Você está na página 1de 2

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE

CENTRO DE EDUCAÇÃO E CIÊNCIAS HUMANAS


DEPARTAMENTO DE GEOGRAFIA

CLIMATOLOGIA APLICADA
PROFª. DRª. JOSEFA ELIANE SANTANA DE SIQUEIRA PINTO
SEMESTRE: 2011/1
ALUNOS: PAULO RODRIGUES MORAES CAMPOS SANTOS
LUIZ ARTUR CÔRTES DOS SANTOS

Resenha: As Relações Sociedade/Natureza e os Impactos da Desertificação


nos Trópicos.

CONTI, J. B. As Relações Sociedade/Natureza e os Impactos da Desertificação nos Trópicos.


Cadernos Geográficos. UFSC, Florianópolis: Imprensa Universitária, 2002.

O autor mostra a traves de dois artigos as conseqüências do conflito entre a


relação do homem e meio, destacando a desertificação como modalidade de degradação
ambiental.
No primeiro artigo ele fala sobre as relações da sociedade com a natureza e os
impactos da desertificação nos trópicos fazendo alguns questionamentos para compreensão do
leitor e através desses questionamentos ele vai definido uma melhor escala para sua área de
estudo
Através das conseqüências da relação homem x meio mostra como homem por
meio do desenvolvimento chegou ao desmatamento e conseqüentemente ao processo de
desertificação e como o homem do tropico arquitetar seu espaço e a forma que os habitantes
do mundo vêm os trópicos e o papel geógrafo diante do estudo sobre esta relação.
No segundo capitulo ele fala da desertificação como forma de degradação
ambiental no Brasil definindo o que é desertificação apresentando modos de como medira a
intensidade e como classificá-las através de suas modalidades
Colocando as regiões semi áridas e sub úmidas topicais com regiões que
apresentam fragilidades ao processo de desertificação por conta da presença do homem e os
seus hábitos, nos trópicos.
Apresentando a região semi árida do Brasil como uma região propicia para
desertificação a parti de trabalhos elaborado por outros professores sobre desertificação e
como o tema no Nordeste brasileiro é estudado pela metodologia das séries temporais das
mudanças climáticas e comentando os resultados obtidos pelos trabalhos.
Assim o processo de desertificação é uma alteração na biomassa com a
deterioração acelerada do solo devido ao empobrecimento do solo e conseqüentemente a
perda da vegetação sendo substituída por um terreno arenoso. A perda da capacidade
produtiva dos ecossistemas causada pela atividade antrópica, condições ambientais e
atividades econômica em uma região extrapolam a capacidade de suporte e sustentabilidade
do solo. A conservação do planeta depende da vontade e empenho de cada um de nós. A
desertificação dos solos constitui, hoje, um problema efetivo com que nos deparamos. Sendo
o solo um substrato essencial a vida, o mesmo deve ser protegido das agressões que contribui
para sua progressiva erosão e conseqüente desertificação.