Você está na página 1de 4

www.brasileconomico.com.

br
mobile.brasileconomico.com.br

TERÇA-FEIRA, 17 DE MAIO, 2011 | ANO 3 | Nº 432 | DIRETOR RICARDO GALUPPO | DIRETOR ADJUNTO COSTÁBILE NICOLETTA R$ 2,00

Comissão de Ética Pública decide não Venda de 14% das


Fabio Rodrigues-Pozzebom/ABr

investigar a evolução patrimonial do ações da EDP no Brasil


ministro Antonio Palocci, mas ele pode pode garantir R$ 900
ser convocado para dar explicações ➥ P12 milhões à empresa ➥ P23

Argentina sobe o tom no choque


com o Brasil por carro importado
Mas autoridades do país vizinho mostram disposição em negociar desde que o governo brasileiro volte atrás na decisão
A justificativa do governo brasileiro de mobilística de um déficit comercial pare- “intempestiva e sem aviso”. Ela mostrou
que as dificuldades impostas à entrada de ce não convencer as autoridades vizi- interesse em retomar negociações com o Brasil reforça que restrição
tem como objetivo acabar com
automóveis importados no país têm nhas. A ministra de Indústria argentina, Brasil desde que sejam retiradas as medi- os desequilíbrios no setor.
como objetivo proteger a indústria auto- Débora Giorgi, classificou a medida de das adotadas na semana passada. ➥ P10

Antonio Cruz/ABr

Ministros
Com saída de
Fernando
Pimentel (à esq.)
Strauss Kahn,
e Antonio Patriota
(ao centro) emergentes
receberam
delegação chinesa querem disputar
em Brasília
comando do FMI
A União Europeia se apressa para
lançar novo candidato ao cargo de
diretor-gerente do Fundo, no lugar
de Dominique Strauss Kahn, que
pode ser afastado após envolver-
se em escândalo sexual. ➥ P36

Panamericano
prefere correr
menos riscos
Com objetivo de tornar
o banco mais competitivo
e melhorar os resultados,
nova administração quer
aumentar participação
nos financiamentos de
veículos novos e créditos

Investimentos chineses no país a pequenas empresas. ➥ P30

somam quase US$ 30 bilhões INDICADORES


TAXAS DE CÂMBIO
Dólar Ptax (R$/US$)
COMPRA
1,6309
16.5.2011
VENDA
1,6317
Durante visita do ministro de Comércio da China, Chen Deming, Brasil mostra que quer ainda mais ▼ Dólar comercial (R$/US$) 1,6300 1,6320
recursos, porém voltados ao desenvolvimento de toda a cadeia produtiva, e não só a insumos. ➥ P4 ▲ Euro (R$/€) 2,3144 2,3157
▲ Euro (US$/€) 1,4191 1,4192
▼ Peso argentino (R$/$) 0,3991 0,3997
JUROS META EFETIVA
Saint-Gobain aplica Mesmo adiando plano de ■ Selic (a.a.)
BOLSAS
12,00%
VAR. %
11,92%
ÍNDICES
R$ 160 milhões na Brasilit de negócios, Petrobras ▼

Bovespa - São Paulo
Dow Jones - Nova York
-0,64
-0,38
62.829,68
12.548,37
para ampliar produção investirá R$ 93 bi este ano ▼

Nasdaq - Nova York
S&P 500 - Nova York
-1,63
-0,62
2.782,31
1.329,47
Aporte ocorrerá em cinco anos e prevê a Os recursos para 2011 foram confirmados ▼ FTSE 100 - Londres -0,04 5.923,69
construção de fábricas e ampliação de linhas. ➥ P18 pelo diretor financeiro, Almir Barbassa. ➥ P22 ▼ Hang Seng - Hong Kong -1,36 22.960,63
Terça-feira, 17 de maio, 2011 Brasil Econômico 3

Henrique Manreza

BRASILIT TERÁ NOVA FÁBRICA DE TELHAS NO BRASIL


Avanço
Henrique Manreza

Mesmo com consumo em alta,


previdência privada cresce 16,6%
Este foi o crescimento do setor no primeiro
trimestre do ano, quando arrecadou R$ 11,7 bilhões.
Os planos individuais avançaram 19,3% para
R$ 9,9 bilhões, os planos júniores (para crianças e
jovens) subiram 18,1% com R$ 394,5 milhões e os
empresariais tiveram expansão modesta de 0,6%
para R$ 1,4 bilhão de arrecadação. Os VGBLs foram
os responsáveis pelo maior aporte no período,
com R$ 9,3 bilhões e os PGBLs arrecadaram
R$ 1,5 bilhão. A projeção da Fenaprevi, responsável
pelo setor, é que 2011 será um ano de crescimento
maior que a média dos últimos anos. ➥ P32

Retrocesso
Emmanuel Dunand/Reuters

Países emergentes entram na


disputa pelo comando do FMI
A União Europeia se apressa para lançar um
candidato ao cargo de diretor-gerente do Fundo
Monetário Internacional (FMI). O objetivo
é tentar reduzir as pressões para que o comando
da entidade não seja objeto de desejo de nações
emergentes. Antes mesmo do escândalo sexual
em que se envolveu o francês Dominique Strauss
Kahn, Brasil, Índia e China já vinham demonstrando
seu incômodo com o fato de a direção do fundo
O grupo francês Saint-Gobain, que detém a Brasilit, anuncia investimentos de R$ 160 milhões
ter sido, até hoje, uma exclusividade de europeus.
nos próximos cinco anos no país para a construção de novas fábricas e a ampliação de unidades Entre os nomes do continente cotados para
que já operam. A nova fábrica de telhas receberá R$ 37 milhões e ficará no Rio de Janeiro substituir o francês está o do ex-ministro britânico
ou em Minas Gerais, segundo Roberto Luiz Corrêa Netto, diretor-geral da Brasilit. ➥P18 Gordon Brown.➥ P36

TRÊS PERGUNTAS A...


Divulgação
“Acreditamos que outro acordo de transferência Qual a expectativa do governo de água e saneamento e mais duas
de tecnologia pronto para de Israel para essa visita? de biocombustíveis. Na parte de
podemos ser grandes ser debatido na área de O Brasil é um parceiro estratégico energia renovável, vamos firmar
parceiros do Brasil” biocombustíveis, além de para o governo de Israel. Já parcerias baseadas nos princípios
uma rodada de negócios com fazemos e vamos continuar de transferência de tecnologia.
No Brasil desde domingo, o 18 empresas israelenses de fazendo de tudo para desenvolver
Ministro da Indústria, Comércio telecomunicações já agendada. as relações comerciais. O que compreende o
e Trabalho de Israel, Shalom “Não foi à toa que Israel escolheu acordo com a Sabesp?
Simhon, já tem o que o Brasil como o primeiro país Quais os principais setores Vamos trabalhar vários temas
...SHALOM SIMHON comemorar. Um protocolo de dos Brics a receber uma vista a serem abordados? como a segurança e gestão de
intenções assinado com a com intenção de realizar novos Junto comigo tenho uma recursos hídricos, o fornecimento, a
Ministro da Indústria, Comércio Sabesp na área de segurança negócios. Acreditamos que comitiva de dezoito empresas de distribuição de água, o saneamento,
e Trabalho de Israel e gestão de recursos hídricos, podemos ser grandes parceiros”. telecomunicações, duas do setor entre outros. Barbara Ladeia
18 Brasil Econômico Terça-feira, 17 de maio, 2011

EMPRESAS

Editora: Rita Karam rkaram@brasileconomico.com.br


Subeditoras: Estela Silva esilva@brasileconomico.com.br
Isabelle Moreira Lima ilima@brasileconomico.com.br

Saint-Gobain faz
aporte de R$ 160
milhões na Brasilit
Investimento ocorrerá em cinco anos e prevê uma nova fábrica
em Minas ou Rio para se fortalecer no mercado de telhas


João Paulo Freitas provavelmente no Norte. Netto
jpfreitas@brasileconomico.com.br observa, porém, que a decisão
ainda não foi tomada e, se ocor-
A Brasilit, do grupo francês rer, não implicará na ampliação
Saint-Gobain, acabou de apro-
A nova fábrica do montante de investimentos
var um plano de investimentos começará a ser programados. “Uma parte dos
de R$ 160 milhões nos próximos erguida no começo investimentos ainda precisam
cinco anos. Esse valor inclui a ser confirmados com o cresci-
construção de novas fábricas e a
do próximo ano. mento do mercado nos próxi-
instalação de linhas de produ- Até lá vamos analisar mos anos”, diz. O plano inclui
ção adicionais em unidades já locais e negociar também investimentos opera-
existentes. O plano foi apresen- cionais nas unidades produtivas
tado pela Brasilit aos dirigentes
condições com em Esteio (RS) e Belém (PA).
franceses no começo deste mês. as prefeituras
Cerca de R$ 37 milhões serão Vendas em alta
destinados a uma nova fábrica Roberto Luiz Corrêa Netto No ano passado, a empresa ha-
de telhas onduladas de fibroci- via anunciado que planejava
mento. Segundo Roberto Luiz investir R$ 150 milhões até
Corrêa Netto, diretor-geral da 2015. De acordo com Netto, a
Brasilit, a unidade ficará em ampliação do valor é decorrên-
Minas Gerais ou no Rio de Ja- cia dos bons resultados em ven-
neiro. A meta é que as obras de das. O executivo projeta para a
construção se iniciem no co- empresa um faturamento acima
meço do próximo ano. “Até lá de R$ 400 milhões este ano, to-
estaremos discutindo e anali- tal superior aos R$ 360 milhões
sando locais e negociando com apurados em 2010. “Nosso ob-
prefeituras as condições de ins- jetivo com esses investimentos
talação”, diz Netto. A projeção é duplicar o faturamento da
é que essa unidade entre em companhia em um prazo de
operação até o final de 2013. cinco anos”, diz.
Além do aporte em uma nova A Brasilit planeja investir
fábrica, outros R$ 18 milhões cerca de R$ 25 milhões este ano.
serão destinados à instalação de Parte desse valor será destinado
uma linha de produção adicio- à nova linha de produção da fá-
nal na fábrica da empresa em brica de Recife. Em 2010 a em-
Recife. A capacidade da linha presa investiu aproximadamen-
não foi divulgada. Netto, po- te R$ 30 milhões. Desse total,
rém, informa que a capacidade R$ 14 milhões foi destinado a
produtiva em Recife pratica- transferência de uma linha de
mente será dobrada. A expecta- produção da fábrica de Esteio

Fábrica de fios
tiva é que a expansão esteja em para a de Belém. “Aumentamos
condições de operação ainda no em quase 50% a capacidade da
primeiro semestre de 2012. “Va- fábrica de Belém e fizemos in-
mos aumentar a disponibilidade vestimentos na fábrica de Esteio
de produtos para o Nordeste, re- para compensar a saída de uma
gião que está crescendo rapida- de suas duas linhas de produ- Material abastece as próprias mento das vendas”, afirma Ro-
mente. Teremos mais agilidade ção”, diz Netto. unidades da companhia, berto Luiz Corrêa Netto, dire-
no atendimento, com menor Além dos itens produzidos investimento é de R$ 12 milhões tor-geral da Brasilit.
custo”, diz o executivo. com fibrocimento, que tem Segundo o executivo, a com-
A empresa ainda destinará como principal representante as A Braslit planeja investir, entre panhia não tendo o objetivo de
R$ 30 milhões na ampliação da telhas, a Brasilit também co- 2014 e 2015, cerca de R$ 12 mi- comercializar esses fios com
capacidade da unidade de Capi- mercializa produtos de parcei- lhões em sua unidade de Jacareí, terceiros. “Essa produção é para
vari (SP) e outros R$ 12 milhões ros, como telhas metálicas e no interior de São Paulo. É lá consumo próprio”, observa,
à sua fábrica de fios se polipro- itens de fixação, que hoje repre- que a empresa produz os fios de acrescentando, porém, que essa
pileno (PP), localizada em Jaca- sentam menos de 10% de seu polipropileno (PP), que há 10 venda para terceiros pode ocor-
reí (SP), no interior paulista. faturamento. A companhia pla- anos substituem o amianto no rer quando houver excedente.
A Brasilit cogita ainda cons- neja elevar a participação desses fibrocimento da companhia. Tanto é assim que atualmente
truir uma nova fábrica em uma itens no faturamento para 15% “Essa ampliação será necessária cerca de 3% da produção de Ja-
região onde ainda não atua, em um prazo de cinco anos. ■ para dar sustentação ao cresci- careí é exportada. Segundo o
Terça-feira, 17 de maio, 2011 Brasil Econômico 19

Divulgação

Sumitomo investirá US$ 346,6 mi em fábrica de pneus no Brasil


A japonesa Sumitomo Rubber Industries planeja construir no Brasil sua primeira fábrica nas Américas do Sul
e Central, publicou o jornal Nikkei. A companhia avalia a construção da fábrica no Paraná, diante da proximidade
do Estado com o polo produtor de veículos de São Paulo. Uma filial local da empresa deve ser estabelecida
até julho. Os trabalhos de construção terão início no ano que vem e a produção deve começar em 2013.
A capacidade de produção será aumentada gradualmente, com a fábrica produzindo 15 mil pneus ao dia em 2016.
A expectativa é que a nova fábrica responda por cerca de 6% da capacidade total de produção da Sumitomo
Rubber, que produz marcas como Dunlop. A fábrica deve empregar 1.600 pessoas.

Henrique Manreza

VENDAS

R$ 400 mi
é o valor que a empresa projeta
para seu faturamento neste ano.
Em 2010, a companhia apurou
aproximadamente R$ 360
milhões em vendas.

NOVA FÁBRICA

R$ 37 mi
é quanto a Brasilit investirá em
uma nova fábrica de telhas, a ser
instalada no Rio de Janeiro ou em
Minhas Gerais. A inauguração
deve ocorrer até o final de 2013.

AMPLIAÇÃO I

R$ 30 mi
é o valor que a Brasilit investirá
na ampliação da capacidade de
sua fábrica em Capivari (SP),
responsável pelo abastecimento
do Sudeste e Mato Grosso.

AMPLIAÇÃO II

R$ 12 mi
é o montante que será destinado
pela empresa à ampliação da
fábrica de fios de polipropileno
que mantém em Jacareí,
no interior de São Paulo.

Roberto Luiz Corrêa Netto,


diretor-geral da Brasilit:
meta de dobrar o
faturamento em um
prazo de cinco anos

no interior de São Paulo será ampliada


Para a companhia, executivo, a unidade de fios de vemos condições de propor esse transição, a empresa retomaria observa, porém, que há dez
PP opera hoje em 80% da sua plano de investimento aos acio- seus patamares de lucrativida- anos esse custo adicional che-
a substituição do capacidade, patamar que ele nistas”, afirma. de. “Hoje temos o mesmo grau gava a 30%. “Nossas margens
amianto envolveu, considera adequado para aten- de rentabilidade que tínhamos foram estranguladas. Tivemos
além do desafio der a Brasilit até a realização da Rentabilidade recuperada na época em que operávamos que fazer uma enorme ginástica
ampliação. O executivo explica que a com amianto”, afirma, mas em termos de reestruturação e
técnico, uma intensa Netto credita que os atuais substituição do amianto en- sem revelar valores. redução de custos internos de
discussão política investimentos que estão sendo volveu dois desafios: um, téc- De acordo com Netto, o custo modo a chegar a uma margem
com os acionistas feitos pela empresa ao sucesso nico, era demonstrar que o fio de fabricação a partir de PP é de lucro próxima da época em
da substituição do amianto por sintético poderia dar origem a mais elevado do que quando o que usávamos amianto”, afir-
fios de PP. “Nós conseguimos produtos de boa performance, amianto é utilizado. Atualmen- ma. “Nós conseguimos fazer
mostrar resultados. Hoje, a Bra- e o outro político. Havia ne- te, a elevação do custo varia en- isso, mas tivemos que reduzir os
silit tem um bom grau de renta- cessidade de mostrar aos acio- tre 8% e 12%, dependendo da custos de produção e custos de
bilidade. Foi graças a isso que ti- nistas que, passada a fase de linha de produtos. O executivo estrutura”, acrescenta. ■ J.P.