Você está na página 1de 52
BATERIA FATORIAL DE PERSONALIDADE (BFP) MANUAL TECNICO JOOOCOOD0ONO0OO00N 90D 900COOC999099ONI9IIAIIIAIIT Aptesentacao A Bateria Fatorial de Personalidade (BEP) ¢ um instrumento psicol6gico construido para a avaliagdo da personalidade a partir do modelo dos Cinco Grandes Fatores (CGF), que inclui as dimensdes: Extroverso, Socializago, Realizagaio, Neuroticismo e Abertura a experi¢ncias. A ba- teria foi desenvolvida no Brasil, levando em conta a linguagem falada no pais, os valores culturais, as diversidades regionais e especificidades dos quadros clinicos na nossa realidade, Essas caracte- risticas, portanto, diferenciam a BEP de outros instrumentos para a avaliagao da personalidade desenvolvidos em outros pafses ¢ adaptados para o Brasil. ‘ABEP foi claborada a partir da selegéio dos itens com as melhores propriedades psicométricas das escalas individuais para a avaliagao dos cinco fatores, a saber: a Escala Fatorial de Neuroticismo (Hutz & Nunes, 2001), a de Extroversdo (Nunes & Hutz, 2007a), a de Socializagdo (Nunes & Hutz, 2007b), ade Abertura ea de Realizagdo (pesquisas em andamento). Pesquisas utilizando a BFP esto sendo realizadas em varios contextos e seus resultados serto disponibilizados por meio de artigos em revistas cientificas da area. Além disso, seré mantida uma listagem atualizada de trabalhos com a eseala no site wwwufigs.br/psico-laboratorio. Encontram-se na literatura nacional e internacional (Jain, Blais, Otto, Hirshfeld & Sachs, 1999; ‘Trull & McCrae, 2002: Widiger & Frances, 2002; Widiger, Trull, Clarkin, Sanderson & Costa, 2002; Cassito, Fattorini, Gilioli, Rengo & Gonik, 2003; Ross, Rausch & Canada, 2003; Laak et al,, 2003; Bozionelos, 2004: Friborg, Barlaug, Martinussen, Rosenvinge & Hjemdal, 2005; Saito, ‘Nakamura & Endo, 2005; Ghorbani & Watson, 2005; Avila & Stein, 2006; Yoshida, 2006; Maciel & Yoshida, 2006; Nunes, Nunes & Hutz, 2006; Joly, Nunes & Istome, 2007) pesquisas que indi- cama utilidade de instrumentos para a avaliagao da personalidade no modelo dos Cinco Grandes Fatores para: 1. Pesquisa AvaliagGes clinicas e psicodiagnéstico Avaliages no contexto da psicologia do trabalho e organizacional Avaliagdes de triagem em instituigdes de savide 4 3. 4 5. Orientagao profissional 6. Psicologia forense 7. Psicologia escolar e educacional 8 Avaliago neuropsicolégica Tais pesquisas serio oportunamente discutidas nas segdes referentes 4 apresentacao dos fato- res ou na interpretagdo dos resultados da BFP. Este manual esta organizado em segdes: a. Omodelo dos Cinco Grandes Fatores de Personalidade: apresentagdlo dos aspectos teéricos e conceituais sobre o modelo e seus components; Bateria Fatorial de Personalidade -BEP A construgdo da BFP: descrigdo do processo de selegao dos itens ¢ das instrugdes da bateria, bem como seu aprimoramento: Estudos de Validagito da BFP: descrigao dos estudos realizados até o momento para a verificagiio de evidéncias de validade da bateria. Inclui estudos sobre sua estrutura inter- na, sua telagdio com outros construtos ¢ com varidveis externas. Aplicagéio e levantamento da BFP: sio detalhados os procedimentos para a aplicagao da bateria, assim como as etapas necessiirias para o levantamento dos escores brutos € sua converstio para pontos percentilicose escores f Interpretagdo da BFP: informagées sobre possiveis interpretagdes para os escores ge- tais de Extroversiio, Socializagao, Realizacdo, Neuroticismo e Abertura a experiéncias, como também de suas facetas; Referéncias normativas para interpretagdo da BFP: tabelas para converstio em pon- tos percentilicos dos fatores ¢ facetas do teste. Aplicagao e Levantamento da Bateria Fatorial de Personalidade Procedimentos Para Aplicagao da BFP Material Caderno de Aplicagdio do teste: contém as instrugdes e 126 itens. Protocolo de Respostas: onde sio registradas as respostas aos 126 itens ¢ informagées sobre as pessoas avaliadas. Protocolo de Apuragiio (em caso de corregiio manual). Situagio de Aplicagao ABFP pode ser aplicada individualmente ouem grupos de qualquer niimero de sujeitos, desde que haja acomodagées suficientes e adequadas, além de pessoal de apoio, quando se tratar de uma aplica- ‘fio com grandes grupos. O teste niio tem limite de tempo c usualmente niio ultrapassa40 minutos, Além das recomendagées relativas aos procedimentos para aplicagiio do teste, énecessério salientara importéncia do ambiente na aplicagao de um instrumento psicolégico. que deve possuir as seguintes caracteristicas: 1. Quanto ao espago fisico, uma sala de aplicagdio individual deve ter, no minimo,4 (quatro) m?; uma sala de aplicagéo coletiva deve possuir, no minimo, 2 (dois) m? por candidato, Essas medidas so necessirias para o conforto do aplicador e do candidato, minimizando osefeitos negativos sobre o resultado do teste ¢ evitando que uma pessoa observe o teste de outra; 2. Oambiente deve estar bem iluminado, por luz natural ou artificial, evitando-se sombras e/ ouofuscagdio; Ascondigdes de ventilagao e temperatura (18°a 26°C) devem ser adequados a situagao deavaliagio; 4. Manter a higienizagio adequada do ambiente (banheiros, sala de recepedo e avaliagdo); 5. Oambiente deve proteger a individualidade dos candidatos. Desta forma, é necessério evitar interrupgdes e ter isolamento aciistico. 6. Oambiente deve ser neutro, isto €, paredes sem estimulos e com pintura clara. Procedimentos Distribuidos os lapis os Protocolos de Respostas, pede-se 20s examinandos que preencham os dados do cabegalho. © examinador ou observadores supervisionam para verificar que essa tarefa seja completada corretamente, Procede-se, entio, a distribuigdo dos cademos, solicitando- se que nao os abram até receberem a instrug 102 Bateria Fatorial de Personalidade - BEP F feita a leitura das instrugdes. Se 0 examinador preferir, pode pedir que sejam lidas indivi- dualmente e em voz baixa, o que ¢ recomendavel somente quando os examinandos tiverem nivel educacional elevado. Asinstrugdes sto as seguintes: “Vocé esté recebendo um caderno que contén frases que descrevem sentimentos, opi- nides e atitudes. Por favor, leia atentamente cada uma das sentengas e pense 0 quanto vocé se identifica com elas. A seguir, marque no Protocolo de Respostas, no local apropriado, a sua resposta a cada item. Para tanto, siga as instrugdes abaixo: Para cada item, vocé tem a opedo de marcar de “1” a “7”. Se voce acha que a sentenga absolutamente ndo o desereve adequadamente, marque “1”. Se voeé acha que a frase o descreve muito bem, marque “7” no Protocolo de Respostas. Se vocé considerar que a frase 0 descreve “mais ou menos”, marque "4". Considere que quanto mais vocé achar que a frase ¢ apropriada para descrevé-lo, maior serd.o valor a ser marcado na escala (respostas 5, 6 ¢ 7); quanto menos voce se identificar coma descrieéio, menor seré 0 valor a ser registrado na escala (respostas 1, 2¢ 3). Note que todos os valores da escala podem ser marcados. Descreve-me a Descreve-me muitomal muito bem Nao existem respostas certas ou erradas. E importante que suas respostas sejam sinceras. Responda a todos os itens e, por favor, néio risque ou escreva no caderno de aplicagiio.” Finalizada a leitura das instrugdes, o examinador pergunta: “Alguém ainda tem alguma diivi- dade como responder ao questiondrio?”. Se persistirem dividas, o examinador da as explica- «Ges necessirias sem, contudo, insinuar respostas aos itens; nunca se deve utilizar um item do proprio teste para exemplificar, Nao havendo mais dividas, o examinador diz: “Agora, podem abrir o caderno de aplicacéo e comecar™. Enquanto os examinandos respondem 4 bateria, o examinador ou os observadores devem verificar se nao sfio cometidos erros de transcrigao para o Protocolo de Respostas ou se alguma questo foi sallada por engano. Nenhuma outra ajuda deve ser prestada aos examinandos, Aplicagio ¢ Levantamento da Bateria Fatorial de Personalidade 103 Levantamento da Bateria Fatorial de Personalidade Levantamento dos Escores Brutos O levantamento dos escores brutos da Bateria Fatorial de Personalidade ¢ iniciado pelo cal- culo dos resultados de cada faceta e, a seguir, dos fatores. Esse levantamento envolve muitos calculos e, embora nao seja dificil fazé-los manualmente, recomenda-se 0 uso do sistema informatizado para levantamento da BEP, disponibilizado pela Editora Casa do Psiedlogo. Esse sistema de corregiio informatizada fornece ao psicdlogo os resultados de cada individuo, apre- sentando para cada faceta os escores brutos e pontos percentilicos, além de uma sintese de interpretagiio de cada fator avaliado. InformagSes sobre esse sisiema podem ser encontrados no site: www.casadopsicologo.com.br ou pelo e-mail: testes@casadopsicologo.com.br. Quando for realizada a corregio manual da BFP, alguns cuidados sfio necessarios, especial- mente com as facetas que apresentam itens positivos e negativos. Itens positivos s&io aqueles que funcionam como indicadores diretos de um alto nivel de um dado construto. Para Extroversao, por exemplo, um item positivo seria “Costumo tomar a iniciativa e conversar com os outros” € um negativo seria “Dificilmente falo de mim para os outros”, que aponta para um baixo nivel desse construto, Nesses casos, é fundamental inverter os itens negatives, como serd explicado mais adiante, Esses itens podem ser facilmente identificados pois apresentam os numerais em cor PRETA no Protocolo de Respostas ¢ devem ter a pontuagao invertida (1=7; 2=6; 3=5; 4=4; 5=3; 6-2; 7=1), Para facilitar a correcaio manual é disponibilizado o Protocolo de Apurago, no qual niio ser necessario realizar as inversdes dos itens ¢ estes devem ser anotados conforme 0 sujeito assinalou na Folha de Respostas. Ttens que Compdem Cada Faceta dos 5 Fatores da Escala Fatorial de Personalidade Ositens marcados com “*” e em negrito sio invertidos. Neuroticismo: Vulnerabilidade (N1): 55, 60, 73, 75, 79, 82, 89. 110, 118 Instabilidade Emocional (N2): 25, 51, 65, 77, 86, 102 Passividade/Falta de energia (N3): 13, 22,35, 37, 95, 100 Depressio (N4): 16*, 29, 40, 48, 70, 106, 121, 124 Extroversio: Comunicagtio (E1): 17*, 38*, 66*, 97, 105, 120 Altivez (EZ 14,78, 93,99, 111 Dinamismo (E 08, 117 InteragSes sociais (E4): 8, 11, 47, 50, 52. 71, 90 104 Batesia Fatorial de Petson Socializagio: Amabilidade ($1): 2.4, 12, 15, 20, 43. 46, 61, 92. 96, 104, 125 Pro-sociabilidade ($2): 18*, 24%, 27*, 634, 76, 87%, 107#, 109 Confianga nas pessoas ($3): 7. 10*, 30*, 39, 57*, 68, 98%, 119* Realizagio: Competéncia (RI): 28, 41, 58. 64, 67. 72, 83, 85, 91, 122 Ponderagfio/prudéncia (R2):9, 19*, 45, 101 Empenho/comprometimento (R3): 34, 54, 80, 103, 112, 114, 116 Abertura: Abertura a ideias (A1): 23*, 33*, 36, 42*, 53, 56*, 62*, 81*, 88, 115* Liberalismo (A2): 1*, 31, 59. 69, 74, 123, 126 Busca por novidades (A3): 6, 44, 49, 84*, 94, 113 Calculo do escore bruto das facetas com itens invertidos Paraa realizagio do célculo do escore bruto de facetas com itens negativos, sao necessarias cinco etapas: a E feita a soma das respostas dadas aos itens positivos (EB,,,.,.,)s numerais em cor BRANCA no Protocolo de Respostas; E feita a soma das respostas dadas aos itens negativos (EB, ...., PRETAno Protocolo de Respostas; Multiplica-se 0 nimero de itens negativos respondidos por 8 (INR). Assim, por exemplo, caso a pessoa tenha respondido a todos os itens negativos de uma dada faceta, que totalizem 10 itens, o cdlulo de INR ser 10x 8 = 80; Calcula-se o nimero total de itens respondidos de cada faceta (positivos ¢ negati- vos) na escala (NTIR). Caso a pessoa tenha preenchido todos os itens de uma dada faceta que tenha, por exemplo, 15 itens, o NTIR sera igual a 15 (5 positives + 10 negativos); ), numerais em cor Finalmente. éaplicada a seguinte férmula para o cdleulo do escore bruto final (EB): EB rosinoe + (INR — EB, E ) ep = EB estnce oor NTIR Calculo do eseore bruto de facetas sem itens negativos Para a realizagtio do céleulo do escore bruto de facetas sem itens negativos, basta fazer a soma das respostas dadas aos itens indicados com numerais na cor BRANCA no Protocolo de Respostas e dividir 0 resultado pelo mimero de itens respondidos (NV7IR). Assim, 0 resultado final sera: Aplicagio e Levantamento da Bateria Fatorial de Personalidade 105 Emaque EB, eau = Escore bruto na faceta; Soma,,.,,= Resultado da soma das respostas indicadas no Protocolo de Respostas com numerais na cor BRANCA; NTIR = Numero de itens respondidos. ‘Calculo para Escore Geral dos Fatores - BFP Oescore bruto dos fatores gerais, Extroverstio, Socializagao, Realizagéio, Neuroticismo e ‘Abertura, écalculado a partir da média dos escores brutos de suas facetas, também referidas neste manual como subfatores. Assim, por exemplo, se uma pessoa obtiver os seguintes resultados nas facetas de Extroversio: E1, Comunicaga F2.Altivez=3,5 £3. Dinamisme 0 0 E4, Interagdes sociais= 5,5 Seu escore bruto no fator geral Extroversio seré igual a (E1+E2-+E3+E4)/4, cujo resultado & k igual a3,25, Conforme serd detalhado mais adiante neste manual, as interpretagdes dos fatores gerais usualmente so mais limitadas do que as das facetas, uma vez. que é possivel a obtengdio de um, I escore em um fator geral a partir de combinages muito variadas de resultados de suas facetas. Assim, porexemplo, duas pessoas podem ter 0 mesmo escore bruto em Extroverstio a partir depperfis muito variados nas suas facetas: Faceta Pessoa 1 Pessoa 2 El 1 2 i 2 1 1 BB 7 1 4 7 1 Fator Extroversio 4 4 Também é importante lembrar que 0 efeito dessas combinagdes é maior em escores médios nos fatores gerais, Em escores extremamente altos ou baixos nos fatores gerais, usualmente tamn- bém sao verificados escores extremos nas facetas, Na seedio que trata da interpretagio da BFP tal discussio ¢ aprofiundada. 308. Batetia Patorial de Personalidade- BEP Conversao Para Pontos Percentilicos Os escores brutos calculados nas dimensdes da BEP e suas facetas cevem ser transformados emescores percentilicos, para que possam ser adequadamente interpretados, Os pontos percentilicos representam a posigdio relativa da pessoa avaliada em relago a um grupo de referéncia. Assim, por exemplo, se uma pessoa apresenta um percentil 90 em Neuroticismo, significa que ela tem um nivel esse fator superior a 90% das pessoas avaliadas e descritas na tabela usada, Se outra pessoa avaliada apresenta um percentil 50, ela tem um resultado superior a 50% das pessoas consideradas na tabela escolhida, Quando os resultados de un construto apresentam uma distribuigao normal, 0 percentil 50 coincide com amédia encontrada para o grupo avaliado. Uma deserigao mais detalha- dade como devem ser usados os resultados em pontos percentilicos seré apresentada na seco “Interpretago dos resultados”. A tabela a ser usada deve ser escolhida de acordo com o perfil das pessoas avaliadas (sexo, faixa etéria, regitio geogrifica e nivel de escolaridade). E apresentada neste manual uma tabela geral, considerando toda a amostra descrita na seco das caracteristicas da amostra, bem como tabelas especificas por sexo, Foram colocadas no Anexo C as tabelas por estado brasileiro onde a avaliagio ocorreu. Os escores brutos para cada subescala estdo expressos. nas colunas a direita da tabela e os escores percentilicos correspondentes esto localizados na coluna a esquerda. Esses escores deverdio ser anotados nos espagos reservados no Protocolo de Respostas. Quando 0 escore bruto identificado para uma dada subescala da BEP se localiza acima da maior pontuagao da tabela, sugere-se que o registro do resultado percentilico seja feito com a indicagio“> 95” (maior que 95). Quando o escore bruto encontrado for inferior ao menor valor na tabela, deve serregistrado “<5” (menor que cinco). A mesma légica pode ser utilizada quando so encontrados escores brutos localizados entre dois pontos percentilicos na tabela. Nesse caso, por exemplo, se o escore ficar entre os pontos percentilicos 15 ¢ 20, pode-se fazer o registro “> 15”, (maior que 15). Aplicagio ¢ Levantamento da Bateria Fatorial de Personalidade 107 Tabelas de Pontos Percentilicos da Amostra Geral Tabela 45 Estatistica Descritiva e Percentis de Neuroticismo Para a Amostra Geral Validos Ausentes Média Desvio Padrao Minimo Maximo \Pereentis) 5 10 15 20 25 30. N2 3299) 3300 3,68 142 1,50 1,83 2417 2,33 2,50 283 3,00 3,25 3,33 3,50, 3,83 4.00 425 4,50 467 5,00 5,25 5,67 6.17 N3 2351 4248 345 1,24 N4__NEUROTICISMO. 3301 3298 2,33 1 1 7 1,00 14 1,25 138 1,50 1.63 175 183 2,00. 2,00 214 2,29 2,50 2,63 288 317 3,50 3,88 463 3291 3308 3,19 1,00 1 6.18 1,66 1,92 2,13 230 2,45 2,59 2,73 2,87 3,00 3,12 3,25 3,39 3,54 3,68 3,86 4,05 425 4,52 4,94 Los. Tabela 46 Bateria Fatorial de Personalidade -BFP Estatistica Descritiva e Percentis de Extroversdo Para a Amostra Geral EB? __B3__Fa_EXTROVERSAO_ Validos 31932961 ese 31952950 3640 434 0.87 151 Validos Ausentes Média Desvio Padrao Minimo Maximo, Percentis 5 10 15 20 25 30 35 40 45 50 55 60 65 70 8 80 85 90 95 EL 3193 3406 428 1,28 1 q 2,00 2,50 3,00 3,17 3,30 3.67 3,83 4,00 417 433 4,50 467 483 5,00 517 5,33 5,67 6,00 633 E2 2961 3638, 3,67 1,07 2,00 2,29 2,37 271 2,86 3,09 3,17 3,33 3.43 3,57 37 3,86 4,00 414 443 4,37 483 5,14 5,57 3 1884 ans 479 1,03 1 7 3,00 3,40 3,80 4,00 420 420 440 4,60 4,60 480 5,00 5,00 320 340 5,60 5,80 5,80 620 6,40 3195 3404 482 Ait 1 7 2,83 3,33 3,67 3,86 44 4,29 443 457 471 4,86 3,00 5,17 3,33 5,50 5,67 5,83 6,00 6,29 6,57 Aplicagio ¢ Levantamento da Bateria Fatorial de Personalidade 109 Tabela 47 Estatistica Descritiva e Percentis de Social: acdo Para a Amostra Geral Sl $2 $3_ SOCIALIZACAO Validos 3325. 33313329 3328 Ausentes 3274 3268 3270 3271 Média 5,59 5,59 473 5,30 Desvio Padio 0,93 1,01 1,01 0,75 ) Minimo 1,00 1,00 1,12 138 Maximo 7,00 7,00 7,00 7,00 Percentis s 3.92 3,71 3,00 3.97 0 442 425 338 435 Is 473 487 3,63 437 20 492 4,86 3,88 44 25_ 5,09. 5,00 4,13 488 | 30 525 519 425 4,99 33. S42 938438 5.10 ! 40 550 550 450 521 I 45 558 563 4,63 5,29 50 573 5,75 4,15 5,39 55 583 5.88 5,00 5.49 60 592 600 5,13 537 65 608 613 5,13 5,65 | 10 617 625 5.25 58 | 15 626 629 5,50 5,85 80 636 6:50 563 5.94 85 650 657 5,75 6,05 t 90 664 6,75 6,00 618 ; 95 6.38 uo Bateria Fatotial de Personalidade-BEP Tabela 48 Estatistica Descritiva e Percentis de Realizagdo Para a Amostra Geral Validos Ausentes Média Desvio Padréo Minimo Maximo Percentis, x 10 15 20 25 30 35 40 45 50 35 60 65 10 8 80 85 90 95 RL 2354 4245 3,17 0,93 1,00 7,00 3,50 3,90 4,20 443 4,60 4,80 4,90 5,00 314 5,29 5,40 5,50 5,60 5,70 5,86 6,00 6,10 629 50 R2__R3_REALIZACAO 2353 4246 496 0,82 1,50 7,00 BIS 4284 4,92 1,20 1,00 7,00 275 2355 424d 478 1,07 1,00 7,00 3,00 3,29 3,57 3,86 4,00 417 443 Aplicagio ¢ Levantamento da Bateria Fatosial de Personalidade Tabela 49 Estatistica Descritiva e Percentis de Abertura Para a Amostra Geral Al A2__A3_ ABERTURA Validos 1996 1994 2009 1995 Ausentes 4603 4605 4590 4604. Média 4,584.84 461 4,68 DesvioPadrdo 1,02 1,01 1,03 0,72 : Minimo 1,30. 1,00 1,00 1,85 , Maximo 7,00 7,00 7,00 6,76 Pereentis ) s 2,90 3,14 283 3,54 ) 10 3,30 3,57 3,33 3,78 ) 15 50 371 350 3.95 20 3,70 4,00 3,75 4,08 25 390 414 400 418 30. 4,00 429 4,00 4,30 i 35 410 443 423439 I 40 430. 457 433 4,48 45, 440 471 450 456 50 4,60 486 467 465 55 4,70 5,00 483 4,73 60. 480 S14 500 482 65 5,00 529 500 491 0 5,10 5,43 5,08 15 530 5,57 5,16 80, 5,50 5,71 5.29 85 3,70 6,00 547 90. 600 6.14 5.66 95 630 643 5,90 m2 Bateria Fatoril de Personalidade- BEP ‘Tabelas de Pontos Percentilicos Pata o Sexo Masculino Tabela 50 Estatistica Descritiva e Percentis de Neuroticismo Para o Sexo Masculino Validos Ausentes Média Desvio Padriio Minimo Maximo Percentis 3 10 15 20 25 30 35 40 45 50 35 60 65 70 5 80 85 NL 1068) 1148, 3,25 1,18 1,00 6,78 143 1471 2,00 214 2,33 2,44 2,67 2,86 3,00 314 3,33 3,44 3.67 3,86 4,00 429 4,56 4,89 333 NZ 1061 1155 3,43 137 1,00 7,00 1,33 1,75 2,00 217 2,33 2,50 2,75 3,00 3,17 3,33 3,50 3,67 4,00 4l7 433 4,67 4,83 3,33 6,00 N3 754 1462 3,47 12 1,00 6,80 1,30 1,83 217 2,33 2,50 2,67 3,00 3,17 3,33 3,50 3,67 3,83 4,00 417 433 4,67 4,83 5,00 N4 1063 1153 2,36 114 Loo 7.00 NEUROTICISMO 1059 1157 3,06 1,00 1,00 6,78 1,59 181 1,99 2,15 2,29 2,45 2,60 2,73 2,91 3,02 3,14 327 3,39 Aplicagi Tabela 51 ¢ Levantamento da Bateria Fatorial de Personalidade Estatistica Descritiva e Percentis de Extroversiio Para o Sexo Masculino Vi Ausentes Média Desvio Padrao Minimo lidos Maximo Percentis 3 10 15 20 25 30 35 40 45 30 35 60 65 0 1B 80 85 90 95 EL 1076 1140 424 1,22 1,00 7,00 217 2,50 283 317 3,50 367 3.83 4,00 4,17 417 433 4,67 4,61 4,83 5,00 533 5,50 5,83 £2 988 1228 3,67 1,04 1,00 7,00 2,00 2,43 2.67 2,83 3,00 3,14 3,29 3,43 3,50 3,57 371 3,86 4,00 44 4,29 4,57 4 5,00 543 E3 sol 1625 478 099 140 7,00 3,12 3,40 3,80 4,00 420 4.20 4.40 4,60 4,60 480 4,80 5,00 5,20 5,40 5,40 5,60 5,80 6,00 40 Es 1076 1140 474 1,08 1,29 7,00 2,83 3,29 3,57 3,83 4,00 417 433 4,50 4,67 483 5,00 314 317 533 5,50 37 5,86 6.14 30 EXTROVERSAO 987 1229 428 0.83 167 6.82 289 3.20 3.40 3.56 3,69 3,83 3,96 4,08 420 433 444 4,53 4,62 47 4,36 498 5.16 5.36 113 4 Bateria Fatorial de Personalidade -BEP Tabela 52 Estatistica Descritiva e Percentis de Socializagéo Para o Sexo Masculino Vilidos Ausentes Média Desvio Padrio Minimo Maximo, Pereentis, 5 10 15 20 25 30 35 40 45 SI 1076 1140 332 0,99 117 7,00 3,43 4,08 435 464 482 5,00 5,08 5,18 533 5.45 5,55 5,64 5,15 591 6,08 6,18 6,33 6,30 6,73 82 1078 1138 323 1,10 1,00 7,00 3,14 3,15 413 438 437 45 488 5,00 $25 538 5,30 5,63 5,15 5,88 6,00 6,14 638 6,31 6,80 $3 SOCIALIZACAO. 1076 1140 437 1,01 1,38 7,00 2,88 3,28 3,0 3,68 3,88 4,00 425 438 4,50 4,63 4,75 488 5,00 5,13 5,25 5,50 5,63 5,88 6,13 1076 1140 5,04 0,80 1,86 6,83 3,62 4,00 4,25 443 438 4,69 4,82 4,90 5,00 5,10 5,19 5,28 5,38 5,49 5,60 3B 5,86 601 6,19 Aplicagio ¢ Levantamento da Bateria Fatorial de Personalidade 115 Tabela 53 Estatistica Descri Validos Ausentes Média Desvio Padsio Minimo Maximo Percentis 3 10 15 20, 25 30 35 40 45 50 55 60 65 10 5 80 85 90 95 RL 736 1460 5,19 0,93 1,50 7,00 3,42 3,90 430 4,50 4,60 4,80 4,90 5,00 5,20 5,30 5.40 5,50 5,60 5,70 5,86 6,00 613 629 6,31 R2 743 1473 4,99 1,17 1,00 7,00 275 3,50 3,75 4,00 425 450 450 475 R3 755 1461 4,65 1,06 129 7,00 271 314 3,57 37 4,00 41d 4.29 443 437 4 4.86 5,00 514 5,29 5,33 537 7 6,00 6.29 e Percentis de Realizagdo Para o Sexo Masculino REALIZACAO 1462 494 0,84 1,83 6,96 3,34 3,80 4.08 430 449 461 473 484 492 5,01 31 5,24 5,32 5Al 3,31 5,63 581 5,97 6,19 116 Tabela 54 Bateria Futorial de Personalidade -BFP Estatistica Descritiva e Percentis de Abertura Para o Sexo Masculinoo Va Ausentes Média. Desvio Padréo Minimo Maximo Pereentis lidos 3 10 15 20 25 30 35 40 45 350 55 0 65 70 w 80. 85 90, 95 Al 618 1598 459 1,04 1,60 7,00 2,90 3,30 3.49 3,70 3,90 4,00 420 430 440 4,60 4,70 489 3,00 5,13 3,30 5,30 5,80 6,10 30 A3__ ABERTURA eat 1595 461 1,02 1,00 7,00 2,83 3,33 3,30 3,67 4,00 4,00 431 4,50 4,50 467 4,83 3,00 3,00 3,17 5,33 3,30 367 597 617 618, 1598 4,65 0,75 2,62 6,65 | I t i I Aplicagio ¢ Levantamento da Bateria Farorial de Personalidade ‘Tabelas de Pontos Percentilicos Para 0 Sexo Feminino Tabela 55 Estatistica Descritiva e Percentis de Neuroticismo Para o Sexo Feminino ‘Validos Ausentes Média Desvio Padiiio Minimo Maximo Percentis 5 10 15 20 25 30 35 40 45 50 55 60 65 70 5 80 85 90 95 NL 2196 2087 361 1,23 1,00 7,00 1,37 2,00 2,29 2,36 271 2,89 3,00 3,22 3,43 357 371 3,89 41 429 444 4,67 5,00 5,33 3,11 Nz 2182 2101 3,80 1,42 1,00 7,00 1,50 2,00 2,25 2,50 2,67 3,00 3,17 3,33 3,50 3.75 4,00 47 433 461 483 5,00 5,50 3,15 6225 N3 1569 2714 3,44 1,25 1,00 7,00 1,50 1,83 2,17 2,33 2,30 2,67 2,83 3,00 3,18 3,40 3,60 3,67 4,00 417 433 450 483 5,00 5,67 N4 2182 2101 232 1,09 1,00 7,00 1,00 14 1,25 138 1,50 1.63 175 1,80 2.00 2,00 24 2,29 2,50 2.63 2,88 3,14 3.50 4,00 451 NEUROTICISMO 2176 2107 3,25 0,99 1,00 6,68 1,70 1,98 2,20 2,38 2,53 2,66 281 2,94 3,06 3.18 3,32 347 3,60 3.73 3,92 4,13 4,32 4,59 4,98 118 Tabela 56 Bateria Fatorial de Personalidade -BEP Estatistica Descritiva e Percentis de Extroversdo Para o Sexo Feminino Validos Ausentes Média Desvio Padriio Minimo Maximo. Percentis 5 10 15 20 25 30 35 40 45 30 35 60 65 710 15 80 85 90 95 E 2071 212 431 131 1,00 7,00 2,00 2,50 3,00 3,17 3,50 3.67 3,83 4,00 4l7 433 4,50 4,67 4,83 E2 1932 2351 3,67 1,08, 1,00 7,00 2,00 2,29 2,57 2n 2,86 3,00 3,14 3,29 3,43 3,57 3,71 3,86 4,00 4,14 443 457 436 3,14 537 E3__ FA _EXTROVERSAO 1267 3016 479 1,04 1,00 7,00 3,00 3,40 3,80 4,00 4,20 4,20 4,40 4,60 4,60 4,80 5,00 5,00 5,20 5,40 5,60 5,80 6,00 620 6.40 2073) 210 4,86 112 1,00 7,00 2,83 333 3,71 4,00 414 4,33 4,50 4,67 483 3,00 3,00 5,29 534 5,57 1931 2352 436 088 1,53 7,00 284 321 347 3,67 381 3,93 4,05 417 427 4,39 4,50 461 472 484 4,96 5,10 5,28 5.49 3,71 Aplicagio ¢ Levantamento da Bateria Fatorial de Personalidade iv 1 i Tabela 57 Estatistiea Descritiva e Percentis de Socializagéo Para o Sexo Feminino St $2 $3_ SOCIALIZACAO 95 683 7,00 625 6,38 Validos 2210 2214 2214 2213 Ausentes 2073 2069 2069 2070 Média «5,73. 5,77 4,80 543 Desvio Padrio 0,87 0,91 1,00 0,68 Minimo 1,00 1,43. 1,12 1,86 Maximo Percentis 7,00 7,00 7,00 6,93 i 5 4,17 4,00 3,00 47 1 10 4,64 457 3,50 456 i 15 492 486 3,75 475 \ 20 5,09 5,13 4,00 4,92 1 25 527 525 4,14 5,03 1 30 342 343 438 5,15 ' 35 555 557 4,50 5,26 i 40 367 5,71 4,63 335 : 45 5.15 5,86 4,75 343 50 583 588 4,88 ‘ 35 5,92 6,00 5,00 3,59 1 60 6,00 613 5,13 5,67 t 65 617 6,25 5,25 5,76 \ 70 625 629 538 583 1 a 636 643 5,50 5,92 ' 80 64S 657 5,63 601 ' 85 655 6,63 5,88 61 ' 90 672 686 6,00 623 ' 120 Bateria Fatorial de Personalidade-BEP Tabela 58 Estatistica Descritiva e Percentis de Realizagdo Para o Sexo Feminino RL R2 R3 REALIZACAO. Validos 137015441572. 1571 Ausenes 271327392711 22 Média 517 489 4,84 497 DesvioPadrio 0,92-«1,21——1,06 0,80 Minimo 1 1 1 13 Maximo 7,00 7,00 7,00 695 Percentis 5 3,502,735 3,00 3,58 10 3,90 3,25 3,43 3,86 15 420° 3,75 3,71 411 20 441 4,00 3,86 4,30 28 460 4,00 4,14 445 30 480 4,25 4,29 457 35 490 4,50 443 468 40 500 4504.87 482 5 312 475471 4,95 525 5,00 4,86 5,04 340 5,00 5,00 5,14 60 350 325 5,14 3,24 65 5,60 530 5,29 533 70 370 550 5,43 5,43 75 386 5,75 5,67 5,55 80 5.90 6,00 5,83 5,66 85 6.10 6,23 6,00 377 90 620 6,50 5,95 95 6,30 75 6,18 Aplicagio © Levantamento da Bateria Fatorial de Personalidade 124 Tabela 59 Estatistica Descritiva e Percentis de Abertura Para o Sexo Femininoo Al A2_A3__ ABERTURA Validos 1350 1349 1358 1349 Ausentes 2933 2934 2925 2934 : Média 4,57 488 462 4,69 DesvioPadrio 1,01 0,99 103,71 ; Minimo 1,30 1,00 1,00 1,85 Maximo 7,00 7,00 7,00 6,76 Percentis, 3 2,00 320 283 361 | 10 330 357 333° 3,81 { 13 358 3,86 3,50 398 k 20 3,70 400 3,79 411 \ 2s 3,90 429 400 4,22 t 30 400 443 400 4,33 35 410 457 423 441 40 430 471 433° 450 45 440 4,71 4,50 4,58 f 50 436 4,86 4,67 4,67 55 5,00 483 4,75 ; 60 514 5,00 4,84 i 65 529 5,00 4,92 \ 70 343. 5,17 5,04 ' 75 357 533 5,16 80 5,50 571 5,50 5,29 ! 85 5,10 6,00 5,67 5,43 tv 90 5,90 614 6,00 5,63 95 630643 6,33 5,89 122 Bateria Fatorial de Personalidade - BEP Conversao Para Escores Z A transformagiio dos escores brutos das escalas da BFP para escores Z permite verificar como as pessoas avaliadas localizam-se em relagdio ao grupo normativo, em wma escala cuja média & zero €0 desvio padro é igual a um, Recomenda-se, para tanto, a ulilizagdo das informagdes obtidas no grupo normative considerando-se 0 sexo, apresentadas da Tabela 60 até a Tabela 64, O resultado em escore Z deve ser interpretado como a disténcia que uma pessoa apresenta em relagao a média do grupo normativo, Assim, escores negativos, por exemplo, indicam que a pessoa apresentou um resultado abaixo da média, considerando-se 0 seu sexo. Como 0 desvio padrao dessa escala é igual a 1, 0s resultados mais frequentes estarfio entre -1 ¢+1 (aproximada- ‘mente 68% das pessoas terdo escores nessa faixa). Valores fora dessa faixa chamam atengéio por representarem um grande distanciamento do grupo nommativo. Ocalculo do escore Z deve ser feito seguindo a seguinte formula: EB,-M 4 aD ;, Emqu: q Ei = escore Z da pessoa no subfator f 3,= escore bruto da pessoa no subfatorf ‘M,,=média do grupo normativo no fator para o sexo da pessoa avaliada dp,,= desvio padrao do grupo normative no fator para o sexo da pessoa avaliada Assim, por exemplo, se for pretendido realizar a converstio da dimenstio Abertura de um homem cujo escore bruto tena sido igual a6,0, o céloulo seré o seguinte: Z= 6,00 - 4,65 = 1,8 0,75 Oresultado de 1,8 significa que, quando comparada aos homens que fizeram parte do grupo normativo, a pessoa avaliada apresentou 1,8 desvio padrio acima da média, o que ¢ considerado bastante alto, Para uma melhor compreensio sobre o conceito estatistico da distribuigdo normal e o significado do escore Z, consultar Anastasi e Urbina (2000). Auutilizagdo de escores Z para a BEP &recomendada prineipalmente para situagties em que se pretende verificar se os resultados de grupos especificos apresentam diferengas com 0 grupo normativo. Tipicamente, isso ocorre em situagdes de avaliago com grupos especificos, como pes- soas com ocupagiies muito diferenciadas, quadros clinicos ete Aplicagio ¢ Levantamento da Bateria Fatorial de Personalidade 123 Tabela 60 Média e Desvio Padréo de Neuroticismo em Funedo do Sexo dos Participantes NI N2__N3__N4_NEUROTICISMO Validos 1068 1061 754 1063 1059 Homens Média 3,25 343 347 2,36 3,06 DesvioPadréo 1,18 137 1,22 114 1,00 Validos 2196 2182 1569 2182 2176 Mulheres Média 3,61 380 3,44 2,32 3,25 Desvio Padréo 1,23 142_1,25__ 1,09. 099 Tabela 61 Média e Desvio Padrdo de Extroverséo em Fungdo do Sexo dos Participantes El__—2__§3 _&4_EXTROVERSAO Validos 1076 988 5911076 987 Homens Média 424 3,67 4.78 4,74 428 Desvio Padrio 1,22 _1,04 0,99 1,08 0,83 Validos 2071 1932 1267 2073 1931 Mulheres Média 431 3,67 4,79 4,86 4,36 i Desvio Padrio 1311.08 1,041.12 0.88 ‘Tabela 62 Média e Desvio Padréo de Sovializagito em Funedo do Sexo dos Participantes | i Sl $2. $3_ SOCIALIZACAO. i Validos 1076 1078 1076 1076 Homens Média 332 323 4,57 5,04 DesvioPadrio 0,99 _1,10_1,01 080 Validos 2210 2214 2214 2213 Mulheres Média 3,73 3,77 4,80 343 ! DesvioPadrio 0,87 0,91 _1,00 0,68 ‘Tabela 63 Média e Desvio Padrdo de Realizagdo em Fungao do Sexo dos Participantes RI R23 REALIZACAO. Validos 756743758 734 J Homens Média 5,19 499 4.65 4.94 ' Desvio Padrio 1171.06 0,84 \ Validos 544 1572 1571 1 Mulheres Média 489 4.84 497 Desvio Padrtio 121 1,06 0,80 12s _ Bateria Fatorial de Personalidade -BEP Tabela 64 Média e Desvio Padrdo de Abertura em Fungao do Sexo dos Participantes Al A2__A3__ ABERTURA Validos 618 617 62 618 Homens Média 459 474 461 465 io Padrio 1,04 _1,05 0.75 los 13501349 1358-1349 Mulheres Média 457 4,88 4,62 4,69 Desvio Padiio 1,01 _0,99 ott Para facilitar o levantamento quantitativo da BFP, esté sendo disponibilizado um sistema informatizado via web que permitiré a insergdo das respostas dadas pelas pessoas avaliadas para a obtengdio dos escores brutos, pontos percentilicos e escores Z. Interpretagao da Bateria Fatorial de Personalidade Informagdes gerais Nesta segdo, ha informagdes oriundas de pesquisas realizadas até o momento utilizando a BEP, bem como resultados de pesquisas intemacionais com instrumentos construidos para avaliar a personalidade a partir do modelo dos CGF. No Brasil, além das pesquisas citadas neste manual, projetos esto sendo realizados com a BEP em varios contextos e seus resultados serdo divulgados na literatura cientifica da érea. Serdio apresentadas as informagdes necessérias para a interpretagdio dos resultados da BFP a partir do sistema com referéncia & norma, ou seja, comparando os resultados dos individuos com grupos de pessoas com caracteristicas semelhantes. E apresentada ainda neste manual uma segfio que descreve o proceso de interpretagao com referéncia aos itens, Nessa abordagem, a partir do resultado de uma pessoa, possivel verificar qual é 0 padtio de respostas mais prova- vel a ela e, entdo, a interpretacéo é proposta com base nas caracteristicas e nos contetidos avaliados pelos itens. Os resultados gerais dos fatores da BFP podem ser titeis em contextos de pesquisa, nos quais sfio verificadas suas associagdes com outras medidas. No entanto, em contextos clini- cos, de selegao de pessoal, escolar, em aplicagdes de triagem de grupo de risco, entre outros, érecomendada a avaliagdo dos resultados das subescalas da BFP, junto aos dados levantados por outras fontes no processo de avaliagio psicoldgica. E importante lembrar que o resultado de qualquer subescala da BFP nao deve ser utilizado como fonte tinica de informagdes para a realizagio de diagnésticos. Para que o psicdlogo tenha maior nivel de detalhamento das informag@es para gerar inter- pretagdes dos resultados da BFP, so recomendadas a leitura das respostas dadas aos itens do teste e a comparagao delas as informagées oriundas de entrevistas, observagdes. outros testes psicolégicos, conforme as orientagées na literatura especializada sobre o processo de avaliagao psicolégica (AERA, APA & NCME, 1999; Anastasi & Urbina, 2000; Cunha, 2000; Pasquali, 2001; Urbina, 2007). Aplicagio ¢ Levantamento da Bateria Fatorial de Personalidade 125 Os resultados das subescalas da BFP devem ser entendidos como a intensidade dos tragos avaliados por elas. Para facilitar a explicago das possiveis interpretagdes das subescalas, sfio indicados os significados de escores exiremos, que raramente sao encontrados na populacdio geral. Assim, deve-se entender que quanto menor foro escore de uma pessoa em uma subescala, maior éa chance de ela apresentar os comportamentos, as crengas ¢ atitudes deseritos para resultados baixos. Em nenhuma situag0, por mais alto ou baixo que seja o resultado encontrado, € correto afirmar que uma pessoa “tem” uma dada caracteristica ou que “certamente” id se comportar de tal forma. A BFP, como qualquer teste de personalidade, permite identificar tendéneias de comporta- mentos, bem como padrées mais provaveis de atitudese erencas. Para facilitar a interpretacio dos resultados descritos, estes serdo apresentados por faixas, conforme a Tabela 65. Tabela 65 Faixas de Classificagao dos Percentis Pontos Faixa percentilicos Ate 14 Muito Baixo / 15-29 Baixo | 30-70 Métio > 71-85 Alto \ Maior que 85 Muito Alto, ‘A interpretagdio dos resultados dos fatores da BFP deve ser feita com cuidado, uma vez que ‘um mesmo resultado pode ser obtido a partir de diferentes combinagdes dos subfatores. E impor- tante notar que escores gerais extremos frequentemente significam escores extremos e coerentes nos subfatores, Assim, é muito provavel que uma pessoa que apresente um escore geral muito alto iambém tenha niveis elevados nos subfatores. Quando é feita a andlise dos resultados da BFP, escores baixos ou altos no representam, necessariamente, um padrao desadaptado da personalidade. E necessério analisar o contexto em que a pessoa vive, quais sf as suas atividades e, principalmente, se as suas caracteristicas as impedem de realizar algum plano pessoal ou profissional, se geram algum prejuizo na qualidade das suas interagdes sociais ou se prejudicam outras pessoas. McCrae (1994) argumenta a favor do uso de escalas para avaliago da personalidade, junto com o relato de observadores externos, como uma forma de se obter mais informagdes sobre a personalidade do cliente do que seria possivel obter utilizando isoladamente apenas uma das for- mas de avaliagdio. O autor defende que as diserepancias entre as duas formas de avaliagdo nao devem ser consideradas como “erros” de avaliagiio, mas sim que as duas formas so validas, apesar de apresentarem informagSes distintas. O trabalho do psicélogo, nesses casos, envolveria descobrir porque essas diferengas se apresentam e nao invalidar uma das fontes de informagao. A. investigagao do psicdlogo, nessas situagdes, deve se voltar para descobrir porque ocorre uma discrepancia entre a autopercepsiio ea percepedo que outras pessoas t8m desse individu que est sendo avaliado. A possivel diferenga entre 0 autorrelato de tragos de personalidade eo relato de terceiros pode existir devido as diferentes perspectivas sobre o individuo, quantidades e tipos de exposigao, além de distintos vieses de observagao, 126 Batedin Fatorial de Personalidade- BFP ‘Um bom exemplo disso é apontado em estudo recente de Reppold e Hutz (2008), que mos- trou que o encaminhamento de crtangas e adolescentes para atendimento psicol6gico ¢ geralmente decorrente de problemas de extemalizagdo, enquanto que as queixas especificas dessas pessoas so mais frequentemente relacionadas a problemas de intemalizagao. Os autores apontam que isso corre porque confflitos de interagdo social e problemas de externalizagio sto percebidos mais facilmente por pais, professores e colegas do que problemas de intemalizagao. Portanto, ¢ impor- tante a uilizago de uma combinagdo de um ou mais instrumentos de autorrelato com as observa~ ges de um ou mais observadores, para se obter uma descrigéio mais estavel e confidvel de carac- teristicas de personalidade. O uso de estratégias diversificadas para. avaliagao da personalidade é altamente recomendado quando essa avaliagdo pode afetar a tomada de decistio sobre questdes importantes paraa vida do individuo. A seguir, sero apresentadas as possiveis interpretag6es para 05 fatores Neuroticismo, Extroversio, Socializagao, Realizagao ¢ Abertura, respectivamente, além da descrigo de suas subescalas. Ao final desta segdo, seréio apresentados dois casos como exem- plos, de modo. auxiliara interpretagdo de resultados na BFP. Interpretagao do Escore Geral de Neuroticismo Pessoas com altos niveis de Neuroticismo tendem a vivenciar de forma mais intensa sofrimen- topsicologico, instabilidade emocional e vulnerabilidade, além de retatarem ter experiéneias inten- sas de eventos negativos, dando pouca énfase aos aspectos positivos dos fatos. Altos niveis esto associadosa ocorréncia de sintomas de depress e ansiedade, e pesquisas tém indicado a utilida- ‘de dos instrumentos para avaliagiio desse fator para a identificagao de individuos com maior pro- pensiio a desenvolver esses quadros (Nunes, 2000; Nunes etal.,2001; Bienvenu et al.,2004). Watson e Hubbard (1996) concluiram que Neuroticismo também desempenha um papel im- portante no processo de coping. Argumentam que varios estudos mostraram que os escores de Neuroticismo tém valor preditivo em relagéio 4 ocorréncia de eventos de vida estressantes, mesmo quando esses eventos so objetivamente definidos, Resumindo, os autoresafirmaram que “coisas ruins tendem a acontecer justamente com as pessoas que tém escores elevados de Neuroticismo” (p. 748). Uma possivel explicagio para isso € que, de alguma forma, pessoas com altos escores nesse fator criam ativamente problemas para elas mesmas. Eles indicaram ainda que: individuoscom_ altos escores em Neuroticismo tendem a fazer avaliagdes negativistas do ambiente, ou seja, tendem a interpretar estimulos ambiguos de uma forma negativa ou ameagadorae, por isso, normalmente ‘veem ameagas, problemas. crises onde ndio existem objetivamente. Conforme jéapresentado na introdugao deste manual, Maciel e Yoshida (2006) investiga- ram as caracieristicas de Neuroticismo, alexitimiae depressao em dependentes de alcool. Esse estudo indicou que os dependentes apresentam niveis mais elevados de Neuroticismo do que a poptlagao em geral. A correlago para a amostra total entre a EFN ea TAS (que avalia alexitimia) foi de r= 0,58 (p < 0,001), ou seja, pessoas com escore alto em Neuroticismo tendem a apresen- tar comportamentos tipicos de pessoas com alexitimia, como a dificuldade de expressar e identifi- car sentimentos, de serem muito coneretas e terem baixa capacidade para fantasiar. Porém, quando osdois grupos foram analisados separadamente, as correlagdes nao foram significativas. A associa- gfo entre a EFN e o BDI foi significativa para o grupo de dependentes (r= 0.70, p < 0,001),0 grupo controle (r=0.73, p < 0,001) eo grupo total (r=0,72, p < 0,001). Assim, verificou-se que alto Neutoticismo esteve acompanhado de escores mais elevados nos individuos que apresentaram sintomas de depres Aplicagio ¢ Levantamento da Bateria Fatorial de Personalidade : 127 Dentre os estudos que tém investigado as associagdes dos transtornos da personalidade des- ctitos no DSM-LV e os CGF, os realizados por Widiger e Trull (1992; 2002), por exemplo, mos- traram que Neuroticismo apresenta uma estreita relag4o com a maioria dos quadros descritos, com destaque para os transtornos de personalidade borderline, de esquiva e dependente. Os autores ressaltam ainda que, de acordo com as definigdes apresentadas no DSM-IV (American Psychiatric Association, 1994), o transtorno da personalidade esquizotipica é descrito como tendo, como principal caracteristica, um padrao invasivo de déficits sociais e interpessoxis, marcado por agudo desconforto e reduzida capacidade para relacionamentos intimos, além de distorgdes cognitivas ou perceptivas e comportamento excéntrico. Os individuos com esse transtorno si frequentemente desconfiados, podendo ter ideagdo paranoide. Geralmente, nao sao capazes de lidar com toda a faixa de afetos ¢ indicadores interpessoais necessarios para relacionamentos bem sucedidos, de modo que muitas vezes parecem interagit com os outros de maneira inadequada, rigida ou constrita, Os individuos com transtorno da personalidade esquizotipica vivenciam os relacionamentos interpessoais como problematicos e sentem desconforto na interagfio com outras pessoas. Embora possam expressar infelicidade acerca de sua falta de relacionamentos, seus comportamentos suge- rem pouco desejo de ter contatos intimos. Como resultado, eles habitualmente tém poucos ou nenhum amigo intimo ou confidente, exceto algum parente em primeiro grau. Sentem-se ansiosos em situagdes sociais, particularmente as que envolvem estranhos, Esses individuos interagem com 0 outros quando precisam, mas preferem ficar s6s, porque acham que sao diferentes e que sim- plesmente nfo “se encaixam”. Sua ansiedade social nao cede com facilidade, mesmo quando pas- ‘sam mais tempo no contexto ou se familiarizam com as outras pessoas, porque a ansiedade tende a estar associada com suspeitas acerca das motivagdes dos outros. Widiger ¢ Trull (1992) sugeriram que as aberragGes cognitivas e perceptuais de pessoas com esse transtorno podem representar aspectos adicionais ou manifestagées de Neuroticismo, no que tange & disposigéo para apresentar crengas irracionais ¢ irrealistas, além da ansiedade, depressdo, impulsividade, hostilidade e vulnerabilidade, ‘Widiger et al. (2002) indicam que casos prototipicos de transtomo esquizoide e esquizotipico podem ser diferenciados pelos seus respectivos graus de Neuroticismo. Individuos com casos laos de transtomo esquizotipico apresentam niveis muito altos de ansiedade diante de situagdes em que devem interagir com outras pessoas, enquanto alguns casos com transtorno esquizoide podem apresentar baixos niveis de Neuroticismo, Alem disso, pessoas esquizotipicas tendema ser mais claramente diferenciadas em relag4o ao dominio Abertura, particularmente fantasia, agdes e ideias, As aberrages cognitivas dessas pessoas podem refletir, em parte, um nivel excessivoe mal adaptativo de Abertura, levando a fantasias incomuns e ideagao. Interpretagio de N1—Vulnerabilidade AEscala de Vulnerabilidade avalia o quao frageis emocionalmente as pessoas so. Também relaciona-se a quiio intensamente as pessoas vivenciam sofrimento emocional em decorréncia da sua percepgdio de como os outros as aceitam. Pessoas que apresentam um escore muito alto nesse fator tendem a apresentar baixa autoestima e relatam ter grande medo de que seus amigos as deixem em decorréncia de seus erros. Usualmente, stio capazes de ter atitudes contra a sua vonta- de, com 0 objetivo de agradar os outros. Também relatam ser inseguras, muito dependentes das pessoas préximas, eter dificuldades em tomar decisdes. 128, Bateria Fatorial de Personalidade -BFP Escores muito baixos em Vulnerabilidade também podem indicar m4 adaptagaio. Individuos comesse perfil podem ser catacterizados por uma grande independéncia emocional em relagao as outras pessoas, chegando a frieza ea falta de sensibilidade para com os outros. Podem ser exces- sivamente individualistas e nem um pouco preocupados com as opinides alheias, indicando um padrdo de relacionamentos sociais distorcido. As caracteristicas cobertas por esse fator agrupam sintomas tipicos de transtomos de personalidade dependente e de esquiva, a partir do DSM-IV (Widiger et al.,2002). Em relagdio ds pesquisas realizadas com a BEP no Brasil, listadas na segio dos estudos de validade do instrumento, destacam-se os resultados que indicam as correlagiies entre 0 fator ‘Vulnerabilidade e Inseguranga falta de informagiio (+ =0,63; p < 0,01) ¢ Conflitos com pessoas significativas (r=-0,40; p < 0,01) do IDDP (Noronha, Nunes, Ambiel, Barros & Otlati, 2008), indicando que pessoas com niveis mais clevados em Vulnerabilidade tendem a apresentar dificulda- de geral de tomada de devisio profissional, associada a falta de clareza sobre simesmo (identidade difusa), falta de informagao sobre as profissdes e & inseguranga para escolher uma delas. Além disso, tendem a apresentar, de forma mais frequent, conflito externo com pessoas significativas sobre a escolha, diivida se a profissio gerard satisfagdo e certa rigidez para a escolha relacionada a crengas populares. A associagio de NI ¢ o SDS (instrumento para avaliagfo dos interesses profissionais) indicou uma correlagdo entre esse componente da personalidade e o tipo Empreen- dedor (r= -0,28: p < 0,01), sugerindo que pessoas com altos niveis de inseguranga, medo de serem rejeitadas, baixa autoestima e demais caracteristicas englobadas em Vulnerabilidade tendem aapresentar poueo interesse por atividades que envolvam o tipo Empreendedor (vendas, persua- siio, argumentagao, entre outros). ‘Também vale destacar os resultados encontrados com a associago de Vulnerabilidade com as medidas de Bem-estar Subjetivo, que sdio Afeto Positive (r= -0,35; p < 0,01), Afeto Negativo (r= 0.34; p < 0,01) e Satisfagao de vida (r = -0,40:; p < 0,01). Essas correlagdes sugerem que o nivel de Vulnerabilidade é um componente da personalidade associado a forma como as pessoas avaliam suas vidas, e também sobre como vivenciam emogdes positivas ¢ negativas. Nos resultados do estudo de replicagiio da validade convergente de Neuroticismo da BFP em relagdio & FN, descrito na seo corespondente deste manual, dentre as cortelagdes encontradas no estudo, destacam-se as que comparam Vulnerabilidade com o BDI (r= 0,63; p< 0,01), como BAI (=0,38;p < 0,01) ecom o escore de Neuroticismo da medida de Autoestima de Rosenberg (7 =-0,62:p < 0.01). Tais resultados indicam que niveis elevados em Vulnerabilidade so acompa- nhados por uma manifestagéio mais frequente e intensa de sintomas de depressio ¢ ansiedade, além demenorautoestima. Interpretagao de N2-Instabilidade Emocional ‘A faceta Instabilidade emocional avalia 0 quanto as pessoas se deserevem como itritéveis, nervosas e com grandes variagdes de humor. Individuos com altos escores nessa faceta indicam que tendem a agir impulsivamente quando sentem algum desconforto psicolégico, tomando deci- s6es precipitadas com relativa frequéncia. Tendem a apresentar grandes oscilagées de humor sem ‘um motivo aparente ¢ tm dificuldade para controlar seus sentimentos negativos, além de possuirem baixa tolerancia si