Você está na página 1de 9

1

REGIÃO – UM CONCEITO COMPLEXO

! O conceito de região está ligado à noção fundamental de

diferenciação de área;

! Há diferentes conceitos de região, cada um deles tem um

significado próprio e se insere dentro de uma das correntes

do pensamento geográfico;

REGIÃO NATURAL

! Determinismo Ambiental

! Região Natural -> conceito dominante no final do séc. XIX e

durante as 2 primeiras décadas do XX;

! Entendida como uma parte da superfície da terra,

dimensionada segundo escalas territoriais diversificadas e

caracterizadas pela uniformidade resultante da combinação

ou interação em área dos elementos da natureza: o clima, a

vegetação, o relevo, a geologia e outros;

! Vários autores propõem divisão regional apoiada no conceito

de região natural: HERBERTSON (1905) divide a terra em

região polar, temperada fria, temperada quente, tropical,

montanhosa subtropical, terras baixas e úmidas equatoriais;


2

Mapas de diferentes aspectos físicos e que podem gerar um mapa de região natural.
3

! Fábio Guimarães apresentou uma proposta, no início do séc.

XX, de divisão do Brasil em Regiões Fisiográficas;

POSSIBILIMO E REGIÃO

! Considera de modo diferente a questão da região. Não é mais

a região natural, e sua influência sobre o homem, que domina o

temário dos geógrafos possibilistas. É a Região Humana;

! O possibilismo considera a evolução das relações entre o

homem e a natureza próprios e peculiares a cada porção da

superfície da terra;

! A região geográfica abrange uma paisagem e sua extensão

territorial, onde se entrelaçam, de modo harmonioso

componentes humanos e natureza;

! La Blache introduziu a idéia das descrições regionais

aprofundadas, que são consideradas a forma, mais fina, do

pensamento geográfico. Ele mostra como as paisagens de uma

região são o resultado da superposição, ao longo da história,

das influências humanas e dos dados naturais. Baniu de suas

descrições tudo que decorre da evolução econômica e social

recente.

! Geógrafo -> reconhecê-la, descrevê-la e explicá-la, isto é,

tornar claro os seus limites;


4

Divisão Regional Francesa


5

MÉTODO REGIONAL

! Richard Hartshorne: A Natureza da Geografia, 1939;

Defendia a idéia de que as ciências se definiriam por métodos

próprios, não por objetos singulares. Assim, a geografia teria

uma individualidade e autoridade decorrentes de uma forma

própria de analisar a realidade: o método especificamente

geográfico;

! Nele, a diferenciação de áreas não é vista a partir das

relações entre o homem e a natureza mas sim da integração

de fenômenos heterogêneos em uma dada porção da

superfície da Terra;

! Para Hartshorne o importante não é adotar Região como

objeto da Geografia e sim estabelecer métodos de identificar

diferenciações de áreas;

! Método Idiográfico (análise singular, tentando apreender

vários elementos, que levaria a um conhecimento profundo de

um determinado local) e Método Nomotético (generalizador,

apesar de parcial, estudando, parcialmente, vários locais,

permitindo comparações);
6

NOVA GEOGRAFIA, CLASSES E REGIÃO

! A região é definida como um conjunto de lugares onde as

diferenças internas entre esses lugares são menores que as

existentes entre eles e qualquer elemento de outro conjunto

de lugares;

! As diferenças ou similaridades entre os lugares são definidas

através de uma mensuração na qual se utilizam técnicas

estatísticas descritivas. Definir região passa a ser um

problema de aplicação eficiente de estatística;

! Região Homogênea: similaridade entre áreas (produção de

arroz, cana, mecanização na agricultura, produção de tecidos

etc);

! Região Funcional: Não está relacionada a funcionalidade de

uma área (função industrial, agrícola, comercial etc) e sim à

área de influência e um local sobre o outro, estabelecida

através do nível de relacionamento existente (fluxo);

! Região Polarizada: polariza as atividades de um local. Passou a

existir a partir de uma teoria econômica (Teoria dos Polos, de

Perroux -> indústria Motriz atrai outras indústrias e causa

um crescimento, que se difunde espacialmente). Ex; Montes

Claros, MG;

! Região Plano: espaço econômico como conteúdo de um plano.


7

REGIÃO E GEOGRAFIA CRÍTICA

! Considera região sob uma articulação dos modos de produção;

! Conceito: uma dimensão espacial das especificidades sociais,

em uma totalidade espaço social;

Dimensão
espacial

Totalidade

! Tem-se uma diferenciação causada por um desenvolvimento

diferenciado das sociedades: o aparecimento da divisão social

do trabalho, da propriedade da terra, dos meios e das

técnicas de produção, das classes sociais e suas lutas, tudo

isto se deu com enorme distância em termos espaço-

temporais, levando a uma diferenciação inter e intra grupos;

! Região pode ser vista como resultado do desenvolvimento

desigual e combinado, caracterizado pela sua inserção na


8

divisão nacional e internacional do trabalho e pela associação

da relação de produção distintas.

! Sob o enfoque da Geografia Crítica, “cujo vetor mais

significativo é calcado no materialismo histórico e na dialética

marxista”, a região é vista como “relações dialéticas entre

formas espaciais e os processos históricos que modelam os

grupos sociais” ... “onde a organização espacial constitui parte

integrante de uma dada sociedade” (Corrêa, 1995, p. 21).

! Nessa concepção crítica, “... o conceito de região é articulado

à luz dos modos de produção ... através das conexões entre

classes sociais e acumulação capitalista, ... por meio das

relações entre Estado e a sociedade local; ... ou então,

introduzindo a dimensão política” (Ibid., p. 41).

! Hoje, no discurso dos Geógrafos, está sempre presente a

discussão sobre Globalização. Em geral, esta palavra expressa

a idéia de uma economia unificada, de uma dinâmica cultural e

hegemônica, de uma sociedade que só pode ser compreendida

como um processo de reprodução social global.


9

! Diante desta “novidade”, muitos afirmaram que os novos

tempos anunciavam o fim das regiões pela homogeneização do

espaço ou pela uniformização das relações sociais. Segundo

esta versão, os movimentos regionais ou regionalistas são, em

geral, vistos como movimentos de resistência à esta

homogeneização, movimentos de defesa das diferenças e por

isso contam com a simpatia e a adesão imediata de um grande

número de pessoas.

! Este discurso permite várias análises: regionalismo = direito à

exclusão; regionalismo = preservação da elite local;

globalização = manutenção das diferenças sócio culturais e,

portanto, da região (não conseguiu suprimir a diversidade

espacial); globalização = criação de novas regiões (CEE, Nafta

etc).