Você está na página 1de 12

CENTRO UNIVERSITÁRIO INTERNACIONAL

UNINTER

TARCISNAIRE SILVA DE SOUZA - RU 1801733

ESTÁGIO SUPERVISIONADO: EDUCAÇÃO INFANTIL

BELA VISTA DE MINAS


2020
CENTRO UNIVERSITÁRIO INTERNACIONAL
UNINTER

TARCISNAIRE – RU 1801733

MEMORIAL REFLEXIVO DE ESTÁGIO

Memorial reflexivo de Estágio Supervisionado Educação Infantil:


apresentado ao curso de Licenciatura em Pedagogia do Centro
Universitário UNINTER.

BELA VISTA DE MINAS


2020
SUMÁRIO

1. INTRODUÇÃO........................................................................................................4
2. ATIVIDADES DESENVOLVIDAS DURANTE O PERIODO DE OBSERVAÇÃO
PARTICIPATIVA...........................................................................................................5
3. A REALIZAÇÃO DA DOCÊNCIA: OS DESAFIOS DE APRENDER A SER
PROFESSOR (A)..........................................................................................................8
4. PLANO DE AULA...................................................................................................9
5. CONCLUSÕES: DIFICULDADES E SUPERAÇÕES..........................................10
6. REFERÊNCIAS....................................................................................................11
1. INTRODUÇÃO

Este memorial reflexivo apresenta o processo de realização do estágio


supervisionado educação infantil, realizado na escola CEMEI Pedro Ferreira Nunes,
a escola está localizada na Rua Camilo Azevedo de Barros, no Bairro Serrinha, na
cidade de Bela Vista de Minas, no estado de Minas Gerais.
O estagio foi realizado no período do dia 21 de outubro de 2019 a 08 de
novembro de 2019 no turno matutino sendo observada a turma do primeiro período
de quatro anos. A turma possui 22 alunos, e conta com uma profissional formada em
Pedagogia, a professora Ieda Aparecida Rodrigues.
A escola funciona no período da manhã e tarde, com algumas turmas em
período integral, o que é benéfico para famílias em que os responsáveis possuem
rotinas de trabalho sem flexibilidade de horários para manter essas crianças em
casa. A escola dispõe de uma infraestrutura física bem planejada com amplo
espaço, como por exemplo, instalações de rampas nos lugares dos degraus, portões
e corredores largos para a passagem de cadeirantes, o que é de extrema
importância já que a creche é também inclusiva. Conta com espaço aberto em dois
ambientes, em um foram dispostas mesas para que as crianças possam fazer as
refeições fora da cantina, que é o mais comum de acontecer todos os dias, ainda
conta com um conjunto de espelhos e pias decoradas, instaladas na altura de uma
criança, pensadas exclusivamente para a higienização dos mesmos, dispostas perto
do espaço de refeição para que as crianças possam elas mesmas lavar as mãos e
escovar os dentes. Já o outro ambiente é tem a finalidade de lazer e pratica de
educação física.

4
A sala de aula é espaçosa as cadeiras ficam dispostas em grupos de três,
formando um circulo na sala, nas paredes ficam estampados os trabalhos, no
quadro o calendário, o alfabeto, a chamada, e ao redor da sala as outras atividades.

2. ATIVIDADES DESENVOLVIDAS DURANTE O PERIODO DE


OBSERVAÇÃO PARTICIPATIVA.

O estágio aconteceu das 7h as 11h no período da manhã. A aula se inicia


com todas as turmas no pátio, onde começa uma atividade de cantar músicas, com
passos decorados de coreografia, em seguida é feita a oração do Pai Nosso. Nesse
momento as crianças ficam dispostas em fila. Terminando os alunos se dirigem para
salas.
A professora inicia a aula com o calendário, depois é feita a chamada de
frequência da escola para manter o controle das crianças na aula. As crianças se
mostram familiarizadas com o processo e demonstram conhecer as letras e os
números.

5
O que pude notar já no começo do dia é que os próprios alunos escolhem os
seus lugares na sala, não há lugar pré-definido, sendo assim há mais diversidade de
interações, e todos se relacionam um com o outro, situação que seria limitada com o
lugar definido de cada um. Percebo com isso também, que meninos e meninas se
sentam um ao lado do outro com mais facilidade, pois não há a formação de
grupinhos causada pela limitação de lugares. Cada dia é uma possibilidade de
interação.
Continuando as atividades de rotina da sala de aula da educação infantil, a
professora canta musicas sobre as formas geométricas, sobre as partes do corpo, e
sobre letras e números. A educadora sempre estabelece uma comunicação com os
alunos, gesticulando e mostrando figuras relacionadas ao que é cantado na música.

Depois desse momento de descontração vem o momento de leitura, entre as


atividades proposta para esse momento, temos a “Sacola Viajante” e a “Caixa da
história”, ambas tem o objetivo de proporcionar o contato da criança desde cedo
com o livro/historias, e integrar família e escola no incentivo e gosto pela leitura. Na
atividade da sacola viajante o aluno leva um livro infantil para casa e pede para os
pais lerem a historia. Dentro dessa sacola vai um caderno que é de uso comum para
toda a sala, uma vez que cada dia um aluno é escolhido. Nesse caderno há uma
folha com uma ficha a ser preenchida pelos pais contando a experiência de ler para
o filho, já o aluno tem o dever de ilustrar um momento da historia. Já atividade da
caixa da história é extremamente interessante e lúdica, ela consiste em um aluno

6
levar para casa uma caixa decorada com fantoches temáticos dentro. No dia
seguinte esse aluno senta em uma cadeira, enquanto os demais sentam em roda
aos seus pés. Esse aluno então conta uma história usando os fantoches. É
interessante ver a total concentração dos alunos, todos sem exceção assistem
vidrados o desenrolar da história contada pelo colega.

Ás 9h da início ao recreio as crianças são levadas pela professora e depois


do momento da refeição, e da escovação dos dentes, podem brincar livremente,
pular amarelinha e brincar com peças de montar. Depois desse intervalo é dado
alguma atividade, como bingo em que consiste na capacidade das crianças
identificarem a letra e marcar na cartela, alguma atividade escrita e com figuras para
colorir, e depois é permitido que elas brinquem de massinha. Em determinados dias
da semana a turma é tem permissão de ir a brinquedoteca, ao parquinho, assistir a
um filme e tem aulas de educação física, com brincadeiras como peteca, pular
corda, circuito e batata-quente.
No meu tempo estagiando pude ajudar nas atividades, oferecendo apoio aos
alunos durante a execução, pude auxiliar nos recreios, nos momentos de
brincadeiras, além da oportunidade de ler e encenar na hora da leitura. Participei
ainda observando e mediando entre eles e a atividade proposta.
Por meio da consulta do Projeto Pedagógico da escola identifiquei a
concepção de educação adotada por eles, onde é através da educação que o aluno
constrói a sua cidadania e interage com o meio, com o outro, e, poderá ou não,
transformar a sua vida e sociedade. É o instrumento mediador entre o senso comum

7
e o conhecimento científico, mais atuante também no sentido de despertar a
sensibilidade e a criatividade a fim de construir um ser completo, crítico e pensante,
possibilitando um crescimento individual e coletivo. A educação é o meio que permite
ao homem formar-se e construir-se num ser digno e consciente de suas ações.
Considerando a importância da relação entre teoria estudada na universidade
e a prática em sala de aula, nas etapas de observação e participação, percebi que
algumas atividades desenvolvidas pela professora regente, no período estagiado,
eram lúdicas e estas aumentavam a interação dos alunos.

3. A REALIZAÇÃO DA DOCÊNCIA: OS DESAFIOS DE APRENDER A SER


PROFESSOR (A).

Para dar inicio ao meu planejamento encontrei algumas dificuldades, como a


falta de experiência em elaborar um plano de aula, e a ansiedade por estar à frente
de uma turma, onde teria que me posicionar e construir um vinculo de interação
entre as crianças e o meu conteúdo de forma lúdica e que os mantivessem atentos
ao aprendizado.
Aguiar et al (1997, apud SILVA, 2005, p. 45) acrescenta que

Quando alguém inicia a profissão docente, teme a falta de


adequação dos seus modos de pensar e agir com o dos seus pares,
não sabe a quem pedir ajuda, nem como pautar os seus
procedimentos. É como se, da noite para o dia, deixasse subitamente
de ser estudante e sobre os seus ombros caísse uma
responsabilidade profissional, cada vez mais acrescida, para a qual
percebe não estar preparado.

Para me orientar pedi ajuda a supervisora da escola, que tem uma ampla
formação no âmbito da pedagogia. Tivemos algumas conversas onde expus minhas
ideias e duvidas, e pude contar com sua experiência e opinião. Nesse dia voltei para
casa com o currículo referencia de Minas Gerais, e também tive a oportunidade de
ver o planejamento de aulas da semana da professora regente, para que assim
alinhássemos com o meu planejamento.
Para a elaboração do meu plano de aula me baseei no currículo referencia de Minas
Gerais, e nos saberes que trouxe da minha trajetória universitária sobre a educação
infantil e a importância do brincar.
Elaborei um jogo com musica de natal, e figuras natalinas, pois o conteúdo da

8
semana era o natal, e com o objetivo de associação de letras e imagem. No dia da
apresentação a professora fez a chamada, e o calendário como de rotina, e depois
me deu a deixa para comandar a aula.
Iniciei a aula com uma atividade impressa que tinha como objetivo reconhecer
os símbolos natalinos em uma imagem de natal, a cada símbolo reconhecido,
dizíamos o nome dele e escrevia a primeira letra no quadro ao lado de um desenho
do símbolo, como por exemplo, a árvore de natal começa com a letra A, o sino
começa com a letra S, no final elas podiam colorir a folha. Depois do recreio, quando
as crianças retornaram para sala, montei no chão em posição de círculos todas
essas figuras ampliadas em cartazes grandes, guardei em um saquinho a letra inicial
de cada uma e fiz um jogo. Os alunos ficaram em movimento de roda em torno das
figuras, quando eu parava a música de natal, a criança que parou a minha direita
tinha que pegar uma letra dentro do saquinho, e identificar qual figura tinha aquela
inicial, exemplo letra E, se referia a estrela natalina, a criança tinha o apoio dos
desenhos e suas iniciais no quadro da atividade anterior. Se acertasse, a criança ia
até a respectiva imagem e retirava o cartaz do chão, o jogo se sucedeu até não
restar mais imagens a serem identificadas. A brincadeira é uma atividade
fundamental e necessária para crianças pequenas, brincar é direito da criança, de
suma importância para seu desenvolvimento pessoal; no meu plano de aula dei a
devida atenção a este tipo de atividade, e conduzi a aula de forma lúdica. As
crianças se interessaram e se divertiram no jogo.

4. PLANO DE AULA

IDENTIFICAÇÃO
Estagiário (a): Tarcisnaire Silva de Souza
Escola: CEMEI Pedro Ferreira Nunes
Componente curricular: Estágio supervisionado: Educação infantil
Turma: Pré-escolar, 04 anos.

CONTEÚDO:
Símbolos de natal impressos para colorir
Identificação da inicial dos símbolos de natal

9
Cartazes ampliados dos símbolos

OBJETIVO:
Desenvolver atenção e memória, na associação de imagem e nome, e entre
letras do alfabeto. Desenvolver percepção visual, e coordenação viso-motora no
jogo. E estimular o raciocínio logico através conceitos de formas na identificação
dos símbolos no chão e no quadro.

DESENVOLVIMENTO:
Atividade 01: Identificar os símbolos de natal.
A) Identificar o nome e a letra inicial de cada símbolo.
B) Desenhar a imagem ao lado da letra no quadro.
C) Colorir a atividade impressa.

Atividade 02: Jogo.


A) Montar os cartazes no chão, e as iniciais no saquinho.
B) Colocar a música e as crianças em movimento de roda.
C) Pedir a criança selecionada que identifique a letra sorteada com a figura
pertencente.

5. CONCLUSÕES: DIFICULDADES E SUPERAÇÕES.

Esse estágio foi um importante instrumento para a minha formação.


foram vivenciados experiências que refletem de forma mais clara e
10
palpável a realidade que vivemos na sociedade, comunidade escolar e
sistema de ensino.
Essa vivência contribuiu consideravelmente para minha formação pessoal
e profissional, dando um norte de como desempenhar com qualidade e
responsabilidade esse papel tão importante enquanto pedagogos,
formadores de cidadãos.
Pude entender o quanto é importante à formação continuada dos
educadores, principalmente na educação infantil, pois é através dela que
eles poderão lidar com os imprevistos que aparecerão. Freire afirma:
“ensinar não é transferir conhecimento, mas criar as possibilidades para a
sua produção ou a sua construção” (FREIRE, 2016, p.24). A Educação é
uma atividade essencialmente humana. E o ser humano é um ser em
formação permanente e nesse aspecto Freire nos diz que “[...] formar é
muito mais do que puramente treinar o educando no desempenho de
destrezas.” Além disso, ter consciência que a infância e ludicidade devem
caminhar juntas, contudo, é através dos jogos e brincadeiras que se dá
uma real formação social, psicológica e cultural das crianças. Somente
através dessa consciência, conseguiremos mudar a realidade que ainda
existe em muitas escolas.

6. REFERÊNCIAS

https://drive.google.com/file/d/1ac2_Bg9oDsYet5WhxzMIreNtzy719UMz/
view

https://curriculoreferencia.educacao.mg.gov.br/

https://educacaoinfantil.aix.com.br/projeto-politico-pedagogico-para-educacao-
infantil/#:~:text=Esse%20projeto%20visa%20garantir%20o,e%20amplia
%C3%A7%C3%A3o%20das%20oportunidades%20educacionais.&text=E%20um
%20dos%20instrumentos%20que,tamb%C3%A9m%20conhecido%20pela%20sigla
%20PPP.

11
http://repositorio.unesc.net/bitstream/1/3129/1/Gilliard%20Maciel%20dos
%20Santos.pdf

https://blog.cvdonline.com.br/atividades-praticas/
https://ifrs.edu.br/bento/wp-content/uploads/sites/13/2020/01/Exerc%C3%ADcio-de-
reflex%C3%A3o-sobre-forma%C3%A7%C3%A3o-continuada-Pibid_F%C3%B3rum-
Paulo-Freire.pdf

12

Você também pode gostar