UNIT - LABORATORIO CENTRAL DE BIOMEDICINA Módulo: Hematologia Prof.

ª Isana Leal Data: Aluno: Casos Clínicos Caso 1: Recém-nascido, fator Rh +, mãe Rh – (segunda gestação de filho Rh +), apresentando quadro anêmico; aumento de Bilirrubina Indireta, Ferro Sérico, Ferritina e Transferrina Saturada. a) Qual provável tipo de anemia desenvolvida? b) Que alterações características desta anemia poderemos encontrar no hemograma deste RN? c) Como explicar as outras alterações laboratoriais? Caso 2: Mulher negra, 18 anos, queixa-se de dores nos membros inferiores, tonturas, febre, apresentando esplenomegalia. Hemograma : Hemácias – 3,0 (VR 4-5,5) Hemoglobina – 10 (VR 12 – 14) VCM – 81 (VR 80-96) Hemácias normocíticas e normocrômicas. Presença de drepanócitos (hemácias em forma de foice) a) Qual anemia é de suspeita médica? b) Que exames poderão ser solicitados pelo clínico para confirmação? c) Qual a provável explicação para a esplenomegalia? Caso 3: Criança, 7 anos, cansaço após esforço. Hemácias – 4,0 Hemoglobina – 9,8 Hematócrito – 32 (baixo) VCM – 68 RDW - 20 Hemácias microcíticas e hipocrômicas Ferritina – 10 (VR 12-86) Ferro sérico – 24 (VR 65-175) Transferrina Saturada – 3% (VR 20-55) a) Fisiopatologicamente, como podemos classificar esta anemia? b) Quais são as alterações esperadas em Hemograma de um paciente portador desta anemia?

VCM: 77.5%. Fraqueza. O Hemograma apresentou • • • Série Vermelha: Hm – 3. Chegou ao laboratório com solicitação do ginecologista para realizar: Hemograma. TSH.8 g/dl. que enfermidades mais comumente pode apresenta-los nestes valores? c) Tem alterações nas outras séries ( branca e plaquetária)? d) Que outros exames seriam úteis para a confirmação diagnóstica? . Linf. FSH. como podemos classificar esta anemia? b) Que alterações leucocitárias podemos encontrar em pacientes com esta anemia? Caso 5: Homem de 34 anos apresentando febre intermitente e calafrios.: 58%. Hemácias – 3. Série Branca: Leucócitos: 5300/mm³ ( Bst: 2%. LH. moradora do setor marista. Neutr. a) Qual a classificação morfológica dos eritrócitos? b) Como poderíamos classificar esta anemia? c) Qual a suspeita médica? d) Como explicar a reticulocitose? Caso 6: Feminina.: 06%.8. EAS e Colpocitologia. branca. HCM: 23. Hemácias – 1. CHCM: 29. cansaço e fraqueza após gestação.8. Ht – 29. 39 anos. Hb: 8.Caso 4: Mulher 28 anos.000/mm³ a) Há anemia? b) Usando o VCM e o RDW.26 Hemoglobina – 5.6. Mon.5%) Teste de gota espessa positivo para plasmodium falciparum. Eos. RDW: 28.5-15) Folato intra eritrocitário – 131 (VR 160-600) Vit B12 – 136 (VR 250 – 900) a) Fisiopatologicamente. IC: Rotina.58 Hemoglobina – 10.:02.7 VCM – 130 Ácido fólico – 1 (VR 3.1 VCM – 93 HCM – 30 CHCM – 33 Reticulócitos – 10% (VR 0. Atípico: 00) Plaquetas: 390.: 32%. Bas: 00. Glicemia de jejum.5 – 1.1. Linf.

3º mês de gestação.500 ng/mL (normal até 15 anos: 140) A .300 (60% de neutrófilos. sexo feminino.Em função destes resultados. 60 anos com queixa de cansaço. 1 . fraqueza e quadro clínico . O hemograma: hemoglobina=7 g/dl. e qual seria o esperado resultado? 4. está incluído o paciente? • Anemia perniciosa • Anemia hemorrágica aguda • Anemia hemolítica crônica • Anemia ferropriva • Anemia falciforme Caso 8: Paciente. VCM= 123. hemácias= 1.8 g/dl VCM – 72.4 f/L HCM – 20 PG CHCM – 27. hematócrito= 21%.700 000/mm³.Como explicar a provável instalação desta anemia? Caso 9: Paciente do sexo feminino. 35% de linfócitos.Caso 7: Um paciente com 10 anos de idade apresenta. Plaquetas= 110 000/ mm³. e que alterações hematológicas sustentam a sua resposta? 2 – Como apresentar-se-iam RDW e Reticulócitos deste paciente? Justifique. residente no município de Itaporanga deste Estado. 3 . A avaliação clínica do pediatra foi completada com os exames laboratoriais que apresentavam os seguintes resultados: Hemácias – 2. 23 anos.Qual a suspeita diagnóstica.Que exame(s) você aconselharia ao clínico para a confirmação do caso.9 milhões/ mm3 Hemoglobina – 5. Leucócitos= 2. entre as citadas abaixo.6 Hematócrito:21% Ferritina – 1. um quadro de anemia. qual a classificação morfológica da anemia do paciente? B – Em qual tipo de anemia. desde os 2 anos de vida. relata falta de apetite. 3% de monócitos e 2% de eosinófilos.

O restante do exame clínico era normal. fraqueza e dores nos membros inferiores. Mo – 07%. Foi observado pelo médico que a criança apresentava um atraso no desenvolvimento físico e esplenomegalia. Leucócitos: 5. a) Quais foram os possíveis exames confirmatórios para este diagnóstico? b) Foram solicitados Hemograma. Como exame laboratorial foi solicitado apenas hemograma. contagem de .0 g/dl. que mostrou: dosagem de hemoglobina . qual suspeita médica.2 g/dl Hematócrito: 29 % VCM: 110 fl Hemácias Anisocíticas com Moderada Macrocitose e Hipocromia.conhecido como “língua lisa” e gastrite atrófica. Eo – 03%. e que alterações hematológicas sustentam esta suspeita? b) Qual observação pode ter passado desapercebida ao Analista Clínico no leucograma? c) A contagem de reticulócitos seria útil ao diagnóstico? Porque e como se apresentaria.000 mm³ Algumas macroplaquetas. 74 anos procurou um clinico geral com queixa de cansaço.7. e dosagema de Bilirrubina. Quais as principais alterações destes exames relacionadasa ao diagnóstico clínico? c) Como você explicaria a esplenomegalia e o quadro febril? Caso 11: Paciente. o médico concluiu o caso com o diagnóstico de Anemia Falciforme. sexo masculino.900 mm³ ( Li – 60%. e quais exames específicos poderiam ser solicitados? Caso 10: Um menino de dez anos com um quadro agudo foi levado ao Pronto Socorro pela tia em estado febril e queixava-se de muitas dores abdominais. EAS. dentre eles um hemograma. Ne – 30%) Plaquetas: 108. Foram solicitados vários exames.4 milh/mm³ Hemoglobina: 10. que apresentou o seguinte resultado: Hemácias: 3. Ao exame clínico. a) Observando quadro clínico e laboratorial. Após resultados laboratoriais de triagem e confirmatórios. o paciente apresentava palidez cutâneo-mucosa.

leucócitos 5.600/mm³ com diferencial normal e plaquetas . Imagem de esfregaço de sangue periférico. transporte de oxigênio. Poderíamos classificar a anemia como: a) b) c) d) Pancitopenia Anemia hipoproliferativa Anemia microcitica Não é possível classificar a anemia com os parâmentros fornecidos.23%. desta forma.hemácias . o ferro . VCM . verifica-se sobretudo: a) A contagem de hemácias e Concentração de Hemoglobina Corpuscular Média (CHCM) b) Volume Corpuscular Médio (VCM) c) A contagem de reticulócitos d) O RDW PERGUNTA 3: O diagnóstico diferencial para este tipo de anemia é: a) b) c) d) Anemia hemolítica auto-imune Anemia ferropriva e anemia de doença crônica Anemia megaloblástica e mielodisplasia Doenças que acometem a medula óssea. PERGUNTA 2: Para responder a questão 1 corretamente. hematócrito . Responda as perguntas de 1 a 6 com base neste caso. A imagem se refere ao caso clínico e nela encontramos: a) b) c) d) Anisopoiquilocitose Microcitose Hipocromia Todas as alternativas estão corretas PERGUNTA 5: O ferro é um mineral essencial para a síntese da hemoglobina. CHCM .73. Sua necessidade diária é de 25 mg/dia. como leucemias agudas PERGUNTA 4: Em grande parte dos casos. a avaliação do sangue periférico pode auxiliar no diagnóstico diferencial das anemias. PERGUNTA 1: Existem várias formas de classificação das anemias para facilitar a investigação diagnóstica.30.3.550 mil/mm³.000/mm³.150.

O ferro em excesso é estocado no fígado. O ferro é transportado pela __1__. deve-se: a) b) c) d) Considerar a possibilidade de doença renal ou hepática grave Investigar uma causa de perda sangüínea Realizar mielograma e biópsia de medula óssea Considerar a possibilidade de doença hemolítica Caso 12: Paciente do sexo feminino. Como os macrófagos é que dão suprimento de ferro para os precursores eritróides e também recuperam o ferro das “hemácias mortas”. Exames laboratoriais realizados revelaram: Hemoglobina: 10. 20 anos. . hemossiderina(3). A __5__ também é outra forma de estoque. a) Transferrina (1). ferritina (3). ferritina(3).4 indireta: 6. ferritina(4) e ferritina(5) c) Transferrina (1). mas esse ferro é difícil de ser mobilizado. procurou médico com queixas de cansaço aos esforços e icterícia.1 Enzimas hepáticas: normais Ao final da investigação o diagnóstico formulado pelo hematologista foi de esferocitose hereditária. (1) receptor de transferrina(2). ferritina(4) e transferrina(5) d) Hepcidina. Existem uma série de proteínas responsáveis pela regulação.usado para eritropoese já está no organismo. transferrina(2). absorção. ferritina(4) e transferrina(5) PERGUNTA 6: Consideando-se que a dosagem de (2) da questão anterior seja baixa. transporte e estocagem do ferro no organismo. Um valor baixo de __4__ significa deficiência das reservas de ferro. A __3__ sérica reflete as reservas de fero do organismo. mas um valor alto não necessariamente reflete reservas aumentadas. ferritina(3).5 Hematócrito: 30% Leucócitos e plaquetas normais Contagem de reticulócitos: 6% Bilirrubinas: totais: 6. A primeira fonte de ferro é o sistema reticuloendotelial (que recupera o ferro das hemácias senescentes). ferritina (2). Uma pequena quantidade de ferro é absorvida pela mucosa intestinal e é perdida através da mucosa intestinal. O estoque intracelular de ferro é encontrado na __2__. ferritina ) (4) e hemossiderina (5) b) Hemossiderina(1). preencha as lacunas. Ao exame clínico foi detectada discreta esplenomegalia. o metabolismo do ferro pode ser considerado uma “alça fechada”. ferritina(2).5 direta: 0. De acordo com a questão.

PERGUNTA 2: Que outras patologias podemos encontrar esferócitos no sangue periférico? R: Anemias Hemolíticas Auto-Imune .e perda da elasticidade. por insuficiência de espectrina. Estas células. Quais as características deste teste neste evento patológico? R: A grande quantidade de eritrócitos esferocíticos no sangue periférico determina um comportamento hemolítico por sequestro e destruição esplênica exacerbada. Daí a característica do exame: O Teste mostrará um aumento de fragilidade e diminuição de resistência osmótica.PERGUNTA 1: Para confirmar a hipótese acima. apresentam um aumento de permeabilidade da membrana. o médico solicitou ao laboratório a realização do Teste de Fragilidade Osmótica. com maior concentração intracelular de sódio.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful