Você está na página 1de 34

HISTOLOGIA

OQUE É HISTOLOGIA?

➔ ciência que estuda os tecidos do corpo humano.

➔ Os tecidos são formados por grupos de células com forma e funções semelhantes.

➔ órgãos são a junção de vários tecidos que realizam uma determinada função

➔ os sistemas são a união de vários órgãos

➔ união de todos os sistemas formam o organismo


• Apesar da sua grande complexidade, o organismo humano é constituído por apenas quatro tipos básicos de
tecidos: epitelial, conjuntivo, muscular e nervoso.
➔ O tecido epitelial é formado por células que revestem superfícies e que secretam substâncias, tendo pouca matriz
extracelular .

➔ O tecido conjuntivo é caracterizado por uma grande quantidade de matriz extracelular que é produzida por suas
próprias células.

➔ tecido muscular é formado de células alongadas dotadas da capacidade de encurtar seu comprimento isto é, de contração.

➔ O tecido nervoso se compõe de células emitidos pelo corpo celular que têm as funções especializadas de receber, gerar e
transmitir impulsos nervosos.
Matriz extracelular oque é?

➔ É o conjunto de material extracelular que formam parte de um tecido.

- É um meio de integração fisiológico de natureza bioquímica complexa onde estão imersas as celulas. A MEC é a
substância do meio intersticial (extracelular).

Função:

➔ preencher espaço entre as celulas.


➔ Confere resistência mecânica para os tecidos.
➔ Constituir um meio homeostático, nutritivo para as celulas
➔ Prover fixação, ancoragem para célula
➔ Constituir um meio para o transito celular
➔ Caminho para diversos sinais entre as celulas
➔ Reservatório para diversos hormônios
Componentes da matriz extracelular

Proteoglicanos: proteína extracelular

➔ resistência ao tecido

➔Filtra substâncias que podem ser transportadas para o interior celular

➔Preencher espaço
Proteínas de adesão: glicoproteínas que permitem a aderência entre os componentes da matriz extracelular (
célula e matriz ou célula com célula).

Ex. Integrina que une a matriz com o citoesqueleto

Melatoproteína: proteínas que estão presentes na membrana plasmática que permitem a renovação da matriz
extracelular ao degradar seus componentes.
Proteínas fibrilares: formam uma firme rede que confere características estruturais, resistentes e elásticas.

Colageno:

→ Resistência

→ Estrutura

→ consistência

Elastina: confere elasticidade para o tecido

Obs. fluido extracelular, localiza-se no exterior das células, preenche os espaços vazios existentes entre as celulas.
Tecido epitelial

➔ Apresenta duas funções básicas revestimento e secreção.

- Revestimento de superfícies internas ou externas de órgãos ou do corpo como um todo (p. ex., na pele)
- Formação de glândulas

➔ Apresenta pouca substância extracelular

➔As células epiteliais geralmente aderem firmemente umas às outras por meio de junções intercelulares.

Obs. Essa característica torna possível que essas células se organizem como folhetos (camadas) que revestem a
superfície externa e as cavidades do corpo ou que se organizem em unidades secretoras.
A forma das células epiteliais:

➔ varia muito, desde células colunares altas até células pavimentosas - achatadas como
Ladrilhos

O núcleo celular também apresenta forma variada podendo ser arredondado, alongado , elíptico ou achatado de
acordo com a célula
Praticamente todos os epitélios estão apoiados sobre tecido conjuntivo, sendo separado do mesmo por uma lâmina
basal. Podemos dizer que a lamina basal apresenta varias funções ; uma das principais é promover a adesão das
células epiteliais ao tecido conjuntivo.

➔ A porção da célula epitelial voltada para o tecido conjuntivo é denominada porção basal ou polo basal.

➔A extremidade oposta, geralmente voltada para uma cavidade ou espaço, é denominada porção apical ou polo
apical; a superfície desta última região é chamada superfície livre.
Tipos epitélios

Os epitélios são divididos em dois grupos principais, de acordo com sua estrutura, arranjo de suas células e função
principal:

➔epitélios de revestimento

➔epitélios glandulares.

Essa divisão é um pouco arbitrária e tem finalidades didáticas, pois há epitélios de revestimento nos quais todas
as células secretam.

Ex. o epitélio que reveste a cavidade do estômago

ou em que há algumas células glandulares espalhadas entre as células de revestimento

Ex. as células caliciformes produtoras de muco no epitélio dos intestinos e da traqueia).


Epitélios de revestimento

Nos epitélios de revestimento:

➔as células se dispõem em folhetos (camadas) que

➔ cobrem a superfície externa do corpo ou que revestem

➔ cavidades internas: lúmen dos vasos sanguíneos, o lúmen (cavidade) de todos os órgãos ocos, tubos de
diversos calibres.
Esses epitélios são classificados de acordo com o número de camadas de células que constituem esses folhetos
epiteliais e conforme as características morfológicas das suas células.

Epitélio simples, de e acordo com a forma das suas células, o epitélio


simples pode ser:
As células do epitélio simples pavimentoso são:

➔ Achatadas como se fossem ladrilhos e seus núcleos são alongados.

➔ Esse epitélio reveste o lúmen dos vasos sanguíneos e linfáticos, constituindo o que se denomina endotélio.

Reveste também as grandes cavidades do corpo, como:

➔ Cavidades pleural,
➔ Cavidade Pericárdica
➔ Cavidade abdominal

Obs. recobrindo também os órgãos contidos nessas cavidades. Nessa localização, esse epitélio também é
denominado mesotélio
As células do epitélio simples cúbico são:

➔ Cuboides e seus núcleos são arredondados.

➔Encontrado na superfície externa do ovário e formando a parede de pequenos dutos excretores de muitas
glândulas.
No epitélio simples prismático (também conhecido como colunar ou cilindrico) as células são:

➔ Alongadas
➔ Os núcleos são alongados, elípticos.

➔Constitui, por exemplo, o revestimento interior intestinal e vesícula biliar


As células do epitélio estratificado pavimentoso se distribuem em várias camadas e a sua forma varia de acordo
com o local em que se encontram.

➔ células basais são geralmente cúbicas ou colunar .

➔Essas células migram lentamente para a superfície do epitélio, mudando sua forma gradativamente se tornam
alongadas e achatadas como ladrilhos.

Essas células descamam, sendo substituídas pelas células que continuamente migram da base para a superfície.

Esses epitélios revestem cavidades úmidas (p. ex., boca, esôfago,


vagina), sujeitas a atrito e a forças mecânicas e é mais corretamente
denominado epitélio estratificado pavimentoso não queratinizado.

Obs. superfície seca, é revestida por um epitélio estratificado


pavimentoso queratinizado.

➔Morte células superficiais , perda de organelas


➔Citoplasma ocupado por queratina
epitélio de transição reveste a bexiga urinária, o ureter e a porção inicial da uretra. É um epitélio estratificado
em que a forma das células da camada mais superficial varia com o estado de distensão ou relaxamento do órgão.
Quando a bexiga está vazia, as células mais externas do epitélio são frequentemente globosas e de superfície
convexa.
epitélio pseudoestratificado

➔formado por apenas uma camada de células.

➔núcleos são vistos em diferentes alturas do epitélio, parecendo estar em várias camadas.

Ex. epitélio pseudoestratificado prismático ciliado que reveste as passagens respiratórias mais calibrosas desde
o nariz até os brônquios.
Epitélios glandulares
Os epitélios glandulares são constituídos por células especializadas na atividade de secreção. As células epiteliais glandulares
podem:
➔ sintetizar, armazenar e eliminar proteína, hormônios (p. ex., o pâncreas), lipídios (p. ex., glândula adrenal e as glândulas
sebáceas) ou complexos de carboidrato e proteínas (p. ex., as glândulas salivares).

➔ As glândulas mamárias secretam todos os três tipos de substâncias.


- Proteínas
- Lipídeos
- Carboidratos
Menos comuns são as células de glândulas que têm baixa atividade sintética (p. ex., as glândulas sudoríparas),

➔ A secreção é constituída principalmente por substâncias transportadas do sangue para a glândula. As


moléculas a serem secretadas são em geral temporariamente armazenadas nas células em pequenas vesículas
envolvidas por uma membrana, chamadas de grânulos de secreção.

➔Termo regulação

glândulas sudoríparas apócrinas são menos frequentes.


Elas são encontradas nas axilas, aréolas mamárias e na região
genital e anal.

Obs: Ativada na puberdade

Glândula ecrina: são mais comumente encontradas pelo corpo.


• Os epitélios que constituem as glândulas do corpo podem ser classificados de acordo com vários critérios. Há
glândulas unicelulares e multicelulares. Um exemplo de glândula unicelular é a célula caliciforme, encontrada
no revestimento do intestino delgado, produzem muco.

As glândulas propriamente ditas são sempre formadas a partir de epitélios de revestimento cujas células proliferam
e invadem o tecido conjuntivo próximo.
As glândulas podem ser de dois tipos.

Glândulas exócrinas: mantêm sua conexão com o epitélio do qual se originaram. Essa conexão toma a forma de
dutos tubulares constituídos por células epiteliais e, através desses dutos, as secreções são eliminadas, alcançando a
superfície do corpo ou uma cavidade.
glândulas endócrinas: a conexão com o epitélio é obliterada e reabsorvida durante o desenvolvimento. Essas
glândulas., portanto, não têm dutos, e suas secreções são lançadas no sangue e transportadas para o seu local de
ação pela circulação sanguínea.
Alguns órgãos têm funções tanto endócrinas como exócrinas e um só tipo de célula pode funcionar de ambas
as maneiras.
fígado
células que secretam bile através de um sistema de dutos também secretam produtos na circulação sanguínea.

Em outros órgãos, algumas células são especializadas em secreção exócrina e outras em secreção endócrina;
no pâncreas, por exemplo, as células acinosas secretam enzimas digestivas na cavidade intestinal, enquanto as
células das ilhotas de Langerhans secretam insulina e glucagon no sangue.
De acordo com o modo pelo qual os produtos de secreção deixam a célula, as glândulas podem ser classificadas em
merócrinas, holócrinas ou apócrinas.

➔Nas glândulas merócrinas (pâncreas) a secreção é liberada pela célula por meio de exocitose, sem perda de
outro material celular.

➔ Nas glândulas holócrinas (glândulas sebáceas) o produto de secreção é eliminado juntamente com toda a
célula, processo que envolve a destruição das células repletas de secreção.
➔Um tipo intermediário é a secreção apócrina, encontrada na glândula mamária, em que o produto de secreção
é descarregado junto com pequenas porções do citoplasma.
Biologia dos tecidos epiteliais

Conforme já mencionado, os tecidos epiteliais estão apoiados sobre um tecido conjuntivo, que serve não só
para sustentar o epitélio, mas também para a sua nutrição, para trazer substâncias necessárias para as células
glandulares produzirem secreção e para promover adesão do epitélio a estruturas subjacentes. A área de
contato entre o epitélio e a lâmina própria pode ser aumentada pela existência de uma interface irregular entre
os dois tecidos, sob forma de evaginações do conjuntivo, chamadas papilas. As papilas existem com maior
frequência em tecidos epiteliais de revestimento sujeitos a forças mecânicas, como pele, língua e gengiva.
Em muitas células epiteliais a distribuição de organelas na porção do citoplasma apoiada na lâmina basal (polo
basal da célula) é diferente das organelas encontradas no citoplasma da porção livre da célula (polo apical); a
esta diferente distribuição, que é constante nos vários tipos de epitélios, dá-se o nome de polaridade das células
epiteliais.

➔diferentes partes dessas células podem ter diferentes funções.

➔A membrana plasmática das células epiteliais pode ter composição molecular diferente em seus diferentes polos.
Os vasos sanguíneos não penetram nos epitélios e, portanto, todos os nutrientes das células epiteliais devem vir
dos capilares sanguíneos existentes no tecido conjuntivo subjacente. Esses nutrientes se difundem pela
lâmina basal e entram nas células epiteliais.
A maioria dos tecidos epiteliais é ricamente inervada por terminações nervosas provenientes da lâmina própria.

➔Frio e calor
➔Dor
Renovação das células epiteliais

A maioria dos tecidos epiteliais são estruturas dinâmicas cujas células são continuamente renovadas por atividade
mitótica. A taxa de renovação é variável;

➔pode ser rápida em tecidos como no epitélio intestinal, que é totalmente substituído a cada semana,

➔lenta, como no fígado e pâncreas. Em tecidos epiteliais de revestimento estratificados e pseudoestratificados


as mitoses ocorrem na camada basal do epitélio, a camada mais interna próxima à lâmina basal, onde se
encontram as células-tronco desses epitélios. Nos epitélios estratificados as novas células continuamente migram
para a superfície ao mesmo tempo que células superficiais descamam.
Características e funções gerais do tecido epitelial

➔ Celulas poliédricas e justa postas


➔Pouca ou nenhuma matriz extracelular
➔Avascular
➔Apresenta sensibilidade
➔Apresenta especialização da membrana
➔Revestimento
➔Proteção
➔Absorção
➔secreção

Você também pode gostar