Você está na página 1de 15

ANOTAÇÕES DIREITO TRIBUTÁRIO

18/11/2021
COMPOSIÇÃO DAS NOTAS
P1 -1
P2-3
P3- 4
SEMINÁRIO- 2

DIREITO FINANCEIRO E TRIBUTÁRIO

Papel do Estado : realizar o bem comum, proporcionar a população a maior


quantidade de bens para suprir as suas necessidades básicas desta forma o estado
necessita fortemente de recursos financeiros para que esse bem comum seja
mantido.Para melhor realizar esse fornecimento de serviços, melhor se precisa
financiar essas pessoas.

Atividade Financeira: designação de recursos para realizar o bem comum


Atividades do Estado: poder judiciário, segurança pública
atividades que não precisam ser do Estado: normalmente são concedidas a
empresas e elas pagam para prestar esses serviços, como petróleo, telefonia,
saúde e energia elétrica.

Antigamente: grandes latifundiários prestavam serviços de forma gratuita a


população, ex: família rica era responsável pelo hospital da cidade.
Hoje em dia: foi trocado pelo regime de despesas públicas, que nada mais é que o
pagamento em dinheiro pelos serviços que o governo presta para nós cidadãos
comuns, como saneamento básico, iptu, ipva, faculdades públicas, SUS….. tudo é
financiado pelo imposto que pagamos para o Estado.

DIREITO FINANCEIRO: representa as etapas do papel financeiro do estado.(


entra dinheiro (RECEITA), se planeja o uso ( orçamento), e empenha-se as
despesas ( tchau dindin)

Receita pública: ingresso de dinheiro nos cofres públicos, chegando por


arrecadação do tributo, ou por outras formas.
como ela entra?
receita originária: acontece quando o governo ( estadual, federal, municipal) explora
seu próprio patrimônio, ou seja, algo que já é dele, por exemplo: araraquara tem
mais de 100 imóveis que são da união, esses imóveis,alguns estão alugados(
secretarias/ casas…), outros estão ociosos,( tem-se muito território pois havia uma
estação ferroviária e esses locais foram herdados pela união), O município de
araraquara também é dono de muitos imóveis, o município não compra imovel ele
pode desapropriar, ou quando alguém falece e não tem herdeiros( herança vacante
é jacente).Outro exemplo seria pagar pedágio, pedágio que vai pra matão [bueno] (
no caso de rodovias estatais, não concessionadas)
receita derivada: pode ser derivada de contrato( celebra contrato com empresas
privadas, exemplos são as concessionárias) ou soberania ( o poder que o estado
possui de impor a nós o pagamento de um tributo, como o iptu e ipva, por exemplo)
Outras receitas: doações( biblioteca da Saffioti), empréstimos( ações do bndes, fies,
minha casa minha vida), concursos de prognósticos (vestibulares, loterias,
megasena)

depois disso temos o planejamento que é feito pelo orçamento público, peça
importante do governo não só para contabilidade, mas também para uma
instrumentação de políticas econômicas e sociais( daqui se prevê qual o caráter do
partido eleito)
orçamento plurianual: 4 anos, dois cada governo
diretrizes orçamentária: é feita a longo prazo normalmente são leis de mais de 10
anos
orçamento anual: feito anualmente

após temos as despesas públicas que é a saída do dindin, ou seja variação negativa
despesas correntes: produz variação negativa e é uma despesa cotidiana , custeio(
bens não duráveis)
despesas de capital: transforma dinheiro em bens duráveis

características:
tributário é um sub ramo do direito financeiro

FONTES DO DIREITO TRIBUTÁRIO ( 25/11/2021)


sentido figurado: de onde nasce o direito tributário
leis que originaram o arcabouço jurídico partindo de um direito natural para
documentos que nasceram do direito foral, do direito de costumes e das cartas de
forais, até se atualizar e dar espaço a constituições.
materiais: são as matérias que compõem o direito tributário, e elas são, por
exemplo: temáticas, são os direitos fundamentais, como direito à saúde, direito a
saneamento, direito à educação...
forma: como abordar as temáticas, como garantir esses direitos
diretas: geram regras jurídicas
indiretas: incapazes de gerar regra jurídica sozinhas

DIREITO TRIBUTÁRIO
São normas que trazem a origem e estrutura do direito tributário.
fontes materiais: são aquelas fontes que tratam especificamente da matéria, então
cada tributo tem a sua legislação, cada imposto tem a sua legislação, elas são
chamadas de hipóteses de incidência hipóteses de incidência tributárias. IOF:
imposto de operações financeiras, ITCMD: imposto de transação causa mortis e
doação ,II: imposto de importação. IE: imposto de exportação, IPTU... permitem a
incidência da lei sobre os contribuintes.

fontes formais: outras leis que regulamentam o direito tributário, que trazem
princípios, competências e diretrizes, até chegar nas resoluções menores como
portarias e andamentos específicos, como o tributo é reconhecido e abordado pela
legislação.

Espécies legislativas no aspecto do direito tributário:


Constituição federal: não cria tributo, mas tem todos os princípios de elaboração
tributária, presente no art. 145, 150….. Aqui não se tem tributo, apenas quem deve
fazer, como fazê-lo e o que deve conter, agora os detalhes estão presentes na fonte
matéria. só pode ser alterado por meio de emenda( alterar, nunca reduzir, cláusula
pétrea)
para o tributo( art 145 traz as regras diretrizes e limites do direito tributário) o tributo
é sempre criado por lei ordinária ou complementar.
ART 60: cláusulas pétreas

Tratados e convenções internacionais: Art 98, regulamentam assuntos nacionais e


internacionais, os tratados só valem nas regras que o Brasil é signatário e permite
que as regras sejam parte do país, as normas internas às vezes são muito mais
fortes que os tratados e convenções internacionais.

Lei complementar: art 146 e 146-A, lei que trata assuntos pontuais, além de possuir
quórum específico maioria absoluta. No âmbito tributário: a regra é que a lei
ordinária crie tributo, mas acontece que alguns tributos só podem ser
instituídos/criados, majorados/ aumentados, ou extintos, por lei complementar. São
os chamados empréstimos compulsórios, imposto sobre grandes fortunas e imposto
residual da união, todos os outros seguem a regra da lei ordinária, exceto os de
atividade atípica do presidente da república.( resumidamente essa é a única lei
capaz de instituir, majorar e extinguir os EC, IGF e IRU, restante é modificado por
LC EXCEPCIONALMENTE)

Lei ordinária: lei mais fácil de ser criada, pois é a exceção, maioria simples, e trata
de todos os assuntos que não são matéria específica; Âmbito tributário: é o
instrumento/ veículo que em regra é capaz de instituir,majorar e extinguir tributos.
REGRA

FUNÇÕES ATÍPICAS DO EXECUTIVO


Lei Delegada: ainda prevista na CF, embora não seja usual.
Medidas provisórias: assumiu o papel e a força das LD, em casos de urgência e
relevância, sendo submetida ao congresso, e possuindo prazo máximo de 120 dias(
exceto recesso e férias). quando o congresso chancela a MP ela ganha força de LO.
Âmbito tributário: por exemplo no governo Lula e Dilma quando havia taxas grandes
de desemprego eles elaboraram uma MP com a finalidade de zerar o IPI dos
veículos, deste modo há um aquecimento da economia, pois as empresas
montadoras recebem mais demanda de produção e em troca acabam aumentando
seus números de funcionários reduzindo desta forma a taxa de desemprego. Isso
ocorreu também com os Produtos da linha branca, produtos da construção civil…

Decreto legislativo: disciplina matérias privativas do CN


Resoluções do SF: estabelecem alíquotas máximas e mínimas sobre ICMS, ITCMD,
IPVA, previstas no art. 155.

Fontes secundárias: não ajudam a modificar o ordenamento jurídico, mas podem


modificar futuramente ( muito difícil, mas acontece).( decretos e normas )

Lei de responsabilidade fiscal N°101 de 04/04/2000 dispõe sobre: orçamento


público, receita pública, despesa pública, endividamento, gestão patrimonial,
transparência na gestão fiscal. em 19/10/2000 foi criado a penalidade para quem
não cumprisse a LRF, gerando a Lei de crime de responsabilidade fiscal.

LEI 4320/64
art 163 lei complementar que trata as finanças públicas

Legislação Tributária: art. 93 CTN, vigência


dimensão territorial:
dimensão espacial: são as linhas do território nacional, estadual e municipal
Guerra tributária: é quando algum tributo é mais em conta em outro Estado e isso
pode gerar uma queda de arrecadação em um ponto e um excesso em outro (
vigora dentro do limite territorial de acordo com sua natureza espacial)

Âmbito temporal: art. 104, se for atípica ela tem um tempo mais curto de tramitação
e de vigência.

LIMITAÇÕES AO PODER DE TRIBUTAR(02/12/21)

Esse poder advém do governo( legislativo propõe, executivo promulga) é ele que
impõe essa obrigação de pagar impostos.
Acontece que esse poder exercido sobre o cidadão, que acarreta a obrigação de
pagar tributos, não é um poder absoluto, ou seja, não é imposto de forma autoritária,
ou seja à limitações.
Isto é há a obrigação, mas há limites como os princípios e imunidades.

É na CF que este princípio da obrigatoriedade enfrenta limites.


PRINCÍPIOS DA LEGALIDADE( sinônimos: reserva legal, estrita legalidade,
tipicidade fechada/cerrada). art 150 e art 97 da CTN. cominação
Toda criação,extinção, aumento ou diminuição de alíquota, é necessário a existência
de uma lei, qual lei?
O 150 I trata de lei ordinária, mas existem alguns tributos que por conta da sua
importância necessitam de mais que uma lei ordinária, um quorum, mais qualificado
para ser aprovado, por meio de lei complementar.

disciplinar é diferente, pois não há criação há apenas uma disciplina da lei.


quais contemplam a lei complementar?
EC empréstimo compulsório (art. 148), IGF imposto sobre grandes fortunas(art.
153), IRU imposto residual da união(art.154), novas fontes de custeio da seguridade
(art.195).
Não há pagamento de tributo sem uma lei anterior que o defina.

a lei deve sempre trazer( elementos caracterizadores do tributo):


qual a alíquota desse tributo;
qual a base de cálculo desse tributo;
quem é o órgão competente;
quem é o contribuinte;
quem é o sujeito ativo( paga tributo);
qual o fato gerador;
qual a multa pela inadimplência desse tributo.

só pode ser mudada a lei se uma nova lei foi criada para substituir o aspecto de
irregularidade legislativa que precisa ser corrigido.

fiscalidade: O poder de obrigar qualquer contribuinte( fisica ou juridica) a tirar o


dinheiro do seu bolso ( função arrecadatória) ação inibidora

extrafiscalidade: não há uma obrigatoriedade, mas o emprego de instrumentos


tributários para que o estado atinja sua finalidade, quais são? Importação,
exportação , ipi, e iof( reguladores de mercado, colocam também uma mudança de
comportamento no consumidor), ICMS e CIDE combustíveis(art 153§1º)( função
reguladora e arrecadatória ) ação incentivadora
o governo não só arrecada, mas causa mudança no contribuinte para regular
o mercado interno
Exemplo:indústria automobilística IPI( exemplo de redução da taxa para baratear a
compra de automóveis), governo Lula fez isso; Zerar a alíquota dos materiais da
construção civil ( governo dilma) Causa impacto econômico, mas o comportamento
que se alcança com essa medida é muito maior do que esse setor poderia arrecadar
PRINCÍPIO DA ANTERIORIDADE +: eu não posso cobrar um tributo ou um novo
tributo no mesmo exercício financeiro, isto é, no mesmo ano, evitar a chamada
tributação inopinada, ou seja surpresa, o contribuinte precisa se preparar
financeiramente para
eficácia diferida
princípio da anualidade: falava que só a partir do ano que vem a nova alíquota
entraria em vigor, mas isso gerava uma descompensação de planejamento,desta
forma o princípio da anterioridade chega para tomar o lugar da anualidade.

PRINCÍPIO DA NOVENTENA
anda de mãos dados com o princípio da anterioridade, ou seja no próximo exercício
financeiro e após noventa dias de sua publicação.
sempre no caso de majorar ou criar uma nova alíquota.
dies a quo: dia seguinte da publicação
deu 90 dias o dia seguinte começa a vigorar a lei
independente de quem vem primeiro, os dois princípios precisam ser seguidos
juntos.
dies ad quem: dia seguinte ao 90 dias.

PRINCÍPIO DA IRRETROATIVIDADE TRIBUTÁRIA


é conhecido como princípio da eficácia deferida
É proibido utilizar de uma lei tributária para sua retroatividade.
exemplo da bicicleta ( ser proprietário é o fato gerador)
lei-> fato gerador-> contribuinte
exceção:
lei interpretativa: a lei que pode não ter tido todas as informações necessárias para
o contribuinte, dai surge a lei interpretativa que tem como finalidade esclarecer
alguma lei do passado, a partir daí os contribuintes podem pagar o valor referente a
lei do passado.
multa(pena): quando há uma diminuição de determinada pena com a elaboração de
uma nova legislação, esse benefício cai sobre todos os individuos que já estavam
comprindo determinada sem ter seu julgamento concluído, para o direito tributário
isso ocorre quando o contribuinte deixa de pagar seus impostos, neste caso o
cidadão recebe a multa de acordo com o valor mais benéfico.
IR: tributo calculado durante o ano todo, desta forma só muda com a pena mais
benéfica quando se muda o ano.

PRINCÍPIO DA ISONOMIA TRIBUTÁRIA


ou igualdade tributária, ou ainda proibição de privilégios odiosos( usado no passado
porque algumas categorias profissionais no passado tinham alguns benefícios,
militares, políticos…)
possui como finalidade evitar as desigualdades tributárias, ou ainda evitar privilégios
odiosos pela sociedade .
o valor do imposto sobre determinado produto é igual independentemente de quem
será o consumidor

PRINCÍPIO DA INTERPRETAÇÃO OBJETIVA DO FG ou P.


Da cláusula non OLET ART150, II,CF
o imperador romano chamado vespasiano decidiu tributar os banheiros públicos que
haviam em roma, além do dinheiro do banheiro os romanos deveriam pagar o
imposto pro governo, mas TIto perguntou porque ele fazia isso e ele deu uma
moeda pro seu filho e pediu para ele cheirar, como não tinha cheiro nasceu ali o
princípio da cláusula non olet, ou seja daquilo que não tem cheiro.
O significado desse princípio significa que toda renda venha ela de onde ela vier é
tributável, atos ilícitos não são tributáveis, mas pessoas que trabalham com atos
ilícitos são obrigadas a pagar tributos igualmente ao cidadão comum, desta forma
visa desestimular o trabalho ilícito.
Não importa quem é a pessoa, não importa de onde veio o dinheiro, o que importa é
que vai ser tributada independente de onde advém seus recursos.

PRINCÍPIO DA CAPACIDADE CONTRIBUTIVA


ART 145
Quanto mais se ganha mais se paga, ou seja se tributa os contribuintes na mesma
proporção que suas riquezas.
impostos sobre patrimônio ou renda ( iptu, ipva, ipr)

Progressividade X proporcionalidade
imposto de renda : vale a lei da progressividade, quanto mais se ganha mais se
paga
ITR imposto territorial rural
IPTU imposto territorial urbano

PRINCÍPIO DA SELETIVIDADE
art 153 §3º, I E III CF
imposto para produtos industrializados (IPI),imposto sobre serviço (ISS) e ICMS
determina quanto mais essencial for a coisa, menos tributada ela é , quanto mais
nociva for a coisa mais tributada ela é.
produtos alimentares são considerados produtos essenciais
bebida alcoólica, cigarro, caviar, champagne são mais tributados
a ideia é alcançar ainda mais uma justiça social tributária.

PRINCÍPIO DA VEDAÇÃO DO CONFISCO


art.150,IV CF
A situação do confisco não é algo recente, e foi uma prática muito comum em
diversas civilizações. Exemplo disso é a perda de territórios para perdedores de
terras. Na França era tão comum que foi o estopim da revolução francesa.
Crime da lesa majestade: qualquer crítica ao soberano era tida como crime e a
punição era dada por meio do confisco de bens.
Em 1934 foi colocada em lei a vedação do confisco no âmbito tributário, mas no
art.5 ainda existe.
Esse princípio no âmbito do direito tributário visa proibir que a tributação seja
exorbitante ao ponto de inviabilizar a atividade econômica, deste modo ocorre a
neutralização do abuso de poder. Ou seja, uma alíquota não pode ser tão alta,ou
uma pena de multa tão alta que acabe inviabilizando o cidadão a fazer uso de seu
patrimônio.
Tem ligação direta com o princípio da razoabilidade e com a proporcionalidade, e é
por isso que deve ser pensado junto ao princípio da capacidade contributiva, isto é ,
quando a pessoa perde a capacidade de contribuir, o tributo está passando para
natureza do confisco que se apresenta inconstitucional dentro do âmbito tributário.

PRINCÍPIO DA UNIFORMIDADE GEOGRÁFICA


art 151, I da cf
É um princípio vedado apenas à união, ou seja nos tributos federais, com exceção
da Zona Franca de Manaus.( IPI REDUZIDO PARA INCENTIVAR O
DESENVOLVIMENTO DAQUELA REGIÃO)
sendo esses tributos: II, IE, IPI, IR, IOF, ITR
Deste modo este princípio visa trazer a mesma alíquota dos tributos da união para
todo território nacional, isto é quem importa um produto estrageiro, estando em SP
ou na BA , pagará a mesma alíquota para fortalecer o pacto federativo e a isonomia
entre os entes políticos.
VALE SÓ PARA OS TRIBUTOS FEDERAIS.

PRINCÍPIO DA NÃO DISCRIMINAÇÃO QUANTO À PROCEDÊNCIA


tributos de competência estadual:ICMS, ITCMD,IPVA
tributos de competência municipal:IPTU, ISS, ITBI
PROÍBE TRATAMENTO DIFERENCIADO EM RAZÃO DA PROCEDÊNCIA OU
DESTINO DO BEM OU SERVIÇO.
Existe para evitar polos de determinado produto: EXEMPLO LEITE EM MINAS
GERAIS.

PRINCÍPIO DA NÃO LIMITAÇÃO


art. 150, V, CF
Vedado à União, Estado, DF e ao município, para limitar o tráfego de pessoas ou
bens. Deste modo é um dispositivo de reforço à liberdade de locomoção.
Exceções: Pedágios, ICMS( guerra fiscal);
TPA- NATUREZA:poder de polícia( taxa para preservação ambiental, ou ainda para
proteção do patrimônio histórico como no Ibirapuera e em Bombinhas.

PRINCÍPIO DA NÃO CUMULATIVIDADE


Art.153§3º, II E 155, §2º,I , cf
É apenas referente ao ipi e icms, ou seja tem-se uma relação de crédito e débito
onde o contribuinte paga apenas a diferença, ou recebe essa diferença.

SISTEMA TRIBUTÁRIO NACIONAL


Conceito: - “tributo é toda prestação pecuniária compulsória, em moeda ou cujo
valor nela se possa exprimir, que não constitua sanção de ato ilícito, instituída em lei
e cobrada mediante atividade administrativa plenamente vinculada.”
prestação pecuniária: tudo aquilo que a gente tem que pegar em dinheiro.
exceção : dação em pagamento, ou seja, entrega de um bem imóvel
compulsório:obrigatório, coercitivo.
vinculado: existe no sentido de cobrar de todos de maneira igualitária

Competência Tributária: a cf quando consagrou o princípio do federalismo ( art 60,


§4º,I cf) delimitou, entre as pessoas políticas ( união , Estado, DF, e municípios) o
poder de tributar.Com petencia que cada ente federado possui para legislar sobre.
A constituição não cria tributos, a constituição define competência.
Essa competência é Indelegável, intransferível e irrenunciável, desta forma
podemos concluir que ela é plena e engloba LEGISLAR, ARRECADAR E
FISCALIZAR.
CAPACIDADE TRIBUTÁRIA ATIVA: engloba apenas em fiscalização e arrecadação,
ou seja para entes parafiscais., essa é transferível ocorre a parafiscalidade.

PARAFISCALIDADE: denomina-se parafiscalidade a delegação legal da capacidade


administrativa para cobrar e fiscalizar tributos.

Classificação da competência
Privativa: é o poder legiferante dos entes tributários , apenas aqueles entes
indicados pela constituição podem criar lei sobre aqueles impostos, privativa é
quando engloba apenas um ente , seja ele municipal, estadual ou federal( criação
de impostos como regra.
Especial: aquela atribuída à união( empréstimos, compulsórios, contribuições
especiais Art 148 e 149)
Extraordinária: imposto extraordinário de guerra, na sua situação de guerra ou sua
iminência, por lei complementar ( art 154, II CF e art 76 CTN
Residual : Impostos diferentes, isto é inéditos, mediante a complementar, aqueles
que não possuem base de cálculo e alíquota já existente , só compete a união( art
154, I e art 195 §4º CF)
Cumulativa: enquanto não houver a estruturação política de determinado território,
outro ente estatal administra cumulativamente ( art 147 CF)
Comum:pode ser criada por qualquer ente, seja ele estado, município ou federação
taxa e contribuições de melhoria ( Art 145, II e III CF).

ESPÉCIES TRIBUTÁRIAS
IMPOSTOS ( 17/12)
sempre falar “tributo imposto, para não tratar tudo como imposto, o genero é tributo
e a espécie é o imposto, taxa…..”
é a que mais arrecada e a que mais sofre com a Reforma tributária
o conceito está no art.16 no CTN
“é um tributo de caráter genérico que independe de qualquer atividade ou serviço do
poder público em relação “
ser genérico diz que o valor arrecadado é usado de forma genérica, para todos os
cidadãos, é também desvinculado, isso significa que eu não vou saber para onde
meu dinheiro vai pois pode ir pra saúde, educação…
Características: não afetação( o dinheiro chega nos impostos e não sabemos onde
ele vai ser utilizado) e não vinculativo/ contributivo.

Todo imposto são numerus clausus, isto é são previsto nos artigos 153,154,155, e
156 da cf 88.
IMPOSTOS DA UNIÃO
ARTIGOS IMPOSTO

Art. 153, I, CF Imposto sobre Importação

Art. 153, II, CF Imposto sobre Exportação

Art. 153, III, CF Imposto de Renda

Art. 153, IV, CF Imposto sobre Produto Industrializado(


TABELA TIPI)

Art. 153, V, CF Imposto sobre Operações Financeiras

Art. 153, VI, CF Imposto Territorial Rural

Art. 153, VII, CF Imposto sobre Grandes Fortunas

Art. 154, I, CF Imposto Residual

Art. 154, II, CF Imposto Extraordinário de Guerra


IMPOSTOS DOS ESTADOS E DO DF
ARTIGOS IMPOSTO

Art. 155, I, CF Imposto sobre transmissão “causa


mortis” e doação

Art. 155, II, CF Imposto sobre operações Circulação de


Mercadorias e
prestação de serviços de transporte
interestadual e
intermunicipal e de comunicação
Art. 155, III, CF Imposto sobre propriedade de veículos
automotores
IMPOSTO DOS MUNICÍPIOS
ARTIGOS IMPOSTO

Art. 156, I, CF Imposto sobre propriedade territorial


urbana

Art. 156, II, CF Imposto sobre transmissão de bens


imóveis , por ato
“inter vivos”

Art. 156, III, CF Imposto sobre serviços de qualquer


natureza

CLASSIFICAÇÃO DOS IMPOSTOS


Direto vs. indireto
direto: quando ele recai diretamente sobre a pessoa que vai pagar o tributo, ou seja
se eu tenho um patrimônio, eu pago por ele( IR, IPTU, IPVA, ITBI, ITCMD, ETC)
indireto: aquele que o tributo recai em terceiros, ou seja não assumido pelo
realizador do fato gerador, isto é eu não produzo leite, mas pago o imposto dele, isto
é o ônus tributário recai sobre toda a cadeia tributária( ICMS e IPI)

Pessoais vs. reais


pessoais: calculado de acordo com a capacidade contributiva, isto é enquanto mais
eu tenho, mais eu pago ( IR)
reais: calculam a característica do bem, não da pessoa, exemplo da calça jeans (
IPI, ICMS, IPTU, IPVA, ITR, IOF, etc)

Progressivos podendo ser fiscal ou extrafiscal


fiscal: quanto mais se ganha. mais se paga( IR)
extrafiscal: modulação das condutas em razão da finalidade regulatória ( ITR e
IPTU)
alíquota pode aumentar no caso de aumento de renda

Proporcionais
Não altera a alíquota independente do valor do bem

Seletivo
quanto mais essencial, menor a alíquota do imposto.
RESUMINDO:
“EU AJO, EU PAGO”
TAXAS(13/01/2022)
São tributos com incidência vinculada a uma atividade da administração pública,
que se refere, direta ou indiretamente, ao contribuinte, destinatário da ação do
Estado.
A taxa é portanto um tributo contraprestacional, sinalagmático, bilateral, vinculado.
O ESTADO AGE,EU AJO
atividade estatal: para que seja paga a taxa o Estado precisa agir em algum âmbito,
ou seja são imponíveis em razão da ação da atividade pública.
- possui competência comum quem age, cobra ( ou seja estado, município ou
união
são os fatos geradores/ espécies de taxa:
- taxas pelo exercício regular do poder de polícia: art 78. pode ser cobrada
pelo trinômio “cobrar, tributar ou sancionar”, sendo o poder de polícia
traduzido em limitar, fiscalizar e sancionar ( pode ser por meio da vigilância
sanitária por exemplo)

- utilização, efetiva ou potencial, de serviço público específico e divisível ,


prestado ao contribuinte ou posto à sua disposição

a taxa não pode ter base de cálculo e fato gerador iguais aos impostos.
Enquanto imposto é calculado no valor do bem, as taxas são baseadas no valor da
prestação de serviço.

serviços gerais não são cobrados taxas, pois não podemos dividir entre os
contribuintes.

taxa ou tarifa?
taxa: nasce por meio de uma lei
tarifa ou preço público: não é tributo e nasce por meio de contrato.

exemplos de taxas: contas de energia elétrica, água, esgoto, vigilância sanitária,


juizado de menores, taxa de licença ambiental, taxa de instalação

CONTRIBUIÇÃO DE MELHORIA (20/01/2022)


ART. 81 do CTN
A contribuição de melhoria é um tributo comum, que pode ser de competência de
todos os entes federados, ocorre através da realização de uma obra pública, como
por exemplo o asfaltamento de uma rua até então sem asfalto, dito isso
aumentasse o valor venal das casas dessa Rua. “ …é
um tributo sobre a
valorização de um imóvel particular, em decorrência da obra
pública …” ( CF art 145, III e CTN art 81)
exemplos: IFSP, Bom prato, asfaltamento, escola estadual….
Fato gerador: valorização imobiliária decorrente de uma obra
pública.
- Pagamento ocorre só após o término da obra
- critério valorização =/ critério do benéfico
exemplos: asfaltamento ( valoriza) VS. Recapeamento Asfáltico ( benefício)
No primeiro caso temos o melhoramento de um bairro sem asfalto, no primeiro
temos a manutenção desse asfalto que é obrigação da prefeitura.
Base de cálculo: o quantum da valorização experimentado pelo imóvel.
caso seja feito um valor muito caro, você pode falar suas formas de pagamento
possíveis apenas entrando em contato com a prefeitura e dando uma
contraproposta.
Para ser cobrado a taxa de contribuição de melhoria é feito um estudo sobre a
valorização de cada casa daquele local que foi melhorado, e dentro deste estudo a
prefeitura pega o valor total da obra e divide pelo número de casas de determinada
rua que foi valorizada, dito isso se divide igualmente o valor e cria-se uma cota do
limite individual e uma da obra, a cota da obra é o valor divide integralmente, a cota
limite seria o valor mais baixo que alguém poderia pagar se a valorização foi menor
que a dos demais vizinhos, no caso oposto , quando alguém possui mais
valorização que a média paga-se a cota da obra que é o maior valor da contribuição
possível, portanto o valor não é igual a todos os moradores, mais justo a todas as
condições de valorização observadas pelos responsáveis da pesquisa de
valorização!
para ocorrer tem um estudo prévio e é feito uma lei para que essa obra seja
realizada, logo só pode ser cobrada se houver lei e estudo prévio
precisa conter ( art 82):memorial descritivo do projeto ( contém quanto cada casa vai
valorizar através daquela melhoria), orçamento do custo da obra, determinação da
parcela do custo da obra a ser financiada pelo contribuição, delimitação da zona
beneficiada, determinação do fator de absorção do benefício da valorização para
toda a zona ou para cada uma das áreas diferenciadas, nela contidas, determinação
do fator de absorção do benefício da valorização para toda a zona ou para cada
uma das áreas diferenciadas( pelo menos 30 dias para o contribuinte entrar com a
impugnação junto a um advogado)

É IMPORTANTE O ORÇAMENTO PARTICIPATIVO PARA QUE O CONTRIBUINTE


TENHA A OPORTUNIDADE DE OPINAR SOBRE A OBRA, SE O CONTRIBUINTE
NÃO QUISER A OBRA E NÃO ENTRAR COM RECURSO É OBRIGADO A PAGAR
DA MESMA FORMA.
É possível também que ocorra a desvalorização dos imóveis, para que isso seja
possível os proprietários do imovel precisam fazer avaliações e apresentar as
pesquisas feita por imobiliárias renomadas da cidade, normalmente se paga por
este serviço e precisa ser feito antes de iniciar a obra.

EMPRÉSTIMO COMPULSÓRIO ( 21/01/2022)


- é um tributo qualificado pela promessa de restituição (ART ,148)
Tudo aquilo que a gente empresta de alguém a gente tem que devolver,
portanto é o único tributo que tem como características restituir o contribuinte,
isto porque o governo pega o dinheiro compulsoriamente é importante
entender que esse tributo só pode ser realizado pela UNIÃO, mediante a lei
complementar, apenas!!
- hipóteses autorizativas: ocorrem em casos de despesas extraordinárias
decorrentes de calamidade pública, guerra externa ou sua iminência.
- fato gerador: será de um tributo já existente, ou seja o tributo é acoplado a
um tributo já existente , por exemplo no CID combustível ( qualquer tributo
pode ser acoplado a o empréstimo compulsório)pode ser iptu e tudo mais.
- É um tributo bastante subjetivo, ou seja, é difícil a implementação por
necessitar de maioria absoluta das duas casas.
- o empréstimo compulsório não existe como tributo.
- pode ser de um tributo municipal, estadual ou da própria união ,sendo
descrito por meio de porcentagem( exemplo 5% do valor do imóvel) ou valor
específico mesmo ( ou 1 real por livro de combustível)
- o EC não tem nada a ver com a inflação, o EC é tributo e a inflação é um
indicador econômico.
- pode ocorrer também em decorrência de um investimento público de caráter
nacional( ex: Construção de estádio para a COPA DO MUNDO)( muito difícil
de acontecer, mas é possível!)( art 150, III B)
- PLANO COLLOR FOI UM SUPOSTO EMPRÉSTIMO COMPULSÓRIO,
PORQUE SE BASEOU NO CTN, MAS FOI CONSIDERADO
INCONSTITUCIONAL POIS NÃO FOI ABSORVIDO PELA CF QUE ERA
MAIS MODERNA, POIS CTN É DE 66 E A CF DE 88.
QUADRO DAS EXCEÇÕES – LISTA DO PAGA JÁ
___
Exceções à Legalidade II IE IPI ___ IOF ___ CIDE ICMS ___ ___
Combu Com
stível bustí
vel

Exceções à Anterioridade II IE IPI ___ IOF IEG Emprésti ICMS ___ ___
mo CIDE Com
Compuls Combu bustí
ório stível vel
calamida
de e
guerra
Fixação Fixação da
Exceções à Noventena II IE ___ IR IOF IEG Emprésti ___ ___ da base base de
mo de cálculo IPVA
Compuls cálculo
ório IPTU
calamida
de e
guerra

Você também pode gostar