Você está na página 1de 103

24/02/2022

SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES

Elementos básicos do Sistema

três elementos: o transmissor, o canal e o receptor


mensagem Mensagem
estimada

Fonte da Usuário da
Transmissor Receptor informação
informação.

Sinal Canal Sinal


transmitido recebido

1. atenuação do sinal,
2. distorção da forma do sinal,
3. adição de ruído,
LINK VOLTA 21
24/02/2022 1 24/02/2022 2

1 2
24/02/2022

SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES

O uso da comunicação é o principal


alicerce para a evolução da
civilização humana.

Escola Superior de Tecnologia – EST Quanto mais complexa é uma


Curso de Engenharia sociedade, mais informações
circulam entre seus membros.

24/02/2022 Manaus – AM 3 24/02/2022 4

3 4
24/02/2022

SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES


I ntrodução – Redes com Comutação por Pacotes
CONVERGÊNCIA HOJE I ntrodução
Telecomunicação significa comunicação à distância.
RI/Tarifação Sinalização

Os sistemas de telecomunicações estão presentes em várias ações do

Rede de Acesso
FTTH

nosso dia a dia.


Por exemplo, quando mantemos uma conversa telefônica, quando
PLC assistimos a um filme na televisão, quando ouvimos uma música no
Telefonia Básica
Rede de Transporte Cabo
rádio, quando enviamos um e-mail para alguém ou quando tiramos
Redes Legadas Gateway
IP/ATM um extrato em um terminal de automação bancária estamos
utilizando um sistema de telecomunicações.
Gateway Em um momento em que a informação é tida como o bem mais
precioso da humanidade, as telecomunicações adquirem um
Telefonia Celular
Wireless papel fundamental nos mais diversos aspectos: sociais,
econômicos e políticos.
ADSL
INTERNET TelefoniaN
Gerência de Rede GN

24/02/2022 5 24/02/2022 6

5 6
24/02/2022

SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES


I ntrodução
I ntrodução
As telecomunicações modernas (que não incluem comunicação por
• Telecomunicação significa comunicação meio de sinais visuais) tiveram início em 1844 com a primeira
à distância. transmissão telegráfica. Até o final da década de 60 ,embora a
evolução ocorrida tenha sido muito grande, a ideia de
• Qualquer sistema em que se estabeleça um Telecomunicações se resumia a falar ao telefone, assistir a um
processo de comunicação entre um programa de TV ou ouvir um programa no rádio. A partir de 1970, o
transmissor e um ou mais receptores pode ser processo evolutivo passou a ser bem mais rápido e hoje as
telecomunicações vão muito além da telefonia.
denominado de sistema de telecomunicações.
A partir de 1970, o processo evolutivo passou a ser bem mais rápido
– Conversa telefônica e hoje as telecomunicações vão muito além da telefonia. Por
– Envio de e-mail exemplo, hoje se pode acessar qualquer tipo de informação, por
meio da Internet, utilizando um computador pessoal ou mesmo um
– Transação de automação bancária telefone celular. As chamadas telefônicas podem conter sinal de
– Televisão e rádio vídeo, permitindo que se visualize a pessoa com quem se está
24/02/2022 7
conversando.
24/02/2022
As transmissões de TV estão em sistemas digitais em8
Manaus – AM 2019
alta definição.
7 8
24/02/2022

SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES


I ntrodução I ntrodução
O mundo ficou ao alcance de um clique no computador e as Para acompanhar esta revolução, as redes de telecomunicações
limitações de distância deixaram de existir para uma série de coisas. evoluíram significativamente e terão de continuar a evoluir, de modo
O processo de evolução continua ocorrendo com taxas a acomodar as novas aplicações e o grande volume de tráfego
Estratosféricas, Internet das Coisas - IoT X 5G. decorrente das mesmas.
Em breve será possível assistir a uma aula dada por um professor As redes que antes eram dedicadas a um determinado tipo de
distante milhares de quilômetros, assistindo à sua imagem serviço, como as redes telefônicas e as redes de distribuição de sinais
holográfica tridimensional. de TV, agora passam a ser multiserviços e multimídias.
No futuro, o que se espera é que o serviço seja completamente
independente da rede e do prestador de serviço de
telecomunicações

24/02/2022 9 24/02/2022 10

9 10
24/02/2022

SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES


I ntrodução I ntrodução
As telecomunicações podem envolver usuários humanos ou podem ser No Brasil as telecomunicações se divide em basicamente dois
feitas diretamente entre computadores ou outras máquinas.
tipos de serviços;
Assim, uma conversa telefônica é um exemplo de telecomunicações, mas
Serviços de Telecomunicações – Telefonia Fixa, Telefonia
a transmissão de informações de sensores meteorológicos para um
computador também é um exemplo de telecomunicações, uma vez que Móvel, Comunicação Multimídia, TV por assinatura, etc.
envolve troca de informações. Serviços de Radiodifusão – Radio FM, TV Digital, Repetidora
De fato, há uma tendência detectada, a ser vista posteriormente, de que de TV, etc
no futuro a Internet (à qual todos estamos acostumados) vá se transformar

em uma rede para interconexão de coisas, mais do que de pessoas.

24/02/2022 11 24/02/2022 12

11 12
24/02/2022

BREVE HISTORICOS DAS TELECOMUNICAÇÕES BREVE HISTORICOS DAS TELECOMUNICAÇÕES

24/02/2022 13 24/02/2022 14

13 14
24/02/2022

BREVE HISTORICOS DAS TELECOMUNICAÇÕES BREVE HISTORICOS DAS TELECOMUNICAÇÕES

24/02/2022 15 24/02/2022 16

15 16
24/02/2022

BREVE HISTORICOS DAS TELECOMUNICAÇÕES BREVE HISTORICOS DAS TELECOMUNICAÇÕES

24/02/2022 17 24/02/2022 18

17 18
24/02/2022

BREVE HISTORICOS DAS TELECOMUNICAÇÕES Evolução da transmissão Sem Fio

24/02/2022 19 24/02/2022 20
Rochol, Juergen, Careli César. Sistemasde comunicação sem fio. ED. Bookman Porto alegre, 2018.

19 20
24/02/2022

Evolução da transmissão Sem Fio Pe. Landell de Moura

24/02/2022 21 24/02/2022 22
Rochol, Juergen, Careli César. Sistemasde comunicação sem fio. ED. Bookman Porto alegre, 2018.

21 22
24/02/2022

Evolução dos Sistemas de Telecomunicações Evolução dos Sistemas de Telecomunicações

DOS FATOS
DOS FATOS
Anos 60: surgimento do processamento de dados com os mainframes da IBM e a
Telecomunicações: início verdadeiro em 1844 com a transmissão de arquitetura SNA (Synchronous Network Architecture - protocolos BSC, HDLC);
mensagens via código morse – nascia a telegrafia;
Primeiro satélite mundial de telecomunicações (Telstar);
Final século 19: surgimento da telefonia, rede de telecomunicações que atingiu
grandes distâncias e rápida popularização; Guerra Fria – existia no mundo o temor da aniquilação de uma guerra nuclear.

A expansão da rede telefônica obrigou a evolução da tecnologia de centrais O Departamento de Defesa e a Agência de Desenvolvimento de Projetos
manuais para as centrais automáticas. Avançados (ARPA), nos EUA, idealizam uma rede de computadores imune a
sabotagem. O protocolo utilizado era o IP.
1922: Primeira central telefônica automática entrou em funcionamento no Brasil;
1965: Rede de microondas interliga todos os Estados do Brasil;
A rede telefônica continua a sua expansão sempre baseada nos canais de voz
analógicos de 4kHz; ANOS 70 : A interligação de várias redes através de um backbone constituiu a
ARPAnet, embrião da Internet moderna.
1950: início das transmissões comerciais de TV no Brasil (Primeira Emissora TV
Tupi); Grande demanda para a interligação dos computadores, cada vez mais numerosos
e poderosos;
Definição do padrão de rede Ethernet (padrão publicado em 1980);
24/02/2022 23 24/02/2022 24

23 24
24/02/2022

Evolução dos Sistemas de Telecomunicações Evolução dos Sistemas de Telecomunicações

DOS FATOS DOS FATOS


1988: Surgem as primeiras recomendações no UIT a respeito da Rede Digital de
Anos 80: A diversidade de protocolos de comunicação e interfaces exige um
Serviços Integrados;
esforço de padronização mundial;
O protocolo Frame Relay foi especificado para a Faixa Estreita, enquanto o ATM
Meios de transmissão de baixa velocidade e com alta taxa de erros;
(Asyncrhonous Transfer Mode) para a Faixa Larga;
Crescimento das redes de comunicação de dados por pacotes (X25; Orientada a
Padronização de uma rede óptica de alta velocidade e confiabilidade (SDH -
conexão por pacote);
Synchronous Optical Network);
1982: telefonia - instalada a primeira central CPA (central com controle por
Anos 90: Grande evolução dos meios de transmissão e da tecnologia de
programa armazenado) da América Latina;
processamento digital de sinais, bem como dos processadores e nanotecnologia;
Digitalização do sistema telefônico (canais digitais a 64kbps);
Evolução das redes Ethernet: Fast Ethernet e Gigabit Ethernet;
1984: Estudos para a construção de uma rede convergente se iniciam no UIT;
1990: Início Comercial da Telefonia Móvel Celular no Brasil; Começa a sede por
1987: devido ao aumento exponencial na utilização da NSFNet (evolução da mobilidade.
ARPANet), foi feita uma reforma na infra-estrutura e surgiu a Internet moderna;
1992: Internet chega ao Brasil (UFRJ / Fapesp);
1988/9: início da TV por assinatura no Brasil;
1993: implantação definitiva do sistema terrestre de fibras ópticas no Brasil;

24/02/2022 25 24/02/2022 26

25 26
24/02/2022

Evolução dos Sistemas de Telecomunicações Evolução dos Sistemas de Telecomunicações

ENTENDENDO A CONVERGÊNCIA
DOS FATOS
1995: implantação da Internet Comercial no Brasil; A cada novo serviço, surgia uma nova rede para atendê-lo
Difusão da grande rede mundial de computadores INTERNET cria demanda por
novos serviços;
2000: crescimento dos acessos de Banda Larga para conexão à Internet: ADSL, Superposição de Recursos (Redes de Acesso e Transporte)
Cable Modem (redes HFC);
Disponibilidade da tecnologia DWDM para as redes ópticas;
2005: Disseminação de redes de transporte de alta velocidade baseadas no A interligação de TUDO seria muito cara e confusa!
protocolo IP / disseminação de VoFR/VoIP no ambiente corporativo e VoIP na
Internet;
O avanço na tecnologia de software dos roteadores permite a criação de uma
REDE CONVERGENTE BASEADA NO IP. SOLUÇÃO: Construir uma nova rede DIGITAL, abrangente e
Atualidade: REDES CONVERGENTES, REDES NGN (Next Generation Network), CONVERGENTE!
Triple-Play, IPTV, Banda Larga Pessoal.
Contínua evolução das redes sem fio: WiFi, 3G,4G, WiMax.
24/02/2022 27

27 28
24/02/2022

Evolução dos Sistemas de Telecomunicações Evolução dos Sistemas de Telecomunicações

ENTENDENDO A CONVERGÊNCIA CARACTERÍSTICAS DAS MÍDIAS

Rota Rota Atraso Variação Banda Tráfego Tráfego em


Não definida definida no atraso necessária constante rajadas
Telefonia
Móvel

TV Telefonia  Sensível Sensível Baixa  


Telefonia
assinatura
Internet  Insensível Insensível Média 

Vídeo  Sensível Sensível Alta  

Dados Vídeo

24/02/2022 29 24/02/2022 30

29 30
24/02/2022

SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES F(w). F(w)


. Evolução dos Sistemas de Telecomunicações
Largura do Sinal Largura do Sinal
Qual a Quantidade
de Informação que
posso transmitir?

VOZ DADOS IMAGEM Tamanho da


Informação
Informação Informação Informação
(f)

CANAL
CANAL
Sinal Elétrico – Sinal Elétrico – Sinal Elétrico

Rede de Acesso
Capacidade
do Canal
Rede de Transporte
Via Cabo

Via Rádio
f1 2f1 3f1 nf1 f1 2f1 3f1 nf1
24/02/2022 31 24/02/2022 32

31 32
24/02/2022

F(w). F(w) F(w) F(w)


Evolução dos Sistemas de Telecomunicações . Evolução dos Sistemas de Telecomunicações
Largura do Sinal
Largura do Sinal Largura do Sinal Largura do Sinal

(f) (f)
f1 2f1 3f1 nf1 2f1 3f1
CANAL CANAL
CANAL CANAL

f1 2f1 3f1 nf1 f1 2f1 3f1 nf1

f1 2f1 3f1 nf1 f1 2f1 3f1 nf134


24/02/2022 33 24/02/2022

33 34
24/02/2022

Evolução dos Sistemas de Telecomunicações Evolução dos Sistemas de Telecomunicações


Sinal Digital

TECNOLOGIAS DE COMUTAÇÃO
9 bps
Hz

64 Kbps
Hz

256 Kbps
Hz
1 segundo

24/02/2022 35 24/02/2022 36

35 36
24/02/2022

Evolução dos Sistemas de Telecomunicações Evolução dos Sistemas de Telecomunicações


COMUTAÇÃO DE CIRCUITOS
COMUTAÇÃO DE CIRCUITOS Rede Telefônica
Rede Telefônica / Dados Ponto-a-Ponto Rede Local Rede Local
Para outros Países

CPCT RI Central
Internacional Central
-Baseada nos canais digitais de 64kbps – TDM; Local
Central
-Herança dos canais analógicos das primeiras redes Local

telefônicas (4kHz); Central Central Central Central


Tandem Interurbana Interurbana Tandem
- Recursos dedicados durante a conexão; Transito Transito
ERB

- Atende a todo tipo de serviço, mas é ineficiente para ERB Central de


CPCT Comutação
e Controle
tráfego em rajadas (dados); Central de
Comutação
e Controle
Rede Interurbana

24/02/2022 37 24/02/2022 38

37 38
24/02/2022

Evolução dos Sistemas de Telecomunicações Evolução dos Sistemas de Telecomunicações

COMUTAÇÃO DE PACOTES - Geração 1 COMUTAÇÃO DE PACOTES - Geração 1


Principal exemplo : Redes X25 Principal exemplo : Redes X25
-Informação é segmentada em pacotes.
- Circuitos virtuais; INFORMAÇÃO

- Eficiente para dados (tráfego em rajadas) e ruim voz / vídeo;


IN FOR MA ÇÃO
- Ineficiente para transmissão de dados a altas velocidades (Limite
2Mbps) devido às complexas funções de controle feitas pela rede,
IMPRESCINDÍVEIS NOS ANOS 70/80.
IN FOR MA ÇÃO

Cabeçalho
Transmissão
Renpac, MinasPAC,
SPPac

24/02/2022 39 24/02/2022 40

39 40
24/02/2022

Evolução dos Sistemas de Telecomunicações Evolução dos Sistemas de Telecomunicações


COMUTAÇÃO DE PACOTES - Geração 2
COMUTAÇÃO DE PACOTES - Geração 1
Principal exemplo : Frame Relay
Principal exemplo : Redes X25 - Conexões simétricas e assimétricas;
- Circuitos Virtuais;
Modem
- Taxas de transmissão podem atingir até 45Mbps;
- Eficiente para dados e ruim para voz/vídeo;
- Controle mínimo efetuado pelos comutadores da rede, devido ao
Modem
crescente avanço na qualidade do meio de transmissão e evolução do
software/hardware nos anos 90.
Usuário A Usuário B

24/02/2022 41 24/02/2022 42

41 42
24/02/2022

Evolução dos Sistemas de Telecomunicações Evolução dos Sistemas de Telecomunicações


COMUTAÇÃO DE PACOTES - Geração 2 COMUTAÇÃO DE PACOTES - Geração 3 – Cell Relay
Principal exemplo : Frame Relay Redes ATM
Usuário A -Tecnologia idealizada na UIT que transporta células pequenas
e de tamanho fixo;
-Conexões simétricas e assimétricas;
- fazer uso de uma rede óptica de alta qualidade;
- Circuitos Virtuais;

Usuário B - Eficiente para dados, voz e vídeo: rede convergente com QoS
(Qualidade de Serviço).
A REDE ATM SERIA UTILIZADA PARA TODOS OS SERVIÇOS EM
LARGA ESCALA, DESDE REDES LOCAIS ÀS REDES DE LONGA
Gerência DISTÂNCIA.
de Rede

24/02/2022 43 24/02/2022 44

43 44
24/02/2022

Evolução dos Sistemas de Telecomunicações Evolução dos Sistemas de Telecomunicações


COMUTAÇÃO DE PACOTES – Geração 3
Rede Convergente - UIT A CÉLULA ATM

24/02/2022 45 24/02/2022 46

45 46
24/02/2022

Evolução dos Sistemas de Telecomunicações Evolução dos Sistemas de Telecomunicações


COMUTAÇÃO DE PACOTES - Geração 3 – Cell Relay COMUTAÇÃO DE PACOTES
Enquanto isso, no mercado...
Redes ATM
Usuário A
O ambiente tecnológico ficou favorável ao protocolo IP

Meios de Transmissão extremamente confiáveis

Avanço sem precedentes na Capacidade de Processamento


e desenvolvimento de software

Gerência Sucesso das redes IP !


de Rede

24/02/2022 47 24/02/2022 48

47 48
24/02/2022

Evolução dos Sistemas de Telecomunicações Evolução dos Sistemas de Telecomunicações


Comutação de Pacotes - Arquitetura IP Comutação de Pacotes - Arquitetura IP
 Tecnologia utilizada para o transporte de datagramas IP, utilizando qualquer infra-
estrutura de rede já existente.
Usuário A
 Amplamente disseminada com o crescimento explosivo e bem sucedido da
INTERNET.
 Protocolos de padrão aberto padronizados pelo IETF;
 Eficiente para dados, mas ruim para voz/vídeo; NO ENTANTO...

Usuário B

 O desenvolvimento do Processamento Digital de Sinais e do software dos


roteadores, permitiram que a rede IP começasse a trabalhar com aplicações de voz e
vídeo.

24/02/2022 49 24/02/2022 50

49 50
24/02/2022

Evolução dos Sistemas de Telecomunicações Evolução dos Sistemas de Telecomunicações


Comutação de Pacotes - Arquitetura IP CONVERGÊNCIA HOJE
MPLS (Multiprotocol Label Switching)
A tendência nos sistemas de comunicações mundiais é a
convergência das redes tradicionais de telefonia, dados e
 Melhorar a arquitetura original do TCP/IP;
wireless para uma única infra-estrutura de transmissão em
 Integração do IP com o ATM, aproveitando qualidades desta pacotes, com interfaces abertas, utilizando o protocolo IP.
plataforma como roteamento rápido e eficiente;
 No backbone de todas as operadoras, o MPLS já tem sido
A exploração plena desta tecnologia de ponta permite a oferta,
amplamente utilizado;
pelas Operadoras, de serviços sofisticados com redução das
 Hoje, a tecnologia ATM continua existindo no núcleo das redes despesas de investimentos e custos de operação.
de telecomunicações, servindo de suporte às redes IP que
conquistaram a mente e o coração dos usuários.

24/02/2022 51 24/02/2022 52

51 52
24/02/2022

Evolução dos Sistemas de Telecomunicações Evolução dos Sistemas de Telecomunicações


CONVERGÊNCIA HOJE CONVERGÊNCIA HOJE
RI/Tarifação
Sinalização

Rede de Acesso
FTTH Comércio homepages
eletrônico foruns
Jogos online YouTube
skype email
fotolog BLOGS orkut
Vídeo sob Demanda IPTV
PLC
VOD Interatividade
Rede de Transporte plena
Gateway
Cabo ?????
IP/ATM

Banda Larga
Pessoal ?????
Gateway

Telefonia Celular
Wireless
ADSL
INTERNET Telefonia
Gerência de Rede NGN

24/02/2022 53 24/02/2022 54

53 54
24/02/2022

Evolução dos Sistemas de Telecomunicações Evolução dos Sistemas de Telecomunicações


Desafios
Evolução contínua na Rede de Acesso TECNOLOGIA

VÍDEO
ADSL (Asymetric Digital Subscriber Line)
VOZ
Cable Modem (Redes HFC) convergência
DADOS

WLAN (WiFi)
REGULAMENTAÇÃO
PLC (Power Line Communications)
WiMax VÍDEO Lei do Cabo

FTTH (Fiber to the Home) VOZ STFC - Público


Móvel / DIVERGÊNCIA
SMP/SCM -
DADOS
Privados
24/02/2022 55 24/02/2022 56

55 56
24/02/2022

Evolução dos Sistemas de Telecomunicações Evolução dos Sistemas de Telecomunicações


Desafios Desafios
Convergência Regulamento do STFC

VoIP: algoritmos de
compactação => taxas de 9 a 32
kbps;
Processos de Telefonia: A criação/manutenção de obstáculos ao acesso de
Comunicação entre pontos fixos; grande parte da população à rede convergente e
Qualidade inferior, mas
geralmente aceitável 3,1 kHz para voz ou ATÉ 64kbps multiserviços aumentaria o potencial de desigualdade
Novos serviços em teste (IPTV)
e exclusão que há muito tempo dificulta o
desenvolvimento da sociedade brasileira.
Serviços DSL que utilizam a
infra-estrutura de telefonia

Agregar mais funcionalidades ao STFC? Ampliação da oferta e cobertura do Serviço Móvel:

Remodelar o Regime Público? 4G e no futuro próximo com 5G.

24/02/2022 57 24/02/2022 58

57 58
24/02/2022

Evolução dos Sistemas de Telecomunicações SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES


Processos envolvidos nas telecomunicações

Basicamente, telecomunicações envolvem transmissão de informação de um


ponto a outro por meio de uma sucessão de processos, tais como: [HAYKIN,2001]

• A geração da mensagem: voz, imagem, vídeo, dados, etc

• A descrição da mensagem, com boa precisão, por um


conjunto de símbolos, por exemplo, elétricos.

• A codificação desses símbolos em uma forma adequada


ao meio de transmissão de interesse.

• A transmissão dos símbolos codificados para o destino


desejado.

• A decodificação e reprodução dos símbolos originais.

• A recriação da mensagem original, com um grau de


degradação na qualidade, devido às imperfeições do
24/02/2022 59 sistema, limitado a um valor definido.
24/02/2022 Manaus – AM 2019
60

59 60
24/02/2022

SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES

Elementos básicos do Sistema Elementos básicos do Sistema

três elementos: o transmissor, o canal e o receptor


mensagem Mensagem
estimada

Fonte da Usuário da
Transmissor Receptor
informação. informação

Sinal Canal Sinal


transmitido recebido

três elementos: o transmissor, o canal e o receptor

24/02/2022 61 24/02/2022 62

61 62
24/02/2022

F(w).
.
F(w) SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES
Largura do Sinal Largura do Sinal
Idéia básica de uma rede de telecomunicações

Usúario da
informação

(f) (f)

CANAL Fonte de
Rede
CANAL informação
Nó da
rede

Redes de telecomunicações, na maioria dos casos, a comunicação entre a fonte da


informação e o nó da rede, entre os nós da rede, e entre o nó da rede e o destino
da informação, envolve os três elementos básicos. o transmissor, o canal e o
f1 2f1 3f1 nf1 f1 2f1 3f1 nf1
receptor
24/02/2022 63 24/02/2022 64

63 64
24/02/2022

SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES


Comunicação Analógica x Comunicação Digital
Idéia básica de uma rede de telecomunicações

Dois exemplos de redes de telecomunicações são a rede telefônica Os sistemas de comunicação podem ser
e a Internet. classificados em:
• sistemas analógicos
É comum a denominação da rede em função do tipo de serviço para
o qual ela foi originalmente concebida, dando origem às • sistemas digitais.
denominações de rede telefônica, redes de comunicação de dados
e redes de computadores. Os sistemas analógicos são aqueles em que a informação
entregue pela fonte e o sinal transmitido pelo
No entanto, em um ambiente de redes multimídia e transmissor estão na forma analógica.
multiserviços, esta divisão não faz mais muito sentido (por
exemplo, hoje você pode estabelecer qualquer tipo de comunicação
- de voz, de vídeo ou de dados - utilizando o seu smartfone e/ou Os sistemas digitais são aqueles em que a informação
computador conectado à Internet). entregue pela fonte está na forma digital ou foi
convertida da forma analógica para a forma digital.
24/02/2022 65 24/02/2022 66

65 66
24/02/2022

SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES


Comunicação Analógica x Comunicação Digital Comunicação Analógica x Comunicação Digital

Os sistemas de comunicação podem ser classificados em: Sinal analógico senoidal no domínio do tempo.
• sistemas analógicos
• sistemas digitais.
Os sistemas analógicos são aqueles em que a informação entregue pela fonte e o
sinal transmitido pelo transmissor estão na forma analógica. magnitude pode
Os sistemas digitais são aqueles em que a informação entregue pela fonte está na assumir infinitos
valores
forma digital ou foi convertida da forma analógica para a forma digital.

Um sinal analógico é aquele cuja magnitude não sofre descontinuidades ou, de


outra forma, um sinal analógico é aquele cuja magnitude pode assumir infinitos
valores (dentro de uma determinada faixa).

Um sinal digital é aquele cuja magnitude se mantém em um nível constante por um


dado período de tempo e então muda para um outro nível constante de magnitude.
Ou seja, um sinal digital é aquele que só pode assumir um conjunto finito de Por exemplo, o sinal senoidal x(t) = 5 sen (2pt), ilustrado, é um sinal
valores de magnitudes analógico, contínuo, pois pode assumir infinitos valores entre – 5 e + 5.

Manaus – AM 2019 (dentro de uma determinada faixa) Manaus – AM 2019


24/02/2022 67 24/02/2022 68

67 68
24/02/2022

SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES


Comunicação Analógica x Comunicação Digital Comunicação Analógica x Comunicação Digital

Sinal digital Binário no canal de comunicação

Domínio do tempo O canal de comunicação apresenta um conjunto de imperfeições, tais como:


atenuação do sinal, distorção da forma do sinal e adição de ruído, que
modificam o sinal transmitido.
só pode assumir um conjunto
finito de valores de magnitudes
Dependendo da distância entre transmissor e receptor, pode haver
necessidade de utilização de elementos intermediários na rede, cuja função
é tentar recuperar o sinal antes que o mesmo fique irreconhecível para o
receptor.
A forma de operação destes elementos difere de um sistema
Um sinal digital é aquele cuja magnitude se mantém em um nível constante por analógico para um sistema digital. LINK CANAL
um dado período de tempo e então muda para um outro nível constante de
magnitude. Ou seja, um sinal digital é aquele que só pode assumir um conjunto
finito de valores de magnitudes. O sinal digital binário que só pode assumir as
magnitudes – 5 e + 5. Em geral, um sinal digital é dito m-ário se ele pode assumir m
níveis de magnitudes distintos.
Manaus – AM 2019 Manaus – AM 2019
Por24/02/2022
exemplo, um sinal quaternário pode assumir 4 níveis distintos. 69 24/02/2022 70

69 70
24/02/2022

F(w). F(w) F(w). F(w)


. .
Largura do Sinal Largura do Sinal Largura do Sinal Largura do Sinal

(f) (f) (f) (f)

CANAL CANAL
CANAL CANAL

f1 2f1 3f1 nf1 f1 2f1 3f1 nf1 f1 2f1 3f1 nf1 f1 2f1 3f1 nf1
24/02/2022 71 24/02/2022 72

71 72
24/02/2022

F(w).
.
F(w) SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES
Largura do Sinal Largura do Sinal Comunicação Analógica x Comunicação Digital
canal de comunicação
Como citado, o canal de comunicação apresenta um conjunto de imperfeições, tais
como:

(f) (f) 1. atenuação do sinal,


2. distorção da forma do sinal,
CANAL 3. adição de ruído,
CANAL que modificam o sinal transmitido. Dependendo da distância entre transmissor e receptor,
pode haver necessidade de utilização de elementos intermediários na rede, cuja função é
tentar recuperar o sinal antes que o mesmo fique irreconhecível para o receptor.
A forma de operação destes elementos difere de um sistema analógico para um
sistema digital.

f1 2f1 3f1 nf1 f1 2f1 3f1 nf1


24/02/2022 73 24/02/2022 Manaus – AM 2019
74

73 74
24/02/2022

SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES
Sistemas de Comunicação
Elementos básicos do Sistema
três elementos: o transmissor, o canal e o receptor Um modelo geral de todos os sistemas de comunicação.

mensagem Mensagem
estimada

Fonte da Usuário da
Transmissor Receptor informação
informação.

Sinal Canal Sinal


transmitido recebido

1. atenuação do sinal,
2. distorção da forma do sinal, 1. atenuação do sinal,
3. adição de ruído, 2. distorção da forma do sinal,
3. adição de ruído,
24/02/2022 75 24/02/2022 76

75 76
24/02/2022

SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES


Comunicação Analógica x Comunicação Digital
Comunicação Analógica x Comunicação Digital
Recuperação do sinal Analógico
A forma de recuperação destes elementos difere de um sistema analógico para
um sistema digital.
Recuperação do sinal Analógico
Nos sistemas analógicos, estes dispositivos, denominados REPETIDORES, são
amplificadores e não conseguem contornar os problemas com distorção e ruído, uma vez
que simplesmente amplificam o sinal de entrada.

Além disso, todo amplificador gera ruído interno que é adicionado ao sinal amplificado.

Logo, a relação entre a magnitude do sinal e a magnitude do ruído na saída do


amplificador é pior do que a mesma relação na entrada do mesmo.

a magnitude do sinal na saída do amplificador é aSi e a magnitude do ruído é (aNi + Na),


resultando em uma relação sinal/ruído igual a aSi/(aNi + Na), menor do que a relação na
entrada do amplificador.
Esta característica mostra uma limitação natural dos sistemas de comunicações
24/02/2022 Manaus – AM 2019
77
analógicos.
24/02/2022 Manaus – AM 201978

77 78
24/02/2022

SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES


Comunicação Analógica x Comunicação Digital Comunicação Analógica x Comunicação Digital
Recuperação do sinal Digital
Nos sistemas digitais, os elementos de recuperação do sinal são regeneradores, ou seja,
eles geram um novo sinal digital a partir do sinal recebido distorcido e contaminado com
ruído.
Uso de regenerador em sistemas digitais
Logo, os sistemas de comunicações digitais não apresentam as limitações dos sistemas
analógicos.

As comunicações digitais apresentam ainda a vantagem de permitir que as informações


sejam processadas computacionalmente, permitindo a utilização de recursos adicionais para
dar mais qualidade ao processo de comunicação, como a correção de erros de transmissão.

As comunicações digitais apresentam ainda a vantagem de permitir que as


informações sejam processadas computacionalmente, permitindo a utilização de
recursos adicionais para dar mais qualidade ao processo de comunicação, como a
correção de erros de transmissão.
24/02/2022 Manaus – AM 2019
79 24/02/2022 Manaus – AM 2019
80

79 80
24/02/2022

SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES


Representação de Sinais Representação de Sinais
Definir : sinal periódico e frequência de um sinal. Definir : sinal periódico e frequência de um sinal.
Um sinal é dito periódico se seu comportamento se repete a intervalos de tempo
regulares, denominados de período do sinal. Por exemplo, o sinal senoidal, inicia com Um sinal pode ser representado por seu comportamento:
amplitude zero para t = 0, cresce até passar por um máximo positivo, decresce até passar
por um máximo negativo e volta a passar pela amplitude zero para t = 1. A partir deste
instante o comportamento do sinal se repete até t = 2 e assim sucessivamente. Logo 1. no domínio do tempo (A representação no domínio do
dizemos que este sinal é periódico com período T = 1 segundo, dado que seu
comportamento se repete a cada 1 segundo tempo é aquela que mostra as mudanças de amplitude do sinal
em função do tempo)
A frequência de um sinal periódico é definida
como sendo o inverso de seu período, f = 1/T, e é
medida em Hertz, em homenagem a Heinrich 2. no domínio da frequência (A representação no
Hertz, que comprovou a existência da onda
eletromagnética. domínio da frequência indica apenas o valor máximo do sinal e sua
frequência). A representação do sinal no domínio da frequência é denominada
Logo, a frequência do sinal senoidal, é 1 Hz,
de espectro de frequências do sinal.
ou seja, 1 ciclo por segundo.

24/02/2022 Manaus – AM 2019


81 24/02/2022 Manaus – AM 2019
82

81 82
24/02/2022

SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES


Representação de Sinais Representação de Sinais
domínio da frequência
Definir : sinal periódico e frequência de um sinal.
domínio do tempo
A Figura mostra, a título de ilustração, a representação no domínio da frequência do sinal
senoidal mostrado na . A representação do sinal no domínio da frequência é denominada de
espectro de frequências do sinal.
A representação no domínio da frequência indica apenas o valor máximo do sinal e sua
frequência.
A representação do sinal no domínio da frequência é denominada de espectro de
frequências do sinal.

Domínio do tempo
Domínio da frequência
A;t A ; fr

24/02/2022 Manaus – AM 2019


83 24/02/2022 Manaus – AM 2019
84

83 84
24/02/2022

SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES


Representação de Sinais Representação de Sinais
No domínio da frequência (A representação no domínio da frequência indica No domínio da frequência (A representação no domínio da frequência indica
apenas o valor máximo do sinal e sua frequência). A representação do sinal no domínio da apenas o valor máximo do sinal e sua frequência). A representação do sinal no domínio da
frequência é denominada de espectro de frequências do sinal frequência é denominada de espectro de frequências do sinal

espectro de frequências do sinal


espectro de frequências do sinal
Taxa de Ocupação para Canais de Telefonia Celular

100
90
80
70

Ocupação (% )
60
50
40
30
20
10
0
Canal
24/02/2022 Manaus – AM 2019
85 24/02/2022 Manaus – AM 2019
86

85 86
24/02/2022

SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES


Representação de Sinais Representação de Sinais
No domínio da frequência (A representação no domínio da frequência indica
apenas o valor máximo do sinal e sua frequência). A representação do sinal no domínio da
frequência é denominada de espectro de frequências do sinal
Definir : sinal periódico e frequência de um sinal. (1768-1876)

espectro de frequências do sinal Em comunicações, muitos dos sinais utilizados são sinais compostos
Taxa de Ocupação
de várias frequências e não de uma única frequência.
De fato, Jean Baptiste Fourier mostrou, em 1822, que um sinal
periódico de formato qualquer pode ser representado por um ( 𝚺)
somatório de infinitos sinais senoidais e cossenoidais de
frequências diferentes.

O (𝚺) Somatório destas senoides e cossenoides é conhecido como


Série de Fourier.
Este resultado foi estendido posteriormente para sinais não
periódicos, por meio de uma operação matemática denominada de
Transformada de Fourier.
24/02/2022 Manaus – AM 2019
87 24/02/2022 Manaus – AM 2019
88

87 88
24/02/2022

SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES


Representação de Sinais Representação de Sinais
Impares componentes
Definir : sinal periódico e frequência de um sinal. Ideia da Série de Fourier (s i n a l p e r ió d i c o ) .

Sinais Periódicos podem ser representados


( ¶. ) ( ¶. ) ( ¶. ) ( ¶. )
por uma soma de senóides de frequências x(t) = sin ( 2¶ . 𝑡 ) + + + + + ...

múltiplas da frequência original do sinal.
A Figura mostra os
(1768-1876)
três primeiros
termos da soma e
o resultado da
soma desses
termos.
Visualizaremos o
resultado, à
medida que
aumentamos o
número de
termos da soma.
Ver seguinte>>
24/02/2022 Manaus – AM 2019
89 24/02/2022 Manaus – AM 2019
90

89 90
24/02/2022

SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES


Representação de Sinais Representação de Sinais
Impares componentes Impares componentes

Ideia da Série de Fourier (s i n a l p e r ió d i c o ) . Ideia da Série de Fourier (s i n a l p e r ió d i c o ) .

( ¶. ) ( ¶. ) ( ¶. ) ( ¶. ) ( ¶. ) ( ¶. ) ( ¶. ) ( ¶. )
x(t) = sin ( 2¶ . 𝑡 ) + + + + + ... x(t) = sin ( 2¶ . 𝑡 ) + + + + + ...
¶ ¶

O sinal x1(t), representado em azul,


O somatório das três
é uma senoide de
senoides é o sinal vermelho
frequência igual a 1 Hz, o sinal x3(t),
que se parece (ainda um
representado em verde, é uma
pouco distante) com uma
senoide de frequência igual a
onda quadrada.
3 Hz e o sinal x5(t), representado em
À medida que aumentamos
rosa, é uma senoide de frequência
o número de termos na
igual a 5 Hz.
soma, o sinal vermelho vai
O somatório das três senoides é o
se aproximando cada vez
sinal vermelho que se parece (ainda
mais de uma onda
um pouco distante) com uma onda
quadrada.
quadrada.
24/02/2022 Manaus – AM 2019
91 24/02/2022 Manaus – AM 2019
92

91 92
24/02/2022

SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES Representação de Sinais SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES


Representação de Sinais
Ideia da Série de Fourier (sinal periódico) Impares componentes Espectro de frequência do sinal “quadrado” sinal vermelho.
Como este sinal é composto do somatório de três senoides de frequências diferentes, o
( ¶. ) ( ¶. ) ( ¶. ) ( ¶. ) espectro é composto de três raias.
x(t) = sin ( 2¶ . 𝑡 ) + + + + + ... A primeira senoide, de frequência mais baixa, é chamada de fundamental ou primeira

harmônica e as demais são chamadas k-ésimas harmônicas, onde o valor de k é o valor da
Como este sinal é composto do frequência da k-ésima harmônica dividido pelo valor da frequência da primeira Harmônica.
somatório de três senoides de K= fk/f1 ; fk=kf1
frequências diferentes, o Logo, nosso sinal “quadrado” pode ser representado pela soma da sua primeira
espectro é composto de três harmônica, terceira harmônica e quinta harmônica
raias.
A primeira senoide, de frequência
Espectro de frequência
mais baixa, é chamada de do sinal “quadrado”
fundamental ou primeira vermelho.
harmônica e as demais são
chamadas k-ésimas harmônicas,
onde o valor de k é o valor da fk=kf1
frequência da k-ésima harmônica
dividido pelo valor da frequência
da primeira Harmônica.

24/02/2022
K= fk/f1; fk=kf1 Manaus – AM 2019
93 24/02/2022 Manaus – AM 2019
94

93 94
24/02/2022

Representação de Sinais SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES Representação de Sinais SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES


Espectro de frequência do sinal “quadrado” sinal vermelho. Espectro de frequência do sinal “quadrado” sinal vermelho.

Logo, nosso sinal “quadrado” pode ser representado pela soma da sua primeira harmônica, terceira Quando a representação do sinal no domínio do tempo é periódica, seu espectro de
harmônica e quinta harmônica frequência é discreto, como ilustra a Figura.
Para se obter uma onda quadrada perfeita é preciso somar infinitas senoides ou infinitas Quando a representação do sinal no domínio do tempo não é periódica, seu espectro de
harmônicas. frequência é contínuo. Veja o Apêndice A de [SKLAR,2001] para detalhes.
Como veremos um pouco mais adiante, isto significa que um sinal quadrado perfeito tem
largura de faixa infinita.

Espectro de frequência
do sinal “quadrado”
vermelho.

fk=kf1

24/02/2022 Manaus – AM 2019


95 24/02/2022 Manaus – AM 2019
96

95 96
24/02/2022

Representação de Sinais SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES Representação de Sinais SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES


Espectro de frequência do sinal “quadrado” sinal vermelho. Espectro de frequência do sinal “quadrado” sinal vermelho.

Observe que a onda “quadrada” mostrada tem taxa de transmissão de Observe que a onda “quadrada” mostrada tem taxa de transmissão de 2 bps, enquanto a
frequência da 1ª harmônica é 1 Hz.
2 bps, enquanto a frequência da 1ª harmônica é 1 Hz. Este é um resultado que pode ser generalizado para um sinal periódico, ou seja, a
frequência da 1ª harmônica é a metade da taxa de transmissão em bps (bits por segundo).
Logo, quanto maior a taxa de transmissão, maior será a frequência da 1ª harmônica e,
Este é um resultado que pode ser generalizado para um obviamente, das harmônicas subsequentes. Ver seguinte
sinal periódico, ou seja, a frequência da 1ª harmônica é a
metade da taxa de transmissão em bps (bits por
segundo).

Logo, quanto maior a taxa de transmissão, maior será a frequência da


1ª harmônica e, obviamente, das harmônicas subsequentes. Ver
seguinte

24/02/2022 Manaus – AM 2019


97 24/02/2022 Manaus – AM 2019
98

97 98
24/02/2022

Representação de Sinais SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES


Representação de Sinais
Espectro de frequência do sinal “quadrado” sinal vermelho.
1º Conceito: Ideia da Série de Fourier.
Que a onda “quadrada” mostrada tem taxa de transmissão de 2 bps, enquanto a frequência da
1ª harmônica é 1 Hz.
Este é um resultado que pode ser generalizado para um sinal periódico, ou seja, a ( ¶. ) ( ¶. ) ( ¶. ) ( ¶. )
x(t) = sin ( 2¶ . 𝑡 ) + + + + + ...
frequência da 1ª harmônica é a metade da taxa de transmissão em bps (bits por segundo). ¶
Logo, quanto maior a taxa de transmissão, maior será a frequência da 1ª harmônica e,
obviamente, das harmônicas subsequentes
ã Os sinais quadrados perfeitos
fi = = fk=kf1 só existe Componentes impares

ã
fi = =

fk=kf1

24/02/2022 Manaus – AM 2019


99 24/02/2022 Manaus – AM 2019
100

99 100
24/02/2022

Representação de Sinais SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES


Ideia da Série de Fourier. I ntrodução – Representação de Sinais
( ¶. ) ( ¶. ) ( ¶. ) ( ¶. )
Ideia da Série de Fourier.
x(t) = sin ( 2¶ . 𝑡 ) + + + + + ...

1º Conceito:
Observe que a onda
fk=kf1
ã
fi = =
“q ua dra da ” tem taxa
1º Conceito: de transmissão de
Observe que a onda 2 bps, enquanto a
“q uadra da ” tem taxa frequência da 1ª
de transmissão de 2 harmônica é 1 Hz .
bps, enquanto a
frequência da 1ª Bps/2 = F1
harmônica é 1 Hz . F3= 3f1
F5= 5f1
Bps/2 = F1 A primeira senoide, de frequência mais baixa, é chamada de fundamental ou primeira
F3= 3f1 harmônica e as demais são chamadas k-ésimas harmônicas, onde o valor de k é o valor
da frequência da k-ésima harmônica dividido pelo valor da frequência da primeira
F5= 5f1
24/02/2022 Manaus – AM 2019
101 harmônica.
24/02/2022 Manaus – AM 2019
102

101 102
24/02/2022

SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES


Representação de Sinais Representação de Sinais
Ideia da Série de Fourier.
Espectro de frequência do sinal quadrado
a onda “quadrada” mostrada na
tem taxa de transmissão de 2
bps, enquanto a frequência da 1ª
1º Conceito:
harmônica é 1 Hz.
Que a onda “q uadrada”
Este é um resultado que pode
tem taxa de transmissão
ser generalizado para um sinal
de 2 bps, enquanto a
periódico, ou seja, a frequência
frequência da 1ª
da 1ª harmônica é a metade da
harmônica é 1 Hz .
taxa de transmissão em bps (bits
por segundo).
Bps/2 = F1
Bps/2 = F1 F3= 3f1
F5= 5f1

Logo, quanto maior a taxa de transmissão, maior será a frequência da 1ª


harmônica e, obviamente, das harmônicas subsequentes
24/02/2022 Manaus – AM 2019
103 24/02/2022 Manaus – AM 2019
104

103 104
24/02/2022

SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES


Conceito de Largura de Faixa Conceito de Largura de Faixa
De uma forma simplificada, a largura de faixa de um sinal é a diferença
Muitos sinais possuem largura de faixa infinita e, como não há canal
entre a maior e a menor frequências contidas no seu espectro.
com largura de faixa infinita, precisam ser filtrados para a
Exemplo: Se o espectro de um sinal é composto de frequências de
transmissão.
1000 a 5000 Hz, a largura de faixa do sinal é de 4000 Hz
Por sorte, como vimos, a maior parte da energia do sinal
está concentrada em uma faixa pequena de frequências e o
processo de filtragem não impede que o receptor seja capaz de
identificar o sinal transmitido.
Há vários critérios para se estabelecer o ponto de filtragem e,
portanto, definir a largura de faixa do sinal.
Conceito Clássico 1000 5000

A largura de banda de um filtro passa-faixa é a parte da resposta em frequência do filtro que está situada na faixa de Taxa de bps = Largura(BW) X F1 (próxima de infinito)
3dB da resposta na frequência central (valor de pico). Ou seja, ela é a diferença entre f2 e f1 em um filtro passa-faixa:
LF = B = f2 –f1
Em um filtro passa-baixas a largura de banda corresponde ao valor da frequência de corte: fc E ainda : fk=kf1; para uma onda quadrada k: 1;3;5..7
24/02/2022 Manaus – AM 2019
105 24/02/2022 Manaus – AM 2019
106

105 106
24/02/2022

SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES


Canal de comunicação Canal de comunicação
Bps/2 = F1 Exemplo 1: seja um
Como vimos acima, um sistema básico de comunicação é composto de um transmissor, um si stema de
receptor e um canal de comunicação que conecta um ao outro. F3= 3f1
X(f)
F5= 5f1 Telecomunicações com a
Um parâmetro importante para a caracterização do canal é a sua largura de faixa, pois a seguinte Taxa de
mesma define quais componentes harmônicos do sinal conseguirão atravessar o canal. Transmissão, Tx de 60 bps,
e com uma BW de 100Hz.
• Canal - Conecta o transmis so r ao rece pto r 5
Calcule as frequências
• L argura de fa ixa é um parâ me tro importante, poi s de fine
quai s harmôni cas d o si nal passarão pe lo ca nal abai xo:
F1 =?
• C a na l - P o s s u i imperfeições. F3 =?
F5 =?
1. Atenuação f
100Hz
2. Distorção b) O que acontece com
3. Ruído uma fr de 100Hz?
Canal com uma banda de 100Hz
4. Interferências
24/02/2022 Manaus – AM 2019
107 24/02/2022 Manaus – AM 2019
108

107 108
24/02/2022

SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES


Canal de comunicação Canal de comunicação
Bps/2 = F1 Bps/2 = F1 Resposta 1:
F3= 3f1 Ex : Taxa de F3= 3f1
X(f) X(f) Ex : Taxa de
F5= 5f1 Transmissão, Tx de 60 F5= 5f1 Transmissão, Tx de 60
bps, e com uma BW de
bps, e com uma BW de
100Hz.
100Hz.
5 5
F1 = 30Hz
F1 = 30Hz
F3 = 90Hz
F2 = 90Hz
F5 = 150Hz
F5 = 150Hz
Passa a 1ª e 3ª harmônica.
b) a fr de 100Hz, passa
f f no l imite do filtro, com
100Hz 100Hz falhas.

Canal com uma banda de 100Hz Canal com uma banda de 100Hz

24/02/2022 Manaus – AM 2019


109 24/02/2022 Manaus – AM 2019
110

109 110
24/02/2022

SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES


Canal de comunicação Canal de comunicação
Bps/2 = F1 Ex : Exemplo 2: seja Bps/2 = F1
F3= 3f1 um sistema de F3= 3f1 Resposta 2.
X(f) Telecomunicações com X(f) Ex : Taxa de
F5= 5f1 F5= 5f1
a seguinte Taxa de Transmissão, Tx de 160
Transmissão, Tx de 160 bps, e com uma BW de
bps, e com uma BW de 100Hz.
5 100Hz. 5
F1 = 80 Hz
F1 = ? F3 = 240 Hz
F3 = ? F5 = 400 Hz
F5 = ?
Passa o QUE ?.
f b) Passa o QUE ?. f
100Hz 100Hz

c) O que acontece com


Canal com uma banda de 100Hz Canal com uma banda de 100Hz
uma fr de 100Hz?

24/02/2022 Manaus – AM 2019


111 24/02/2022 Manaus – AM 2019
112

111 112
24/02/2022

SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES


Canal de comunicação Canal de comunicação
Bps/2 = F1 Bps/2 = F1
F3= 3f1 Resposta 2. F3= 3f1 Exemplo 3: seja um
X(f) Ex : Taxa de X(f) si stema de
F5= 5f1 F5= 5f1
Transmissão, Tx de 160 Telecomunicações com
bps, e com uma BW de a segui nte Taxa de
100Hz. Transmissão, Tx de 300
5 5 bps, e com uma BW de
F1 = 80 Hz
F2 = 240 Hz 100Hz.
F5 = 400 Hz
F1 =
Passa o QUE ? Nesse filtro só F3 =
passa a 1ª harmônica. F5 =
f f
100Hz 100Hz
Passa o QUE ? .
Canal com uma banda de 100Hz Canal com uma banda de 100Hz

24/02/2022 Manaus – AM 2019


113 24/02/2022 Manaus – AM 2019
114

113 114
24/02/2022

SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES


Canal de comunicação Canal de comunicação
Bps/2 = F1 Bps/2 = F1
F3= 3f1 Resposta 3; F3= 3f1 Resposta 3;
X(f) Taxa de Transmissão, X(f) Taxa de Transmissão,
F5= 5f1 F5= 5f1
Tx de 300 bps, e com Tx de 300 bps, e com
uma BW de 100Hz. uma BW de 100Hz.
5 5
F1 = 150 Hz
F3 = 450 Hz F1 = 150 Hz
F5 = 750 Hz F3 = 450 Hz
F5 = 750 Hz
Passa o QUE ? .
Passa o QUE ? Não passa nada.
f f
100Hz 100Hz

Canal com uma banda de 100Hz Canal com uma banda de 100Hz

24/02/2022 Manaus – AM 2019


115 24/02/2022 Manaus – AM 2019
116

115 116
24/02/2022

SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES


O canal de comunicação
Prefixos utilizados em medidas I. Conecta o t r a n s m i s s o r a o r e c e p t o r

I I . L a r g u r a d e f a i x a é u m p a r â m e t r o importante, p o is d e fi n e
q u a i s h a r m ô n ic a s d o s i n a l p a s s a rã o p e l o c a n a l
Prefixo Abreviação Significado
I I I . P o s s u i i m p e rf e i ç õ e s
Kilo k 103 = 1.000
Mega M 106 = 1.000.000 1. Atenuação
Giga G 109 = 1.000.000.000
Tera T 1012 = 1.000.000.000.000
2. Distorção
Mili m 10-3 = 0,001
Micro  10-6 = 0,000001
Nano n 10-9 = 0,000000001 3. Ruído
Pico p 10-12 = 0,000000000001

4. Interferências

24/02/2022 Manaus – AM 2019


117 24/02/2022 Manaus – AM 2019
118

117 118
24/02/2022

SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES


O canal de comunicação O canal de comunicação
• P o s s u i i m p e rf e i ç õ e s . • P o s s u i i m p e rf e i ç õ e s .

- ATENUAÇÃO - DISTORÇÃO
• A velocidade de propagação
do sinal no canal varia com a
• O sinal é atenuado à medida que se propaga pelo frequência.
canal, ou seja, tem sua amplitude diminuída. λ = vT λf = v

• A atenuação varia com a frequência do sinal, com • Harmônicas que compõem


si nais de frequênci as mais altas sendo mai s um sinal vão chegar ao
atenuados. receptor em diferentes
instantes, resultando em uma
diferença de fase entre as
• Logo, um sinal composto de várias harmôni cas
harmônicas.
sofrerá atenuações diferentes em cada uma delas .
Esta diferença faz com que o sinal seja
distorcido, ou seja, tenha seu formato
alterado.

24/02/2022 Manaus – AM 2019


119 24/02/2022 Manaus – AM 2019
120

119 120
24/02/2022

SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES


O canal de comunicação Re l a ç ã o S i n a l / R u í d o e C a p a c i d a d e d o C a n a l
• P o s s u i i m p e rf e i ç õ e s . • P o s s u i i m p e rf e i ç õ e s .

- RUIDO RUIDO (R e l a ç ã o S i n a l / R u í d o e C a p a c i d a d e d o C a n a l )

Em um sistema de comunicação digital, as imperfeições do canal podem fazer


com que o receptor cometa erros na interpretação do sinal recebido. Ou seja,
• Canal sempre adiciona ruído ao sinal. por exemplo, um bit 0 é transmitido e o receptor interpreta o sinal recebido
correspondente como sendo um bit 1.
• Há vários tipos de ruído que podem ser introduzidos: A taxa de erro de bit, que mede a probabilidade de um bit ser detectado
errado pelo receptor, é função da relação sinal/ruído no canal (SNR –
– Ruído térmico Signal-to-Noise Ratio), que é definida como:
– Ruído de intermodulação
– Ruído impulsivo
Potência média dosinal
SNR 
Potência média do ruído

24/02/2022 Manaus – AM 2019


121 24/02/2022 Manaus – AM 2019
122

121 122
24/02/2022

SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES


Re l a ç ã o S i n a l / R u í d o e C a p a c i d a d e d o C a n a l Re l a ç ã o S i n a l / R u í d o e C a p a c i d a d e d o C a n a l
• P o s s u i i m p e rf e i ç õ e s . • P o s s u i i m p e rf e i ç õ e s .

RUIDO (R e l a ç ã o S i n a l / R u í d o e C a p a c i d a d e d o C a n a l ) RUIDO (R e l a ç ã o S i n a l / R u í d o e C a p a c i d a d e d o C a n a l )
A taxa de erro de bit, que mede a probabilidade de um bit ser detectado errado pelo CONCEITO:
receptor, é função da relação sinal/ruído no canal (SNR – Signal-to-Noise Ratio), que é A capacidade de transmissão de um canal é definida pela sua largura de faixa e pela SNR
definida como: no mesmo. Em 1944, Claude Shannon mostrou que o limite teórico para transmissão de
bits em um canal com ruído é dado por: (Onde B é a largura de faixa do canal)
Potência média dosinal
SNR 
Potência média do ruído C  B × log2 (1 + SNR) bps
CONCEITO:
A capacidade de transmissão de um canal é definida pela sua largura de faixa e Exemplo: Imagine um Sistema de Telecomunicações com uma largura de faixa BW
pela SNR no mesmo. Em 1944, Claude Shannon mostrou que o limite teórico de 10kHz e passa por um Canal que possui uma relação sinal ruído de 10x.
para transmissão de bits em um canal com ruído é dado por: (Onde B é a largura Qual capacidade desse Canal em bps?
de faixa do canal) B = 10 kHz
SNR= 10
Capacidade do canal ?
C  B × log (1 + SNR) bps
2 C = 10 log2 (10+1) = 34 Kbps
24/02/2022 Manaus – AM 2019
123 24/02/2022 Manaus – AM 2019
124

123 124
24/02/2022

SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES


Modos de Transmissão Modos de Transmissão

A B A B

Comunicação ponto a ponto entre dois terminais Comunicação ponto a ponto entre dois terminais

1. Simplex 1. Simplex.
As transmissões simplex são unidirecionais, havendo comunicação em um único
2. Half-duplex sentido, ou seja, na transmissão simplex um dos terminais é sempre o
transmissor enquanto o outro é sempre o receptor.
3. Full-duplex
Um exemplo de comunicação simplex é o sistema de distribuição de sinal de
• Mo do adequado é definido pela aplicação televisão tradicional, no qual o sinal é apenas recebido pelo receptor de TV do
usuário, não havendo transmissão em sentido contrário.
• Canal deve ser compatível com o mo d o

24/02/2022 Manaus – AM 2019


125 24/02/2022 Manaus – AM 2019
126

125 126
24/02/2022

SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES


Modos de Transmissão Modos de Transmissão

A B A B

Comunicação ponto a ponto entre dois terminais Comunicação ponto a ponto entre dois terminais

2. Half-duplex 3. Full-duplex
Uma comunicação half-duplex é aquela em que há transmissão nos dois Uma comunicação full-duplex é aquela em que pode haver transmissão
sentidos, porém não simultaneamente. Neste tipo de transmissão, ambos nos dois sentidos simultaneamente.
os terminais são transmissores e receptores, mas só há um terminal Neste tipo de transmissão, os dois terminais devem poder operar como
operando como transmissor a um dado instante. transmissor e receptor simultaneamente..
Uma conversa entre duas pessoas educadas é half-duplex, pois apenas uma
pessoa fala de cada vez.

24/02/2022 Manaus – AM 2019


127 24/02/2022 Manaus – AM 2019
128

127 128
24/02/2022

SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES


Modos de Transmissão Modos de Transmissão

A B A B

Comunicação ponto a ponto entre dois terminais Comunicação ponto a ponto entre dois terminais

O modo de transmissão mais adequado para um sistema é definido pela aplicação O modo de transmissão mais adequado para um sistema é definido pela aplicação
Exemplo:
Exemplo:
Imagine uma aplicação de automação bancária na qual você vai solicitar o seu
Imagine uma aplicação de automação bancária na qual você vai solicitar o seu
extrato em um terminal da sua agência bancária.
extrato em um terminal da sua agência bancária.
Inicialmente você entra com os seus dados no terminal (agência, conta, senha,
Inicialmente você entra com os seus dados no terminal (agência, conta, senha,
etc), que os envia para o computador central do banco.
etc), que os envia para o computador central do banco.
Este processa a informação, gera a mensagem contendo seu extrato e a
Este processa a informação, gera a mensagem contendo seu extrato e a
transmite de volta ao terminal.
transmite de volta ao terminal.
Resposta:
Qual é o Tipo de Transmissão? Perceba que, pela natureza da aplicação, só há transmissão em um sentido
por vez.
Manaus – AM 2019
Logo, a transmissão é naturalmente half-duplex. Manaus – AM 2019
24/02/2022 129 24/02/2022 130

129 130
24/02/2022

SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES


Modos de Transmissão I ntrodução - Espectro eletromagnético
O estudo da propagação de sinais deve ser feito à luz da teoria eletromagnética (ver texto
A B
sobre James Clerk Maxwell).

De fato, o sinal é enviado do transmissor para o receptor na forma de energia


Comunicação ponto a ponto entre dois terminais
eletromagnética, resultado de campos elétricos e magnéticos variantes no tempo.
O modo de transmissão mais adequado para um sistema é definido pela aplicação
O espectro eletromagnético compreende todas as frequências em que há transmissão de
Conceito: energia eletromagnética.
O canal de comunicação deve ser compatível com o modo de transmissão desejado.
Ele é dividido em faixas que recebem denominações em função dos seus limites de
Por exemplo, frequências.

para uma transmissão full-duplex, o canal deve permitir a comunicação em ambos os As principais faixas são ilustradas na Tabela. Além destas, utilizam-se frequências mais altas
sentidos simultaneamente. que incluem as irradiações de infravermelho, luz visível, ultravioleta, raios X e raios gama.

Sem que uma transmissão interfira na outra. A faixa de 1014 a 1015 Hz é particularmente importante por ser empregada nos sistemas de
comunicações ópticas.

24/02/2022 Manaus – AM 2019


131 24/02/2022 Manaus – AM 2019
132

131 132
24/02/2022

SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES

I ntrodução - Espectro eletromagnético I ntrodução - Espectro eletromagnético

Denominação Faixa de Frequências


VLF (Very Low Frequency) 3 a 30 kHz Onda
eletromagnética
LF (Low Frequency) 30 a 300 kHz e transmissão de Observe que
MF (Medium Frequency) 300 kHz a 3 MHz sinais: Espectro
os
eletromagnético
componentes
HF (High Frequency) 3 a 30 MHz
traduzem a
VHF (Very High Frequency) 30 a 300 MHz própria
tecnologia
UHF (UltraHigh Frequency) 300 MHz a 3 GHz usada
SHF (SuperHigh Frequency) 3 a 30 GHz
EHF (Extremely High Frequency) 30 a 300 GHz

24/02/2022 Manaus – AM 2019


133 24/02/2022 Manaus – AM 2019
134

133 134
24/02/2022

SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES


I ntrodução - Espectro eletromagnético I ntrodução - Espectro eletromagnético
Denominação Faixa de Frequências Denominação Faixa de Frequências
VLF (Very Low Frequency) 3 a 30 kHz VLF (Very Low Frequency) 3 a 30 kHz
LF (Low Frequency) 30 a 300 kHz LF (Low Frequency) 30 a 300 kHz
MF (Medium Frequency) 300 kHz a 3 MHz MF (Medium Frequency) 300 kHz a 3 MHz
HF (High Frequency) 3 a 30 MHz HF (High Frequency) 3 a 30 MHz
VHF (Very High Frequency) 30 a 300 MHz VHF (Very High Frequency) 30 a 300 MHz
UHF (UltraHigh Frequency) 300 MHz a 3 GHz UHF (UltraHigh Frequency) 300 MHz a 3 GHz
SHF (SuperHigh Frequency) 3 a 30 GHz SHF (SuperHigh Frequency) 3 a 30 GHz
EHF (Extremely High Frequency) 30 a 300 GHz EHF (Extremely High Frequency) 30 a 300 GHz
Em cada meio de transmissão, temos uma ou mais faixas de frequência que podem ser
empregadas para se transmitir a informação. O espectro de radiofrequências é um bem público limitado e, conforme prevê a Lei 9.472, é
Por exemplo: Comunicações em par trançado são feitas, tipicamente, entre 10 kHz até um administrado no Brasil pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).
pouco mais de 100 MHz;
As transmissões com cabo coaxial estão entre 100 kHz até próximo de 1 GHz, Os seus limites, conforme definido por essa agência, compreendem frequências de 9 kHz a
compreendendo as faixas de LF a UHF. 300 GHz.
Quando a propagação for por meio da fibra óptica, utiliza-se a faixa de 1014 a 1015 Hz.
Nas transmissões sem fio, as faixas utilizadas constituem o espectro de radiofrequências e
24/02/2022 Manaus – AM 2019
135 estão associadas a determinados tipos de serviços de Telecomunicações.Manaus – AM 2019
24/02/2022 136

135 136
24/02/2022

SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES


I ntrodução - Espectro eletromagnético Classificação das redes de Telecomunicações.
Denominação Faixa de Frequências
VLF (Very Low Frequency) 3 a 30 kHz
LF (Low Frequency) 30 a 300 kHz
MF (Medium Frequency) 300 kHz a 3 MHz
HF (High Frequency) 3 a 30 MHz 1. Quanto ao tipo de comutação
VHF (Very High Frequency) 30 a 300 MHz
UHF (UltraHigh Frequency) 300 MHz a 3 GHz
SHF (SuperHigh Frequency) 3 a 30 GHz
2. Quanto à abrangência geográfica
EHF (Extremely High Frequency) 30 a 300 GHz
Alguns exemplos de serviços associados às faixas de radiofrequências são: MF, para
radiodifusão em amplitude modulada (AM, de Amplitude Modulation), agora uso de SMP
(Serviço Móvel Pessoal) ; HF, para radioamadores e comunicações de aeronaves; VHF, para • Outras classificações
transmissão de TV e radiodifusão em frequência modulada (FM, de Frequency Modulation);
UHF, para transmissão de TV, telefonia celular, comunicações por satélites e
radiocomunicações terrestres por microondas; SHF, para comunicações por satélite e, de
novo, para radiocomunicações terrestres por micro-ondas.

24/02/2022 Manaus – AM 2019


137 24/02/2022 Manaus – AM 2019
138

137 138
24/02/2022

SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES


Classificação das redes de Telecomunicações. Classificação das redes de Telecomunicações.

Classificação quanto ao tipo de comutação Classificação quanto à abrangência geográfica

• Redes com comutação de circuitos • Personal Area Networks – PA N

• Redes com comutação de pacotes • Local Area Networks – LAN


– Datagrama • Metropolitan Area Networks – MAN
– Circuito Virtual
Quando os pacotes possuem tamanho fixo, como nas redes • Wide Area Networks - WA N
ATM (Asynchronous Transfer Mode), os mesmos são
denominados células e as redes passam a ser denominadas
como redes com comutação de células.

24/02/2022 Manaus – AM 2019


139 24/02/2022 Manaus – AM 2019
140

139 140
24/02/2022

SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES


Classificação das redes de Telecomunicações. Classificação das redes de Telecomunicações.
Classificação quanto à abrangência geográfica Classificação quanto à abrangência geográfica
• Personal Area Networks – PA N • Local Area Networks – LAN
PAN – Personal Area Networks: as redes de área pessoal foram concebidas com o objetivo LAN – Local Area Networks: redes locais são, tipicamente, redes utilizadas para
de viabilizar a troca de informação entre dispositivos eletrônicos portáteis de uso pessoal, interconectar computadores em um ambiente geograficamente limitado (centenas de
tais como telefones celulares, computadores pessoais (notebooks), câmeras digitais, metros ou alguns poucos quilômetros) utilizando taxa de transmissão elevada (por
reprodutores de MP3, etc. exemplo, 10 ou 100 Mbps ou 1 Gbps).
Um exemplo de aplicação para este tipo de rede é o sincronismo automático de
informações, tais como agenda de compromissos e de contatos, armazenadas no telefone Exemplo:
celular e no computador pessoal do usuário. Outro tipo de rede que poderia ser as redes que interconectam os computadores de uma empresa. O processo de
classificada como uma PAN seria uma rede sem fio interconectando um computador com padronização destas redes teve início em 1980 com a constituição, no âmbito do IEEE, do
seu mouse, teclado e impressora. Projeto IEEE 802, que resultou em uma série de padrões conhecidos como IEEE 802,x
(onde x é um número que define cada padrão).
Em geral as redes PANs são redes sem fio, pois isto facilita o processo de comunicação
Dos diversos padrões existentes, os mais importantes são aqueles relacionados às redes
automática entre os dispositivos e oferece a possibilidade de mobilidade para o usuário. A
conhecidas comercialmente como redes Ethernet (IEEE 802,3) e, mais recentemente,
abrangência geográfica deste tipo de rede está usualmente limitada a poucas dezenas de
àqueles que especificam as redes locais sem fio (IEEE 802,11).
metros (cerca de 10 metros na proposta original), com taxas de transmissão de poucas
unidades de Mbps. Um padrão importante para a implementação deste tipo de rede é o
IEEE 802,15 (IEEE – Institute of Electrical and Electronics Engineers), que incorporou a
especificação originalmente denominada de Bluetooth.
24/02/2022 Manaus – AM 2019
141 24/02/2022 Manaus – AM 2019
142

141 142
24/02/2022

SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES


Classificação das redes de Telecomunicações. Classificação das redes de Telecomunicações.
Classificação quanto à abrangência geográfica Classificação quanto à abrangência geográfica
• Metropolitan Area Networks – MAN • Wide Area Networks - WA N
MAN – Metropolitan Area Networks: redes metropolitanas, como o nome sugere, são WAN – Wide Area Networks: as redes WANs são aquelas com maior abrangência
redes concebidas para interconectar dispositivos terminais dos usuários ou outras redes geográfica, por exemplo um país ou um continente. Enquanto muitas redes locais e
(LANs) no âmbito de uma cidade. Ou seja, são redes com abrangência geográfica um pouco metropolitanas são redes com meio compartilhado (por meio de alguma técnica de
maior que as redes locais. múltiplo acesso), as redes WANs são redes com comutação de pacotes, do tipo circuito
virtual ou datagrama (ressaltando que a rede telefônica é uma rede WAN que utiliza
Um exemplo: tecnologia de comutação de circuitos).

de rede metropolitana é a rede de distribuição de sinais de televisão por cabo (TV a cabo). As redes WANs podem ser redes homogêneas, que utilizam uma única tecnologia (como
Recentemente surgiu um importante padrão para o estabelecimento de redes Frame Relay, ATM ou IP – Internet Protocol), ou heterogêneas, nas quais a rede é composta
metropolitanas sem fio, o IEEE 802,16. pela interconexão de redes com tecnologias distintas.

24/02/2022 Manaus – AM 2019


143 24/02/2022 Manaus – AM 2019
144

143 144
24/02/2022

SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES


Classificação das redes de Telecomunicações. Classificação das redes de Telecomunicações.
Classificação quanto à abrangência geográfica
Outras classificações

• Redes de acesso

• Home networks

• Redes multimídia

• Redes de comunicações fixas e móveis

24/02/2022 Manaus – AM 2019


145 24/02/2022 Manaus – AM 2019
146

145 146
24/02/2022

SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES


Classificação das redes de Telecomunicações. Classificação das redes de Telecomunicações.
Outras classificações Outras classificações
• Redes de acesso • Redes de acesso
Redes de Acesso: tanto nas redes MANs quanto nas redes WANs, o ambiente do usuário
(residencial ou empresarial) está conectado ao núcleo da rede (backbone) por meio de
uma rede denominada de Rede de Acesso. Mais recentemente, duas importantes tecnologias:
Há várias formas de implementação das redes de acesso.
Os provedores de serviço de telecomunicações que eram originalmente provedores de voltadas para a implementação de redes de acesso utilizando transmissão de quadros
serviço de telefonia usualmente utilizam o par metálico ou soluções híbridas com par Ethernet via fibra óptica foram propostas e padronizadas no âmbito do IEEE, as redes EPON
metálico e fibra óptica para implementar esta rede, utilizando tecnologia xDSL (xDigital (Ethernet Passive Optical Networks), definidas no padrão IEEE 802,3ah, e as redes RPR
Subscriber Line). (Resilient Packet Ring), definidas no padrão IEEE 802,17.
Provedores de serviço que eram originalmente provedores de serviço de TV a cabo utilizam
o cabo coaxial ou soluções híbridas com cabo coaxial e fibra óptica, com tecnologia
denominada de Cable Modem.
Outra possibilidade é prover o acesso por meio de redes sem fio, como nas redes IEEE
802,16.

24/02/2022 Manaus – AM 2019


147 24/02/2022 Manaus – AM 2019
148

147 148
24/02/2022

SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES


Classificação das redes de Telecomunicações. Classificação das redes de Telecomunicações.
Outras classificações Outras classificações
• Redes de acesso • Home networks
Evolução contínua na Rede de Acesso

ADSL (Asymetric Digital Subscriber Line) Home Networks: as redes domésticas são mais um conceito que uma tecnologia. O que se
vislumbra neste tipo de rede é a interconexão dos diversos dispositivos eletroeletrônicos
usualmente existentes em uma residência (como televisor, reprodutor de DVD, forno de
Cable Modem (Redes HFC) microondas, geladeira, etc..) formando uma rede residencial (que não deixa de ser uma rede
local) que, por sua vez, poderá ser acessada via uma rede WAN, como a Internet.
WLAN (WiFi)
O que se objetiva aqui é que cada dispositivo possa ser acessado, monitorado e comandado
PLC (Power Line Communications) remotamente, via Internet.

WiMax
FTTH (Fiber to the Home)
24/02/2022 Manaus – AM 2019
149 24/02/2022 Manaus – AM 2019
150

149 150
24/02/2022

SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES


C l a s s i f i c a ç ã o d a s r e d e s d e Te l e c o m u n i c a ç õ e s .
Classificação das redes de Telecomunicações.
Ou t ras c lass ific aç õ es
Outras classificações • Redes multimídia
• Home networks Redes Multimídia: Originalmente as redes de telecomunicações eram de uso específico.
Exemplo, as redes telefônicas foram concebidas para transporte de sinais de telefonia, as
redes de pacotes X.25 e IP foram concebidas para transporte de sinais de dados e as redes
de distribuição de TV para transporte de sinais de vídeo.
Ver estudo sobre Redes orientadas a conexões: X.25, Frame Relay e ATM

Com o passar do tempo, muitas aplicações multimídia foram concebidas e a possibilidade de


se transportar duas ou mais mídias em uma mesma rede tornou-se uma necessidade. Este
processo evolutivo levou à especificação das redes ATM (Asynchronous Transfer Mode), a
única rede, dentre as já citadas neste texto, que foi originalmente concebida como rede
multimídia.
Além disso, esforços foram realizados no sentido de permitir tráfego multimídia também nas
redes que haviam originalmente sido concebidas como redes de dados, dando origem às
soluções denominadas voz sobre Frame Relay, voz sobre IP (VoIP), IPTV, etc.

A tendência atual é a de que todas as redes de telecomunicações se tornem redes


multimídia.
24/02/2022 Manaus – AM 2019
151 24/02/2022 Manaus – AM 2019
152

151 152
24/02/2022

SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES


Classificação das redes de Telecomunicações. Classificação das redes de Telecomunicações.
ENTENDENDO A CONVERGÊNCIA
Outras classificações
A cada novo serviço, surgia uma nova rede para atendê-lo • Redes de comunicações fixas e móveis

Redes de Comunicações Fixas e Móveis: uma rede de comunicações fixas é aquela em que
Superposição de Recursos (Redes de Acesso e Transporte) os terminais do usuário não podem ter mobilidade, como em uma rede telefônica
tradicional.
Já uma rede de comunicações móveis é aquela em que se permite a mobilidade do terminal
do usuário, como em uma rede de telefonia celular.
A interligação de TUDO seria muito cara e confusa!

STFC – Serviço Telefônico Físico Comutado


SOLUÇÃO: Construir uma nova rede DIGITAL, abrangente e SMP – Serviço Móvel Pessoal
CONVERGENTE!

24/02/2022
• Redes multimídia 153 24/02/2022 Manaus – AM 2019
154

153 154
24/02/2022

SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES


Classificação das redes de Telecomunicações. Classificação das redes de Telecomunicações.
C l a ss i f i ca çã o q u a n t o a o t i p o de co m u ta çã o
• Re d e s c o m c o m u t a ç ã o d e c i r c u i t o s

Classificação quanto ao tipo de comutação • Re d e s c o m c o m u t a ç ã o d e p a c o t e s


– Datagrama
• Redes com comutação de circuitos – Circuito Virtual
Quando os pacotes possuem tamanho fixo, como nas redes ATM (Asynchronous
• Redes com comutação de pacotes Transfer Mode), os mesmos são denominados células e as redes passam a ser
denominadas como redes com comutação de células.
– Datagrama A CÉLULA ATM
– Circuito Virtual
Quando os pacotes possuem tamanho fixo, como nas redes
ATM (Asynchronous Transfer Mode), os mesmos são
denominados células e as redes passam a ser denominadas
como redes com comutação de células.

24/02/2022 Manaus – AM 2019


155 24/02/2022 Manaus – AM 2019
156

155 156
24/02/2022

SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES


I n tro d u ção – Re d e s c o m C o m u ta ç ã o d e C i r c u i to s
I ntrodução – Redes com Comutação de Circuitos
COMUTAÇÃO DE CIRCUITOS
O processo de comunicação em uma rede com comutação de
circuitos se divide em 03 (três) fases: Rede Telefônica
Rede Local Rede Local
1. estabelecimento do circuito Para outros Países

2. transmissão da informação
CPCT RI Central
3. encerramento do circuito Internacional Central
Local
Central
Na fase de estabelecimento do circuito há um processo de sinalização no qual o Local

terminal, denominado chamador, informa à rede o endereço de destino do terminal


Central Central Central Central
com o qual ele deseja estabelecer a comunicação, denominado terminal chamado. Interurbana Interurbana
Tandem Tandem
Transito Transito
ERB
O processo de estabelecimento do circuito resulta na alocação de recursos de ERB Central de
comunicação para uso exclusivo dos terminais (chamador e chamado). CPCT Comutação
e Controle
Central de
O encerramento do circuito libera estes recursos para o atendimento de outras Comutação

comunicações de outros (ou dos mesmos) terminais.


e Controle
Rede Interurbana

24/02/2022 Manaus – AM 2019


157 24/02/2022 158

157 158
24/02/2022

SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES


I ntrodução – Redes com Comutação de Circuitos I ntrodução – Redes com Comutação de Circuitos

Por exemplo, na Figura tem-se quatro terminais telefônicos, cujos endereços são A1 a Por exemplo, Vamos admitir que o terminal A1 deseja se comunicar com o terminal B3.
A4, conectados à central A e outros quatro terminais telefônicos, cujos endereços são B1 Os seguintes passos ocorrem neste processo:
a B4, conectados à central B. Entre as centrais A e B há dois canais de comunicação
disponíveis, cada um capaz de atender a uma chamada telefônica.

24/02/2022 Manaus – AM 2019


159 24/02/2022 Manaus – AM 2019
160

159 160
24/02/2022

SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES


I ntrodução – Redes com Comutação de Circuitos I ntrodução – Redes com Comutação de Circuitos

 Inicialmente o terminal A1 envia à central A uma mensagem de sinalização  A central B verifica se o terminal chamado (B3) está livre para estabelecer uma
indicando seu desejo de estabelecer um circuito com o terminal B3. chamada. Em caso positivo, a central B estabelece uma conexão entre o canal 1 e
o terminal B3 e o circuito está estabelecido; caso contrário, uma mensagem de
 A central A examina o endereço do terminal chamado e percebe que o mesmo
sinalização é enviada de volta ao terminal A indicando a impossibilidade de se
pertence a outra central (todos os terminais conectados à central A possuem
estabelecer o circuito e o processo está encerrado.
endereço começando com A, que é o prefixo da central). Então, a central A
verifica se há um canal disponível conectando as centrais A e B. Caso o recurso  Uma vez estabelecido o circuito, o processo de comunicação entre A1 e B3 tem início.
esteja disponível, a central A estabelece uma conexão entre o terminal A1 e o
 Quando um dos terminais deseja encerrar a comunicação, esta intenção é sinalizada
canal de comunicação que será utilizado (canal 1 na figura) e envia uma
à sua central e o circuito é desfeito.
mensagem de sinalização à central B informando o endereço do terminal chamado
O encerramento do circuito disponibiliza o canal 1 para o
(B3) e o canal que será utilizado para a comunicação entre as centrais A e B; caso
estabelecimento de uma nova comunicação envolvendo outros (ou os mesmos
contrário, a central A informa ao terminal A1 que a comunicação não pode ser
terminais).
estabelecida.

24/02/2022 Manaus – AM 2019


161 24/02/2022 Manaus – AM 2019
162

161 162
24/02/2022

SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES


I ntrodução – Redes com Comutação de Circuitos I ntrodução – Redes com Comutação de Circuitos

Ressaltar que o canal de comunicação estabelecido entre A1 e B3 é transparente, ou Uma vez estabelecido o circuito, o atraso experimentado pela informação entre a origem e

seja, os terminais podem transmitir qualquer tipo de informação pelo canal, o destino é fixo e se resume ao tempo de propagação do sinal, que é da ordem de grandeza

respeitando apenas os limites dos recursos envolvidos (por exemplo, taxa de de 3,3 a 5 s/km. Esta característica é uma grande vantagem para transmissão de tráfegos que

transmissão associada ao canal de comunicação entre as centrais). Ou seja, tudo se são sensíveis a atraso e a variação de atraso, como tráfego de voz e vídeo.

passa como se houvesse um meio físico conectando diretamente os terminais A1 e B3.


As mensagens transmitidas não são armazenadas ou processadas pelas centrais.

24/02/2022 Manaus – AM 2019


163 24/02/2022 Manaus – AM 2019
164

163 164
24/02/2022

SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES


I ntrodução – Redes com Comutação de Circuitos I ntrodução – Redes com Comutação de Circuitos

Vantagens da comutação de circuito, temos: a comunicação entre a origem e o destino é


transparente e o atraso entre origem e destino é constante e limitado ao tempo de propagação. Um exemplo de rede com comutação
Desvantagens da comutação de circuitos, podemos citar: os terminais de origem e destino
de circuitos é a rede telefônica.
Esses circuitos também podem trafregar dados.
devem operar à mesma taxa de transmissão; se os terminais deixam de transmitir, há
subutilização do recurso de comunicação alocado, uma vez que este recurso é de uso
exclusivo dos terminais; o estabelecimento do circuito consome tempo, o que pode reduzir a
eficiência do sistema quando a mensagem a ser transmitida possui comprimento pequeno.

24/02/2022 Manaus – AM 2019


165 24/02/2022 Manaus – AM 2019
166

165 166
24/02/2022

SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES


I ntrodução – Redes com Comutação de Circuitos I ntrodução – Redes com Comutação de Circuitos

Um exemplo de rede com comutação de circuitos é a rede telefônica. Um exemplo de rede com comutação de circuitos é a rede telefônica.

RESUMO
• Caminho de comunicação é dedicado entre duas
estações

• 03 (Três) fases
– Estabelecimento do circuito
– Transferência de informação
– Liberação do circuito
• Deve ter capacidade de comutação e capacidade de
transmissão para estabel ecer a conexão

• Atraso fi xo e igual ao tempo de propagação

24/02/2022 Manaus – AM 2019


167 24/02/2022 Manaus – AM 2019
168

167 168
24/02/2022

SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES
SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES
I ntrodução – Redes com Comutação de Circuitos

Um exemplo de rede com comutação de circuitos é a rede telefônica


I ntrodução – Redes com Comutação por Pacotes
RESUMO
• Ineficiência
– Capacidade do canal dedicada por toda a conexão.
– Se não há informação a ser transmitida, capacidade do canal
é perdida, fica ociosa.
• Estabelecimento da conexão leva tempo.

• Uma vez conectado, a transferência da informação é


transparente.

• Desenvolvido para tráfego de voz – telefonia.

24/02/2022 Manaus – AM 2019


169 24/02/2022 Manaus – AM 2019
170

169 170
24/02/2022

SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES


I ntrodução – Redes com Comutação por Pacotes
I ntrodução – Redes com Comutação por Pacotes
COMUTAÇÃO DE CIRCUITOS
A primeira diferença entre uma rede com comutação de circuitos e uma rede com comutação
Rede Telefônica e de Dados de pacotes é que nesta última não há recursos de comunicação dedicados a dois terminais;
ou seja, os recursos de comunicação são compartilhados entre as diversas fontes que estão
Rede Local Rede Local utilizando a rede.
Para outros Países

CPCT O enlace de comunicação existente entre os comutadores é compartilhado pelos três terminais
RI Central
Internacional Central de origem.
Local
Central Como o tráfego de dados gerado pelos terminais é, tipicamente, em rajadas (ou seja, os
Local terminais não transmitem o tempo todo), a capacidade do enlace conectando os dois
comutadores pode ser menor do que o somatório das taxas dos enlaces de entrada (que
Central Central Central Central
Tandem Interurbana Interurbana Tandem
conectam os terminais ao comutador).
Transito Transito
ERB
ERB Central de
CPCT Comutação
Central de e Controle INFORMAÇÃO
Comutação
e Controle
Rede Interurbana

1010101110000011

24/02/2022 171 24/02/2022 Manaus – AM 2019


172

171 172
24/02/2022

SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES


I ntrodução – Redes com Comutação por Pacotes I ntrodução – Redes com Comutação por Pacotes
Nas redes de comutação de pacotes as mensagens são transmitidas em pacotes que contêm:
Nas redes de comutação de pacotes as mensagens são transmitidas em pacotes que contêm:

1. Um campo de informação, no qual são transportados os dados do usuário, 1. Um campo de informação, no qual são transportados os dados do usuário,
2. Um campo de cabeçalho, que contém informações necessárias para o 2. Um campo de cabeçalho, que contém informações necessárias para o
encaminhamento dos pacotes pela rede. encaminhamento dos pacotes pela rede.

Cabeçalho
As redes de comutação de pacotes são do tipo Store-and-Forward; ou seja, o comutador
recebe um pacote, processa as informações contidas no cabeçalho e só então transmite este
0011000111000111100111100011110000110001101111111111000
pacote para o destino ou para o próximo comutador no caminho para o destino.

INFORMAÇÃO

IN FOR MA ÇÃO

IN FOR MA ÇÃO

24/02/2022 Manaus – AM 2019


173 24/02/2022 Manaus – AM 2019
174

173 174
24/02/2022

SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES


I ntrodução – Redes com Comutação por Pacotes I ntrodução – Redes com Comutação por Pacotes
Nas redes de comutação de pacotes as mensagens são transmitidas em pacotes que contêm: as redes de comutação de pacotes não são transparentes como as redes de comutação de
circuitos, ou seja, os pacotes transmitidos têm de obedecer a regras especificadas pelos
1. Um campo de informação, no qual são transportados os dados do usuário, protocolos utilizados na rede, como formato do pacote, conteúdo do cabeçalho, etc
2. Um campo de cabeçalho, que contém informações necessárias para o
Como há possibilidade de chegada simultânea de pacotes nas diversas entradas, há necessidade
encaminhamento dos pacotes pela rede. de um buffer no comutador para acomodar estes picos de tráfego.
Em geral, evita-se a transmissão de pacotes muito longos, o que significa que mensagens longas
As redes de comutação de pacotes são do tipo Store-and-Forward; ou seja, o comutador
devem ser divididas em pacotes menores.
recebe um pacote, processa as informações contidas no cabeçalho e só então transmite este
pacote para o destino ou para o próximo comutador no caminho para o destino.

24/02/2022 Manaus – AM 2019


175 24/02/2022 Manaus – AM 2019
176

175 176
24/02/2022

SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES


I ntrodução – Redes com Comutação por Pacotes I ntrodução – Redes com Comutação por Pacotes

Em geral, evita-se a transmissão de pacotes muito longos, o que significa que mensagens • D ad o s tran sm iti d o s e m p e q u e n o s p a c o te s ;
longas devem ser divididas em pacotes menores.
– Exemplo: 1000 octetos (8 bits = 1 byte; ½ byte = nibble ou semioctecto)
Há duas razões para se trabalhar com pacotes menores: – Mensagens mais longas são divididas em uma série de pacotes
– Cada pacote contém uma parte dos dados do usuário mais alguma
1. É que a probabilidade de ocorrer um erro no pacote aumenta com o tamanho do mesmo; informação de controle

2. É que, tipicamente, há vários enlaces entre a origem e o destino (e não apenas um como • Pa c o t e s s ão r e c e b i d o s p e lo nó, b r e ve me n te ar m a z e nad o s e
mostrado na Figura abaixo. tr ansm it id o s ao p r ó x im o n ó
– Store and forward

24/02/2022 Manaus – AM 2019


177 24/02/2022 Manaus – AM 2019
178

177 178
24/02/2022

SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES


I ntrodução – Redes com Comutação por Pacotes I ntrodução – Redes com Comutação por Pacotes

Há duas razões para se trabalhar com pacotes menores: Exemplo :


Para ilustrar este efeito, admita uma rede onde há quatro enlaces
1. É que a probabilidade de ocorrer um erro no pacote aumenta com o tamanho do mesmo; conectando a origem ao destino, a taxa de transmissão em cada
2. É que, tipicamente, há vários enlaces entre a origem e o destino (e não apenas um como enlace é de 1 bps, cada pacote contém um cabeçalho de 2 bits e a
mostrado na Figura abaixo. mensagem original possui 20 bits. A Figura ilustra a rede em
questão.

24/02/2022 Manaus – AM 2019


179 24/02/2022 Manaus – AM 2019
180

179 180
24/02/2022

SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES


I ntrodução – Redes com Comutação por Pacotes I ntrodução – Redes com Comutação por Pacotes
Exemplo :
Para ilustrar este efeito, admita uma rede onde há quatro enlaces conectando a origem ao destino, a taxa de transmissão Se a mensagem é transmitida em um pacote único:
em cada enlace é de 1 bps, cada pacote contém um cabeçalho de 2 bits e a mensagem original possui 20 bits. A Figura o tempo de transmissão da mensagem em cada enlace é de 22 s , ou seja [(20
ilustra a rede em questão.
bits de informação + 2 bits de cabeçalho) / 1 bps].
Se a mensagem é transmitida em um pacote único: Admitindo que a mensagem começa a ser transmitida no instante 0, desprezando
o tempo de transmissão da mensagem em cada enlace é de 22 s , ou seja [(20 bits o tempo de propagação no enlace e os possíveis atrasos internos em cada
de informação + 2 bits de cabeçalho) / 1 bps]. comutador, tem-se que a mensagem chegará ao destino após 88 segundos.
Admitindo que a mensagem começa a ser transmitida no instante 0, desprezando o (lembre-se que a rede é store-and-forward e, portanto, cada comutador
tempo de propagação no enlace e os possíveis atrasos internos em cada comutador, intermediário só pode iniciar a transmissão da mensagem após recebê-la
tem-se que a mensagem chegará ao destino após 88 segundos. completamente).
(lembre-se que a rede é store-and-forward e, portanto, cada comutador
intermediário só pode iniciar a transmissão da mensagem após recebê-la Se a mensagem é dividida em dois pacotes (1 e 2), cada um irá conter 12 bits (10
completamente). bits de informação + 2 bits de cabeçalho) e o tempo de transmissão de cada
pacote em cada enlace é de 12 segundos.

24/02/2022 Manaus – AM 2019


181 24/02/2022 Manaus – AM 2019
182

181 182
24/02/2022

SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES


I ntrodução – Redes com Comutação por Pacotes I ntrodução – Redes com Comutação por Pacotes
No instante t = 12 s o pacote 1 chegou ao comutador C1. Neste instante este No instante t = 48 s o pacote 1 (e portanto a mensagem) chegou ao destino.
comutador pode iniciar a transmissão deste pacote para o comutador C2.
Simultaneamente, o terminal de origem pode iniciar a transmissão do pacote 2 para o
comutador C1, ou seja, entre os instantes t = 12 s e t = 24 s, teremos duas No instante t = 60 s o pacote 2 (e portanto a mensagem) chegou ao destino.
transmissões ocorrendo simultaneamente na rede: a do pacote 1 entre C1 e C2 e a do
pacote 2 entre o terminal de origem e o comutador C1.

No instante t = 24 s o pacote 1 chegou ao comutador C2 e o pacote 2 chegou ao


comutador C1. Logo, entre os instantes t = 24 s e t = 36 s, teremos a transmissão
simultânea do pacote 1 de C2 para C3 e do pacote 2 de C1 para C2.

No instante t = 36 s os pacotes 1 e 2 chegaram aos comutadores C3 e C2,


respectivamente. As transmissões, do pacote 1 para o terminal de destino e do pacote
2 para o comutador C3, têm início.

24/02/2022 Manaus – AM 2019


183 24/02/2022 Manaus – AM 2019
184

183 184
24/02/2022

SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES


I ntrodução – Redes com Comutação por Pacotes I ntrodução – Redes com Comutação por Pacotes

Exemplo : 1 Pacote cabeçalho de 2 bits e a Eventos t e mp ora is - Me n sa ge m Comparando o resultado obtido quando a mensagem foi dividida em dois pacotes
mensagem original possui 20 bits. 2 20 c o m 2 0 bit s de in for maçã o + 2 de menores (60 s) com aquele obtido quando a mensagem foi transmitida em um
c a be ç a lh o – e n la c e s co m 1 bp s
pacote único (88 s), podemos concluir:
– Transmissão em um único que a divisão da mensagem em pacotes menores agilizou o processo de entrega da
Exemplo : Divide em 2 dois Pacotes cabeçalho pacote
de 2 bits e a mensagem original possui 10 mensagem ao terminal de destino.
– Transmissão em dois
bits. P1 2 10 No entanto, deve-se observar que, à medida que dividimos a mensagem em
pacotes
pacotes menores, aumentamos o overhead (processamento ou armazenamento)
– Transmissão em quatro
P2 2 10
pacotes na rede, uma vez que cada pacote deve conter o seu próprio cabeçalho. Assim, o
processo de divisão sucessiva nem sempre resulta em ganho; ou seja, há um
comprimento ótimo de pacote que minimiza o tempo de entrega da mensagem
ao destino.

t0s =P1 t12s =P1 t24s =P1 t36s =P1 t48s =P1 t0s =P1 t12s =P1 t24s =P1 t36s =P1 t48s =P1
t24s =P2 t36s =P2 t48s =P2 t24s =P2 t36s =P2 t48s =P2
t12s =P2 t60s =P2 t12s =P2 t60s =P2

24/02/2022 Manaus – AM 2019


185 24/02/2022 Manaus – AM 2019
186

185 186
24/02/2022

SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES


I ntrodução – Redes com Comutação por Pacotes I ntrodução – Redes com Comutação por Pacotes
Ficam os questionamentos: Neste exemplo quem seria mais rápido ?

Neste exemplo quem seria mais rápido ? Comutação por pacote ou comutação por circuito?

Comutação por pacote ou comutação por circuito? Resposta: com a taxa de transmissão 1 bps e mensagem de 22 bits.

- Comutação Circuito = 88 seg


- Comutação por Pacote (dividido em 2 pacotes) = 60 seg.

t0s =P1 t12s =P1 t24s =P1 t36s =P1 t48s =P1 t0s =P1 t12s =P1 t24s =P1 t36s =P1 t48s =P1
t24s =P2 t36s =P2 t48s =P2 t24s =P2 t36s =P2 t48s =P2
t12s =P2 t60s =P2 t12s =P2 t60s =P2

24/02/2022 Manaus – AM 2019


187 24/02/2022 Manaus – AM 2019
188

187 188
24/02/2022

SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES


I ntrodução – Redes com Comutação por Pacotes I ntrodução – Redes com Comutação por Pacotes
Um problema das redes de comutação de pacotes é que o atraso entre a origem e o
destino é variável com o tráfego na rede. Vantagens das redes de comutação de pacotes são:
Exemplo: admita que na rede da Figura cada comutador possui um buffer capaz de O enlace entre os nós da rede é compartilhado, resultando em melhor eficiência de
armazenar até 10 pacotes. Considerando que um pacote possui 22 bits e que todos os utilização do recurso; os terminais de origem e destino podem se conectar à rede
enlaces são de 1 bps, podemos calcular, facilmente, o menor e o maior tempo utilizando taxas de transmissão diferentes.
necessários para que um pacote chegue ao destino. No melhor caso, o pacote pega
Desvantagens, podemos destacar:
todos os buffers de todos os comutadores vazios (situação de tráfego muito baixo na
Há variação de atraso na rede e o valor do atraso pode ser muito alto
rede), e o tempo para que o pacote chegue ao destino é de 88 segundos, como
(dependendo do tráfego na rede); pode haver perda de pacotes na rede por falta
calculado acima. No pior caso, o pacote pega todos os buffers de todos os
de espaço no buffer dos nós.
comutadores com apenas uma posição (a última) livre (situação de tráfego muito alto
A possibilidade de atrasos altos (considera-se alto um atraso superior a 400 ms) e
na rede). Neste caso, o pacote terá de esperar a transmissão dos 9 pacotes que estão
a variação de atraso são problemas sérios para a transmissão de tráfegos sensíveis
à sua frente na fila para que possa ser transmitido. O tempo para que o pacote chegue
ao destino passa para 682 segundos (22x9x3+88). Como o tráfego na rede é variável a atraso e a jitter, como tráfego de voz e vídeo
com o tempo, é de se esperar que pacotes sucessivos de uma mesma mensagem
experimentem atrasos diferentes na rede. Esta variação de atraso é denominada de
“ jitter “.

24/02/2022 Manaus – AM 2019


189 24/02/2022 Manaus – AM 2019
190

189 190
24/02/2022

SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES


I ntrodução – Redes com Comutação por Pacotes I ntrodução – Redes com Comutação por Pacotes

1. Redes do tipo Datagrama.


As redes com comutação de pacotes podem ser divididas : Nas redes datagrama cada pacote é tratado pelos comutadores como uma entidade
autônoma.
Assim, pacotes diferentes pertencentes a uma mesma mensagem podem ser tratados
1. Redes do tipo Datagrama. pela rede de forma diferente
2. Redes do tipo Circuito Virtual.

Estes dois tipos de rede estão brevemente descritos a seguir.

24/02/2022 Manaus – AM 2019


191 24/02/2022 Manaus – AM 2019
192

191 192
24/02/2022

SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES


I ntrodução – Redes com Comutação por Pacotes I ntrodução – Redes com Comutação por Pacotes

1. Redes do tipo Datagrama. 1. Redes do tipo Datagrama.


• Cada paco te é t ra tado de fo rma i ndepende nte
Nas redes datagrama cada pacote é tratado pelos comutadores como uma entidade
autônoma. • Pa c o t e s de um a mesma mens agem p o d e m to mar rot as
Assim, pacotes diferentes pertencentes a uma mesma mensagem podem ser tratados distint as
pela rede de forma diferente
• Pa c o t e s p o d e m chegar fo ra de o r d e m

• O re cept or deve re orde nar o s paco te s

24/02/2022 Manaus – AM 2019


193 24/02/2022 Manaus – AM 2019
194

193 194
24/02/2022

SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES


I ntrodução – Redes com Comutação por Pacotes I ntrodução – Redes com Comutação por Pacotes
1. Redes do tipo Datagrama.
Exemplo: 2. Redes do tipo Circuito Virtual.
Em uma rede na qual pode haver vários caminhos conectando uma origem a um destino, os Neste tipo de rede um circuito virtual é estabelecido entre a origem e o destino antes que o
comutadores tomam decisão de roteamento (por que caminho encaminhar o pacote até o envio da mensagem tenha início. Ou seja, de forma semelhante às redes com comutação de
destino) para cada pacote individualmente? circuito.
Assim, pacotes distintos de uma mensagem podem ser encaminhados pela rede por caminhos
distintos e, portanto, podem chegar ao destino fora da ordem em que foram transmitidos, o Neste tipo de rede a troca de mensagens engloba três fases:
que caracteriza uma desvantagem em relação às redes do tipo circuito virtual 1. Estabelecimento do circuito virtual
2. Transmissão da informação
Por outro lado, a possibilidade de envio de pacotes por caminhos distintos permite que rotas 3. Desconexão do circuito virtual
congestionadas possam ser evitadas, o que caracteriza uma vantagem das redes datagrama
em relação às redes do tipo circuito virtual.
Outra característica associada às redes datagrama é a necessidade de cada pacote transportar
o endereço explícito do destino para que o mesmo possa ser encaminhado pela rede

As redes IP são redes com comutação de pacotes do tipo datagrama.

24/02/2022 Manaus – AM 2019


195 24/02/2022 Manaus – AM 2019
196

195 196
24/02/2022

SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES


I ntrodução – Redes com Comutação por Pacotes I n tro d u ção – Re d e s co m C o m u ta çã o p o r Pa co t e s
2. Redes do tipo Circuito Virtual. 1. Redes do tipo Circuito Virtual.
Neste tipo de rede um circuito virtual é estabelecido entre a origem e o destino antes que o envio da Neste tipo de rede a troca de mensagens engloba três fases:
mensagem tenha início. Ou seja, de forma semelhante às redes com comutação de circuito. 1. Estabelecimento do circuito virtual
2. Transmissão da informação
Neste tipo de rede a troca de mensagens engloba três fases: 3. Desconexão do circuito virtual
1. Estabelecimento do circuito virtual Os circuitos virtuais comutados são estabelecidos sob demanda do terminal por meio
2. Transmissão da informação
3. Desconexão do circuito virtual do envio de uma mensagem de sinalização solicitando a abertura do circuito. Em
geral, os circuitos virtuais comutados são mantidos apenas durante a troca de
informação entre os terminais (de forma semelhante aos circuitos estabelecidos nas
redes telefônicas).

Os circuitos virtuais permanentes são estabelecidos por meio de procedimentos de


gerência da rede e são utilizados para conectar dois pontos de forma permanente (ou
semi- permanente).

24/02/2022 Manaus – AM 2019


197 24/02/2022 Manaus – AM 2019
198

197 198
24/02/2022

SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES


I n tro d u ção – Re d e s co m C o m u ta çã o p o r Pa co t e s I ntrodução – Redes com Comutação por Pacotes
1. Redes do tipo Circuito Virtual.
Neste tipo de rede a troca de mensagens engloba três fases:
1. Estabelecimento do circuito virtual; 2. Transmissão da informação; 3. Desconexão do circuito virtual 2. Redes do tipo Circuito Virtual.
Neste tipo de rede a troca de mensagens engloba três fases:
Os circuitos virtuais comutados são estabelecidos sob demanda do terminal por meio do 1. Estabelecimento do circuito virtual
2. Transmissão da informação
envio de uma mensagem de sinalização solicitando a abertura do circuito. Em geral, os 3. Desconexão do circuito virtual

circuitos virtuais comutados são mantidos apenas durante a troca de informação entre os Para uma rede com caminhos alternativos entre uma origem e um destino, a
terminais (de forma semelhante aos circuitos estabelecidos nas redes telefônicas). Os decisão de roteamento é tomada apenas no momento do estabelecimento do
circuito virtual. Ou seja, uma vez estabelecido o circuito virtual, todos os pacotes
circuitos virtuais permanentes são estabelecidos por meio de procedimentos de gerência
da mensagem serão enviados pelo mesmo caminho e, portanto, chegarão ao
da rede e são utilizados para conectar dois pontos de forma permanente (ou semi- destino na mesma ordem em que foram transmitidos.
permanente).

24/02/2022 Manaus – AM 2019


199 24/02/2022 Manaus – AM 2019
200

199 200
24/02/2022

SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES


I ntrodução – Redes com Comutação por Pacotes I ntrodução – Redes com Comutação por Pacotes
2. Redes do tipo Circuito Virtual. 2. Redes do tipo Circuito Virtual.
Neste tipo de rede a troca de mensagens engloba três fases: Neste tipo de rede a troca de mensagens engloba três fases:
1. Estabelecimento do circuito virtual 1. Estabelecimento do circuito virtual
2. Transmissão da informação 2. Transmissão da informação
3. Desconexão do circuito virtual 3. Desconexão do circuito virtual

O circuito virtual é identificado por um label (com sentido local), denominado número do RESUMO
• U m c ir cu it o virtual é e st a be le cid o a n t e s qu e q u a lqu e r pa co t e seja
circuito virtual, e os pacotes são encaminhados dentro da rede com base neste label; ou
e nvia do
seja, os pacotes não contêm o endereço explícito do destino e sim o número do circuito
virtual. • Cada p a c ot e co n t é m u m id e n t ificad or “ l a b e l ” do cir cu it o virtual a o invé s
O encaminhamento dos pacotes com base no label é mais rápido do que o encaminhamento do e n d e r e ço do d e st in o
com base no endereço explícito do destino, o que caracteriza uma vantagem do circuito • N ã o h á de cisã o d e r o t e ame n t o p a ra cad a pa cot e
virtual sobre as redes datagrama.
Por outro lado, o estabelecimento do circuito virtual toma tempo, o que pode caracterizar • Tod o s o s pa co t e s s ão e nvia do s pe la me sma r o t a
uma desvantagem deste tipo de rede quando a mensagem a ser transmitida é pequena.
• Note, u m c ir cu it o virtual n ão é u m ca min h o de dica do
As redes X.25, Frame-Relay e ATM são redes com comutação de pacotes do tipo As redes X.25, Frame-Relay e ATM são redes com comutação de pacotes do tipo
circuito virtual. circuito virtual.

24/02/2022 Manaus – AM 2019


201 24/02/2022 Manaus – AM 2019
202

201 202
24/02/2022

SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES


I ntrodução – Redes com Comutação por Pacotes I ntrodução – Redes com Comutação por Pacotes

Circuito virtual ---versus --- datagrama. Comutação de circuitos – versus -- pacotes.


Eventos temporais.
• Circuitos Virtuais - As redes X.25, Frame-Relay e ATM .
– Rede entrega pacotes na seqüência
– Pacotes são encaminhados mais rapidamente
• Não há decisões de roteamento para cada pacote
– Menos confiável
• Se um nó é perdido, todos os circuitos virtuais passando por
aquele nó são perdidos
• Datagrama - As redes IP
– Não há fase de estabelecimento da conexão
• Melhor se há poucos pacotes a serem transmitidos
– Mais flexível
• Roteamento pode ser utilizado para evitar o congestionamento
de partes da rede
– Pacotes podem ser entregues fora de ordem
24/02/2022 Manaus – AM 2019
203 24/02/2022 Manaus – AM 2019
204

203 204
24/02/2022

SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES
I ntrodução – Redes com Comutação por Pacotes

Obrigado

24/02/2022 Manaus – AM 2019


205

205

Você também pode gostar