Você está na página 1de 3

AVALIAÇÃO DE QUÍMICA – 3o trimestre 2021 DATA: 20/02/2022

PROFESSOR: Blanck TURMA: 2B-ADM Atividade Assíncrona


CEFET/RJ ALUNO: _________Matheus Pereira Paes Leme_________________________________ NO
____
ALUNO: __Não encontrei uma dupla : /________________________________________ N O
____
OBSERVAÇÕES: Essa atividade deve ser enviada para correção até o dia 23/02/2022.
Após esse prazo a atividade não mais será considerada no cálculo da nota trimestral.
É permitido e recomendado o desenvolvimento dessa atividade em dupla de alunos.
1. Um passo do processo de produção de ferro metálico, Fe(s), é a redução do óxido ferroso (FeO) com
monóxido de carbono (CO). (1,0)
FeO(s) + CO(g) → Fe(s) + CO2(g)  ∆H = x
Utilizando as equações termoquímicas abaixo e baseando-se na Lei de Hess, determine o valor de “x”.
Fe2O3(s) + 3 CO(g) → 2 Fe(s) + 3 CO2(g)  ∆H = − 25 kJ
3 FeO(s) + CO2(g) → Fe3O4(s) + CO(g)  ∆H = − 36 kJ
2 Fe3O4(s) + CO2(g) → 3 Fe2O3(s) + CO(g)  ∆H = + 47 kJ

(x3)3FeO3+9CO  6FE + 9CO2 ∆H = -75


(X2)6FEO + 2CO2  2FE3O4 + 2CO ∆H = -72
2FE3O4 + CO2  3FE2O3 + CO ∆H = +47

SOMANDO: 6FEO +6CO  6FE + 6CO2 ∆H = -100

(/6) FEO + CO  FE+ CO2 ∆H = -17

2. Dadas as seguintes equações termoquímicas:


2 H2(g) + O2(g) → 2 H2O(ℓ)  ∆H = − 571,5 kJ
N2O5(g) + H2O(ℓ) → 2 HNO3(ℓ)  ∆H = − 6,6 kJ
½ N2(g) + 3/2 O2(g) + ½ H2(g) → HNO3(ℓ) ∆H = − 174,1 kJ
Baseado nessas equações, calcule ∆H na reação de formação de 2 mols de N 2O5(g) a partir de 2 mols de
N2(g) e 5 mols de O2(g). (1,0)

Equação final:

2N2 + 5O 2  2N2O5 ∆H = ?

Resolvendo:

(-1) 2H2O  2H2 +O2 ∆H= +571,5


(-1) e (X2) 4HNO3  2N2O5 + 2H2O ∆H = +153,2
(X4) 2N2 + 6O 2 + 2H2  4HNO3 ∆H= - 696,4

SOMANDO

2N2 + 5O 2  2N2O5 ∆H= +28,3 KJ

3. O iodeto de hidrogênio é um hidreto de caráter ácido. Quando borbulhado em água, forma o ácido
iodídrico que é um ácido forte. Na indústria química, esse ácido é utilizado em várias reações orgânicas
nas quais se utiliza alcenos, hidrocarbonetos insaturados.
O quadro apresenta os resultados obtidos em 5 experimentos de produção de iodeto de hidrogênio
segundo a equação:
H2 (g) + I2 (g) → 2 HI (g) (T = 25 °C)
Velocidade
Experiência [H2] inicial [I2] inicial
inicial
1 0,100 0,100 5,50 x 10–6
2 0,200 0,100 2,20 x 10–5
3 0,400 0,100 8,80 x 10–5
4 0,100 0,300 1,65 x 10–5
5 0,100 0,600 3,30 x 10–5
a) A partir dos valores do quadro, determine a lei de velocidade para a reação de formação do iodeto de
hidrogênio. (1,0)

b) Determine o valor da constante de velocidade considerando-se a temperatura igual a 25 °C. (1,0)

4. O NO2 é um gás formado nas reações de combustão em motores a explosão. Apresenta cheiro forte,
é um ótimo oxidante e a poluição por esse gás é uma das causas da destruição da camada de ozônio. A
equação a seguir representa a reação desse gás com o ozônio:
2 NO2(g) + O3 (g) → N2O5(g) + O2(g)
Considerando essa equação, e sabendo que o O2 se forma com velocidade média de 0,02 mol/L.s,
determine a massa de ozônio consumida em 10 minutos. (1,0)

Vm = R / t Vm =[o2 ] / 1seg = 0,02mol/L-1 .s-1 0,02 – 1 seg = x = 12mol/ L-1 .s-1


X - 600seg

5. No equilíbrio 2 CO(g) + O2(g) ↔ 2 CO2(g), temos as seguintes concentrações molares: 4 mol . L −1 de


CO(g) e 4 mol . L−1 de O2(g). Sabendo-se que nestas condições Kc vale 10 −2, determinar a concentração
em mol/L de CO2(g). (0,5)

 Kc= [CO2]2 = 10-2= [CO2]2 = 10-2 = [CO2]2 = 64.102 = [CO2]2 = 0,8 mol/ L-1
[CO]2 . [O2} [4]2 . [4] 16. 4

6. Observe o gráfico abaixo, relativo ao estabelecimento do equilíbrio de uma reação, a 298 K, do tipo:

Calcular o valor de constante de equilíbrio (Kc) para essa reação, a 298 K. (1,0)
Kc = P/R

Kc = [6] x [2]3 / [A] x [B]3


[6] x [8] / [4] x [1]3

[6] x [ 8] / [4] x [1 ] = 48/4 = 12

7. Reações químicas dependem de energia e colisões eficazes que ocorrem entre as moléculas dos
reagentes. Em sistema fechado, é de se esperar que o mesmo ocorra entre as moléculas dos produtos
em menor ou maior grau até que se atinja o chamado "equilíbrio químico".
O valor da constante de equilíbrio em função das concentrações das espécies no equilíbrio, em
quantidade de matéria, é um dado importante para se avaliar a extensão (rendimento) da reação
quando as concentrações não se alteram mais.
Considere a tabela com as quantidades de reagentes e produtos no início e no equilíbrio, na
temperatura de 100 °C, para a reação representada por N2O4 (g) Ï 2 NO2 (g)

Pede-se determinar o valor da constante de equilíbrio. (1,0)

NO2 = 0,090 mol/L−1


N2O4 = 0,030 mol/L-1
Kc = [NO2]2 / [N2O4]

[0,090]2 / [ 0,030 ]

Kc = 0,0081/0,030 = 0,27

8. A produção da cianamida cálcica, hoje utilizada como matéria-prima para a fabricação de certas
resinas, envolve o equilíbrio químico representado por: (0,5)

Esse equilíbrio será alterado no sentido de aumentar o rendimento em massa do produto se for
a) elevada a temperatura. b) elevada a pressão. c) utilizado um catalisador.
d) diminuída a pressão. e) diminuída a quantidade de CaC2.

Você também pode gostar