Você está na página 1de 3

M.A.P.A.

Material de Avaliação
Prática da Aprendizagem .

Acadêmico: Leonardo Soares Rocha R.A.: 20006942-5


Curso: Graduação em Pedagogia
Disciplina: Problemas e Dificuldades de Aprendizagem na Infância
Valor da atividade: 2,0

Prazo para postagem: de 04/05/2020 até 18/07/2020 às 23h59 – horário de Brasília.

Orientações Gerais:

1. Todos os campos acima deverão ser devidamente preenchidos;


2. O aluno deverá, obrigatoriamente, utilizar este formulário para realizar a atividade, a
não utilização implicará na nota.
3. Esta é uma atividade INDIVIDUAL, em caso de plágio será zerada.
4. Para realizar esta atividade acesse o ícone “Atividade de Estudos – MAPA” siga as
orientações e atente-se ao que está sendo solicitado.
5. Utilizando este formulário, realize sua atividade, salve em seu computador e envie em
forma de anexo na versão original, ou seja, (extensão doc. ou docx.), não salve em pdf.
6. Procure argumentar de forma clara e objetiva, de acordo com o conteúdo da disciplina.
Ao utilizar quaisquer materiais de pesquisa referencie conforme as normas da ABNT.
7. Formatação exigida: documento Word, Fonte Arial, tamanho 12, espaçamento entre
linhas 1,5 e alinhamento justificado.
OBS: Após anexar o trabalho no ambiente certifique-se de que se trata do arquivo
correto, pois após "Finalizar o Questionário", não será possível reenviar a atividade ou
realizar qualquer modificação no arquivo enviado.

Título: O processo educacional no atual cenário sociocultural

A educação é um processo crítico que se desenvolve como prática social em


diferentes contextos e momentos da vida. O processo educativo como função social
cumpre um importante papel ideológico, uma vez, que busca conscientizar o
educando de forma autônoma e crítica sobre as diferentes questões igualitárias,
políticas e culturais presentes no mundo. Porém, quando se trata de uma educação
pautada no tradicionalismo, podemos observar que há um processo excludente no
M.A.P.A.
Material de Avaliação
Prática da Aprendizagem .

que tange às práticas educativas formais, pois o aluno é visto como um sujeito
passivo de aprendizagem, que apenas está sujeito a receber conhecimentos, tendo
assim o professor uma posição de detentor do conhecimento, sendo este um
transmissor e o aluno um mero receptor. A pedagogia tradicional é caracterizada por
um ensino meramente enciclopedista, baseado pela imposição de conteúdo, o que
tende a limitar os estudantes a uma visão crítica sobre o mundo a sua volta.

Em respeito ao modelo formal de educação, Maria Salete Bortholazzi Almeida


destaca que:

A educação formal é uma educação institucionalizada, ocorre em espaços


sistematizados, suas atividades são assistidas pelo ato pedagógico e
preocupa-se com a aquisição e construção do conhecimento que atendam
as demandas da contemporaneidade, nas diferentes disciplinas escolares.
(Almeida, 2014, p. 4)

Através desta análise é possível afirmar que o modelo formal de educação pouco
contribui para o desenvolvimento crítico do aluno. Tendo uma estrutura pedagógica
mecânica, que não leva em consideração a formação humana do sujeito, apenas se
pauta em uma estrutura de ensino conteudista. Mas em um mundo que presencia
constantes transformações sociais, políticas, econômicas e culturais, a educação se
transforma, reinventando-se a cada dia.

O processo de Globalização fez com que a educação se exteriorizasse além da sala


de aula. Um exemplo claro é a evolução tecnológica, que tornou-se uma ferramenta
de extrema importância para o processo de ensino/aprendizagem. Sites de
pesquisa, blogs e videoaulas são algumas das ferramentas que contribuem para a
disseminação de informações. Por tal motivo, diversas instituições de ensino se
viram obrigadas a se adequarem a um modelo de educação menos formal, levando
em consideração o sujeito aluno não só como receptor de conhecimento, mas sim,
como um sujeito ativo que seja capaz de produzir e se desenvolver sob uma nova
perspectiva de aprendizagem.

Tendo em vista o atual momento que vivenciamos neste cenário de isolamento


social, imposto pela pandemia do Covid-19, esse novo modelo de ensino à distância
ganhou força. Diversas instituições de ensino, desde escolas de Educação infantil à
Universidades tiveram que se adaptar para atenderem aos seus alunos. Uma
estrutura mais criativa se faz necessária, pois a necessidade de interação entre
M.A.P.A.
Material de Avaliação
Prática da Aprendizagem .

professor e aluno se pauta através das diversas redes sociais, possibilitando assim
uma inovação na educação, onde o Professor deve estar aberto à essa nova
dinâmica de interação com seus alunos e assim respectivamente.

Nessa perspectiva, a educação se torna um meio favorável para a autonomia da


aprendizagem, promovendo o aluno a uma visão mais crítica do mundo a sua volta,
sendo este também autor do processo de ensino/aprendizagem, que juntamente
com o professor tende a contribuir para um ensino mais dinâmico e participativo.

Referências:

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa.


34 ed. São Paulo: Paz e Terra, 1996.
LIBÂNEO, José Carlos. Democratização da Escola Pública: A pedagogia crítico-
social dos conteúdos. 16 ed. São Paulo: Loyola, 1999.

PARANÁ (Estado). Secretaria de Educação. Os desafios da escola pública


paranaense na perspectiva do professor PDE (Produções Didático-Pedagógicas).
Paraná, 2014. Disponível em:
http://www.diaadiaeducacao.pr.gov.br/portals/cadernospde/pdebusca/
producoes_pde/2014/2014_uel_bio_pdp_maria_salete_bortholazzi_almeida.pdf.
Acesso em: 06 jun. 2020.

Você também pode gostar