Você está na página 1de 4

A importância do Marketing no Agronegócio brasileiro

José Paulo Duarte Pires(1); Jéssica Rodrigues de Mello Duarte(2); Natália Cássia de Faria
Ferreira(2); Maryelle Barros da Silva(2); Scarlet de Aguiar Basílio(2)
(1) (2)
Profissional; Engenheiro agrônomo; Catalão, Goiás; Mestranda em Produção Vegetal;
Universidade Estadual de Goiás; Ipameri, Goiás.

RESUMO

O marketing representa uma ferramenta indispensável ao setor agrícola, visto que promove
maior atratividade ao agronegócio brasileiro. O presente trabalho teve por objetivo realizar
um levantamento bibliográfico sobre a importância do marketing no agronegócio brasileiro e
verificar a utilização dessa ferramenta para gestão das empresas agrícolas. Um bom plano de
marketing permite identificar os perfis dos clientes e sendo assim, focar no público alvo. A
correta utilização dessa ferramenta contribui com toda a cadeia produtiva, agrega valor aos
produtos e causa impacto positivo nas questões socioambientais. Atualmente podemos
ressaltar que o agronegócio obteve avanços notáveis nas estratégias de gestão de marca e
ações promocionais, que vieram a agregar valor ao setor, porém, ainda é preciso intensificar o
desenvolvimento de ações estratégicas e desse modo contribuir com o progresso interno e
com a ampliação global em um mercado cada dia mais competitivo.

Palavras-chave: Agricultura, Mercadologia, Tecnologia.

INTRODUÇÃO

O agronegócio compõe-se de cadeias produtivas que atuam em distintos ecossistemas


ou sistemas naturais, assumindo assim papel importante na economia brasileira através da
adoção de inovadores projetos de gestão com o intuito de aprimorar o processo produtivo,
maximizando o lucro. O termo agrobusiness tem sido amplamente utilizado para denominar
os segmentos da cadeia produtiva agropecuária, a qual inclui diversas atividades
desenvolvidas por fornecedores, equipamentos, serviços, e comercialização da produção
agropecuária, sendo o setor agrícola responsável também por grandes avanços no setor
produtivo, alto percentual em geração de renda e empregabilidade, além de alavancar o
desempenho econômico do Brasil, e se constituindo assim como peça chave na economia
nacional (MAURI et al., 2017).
A busca por melhorias e avanço no desempenho agrícola, é constante, visto que o
sistema informacional por meio da elaboração de novas estratégias de marketing é importante,
pois permite agregar valor ao empreendedor agrícola (ROSSÉS et al., 2016). Dessa forma, o
marketing requer fazer o levantamento de informações que propiciem maior vantagem
competitiva, de modo a atender as exigências dos consumidores e buscar tendências
mercadológicas, nesse contexto, diversas atividades contribuem nesse processo, as quais vão
desde o processo administrativo, até a valoração do produto comercializado (MEDINA,
2017).
A partir do momento em que produtor rural conhece seu ambiente externo e interno,
inicia-se a criação estratégias que visem maximizar a competitividade mercadológica
(TAVARES et al., 2016). E é neste contexto, onde o agronegócio necessita ampliar novos
projetos que possam garantir a melhor administração e consequentemente o desenvolvimento

187
de suas informações. O planejamento requer dados que possibilitem a obtenção de bons
resultados, uma vez que um plano de marketing se caracteriza pelas variáveis que se
correlacionam diretamente com o mercado (LAS CASAS et al., 2016).
Diante ao exposto, o presente trabalho teve por objetivo realizar um levantamento
bibliográfico sobre a importância do marketing no agronegócio brasileiro e verificar a
utilização dessa ferramenta para gestão das empresas agrícolas.

MATERIAL E MÉTODOS

O presente estudo caracteriza-se como um levantamento bibliográfico descritivo,


tendo como intuito, realizar uma análise da literatura publicada em livros, publicações, artigos
científicos, boletins. Inicialmente, foi realizada uma abordagem descritiva, de modo a
ressaltar a grande importância do marketing no setor agrícola, de modo a explorar suas
naturezas e suas características, a partir da descrição, explicação e interpretação dos fatos,
entretanto, a pesquisa também buscou aprimorar novas ideias, de modo a fornecer maiores
informações sobre o tema.
Para atender os objetivos propostos nesse estudo, e com base nos estudos dos autores
citados, a metodologia usada para o presente trabalho foi esclarecer as informações de acordo
com a pesquisa no mercado, visando os principais pontos dos consumidores e dentro das
organizações, tendo em vista o levantamento de dados dos autores, e como finalidade, auxiliar
na pesquisa. Esta etapa bibliográfica constitui-se de como podemos identificar o marketing
como uma ferramenta fundamental utilizada pelas empresas para a permanência e
desenvolvimento de organização e liderança no mercado.

RESULTADOS E DISCUSSÃO

Foram analisadas e verificadas as mudanças na forma de visualizar, administrar e


planejar as organizações rurais, mudanças essas trazidas pela inserção do marketing rural nas
propriedades. A participação da Gestão Estratégica de Marketing nos processos
administrativos do Agronegócio tornou-se fundamental e efetiva, quebrando paradigmas e
agregando valor a cadeia produtiva e seus produtos e marcas. O consumidor busca cada vez
mais por experiências únicas, diferenciadas, participativas e customizadas, e a
descomoditização dos produtos agrícolas permite a cadeia produtiva reinventar-se,
produzindo valor agregado e atendendo as demandas dessa nova visão mercadológica.
A principal função do marketing é identificar o que pode motivar pessoas, atendendo
suas necessidades através de produtos e marcas posicionadas estrategicamente para agrada-
las, sendo assim, nota-se que a adoção do marketing no agronegócio propicia ao setor
distintas estratégias de negócios, de modo a considerar que, o Brasil possui a agropecuária
orientada para as demandas de consumo, seu perfil demográfico, estilo de vida, regras
alimentares, novas estruturas familiares adaptadas as regionalidades, alimentação típica e o
avanço da medicina natural, sendo todos esses fatores influentes na forma com que o cliente
final se relacionará com o alimento (SANTOS e ARAÚJO, 2017).
Essa ferramenta mercadológica vai muito além da publicidade, comunicação entre
consumidor e vendedor, promoções e vendas, uma vez que, busca atingir as percepções e
vontades conscientes e inconscientes das mentes humanas, entender suas aspirações, sonhos,
desejos, sentidos da vida, e relacionar como tudo isso pode interagir com a realidade e suas
possibilidades. Atualmente, não é necessário apenas possuir a tecnologia, mas também é
essencial analisar o mercado, a demanda, pois o segredo encontra-se na competência para usar
todas essas chaves de ponta a ponta na cadeia produtiva, trazendo assim um novo sentido para
o agronegócio.

188
Dos Santos e Jorge (2017) ressaltam em estudo que a interação entre os fatores
interligados no processo rural possibilita que valores satisfatórios sejam agregados a todos os
envolvidos no meio, e que o marketing é uma chave para esse processo que tem a capacidade
em gerar e manter um lucrativo alicerce, trazendo vantagem competitiva.
O processo de tomada de decisão no agronegócio, depende diretamente da informação,
sendo considerada como um fator imprescindível, visto que aumenta a eficiência no uso de
tecnologias e prevê novas tendências administrativas, assim como traz estudos com enfoque
sobre pontos altos e baixos, oportunidades e ameaças (BECKER et al., 2018; DE ARAUJO et
al., 2017). Contudo, os mecanismos atuais de comunicação ainda se mostram insuficientes
para uma assertiva tomada de decisão por parte do produtor rural, pois as ferramentas para
fornecer acesso ao desenvolvimento e uso das técnicas disponíveis são escassas, sendo assim,
o planejamento no setor rural ainda é considerado como um desafio, pois grande parte é
dependente de recursos naturais, sazonalidade, perecibilidade e outros.
Apesar de todas as vantagens já destacadas, o uso de ferramentas gerenciais de
marketing na área rural ainda é muito reduzido, porém, os produtores já estão percebendo a
necessidade dessas estratégias e estão buscando cada dia mais as mesmas, pois entenderam
que apenas conhecimento técnico de produção/criação já não é mais suficiente em um
mercado que se mostra cada vez mais competitivo. Como Martins et al. (2017) destaca em
estudo, o sistema de inovação gera um impacto que o mercado impõe sobre os novos produtos
e as carências dos consumidores e nesse sentido as ferramentas de marketing tornam-se
primordiais e de extrema relevância.

CONCLUSÃO

O marketing rural se constitui como importante ferramenta para decisão sobre os


produtos a serem cultivados, serviços e programas oferecidos pelo produtor e mostram a
necessidade do agronegócio brasileiro em se utilizar corretamente essa ferramenta, visto que
além de maximizar o potencial de vendas, auxilia na gestão empresarial, bem como
proporciona grandes inovações que suprem as exigências do mercado nacional e
internacional, e desta forma, é necessário que se intensifique o desenvolvimento de ações
estratégicas de marketing, de modo a contribuir com o progresso do mercado interno, e
também com uma ampliação global em um mercado que se mostra cada dia mais competitivo.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

BECKER, A.; SEVERO, E. A.; DE GUIMARÃES, J. C. F. Uma revisão sistemática da


literatura sobre inovação e sua relação com o agronegócio. Revista da Universidade Vale do
Rio Verde, v. 16, n. 2, 2018.

DE ARAUJO, L. F.; CHAVAGLIA, R. F.; SOUZA, S. S. Sistema de informações gerenciais


em empresas rurais no agronegócio. Revista Científica do Centro de Ensino Superior
Almeida Rodrigues, v. 5, n. 5, 2017.

DOS SANTOS, C. E. M.; JORGE, C. F. B. O processo de inteligência competitiva como


estratégia de marketing no agronegócio. Revista Inteligência Competitiva, v. 7, n. 3, p. 67-
94, 2017.

LAS CASAS, A. L.; BACHA, R. A. F.; CARVALHO, C. M. E. O agronegócio e o marketing


rural no estado de Mato Grosso do Sul. Revista História & Perspectivas, v. 29, n. 55, 2016.

189
MARTINS, M. S.; BACHA, R. A. F.; MARQUES, T. A.; GODINHO, A. M. M.;
MONTEIRO, R. T. O marketing rural como ferramenta de auxílio na Agricultura Familiar:
Um Estudo de Caso no assentamento Conquista/MS. Revista Eletrônica Competências
Digitais para Agricultura Familiar, v. 3, n. 2, p. 38-52, 2017.

MAURI, G. D. N.; DE LIMA, J. G.; POZO, O. V. C.; DE FREITAS, R. R. Startups no


agronegócio brasileiro: uma revisão sobre as potencialidades do setor. Brazilian Journal of
Production Engineering-BJPE, v. 3, n. 1, p. 107-121, 2017.

MEDINA, G. Dinâmicas internacionais do agronegócio e implicações para a política agrícola


brasileira. Revista de Estudos Sociais, v. 19, n. 38, p. 3-12, 2017.

ROSSÉS, G. F.; DE OLIVEIRA, D. C.; TOMAZI, M.; DA COSTA SCCOTT, C. R. A


eficiência do marketing na cooperativa Tritícola Sepeeense: um estudo de caso. Nucleus, v.
13, n. 1, p. 447-466, 2016.

SANTOS, P. V. S.; ARAÚJO, M. A. A importância da inovação aplicada ao agronegócio:


uma revisão. Revista Latino-Americana de Inovação e Engenharia de Produção, v. 5, n.
7, p. 31-47, 2017.

TAVARES, L. C.; MENDONÇA, A. O. D.; GADOTTI, G. I.; VILLELA, F. A. Marketing


strategies in the area of seeds. Arquivos do Instituto Biológico, v. 83, 2016.

190

Você também pode gostar