Você está na página 1de 3

c 

       

Escrito por Edirlan Soares Ter, 08 de Junho de 2010 20:42

No livro do profeta Oséias, no capítulo 4 e verso 6 está escrito:

³ O meu povo perece por falta de conhecimento!´ Oséias 4:6

Os sentimentos mais nobres que norteiam o matrimônio estão baseados no amor mútuo, no
companheirismo e na lealdade, seguidos de um compromisso de vida à dois. Por esse ângulo entendemos
que o amor sem compromisso vale tanto quanto o ódio. O nosso Deus é Deus de propósitos. Porsso
i ao
estabelecer o casamento, instituiu três propósitos básicos para mantê-lo:

TRÊS PROPÓSITOS BÁSICOS

* QUE O CASAL SEJA UMA UNIDADE

Ao unirem-se em matrimônio o marido e a mulher passam a ser uma só carne, como está escrito no
evangelho. Respondeu-lhe Jesus: ³ Não tendes lido que o Criador os fez homem e mulher desde o
princípio, e que ordenou: por isso deixará o homem seu pai e sua mãe eunir-se-á a sua mulher e serão os
dois uma só carne. Portanto o que Deus uniu, não separe o homem´. Esse é o princípio que deve ser
praticado pelo casal. O Senhor Jesus, em sua oração sacerdotal pede que sejamos um, assim como ele é
com o Pai. ( João 17:11-21) O apóstolo Paulo reafirma que os maridos devem amar as suas esposas como
Cristo amou a Igreja. (Efésios 5: 25,26), e que as esposas devem amar os seus maridos como a Igreja
deve ser dedicada a Cristo. Este princípio ensinado por Cristo, leva-nos a entender que quando o esposo
trata a esposa com amor verdadeiro, à maneira de Cristo, esse facilita para que as esposas lhe sejam
submissas. Quando as esposas aceitam a submissão ao marido - não como escravas, mas como
companheira tornam fácil os maridos amarem suas esposas. O desejo de Deus para um casamento
abençoado, é sobretudo que exista um perfeito equilíbrio, pois apesar de serem uma só carne, é
necessário que exista respeito a individualidade de cada um.

* QUE O CASAL SEJA FELIZ

Um dos princípios bíblicos é que devemos viver intensamente a vida conjugal com alegria. O livro de
cantares de Salomão dá-nos esse exemplo, mostrando toda beleza de um relacionamento ideal entre o
homem e a sua mulher. O amor definido no livro de Cantares não mostra um sentimento passageiro com
relação a tudo que traz prazer e poesia µa vida, quando diz: ³ É melhor do que o vinho´ e ³ Do teu amor nos
lembraremos mais que o vinho, não é sem razão que te amam´. O vinho, aqui descrito é apenas uma
alegoria, e o que o autor deseja exprimir nessa comparação é uma efusão de alegria que deve existir num
relacionamento conjugal abençoado por Deus (Cantares 1:2 e 1:4) O amorconjugal deve ser como um
banquete de almas, uma celebração de alegria pelo prevalecer de dois seres sobre o egoísmo indômito,
adversário daqueles que desejam ser apenas um. Esta alegoria representada pelo vinho, em Cantares, é a
mais bela expressão que o casamento pode representar.

* QUE O CASAL SEJA MULTIPLICATIVO

Deus quer que os filhos venham ao mundo numa atmosfera de alegria e amor e sejam eles os frutos
do amor. Os filhos, à medida que vão crescendo, vão se espelhando na vida diária do
s seus pais; sentindo
alegria quando esses mostram alegria, felicidade e proteção, mas sobretudo amor quando vêem isso
neles.

O PRIMEIRO CASAL A EXPERIMENTAR A GRAÇA DE DEUS


O maravilhoso relato sobre o relacionamento de Deus para com o ser humano, e de um ser humano
para o outro, se encontra logo nos primeiros capítulos da Bíblia Sagrada. (Gênesis 1:26-28) Também a
narrativa de sua criação segundo a imagem e semelhança de Deus. (Gen. 2:22). A mensagem do texto
mostra claramente que Ele a criou a mulher cuidadosamente, com propósitos específicos. Adão, fora
criado do pó da terra, mas Eva, de sua costela. Vejamos que Eva , tirada da costela de Adão, dá-nos a
nítida certeza de que fora criada para ser sua companheira e adjutora.
A i i A t f i:

E t fi l, i . i : 3

A i : ti !A t i l l i i i
l ,f t f l i t i ! t t i t :

P i i i i l i ,
. i : .

j t t i t l i it i i i li
t , t l i i i ti f
t i . t i i l i i i
.

ES I E PA A A P E E E S
i t t t A ,E t t i . t t l
t l i , i t t l t ¶El , i
t l t t , f i ti i l i
t t . í i t t j t t ,
t f t õ . l t i , E E
i t i , , l t , i ,
i t i .
t i t , l iti f t
ti i l j i i f f i f i ,
t i i t t i .
P i , , j , i j l , t i i
j : A .

S AS E E A I A E S ESVI A S
t i t t i t f t i
i j :

S ti ¶El .
S ti t .
A t t .

i i i tifi l i . ü i
l , i : t j t i , l t i
A l l f t t ti t í l l
ili i , .A i .I
i t l t i j .B l l f t
i ,f i t i t i i l , i li t , i t t , i
l i í ti l l .
A l i , f i:

l it t t ; l t i .E i t l
t i ; , t t t , t t t
t , f t t , t t . . 3: , 9

t t ti f t l j i ,
ü i i fi i flit ti . i li ,
li ti f l f f íli .

E A I A E S E I S PE A A I Ã
A i i l i l t i , i í l
i i
f it , t i l t í t . A .
l i i l , l i i t t t , ,t t
t l , i i ; l t t t
t li t . l i t i l l i i t
ti f . i i l i í t ;
ti f i j ti t t .
i j ti í t t t til ti
t t ti .V j :
. fil t j i t
i .
. j t ti t i i .
3. t i t i j t it .
.S j fi i t , i ?
ti i t tit l i f t
ti , t ti ti .

E EI S A E E IA A I A
.S t f .
.I ti f , t .
3. i i j l õ t l i t .
.S li .
.S ti t l l i f li i j .
. l i , j t t f l .
.I .

P EE E SP P SI S A IÃ A I IA
E i í i i t t i l i t ,
.E t f it l i li l . f it
t t .P l i t t it , i i l
i l i t , t S t i t f l .
P i , El f l t , i t
t . t . El i i í i , i t ,
t f f íli . E f l , i : i, lti li i, i t i i. i
:

EXE Í I SP Á I S
A t i t , i i , t l t t
i it l . t t t l i í i j l
l j t :

S i t t i it li , i , S i t !
:3
S i t i l i i t ! ili : 9
3 i i , i t i it j f li
j t .
S i t l it l i
, i f íli ! I i 3:
P t i l f t l . ili : 3
   Al  i
A t : P
    
      
i  l i i t i    i  I  j      l 
           
www. i 
.
.  www.
t  l   .
. /    l  i  /
‘

Você também pode gostar