Você está na página 1de 3

RESENHA

Nome: Leonardo Elias Pacheco

Curso: MBA EM ORÇAMENTO, PLANEJAMENTO E CONTROLE NA CONSTRUÇÃO CIVIL

Disciplina: Planejamento, Gestão e Gerenciamento na Construção Civil.

A GESTÃO NA CONSTRUÇÃO CIVIL

O presente trabalho tem como objetivo identificar a gestão e o gerenciamento na


construção civil. A implantação de projetos é primordial para o desenvolvimento de
uma organização visto que é necessário conhecer as ferramentas necessárias para sua
execução. Diversas ferramentas da gestão da qualidade que acabaram tornando-se
indispensáveis premissas para as empresas de vários seguimentos, que objetivam competir e
garantir a sua permanência no mercado de trabalho. Diante disso, faz-se necessário o
questionamento sobre a importância da gestão da qualidade no cenário da construção civil.

Nos últimos anos, o setor da construção civil vem vivenciando um enorme aquecimento,
tornando indispensável que as empresas de construção civil implementem o Sistema de Gestão
da Qualidade-SGQ na busca para alcançar as exigências impostas pelos agentes financeiros,
onde pode-se dá como exemplo a Caixa Econômica Federal-CEF e seus agentes consumidores.
Por muitas vezes empresários e engenheiros possuem entendimento errôneo que a implantação
de uma Sistema de Gestão tende a burocratizar e dificultar a operacionalidade da dos processos
inerentes a construção civil, não fazendo jus ao fato que a implantação e a gestão de todos os
processos como todo podem contribuir ao controle de execução, consequente a maior
qualidade e economia para execução de suas atividades, pois esse sistema tem a finalidade de
reduzir o desperdício de tempo e de material, alcançando a minimização dos custos e buscando
desenvolver serviços especializados com colaboradores capacitados, os quais presem pela
qualidade do produto final.

No ramo da construção civil a gestão da qualidade é iniciada ao identificar as


necessidades dos usuários da edificação, e segue passando por todas as etapas do processo
construtivo, sendo adicionados a cada uma das etapas, produtos e serviços com diferentes níveis
de qualidade que em consequência resulta em um produto final que satisfaz a necessidade dos
clientes.

Dentre as atividades econômicas do país, a construção civil tem o maior impacto em


relação a outras indústrias, mesmo sendo uma indústria complexa. Segundo o SEBRAE (2011), a
cadeia produtiva da construção civil envolve pelo menos três elos, tais como: construção pesada
associada a estradas, fábricas, aeroportos; montagem industrial e plataformas para exploração
de petróleo e extração mineral; a construção é comercial, residencial e industrial. A
responsabilidade da empresa pelo estabelecimento de controles e planejamento na construção
civil é, principalmente, uma tentativa de equilibrar a responsabilidade pela tomada de decisões
por meio da pesquisa, diagnóstico e identificação de desvios relacionados à construção ao longo
da execução da obra. O próprio plano original.

A qualidade é a base da construção civil, é decisiva para as possibilidades de novos


mercados e, além disso, contribui significativamente para a realização de obras de qualquer
porte. Qualidade é um conceito subjetivo que está diretamente relacionado à percepção de cada
indivíduo e é influenciado por diversos fatores como cultura, mentalidade, tipo de produto ou
serviço prestado. Necessidades e expectativas também afetam diretamente essa definição.

De qualquer forma, podemos dizer que a satisfação do cliente é a primeira condição de


qualquer organização para que a empresa possa sobreviver e prosperar em um ambiente
altamente competitivo e em constante mudança. Para o setor da construção civil, as definições
acima descrevem muito fortemente as necessidades e expectativas dos clientes e trabalhadores,
mas certamente estão diretamente relacionadas às expectativas dos investidores. Todos estão
aguardando algum tipo de feedback, caso em que continuaremos nossa abordagem. Medir e
melhorar a produtividade é imperativo, e isso significa escolher a melhor maneira de usar os
recursos que temos em campo. Em outras palavras, trata-se de pensar em estratégias
para explorar bem o espaço físico e empregar da melhor forma possível os instrumentos,
os insumos disponíveis, os métodos de gerenciamento e a mão de obra.

Portanto, é muito importante controlar os recursos e investi-los corretamente em


atividades que tragam benefícios reais e imediatos. É mais importante notar que o
empreendedor deve estar ciente de que deve aproveitar ao máximo as etapas que antecedem
a execução: planejamento, pesquisa, concepção, projeto para obter uma melhor qualidade de
resultados. Portanto, pode-se concluir que a fase de projeto é limitada, única e tem objetivos
claros em termos de questões específicas. E ao longo do processo, do início ao fim, mudanças
significativas (para resolver problemas futuros) devem ser feitas no início do programa e quando
o produto é concebido. Se você não fizer isso, todo o projeto está condenado. Por fim,
considerando a perspectiva de Vargas (2010) na construção civil, as etapas iniciais da obra e as
pesquisas realizadas para sua viabilização sugerem que as decisões tomadas pelo gerente de
projeto são as que mais influenciam no resultado final do projeto. Também leva em
consideração a importância do assunto, e a opinião de Chaves (2009) apenas enfatiza a
importância da fase inicial do projeto, podendo evitar e reduzir custos e possíveis falhas, apenas
reverter a forma como os recursos são aplicados.

O planejamento, assim como o controle são indispensáveis para garantir a qualidade, a


finalização do projeto dentro das datas previstas, o controle de gastos, levando em consideração
que os gastos foram orçados corretamente, benefícios técnicos como a entrega do projeto de
acordo com as especificações projetadas, além da satisfação do cliente devido ao cumprimento
do prazo, dos custos e da qualidade possibilitadas pelo planejamento adequado do processo de
construção.

Neste contexto, o controle da obra também é importante, o acompanhamento da


execução deve ser feito continuamente, comparando as atividades realizadas com aquelas que
foram previstas no planejamento, após a análise deverão ser apontadas as diferenças
encontradas.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

CHAVES, E.O.C. Administração do Tempo. 4ª. Edição. Campinas/SP: UNICAMP Editora,


2009.

GARRAFOLI, N. J. Qualidade na Construção Civil . 2010. Disponível em:


https://www.portalvgv.com.br/site/qualidade-na-construcao-civil-por-natal-jose-garrafoli.
INSTITUTO DE ENGENHARIA, Norma técnica para elaboração de orçamento de obras
de construção civil , [s.l.] 2011 Disponível em:
https://sinaenco.com.br/downloads/Norma.pdf.

MATTOS, A. D. Como preparar orçamento de obras . São Paulo: Pini, 2006

SEBRAE. Cadeia produtiva da construção civil : Cenários econômicos e estudos setoriais.


Recife 2008. Disponível em: http://189.39.124.147:8030/downloads/construcao_civil.pdf.

VARGAS, R. V. Gerenciamento de Projetos. 4ª Edição. Rio de Janeiro: Brasport, 2010.

PALADINI. Edson Pacheco. Gestão da Qualidade: teoria e prática. São Paulo: Atlas, 2000.

PIRES, Daniel Lage. Aplicação de técnicas de controle e planejamento em edificações.


Universidade Federal de Minhas Gerais, 2014. Disponível em:
http://pos.demc.ufmg.br/novocecc/trabalhos/pg3/113.pdf

Você também pode gostar