Você está na página 1de 2

UNIVERSIDADE PAULISTA – UNIP

CURSO DE PSICOLOGIA

ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO – (ICB) PSICANÁLISE

Daniella Guimarães Berni N894FJ-9

Turma: PS9A44

FREUD, S. (1912). Sobre o início de tratamento. In: Edição Standard das


Obras Completas, vol 12. Rio de Janeiro: Ed. Imago, 1996.
O texto sobre início do tratamento se inicia com a temática do tratamento
psicanalítico, onde se faz uma analogia com o jogo de xadrez. Freud nos
convoca a pensar “como alguém aprende a jogar xadrez?”, aprende-se a jogar
xadrez “lendo um livro” ou, simplesmente, aprende-se a jogar xadrez
“jogando”? O tratamento psicanalítico caminha neste mesmo sentido, por
exemplo, as regras do jogo de xadrez, na Psicanálise são as recomendações
ao analista praticante. Sobre estas, inicialmente é abordado que para conhecer
o paciente, fazer uma “sondagem” do caso, aceita em análise, demora entre
uma a duas semanas, esse é o primeiro tempo do tratamento, primeiras
entrevistas ou então, as entrevistas preliminares como expressa Lacan, elas se
diferenciam pela “motivação diagnóstica”, a importância do diagnóstico
diferencial para conduzir e orientar o tratamento.

Regra de ouro ou livre associação, o que é importante para o analista


que vai conduzir a escuta, aborda sobre as dificuldades que vêm a surgir se o
psicanalista acolhe algum paciente, ao qual ele tenha algum tipo de relação
social, conhecimento sobre a família, ele coloca como prejudicial, e que pode
custar a amizade, atrelado a transferência. Outro assunto abordado é o tempo
e dinheiro, ao primeiro, faz parte geralmente de uma curiosidade de quem
chega à análise, “quanto tempo vai durar o tratamento?”, Freud vai ser
categórico, ou seja, não temos como responder de forma objetiva e direta, pois
vamos trabalhar com o tempo lógico do inconsciente, pode-se agendar, mas
isso será uma questão de organização. Em relação ao dinheiro, terá fortes
elementos sexuais que dentro da dinâmica do processo deve ser tratado de
forma honesta e clara.
O uso do divã, simboliza muito a clínica psicanalítica clássica, faz parte
desde os primórdios da psicanalise, onde a hipnose fez parte deste processo, o
divã estava compondo o setting terapêutico, é fundamental no tratamento,
Freud vai abordar sobre a resistência e a transferência, e que o divã irá auxiliar
de alguma maneira, para que a associação livre ocorra. Finaliza desenvolvendo
em que ponto e com qual material deve se iniciar o tratamento psicanalítico, e é
neste ponto que traz a diferença entre a psicanálise e outras abordagens. Por
exemplo, na teoria psicanalítica o analista não vai direcionar o que vai ser
abordado na terapia, mas irá trabalhar a partir da narrativa do paciente, do que
ele leva para a sessão. É importante ressaltar em que ponto da sessão o
analista vai conhecer o paciente a ponto de sentir em que momento ele pode
fazer uma intervenção? a partir dos elementos, da transferência e da relação
estabelecida entre o paciente e o analista.

Você também pode gostar