Você está na página 1de 5

ATIVIDADEAVALIATIVA 4 - ASSÍNCRONA - AULA DO DIA: 12/03/2021

Disciplina: Pesquisa e construção do conhecimento

Turma: 6° p - noturno

Alunas: Gabriela Sousa Belchior - Isabella Fernandes Longatti - Larissa Ester Neves

A atividade deverá ser enviada para o e-mail evaldo.santana@uemg.br, podendo ser feita
em dupla, ou trio todavia, preferencialmente individual.

Prazo para postagem: do dia 19/03 até o dia 23/03/2021

Tema em estudo: “A pesquisa etnográfica na educação”

“A etnografia na área da educação, mais do que observar uma cultura, busca realizar a descrição
dos sujeitos, como forma de reconhecimento de suas práticas.” (SABIRÓN, 2001)

Proposta de trabalho

1) Nesse sentido, cite exemplos de tipos de fenômenos que podem ser investigados,
utilizando a metodologia etnográfica na educação, segundo o que se pede nos enunciados:

Obs: explique de forma breve em cada item, os fenômenos ou ocorrências apresentadas.

1.1 - 2 fenômenos educativos e ocorrências que acontecem nos espaços escolares e que
solicitam compreensão e interpretação mediante imersão na cultura local.

Variação linguística: Os alunos da zona rural, lugares periféricos, entre outros, quando inseridos
nas escolas sofrem preconceito linguístico devido à tentativa da imposição de um padrão “culto”
do idioma por parte da elite econômica e intelectual, que considera como erro as formas de falar
que diferem desse modelo “padrão”. Isso ocorre pelo fato de os alunos carregarem consigo sua
cultura local.

Racismo: Os negros já sofrem discriminação por serem padronizados como “bandidos, pobres
ou inferiores aos brancos”. Quando inseridos em uma rede educacional particular esse fato se
sobressai, diante uma sociedade capitalista onde a população negra sofre com a falta de
oportunidades.
1.2 - 2 exemplos de investigações que podem ser observadas e que se relacionam as turmas
e as escolas como entidades culturais autônomas e diferenciadas.

Infraestrutura escolar: Se torna importante considerar que a infraestrutura não representa


apenas recursos físicos disponíveis para o aluno, mas também como forma de proporcionar mais
qualidade de ensino e atrair a atenção dos estudantes. Os métodos pedagógicos são essenciais
para garantir um bom aproveitamento, visto que a falta de recursos econômicos contribui para o
desinteresse dos alunos e seu baixo rendimento.

Fracasso escolar: O baixo desempenho do aluno no processo de aprendizagem não pode ser
explicado por uma única causa, trata-se de um conjunto de fatores influentes. Podemos ressaltar
características individuais do estudante, como: o nível motivacional, apoio familiar, crenças e
problemas de aprendizagem. Os métodos de ensino dos professores e sua preparação também
podem ocasionar o fracasso escolar.

1.3 - 2 tipos de investigações que incidem sobre relações entre escola e comunidade
envolvente e que implicam observação participante.

Formação de projetos que inclua a comunidade: Em busca de assistência, participação e


parceria, a escola e a comunidade devem desenvolver projetos sociais, como forma de planejar e
realizar ações que busquem transformar positivamente a realidade de uma instituição de ensino e
da comunidade. Os projetos possuem o objetivo de oferecer oportunidades de integração entre o
ambiente escolar e a população, em busca de uma melhoria de vida se atentando as necessidades
de todos.

Cursos profissionalizantes: A escola deve oferecer uma formação profissionalizante com o


intuito de proporcionar aos estudantes conhecimentos de várias competências aplicáveis no
mercado de trabalho. Assim, eles se tornam aptos a desempenhar mais de uma função,
auxiliando no desenvolvimento de suas habilidades práticas que dificilmente são obtidas em uma
sala de aula tradicional, formando assim um profissional especializado em resolver problemas e
encontrar soluções com agilidade.

2) Segundo os estudos realizados sobre o tema, seria aconselhável para o pesquisador que
também é educador, permitir que suas experiências pedagógicas interfiram em seus
momentos de observação participante? Justifique sua resposta.

Sim, o professor/pesquisador deve ser um observador participante, assim ele será capaz de trazer
sua experiência de campo para sua prática de ensino buscando ampliar os horizontes dos alunos,
dessa forma, a experiência muda do singular para o plural produzindo momentos de debate,
leitura e reflexão. Na ausência dessa interferência, a compreensão das teorias é relativamente
reduzida, o que impede a construção de caminhos intelectuais dos alunos.

3) Quais os principais critérios a serem seguidos para que uma observação participante
possa ter êxito nas pesquisas em educação?

André (2007, p.129) determinou critérios para se tornar válido os estudos “do tipo etnográfico”,
demonstrando preocupação com a demasia de singularidade que as pesquisas de observação
possam vir a manifestar, citando:

1. O papel da teoria na construção das categorias;

2. Respeito aos princípios da etnografia, como a relativização (centrar-se na perspectivado


outro), o estranhamento (esforço delibera do de análise do familiar como se fosse estranho) e a
centralidade do conceito de cultura;

3. Trabalho de campo apoiado em observação planejada e em registros bem elaborados;

4. Uso da triangulação;

5. Articulação entre o particular e o geral, entre o micro e o macro social.

Para expressar sua preocupação com os métodos, Green et al. (2005, p.107) citaram vários
conjuntos de padrões de apoio à pesquisa etnográfica na educação antropológica, entre eles:

1) Observações contextualizadas como relevantes tanto no espaço quanto para fora


do contexto;

2) Hipóteses emergem in situ possibilidade de rever o problema ou suas partes;

3) Observações prolongadas e repetitivas incluindo a cadeia de eventos;


4) Visão êmica (entrevistas e outros meios);
5) Conhecimentos culturais de domínio dos participantes informantes de forma sistemática;
6) Instrumentos, códigos, cronogramas, questionários, agendas para entrevistas produzidos no
local;
7) Perspectiva comparativa transcultural, variação cultural ao longo do tempo e nos diferentes
espaços são consideradas resultantes das condições humanas (características comuns e
diferenciadas);
8) Tornar explícito aquilo que está implícito ou tácito;
9) As questões das entrevistas devem permitir a manifestação da emoção (e não sugerir
respostas);
10) Utilização de instrumentos que permitam a coleta de da- dos vivos: câmeras, gravadores e
instrumentos de campo.
4) Qual sentido (valor) o “discurso oral ou escrito” obtido junto aos sujeitos (agentes)
pesquisados ocupam dentro da elaboração de uma pesquisa etnográfica na educação?

Segundo o artigo denominado "A atitude etnográfica na sala de aula: descolonizando os


processos de ensino" do autor PIMENTEL (2014), o discurso oral ou escrito destaca:

[...] a descrição articulada uma exposição didática para fins de explanações teóricas, é
um ato de oralidade ou de escrita que indica a inscrição do trabalho etnográfico em
outras esferas de inserção. É através do texto escrito
e falado que a experiência pessoal do etnógrafo torna-se visível (audível) para outras
pessoas. (PIMENTEL, Álamo. 2014. p. 57)

No entanto, o valor do discurso oral ou escrito é dado pela explicação da experiência pessoal do
etnográfico, seja na forma escrita ou oral, aproximando os resultados dos leitores e ouvintes.
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

PIMENTEL, Álamo. A atitude etnográfica na sala de aula: descolonizando os processos de


ensino. REALIS, v. 4, n. 2, p. 49-71, jul./dez. 2014.
SCHEFER, M. C.; KNIJNIK, G. Construindo uma pesquisa do “tipo etnográfico” na
educação. Principia (João Pessoa). v. 28, p. 104-110, issn: 1517-0306, 2015.

Você também pode gostar