Você está na página 1de 40

1

UFMS
MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO
UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL
CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS
PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHOS TÉCNICO-


CIENTÍFICOS DE ACORDO COM AS NORMAS VIGENTES DA
ABNT

CAMPO GRANDE/MS
2011
Administração Superior
Reitora: Célia Maria da Silva Oliveira
Vice-Reitor: João Ricardo Filgueiras Tognini
Pró-Reitor de Pesquisa e Pós-graduação: Dercir Pedro de Oliveira
Pró-Reitora de Extensão: Thelma Lucchese Cheung
Pró-Reitor de Ensino de Graduação: Henrique Mongelli
Pró-Reitor de Administração: Julio Cesar Gonçalves
Pró-reitora de Planejamento, Orçamento e Finanças: Marize Terezinha Lopes Pereira
Peres

Diretora do Centro de Ciências Humanas e Sociais: Elcia Esnarriaga de Arruda


Coordenação da Pós Graduação em Educação: Fabiany de Cássia Tavares Silva
Vice-Coordenação: Silvia Helena de Andrade Brito

Manual para elaboração de trabalhos técnico-científicos


Organização: Jacira Helena do Valle Pereira
Jucimara Silva Rojas
Margarita Victória Rodríguez

Colaboração: Antônio Carlos do Nascimento Osório


Alice Felisberto da Silva
Daiani Dann Tonetto
Eveline Peters

Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP)

M394 Manual para elaboração de trabalhos técnico e científicos de acordo com as


normas vigentes da ABNT / [organização: Jacira Helena do Valle Pereira,
Jucimara Silva Rojas, Margarita Gonzalez Rodriguez]. -- Campo Grande,
MS, 2011.
40 p. : il ; 30 cm.

Bibliografia: p. 40.

1. Redação técnica. I. Pereira, Jacira Helena do Valle. II. Rojas, Jucimara


Silva. III. Rodriguez, Margarita Gonzalez Rodriguez.

CDD (22) 808.066


SUMÁRIO

APRESENTAÇÃO ........................................................................................................ 7
1 ESTRUTURA DO TRABALHO .................................................................................. 8
1.1 ELEMENTOS PRÉ-TEXTUAIS ............................................................................. 10
1.1.1 Capa .................................................................................................................... 10
1.1.2 Lombada ............................................................................................................. 11
1.1.3 Folha de rosto ..................................................................................................... 12
1.1.4 Folha de rosto (verso) ......................................................................................... 13
1.1.5 Errata................................................................................................................... 14
1.1.6 Folha de aprovação ............................................................................................ 14
1.1.7 Dedicatória ......................................................................................................... 16
1.1.8 Agradecimentos .................................................................................................. 16
1.1.9 Epígrafe .............................................................................................................. 17
1.1.10 Resumo em língua portuguesa.......................................................................... 18
1.1.11 Resumo em língua estrangeira ......................................................................... 19
1.1.12 Lista de ilustrações ou tabelas ......................................................................... 19
1.1.13 Lista de abreviaturas e siglas ........................................................................... 22
1.1.14 Lista de símbolos .............................................................................................. 22
1.1.15 Sumário ............................................................................................................ 22
1.2 ELEMENTOS TEXTUAIS ...................................................................................... 23
1.2.1 Introdução ........................................................................................................... 23
1.2.2 Desenvolvimento ................................................................................................ 24
1.2.2.1 Citação ............................................................................................................ 24
1.2.2.2 Notas de rodapé .............................................................................................. 29
1.2.2.3 Notas explicativas ............................................................................................ 30
1.2.3 Conclusão ou Considerações Finais .................................................................. 30
1.3 ELEMENTOS PÓS-TEXTUAIS ............................................................................. 30
1.3.1 Referências ........................................................................................................ 31
1.3.2 Glossário ............................................................................................................ 34
1.3.3 Apêndice ............................................................................................................. 34
1.3.4 Anexo ................................................................................................................. 35
1.3.5 Índice .................................................................................................................. 35
1.4 REGRAS DE APRESENTAÇÃO .......................................................................... 35
1.4.1 Formato tipográfico ............................................................................................. 35
1.4.2 Margens e parágrafos ....................................................................................... 36
1.4.3 Espacejamento ................................................................................................. 36
1.4.4 Numeração de títulos e seções .......................................................................... 36
1.4.4.1 Títulos não numerados .................................................................................... 36
1.4.4.2 Títulos numerados ........................................................................................... 37
1.4.4.3 Numeração progressiva de títulos numerados ................................................ 37
1.4.6 Alíneas ................................................................................................................ 38
1.4.7 Paginação ........................................................................................................... 38
1.4.8 Divisões .............................................................................................................. 38
1.4.9 Títulos ................................................................................................................. 39
REFERÊNCIAS ........................................................................................................... 39
LISTA DE ILUSTRAÇÕES

Figura 1 - Modelo de capa e lombada................................................................ 11


Figura 2 - Modelo de folha de rosto.................................................................... 13
Figura 3 - Modelo ficha catalográfica.................................................................. 14
Figura 4 - Modelo de Errata................................................................................ 14
Figura 5 - Modelo de folha de aprovação........................................................... 15
Figura 6 - Modelo de dedicatória........................................................................ 16
Figura 7 - Modelo de agradecimento.................................................................. 17
Figura 8 - Modelo de epígrafe............................................................................. 18
Figura 9 - Modelo de resumo.............................................................................. 19
Figura 10 - Modelo de sumário........................................................................... 23
Figura 11 - Modelo de referência........................................................................ 31
LISTA DE QUADROS

Quadro 1 – Estrutura do trabalho.................................................. ..................... 8


Quadro 2 – Modelo de natureza do trabalho...................................................... 12
Quadro 3 – Abreviaturas em latim...................................................................... 28
Quadro 4 – Numeração progressiva das seções................................................ 37
7

APRESENTAÇÃO

Este Manual tem por objetivo atender às necessidades da comunidade


acadêmica no que se refere à normalização de relatórios de dissertações e teses, nos
cursos de Mestrado e Doutorado do Programa de Pós-Graduação em Educação
(PPGEdu), do Centro de Ciências Humanas e Sociais (CCHS), da Universidade
Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS).

As bases desta publicação são as normas oficiais vigentes para documentação


elaboradas pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). A revisão deste
Manual ocorrerá anualmente, sempre que uma norma for revista pela ABNT. O
objetivo deste Manual é ser instrumento prático e funcional aos docentes e pós-
graduandos na elaboração de trabalhos técnico e científicos, sua linguagem é
simples, incluindo ilustrações para facilitar sua compreensão.

As orientações ora apresentadas deverão ser utilizadas para a normalização de


trabalhos acadêmicos. Tais orientações são fundamentadas nas normas, publicadas
pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) e demais normas aplicáveis
para elaboração de documentos e informações técnico-científicos, sendo elas:

a) NBR 14724:2011 - Informação e documentação - Trabalhos acadêmicos –


Apresentação;
b) NBR 10520:2002 - Informação e documentação - Apresentação de citações (em
consulta nacional);
c) NBR 12225:2004 - Informação e documentação - Lombada – Apresentação;
d) NBR 15287:2011 - Informação e documentação - Projeto de pesquisa –
Apresentação;
e) NBR 6023:2002 - Informação e documentação - Referências – Elaboração;
f) NBR 6024:2003 - Informação e documentação – Numeração progressiva das
seções de um documento escrito – Apresentação; (em consulta nacional);
g) NBR 6027:2003 - Informação e documentação - Sumário – Procedimento;
h) NBR 6028:2003 - Informação e documentação - Resumos – Procedimento;
i) NBR 6034:2004 - Preparação de índice de publicações – Procedimento;
j) NBR 6022:2003 - Artigo em publicação periódica científica impressa –
Apresentação;
8

k) Código de catalogação Anglo-Americano, 1983-1985; e


l) IBGE. Normas de apresentação tabular, 1993.

Nesse sentido, adotamos as normalizações vigentes estabelecidas pela ABNT,


para que as produções acadêmicas doravante alcancem os padrões adotados em
todas as instituições acadêmicas do País.

Consideramos, nesse Manual, o critério de manter um padrão que propicie


leitura e compreensão, elementos técnicos que não dispensam as recomendações do
orientador.

Os Organizadores.

1 ESTRUTURA DO TRABALHO

A estrutura do trabalho acadêmico deverá ter os seguintes elementos: pré-


textuais, textuais e pós-textuais. Os trabalhos acadêmicos de final de curso (relatórios
de teses, dissertações, monografias e etc) têm na estrutura os mesmos elementos,
conforme o Quadro 1, a seguir:

Quadro 1 – Estrutura do trabalho

Parte Capa (obrigatório)


Externa Lombada (opcional)

Folha de rosto (obrigatório)


Errata (opcional)
Folha de aprovação (obrigatório)
Dedicatória (opcional)
Agradecimentos (opcional)
Epígrafe (opcional)
Resumo na língua vernácula
Parte
Elementos (obrigatório)
Interna
Pré-textuais Resumo em língua estrangeira
(obrigatório)
Lista de ilustrações (opcional)
Lista de tabelas (opcional)
Lista de abreviaturas e siglas
(opcional)
Lista de símbolos (opcional)
Sumário (obrigatório)

Elementos Introdução
Textuais Desenvolvimento
9

Conclusão
Referências (obrigatório)
Glossário (opcional)
Elementos
Apêndice (opcional)
Pós-textuais
Anexo (opcional)
Índice (opcional)
Fonte: ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 14724 - informação e
documentação: apresentação de trabalhos acadêmicos. Rio de Janeiro, 2011.

A norma 14724:2011 coloca como opcional alguns dos elementos


identificados no Quadro 1, porém sugerimos o uso destes sempre que for detectada
a necessidade no trabalho.

A NBR 14724:2011, convenciona por:

a) Dissertação: documento que representa o resultado de um trabalho experimental


ou exposição de um estudo científico retrospectivo, de tema único e bem
delimitado em sua extensão, com o objetivo de reunir, analisar e interpretar
informações. Deve evidenciar o conhecimento de literatura existente sobre o
assunto e a capacidade de sistematização do candidato. É feito sob a
coordenação de um orientador (doutor), visando à obtenção do título de mestre;

b) Tese: documento que representa o resultado de um trabalho experimental ou


exposição de um estudo científico de tema único e bem delimitado. Deve ser
elaborado com base em investigação original, constituindo-se em real contribuição
para a especialidade em questão. É feito sob a coordenação de um orientador
(doutor) e visa à obtenção do título de doutor.

c) Trabalhos acadêmicos (Trabalho final de disciplina; Trabalho de Conclusão de


Curso – TCC e similares): documento que representa o resultado de estudo,
devendo expressar conhecimento do assunto escolhido, que deve ser
obrigatoriamente emanado da disciplina, módulo, estudo independente, curso,
programa e cursos ministrados. Deve ser feito sob a coordenação de um
orientador.
Obs: A exemplo dos trabalhos finais de disciplinas no Programa.
10

1.1 ELEMENTOS PRÉ-TEXTUAIS

Os elementos pré-textuais são aqueles que antecedem o texto, apresentando


informações que ajudam a identificar e a utilizar o trabalho. (ASSOCIAÇÃO
BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS, 2011, p. 6).

1.1.1 Capa

É um elemento obrigatório e suas informações devem ser transcritas na


seguinte ordem:
a) nome da instituição e centro/Câmpus (opcional);
b) nome do autor;
c) título, que deve ser claro e preciso, identificando o conteúdo do trabalho;
d) subtítulo, se houver, deve ser claro e evidenciar sua subordinação ao título
principal;
local (cidade onde está situada a instituição à qual o trabalho será submetido);
f) ano da apresentação do trabalho.

Observação: Por ser opcional o nome da instituição, o PPGEdu/CCHS/UFMS adota


os dados institucionais no início da capa e folha de rosto.

Na capa, utilizar fonte tamanho 12, com espacejamento de entrelinhas de 1,5.


Para a encadernação das dissertações e teses da UFMS, recomenda-se que sejam
utilizados os padrões indicados a seguir:
11

Figura 1 - Modelo de capa e lombada

Na capa tudo
UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL deve ser em
CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS negrito
PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO maiúsculo e
centralizado. O
espacejamento é
simples e o
tamanho da letra
é 12.

NOME DO (A) PÓS-GRADUANDO (A)

TÍTULO CENTRALIZADO E EM NEGRITO, DEVE FICAR NO


MEIO DA FOLHA

CAMPO GRANDE/MS
ANO

Fonte: Os organizadores.

1.1.2 Lombada

A lombada constitui-se em elemento opcional, em que as informações devem


ser impressas conforme NBR 12225:2004 – Títulos de lombada – Procedimento.
(ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS, 2004). É a lateral do
trabalho, onde devem constar o nome do autor (em letra maiúscula, fonte 12,
espacejamento simples), título (impresso da mesma forma que o autor) e ano
(impresso horizontalmente no rodapé da lombada). O título deve ser grafado de
12

forma que, se a capa estiver voltada para cima, seja possível sua leitura da
esquerda para a direita.

Quando o subtítulo do trabalho for extenso, opcionalmente poderão ser


utilizadas reticências para indicar sua continuidade.
Obs: A lombada não se aplica no PPGEDU, pois a capa é
padrão.

1.1.3 Folha de rosto

É um elemento obrigatório e suas informações devem ser transcritas na


seguinte ordem:
a) nome do autor;
b) título, deve ser claro e preciso, identificando o conteúdo do trabalho;
c) subtítulo, se houver, deve ser claro e evidenciar sua subordinação ao título
principal;
d) número de volumes se houver;
e) natureza do trabalho (tese, dissertação, trabalho de conclusão de curso e outros),
objetivo (aprovação em disciplina, grau pretendido e outros), nome da instituição à
qual é submetido, área de concentração, nome do orientador e, se houver, do co-
orientador;
f) local (cidade onde está situada a instituição à qual o trabalho será submetido);
g) ano da apresentação do trabalho.

A natureza do trabalho e os nomes do orientador e do co-orientador (se


houver) devem ser digitados a partir da metade da folha, do lado direito, com
parágrafo justificado, fonte 12 e espacejamento simples, conforme Quadro 2.

Quadro 2 – Modelo de natureza do trabalho


DISSERTAÇÃO

Dissertação apresentada ao Curso de Pós-Graduação em


Educação, da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul,
como requisito parcial à obtenção do título de Mestre.
Orientador: Prof. Dr. xxxxxxxxxxxxxx

Fonte: Os organizadores.
13

Figura 2 - Modelo de folha de rosto

NOME DO (A) PÓS-GRADUANDO (A)

TÍTULO

Dissertação apresentada ao Curso de


Pós-Graduação em Educação, da
Universidade Federal de Mato Grosso do
Sul, como requisito parcial à obtenção do
título de Mestre.
Orientador: Prof. Dr. xxxxxxxxxxxx

CAMPO GRANDE
2011

Fonte: Os organizadores.

1.1.4 Folha de rosto (verso)

Elemento opcional, a ficha catalográfica deve ser elaborada pelo bibliotecário


do Câmpus.
14

Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP)


(Nome da Biblioteca – UFMS, Cidade, Brasil)
Figura 3 - Modelo ficha catalográfica

Sxxxt Sobrenome, Nome do mestrando/doutorando.


Título da dissertação/tese : subtítulo (se houver) / nome do
mestrando/doutorando. – Cidade de defesa, ano de defesa.
n. de folhas ; 30 cm.

Orientador: xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx.
Dissertação/Tese (mestrado/doutorado) – Universidade Federal de
Mato Grosso do Sul. Centro/Câmpus do programa de pós-graduação.

1. Assunto(s). I. sobrenome, Nome do orientador. II. Título.

CDD (xx) xxx.xxx

Fonte: Os organizadores.

Obs: A ficha catalográfica deve ser elaborada no verso da 1ª folha e centralizada


na parte inferior da folha

1.1.5 Errata

Constitui uma lista de erros detectados no trabalho após a sua impressão.


Segundo a Associação Brasileira de Normas Técnicas (2011), é um elemento
opcional e deve ser composta conforme o modelo apresentado a seguir.

A errata não deve ser encadernada com o trabalho. Se houver possibilidade


de correção, esta deverá ser realizada antes da encadernação definitiva.
Figura 4 - Modelo de Errata

Folha Linha Onde se Leia-se



15 5 desse deste

Fonte: Os organizadores.

1.1.6 Folha de aprovação

É um elemento obrigatório para a versão final do trabalho, localizado após a


folha de rosto, que deve conter as seguintes informações:
15

a) nome do autor;
b) título, que deve ser claro e preciso, ou seja, deve identificar o conteúdo do
trabalho;
c) subtítulo, se houver, deve ser claro e evidenciar sua subordinação ao título
principal;
d) natureza do trabalho (tese, dissertação, trabalho de conclusão de curso e outros),
objetivo (aprovação em disciplina, grau pretendido e outros), nome da instituição à
qual é submetido e área de concentração;
e) data de aprovação;
f) titulação e assinatura dos componentes da banca examinadora e instituições às
quais pertencem.
Figura 5 - Modelo de folha de aprovação

NOME DO ALUNO

Dissertação apresentada ao Programa de Pós-Graduação


em Educação, do Centro de Ciências Humanas e Sociais,
da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, como
requisito parcial à obtenção do título de Mestre.

COMISSÃO EXAMINADORA
______________________________
Profa. Dra. (Prof. Dr.)
Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

______________________________
Profa. Dra. (Prof. Dr.)
Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
______________________________

Profa. Dra. (Prof. Dr.)


Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Campo Grande, _____ de ________ de 2011.

Fonte: Os organizadores.
16

1.1.7 Dedicatória

Elemento opcional, colocado após a folha de aprovação. Neste item, o autor,


de forma breve, dedica o trabalho às pessoas e/ou instituições que julgar
importantes para a realização da pesquisa.
Figura 6 - Modelo de dedicatória

Aos meus pais


e a todos que
partilharam comigo
momentos de alegria.

Fonte: Os organizadores.

1.1.8 Agradecimentos

Elemento opcional, colocado após a dedicatória. Neste item, o autor do


trabalho agradece o apoio recebido de pessoas e instituições no transcurso da
pesquisa.
17

Figura 7 - Modelo de agradecimento

AGRADECIMENTOS

Ao meu orientador, que me auxiliou nas etapas desta


pesquisa.
Aos meus colegas de sala, que colaboram
com este estudo.
Aos professores, pelas dicas e paciência.
Aos meus familiares, pelo apoio e carinho.

Fonte: Os organizadores.

1.1.9 Epígrafe

Elemento opcional, colocado após os agradecimentos. Trata-se de uma frase,


normalmente relacionada ao tema apresentado no trabalho, cuja referência deve
constar na lista de referências.
18

Figura 8 - Modelo de epígrafe

xxxxxxxxxxxxxxxxx
Xxxxxxxxxxxxxxxxxxx
Xxxxxxxxxxxxxxxxx
xxxxxxxxxxx

Fonte: Os organizadores.

1.1.10 Resumo em língua portuguesa

É um elemento obrigatório, devendo possuir no mínimo 150 e no máximo 500


palavras, constituindo uma sequência de frases concisas e objetivas de maneira que
o leitor possa identificar o conteúdo do trabalho.
Deve-se usar o verbo na voz ativa, na terceira pessoa do singular. O texto
deve ser digitado em espacejamento simples, sem recuo na primeira linha, em um
bloco único.
Logo abaixo do resumo devem constar as palavras-chave, que devem
representar os principais assuntos tratados no trabalho e devem iniciar em letra
maiúscula (somente a primeira letra) e ser separadas entre si por ponto (.).
19

Figura 9 - Modelo de resumo

Título em RESUMO
maiúsculo, Entre o título
negrito e e o texto
centralizado. 1
Elemento obrigatório. O resumo deve ser um parágrafo espacejamen
único com espaçamento simples e letra tamanho 12. O to de 1,5 cm.
título RESUMO deve ser escrito em letras maiúsculas, em
Texto com negrito, também letra tamanho 12. Deve descrever de
parágrafo único, forma clara e sintética a natureza do trabalho e seu
fonte 12 e objetivo. O resumo deve ser composto de 150 a 500
espacejamento
simples.
palavras.

Palavras-chave: Resumo. Normas.

Um
espacejamento
de 1,5 cm.

Fonte: Os organizadores.

1.1.11 Resumo em língua estrangeira

Elemento obrigatório, que deve ser igual ao resumo na língua vernácula,


estando apenas em outro idioma. Em inglês abstract, em espanhol resumen, em
francês resumé. Também devem ser informadas as palavras-chave, no idioma do
resumo: em inglês key-words, em espanhol palabras clave, em francês mots-clés.
Obs: O PPGEDU/CCHS/UFMS adota o inglês como língua padrão para o resumo.
Todavia, resumos em outras línguas poderão ser acrescentados.

1.1.12 Lista de ilustrações ou tabelas

As ilustrações aparecem no trabalho para explicar ou complementar o texto.


Podem ser tabelas, quadros ou figuras. Devem ser inseridas o mais próximo
possível do texto a que se referem, enquanto ilustrações.
20

Trata-se de elemento opcional (recomenda-se a partir de três ocorrências no


trabalho), que deve obedecer à ordem em que aparece no texto, cada item deve ter
seu nome específico acompanhado do respectivo número de página.

Caso haja mais de um tipo de ilustração (quadros, mapas, fotos, etc.), pode
optar-se por apresentar uma lista para cada tipo, ou lista única para todas. No
segundo caso, devem aparecer na lista em ordem alfabética por tipo de ilustração.
Quando necessário, a ABNT recomenda a elaboração de lista própria para cada tipo
de ilustração. Ainda pode-se fazer uso de notas e chamadas colocadas no rodapé
da ilustração, quando a matéria nela contida exigir esclarecimentos.

Conceituações:

a) Quadro: representações de tipo tabular, recebem numeração consecutiva


em algarismo arábico. Os quadros diferem das tabelas por conter,
predominantemente, texto e dados que não foram tratados estatisticamente.
Aparecem com as laterais fechadas e linhas que delimitam suas colunas, caso
possua mais de uma.

Ex:

Quadro 1 - Temáticas – Obra “Caraí”

Costumes e crenças
Organização
Conhecimento técnico
Trabalho Satisfação das necessidades básicas
Dificuldades
Ferramentas
Empírico
Conhecimento
Científico
Surgimento
Organização
Ascensão
Empresa Dificuldades
Domínio da região
Declínio
Relação com o Estado
Motivação
Migração
Adaptação
Modificação e ocupação do espaço
Ambiente Dificuldades
Paisagem
Crescimento do estado
Personagens
Organização: Silva, 2009.
21

b) Figuras: consideram-se mapas, desenhos, gráficos, fotografias,


fluxogramas, organogramas, símbolos referentes ao objeto e/ou temática da
pesquisa, etc. As figuras, também, recebem numeração consecutiva em algarismo
arábico. Recomendamos que apareçam na lista de figuras nos pré-textuais. O título
e a fonte aparecem no rodapé, conforme empregado nesse Manual.
Ex: LISTA DE FIGURAS
Figura 1 – Foto de xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
Figura 2 – Foto de yyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyy

c) Tabelas: apresentam informações tratadas estatisticamente, conforme as


normas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e apresentam o título
na parte superior, em letra tamanho 10. Na parte inferior, deve conter a fonte de onde
foi extraída, também alinhada à esquerda.

As tabelas são compostas por elementos essenciais representados pelo


número, título, cabeçalho, colunas indicadoras e casas. Além desses elementos
podem ser acrescidos outros complementares, como fontes e notas. Na apresentação
das tabelas, as laterais não devem ser fechadas, restringindo-se o uso de linhas
apenas para a separação do topo, centro e rodapé.

As ilustrações (tabelas, quadros e figuras) devem ser encabeçadas pela


palavra que os designa, seguida pelo número e título, por travessão, sem ponto final.
Recebem numeração consecutiva em algarismo arábico. Quando o título tiver mais de
uma linha, a segunda e as próximas devem iniciar abaixo da primeira letra do próprio
título.
Ex:
Tabela 1 – Temas focalizados em dissertações e teses
Temas N° cit. Freq.
Avaliação da formação pelo 49 51,04%
pesquisador
Avaliação da formação pelo egresso 10 10,42%
Currículo e componentes 28 29,17%
curriculares
Formação do licenciando 6 6,25%
Relação Professor – Aluno 1 1,04%
Formação do profissional de creche 1 1,04%
Elaboração de material didático 1 1,04%
Total Observado 96 100%
Fonte: Banco de dissertações e teses do PPGEDU.
Organização: Silva, 2010.
22

Algumas considerações:
 deve ser evitado o uso de siglas e abreviaturas que não sejam de uso corrente; quando
necessárias devem ser grafadas por extenso como nota na tabela;
 o cabeçalho deve ser centralizado na coluna, com a letra inicial da primeira palavra
maiúscula. O uso de outras letras maiúsculas deve respeitar as regras gramaticais do idioma.
É facultativo grafar o cabeçalho em negrito, desde que seja mantida uniformidade em todas
as tabelas.
 nenhuma casa da tabela deve ficar em branco, apresentando sempre um número ou sinal.

1.1.13 Lista de abreviaturas e siglas

Consiste em relacionar alfabeticamente as abreviaturas e siglas usadas no


texto, seguidas das palavras ou expressões correspondentes. Quando estas
aparecem pela primeira vez no texto, devem ser escritas por extenso - a forma
completa do nome precede a sigla ou abreviatura, a qual é colocada entre
parênteses, como apresentado a seguir:
No texto: Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS)
Na lista: UFMS – Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
A forma de apresentação é a mesma da lista de ilustrações. O alinhamento
deve ser à esquerda, com as siglas em ordem alfabética.

1.1.14 Lista de símbolos


É um elemento opcional, elaborado de acordo com sua ordem de ocorrência
no texto, com o devido significado.

1.1.15 Sumário

É um elemento obrigatório, sendo o último pré-textual. Conforme a NBR


6027:1989 - Sumário - Procedimento (ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS
TÉCNICAS, 2003c), as regras de apresentação do sumário são:
a) a palavra “sumário” aparece centralizada, em negrito e todas as letras
escritas em maiúsculo;
b) os itens do sumário devem ser destacados pela mesma forma de
apresentação utilizada no texto;
c) os elementos pré-textuais não devem constar no sumário;
d) os indicativos de seções devem ser alinhados à esquerda, com parágrafos
justificados.
23

Figura 10 - Modelo de sumário

SUMÁRIO
INTRODUÇÃO................................................................ 10
1 CAPÍTULO .................................................................. 21
1.1 SUBCAPÍTULO.................................................. ....... 29
1.1.1 Subcapítulo...................................................... ...... 45
1.1.1.2 Subcapítulo................................................ ......... 52
1.1.1.2.1 Subcapítulo...................................................... 59
2 CAPÍTULO ................................................................. 64
2.1 SUBCAPÍTULO......................................................... 75
2.1.1 Subcapítulo....................................................... ..... 82
2.1.1.2 Subcapítulo......................................................... 90
CONSIDERAÇÕES FINAIS.......................................... 112
REFERÊNCIAS..............................................................121
ANEXOS.................................................................... .... 140
Fonte: Os organizadores.

1.2 Elementos Textuais

Os elementos textuais são aqueles que constituem o núcleo do trabalho. É a


parte onde será apresentado o conteúdo de todo o trabalho. Compõem os
elementos textuais:
a) introdução;
b) desenvolvimento;
c) conclusão/considerações finais.

Estes elementos são mais detalhados nos tópicos a seguir.

1.2.1 Introdução

Parte inicial do texto, que deve conter elementos necessários para situar o
leitor quanto ao assunto do trabalho e aos objetivos da pesquisa e outros elementos
necessários para situar o tema, tais como: universo de pesquisa, problema,
justificativa e breve apresentação dos capítulos.
24

1.2.2 Desenvolvimento

É a principal parte do texto, na qual o assunto tratado deve ser


detalhadamente explicado. Para melhor apresentação e compreensão, pode ser
dividido em seções e subseções, variando de acordo com a abordagem e método
adotados.

É no desenvolvimento que se coloca a revisão de literatura, a metodologia, o


dado, análise, resultado obtido e etc.

Cada trabalho terá sua divisão de acordo com o assunto tratado.

1.2.2.1 Citação

Optamos por trazer as orientações sobre citações no desenvolvimento, visto


que é nesse momento do trabalho acadêmico que em geral são utilizadas.

Segundo a NBR 10520:2002 – Informação e documentação – Apresentação


de citações em documentos, da ABNT, citação é: “Menção de uma informação
extraída de outra fonte.” (ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS,
2002b, p. 1).

A citação esclarece, ilustra ou sustenta um determinado assunto. Ela garante


respeito ao autor da ideia e ao leitor. Toda citação direta ou indireta deverá ser
acompanhada de comentários e ter a referência identificada. Utilize,
preferencialmente, a identificação no próprio corpo do texto, adotando o sistema de
chamada denominado autor-data e mantenha ao longo de todo o trabalho. Ao utilizar
o sistema autor-data, a lista completa das referências deve constar no final do
trabalho, em ordem alfabética.
No sistema autor/data, a indicação é feita pelo sobrenome do autor, ou pelo
nome da entidade responsável até o primeiro sinal de pontuação (no caso de
entidade), ou pela primeira palavra significativa do título do documento consultado,
seguido da data de publicação do documento e da página onde estiver a citação.
No sistema numérico, a indicação de autoria de uma obra é feita por uma
numeração única e consecutiva, em algarismos indo-arábicos, remetendo à lista de
25

referências no final do trabalho, na mesma ordem em que figuram no texto. As


numerações não devem ser reiniciadas a cada folha.

As citações podem estar localizadas no texto ou no rodapé, devendo ser:

1. Citação direta: transcrição literal do texto.

2. Citação indireta: interpretação de partes do texto. Paráfrase.

3. Citação de citação: citação de obra à qual não se obteve acesso físico.

Orientações:

 As citações podem ser curtas (até três linhas) ou longas (mais de três
linhas).

 A página da obra consultada deverá ser indicada em todas as citações


diretas, com exceção de documentos que estejam disponíveis em meio
eletrônico ou internet e não haja a indicação da paginação.
 O ponto final deve ficar após o fechamento dos parênteses, pois a
indicação da responsabilidade faz parte da sentença ou frase.

a) Citação direta: é a transcrição literal de um texto ou parte dele. Citação direta


até três linhas deve aparecer no corpo do texto entre aspas duplas (“...”), com a
mesma fonte e tamanho de letra do parágrafo. Se no trecho transcrito aparecerem
aspas, faça a substituição destas por aspas simples (‘...’).
Ex: “O resumo é uma representação sucinta [...] do conteúdo de um documento.”
(LANCASTER, 2004, p. 100).

Nas citações, as chamadas pelo sobrenome do autor, pela instituição ou título,


quando incluídos na sentença, devem ser em letras maiúsculas e minúsculas.

Ex: Severino (2001, p. 14).

Quando a autoria aparecer entre parênteses, as letras devem ser maiúsculas,


seguidas do ano e paginação.

Ex: (SEVERINO, 2001, p. 14).


26

Em citação com menos de três linhas, a expressão “apud” (citado por, conforme,
segundo) pode, também, ser utilizada.

Ex: Severino (2001 apud OLIVEIRA, 2002, p. 34).

O emprego do apud em itálico é opcional, mas pode-se utilizar por ser palavra em
língua estrangeira, todavia, se usar uma vez o itálico, aparecerá dessa forma em todo
o texto.

b) Citação direta com mais de três linhas: aparece com recuo de 4 cm da margem
esquerda, em bloco separado do texto, sem aspas, sem itálico, sem recuo no início do
parágrafo, transcrita em fonte menor (11 ou 10) que o corpo do texto e espacejamento
simples. No final da citação, observe a pontuação do texto original.

[...] apesar dos esforços em superar a visão estreitamente técnica e


administrativa que herdamos dos intelectuais-dirigentes escolanovistas,
mantemos em nossa área uma tônica técnico-administrativa, de um tal jeito
que parece-nos estar sempre produzindo com vistas à aplicabilidade.
(WARDE, 1990, p. 72).

c) Citação indireta: síntese de dados retirados de fonte consultada, sem alteração


das ideias do autor. A indicação da página é opcional. No entanto, se utilizar uma
única vez, deverá ser mantida em todo o trabalho.

Ex: Bakhtin (1992) também assume que o estudo nas ciências humanas não pode se
restringir a explicar os fenômenos pela sua causalidade, mas deve se preocupar também
em descrevê-los.

d) Citação indireta de diversos documentos de um mesmo autor: quando


publicados em anos diferentes e mencionados simultaneamente, têm as suas datas
separadas por vírgula.

Ex: (SEVERINO, 1989, 1991, 2001).


Coincidências:
* De sobrenome
– Acrescentar as iniciais do prenome
Ex: (SILVA, A., 2005) (SILVA, J., 2004)
Para Alberto Silva (2004, p. 45)
27

* De data (mesmo autor)


– Atribuir letras de acordo com a ordem alfabética dos títulos. E, manter a letra no final da
referência.
Ex: (LAKATOS, 2004a) (LAKATOS, 2004b)

e) Citação indireta de diversos documentos de vários autores: mencionados


simultaneamente, devem ser separados por ponto e vírgula, em ordem alfabética.

Ex: Várias revisões de pesquisas da área de educação (ANDRÉ, 2000; CARVALHO, 1998;
GATTI, 2000; WARDE, 1993) têm apontado a fragilidade metodológica dos estudos e
pesquisas, que tomam porções muito reduzidas da realidade, um número muito limitado de
observações e de sujeitos, levantamento de opiniões com instrumentos precários, análises
pouco fundamentadas e interpretações sem respaldo teórico.

f) Citação em língua estrangeira: aparece traduzida no texto, a forma original


deve ser colocada em nota de rodapé, afinal todo o trabalho deve ser escrito em
um único idioma. Deve-se incluir, após a chamada da citação, a expressão
“tradução nossa”, entre parênteses. (SEVERINO, 2008).

Ex: (OLIVEIRA, 2002, v. 2, p. 223, tradução nossa).

g) Citação de citação: deve ser utilizada apenas nos casos em que não seja
possível o acesso a fonte original. Indica-se o nome do autor do trecho transcrito
seguido de “citado por” ou “apud” e o nome do autor que transcreve o texto, ano
e página.

Ex: (SEVERINO, 2001 apud OLIVEIRA, 2002, p. 34).

Orientações: uso de expressões latinas


As expressões latinas, op. cit., idem e ibidem só podem ser utilizadas quando for
adotado o sistema de chamada numérico para citações.
Não utilize no texto: São aplicadas somente quando for utilizado o sistema
numérico para citações no texto.
Utilize no texto se necessário no sistema autor-data: apud e et seq.
28

Quadro 3 – Abreviaturas em latim

Abreviatura Significado Utilização


Apud citado por Indica a fonte de uma citação que não teve
acesso ao documento. Pode ser usada no texto
ou no rodapé.
Cf. confira Usa-se para indicar uma consulta realizada.
IBID na mesma obra Indica obra de um mesmo autor, mas com
páginas diferentes.
id. do mesmo autor Indica o mesmo autor, mesmo documento e
mesma página.
loc. cit. no lugar citado Indica a mesma página de um material já
citado.
op. cit. na obra citada Na obra citada anteriormente, na frente deve-se
colocar a página.
passim aqui e ali Quando se retiram informações de diversas
partes do documento, sem especificar as
páginas.
et.seq. seguinte Usa-se quando não quer citar todas as páginas,
indica apenas a primeira página.
Fonte: Os organizadores.

h) Citações de documentos sem autoria: quando o documento não possuir


autoria, a indicação da citação deve ser feita pela primeira palavra significativa do
título. A indicação de continuidade do título é feita por meio da utilização de
reticências, logo após a palavra.

Ex: (RELATÓRIO..., 2010, p. 9).

j) Nas citações, as supressões, interpolações, comentários, ênfase ou


destaques aparecerem da seguinte forma: supressões (omitir parte da citação) são
feitas com a utilização de reticências entre colchetes [...]; interpolações, acréscimos
ou comentários (na citação), também aparecem entre colchetes; ênfase ou
destaque: grifo, negrito ou itálico; também podem-se utilizar as expressões “grifo
nosso” ou “grifo do autor”: ao usar uma citação que contenha alguma expressão ou
palavra destacada pelo autor, usa-se, após a citação, a expressão “grifo do autor”,
entre parênteses; caso o autor do trabalho queira destacar uma palavra ou
expressão em uma citação, acrescenta-se após a mesma, a expressão “grifo nosso”,
entre parênteses.
29

Ex: “[...] as ciências humanas para além do conhecimento objetivo, ampliando o


conceito de ciência, concebendo e interpretando os fatos humanos numa forma
outra que inclui as dimensões éticas e estéticas”. (FREITAS, 1996, p. 170, grifo
nosso).

k) Nas citações de documentos da internet: os documentos da internet,


artigos, sites ou qualquer outro, são apresentados na citação da mesma forma que
um material impresso. A diferença é na referência, pois é nela que será identificado
que é um material da internet. Por exemplo, se o site tiver um autor, deve-se colocar
o nome do autor, se não tiver, coloca-se o título do documento ou o nome do site.
Para os documentos eletrônicos que não possuem páginas, deve-se colocar
somente o ano de acesso ao documento.

l) Citações com obras de mais de 03 autores: indica-se apenas o primeiro,


seguido da expressão “et al.”

m) Citações quando a obra for organizada em volumes: estes poderão ser


indicados entre o ano e a página do documento consultado.

Ex: Souza (2000, v. 4, p. 209).

n) Citações quando houver dois ou três autores: deve ser utilizado ponto e
vírgula (;) para separá-los, quando estiverem entre parênteses. Se estiverem na
sentença ou frase, utiliza-se a conjunção “e”. Quando o documento consultado
possuir até três autores, todos devem ser descritos.

Ex (1): Gonçalves e Gonçalves (2006, p. 12).

Ex (2): (TOMMASI; WARDE; HADDAD, 1996, p. 8).

1.2.2.2 Notas de rodapé

As notas de rodapé podem ser de referências (para o sistema autor-data) ou


explicativas (esclarecimentos, observações, citações).
30

Quando utilizadas notas de rodapé, estas deverão ser em fonte menor (neste
manual recomenda-se o tamanho 10), espacejamento de parágrafo simples, sem
espacejamento entre uma e outra. A partir da segunda linha da mesma nota, o texto
deve aparecer abaixo da primeira letra da primeira palavra, de forma a destacar o
número que a identifica (ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS,
2002b, p. 5).

1.2.2.3 Notas explicativas

Quando houver necessidade, poderão ser utilizadas notas explicativas no


rodapé da folha. A numeração deverá ser feita com algarismos indo-arábicos, de
forma única e consecutiva e não deverá ser reiniciada a cada nova folha, sendo
contínua em todo o trabalho.

1.2.3 Conclusão ou Considerações Finais

Em Ciências Humanas dificilmente apresentamos um trabalho como fechado


definitivamente, ou seja, concluído. De modo geral, apresentamos considerações
finais até aquele momento. Portanto, a terminologia para essa parte é opcional, no
entanto é um item obrigatório.
Esse item trata da síntese da argumentação desenvolvida, na qual se
apresentam conclusões/considerações correspondentes aos objetivos ou hipóteses.
Deve ser objetiva e concisa.

1.3 Elementos pós-textuais

São complementares ao trabalho e devem estar, como o próprio nome diz,


após o texto. São elementos pós-textuais:
a) referências;
b) glossário;
c) apêndices;
d) anexos;
e) índice.
31

Os elementos pós-textuais mais comumente encontrados em trabalhos


acadêmicos são as referências, os apêndices e os anexos.

1.3.1 Referências

Elemento obrigatório, que deve ser elaborado conforme a NBR 6023:2002 –


Informação e documentação – Referências - Elaboração.
A referida norma define referência como: “[...] conjunto padronizado de
elementos descritivos de documentos, impressos ou registrados, em diversos tipos
de suporte, permitindo sua identificação – no todo ou em parte”. (ASSOCIAÇÃO
BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS, 2002a, p. 2).
As referências podem ser indicadas por duas categorias de componentes:
elementos essenciais e elementos complementares (número de página, número do
ISBN, ISSN e dimensões). Todo material que foi citado no trabalho deve estar nas
referências.
As referências devem ser justificadas no texto, de maneira que se
identifiquem individualmente cada documento, digitadas em espaço simples e devem
ser separadas entre si por um espaço simples em branco.
A letra deve ser tamanho 12 e o tipo da fonte deve ser o mesmo utilizado no
texto. Os recursos negrito, itálico ou sublinhado devem ser uniformes em todas as
referências. Sugere-se utilizar o recurso negrito para destaque.
As referências aparecem em ordem alfabética e não devem ser numeradas
ou conter qualquer tipo de sinal.
Figura 11 - Modelo de referência

REFERÊNCIAS

Deixar 1
espaço de 1,5 cm ANDRADE, Maria Margarida. Introdução à
entre o título e o metodologia do trabalho científico: elaboração de
texto.
trabalhos na graduação. 4. ed. São Paulo: Atlas, Entre uma
1999. referência
e outra deixar
1
TOMMASI, L.; WARDE, M. J.; HADDAD, S. O espaço de 1,5
As referências são Banco Mundial e as políticas educacionais. São cm.
alinhadas à Paulo: Cortez, 1996.
esquerda.

Fonte: Os organizadores.
32

 Apresentamos, a seguir, alguns exemplos de referências com os elementos


essenciais, ou melhor, apenas as mais frequentes. Portanto, em casos não
mencionados, torna-se indispensável consultar a NBR 6023 de agosto de 2002 da
ABNT.

Livro com um único autor:


ANDRADE, Maria Margarida. Introdução à metodologia do trabalho
científico: elaboração de trabalhos na graduação. 4. ed. São Paulo: Atlas,
1999.

Livro com até três autores:


TOMMASI, L.; WARDE, M. J.; HADDAD, S. O Banco Mundial e as políticas
educacionais. São Paulo: Cortez, 1996.

Livro com mais de três autores:


CANDAU, V. M. et al. Oficina pedagógica de direitos humanos. Petrópolis:
Vozes, 1995.

Livro reeditado:
VALENTE, A. L. E. F. Ser negro no Brasil hoje. 13. ed. rev. e aum. São
Paulo: Moderna, 1994.

Livro traduzido:
GRAMSCI, A. Concepção dialética da História.Tradução de Carlos Nelson
Coutinho. 8. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1989.

Coletânea:
LEVI, G.; SCHIMIDT, J. (Org.). História dos jovens 2. São Paulo: Companhia
das Letras, 1996.

Capítulo de coletânea:
SILVA, F.C.T. Desenvolvimento e aprendizagem: deficiência mental sob a ótica
das teorias cognitivas. In: BARUFFI, H. (Org.). Educação e conhecimento. A
formação do educador. Dourados: HBedit, 2000. p. 12-38.
33

Artigo de periódico (revista):


VALENTE, A. L. E. F. Proposta metodológica de combate ao racismo nas
escolas. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, Fundação Carlos Chagas, n. 93,
p. 40-50, maio. 1995.

Artigo de periódico (jornal):


KURZ, Robert. A ideologia do sangue. Recalque de nexos históricos-
econômicos transforma conflito em Kosovo em luta maniqueísta. Folha de S.
Paulo. São Paulo, 18 abr. 1999. Caderno MAIS! p. 9.

Obra de instituições:
ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6023:
Referências - Elaboração. Rio de Janeiro, 2002.

Teses, dissertações e trabalhos de final de curso:

Tese (doutorado):
FERNANDES, M. D. E. Políticas públicas de educação: o financiamento da
rede estadual de ensino de Mato Grosso do Sul (1991 a 1994). 2001. 230 f.
Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade
Estadual de Campinas, Campinas, 2001.

Dissertação (mestrado):
BITTAR, Marisa. Estado e política educacional em Mato Grosso do Sul
(1983-1986): limites de uma proposta democrática. 1992. 260 f. Dissertação
(Mestrado em Educação) – Centro de Ciências Humanas e Sociais,
Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Campo Grande, 1992.

Trabalho de final de curso:


ARANDA, M. A. M. Projeto pedagógico e plano de desenvolvimento da
escola: buscando a distinção. 2001. 78 f. Trabalho de Conclusão de Curso
(Especialização) – Câmpus de Dourados, Universidade Federal de Mato
Grosso do Sul, Dourados, 2001.

Texto em anais de eventos editados em CD-ROM:


NASCIMENTO, A. C. O índio, a diferença e a escola. In: SEMINÁRIO
INTERNACIONAL DE EDUCAÇÃO, 1. 2001, Cianorte. Anais... Cianorte: UEM,
2001. 1 CD-ROM.
34

Texto em anais de eventos em meio eletrônico:


PEREIRA, J. H. V. Currículo, identidade e diversidade étnica e nacional. In: REUNIÃO
ANUAL DA ANPED, 25., 2002, Caxambu. Anais eletrônicos... Caxambu: 2002. Disponível
em: <http://www.anped.org.br/reunioes/25/excedentes25/jacirahelenapereirat12.rtf >.
Acesso em: 15 nov. 2002.
Obs: No endereço eletrônico sempre deve remover o hiperlink, ou seja,
esse não pode aparecer sublinhado ou em letras azuis.

Texto em meio eletrônico:


ALVES, Emiliano Rivello. Pierre Bourdieu: a distinção de um legado de práticas e
valores culturais. Sociedade e Estado, Brasília, v. 23, n. 1, jan./abr. 2008.
Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/se/v23n1/a09v23n1.pdf>. Acesso em: 12
mar. 2010.

Legislação Diário Oficial (periódico):

BRASIL. Lei Nº 11.117, de 18 de maio de 2005. Declara o arquiteto Oscar Niemeyer


patrono da Arquitetura Brasileira. Diário Oficial da União, Brasília, n. 95, 19 de maio
2005. Seção 1. p. 3.

Legislação em meio eletrônico:


BRASIL. Lei Nº 11.117, de 18 de maio de 2005. Declara o arquiteto Oscar
Niemeyer patrono da Arquitetura Brasileira. Brasília, 2005. Disponível em:
<http://www. planalto.gov.br>. Acesso em: 24 maio 2005.

1.3.2 Glossário

Elemento opcional, constituído por uma relação de termos usados no


trabalho, seguido de seus significados. Deve ser apresentado em ordem alfabética.

1.3.3 Apêndice

Elemento opcional. Elaborado pelo autor para o desenvolvimento do trabalho,


porém não faz parte do próprio trabalho. Deve ser identificado por letras maiúsculas
seguidas por travessão e seus respectivos títulos. Quando ultrapassar as letras do
alfabeto, usam-se letras dobradas (AA).
35

1.3.4 Anexo

Elemento opcional, constituído por texto ou documento não elaborado pelo


autor. É incorporado ao trabalho para fundamentar, ilustrar ou confirmar ideias.
Deve ser identificado por letras maiúsculas, seguidas por travessão e seus
respectivos títulos. Quando ultrapassar as letras do alfabeto, usam-se letras
dobradas (AA).

ANEXO A – LEI Nº. 11.645 DE 10/03/2008.


ANEXO B – LEI DE PATENTES Nº. 10.569 DE 25/02/1998

1.3.5 Índice

Elemento opcional, elaborado conforme a NBR 6034 (2004b), que se constitui


por um conjunto de palavras ou frases, normalmente ordenadas alfabeticamente,
que remetem às informações contidas no texto.

1.4 REGRAS DE APRESENTAÇÃO


1.4.1 Formato tipográfico

Os textos devem ser digitados em folha branca, de formato A4 (21 cm X 29, 5


cm), digitado na cor preta, exceto ilustrações, que podem ser coloridas.

Empregar Fonte Times New Roman, tamanho 12, para parágrafo normal. Para
citações longas, notas de rodapé, legendas das ilustrações e tabelas (títulos e fontes),
a NBR 14724:2011 recomenda tamanho menor.

Impressão: esse Manual recomenda que os elementos pré-textuais devem


iniciar no anverso da folha, com exceção dos dados internacionais de catalogação-na-
publicação (opcional) que devem vir no verso da folha de rosto. Os elementos textuais
e pós-textuais devem ser digitados no anverso e verso das folhas.
36

1.4.4 Margens e parágrafos

As margens devem ser: para o anverso (página da frente, lado principal da


folha), esquerda e superior de 3 cm e direita e inferior de 2 cm, para o verso (página
oposta da frente), direita e superior de 3 cm e esquerda e inferior de 2 cm. A norma
não convenciona tamanho exato de parágrafo, porém neste manual o recomendado é
de 1,25 cm (padrão do Word) a partir da margem esquerda e justificado.

1.4.5 Espacejamento

Todo o texto deve ser digitado em espaço de 1,5. As citações longas (mais de
três linhas), as notas de rodapé, as legendas das ilustrações e/ou tabelas, a ficha
catalográfica e a natureza do trabalho devem ser digitadas em espacejamento
simples.

As referências devem ser digitadas em espacejamento simples, separadas


entre si por um espaço simples e alinhadas à esquerda. Os títulos das seções
(capítulos) devem ser separados do texto que os sucedem por um espaço entre as
linhas de 1,5. Os títulos das subseções (divisões do capítulo) devem ser separados
do texto que os precedem e que os sucedem por um espaço entre as linhas de 1,5.

1.4.4 Numeração de títulos e seções


1.4.4.1 Títulos não numerados

Os títulos: errata, agradecimento, resumo, abstract, listas de ilustrações, lista


de tabelas, listas de siglas, listas de símbolos, sumário, referências, documentos
consultados, apêndices e anexos devem ser centralizados e sem numeração.
Sugerimos digitar em negrito e em letras maiúsculas.
Obs: Os elementos folha de aprovação; dedicatória e a (s) epígrafe (s) não são
escritos, nem numeradas. São, portanto, elementos sem título e sem indicativo
numérico.
37

1.4.4.2 Títulos numerados

Os capítulos ou seções são divisões principais de um texto, portanto devem


iniciar em folha própria e devem ser digitados todos em letras maiúsculas e negrito,
na mesma fonte, em tamanho 12, alinhado à margem esquerda.

O número do capítulo (seção) e do subcapítulo (subseção) deve preceder o


título, separado por um espacejamento (equivalente a um caractere, sem ponto final)
e estar alinhado à margem esquerda.

Os subcapítulos terciários, quaternários e quinários devem ser digitados com


a primeira letra maiúscula, seguindo a regra da língua portuguesa, alinhado a
margem esquerda.

Todas as seções devem conter um texto relacionado a elas e não se deve


utilizar “ponto, hífen, travessão ou qualquer sinal após o indicativo de seção ou de seu
título” (ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS, 2011).

1.4.4.3 Numeração progressiva de títulos numerados

Deve-se adotar uma numeração progressiva para evidenciar a sistematização


do conteúdo do trabalho. Segundo a NBR 6024:1989 – Numeração progressiva das
seções de um documento – procedimento, da Associação Brasileira de Normas
Técnicas (2005a), deve-se limitar a numeração progressiva (subdivisão de seções)
até a seção quinária, conforme o quadro 3 a seguir.

Quadro 4 – Numeração progressiva das seções

Seção Indicativo numérico Apresentação

Primária 1 TÍTULO (NEGRITO E MAIUSCULO)


Secundária 1.1 TÍTULO (MAIUSCULO SEM NEGRITO)
Terciária 1.1.1 Título (inicial maiúscula e negrito)
Quaternária 1.1.1.1 Título (inicial maiúscula, sem negrito)
Quintária 1.1.1.1.1 Título (inicial maiúscula, sem negrito)
Fonte: Os organizadores.
38

Para as seções terciárias, quaternárias e quinárias, apenas a primeira palavra


deve ter a letra maiúscula. Para as demais, devem-se seguir as regras da língua
portuguesa.

Para as seções não numeradas, deve-se seguir o formato de apresentação


das seções primárias (negrito e maiúsculo), centralizando-as. Na leitura oral, os
pontos não devem ser pronunciados. Em 1.5.1, lê-se “um cinco um” (ASSOCIAÇÃO
BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS, 2003b, p. 2).

1.4.6 Alíneas

Alínea é “[...] cada uma das subdivisões de um documento, indicada por uma
letra minúscula e seguida de parênteses” (ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS
TÉCNICAS, 2003b, p. 3). Usam-se alíneas para enumerar os diversos assuntos de
uma seção que não possui título.
Deve-se evitar a conclusão de um capítulo ou subcapítulo com uma alínea ou
subalínea, bem como com citações longas.

1.4.7 Paginação

Todas as folhas do trabalho, a partir da folha de rosto, devem ser contadas


sequencialmente, mas nem todas são numeradas. A numeração deve ser colocada,
aparecer na impressão, a partir da segunda folha da introdução, e contando a partir
da folha de rosto, em algarismo arábico, no canto superior direito da folha, a 2 cm da
borda superior, ficando o último algarismo a 2 cm da borda direita da folha, usar
tamanho 10.

Apêndice e anexo aparecem após as referências e devem ser numerados de


maneira contínua e sua paginação deve dar seguimento à do texto principal.

1.4.8 Divisões

O trabalho deve aparecer divido em capítulos/seções e subseções ou somente em


capítulos. Cada novo capítulo deverá começar em uma folha distinta.
39

1.4.9 Títulos

a) Os capítulos, constituem as seções primárias, as subdivisões desses, as


seções secundárias e assim sucessivamente até a seção quinária (1.1.1.1.1), de
acordo com a Associação Brasileira de Normas Técnicas (2003b).

b) Os títulos das seções primárias (abertura de capítulo), por serem as


principais divisões de um texto, devem iniciar em folha distinta, precedido de seu
indicativo, alinhados à esquerda, digitado no espacejamento da borda da folha, ou
seja, 3 cm, em letra maiúscula, tamanho 12 e em negrito;

c) Há partes sem numeração aparente nas folhas, a saber: errata,


agradecimentos, dedicatória, epígrafe, listas, resumos, sumário, referências,
apêndice e anexo, esses títulos aparecem centralizados, em negrito, diferentemente
de títulos de capítulos que são alinhados à esquerda. Obs: Os elementos folha de
aprovação; dedicatória e a (s) epígrafe (s) não são escritos, nem numeradas.

d) As subseções não precisam ser iniciadas em nova folha, deve ter apenas a
letra inicial em maiúscula, ser alinhada à esquerda, aparecer em negrito e
numerada. Separe o indicativo numérico do subtítulo por um espaço;

e) As folhas de abertura de capítulos não devem apresentar números, embora


sejam contadas e estes números apareçam no sumário. Para a numeração
indicativa das seções, são utilizados números arábicos, sendo estes separados de
seus títulos por um espaço, não se utilizando nenhum tipo de sinal (ponto, hífen,
travessão), nem mesmo após o título. O mesmo deve ser observado em relação à
folha da introdução e das considerações finais/conclusão;

REFERÊNCIAS

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6023: Referências -


Elaboração. Rio de Janeiro, 2002a.

______. NBR 12225: Informação e documentação - Lombada – Apresentação. Rio


de Janeiro, 2004a.

______. NBR 10520: Apresentação de citações e documentos. Rio de Janeiro,


2002b.

______. NBR 6027: Informação e documentação - Sumário – Procedimento. Rio de


Janeiro, 2003a.
40

______. NBR 6024: Informação e documentação – Numeração progressiva das


seções de um documento escrito - Apresentação Rio de Janeiro, 2003b.

______. NBR 6028: Informação e documentação - Resumos – Procedimento. Rio de


Janeiro, 2003c.

______. NBR 6022: Artigo em publicação periódica científica impressa –


Apresentação. Rio de Janeiro, 2003d.

______. NBR 6034: Preparação de índice de publicações – Procedimento. Rio de


Janeiro, 2004b.

______. NBR 15287: Informação e documentação - Projeto de pesquisa –


Apresentação. Rio de Janeiro, 2011.

______. NBR 14724: Trabalhos acadêmicos - apresentação. Rio de Janeiro, 2011.

ANDRADE, M. M. Introdução à metodologia do trabalho científico: elaboração de


trabalhos na graduação. 4. ed. São Paulo: Atlas, 1999.

CÓDIGO de catalogação anglo-americano. 2. ed. São Paulo: FEBAB, 2004. 1 v. em


várias paginações. ISBN 85-85024-04-6.

FUNDAÇÃO INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Normas


de apresentação tabular. 3. ed. Rio de Janeiro: IBGE, 1993. 61 p.

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ. Sistema Integrado de


Bibliotecas. Manual de normas para trabalhos técnico-científicos: de acordo com
as normas da ABNT. 2010. Disponível em: <www.pucpr.br/biblioteca>. Acesso em.
10 jan. 2011.

SEVERINO, A. J. Metodologia do trabalho científico. 23. ed. São Paulo: Cortez


Editora, 2008.