Você está na página 1de 18

UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONHA E

MUCURI
INSTITUTO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA
DIAMANTINA – MG
1

1° Relatório Técnico: Trocador de calor - Caldeiras

DISCENTES:
Anny Karollyne Brandão Fernandes
- 20181020023
Clara Justus Pimenta -
20181020008
Emily Rafaela de Souza Rocha -
20182020006

Diamantina- MG
2022
2

SUMÁRIO

1.Introdução 3

2.Objetivo Geral 3
3.Desenvolvimento 4
3.1 Trocador de Calor 4
3.2 Caldeiras 4
3.2.1 Tipos de Cadeiras 5
3.2.1.1 Cadeira Flamotubular 5
3.2.1.2 Caldeira aquatubular 6
3.2.1.3 Cadeira mista 6

4.Memorial de Cálculo 7
4.1 Dimensionamento da área de troca térmica 7
4.2 Seleção da Caldeira 7
4.3 Dimensionamento do trocador de calor 8
4.4 Seleção do Trocador de Calor 9

5.Conclusão 9

6.Referências Bibliográficas 9

7. Apêndice - Catálogo Caldeira e Trocador de Calor 10


3

1.Introdução

O azeite de oliva é obtido do fruto da OIea europea sativa, por esmagamento e


prensagem. Desde os tempos antigos tem sido considerado um óleo nobre, ocupando um
lugar de destaque em relação aos demais óleos comestíveis. Embora receba diversas
classificações dependendo da origem, da variedade do fruto e do grau de prensagem, o azeite
de oliva apresenta maior valor no seu estado bruto, devido às suas características naturais de
cor, sabor e aroma. O azeite de oliva virgem é obtido somente por prensagem, incluindo
apenas processos de lavagem, decantação, centrifugação e filtração, em condições que não
levam a alterações do óleo. (ANTONIASSF, R. et al).
O trocador de calor é um equipamento utilizado para a transferência de calor de um
meio para outro, sem contato direto entre eles. A troca térmica é uma técnica amplamente
utilizada em processos industriais. Existem vários tipos de trocadores de calor, como trocador
do tipo casco e tubo, serpentina, tubular, de placas, entre outros.
Uma caldeira de vapor é um equipamento térmico que tem por objetivo a queima de
determinado combustível para aquecimento de água em seu interior, que, a partir de
determinada pressão se torna vapor. Esse fluido é direcionado para um coletor distribuidor,
uma espécie de pulmão, e distribuído para suas respectivas tubulações e equipamentos.O
presente trabalho tem por objetivo o dimensionamento de um trocador de calor especificado
pelo final da matrícula de uma das integrantes do trio (nº 6) e selecionar com uma caldeira
adequada para o processo de aquecimento do óleo de oliva.

2.Objetivo Geral

Dimensionar um trocador de calor do tanque agitado com serpentina utilizando como


fluido o óleo de oliva, tendo como critérios de dimensionamento a vazão de 4 kg/s e
temperatura de saída do fluido de 75°C. Selecionar através de catálogos um trocador de calor
comercial e uma caldeira adequados à execução do processo.
4

3.Desenvolvimento

3.1 Trocador de Calor


As especificações do trocador e da caldeira serão escolhidas de acordo com o fluido
que será aquecido. Nesse relatório será realizado o aquecimento do óleo de oliva a uma vazão
de 4 kg/s, dimensionando um trocador de tanque agitado com serpentina e a caldeira ira
disponibilizar o fluido para o aquecimento do óleo de oliva.
Trocadores de calor do tipo serpentina é construído com dois ou mais tubos circulares,
em forma helicoidal ou espiral, as suas paredes podem ser lisas ou aletados dependendo da
densidade do fluido. Podem suportar grandes quantidades de energia, sendo usado como
refrigerador, aquecedor ou condensador, em tanques de fusão, soluções salinas,
armazenamento de óleo combustível, entre outros (SILVA, ROSA, 2020).

Imagem 1 - Trocador de calor tipo serpentina


Fonte:< https://www.reidotitanio.com.br>

3.2 Caldeiras
As caldeiras a vapor são equipamentos metálicos responsáveis por produzir e
acumular vapor a partir de diferentes fontes. A mais comum delas é a água, devido à
abundância desse recurso e à possibilidade de reaproveitamento através da condensação do
vapor (TSA, 2018). O armazenamento é feito em alta pressão, superior à pressão atmosférica,
e em alta temperatura.
Depois de produzido e armazenado, o calor do vapor é utilizado como fonte de
energia térmica, aquecendo ambientes, processo chamado de calefação. Pode também ser
5

utilizado para energizar e movimentar outras máquinas. Há também a função de esterilização.


Assim, os diferentes tipos de caldeiras têm utilidade tanto em residências, quanto em
indústrias ou usinas de força termoelétrica.

3.2.1 Tipos de Cadeiras

Cada segmento industrial e seus processos produtivos demandam um tipo específico de


caldeira para o máximo de produtividade, para que ocorra o maior aproveitamento do
equipamento e chegue aos melhores resultados.Alguns dos principais fatores no momento da
escolha da caldeira para a sua indústria e que devem ser levados em conta são: capacidade
produtiva, tipo de produção e segmento industrial, espaço disponível para a instalação da
caldeira, combustível indicado para o tipo de caldeira escolhida, finalidade, valor de
investimento disponível, entre muitos outros (MULTIAGUA, sd) .
Dentre os principais e mais utilizados tipos de caldeira a vapor, podemos citar 3,
sendo elas: a caldeira flamotubular, a caldeira aquatubular e a caldeira mista.

3.2.1.1 Cadeira Flamotubular

Como o próprio nome já nos sugere, a caldeira flamotubular é uma caldeira formada por fogo
dentro das tubulações. Neste tipo de caldeira, toda a fumaça e gases, produzidos durante a
queima, passam pelas tubulações aquecendo-as e fazendo com que a água que passa por fora
desses tubos se aqueçam também, gerando assim o vapor.

A caldeira flamotubular é uma das mais utilizadas nos dias de hoje e pode ser
encontrada no formato horizontal ou vertical, sendo que nas caldeiras verticais os tubos ficam
dispostos verticalmente em um corpo cilíndrico e fechado por placas e a fornalha fica
disposta neste corpo, fazendo com que os gases subam através dos tubos para que ocorra o
aquecimento da água e produção de vapor. Já na caldeira horizontal, sua estrutura se modifica
um pouco, tendo uma fornalha construída a partir de paredes de tubos com água dentro, os
quais estão interligados ao tambor de vapor, caracterizando até mesmo como uma caldeira
mista (MULTIAGUA, sd).
6

Fonte: (TOGAWA, 2020)

3.2.1.2 Caldeira aquatubular

Em uma caldeira deste tipo, diferente da anterior, é a água que passa por dentro dos
tubos. O calor advindo da queima passa em volta dos tubos, aquecendo-os. Os tubos, por sua
vez, transferem o calor para a água que está dentro deles, gerando o vapor. Essa é opção ideal
quando o objetivo é obter mais vapor e tem sido muito usada nas usinas termoelétricas.

Fonte: (TOGAWA, 2020)

3.2.1.3 Cadeira mista

Como o próprio nome diz, são caldeiras tanto aquatubulares quanto flamotubulares.
Nelas, na fornalha passam tubos de água, caracterizando a parte aquatubular. Em seguida, os
gases de exaustão seguem por tubos, para a parte flamotubular, e de lá para a chaminé.
7

Fonte: (TOGAWA, 2020)

4.Memorial de Cálculo

4.1 Dimensionamento da área de troca térmica


Para o dimensionamento do trocador tanque agitado com serpentina para aquecimento
de 4 kg/s de óleo de Oliva para uma temperatura de saída do fluido até 75°C, é necessário
primeiramente realizar o cálculo da carga térmica envolvida no processo de aquecimento.
Ainda, é necessário definirmos alguns dados, como por exemplo, o calor específico do
material a ser aquecido. Para isso, utilizamos a tabela da empresa SUCRANA - Densidade
Relativa e Calor Específico para Diversos Líquidos, encontrando assim, o valor do calor
específico do óleo de oliva igual a 0,47 kcal/kg°C a . A partir do valor, determinamos a carga
térmica.

𝐶𝑝ℎ = 0, 47 𝑘𝑐𝑎𝑙/𝑘𝑔°𝐶 = 1, 9678 𝑘𝐽/𝑘𝑔𝐾


𝑞 = 𝑤ℎ * 𝐶𝑝ℎ * (𝑇ℎ𝑠 − 𝑇ℎ𝑒)
𝑞 = (4 𝑘𝑔/𝑠) * (1, 9678 𝑘𝐽/𝑘𝑔𝐾) * (348 − 293)𝐾
𝑞 = 432, 9 𝑘𝐽/𝑠 = 432, 9 𝑘𝑊 = 372240, 8 𝑘𝑐𝑎𝑙/ℎ

Onde: Cph é o calor específico do óleo de oliva; wh é a vazão de entrada do óleo de


oliva no trocador de calor; Ths é a temperatura de saída; The é a temperatura de entrada d e
‘q’ é a carga térmica total.

4.2 Seleção da Caldeira


Nesta etapa a escolha da caldeira é realizada em função da energia que a mesma
oferece para o processo. Com isso, através da análise de vários catálogos disponíveis da
empresa Arauterm, foi possível encontrar alguns modelos caldeiras, porém atentamos para o
requisito de instalação de uma caldeira, nossa carga térmica total foi de 372240,8 Kcal/h.
Temos o modelo CVS-VL 600 que sua capacidade térmica é de 384,000 Kcal/h sendo que
esse valor é muito próximo da nossa carga térmica encontrada, sendo que precisamos colocar
8

uma margem de segurança de 20% do valor encontrado, logo, temos, 2 modelos que atende,
CVS-CL800 e CVS-HP 800 todas com capacidade térmica de 512.000. Contudo, a CVS-CL
800 possui o rendimento térmico de 78% a CVS -HP 800 possui um alto rendimento térmico,
superior a 88%, por isso, a caldeira selecionada foi CVS -HP 800. O catálogo nos fornece a
pressão de trabalho da caldeira, que é de 8,00 kgf/cm2 (7,84 bar). Como a pressão de
operação da caldeira deve ser no máximo 80% pressão de trabalho permitida, obtém-se o
valor de 6,27 bar para a pressão real de trabalho. A partir desse valor de pressão encontrado,
podemos obter o valor da temperatura que o vapor entra no trocador de calor.
Através da Tabela A-3 - Propriedade da Água Saturada (SHAPIRO, 2014), em anexo,
encontram-se valores próximos para a pressão de operação da caldeira, 6 bar e 7 bar, com
suas respectivas temperaturas, 158,9 °C e 165 °C, em consequência da interpolação feita com
esses valores, temos para a pressão de 6,27 bar uma temperatura de 160,54 °C e a entalpia de
vaporização, hf = 2080,9 kJ/kg. Ademais, é necessário determinar a vazão do vapor d’água
fornecida pela caldeira, pela seguinte equação:

𝑞 = 𝑊𝑣 * ℎ𝑓
432, 916 𝑘𝐽/𝑠 = 𝑊𝑉 * (2080, 9 𝑘𝐽/𝑘𝑔)
𝑊𝑣 = 0, 2080 𝑘𝑔/𝑠 = 748, 8 𝑘𝑔/ℎ

Onde: Wv é a vazão do vapor saturado de água que sai da caldeira e


consequentemente a que entra no trocador de calor; hf é a entalpia de vaporização do vapor
de água e ‘q’ é a carga térmica total.

4.3 Dimensionamento do trocador de calor


Para escolher o trocador de calor para esse projeto, é preciso levar em conta a vazão
do vapor que entra no trocador e a área de troca térmica que o trocador fornece. Com a vazão
de entrada já encontrada, é preciso obter o valor da área de projeto. Para a determinação dessa
área é impreterível a determinação da diferença de temperatura média logarítmica (ΔTml)
através dos valores obtidos das temperaturas dos fluidos, pela seguinte equação:

(160,54−20)−(160,54−75)
∆𝑇𝑚𝑙 = (160,54−20)
𝑙𝑛 (160,54−75)

∆𝑇𝑚𝑙 = 111°𝐶

Além disso, é preciso obter o valor do coeficiente global de troca térmica (U). Para
determinar o valor desse coeficiente, utiliza-se a tabela presente no livro Chemical
Engineering Design (TOWLER e SINNOTT, 2013), onde o valor de U para óleos leves em
aquecedores que utilizam o vapor como fluido quente é de 300- 900 W/m² °C. Desta forma,
escolheu-se o valor médio de 600 W/m²°C.
Por fim, com todos os dados determinados, encontra-se a área do trocador de calor
tipo tanque agitado com serpentina utilizados no projeto, através da seguinte equação:
9

𝑞 = 𝑈𝐴∆𝑇𝑚𝑙
2
432, 9 𝑊 = (600 𝑊/𝑚 °𝐶) * 𝐴 * (111°𝐶)
2
𝐴 = 8, 96 𝑚

4.4 Seleção do Trocador de Calor


Não foi possível selecionar um trocador de tanque agitado com serpentina pois as
empresas não disponibilizaram as dimensões para que pudéssemos realizar o comparativo
com dimensionamento para a melhor escolha do equipamento, sendo que as mesmas
trabalham apenas em forma de orçamento mas, em anexo foi disponibilizado catálogos para
conferir os modelos. As empresas que fabricam INCASE, TROCALOR, Thermo Pipe,
Spiraxsarco, Apema, Termotek.

5.Conclusão
A escolha da caldeira adequada ao processo é uma etapa muito importante, pois as
demais etapas dependem dela.
A determinação da temperatura de saturação que o vapor d’água entra no trocador de
calor ocorre a partir da determinação do calor total envolvido no aquecimento do óleo de
oliva, partindo de uma temperatura ambiente de 20°C até 75°C.
Com base nos resultados encontrados, consultou-se o catálogo disponível no site da
Arauterm e escolheu-se o modelo de caldeira CVS-CL 800, pois se mostrou o mais adequado
ao processo, uma vez que o mesmo pode operar com uma gama de combustíveis
considerados baratos e que normalmente são insumos das próprias empresas. A partir da
temperatura de saturação, foi possível encontrar o valor da temperatura média logarítmica e
determinar a área necessária para a construção do trocador de calor com base na equação do
projeto.

6.Referências Bibliográficas
ANTONIASSI, R. et al. Avaliação das características de identidade e qualidade de amostras
de azeite de oliva. Braz. J. Food Technol, v. 1, n. 1/2, p. 32-43, 1998.

ZOGHBI FILHO, João Roberto Bastos. Avaliação teórico/experimental do desempenho


termo-hidráulico do ar em trocadores de calor tipo serpentina. 2017.

TOWLER, G.; SINNOTT, R. K. Design of Reactors and Mixers. Chemical Engineering


Design. 2. ed. Oxford: Elsevier, 2013. cap. 15, p. 631-751.

ARAUTEREM, Caldeira de Vapor Saturado Horizontal Pressurizada. Disponível em:


<https://arauterm.com.br/manuais/caldeira-de-vapor-saturado-horizontal-pressurizada-13252
6.pdf >. Último acesso: 21 de Jan. de 2022.
10

SUCRANA. Densidade Relativa e Calor Específico para Diversos Líquidos. Disponível


em: <http://www.sucrana.com.br/tabelas/densidade-relativa.pdf>. Último acesso: 21 de Jan.
de 2022.

ARAUTERM. Caldeira de Vapor Saturado Compacta a Lenha. Disponível em:


<https://arauterm.com.br/manuais/vapor-caldeira-de-vapor-saturado-compacta-a-lenha-13393
1.pdf >. Último acesso: 21 de Jan. de 2022.

SILVA.M,ROSA. Avaliação teórica do uso da serpentina helicoidal na transferência de


calor de líquidos não Newtonianos em tanque com agitação. Disponível em:
<https://periodicos.unisanta.br/index.php/ENPG/article/view/2565> . Último acesso: 24 de
Jan. de 2022.

AS TITANIO: SERPENTINA DE INOX. In: SERPENTINA ESPIRAL. [S. l.],.


Disponível em: https://www.reidotitanio.com.br/. Acesso em: 22 de Jan. de 2022.

TSA, Torino Soluzioni Ambientali. Quais os tipos de caldeiras a vapor e por que é
importante fazer uma manutenção periódica?, 2018. Disponível em:
<http://www.tsambientali.com.br/quais-os-tipos-de-caldeiras-a-vapor-e-por-que-e-importante
-fazer-uma-manutencao-periodica/>. Acesso em: 22/01/2022.

TOGAWA, Victor. Os principais tipos de caldeiras, 2020. Disponível em:


<https://togawaengenharia.com.br/blog/os-principais-tipos-de-caldeiras/>. Acesso em:
22/01/2022.

MULTIAGUA. Principais tipos de caldeiras, sd. Disponível em:


<https://multiagua.com.br/solucoes-industriais/geracao-de-vapor/principais-tipos-de-caldeiras
/>. Acesso em: 22/01/2022.

7. Apêndice - Catálogo Caldeira e Trocador de Calor


Thermo-Pipe Equipamentos industriais Ltda.

Serpentinas lisa

e aletados

R. Itaparantim, 10 – Jd. Presidente Dutra – CEP 07171-050 Guarulhos – SP

Tel./Fax (11) 2279-8667 – 2279-8967

www.thermopipe.com.br thermopipe@thermopipe.com.br
Thermo-Pipe Equipamentos industriais Ltda.
R. Itaparantim, 10 – Jd. Presidente Dutra – CEP 07171-050 Guarulhos – SP
Tel./Fax (11) 2279-8667 – 2279-8967
www.thermopipe.com.br thermopipe@thermopipe.com.br

Serpentina para autoclave de


pneus Resfriador de óleo Resfriador de ar

1
2 3

Resfriador de ar Resfriador de óleo Resfriador de óleo

4 5 6

Resfriadores de óleo para o mancal de escora em usina hidroelétricas

7 8

9 10 11

12 13 14

Todas as imagem são de propriedades da thermo Pipe, seu uso sem autorização previa estão sujeito a penas prevista na lei.
Reservamos-nos o direito de alterar este catálogo sem autorização prévia
Thermo-Pipe Equipamentos industriais Ltda.
R. Itaparantim, 10 – Jd. Presidente Dutra – CEP 07171-050 Guarulhos – SP
Tel./Fax (11) 2279-8667 – 2279-8967
www.thermopipe.com.br thermopipe@thermopipe.com.br

Resfriador de óleo Resfriador de óleo de transformador

15 16

Resfriadores de óleo

17 18 19

20 21 22
Serpentina para aquecimento de óleo usado em frituras

23 24
Aquecedor de água mediante vapor

25

Todas as imagem são de propriedades da Thermo Pipe, seu uso sem autorização previa estão sujeito a penas prevista na lei.

Você também pode gostar