Você está na página 1de 22

C A P Í T U L O 1 ESTÍMULO

ORGANIZAÇÃO DO
interrompe a homeostasia
por meio do aumento ou
da diminuição de uma

CONDIÇÃO CONTROLADA

CORPO HUMANO
que é acompanhada
pelos

RECEPTORES

V
que enviam impulsos

ocê está começando uma fascinante exploração do corpo humano,


nervosos ou sinais
químicos para um

em que aprenderá como ele está organizado e como funciona.


Retorno à
homeostasia
CENTRO DE CONTROLE quando a resposta
Inicialmente, você será introduzido às disciplinas científicas de que recebe o influxo
leva a condição
controlada de volta

anatomia e fisiologia. Serão considerados os níveis de organização que e fornece impulsos


nervosos ou sinais
ao normal

caracterizam os seres vivos e as propriedades que todos compartilham.


químicos para

A seguir, examinaremos como o corpo está constantemente regulando EFETORES

seu ambiente interno. Esse processo incessante, denominado que provocam


uma mudança ou
homeostasia , é um tema importante em todos os capítulos deste
livro. Estudaremos, também, como os vários sistemas individuais que RESPOSTA que altera
a condição controlada
compõem o corpo humano cooperam entre si para manter a saúde
como um todo. Finalmente, estabeleceremos um vocabulário básico
que nos permita falar sobre o corpo da maneira como é compreendido
pelos cientistas e pelos profissionais da saúde.

1.1 Definição de anatomia e fisiologia 1.2 Níveis de organização


OBJETIVO
e sistemas do corpo
• Definir anatomia e fisiologia.
OBJETIVOS
As ciências da anatomia e da fisiologia são o fundamento • Descrever a organização estrutural do corpo humano.
para a compreensão das estruturas e das funções do cor- • Delinear os sistemas do corpo e explicar como se
po humano. Anatomia é a ciência da estrutura e de suas relacionam entre si.
relações. Fisiologia é a ciência das funções do corpo, isto As estruturas do corpo humano estão organizadas em vá-
é, como as partes do corpo atuam. Como a função nunca rios níveis, do mesmo modo como estão organizadas as
está completamente separada da estrutura, entendemos letras do alfabeto, as palavras, as frases, os parágrafos
melhor o corpo humano estudando a anatomia e a fisiolo- e assim por diante. Estão listados aqui, em ordem cres-
gia em conjunto. Veremos como cada estrutura do corpo cente, os seis níveis de organização do corpo humano:
está projetada para cumprir uma função específica e como químico, celular, tecidual, de órgãos, de sistemas e de
a estrutura de uma parte determina, com frequência, as organismo (Fig. 1.1).
funções que consegue desempenhar. Os ossos do crânio,
por exemplo, são fortemente unidos para formar um invó- 1 O nível químico inclui átomos, as menores unida-
lucro rígido que protege o encéfalo. Os ossos dos dedos, des da matéria que participam das reações químicas,
em contraste, são mais livremente unidos, para permitir e moléculas, constituídas por dois ou mais átomos
o desempenho de uma variedade de movimentos, como unidos. Os átomos e as moléculas podem ser com-
virar as páginas deste livro. parados às letras do alfabeto. Determinados átomos,
como carbono (C), hidrogênio (H), oxigênio (O),
TESTE SUA COMPREENSÃO nitrogênio (N), fósforo (P) e outros, são essenciais
1. Qual é a diferença básica entre anatomia e para a manutenção da vida. Os exemplos conhecidos
fisiologia? de moléculas encontradas no corpo são o DNA (áci-
2. Exemplifique como a estrutura de uma parte do do desoxirribonucleico), material genético transmi-
corpo está relacionada com sua função. tido de uma geração para outra; hemoglobina, que
transporta o oxigênio no sangue; glicose, comumen-
te conhecida como açúcar do sangue; e vitaminas,
necessárias para uma variedade de processos quími-

_Livro_Tortora_CH.indb 1 15/09/16 11:28


2 Corpo humano: fundamentos de anatomia e fisiologia

2 NÍVEL CELULAR

1 NÍVEL QUÍMICO

3 NÍVEL TECIDUAL

Célula muscular lisa

Átomos (C, H, O, N, P)
Tecido muscular liso
Molécula (DNA)
5 NÍVEL DE SISTEMAS
Tecidos
conectivo
e epitelial
4 NÍVEL DE ÓRGÃOS

Glândula salivar Boca


Faringe

Camadas
Esôfago de tecido
muscular liso
Tecido epitelial
Estômago

Estômago
Fígado
Pâncreas
Vesícula biliar (atrás do estômago)

Intestino grosso Intestino delgado

6 NÍVEL DE ORGANISMO
Sistema digestório

Qual nível de organização estrutural geralmente tem uma forma reconhecível e é composto por dois ou mais tipos de
tecidos diferentes que têm uma função específica?

Figura 1.1 Níveis de organização estrutural no corpo humano.


Os níveis de organização estrutural são químico, celular, tecidual, de órgãos, de sistemas e de organismo.

cos. Os Capítulos 2 e 20 dão ênfase ao nível químico gura 1.1 mostra uma célula muscular lisa, um dos
de organização. três tipos diferentes de células musculares no corpo.
2 As moléculas se combinam para formar as estrutu- Como será visto no Capítulo 3, as células contêm
ras do nível seguinte de organização – o nível celu- estruturas especializadas, denominadas organelas,
lar. Células são as unidades estruturais e funcionais como o núcleo, as mitocôndrias e os lisossomos, que
básicas de um organismo. Assim como as palavras desempenham funções específicas.
são os menores elementos da linguagem, as células 3 O nível tecidual é o nível seguinte de organização
são as menores unidades vivas no corpo humano. estrutural. Tecidos são grupos de células e materiais
Entre os numerosos tipos de células no corpo estão adjacentes que trabalham juntos para desempenhar
células musculares, nervosas e sanguíneas. A Fi- uma função específica. As células se unem para for-

_Livro_Tortora_CH.indb 2 15/09/16 11:28


Capítulo 1 • Organização do corpo humano 3

mar os tecidos, do mesmo modo que as palavras são 5 O próximo nível de organização estrutural no cor-
colocadas juntas para formar as frases. Os quatro ti- po é o nível de sistemas. Um sistema consiste em
pos básicos de tecidos em seu corpo são tecido epite- órgãos relacionados que têm uma função comum.
lial, tecido conectivo, tecido muscular e tecido ner- Os órgãos se unem para formar sistemas, seme-
voso. As semelhanças e diferenças entre os diferentes lhante ao modo como os parágrafos são agrupa-
tipos de tecidos são o foco do Capítulo 4. Observe, dos para formar capítulos. O exemplo mostrado na
na Figura 1.1, que o tecido muscular liso consiste em Figura 1.1 é o sistema digestório, que decompõe e
células musculares lisas fortemente compactadas. absorve moléculas no alimento. Nos capítulos se-
4 No nível de órgãos, os diferentes tipos de tecidos guintes, exploraremos a anatomia e a fisiologia de
se unem para formar as estruturas do corpo. Órgãos cada sistema do corpo. A Tabela 1.1 apresenta os
geralmente apresentam uma forma reconhecível, são componentes e as funções desses sistemas. À medi-
compostos por dois ou mais tipos de tecidos diferen- da que estudamos os sistemas do corpo, descobri-
tes e têm funções específicas. Os tecidos se unem remos como funcionam em conjunto para manter
para formar os órgãos, semelhante ao modo como as a saúde, protegendo contra doenças e permitindo a
frases são agrupadas para formar os parágrafos. São reprodução da espécie.
exemplos de órgãos, o estômago, coração, fígado, 6 O nível de organismo é o maior nível de organiza-
pulmões e encéfalo. A Figura 1.1 mostra os diversos ção. Todos os sistemas do corpo se combinam para
tecidos que constituem o estômago. A túnica serosa constituir um organismo, isto é, um ser humano.
é uma camada em torno da face externa do estôma- Os sistemas se unem para formar um organismo do
go, protegendo e reduzindo o atrito quando se move mesmo modo como os capítulos são unidos para for-
e resvala contra outros órgãos. Abaixo da túnica se- mar um livro.
rosa estão as camadas de tecido muscular liso, que
se contraem para agitar e misturar o alimento, em- TESTE SUA COMPREENSÃO
purrado para o próximo órgão digestório, o intestino 3. Defina os seguintes termos: átomo, molécula,
delgado. O revestimento mais interno do estômago é célula, tecido, órgão, sistema e organismo.
uma camada de tecido epitelial, que produz fluido e 4. Recorrendo à Tabela 1.1, responda: quais sistemas
substâncias químicas que auxiliam na digestão. do corpo ajudam a eliminar resíduos?

TABELA 1.1
Componentes e funções dos 11 principais sistemas do corpo humano
1. TEGUMENTO COMUM (CAPÍTULO 5) 2. SISTEMA ESQUELÉTICO (CAPÍTULOS 6 E 7)
Componentes: Pele e estruturas Pelos Componentes: Ossos e
associadas, como pelos, unhas e articulações do corpo e
glândulas sudoríferas e sebáceas cartilagens associadas
Funções: Ajuda a regular a Funções: Sustenta e protege
temperatura corporal; protege o o corpo; fornece uma área
Osso
corpo; elimina alguns resíduos; específica para fixação muscular; Cartilagem
ajuda a produzir vitamina D; Pele e auxilia nos movimentos
detecta sensações, como tato, glândulas corporais; armazena células que
associadas Articulação
pressão, dor, calor e frio produzem as células sanguíneas
e armazena minerais e lipídeos
Unhas
das mãos (gorduras)

Unhas
dos pés

(CONTINUA)

_Livro_Tortora_CH.indb 3 15/09/16 11:28


4 Corpo humano: fundamentos de anatomia e fisiologia

TABELA 1.1 (CONTINUAÇÃO)


Componentes e funções dos 11 principais sistemas do corpo humano
3. SISTEMA MUSCULAR (CAPÍTULO 8) 4. SISTEMA NERVOSO (CAPÍTULOS 9 A 12)
Componentes: Refere-se Componentes: Encéfalo, medula Encéfalo
especificamente ao tecido espinal, nervos e órgãos dos
muscular esquelético que, em sentidos especiais, como os olhos
geral está fixado a ossos (outros e as orelhas
Músculo
tecidos musculares incluem o liso esquelético Funções: Regula as atividades
e o cardíaco) Medula
corporais por meio de impulsos espinal
Tendão
Funções: Participa na produção nervosos, detectando mudanças
de movimentos corporais como no meio ambiente, interpretando
caminhar; mantém a postura; e e respondendo, mediante
produz calor contrações musculares ou
secreções glandulares Nervo

5. SISTEMA ENDÓCRINO (CAPÍTULO 13) 6. SISTEMA CIRCULATÓRIO (CAPÍTULOS 14 A 16)


Componentes: Todas as glândulas e tecidos que produzem substâncias Componentes: Sangue, coração e vasos sanguíneos
químicas reguladoras das funções do corpo, denominadas hormônios Funções: O coração bombeia sangue por meio dos vasos sanguíneos;
Funções: Regula as atividades do corpo, por meio de hormônios o sangue conduz oxigênio e nutrientes para as células e retira dióxido
transportados pelo sangue até os diversos órgãos-alvo de carbono e resíduos das células, e ajuda a regular acidez, temperatura
e conteúdo hídrico dos fluidos corporais; os componentes do sangue
auxiliam na defesa contra doenças e no reparo de vasos sanguíneos
danificados

Hipotálamo
Glândula pineal Vasos
Hipófise Glândula sanguíneos:
tireoide Veia
Glândula
tireoide Glândula Coração
suprarrenal
Glândulas Vista
paratireoides anterior Pâncreas
Artéria

Testículo
(homem)

Ovário
(mulher)

(CONTINUA)

_Livro_Tortora_CH.indb 4 15/09/16 11:28


Capítulo 1 • Organização do corpo humano 5

TABELA 1.1 (CONTINUAÇÃO)


Componentes e funções dos 11 principais sistemas do corpo humano
7. SISTEMA LINFÁTICO E IMUNIDADE (CAPÍTULO 17) 8. SISTEMA RESPIRATÓRIO (CAPÍTULO 18)
Componentes: Líquido linfático (linfa) e vasos linfáticos; baço, timo, Componentes: Pulmões e vias respiratórias, como faringe, laringe,
linfonodos e tonsilas; células que executam as respostas imunes traqueia, brônquios e bronquíolos nos pulmões
(células B, células T e outras) Funções: Transfere o oxigênio do ar inalado para o sangue e o dióxido
Funções: Retorna proteínas e líquido para o sangue; transporta de carbono do sangue para o ar exalado; ajuda a regular a acidez dos
lipídeos do trato gastrintestinal para o sangue; contém locais de líquidos corporais; a temperatura corporal, o ar fluindo para fora dos
maturação e proliferação de células B e células T, que protegem contra pulmões, passando pelas pregas vocais, produz sons
os micróbios patogênicos

Tonsila Faringe Cavidade nasal


faríngea Cavidade oral
Laringe Faringe
Tonsila
palatina Timo Traqueia Laringe
Tonsila Ducto Brônquio
lingual torácico
Pulmão
Baço

Medula Linfonodo
óssea
vermelha
Vasos
linfáticos

9. SISTEMA DIGESTÓRIO (CAPÍTULO 19) 10. SISTEMA URINÁRIO (CAPÍTULO 21)


Componentes: Órgãos do trato gastrintestinal, incluindo a boca, Componentes: Rins, ureteres, bexiga urinária e uretra
faringe, esôfago, estômago, intestinos delgado e grosso, reto e ânus; Funções: Produz, armazena e elimina a urina; elimina resíduos e
inclui também os órgãos digestórios acessórios que auxiliam nos regula o volume e a composição química do sangue; ajuda a regular
processos digestivos, como glândulas salivares, fígado, vesícula biliar o equilíbrio acidobásico dos líquidos corporais; mantém o equilíbrio
e pâncreas mineral do corpo; ajuda a regular a produção de eritrócitos
Funções: Realiza a decomposição física e química dos alimentos;
absorve os nutrientes; elimina os resíduos sólidos

Glândula Boca
salivar Faringe
Esôfago

Estômago
Fígado Pâncreas Rim
Vesícula (atrás do
estômago) Ureter
biliar
Intestino
delgado Bexiga
Intestino
Reto urinária
grosso
Ânus

Uretra

(CONTINUA)

_Livro_Tortora_CH.indb 5 15/09/16 11:28


6 Corpo humano: fundamentos de anatomia e fisiologia

TABELA 1.1 (CONTINUAÇÃO)


Componentes e funções dos 11 principais sistemas do corpo humano
11. SISTEMAS GENITAIS (CAPÍTULO 23)
Componentes: Gônadas
(testículos nos homens e
ovários nas mulheres) e órgãos
associados: tubas uterinas,
útero e vagina nas mulheres, e
Glândula
epidídimo, ducto deferente e mamária Ducto
pênis nos homens deferente
Tuba Glândula
Funções: As gônadas produzem uterina seminal
Ovário Pênis
gametas (espermatozoides ou Útero Vagina Próstata
Testículo
ovócitos), que se unem para
formar um novo organismo, e Tuba Ducto
liberam hormônios que regulam uterina deferente
a reprodução e outros processos Glândula
seminal
corporais; os órgãos associados Útero
Ovário Próstata
transportam e armazenam os Pênis
gametas, glândulas mamárias Vagina Epidídimo
produzem leite Testículo

1.3 Processos vitais especializadas diferem em estrutura e função das


não especializadas que as originaram. Por exemplo,
OBJETIVO
uma simples célula-ovo fertilizada sofre tremenda
• Definir os processos vitais dos seres humanos. diferenciação para se desenvolver em um indivíduo
único, que é semelhante aos pais, ainda que diferen-
Todos os organismos vivos têm determinadas característi- te deles.
cas que os distinguem das coisas não vivas. A seguir, são
6. Reprodução se refere (1) à formação de novas cé-
descritos seis processos vitais dos seres humanos:
lulas para crescimento, reparação ou substituição, e
1. Metabolismo é a soma de todos os processos quími- (2) à produção de um novo indivíduo.
cos que ocorrem no corpo e inclui a decomposição
Embora nem todos esses processos ocorram nas cé-
de moléculas maiores e complexas em moléculas
lulas por todo o corpo durante o tempo todo, quando ces-
menores e mais simples, e a formação de molécu-
sam de ocorrer adequadamente pode haver morte celular.
las complexas a partir de moléculas menores e mais
Quando a morte celular é substancial e leva à falência do
simples.
órgão, o resultado é a morte do organismo.
2. Reatividade é a capacidade do corpo de detectar e
responder às alterações no ambiente. As células ner-
vosas respondem a variações no ambiente, por meio CORRELAÇÕES CLÍNICAS | Autópsia
da geração de sinais elétricos, conhecidos como im-
Uma autópsia é um exame póstumo do corpo e a disse-
pulsos nervosos. As células musculares respondem cação dos órgãos internos para confirmar ou determinar a
aos impulsos nervosos por meio da contração, que causa da morte. Uma autópsia consegue descobrir a exis-
gera força para mover partes do corpo. tência de doenças não detectadas durante a vida, determinar a
3. Movimento inclui o deslocamento de todo o corpo, extensão de lesões e explicar como essas lesões podem ter con-
de órgãos individuais, de células simples, ou ainda, tribuído para a morte da pessoa. Além disso, pode fornecer mais
de pequenas organelas dentro das células. informação sobre a doença, auxiliar no acúmulo de dados esta-
tísticos e ensinar os estudantes da área da saúde. Uma autópsia
4. Crescimento é um aumento no tamanho do corpo. também revela condições capazes de afetar a descendência ou
Pode ser decorrente de um aumento (1) no tamanho os irmãos (como os defeitos cardíacos congênitos). Algumas ve-
das células existentes, (2) no número de células ou zes uma autópsia é exigida legalmente, como durante uma inves-
(3) na quantidade de material intercelular. tigação criminal. Além disso, também pode ser útil na resolução
5. Diferenciação é o processo pelo qual células não de disputas entre beneficiários e companhias seguradoras com
especializadas se tornam especializadas. As células relação à causa da morte. •

_Livro_Tortora_CH.indb 6 15/09/16 11:28


Capítulo 1 • Organização do corpo humano 7

as alterações do estado de equilíbrio e envia mensagens,


TESTE SUA COMPREENSÃO
na forma de impulsos nervosos, para os órgãos que neu-
5. Quais são os diferentes significados para
tralizam essas alterações. Por exemplo, quando a tem-
crescimento?
peratura corporal se eleva, os impulsos nervosos fazem
as glândulas sudoríferas liberarem mais suor, que esfria
1.4 Homeostasia: manutenção dos limites o corpo à medida que evapora. As glândulas endócrinas
corrigem as alterações por meio da secreção de molé-
OBJETIVOS culas, chamadas de hormônios, no sangue. Hormônios
• Definir homeostasia e explicar sua importância. afetam células específicas do corpo, nas quais provocam
• Descrever os componentes de um sistema de respostas que restauram a homeostasia. Por exemplo, o
retroalimentação. hormônio insulina reduz o nível sanguíneo de glicose
• Comparar o funcionamento dos sistemas de quando está muito alto. Os impulsos nervosos normal-
retroalimentação negativa e positiva. mente provocam correções rápidas, hormônios geralmen-
• Distinguir entre os sintomas e os sinais de uma doença. te trabalham de forma mais lenta.
A homeostasia é mantida por meio de muitos siste-
Os trilhões de células do corpo humano necessitam de mas de retroalimentação. Um sistema de retroalimenta-
condições relativamente estáveis para funcionar de modo ção ou alça de retroalimentação é um ciclo de eventos no
eficiente e contribuir para a sobrevivência do corpo como qual uma condição no corpo é continuamente monitorada,
um todo. A manutenção de condições relativamente está- avaliada, modificada, monitorada novamente, reavaliada e
veis é chamada homeostasia. A homeostasia garante que assim por diante. Cada condição monitorada, como a tem-
o ambiente interno do corpo permaneça constante, apesar peratura corporal, pressão sanguínea ou nível sanguíneo
de mudanças dentro e fora do corpo. Uma grande parte do de glicose, é denominada condição controlada. Qualquer
meio interno consiste no fluido circundante das células do ruptura que provoque uma mudança em uma condição
corpo, chamado de líquido intersticial. controlada é chamada de estímulo. Alguns estímulos pro-
Cada sistema corporal, de algum modo, contribui vém do ambiente externo, como calor intenso e oferta de
para a homeostasia. Por exemplo, no sistema circulatório, oxigênio. Outros se originam no ambiente interno, como
a contração e o relaxamento alternados do coração impul- um nível sanguíneo de glicose que esteja muito baixo. Os
sionam o sangue para todos os vasos sanguíneos do cor- desequilíbrios homeostáticos podem também ocorrer em
po. À medida que o sangue flui pelos vasos sanguíneos razão de estresses psicológicos em nosso ambiente social
minúsculos, nutrientes e oxigênio penetram nas células, – as exigências do trabalho ou da escola, por exemplo.
a partir do sangue, e resíduos passam das células para o Na maioria dos casos, a ruptura da homeostasia é leve e
sangue. A homeostasia é dinâmica, isto é, se altera dentro temporária, e as respostas das células do corpo restauram
de uma faixa limitada compatível com a manutenção dos rapidamente o equilíbrio no ambiente interno. Em alguns
processos celulares vitais. Por exemplo, o nível de glicose casos, no entanto, a ruptura da homeostasia pode ser in-
no sangue é mantido dentro de uma faixa restrita. Normal- tensa e prolongada, como no envenenamento, superexpo-
mente não cai muito entre as refeições nem sobe muito, sição a temperaturas extremas, infecção grave ou morte de
mesmo após a ingestão de uma refeição com alto teor de um ente querido.
glicose. O encéfalo necessita de um suprimento regular de Três componentes básicos constituem um sistema
glicose para permanecer funcionando – um nível sanguí- de retroalimentação: um receptor, um centro de controle
neo baixo de glicose pode levar à inconsciência ou mesmo e um efetor (Fig. 1.2).
à morte. Em contraste, um nível sanguíneo elevado e pro-
1. Um receptor é uma estrutura do corpo que monitora
longado de glicose danifica os vasos sanguíneos e provoca
as alterações em uma condição controlada e envia a in-
perda excessiva de água na urina.
formação (impulsos nervosos ou sinais químicos) para
um centro de controle. As terminações nervosas na
Controle da homeostasia: pele que percebem a temperatura constituem um em
sistemas de retroalimentação centenas de tipos diferentes de receptores no corpo.
Felizmente, cada estrutura corporal, das células aos siste- 2. Um centro de controle no corpo, por exemplo, o
mas, tem um ou mais dispositivos homeostáticos que tra- encéfalo, estabelece uma faixa de valores dentro
balham para manter o ambiente interno dentro dos limites da qual uma condição controlada deve ser mantida,
normais. Os mecanismos homeostáticos do corpo estão, avalia a informação que recebe dos receptores e gera
principalmente, sob o controle de dois sistemas, o sistema impulsos nervosos ou sinais químicos, retransmiti-
nervoso e o sistema endócrino. O sistema nervoso detecta dos do centro de controle para um efetor.

_Livro_Tortora_CH.indb 7 15/09/16 11:29


8 Corpo humano: fundamentos de anatomia e fisiologia

Sistemas de retroalimentação negativa


ESTÍMULO Um sistema de retroalimentação negativa reverte uma
alteração em uma condição controlada. Consideremos
interrompe a homeostasia um sistema de retroalimentação negativa que ajuda a
pelo aumento ou
diminuição da
regular a pressão sanguínea. A pressão sanguínea é a
força exercida pelo sangue, contra as paredes dos vasos
CONDIÇÃO CONTROLADA sanguíneos. Quando o coração bate mais rápido ou mais
forte, a pressão sanguínea aumenta. Se um estímulo pro-
que é monitorada voca o aumento da pressão sanguínea (condição contro-
pelos
lada), a seguinte sequência de eventos ocorre (Fig. 1.3):
RECEPTORES
a pressão mais elevada é detectada por barorreceptores,
células nervosas sensíveis à pressão localizadas na pare-
de de determinados vasos sanguíneos (os receptores); os
que enviam impulsos
nervosos ou sinais barorreceptores enviam impulsos nervosos para o encé-
químicos para um falo (centro de controle), que interpreta as informações
Retorno à
homeostasia
e responde enviando impulsos nervosos para o coração
CENTRO DE CONTROLE quando a resposta (o efetor); a frequência cardíaca diminui, o que provoca
restaura ao normal
a condição a redução (resposta) da pressão sanguínea . Essa sequên-
que recebe a
informação e fornece controlada cia de eventos retorna a condição controlada – pressão
impulsos nervosos ou
sinais químicos para os
sanguínea – ao normal, e a homeostasia é restaurada.
Esse é um sistema de retroalimentação negativa, porque
EFETORES
a atividade do efetor produz um resultado, uma queda
na pressão sanguínea , que reverte o efeito do estímulo.
que provocam Sistemas de retroalimentação negativa tendem a regular
uma mudança ou
as condições no corpo que são mantidas razoavelmente
estáveis durante longos períodos de tempo, como a
RESPOSTA que altera pressão sanguínea , nível sanguíneo de glicose e tempe-
a condição controlada ratura corporal.

Sistemas de retroalimentação positiva


Qual é a diferença básica entre os sistemas de Ao contrário de um sistema de retroalimentação negativa,
retroalimentação negativa e positiva?
um sistema de retroalimentação positiva tende a inten-
sificar e reforçar uma alteração em uma das condições
Figura 1.2 Componentes de um sistema de retroali- controladas do corpo. O centro de controle envia coman-
mentação. dos para um efetor, mas desta vez, o efetor produz uma
Os três elementos básicos de um sistema de resposta fisiológica que aumenta ou reforça a alteração
retroalimentação são o receptor, o centro de controle inicial na condição controlada. A ação de um sistema de
e o efetor.
retroalimentação positiva continua até que seja interrom-
pida por algum mecanismo.
3. Um efetor é uma estrutura do corpo que recebe im- O parto normal proporciona um bom exemplo de um
pulsos do centro de controle e produz uma resposta sistema de retroalimentação positiva (Fig. 1.4). As primei-
que altera a condição controlada. Quase todo órgão ras contrações do trabalho de parto (estímulo) empurram
ou tecido no corpo se comporta como um efetor. parte do feto para o colo do útero, a parte mais inferior do
Por exemplo, quando a temperatura corporal cai útero, que se abre na vagina. Células nervosas sensíveis ao
bruscamente, o encéfalo (centro de controle) envia estiramento (receptores) monitoram a quantidade de esti-
impulsos nervosos para os músculos esqueléticos ramento do colo do útero (condição controlada). À medida
(efetores), que provocam tremores, gerando calor e que o estiramento aumenta, as células enviam mais impul-
elevando a temperatura. sos nervosos para o encéfalo (centro de controle), que, por
sua vez, libera o hormônio ocitocina no sangue. A ocitoci-
Sistemas de retroalimentação são classificados, tan- na provoca uma contração ainda mais forte dos músculos
to como sistemas de retroalimentação negativa quanto sis- na parede do útero (efetor). As contrações empurram o feto
temas de retroalimentação positiva. mais para baixo no útero, o que distende ainda mais o colo

_Livro_Tortora_CH.indb 8 15/09/16 11:29


Capítulo 1 • Organização do corpo humano 9

Contrações da parede
ESTÍMULO do útero forçam a cabeça
ou o corpo do bebê dentro
do colo do útero
interrompe a
homeostasia pelo
aumento da aumentando a

CONDIÇÃO CONTROLADA CONDIÇÃO CONTROLADA


Pressão sanguínea distensão do colo do útero

RECEPTORES RECEPTORES
Barorreceptores Células
em determinados nervosas
vasos sanguíneos sensíveis ao
estiramento no
+
– colo do útero

impulsos nervosos impulsos nervosos

CENTRO DE CONTROLE CENTRO DE CONTROLE


Encéfalo
Encéfalo A maior distensão
do colo do útero
provoca a liberação
de mais ocitocina,
resultando em mais
Retorno à
distensão do colo do
homeostasia quando
o encéfalo interpreta a útero
a resposta restaura
ao normal a informação e libera
condição controlada ocitocina
impulsos nervosos
EFETORES
Músculos
na parede
EFETORES
do útero
Coração

contraem-se mais
Vasos vigorosamente
sanguíneos

RESPOSTA
O corpo do bebê distende
o colo do útero ainda mais

RESPOSTA
Interrupção do ciclo:
Uma diminuição na frequência cardíaca O nascimento do bebê diminui
e a dilatação (ampliação) dos vasos a distensão do colo do útero,
sanguíneos provoca a diminuição interrompendo, assim, o ciclo
da pressão sanguínea de retroalimentação positiva

O que aconteceria à frequência cardíaca, se algum Por que os sistemas de retroalimentação positiva,
estímulo provocasse a diminuição da pressão que fazem parte de uma resposta fisiológica normal,
sanguínea? Isso ocorreria por retroalimentação positiva ou incluem alguns mecanismos que encerram o sistema?
negativa?
Figura 1.4 Controle da retroalimentação positiva nas
Figura 1.3 Homeostasia da pressão sanguínea por contrações do trabalho de parto, durante o nascimento
meio de um sistema de retroalimentação negativa. de um bebê. A seta de retorno tracejada, com um sinal
A seta tracejada do retorno com um sinal negativo dentro de positivo dentro de um círculo, simboliza a retroalimentação
um círculo, simboliza a retroalimentação negativa. Perceba positiva.
que a resposta é alimentada de volta para o sistema e este
Se a resposta reforça ou intensifica o estímulo, o
continua a reduzir a pressão sanguínea até haver um retorno
sistema está operando por retroalimentação positiva.
à pressão sanguínea normal (homeostasia).
Se a resposta reverte uma alteração em uma condição
controlada, o sistema está operando por
retroalimentação negativa.

_Livro_Tortora_CH.indb 9 15/09/16 11:29


10 Corpo humano: fundamentos de anatomia e fisiologia

do útero. O ciclo de estiramento, liberação de hormônio e 7. Como os sistemas de retroalimentação negativa


contrações cada vez mais intensas é interrompido apenas e positiva se assemelham? Como diferem?
pelo nascimento do bebê. Em seguida, o estiramento do 8. Diferencie e dê exemplos de sinais e sintomas de
colo do útero cessa e a liberação de ocitocina é deprimida. uma doença.

Homeostasia e doença
Enquanto todas as condições controladas do corpo perma-
1.5 Envelhecimento
necem dentro de determinados limites restritos, as células e homeostasia
do corpo funcionam eficientemente, a homeostasia é manti-
OBJETIVO
da e o corpo permanece saudável. Contudo, se um ou mais
componentes do corpo perdem sua capacidade de contribuir • Descrever algumas mudanças anatômicas e
para a homeostasia, o equilíbrio normal entre todos os pro- fisiológicas que ocorrem com o envelhecimento.
cessos do corpo poderá ser perturbado. Se o desequilíbrio Como você verá mais tarde, envelhecimento é um pro-
homeostático for moderado, poderá ocorrer um distúrbio ou cesso normal, caracterizado por um declínio progressivo
uma doença; se for grave, poderá resultar em morte. na capacidade do corpo de restaurar a homeostasia. O
Um distúrbio é qualquer anormalidade de estrutura envelhecimento produz alterações observáveis na estru-
e/ou função. Doença é um termo mais específico para uma tura e na função e aumenta a vulnerabilidade ao estresse
enfermidade caracterizada por um conjunto reconhecível de e à doença. As mudanças associadas ao envelhecimento
sintomas e sinais. Sintomas são alterações subjetivas nas são evidentes em todos os sistemas do corpo. Exemplos
funções corporais, que não são aparentes para um obser- incluem pele enrugada, cabelo grisalho, perda de massa
vador, como, por exemplo, cefaleia ou náusea. Sinais são óssea, redução da força e da massa muscular, reflexos
alterações objetivas que um clínico observa e avalia, como lentos, redução na produção de alguns hormônios, au-
sangramento, inchaço, vômito, diarreia, febre, erupção ou mento da incidência de doenças cardíacas, aumento da
paralisia. As doenças específicas alteram a estrutura e a fun- suscetibilidade às infecções e ao câncer, diminuição da
ção do corpo de formas características, geralmente produ- capacidade pulmonar, funcionamento menos eficiente do
zindo um conjunto de sintomas e sinais reconhecíveis. sistema digestório, diminuição da função renal, meno-
pausa e aumento da próstata. Estes e outros efeitos do
envelhecimento serão estudados com detalhes em capí-
CORRELAÇÕES CLÍNICAS | Diagnóstico
tulos posteriores.
Diagnóstico é a identificação de uma doença ou distúrbio,
com base na avaliação científica dos sinais e sintomas do TESTE SUA COMPREENSÃO
paciente, história médica, exame físico e algumas vezes, 9. Cite alguns sinais do envelhecimento.
em dados de exames laboratoriais. A anamnese consiste na cole-
ta de informações sobre eventos que podem estar relacionados à
enfermidade do paciente, incluindo a queixa principal, história da 1.6 Termos anatômicos
doença atual, problemas clínicos passados, problemas clínicos fa-
miliares e história social. O exame físico é uma avaliação ordenada OBJETIVOS
do corpo e de suas funções. Esse processo inclui inspeção (obser- • Descrever a posição anatômica.
vação do corpo em busca de quaisquer alterações que fogem do • Identificar as principais regiões do corpo e relacionar
normal), palpação (perceber as superfícies do corpo com as mãos), nomes comuns de várias partes do corpo aos termos
ausculta (escutar os sons do corpo, frequentemente usando um
anatômicos correspondentes.
estetoscópio), percussão (bater na superfície do corpo e escutar o
• Definir os termos direcionais e os planos e cortes
eco resultante) e mensuração dos sinais vitais (temperatura, pulso,
anatômicos utilizados para localizar as partes do
frequência respiratória e pressão sanguínea). Alguns exames la-
boratoriais comuns incluem análises do sangue e da urina. • corpo humano.
A linguagem da anatomia e da fisiologia é muito precisa.
Quando se descreve onde o carpo (pulso) está localizado,
TESTE SUA COMPREENSÃO
é correto dizer “o carpo (pulso) está acima dos dedos”?
Esta descrição é verdadeira se os braços estiverem nas
6. Quais são os tipos de distúrbios capazes de atuar laterais do corpo. Mas, se mantivéssemos as mãos aci-
como estímulos que iniciam um sistema de ma da cabeça, os dedos estariam acima do carpo (pulso).
retroalimentação? Para evitar esse tipo de confusão, os cientistas e os pro-
fissionais da saúde se referem a uma posição anatômica

_Livro_Tortora_CH.indb 10 15/09/16 11:29


Capítulo 1 • Organização do corpo humano 11

padrão e usam um vocabulário especial para correlacio- lelos e os pés apoiados no chão e direcionados para frente
nar as partes do corpo. e os membros superiores estão ao lado do corpo, com as
No estudo da anatomia, as descrições de qualquer palmas voltadas para frente (Fig. 1.5). Na posição ana-
parte do corpo humano assumem que o corpo está em tômica, o corpo está na vertical. Dois termos descrevem
uma postura específica, chamada de posição anatômica. um corpo reclinado. Se o corpo está deitado com a face
Na posição anatômica, a pessoa está de pé, ereto, de fren- para baixo, está na posição prona (decúbito ventral). Se o
te para o observador, com a cabeça nivelada e os olhos corpo está deitado com a face para cima, está na posição
voltados para a frente. Os membros inferiores estão para- supina (decúbito dorsal).

Fronte (frontal)
Têmpora (temporal)
Crânio Olho (orbital ou ocular)
CABEÇA (cranial)
Orelha (ótico)
(CEFÁLICO)
Face Bochecha (bucal)
(facial) CABEÇA
Nariz (nasal) (CEFÁLICO)
PESCOÇO Base do crânio
Boca (oral) (occipital)
(CERVICAL)
Queixo (mentual) PESCOÇO
Tórax (CERVICAL)
Axila Esterno (esternal)
(torácico)
(axilar)
Escápula
Braço Mama (mamário) (escapular)
(braquial)
Umbigo Coluna vertebral
Abdome (umbilical)
TRONCO

Parte anterior (abdominal)


do cotovelo Quadril (coxal) Dorso
(cubital anterior) Região posterior (dorsal)
Região
inguinal do cotovelo
Antebraço MEMBRO
(cubital
(antebraquial) SUPERIOR
posterior)
Pelve Lombo (lombar)
Pulso (pélvico) Entre os
(carpal) ossos do
Primeiro quadril
Palma dedo da (sacral)
da mão mão
(palmar (polegar) Nádegas
ou volar) Mão (glútea)
(manual)
Dedos Região do ânus
da mão e dos genitais
(digital ou Coxa externos (perineal)
falângico) Púbis Dorso
(femoral) (púbico) da mão
(dorsal)
Face anterior do joelho
Concavidade posterior
(patelar) MEMBRO
do joelho (poplíteo)
INFERIOR
Perna
(crural)
Sura (sural)
Tornozelo
(tarsal)

(podal)
Dedos do pé
(digital ou falângico)
Parte superior
do pé (dorso) Sola (plantar)

Grande dedo Calcâneo


(a) Vista anterior do pé (hálux) (b) Vista posterior (calcânea)

Onde está localizada uma verruga plantar?

Figura 1.5 A posição anatômica. Os nomes comuns e os termos anatômicos correspondentes (entre parênteses) indicam
regiões específicas do corpo. Por exemplo, a cabeça é a região cefálica.
Na posição anatômica, o indivíduo está de pé, ereto, de frente para o observador, com a cabeça nivelada e os olhos
voltados para frente. Os pés estão apoiados no solo e dirigidos para a frente e os braços estão ao lado do corpo com as
palmas das mãos voltadas para frente.

_Livro_Tortora_CH.indb 11 15/09/16 11:29


12 Corpo humano: fundamentos de anatomia e fisiologia

Denominações das regiões do corpo nome comum. Por exemplo, se você receber uma injeção
contra o tétano em sua nádega será uma injeção glútea.
O corpo humano é dividido em várias regiões principais,
A nomenclatura anatômica de uma parte do corpo é ba-
identificadas externamente. Essas regiões são a cabeça,
seada em uma palavra ou “raiz” grega ou latina para a
pescoço, tronco, membros superiores e membros infe-
mesma parte ou área. A palavra latina para axila é axilla,
riores (Fig. 1.5). A cabeça consiste no crânio e na face.
por exemplo; portanto, um dos nervos que atravessa a re-
O crânio é a parte da cabeça que envolve e protege o en-
gião axilar é denominado nervo axilar. Você aprenderá
céfalo, e a face é a porção frontal da cabeça que inclui
mais sobre as raízes dos termos anatômicos e fisiológicos
os olhos, nariz, boca, fronte, bochechas e mento (queixo).
à medida que ler este livro.
O pescoço sustenta a cabeça, unindo-a ao tronco. O tron-
co consiste no tórax, abdome e pelve. Cada membro supe-
rior está ligado ao tronco e consiste no ombro, axila, bra- Termos direcionais
ço (porção do membro, do ombro ao cotovelo), antebraço Para localizar as várias estruturas corporais, os anatomis-
(porção do membro, do cotovelo ao carpo), carpo (pulso) tas utilizam termos direcionais específicos, palavras que
e mão. Cada membro inferior está também ligado ao tron- descrevem a posição de uma parte do corpo em relação à
co e consiste nas nádegas, coxa (porção do membro, do outra. Vários termos direcionais são agrupados em pares
quadril ao joelho), perna (porção do membro, do joelho ao que têm significados opostos, por exemplo, anterior (fren-
tarso [tornozelo]), tarso e pé. A região inguinal é a área na te) e posterior (dorso). Estude o Quadro 1.1 e a Figura
superfície frontal do corpo, marcada por uma depressão 1.6 para determinar, entre outras coisas, se o estômago é
linear de cada lado, na qual o tronco se fixa às coxas. superior aos pulmões.
Na Figura 1.5, o nome anatômico correspondente a
cada parte do corpo aparece entre parênteses, próximo ao

_Livro_Tortora_CH.indb 12 15/09/16 11:29


Capítulo 1 • Organização do corpo humano 13

QUADRO 1.1 Termos direcionais (Fig. 1.6)

OBJETIVO o joelho é superior ao tornozelo, embora ambos estejam


• Definir cada termo direcional utilizado para descrever localizados na metade inferior do corpo. Estude os termos
o corpo humano. direcionais e o exemplo de como cada um é utilizado.
A maioria dos termos direcionais utilizados para descre- Conforme lê cada exemplo, recorra à Figura 1.6 para ver a
ver o corpo humano é agrupada em pares que têm signi- localização das estruturas mencionadas.
ficados opostos. Por exemplo, superior indica em direção
à parte de cima do corpo, e inferior significa em direção TESTE SUA COMPREENSÃO
à parte de baixo do corpo. É importante compreender que Que termos direcionais são usados para especificar as
os termos direcionais têm significados relativos; somente relações entre (1) o cotovelo e o ombro, (2) os ombros
fazem sentido quando são usados para descrever a posição esquerdo e direito, (3) o esterno e o úmero e (4) o
de uma estrutura em relação a alguma outra. Por exemplo, coração e o diafragma?

TERMO DIRECIONAL DEFINIÇÃO EXEMPLO DE USO


Superior (cefálico ou cranial) Em direção à cabeça ou a parte mais alta de uma O coração é superior ao fígado
estrutura
Inferior (caudal) Distante da cabeça ou a parte mais baixa de uma O estômago é inferior aos pulmões
estrutura
Anterior (ventral) Mais próximo da frente do corpo, ou na frente do O osso esterno é anterior ao coração
corpo
Posterior (dorsal) Mais próximo do dorso do corpo, ou no dorso do O esôfago é posterior à traqueia
corpo
Medial Mais próximo da linha mediana, uma linha vertical A ulna é medial ao rádio
imaginária que divide o corpo em lados iguais,
direito e esquerdo
Lateral Mais afastado da linha mediana ou do plano sagital Os pulmões são laterais ao coração
mediano
Intermediário Entre duas estruturas O colo transverso é intermediário aos colos
ascendente e descendente
Ipsilateral No mesmo lado do corpo que outra estrutura A vesícula biliar e o colo ascendente são ipsilaterais
Contralateral No lado oposto do corpo de outra estrutura Os colos ascendente e descendente são contralaterais
Proximal Mais próximo da fixação de um membro ao tronco; O úmero é proximal ao rádio
mais próximo do ponto de origem ou do início
Distal Mais afastado da fixação de um membro ao tronco; As falanges são distais aos ossos carpais
mais afastado do ponto de origem ou do início
Superficial (externo) Em direção à ou na superfície do corpo As costelas são superficiais aos pulmões
Profundo (interno) Distante da superfície do corpo As costelas são profundas à pele do tórax e do dorso

CONTINUA

_Livro_Tortora_CH.indb 13 15/09/16 11:29


14 Corpo humano: fundamentos de anatomia e fisiologia

QUADRO 1.A Termos direcionais (Fig. 1.6) (CONTINUAÇÃO)

LATERAL MEDIAL LATERAL


SUPERIOR
Linha mediana

Esôfago
Traqueia

PROXIMAL

Costela

Pulmão direito
Pulmão
esquerdo
Esterno
Coração
Úmero

Estômago

Fígado
Colo transverso

Rádio Intestino delgado

Ulna Vesícula biliar


Colo descendente

Colo
ascendente

Ossos carpais

Ossos metacarpais

Falanges

DISTAL INFERIOR
Vista anterior do tronco e membro superior direito

O rádio é proximal ao úmero? O esôfago é anterior à traqueia? As costelas são superficiais aos pulmões? Os colos
ascendente e descendente são ipsilaterais? O esterno é lateral ao colo descendente?

Figura 1.6 Termos direcionais.


Os termos direcionais localizam com precisão as várias partes do corpo relacionadas entre si.

_Livro_Tortora_CH.indb 14 15/09/16 11:29


Capítulo 1 • Organização do corpo humano 15

Planos e secções quo, por outro lado, passa através do corpo ou de um órgão
em um ângulo entre o plano transverso e um plano sagital
Estudaremos também as partes do corpo em quatro planos
ou entre o plano transverso e um plano frontal.
principais, isto é, superfícies planas imaginárias que pas-
Quando se estuda uma região do corpo, com fre-
sam através das partes do corpo (Fig. 1.7): sagital, frontal,
quência você a vê em secção (ou corte). Uma secção é um
transverso e oblíquo. Um plano sagital é um plano vertical
corte do corpo ou de um órgão feito ao longo de um dos
que divide o corpo ou um órgão em lados direito e esquer-
planos já descritos. É importante conhecer o plano da sec-
do. Mais especificamente, quando um plano passa através
ção, de modo que você possa entender as correlações ana-
da linha mediana do corpo ou do órgão e os divide em
tômicas das partes. A Figura 1.8 indica como três secções
metades iguais, direita e esquerda, é denominado plano
diferentes – uma secção sagital mediana, uma secção
sagital mediano. Se o plano sagital não passa através da li-
frontal e uma secção transversa (axial) – proporcionam
nha mediana, mas, em vez disso, divide o corpo ou um ór-
vistas diferentes do encéfalo.
gão em lados direito e esquerdo, desiguais, é denominado
plano sagital paramediano. Um plano frontal ou plano
coronal divide o corpo ou um órgão em porções anterior Plano sagital mediano
(frente) e posterior (dorso). Um plano transverso divide
o corpo ou um órgão em partes superior (acima) e inferior
(abaixo). Um plano transverso pode também ser chamado
de plano horizontal ou axial. Os planos sagitais, frontais e
transversos formam ângulos retos entre si. Um plano oblí-

Vista
Corte sagital
(a)

Plano frontal
Plano
frontal

Plano sagital
paramediano

Vista

Corte frontal
Plano (b)
transverso
Visão
Plano
transverso

Plano sagital
mediano (através
da linha mediana) Posterior Anterior

Corte transversal
Plano
oblíquo (c)

Qual é o plano que divide o encéfalo em lados iguais


direito e esquerdo?

Vista anterior Figura 1.8 Planos e secções através de diferentes partes


do encéfalo. Os diagramas (à esquerda) mostram os planos,
Qual é o plano que divide o coração em porções e as fotografias (à direita) mostram as secções resultantes.
anterior e posterior? (Nota: As setas em “Visão”, no diagrama, indicam a direção a
partir da qual cada secção é visualizada. Esse subsídio é usado
Figura 1.7 Planos através do corpo humano. em todo o livro para indicar a perspectiva da visualização).
Os planos frontal, transverso, sagital e oblíquo Os planos dividem o corpo de várias formas, para
dividem o corpo de formas específicas. produzir secções.

_Livro_Tortora_CH.indb 15 15/09/16 11:29


16 Corpo humano: fundamentos de anatomia e fisiologia

Cavidades do corpo são espaços dentro do corpo que con-


TESTE SUA COMPREENSÃO
têm, protegem, separam e sustentam os órgãos internos.
10. Descreva a posição anatômica e explique por que
Aqui, estudamos várias das maiores cavidades do corpo
ela é utilizada.
(Fig. 1.9).
11. Localize cada região do seu próprio corpo e
A cavidade do crânio é formada pelos ossos cranianos
então a identifique pelo nome comum e pela
e contém o encéfalo. O canal vertebral (espinal) é formado
forma descritiva anatômica correspondente.
pelos ossos da coluna vertebral e contém a medula espinal.
12. Para cada termo direcional listado no Quadro 1.1,
As principais cavidades corporais do tronco são as
forneça seu próprio exemplo.
cavidades torácica e abdominopélvica. A cavidade torá-
13. Quais são os diversos planos que podem ser
cica é a cavidade do tórax. No interior da cavidade to-
passados através do corpo? Explique como cada
rácica se encontram três cavidades menores: a cavidade
um deles divide o corpo.
do pericárdio que engloba o coração e contém uma pe-
quena quantidade de líquido lubrificante, e duas cavida-
1.7 Cavidades do corpo des pleurais, cada uma das quais guarnece um pulmão e
contém uma pequena quantidade de líquido lubrificante
OBJETIVOS (Fig.1.10). A parte central da cavidade torácica é uma re-
• Descrever as principais cavidades do corpo e os gião anatômica, chamada mediastino. Situa-se entre os
órgãos que elas contêm. pulmões, estendendo-se do esterno à coluna vertebral e da
• Explicar por que a cavidade abdominopélvica é primeira costela ao diafragma (Fig. 1.10), e contém todos
dividida em regiões e quadrantes. os órgãos torácicos, exceto os próprios pulmões. Dentre
as estruturas no mediastino estão coração, esôfago, tra-

CAVIDADE COMENTÁRIOS

Cavidade do crânio Formada pelos ossos do crânio e contém o encéfalo

Canal vertebral Formado pela coluna vertebral e contém a


Cavidade medula espinal e o início dos nervos espinais
do crânio

Cavidade torácica* Cavidade do tórax; contém as cavidades pleurais


Canal e do pericárdio e o mediastino
vertebral
Cavidade pleural Cada uma circunda um pulmão; a túnica serosa
Cavidade de cada cavidade pleural é a pleura
torácica
Cavidade do pericárdio Circunda o coração; a túnica serosa da cavidade
Diafragma do pericárdio é o pericárdio

Mediastino Parte central da cavidade torácica entre os


Cavidade
pulmões; estende-se do esterno até a coluna
abdominopélvica:
vertebral e da primeira costela até o diafragma;
Cavidade contém o coração, timo, esôfago, traqueia e
abdominal vários grandes vasos sanguíneos

Cavidade
pélvica Cavidade Subdividida em cavidades abdominal e pélvica
abdominopélvica

Cavidade abdominal Contém o estômago, baço, fígado, vesícula


biliar, intestino delgado e a maior parte do
(a) Vista lateral direita (b) Vista anterior intestino grosso; a túnica serosa da cavidade
abdominal é o peritônio

Cavidade pélvica Contém a bexiga urinária, porções do intestino grosso


e os órgãos genitais internos femininos e masculinos

*Ver Figura 1.10 para detalhes da cavidade torácica.

Em quais cavidades estão localizados os seguintes órgãos: bexiga urinária, estômago, coração, intestino delgado,
pulmões, órgãos genitais internos femininos, timo, baço e fígado? Use os seguintes símbolos para as suas respostas:
T, cavidade torácica; A, cavidade abdominal; P, cavidade pélvica.

Figura 1.9 Cavidades do corpo. As linhas tracejadas em negrito indicam o limite entre as cavidades abdominal e pélvica.
As principais cavidades corporais do tronco são as cavidades torácica e abdominopélvica.

_Livro_Tortora_CH.indb 16 15/09/16 11:29


Capítulo 1 • Organização do corpo humano 17

Mediastino

Cavidade Lâmina parietal do


pleural direita pericárdio seroso
Pleura Cavidade do pericárdio Pericárdio
Pleura parietal
Lâmina visceral do
Pleura visceral pericárdio seroso
Diafragma
Cavidade pleural esquerda

(a) Vista anterior da cavidade torácica

Plano transverso

ANTERIOR
Vista

Esterno

Músculo
Timo
Coração

Cavidade do
pericárdio
Pulmão
esquerdo
Pulmão direito

Esôfago
Aorta

Cavidade Coluna vertebral


pleural
direita

Cavidade
Costela pleural
esquerda

POSTERIOR

(b) Vista inferior do corte transverso da cavidade torácica

Quais das seguintes estruturas estão contidas no mediastino: pulmão direito, coração, esôfago, medula espinal, aorta,
cavidade pleural esquerda?

Figura 1.10 A cavidade torácica. As linhas tracejadas indicam os limites do mediastino. Nota: Quando os cortes trans-
versos são vistos inferiormente (de baixo para cima), a face anterior do corpo aparece no topo da ilustração, e o lado esquerdo
do corpo aparece no lado direito da ilustração. Observe que a cavidade do pericárdio circunda o coração e que as cavidades
pleurais circundam os pulmões.
O mediastino é a região anatômica medial aos pulmões, que se estende do esterno até a coluna vertebral e da primeira
costela até o diafragma.

_Livro_Tortora_CH.indb 17 15/09/16 11:29


18 Corpo humano: fundamentos de anatomia e fisiologia

queia e vários grandes vasos sanguíneos. O diafragma é encontra um espaço potencial que contém uma pequena
um músculo cupuliforme, que possibilita a respiração e quantidade de líquido lubrificante (líquido seroso) entre
separa a cavidade torácica da cavidade abdominopélvica. as duas lâminas. O líquido permite que as vísceras desli-
A cavidade abdominopélvica se estende do diafrag- zem um pouco durante os movimentos, como quando os
ma até a região inguinal. Como o nome indica, está dividi- pulmões se enchem e se esvaziam durante a ventilação.
da em duas partes, embora nenhuma parede as separe (ver A túnica serosa da cavidade pleural é chamada de
Fig. 1.9). A parte superior, a cavidade abdominal, contém pleura. A túnica serosa da cavidade do pericárdio é o peri-
o estômago, baço, fígado, vesícula biliar, intestino delga- cárdio. O peritônio é a túnica serosa da cavidade abdominal.
do e a maior parte do intestino grosso. A parte inferior, Além das já descritas, aprenderemos também sobre
a cavidade pélvica contém a bexiga urinária, porções do outras cavidades do corpo em capítulos posteriores. Essas
intestino grosso e órgãos internos do sistema genital. Os incluem a cavidade oral (boca), que contém a língua e os
órgãos dentro das cavidades torácica e abdominopélvica dentes; a cavidade nasal, no nariz; as cavidades orbitais,
são chamados de vísceras. que contêm os bulbos dos olhos; a cavidade timpânica,
Uma túnica é um tecido flexível delgado que reco- que contém os ossículos da orelha média, e as cavidades
bre, reveste, divide ou une estruturas. Um exemplo é a tú- sinoviais, que são encontradas em articulações livremente
nica bilaminada escorregadia associada com as cavidades móveis e contêm sinóvia.
do corpo que não se abrem diretamente para o exterior,
chamada túnica serosa. Recobre as vísceras dentro das Regiões e quadrantes abdominopélvicos
cavidades torácica e abdominal e também reveste as pare- Para descrever mais precisamente a localização dos
des do tórax e do abdome. As partes de uma túnica serosa vários órgãos abdominais e pélvicos, a cavidade abdo-
são (1) a lâmina parietal, que reveste as paredes das ca- minopélvica pode ser dividida em compartimentos me-
vidades, e (2) a lâmina visceral, que recobre e as vísceras nores. Em um dos métodos, duas linhas horizontais e
dentro das cavidades e adere a elas. Entre as lâminas se duas linhas verticais, como uma grade de jogo-da-velha,

Clavículas

Linhas medioclaviculares Lobo esquerdo


Lobo direito do fígado
do fígado
Direita Esquerda Baço
Vesícula biliar Estômago
Colo transverso do
Hipocôndrio Epigástrio Hipocôndrio intestino grosso
direito esquerdo Colo ascendente
do intestino grosso Colo descendente
Intestino delgado do intestino grosso
Região Região
Região Ceco
lombar lombar
umbilical
direita esquerda Apêndice Bexiga
vermiforme urinária

Região Hipogástrio Região inguinal


inguinal esquerda
direita

(a) Vista anterior mostrando a localização das regiões abdominopélvicas (b) Vista anterior superficial dos órgãos das regiões abdominopélvicas

Em qual região abdominopélvica é encontrado cada um dos seguintes órgãos: a maior parte do fígado, o colo
ascendente, a bexiga urinária e o apêndice?

Figura 1.11 As nove regiões da cavidade abdominopélvica. Os órgãos genitais internos na cavidade pélvica são mostra-
dos nas Figuras 23.1 e 23.6.
A designação de nove regiões é utilizada para estudos anatômicos.

_Livro_Tortora_CH.indb 18 15/09/16 11:29


Capítulo 1 • Organização do corpo humano 19

repartem a cavidade em nove regiões abdominopélvicas


(Fig. 1.11). Os nomes das nove regiões abdominopél-
vicas são hipocôndrio direito, epigástrio, hipocôndrio
esquerdo, região lombar direita, umbilical, região lom-
bar esquerda, inguinal direita, hipogástrio e inguinal
esquerda. Em outro método, uma linha horizontal e ou-
tra vertical atravessando o umbigo, dividem a cavidade
abdominopélvica em quadrantes (Fig. 1.12). Os nomes
dos quadrantes abdominopélvicos são: quadrante supe-
rior direito (QSD), quadrante superior esquerdo (QSE),
quadrante inferior direito (QID) e quadrante inferior Quadrante Quadrante
esquerdo (QIE). A divisão em nove regiões é mais am- superior superior
direito esquerdo
plamente usada para estudos anatômicos, e os quadran- (QSD) (QSE)
tes são mais comumente usados pelos clínicos para des-
crever o local de uma dor abdominopélvica, uma massa
ou outra anormalidade. Quadrante Quadrante
inferior inferior
direito esquerdo
TESTE SUA COMPREENSÃO (QID) (QIE)
14. Quais limites de referência separam as diversas
cavidades do corpo umas das outras?
15. Localize as nove regiões abdominopélvicas e os
quatro quadrantes abdominopélvicos em você Vista anterior mostrando a localização dos quadrantes abdominopélvicos

mesmo e liste alguns órgãos encontrados em Em qual quadrante abdominopélvico seria sentida a
cada um(a) delas. dor decorrente da apendicite (inflamação do
apêndice vermiforme)?
• • •
Figura 1.12 Quadrantes da cavidade abdominopélvica
No Capítulo 2, examinaremos o nível químico de or- (abaixo da linha tracejada). As duas linhas se cruzam em
ganização. Aprenderemos sobre os vários grupos de subs- ângulos retos no umbigo.
tâncias químicas, suas funções e como contribuem para a
A designação quadrante é usada para determinar o
homeostasia. local da dor, uma massa ou alguma outra
anormalidade.

TERMINOLOGIA E CONDIÇÕES MÉDICAS

A maioria dos capítulos deste livro é seguida por um glossá- Epidemiologia A ciência que estuda o porquê, quando e onde
rio de termos médicos básicos, incluindo condições normais e as doenças ocorrem e como são transmitidas em uma po-
patológicas. Devemos nos familiarizar com esses termos, por- pulação humana definida.
que desempenham uma função essencial em seu vocabulário Farmacologia A ciência que lida com os efeitos e o uso dos
médico. fármacos no tratamento da doença.
Algumas dessas condições, bem como as discutidas Geriatria A ciência que lida com os problemas médicos e cui-
no texto, são referidas como locais ou sistêmicas. Uma dados de pessoas idosas.
doença local é a que afeta uma parte ou uma área limitada Patologia A ciência que lida com a natureza, as causas e o
do corpo. Uma doença sistêmica afeta o corpo inteiro ou desenvolvimento de condições anormais e com as altera-
várias partes. ções estruturais e funcionais que as doenças produzem.

_Livro_Tortora_CH.indb 19 15/09/16 11:29


20 Corpo humano: fundamentos de anatomia e fisiologia

REVISÃO DO CAPÍTULO
1.1 Definição de anatomia e fisiologia
1. Anatomia é a ciência da estrutura e das relações entre as estruturas do corpo.
2. Fisiologia é a ciência de como as estruturas do corpo funcionam.

1.2 Níveis de organização e sistemas do corpo


1. O corpo humano consiste em seis níveis de organização: químico, celular, tecidual, de órgãos, de sistemas e de organismo.
2. Células são as unidades estruturais e funcionais básicas de um organismo e as menores unidades vivas no corpo humano.
3. Tecidos consistem em grupos de células e de materiais adjacentes, que trabalham em conjunto para desempenhar uma função
específica.
4. Órgãos geralmente têm formas reconhecíveis, são compostos de dois ou mais tipos de tecidos diferentes e têm funções específicas.
5. Sistemas consistem em órgãos relacionados que têm uma função comum.
6. A Tabela 1.1 introduz os 11 sistemas do corpo humano: tegumento comum, esquelético, muscular, nervoso, endócrino, circu-
latório, linfático, respiratório, digestório, urinário e genital.
7. O organismo humano é uma coleção de sistemas estruturalmente e funcionalmente integrados. Os sistemas do corpo traba-
lham juntos para manter a saúde, proteger contra doenças e permitir a reprodução da espécie.

1.3 Processos vitais


1. Todos os organismos vivos possuem determinadas características que os distinguem das coisas não vivas.
2. Os processos vitais nos seres humanos incluem metabolismo, reatividade, movimento, crescimento, diferenciação e
reprodução.

1.4 Homeostasia: manutenção dos limites


1. A homeostasia é uma condição na qual o ambiente interno do corpo permanece estável, dentro de determinados limites.
2. Uma grande parte do ambiente interno do corpo é de líquido intersticial, que envolve todas as células corporais.
3. A homeostasia é regulada pelos sistemas nervoso e endócrino, atuando em conjunto ou separadamente. O sistema nervoso de-
tecta as alterações corporais e envia impulsos nervosos para manter a homeostasia. O sistema endócrino regula a homeostasia
por meio da secreção de hormônios.
4. As interrupções na homeostasia provêm de estímulos internos e externos e de estresses psicológicos. Quando a interrupção da
homeostasia é branda e temporária, as respostas das células do corpo rapidamente restauram o equilíbrio no ambiente interno.
Se a interrupção for extrema, as tentativas do corpo para restaurar a homeostasia poderão falhar.
5. Um sistema de retroalimentação consiste de três partes: (1) receptores que monitoram alterações em uma condição contro-
lada e enviam informações para (2) um centro de controle que estabelece valores nos quais uma condição controlada deve
ser mantida, avalia as informações que recebe e gera comandos eferentes, quando estes são necessários e (3) efetores que
recebem os impulsos do centro de controle e produzem uma resposta (efeito) que altera a condição controlada.
6. Se uma resposta reverte uma alteração em uma condição controlada, o sistema é chamado de sistema de retroalimentação
negativa. Se uma resposta reforça uma alteração em uma condição controlada, o sistema é referido como sistema de retroa-
limentação positiva.
7. Um exemplo de retroalimentação negativa é o sistema que regula a pressão sanguínea. Se um estímulo faz a pressão sanguínea
(condição controlada) subir, os barorreceptores (células nervosas sensíveis à pressão, os receptores) nos vasos sanguíneos
enviam impulsos para o encéfalo (centro de controle). O encéfalo envia impulsos para o coração (efetor). Como resultado, a
frequência cardíaca diminui (resposta) e a pressão sanguínea volta ao normal (restauração da homeostasia).
8. Um exemplo de retroalimentação positiva ocorre durante o nascimento de um bebê. Quando o trabalho de parto começa, o
colo do útero é distendido (estímulo), e as células nervosas sensíveis ao estiramento, no colo do útero (receptores), enviam
impulsos nervosos para o encéfalo (centro de controle). O encéfalo responde liberando ocitocina, que estimula o útero (efetor)
a se contrair mais vigorosamente (resposta). O movimento do útero distende ainda mais o colo do útero, mais ocitocina é
liberada e, ocorrem, contrações até mesmo mais vigorosas. O ciclo é rompido com o nascimento do bebê.
9. As interrupções na homeostasia – desequilíbrios homeostáticos – conduzem a distúrbios, doenças e até mesmo à morte. Um
distúrbio é qualquer anormalidade de estrutura e/ou função. Doença é um termo mais específico para uma enfermidade, com
um conjunto definido de sinais e sintomas.
10. Sintomas são alterações subjetivas nas funções corporais, que não são aparentes para um observador. Sinais são alterações
objetivas que são observadas e mensuradas.
11. Diagnóstico da doença inclui a identificação de sinais e sintomas, anamnese, exame físico e, algumas vezes, exames
laboratoriais.

1.5 Envelhecimento e homeostasia


1. Envelhecimento produz alterações observáveis na estrutura e na função e aumenta a vulnerabilidade ao estresse e à doença.
2. Alterações associadas ao envelhecimento ocorrem em todos os sistemas do corpo.

_Livro_Tortora_CH.indb 20 15/09/16 11:29


Capítulo 1 • Organização do corpo humano 21

1.6 Termos anatômicos


1. Descrições de qualquer região do corpo assumem que o corpo está na posição anatômica, em que a pessoa está de pé, ereto,
de frente para o observador, com a cabeça nivelada e os olhos voltados para frente. Os pés estão apoiados no chão e dirigidos
para frente, e os braços estão ao lado do corpo, com as palmas voltadas para frente.
2. O corpo humano é dividido em diversas regiões principais: cabeça, pescoço, tronco, membros superiores e membros
inferiores.
3. Nas regiões do corpo, as partes específicas têm denominações comuns e nomenclaturas anatômicas correspondentes. Os
exemplos são: tórax (torácico), nariz (nasal) e carpo/pulso (carpal).
4. Os termos direcionais indicam a relação de uma parte do corpo com outra. O Quadro 1.1 resume os termos direcionais comu-
mente usados.
5. Planos são superfícies planas imaginárias que dividem o corpo ou os órgãos em duas partes. Um plano sagital mediano
divide o corpo ou um órgão em lados direito e esquerdo iguais. Um plano sagital paramediano divide o corpo ou um órgão
em lados direito e esquerdo desiguais. Um plano frontal divide o corpo ou um órgão em partes anterior e posterior. Um plano
transverso divide o corpo ou um órgão em partes superior e inferior. Um plano oblíquo atravessa o corpo ou um órgão em
ângulo entre um plano transverso e um plano sagital ou entre um plano transverso e um plano frontal.
6. As secções resultam de cortes através das estruturas corporais. São nomeadas de acordo com o plano no qual o corte é feito:
transversa, frontal ou sagital.

1.7 Cavidades do corpo


1. Os espaços no corpo que contêm, protegem, separam e sustentam os órgãos internos são chamados de cavidades do corpo.
2. A cavidade do crânio contém o encéfalo, e o canal vertebral contém a medula espinal.
3. A cavidade torácica é subdividida em três cavidades menores: cavidade do pericárdio, que contém o coração, e duas cavi-
dades pleurais, cada qual contendo um pulmão.
4. A parte central da cavidade torácica é o mediastino. Está localizado entre os pulmões e se estende do esterno até a coluna
vertebral e do pescoço até o diafragma. Contém todos os órgãos torácicos, exceto os pulmões.
5. A cavidade abdominopélvica é separada da cavidade torácica pelo diafragma e é dividida em uma cavidade abdominal,
superior, e uma cavidade pélvica, inferior.
6. Os órgãos nas cavidades torácica e abdominopélvica são chamados de vísceras. As vísceras da cavidade abdominal incluem o
estômago, baço, fígado, vesícula biliar, intestino delgado e a maior parte do intestino grosso. As vísceras da cavidade pélvica
incluem a bexiga urinária, partes do intestino grosso e os órgãos internos do sistema genital.
7. Para descrever facilmente a localização dos órgãos, a cavidade abdominopélvica pode ser dividida em nove regiões abdomi-
nopélvicas, por meio de duas linhas horizontais e duas verticais. As denominações das nove regiões abdominopélvicas são:
hipocôndrio direito, epigástrio, hipocôndrio esquerdo, região lombar direita, região umbilical, região lombar esquerda, região
inguinal direita, hipogástrio e região inguinal esquerda.
8. A cavidade abdominopélvica também pode ser dividida em quadrantes, passando-se uma linha horizontal e uma linha ver-
tical pelo umbigo. As denominações dos quadrantes abdominopélvicos são: quadrante superior direito (QSD), quadrante
superior esquerdo (QSE), quandrante inferior direito (QID) e quadrante inferior esquerdo (QIE).

APLICAÇÕES DO PENSAMENTO CRÍTICO

1. Júlia estava tentando quebrar o recorde de maior perma- 3. Guy estava tentando impressionar Jéssica com uma história
nência de cabeça para baixo nas barras paralelas no pátio sobre a sua última partida de futebol . “O treinador disse que
durante o recreio. Ela não conseguiu e pode ter quebrado eu sofri uma lesão caudal à região sural dorsal em minha
o braço. O técnico da sala de emergência gostaria de uma região inguinal.” Jéssica respondeu, “Eu acho que você ou o
radiografia do braço de Júlia na posição anatômica. Use os seu treinador sofreu uma lesão encefálica.” Por que Jéssica
termos anatômicos apropriados para descrever a posição do não ficou impressionada pela proeza atlética de Guy?
braço de Júlia na radiografia. 4. Existe um espelho especial em um parque de diversões, que
2. Você está trabalhando em um laboratório e acha que pode esconde metade do seu corpo e duplica a imagem da sua
estar observando um novo organismo. Que nível mínimo de outra metade. No espelho, você realiza proezas incríveis,
organização estrutural você precisaria observar? Quais são como elevar ambas as pernas do chão. Ao longo de qual
algumas das características que você precisaria observar plano o espelho está dividindo o corpo? Um espelho di-
para assegurar que é um organismo vivo? ferente, na próxima sala, mostra seu reflexo com duas ca-
beças, quatro braços e nenhuma perna. Ao longo de qual
plano este espelho está dividindo o corpo?

_Livro_Tortora_CH.indb 21 15/09/16 11:29


22 Corpo humano: fundamentos de anatomia e fisiologia

RESPOSTAS ÀS QUESTÕES DAS FIGURAS

1.1 Órgãos têm uma forma reconhecível e consistem em dois 1.7 O plano frontal divide o coração em partes anterior e
ou mais tipos diferentes de tecidos que têm uma função posterior.
específica. 1.8 O plano sagital mediano divide o encéfalo em lados
1.2 A diferença básica entre os sistemas de retroalimentação iguais direito e esquerdo.
negativa e positiva é que, nos sistemas de retroalimen- 1.9 Bexiga urinária ⫽ P, estômago ⫽ A, coração ⫽ T, intesti-
tação negativa, a resposta se contrapõe a uma alteração no delgado ⫽ A, pulmões ⫽ T, órgãos genitais femininos
em uma condição controlada; e nos sistemas de retroali- internos ⫽ P, timo ⫽ T, baço ⫽ A, fígado ⫽ A.
mentação positiva, a resposta reforça a alteração em uma
1.10 Algumas estruturas no mediastino incluem o coração,
condição controlada.
esôfago e aorta.
1.3 Se um estímulo provocou a diminuição da pressão sanguí-
1.11 O fígado se situa principalmente no epigástrio; o colo as-
nea, a frequência cardíaca deveria aumentar, em virtude
cendente na região lombar direita; a bexiga urinária no
da operação deste sistema de retroalimentação negativa.
hipogástrio; o apêndice na região inguinal direita.
1.4 Como os sistemas de retroalimentação positiva intensi-
1.12 A dor associada à apendicite seria sentida no quadrante
ficam continuamente ou reforçam o estímulo original, é
inferior direito (QID).
necessário algum mecanismo para terminar a resposta.
1.5 Uma verruga plantar é encontrada na planta do pé.
1.6 Não, o rádio é distal ao úmero. Não, o esôfago é posterior
à traqueia? Sim, as costelas são superficiais aos pulmões.
Não, os colos ascendente e descendente são contralate-
rais. Não, o esterno é medial ao colo descendente.

_Livro_Tortora_CH.indb 22 15/09/16 11:29

Você também pode gostar