeficiente de segurança – ns
Passo
rpm (engrenador)
50
200
400
800
1600
Rolos, até 1,5mm
Rolos, + 1,5mm
Dentadas, até 1,5mm
Dentadas, + 1,5mm
7
7,8
8,6
10,2
13,2
7
8,2
9,4
11,7
16,3
20
22,2
28,7
29
37,8
20
23,4
30
33
46,5
TRANSMISSÕESTRANSMISSÕES PORPOR CORRENTESCORRENTES DIMENSIONAMENTO (GOST-URSS) Fator de operação – K K=ks.kl.kpo
TRANSMISSÕESTRANSMISSÕES PORPOR CORRENTESCORRENTES
DIMENSIONAMENTO (GOST-URSS)
Fator de operação – K
K=ks.kl.kpo
Ks-Fator de serviço
Ks
Cosntante
moderados
fortes
1,0
1,3
1,5
kl-Fator de lubrificação/ Fator de posição
Contínua/horizontal
Ki/Kpo 1,0
Períodica/inclinada
1,3
TRANSMISSÕESTRANSMISSÕES PORPOR CORRENTESCORRENTES DIMENSIONAMENTO (GOST-URSS) Distância entre eixos (estimativa)
TRANSMISSÕESTRANSMISSÕES PORPOR CORRENTESCORRENTES
DIMENSIONAMENTO (GOST-URSS)
Distância entre eixos (estimativa)
C=(30 a 50).t
mm
Número de elos
Y=(z1+z2)/2 + 2C/t +((z2-z1)/2π)² . t/C
Velocidade da Corrente
Vc=(Z1.t.n1)/6000
m/s
TRANSMISSÕESTRANSMISSÕES PORPOR CORRENTESCORRENTES DIMENSIONAMENTO (GOST-URSS) Distância entre eixos (correta)
TRANSMISSÕESTRANSMISSÕES PORPOR CORRENTESCORRENTES
DIMENSIONAMENTO (GOST-URSS)
Distância entre eixos (correta)
C=t/4.{y-((Z1+Z2)/2)+√[y-((Z1+Z2)/2)²-8.((Z2-Z1)/2π)²]}
Força Tangencial
Ft=P/Vc
ou
Ft=2T/d0
(N)
Velocidade da Corrente
Vc=(Z1.t.N1)/(6000)
(m/s)
TRANSMISSÕESTRANSMISSÕES PORPOR CORRENTESCORRENTES DIMENSIONAMENTO (GOST-URSS) Carga de Ruptura: Frup=Ft.ns.K
TRANSMISSÕESTRANSMISSÕES PORPOR CORRENTESCORRENTES
DIMENSIONAMENTO (GOST-URSS)
Carga de Ruptura:
Frup=Ft.ns.K
TRANSMISSÕESTRANSMISSÕES PORPOR CORRENTESCORRENTES EXERCÍCIO 1: Um compressor deve ser acionado por meio de uma
TRANSMISSÕESTRANSMISSÕES PORPOR CORRENTESCORRENTES
EXERCÍCIO 1:
Um compressor deve ser acionado por meio de uma
transmissão por corrente, por um motor de 15KW que
possui uma rotação efetiva de 1160 rpm. Sabendo que
o volante do compressor deve girar com 290 rpm, o
trabalho é considerado normal, a distancia estimada
entre centros de 600mm. Dimensionar a transmissão
para uma inclinação inferior a 45 graus e lubrificação
contínua.
TRANSMISSÕESTRANSMISSÕES PORPOR CORRENTESCORRENTES EXERCÍCIO 1: Relação de transmissão: i=(Nmotor/Ncompressor)
TRANSMISSÕESTRANSMISSÕES PORPOR CORRENTESCORRENTES
EXERCÍCIO 1:
Relação de transmissão:
i=(Nmotor/Ncompressor)
i=1160/290
i=4
Número de dentes do pinhão:
Vem da tabela que determinada o número de dentes
da engrenagem menor por meio da relação de
transmissão. Assim, para i=4, Z1=23 dentes.
TRANSMISSÕESTRANSMISSÕES PORPOR CORRENTESCORRENTES EXERCÍCIO 1: Número de dentes da coroa: Z2=Z1.i Z2=23.4 Z2=92
TRANSMISSÕESTRANSMISSÕES PORPOR CORRENTESCORRENTES
EXERCÍCIO 1:
Número de dentes da coroa:
Z2=Z1.i
Z2=23.4
Z2=92
92 dentes encontra-se no intervalo recomendado pelo
método. (Zmax=120 dentes).
TRANSMISSÕESTRANSMISSÕES PORPOR CORRENTESCORRENTES EXERCÍCIO 1: Passo da Corrente: O pinhão possui Z1=23 dentes e
TRANSMISSÕESTRANSMISSÕES PORPOR CORRENTESCORRENTES
EXERCÍCIO 1:
Passo da Corrente:
O pinhão possui Z1=23 dentes e gira com N=1160 rpm.
Busca-se na tabela o valor mais adequado par t.
Lembrando que quanto menor o passo, melhor para a
transmissão, pois diminuem os choques, a força
centrífuga e o atrito. Para Z=23 e N=1160 a tabela
recomenda t=25mm. Mas levando em consideração
a afirmaçào anterior, adotaremos um valor menor =
12,7mm ou ½”.
TRANSMISSÕESTRANSMISSÕES PORPOR CORRENTESCORRENTES EXERCÍCIO 1: Velocidade da corrente: Vc=Z1.t.N1/6000
TRANSMISSÕESTRANSMISSÕES PORPOR CORRENTESCORRENTES
EXERCÍCIO 1:
Velocidade da corrente:
Vc=Z1.t.N1/6000
Vc=23.12,7.1160/6000
Vc=5,65 m/s
Como Vc (Vp) é menor que 12m/s, está verificada a
condição.
TRANSMISSÕESTRANSMISSÕES PORPOR CORRENTESCORRENTES EXERCÍCIO 1: Fator de Operação: K=Ks.Kl.Kpo Ks=1,0 – Carga
TRANSMISSÕESTRANSMISSÕES PORPOR CORRENTESCORRENTES
EXERCÍCIO 1:
Fator de Operação:
K=Ks.Kl.Kpo
Ks=1,0 – Carga constante
Kl=1,0 – Lubrificação contínua
Kpo=1,0 – Inclinação inferior a 45 graus.
K=1.1.1
K=1
TRANSMISSÕESTRANSMISSÕES PORPOR CORRENTESCORRENTES EXERCÍCIO 1: Carga tangencial: Ft=P/Vc Ft=15000/5,65 Ft=2655N
TRANSMISSÕESTRANSMISSÕES PORPOR CORRENTESCORRENTES
EXERCÍCIO 1:
Carga tangencial:
Ft=P/Vc
Ft=15000/5,65
Ft=2655N
Carga de ruptura da corrente:
Frup=Ft.ns.K
Frup=2655.11,7.1
Frup=31.063N