Você está na página 1de 25

(21F)

Para um sistema de referência O' que se move com velocidade constante u em relação a um outro sistema
de referência O, então temos a seguinte transformação de Lorentz equivalente:

Δx=ϒ(Δx'+uΔt')
Δy=Δy'
Δz=Δz'
Δt=ϒ[Δt'+(u/c2)Δx'])

1) Relatividade da simultaneidade: Relógios sincronizados num referencial não estarão necessariamente


sincronizados num outro referencial. Em consequência, eventos simultâneos num referencial não serão
necessariamente em outro referencial. Se dois eventos acontecem simultaneamente em O' (Δt'=0), então
o tempo decorrido (Δt) entre estes mesmos dois eventos no sistema O será dado por (fazendo Δt'=0
nas transformações de Lorentz: Δx=ϒ(Δx'+uΔt'); Δy=Δy'; Δz=Δz'; Δt=ϒ[Δt'+(u/c2)Δx']):

Δx=ϒΔx'
Δt=ϒ(u/c2)Δx'

O resultado mostra que estes mesmos eventos não são simultâneos em O!!!!:

2) Relatividade do Tempo: A medida do intervalo de tempo entre dois eventos que ocorrem no
mesmo lugar do espaço do sistema de referência O' (Δx'=0), denominado tempo próprio, é medido
no sistema de referência O como (fazendo Δx'=0 nas transformações de Lorentz):

Δx=ϒuΔt'
Δt=ϒΔt'

Como ϒ>1 (Δt>Δt'), então este resultado mostra que o intervalo de tempo entre dois eventos é
mínimo no referencial O' no qual os dois eventos acontecem no mesmo lugar do espaço, ou seja, o
intervalo de tempo Δt medido em O é maior que o medido em O' (o tempo dilata para um
observador em O).
3) Relatividade do Espaço: Se um observador no sistema de referência O consegue determinar as
posições das extremidades de dois eventos Δx simultaneamente (Δt=0), então temos pelas
transformações de Lorentz:

Δx=ϒ(Δx'+uΔt') (1)

Δt=ϒ[Δt'+(u/c2)Δx']=0 (2)

Trabalhando a equação (2) temos:

Δt'=-(u/c2)Δx' (3)

Substituindo a equação (3) na equação (1), temos finalmente:

Δx=Δx'/ϒ (4)

A equação (4) revela que a medida das posições das extremidades dos dois eventos Δx' no sistema de
referência O' é maior que o medido no sistema de referência O (Dilatação espacial).
Podemos obter também a relatividade do tempo e do espaço da seguinte forma:
Lo
CERN
27 km de
circunferência
criadas

O tempo de vida próprio do muon (no


referencial de repouso do muon) é
Deltat'=2.2x10-6s. Ele percorre
Deltax'=cDeltat'=660m. Quando ele é
produzido na alta atmosfera (6600 m
acima da superfície da terra) ele
chega até a superfície da Terra.
Então a razão DeltaX/DeltaX'=10
(fator de Lorentz). Sendo assim o
tempo de vida do muon medido na
Terra (O) é 10 vezes maior, ou seja,
Deltat=2.2x10-5s. No referencial do
muon, ele vê a espessura da
atmosfera sofrer uma contração de
Lorentz por um fator de 10.
A medida do intervalo de tempo dos 2
eventos (evento 1: quando os 2 gêmeos
estão na terra antes da viagem; evento
2:os dois gêmeos estão na terra depois
do retorno do gêmeo que viajou)
acontecem na mesma posição (os dois
tempos deveriam ser próprios). Onde
está a assimetria destes dois
referenciais? O referencial do gêmeo no
foguete não é inercial!!!
(nós não percebemos velocidade, mas
percebemos aceleração!!!).
1) Uma barra move-se com velocidade 0.630c m/s em relação a um sistema de referência O. O seu comprimento de repouso L' (medido no
referencial O' ) é 1,70m. Qual será o seu comprimento medido em O? (L=L'/gama=1,32m) 2) Uma nave espacial, com um comprimento de
repouso de 130 m, passa por uma estação de observação com a velocidade de 0,740c. (a) Qual é o comprimento da nave medido pela
estação? (b) Qual é o intervalo de tempo registrado pelo monitor da estação entre a passagem da parte dianteira e a da parte traseira da
nave?

O' L'

L'

Lo=ϒL'=(5/3)x31536=52560km
Lo
é

parado

Você também pode gostar