Você está na página 1de 24

1

1º semestre
Arquitetura de Computadores
código: L.EEC012     Sigla: AC

Áreas Científicas

Classificação Área Científica

OFICIAL Eletrónica e Sistemas Digitais

Objetivos
Esta unidade curricular introduz os princípios de funcionamento de um computador moderno e a sua arquitetura geral, com
especial ênfase na contribuição de cada subsistema para o desempenho global.

A análise da tecnologia de implementação física dos computadores (em especial do seu CPU e a sua organização hierárquica da
memória), assim como da arquitetura do conjunto de instruções (ISA), possibilitará aos estudantes identificar e descrever
princípios fundamentais da operação dos computadores, das linguagens de programação (assembly em particular), e do
desenvolvimento de software.

Resultados de aprendizagem e competências


Após completar esta unidade curricular, os estudantes deverão ser capazes de:

 Identificar e descrever os principais subsistemas de um computador pessoal: unidade de processamento, memória e


periféricos;
 Explicar e avaliar o desempenho de computadores em cenários simples envolvendo a equação fundamental do
desempenho e a lei de Amdahl;
 Classificar e caracterizar os tipos de instruções de uma unidade de processamento;
 Explicar os princípio básicos da codificação de instruções e identificar o seu impacto sobre o desempenho;
 Escrever programas simples em linguagem "assembly" ARMv8 envolvendo operações aritméticas e booleanas, testes e
saltos;
 Descrever o funcionamento de uma unidade de processamento uniciclo;
 Descrever e explicar o conceito de "pipeline" e o seu impacto no desempenho;
 Descrever o funcionamento de uma unidade de processamento em "pipeline";
 Aplicar os conhecimentos de máquinas de estados à análise da unidade de controlo de uma unidade de processamento em
"pipeline";
 Identificar os conflitos de dados e de controlo que podem surgir numa unidade de processamento em "pipeline";
 Calcular o impacto dos conflitos de "pipeline" no desempenho para cenários simples;
 Distinguir entre memórias estáticas e dinâmicas, e identificar as respetivas áreas de utilização;
 Explicar o princípio de funcionamento dos dois tipos de memórias;
 Identificar os vários níveis da hierarquia de memória de um computador pessoal;
 Explicar o princípio de funcionamento da memória "cache";
 Descrever a organização de uma memória "cache" (associatividade) e o tratamento de falhas de acesso;
 Avaliar numericamente a influência da hierarquia de memória sobre o desempenho;

Modo de trabalho
B-learning

2
Pré-requisitos (conhecimentos prévios) e co-requisitos (conhecimentos
simultâneos)
Bons conhecimentos na área dos Sistemas Digitais assim como noções básicas de Programação.

Programa
O programa de Arquitetura de Computadores é composto pelos seguinte tópicos:

Introdução. Áreas de aplicação de computadores e suas características. Programas: linguagens de alto nível, linguagens de baixo
nível. Modelo conceptual da execução de um programa.
Componentes de um computador: CPU (percurso de dados e unidade de controlo), memória, periféricos de entrada/saída.
Evolução da tecnologia de processadores e memórias.
Noções básicas de desempenho de CPUs. Equação básica de desempenho. Benchmarks (SPEC).

Consumo de energia. Lei de Amdahl.

 Conjunto de instruções de um processador ARM. Tipos de instruções: aritméticas, lógicas, comparação e salto. Modos de
endereçamento. Codificação de instruções.
 Conceitos básicos de programação em linguagem "assembly". Análise e implementação de programas simples com recurso
a um emulador da arquitetura ARM (DS-5).
 Organização de uma unidade de processamento. Organização uniciclo de um CPU. Conceito de pipelining. Organização de
um percurso de dados em pipeline. Controlo de pipeline. Conflitos de pipeline: conflitos de dados e de controlo.
Estratégias de tratamento dos conflitos. Impacto dos conflitos sobre o desempenho.
 Memórias estáticas e dinâmicas: organização e modelo conceptual. Hierarquias de memória.

Memórias cache: princípio de funcionamento, organização interna, associatividade, tratamento de falhas de cache.
Desempenho de CPU com memória cache. Redução das penalidades associadas a falhas de acesso.

Bibliografia Obrigatória
David A. Patterson, John L. Hennessy; David A. Patterson, John L. Hennessy; Computer Organization and Design, The
Hardware/Software Interface - ARM edition. ISBN: 978-0-12-801733-3
Hélio Sousa Mendonça; António José Araújo; Slides e outros documentos fornecidos
Hélio Sousa Mendonça; António José Araújo; Conjunto de exercícios propostos

Métodos de ensino e atividades de aprendizagem


Nas aulas teóricas serão expostos os assuntos sobre a arquitetura de computadores em geral e a arquitetura ARM em particular,
acompanhados da resolução de exercícios.

Nas aulas práticas laboratoriais serão resolvidos exercícios envolvendo as temáticas abordadas nas aulas teóricas. Adicionalmente
serão desenvolvidos pequenos programas em assembly envolvendo a arquitetura ARM.

No atual contexto de pandemia as aulas teóricas ocorrerão à distância através do Zoom e as aulas práticas serão presenciais
embora organizadas de acordo com as normas sanitárias em vigor.

Software
ARM DS-5 Community Edition
Tipo de avaliação
Avaliação distribuída com exame final

Componentes de Avaliação
3
Designação Peso (%)

Exame 75,00

Teste 25,00

Total: 100,00

Componentes de Ocupação
Designação Tempo (Horas)

Estudo autónomo 110,00

Frequência das aulas 52,00

Total: 162,00

Obtenção de frequência
A obtenção de frequência exige que os estudantes se inscrevam em turmas, para participarem nas aulas PL, e não excedam o
número limite de faltas, correspondente a 25% das aulas PL previstas, isto é, não tenham mais de 3 faltas.

A inscrição nas turmas faz perder a frequência que possam ter obtido em ano anterior.

Fórmula de cálculo da classificação final


A classificação final da época normal é calculada pela fórmula:

CF = 0,25 x T + 0,75 x E

em que:

 T = Teste realizado a meio do semestre


 E = Exame

Estudantes sem obtenção de frequência não são admitidos a exame.

A classificação obtida no exame da época de recurso, se superior, substitui a classificação final (CF).

Todas as provas de avaliação serão realizadas na plataforma Moodle.

Melhoria de classificação
A melhoria de classificação pode ser efetuada realizando o exame de Recurso ou o Exame na época normal do ano letivo seguinte.

Observações
Dúvidas relativas a assuntos das aulas PL deverão ser colocadas, preferencialmente, aos docentes das respetivas turmas.

Os docentes responsáveis por esta unidade curricular estão disponíveis para atendimento por marcação (via e-mail) ou em horário
a definir:
Prof. Hélio Sousa Mendonça (HSM), hsm@fe.up.pt, gabinete I230;Prof. António José Araújo (AJA), aja@fe.up.pt, gabinete I236.

4
Circuitos 1
Código: L.EEC003     Sigla: CIR1

Áreas Científicas

Classificação Área Científica

OFICIAL Ciências Fundamentais e da Eletrotecnia

Objetivos
É objetivo principal da unidade curricular fornecer aos estudantes formação básica em análise de circuitos elétricos lineares
incluindo a capacidade de aplicar as leis básicas da teoria da eletricidade a circuitos de corrente contínua.  Os estudantes
aprendem os conceitos e propriedades das grandezas elétricas fundamentais e dos dispositivos ativos e passivos usados em
modelos de circuitos elétricos.  Aprendem as leis básicas aplicáveis a circuitos elétricos e os métodos de análise e de simplificação
de circuitos que as utilizam para equacionar e resolver circuitos em corrente contínua. Desenvolvem ainda capacidades para
montagem, medida e teste de circuitos elétricos simples em corrente contínua, em contexto laboratorial.

Resultados de aprendizagem e competências


Após conclusão da unidade curricular os estudantes deverão ter adequirido as competências necessárias para:

1. Conhecer e saber explicar as relações entre as grandezas elétricas fundamentais: carga elétrica, tensão, corrente e potência.

2. Aplicar as leis dos circuitos elétricos para simplificar e analisar circuitos elétricos lineares, constituídos por resistências, fontes
ideais independentes e fontes controladas de tensão ou de corrente, em regime de corrente contínua.

3. Realizar e interpretar medidas experimentais de grandezas elétricas fundamentais em circuitos elétricos elementares.

Modo de trabalho
Presencial

Pré-requisitos (conhecimentos prévios) e co-requisitos (conhecimentos


simultâneos)
Nenhum.

Programa
1. Grandezas elétricas (carga elétrica, corrente e tensão) e elementos básicos de circuitos elétricos lineares (fontes ideais de
tensão e fontes ideais de corrente, independentes e controladas, e resistências).

2. Leis fundamentais dos circuitos elétricos: lei de Ohm; leis de Kirchhoff das correntes e tensões; associações série eparalelo de
elementos básicos de circuitos; divisor de tensão e divisor de corrente.

3. Potência e energia elétricas: princípio da conservação de energia.

4. Métodos estruturados para análise de circuitos elétricos: análise nodal e análise de malhas.

5. Teoremas e circuitos equivalentes de Thévenin e de Norton: determinação dos modelos equivalentes e equivalência entre esses
modelos; condição de transferência de potência máxima para uma resistência.

6. Princípio da linearidade e sobreposição.

7. Modelos lineares de fontes reais de tensão e de corrente; equivalência entre fontes de tensão e de corrente.

5
Bibliografia Obrigatória
Nilsson, James W.; Electric circuits. ISBN: 0-13-127760-X
Bibliografia Complementar
Vítor Cancela Meireles; Circuitos Eléctricos, Lidel, 2010. ISBN: 978-972-757-586-2
Métodos de ensino e atividades de aprendizagem
A lecionação da disciplina desenvolve-se em aulas teóricas (T) e em aulas práticas-laboratoriais (PL). Nas aulas T (1.5h) tem lugar
a exposição da matéria acompanhada da resolução de exemplos ilustrativos. As aulas PL (2h) têm por objetivo a resolução de
exercícios e a realização de um conjunto de trabalhos laboratoriais destinados a verificar experimentalmente o funcionamento de
circuitos elementares em corrente contínua e a permitir o contacto dos alunos com os componentes e instrumentos de medida
mais comuns.

Palavras Chave
Ciências Tecnológicas > Engenharia > Engenharia electrotécnica
Tipo de avaliação
Avaliação distribuída com exame final

Componentes de Avaliação
Designação Peso (%)

Exame 60,00

Teste 20,00

Trabalho laboratorial 20,00

Total: 100,00

Componentes de Ocupação
Designação Tempo (Horas)

Estudo autónomo 70,00

Frequência das aulas 45,50

Trabalho laboratorial 6,00

Total: 121,50

Obtenção de frequência
Os estudantes devem realizar os trabalhos laboratoriais e a prova de avaliação distribuída (miniteste)

Fórmula de cálculo da classificação final


A avaliação final (CF) obtém-se combinando a classificação de um exame escrito (AE) com a nota de avaliação distribuída que
resulta da soma das classificações de um miniteste (AM) e a dos trabalhos laboratoriais (AL), contando para esta componente os

6
resultados obtidos em pelo menos 2 trabalhos laboratoriais. A classificação final é obtida pela expressão: CF = 0.6 AE + 0.2 AM +
0.2 AL

Para obter aprovação, os estudantes devem cumprir simultâneamente as condições seguintes:


- atingir uma classificação final (CF) superior ou igual a 10 valores;
- atingir uma classificação mínima de 40% no exame final (AE);
- obter a classificação mínima de 40% na componente de avaliação distribuída (miniteste AM e trabalhos laboratoriais AL)

Avaliação especial (TE, DA, ...)


 

Melhoria de classificação
A melhoria da classificação final será realizada através de um exame incidindo sobre toda a matéria e permitirá melhorar a
classificação já obtida nas componentes de avaliação escrita (exame e miniteste), com um peso total de 16 valores (80%),
mantendo-se a classificação de avaliação distribuída já obtida na componente de prática laboratorial (4 valores ou
20%). A melhoria de classificação da componente de avaliação prática laboratorial pode ser feita no ano letivo seguinte, repetido
os trabalhos laboratoriais.

Eletromagnetismo
Código: L.EEC013     Sigla: E

Áreas Científicas

Classificação Área Científica

OFICIAL Física

Falta programa

Métodos Numéricos
Código L.EEC014     Sigla: MN
:

Áreas Científicas

Classificação Área Científica

OFICIAL Matemática

Objetivos
Oferecer um leque abrangente de conhecimentos de base na área de métodos numéricos.
Dotar os estudantes com a capacidade de aplicar criteriosamente técnicas numéricas para a resolução de problemas de
engenharia, o que requer a compreensão dos fundamentos dos métodos e o saber aplicar os métodos, recorrendo a  aplicações
computacionais.

No fim desta UC o estudante terá adquirido uma base sólida de conhecimentos técnicos na área de métodos numéricos. Terá
desenvolvido a capacidade de, dada uma situação, saber escolher o(s) método(s) a aplicar e como adaptar ao problema em

7
questão as várias ferramentas estudadas durante o semestre, incluindo a determinação de estimativas dos erros associados e
condições de paragem de métodos iterativos para obter a precisão imposta.

Resultados de aprendizagem e competências


 

No fim desta UC o aluno terá adquirido uma sólida base de conhecimentos técnicos na área de métodos numéricos. Terá
desenvolvido a capacidade de, dada uma situação, saber escolher o(s) método(s) a aplicar e como adaptar ao problema em
questão as várias ferramentas  estudadas durante o semestre, incluindo determinar quantas iterações são necessárias para obter a
precisão imposta.

Modo de trabalho
Presencial

Pré-requisitos (conhecimentos prévios) e co-requisitos (conhecimentos


simultâneos)
Álgebra e Análise Matemática 1 e 2

Programa
1. Erro absoluto e erro relativo; Propagação de erros no cálculo de funções; erro de truncatura em séries.

2. Métodos iterativos para resolução de equações não lineares.

3. Métodos iterativos para resolução de sistemas de equações não lineares.

4. Métodos diretos e iterativos para sistemas de equações lineares.

5. Aproximação de funções: método dos mínimos quadrados.

6. Interpolação polinomial.

8. Integração numérica.

9. Integração numérica de equações diferenciais e sistemas de equações diferenciais.

Bibliografia Obrigatória
 

A. Matos; Apontamentos de Análise Numérica, 2005


Bibliografia Complementar
W. Cheney, R. Kincaid; Numerical Mathematics and Computing, Brooks Cole
Burden, Richard L.; Numerical analysis. ISBN: 0-53491-585-X
Conte, S. D.; Elementary numerical analysis. ISBN: 0-07-012447-7
Young, T., & Mohlenkamp, M. J.; Introduction to numerical methods and Matlab programming for engineers.
(http://www.ohiouniversityfaculty.com/youngt/IntNumMeth/book.pdf)

Métodos de ensino e atividades de aprendizagem


Aulas teóricas (T): Exposição dos temas programáticos ilustrada por exemplos que permitem clarificar os conceitos e resultados
apresentados. Proposta de exercícios a serem resolvidos antes das aulas TP.

Aulas teórico-práticas (TP): Discussão de questões encontradas na  resolução prévia dos exercícios e sobre os códigos
computacionais usados na resolução.  Discussão critica sobre resultados. Os métodos numéricos serão  implementados

8
computacionalmente salvo raras exceções. Ferramentes computacionais usadas Matlab ou Octave e Excel durante todo o
semestre. 

A avaliação requer o uso destas ferramentas computacionais. 

Software
Octave / Excel / Matlab
Palavras Chave
Ciências Físicas > Matemática > Matemática aplicada > Análise numérica
Ciências Físicas > Matemática > Matemática aplicada > Análise numérica

Tipo de avaliação
Avaliação distribuída com exame final

Componentes de Avaliação
Designação Peso (%)

Exame 60,00

Teste 40,00

Total: 100,00

Componentes de Ocupação
Designação Tempo (Horas)

Estudo autónomo 82,50

Frequência das aulas 39,00

Total: 121,50

Obtenção de frequência
Estudantes que frequentam pela 1ª vez, para obter frequência (= ser admitido ao exame final) não podem exceder o limite de
faltas às aulas TP.

Estudantes que já obtiveram frequência estão isentos das aulas TP e NÃO se devem registar em turma neste semestre. 
Contudo, classificação obtida em teste intermédio de anos passados não conta para este ano letivo. 

Fórmula de cálculo da classificação final


A nota final (N) será baseada na nota obtida nos dois  testes (T1+T2) e na nota do exame final (E) de acordo com: 
N = max(E, 0.2 * T1+0.2*T2 + 0.6 * E).
O mínimo global de 9.5 tem de ser obtido.
As diferentes componentes de avaliação encontram-se na escala de 0 a 20 valores.

9
Provas e trabalhos especiais
Ver Avaliação Especial.

Trabalho de estágio/projeto
Nenhum

Avaliação especial (TE, DA, ...)


Estudantes de regime especial podem fazer a disciplina como os restantes estudantes ou por exame final.

Melhoria de classificação
Por prova escrita, como estabelecido nos estatutos do curso.

Observações
Horário de atendimento:
Consultar a página do respectivo docente. NOTA: Por favor enviar email a marcar a reunião, particularmente se é para um horário
diferente do publicado.

Falta

Sinais e Sistemas
Áreas Científicas
Classificação Área Científica
OFICIAL Ciências Fundamentais e da Eletrotecnia

Objetivos
1. Descrever e explicar os conceitos, características, propriedades e operações essenciais dos sinais e dos sistemas; 2. Identificar e
distinguir sinais e sistemas contínuos/discretos; 3. Definir, explicar, operar e resolver sistemas lineares e invariantes (SLIT),
contínuos e discretos, no domínio dos tempos e no domínio das frequências (Fourier); 4. Interpretar e calcular transformada de
Laplace, e relacioná-las com SLIT; 5. Decompor sinais e sistemas e ilustrá-lo graficamente; 6. Analisar SLIT, representados no
tempo e na frequência.

Resultados de aprendizagem e competências


O objetivo principal da unidade curricular de Sinais e Sistemas é fornecer aos alunos formação básica em  sinais e sistemas
lineares, contínuos e discretos.Como resultados de aprendizagem os alunos devem adquirir as competências formuladas nos
Objetivos da unidade curricular e demonstrar a sua incorporação na sua formação. Assim, devem, designadamente: 1. Descrever e
10
explicar os conceitos e propriedades de sinais contínuos e discretos. 2. Representar sinais e realizar as suas transformações. 3.
Descrever e explicar o conceito de sistema, e identificar e distinguir as suas propriedades principais. 4. Compreender, formular e
operar a transformação de sinais realizada por
sistemas lineares e invariantes no tempo. 5. Incorporar e dominar as noções de análise temporal e frequencial de sinais e
sistemas. 6. Equacionar, explicar e resolver problemas práticos de tratamento de sinais por intermédio de sistemas lineares e
invariantes.

Modo de trabalho
Presencial

Pré-requisitos (conhecimentos prévios) e co-requisitos (conhecimentos


simultâneos)
Conhecimentos básicos de Análise Matemática, Álgebra e Circuitos.

Programa
CONTEÚDO
Sinais e sistemas, contínuos e discretos. Sistemas lineares, invariantes. Convolução linear. Análise de Fourier para sinais e sistemas
contínuos. Resposta em frequência. Introdução à transformada de Laplace bilateral e unilateral.

PROGRAMA

1. Sinais e sistemas, contínuos e discretos.


1.1. Sinais contínuos e discretos básicos.
1.2. Sistemas e suas propriedades (com e sem memória, invertibilidade, causalidade, estabilidade, invariância temporal,
linearidade).
2. Sistemas lineares, invariantes.
2.1. Representação de sinais por impulsos.
2.2. Soma e integral de convolução.
2.3. Sistemas descritos por equações diferenciais e por equações às diferenças.
3. Análise de Fourier para sinais e sistemas contínuos.
3.1. Resposta de sistemas lineares invariantes a
exponenciais complexas.
3.2. Representação e aproximação de sinais periódicos pela série de Fourier.
3.3. Representação de sinais aperiódicos pela transformada de Fourier.
3.4. Transformada de Laplace bilateral e unilateral. Definições e região de convergência. Aplicações.

Bibliografia Obrigatória
Oppenheim, Alan V.; Signals & systems. ISBN: 0-13-651175-9
Michael J. Roberts; Fundamentals of Signals and Systems, McGraw-Hill International Edition, 2008. ISBN: 978-007-125937-8

Bibliografia Complementar
Buck, John R.; Computer explorations in signals and systems. ISBN: 0-13-732868-0
Lindner, Douglas K; Introduction to signals and systems. ISBN: 0-07-116489-8
Signals and Systems-MIT open course ware, MIT (http://ocw.mit.edu/OcwWeb/Electrical-Engineering-and-Computer-Science/6-
003Fall-2003/CourseHome/index.htm)
H. P. Hsu; Signals and Systems, Mc Graw-Hill, 1995. ISBN: ISBN 0-07-030641-9

Métodos de ensino e atividades de aprendizagem


Aulas Teóricas:
Exposição das matérias do programa, ilustração dos métodos por meio da resolução de problemas representativos.

Aulas Teórico-Práticas:

11
Resolução de problemas ilustrativos das matérias leccionadas nas aulas teóricas. Proposta e discussão de trabalhos de casa,
resolução de problemas na aula.

Fora das Aulas:


Estudo das matérias da disciplina, resolução de problemas propostos (de modo convencional e também fazendo uso do MatLab,
disponível na rede FEUP, bem como de outro software livre de apoio).

Software
MatLab 7

Tipo de avaliação
Avaliação distribuída com exame final

Componentes de Avaliação
Designação Peso (%)
Exame 75,00
Participação presencial 0,00
Teste 25,00
Total: 100,00

Componentes de Ocupação
Designação Tempo (Horas)
Estudo autónomo 110,00
Frequência das aulas 52,00
Total: 162,00

Obtenção de frequência
Os alunos que ainda não obtiveram frequência, não podem faltar a mais de 25% das aulas teórico-práticas previstas para
obterem frequência. Um aluno sem frequência  não tem acesso a exame, seja na época normal ou na de recurso.
Os alunos que já tenham frequência na unidade curricular  são admitidos a exame final, podendo ter acesso, se o desejarem,
à componente distribuída de avaliação. A nota de avaliação distribuída só é tomada em consideração no ano em que foi obtida.

Fórmula de cálculo da classificação final


Consideram-se duas componentes da avaliação: Avaliação distribuída, AD, efectuada por meio da realização de um mini-teste com
duração não superior a 1 hora e 30 minutos, em data, hora e sala a divulgar oportunamente. O mini-teste é do tipo escolha
múltipla;

Exame escrito, EF(época normal e de recurso),  com duração não superior a 2 horas e 30 minutos. O exame é constituído por uma
parte de escolha múltipla e outra de desenvolvimento.

 Ambas as componentes são classificadas numa escala de 0 a 20 valores. A classificação final, CF, é obtida pela fórmula CF
=max(0,25 AD + 0,75 EF, EF).

12
2 semestre
Circuitos 2
Código: L.EEC008     Sigla: CIR2

Áreas Científicas

Classificação Área Científica

13
OFICIAL Ciências Fundamentais e da Eletrotecnia

Falta

Controlo
Código L.EEC020     Sigla: CONT
:

Áreas Científicas

Classificação Área Científica

OFICIAL Ciências Fundamentais e da Eletrotecnia

Falta

Eletrónica 1
Código L.EEC019     Sigla: EL1
:

Áreas Científicas

Classificação Área Científica

OFICIAL Eletrónica e Sistemas Digitais

Ocorrência: 2021/2022 - 2S

Objetivos
O objetivo da unidade curricular é o de dotar os estudantes com o conhecimento dos fundamentos basilares sobre os quais se
constroem a análise e o dimensionamento dos circuitos eletrónicos. É dado especial relevo à aplicação das leis e princípios
fundamentais da teoria dos circuitos no contexto particular da eletrónica. Reforça-se o conceito de amplificador linear e seus
modelos comportamentais no contexto do Amplificador Operacional. Introduzem-se os dispositivos semicondutores não lineares
(junção p-n) e ativos (BJT e MOSFET). São apresentados os conceitos de conversão AC/DC básica, de polarização e análise de sinal
por aproximação linear em torno do ponto de funcionamento estático (DC). Todas as configurações básicas de amplificação com
transístores são devidamente analisadas.

Resultados de aprendizagem e competências


Os estudantes deverão adquirir conhecimentos técnicos no domínio da eletrónica básica e reforçar as suas aptidões pessoais e
profissionais, serem capazes de levar a cabo experimentação e de trabalhar em equipa.

Modo de trabalho
Presencial

Pré-requisitos (conhecimentos prévios) e co-requisitos (conhecimentos


simultâneos)
Conhecimentos sólidos em análise de circuitos (Circuitos 1 e Circuitos 2)

14
Programa
1- Noção de amplificação e modelos de amplificadores lineares: ganho de tensão e de corrente, resistência de entrada (Ri) e de
saída (Ro).
2- Introdução de técnicas de análise de circuitos particularmente relevantes para circuitos electrónicos.
3- Aspetos não ideais dos amplificadores no contexto do AmpOp e melhoramentos que os mitigam (e.g. Amp. de Inst.).
4- Dispositivos semicondutores: díodos e suas características.
5- Circuitos de conversão de energia básicos: Retificação, filtragem e regulação.
6- Dispositivos semicondutores ativos: transístores BJT e MOSFET e suas características.
7- Polarização e funcionamento para pequenos sinais dos dispositivos ativos; aproximação linear e modelos equivalentes.
8- Caracterização de circuitos amplificadores básicos com BJT e MOSFET (ganhos, Ri e Ro).
9- Limites de funcionamento linear.
10- Aplicação de condensadores de bloqueio DC e de acoplamento de sinal.
11- Amplificadores com dois andares de ganho.

Bibliografia Obrigatória
Pedro Guedes de Oliveira; Eletrónica, uma visão de projeto. ISBN: 978-989-746-164-4 (Livro escrito em lingua Portuguesa.)

Bibliografia Complementar
Adel S. Sedra; Microelectronic circuits. ISBN: 978-0-19-973851-9

Métodos de ensino e atividades de aprendizagem


- Aulas Teóricas de exposição dos conteúdos a tratar com apresentação de exemplos práticos ilustrativos, numa lógica de
aprendizagem ativa, intercaladas com aulas de demonstração de técnicas de análise e síntese de circuitos e resolução de
problemas.

- Aulas de Prática Laboratorial onde é realizado um conjunto de trabalhos experimentais de aplicação dos conceitos aprendidos.

Software
LTspice

Tipo de avaliação
Avaliação distribuída com exame final

Componentes de Avaliação
Designação Peso (%)

Exame 50,00

Teste 20,00

Trabalho laboratorial 30,00

Total: 100,00

15
Componentes de Ocupação
Designação Tempo (Horas)

Estudo autónomo 70,00

Frequência das aulas 52,00

Trabalho laboratorial 40,00

Total: 162,00

Obtenção de frequência
- A frequência da componente laboratorial é obrigatória e sujeita à legislação no tocante ao número máximo de faltas admissível.

- A justificação de uma falta não a elimina da contagem para efeito de aproveitamento, devendo os alunos repetir os trabalhos
respetivos numa outra aula ou em tempo extra curricular, desde que autorizado pelo docente e acompanhado pelo técnico
responsável pelos laboratórios.

- O acesso ao exame final exige um mínimo de 9 valores (em 20) na componente laboratorial.

Fórmula de cálculo da classificação final


1. Para os alunos ordinários em primeira inscrição:

A classificação final (CF) segue a seguinte fórmula:

CF = 0,1×MT1 + 0,1×MT2 + 0,5×E + 0,3×PL

2. Para os estudantes ordinários em primeira inscrição que tenham faltado a um miniteste, com uma justificação aceite pelo
docente responsável pela disciplina, a percentagem desse miniteste é adicionada ao exame final.

3. Para os alunos em regime especial ou os alunos ordinários que já tenham obtido aprovação na componente laboratorial
da unidade curricular e não tenham solicitado expressamente o acesso aos minitestes, aplica-se a seguinte fórmula:

CF = 0,7×E + 0,3×PL

Em qualquer dos casos indicados acima, a nota da componente laboratorial (numa escala de 0 a 20) é limitada à classificação do
exame final mais 4 valores:

PL = min{PL, E + 4}

4. A componente distribuída mantém o seu peso quer para o exame de época normal quer para o de recurso.

(NOTA: MT1 = Mini-Teste 1, MT2 = Mini-Teste 2, E = Exame, PL = Prática Laboratorial.)

Provas e trabalhos especiais


1. São realizados dois minitestes, tipicamente o primeiro entre a 5ª e a 6ª semana e o segundo entre a 9ª e a 10ª.

2. A frequência das aulas práticas de laboratório é objeto de avaliação com base na participação e desempenho nas aulas e
respostas escritas a perguntas (peso de 30% e 70%, respetivamente).

16
3. Provas de época especial (conclusão de curso ou outras) seguem a regra aplicável aos exames de época normal e recurso no seu
ponto 3.

Trabalho de estágio/projeto
Não se aplica.

Avaliação especial (TE, DA, ...)


1. A componente laboratorial é obrigatória para todos os estudantes.

2. Estudantes em regime especial estão dispensados de realizar os minitestes, podendo, contudo, requerer que o façam.

Melhoria de classificação
1. Em caso de melhoria de classificação, se no mesmo ano letivo, as regras são as mesmas que vigoram para os exames de
época normal e recurso;

2. No caso de melhoria no ano letivo subsequente, a classificação da componente laboratorial do ano em que fez a
unidade curricular volta a contar com o peso de 30%, sendo os restantes 70% atribuídos ao exame.

Em todos os casos, a nota da componente laboratorial (numa escala de 0 a 20) é limitada à classificação do exame final
mais 4 valores (em 20): PL = min {PL, E + 4}.

Estruturas de Dados e Algoritmos


Código L.EEC009     Sigla: ESDA
:

Áreas Científicas

Área
Classificação
Científica

OFICIAL Informática

Ocorrência: 2021/2022 - 2S
Falta

17
Mecânica e Ondas
Código: L.EEC00     Sigla MO
7 :

Áreas Científicas

Classificação Área Científica

OFICIAL Física

Ocorrência: 2021/2022 - 2S

Falta programa

Ondas Eletromagnéticas
Código: L.EEC01     Sigla OE
8 :

Áreas Científicas

Classificação Área Científica

OFICIAL Telecomunicações

Ocorrência: 2021/2022 - 2S

Objetivos
Os principais objectivos da disciplina são dotar os alunos de conhecimentos técnicos (CDIO 1.1 a 1.3) relativos a: • Fenómenos
ondulatórios em linhas de transmissão • Fenómenos transitórios em linhas de transmissão • Propagação de ondas
electromagnéticas planas em meios sem e com perdas • Polarização de ondas electromagnéticas • Energia transportada por uma
onda • Incidência de ondas em diferentes meios e com diferentes ângulos • Propagação guiada de ondas electromagnéticas •
Radiação de ondas electromagnéticas • Princípios de funcionamento de antenas. Inclui-se também nesta disciplina o
desenvolvimento de aptidões pessoais e profissionais no que diz respeito ao raciocínio em engenharia (CDIO 2.1).

Resultados de aprendizagem e competências


Fornecer os conceitos fundamentais associados à propagação (no espaço livre e guiada) e à radiação de ondas eletromagnéticas.
No final desta unidade curricular espera-se que o estudante seja capaz de
- Compreender as caraterísticas ondulatórias da tensão e corrente em linhas de transmissão
- Analisar linhas de transmissão como elementos de circuitos
- Compreender os fenómenos transitórios em linhas de transmissão
- Projetar adaptadores de impedância
- Compreender a propagação de ondas eletromagéticas planas em meios sem e com perdas
- Compreender o fenómeno de incidência de ondas eletromgnéticas planas em interfaces com meios dielétricos e meios
condutores
- Compreender o mecanismo físico dos guias de onda
- Compreender o comportamento de diferentes guias de onda
- Determinar os modos de propagação e as suas caraterísticas principais
- Calcular a frequência de oscilação de cavidades

18
- Compreender o princípio de operação de fibras óticas
- Compreender o fenómeno da radiação
- Compreender os parâmetros fundamentais de antenas

Modo de trabalhoPresencial

Pré-requisitos (conhecimentos prévios) e co-requisitos (conhecimentos


simultâneos) Eletromagnetismo e Equações Diferenciais.

Programa
1. Linhas de Transmissão: Parâmetros distribuídos e modelo elétrico de uma linha; Equação dos telegrafistas e propagação de
ondas em linhas; Linhas inseridas em circuitos; O diagrama de Smith; Adaptação de impedâncias; Transitórios.
2. Ondas eletromagnéticas planas: Equações de Maxwell; Equação de onda e equação de Helmholtz; Ondas planas em meios sem
perdas e meios com perdas - velocidade de fase, impedância intrínseca, polarização, constantes de atenuação e de fase, bons
condutores; Velocidade de grupo; Vetor de Poynting; Interface entre meios diferentes - coeficientes de reflexão e transmissão;
ângulo de Brewster, reflexão total.
3. Guias de onda: Ondas TEM, TM e TE; Guias de onda de placas paralelas, retangulares e circulares; Guias dieléctricos planares e
fibras óticas.
4. Antenas: Dipolos elétrico e magnético elementares; Diagrama de radiação e parâmetros de antenas; Antenas lineares finas.

Bibliografia Obrigatória
David K. Cheng; Field and wave electromagnetics. ISBN: 0-201-12819-5

Bibliografia Complementar
John D. Kraus; Electromagnetics with applications. ISBN: 0-07-116429-4
Demarest; Engineering electromagnetics. ISBN: 0-02-328521-4
Inan, S. I., Inan, A. S., & Said, R. K.; Engineering electromagnetics and waves, Pearson., 2015. ISBN: 9780132662741
Maria João Martins; Propagação e radiação de ondas eletromagnéticas. ISBN: 978-989-752-066-2
Pedro Renato Tavares Pinho; Propagação guiada de ondas eletromagnéticas. ISBN: 978-85-216-2591-9

Métodos de ensino e atividades de aprendizagem


- Aulas teóricas: aulas expositivas onde se introduzem os conceitos e as ferramentas matemáticas necessárias à compreensão da
matéria lecionada.
- Aulas teórico-práticas: discussão e resolução de problemas ilustrativos, e resolução de exercícios de avaliação.

Tipo de avaliação
Avaliação distribuída com exame final

Componentes de Avaliação
Designação Peso (%)

Exame 55,00

Teste 22,50

Trabalho escrito 22,50

19
Total: 100,00

Componentes de Ocupação
Designação Tempo (Horas)

Estudo autónomo 110,00

Frequência das aulas 52,00

Total: 162,00

Obtenção de frequência
Não exceder o limite de faltas e classificação mínima de 35% na componente distribuída.

Fórmula de cálculo da classificação final


A avaliação distribuída é escrita e composta por duas componentes: um exame escrito realizado a meio do semestre (D1) e cinco
conjuntos de questões a responder no fim de algumas aulas teórico-práticas (D2).
A classificação final (CF) é dada pela expressão CF=0.45*AD+0.55*E, onde E é a classificação do exame final e AD a classificação da
componente distribuída (AD=0.5*D1+0.5*D2).

A aprovação exige mínimo de 35% em AD e mínimo de 40% em E.

Avaliação especial (TE, DA, ...)


Estão dispensados de frequentar a disciplina os alunos trabalhadores estudantes e os alunos com frequência a Ondas
Electromagnéticas em ano lectivo anterior. Os alunos dispensados de frequência serão avaliados através da realização de um
exame final, sendo a classificação a atribuir ao aluno igual a 100 % da classificação desse exame. Contudo, estes alunos poderão
optar por frequentar a disciplina, devendo para isso inscrever-se numa turma prática. Esta opção é irreversível. As condições para
a obtenção de frequência neste caso são as referidas atrás.

Melhoria de classificação
Melhoria de classificação: feita por exame escrito, sendo a classificação a atribuir igual ao máximo entre a classificação obtida
nesse exame e a classificação final anterior.

Termodinâmica e Estrutura da Matéria


Código: L.EEC016     Sigla: TEM

Áreas Científicas

Classificação Área Científica

OFICIAL Física

Objetivos
Esta UC apresenta os conceitos e princípios básicos de termodinâmica e as bases da estrutura da matéria.  

20
Os alunos devem ser capazes de aplicar conceitos, princípios e técnicas na área da termodinâmica; em particular, deverão estar
familiarizados com os princípios de funcionamento dos ciclos termodinâmicos de vários motores térmicos e máquinas de
refrigeração.

Deverão também compreender a natureza e estrutura dos átomos, suas ligações atómicas e moleculares e sua relação com as 
propriedades elétricas e magnéticas dos materiais.

Resultados de aprendizagem e competências


Os estudantes deverão ser capazes de:

- Explicar conceitos e fenómenos físicos básicos de termodinâmica e estrutura da matéria, usando vocabulário apropriado.

- Usar as leis fundamentais da termodinâmica e os conceitos de calor e temperatura para explicar fenómenos observados no dia-a-
dia.

 - Explicar a natureza e estrutura de um átomo e sua estrutura eletrónica, bem como os vários tipos de ligações atómica e
molecular.

- Descrever o modelo de bandas de energia e definir propriedades elétricas de metais, isoladores e semicondutores.

– Caracterizar diversos dispositivos semicondutores e sua potencial utilização prática.

– Explicar o diamagnetismo, paramagnetismo e ferromagnetismo.

 – Explicar a magnetização e desmagnetização de um material ferromagnético; esboçar e interpretar a sua curva de histerese.

- Colaborar e planear trabalho em grupo no laboratório, bem como na resolução de problemas quer em grupo quer
individualmente.

Modo de trabalho
Presencial

Pré-requisitos (conhecimentos prévios) e co-requisitos (conhecimentos


simultâneos)
Conhecimentos básicos de Cálculo e de Física.

Programa
I – TERMODINÂMICA

1 - Temperatura e teoria cinética dos gases

      1.1 Equilíbrio térmico e lei zero da termodinâmica

      1.2 Temperatura

      1.3 Equação de estado dos gases ideais

      1.4 Breve introdução à teoria cinética dos gases

2 - Calor e 1ª lei da Termodinâmica

      2.1 Quantidade e condução de calor

21
      2.2 Equivalente mecânico da caloria

      2.3 A 1ª lei da termodinâmica

3 - Segunda lei da Termodinâmica e Entropia

     3.1 Motores térmicos e a 2ª lei da termodinâmcia

     3.2 Refrigeradores e a 2ª lei da termodinâmica

     3.3 Ciclo de Carnot

     3.4 Entropia 

II – ESTRUTURA DA MATÉRIA

1 - Estrutura dos átomos

      1.1 Estrutura dos átomos e partículas subatómicas

      1.2 Estrutura eletrónica dos átomos

2 – Tipos de ligação atómica e molecular

      2.1 Tipos de ligações primárias: iónica, covalente e metálica

      2.2 Outros tipos de ligações

3 – Propriedades elétricas dos materiais

      3.1 Condução elétrica em metais

      3.2 Modelo de bandas de energia de condução elétrica

      3.3 Semicondutores intrínsecos

      3.4 Semicondutores extrínsecos

      3.5 Dispositivos semicondutores

4 – Propriedades magnéticas dos materiais

      4.1 Grandezas magnéticas

      4.2 Tipos de magnetismo

      4.3 Efeito da temperatura no magnetismo

      4.4 Domínios ferromagnéticos

      4.5 Magnetização e desmagnetização de um material ferromagnético

Bibliografia Obrigatória
Paul A. Tipler; Physics for scientists and engineers. ISBN: 0-7167-4389-2

Bibliografia Complementar
22
Raymond A. Serway; Physics for scientists and engineers with modern physics. ISBN: 0-03-022657-0
H. Moysés Nussenzveig; Curso de física básica
William D. Callister; Materials science and engineering. ISBN: 978-0-470-50586-1

Métodos de ensino e atividades de aprendizagem


Aulas teóricas T: explora-se a matéria programática, com apresentação dos conteúdos teóricos, recorrendo a transparentes que
ilustram temas programáticos mais importantes, concretizando alguns tópicos com exemplos ilustrativos.

Aulas práticas TP/PL: serão dedicadas à resolução de problemas pelos estudantes, individualmente e/ou em grupo. Sempre que
for adequado, estas aulas incluirão a realização de alguns trabalhos e demonstrações experimentais. De cada
trabalho/demonstração realizado será exigida a elaboração de um breve relatório de grupo.

Tipo de avaliação
Avaliação distribuída sem exame final

Componentes de Avaliação
Designação Peso (%)
Teste 75,00
Trabalho laboratorial 25,00
Total: 100,00

Componentes de Ocupação
Designação Tempo (Horas)
Estudo autónomo 82,50
Frequência das aulas 39,00
Total: 121,50

Obtenção de frequência
Para o estudante obter frequência à unidade curricular, deve satisfazer cumulativamente as seguintes exigências:

- frequência das aulas laboratoriais sem exceder o número de faltas regulamentado pela FEUP;

- obtenção de classificação de 7,00 valores ou superior na avaliação da componente teórica (CT);

- obtenção de classificação de 9,50 valores ou superior na avaliação da componente laboratorial (CL).

Fórmula de cálculo da classificação final


A classificação final (CF) resulta da média ponderada das classificações parciais obtidas nas componentes teórica e laboratorial.

A componente teórica (CT) terá um peso de 75% e a componente laboratorial (CL) um peso de 25% na classificação final.

A classificação da componente teórica corresponderá à média aritmética das classificações obtidas em dois testes.

A classificação da componente prática é resultante das classificações parciais dos relatórios dos trabalhos/demonstrações
realizados e do desempenho nas aulas.

Se a classificação final ponderada de um estudante for de nove valores ou inferior, ele será reprovado com essa classificação (caso
tenha obtido frequência).

23
Caso um estudante não obtenha frequência (como definido anteriormente em “Obtenção de frequência”) então o estudante será
reprovado com “RFC – Reprovado por Falta de Componente”.

Provas e trabalhos especiais


Os estudantes com direito a avaliação final que não tenham realizado nenhum dos 2 testes e desde que tenham frequência à
componente laboratorial, conforme definido anteriormente em "Obtenção de Frequência", serão sujeitos a um exame escrito de
recurso sobre toda a matéria da UC que constituirá a sua classificação da componente teórica.

A sua classificação final será determinada como definido anteriormente em "Cálculo da Classificação Final".

Avaliação especial (TE, DA, ...)


Os estudantes com direito a avaliação especial seguirão os passos definidos anteriormente em "Provas e Trabalhos Especiais".

Os alunos com estatuto especial, apesar de estarem dispensados das aulas, devem ser avaliados de modo idêntico aos estudantes
ordinários. Assim, efetuarão, dentro das suas disponibilidades de horário, trabalhos práticos idênticos aos realizados nas aulas
práticas, em data a determinar, os quais terão a mesma duração.

Melhoria de classificação
Os estudantes que requeiram melhoria da classificação final seguirão os passos definidos anteriormente em "Provas e Trabalhos
Especiais", sendo-lhes garantida a classificação mínima previamente obtida. A melhoria é só da componente teórica, efetuando
para tal o exame de recurso sobre toda a matéria.

24

Você também pode gostar