Você está na página 1de 7

04/03/2020

Disciplina: Nutrição Materno-Infantil


AULA 4: Avaliação Nutricional na
Gestação

Profa. Ana Carolina M


Cavalcante

Introdução Contribuintes do Ganho de Peso


 Inclui:
 Avaliação Antropométrica
 Anamnese Alimentar
 Exames bioquímicos
 Exame clínico
 Relação:
 Estado nutricional pré-gestacional:
influencia o ganho de peso insuficiente ou
excessivo
 Modificação do EN na gestação: período
ganho de peso: aumenta as taxas de SP/O:
gestação aumenta a obesidade da mulher

Objetivo da A.N Avaliação Antropométrica


 Avaliar o estado nutricional da gestante e
acompanhar o ganho de peso durante a  Peso pré-gestacional e Peso (todas as consultas)
gestação para:  Altura (1ª consulta)
 Quando adolescente: medir trimestralmente

 Identificar as gestantes em risco nutricional (baixo  IMC


peso, sobrepeso ou obesidade) no início da gestação  Idade gestacional:

 Detectar as gestantes com ganho de peso baixo ou  1,2,3 dias – semana completa

excessivo para a IG • (12 semanas e 2 dias = 12 semanas)


 Realizar orientação adequada para cada caso, visando  4,5,6 dias – semana seguinte
à promoção do estado nutricional materno, condições • (12 semanas e 5 dias = 13 semanas)
para o parto e peso do recém-nascido.  Ganho de peso gestacional
 Circunferência Braquial (menos usual)
 Altura uterina

1
04/03/2020

Avaliação Antropométrica Avaliação Antropométrica

 Determinação do peso pré-gestacional MEDIDA DA ALTURA

 Ideal: peso REAL MEDIDO ou Atenção para:


 Peso de 2 meses antecedentes a gestação ou
Postura alterada
 Peso até 13ª SG ou
Lordose fisiológica

Estado Nutricional e Ganho de Peso Estado Nutricional e Ganho de Peso


Mulher Adulta Gestante Adolescente
Estado Ganho de Ganho de peso Ganho de peso
Estado Ganho de Ganho de peso Ganho de peso
Nutricional peso TOTAL SEMANAL no total na
Nutricional inicial peso total no semanal médio total na
inicial no 1º 2º e 3º gestação 1º trimestre no 2º e 3º gestação
Curvas da OMS
(IMC) trimestre* trimestre trimestre
para IMC/I
Baixo Peso 2,3 0,5 12,5 – 18,0 Baixo Peso 2,3 0,5 12,5 – 18,0
IMC < P3
Adequado 1,6 0,4 11,5 – 16,0 Adequado 1,6 0,4 11,5 – 16,0
P3 < IMC < P85
Sobrepeso 0,9 0,3 7,0 – 11,5 Sobrepeso 0,9 0,3 7,0 – 11,5
P85 < IMC < P95
Obesidade 0,5 0,2 5,0 – 9,0 Obesidade - 0,3 7,0 – 9,1
IMC > P95
*: Analisar com cautela caso a gestante não atinja esse ganho. Muitas vezes
FONTE: IOM, 1992 adaptado. Utilizado pelo SISVAN.
não é necessária.
FONTE: adaptado das recomendações do IOM (2009) e OMS (1985).

2
04/03/2020

Gráfico do IMC pela SG (Atalah, 1997)

Gráfico do IMC para IG Acompanhamento do


Ganho de Peso
 Utilizado pelo SISVAN
GESTANTE DE
 Sem limites para mulheres muito altas ou muito
baixas BAIXO PESO
 Não requer tabela de peso e altura Recomendação:
 Traçado ascendente: ganho de peso adequado  Curva de ganho de
 Traçado horizontal ou descendente: ganho de peso deve ter
peso inadequado (gestante de risco)
inclinação
ascendente maior
que a faixa do BP

Acompanhamento do Acompanhamento do
Ganho de Peso Ganho de Peso
GESTANTE DE PESO GESTANTE
ADEQUADO SOBREPESO
Recomendação: Recomendação:
 Inclinação ascendente próxima da
 Curva de ganho de faixa S inferior ou superior,
depende do estado nutricional
peso deve ter inicial
inclinação Por exemplo: se uma gestante de
sobrepeso inicia a gestação com IMC
ascendente entre as próximo ao limite inferior dessa faixa,
sua curva de ganho de peso deve ter
faixas A inclinação ascendente semelhante à
curva que delimita a parte inferior
dessa faixa no gráfico.

3
04/03/2020

Acompanhamento do Estado Nutricional e Ganho de Peso


Ganho de Peso Gestantes Gemelares
GESTANTE OBESA Estado Nutricional Ganho de peso
Recomendação: Inicial (IMC) Total na gestação
 Deve apresentar inclinação em Kg
semelhante ou inferior Eutrofia 17 – 25
(desde que ascendente) à
curva que delimita a parte
Sobrepeso 14 – 24
inferior da faixa de obesidade. Obesidade 11 – 19
TRIGEMELAR 20,5 - 23
QUADRIGEMELAR 20,8 – 31
Fonte: Ministério da saúde, 2012. Adaptado de IOM (1973)

Estado Nutricional e Ganho de Peso Estimativa do Ganho de Peso


Gestantes Gemelares* (IMC antigo)
OBSERVAÇÕES:
IG Baixo Eutrofia Sobrepeso Obesidade
peso
0 a 20 SG 560 a 780 450 a 670 450 a 560 340 a450  Gestantes < 1,47m: ganho de peso total mínimo
g/semana  Investigar ganho de peso > 0,5Kg/semana ou >
20 a 28 SG 670 a 780 560 a 780 450 a 670 340 a 560 3Kg/mês
g/semanas
 Ganho de peso mínimo a partir do 2º trimestre:
> 28 SG 560 450 450 340
g/semanas
• 0,5 Kg/mês para sobrepeso e obesas
Ganho total 22,5 a 27,9 18 a 24,3 17,1 a 13 a 17,1 • 1,0 Kg/mês para desnutridas e eutróficas
Kg 21,2

Fonte: Luke e cols., 2003

Curva de Ganho de Peso p/ IG Curva de Ganho de Peso p/ IG


Centro Latino-americano de Perinatologia
(Fescina, 1997)

Interpretação e Observações:
 Não considera o estado nutricional pré-
gestacional
 Bom para uso em mulheres eutróficas (avaliar
desvios de ganho)
 P25-90: Adequado ganho de peso
 P < 25: Baixo peso
 P > 90: Sobrepeso

4
04/03/2020

Medida da Altura Uterina Medida da Altura Uterina

Objetivo: Identificar o crescimento normal


fetal, correlacionando-se a medida da altura
uterina com o número de semanas de
gestação.

 Padrão de referência: curvas de altura uterina


para IG do Centro Latino-Americano de
Perinatologia (CLAP).

Medida da Altura Uterina Altura Uterina pela SG (CLAP)


• Posicionar a gestante em decúbito dorsal
• Delimitar a borda superior da sínfise púbica e o
fundo uterino
• Fixar a extremidade inicial da fita métrica (flexível
e não extensível) na borda superior da sínfise
púbica
• Marcar o ponto na curva da altura uterina.

Altura Uterina pela SG Outras Medidas Antropométricas


 Circunferência Braquial
Interpretação:  Comparação entre as medidas

 Menos sensível que o peso em relação às alterações a


Entre P10 e P90: NORMALIDADE
curto prazo

< P10: RCIU – alto risco  Pode diminuir pois na gestação há transferências de
reservas energéticas entre os seguintes corporais
> P90: DMG, macrossomia, gemelaridade
e polidrâmnio

5
04/03/2020

Outras Medidas Antropométricas Avaliação Dietética


 Prega Cutânea Triciptal
 Número de refeições
 Grupos e quantidades de alimentos
 PCT: Pode ocorrer redução devido a transferência de
tecido adiposo entre os segmentos corporais  Uso de refrigerantes, bebidas alcoólicas, chás, café,
guloseimas, produtos dietéticos e edulcorantes
• Deve-se calcular:  Investigar tabus, alergias e intolerâncias
CMB (cm) = CB (cm) – 0,314 x PCT (mm)  Modificações (inclusão/exclusão)
 Picamalácia
Comparação valor inicial e valor final com padrão de
referência para mulheres

Avaliação Bioquímica
Avaliação clínica
VALORES MULHER ADULTA GESTANTE
Hematócrito 37 a 47% 33 a 44 %
 Sinais e sintomas digestivos Glicemia 75 a 115 mg/dl < 85 mg/dl
 Sinais clínicos sugestivos de carência Aldosterona (plasma) < 8 ng/dl < 20 ng/dl
Cortisol (plasma) 5 a 25 μg/dl 15 a 35 μg/dl
nutricional (exame físico de olhos, face,
T4 5 a 12 μg/dl 10 a 17 μg/dl
lábios e língua, glândulas, gengiva,
T3 70 a 190 μg/dl 100 a 220 μg/dl
edema, PA) Cálcio total 9,0 a 10,5 mg/dl 8,1 a 9,5 mg/dl
 Cegueira noturna gestacional Insulina, jejum 6 a 26 μU/ml 8 a 30 μU/ml
Hemoglobina 12 a 16 g/dl > 11g/dl
Ferritina 15 a 200 ng/ml 15 a 150 ng/ml
Ferro 135 μg/dl 90 μg/dl
Creatinina < 1,5 mg/dl < 1,0 mg/dl

Avaliação Bioquímica FLUXO DE ATENDIMENTO


PARA UMA GESTANTE
VALORES MULHER ADULTA GESTANTE

Sódio 136 a 145 mEq/l 130 a 140 mEq/l Receber e acolher a paciente
Proteínas urinárias < 150 mg/dia < 300 mg/dia Solicitar o cartão de pré-natal
Anamnese social
Colesterol 120 a 180 mg/dl 180 a 280 mg/dl
Exames Laboratoriais
Triglicerídeos < 160 mg/dl < 260 mg/dl Exame Físico (edema, carências)
Avaliação Antropométrica
Proteína plasmática total 8,0 g/dl 7,0 g/dl
Anamnese Alimentar
Albumina 3,5 a 5,5 g/dl 2,5 a 4,5 g/dl Diagnóstico nutricional
Burrows e Ferris, 1996
Prescrição dietética com educação nutricional
Agenda consulta para acompanhamento

6
04/03/2020

REFERÊNCIAS DA AULA EXERCÍCIOS – passo a passo


 1. Calcular o IMC pré gestacional e classificar o estado nutricional pelos pontos
de corte da OMS (1985, citado pelo MS, 2012). Determinar quanto a gestante
 ACCIOLY, E.; SAUNDERS, C.; LACERDA, E.M.A. Nutrição em obstetrícia e
pediatria. Rio de Janeiro: Cultura Médica, 2009. pode ganhar (primeiro trimestre: ganho total / a partir do segundo trimestre:
 VITOLO, M.R. Nutrição: da gestação ao envelhecimento. Rio de Janeiro: Ed. ganho semanal) segundo o estado nutricional inicial.
Rubio, 2008. 628p.  2. Calcular os valores de IMC ao longo da gestação e traçar a linha dessa
 BARBOSA, J. M., NEVES, C. M. A. F.; ARAÚJO, L .L., SILVA, E. M. C. Guia gestante no gráfico do IMC/SG, segundo Atalah et al. (1997).
ambulatorial de nutrição materno-infantil. Rio de Janeiro: Medbook, 2013.
 BRASIL. MINISTÉRIO DA SAÚDE. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento
 3. Determinar quanto ela ganhou no 1ºT e comparar com a recomendação.
de Ações Programáticas Estratégicas. Área Técnica de Saúde da Mulher. Pré- Lembrando que muitas vezes o ganho de peso no 1º trimestre é dispensável.
natal e Puerpério: atenção qualificada e humanizada – manual técnico. Brasília:  4. Calcular a média de ganho de peso semanal a partir do 2ª trimestre (13ª SG)
Ministério da Saúde, 2005. 163 p.
e comparar com a recomendação semanal para esse período.
 Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de
Atenção Básica. Atenção ao pré-natal de baixo risco / Ministério da Saúde.  5. Estimar o ganho de peso total da gestação (até 40 semanas).
Brasília: Editora do Ministério da Saúde, 2012.. 318 p. Cadernos de Atenção  6. Verificar adequação do ganho de peso total estimado (está dentro da faixa
Básica, n° 32.
recomendada?).
 MONTEIRO, J. P.; CAMELO JÚNIOR, J, S. Caminhos da Nutrição e Terapia
Nutricional: da concepção a adolescência. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan,  7. Detectar demais fatores de risco (sociais, clínicos, nutricionais)
2007.  8. Diagnóstico nutricional, baseado em todo o caso.
 Capitulo 2
 9. Fornecer orientação nutricional de acordo com a evolução encontrada
(lembrar das porções recomendadas para gestante na aula de pré natal)

EXERCÍCIOS – caso 1 EXERCÍCIOS – caso 2


 Gestante com 25 anos, casada, primeira gravidez, altura: 1,52m,  Gestante de 38 anos, altura: 1,60m, terceira gravidez, tem 02 filhos, um de
estudante universitária, mora em apartamento próprio e o marido é 3 anos e outro de 2 anos. Trabalha pela manhã como secretária de um
corretor de imóveis. Vem sentindo dificuldade de evacuar. Exames: consultório médico e o marido trabalha com o pai num mercadinho da
PA:120x80 mmHg; glicemia de jejum: 81mg/dl; edema (-); Hb: família. A mãe da gestante é hipertensa e ela própria apresentou na última
11,5mg/dl. Sua alimentação diária é composta de café, pão com gravidez um aumento de pressão durante o terceiro trimestre. Disse que
margarina, bolachas doces e salgadas, arroz, feijão, frango ou ovo passa o dia pensando em comida e que além das 3 refeições principais
(no máximo 3 vezes por semana). Não ingere frutas, verduras e lancha a tarde e “belisca” outros alimentos durante o dia (bolos, biscoitos,
laticínios, apesar de gostar. salgados). Gosta muito de massas e guloseimas, de modo geral.

Peso pré-gravídico: 48,0 kg Peso pré-gravídico: 79,0 kg


Peso na 13ª semana: 49,0 kg Peso na 13ª semana: 82,0 kg
Peso na 17ª semana: 50,3 kg Peso na 16ª semana: 83,0 kg
Peso na 21ª semana: 51,8 kg Peso na 20ª semana: 84,6 kg
Peso na 24ª semana: 86,6 Kg

EXERCÍCIOS – caso 3 EXERCÍCIOS – caso 4


 Gestante de 22 anos, altura:1,60m, 3ª gravidez. Na primeira o bebê  Gestante de 20 anos, casada, altura:1,60m. Está fazendo cursinho
nasceu morto e na segunda o bebê nasceu com 35 semanas. Ela refere preparatório para vestibular pela manhã e passa a tarde e a noite
que não sente muita fome na gravidez e também não tem tempo para estudando em casa. Não gosta de comer “comida de panela” e
comer, nem descansar, pois trabalha numa fábrica de 7 da manhã as 18 prefere sanduíche ou pizza. Gosta muito de refrigerante, toma todo
horas, com apenas uma hora para o almoço, passa a maior parte do
dia, quase sempre duas vezes por dia e passa a tarde e a noite
tempo de pé. Ingere café com pão o acordar, depois só almoça (arroz,
feijão, salada e frango), o lanche da tarde inclui café com bolachas doces
beliscando (chocolate, bolo, biscoitos recheados). Exames: PA:
e depois só janta quando chega em casa, um copo de leite. Exames: 110/70 mmHg, glicemia de jejum: 82mg/dl, edema (-), Hb: 12,5
PA:100x6mmHg; Glicemia de jejum: 75mg/dl; edema (+); Hb: 9,8mg/dl. mg/dl.
Peso pré-gravídico: não sabe Peso pré-gravídico: 67,0 kg
Peso na 13ª semana: 53,0 Kg Peso na 13ª semana: 70,0 kg
Peso na 17ª semana: 54,0 Kg Peso na 19ª semana: 72,4 kg
Peso na 21ª semana: 55,0 Kg Peso na 24ª semana: 74,2 kg
Peso na 25ª semana: 56,2 Kg Peso na 28ª semana: 76,0 Kg
Peso na 30ª semana: 57,7 Kg

Você também pode gostar