Você está na página 1de 18

A FAVIP descreve abaixo as orientações básicas para elaboração

dos trabalhos de conclusão de curso.

Estas orientações são genéricas e têm abrangência limitada, pois


MANUAL TCC E MONOGRAFIA cada curso possui orientações especificas conforme área do
conhecimento e modalidade de trabalho. As orientações serão
disponibilizadas pelas Coordenações dos cursos.
Este instrumento foi elaborado com a intenção de trabalhar o conteúdo das
normas: QUAL A DIFERENÇA ENTRE DOUTORADO, MESTRADO, MONOGRAFIA E
- NBR6023:2002 - Informação e Documentação – Referências – Elaboração; TCC?
- NRB 6024:2003 – Numeração progressiva das seções de um documento –
Procedimento; Segundo a Resolução do MEC/CAPES, a Pós-Graduação se divide
- NBR 6027:2003 – Sumários – Procedimento; em dois tipos stricto sensu e latu sensu, stricto sensu (mestrado e
- NBR 6028:2003 – Resumos – Procedimentos, doutorado), latu sensu (especialização), em nível de graduação, o aluno
- NBR 10520:2002 – Informação e documentação - Apresentação de no final do curso terá que entregar um trabalho final, denominado de
citações em documentos, Trabalho de Conclusão de Curso - TCC ou monografia ou, ainda, de
- NBR 14724:2005 – Informação e documentação – Trabalhos acadêmicos Trabalho Orientado Acadêmico - TAO.

Todos têm uma natureza puramente acadêmica e são voltados


para a geração de conhecimento e para a formação e desenvolvimento
de pesquisadores com amplo domínio do saber.

Dentro das Instituições de Ensino Superiores - IES podem ter os


quatro cursos. A diferença entre eles está basicamente na amplitude e
na profundidade dos estudos desenvolvidos, fato que é diretamente
refletido na obra acadêmica a ser defendida perante Comissão Julgadora
(banca).

Apesar destas distinções, todos os Programas das IES


compreendem um conjunto de atividades programadas, avançadas e
individualizadas, algumas das quais acompanhadas por orientador.
Nos casos de pós-graduação, para obter a titulação os mestrandos devem
elaborar uma dissertação, isto é, um trabalho supervisionado que
demonstre capacidade de sistematização da literatura existente sobre o
Elaborado por : tema tratado e capacidade de utilização dos métodos e técnicas de
investigação científica, tecnológica ou artística. Já os doutorandos
Jadinilson Afonso CRB-4/1367 devem elaborar uma tese que consiste em um trabalho de investigação
Coordenador da Biblioteca da Favip que represente contribuição original ao estado da arte do assunto/tema
tratado.
A NBR 14724 da ABNT auxilia a compreensão das diferenças A escolha de um professor orientador é uma etapa obrigatória e
entre os tipos de trabalho. A dissertação, segundo a ABNT, é o muito importante para o desenvolvimento do trabalho, uma vez que
documento que apresenta o resultado de um trabalho experimental ou permite a condução adequada do projeto para que ele adquira a
de um estudo científico retrospectivo, de tema único e bem delimitado consistência desejada.
em sua extensão, com objetivos principais de reunir, analisar e
interpretar informações, evidenciando assim o conhecimento de Na verdade, o orientador auxilia a definir como o tema escolhido
literatura existente sobre o assunto e a capacidade de sistematização do deverá ser abordado para que os resultados desejados sejam obtidos;
mestrando. Já a tese é o documento que apresenta o resultado de um ajuda a definir as etapas de elaboração do trabalho e o programa
trabalho experimental ou de um estudo científico, onde o tema é único individual de estudos (cronograma); avalia o que está sendo produzido,
e bem delimitado. Ela deve ser baseada em investigação original, de forma a ajudar o orientando a concluir seu trabalho, de maneira
constituindo uma real contribuição para a especialidade em questão. satisfatória. Entretanto, para que isso aconteça, um fator essencial é o
bom relacionamento entre orientador e orientando.
A preocupação com o trabalho científico deve surgir
prontamente, logo no ingresso do curso, ou no máximo em meados dos Na escolha do orientador, algumas particularidades devem ser
cursos. A ferramenta mais indicada para dar o primeiro passo na levadas em conta. Primeiramente, o aluno deve verificar se o possível
preparação destes, é a formulação do pré-projeto. docente pode efetivamente orientar trabalhos, isto é, se ele tem menos
do que 10 orientandos em todos os cursos. Para auxiliar essa verificação
O pré-projeto de pesquisa é um documento que tem por objetivo a Coordenação disponibiliza uma listagem com os professores
auxiliar o aluno na definição do objetivo do trabalho, e orientar o credenciados e seus números de orientandos.
desenvolvimento da idéia. Ele também permite a introdução da idéia ao
professor orientador e demais colegas, que poderão dessa forma Além disso, o aluno deve se certificar de que o provável
enriquecer o trabalho através de críticas, conselhos e novas idéias. Por orientador:
estes motivos, a elaboração de um pré-projeto é mais que fundamental - Domina o tema do trabalho;
para o bom andamento do trabalho. - Deseja orientar o trabalho em questão;
- Possui tempo para orientar;
Um pré-projeto deve conter pelo menos os seguintes itens: - Tem um bom relacionamento com o orientando;
- É admirado pelo orientando por seu trabalho acadêmico.
a) Introdução ou Objeto de Estudo: contextualização do tema a ser
investigado com justificativas e razões Uma resposta afirmativa aos itens acima indica que orientador e
para sua escolha e explicitação dos objetivos da pesquisa; orientando terão grandes chances de realizar um bom trabalho em
b) Revisão Bibliográfica: apresentação do levantamento de referências conjunto no prazo estipulado. Porém, é importante que se tenha em
preliminar que servirá de suporte e mente que o aluno é o principal responsável pela obra. O professor
fundamentação teórica ao estudo; orientador é um conselheiro que deve ser tratado de forma respeitosa e,
c) Metodologia: justificação e descrição da abordagem metodológica a a melhor maneira de demonstrar isso é através de um trabalho sério que
ser utilizada; obedeça aos prazos acordados.
d) Cronograma; FREQÜÊNCIA
e) Referências: relação das referências iniciais consultadas. A freqüência do aluno será apurada pelo professor orientador
através de ata que deverá ser assinada pelo aluno a cada encontro. A
ORIENTADOR mesma tem caráter reprovativo obedecendo aos mesmos critérios das
disciplinas da estrutura curricular. Na defesa, cada membro da Comissão Julgadora disporá de até
cinco minutos para perguntas, cabendo ao candidato o mesmo tempo
DEPÓSITO DO TRABALHO para respostas. O candidato terá até vinte minutos de seu tempo para
Uma vez pronto o trabalho, ele deve passar pela avaliação do apresentação do trabalho.
orientador e, após esta aprovação, a obra deve ser depositada, isto é,
entregue na Coordenação do Curso, para marcar a banca e seguir aos Imediatamente após o encerramento da argüição do trabalho, a
prazos estipulados. Comissão Julgadora deve reunir-se e cada examinador deve expressar
seu julgamento, considerando o candidato aprovado ou reprovado. O
DEFESA candidato será habilitado se aprovado pela maioria dos examinadores.
Uma vez depositada a obra, a Coordenação designará a Comissão Finalmente, a comissão deve apresentar um relatório de seus trabalhos
Julgadora. Ela é constituída por 3 (três) docentes, respectivamente. O à Coordenação para homologação.
orientador do candidato é um membro nato e o presidente da Comissão,
os outros 2 (dois) membros devem ser docentes da FAVIP, pois não é AVALIAÇÃO
permitido membros externos a IES. Os critérios de avaliação variam conforme a modalidade do
trabalho (TCC, Monografia, Projeto Experimental) e o curso. Consultar
A defesa oral constitui-se da apresentação pelo aluno de síntese junto a sua Coordenação quais os critérios referente ao seu trabalho e
do seu trabalho à banca examinadora em uma sessão pública. Após a curso.
apresentação, o candidato é argüido pelos integrantes da Comissão
Julgadora acerca das conclusões dos aspectos teóricos, metodológicos e .
do trabalho apresentado. Estrutura

Para que a apresentação oral seja realizada com sucesso, é Segundo a NBR 14724/2005, a estrutura de tese, dissertação ou de um trabalho
muito importante que o aluno, atente para algumas atividades acadêmico compreende: elementos pré-textuais, elementos textuais e elementos pós-
anteriores à apresentação, como por exemplo: textuais.”
- Resumir as informações mais importantes do trabalho (excesso é a) Elementos Pré-textuais – Capa, Lombada, Folha de Rosto, Errata, Folha de
prejudicial); Aprovação, Dedicatória(s), Agradecimento(s), Epígrafe, Resumo em Língua
- Observar erros ortográficos e gramaticais; Mãe, Resumo em Língua estrangeira, Lista de ilustrações, Lista de Tabelas,
- Não sobrecarregar a apresentação com efeitos de transparência; Lista de abreviaturas e siglas, Lista de símbolos, Sumário.
- Reservar os equipamentos audiovisuais necessários; b) Elementos Textuais – Introdução, Desenvolvimento e Conclusão.
- Prevenir-se com disquetes reservas ou até transparências; c) Elementos Pós-textuais – Referências, Glossário, Apêndice(s), Anexo(s),
- Familiarizar-se com os equipamentos para adquirir maior segurança Índice(s).
durante a apresentação;

Durante a apresentação, é fundamental que o candidato procure


manter tranqüilidade. Além disso, ele deve:
- Cuidar para não ultrapassar o tempo disponibilizado;
- Optar por uma linguagem mais simples, porém correta;
- Manter o foco de atenção na comissão julgadora;
ELEMENTOS PRÉ-TEXTUAIS Contra Capa

A Contra Capa ou Segunda Capa é o segundo elemento do


CAPA:
trabalho. Ela é responsável pela indicação dos nomes do Diretor
A Capa, que também é chamada de Primeira Capa, é o elemento
Presidente, Diretora Executiva e Coordenador do curso e seus títulos no
inicial de um trabalho acadêmico de qualquer espécie e é indispensável
momento do depósito do trabalho. Apenas o último caso (Coordenador)
para sua identificação. Na capa da sua monografia é indispensável que conste
os dados da instituição, autor(es), o título do trabalho e, quando houver, o
varia de acordo com o curso no qual o aluno está matriculado. Assim, na
subtítulo da obra, além de local e ano do depósito. Segunda Capa devem estar dispostas as seguintes informações de acordo
com a ordem:

Ex.: SOCIEDADE DE EDUCAÇÂO DO VALE DO IPOJUCA FACULDADE DO VALE


DO IPOJUCA - FAVIP
COORDENAÇÃO DE XXXXX
CURSO DE XXXX

Diretor Superintendente
Luiz de França Leite
CARLOS BRITTO Diretor Superintendente
Vicente Jorge Espíndola Rodrigues
Diretora Executiva
Mauricélia Bezerra Vidal
Diretor Acadêmico
PÓLO DE CONFECÇÕES DE CARUARU: ESTUDO DE CASO Marjony Barros Camelo
Coordenador(a) do Curso xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

CARUARU
2009
LOMBADA – Local de impressão das informações de autoria, título do trabalho e volume Folha de Rosto
se houver. Deve ser escrito de cima para baixo, possibilitando a leitura em ordem do A Folha de rosto é muito similar à primeira capa uma vez que apresenta
autor, título e volume, quando o trabalho estiver deitado com sua capa para cima. basicamente as mesmas informações. Entretanto, alguns outros dados
Ex: devem ser incluídos nesta página para detalhar um pouco mais a obra.
Devem ser apresentadas na página de rosto, na seguinte ordem, as
informações: Anverso – Autor, título e subtítulo (se houver), Natureza (tese,
FAVIP 2010

dissertação, monografia, pré-projeto, projeto, relatório, TCC – Trabalho de


Conclusão de Curso e outros), Objetivo (obtenção de grau, aprovação em
disciplina, qualificação em programas, e outros), nome da instituição a que é
submetida, área de concentração, orientador, co-orientador se houver, local e data.
PÓLO DE CONFECÇÕES DE CARUARU: ESTUDO DE CASO

Ex.:

CARLOS BRITTO

PÓLO DE CONFECÇÕES DE CARUARU: ESTUDO DE CASO

Trabalho de conclusão de curso


apresentado à coordenação de
xxxxxxxxxxxx da Faculdade do Vale
do Ipojuca como requisito para
obtenção do título de bacharel em
xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxOrientador:
Prof. xxxxxxxxxxxx
CARLOS BRITTO

CARUARU
2009
* Verso da folha de rosto - Ficha Catalográfica FOLHA DE APROVAÇÃO – Deve apresentar logo após a folha de rosto, em algumas
A ficha catalográfica é o conjunto de dados, sistematicamente instituições as faculdades padronizam essa folha de aprovação e em alguns casos a
ordenados, que tem por objetivo identificar resumidamente o assunto chamam de ata de defesa, o que não procede, pois a ata de defesa é um instrumento
tratado e os aspectos físicos da obra. Como ela deve seguir os padrões probatório que deve ser conservado pela instituição e pelo acadêmico, e a norma não
estabelecidos pelo AACR2 (Código de Catalogação Anglo-Americano), sua prevê esta inclusão no trabalho final. Os elementos obrigatórios são: nome do autor, título
confecção é realizada pelo órgão competente da Faculdade, a Seção de e subtítulo, se houver, do trabalho, natureza, objetivo, instituição, área de concentração,
Publicações e Divulgação (Biblioteca da FAVIP). data de aprovação, nome, titulação e instituição a que pertencem os componentes da
Apesar do autor do trabalho não elaborar a ficha, ele tem total banca.
responsabilidade por ela, uma vez que deve ceder com antecedência as A data de aprovação e as assinaturas dos componentes da banca só deveram
informações solicitadas e, após recebê-la, imprimir em todas as cópias ser colocados na folha de aprovação depois da defesa.
da obra.
O processo segue basicamente os seguintes passos: aproximadamente 15 Ex.:
dias úteis antes do depósito da obra, ou seja, com o trabalho CARLOS BRITTO
praticamente finalizado, o autor deve entrar em contato com os
responsáveis da biblioteca:
Seção de Publicações e Divulgação da FAVIP
Responsáveis pela elaboração da ficha catalográfica: PÓLO DE CONFECÇÕES DE CARUARU: ESTUDO DE CASO
Jadinilson Melo: jadinilson.afonso@favip.edu.br
Telefone para contato: (81) 3722-8098
Ex.:
Trabalho de conclusão de curso
apresentado à coordenação de
xxxxxxxxxxxx da Faculdade do Vale do
Ipojuca como requisito para obtenção do
título de bacharel em
xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxOrientador: Prof.
xxxxxxxxxxxx

Aprovada em: / /

__________________
Profº. Ms. xxxxxxxx
Orientadora
__________________
S478d Brito, Carlos. Profº. Ms. xxxxxxxx
Pólo de confecções de Caruaru: Avaliador
estudo de caso / Carlos Brito. – Caruaru :
FAVIP, 2009.
__________________
Profº. Ms. xxxxxx
118 f.
Avaliador
Orientador(a): Prof.
CARUARU
XXXXXXXXXXXXXXXX
2009
Trabalho de Conclusão de Curso
(xxxxxxxxxxxxx) -– Faculdade do Vale do Ipojuca.

1. Pólo de confecção - Caruaru. 2. Comércio de


roupas. I. Título.

CDU – (043) 349.6


DEDICATÓRIA –
A página de dedicatória é um elemento opcional do trabalho acadêmico AGRADECIMENTO – Também elemento opcional. É apresentado depois da dedicatória.
no qual o autor oferece a obra, ou presta homenagem a alguém, de
forma clara e breve. A frase da dedicatória deve ser alocada na metade Ex.:
inferior da terceira folha do trabalho.
AGRADECIMENTO
Ex.:
Agradeçoxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
xxxxxxxxxxx.

Dedico este trabalho


xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
xxxxxxxxxxxxxxxxxxx
EPÍGRAFE – Elemento opcional, localizado após os agradecimentos, onde o autor do trabalho, para que ele possa decidir sobre a conveniência da leitura
apresenta um pensamento não sendo necessário incluir página, nem destacar em itálico, da obra.
o único destaque indicado é a utilização de aspas duplas no inicio da redação e no final, Para atingir este objetivo, o texto deve ser preciso e claro, permitindo
sendo o nome do autor e ano do pensamento entre parêntese. ao leitor a compreensão do assunto sem dificuldades. Ele deve ser
composto por uma seqüência de frases correntes, que ressaltem o tema,
Ex.: a finalidade, a metodologia, os resultados e as conclusões do trabalho.

No resumo não devem ser usados tópicos, enumerações. Deve-se dar


preferência ao uso da terceira pessoa do singular e do verbo na voz
ativa.
O texto não deve ultrapassar uma página. O texto do resumo deve ser
redigido em Times New Roman no tamanho 12, sem negrito, itálico ou
sublinhado, com as letras minúsculas. Também aqui deve ser feita uma
pequena lista de palavras (no mínimo três palavras) para indexação.
Ex.:

RESUMO

XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX
“xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX
xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX
xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX
xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX
xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
Palavras-Chave: XXXXXXXXXXXX.
xxxxxxxxxxxx.”
XXXXXXXXXXXXXXXXXXl. XXXXXXX
(XXXXXXXXXXXXXXXX.)
.

RESUMO NA LÍNGUA VERNÁCULA –


O resumo na língua vernácula é um elemento obrigatório que tem como
objetivo informar, suficientemente, ao leitor os pontos mais relevantes
RESUMO NA LÍNGUA ESTRANGEIRA – O abstract é o resumo da obra em Nenhuma dessas quatro listas é obrigatória de acordo com a ABNT. Mas se
língua estrangeira, que basicamente segue o mesmo conceito e as você decidir usá-las, deve fazer da seguinte forma:
mesmas regras que o texto em português. Recomenda-se que para o
texto do abstract o autor apenas traduza a versão do resumo em LISTA DE ILUSTRAÇÕES – Elemento opcional, devendo ser elaborada de acordo com a
português. A inclusão deste elemento também é obrigatória e o autor posição da figura no texto criando uma ordem de apresentação, ainda é recomendado
deve necessariamente escrever o texto em inglês. elaborar lista própria quando o autor achar necessário, podendo ser: Desenho;
esquemas, fluxogramas, fotografias, gráficos, mapas, organogramas, plantas,
Ex.: quadros, retratos e outras ilustrações.

ABSTRACT Ex.:
LISTA DE ILUSTRAÇÕES

ILUSTRAÇÃO 1 XXXXXXXXX p. 15

ILUSTRAÇÃO 2 XXXXXXXXXXl p. 38
Xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
xxx.
OU
Keynword: Meio ambiente. Direito Ambiental. Legislação ambiental.
LISTA DE QUADROS

QUADRO 1 1SíXXXXXXXXXXXXXXX p. 15

QUADRO 2 ÍXXXXXXXXXXXXXXXXXX p. 38
LISTA DE TABELAS – Elemento opcional que dever seguir a lista de ilustrações, LISTA DE ABREVIATURAS E SIGLAS – Elemento opcional que deve apresentar as
obedecendo a apresentação das tabelas no texto, devendo contar a sua ordem, nome e abreviatura e siglas utilizadas no texto, de forma alfabética. Quando necessário formar
respectiva página. lista específica para cada uma.

Ex.: Ex.:

LISTA DE ABREVIATURAS E SIGLAS


LISTA DE TABELAS
XX - XXXXXXXXXXXXXX
TABELA 1 XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX p. 20 AXX/XX XXXXXXXXXX
XX X-.
TABELA 2 XXXXXXXXXXXX p. 21 XX
XXX - XXXXXXXXXX
LISTA DE SÍMBOLOS – Elemento opcional que deve ser desenvolvido de acordo com a Glossário, capa dos Apêndices e capa dos Anexos. Portanto, todas as
apresentação dos símbolos no texto, apontando o significado de cada um. partes anteriores ao sumário, incluindo o resumo e o abstract não devem
ser inseridas na listagem.
Ex.: Em uma nova página, o título sumário deve ser incluído em letras
MAIÚSCULAS e negrito, alinhado ao centro e sem tabulação alguma.
Deixando um espaço 1,5 em branco abaixo deste título, a listagem das
LISTA DE SÍMBOLOS
seções deve ser iniciada, junto à margem esquerda (e de acordo com a
tabulação de cada nível), seguindo a ordem e a numeração em que elas
@ - Arroba foram apresentadas no texto, cada uma em uma linha, com
® - Marca registrada espaçamento simples entre elas. .
§§ - Seção Ex.:
¶ - Parágrafo

2.1 SUMÁRIO

1 XXXX 13
2 XXXXXXXXXX 15
2.1 XXXXXXXXXX 18
2.2 XXXXXXXXXX 30
3 LXXXXXXXXXX 45
3.1 LXXXXXXXXXX 49
3.2 LXXXXXXXXXX 53
SUMÁRIO 4 LXXXXXXXXXX 60
O sumário é mais um elemento obrigatório da parte pré-textual de uma 4.1 LXXXXXXXXXX 62
obra e consiste na enumeração de suas principais partes, capítulos, 4.2 LXXXXXXXXXX 68
seções, pontos, itens ou outras divisões, na mesma ordem e na mesma 4.3 LXXXXXXXXXX 71
grafia em que a matéria nela se sucede.“Outrora
detalhados,
na minha tratando de 5 LXXXXXXXXXX 86
elementos da mesma natureza. Por exemplo:
juventude Índice Analítico; Índice REFERÊNCIAS 101
Onomástico etc. experimentei o que
tantos jovens GLOSSÁRIO 103
O sumário deve identificar para cada divisão o seu
experimentaram.
respectivo indicativo APÊNDICES 105
de numeração (se houver), seu título e Tinha
sua página inicial,
o projeto de, exatamente
ANEXOS 135
com a mesma grafia e formatação adotada no dia no texto
em que(exceto o negrito
pudesseDevem
dispor ser
de incluídas todas as INDÍCE 156
que não deve ser utilizado nesta listagem).
mim próprio,
listas apresentadas, os capítulos e seções do desenvolvimento e os
imediatamente
elementos pós-textuais: Referências (antiga
intervir Bibliografia)
na política.” e se houver,
(PLATÃO, 354a.C.)
ELEMENTOS TEXTUAIS - DESENVOLVIMENTO – Parte importante do texto, onde deve apresentar a discussão
Seguir regras da ABNT vigente. acerca de uma temática, abordando de forma exaustiva o assunto, apresenta-se dividido
em seções e subseções conforme a NBR 6024.
INTRODUÇÃO – Parte inicial do texto é convenção não indicá-la como seção, porém na
norma ela é indicada numericamente, devendo retratar de forma clara e objetiva as partes Ex.:
do trabalho, tem a função de mapear a produção acadêmica a fim de mostrar ao leitor sua 15
relevância para a investigação deste. É a parte onde se inicia a apresentação da 2 XXXXXXXXX
numeração das páginas do trabalho. 45
3 XXXXXXXXXXX
2.1 xxxxxsos naturais
Ex.:
Nº DA PÁGINA 3.1 xxxxxx
2.2 xxxxxadação

N 3.2 xxxxxxx
1 INTRODUÇÃO
CONCLUSÃO – Elemento textual onde são apresentados os resultados conclusivos da ELEMENTOS PÓS-TEXTUAIS
pesquisa, abordagens sistêmicas sobre os objetivos e hipóteses, sendo facultado a
apresentação de propostas e outros instrumentos que o autor julgue importante para a REFERÊNCIAS – Elemento obrigatório apresentado conforme a NBR 6023, as
apresentação. referências, lista de fontes informacionais utilizadas no trabalho, devem ser agrupadas em
uma ordem alfabética, alinhadas a esquerda, com espaçamento simples entre linhas e
Ex.: espaçamento de 12 pt antes e depois do parágrafos. O autor deve colocar na lista de
referências todas as obras pesquisadas para o desenvolvimento do trabalho, não apenas
86 as obras citadas, como em alguns casos são feitas.
4 CONCLUSÃO

Ex.:
101
REFERÊNCIAS

XXXXXXXX, xxxxxxxxx. XXXXXXXXX. 2. ed. XXXXXXX:


XXXXXXXXXXX, 2008.
XXXXXXXX, xxxxxxxxx. XXXXXXXXX. 2. ed. XXXXXXX:
XXXXXXXXXXX, 2008..
XXXXXXXX, xxxxxxxxx. XXXXXXXXX. 2. ed. XXXXXXX:
XXXXXXXXXXX, 2008.
GLOSSÁRIO – Elemento opcional, elaborado alfabeticamente devendo apresentar APÊNDICES – Elemento opcional onde se apresenta os documentos desenvolvidos
palavras e termos que tenham pertinência ao tema. pelo autor, deve apresentar uma estrutura com os seguintes elementos: indicação
alfabética (letra maiúscula), travessão separando a letra do título do Apêndice, todos os
Ex.: apêndices são numerados.

Ex.:
103 105
GLOSSÁRIO
APÊNDICE A –
ANEXOS – Elemento opcional onde se apresenta os documentos utilizados pelo autor, ÍNDICE(S) – Devendo ser elaborado de acordo com a NBR 6034, apresentando as
deve apresentar uma estrutura com os seguintes elementos: indicação alfabética (letra palavras ou expressões e as páginas do texto onde estas se encontram. Podem ser
maiúscula), travessão separando a letra do título do Apêndice, todos os apêndices são elaborados diversos índices, de autor, de assunto, de título, de terminologia e outros.
numerados.
Ex.:
Ex.: 156
135 ÍNDICE

ANEXO A –
2.1.1 Regras Gerais De Apresentação - ELEMENTOS PÓS TEXTUAIS PAGINAÇÃO – A paginação é feita em todas as folhas do trabalho com exceção das
Seguir regras da ABNT vigente. capas inicial e final, inicia-se a contagem a partir da folha de rosto, porém a apresentação
dos números só deve ser iniciada na introdução, ou seja, a primeira folha da parte textual
EDIÇÃO do trabalho, devendo ser algarismo arábico, situado na parte superior direita da forma a 2
A seguir são definidos cada um dos elementos de edição do trabalho. cm da borda superior e 2 cm da borda direita, os apêndices, anexos e outros devem
seguir a mesma regra, numerados continuamente, inclusive o texto principal.
Papel
Os trabalhos de Conclusão de cursos e monografias devem ser Elementos pré-textuais que não recebem numeração, porém são contados com
apresentadas em papel sulfite branco ou papel reciclado no tamanho A4 exceção da capa.
(dimensões: 21 cm por 29,7 cm)
CAPA
NÃO CONTA NA PAGINAÇÃO
FORMATO – Os trabalhos acadêmicos devem ser em conformidade com os
CONTRA CAPA
apontamentos a seguir, conforme orientação da NBR 14724 (2005,):
FOLHA DE ROSTO
MARGEM – As margens devem obedecer as seguintes recomendações: margens
ERRATA
superior e esquerda = 3 cm, margens inferior e direita = 2 cm.
Ex.: FOLHA DE APROVAÇÃO

DEDICATÓRIA(S)
3 cm
AGRADECIMENTO(S)

EPÍGRAFE

RESUMO(S)

LISTAS

3 cm 2 cm SUMÁRIO

2 cm
Elementos textuais são contados e recebem numeração nas NUMERAÇÃO PROGRESSIVA – Ao desenvolver o texto o autor apresenta seções e
páginas. subseções, também chamados de capítulos e sub capítulos. As seções primárias devem
sempre iniciar em página nova, as seções devem seguir até a seção quinária, conforme a
156 NBR 6024, sempre destacando hierarquicamente a sua apresentação e conservando
ÍNDICE
essa apresentação no sumário. Os destaques podem ser: negrito, itálico ou grifo e
135
redondo, caixa alta ou versal.
ANEXOS
Seção primária Seções primária e secundária
Ex.:

105 13
APÊNDICES 1 INTRODUÇÃO

15
103 Versão no sumário 2 MEIO AMBIENTE
GLOSSÁRIO
2.1 Recursos naturais

SUMÁRIO
101
REFERÊNCIAS

1 XXXX 13
86
2 XXXXXXXXXX 15
5 CONCLUSÃO 2.1 XXXXXXXXXX 18
2.2 XXXXXXXXXX 30
3 LXXXXXXXXXX 45
15
2 DESENVOLVIMENTO 3.1 LXXXXXXXXXX 49
3.2 LXXXXXXXXXX 53
4 LXXXXXXXXXX 60
13
1 INTRODUÇÃO 4.1 LXXXXXXXXXX 62
4.2 LXXXXXXXXXX 68
4.3 LXXXXXXXXXX 71
5 LXXXXXXXXXX 86
REFERÊNCIAS 101
GLOSSÁRIO 103
APÊNDICES 105
ANEXOS 135
INDÍCE 156

Você também pode gostar