Você está na página 1de 72

MULTIVIX CACHOEIRO

MEDICINA DO TRABALHO

Dr. Carlos Eduardo Dilen da Silva


P5 - 2021
CURRÍCULO - ATUAÇÃO

• Médico coordenador do Saúde Ocupacional UNIMED – SOU


(107 empresas, entre elas CAJUGRAM, JOLIVAN, TV Gazeta);
• Médico coordenador do SESMT da UNIMED (NR32);
• Médico coordenador do ABAV - COFRIL (NR36)
• Médico perito (ênfase em assistência técnica trabalhista).
REFERENCIAL BIBLIOGRÁFICO
• ANAMT - Código de Conduta do Médico do Trabalho. ANAMT: Belo
Horizonte, 1995. [Disponível no site www.anamt.org.br];
• Atlas (Comp.) - Segurança e Medicina do Trabalho. 53a. ed. São
Paulo: Atlas, 2003. [Manuais de Legislação Atlas, 16];
• Couto, H. A. – Como Implantar Ergonomia na Empresa. Belo
Horizonte, Ergo Editora, 2002.;
• Ferreira Jr., M. (Ed.) - Saúde no Trabalho: Temas Básicos Para o
Profissional Que Cuida da Saúde dos Trabalhadores. São Paulo,
Roca, 2000.;
• Marano, V.P. - Medicina do Trabalho: Exames Médicos e Provas
Funcionais. 4a. ed. São Paulo: LTr, 2001.;
• Mendes, R. (Ed.) - Patologia do Trabalho. 2a. ed. 2 vols. Rio de
Janeiro: Atheneu, 2002.
MEDICINA DO TRABALHO

OBJETIVO GERAL:

Capacitar os alunos para a identificação, análise e avaliação dos riscos


biológicos bem como o estudo das principais doenças do trabalho.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS (AULA 1):

Introduzir alguns conceitos sobre Medicina e Segurança do Trabalho;


Descrever as relações entre Medicina do Trabalho e segurança
ocupacional;
Conceituar o acidente de trabalho e os seus desdobramentos para o
trabalhador (INSS, afastamento, entre outros);
Listar algumas aplicações práticas sobre o assunto na prática médica;
Demonstrar a importância da disciplina para o acadêmico de Medicina.
CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

• Atestado / laudo / acidente de trabalho / CAT / INSS;


• SESMT / CIPA / riscos ocupacionais;
• PCMSO e PPRA / insalubridade e periculosidade;
• Ergonomia e EPI / proteção contra incêndio e construção civil
segurança e saúde no trabalho em serviços de saúde;
• DORT / distúrbios auditivos ocupacionais / dermatoses
ocupacionais / doenças respiratórias ocupacionais.
O TRABALHO COMO PROCESSO SOCIAL E HISTÓRICO

•Ao longo dos anos houve sempre quem se preocupasse com a


saúde dos trabalhadores, mas sem o rigor técnico científico
necessário;

•Importância no reconhecimento do processo social e histórico:


marcos no desenvolvimento do raciocínio clínico e histórico em
Saúde Ocupacional;

•Constante evolução dos aspectos históricos e sociais.


O TRABALHO COMO PROCESSO SOCIAL E HISTÓRICO

• Fatores naturais ou sobrenaturais;


• Manifestações divinas;
ANTIGUIDADE • Causas: externas ao homem;
• Agente passivo.

•Homens primitivos – caça, pesca, guerras (maior parte das


atividades eram manuais) – ameaças a integridade física –
diminuíam a capacidade produtiva;

•2360 a.C. - Papiro Seller II, egípcio - 1as referências escritas a


doenças do trabalho.
O TRABALHO COMO PROCESSO SOCIAL E HISTÓRICO

 Hipócrates(460 a 375 aC):


•PAI DA MEDICINA – na sua obra
“Água, Ares e Lugares”: menção a
casos de intoxicação por contato de
CHUMBO;
•1os relatos sobre a relação entre
patologia clínica e ocupações
profissionais (existência de
moléstias entre mineiros e
metalúrgicos);
• Apesar de descrever o quadro,
omite totalmente o ambiente de
trabalho e a ocupação.
GUERRA E PAZ, CANDIDO PORTINARI
O TRABALHO COMO PROCESSO SOCIAL E HISTÓRICO
GUERRA E PAZ, CANDIDO PORTINARI
O TRABALHO COMO PROCESSO SOCIAL E HISTÓRICO

•Plínio, o velho (23 a 79 dC):

•Descreve o aspecto dos trabalhadores


expostos ao chumbo, ao mercúrio e à
poeira;
•Menciona a tentativa dos escravos em
usar panos ou membranas (bexiga de
carneiro) para atenuar a exposição às
poeiras – PRECURSOR DOS EPIS???
O TRABALHO COMO PROCESSO SOCIAL E HISTÓRICO
Na Antiguidade: obras gregas, romanas e egípcias:

•HIPÓCRATES (460 a.C.) descreve a intoxicação por Pb em “Ares, Águas e


Lugares”;
•PLÍNIO (23-79 d.C.) descreve aspectos da exposição ao Pb, Hg, poeiras e
uso mascaras protetoras.

Século XVI:
•GEORGIUS AGRÍCOLA (1556): estuda os problemas relacionados a
extração de minerais e a fundição de prata e ouro. Discute os acidentes
do trabalho e as doenças mais comuns entre mineiros (asma dos
mineiros);
•PARACELSO (1567) “Dos Ofícios e das Doenças da Montanha”
(Paracelso) – aborda centro mineiro na Boêmia e relaciona métodos de
trabalho, substâncias manuseadas e doenças (em especial a intoxicação
pelo MERCÚRIO e a silicose).
O TRABALHO COMO PROCESSO SOCIAL E HISTÓRICO

• Georg Bauer (Georgius Agrícola) (1494-1555):

Livro: De Re Metallica

•No último capítulo descreve sobre acidentes de trabalho e doenças


mais comuns entre os mineiros, onde dá destaque à Asma dos
Mineiros;

•A descrição da doença sugere que se tratava da SILICOSE. “As


mulheres chegavam a casar-se sete vezes, devido a morte prematura
de seus maridos encontrada na ocupação que exerciam”.
O TRABALHO COMO PROCESSO SOCIAL E HISTÓRICO
Séculos XVIII e XIX:

1700 - BERNARDINO RAMAZZINI - "O Pai da Medicina do Trabalho", em seu


livro De Morbis Artificum Diatriba descreve doenças em cerca de 50
ocupações e ressalta a importância do trabalho como causa de dano a saúde;
O TRABALHO COMO PROCESSO SOCIAL E HISTÓRICO

• Séc XVIII: George Baker – “Cólica de


Devonshire” utilização de chumbo na
indústria de vinho de maçã;

•Percival Pott – câncer escrotal nos


limpadores de chaminé da Inglaterra;

•Séc XIX: Charles Trackrah e Percival


Pott escreveram um tratado com 200
páginas sobre medicina ocupacional.
O TRABALHO COMO PROCESSO SOCIAL E HISTÓRICO

Séculos XVIII e XIX:

1760 a 1830 - A REVOLUÇÃO INDUSTRIAL: A expansão das


industrias e a formação de cidades esquálidas; as precárias
condições de trabalho e a utilização de mão-de-obra barata
(principalmente mulheres e CRIANÇAS); os acidentes e as
doenças ("a febre das fábricas").
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL (1730 A 1830):
MUDANÇA SOCIAL
•Inglaterra - marco inicial da moderna industrialização da 1ª
máquina de fiar – custo elevado das máquinas não permitiu que o
artesão as possuísse;
•Desenvolvimento tecnológico reúne pessoas para trabalhar sob
um mesmo teto, com uso de máquinas em cidades distantes
daquelas de sua origem resultou em severos efeitos de
deslocamentos da sociedade;
. •Ritmo de trabalho determinado pelas máquinas e não mais por si
próprio - Homens, materiais e máquinas tratados com um mínimo
de despesa e rejeitados quando não mais efetivos – Trabalho sem
proteção, em ambientes fechados com ventilação precária e nível
de ruído altíssimo, sem o estabelecimento de jornada de trabalho.
.
O TRABALHO COMO PROCESSO SOCIAL E HISTÓRICO
Séculos XVIII e XIX:

1802 – aprovação da “Lei de Saúde e Moral dos Aprendizes” -


1ª LEI DE PROTEÇÃO AOS TRABALHADORES - estabelecia o
limite de 12h de trabalho por dia, proibia o trabalho noturno,
obrigava os empregadores a lavar as paredes das fábricas 2 vezes
ao ano e obrigava haver ventilação nos ambientes;

1833 - Factory Act, Inglaterra - 1ª legislação eficiente – aplicada a


empresas têxteis, proibia o trabalho noturno a menores de 18
anos, restringia as horas de trabalho destes a 12h por dia,
estabelecia que as fábricas precisavam ter escolas e que a idade
mínima para o trabalho era de 9 anos.
O TRABALHO COMO PROCESSO SOCIAL E HISTÓRICO
Século XX:
1906 – 1° Congresso Internacional de Doenças do Trabalho,
Milão;

1919 – 1919 - fim da 1ª Guerra Mundial: Tratado de Versailles –


dedica a parte nº XIII a saúde e educação – resultou na criação da
OIT – ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL DO TRABALHO: objetivo
de promover a melhoria das condições mundiais de trabalho e das
condições de vida do trabalhador;

1950 e 1959 - OIT/OMS - definição dos objetivos da Medicina


do Trabalho e objetivo e funções dos Serviços Médicos nas
empresas (Recomendação 112) – SESMT??.
BRASIL E AMÉRICA
LATINA???
O TRABALHO COMO PROCESSO SOCIAL E HISTÓRICO

Na América Latina e Brasil: A Industrialização como alternativa


para a sair do estado de subdesenvolvimento e a necessidade de
resolver as consequências sociais e sanitárias desta alternativa:

1919 – 1ª Lei de acidentes do trabalho – “risco profissional” (Obs:


Apesar de a 1ª Lei de Acidentes do Trabalho datar de 1919, no
Brasil os primeiros passos dados efetivamente no campo da Saúde
Ocupacional datam da década de trinta);
1930 - É criado o Ministério do Trabalho, Indústria e Comércio e
bem definida a sua ação no campo da higiene e segurança no
trabalho;
Década de 30: Começam os estudos sobre as doenças
ocupacionais, entre elas, a Silicose e Asbestose.
O TRABALHO COMO PROCESSO SOCIAL E HISTÓRICO

1934 – Inspetoria de Higiene e Segurança do Trabalho;

Constituição Brasileira de 1934: 1ª constituição a cuidar da Saúde,


Higiene e Segurança no Trabalho – art. 121, h:“assistência médica e
sanitária ao trabalhador e a gestante”;

1943: Promulgação da CLT – Consolidação das Leis do Trabalho por


Getúlio Vargas (Decreto-lei no 5.452, Tit, II, cap. V, art. 154 a 201 -
estipulam a Segurança e Medicina do Trabalho por meio dos
direitos e obrigações do governo, dos empresários e dos
trabalhadores.
O TRABALHO COMO PROCESSO SOCIAL E HISTÓRICO

1966 – FUNDACENTRO (Fundação Jorge Duprat de Figueiredo de


Segurança e Medicina do Trabalho);
Voltada para o estudo e pesquisa das condições dos ambientes de
trabalho;
Dispõe de uma rede de laboratórios em segurança, higiene e
saúde no trabalho e de uma das mais completas bibliotecas
especializadas, além de profissionais formados em várias áreas,
muitos deles pós-graduados no Brasil e exterior;
 Atua no desenvolvimento de pesquisas em segurança e saúde no
trabalho, difusão de conhecimento por meio de ações educativas e
prestação de serviços à comunidade e assessoria técnica a órgãos
públicos, empresariais e de trabalhadores;
Fundação pública vinculada ao Ministério do Trabalho.
O TRABALHO COMO PROCESSO SOCIAL E HISTÓRICO

Plano de Valorização do Trabalhador – Portaria n° 3237, de junho


de 1972, torna obrigatória a existência de Serviços Médicos, e de
Higiene e Segurança em todas as empresa onde trabalham 100 ou
mais pessoas;

Lei 6514, de 12 de dezembro de 1977 – altera o capitulo V do


Título II da Consolidação das Leis do Trabalho, relativo a Segurança
e Medicina do Trabalho - Portaria n° 3214, de 8 de junho de 1978 –
Aprova as NORMAS REGULAMENTADORAS – NR – do Capítulo V,
Título II, da CLT.
O TRABALHO COMO PROCESSO SOCIAL E HISTÓRICO

CONSTITUIÇÃO FEDERAL, 1988 - VÁRIOS CAPÍTULOS TRATAM DAS


RELAÇÕES COM O TRABALHO.

das responsabilidades relativas aos orgãos públicos, empresas e


empregados;
inspeção, embargo e interdição, orgãos de saúde e medicina do
trabalho nas empresas;
equipamento de proteção individual, medidas preventivas de
medicina do trabalho;
conforto térmico, instalações elétricas, movimentação,
armazenagem e manuseio de materiais, máquinas e equipamentos,
atividades insalubres ou perigosas, prevenção da fadiga,
penalidades, entre outros.
LEGISLAÇÃO ACIDENTÁRIA NO BRASIL

PROCESSO CONTÍNUO E DINÂMICO NO ESTABELECIMENTO


DE ATOS LEGISLATIVOS E REGULAMENTADORES QUE
PRECONIZEM MEDIDAS PREVENTIVAS, VISANDO MINIMIZAR
OS RISCOS DE ACIDENTES NO TRABALHO E DOENÇAS
OCUPACIONAIS.
ATUALIZAÇÃO É DINÂMICA !!!!!
•Reforma Trabalhista;
•Reforma previdenciária;
•E-social;
•PANDEMIA DE COVID!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

36
CONCEITOS - SAÚDE OCUPACIONAL (OIT)

É o ramo da saúde que tem por objetivo:

•A PROMOÇÃO E A MANUTENÇÃO, no mais alto grau do bem-estar


físico, mental e social dos trabalhadores em todas as ocupações;
•A PREVENÇÃO, entre os trabalhadores, de doenças ocupacionais
causadas por suas condições de trabalho;
•A PROTEÇÃO dos trabalhadores em seus labores, dos riscos
resultantes de fatores adversos à saúde;
•A COLOCAÇÃO E CONSERVAÇÃO dos trabalhadores nos ambientes
ocupacionais adaptados as suas aptidões fisiológicas e psicológicas;

A ADAPTAÇÃO DO TRABALHO AO HOMEM E DE CADA HOMEM


AO SEU PRÓPRIO TRABALHO.
CONCEITOS - MEDICINA OCUPACIONAL

É o campo da Medicina relacionado com:

A avaliação, manutenção, recuperação e melhoria da saúde do


trabalhador, através da aplicação de princípios da Medicina Preventiva,
de Medicina de Emergência , de Reabilitação e Medicina do Ambiente;

A promoção de uma produtiva e satisfatória interação do


trabalhador com seu trabalho, através de aplicação de princípios do
comportamento humano;

A ativa apreciação das necessidades e responsabilidades sociais,


econômicas e administrativas do trabalhador e da Comunidade
trabalhadora.
GESTÃO EM SAÚDE OCUPACIONAL
MEDICINA DO TRABALHO

• Exames Médicos Ocupacionais;


• Seleção e colocação dos trabalhadores de acordo com suas aptidões
físicas e emocionais;
• Supervisão das facilidades de primeiros socorros;
• Programa de educação sanitária;
• Manipulação dos casos de compensação segundo a lei;
• Diagnóstico e tratamento de doenças ocupacionais / do trabalho e
acidentes do trabalho;
• Programas de imunização e de alimentação;
• Estudos das estatísticas de absenteísmo e outras;
• Participação das comissões internas de prevenção de acidentes (CIPA);
• Aconselhamentos à gerência da empresa em todo assunto
relacionando com a saúde dos trabalhadores.
ACIDENTES E DOENÇAS DO TRABALHO
ACIDENTE TÍPICO: Acidente que ocorre dentro das dependências
da empresa, ou quando o colaborador se encontra a serviço da
empresa provocando lesão corporal ou perturbação funcional que
cause a morte ou a perda ou redução, permanente ou temporária,
da capacidade para o trabalho.
ACIDENTES E DOENÇAS DO TRABALHO
ACIDENTE DE TRAJETO:
•Percurso residência – trabalho; trabalho – residência;
•Não é acidente quando há alteração no trajeto normal, nem
quando este for interrompido.
ACIDENTES E DOENÇAS DO TRABALHO

DOENÇA PROFISSIONAL:
• Produzida ou desencadeada pelo exercício
do trabalho peculiar à determinada atividade
e constante da respectiva relação elaborada
pelo Ministério do Trabalho e Emprego e o
da Previdência Social;
• Comprovação do nexo causal, ou seja, o
trabalhador deverá comprovar haver
adquirido a doença no exercício do trabalho;
• Ex: Saturnismo (intoxicação provocada pelo
chumbo) e Silicose (sílica).
ACIDENTES E DOENÇAS DO TRABALHO
ACIDENTES E DOENÇAS DO TRABALHO

DOENÇA DO TRABALHO

•É aquela adquirida ou
desencadeada em função de
condições especiais em que o
trabalho é realizado e com ele se
relacione diretamente (também
constante da relação
supracitada);
•Ex: Disacusia (surdez) em
trabalho realizado em local
extremamente ruidoso.
ACIDENTES E DOENÇAS DO TRABALHO

INCIDENTE
Evento não planejado que tem o
potencial de levar a um acidente,
ou seja, é um episódio imprevisto,
porém sem consequências
desastrosas. (Exemplo: Ao
ingressar na empresa, um objeto
leve cai próximo ao trabalhador,
sem causar lesão que gere
incapacidade);

Não há lesão ao trabalhador e/ou


perda da capacidade laborativa,
portanto não se trata de acidente
e sim de incidente
ACIDENTES E DOENÇAS DO TRABALHO

ACIDENTE ATÍPICO

São acidentes sem qualquer relação


com o desempenho da atividade,
colaborador sofre torção
assim sendo, não são considerados tornozelo na escada de sua
acidentes de trabalho mesmo que residência quando estava indo
para a empresa
tenham ocorrido nas dependências da
empresa ou trajeto.
ACIDENTES E DOENÇAS DO TRABALHO
CLASSIFICAÇÃO

É todo acidente que possibilita ao acidentado


voltar à sua ocupação habitual no mesmo dia
SEM ou no dia seguinte imediato ao do acidente, no
AFASTAMENTO horário regulamentar, resultando incapacidade
temporária parcial.

É todo acidente que impossibilita ao acidentado


retornar ao trabalho até o dia imediato ao do
COM
acidente, no horário regulamentar, podendo
dele resultar morte, incapacidade permanente AFASTAMENTO
total ou parcial e incapacidade temporária total.
ACIDENTES E DOENÇAS DO TRABALHO
CAUSAS DO ACIDENTE DE TRABALHO
A lesão sofrida por um trabalhador, no exercício de suas atividades
profissionais, obedece a uma sequencia de fatores:

Hereditariedade e ambiente social


Causa pessoal
Causa mecânica

Acidente ou Lesão
ACIDENTES E DOENÇAS DO TRABALHO
CAUSAS DO ACIDENTE DE TRABALHO
A prevenção começa pela eliminação ou neutralização das causas dos
acidentes.
Efeito Dominó

Fonte: http://engenium.net/wp-content/uploads/2007/03/hst3.pdf
ACIDENTES E DOENÇAS DO TRABALHO

O médico do trabalho deve estar apto


para a apontar:
 Causas do acidente;
 Consequências do acidente;
 Meios para evitar sua repetição;
 Conscientizar o acidentado.
RIAT – RELATÓRIO DE INVESTIGAÇÃO DE ACIDENTE
E INCIDENTE DO TRABALHADOR

Todo acidente de trabalho deve ser


imediatamente comunicado à empresa pelo
acidentado ou por qualquer pessoa que dele
tiver conhecimento.
No SESMT, o colaborador acidentado
preencherá o RIAT, juntamente com um
profissional da área. Vale lembrar que as
informações fornecidas pelo colaborador
acidentado serão avaliadas, bem como as causas
do acidente.
CAT – COMUNICAÇÃO DO
ACIDENTE DE TRABALHO

 A empresa deverá comunicar o


acidente do trabalho à Previdência
Social até o primeiro dia útil
seguinte ao da ocorrência;

 Em caso de morte a comunicação


ao INSS deverá ser imediata, sendo
obrigatória a comunicação à
autoridade policial.
CONSEQUÊNCIAS DO ACIDENTE DE TRABALHO

Para Empresa: Para o País:

Para o Trabalhador: • Gastos com primeiros • Perda temporária ou


socorros permanente do cidadão
• Sofrimento físico
• Transporte com produtivo
• Incapacidade para
acidentados • Mais dependentes para
o trabalho
• Morte • Sobrecarga dos o INSS
• Desemprego outros empregados • Aumento de impostos
• Baixa renda • Substituição do e seguros
• Desamparo familiar empregado por outro • Baixos salários para os
• Má impressão da aposentados
empresa com o cliente • Contribuição para o
• Atraso na produção aumento do custo de vida
EVOLUÇÃO DOS ACIDENTES / INCIDENTES
DE TRABALHO – JULHO

17 QUANTIDADE DE ACIDENTES / INCIDENTES


ACIDENTES/INCIDENTES POR
DIA DA SEMANA
MÊS
11
10
9

6
4
3
2
1
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12
ACIDENTES DE TRABALHO POR ANO

CONTAGEM ANUAL
DEZEMBRO
NOVEMBRO
OUTUBRO
SETEMBRO
AGOSTO
JULHO
JUNHO
MAIO
ABRIL
MARÇO
FEVEREIRO
JANEIRO
0 2 4 6 8 10 12
2020 2019
EXEMPLO DE MÁ GESTÃO DO PCMSO
EVOLUÇÃO DA SAÚDE OCUPACIONAL

DIMINUIÇÃO DAS EFEITO MIDIATICO


DOENÇAS
OCUPACIONAIS

REFORMA
TRABALHISTA

MEDICINA BASEADA
EM EVIDÊNCIAS

AUMENTO DA
FISCALIZAÇÃO PELO
MTE E MPT
ATESTADO MÉDICO E INSS

ABSENTEÍSMO
Atestado Médico Expedido para justificar o afastamento do trabalho de 1 a 15 dias.
Período pago pela Empresa

Afastamento Previdenciário (INSS)


Inicia a partir do 16º dia / Requer “Perícia Médica” – Incapacidade

 Doença Comum – Benefícios 31, 32, 33, 34


Responsabilidade do INSS

 Acidente/Doença Ocupacional – Benefícios 91, 92, 93, 94 Estabilidade 12m


Ação Regressiva
Responsabilidade da Empresa Jurisprudência
ATESTADO MÉDICO
• O laudo ou atestado precisa está legível e não pode ter
rasuras (rabiscos ou qualquer anotação que não tenha
haver com o documento médico);
• O laudo ou atestado precisa está assinado pelo médico e
também precisa da identificação dele, que é feita pelo
carimbo com nome e CRM;
• Não pode faltar no laudo informações sobre a doença e o
Código Internacional de Doença – CID;
• Prazo ESTIMADO de repouso necessário. Assim, sempre
peça para o seu médico anotar qual o tempo de
recuperação (Exemplo: três meses, 30 dias...).
ATESTADO MÉDICO
ATESTADO MÉDICO
• Art. 3º: Na elaboração do atestado médico, o médico assistente observará os
seguintes procedimentos:
• I -ESPECIFICAR O TEMPO CONCEDIDO DE DISPENSA À ATIVIDADE, NECESSÁRIO
PARA A RECUPERAÇÃO DO PACIENTE;
• II - estabelecer o diagnóstico, quando expressamente autorizado pelo paciente;
• III - registrar os dados de maneira legível; ...
• Parágrafo único:Quando o atestado for solicitado pelo paciente ou seu
representante legal PARA FINS DE PERÍCIA MÉDICA deverá observar:
• I -o diagnóstico;
• II -os resultados dos exames complementares;
• III -a conduta terapêutica;
• IV -o prognóstico;
• V -as consequências à saúde do paciente;
• VI -O PROVÁVEL TEMPO DE REPOUSO ESTIMADO NECESSÁRIO PARA A SUA
RECUPERAÇÃO, QUE COMPLEMENTARÁ O PARECER FUNDAMENTADO DO
MÉDICO PERITO, a quem cabe legalmente a decisão do benefício previdenciário,
tais como: aposentadoria, invalidez definitiva ou readaptação;...
ATESTADOS MÉDICOS – PONTOS
IMPORTANTES

DECLARAÇÃO DE
ATESTADO MÉDICO
COMPARECIMENTO ATESTADO
E ODONTOLÓGICO
ATESTADO E EM TURNOS EMITIDO POR
– Outros ATESTADO DE
DECLARAÇÃO DE DIFERENTES – O LABORÁTÓRIOS E
profissionais ACOMPANHANTE
COMPARECIMENTO Profissional deverá CLÍNICAS TEM
podem emitir este
retornar ao VALIDADE?
documento?
trabalho?
DECLARAÇÃO DE
COMPARECIMENTO
ATESTADO MÉDICO E ATESTADO E EM TURNOS
ATESTADO EMITIDO
POR LABORÁTÓRIOS ATESTADO DE
DECLARAÇÃO DE DIFERENTES – O
ODONTOLÓGICO – COMPARECIMENTO Profissional deverá
E CLÍNICAS TEM
VALIDADE?
ACOMPANHANTE
retornar ao
Outros profissionais trabalho?
podem emitir este
documento?

• Lei Federal (605 / 1949 e 5.081 / 1966), somente médicos e odontólogos podem
emitir atestados para fins de abonos de faltas trabalhistas (no Direito Privado ou
para funcionários públicos regidos pela CLT);

• Na mesma esteira, vem o texto da Resolução 1.658 / 2002 do Conselho Federal de


Medicina, que assim coloca “... Art. 6: Somente aos médicos e aos odontólogos, este
no estrito âmbito de sua profissão é facultada a prerrogativa do fornecimento de
atestado de afastamento do trabalho".
DECLARAÇÃO DE
ATESTADO MÉDICO
E ODONTOLÓGICO ATESTADO E COMPARECIMENTO
EM TURNOS
ATESTADO
EMITIDO POR
– Outros ATESTADO DE
profissionais DECLARAÇÃO DE DIFERENTES – O
Profissional deverá
LABORÁTÓRIOS E
CLÍNICAS TEM
ACOMPANHANTE
podem emitir este
documento? COMPARECIMENTO retornar ao
trabalho?
VALIDADE?

• Não existe amparo legal para a "Declaração de Comparecimento“;


• Caso não haja previsão na convenção não há obrigatoriedade da empresa abonar as
horas;
• Vejo que é SENSATO da empresa reconhecer e abonar, afinal, é claro que temos
algumas exceções, mas ninguém gosta de ficar doente, porém considerando que há
pessoas dotadas de má-fé, vejo que seja ideal que a empresa abone as horas,
porém sempre levando em consideração o devido tempo do trajeto, conforme
mencionado acima por outro colega, e de forma preventiva, sempre orientar os
empregados para que agendem consultas em horários fora do expediente de
trabalho.
DECLARAÇÃO DE
ATESTADO MÉDICO
E ODONTOLÓGICO – ATESTADO E COMPARECIMENTO EM ATESTADO EMITIDO
POR LABORÁTÓRIOS ATESTADO DE
Outros profissionais DECLARAÇÃO DE TURNOS DIFERENTES – E CLÍNICAS TEM ACOMPANHANTE
podem emitir este COMPARECIMENTO
documento? O Profissional deverá VALIDADE?
retornar ao trabalho?

SIM
DECLARAÇÃO DE
ATESTADO MÉDICO E
ODONTOLÓGICO – ATESTADO E
COMPARECIMENTO ATESTADO EMITIDO POR
EM TURNOS ATESTADO DE
Outros profissionais DECLARAÇÃO DE
DIFERENTES – O LABORÁTÓRIOS E CLÍNICAS ACOMPANHANTE
podem emitir este COMPARECIMENTO
documento?
Profissional deverá TEM VALIDADE?
retornar ao trabalho?

NÃO
DECLARAÇÃO DE
ATESTADO MÉDICO
COMPARECIMENTO ATESTADO EMITIDO
E ODONTOLÓGICO
– Outros
ATESTADO E
DECLARAÇÃO DE
EM TURNOS
DIFERENTES – O
POR
LABORÁTÓRIOS E
ATESTADO DE
profissionais podem
emitir este
COMPARECIMENTO Profissional deverá CLÍNICAS TEM ACOMPANHANTE
retornar ao VALIDADE?
documento?
trabalho?

A legislação Federal trouxe novidades quanto ao abono de faltas em virtude de atestado de


acompanhamento médico (aquele que é fornecido à mãe ou ao pai que acompanha o filho ou
cônjuge até o médico), por meio da Lei 13.257/2016, que incluiu os incisos X e XI no art. 473 da CLT,
in verbis:

Art. 473. O empregado poderá deixar de comparecer ao serviço, sem prejuízo do salário:
(...)
X - até 2 (dois) dias para acompanhar consultas médicas e exames complementares durante o período
de gravidez de sua esposa ou companheira; (Inclusão dada pela Lei 13.257/2016).

XI - por 1 (um) dia por ano para acompanhar filho de até 6 (seis) anos em consulta médica. (Inclusão
dada pela Lei 13.257/2016).
OBRIGADO

Você também pode gostar