Você está na página 1de 1

Metaverso e educação:

afinal, o que essa tecnologia


muda nas escolas?

Você já pensou se os seus alunos pudessem estar fisicamente em seus


quartos, mas, ao mesmo tempo, fossem à escola, estudassem,
interagissem com os amigos ou até se alimentassem? Tudo isso será
possível com a união entre metaverso e educação.

Apesar desse conceito existir desde 1992, quando Neal Stephenson


criou o livro de ficção científica Snow Crash, ele entrou em evidência em
2021. Por quê? Bom, o metaverso ganhou grande relevância com a
mudança de nome do Facebook para Meta.

A questão é que essa mudança vai muito além da tecnologia. Ela vai
alterar a forma como compramos, nos relacionamos e, claro, ensinamos.
Como isso vai acontecer? É o que vamos entender neste infográfico.
Então, que tal vir com a gente para desvendar esse novo mundo?

Qual é a ideia do metaverso?

O metaverso vai possibilitar que as pessoas experimentem novas


vivências de forma totalmente imersiva por meio de dispositivos
digitais. Você o acessa com a ajuda de várias tecnologias. Por exemplo:
• realidade virtual;
• realidade aumentada;
• redes sociais;
• criptomoedas.
Para entender como isso vai afetar a sua vida, vamos usar um exemplo.
Imagine que você está na sua casa e coloca um óculos de realidade
virtual.

Automaticamente, seu avatar entrará na sua casa virtual. Em seguida, o


seu personagem resolve ir ao supermercado fazer compras. Então, você
entra em todos os corredores, vê os produtos das prateleiras, escolhe
aqueles que deseja e até lê os ingredientes dos rótulos.

Após escolher os produtos, vai ao caixa, paga a compra com a sua


carteira digital de criptomoedas e seu avatar volta para a casa virtual.
Durante todo esse processo, seu corpo físico não saiu do sofá. Ainda
assim, algumas horas ou minutos depois, os produtos do supermercado
chegam na sua casa.

A mesma lógica é aplicada para outras atividades. Inclusive,


os seus alunos podem até estudar no metaverso.

Como o metaverso
transforma a educação?

Se é possível fazer compras no metaverso, estudar também é! Por isso,


essa é a oportunidade da sua escola se adaptar à nova realidade e
oferecer uma educação ainda mais imersiva e instigante.

Agora, como isso realmente afeta a educação dos seus alunos? Como
será o modelo de trabalho dos seus professores? Quais capacitações
serão necessárias? Como introduzir o ensino bilíngue — que se torna
cada vez mais necessário — dentro desse contexto?

Para responder essas perguntas, nada melhor do que ver como a relação
entre metaverso e educação se estabelece. Assim, sua escola vai estar
preparada para qualquer situação que aparecer.
Continue a leitura!

1. Aumento da
experiência
ciber-física

Muitos colégios e universidades já utilizam a realidade virtual e


aumentada em seus modelos de ensino mundo afora. Por exemplo,
estudantes de Medicina podem usar essa tecnologia para visualizar
melhor a formação do corpo humano. A mesma ideia pode ser aplicada
à aula de Ciências.

O que muda com o metaverso é que essa experiência será intensificada,


já que o mundo virtual ficará imerso no real. Na prática, isso fará com
que o ensino híbrido seja cada vez mais adotado — e com qualidade.

Os estudantes terão novas experiências e poderão explorar a


criatividade. É o caso de montar um robô na aula de robótica e verificar
novas possibilidades de interação entre esse elemento e o mundo real.
Os testes são feitos no metaverso e, se derem certo, são aplicados ao
ambiente físico.

2. Personalização
do aprendizado

Já se foi o tempo em que o ensino era padrão. Com o reconhecimento de


diferentes tipos de competências, fica claro que é preciso adaptar a
educação para cada estudante. Aliás, esse é um dos motivos para a
reforma do Novo Ensino Médio.

Com o metaverso, a educação pode ser ainda mais customizada. A ideia


é simples: oferecer um ensino centrado no aluno, não no professor. O
estudante passa a ser o protagonista desse aprendizado, o que o ajuda a
pensar fora da caixa e a acionar a mente colaborativa.

Mais do que isso, o metaverso é capaz de aumentar a autonomia do


estudante. Nesse cenário, esse recurso tecnológico é um forte aliado
para a sua escola desenvolver diversas competências propostas pela
BNCC.

3. Facilidade para
realizar projetos e
experiências

O metaverso contribui para o aprendizado de robótica, programação,


matemática, física, química e outras ciências. Isso porque é mais fácil
fazer prototipagem de engenharia, experimentos científicos e outras
atividades bastante práticas. Afinal, o seu aluno fica imerso em uma
realidade diferente e consegue testar várias possibilidades antes de
começar a fazer alguma atividade no plano físico. Isso é ótimo para
preparar o estudante para o mercado de trabalho, conforme a proposta
do Novo Ensino Médio, não é mesmo!?

4. Conexão com
estudantes de
outros países

É isso mesmo. Com o metaverso, sua escola pode se conectar com


outros colégios ao redor do mundo e oferecer uma experiência ainda
mais imersiva. Muito legal e empoderador, não é? Vamos explicar
melhor como funciona!

Os seus alunos, brasileiros, podem conversar com estudantes


americanos, chineses, franceses, ingleses, sul-africanos e mais. Já
pensou nas diferentes possibilidades? Veja alguns exemplos:

• expor o aluno a uma nova cultura;


• ensinar a lidar com diferentes opiniões e experiências;
• mostrar diferentes experimentos científicos;
• aperfeiçoar o ensino de idiomas.

Em outras palavras, há mais acessibilidade, porque o metaverso reduz


as distâncias geográficas e permite acesso remoto a qualquer lugar ou
pessoa que desejar. Da mesma forma, isso reforça a importância de
formarmos alunos bilíngues.

5. Desenvolvimento
de habilidades
sociais e técnicas

Uma formação completa é aquela que reúne competências técnicas e


comportamentais. As primeiras são importantes para destacar o futuro
profissional. As segundas, para garantir que a pessoa se dê bem em
todos os aspectos da vida. E quem é que não quer equilibrar esses dois
aspectos?

Acredite ou não, o metaverso ajuda nesse processo. Com as


experiências proporcionadas, o estudante tem a chance de ter mais
conhecimento, já que ele terá várias experiências em sua jornada de
ensino. Por outro lado, também aprenderá a interpretar fatos, entender
como eles impactam a sua vida e de que forma os desafios rotineiros
precisam ser gerenciados.

No final, todas essas características do metaverso ajudam a


educação a se tornar mais atrativa e moderna. Ela está alinhada às
necessidades dos estudantes, que são nativos digitais. De quebra, você
vai se destacar e agregar valor à sua escola. Você sabe que consegue e
que pode oferecer essas experiências!

Então, que tal começar? Venha conhecer e construir novas


formas de aprender e ensinar!

Assine a newsletter do Edify

e vem com a gente!

Você também pode gostar