Você está na página 1de 10

Colégio HMS – Rascunhos

Prof. Cláudio Almeida


e-mail:
http://claudiouff.blogspot.com http://profclaudio.wordpress.com

CADERNO DE PROVAS
HISTÓRIA

01.O início da Época Moderna está ligado a um processo geral de transformações humanística,
artística, cultural e política. A concentração do poder promoveu um tipo de Estado. Para alguns
pensadores da época, que procuraram fundamentar o Absolutismo:
a) a função do Estado é agir de acordo com a vontade da maioria.
b) a História se explica pelo valor da raça de um povo.
c) a fidelidade ao poder absoluto reside na separação dos três poderes.
d) o rei reina por vontade de Deus, sendo assim considerado o seu representante na Terra.
e) a soberania máxima reside no próprio povo.
02.Dentre as instituições políticas do Estado Moderno, aquela que mais o caracteriza é o:
a) absolutismo monárquico, nova forma política assumida cujos fundamentos estavam expressos
na SUMA TEOLÓGICA de Tomás de Aquino.
b) mercantilismo que serviam para justificar o enriquecimento da Igreja Católica, mas não
traduziam os interesses do monarca absolutista.
c) absolutismo monárquico que intervinha na vida econômica.
d) liberalismo praticado pelos Príncipes, mas limitado pela tradição e pelo equilíbrio entre as
classes sociais.
e) absolutismo monárquico que punha em prática uma política econômica de características não
intervencionistas, quase liberais - a política mercantilista.
03.Principalmente a partir do século XVI vários autores passam a desenvolver teorias,
justificando o poder real. São os legistas que, através de doutrinas leigas ou religiosas, tentam
legalizar o Absolutismo. Um deles é Maquiavel: afirma que a obrigação suprema do governante é
manter o poder e a segurança do país que governa. Para isso deve usar de todos os meios
disponíveis pois que "os fins justificam os meios." Professou suas idéias na famosa obra:
a) "Leviatã"
b) "Do Direito da Paz e da Guerra"
c) "República"
d) "O Príncipe"
e) "Política Segundo as Sagradas Escrituras"
04.A famosa frase atribuída a Luis XIV: "O Estado sou eu", define:
a) o absolutismo;
b) o iluminismo,
c) o liberalismo;
d) o patriotismo do rei;
e) a igualdade democrática.
05.Leia o texto. "Por enquanto, ainda el-rei está a preparar-se para a noite. Despiram-no os
camaristas, vestiram-no com o trajo da função e do estilo, passadas as roupas de mão em mão
tão reverentemente como relíquias santas, e isto se passa na presença de outros criados e
pagens, este que abre o gavetão, aquele que afasta a cortina, um que levanta a luz, outro que
lhe modera o brilho, dois que não se movem, dois que imitam estes, mais uns tantos que não se
sabe o que fazem nem porque estão. Enfim, de tanto se esforçarem todos ficou preparado el-rei,
um dos fidalgos retifica a prega final, outro ajusta o cabeção bordado." (SARAMAGO, José.
MEMORIAL DO CONVENTO.) Nesse texto Saramago descreve o cotidiano na corte no período
de consolidação do Estado Moderno. Todas as alternativas referem-se ao Absolutismo
Monárquico, EXCETO:
a) A classe dominante, durante toda a época moderna, não era mais a mesma do período feudal
tanto política quanto economicamente.
b) A história do Absolutismo Monárquico é a história da lenta reconversão da nobreza a um papel
parasitário, o que lhe permitiu regalias.
c) A nobreza passou por profundas transformações no período monárquico de centralização,
mas nunca foi desalojada do poder político.
d) O Absolutismo era um rearranjo do aparelho de dominação, destinado a sujeitar as massas
camponesas, que sublevadas questionavam o papel tradicional da nobreza.
e) O Estado Absolutista era uma nova carapaça política de uma nobreza atemorizada, que
passou a ocupar um lugar junto ao Rei, se tornando cortesã.
06.Sobre as características do Absolutismo na Idade Moderna é correto afirmar:
a) foi um tipo de regime republicano e democrático;
b) procurou legitimar-se no "Direito Divino dos Reis";
c) foi a expressão do poder político descentralizado;
d) implementou o Estado anárquico e racional;

e)baseou-se no poder religioso do soberano.

07."A imagem do rei-sol , como era chamado Luís XIV, que reinou até sua morte, em 1715, se
construiu sobre a pintura, a gravura, a escultura, a arquitetura, a música e a palavra escrita ou
oral." (ONOFRE, p. 74) Associando seus conhecimentos sobre absolutismo monárquico, pode-
se afirmar:

I - A construção da imagem pública do rei absolutista evidencia uma defasagem entre teoria e
prática do absolutismo.

II - A utilização da arte como veículo de propaganda política indica o interesse do monarca


absolutista em promover o desenvolvimento cultural das camadas populares.

III - A preocupação com a difusão de uma imagem positiva perante a sociedade caracteriza o
"rei-sol" como o precursor do despotismo esclarecido (mescla de absolutismo e iluminismo).

IV - Os monarcas absolutos, assim como os políticos atuais, também buscavam, na construção


de uma imagem pública, formas para legitimar o exercício do poder.

V - O apoio da nobreza, classe politicamente privilegiada durante o Antigo Regime, era


fundamental para a governabilidade do Estado, já que, na prática, ninguém governa sem o apoio
das camadas mais fortes da população.

Estão Corretas:

a)I, II e III;

b)II, III e IV;

c)I, II e IV;

d)III, IV e V

e)Todas estão corretas.

08.As obras do florentino Nicolau Maquiavel, apesar da interdição, tiveram ampla repercussão
no decurso da Idade Moderna. No pensamento de Maquiavel: I - o processo político situava-se
acima da moral. II - o Príncipe, para manter-se no poder, devia aprender a ser bom ou mau,
conforme as necessidades. III - o Chefe político podia dominar a "fortuna" (conjuntura social e
política) através da "virtú" (energia, resolução, talento). IV - o Monarca devia limitar-se aos
rígidos limites religiosos impostos ao pensamento da época. V - o ideal republicano de governo
está expresso em seus "Discursos". Consideradas as proposições acima, assinale:
a) se apenas a terceira e a quarta estiverem corretas.
b) se todas estiverem corretas.
c) se todas estiverem incorretas.
d) se apenas a primeira, a segunda, a terceira e a quinta estiverem corretas.
e) se apenas a quarta estiver correta.
09.Nicolau Maquiavel (1469 - 1527) rompeu com a religiosidade medieval, estabelecendo nítida
distinção entre a moral individual e a moral pública. Em seu livro "O Príncipe" preconizava que:
a) o chefe de Estado deve ser um chefe de exército. O Estado em guerra deve renunciar a todo
sentimento de humanidade... O equilíbrio das forças está inscrito nos tratados. Mas os chefes de
Estado não devem hesitar em trair sua palavra ou violar sua assinatura no interesse do Estado.
b) somente a autoridade ilimitada do soberano poderia manter a ordem interna de uma nação. A
ordem política internacional é a mais importante; sem ela se estabeleceria o caos e a turbulência
política.
c) na transformação do Estado Natural para o Estado Civil, legitima-se o poder absoluto do rei,
uma vez que o segundo monta-se a partir do indivíduo, que cede seus direitos em troca de
proteção contra a violência e o caos do primeiro.
d) o trono real não é o trono de um homem, mas o trono do próprio Deus... Os reis... são deuses
e participam de alguma maneira da independência divina. O rei vê mais longe e de mais alto;
deve-se acreditar que ele vê melhor...
e) há três espécies de governo: o republicano, o monárquico e o despótico... A liberdade política
não se encontra senão nos governos moderados... Para que não se possa abusar do poder, é
preciso que pela, disposição das coisas, o poder faça parar o poder.
10.:Observe uma gravura de 1349.

(Alceu Luiz Pazzinato, Maria Helena Valente Senise. "História Moderna e Contemporânea". São
Paulo: Ática, 1993. p.12.) Na Europa Ocidental, as crises do século XIV abalaram intensamente
a sociedade feudal. Dentro desse contexto, a gravura retrata
a) as irmandades flagelantes que percorriam à pé regiões da Europa cantando salmos e hinos
religiosos, como forma de penitência para escapar dos castigos divinos, que acreditavam estar
relacionados com a peste, que dizimava grande parte da população.
b) as cruzadas realizadas durante o período em que o papa Urbano II conclamava os cristãos
para que expulsassem os muçulmanos que tinham invadido o Estado do Vaticano.
c) a luta dos camponeses contra a exploração dos senhores feudais, que aumentaram
substancialmente as obrigações servis após a grande fome que ocorreu e que dizimou grande
parcela da população servil.
d) as manifestações dos camponeses contra a Guerra dos Cem Anos, já que esta trazia
prejuízos incalculáveis para a produção e obrigava os homens a servirem na defesa de suas
nacionalidades.
e) o início do movimento protestante, quando Lutero incitava a cristandade a percorrer as
estradas para divulgar os valores de humildade e de confraternização do seu sistema de
crenças.

11.Sobre a formação do absolutismo na França, é incorreto afirmar que:


a) seus antecedentes situam-se, também, nos reinados de Filipe Augusto, Luís IX e Filipe IV,
entre os séculos XII e XIV.
b) fez-se necessária nesse processo a centralização dos exércitos, dos impostos, da justiça e
das questões eclesiásticas;
c) a abolição da soberania dos nobres feudais não teve um importante papel nesse contexto;
d) a Guerra dos Cem Anos foi fundamental nesse processo;
e) durante esse processo a aliança com a burguesia fez-se necessária para conter e controlar a
resistência de nobres feudais.
12.Em plena Idade Média (1139/1140) nasceu Portugal, originário do Condado Portucalense.
Enquanto o feudalismo era a marca política da Europa Ocidental, em Portugal mostrava-se frágil:
o pequeno reino nascia unificado. Sobre o tema e evolução posterior, assinale a opção correta:

I - O Condado Portucalense transformou-se em Estado, tendo sua independência proclamada


por D. Afonso Henriques.

II - Nos finais do século XIV ocorreu uma crise dinástica: com a morte de D. Fernando extinguiu-
se a dinastia de Borgonha.

III - A Revolução de Avis levou ao trono D. João, Mestre de Avis, apoiado pela burguesia de
Lisboa e do Porto, além da adesão entusiástica da "arraia miúda".

IV - A dinastia de Avis repeliu a política de expansão marítima, fixando prioridades da agricultura,


meio de agradar à alta nobreza lusitana.

V - Devido à política da dinastia de Avis, a expansão marítima somente ocorreria com o advento
da dinastia de Bragança.
a) As opções I, II e III estão corretas.
b) Apenas a opção III está correta.
c) As opções II, III e IV estão corretas.
d) As opções III, IV e V estão corretas.
e) As opções II, IV e V estão corretas.

01.O Absolutismo na Inglaterra definiu-se nos governos de Henrique VIII e Elizabeth I, monarcas
da dinastia Tudor. Estabeleça a
correlação entre Absolutismo e a Crise do século XIV.
02."Neste tempo revoltaram-se os camponeses em Beauvoisin. Entre eles estava um homem muito
sabedor e bem-falante, de bela figura e forma chamado Guilherme Carlos. Os camponeses
fizeram-no seu chefe e estes lhes dizia que se mantivessem unidos. E quando os camponeses se
viram em grande número, perseguiram e mataram os homens nobres. Inclusive muitas mulheres e
crianças nobres, pelo que Guilherme Carlos lhes disse muitas vezes que se excediam
demasiadamente; mas nem por isso deixaram de o fazer." (Texto adaptado de Crônica dos quatros
primeiros Valois (1327-1392) in ANTOLOGIA DE TEXTOS HISTÓRICOS MEDIEVAIS.) O
documento oferece subsídios sobre a Jacquerie, revolta camponesa ocorrida em 1358 na França,
abalada pela Guerra dos Cem Anos, entremeada de crises e epidemias que se propagavam. Com
base no texto:
a) Justifique o caráter antifeudal da Jacquerie.
b) Cite três grandes calamidades do século XIV.
03.Relacione a precocidade da unidade política ibérica e a invasão moura de 711 d.C naquela
região

04O discurso do dia de São Crispim – Henrique V [Willian Shakespeare]

A cena ocorre no acampamento inglês no dia da batalha de Azincourt (25 de outubro de


1415). O rei Henrique V faz a revista
em suas tropas. Os ingleses tem dez mil soldados para opor-se aos 60 mil franceses que os
aguardam nas planícies de Azincourt quando é abordado pelo conde de Westmoreland
“...Quem expressa esse desejo? Meu primo Westmoreland? Não, meu simpático primo; se
estamos destinados a morrer, nosso país não tem necessidade de perder mais homens do que nós
temos aqui; e , se devemos viver, quanto menor é o nosso número, maior será para cada um de
nós a parte da honra. Pela vontade de Deus! Não desejes nenhum um homem a mais, te rogo! Por
Júpiter!

(...)O dia de São Crispim: este dia é o da festa de São Crispim; aquele que sobreviver esse dia
voltará são e salvo ao seu lar e se colocará na ponta dos pés quando se mencionará esta data, ele
crescerá sobre si mesmo ante o nome de São Crispim. Aquele que sobrevier esse dia e chegar a
velhice, a cada ano, na véspera desta festa, convidará os amigos e lhes dirá: "Amanhã é São
Crispim". E então, arregaçando as mangas, ao mostrar-lhes as cicatrizes, dirá: "Recebi estas
feridas no dia de São Crispim."

(...)O bom homem ensinará esta história ao seu filho, e desde este dia até o fim do mundo a festa
de São Crispim e Crispiano nunca chegará sem que venha associada a nossa recordação, à
lembrança do nosso pequeno exército, do nosso bando de irmãos; porque aquele que verter hoje
seu sangue comigo, por muito vil que seja, será meu irmão, esta jornada enobrecerá sua condição
e os cavaleiros que permanecem agora no leito da Inglaterra irão se considerar como malditos por
não estarem aqui, e sentirão sua nobreza diminuída quando escutarem falar daqueles que
combateram conosco no dia de São Crispim.

No combate, os franceses, comandados pelo condestável Charles I d'Albret, foram totalmente


batidos pelos arqueiros ingleses num dos maiores desastres militares da história da França, que
perdeu, além do condestável, 12 outros membros da alta nobreza, 1.500 cavaleiros e mais 4.500
soldados.

Cite duas razões para o conflito entre a Inglaterra e a França conhecido como Guerra dos Cem
Anos.

_______________________________________________________________________________
01.Sobre a Guarda Nacional, é correto afirmar que ela foi criada:
a) pelo imperador, D. Pedro II, e era por ele diretamente comandada, razão pela qual tornou-se a
principal força durante a Guerra do Paraguai.
b) para atuar unicamente no Sul, a fim de assegurar a dominação do Império na Província
Cisplatina.
c) segundo o modelo da Guarda Nacional Francesa, o que fez dela o braço armado de diversas
rebeliões no período regencial e início do Segundo Reinado.
d) para substituir o exército extinto durante a menoridade, o qual era composto, em sua maioria, por
portugueses e ameaçava restaurar os laços coloniais.
e) no período regencial como instrumento dos setores conservadores destinado a manter e
restabelecer a ordem e a tranquilidade públicas.
02.No decurso do Primeiro Reinado, vieram à tona conflitos, contradições e crises. No período
Regencial, marcado por agitações sociais e políticas, a grave e prolongada crise econômica e
financeira começou a ser superada com:
a) o auge da mineração.
b) o surto da cafeicultura.
c) a utilização do açúcar de beterraba.
d) a lei e a ordem impostas pela Guarda Federal.
e) o aumento na exportação de algodão para os Estados Unidos.
03."O período regencial foi um dos mais agitados da história política do país e também um dos mais
importantes. Naqueles anos, esteve em jogo a unidade territorial do Brasil, e o centro do debate
político foi dominado pelos temas da centralização ou descentralização do poder, do grau de
autonomia das províncias e da organização das Forças Armadas." (FAUSTO, Boris. HISTÓRIA DO
BRASIL. 2ed. São Paulo: EDUSP, 1995. p. 161.) Sobre as várias revoltas nas províncias durante o
período da Regência, podemos afirmar corretamente que:
a) eram levantes republicanos em sua maioria, que conseguiam sempre empolgar a população
pobre e os escravos
b) a principal delas foi a Revolução Farroupilha, acontecida nas províncias do nordeste, que
pretendia o retorno do Imperador D. Pedro I
c) podem ser vistas como respostas à política centralizadora do Império, que restringia a autonomia
financeira e administrativa das províncias
d) em sua maioria, eram revoltas lideradas pelos grandes proprietários de terras e exigiam uma
posição mais forte e centralizadora do governo imperial
04.O período regencial foi politicamente marcado pela aprovação do Ato Adicional que:
a) criou o Conselho de Estado.
b) implantou a Guarda Nacional.
c) transformou a Regência Trina em Regência Una.
d) extinguiu as Assembléias Legislativas Provinciais.
e) eliminou a vitaliciedade do Senado.
05."A enorme visibilidade do poder era sem dúvida em parte devida à própria monarquia com suas
pompas, seus rituais, com o carisma da figura real. Mas era também fruto da centralização política
do Estado. Havia quase unanimidade de opinião sobre o poder do Estado como sendo excessivo e
opressor ou, pelo menos, inibidor da iniciativa pessoal, da liberdade individual. Mas (...) este poder
era em boa parte ilusório. A burocracia do Estado era macrocefálica: tinha cabeça grande mas
braços muito curtos. Agigantava-se na corte mas não alcançava as municipalidades e mal atingia as
províncias. (...) Daí a observação de que, apesar de suas limitações no que se referia à formulação
e implementação de políticas, o governo passava a imagem do todo-poderoso, era visto como o
responsável por todo o bem e todo o mal do Império." Carvalho, J. Murilo de. TEATRO DE
SOMBRAS. Rio de Janeiro, IUPERJ/ Vértice, 1988. O fragmento acima refere-se ao II Império
brasileiro, controlado por D. Pedro II e ocorrido entre 1840 e 1889. Do ponto de vista político, o II
Império pode ser representado como:
a) palco de enfrentamento entre liberais e conservadores que, partindo de princípios políticos e
ideológicos opostos, questionaram, com igual violência, essa aparente centralização indicada na
citação acima e se uniram no Golpe da Maioridade.
b) jogo de aparências, em que a atuação política do Imperador conheceu as mudanças e os
momentos de indefinição acima referidos - refletindo as próprias oscilações e incertezas dos setores
sociais hegemônicos -, como bem exemplificado na questão da Abolição.
c) cenário de várias revoltas de caráter regionalista - entre elas a Farroupilha e a Cabanagem -
devido à incapacidade do governo imperial controlar, conforme mencionado na citação, as
províncias e regiões mais distantes da capital.
d) universo de plena difusão das ideias liberais, o que implicou uma aceitação por parte do
Imperador da diminuição de seus poderes, conformando a situação apontada na citação e
oferecendo condições para a proclamação da República.
e) teatro para a plena manifestação do poder moderador que, desde a Constituição de 1824,
permitia amplas possibilidades de intervenção políticas para o Imperador - daí a idéia de
centralização da citação - e que foi usado, no Segundo Reinado, para encerrar os conflitos entre
liberais e socialistas.

06.Observe o esquema.

Esse esquema representa a situação política brasileira durante o II Reinado. Nesse momento, o
sistema parlamentarista foi considerado "às avessas" porque
a) a composição ministerial era indicada pelo Imperador, mas dependia da aprovação do
Legislativo.
b) o exercício do ministério estava limitado a um plano de ação imposto pelo Legislativo.
c) os Ministros de Estado deveriam prestar contas de seus atos ao Imperador e não ao Poder
Legislativo.
d) os Ministros de Estado eram escolhidos pelo Imperador e não pelo Legislativo.
e) os Ministros tinham prazo determinado para permanecer no poder, mesmo fazendo um bom
governo.

07.Relativamente ao Primeiro Reinado, considere as afirmações a seguir. I - A dissolução da


Constituinte, o estilo de governo autoritário e a repressão à Confederação do Equador aceleraram o
desgaste político de Pedro I. II - O temor de uma provável recolonização, caso fosse restabelecida a
união com Portugal, aprofundou os atritos entre brasileiros e portugueses. III - O aumento das
exportações agrícolas, a estabilidade da moeda e a redução do endividamento externo foram os
pontos favoráveis do governo de Pedro I. IV - A cúpula do exército, descontente com a derrota
militar na Guerra Cisplatina, aderiu à revolta, que culminou na Abdicação do Imperador. Então:
a) todas estão corretas.
b) todas são falsas.
c) apenas I e II estão corretas.
d) apenas I, II e IV estão corretas.
e) apenas III está correta.
08.O Golpe da Maioridade que colocou Pedro II no trono em 1840 representou:
a) a vitória dos liberais que retornaram ao governo, convidados para formar o primeiro ministério do
Segundo Reinado.
b) a ascensão dos conservadores afastados do poder desde o Avanço Liberal.
c) o enfraquecimento do regime monárquico e o crescimento do republicanismo.
d) o declínio da aristocracia rural já que o novo governo não apoiava a manutenção de seus
privilégios.
e) o fortalecimento da democracia, fato comprovado na primeira eleição do Segundo Reinado, a
"eleição do cacete".
09.Assinale a alternativa que indica as características do desenvolvimento capitalista nos EUA no
final do século XIX
a) O capitalismo fortaleceu-se com a livre concorrência favorecida pelo ingresso de capitais
asiáticos.
b) A formação de grandes trustes democratizou a economia americana, pois eliminou a
concorrência praticada pelas pequenas empresas.
c) As pequenas empresas cederam lugar aos grandes trustes, que passaram a influir no
funcionamento do mercado.
d) O processo de monopolização, ao promover a integração das pequenas empresas em grandes
consórcios, provocou o enfraquecimento dos bancos e trustes.
e) o capitalismo liberal foi substituído pela crescente participação do Estado na economia para
evitar as crises de superprodução através do planejamento econômico.
10.Sobre a Segunda Revolução Industrial é INCORRETO afirmar que:
a) implementou nas indústrias as linhas de montagens, esteiras rolantes e o método de
racionalização da produção em massa, chamado de fordismo.
b) possibilitou o desenvolvimento de grandes indústrias e concentrações econômicas, que
culminaram nos "holdings", trustes e cartéis.
c) a utilização da energia elétrica e do petróleo possibilitaram a intensificação do desenvolvimento
tecnológico, permitindo a sua produção em grande escala.
d) estabeleceu uma nova e acirrada disputa entre as grandes potências industriais que buscavam o
aumento de seus lucros e uma saída para seus excedentes de produção e capitais.
e) caracterizou-se pelos avanços ultra-rápidos, que resultaram na obsolescência também veloz
especialmente na microeletrônica, na robótica industrial, na química fina e na biotecnologia.
11.O desenvolvimento capitalista desencadeado pela Segunda Revolução Industrial provocou
movimentos de ampliação de mercados consumidores e de aplicação de capitais. Como resultado
da expansão do capitalismo no século XIX pode-se destacar
a) o neocolonialismo europeu na África e na Ásia.
b) a influência dos capitais norte-americanos na economia européia.
c) a disputa entre as potências ibéricas pelos mercados latino-americanos.
d) o fortalecimento econômico da Alemanha com o Tratado de Versalhes.
e) a elaboração de leis anti-trustes, com o objetivo de consolidar o poder dos cartéis.
12.As opções a seguir contêm fatos que caracterizam a expansão européia na Ásia, com
EXCEÇÃO de uma. Assinale-a.
a) A política dos "tratados desiguais" imposta à China;
b) a dominação francesa na "Indochina" (Vietnã, Laos e Camboja);
c) A ocupação das Filipinas pelos norte-americanos em aliança com a Inglaterra;
d) O insucesso das ambições germânicas, limitadas em alguns portos chineses e ilhas do Pacífico;
e) O conflito russo-japonês pela posse da Coréia e da Mandchúria.

13.Quais as consequências da Guerra do Paraguai para o Brasil e o próprio Paraguai?

14.Quais as principais causas que levaram ao Golpe da Maioridade?

15. Associe corretamente as seguintes revoltas contra o colonialismo europeu com os locais onde
ocorreram:

a)Guerra dos Bôers

b)Guerra dos Boxers

c)Revolta dos Sipaios

________________________________________________________________________________

3º ANO

01.O processo de redemocratização brasileiro, no final da década de 1970, combinou pressões da


sociedade civil e a estratégia de distensão/abertura do próprio regime militar, como pode ser
observado na(no):
a) vitória do movimento popular das "Diretas Já", permitindo eleições gerais diretas em 1982.
b) concessão de anistia "ampla, geral e irrestrita", por lei de iniciativa do governo, mas que excluía
as principais lideranças ligadas ao governo derrubado em 1964.
c) total autonomia do movimento sindical, forçada pelas greves do ABCD paulista.
d) revogação dos Atos Institucionais, por iniciativa do governo, após negociação com setores
representativos da sociedade civil.
e) "pacote de abril" de 1977, que transformou o Congresso Nacional em Assembléia Constituinte.

02.No período em que o Brasil foi dirigido por governos militares a decretação do AI 5 (Ato
Institucional número 5) representou um "endurecimento" do regime instalado em 1964, que pode ser
explicado pela(s):
a) inquietação dos setores militares favoráveis à redemocratização.
b) ação dos grupos de oposição, que trocaram a luta armada pela oposição parlamentar ao regime.
c) crise decorrente do impedimento do Presidente Costa e Silva.
d) crise econômica resultante do esgotamento do milagre brasileiro.
e) crescentes manifestações oposicionistas de líderes políticos, estudantes e intelectuais contra o
regime.

03."...Meu Brasil... que sonha com a volta do irmão do Henfil com tanta gente que partiu num rabo
de foguete chora a nossa pátria mãe gentil choram Marias e Clarices no solo do Brasil..." (trecho "O
bêbado e o Equilibrista" - João Bosco e Aldair Blanc) "Pode ir armando o coreto e preparando
aquele feijão preto Eu tô voltando (...) Leva o chinelo pra sala de jantar que lá mesmo que a mala
eu vou largar Quero te abraçar Pode se perfumar Porque eu tô voltando" (trecho "Tô voltando" -
Maurício Tapajós e Paulo Cesar Pinheiro) As músicas acima falam sobre dois momentos da história
recente do Brasil:
a) a primeira fala sobre a anistia política e volta dos exilados e a segunda sobre repressão política e
cultural do regime militar.
b) a primeira fala sobre a repressão política e cultural do regime militar e a segunda fala sobre a
anistia política e volta dos exilados ao Brasil.
c) a primeira trata da liberdade de expressão durante o regime militar e a segunda trata da volta dos
exilados políticos do Brasil.
d) a primeira trata da repressão política e cultural durante o regime militar e a segunda da chegada
de estudantes de cursos no exterior.
e) a primeira trata da liberdade de expressão durante o regime militar e a segunda trata da volta de
estudantes de cursos no exterior.

04.A análise do quadro a seguir permite afirmar que


a) a classe média (45% da população economicamente ativa) foi a maior beneficiária do
desenvolvimento econômico, dado que sua participação na renda cresceu sensivelmente no
período.
b) a política econômica desenvolvimentista, acentuada pelo regime militar, foi acompanhada por um
processo de concentração de renda.
c) o desenvolvimento econômico do período resultou no aumento da participação do segmento dos
80% mais pobres na renda nacional.
d) houve transferência de parte da renda dos 5% mais ricos para a faixa dos 15% correspondentes
à classe média.
e) o resultado mais significativo da política econômica desenvolvimentista foi um processo de
redistribuição da renda.

05.No mesmo dia da morte de Tancredo Neves, José Sarney assumiu a Presidência da República
do Brasil. O consenso sobre o processo democrático foi uma das válvulas mestras que
impulsionaram Sarney a enviar ao Congresso, em maio de 1985, uma série de medidas
democratizantes, transformadas em lei. Com essas medidas,
a) restabeleceram-se as eleições diretas para prefeito das capitais, das áreas consideradas de
segurança nacional e das estâncias hidrominerais.
b) restabeleceram-se as eleições diretas para presidente e vice, e conseqüentemente manteve-se o
colégio eleitoral.
c) criou-se a Lei Falcão, que permitiu a propaganda eleitoral nos veículos de comunicação,
principalmente tevê e rádio.
d) apesar da liberdade de organização de novos partidos políticos, não foi permitida a legalização
dos partidos que viviam na clandestinidade.
e) restabeleceram-se as eleições diretas para prefeitos, mas não para a Presidência da República.

01.Manifestações de repúdio ao Governo Goulart precederam o movimento militar que golpeou as


instituições do país a partir de 31 de março de 1964. Nos protestos veiculavam soluções
salvacionistas sobre a pátria, a ordem democrática, a liberdade, Deus e a família, habilmente
articuladas por forças políticas de direita, membros da Igreja Católica, grandes proprietários rurais,
banqueiros e empresários nacionais e estrangeiros, que visavam a adesão do povo. Ao final de
1965, estava na praça a seguinte peça musical de Zé Queti: "Marchou com Deus pela democracia,
agora chia, agora chia (...)". Com base no texto:
a) esclareça o rumo que os militares, detentores do poder, imprimiram ao regime instalado;
b) a partir da expressão "agora chia", procure indicar a quem o autor da composição dirigia sua
sátira.

02.O movimento de 31 de março de 1964 foi o estágio final de um longo processo iniciado na
Década de 40, após o término da Segunda Guerra Mundial. Revele o tipo de regime político que
derivou do golpe militar e o que ele significou para a sociedade brasileira.

03.Cite duas conquistas sociais importantes estabelecidas na Constituição de 1988.

04.Aponte as principais características do chamado Milagre Brasileiro (1968-74).


05.Relacione a crise do Milagre econômico e o 1º Choque do Petróleo de 1973.