Você está na página 1de 5

FP092 – METODOLOGIA DA PESQUISA CIENTÍFICA

CASO PRÁTICO
Aluno: Osorio Trigo

Disciplina: Metodologia da Pesquisa Cientifica

Nome do mestrado ou especialização: Direcção Estratégica para Organizações de Saúde

Data: 24/02/2022

Título da pesquisa: mencione seu tema de uma forma completa e concreta, identificando o que
você pretende demonstrar, provar, conhecer ou propor, bem como os participantes do estudo, a
instituição (se existir), a cidade e o país. O tema deve estar diretamente relacionado com seu
programa e deve ser uma proposta de possível aplicação prática. Exemplo: “Desenvolvimento de
um workshop sobre inteligência emocional para a resolução de conflitos, com crianças do 4º ano
do Instituto Pedagógico José María Céspedes, localizado em Lima, Peru”.

O caso prático consiste em responder às perguntas considerando cada critério, fornecendo


argumentos para justificar seu tema de pesquisa. Apoie-se em citações provenientes da literatura
científica e, no final, da tabela forneça a referência completa (considere que citações e referências
são elementos diferentes, sendo ambas obrigatórias). Pata tal, consulte, pelo menos, 5 fontes
bibliográficas. A extensão recomendada é de 5 páginas. Lembre-se de utilizar as normas da APA
para citações e referências: https://www.normativa-academica.info/pt/normas-apa

Diagnóstico da Situação Actual de Satisfação do Estagiário de Saúde no Hospital Rural


de Vilankulo
Critério Aplicado ao seu projeto
Conveniência O défice de recursos humanos para a saúde é causado não só
pela carência de trabalhadores de saúde em termos
quantitativos, mas também pela distribuição desigual e pelas
baixas competências técnicas desses trabalhadores de saúde
em Moçambique conforme narra a Jica & Proforsa (2013).

A última causa relacionada com a baixa competência técnica


dos trabalhadores de saúde é a razão que nos leva a realizar
este estudo tendo em conta a proliferação desenfreada de
instituições públicas e privadas de formação de trabalhadores
de saúde.

Segundo um trabalho de Christofoletti, G., et al (2014) O


modelo tradicional de ensino, centrado na figura do docente,
vem sendo discutido e criticado, pelo facto de o aluno ser
sujeito passivo na aquisição de conhecimento (Christofoletti, G.,
et al, 2014, pp. 3 – 5, nossa tradução).

Todos nós já resolvemos exercícios e testes escritos. E todos

1
Diagnóstico da Situação Actual de Satisfação do Estagiário de Saúde no Hospital Rural
de Vilankulo
Critério Aplicado ao seu projeto
sabemos que estas avaliações têm uma capacidade limitada
para medir se os estudantes podem ou não executar realmente
a tarefa.

Jhpiego (2010, p. 101, tradução nossa) afirma que um teste


escrito não é muito útil para um professor que pretenda
descobrir se os estudantes sabem como aconselhar uma
grávida sobre o aleitamento materno. Seria melhor que o
professor avaliasse esta habilidade ao observar os estudantes
à medida que eles realmente aconselham as mulheres grávidas
(Preparação e Utilização de Avaliações de Habilidades). Mesmo
assim a maioria das tarefas ou habilidades possuem uma
importante componente de conhecimentos que precisam ser
avaliados de uma forma valida, fiável e exequível (Planificação
do Ensino). (Jhpiego, 2010, p. 101, tradução nossa).

Já OMS (2005) vai mais ao fundo levantando a perspectiva de


formação baseada em competências claramente definidas que
devem ser críticas para a avaliação e validação dos
conhecimentos. Afirma ainda que quando estivermos a avaliar
os conhecimentos dos estudantes iremos utilizar avaliações
formativas dos conhecimentos para ajudar a orientar os
estudantes para atingirem as competências para a
aprendizagem e avaliações sumativas dos conhecimentos para
garantir que os estudantes terminem o curso com
conhecimentos necessários. (OMS, 2005, p.21, tradução
nossa).

Ramos, R. L., & da Silva A., H. (2018). Através da análise dos


resultados de um questionário chegou a compreensão que os
alunos têm sobre avaliação formativa e percebeu que embora
tenha-se ampliado o uso de avaliações menos convencionais
ainda persiste em grande escala as avaliações mais tradicionais
ou sumativas . Por ser uma componente indissociável do
processo de ensino e aprendizagem, a avaliação das
aprendizagens dos alunos, e a forma como é implementada,
decorre do desenvolvimento de todo o processo. (Ramos, R. L.,
& Silva A. H, 2018, tradução nossa).

Várias investigações têm apontado para a discrepância entre a


legislação e a sua implementação segundo Meneses et al.
(2000, p 145, tradução nossa), “mas também para algum
distanciamento entre as concepções e as práticas dos
formadores, na avaliação das aprendizagens dos seus alunos,
principalmente no que respeita à avaliação formativa ou
avaliação para a aprendizagem”.

O objectivo fundamental deste projecto e de medir o grau de


satisfação do estagiário descrevendo como se preparam e
utilizam ferramentas para avaliações formativas e sumativas
das habilidades dos estagiários do Hospital Rural de Vilankulo,
na Cidade de Vilankulo, na Província de Inhambane, Sul de
Moçambique.

Relevância social Os benefícios para o desenvolvimento deste projecto de

2
Diagnóstico da Situação Actual de Satisfação do Estagiário de Saúde no Hospital Rural
de Vilankulo
Critério Aplicado ao seu projeto
pesquisa são os de trazer para a sociedade uma formação
eficaz que deve oferecer um equilíbrio entre experiencias
teóricas e praticas para ajudar os estudantes a desenvolverem
competências que são essenciais para o inicio de sua
actividade profissional como provedores de cuidados de saúde
e a desenvolver profissionalmente ao longo de suas carreiras e
desta forma promover de forma sustentável os recursos
humanos para o sector de saúde com vista a prestar cuidados
de saúde com qualidade.

Jica & Proforsa (2013) aprofunda esta matéria ao afirmar que a


formação de quadros de saúde está intrinsecamente ligada ao
contexto social. Grandes forças sociais, culturais, históricas e
políticas interagem para formar e definir o ensino e a
aprendizagem, e portanto as competências essenciais que os
estudantes devem desenvolver.

Neste âmbito, todas as forças e pessoas envolvidas no


processo de formação são importantes, por isso, a busca por
dar a voz e vez a todos os agentes das instituições de formação
de saúde impactados pelos currículos: professores, estudantes,
supervisores e directores. (Jica & Proforsa, 2013, p. 9, tradução
nossa).

Sabe-se que o investimento de recursos humanos no campo da


saúde terá influência decisiva na melhoria dos serviços de
saúde prestados a população.

Por isso, a preparação de estagiários é fundamental e requer


material didáctico criterioso e de qualidade, ao lado de outras
acções e atitudes que causem impacto na formação profissional
desses estagiários.

Segundo Costa, H. (2003), o conhecimento dos aspectos que


satisfazem a vida dos estagiários, constituem-se, sem dúvida,
em forte contribuição no conjunto das acções que visam a
integração entre educação, serviço, gestão do serviço Nacional
de saúde e o controlo social do sector de saúde (Costa, H. 2003
p. 7, nossa tradução).
Implicações práticas Existe um problema prático que ocorrem no campo de
formação, investigações demonstram que os estudantes
necessitam de um ambiente apropriado e uma variedade de
actividades de aprendizagem que incluem oportunidades para
praticar e receber feedback sobre o seu desempenho.

Sabe-se que a formação é mais eficaz quando os resultados


esperados baseiam-se em conhecimentos, habilidades e
atitudes existentes, são relevantes para as futuras tarefas do
provedor de cuidados de saúde, correspondem as
necessidades de governos e unidades de cuidados de saúde.

Harden, R. M., & Gleeson, F. A. (1979) afirmam que por serem


diversas as necessidades dos consumidores dos cuidados de
saúde, a formação deverá concentrar-se na preparação dos
trabalhadores de saúde que possam desempenhar uma
variedade de papéis incluindo os papéis chave como clinico,

3
Diagnóstico da Situação Actual de Satisfação do Estagiário de Saúde no Hospital Rural
de Vilankulo
Critério Aplicado ao seu projeto
consumidor, educador, conselheiro, administrador e gestor.
(Harden, R. M., & Gleeson, p. 10-15, tradução nossa).
Valor teórico Segundo Siqueira, M. C. G. (2009). Existem inúmeros desafios
no desenho de programas educacionais para trabalhadores de
saúde. Apesar de variarem de instituição para instituição de
formação de saúde, os desafios comuns são os elevados
números de estudantes, oportunidades limitadas para
experiencias praticas relevantes e uma quantidade crescente
de informação que precisa ser abordada.(Sequeira, 2009, p
120, tradução nossa).

Este projecto reconhece estes desafios comuns e propõe uma


variedade de abordagens praticas que os educadores que
planeiam e orientam estudantes no campo de estagio, possam
utilizar para melhorar a eficácia do seu ensino e avaliação das
habilidades dos formandos.

Os estudantes devem construir e demonstrar competência nas


habilidades essenciais para poderem prestar serviços de
qualidade de alta qualidade depois da graduação. Esta
pesquisa tem valor na facilitação do desenvolvimento de
habilidades.
Utilidade metodológica Por se tratar de pesquisa qualitativa, onde o conteúdo da
resposta é mais importante que a quantidade de respostas
iguais, será preciso estabelecer alguns critérios de colheita e
análise, de forma que possam ser compreendidos em seu
contexto (Jica & Proforsa, 2013, p. 10-12, tradução nossa).

O primeiro passo crítico da formação é o de definir e redactar


as competências a serem adquiridas.

Com as competências nucleares para o programa académico


em carteiras nas diferentes instituições de formação de saúde
em Moçambique, poder se a redactar competências que
reflictam conhecimentos, habilidades e atitudes que os
estudantes deveram adquirir e ou desenvolver durante a
formação.

Como será visto nos resultados da satisfação do estagiário, as


competências irão orientar o desenvolvimento dos planos
temáticos e planos de aulas, assim como, ajudar a selecção
dos métodos de ensino aprendizagem e de avaliação de
habilidades.

A importância de se ouvir todos os agentes envolvidos na


execução de um currículo será demonstrada nesta pesquisa
quando se procurar envolver aqueles que tenham relação com
o currículo: Estudantes (estagiários).

Jica & Proforsa (2013) afirmam que estudantes concentram


seus perfis e áreas de actuação no conhecimento e execução
de procedimentos específicos das suas profissões, nas
actividades da prática clinico-laboratorial, e nas intervenções
das acções da saúde da comunidade. Assim, apesar de o perfil
profissional e as áreas de actuação serem descritas e
ampliadas nos currículos dos cursos, este perfil e área de

4
Diagnóstico da Situação Actual de Satisfação do Estagiário de Saúde no Hospital Rural
de Vilankulo
Critério Aplicado ao seu projeto
actuação não são percebidos pelos estudantes.

Sabe-se que de uma forma geral o estágio é visto como um


espaço para relacionar a teoria com a prática, se adquirir
experiencia e aprender técnicas, ter contacto com o paciente, e
isso sob supervisão. Os grandes desafios do estágio ficam por
conta de um acompanhamento adequado pelos supervisores ou
tutores. (Jica & Proforsa, 2013, p. 45-47, tradução nossa).

Referências

 Christofoletti, G., Fernandes, J. M., de Souza Martins, A., Junior, S. A. O., Carregaro,
R. L., & Toledo, A. M. (2014). Grau de satisfação discente frente à utilização de
métodos activos de aprendizagem em uma disciplina de Ética em saúde.  Revista
Electrónica de Educação, 8(2), 188-197. Recuperado em
https://scholar.google.com.br/scholar?hl=pt-
PT&as_sdt=0%2C5&q=Um+guia+para+forma
%C3%A7%C3%A3o+de+Docentes+e+tutores+cl%C3%ADnicos+em+sa
%C3%BAde&btnG =
 Harden RM and FA Glesson. 1979. Assessment of medical competence using a
structured clinical examination. Medical Education 13:44-54. Recuperado em
https://doi.org/10.1111/j.1365-2923.1979.tb00918.x
 Jhpiego M., 2010. Habilidades para ensino eficaz. DRH/DF/MISAU, Maputo.
 Jica & Proforsa (2013). Diagnóstico da situação actual das Instituições de Formação
da saúde do MISAU. DRH/DF/MISAU. Maputo, Moçambique. Biblioteca Azul, 7- 49.
 OMS, 2005. Um guia para formação de Docentes e tutores clínicos em saúde.
DRH/DF/MISAU, Maputo.
 Ponte, J., Serrazina, L., Guimarães, H., Guimarães, F., Breda, A., Sousa, H., Menezes,
L., Martins, G. e Oliveira, P. (2007). Programa de Matemática do Ensino Básico.
DGIDC: Lisboa .recuperado em http://hdl.handle.net/10400.19/1155
 Ramos, R. L., & da Silva Argolo, H. (2018). As concepções de avaliação de estudantes
dos cursos de pós-graduação em docência: expectativas, preparação e realidade em
sala de aula. Educação em Perspectiva, 9(3), 714-733. Recuperado em
https://doi.org/10.22294/eduper/ppge/ufv.v9i3.1007
 Siqueira, M. C. G. (2009). O processo de ensino-aprendizagem na formação técnica
dos trabalhadores em saúde: contribuições, limites e desafios de uma metodologia
participativa. Recuperado de
https://siaiap39.univali.br/repositorio/handle/repositorio/1180

Você também pode gostar