Você está na página 1de 121

Áudios originais:

https://lestransformations.wordpress.com/category/christ/

https://apotheose.live/

SHANTINILAYA
https://www.facebook.com/paginashantinilaya
https://www.facebook.com/groups/293893747352484
Sumário

E eis que Eu venho...

Eu venho restabelecer o Reino da Luz

Eu venho anunciar o Reinado do Amor

Eu vim trazer a Palavra de Verdade

A Luz estabeleceu de novo seu Reino Eterno

É tempo de se descobrirem livres

Nada pode reter a Revelação Final


Não coloquem nenhuma distância entre vocês e eu, e
nisso, é preciso não mais aderir a qualquer noção
histórica ou religiosa. O que evoco hoje, não tem nada a
ver com a religião mas tem a ver com a Consciência
Eterna, e assim, com nada do que é conhecido ou
perceptível nesse mundo. Aí está o Mistério, e que não
se trata de um mistério, à medida que os dias forem
passando. Qualquer que seja o vosso estado inicial à
partida, o mesmo dom está acessível a cada um, mas de
nenhuma maneira está no passado ou num salvador que
irá chegar, mas apenas no instante presente.

Cristo
E eis que Eu venho...

E eis que eu venho, amados do Um e filhos do Amor.


Eu virei como um ladrão da noite, em seu Templo.
O anúncio de minha vinda em seu Templo e minha
instalação para sua Eternidade, no que vocês são, foi
preparado por múltiplos elementos, por múltiplas
coisas.

Amem-se como eu os tenho amado e como eu os amo,


amar sem desvio. Sem limite, sem razão é a mais bela
das luzes possíveis nesse mundo que não é seu mundo
e, no entanto, que vocês pisam com seus passos. E eu
venho, para cada um de vocês, pedir sua amizade e
nosso Amor.

Tudo está pronto, tudo está concluído e, enfim, tudo


começa. Eu virei no momento oportuno, não,
unicamente, em vocês, meus amigos, mas, também,
diante de cada irmão e cada irmã, quaisquer que sejam
suas andanças, qualquer que seja sua recusa, propor a
mesma amizade, aquela da Verdade, aquela da
abundância, aquela da Transparência. Eu nada peço a
vocês, eu venho, simplesmente, esperar, como vocês
mesmos têm esperado nesse dia.
O tempo da espera não é um tempo vão, é o tempo que
lhes foi outorgado para levar a efeito nossa amizade e
nosso Amor. Além disso, pela Graça dos Arcanjos, pela
Graça dos Anciões, pela Graça das Estrelas e de minha
Mãe, pela Graça do conjunto da Confederação
Intergaláctica dos Mundos Livres, o caminho está
aberto. Os véus estão dissolvidos, o que põe a nu a
Essência do Amor que são.

Então sim, eu virei, em cada um, apresentar-me,


nomear-me e, se vocês aceitam, nada mais manter-se-á
diante de nossa Presença unida, na verdade do Amor
Um. Nenhuma falha nem qualquer sombra podem, se
vocês o desejam, resistir à nossa amizade. Nada mais há
a preparar, doravante, que não a minha vinda; nada
mais há a esperar, uma vez que tudo já está aí, nesses
tempos nos quais tudo se revela, como eu havia
revelado, por minha vez, ao bem amado João, aquele
que primeiro pôde perceber a totalidade de meu
retorno, a totalidade da Verdade e a ação da Inteligência
da Luz nesse mundo, que lhes devolve o fio condutor de
sua Eternidade.

E eis que eu venho, com a espada afiada, para restituí-


los ao que vocês desejam, para restituí-los ao que vocês
vibram, em acordo com o Espírito ou em acordo com a
alma, conforme a intensidade de nossa amizade e de
nosso Amor. Eu venho selar e desatar, ao mesmo tempo,
a Promessa e o Juramento e, também, liberar a carne,
sua carne, para que a Ação de Graça seja seu quotidiano
na Eternidade, na qual nenhuma noite pode colocar-se,
na qual nenhum obstáculo pode levantar-se.

Você, quem quer que você seja, o que quer que você
manifeste, o que quer que espere ou tema, a minha
amizade e o meu Amor são os mesmos. Uma Mãe ama
cada um dos filhos, e seu Filho ama todos os seus
irmãos e irmãs do mesmo modo, com a mesma
intensidade, sem noção de retribuição, sem noção de
recompensa e, ainda menos, de punição, porque são
vocês mesmos que julgam, à luz de nossa amizade, ao
peso de sua densidade da Eternidade, no momento em
que eu me instalar. Em você, em cada um de vocês
jogar-se-á nosso Reencontro, o que faz de vocês os
Filhos Ardentes do Sol, os Filhos da Luz, estandartes da
Luz, que se banham e irradiam da Vida Una, do Amor
Um. Nós dançaremos, juntos, a Dança da Eternidade.

E eis que eu venho, já, em cada um de vocês,


pessoalmente, antes de vir para o conjunto de vocês, em
sua totalidade, em sua humanidade Una, em sua
humanidade que já escolheu outros caminhos que não a
minha amizade e para a qual a mesma Graça será
atribuída. Cada um escolherá, eu diria, em sua
consciência ou em sua alma e consciência, ou, mesmo,
em sua recusa, cada um experimentará a ressonância do
Amor que ele deu, do Amor que ele se deu e do Amor
que ele recebeu, que testemunha, assim, por si mesmo e
por mim, em nossa Eternidade Una.

Filhos Ardentes do Sol, queima em vocês a Eternidade.


Eu venho amplificar o Coração Ascensional e iniciar sua
Ressurreição com vocês, na oração e na Graça. Minha
Mãe vem dizê-lo a vocês, enunciá-lo, claramente,
sussurrar-lhes em sua alma ou em sua consciência,
imprimindo, nessa carne, o Fogo do Amor, o Fogo do
Espírito e o Fogo da Verdade. Pensem em mim como eu
penso em vocês, bem longe do âmbito histórico, ainda
mais longe de qualquer âmbito religioso. Eu venho
cantar, em vocês, o Canto da Liberdade, o Canto dos
ateliês da Criação, eu venho assistir à sua Ressurreição,
na Alegria perpétua.

Eu nada mais lhe peço do que estar presente, do que


enfrentar e deixar-me, enfim, o lugar que é aquele de
sua Eternidade, que é aquele de nosso Amor. Eu venho
apenas pedir-lhe para responder ao que É, ou ao que
não é, ainda. Eu venho dizer-lhe, hoje: não tenha medo,
ponha o Amor ao centro, ponha o Amor à frente, ponha
o Amor atrás, ponha o Amor à esquerda, o Amor à
direita, porque é o que você É. Só os véus ocultaram de
você essa verdade essencial, sem a qual, mesmo você
não poderia colocar seus pés nesse mundo. Apesar das
ilusões, apesar das mentiras, você está aí, na vida e na
Verdade.
Eu venho mostrar-lhe seu Caminho, sua Verdade e sua
Vida. Eu nada mais pedirei do que o partilhar sua
amizade comigo e com todos aqueles de vocês que se
reconhecerão, pelo coração e pelo Espírito, que ilumina,
com suas Lâmpadas despertas, o que deve sê-lo, o que
deve dissolver-se na Lei da Graça. Eu venho dar-lhes a
bênção do Pai. Eu venho restituí-los a si mesmos.
Nenhum conhecimento, nenhuma pergunta tem
necessidade de ser formulada, porque o que eu vejo e o
que eu verei é, simplesmente, a maneira pela qual vocês
têm amado. Nenhuma história nesse mundo tem valor
em face da Eternidade, nenhum papel, nenhuma função
é mais elevada do que outra. Aqueles que quiserem
elevar-se, sem passar por nossa amizade, serão
rebaixados; aqueles que eu encontrar na Transparência,
na esperança a mais nobre e na Transparência e
sinceridade não terão qualquer elemento de medo,
porque o Amor os preencherá. Assim é a minha
amizade, assim é a nossa fraternidade, que supera todas
as condições e todas as circunstâncias em seu mundo.

Eu venho perguntar-lhe: “Você quer ser meu amigo,


você quer ser o filho digno do Sol e do Pai, você quer ser
o digno filho de nossa Mãe Comum, soltando todas as
zonas de sombra e todos os medos que possam
manifestar-se em você?” Você se prende na rocha
eterna de nossa filiação comum, aquela que não tem
papel algum, nem qualquer lugar na divisão, porque seu
único lugar é aquele de sua Liberdade e de sua Verdade,
qualquer que seja ela. Há apenas que aceitar e ninguém
poderá subtrair-se de seu próprio peso por si mesmo. A
maneira pela qual você tem amado, não, unicamente,
nesse instante ou nessa vida, mas na resultante do
conjunto de seus passos portados nesse mundo há
muito tempo, revela-se a você em sua nudez, em sua
simplicidade e em sua beleza.

Eu venho dançar, com vocês, no Silêncio da Eternidade.


A esperança, a fé e, mesmo, a crença que vocês têm
construído em meu Retorno em vocês revelar-se-á
Verdade absoluta. Mesmo aqueles de vocês que não
puderam ou quiseram amar como eu os tenho amado,
devido a sofrimentos, devido aos véus ou devido a
circunstâncias específicas, nada mais têm a temer de
nosso reencontro porque, naquele momento, também,
nós poderemos, qualquer que seja seu estado, e se vocês
o aceitam, construir, juntos, instantaneamente, a ponte
da Graça para sua Eternidade, porque eu sou o
Caminho, a Verdade e a Vida.

Eu virei, também, assim, pedir-lhes, se já não foi feito,


para deixar morrer o que não quer o Amor, tanto em
você como em cada um, respeitando a liberdade e a
escolha da viagem da alma ou da nudez da consciência.
Filhos do Um, filhos nascidos pelo Amor e do Amor, eu
venho nomeá-los e chamá-los para serem inscritos no
Livro de Vida Eterna, que não conhece nem início nem
fim, no qual toda vida é-lhes oferecida na maior das
compaixões e na maior das liberdades possíveis e
inimagináveis.

Em seu Templo, como em cada faceta de sua


consciência, você ali encontrará a minha Presença e a
minha radiância. Eu sou o consolador, eu sou aquele que
corta o que deve ser cortado, na liberdade e em acordo
com suas escolhas e a ressonância maior ou menor de
sua verdade com a Verdade de Amor. Os sinais de meu
Retorno, de maneira visível nesse mundo e não,
unicamente, em seu Templo, serão evidentes para cada
um de vocês, diante da realização de inumeráveis sinais
e visões transmitidos ao bem amado João. Nesses
tempos tão intensos, não lhe resta mais do que depor
todas as armas do medo, depor todas as suas dores aos
meus pés, para que meu Coração as absorva.

Eu sou a consolação, eu sou a esperança e eu sou,


sobretudo, o que vocês são, na Eternidade: o Filho
Ardente do Sol, cuja Paz e Alegria não conhecem
qualquer trégua nem qualquer sedação.

Eu sou o Templo da Liberdade, o Templo da justiça, o


Templo da equidade, o Templo da Verdade, e meu
Templo é seu Templo, e meu Coração é seu Coração.

O que você pode temer, você que, mesmo os medos


representam, em definitivo, apenas o sentimento da
falta de Amor para consigo mesmo ou para com a Fonte,
para com seus irmãos e irmãs e para com as feridas da
vida? Eu venho tirar todo sofrimento, na condição de
que você aceite entregá-los a mim, para que eu me
encarregue. Eu apenas tenho necessidade de um sinal
de seu coração, apenas tenho necessidade de sua
atenção, e eu venho responder ao conjunto de suas
necessidades.

A Luz da Verdade, a Luz que revela bate não,


unicamente, à porta de seu Templo, mas, abriu o que
restava a abrir para viver a sua Ressurreição. Não me
espere na carne porque, senão, você será enganado, mas
seu coração não pode enganá-lo, só o intelecto pode
enganar. Nós nos reconhecemos e reconheceremos no
Amor que brilha diante de nós, em nosso coração e em
nossa fronte, porque você também, se o deseja, você é o
ungido do senhor, aquele cuja unção colocou o bálsamo
da cura, o bálsamo da Alegria.

Quando eu lhe pergunto se você quer ser o meu Amigo,


eu nada mais peço do que deixar as ilusões, deixar as
crenças, deixar o que é falso, sem compromisso e na
humildade. Os tempos estão consumados, isso vocês
sabem. E o que se consuma, agora, é apenas justiça e
Liberdade.

De nosso reencontro decorrerá seu lugar. Nenhum lugar


é melhor do que outro, nenhum mais elevado do que
outro, há apenas Amor ou não amor, e o não amor é
nada, ele é apenas, eu diria, uma forma de máscara cuja
tradução é o medo, mas que nenhum sentido tem na
Eternidade.

Eu o lembro de que você não poderá levar, de maneira


geral, nem seus medos nem seus bens, nem qualquer
aquisição desse mundo, porque eu o quero nu, porque
eu o quero tal como você é em Verdade, e não tal como
você mostra a esse mundo o que ele espera de você.

Eu sou sua verdadeira Família, aquela na qual não há


nem chantagem nem sofrimento, nem condicionamento
nem violência, porque eu venho cortar e eu venho em
paz, como poderia ser de outro modo? Os tempos do
medo terminaram, a Graça preenche-o, de maneira
natural, de todos os atributos do Amor, de toda a
Verdade do Amor.

Você nada mais tem a projetar, você nada mais tem a


esperar, porque isso é agora. Tudo o que será observado
na superfície desse mundo, como em toda consciência, é
apenas a revelação do Amor. Só sua forma ilusória pode
ali ver outra coisa, só a adesão a si mesmo, de maneira
incongruente, pode privá-lo de nossa amizade. É
preciso, para isso, que você deponha todos os seus
fardos, é preciso, para isso, que cada um de vocês
acolha, de braços abertos, a Verdade de nosso Pai e de
nossa Mãe, colocada onde se situa a ardência do
Espírito, a ardente sede de seus reencontros consigo
mesmo.
Minha presença far-se-á cada vez mais sensível, do
mesmo modo que aqueles que os acompanharam e cuja
ronda estabelece-se, doravante, na integralidade, em
seu coração e em nenhum outro lugar, o que lhes
favorece, mesmo, dissolver tudo o que não é a
expressão e a manifestação direta do Amor puro, do
Amor incondicional e do Amor Verdade. É impossível,
nesse nível, ser enganado ou enganar-se, porque sua
esperança em minha Presença pôs fim às veleidades de
dualidade impostas por esse mundo e por seu efêmero.

Nesses momentos específicos, e quando do momento do


Apelo, você compreenderá e viverá, por si mesmo, a
Verdade do Amor e a verdade do que não é amor,
quando de nosso reencontro e de nossa amizade.
Lembre-se de que a principal manifestação do Amor é a
Alegria, o Amor basta-se a ele mesmo, nossa amizade
basta-se a ela mesma, ela é a totalidade, ela é, também,
cada particularidade nesse mundo também e, eu diria,
apesar de tudo. Seu estado atual, seu estado em curso
de instalação faz apenas mostrar-lhe a distância ou a
proximidade que existe entre você e eu. Nessa ausência
de distância haverá concordância, haverá êxtase e
haverá contentamento nas Moradas do Eterno.

Eu não venho pedir-lhe para seguir-me, eu venho pedir-


lhe para ser o que você é, transcendendo ou
esquecendo-se de tudo o que faz sofrimento, de tudo o
que dá medo, de tudo o que pode obstruir ou perturbar
nossa amizade. Nossa amizade é uma segurança na
Verdade. Eu não venho, portanto, pedir-lhe para seguir-
me, mas ser o que você é e percorrer as esferas da
Eternidade, se tal é seu estado, se tal é sua consciência.
Cada lugar, cada consciência é respeitável, quer ela
responda favoravelmente ou desfavoravelmente à
nossa amizade. A Alegria de tal intensidade virá pôr fim,
imediatamente, ao caso no qual selamos nossa amizade,
a todo sofrimento, a todo medo e preencherá você da
Graça eterna do Amor e da Alegria, sem justificação,
sem razão, sem explicações, transcendendo as
manifestações e obstáculos do efêmero, fazendo
queimar e dissolver tudo o que não tem mais razão de
ser em nossa amizade e nossa Liberdade.

Então, amados do Um, eu os quero em pé e inteiros, com


tanta intensidade quanto possa existir no coração de
nossa amizade. Qualquer que seja seu estado desse
corpo, qualquer que seja seu estado de sofrimento
residual ou de medo, eu serei a cura e o
desaparecimento de tudo o que possa perturbar ou
desacelerar nossa Verdade Una.

Em cada um de vocês está a mesma chama e a mesma


intensidade e a mesma sede. Eu venho perguntar-lhes
se vocês querem viver na Eternidade, na qual a água de
Vida não pode faltar, na qual vocês são saciados, a cada
instante de sua consciência, na qual a Plenitude não
pode deixar qualquer deficiência na perfeição da
consciência Una e liberada. Eu venho dá-los a si
mesmos, porque eu sou Doação, na altura do que vocês
têm dado e distribuído, não por interesse, mas por
espontaneidade e por verdade, sem outra implicação
que não a Doação de si mesmo à sua própria
Eternidade. Eu estarei no cruzamento de suas escolhas,
iluminando-as com a mesma intensidade e a mesma
compreensão que não se importa com sua história
pessoal, que não se importa com o que pode restar, que
resiste a si mesmo. O que eu sou e o que você é ressoa
na Graça, ressoa na Liberdade. O que não é Amor não
tem lugar no Amor, o que é Amor será devolvido ao
Amor.

Amados do Amor, permitam-me, no espaço de nosso


Silêncio, aproximar-me de nossa amizade e, para alguns
de vocês, que leem as minhas palavras ou que as
escutam, então, a completude apresentar-se-á no
instante ou nos instantes a vir.

Assim, eu posso dizer como meu Pai e nosso Pai disse, a


Fonte: “Meu Amigo, meu Amado, você quer sê-lo? Meu
Amigo, meu Amado, você quer vivê-lo ou você prefere
calar a escolha de sua pessoa e de seu efêmero?” Porque
você deve escolher, você deve decidir, aí está a última
Graça do Apelo de minha Mãe e de meu Apelo, que não é
outro que não o Apelo de seu coração à sua reunião e
sua união à sua Eternidade. Eu não tenho necessidade
de qualquer palavra nem de qualquer atitude, porque
eu vejo o que cada um de vocês é, foi e será, porque eu
vejo, em cada um de vocês, a minha imitação, ou não,
seu desaparecimento, ou não, e nada nem ninguém
poderá enganar-se e ali ser enganado, porque a Graça
da Verdade tomará todo o espaço e todo o tempo, vindo
acordá-los do interior, vindo mostrar-lhes, nessa
reconexão, a Verdade que não tem início nem fim.

Filhos do Um, dancemos, novamente, a Dança do


Silencio, no espaço da beleza, agora.

Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida, e você é a Vida, a


Verdade e o Caminho, porque nós somos Um. O sentido
de toda separação deve apagar-se, ser queimado na
indiferença e no Fogo do Amor, para que meu pedido de
amizade vista-se com todas as vestes do Amor.

Nesses instantes que vocês vivem, onde quer que


estejam na superfície desse mundo, vocês têm a mostrar
não a pessoa, mas procurem bem, ao invés disso, em
cada circunstância, em cada olhar e em cada interação
entre vocês, o olhar do Amor, o olhar do coração, façam
calar as palavras e pensamentos que nos afastam um do
outro, aqueles nos quais há julgamento, aqueles nos
quais há desconfiança, aquelas em que há medo. Não
deem peso ao que já é pesado, atribuam todo o peso à
Eternidade.
Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida, eu lhes ofereço as
minhas bênçãos, eu lhes ofereço o que vocês são, além
de todo o resto. Eu lhes digo, no Amor, eu lhes digo: em
nosso Amor. Amemo-nos. Eu lhes agradeço por terem
me acolhido, eu lhes agradeço por terem me escutado,
eu lhes agradeço por me terem lido e eu conto com cada
um de vocês, porque cada um de vocês é o Único e o
Amado do Um.

Eu sou Cristo, e eu os abençoo. Em seu nome, em meu


nome e em nome de minha amizade, como de sua
amizade, se vocês a querem e, juntos, eu lhes digo não
oremos, mas permaneçamos na brilhante Luz da
Verdade, agora e para sempre. É tempo, agora, não de
retirar-me, mas de retirar-me em vocês, aí, onde se
encontra sua beleza, que responde a cada solicitação, a
cada pensamento, a cada vez que o Amor é colocado à
frente, eu estarei aí e vocês verão por meus olhos e
sentirão por minha carne e viverão em meu Espírito,
que é o seu.

Eu repito, eu os amo e vocês são dignos e bem mais do


que isso. No Amor do Amor e em nossa amizade, eu me
retiro em vocês agora.

E eis que eu venho.

Tradução: Célia G
Fevereiro 2015
Eu venho restabelecer o Reino da Luz

C risto saúda-os. Permitam-me, irmãos e irmãs, aqui e


alhures, depositar em seu Templo meu Sagrado
Coração. Aquele do Amor, aquele da Verdade, aquele
que vem consolá-los de toda dor e de todo sofrimento e
que vem aportar a liberação, se tal é seu coração.

Assim, eu deposito, em vocês, o dom do Amor, o dom da


Verdade. A cada um de vocês, doravante, eu estarei aí.
Na intimidade de seu coração nós nos reencontramos e
nós nos reencontraremos cada vez mais frequente-
mente, e de maneira cada vez mais evidente, para selar
nossa amizade.

Eu venho oferecer-lhes o dom de minha Presença


permanente, que nada mais é do que sua Presença. Eu
venho demonstrar-lhes a verdade que seu reino não é
desse mundo, que vocês estão nesse mundo, mas que
vocês não são desse mundo.

Eu venho pedir-lhes para pôr seus passos em nossos


passos. A Espada de Verdade é a consolação dos Justos.
Assim, o Verbo fez-se carne há dois mil anos e, hoje, o
Verbo faz-se carne em cada um de vocês.

Eu venho batizá-los com a Água do alto e o Fogo do céu.


Eu venho restabelecer a Verdade em cada um de vocês,
para que nenhuma distância possa mais separar-nos,
para que vocês sejam dignos de ser os Filhos Ardentes
do Sol.

Eu venho mostrar-me em vocês e a vocês. Eu venho


estender-lhes a mão e eu venho abraçá-los, apertá-los
contra meu coração, aparecer-lhes de múltiplos modos,
mas com sempre a mesma Alegria, como consequência e
a mesma plenitude.

Eu venho, como à época, lavar-lhes os pés e convidá-los


à minha mesa. Eu saúdo, portanto, cada um de vocês, e
eu abençoo cada um de vocês. Vão além de minhas
humildes palavras, e mantenham apenas o essencial: o
Amor de nosso reencontro, o Amor de nossa revelação
comum.

Eu venho lavar as suas vestes de toda contaminação. Eu


venho demonstrar-lhes que não existe mais distância
entre vocês e eu, para que vocês se tornem o que eu sou,
para que vocês o sejam, verdadeiramente.

Eu acompanho minha mãe em vocês, nesses tempos de


Ressurreição. Alguns de vocês viverão o batismo,
outros, serão transfigurados. Outros de vocês
ressuscitarão na Verdade do Pai. Cada um será
ganhador, porque cada um encontrará o que ele é.

Eu venho bater à sua porta, no mais escuro da noite e no


mais claro da esperança.
Eu venho dizer-lhes: Paz.

Eu venho acenar na face desse mundo que não me


reconheceu: “Basta!”. Basta do que não é verdadeiro,
basta do que subjuga, basta de sofrimento, basta de
competição e basta de ilusão.

Muitos de vocês, na superfície dessa Terra, tiveram a


oportunidade, no curso de suas peregrinações diversas
nesse mundo, de reencontrar-me, de conhecer-me ou de
desviar-se de mim. Porque alguns homens
empenharam-se em alterar a minha mensagem e a fazer
dela uma religião, a fazer-me passar por um salvador
externo a vocês, enquanto meu único lugar está em
vocês, como em cada um.

Eu venho, também, lembrá-los, em vocês, uma última


vez antes do Apelo de minha mãe, da humildade, da
simplicidade, da Liberdade e do respeito ao sagrado de
cada vida, aqui como por toda a parte.

Eu venho, efetivamente, cortar tudo o que pode


restringi-los em sua Eternidade, tudo o que poderia
tentar alterar a Luz que vocês são. É claro, para isso, eu
lhes peço todo o lugar.

Eu venho voltar a perguntar-lhes se vocês estão prontos


para deixar os mortos enterrarem os mortos. Eu venho
perguntar-lhes se vocês querem ser vivos na verdadeira
Vida.
Eu não venho impor nem combater. Eu venho
restabelecer a verdade de toda vida.

Eu venho recolocar o canto de Liberdade em seu


coração e em seus ouvidos.

Eu nada mais lhes peço do que serem, enfim, vocês


mesmos, restabelecendo-se, assim, na Alegria eterna.

Eu venho, também, é claro, cumprir as escrituras de


meu bem amado João. Aquele que, primeiro, nesses
tempos, desvendou-lhes, há muito tempo, os
mecanismos da revelação do supramental.

Eu venho cumprir e sustentar o Juramento e a


Promessa. Como os Arcanjos, como os Anciões, como as
Estrelas, como o conjunto das criações dos Mundos
Livres, eu venho em vocês.

Não cometam, jamais, o erro de crer naquele que virá


dizer-lhes, em um corpo, que ele é o que eu sou. Porque
aquele que percebe o que eu sou não pode pretender
nenhuma identificação nem qualquer história. Isso é
uma mentira.

Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida, e vocês são, mais


do que nunca, o Caminho, a Verdade e a Vida. E
lembrem-se de que ninguém pode trapacear na
presença do Sagrado Coração e na presença do Espírito
Santo. Porque eu os quero em pé e irradiantes, porque
tal é sua natureza e tal é sua manifestação.

Eu venho dizer-lhes nosso Amor, eu venho dizer-lhes a


perfeição da Liberdade.

Eu venho dizer-lhe, também, além de ser meu “Amigo”


ou minha “Esposa”, para não mais pôr distância entre
você e eu. Minha Presença bastará para demonstrar-lhe
a realidade do Amor.

Eu não venho estabelecer um reino, como alguns o


creem ainda, como há dois mil anos. Eu venho restaurar
seu Reino, que não depende de qualquer reino nesse
mundo, como em mundo algum. Então, reconheça-me, e
você se reconhecerá, sem qualquer possibilidade de ser
enganado.

Eu venho amá-lo, na medida com a qual você ama e bem


mais do que isso, porque eu venho dar-lhe todo o Amor
que você é. Eu venho restituí-lo à simplicidade da Vida,
à simplicidade do Amor e à humildade de toda criação.

Eu venho abolir as regras e as leis desse mundo, que


não são as leis e as regras da Fonte. Eu venho deslocar
aqueles que se permitiram crer que vocês eram seu
rebanho e que eles eram seus mestres. O único mestre
verdadeiro no Amor é aquele que é o mais simples e o
menor de vocês. Para isso, é preciso ser grande, muito
grande no Amor e muito pobre nesse mundo. Aí está a
verdadeira abundância, aí está o coração, aí está o
essencial.

Agora, os Quatro vivos estão no lugar, eu diria que a


mesa está posta para o último banquete. Eu venho
comungar com vocês, em todas as espécies e sob todas
as formas. Eu não transigirei em nada e não permitirei
que nada possa desviar a verdade de seu ser. Ninguém
poderá mais parecer diante de mim, se ele não está,
anteriormente, no ser. Ninguém poderá mais subjugar
quem quer que seja em sua liberdade ou em seu próprio
ponto de vista.

Eu venho mostrar-lhes a liberdade do Amor em ação.

Eu venho depositar o Verbo em sua carne, iluminando,


assim, sua consciência de um dia novo, mesmo no que é
limitado.

O conjunto da Confederação Intergaláctica dos Mundos


Livres está, doravante, aproximando-se de sua Terra, já
visível em seu Sistema Solar. Os povos da Terra que lhes
eram invisíveis, de qualquer natureza que seja a
presença deles, tornar-se-ão evidentes, cada vez mais,
quer seja através dos elfos, quer seja através dos
demônios que alguns humanos nutriram. Tudo isso
deve ser visto, porque nada deve permanecer
escondido. Aí está a exata retribuição desse mundo, aí
está a grandeza do Amor e da Graça.
Acolher a graça de nosso reencontro é despojar-se de
tudo o que não é Amor. É soltar tudo o que vocês retêm,
prisioneiros de seus afetos, de suas emoções, de seus
apegos ao que não é verdadeiro, ou seja, ao que não
dura.

Eu venho cumprir, eu também, a promessa de meu


retorno, mas eu os lembro: como eu parti, pela
Ascensão e a Ressurreição. Da mesma maneira, eu me
apresentarei a vocês, a cada um de vocês. Mas retenham
que eu não estarei em qualquer carne que lhes dirá que
eu sou isso, ou seja, Cristo. Vocês são, todos, Cristo, mas
vocês não são “o Cristo”. Doravante, nenhuma
usurpação ligada às palavras ou à apresentação poderá
durar no tempo dessa última tribulação.

Eu os lembro de que, neste período, há apenas vocês


que julgarão, mas não do ponto de vista de sua pessoa,
mas na medida do Amor que vocês têm dado, que têm
vivido. Porque eu nada mais posso fazer do que revelar
seu coração, e é dessa revelação que tudo o que é falso
deve ser abatido, não pela Luz, mas por sua própria
fragilidade.

Eu venho restabelecer o reino da Luz, apoiando-me em


seu mundo, liberando sua nova consciência, sua nova
expansão. Eu venho, também, mostrar a cada um o que
não quis ou não pôde ser visto, quaisquer que sejam as
razões, para que a escolha do Amor ou do medo faça-se
em toda liberdade, sem pressão, sem condições e sem
ser afetado por quem quer que seja.

Eu venho, também, dizer ao seu coração: “Não tenha


medo, porque o medo nada é diante do Amor. Aceite o
Amor e todo medo esvanece-se. Aceite-me, como eu o
aceito. Aí está sua liberdade”. Dando-se a Água de Vida e
o batismo do Fogo do Céu, você renasce para a
verdadeira Vida, na qual todos os sucedâneos do amor
ligados a esse mundo são varridos pelo Amor.

Eu venho dissolver os marcadores que podiam fazê-lo


crer que você se apoiava na rocha e, no entanto, são
apenas algodão. Eu venho mostrar-lhe que seu
verdadeiro apoio, aquele que não trai, jamais, apenas
pode ser a Luz e o Amor. Eu não venho fazê-lo crescer
ou permitir-lhe melhor viver nesse mundo, como alguns
o esperam ou creem, mas eu venho para a libertação,
para o parto.

Assim, eu conto com você, que escuta ou que me lê, para


ter a casa limpa, para cultivar, em si, a benevolência, o
olhar justo, a palavra exata, a atenção correta; eu venho
fazê-lo descobrir que, mesmo seu pior inimigo, nada é
em relação ao Amor que você é.

Eu venho dizer-lhe, é claro, que eu sou você, como você


é eu. Eu venho dizer-lhe que você é dotado, como cada
vida, como cada forma, de exatamente a mesma dose de
Amor, que é uma dose que não se conta e que cresce, a
cada dia, a partir do instante em que você tenha me
reconhecido. Eu não lhe peço para idealizar-me, eu não
lhe peço para fazer de mim um salvador de qualquer
carne ou de qualquer perenidade dessa ilusão. Eu venho
quebrar as muralhas do ego, pela potência do Amor.

Da mesma forma, cada um de vocês é capaz de fazer a


mesma coisa, quebrar as muralhas de seus próprios
medos, simplesmente, sendo isso, esse Amor
incondicional, cuja fé é bem maior do que o maior dos
desastres, do ponto de vista da pessoa.

Eu venho mostrar-lhe quais são os meus frutos e quais


são os seus frutos.

Eu virei, também, para cada um de vocês, convidá-los,


uma última vez, para a verdade do Amor, antes que a
Espada de Verdade venha cortar o que não é o Amor.
Porque eu o quero livre, porque eu o quero tal como
você é, não para prendê-lo, mas, bem mais, para
restituí-lo a si mesmo.

Lembre-se, sobretudo, de que nada mais há que você


possa fazer do que Amar. Porque o Amor tornar-se-á,
cada vez mais, a solução para tudo o que pode
apresentar-se, que vem, por vezes, quebrar as leis desse
mundo e as convenções desse mundo. Mas aquele que é
portador da Espada de Verdade não pode mais transigir
com a Verdade, ele pode apenas cumpri-la e revelá-la.
Não há qualquer lugar, aí, para uma reivindicação
pessoal, não há qualquer lugar, aí, para a mentira, para a
apropriação ou para a manipulação. Eu venho dar-lhe a
oportunidade de ser justo e direito, de ser o coração
elevado que transmutou as condições desse mundo,
pela única potência de seu Amor e não por combates
estéreis concernentes ao bem e o mal.

Eu venho, portanto, restabelecer a verdade do ser e da


Vida, que tem apenas que fazer limitações efêmeras
desse mundo, em qualquer domínio que seja. E você,
que estaria, ainda, morno, eu quero dizer-lhe que é
preciso escolher, porque você se tornará frio ou você se
tornará ardente, ardente do Fogo do Amor ou frio,
porque privado do calor do Amor. Não pode, ali, haver
meia-medida, não pode, ali, haver compromisso, não
pode, ali, haver terceira via. Não pode, ali, haver novas
ilusões, exceto se você mesmo recuse ver a verdade do
Amor, mas essa será sua escolha, e essa será sua
liberdade. Mas essa liberdade não é a liberdade do
Amor, ela é a liberdade de crer, ainda e outra vez em
histórias, em cenários, em projeções.

Eu deixo o Coro dos Anjos cantar em seus ouvidos. Eu


deixo os meus anjos, os Anjos do Senhor, novamente,
aproximar-se de você, para acompanhá-lo em sua
Liberação. Eu venho, também, orar ao seu lado, para
que meu Pai atribua a você a clara visão e a ancoragem
necessária para viver o que vem. Assim, eu orarei para
cada um de vocês, não como uma súplica, mas, bem
mais, como uma comunhão.

Eu virei, também, dar testemunho de cada um de vocês.


Isso se desenrola, já, para os mais avançados de vocês.
Alguns começam a reencontrar-me, não como uma
história aureolada de glória, mas como o simples irmão
que eu sou, que conheceu, como vocês, a carne desse
mundo e suas fragilidades.

Eu venho, de algum modo, cumprir o que minha mãe


dirá a vocês, uma vez que suas vestes sejam lavadas no
sangue do cordeiro, uma vez que vocês emerjam na
nova vida, junto ao meu Pai.

Eu estarei particularmente próximo daqueles que


honram a Vida e honram o Amor por seu
comportamento, por seu olhar, por suas palavras, por
sua fraternidade, por sua benevolência e por sua
incorruptibilidade às mentiras desse mundo. Então, nós
nos olharemos do coração ao coração, com a mesma
transparência e a mesma evidência.

Assim, você renascerá, definitivamente, na verdadeira


Vida. Assim, toda sombra será lavada e você
resplandecerá em sua túnica imortal, aquela de seu
corpo sem costura, na qual nenhuma falha pode,
mesmo, ser imaginada.
Minha mãe chamará você por seu sobrenome, por seu
nome, sobretudo. Eu o chamarei por seu nome de alma,
se a alma está presente, e por seu nome de Espírito ou
de origem, se você dissolveu sua alma no fogo do Amor.

Lembre-se de que se você põe o Amor à frente e o Amor


por toda a parte, eu estarei em você e você me ouvirá,
de diferentes modos, se já não é o caso. Eu porei fim a
todas as suas dúvidas que possam, ainda, existir, eu
porei fim, também, a tudo o que pode freá-lo em nosso
reconhecimento.

Então, permita-me selar, em seu Templo, as palavras de


minha presença de hoje, as palavras de minha presença
no momento em que você as lê, no momento em que
você decidir ouvir-me.

Então, eu posso dizer-lhe, quaisquer que sejam as


resistências que possam, ainda, afetá-lo, eu lhe digo:
desvie-se disso, porque você não é mais isso. Mesmo se
isso esteja, ainda, presente no campo de sua
experiência, não atribua a isso crédito nem atenção,
volte-se, unicamente, ao Amor. Não tal como você o tem
acreditado ou vivido nesse mundo, em algumas
circunstâncias, não, unicamente, tal como você o vibrou,
se a Onda de Vida percorreu você ou se a Coroa radiante
do coração estava ativa, mas, verdadeiramente, na
pureza e na clareza a mais evidente.
Permitam-me, novamente, abençoar sua Presença aqui,
e sua Presença que me lê.

Eu derramo, em você, a Água de Vida, e eu reforço, em


você, o Espírito do Sol e o Coro dos Anjos, de minha
Presença revelada. E não se esqueça, enfim, de que é no
alarido desse mundo, ligado à sua oposição ao Amor,
que você encontrará a Paz, porque não há que fugir do
Amor, quaisquer que sejam as reações do que não é
Amor.

Então, eu lhe peço para abandonar-se ao Amor que você


é. Porque o Amor nada reclama, ele lhe pede apenas
para ser ele, para que todo o resto afaste-se de você e
que toda consolação permaneça na verdade de seu ser.

E, aí, em nossa comunhão, minhas palavras não têm,


mesmo, mais sentido, porque o Amor tomou o lugar das
palavras e corresponde a todo sentido, porque só o
Amor é a Essência.

Eu os amo porque vocês são o Amor.

Tradução: Célia G
Julho 2015
Eu venho anunciar o Reinado do Amor

E u os saúdo, filhos da Fonte Una, eu sou Cristo. Paz a


vocês, Paz sobre vocês e Paz em vocês.

A contagem regressiva do tempo terminou, não é mais


tempo de contar nem de contar regressivamente o que
quer que seja. Em um tempo curto, eu virei lavar, de
maneira definitiva, suas vestes de Luz.

Eu não vou fazer grandes discursos, nem mesmo propor


o que quer que seja que não a sua Presença e a minha
Presença reunidas, no mesmo Coração Sagrado, do qual
provém toda alegria e todo contentamento.

Eu venho anunciar o reinado do Amor, que não tem


nada a ver com o que é efêmero, porque o Amor pode
apenas ser eterno, em sua Liberdade e em sua
manifestação.

Eu estou, doravante, com vocês, como sempre estive,


mas que a ilusão do tempo impediu-os de viver, de
maneira infinita.

Eu venho soar, em vocês, o tempo da Ressurreição. Eu


venho saciar seu coração e consolar o que deve sê-lo,
para que nenhuma lágrima venha obstruir a liberdade
do Amor.
O que deveria ser cortado foi. O que resta a cortar será
iluminado pelo Fogo do Amor, e isso é agora. Não é mais
tempo de contar o tempo, é tempo de soltar e de
restituir a ilusão a ela mesma.

Eu me dirijo ao coração de cada um, tanto aqui como


por toda parte. Assim, eu receberei cada um de vocês,
no último tempo da purificação e da Ressurreição. Mas
desde já eu os convido a confiar-me seus últimos fardos,
seus últimos pesos, suas últimas dificuldades.

Eu venho realizar o que foi anunciado há mais de dois


mil anos. Vocês entraram, efetivamente, de pleno
coração, no tempo do fim dos tempos, aquele que não
conhece qualquer tempo, que conhece apenas a
magnificência do Amor, da Alegria e da Verdade. Quem
quer que vocês sejam, qualquer nível que vocês pensem,
ainda, ser ou não ser, eu me dirijo ao que queima em
seu Templo e que consome o que pode restar de ilusão.

Eu venho realizar o retorno da Terra à sua verdade


eterna. Ouçam bem, além do que é pronunciado e do
que é dito. Cada vez mais numerosos entre vocês irão
sentir e experimentar a verdade do que está aí,
ancorado na carne, ancorado no núcleo da Terra. Vai
ecoar em vocês o hino eterno do Amor, para que nunca
mais possa prevalecer a mentira. Onde quer que vocês
olhem no exterior de si, seu coração vê apenas
desordem, conflito e mentira. Eu venho restabelecer a
verdade do Amor, que não pode esconder-se por trás de
qualquer fato e qualquer palavra.

Eu me dirijo a vocês e a cada um, para que se coloquem


em sua verdade, no coração. Eu venho convidá-los a dar,
a dar-se e a tudo dar, a manter apenas o que é eterno, o
que é verdadeiro, o que os nutre em verdade. Vocês
entraram na visão por seus próprios olhos, do que foi
enunciado pelo bem amado João e pelos inumeráveis
profetas que os preveniram, que os alertaram, para
despertarem do pesadelo da mentira, do pesadelo da
pessoa.

O tempo do Amor está decretado sobre essa Terra de


maneira visível e tangível, o que quer que digam
aqueles que mascaram a verdade. Não há mais urgência,
uma vez que tudo está consumado e desvenda-se sob os
seus olhos, em vocês, se vocês aceitam ver-se tal com
são e não tal como o mundo fez a vocês.

Eu venho revelar, de maneira evidente, seu Reino de


Eternidade, seu Reino de Coração, que nada tem a ver
com as regras e convenções de seu mundo, que não é
seu mundo. Tudo foi cortado. Tudo o que é morto, já
está morto, mesmo que não o saiba. Enquanto vocês,
filhos do Um, vocês estão vivos. Não dessa vida que se
escoa e que foge, mas da vida eterna, da vida verdadeira
e da vida no Amor. O que quer que vocês pensem, do
que quer que duvidem, o que quer que tenham vivido,
nada retenham. Tenham-se em pé, na luz eterna do
Amor.

Muitos de vocês, onde quer que estejam, vivem, nestes


dias, a paz inefável do Amor, mesmo se não possam,
ainda, aí colocar as palavras certas. Por seus sentidos,
por sua inteligência, por sua interioridade, pelo que é
dado a ver no espetáculo desse mundo, não há outra
saída que não a revelação do Amor e da eternidade da
Vida, que nada tem a ver com o que é chamado vida, tal
como ela é vivida aqui, nesse mundo.

É tempo, doravante, de encerrar o tempo da morte


porque, em definitivo, nada morre que não o que faz
apenas passar, o que faz apenas durar um espaço de
determinado tempo. Esqueçam-se de todas as condições
e mergulhem aí, onde vocês serão saciados, aí, onde
nenhuma dúvida pode emergir, a despeito do que diz
esse mundo e do que ele lhes mostra.

Vocês descobrem que não há outra saída que não o


Amor, que ignora, mesmo, toda noção de responsa-
bilidade, de culpabilidade, de erro ou de memória, que
em nada concerne ao Amor. Vocês são, doravante, os
Filhos do Homem. O Caminho, a Verdade e a Vida, o Alfa
e o Ômega. Onde quer que vocês se detenham ainda,
vocês não poderão mais aí manter-se. Vocês devem
desaparecer do parecer, aparecer no ser eterno, o que
põe fim à miragem e à falta.
Vocês não têm esforço a fornecer, vocês não têm esforço
a fazer, nem mesmo crer em quem quer que seja ou em
que quer que seja. Mergulhem, aí onde eu me encontro.
Vocês serão regenerados, revivificados, não mais no
fogo vital do desejo e do ego, mas no Fogo vibral da
pureza e da beleza.

É tempo de despojar-se de tudo o que não é eterno, de


tudo que não se mantém diante da verdade do Amor. Os
sinais do Céu e da Terra se tornarão palpáveis e
tangíveis, onde quer que olhem. Esqueçam-se de toda
espera e de toda esperança porque, justamente, tudo
está consumado e não existe mais a mais ínfima
distância entre vocês e a Verdade.

Não há mais a procurar ou buscar o que quer que seja,


porque o essencial já foi revelado, no mais profundo de
cada Filho do Homem, em cada coração, mesmo no mais
fechado à minha Presença. O Amor, doravante, nutre
vocês, sacia-os e rega-os. Ele não vem de outro lugar
que não do que vocês são, em verdade.

O Amor revelado dá-lhes a ignorar as sereias da posse,


as sereias da materialidade. Eu os preveni, há mais de
dois mil anos: onde está seu Reino, qual é seu Reino?
Vocês querem continuar, permanentemente, a esculpir
a pedra, para ficar como a pedra, a mais perfeita que
seja? Ou vocês querem reencontrar a liberdade do Fogo,
a liberdade do Ar e da Água, a liberdade do Amor, que
nada tem a ver com qualquer referência, qualquer
quadro, de qualquer história ou, mesmo, de qualquer
resgate? Endireitem-se, em pé e orgulhosos de sua
eternidade, na humildade em relação a esse mundo e na
humildade da crença em uma pessoa.

Tudo está consumado na carne. A carne da própria


Terra assim o decidiu.

Nutram-se do Amor. O resto tornar-se-á cada vez mais


indigesto e intolerável, porque o Amor nada mais tolera
que não o Amor, porque o Amor é a Liberdade. Onde
vocês encontraram a Liberdade nesse mundo? A
Liberdade não é um sonho nem um futuro, nem uma
espera, ela é seu estado natural, que requer apenas
jorrar, em vocês e de vocês.

Não se deixem enganar pelas sirenes daqueles que


queiram prometer-lhes o que quer que seja de melhor
amanhã, porque o melhor é agora, a cada sopro, a cada
olhar. É isso que bate à porta, antes que eu venha lavar
o que deve ser lavado, na consumação última dos
tempos da Terra.

Não é mais tempo de tergiversar, não é mais tempo de


hesitar em face do Amor, é tempo de aquiescer. De dizer
“sim” à verdadeira vida, de dizer “sim” à Liberdade, um
“sim” franco e maciço que apenas pode estabelecer-se
no próprio silêncio de seu ser. Assim vocês serão, todos,
se o desejam, meus amigos. Um amigo inabalável, como
vocês mesmos, na verdade do Amor.

Em verdade, eu lhes digo, não há, mesmo, mais


necessidade de serem dois ou três reunidos em meu
nome, porque eu estarei ainda mais presente naquele
que se dirige a si mesmo, na solidão e intimidade de seu
coração.

O Verbo fez-se carne uma primeira vez. O Verbo fez-se


carne pela segunda vez, em cada filho do Céu e da Terra.

A última Trombeta indica-lhes, tanto em vocês como à


consciência do mundo, o tempo da redenção, o tempo
da Ressurreição. Que outro tempo pode importar, em
relação a esses tempos, que não se inscrevem em tempo
algum? E que lhes dão a liberar-se do jugo do tempo, do
envelhecimento e da morte.

Eu não venho nem ordenar-lhes nem suplicar-lhes o


que quer que seja. Eu venho apenas propor-lhes
verificar, por vocês e em vocês, a verdade do que eu
enunciei, para que cada sopro de sua vida, doravante,
seja iluminado pelo Espírito de Verdade, pelo Espírito
Santo e pela doação da Graça. Porque aí não há nem
justificação, nem hipótese, nem contexto de espaço ou
de tempo.

Eu bati à porta, vocês me responderam. Agora, eu lhes


respondo por minha vez: eu estou aí, bem além das
palavras que vocês ouvem ou das palavras que vocês
leem. Olhe. Olhe e veja o que você é. Não através das
máscaras ou dos jogos de papéis desse mundo, mas, sim
acima de todo jogo, toda função.

O céu vai, em breve, desposar a Terra de seu Espírito


fecundante e liberado. Isso está em curso. Isso não sofre
atraso algum, porque numerosos são aqueles que
gritaram, bem ou mal, mas pouco importa, porque a Luz
que vacila ou que desespera não pode deixar indiferente
o Cristo em vocês, o que eu sou em vocês.

Nada mais pode ser retido do que deve abater-se sobre


a Terra e relevar-se da Terra. Tenham-se em pé.

Não há mais qualquer pretexto que valha. Quer seja em


seus corpos, quer seja em seus pensamentos, quer seja
em sua vida limitada. O Ilimitado não pode mais
esperar, não pode mais ser atrasado.

O Coro dos Anjos, o som da Ressurreição chega a vocês,


e abate o que pode restar de muralhas do mental, da
adesão a qualquer história e a qualquer cenário. Eu
venho pôr um ponto final no cenário dos possíveis, para
que a evidência do cenário único de sua Ressurreição
dê-se a ver e a viver no íntimo, no silêncio e no canto da
Vida. O canto da morte não tem mais influência em
vocês. Ele tinha por nome: dinheiro, mentira, moral e
crenças. Eis vocês, regenerados e ressuscitados.
Nada mais há a aperfeiçoar, porque o Amor é mais do
que perfeito. Nada mais há a tentar mudar, tanto nesse
mundo como na ilusão de sua pessoa. O Amor os quer
plenos e inteiros, plenos e em pé, no espaço em que
nenhum lamento pode surgir ou, mesmo, ser evocado; a
Alegria torna-se, então, felicidade e sorriso perpétuos.

O que vocês esperam, ainda, desse mundo? O que vocês


esperam, ainda, de qualquer satisfação de desejos
efêmeros, enquanto o único desejo que sobe nada mais
é do que a alegria do coração?

Só o que resiste será abatido pelo incondicional do


Amor, não em um combate, mas em uma evidência.
Olhem em vocês, porque essa evidência já está aí.
Quaisquer que sejam seus projetos, quaisquer que
sejam suas ambições, qualquer que seja sua vida, o que
está aí é o Alfa e o Ômega, que não sofrem discussão
alguma, condição alguma e limite algum para a
expressão do Amor.

Eu voltarei – como eu havia dito – como eu parti. Não


me vejam em qualquer corpo que se glorificaria de ser
eu, mas, em contrapartida, vejam-se, em cada um, como
em si mesmos. Porque é a única verdade, e ela não tem
necessidade de declaração, ela se encontra no silêncio e
na humildade.
Vocês podem entregar-me tudo o que os obstrui, tudo o
que os sufoca e, então, eu os restituirei a si mesmos,
acima de todas as aparências e acima de todos os
sofrimentos que não lhes concernem.

Amar e servir, nos tempos em que não há mais tempo, é


andar em meus passos, é reconhecer-se em mim, no
silêncio do coração, no ser, como no não ser, na ação
exata que não é realizada por cálculo, qualquer que seja,
mas que é realizada pela própria Graça.

Filho do Um e Filho do Homem, não é mais tempo de


despertar por momentos, quando isso o arranja, mas
tenha-se em pé todo o tempo em que esse tempo
desaparece. Afirme o Caminho, a Verdade e a Vida.
Afirme o Alfa e o Ômega. Você não tem necessidade de
palavras, nem de parecer, nem de convencer, você tem
apenas que ser... o Filho do Homem.

Então, você sentirá seu coração elevar-se, ao mesmo


tempo em que a alegria aparece na superfície de seu ser,
como na superfície de todas as relações. Isso é agora,
porque isso está na ata no mais alto dos céus e no mais
profundo da Terra.

Você, Filho do Homem, em pé em sua eternidade, eu o


abençoo. Não, unicamente, agora, você que lê você que
escuta, mas em todo tempo, porque o Amor não
conhece o tempo. Ele é, mesmo, se se pode dizer, o
inimigo do tempo. O tempo pertence a Satã, àquele que
o confinou. Eu venho liberar o tempo, que é liberado em
vocês. Eu venho liberar o espaço do que estava
compartimentado e separado em vocês. Mas não se
enganem: eu já estou aí, porque tudo provém de mim, e
de vocês.

O que é pó retornará ao pó. O que é falso desmorona


com cada vez mais estrondos, o que libera, sempre mais,
o canto do Amor. A cena do mundo joga-se em você, o
que lhe dá a ver aquele que se opõe ao que você é. Isso é
iluminado, isso se torna manifesto, porque ninguém
poderá mais ser enganado quando o canto do Amor
ecoar no mais profundo do Céu e no mais profundo da
Terra, que ressoa em cada uma de suas células. Você
será, então, seu único juiz.

Onde quer que você se tenha, aqui como por toda a


parte na Terra, no íntimo de seu coração você não
estará mais, jamais, isolado e separado, mesmo se você
ainda não me conheça ou não tenha me reconhecido, em
qualquer estado de seu ser efêmero. Esqueça-se disso.
Eu estou em sua eternidade; eu sou ainda mais do que o
que você pode acreditar ser ou esperar ser; eu sou o
Espírito, como você o é.

Você tem mantido sua casa limpa, ou, pelo menos,


tentou. Não se atrase mais em qualquer limpeza que
seja, porque o Amor é o limpo em ação, que não tem
necessidade de seu esforço agora, mas que apenas tem
necessidade de sua rendição, sem condição, à sua
própria eternidade. Você ali encontrará, ou você ali
encontra, nesse momento mesmo, tudo o que é
indispensável. O Amor é todas as respostas e todas as
alegrias verdadeiras, porque elas não cessam, jamais.

Então, eu abençoo sua Presença e minha Presença em


você, como eu abençoo sua Presença em meu coração.
No coração do Um, no Coração Sagrado da Verdade, nós
nos temos, retos e em pé.

E sinta, aí, logo, o que você é. Esqueça-se de todo


parecer, esqueça-se de todo erro e, mesmo, de tudo o
que tem necessidade de reparação.

Desperte de todo sonho ou de todo pesadelo. Saia de


todo jogo. Então, Cristo, em você, limpará o que você
pensa ter necessidade de limpar, de pacificar ou de
purificar. Não é mais tempo de jogar nisso, é tempo de
viver, porque o tempo é para o Amor, porque a própria
noção de tempo desmorona quando o Alfa e o Ômega
reúnem-se.

Então, eu o abençoo e eu o prezo. Ao ver-me em você,


você se vê em mim, sem distância e sem pudor. O tempo
sem tempo é o tempo do autêntico e do verdadeiro.
Assim, eu o abençoo, por três vezes.

O tempo chegou de tudo entregar-me, para que tudo lhe


seja entregue. Assim, você é a Graça liberada de todo
jugo e de toda dúvida. Venha, eu o espero. Venha a mim,
como eu vim a você. Ponha seus passos em meus
passos, e ponha seu coração em meu coração, como eu
mesmo o faço.

Perceba, nesse tempo, a inutilidade das palavras, e deixe


exprimir-se a gratidão espontânea de seus reencontros
consigo mesmo. Pela verdade do Verbo encarnado, você
se liberta, você mesmo, de toda ilusão de morte e de
tudo o que é limitado.

Para você que me ouve, para você que me lê, para você
que me espera ou para você que não crê em mim,
abandone tudo isso e viva-o. Não há distância.

Dê-se à vida, como eu me dei à Vida. Onde é seu Reino?


Ele é desse mundo? Ele é de outros lugares? Cabe a você
decidir. Mas decida, agora. Você não pode mais enganar
a si mesmo, nem se ludibriar nem ludibriar ninguém.
Você não pode mais mascarar-se para o Amor. Não há
mais incertezas, porque o tempo do fim é certo. Junte-se
a mim e junte-se a você, aí, onde nós estamos, ambos, na
Eternidade, no Espírito de Verdade.

Meu irmão, minha irmã, meu amigo, meu amado, eu me


dirijo a você: “Quem é você?” Toda resposta que você
poderia fornecer não é a verdade, porque você é você
mesmo, além do ser, você é a própria Fonte do Amor.
Assim como eu havia dito: “Eu e meu Pai somos Um”. Eu
o convido a dizê-lo, porque é o que se vive.
A Água do céu, que aporta o Fogo do Espírito, derrama-
se em seu céu interior.

Você não tem mais que ficar na cruz, mas ser esse
Coração Glorioso, o que você é.

Eu o abençoo, então, por três vezes, e pela terceira vez,


você, que lê, e você, que escuta, você que está aí e você
que está por toda a parte.

Você é o canto do Amor que canta em você.

Eu lhe dou a minha Paz, como eu me dei à Vida, e eu


acolho a sua Paz, quando você se dá à Vida, no Alfa e
Ômega.

Escute aquela que, na história, foi nomeada minha Mãe,


que é nossa Mãe, de todos.

Seja verdadeiro, porque você é a Verdade.

Eu recupero, agora, seu coração, o coração de cada um,


porque aí não há mais necessidade de palavras, não há
mais necessidade de discursos. O Verbo fez-se carne, ele
se torna o silêncio para esse mundo.

Eu o amo, onde quer que você esteja. E esse Amor


tornar-se-á cada vez mais ardente, ao juntar-se a mim,
quando eu me junto a você, e é agora.

Eu o amo, para a Eternidade e na Eternidade.


Eu lhe digo até sempre, e eu me calo agora, para cantar
em você.

Tradução: Célia G
Dezembro 2015
Eu vim trazer a Palavra de Verdade

QueNa apazPazdosejacoração,
sobre vocês todos.
eu venho a vocês. Irmãos e irmãs
presentes sobre a Terra, como eu fui, eu mesmo há
muito tempo, eu me apresento a vocês. Eu peço a vocês
desde o presente de livrarem-se das noções históricas
em relação a mim, porque antes de ser uma forma como
vocês, presente e caminhando sobre esse mundo, eu já
fui um Princípio.

Eu não venho lembrar dos fatos históricos nem mesmo


proféticos, eu venho simplesmente a vocês porque o
chamado de seu coração foi ouvido no mais alto dos
Céus.

Eu fui ao mesmo tempo aquele que foi chamado Jesus


Cristo, mas não havia uma pessoa, nem mesmo uma
história, fosse ela a mais autêntica nesta época.

Isso que eu fui, muitos de vocês hoje são.

Neste período na Terra, lhes foi dado ver a vaidade e a


inutilidade do que faz a vida nesse mundo.

Eu venho lhes mostrar o que vocês são, porque vocês


são assim como eu o Caminho, a Verdade e a Vida, vocês
são assim como eu os filhos do Pai.
Um longo trabalho foi cumprido por vocês mesmos e
pelos irmãos da Luz para permitir a vocês chegarem
nesse momento.

Eu sempre declarei que meu Reino não era desse


mundo. Eu vim trazer a Palavra de Verdade, a Palavra
do Pai. Eu passei por todas as etapas em que vocês
passaram. Hoje, vocês chegam de algum modo no fim da
história, as alegrias de sua ressurreição na verdadeira
Vida.

Para muitos de vocês, a preparação durou quase trinta e


três anos. Se sua idade é suficientemente avançada, seu
caminho, qualquer que tenha sido a forma, foi o mesmo
que o meu, a sua escada, aquela de suas vidas.

Hoje, a realidade de sua ressurreição, através dos sinais


interiores e dos sinais visíveis na superfície desse
mundo, não deixa pairar nenhuma dúvida sobre a
realidade disso que se desenrola. É claro, os numerosos
irmãos e irmãs desta Terra não duvidam um único
segundo que os tempos anunciados e profetizados se
desenrolam nesse momento sob seus olhos e em sua
carne.

Eu não vim novamente ensinar o que quer que seja


porque todo ensinamento foi dado. Este ensinamento se
resume a uma única coisa, vocês sabem, vocês a vivem:
o Amor, o Amor que foi tão distorcido, alterado e
enganado sobre esse mundo, pela vontade de alguns
sanguinários, de poder e de ascendência sobre vocês.

Hoje, as portas de sua ressurreição, mais do que nunca o


ensinamento de então é atualidade. Nada há a subtrair,
nada há a acrescentar.

Como isso foi dito sobre a cruz, cabe a vocês entregar o


Espírito ao Pai, a fim de viver a vida eterna, aquela que
não conhece nem fim nem início.

Eu não venho vê-los para dar novas regras, nem novas


orientações, mas eu venho hoje porque, em muitos de
vocês, na superfície da Terra, eu me reconheço e eu me
vejo.

Já desde de muitos anos, um número suficiente de


irmãos e de irmãs da Terra cumpriram sua alquimia de
Ressurreição e de Renascimento, permitindo oferecer
uma base suficiente para realizar e cumprir as
profecias, em sua finalidade.

Muitos ainda de nossos irmãos e de nossas irmãs estão


seduzidos por esse mundo em vez de pela vida eterna; é
necessário não julgar pois eles não sabem. Ora vocês,
vocês sabem, porque o vivem. Vocês não são superiores
nem inferiores, vocês estão simplesmente em um outro
momento de sua consciência.
Seu papel, se eu posso dizer assim, nesses tempos, é
oferecer sua Luz para a Terra e ao conjunto dos irmãos
e das irmãs. Não façam um caso pessoal, não se
preocupem em saber para onde direcionar esse amor e
para quem o oferecer. Sua presença torna-se
eminentemente mais importante do que qualquer
palavra ou discurso que vocês poderiam pronunciar.

Se vocês têm a chance, neste período, de ter tempo, se


suas obrigações nesse mundo lhes deixam a
oportunidade, eu peço simplesmente que vocês vigiem e
orem comigo, porque o conjunto das circunstâncias dos
tempos proféticos se acompanham de uma maior
doçura e de uma maior abertura coletiva à realidade e a
verdade do Amor.

Vocês não têm necessidade de reivindicar a mim, nem


importa a qual outro mestre; vocês são seu próprio
mestre, mais do que nunca. Cabe a vocês demonstrar
sua autonomia, sua liberdade e sua transparência,
simplesmente pela sua amada Presença, que vigia e que
ora.

Muitos entre nossos irmãos e irmãs ignoram ainda o


que vai se desenrolar, mas pressentem instintivamente
o teor, mesmo que eles recusem admitir ou ver. Estejam
seguros, como isso foi repetido em inumeráveis vezes,
que cada irmão, cada irmã, cada evento, cada situação, é
muito exatamente justa e verdadeira.
A coisa essencial, no Amor é a Paz, esta Paz e esta
Alegria que, como vocês sabem e vivem não depende de
nenhuma circunstância nem de nenhuma condição.

Da mesma maneira que numerosas Presenças sutis


acompanham vocês ou os reencontram, que isso seja em
sua cama, na natureza ou em outras circunstâncias, eu
venho anunciar que estando presente em vocês em seu
estado de Cristo interior, muitos entre vocês, neste
período da Terra, são chamados a me reencontrar. Não
vejam uma personagem histórica, eu repito, mas o
Princípio fundamental, iniciando em cada palavra
confinada, o processo mesmo de liberação do
confinamento.

Então vocês são numerosos, doravante, a poder me


acolher, a poder me ver e a poder me ouvir. Minha
presença se fará sentir, mostrando a vocês que
efetivamente eu estou ainda em vocês de toda
Eternidade.

Vocês sabem também, mesmo que erradamente me


chamam o Salvador, eu não posso salvar vocês apesar
de vocês ou contra sua liberdade. Eu não falo da
Liberação – que está adquirida – mas bem ao contrário
de destino. Saibam também que o que quer que seja isso
que foi chamado atribuição vibral que é sua, ninguém
pode prejulgar o destino de seu irmão até o último
momento, porque contrariamente as aparências desse
mundo e de seu pandemônio, vocês não estiveram
jamais tão prontos a viver sua liberdade eterna.

Devido a nossa proximidade, não somente a minha, mas


do conjunto das Forças da Luz, que seja aquela da
Confederação ou aquela dos Arcanjos, por exemplo, me
é desde agora possível me manifestar em vocês. E desde
agora é possível colocar seus pés nos meus pés, é
possível a vocês colocar seu coração em meu coração.

Ultrapasse todas as noções que vocês tenham talvez


lido, estudado, em relação a mim. Sejam virgens de todo
prejulgamento, de toda referência e de toda
personalização. Assim como vocês conheceram as
alegrias desse mundo, assim como vocês viram a
heresia desse mundo, assim como vocês puderam
sofrer, assim como vocês conheceram as alegrias da
encarnação mesmo que ela fosse breve.

Então saibam que quando a Luz Branca invadir vocês,


quando o Fogo Ígneo percorrer vocês, eu estou muito
próximo de vocês, muito próximo de sua consciência. É
nesses momentos que nós temos mais chance de nos
reencontrar, de comungar e de reforçar sua estabilidade
daquele que é renascido: o Cristo.

Como isso foi anunciado por meu profeta, sob meu


ditado, o bem-amado João, hoje eu venho comungar
com vocês, eu venho lavar suas vestes e eu venho
escutá-los. Eu não venho para julgar, mas eu venho para
ajudá-los a cortar o que deve ser. Tem sido dito sempre
a vocês que era a Inteligência da Luz que estava agindo;
mais do que nunca hoje, de diferentes maneiras, vocês a
vivem ou a descobrem.

Então vigiem e orem porque vocês são numerosos a


poder me receber, me recebem nesses momentos
particulares, que seja durante seus dias ou suas noites,
na presença e na companhia do Fogo Ígneo, na presença
da Luz Branca vista no interior de vocês mesmos onde
eu poderei encontrá-los. Não ainda para lavar suas
vestes, mas para consolidá-los em sua ressurreição.

Eu virei de mãos vazias, eu não virei ensinar o que quer


que seja novamente, mas eu virei de alguma forma
estabelecer minha Presença em sua Presença,
consolidando vocês em sua emanação de Luz eterna, na
superfície desse mundo.

Sua presença sobre esta Terra é preciosa, porque vocês


tem caminhado até esse dia, quaisquer que tenham sido
seus obstáculos, quaisquer que tenham sido suas
alegrias, quaisquer que tenham sido suas ocupações.

A Luz faz de vocês hoje os enviados da Fonte, os dignos


filhos do Pai. Em qualquer situação que vocês estejam,
não importa onde sobre a Terra, de qualquer
denominação religiosa que vocês sejam, se vocês têm
ainda, isso não faz nenhuma diferença para mim.
Somente o que vocês são é fundamental e não o papel
que vocês desempenham.

Eu reconheço cada um de vocês na intensidade de seu


coração e eu responderia cada chamado, não para
melhorar sua situação na superfície desse mundo, nem
mesmo para melhorar esse mundo, mas bem mais para
consolidar a verdade da Eternidade, permitindo revelar
sempre mais a falsidade desse mundo.

Me chamem também justamente nos momentos em que


parece a vocês não duvidar, mas faltar a firmeza do
Amor.

Eu terei desde agora a possibilidade de entrar em


comunhão com muitos de vocês no mesmo instante, no
mesmo momento, e eu não me privarei.

Novamente, eu não venho e eu não virei fazer discursos


a vocês em relação a sua vida. Não contem comigo para
resolver seus problemas no seio desse mundo, mas para
eventualmente apoiá-los em suas interrogações sobre a
Eternidade.

Minha forma que se apresentará, será conforme o ideal


que vocês trazem. Vocês não me reconhecerão
necessariamente por uma forma, que poderá ser
profundamente diferente para cada um, mas por nosso
coração comum. Eu respondo então no nascimento de
seu Cristo interior, vindo confortá-los, em suas escolhas
que vocês colocaram, em suas decisões que vocês
tomaram e na sua vivência.

Novamente, eu repito, cada consciência desse mundo


está exatamente no lugar que é seu para viver esses
tempos. Lembrem-se também o que eu havia dito:
“Aqueles que quiserem salvar sua vida a perderão”.
Aqueles que perderem a vida, encontrarão a Eternidade,
sem olhar para frente, sem remorsos, com a alegria
incomensurável: aquela do coração, é claro, mas aquela
também, de reencontrar a liberdade da consciência.

Antes de meu retorno efetivo tal como quando eu parti,


quer dizer, não esperem me encontrar em nenhum
corpo de carne, mas esse momento não chegou ainda. É
necessário para isso no entanto, que vocês passem cada
um por suas tribulações que lhes são próprias e vocês
devem também passar pelo Apelo de minha Mãe que
dirá a vocês que vocês são seus filhos e que sobretudo
os fará viver, aí também sem nenhuma dúvida possível.
Mas minha presença silenciosa e amorosa está
adquirida, aqui nesse mundo.

Não busquem obter nem glória, nem ensinamento, nem


diálogo, mas simplesmente, como eu disse, de
consolidar vocês no Amor eterno.

O dom da minha Presença só faz responder,


definitivamente, o seu próprio dom e o seu próprio
sacrifício, mostrando por aí mesmo que vocês colocam
seus passos nos meus passos.

A Luz não condena, a Luz não julga, a Luz oferece a


Liberdade, de acordo com o que vocês pensam da
Liberdade ou o que vocês vivem de Liberdade.

Eu diria também que neste período que precede o Apelo


de minha Mãe, àqueles que muito foi dado, será ainda
mais dado. Àqueles que não pediram nada, será também
dado, assim é o Amor.

Nós não podemos impor a Liberdade a ninguém. Nós só


podemos favorecer seu retorno a Luz, mostrando-a à
vocês, permitindo à vocês mesmos vivê-la.

O período que se abre representa uma janela de


oportunidade sem igual, também por minha presença
ao lado de vocês como pelo Apelo Coletivo de Maria,
minha Mãe.

Na medida do possível a Luz lhes chama e eu exorto


vocês igualmente à oração, à oração do coração, que não
é um pedido de satisfação de uma vantagem qualquer
sobre esse mundo, mas bem mais uma vantagem na
Eternidade – como eu disse e repito, a fim de consolidar
vocês em seu viver, em sua fé e em sua verdade.
Eu não pediria nada a vocês além de provar sua
liberdade, de viver sua autonomia e seu retorno a
Eternidade.

Onde quer que vocês estejam na superfície desse


mundo, se seu coração vive, então eu estarei vivendo
com você.

Sua oração – do coração e silenciosa –, será um


chamado a minha Presença, bem além de toda religião e
da história mesmo desse mundo.

Eu virei à vocês rodeado do Coro dos Anjos, trazido pelo


Espírito do Sol e pelo Verbo.

Se isso acontece para vocês, então isso reforçará sua


oração e sua eternidade. E se isso não acontece para
vocês, nesse mesmo espaço de tempo, então é um
encorajamento a vigiar e orar ainda mais, e eu estarei aí
de qualquer maneira.

Foi permitido a vocês, para esclarecimento de sua


própria Luz, ver sua pessoa (a personagem), de ver
realmente a natureza desse mundo onde predominam a
avidez, a predação, a competição. O Amor não conhece
nada de tudo isso, mas vocês tem sido literalmente
levados sobre os caminhos desviados a fim de se
desviarem disso que vocês são. Tudo foi construído, no
seio da sociedade ocidental como nas outras sociedades,
para distanciar vocês do que vocês são, para distraí-los,
para que vocês não olhassem em vocês, nem mesmo os
inconvenientes desse mundo. Vocês foram obrigados,
de diferentes maneiras, a ganhar sua vida. A vida não se
ganha, ela é dada, isso que efetivamente está longe do
que acontece, quanto mais o tempo passa, sobre esta
Terra. O reinado do adversário só tem um tempo; esse
tempo foi definido pelo próprio Pai e esse tempo
termina.

O único dever de vocês é serem livres. A única função de


vocês é ser esse que vocês são, a fim de que tudo o que é
a rotina, os hábitos, os erros se distanciem de vocês. É o
sentido de minhas palavras: “Vigiem e orem”.
Novamente, não mais por qualquer vantagem no seio
desse mundo, mas para progredir, se eu posso dizer, em
sua eternidade.

A falsificação do mundo neste período de Liberação


alcança naturalmente seu ápice e seu pleno potencial,
isso foi anunciado desde muito tempo. E é justamente
no seio dessas condições onde a escuridão predomina,
que vocês devem se encontrar, e que vocês se
encontram.

Não serve para mais nada julgar essa sociedade, nem


mesmo nenhum irmão nenhuma irmã, a vocês pertence
somente estarem consolidados nisso que vocês são e de
mostrar, não em seus gestos ou em suas palavras, mas
pela realidade de seu coração, pela verdade de sua Luz.
A aproximação dos mundos sutis que vocês vivem de
múltiplas formas e de múltiplas maneiras, encontra de
alguma forma hoje sua conclusão.

O Espírito apareceu em vocês. Quaisquer que tenham


sido os nomes que foram empregados pelos pedagogos
que lhes estão acompanhando, vocês podem agora
ultrapassar todos esses nomes, todos esses circuitos,
todas essas estruturas vibrais, para ir ao essencial e o
essencial é só o Amor.

A Inteligência da Luz lhes desviará cada vez mais e de


todas as maneiras possíveis da Ilusão, mostrando-a em
vocês, permitindo atravessá-la, abstendo vocês de
qualquer julgamento. A Luz não julgará jamais; no
Amor, a Liberdade é total, mesmo para aqueles que
foram chamados os maus rapazes. A punição, se eu
posso dizer, será já suficientemente pesada se vendo
Amor e se vendo a pessoa que jogou, não é necessário
somar o que quer que seja como punição, como castigo.
Ninguém julga vocês e ninguém os julgará. Como eu
havia dito, lhes será feito segundo sua fé, segundo sua
consciência e não segundo seu histórico, suas dívidas.
Isso faz parte das últimas graças, que não são
decretadas nem por mim nem por minha Mãe, mas pelo
próprio Amor.
Não existem faltas ou pecados, como disseram, mortais;
isso é uma heresia daqueles que retomaram minha vida
para ancorar uma outra falsificação.

Lembrem-se que o Amor, independentemente da Paz da


Alegria que ele lhes proporciona, é uma força
inalienável e invencível, não no sentido de um combate
para entregar, não no sentido de uma luta, mas como
uma evidência que se instala para todos e cada um,
despertos ou não.

Eu os encorajo na medida do possível, para cada um de


vocês, organizar em seus horários, o tempo justamente
de encontrar vocês mesmos. Que isso aconteça para
vocês pela natureza, pelo Silêncio, por um cochilo, por
uma oração ativa, pelo repouso, pouco importa. É
necessário que sua vida seja efetivamente preenchida
de Luz, qualquer que seja o tipo de situação de seu
corpo ou de sua vida.

Não procurem mais modificar qualquer processo de sua


vida, mas simplesmente modificar seu coração, manter
sua casa limpa. Como eu disse, eu virei como um ladrão
na noite, primeiro para alguns entre vocês e no
momento adequado para o conjunto de vocês, sem
nenhuma restrição.

O tempo da Ressurreição é também, para muitos de


vocês o tempo da redenção. Entendam por redenção
que não há erros para corrigir, que nem há faltas a
perdoar, mas que há sobretudo, a se reconhecerem,
além de sua pessoa, de sua carne, mesmo de sua alma.

Eu não venho para julgá-los, mas eu venho para ajudar a


cortar o que deve ser, se tal é a Liberdade de vocês.

Eu imprimo já, de maneira que vocês poderão qualificar


ainda invisível, a determinação do Amor e a força do
Amor, a fim de os acompanhar nas últimas fases de sua
ressurreição e de sua liberdade.

Meus irmãos, minhas irmãs, é tempo talvez também de


ajustar o que parece a vocês ter que ajustar. Eu havia
dito: “O que está ligado sobre esse mundo será
desligado sobre esse mundo. O que está ligado no Céu
será desligado no Céu”. Então pare e trabalhe no que a
Inteligência da Vida lhes dá a viver, façam cada coisa
pacífica e calmamente e não esqueçam jamais, mesmo
no seio das atividades as mais triviais, a realidade de
seu coração. Apoiem-se sobre ele, está cada vez mais
presente e cada vez mais consolidado, o que quer que
vocês pensem e o que quer que vocês vivam ainda como
dificuldades.

O Amor quer vocês totalmente e não por fragmentos. E


o próprio Amor se impõe, sem violência, cada dia e cada
minuto um pouco mais, o que quer que vocês pensem, o
que quer que vocês digam.
Qualquer que seja a intensidade do que vocês têm a
viver no seio de seu efêmero, quaisquer que sejam as
dificuldades ou as alegrias desse mesmo efêmero, não
esqueçam jamais que o Amor é tudo, que o Amor pode
tudo, e que o Amor é o que vocês são, a despeito de toda
aparência contrária. A única força de vocês, nesses
tempos, o único alimento de vocês nesses tempos, é
antes de tudo o Amor; o resto segue e decorre daí. Isso
foi dito a vocês numerosas vezes, o Amor é simples, o
Amor é humilde, ele não se importa com nenhum
conhecimento nos domínios do Espírito. Eu havia dito
aliás: “É necessário se tornar como uma criança”. Não
diante desse mundo, mas diante da Luz.

Eu venho então hoje lhes anunciar meu retorno. Não me


procurem em um corpo de carne porque aquele que
pretendesse outra coisa do que ser o Cristo ressuscitado
estaria na mentira. Mas aquele que é o Cristo
ressuscitado não tem necessidade de vestimenta, não
tem necessidade de discursos, não tem necessidade de
desempenhar um papel, ele é simplesmente ele mesmo,
amoroso, tolerante, na Paz e na Alegria. Ele se coloca no
lugar de cada um e prova cada um em seu próprio
coração, não para o avaliar ou o julgar, mas para estar
em harmonia, para estar na comunhão ou para estar no
perdão, face ao erro desse mundo, ao erro das
sociedades, ao erro da predação e da competição.
Vocês irão naturalmente, pela Inteligência da Luz e o
estado de Graça, aí onde lhes conduz a Luz, aí onde está
sua verdade, sem dificuldade. Não se preocupem com os
eventos, quaisquer que sejam. Eu havia dito também: “O
pássaro se preocupa com o que vai comer amanhã?” No
Amor, vocês não terão nunca mais fome; no Amor vocês
não terão jamais frio; no Amor, não lhes faltará nada.
Isso é uma promessa e uma certeza, que certamente não
é talvez ainda completamente atualidade nisso que se
vive nesse momento, mas, uma vez o Apelo de Maria, de
minha Mãe, realizado, vocês não poderão duvidar desta
verdade.

Então não se preocupem com nada em relação aos


eventos. Vivam sua vida, assumam suas tarefas o
melhor que puderem, mas não esqueçam de vigiar e
orar ao mesmo tempo.

Eu lhes insuflarei, para muitos de vocês, o que é talvez


ainda útil para lhes consolidar e lhes estabelecer
definitivamente em sua ressurreição.

A hora é para a liberdade interior. Quaisquer que sejam


as privações da liberdade exterior, elas não têm
nenhuma importância, em relação a isso que vocês são.
Quando muito esta importância pode lhes aparecer
durante esses tempos, mas isso só passará e não poderá
durar além disso que é tolerável pela consciência global
da humanidade.
O Arcanjo Miguel que trabalha seu céu desde muito
tempo vai tocar cada vez mais frequentemente o solo da
Terra, não se alarmem. Na medida em que os eventos
exteriores tomarão importância ao redor de vocês, na
medida que vocês constatarão que o Amor se consolida
em vocês. Não há nenhum paradoxo, há simplesmente o
estabelecimento do Amor – em vocês –, e que
dependerá cada vez menos, justamente, das
circunstâncias de suas vidas, de sua situação, de sua
idade, de suas obrigações.

Essa mensagem não se dirige exclusivamente a vocês


que tem despertado suas Coroas ou que vivem o Fogo
Ígneo, mas se dirige a cada irmão e a cada irmã cujo
coração está pronto, mesmo que não tenha vivido nada.

Como todos vocês, eu não conheço a data. Como eu


disse em minha vida: “só o Pai conhece a data.” O efeito
surpresa, e vocês sabem, é um dos maiores elementos
da Revelação, não para surpreender, mas bem mais
para siderar o coração a fim de que o coração efêmero,
quando desta sideração, se abra ao coração eterno e ao
Coração do Coração.

Então não imponham nada a nenhum irmão ou


nenhuma irmã. Todos aqueles de vocês que devem estar
a par, que isso seja recentemente ou desde trinta anos, o
estão. Todos aqueles que não devem duvidar de nada
não duvidarão de nada até o último momento, porque é
a melhor maneira para eles de viver o coração. Não
imponham nada, mas imponham-se orar, imponham-se
a Presença e vigiem.

Não esqueçam, não mais de seguir, se posso dizer, a


Inteligência da Vida e da Luz, pois a Inteligência da Luz
faz tudo para que vocês estejam no mais justo lugar,
sem nenhum desequilíbrio, não em relação a sua
situação efêmera, mas por isso que vocês têm a viver
por sua ressurreição. Não se trata de uma submissão a
Luz, mas de um reconhecimento da Luz.

Não há ninguém a submeter, não há ninguém a


convencer, há a realidade simplesmente do que se
desenrola, e que evidentemente é vista de maneira bem
diferente – ou que não é vista de tudo – segundo o que
vocês são nesse momento específico.

Qualquer que seja a adversidade aparente no seio de


sua pessoa ou de sua vida, guardem preciosamente a
Alegria, guardem preciosamente a Paz, pois é esta
Alegria e esta Paz que são o testemunho de seu Amor e
que são seus salvo-condutos, para a Ressurreição em
curso.

Como vocês o vivem talvez, e como vocês estão


informados talvez, os sinais da Terra e do Céu alcançam
um nível que nunca foi conhecido nesta Terra, mesmo
nos ciclos precedentes. E como minha Mãe lhes disse,
não haverá mais nenhum atraso, haverá uma
intensificação em todas as revelações. Tudo o que deve
se ajustar sobre a Terra será ajustado, tudo o que deve
desligar no Céu será desligado. Vocês têm apenas que
ser quem vocês são, cada dia, de maneira cada vez mais
intensa, cada vez mais evidente, cada vez mais amorosa.

Nesses tempos particulares, o Amor é então seu salvo-


conduto, sua única certeza, seu único alimento, seu
único objetivo. A Inteligência da Luz fará tudo para lhes
reaproximar deste último objetivo.

Se isso lhes é possível, não procurem mais os sinais do


Céu e da Terra – eles estão todos presentes –, não
procurem mais a data, mais procurem o tempo para
vigiar e orar. Isso lhes permitirá consolidar não
somente o Amor, mas de aumentar a Alegria e a Paz, as
únicas coisas que vocês têm necessidade, para si como
para o mundo.

Contrariamente a seus reencontros com os povos da


natureza, ou contrariamente também a maneira a qual
vocês entram em contato com os intervenientes que se
expressam desde numerosos anos pelo Canal Mariano,
eu lhes lembro mais do que qualquer outro eu sou o
Cristo interior e assim eu aparecerei em seu coração – e
unicamente em seu coração. Mesmo que a visão em uma
forma que corresponde a isso que vocês pensam, não
será o elemento determinante, mas bem mais o que
decorrerá mesmo no seio de seu coração, quer dizer não
somente o Fogo Ígneo, não unicamente as Coroas
radiantes, mas verdadeiramente um Amor indizível e
muito simplesmente incrível, com uma tal intensidade
que todo o resto será varrido, todo o resto não existirá
mais.

Vocês viverão esse momento o que algumas Estrelas


lhes narraram a respeito de seu Casamento Místico
comigo. É isso que eu venho lhes mostrar. Não se trata
de um ensinamento, não se trata de um encorajamento,
não se trata de palavras, não se trata de censuras, se
trata de uma evidência.

Então eu lhes repito: “Não tenham medo”. Paz para


vocês, Paz sobre vocês e Paz em vocês. Não pode ser de
outra forma no Amor, mesmo que o conjunto das
fundações desse mundo e de suas vidas se desagreguem
uma depois das outras. O Amor é seu salvo-conduto, o
Amor é seu alimento, mais do que nunca durante este
período.

Eu lhes agradeço de estarem presentes. Eu pedirei a


vocês também difundir o que eu lhes tenho dito. Eu não
pertenço a uma entrevista, nem a uma reunião, nem a
um calendário, eu pertenço a liberdade de seu coração,
e é isso o essencial.
Permitam-me, desde já, lhes dar a paz, e de lhes dar meu
coração. De meu coração em seu coração, que a Paz, a
Alegria, o Amor sejam como nunca.

No nome do Amor do Um, eu amo vocês.

Tradução: Mariana Anzzelotti


Dezembro 2016
A Luz estabeleceu de novo seu Reino Eterno

Queumademinha Paz, a Alegria e o Amor estejam em cada


vocês.

Antes de me expressar, instalemo-nos juntos nessa


comunhão.

Irmãos e irmãs em humanidade, O tempo chegou onde


cada um deverá lavar suas roupas no sangue do
cordeiro. Alguns de vocês receberam e receberão a
Revelação de minha Presença em seu peito.

O impulso Metatrônico novo chegará em alguns de


vocês, vos fazendo despertar totalmente vossa
dimensão de Filhos Ardentes do Sol. Alguns de vocês, na
verdade, limparam sua casa a fim de que eu me
estabelecesse. Cada um de vocês nos tempos que
chegam são chamados à me revelar, sobretudo neste
período prévio ao Apelo de Maria, nossa Mãe de todos.
A iluminação real e completa de vosso coração vos dá a
viver o estado de Paz perpétua e de bem-aventurança
onde o Amor se alimenta dele mesmo se gerando ele
mesmo, além de toda relação, de toda pessoa e de todo
objeto, e de toda intenção.

Como isso vos foi dito, os tempos estão cumpridos e o


que se vive neste período, vocês sabem por vivê-lo ou
por tê-lo ouvido, é o momento onde tudo que vos foi
escondido é revelado, para vocês, por vossas relações,
pelo conjunto da humanidade. A Luz ilumina, e ela
iluminará cada vez mais tudo o que está presente na
superfície dessa Terra.

Neste período eu sou vossa defesa, eu sou o Caminho, a


Verdade e a Vida e, como disse minha Mãe, desde que
vocês me acolham, vocês são também o Caminho, a
Verdade e a Vida, vos levando a irradiar, sem nenhuma
vontade e sem nenhum desejo o Fogo Ígneo do Amor
nesse mundo, em cada canto desse mundo, em cada
relação, em cada contato. Nisso se realiza a Liberação da
Terra por vosso intermédio e por vossa presença. Assim
hoje eu saúdo e honro cada um de vocês.

A ação das forças Micaélicas permitiu como vos foi


anunciado, semear em um primeiro momento algumas
águas da terra. A espada de Miguel penetrando e
fecundando as águas da terra, revela o que foi mantido
escondido, o que vos tem manipulado, o que vos tem
distanciado da Verdade eterna. O tempo chegou, hoje,
de colocar abaixo a fraude da Igreja desde o Vaticano II,
a hora chegou de desmascarar os usurpadores de Buda,
os usurpadores de Maomé, os usurpadores da lei de
Moisés. O tempo é da colheita, o tempo é da retribuição,
mas antes de tudo, o tempo é da Graça e do perdão
inefável do Amor. Cada um de vocês receberá o que lhe
é devido, cada um de vocês descobrirá a verdade da
história desse mundo como de todo mundo.

Eu sou vossa defesa, eu sou vossa força e eu estou em


vocês, eu sou vocês desde que eu esteja instalado em
vossa morada.

Os carismas abundarão; o falar em línguas, o falar em


Amor se tornará vosso Verbo. O Verbo de vossa
Presença recoberto do Manto de minha Mãe e de vossa
Mãe, portador do impulso Metatrônico e de minha
Presença, vos fará irradiar espontaneamente e
naturalmente um Amor que vos é desconhecido,
concedendo a vocês se reencontrarem na Verdade e no
Caminho autêntico dos Filhos da Lei do Um.

Alguns de vocês que me acolhem e me acolherão


previamente ao Apelo de Maria, portarão neles os novos
códigos de vida dessa Terra que ascensiona e de vocês,
meus irmãos e minhas irmãs, que vão, em vossa
Liberação, para a Liberdade.

Assim, desde este instante, eu convido cada um de vocês


ao Amor indizível de nossa comunhão. Nossa Mãe vos
disse e anunciou que o pandemônio da Terra, em sua
organização falsificada, se revela sob vossos olhos, quer
vocês estejam despertos, liberados ou adormecidos, vos
dando a ver as manobras desse mundo, suas armadilhas
que vos confinaram e mantiveram nas crenças diversas,
na adesão a isso que é morte, ao que não permanece.
Então eu venho vos pedir hoje, a cada um de vocês, de
vigiar e orar e de me acolher.

Neste período muitas coisas vão ser mudadas,


transformadas, aqui mesmo sobre esta terra e em cada
um de vocês, vos conduzindo a fazer a escolha entre o
Amor ou o resto, entre o Amor ou o medo. Essa escolha
não pode ser ditada por vosso mental, mas será ditada
exclusivamente por vossa presença em vosso coração,
por vossa presença na eternidade, aqui mesmo, na
superfície desse mundo. Então hoje eu vos repito:
“vigiai e orai e também deixem este Amor estar
presente, sem condição, sem explicação, sem
justificações”.

Eu venho hoje vos convidar ao sagrado de vossa própria


ressurreição. Tudo isso que acontece em vocês como no
interior de vocês, tudo o que acontecerá no exterior de
vocês sobre a imagem desse mundo, em qualquer
manifestação que seja, é a consequência de vossa
presença enquanto dignos Filhos Ardentes do Sol.

A Alegria e a Paz indestrutíveis são o sinal de minha


vinda em vossa morada. O Arcanjo Uriel e Lorde
Metatron são os dois agentes, caso possa dizer, que
trabalham na manifestação, nesse mundo, do Filho
Ardente do Sol que cada um de vocês é e será, e foi. O
Fogo Ígneo vem consumir as últimas reticências, as
últimas dúvidas, as últimas interrogações, as últimas
apreensões.

Numerosos de vocês são chamados a manifestar


espontaneamente carismas inéditos. Esses carismas
participam de maneira forte no restabelecimento da
Verdade prévia à Liberdade, prévia à sequência que
deve se desenrolar agora, o mais rápido e melhor.

Como vocês sabem, desde 2011, a Terra está liberada, a


Luz estabeleceu de novo seu reino eterno. Não vos
deixem distrair pelos eventos desse mundo, não vos
deixem levar por qualquer contrariedade do que quer
que seja, mas vos deixem levar pelo que está em vossa
morada. Vocês estão acompanhados como nunca. O
conjunto da Confederação Intergaláctica dos Mundos
Livres, vocês sabem, se mantém agora ao alcance do
coração, ao alcance da vista.

O Amor, assim, crescerá ou nascerá em cada um de


vocês, levando a bem colocar em ação e em atividade
vossas estruturas de Existência, de maneira simultânea
e conjunta. O Espírito do Sol e o Coro dos Anjos que
cantam em todos os sentidos se tornarão visíveis e
acessíveis, vos dando a ver as engrenagens do mundo,
assim como o profeta Ezequiel as haviam descrito em
seu tempo. Então sim, Eu vos convido ao Batismo do
Espírito, à Ressurreição do Espírito, à vinda da Verdade.
Bem amados Filhos da Lei do Um, o momento chegou do
que eu profetizei quando de minha vinda e que foi
transcrito por meu bem amado João. É tempo de
compreender – e de viver, sobretudo – que vocês não
são desse mundo. Qualquer que seja a beleza residual
desse mundo, apesar de seu confinamento, é tão pouco
em relação à vida livre onde vocês estabeleceriam vossa
morada. Essa tomada de consciência é essencial
previamente ao Apelo de Maria que espera vos
encontrar cada dia mais numerosos a estar abertos à
vossa Mãe e à Liberdade.

Respeitem os Apelos da Luz, as ordens da Luz, e se


reajustem se isso for necessário, a cada instante,
permanecendo humildes e espontâneos na retidão de
vossa eternidade, na retidão de vossos comporta-
mentos, na retidão de vossas expressões. Eu venho hoje,
desde hoje reunir o que eu chamei na época,
afetuosamente “meu rebanho”, a fim de vos devolver
para a Liberdade eterna e de devolver vocês a vocês
mesmos.

A concretização da transmutação ou transubstanciação


final de vosso corpo efêmero que está em dissolução,
vos aparecerá cada vez mais claramente, de maneira
cada vez mais evidente.

Permaneçam em vocês, em alguns de vocês no


momento, se torna mais fácil cortar os últimos laços da
Ilusão, em vocês como em toda parte da superfície do
planeta, vos fazendo viver, experimentar e redescobrir
as virtudes e os poderes do Amor que são os poderes de
vida onde nenhuma morte pode mesmo ser pensada
nem considerada. Então eu vos digo novamente: “Bem-
vindo em sua ressurreição, bem-vindo em vossa casa,
bem-vindo na beleza, bem-vindo no Amor”

Pela Graça do Fogo Ígneo e pela Graça de Lorde


Metatron, eu vos abençoo e assim eu vos abençoarei
cada dia, vindo insuflar um sopro de vida nova, vindo
insuflar o poder do Verbo, vos fazendo encontrar, de
maneira ainda mais sensível, a Paz do coração que eu
vos dou neste instante onde vocês me leem, onde vocês
me ouvem.

Eu me dirijo também àqueles meus irmãos e irmãs


encarnados sobre a terra e que estão ainda desviados
de sua Luz. Eu venho vos implorar de ser o que vocês
são e não o que vocês possuem, pois mais nenhuma
possessão, de qualquer natureza que isso seja, poderá
manter nem ser mantida em muito poucos dias. Não
façam projeções sobre minhas palavras concernentes ao
tipo de evento porque tudo é possível, e o mais
importante não é o que se desenrola sobre a cena desse
mundo, mas em vosso coração, nesses instantes.

Eu reativo hoje em vocês, graças à semeadura de


Miguel, a totalidade do Fogo Ígneo, do Espírito do Sol,
do Coro dos Anjos e do Impessoal. Assim é o Amor que
consome, em uma bem-aventurança infinita, isso que
não pode ser destruído e que se renova
permanentemente: a força da Vida Una, a força do Amor
e da Luz do novo autêntica.

Como vocês sabem, e como isso vos foi anunciado desde


já numerosos anos, a ação dos Cavaleiros vai se tornar
cada vez mais palpável. A revelação da escuridão, a
revelação da Ilusão, vai se acelerar e se finalizar em um
fogo de artifício de Amor, de Luz e de Verdade. Então eu
vim vos dizer hoje de maneira mais urgente: “Deixe os
mortos enterrarem os mortos e siga-me, se torne o que
você tem sido sempre e deixe partir o que faz parte da
Ilusão, isso faz parte do efêmero, e mantenha-se de pé
em seu Coração Ascensionado”

É possível que para alguns de vocês, meus irmãos e


irmãs, haja um pequeno atraso de aclimatação para esta
intensidade e para esta Presença. Não esqueçam que a
natureza vos é de uma grande ajuda, lá onde há árvores,
lá onde há rochas, lá onde há água, lá onde não há
impressão, se eu posso dizer, da sociedade, como em
vossas cidades. Os povos da natureza, neste período, são
colocados a vossa disposição para se juntar a vocês
quando de algumas de vossas noites, acompanhados o
mais frequente de meus anjos chamados Anjos do
Senhor, vindo vos sustentar na emergência de vossa
verdadeira verdade.
Vocês não têm mais necessidade, definitivamente, para
aqueles de vocês que me tem acolhido, de procurar
qualquer coisa do exterior em vocês porque o mundo
está em vocês e que o mundo é vocês, assim como o
universo e os multiversos. Cada um de vocês será
chamado a esse sacrifício do efêmero pelo sagrado da
Eternidade. Se isso não for hoje, se isso não for amanhã,
isso será num dia próximo.

Eu me dirijo também a meus irmãos e irmãs em


humanidade que não tiveram ainda a oportunidade de
viver o que vocês vivem, lembrando a vocês o que eu
disse sempre os últimos seriam os primeiros a me
reconhecer e a me viver. Isso vai vos aparecer também
cada vez mais claramente.

Não esqueçam de que o coração é infalível, vos dando a


ver a Verdade em toda circunstância, sem ter que
refletir, que suspeitar, que questionar ou em que vos
interrogar em face de cada circunstância de vossas
vidas, em face de cada irmão e irmã. E não esqueçam
que é quem tem recebido mais a quem muito é pedido, e
isso é agora. E lembrem-se também que o que vocês
fazem ao menor de vocês, é para vocês mesmos que
vocês fazem. E lembrem-se também de deixar os mortos
enterrarem os mortos, viver sua tristeza, viver sua dor
diante da destruição da Ilusão pela aparição da Luz, e
que está no seio deste sofrimento e desta dor, que pode
também vos tocar, que se realize o apoio o mais perfeito
com a extração da Ilusão, e então para a Liberação.

Vão além de toda aparência. E se minha morada é vossa


morada, então isso vos aparecerá claramente, com
evidência. Assim que vocês tiverem me acolhido. Então
o Fogo Ígneo poderá preparar um caminho na
totalidade de vosso corpo e na totalidade de vossa
consciência.

Eu transmito a cada um de vocês o Espírito do Sol. Eu


transmito a cada um de vocês o Coro dos Anjos, em
nome da Verdade, em nome da Vida, em nome da Luz,
em nome do Amor. Tudo isso é para vocês porque isso é
vocês, isso que vos permitirá então de ver aparecer o
que foi escondido e invisível. Eu sei que muitos de vocês
já tiveram, que isso seja em vossas noites, que isso seja
na natureza, de reencontrar e de viver as outras
dimensões, aquelas da Liberdade. Isso vai se tornar
possível permanentemente, vos dando a ver o que é
para ver e para esta claridade e esta precisão desta nova
visão interior, é esta visão que permitirá a dissolução
dos saldos remanescentes da resistência com a Luz, em
vocês como nesse mundo.

Não esqueçam, não mais, nesses tempos particulares,


assim como eu fiz por meus apóstolos de lavar vossos
pés, de lavar vossas mãos, a fim de acolher com mais
facilidade esse dia novo que cada dia será novo e que
cada dia aumentará de densidade e de intensidade. O
Espírito do Sol, quanto a ele, tocara a terra, em suas
últimas camadas isolantes, assim como o sol da terra.
Isso não quer dizer que cada um de vocês, despertos ou
não, sentirão necessariamente os benefícios, mas os
resultados serão visíveis de maneira tangível em alguns
lugares da terra, segundo os horários onde isso se
produzirá.

Não se deixem derrotar ou desviar pelo espetáculo


escandaloso que vos oferecerão aqueles que se
consideram ainda como os tolos desse mundo, para
retomar, uma expressão do Comandante dos Anciãos.
Tomem firmemente vossa morada, vigiem e orem,
estejam alegres, estejam em paz, sejam humildes, e,
sobretudo, sejam verdadeiros. A Luz não pode em
nenhum caso se acomodar de qualquer maneira com o
que é falso em vocês como em toda parte.

O tempo chegou, para alguns de vocês, de esquecer até


no sentido mesmo de ser uma pessoa, até no sentido
mesmo de ter vivido uma história ou uma evolução
qualquer sobre esta terra. Eu peço àqueles de vocês que
me têm aberto sua morada ou que me abrirão nos dias
que se anunciam de estarem atentos ao que o coração
pede, ao que o coração diz, ao que o coração propõe, ao
que o coração coloca em funcionamento ao redor de
vocês como sobre o conjunto desse mundo.
Então neste instante onde quer que vocês estejam e
qualquer que seja o dia onde vocês me lerem ou me
ouvirem, de viver esta Graça acompanhados do Espírito
do Sol, lá onde a Luz reina onde a criação e a expressão
da vitalidade da beleza é permanente, em qualquer
esfera e em qualquer morada que seja, dignem-se a me
acolher, vão além de todo paradigma dito religioso,
além mesmo da história que eu vivi há dois mil anos.

Os mecanismos físicos da Ascensão da Terra se


desenrolam agora sob vossos olhos, através da ação dos
Cavaleiros, mas também em vocês, não permitindo mais
nenhum subterfúgio ligado ao ego, a possessão, o
desejo, porque quando no Amor, não há lugar para o
desejo porque tudo está presente e não falta nada.
Então eu digo a inúmeros de vocês, cada dia mais
numerosos: “Eu estou convosco pelos séculos dos
séculos. Eu estou convosco pela Eternidade.” Eu estou
convosco porque você e eu somos Um, como eu disse na
época: “Eu e meu Pai somos Um.”

Não deixe mais nada vindo de qualquer passado ou de


qualquer história perturbar ou alterar seu Coração
Ascensionado, o resto de seu corpo seguirá em seu
tempo e em sua hora. A cada um de vocês que me
percebeu nele, a Graça se tornará cada vez mais
fulgurante em todos os sentidos desta palavra.
Aqueles que me acolheram e que me acolherão
previamente ao Apelo de Maria são minha vanguarda de
Luz, daqueles que estão sobre o sol desta terra. Eu não
vos peço nada senão de serem verdadeiros nesses
momentos, eu não vos peço nada senão serem vocês
mesmos neste estado novo, em ressonância com o
Coração Ascensionado onde tudo é sinal e onde tudo é
reconhecimento.

Então você que tem me lido, você que tem me ouvido,


você que me tem recebido ou você que ainda não me
recebeu, eu convido neste instante à Graça de nossa
comunhão, à Graça. Eis que numerosos anos, numerosos
de vocês me acolheram, ou às vezes tem acolhido minha
Luz e minha essência. Hoje, se trata de outro patamar,
se eu posso dizer, deste acolher e de minha instalação.
Então eu derramo sobre vocês, em cada um de vocês, o
dom da vida eterna, o dom da Graça e o dom da
Verdade. Como o Sol faz, eu dirijo isso a cada um de
vocês, até mesmo ainda desviado de mim, até mesmo
ainda distanciado, porque desde agora e nesse dia, não
há mais distância para alguns de vocês.

Eu terminarei por essas palavras: o que lhe dá a viver


esse mundo, o que você tem a ver sobre a tela desse
mundo de sua consciência efêmera, o que vocês têm
para suportar, não esqueça que no coração, você é
saciado além de todo pedido. Não esqueça que somente
o coração é essencial, que todo o resto, desde agora, só
representa os entraves ou os freios de sua ressurreição.

Muito breve, não se tornará mais possível se apoiar


sobre a materialidade desse mundo e ainda menos
sobre as crenças, mas unicamente sobre a vivência de
seu Coração Ascensionado. Então eu comungo em seu
coração enquanto você comunga em meu coração.

Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida. Eu sou o que você


é quando todos os véus são cortados e quando todas as
ilusões são retiradas. Assim, na Nova Eucaristia, eu
consagro seu Coração Ascensionado.

Eu lhe digo: “Se você quiser, desde agora a cada dia,


onde se situam os instantes propícios, você pode me
acolher em sua morada.”

Eu amo você, eu lhe abençoo e eu digo a cada um de


vocês que nos temos reunido. Eu lhe digo então quando
você quiser, em seu coração, eu lhe abençoo uma última
vez neste instante.

Eu me retiro agora em você, se você o quiser, e eu digo a


cada um de meus irmãos: “De toda maneira alegrem-se,
o tempo do sofrimento terminou. Alegrem-se porque eu
estou convosco, porque eu estou em vocês.”

Tradução: Mariana Anzzelotti


Maio 2017
É tempo de se descobrirem livres

Que minha Paz esteja em cada um de vocês.


Irmãos e irmãs em eternidade, recolhamo-nos um
instante na Graça do coração. Eu abençoo cada um de
vocês em sua chama eterna. Que o Espírito de Verdade
cubra-os de bênçãos. No Amor, eu honro cada uma de
suas Presenças.

Como isso lhes foi dito, a ascensão da Terra


propriamente falando teve inicio em 08 de março de
2017. Progressivamente, a Confederação Intergaláctica
dos Mundos Livres também como Maria lhes
propuseram viver a comunhão com sua eternidade,
vindo lembrá-los o Juramento e a Promessa antes
mesmo do Apelo de minha Mãe. Onde quer que vocês
estejam sobre esta terra, e de qualquer origem que
vocês venham sobre o plano do efêmero como sobre o
plano de Eternidade, vocês são cada dia mais
numerosos a viver a Verdade, lhes fazendo descobrir
que seu Reino não é desse mundo, que seu Reino está
dentro de vocês.

Eu saúdo aqueles de vocês que ousaram atravessar as


últimas portas, abandonando então todo conhecido e
vivendo desde agora sua ressurreição. A pequena Coroa
de sua cabeça, a joia se desenvolve no seio mesmo do
efêmero, não dando mais somente a ver, não dando
mais somente a entrar em relação com os mundos
invisíveis aos seus olhos de carne. A descida do Espírito
Santo, do Espírito de Verdade vem magnificar a
beatitude e a felicidade de seu renascimento na
Eternidade.

Minha Mãe lhes disse há algum tempo, as tribulações


humanas estão prestes a chegar à sua consciência,
permitindo a revelação final se estabelecer. Cada um de
vocês é chamado, pela Graça do Espírito Santo para
viver sua ressurreição. Onde quer que vocês estejam
situados, mais ou menos longe de seu coração, a mesma
Graça da descida do Espírito se realiza cada dia em um
número mais e mais importante de irmãos e de irmãs.
Muitos de vocês vivem desde agora a Graça do Espírito,
vindo emergir de seu Coração do Coração no seio desse
mundo. Aí está a Paz, a única que é verdadeira; aí está a
felicidade, a única que é autêntica.

Eu venho nesse dia bater à sua porta, acompanhando o


Espírito de Verdade. Como vocês sabem e como vocês
vivem, o que se vive atualmente é o fim de um mundo e
a Ressurreição nas Moradas de Eternidade, nas
moradas de felicidade. Seu coração se eleva e
ascensiona, lhes fazendo comungar neste Espírito de
Verdade onde não pode subsistir a menor interrogação,
o menor questionamento. Para muitos de vocês, os
diversos carismas vão entrar em manifestação, lhes
dando de alguma maneira a consolidar sua eternidade
neste efêmero que se distancia.

Eu venho convidá-los nesse dia a entregar todas as


armas do ego, a se inserir na doçura da Paz e na
felicidade da Eternidade. Eu venho nesse dia,
acompanhando o Paráclito, para libertar em vocês, se
vocês me acolhem, o que pode restar de hesitação ou de
incerteza quanto ao que vocês são em verdade. Porque
em verdade eu lhes digo, o que eu fiz há dois mil anos,
vocês farão o mesmo e bem maior ainda.

O conjunto das sociedades da terra, através das culturas


diferentes, das origens diferentes, quaisquer que sejam
as crenças, quaisquer que sejam as religiões, quaisquer
que sejam os povos, eu dou a cada parte desse mundo a
possibilidade de viver a libertação do confinamento, do
sofrimento e da Ilusão. Eu venho dar-lhes isso desde o
instante em que vocês aceitam a pequenez de todo
efêmero, desde o instante em que vocês não olham mais
atrás de vocês, nem diante de vocês, mas claro,
exclusivamente no interior de vocês, a fim de descobrir
sua majestade, sua grandeza, sua verdade.

O tempo é para a união mística com o que eu trouxe e


realizei para cada um de vocês na superfície desse
mundo. Em verdade, ninguém pode me conhecer se não
nascer de novo em sua eternidade. Ser livre é já aceitar
o princípio da Liberdade, aceitar a eventualidade de que
nada que vocês vivem na superfície desse mundo é
verdade, que nada que lhes é conhecido ou conhecível
pode ser de alguma utilidade para viver o que vocês são.
O que vocês são não tem necessidade nem de condições,
nem de crenças, nem de uma forma, nem de um tempo
qualquer. Viver e descobrir a Liberdade é estar
permanentemente na felicidade e na alegria do coração,
sem objeto e sem sujeito, sem intenção, e sem
desempenhar nenhum papel na superfície desse mundo.

Eu venho convidar cada um de vocês a lavar suas


roupas, a se regenerar, a esquecer os sofrimentos, a
esquecer os lutos, a esquecer as resistências, a esquecer
as influências sofridas no curso de suas peregrinações
neste confinamento.

Somente vocês que podem salvar vocês mesmos, desde


o instante em que vocês se reconhecem e me
reconhecem, não através dos rituais, não através dos
dados históricos, mas simplesmente em seu coração, na
Liberdade.

Lembrem-se, sobretudo, que não há nada a salvar no


seio da Ilusão, é necessário a vocês, efetivamente, como
eu havia dito, se tornar como uma criança inocente e
pura, quaisquer que sejam as nódoas presentes em suas
vidas, quaisquer que sejam os desequilíbrios. Busquem
seu Reino que está dentro de vocês, e todo o resto
decorrerá daí.

Isso é necessário, para muitos de vocês, de não mais se


interessar pelo vai e vem desse mundo, pelos jogos da
sombra e da luz presentes desde muito tempo nesse
mundo – que foi livre há muito longo tempo. É
encontrando a verdade de seu coração que vocês se
liberam e que vocês liberam o mundo. Reconhecendo-
me, vocês se reconhecem, bem acima de minha
presença sobre esta terra e de minha história, bem
acima de sua primeiríssima vez em encarnação.

A Verdade é simples, tão simples que tudo foi feito no


seio desse mundo para distanciá-los, para privá-los.
Hoje não há mais nenhum álibi que permaneça no seio
desse mundo, no seio da sociedade, como no seio de seu
efêmero, para se opor ao Amor.

Eu convido vocês então a depositar seus últimos fardos


aos meus pés, eu convido vocês hoje, pela Graça do
Espírito Santo a se aliviar voltando seu olhar em direção
ao essencial. Isso colocará fim, se isso já não foi feito, à
sua sede desse mundo, a sua sede de ilusões. É tempo de
vocês se darem conta, se isso já não foi feito, de que
estritamente nada que vocês possam conhecer das leis
desse mundo, pode lhes permitir escapar dele.
As coisas são desde agora diferentes, quaisquer que
sejam as etapas que vocês tenham podido viver até o
presente, e isso desde trinta anos, vêm demonstrar-lhes
a verdade do Amor, a verdade da Eternidade, e a
falsidade do amor desse mundo. Na verdade, vocês não
deveriam confundir o Amor da Vida e o amor desse
mundo, mesmo que muitos de vocês tenham sido
seduzidos pelas sirenes desse mundo através de uma
espiritualidade alterada e incompleta, e com razão. É
tempo de se descobrirem livres, não dependendo de
nada que tenha feito sua pessoa nesse mundo, não
dependendo de nenhuma de suas regras, de nenhuma
de suas leis, a fim de se colocarem, o coração leve na lei
do Um.

Minha Mãe anunciou a vocês o início formal das


tribulações humanas. Aceitem isso, mas como graça
voltem, cada dia que vai passar, seu olhar em direção à
Verdade, porque nenhum elemento desse mundo no
seio desse efêmero é capaz desde agora de traduzir a
vocês, de uma maneira ou de outra, esta Verdade.

A matriz Arcôntica, vocês sabem, toca seu fim – ele é


irremediável e definitivo. Eu sei, é claro, que muitos de
meus irmãos humanos estão desviados da finalização
desse mundo, crendo ter que realizar alguma redenção
na perpetuação desse mundo. A vida eterna – isso que
vocês são – não poderá jamais estar de acordo com o
que é falso, com o que é limitado.
O reino dos controladores está terminado. Quer vocês
estejam conscientes ou não, quer vocês recusem ou
aceitem não muda nada disso, porque vocês irão
descobrir em verdade, se isso já não foi feito, que tudo
está em vocês, em sua Morada da Paz Suprema, nessa
Eternidade. Todo o resto é passageiro e vai se apagar
definitivamente, trazendo-lhes a Alegria eterna e
definitiva. Nenhum prazer desse mundo, nenhum ganho
no seio desse mundo poderá jamais satisfazê-los além
de sua vida efêmera.

O que eu venho lhes propor, é de não mais serem


afetados por qualquer ilusão que seja, e de deixar o
Amor florir em vocês em cada olhar, em cada palavra,
em cada circunstância, mas não levando em conta nada
do que pertence a esse mundo.

Eu lhes disse em inumeráveis repetições: vocês estão


sobre este mundo, mas vocês não são desse mundo.
Esqueçam assim toda culpa, toda retribuição chamada
cármica; vocês são livres de toda eternidade. Muito
poucos de vocês tiveram a ocasião, nesse ciclo, de
verificá-lo e de vivê-lo. Hoje isso está relacionado a
muitos, com um número crescente de irmãos e irmãs.
Cada dia que passa, cada dia que decorre, lhes aproxima
coletivamente da Liberdade.

As circunstâncias humanas desse mundo vão conduzi-


los a deixar suas certezas de segurança de qualquer
natureza que seja, vindo lhes mostrar e lhes demonstrar
que a única segurança está em sua eternidade e isso não
pode comprar com nenhum dinheiro, com nenhum
sorriso, com nenhum papel, com nenhum apoio sobre
sua pessoa e sobre as leis alteradas desse mundo dual.
O conjunto das religiões, o conjunto dos movimentos
espirituais organizados nesse mundo não são mais do
que simulacros; a única verdade só pode se apoiar sobre
cada um de vocês e interiormente. Desde o instante em
que sua consciência se apoia sobre qualquer elemento
presente nesse mundo, vocês não são livres, vocês estão
acorrentados à lei do carma, vocês são presos nessa
matriz que se desfaz. A matriz Crística, e isso lhes foi
dito, é a matriz da Liberdade, onde nada pode ser
confinado – nem mesmo a Unidade –, de nenhuma
maneira. Vocês são perfeitos de toda eternidade em sua
eternidade; vocês serão sempre imperfeitos em
qualquer pessoa que seja, que essa pessoa seja a mais
santa possível, que esta pessoa me tenha desposado
conscientemente, e algumas irmãs Estrelas lhes falaram.
A única Verdade não depende de nenhuma
circunstância desse mundo.

Eu convido vocês a deixar florir as flores e as Graças do


Amor, a deixar aparecer, transparecer e emergir, enfim,
o Fogo Ígneo no seio desse mundo.

Isso que vocês chamam seus campos de energia vão se


transformar, lhes dando a viver em consciência como na
carne o que é ser o Caminho, a Verdade e a Vida, não
como um ideal ou um objetivo, mas como uma verdade
que golpeia a cada respiração de seu coração em vocês.
Então eu lhes repito hoje com ainda mais firmeza:
“Deixem os mortos enterrarem os mortos”. A única
ajuda que daqui para frente vocês poderão trazer a esse
mundo, na sua Liberação ou sua Ascensão, não pode vir
de nenhum efêmero. Que isso seja um dinheiro, que isso
seja um sorriso, que isso sejam as palavras, eles lhes
parecerão bem insípidos e bem inúteis em face do
poder de seu coração.

É tempo agora de colocar fim a todo jogo no seio do


efêmero; é tempo de finalizar sua liberdade; é tempo
hoje de deixar aparecer o que vocês são. E o que vocês
são não tem necessidade de sorrisos, o que vocês são
não tem necessidade de palavras, o que vocês são não
tem necessidade de justificações nem de demons-
trações, porque vocês são a prova viva da Verdade. Mais
nada poderá alterar esta Verdade desde o instante em
que vocês a acolhem, porque são vocês mesmos,
definitivamente, que se acolhem.

Então eu repito hoje: “Amem-se uns aos outros, como eu


vos amei”. O julgamento, vocês sabem, pertence à
pessoa e a este mundo, e às leis desse mundo. Vocês não
podem julgar e serem livres porque vocês não veem a
Verdade além de seus sentidos e além de suas
percepções.
Viver a Ressurreição nesse período abençoado de
tribulações é uma esperança e uma chance inusitada,
não em algum futuro, mas sim para viver essa felicidade
não dependendo de nenhuma circunstância e,
sobretudo, não de seus conhecimentos ou de suas
aquisições no seio desse mundo, mesmo que lhes
pareçam até esse dia os mais espirituais e os mais
luminosos que sejam, porque todas essas experiências
que vocês tiveram, todos esses reencontros que vocês
viveram, foram apenas uma preparação para viver a
Verdade que não é desse mundo.

Mais nada poderá ser mascarado ou escondido, em


vocês como no exterior de vocês, colocando abaixo
todos os sistemas de defesa, de predação e de
escravidão residual existentes.

O fim da Sociedade das Nações, o fim da pseudo-


harmonia entre os povos que é somente feita com
equilíbrio entre as ganâncias de cada um não terá mais
segmento. O único recurso estará dentro de vocês. Eu
convido vocês já nesse dia, por antecipação e de
maneira solene, a integrar o que vocês são e que não
passará jamais, porque todo o resto irá passar e se
apagar, deixando o Amor nu, não dependendo de
nenhuma forma, de nenhuma pessoa, de nenhuma
história, nem mesmo de nenhum mundo.
A Verdade se revela não mais de maneira progressiva,
mas para cada um de vocês, com uma forma de
fulgurância, uma forma de evidência, onde não há mais
lugar para a menor mentira. Ora, esse mundo é uma
mentira permanente.

Vocês são a Vida, mas vocês não são esse mundo; vocês
são a Vida, mas vocês não são nenhum apego a esse
mundo, em qualquer laço que seja ou em qualquer
prazer efêmero de suas peregrinações.

Eu sei, porque eu vejo, que um número sempre maior


de vocês aspira só uma única coisa: é o retorno em sua
eternidade. Eu lhes digo, aquele que está apegado a esse
mundo não pode estar na Vida eterna. É necessário
estar apegado à Vida, porque vocês são a Vida e
quaisquer que sejam seus prazeres, quaisquer que
sejam seus caminhos, quaisquer que sejam suas
satisfações nesse mundo, definitivamente, para aquele
que está liberado, isso não representa senão fantasias e
perdas de tempo. Vocês estão fora do tempo.

Então eu lhes digo hoje: ousem romper os últimos


apegos à Ilusão desse mundo, a fim de estar em Vida e
em Verdade; não há outro caminho senão esse. Mas a
Luz e o conjunto da Confederação Intergaláctica dos
Mundos Livres, lhes devolvendo à sua liberdade, lhes
deixando livres de se estabelecerem nas experiências
que vocês desejarem, mas em nenhum caso elas
poderão se desenrolar sobre o que vocês conheceram
até o presente.

Muitos de vocês que estavam até o presente na negação


e na raiva vão reencontrar o sorriso, porque essas
negações e essas raivas, mesmo que elas foram
angustiantes para alguns de vocês, se dissolvem com
cada vez mais evidência para deixar lugar a isso que
tem estado sempre aí.

Não mais estar apegado a qualquer cenário ou qualquer


história, ou qualquer carma os isenta, hoje, das leis da
matriz, das leis dos Arcontes. Quaisquer que sejam as
aparências desse mundo, quaisquer que sejam suas
sirenes, quaisquer que sejam suas posses, quaisquer
que sejam suas experiências, qualquer que seja a
intensidade do que lhes parece ter vivido, isso não
representa nada ao olhar da eternidade que vocês são.
Então eu convido vocês nesse dia, a se voltarem
definitivamente na verdade de seu coração, na verdade
da Vida. A vida na superfície desse mundo é possível, é
claro, graças ao Amor, apesar do confinamento.

No momento em que muitos de nossos irmãos e irmãs


encarnados dormem sempre, ignorando o que eles são,
é tempo agora de vir abalar o conjunto da humanidade
no seio de suas certezas, no seio de seus moldes
espirituais confinados. Muitos ensinamentos lhes foram
dados; esses ensinamentos não visavam senão uma
única coisa: chegar a este instante o mais disponível
possível, o mais autêntico possível, vocês são desde
agora suficientemente numerosos a ter vivido isso, e
vocês serão ainda mais numerosos a viver pela Graça.

Lembrem-se que em quaisquer circunstâncias que


vocês tenham que atravessar no seio desse personagem
efêmero, que a única coisa que poderá aplacar sua sede,
como aplacar toda dor e todo sofrimento, será seu
coração e sua eternidade.

Todas as interações chamadas relações sociais, relações


afetivas, relações filiais, relações no sistema, qualquer
que seja, terminam. Eu convido vocês então à Paz, a
única Paz verdadeira e válida aquela que está dentro de
vocês, não dependendo de nenhuma circunstância
desse mundo, de nenhuma facilidade, de nenhum
conforto como nenhum desconforto. Eu convido vocês à
eternidade, esta Eternidade que não pode se
acompanhar de nenhuma restrição, de nenhum
nascimento como de nenhuma morte, onde nenhum
sofrimento pode afligi-los, onde nenhuma dúvida pode
se manifestar, onde todas as escolhas são possíveis,
porque não há nenhuma escolha, senão for aquela de
ser Amor e Luz. Todo o resto são apenas os jogos da
consciência.

Eu convido vocês à Paz, não mais somente à Redenção


ou ao arrependimento, mas simplesmente para
esquecer de tudo o que é passageiro e que passará
definitivamente. Esse mundo passa, mas a Vida não
pode passar, esse mundo se encerra, é o início da
verdadeira Vida, o início da verdadeira Alegria, da
verdadeira felicidade, o reino do contentamento. Ela é
interior, ela não pode ser comparada a nenhuma alegria
desse mundo e a nenhum amor desse mundo, que é
apenas um simulacro da Verdade.

Então eu repito: “Eu vos dou minha Paz”, então eu


repito: “Deixe o que é morto e o que vai morrer se
desprender de você, porque nada do que é morto pode
ser verdadeiro”. É o mesmo para a sua forma, é o
mesmo para todos os seus laços e todas as relações que
vocês estabeleceram no seio desse mundo. A única
relação verdadeira é, desde agora, aquela de seu
coração a coração, pelo Caminho da Infância, pelo fato
de desaparecer cada vez mais frequentemente nesse
mundo. Isso não é triste, isso não é uma perda, mas isso
é a Verdade que lhes pertence verificar por vocês
mesmos.

Na medida em que vocês desaparecem, na medida em


que vocês veem as ilusões desse mundo, vocês
constatam com evidência que seu coração está aí, que a
Paz está aí, que esse coração a coração é a única
Verdade. Apenas vocês que podem verificar. Eu venho
não salvá-los, porque não há nada a salvar na
Eternidade, tudo já está são e salvo. Somente a
personalidade pode ainda crer e esperar salvar o que
quer que isso seja de Ilusão, da crença em uma evolução
do que é perfeito em toda eternidade. Vejam o
subterfúgio dos Arcontes que foi fazê-los acreditar que
vocês eram imperfeitos, que vocês deviam corrigir,
quando vocês são a Vida, quando vocês são a Verdade. É
tempo agora de cessar todas essas máscaras e de jogar o
jogo da Liberdade e da Verdade, que não é desse
mundo.

Nesses tempos, e como eu havia dito, todos aqueles que


manterão a sua vida no seio do efêmero, a perderão,
todos aqueles que mantêm a verdadeira Vida em
eternidade salvarão o que eles encontraram, que não
tem nada a ver com as leis desse mundo, com as formas
desse mundo, exceto, talvez, por isso que vocês
puderam reencontrar no seio da natureza e que não foi
afetado pelo confinamento da humanidade e pelo
confinamento da Terra.

Então eu lhes repito uma terceira vez: “Paz a cada um


de vocês, Paz na Vida eterna”.

O Fogo do Coração, o Fogo da Verdade, o Fogo da


Alegria, entram em manifestação. Os carismas,
quaisquer que eles sejam, que vão se manifestar ou se
manifestam já, não podem em nenhum caso recolocá-
los nesse mundo, mas só podem permitir a vocês de
estarem de alguma forma ancorados na Eternidade, na
verdadeira Vida.

Então, nesse dia, meu coração exulta, como o seu, desta


Verdade anunciada e reencontrada.

Vejam todos aqueles que mantêm os fios desse mundo


por isso que eles são: os seres iludidos pela força e o
poder da cabeça e que perderam sua Autonomia e sua
Liberdade. Eles não são condenáveis nem julgáveis,
porque eles poderão dizer eles também, como eu
mesmo fiz: “Pai, perdoai-os, eles não sabem o que eles
fizeram”. Nenhum de seus irmãos humanos, nenhum de
meus filhos portadores de uma alma de início, pode ser
julgado. Pode justa e simplesmente se readaptar a isso
que ele é durante esses alguns meses que Maria
anunciou a vocês desde muito tempo. É nisso que vocês
não podem conhecer as razões exatas de um irmão e de
uma irmã que lhes parecem o mais oposto à Luz, porque
vocês não os conhecem, porque se vocês veem isso, isso
quer dizer que vocês não viram além das aparências,
isso quer dizer que vocês não viram verdadeiramente,
porque senão haveria em vocês o mesmo amor por cada
consciência, em qualquer aparência que fosse, em
qualquer pretensão que ela se apresenta a vocês.

O confinamento não vem dos humanos, vocês sabem,


mesmo que alguns tenham contribuído jogando o jogo
da predação, o jogo da apropriação, que não é nada
senão uma forma de egoísmo dissimulado. Isso foi
explicado a vocês em numerosas reprises através de
todos os falsos espiritualizados. Que isso seja as
religiões, que isso seja as organizações, que isso seja os
movimentos ditos espirituais, eles são todos ligados,
sem nenhuma exceção, a esse mundo, e então à Ilusão
nomeada Luciferiana.

Pois a cada um de vocês hoje eu posso dizer: “Você é


pedra e sobre esta pedra eu construirei minha Igreja”,
que é a Igreja interior, a Igreja exterior é só um
substituto que os possui em suas armadilhas, em suas
ilusões, em seu disfarce. É tempo hoje que eu venha
colocar abaixo, como eu fiz há mais de dois mil anos,
todos esses mercadores do templo, todos esses
mercadores de ilusões, todos esses mercadores de
esperanças, todos esses mercadores de sonhos que não
são a Verdade.

Pertence a cada um hoje, não mais acreditar e não mais


aderir a estas fantasias. É tempo de serem verdadeiros,
não por momentos, mas na permanência do Amor sem
nada buscar a compreender, sem nada buscar a
discriminar. Amem, amem acima de tudo, sobretudo
quando vocês não compreendem, sobretudo quando
vocês não sabem, porque aí está o Amor, o mais puro,
que não leva em conta nenhum pré-requisito, nenhuma
condição nem nenhum objetivo. Aí está a Verdade, todo
o resto são apenas as enganações, definitivamente,
vocês sabem.

Mas a omissão e o medo conduzem vocês a estas


estratégias. O mundo, e a sociedade, regida pela
competição e a predação lhes têm obrigado e forçado a
se concederem um espaço ilusório de proteção; isso
está daqui para frente terminado. Qualquer que seja sua
idade, quaisquer que sejam suas posses, vocês só são
livres se vocês aceitam deixar morrer e se distanciar o
que está destinado a morrer.

Alguns intervenientes lhes disseram, vocês não são esse


corpo, vocês não são nada que pertence a esse mundo; é
tempo de vivê-lo antes que haja o ranger de dentes, que
eles também, de alguma maneira, passarão.

Deixem seu coração ser, não o agarrem a nada disso que


pertence à sua pessoa ou à história. É assim que vocês
são livres, é assim que vocês estão na Alegria
verdadeira e na felicidade. O que lhes diz sua pessoa, o
que lhes dizem seus parentes, o que lhes dizem suas
leis, o que lhes dizem as regras desse mundo, tudo isso é
falso, tudo isso não existe, é um devaneio e um sonho.
Então saiam do sonho e vejam, vejam a magnificência,
vejam a beleza do que vocês são e que jamais poderá
transparecer através da pessoa que vocês jogam nesse
mundo.
Então nesse instante, onde quer que vocês estejam,
qualquer que seja o dia em que vocês ouvirão ou lerão,
qualquer que seja o lugar que vocês estejam, eu lhes
dou minha Paz eterna, eu lhes dou o perdão, eu lhes dou
o que vocês são: esta Paz, esse perdão, este Amor. Não
se deixem mais arrastar pelas sirenes da espiritualidade
desse mundo, nem se deixem mais arrastar, mas
permaneçam na felicidade, todo o resto só faz
sobrecarregá-los. Vocês querem a Paz, vocês querem a
Verdade? É isso aí, não há outra.

Oremos juntos, não para pedir, porque tudo já está aí,


mas para render graças e para a alegria da felicidade,
para a alegria da Eternidade.

Deem-se a Vida, a Vida eterna onde nenhuma sede pode


aparecer.

Que minha Paz esteja em cada um de vocês desde esse


instante. Eu rendo graças à sua Presença, ao seu escutar,
à sua leitura, eu rendo graças à sua eternidade. Eu
rendo graças, neste fim dos tempos da Terra à Vida que
corre em vocês, que é vocês.

Eu lhes dou minha Paz e eu absolvo vocês de tudo que


vocês podem considerar como um pecado, porque o
único pecado é acreditar na Ilusão desse mundo, se
privando da Vida eterna e do Amor.
Que o Amor infinito da vida se revele em vocês e
coloque fim ao motor do sofrimento, ao motor da Ilusão.
É tempo agora que eu me cale e que cada um de vocês
fique nesse silêncio, que não tem necessidade de
nenhuma palavra nem de nenhum suporte.

Em nome da lei do Um, em nome da Verdade, em nome


da Vida, eu honro cada um de vocês, sobretudo aqueles
de vocês que estão desviados de minha face ressentidos
pelas mentiras das religiões.

Eu lhes rendo graças e eu lhes agradeço.

Tradução: Mariana Anzzelotti


Junho 2017
Nada pode reter a Revelação Final

QueDou-vos
a Paz esteja em todos vós e no vosso interior.
a minha Paz e acolho a vossa Paz.

Venho hoje para vos convidar a ultrapassar todas as


noções que vos foram dadas e incutidas pela história ou
pelas religiões acerca da minha travessia entre vós há
cerca de dois mil anos.

Venho hoje convidar-vos a que façam a Paz convosco e


comigo. Não me encerrem em nenhuma história nem
em nenhum papel. Cada um de vocês é hoje o que Eu
Sou para que possa integrar em seu interior: "Eu e o
meu Pai Somos Um“ como Eu Sou Um com cada Um de
vocês. Não mais me procurem em qualquer
representação, em qualquer história, em qualquer
religião, pois todas elas falharam.

A partir do momento em que a minha igreja foi


transformada numa outra coisa diferente da Verdade
inicial, é tempo, como vos disse minha Mãe, de se
retornarem para o vosso interior a fim de se
reencontrarem completa e integralmente. Não mais
acreditem em qualquer palavra sobre mim, não
acreditem em qualquer história, mas experimentem Ser
o que Eu Sou no que vocês são, aí, onde não é preciso
nenhuma imagem ou história, mas apenas a Verdade
que aí reside. Não me procurem com uma determinada
forma ou num determinado ser humano pois estou em
cada um de vós. Quer vocês o tenham visto ou não, não
muda em nada esta Verdade.

Neste Agora, a vossa Comunhão na Nova Eucaristia não


precisa de nenhum intermediário nem de qualquer
suporte, pois não dependeis de nenhum suporte
exterior nem de nenhuma condição. É chegado o
momento de bater à vossa porta, à porta do conjunto da
humanidade. Nada pode deter o meu braço, nada pode
deter o que emana do Coração do Coração, nada pode
reter a Revelação final.

Convido cada Um, para além da história e do


personagem histórico, que foi construído e alterado
depois da minha vinda, eu vos convido a encontrar-Me
no vosso interior, onde Me encontro em cada Um de
vocês, para além de qualquer caricatura de mim e de
qualquer mentira. Nestes tempos, não acreditem em
ninguém que se proclame ser o Cristo, ele só poderia
estar a mentir, pois eu não estou representado em
ninguém em particular. Vocês são, cada um de vocês,
todos os meus apóstolos. Não faço nenhuma distinção.
Não há nenhuma hierarquia entre cada um de vocês e
Eu. Estamos religados diretamente, pois Somos o
mesmo. A partir do momento em que disseste: “Pai, que
a Tua vontade se faça.”, tu fazes Um com o que tu És.
Não mais é necessário um personagem, não mais são
precisas memórias ou histórias, e ainda menos religiões,
quaisquer que sejam. A Verdade é nua e ela aparece em
plena luz do dia, mesmo através da falsa luz deste
mundo.

Venho convidar cada Um de ti, a lavar as suas vestes


efêmeras, perante a minha Presença, para que o seu
Corpo sem costura, o seu Corpo de Eternidade se
manifeste totalmente, face a este mundo, sem esforço e
sem dificuldade. Para isso é necessário afastares de ti as
últimas imagens que restam de um personagem
morrendo sobre a cruz da sua crucificação. É preciso
afastares de ti tudo o que te foi inculcado de mentiras,
relativamente à minha vinda.

Eu estou em ti, não para perpetuar qualquer história


ilusória e falaciosa deste mundo, mas apenas para te
trazer a minha Paz, aquela da Alegria e do Amor, essa
beatitude que te é devida.

Neste dia, venho anunciar a minha Presença efetiva em


cada Um de vocês, desde o momento em que voltais o
vosso pensamento para o vosso Coração. Eu não estou
em nenhum lugar da vossa cabeça, em nenhuma
memória, em nenhuma história, qualquer que seja, pois
uma vez que Eu e o meu Pai Somos Um, estamos para
além de qualquer história. A história, como sabem, diz
apenas respeito a este mundo, falacioso como outro
qualquer mundo.
Eu já vim, para alguns, bater à vossa porta, graças ao
impulso Metatrônico. Hoje bato à vossa porta, para que
façam toda a Luz e toda a Verdade sobre o que vocês
são para além deste mundo, e que não tem nada a ver
com este mundo.

Eu venho trazer-vos o Verbo, aí onde não há mais


possibilidade, onde não há nenhum lugar onde escapar
a essa Verdade do Verbo. O Amor é a única força que
permite a Vida, mesmo nesse mundo falsificado onde
vocês apenas estão colocados.

Eu vim convidar-vos a estar em Comunhão e a fusionar


com o que Eu Sou e com o que vocês São, que é a mesma
Verdade, com a mesma intensidade e com a mesma Luz.
Acolham-me, tal como Eu vos acolho em meu seio, com
a mesma intensidade e com a mesma Verdade, a fim de
que o bálsamo do Amor e da consolação não deixe
persistir qualquer ligação, qualquer apego à Ilusão.
Efetivamente é chegado o tempo de se retornarem
integralmente em vós, não para se isolarem de qualquer
circunstância da vossa vida ou ao vosso redor, mas sim
para beneficiar desta força Infinita, que porá fim como
nunca antes, a toda a sede.

Eu vos convido à Água da Vida, à Água do Alto, aquela


que vos fecunda, e que se derrama desde o cimo da
vossa cabeça até ao mais íntimo do vosso Coração, aí
onde Eu permaneço e permanecerei.
Repito, não me procurem em nenhuma forma presente
ou passada, nem em qualquer forma futura, porque
cada um de vocês é o meu digno representante, sendo
Filho Ardente do Sol, e É a minha digna Presença. Não
há nem superior nem inferior, nem mais avançados ou
mais atrasados, nem preeminência nem submissão,
apenas há a Verdade.

Volto a dizer: “Eu Sou o Caminho, a Verdade e a Vida” e


Eu Sou a Paz. Qualquer que seja a minha ação através de
vocês neste mundo, ela obedece à vontade do Amor, à
força do Amor e à intensidade da Verdade. Esta Verdade
é Absoluta, não pode ser relativa ou condicionada a
qualquer evento que seja, não depende de nenhuma
recompensa nem de nenhuma justificação.

Não creiam em nada mas sintam-Me e vivam-Me no


vosso interior. Então, a Eternidade que vocês são
tomará os comandos com evidência sobre o
personagem, sobre o corpo e sobre todas as histórias.
Tal como minha Mãe vos disse, doravante não há mais
circunstâncias prévias, ou condições prévias. Há apenas
a Verdade nua, que aí está, disponível para cada um,
com a mesma força.

O que quer que possa vir afetar-vos, no seio do vosso


efêmero, Eu Sou o bálsamo da consolação. Eu Sou, tal
como a minha Mãe, quem vos toma nos seus braços e
pelo seu Amor transcende tudo o que deve desaparecer.
Então, se me acolherem, nenhum sofrimento ou
nenhuma cicatriz poderá aí permanecer. Fiquem livres,
em vocês, mas fiquem livres também de todos os
dogmas desse mundo, que fizeram com que ao longo
das encarnações e dos anos que foram passando, após a
minha vinda, vocês tivessem ficado atordoados e vos
doutrinaram cada vez mais e de formas variadas, no
apego a esse mundo, no apego à vossa história.

Qualquer que tenha sido a minha Presença nesse


mundo, entre vocês, hoje etou em vosso Coração, bem
mais Presente do que pude estar há mais de dois mil
anos. Jamais vos abandonei. Na última ceia, vos convidei
para me recordarem bebendo o vinho e partindo o pão.
Hoje isso acontece no vosso interior, sem ser necessário
qualquer elemento exterior. Assim é a Nova Eucaristia.
Os intermediários, onde quer que seja, qualquer que
seja o seu reconhecimento ou valor, devem afastar-se
perante o vosso próprio valor.

Eu encontrei-vos, tal como vocês me reencontraram,


apesar de todos os condicionamentos e contingências
de todas as histórias que foram construídas depois da
minha vinda.

Hoje, vocês são todos convidados a ser os Filhos Únicos


do Pai, pois é a isso que vos chamo e faço isso no
silêncio. Não preciso de nenhum discurso no vosso
interior, nem de qualquer demonstração. Não preciso
de energia, não preciso de vibrações, pois me dirijo
doravante ao mais íntimo da vossa consciência, aquela
que jamais me esqueceu, aquela que emerge Agora.

Cada um de vocês É o Cristo. Eu o tinha anunciado


quando da minha passagem, dizendo, nessa época, que
o que Eu efetuei, cada um de vocês poderia fazer, e bem
além disso. E não há que o fazer, há sobretudo que o Ser.
O que Eu Sou, vocês também o são, apenas o
esqueceram ou negligenciaram, através das vicissitudes
e das predações desse mundo, através, justamente, das
histórias, das linhas de predação, das religiões, e da
avidez da matéria.

Hoje, vocês redescobrem que são, antes de tudo, puro


Espírito. Cada um de vocês o descobre a seu modo, quer
tenha sido desde há numerosos anos através dos
processos de alquimia vibratória, quer tenha sido
mesmo através das crenças que praticaram, mas tudo
isso, hoje é acessório e supérfluo. Eu não estou em mais
nenhum lugar senão em vosso Coração, pois Sou em
todos os lugares.

A intensidade da Luz presente nesse mundo, abre


caminho à minha emergência na vossa consciência
comum.

Estou disponível para cada uma e cada um de vocês,


com a mesma intensidade, com a mesma regularidade,
em cada instante. Tal como a minha Mãe vos disse,
apenas cada um de vocês poderá reencontrar-se nesta
verdade. E todo o resto vos será dado em acréscimo.
Assim como minha Mãe vos disse, para onde vos
quereis voltar mais? Para a vossa pele nesse mundo ou
para a Verdade do vosso Ser?

Nenhuma história desse mundo, nenhuma visão desse


mundo vos poderá dar a Liberdade, pois esse mundo
apenas pode perpetuar as histórias sem fim, fazendo de
alguma maneira com que andeis em círculos, na ilusão
do Samsara, das reencarnações. E lembrem-se:
“Ninguém poderá Me Conhecer se não nascer de novo."
E esse renascimento tem lugar hoje, integralmente, se
vocês me acolherem, sem condições. É isso que vocês
querem? Ou querem antes afastar o vosso olhar de
quem Eu Sou, para levar a cabo o que é efêmero?

A perfeição da Eternidade não tem nada a ver com a


perfeição desse mundo. A perfeição da Eternidade não
tem nada a ver com as projeções das egrégoras
humanas e das histórias desse mundo. Eu Sou a garantia
da vossa Eternidade, a partir do momento em que vocês
me deixam falar no silêncio do vosso Coração, não para
aí vos deixar quaisquer palavras mas para aí estar
Presente, ao mesmo tempo que vocês, no Aqui e Agora.

Não se apoiem sobre nada mais senão no vosso Coração


e no que aí está nesse Coração.
Dignos Filhos Ardentes do Sol, o Fogo Ígneo veio pedir
para que se reúnam ao que vocês São, em toda a
Liberdade.

É um pedido que não julga, que não condena. Apenas


vos restitui a vós mesmos e assim sendo têm inteira
liberdade, dentro da vossa autonomia, para Ser, para
experimentar, na Liberdade e não mais na ilusão, os
jogos da consciência livre.

A minha Presença permite e permitirá também ver que,


mesmo se há muitas moradas na casa do Pai, vocês
estão presentes em cada uma dessas moradas da
mesma maneira. O maior contentamento do Espírito
está aqui, fazendo com que vivam a Paz. Essa Paz não é
uma Paz comum, é a Paz da Eternidade, aquela que não
tem fome perante a visão do que é efêmero e que nada
mais faz senão passar, e que não é verdadeiro. Aí,
também, de forma irremediável e com mais ou menos
evidência e fulgurância, segundo como vocês se
conseguirem abrir, no vosso Coração. E lembrem-se que
doravante o podem abrir de forma muito simples,
simplesmente através do pensamento e da consciência.

Quando São João escreveu que eu viria julgar os vivos e


os mortos, significava, é claro, uma coisa completa-
mente diferente do julgamento tal como vocês podem
concebe-lo hoje, na vossa pessoa ou dentro daquilo que
vocês chamam a justiça, que é a maior das injustiças,
porque cada caso é diferente. Nesse mundo, a justiça de
Salomão trazida por um ser esclarecido, é a única válida,
pois nenhum código de leis pode igualar o poder do
Amor, a Verdade do Amor e o meu julgamento é divino,
não condena jamais mas assegura cada um de ficar no
seu justo lugar neste momento e neste mundo, assim
como quando esse mundo cessar totalmente.

Nestes dias que vêm, muitas evidências vão se


esclarecer em vocês, assim como sobre a tela desse
mundo. Tudo o que foi ocultado virá a público, mesmo
dentro da história desse mundo, pondo fim às poucas
ilusões que ainda possam restar em vocês, de
acreditarem que são deste mundo ou de acreditarem
ser seres materiais, levando a prova, exterior e interior,
que ninguém poderá contestar, mesmo em se afastando
dessa verdade de que são seres de Amor, criados pelo
Amor e no Amor. A criação, qualquer que seja, é sempre
um ato de amor, assim como a descriação.

Não se saciem com nada mais, pois nestes tempos


reduzidos de caos, o vosso Coração e a vossa Eternidade
vos provirão absolutamente de tudo.

Não têm que se precaver com nada nem de antecipar


nada, simplesmente estar aí, na Paz, na Eternidade.
Vivam a vossa vida comum tanto quanto isto for
possível. Avancem tranquilamente, voltando cada vez
mais o vosso pensamento e a vossa consciência sobre o
coração, não mais para enviar Amor para onde quer que
seja, não tendes nada a projetar, a emitir, a dirigir; não
ireis mais ter sede, se isso ainda não aconteceu.

Lembrem-se que, quaisquer que sejam os eventos que


aconteceram e que acontecem na tela do mundo e na do
vosso personagem, tudo isso concorre, sem exceção,
para que se reencontrem com o que São, apesar das
aparências, por vezes adversas.

Convido vocês, então, se ainda não vivem nada, para


serem a Fé, a Esperança e a Caridade. Lembrem-se, tal
como foi dito por alguns dos meus apóstolos: “Mesmo
que falem a língua dos anjos, mesmo que sejam capazes
de todos os milagres, se vos falta o Amor, não sois
nada”, e isso vai ser cada vez mais evidente nos dias que
se vão seguir.

A primazia do Amor, a precedência do Amor, é a única


coisa que conta, é a única coisa real perante a qual o
vosso personagem apenas pode ser magnificado e
ultrapassado, transmudado. A vossa consciência está a
ser convidada para se reunir cada vez mais à
consciência do Corpo de Existência, o vosso novo
veículo, dando a viver e a ver isso, a fim de que deixem
de se identificar com qualquer história que seja, ou a
esse corpo denso e amputado. Quando o Amor está aí,
em manifestação, não há mais lugar para qualquer outra
coisa, e é o que vocês vão viver e ver, o que vão
vivenciar. Assim como a minha Mãe vos disse, isso é
inelutável, inexorável e cada vez mais próximo.

Ninguém conhece a data, mas a hora é Agora. Como a


minha Mãe tinha estipulado, a Ascensão da Terra
começou no início de março (2017). Muitos de vocês
tiveram longo tempo para se preparar. Muitos outros,
bastante numerosos, não suspeitam de nada e está
muito bem que seja assim. “Felizes os simples de
espírito pois o Reino dos Céus lhes pertence“, e essa
simplicidade é aquela da Infância, aquela da qual muitos
dos meus irmãos Anciãos e das minhas irmãs Estrelas,
vos têm falado durante todos esses anos.

Doravante, não precisarão mais de nenhum suporte,


real e concretamente, pois nós falamos em vocês
diretamente, mesmo através do silêncio, porque isso
fica para além das palavras. Trata-se da Presença e não
da palavra, e a Presença é o reflexo do Verbo e o Verbo
não tem necessidade de palavras inteligíveis ou
compreensíveis. É o sopro do Espírito que sopra quando
quer e onde ele quer, e isso acontece Agora.

Nada temas porque é o ego que teme.

Nada temas porque é sempre a história que teme algo. O


que vocês são não tem nada a temer, bem ao contrário.

O que quer que seja que possa ainda magoar nesse


corpo, nesse mundo ou em qualquer aspecto do vosso
efêmero, vocês não precisam resolver, não precisam
compreender, apenas precisam de perdoar, ainda que
não saibam o que perdoam, porque o perdão é
acompanhado pela Graça. O perdão em si mesmo,
isolado, não serve de nada, mas o perdão e a Graça em
simultâneo mudam tudo. Perante a Eternidade, não há
nenhuma falta nem nenhum erro que não possam ser
perdoados pelo evidência da minha presença, a fim de
favorecer, o vosso Renascimento, a vossa Ressurreição.

A crucificação não é nada para aquele que está no


Coração, ela é imediatamente seguida pela
Ressurreição. Trata-se de uma forma de parto onde logo
após o nascimento vem a recompensa, se é que assim
posso expressar o que seria o mais lógico no vosso
mundo falacioso. Sejam a Vida sem limites e sem
restrições, e a Vida à qual me refiro, é claro que não é a
vida na pessoa, é a Vida no Amor. Quaisquer que sejam
as contingências presentes ainda na vossa vida, elas
tendem a desaparecer para que vocês possam ficar a nu,
para o bem de cada um na sua Liberação.

Vim convidar para celebrarmos o nosso reencontro.


Jamais vos abandonei mas é apenas agora que se torna
possível viver isso.

Não coloquem nenhuma distância entre vocês e eu, e


nisso, é preciso não mais aderir a qualquer noção
histórica ou religiosa. O que evoco hoje, não tem nada a
ver com a religião mas tem a ver com a Consciência
Eterna, e assim, com nada do que é conhecido ou
perceptível nesse mundo. Aí está o Mistério, e que não
se trata de um mistério, à medida que os dias forem
passando. Qualquer que seja o vosso estado inicial à
partida, o mesmo dom está acessível a cada um, mas de
nenhuma maneira está no passado ou num salvador que
irá chegar, mas apenas no instante presente.

Assim, a Paz está sobre vocês e em vocês.

É assim que não tereis mais sede, é assim que não


dareis mais crédito ou intenção a esse mundo que
passa, acompanhando o movimento espontâneo da
emergência do Coração a partir do momento em que o
olhar da vossa consciência é direcionado para aí e não
mais sobre os incómodos do efêmero.

Procurem o Reino dos Céus que está no vosso interior,


que já vos encontrou Agora, e todo o resto seguirá
facilmente. É a vossa consciência que deve aclarar o que
acontece no vosso Coração. Essa clarificação vos trará a
lucidez e a profundidade necessárias para viver esses
tempos últimos, os da vossa Ressurreição.

Todos os sinais preparatórios descritos nas


inumeráveis profecias, donde quer que elas venham,
confirmam isso mesmo, com facilidade e com evidência.
São chegados os tempos porque os tempos se
realizaram. Ninguém conhece a data no sentido do
calendário, porque não há mais data, está em
andamento.

Propaguem a boa nova, não com palavras, seriam armas


ofensivas, mas com o vosso resplendor, com a vossa
Presença, com a vossa humildade, de uma maneira
muito simples. Não precisam de palavras, não precisam
de gestos, não precisam de demonstrações, mas sejam a
Verdade e isso será suficiente.

É nesta Paz, aquela que agora vivemos em presença,


através da vossa escuta ou da vossa leitura, que estou
cada vez mais perto de vocês. Eu já estou em vocês.
Vejam, no que eu chamo de aproximação, o surgimento
da consciência Eterna, suplantando a consciência
comum.

Amem acima de tudo, sobretudo nas circunstâncias que


vos afetam, nos seres que vos afetam, e a vós mesmos.
Deixem que a radiância do Coração faça a sua abertura,
pois é o que vocês são.

Doravante, dentro do vosso personagem, da vossa


história, não haverá nenhum ponto de apoio para se
segurarem, nem qualquer meio de ação.

O que anuncio e digo neste dia, pede também para ser


verificado por cada um de vocês. Não peço que creiam
nas minhas palavras, mas acreditem no que o vosso
Coração diz, e ele irá dizer isso mesmo se ainda não o
disse.

O Amor, o Coração, irão suplantar todos os medos,


quaisquer que sejam e quaisquer que sejam as
aparências do caos deste mundo, e vocês o conhecem
bem o suficiente para viver, mesmo dentro do efêmero,
que às vezes, é no mais doloroso e no mais difícil - e não
é às vezes, é mesmo, eu diria, sistematicamente - que as
capacidades de resiliência e de amor, são as mais
importantes.

No silêncio de cada coração, Eu Sou presente.

Não têm nada a esperar de agora em diante, só


precisam observar o desenrolar da vossa Eternidade
nesse mundo, como o ressurgir da Verdade na tela do
jogo desse mundo. Todo o resto acontece de forma
natural e espontânea. Alguns de vocês já percebem, na
sua sensibilidade, a canção da Ressurreição que não é
senão a modificação do seu Nada, ou, se preferem, da
música da alma e do Espírito, anunciando as trombetas
e o Apelo da minha Mãe.

Agora é hora de silenciar as minhas palavras e permitir


que se exprima a nossa radiância do Coração de cada
um, na presença de cada um de vocês.

Que a Paz esteja com todos e em cada um de vocês.


Eu Sou o Cristo e vos saúdo na Paz, vos saúdo na
Eternidade, vos saúdo no Amor autêntico. Estamos
juntos até à consumação final da ilusão deste mundo.

Eu vos digo até sempre, no Amor e na Verdade.

Tradução: Maria Beatriz Pires


Novembro 2017
O Canalizador

Jean-Luc Ayoun nasceu na França e


hoje reside na Espanha. É médico
especializado em medicina chinesa e
cristaloterapia.

Como médium canalizador, canalizou mais de 60 seres


(Intervenientes) que trouxeram ensinamentos e ajustes
necessários a cada um, com o propósito de facilitar o
processo do despertar espiritual, para a realidade de
quem somos, nosso reencontro com o Estado Natural e
a vivência de Agapè, o Amor indizível.
Edição, Diagramação e Arte

Comercialização
www.livrariavoolivre.com.br/editora-shantinilaya

São Paulo – Brasil

Você também pode gostar