Você está na página 1de 17

Universidade Federal do Paraná

Curso de Engenharia Industrial Madeireira

ELEMENTOS ORGÂNICOS DE MÁQUINAS II


AT-
AT-102

M.Sc. Alan Sulato de Andrade

alansulato@ufpr.br

TRANSMISSÕES POR
CORRENTES

1
TRANSMISSÕES POR CORRENTES

INTRODUÇÃO:

 Normalmente são utilizadas em situações em que


transmissões por meio de engrenagens ou correias
não sejam possíveis.

TRANSMISSÕES POR CORRENTES

INTRODUÇÃO:

Correntes

2
TRANSMISSÕES POR CORRENTES

UTILIZAÇÃO:

TRANSMISSÕES POR CORRENTES

CARACTERÍSTICAS:

 Transmitem grande quantidade de energia.


 Muito utilizado em sistemas “pesados”
 Possuem bom sincronismo, devido as engrenagens e
pinhões.
 Possuem bom rendimento: 0,95 a 0,99.

3
TRANSMISSÕES POR CORRENTES

CARACTERÍSTICAS:

 São muito utilizadas em sistemas que necessitam de


acionamento de vários eixos por um único eixo motor.
Nesse caso, torna-se fundamental importância que
todas as rodas pertençam a um mesmo plano.

Motor

TRANSMISSÕES POR CORRENTES

TIPOS:

 Correntes de rolos,

 Correntes de buchas,

 Correntes de dentes,

 Correntes com elos fundidos.

4
TRANSMISSÕES POR CORRENTES

TIPOS:

Muitos tipos em função da diversidade de formas de utilização

TRANSMISSÕES POR CORRENTES

TIPOS:

 Correntes de rolos, mais comuns,


Roda dentada (Movimenta o conjunto)
Pino
Bucha
Rolo
Tala

5
TRANSMISSÕES POR CORRENTES

DIMENSÕES CARACTERÍSTICAS:

 Dr – diâmetro do rolo
 S – espessura
 t – passo da corrente
 bz – largura do dente
 bl – largura interna da corrente
 b – largura externa da corrente
 db – diâmetro do pino
 dh – diâmetro da bucha

TRANSMISSÕES POR CORRENTES

RODAS DENTADAS PARA CORRENTES

 Diametro primitivo d0:


d0=t/sen α
α=180/z
d0=t/(sen180/z)
 Diametro da base:
dg=d0.cos α
 Diametro da base:
df=d0-1,01.dr

6
TRANSMISSÕES POR CORRENTES

RODAS DENTADAS PARA CORRENTES

 Espessura axial do dente (medida do primitivo)


L=0,95b-0,25dr
 Diâmetro externo:
dk=d0+0,70dr (Z<12)
dk=d0+0,83dr (12<Z<25)
dk=d0+0,87dr (25<Z<38)
dk=d0+0,90dr (Z>38)
Diametro de divisão: 2α=360/z

TRANSMISSÕES POR CORRENTES

DIMENSIONAMENTO (GOST-URSS)

 O desgaste é o principal critério que deve ser levado


em conta nas transmissões por correntes. Os valores
encontrados para a roda dentada e a corrente nesse
critério asseguram o perfeito funcionamento da
transmissão. Considera-se a transmissão desgastada
quando ocorrer alongamento provocado pelo
estiramento das talas e o desgaste das articulações, no
momento em que alongamento atingir
aproximadamente 3% do comprimento original

7
TRANSMISSÕES POR CORRENTES

DIMENSIONAMENTO (GOST-URSS)

 Deve dimensionar o número adequado de dentes para


que a transmissão funcione adequadamente, caso isto
não ocorra, a transmissão pode ser comprometida ou o
ruído pode aumentar sensivelmente.

TRANSMISSÕES POR CORRENTES

DIMENSIONAMENTO (GOST-URSS)

 Utilizaremos uma tabela que determinada o número de


dentes da engrenagem menor por meio da relação de
transmissão.
Tipo de Corrente Rel. de transmissão – i
1 2 3 4 5 6
Rolos 31 27 25 23 21 17
Silenciosa 40 35 31 27 23 19

8
TRANSMISSÕES POR CORRENTES

DIMENSIONAMENTO (GOST-URSS)

 Número mínimo de dentes:


Rolos: Zmin≥9
Silenciosas Zmin≥13
 Número máximo de dentes:
Rolos: Zmax≤120
Silenciosas Zmax≤140

TRANSMISSÕES POR CORRENTES

DIMENSIONAMENTO (GOST-URSS)

 Passo da Corrente – quanto menor melhor será a


transmissão.
 Rotação máxima (correias dentadas)
Passo 1,3mm 1,6 1,9 2,5 3,2
rpm (max) 3300 2650 2200 1650 1300
 Velocidade periférica (não exceder)
Rolos – vp=12m/s
Dentadas – vp=16m/s

9
TRANSMISSÕES POR CORRENTES

DIMENSIONAMENTO (GOST-URSS)

 Tipo N.Dentes Passo (mm)


12 15 20 25 30
15 2300 1900 1350 1150 1000
Rolos 19 2400 2000 1450 1200 1050
23 2500 2100 1500 1250 1100
Cilíndros 27 2550 2150 1550 1300 1100
30 2600 2200 1550 1300 1100

TRANSMISSÕES POR CORRENTES

DIMENSIONAMENTO (GOST-URSS)

 Carga máxima na Corrente


Rolos:
Fmax=Frup/ns.k
Dentada:
Fmax=Frup.b/10.ns.k

10
TRANSMISSÕES POR CORRENTES

DIMENSIONAMENTO (GOST-URSS)

 Carga máxima na Corrente


Onde:
Fmax=carga máxima que pode atuar na corrente (N)
Frup=carga de ruptura da corrente (N)
ns=coeficiente de segurança
k=fator de operação
b=largura da corrente

TRANSMISSÕES POR CORRENTES

DIMENSIONAMENTO (GOST-URSS)

 Coeficiente de segurança – ns
Passo rpm (engrenador)
50 200 400 800 1600
Rolos, até 1,5mm 7 7,8 8,6 10,2 13,2
Rolos, + 1,5mm 7 8,2 9,4 11,7 16,3
Dentadas, até 1,5mm 20 22,2 28,7 29 37,8
Dentadas, + 1,5mm 20 23,4 30 33 46,5

11
TRANSMISSÕES POR CORRENTES

DIMENSIONAMENTO (GOST-URSS)

 Fator de operação – K
K=ks.kl.kpo
Ks-Fator de serviço
Ks Cosntante moderados fortes
1,0 1,3 1,5
kl-Fator de lubrificação/ Fator de posição
Contínua/horizontal Períodica/inclinada
Ki/Kpo 1,0 1,3

TRANSMISSÕES POR CORRENTES

DIMENSIONAMENTO (GOST-URSS)

 Distância entre eixos (estimativa)


C=(30 a 50).t mm

 Número de elos
Y=(z1+z2)/2 + 2C/t +((z2-z1)/2π)² . t/C

 Velocidade da Corrente
Vc=(Z1.t.n1)/6000 m/s

12
TRANSMISSÕES POR CORRENTES

DIMENSIONAMENTO (GOST-URSS)

 Distância entre eixos (correta)


C=t/4.{y-((Z1+Z2)/2)+√[y-((Z1+Z2)/2)²-8.((Z2-Z1)/2π)²]}

 Força Tangencial
Ft=P/Vc ou Ft=2T/d0 (N)

 Velocidade da Corrente
Vc=(Z1.t.N1)/(6000) (m/s)

TRANSMISSÕES POR CORRENTES

DIMENSIONAMENTO (GOST-URSS)

 Carga de Ruptura:
Frup=Ft.ns.K

13
TRANSMISSÕES POR CORRENTES

EXERCÍCIO 1:

 Um compressor deve ser acionado por meio de uma


transmissão por corrente, por um motor de 15KW que
possui uma rotação efetiva de 1160 rpm. Sabendo que
o volante do compressor deve girar com 290 rpm, o
trabalho é considerado normal, a distancia estimada
entre centros de 600mm. Dimensionar a transmissão
para uma inclinação inferior a 45 graus e lubrificação
contínua.

TRANSMISSÕES POR CORRENTES

EXERCÍCIO 1:

 Relação de transmissão:
i=(Nmotor/Ncompressor)
i=1160/290
i=4
 Número de dentes do pinhão:
Vem da tabela que determinada o número de dentes
da engrenagem menor por meio da relação de
transmissão. Assim, para i=4, Z1=23 dentes.

14
TRANSMISSÕES POR CORRENTES

EXERCÍCIO 1:

 Número de dentes da coroa:


Z2=Z1.i
Z2=23.4
Z2=92
92 dentes encontra-se no intervalo recomendado pelo
método. (Zmax=120 dentes).

TRANSMISSÕES POR CORRENTES

EXERCÍCIO 1:

 Passo da Corrente:
O pinhão possui Z1=23 dentes e gira com N=1160 rpm.
Busca-se na tabela o valor mais adequado par t.
Lembrando que quanto menor o passo, melhor para a
transmissão, pois diminuem os choques, a força
centrífuga e o atrito. Para Z=23 e N=1160 a tabela
recomenda t=25mm. Mas levando em consideração
a afirmaçào anterior, adotaremos um valor menor =
12,7mm ou ½”.

15
TRANSMISSÕES POR CORRENTES

EXERCÍCIO 1:

 Velocidade da corrente:
Vc=Z1.t.N1/6000
Vc=23.12,7.1160/6000
Vc=5,65 m/s
Como Vc (Vp) é menor que 12m/s, está verificada a
condição.

TRANSMISSÕES POR CORRENTES

EXERCÍCIO 1:

 Fator de Operação:
K=Ks.Kl.Kpo
Ks=1,0 – Carga constante
Kl=1,0 – Lubrificação contínua
Kpo=1,0 – Inclinação inferior a 45 graus.
K=1.1.1
K=1

16
TRANSMISSÕES POR CORRENTES

EXERCÍCIO 1:

 Carga tangencial:
Ft=P/Vc
Ft=15000/5,65
Ft=2655N
 Carga de ruptura da corrente:
Frup=Ft.ns.K
Frup=2655.11,7.1
Frup=31.063N

17

Você também pode gostar