Você está na página 1de 8

Ficha n.

º 2 - Transformador monofásico

NOTA: Os problemas que se seguem dizem respeito ao transformador real

1. Um transformador de 220/112 V, 110 VA, foi ensaiado em vazio tendo-se obtido os seguintes
valores: U1n=220 V, U20=112 V, I10=0,14 A, P10=8,8 W. Medimos ainda as resistências do primário e do
secundário, tendo-se obtido R1 = 9,8 Ω e R2=3,7 Ω. Calcule:
a) A relação de transformação.
b) As perdas por efeito de Joule no primário, Pj.
c) Pj/P10, em percentagem.
d) As perdas no ferro do transformador.
e) 0 factor de potência do transformador em vazio.
f) A impedância do transformador em vazio.

2. Fez-se o ensaio em vazio do transformador anterior, alimentado pelo lado do secundário, tendo-se
obtido os seguintes valores: U1n=110V, U20=203 V, I10=0,22 A, P10=8,8 W.
1 ) Calcule as mesmas grandezas do problema anterior.
2) Por que motivo a potência P10 deu o mesmo valor?

3. Um transformador de 220/400 V foi ensaiado em vazio, tendo-se obtido os seguintes valores:


P10=20 W, I10=0,5 A. Calcule:
a) A relação de transformação.
b) 0 factor de potência em vazio.
c) A impedância em vazio.
d) Construa o diagrama vectorial do transformador em vazio.

4. De um catalogo de um transformador tiraram-se os seguintes valores: 1000/230 V, P10 = 150 W.


Qual será o valor da corrente em vazio sabendo que cos ϕ0 = 0,2?

5. Um transformador de 500/220 V absorve em vazio 0,6 A, com um factor de potência de 0,25.


Calcule as suas perdas no ferro.
6. As resistências R1 e R2 dos enrolamentos do primário e do secundário de um transformador redutor
são respectivamente 3 Ωe 1Ω. As reactâncias de dispersão correspondentes, Xd1 e Xd2, são respectivamente
de 5 Ω e 2 Ω. A relação de transformação é 4. Calcule:
a) 0 valor da resistência equivalente do transformador reduzida ao primário.
b) 0 valor da reactância equivalente do transformador reduzida ao primário.
c) 0 valor da resistência equivalente do transformador reduzida ao secundário.
d) 0 valor da reactância equivalente do transformador reduzida ao secundário.
e) A potência dissipada por efeito de Joule nos enrolamentos, supondo que I1 =0,5 A e I2=2 A.

7. Resolva problema idêntico ao anterior considerando agora os seguintes valores: R1 = 1 Ω, R2=0,4


Ω, Xd1 =2 Ω, Xd2=0,8 Ω. 0 transformador é redutor, com rt=3. As intensidades no primário e no secundário
são respectivamente 1 A e 3 A.

8. As resistências R1 e R2 dos enrolamentos do primário e do secundário de um transformador


elevador são respectivamente: 1 Ω e 3 Ω. As reactâncias de dispersão correspondentes, Xd1 e Xd2, são
respectivamente 2 Ω e 5 Ω. A relação de transformação é 4. Calcule:
a) 0 valor da resistência equivalente reduzida ao primário.
b) 0 valor da reactância equivalente reduzida ao primário.
c) 0 valor da resistência equivalente reduzida ao secundário.
d) 0 valor da reactância equivalente reduzida ao secundário.
e) A potência dissipada por efeito de Joule nos þ enrolamentos supondo que I1 =2 A e I2=0,5 A.

9. Resolva problema idêntico ao anterior supondo os seguintes valores: R1 =0,5 Ω, R2=2Ω, Xd1=1 Ω,
Xd2=2,5 Ω. 0 transformador é elevador, com rt=2. As intensidades no primário e no secundário são
respectivamente: I1 = 1,5 A e I2=0,75 A.

10. A resistência reduzida ao primário de um transformador redutor é de 25 Ω. A resistência reduzida


ao secundário e de 2 Ω. A resistência do enrolamento primário é 4Ω. Calcule:
a) A relação de transformação.
b) A resistência R2.
c) A potência dissipada por efeito de Joule no transformador em carga, sabendo que I1=1A.
11. A resistência reduzida ao secundário de um transformador elevador é 15 Ω. A sua relação de
transformação é igual a 3. Sabendo que a resistência R2 e de 2 Ω, calcule:
a) A resistência reduzida ao primário.
b) A resistência R1 .

12. Um transformador, quando em carga, tem as seguintes intensidades: I1 =2 A e I2=6 A. Sabendo que
a potência dissipada por efeito de Joule em cada um dos enrolamentos é respectivamente P1 = 16 W e P2 =
18 W, calcule:
a) A relação de transformação.
b) As resistências do enrolamento primário e do secundário.
c) A resistência reduzida ao primário
d) A resistência reduzida ao secundário.

13. No ensaio em curto-circuito de um


transformador redutor de 220/50 V, 400 VA,
obtiveram-se os seguintes valores: U1cc=8,8 V
I2n=8 A, P1cc = 12 W. Calcule:
a) A tensão de curto-circuito, em percentagem
b) A relação de transformação.
c) A tensão de curto-circuito reduzida ao
secundário.
d) A resistência, impedância e reactância reduzidas ao secundário.
e) A resistência, impedância e reactância reduzidas ao primário.
f) 0 factor de potência em curto-circuito.

14. Resolva problema idêntico ao anterior, considerando um transformador de 220/150 V, 450 VA, com
os seguintes valores do ensaio em curto-circuito: U1cc=12,1 V I2n=3 A, P1cc=21 W.
15. No ensaio em curto-circuito de um transformador elevador de 110/220 V, 660 VA, obtiveram-se os
seguintes valores: U1cc=5,5 V I2n=3 A, P1cc=23 W. Calcule:
a) A tensão de curto-circuito, em percentagem.
b) A relação de transformação.
c) A tensão de curto-circuito reduzida ao secundário.
d) A resistência, a impedância e a reactância reduzidas ao secundário.
e) A resistência, a impedância e a reactância reduzidas ao primário.
f) 0 factor de potência em curto-circuito.

16. Resolva problema idêntico ao anterior considerando que o transformador é de 50/220V, 400 VA,
tendo-se obtido os seguintes valores no ensaio em curto-circuito: U1cc=2 V, I2n= 1,82 A, P1cc= 13 W.

17. Fez-se um ensaio em curto-circuito com um transformador de 220/110 V, tendo-se obtido os


seguintes valores: U1cc=12 V, I2n=0,9 A, I1n=0,45 A, P1cc=4,8 W.
a) Calcule a tensão de curto-circuito em percentagem.
b) Calcule a potência nominal do transformador.
c) Calcule cos ϕ1cc.
d) Calcule as resistência, reactância e impedância reduzidas ao secundário.
e) Calcule as resistência, reactância e impedância reduzidas ao primário.
f) Trace o triângulo das impedâncias reduzidas ao secundário (de Kapp).

18. Fez-se um ensaio em curto-circuito do transformador anterior mas pelo lado do secundário (que
passou a ser o primário) tendo-se obtido os seguintes valores: U1cc=6,2V, I1n=0,9 A, I2n=0,45 A, P1cc=4,8
W.
1 ) Calcule as mesmas grandezas do problema anterior.
2) Por que motivo P1cc e igual nos dois casos?

19. Um transformador de 220/400 V, 300 VA, tem um factor de potência de curto-circuito de 0,8 e uma
tensão de curto-circuito de 5%. Calcule:
a) A sua potência de curto-circuito.
b) A resistência reduzida ao secundário.
20. Sabe-se que um transformador de 220/100 V, 200 VA, tem uma potência de perdas no cobre, em
regime nominal, de 10 W. 0 seu factor de potência em curto-circuito é 0,7. Calcule a tensão de curto-
circuito em percentagem.

21. Um transformador de 1500/230 V, 10 kVA, foi ensaiado em curto-circuito tendo-se obtido os


seguintes valores: U1cc=75 V, P1cc=300 W.
a) Calcule os valores da queda de tensão e da tensão secundaria quando o transformador fornece a
intensidade nominal nas situações:
1 . Carga resistiva pura
2. Carga indutiva com cos ϕ2=0,8
3. Carga capacitiva com cos ϕ2=0,6
b) Calcule o valor da tensão a aplicar ao primário para que no secundário a carga resistiva tenha aos seus
terminais os 220 V.

22. Um transformador de 5000/230 V, 10 kVA, foi ensaiado em curto-circuito tendo-se obtido os


seguintes valores: U1cc=200 V, P1cc=320 W. Calcule os valores da queda de tensão e da tensão secundaria
(a carga nominal) nas três situações:
a) Carga resistiva pura
b) Carga indutiva, cos ϕ2=0,5
c) Carga capacitiva, cos ϕ2=0,5

23. Considere um transformador de 1000/230 V, 1500 VA, cujos enrolamentos primário e secundário
são respectivamente de 8 Ω e 0,6 Ω. A tensão de curto-circuito é de 50 V. Calcule:
a) A resistência e a reactância reduzidas ao secundário
b) A tensão secundária, a plena carga, do tipo:
1 . Resistiva pura
2. Indutiva, cosϕ2=0,8
3. Capacitiva, cosϕ2=0,8
c) A tensão a aplicar ao primário de modo que no secundário a carga indutiva tenha aplicada 230 V.
24. Um transformador de 1500/230 V, 6 kVA, alimenta uma carga nominal resistiva, sob a tensão de
215 V. Admitindo que pretendia estabilizar a tensão no secundário em 230 V, calcule, para as duas
hipóteses distintas seguintes.
a) A nova tensão que deveria aplicar ao primário.
b) A percentagem de espiras que deveria `retirar' ou `aumentar' no primário (considere que o transformador
tem regulação de espiras no primário), mantendo agora constante a tensão em 1500 V.

25. Um transformador de 5000/230 V tem uma potência nominal de 10 kVA. Quando alimenta, a
corrente nominal, uma carga resistiva pura a tensão baixa para 223 V. Quando alimenta, a corrente
nominal, uma carga indutiva pura a tensão baixa para 215V. Calcule:
a) As resistência e reactância, RS e XS, do transformador
b) A tensão U2 se a corrente de carga for de 40A, nas duas situações
1 . cos ϕ2 = 0,7 indutivo
2. cos ϕ2=0,7 capacitivo

26. Um transformador de 5000/230 V, 10 kVA, tem uma queda de tensão de 5% quando alimenta a
carga nominal (carga indutiva com cos ϕ2=0,6).
A potência de curto-circuito deste transformador é de 300 W. Calcule:
a) A tensão U2, a carga nominal.
b) Os valores de RS, XS e ZS.
c) A tensão U2 a 2/3 da corrente nominal (cos ϕ2=0,6 indutivo).

27. Ao ligar um transformador de 1500/220 V, 800 VA, a uma carga capacitiva pura, absorvendo a
corrente nominal, houve uma queda de tensão negativa de 4,5 V. A tensão de curto--circuito do
transformador é de 40 V. Calcule:
a) A impedância da carga.
b) Os valores de RS, XS e ZS
c) A tensão U2 se a corrente no secundário for 3/4 da nominal com cos ϕ2=0,8 indutivo.
28. Um transformador alimentado a 1500 V, alimenta um conjunto de consumidores, a uma tensão U2
de 220 V, à carga nominal I2n=43,5 A (cos ϕ2=0,8). Sabe-se que P1cc=250 W, P10=100 W, U2cc=9,2 V.
Calcule:
a) A queda de tensão, à carga nominal.
b) A tensão U20, quando o transformador fica em vazio.
c) A potência nominal do transformador.

29. Um transformador de 220/110 V, 500 VA, tem uma tensão de curto-circuito de 5%. Calcule:
a) As intensidades nominais no primário e no secundário.
b) As intensidades de corrente de curto-circuito no primário e no secundário.

30. Resolva problema idêntico ao anterior considerando um transformador de 1000/220 V, 3kVA, com
uma tensão de curto-circuito de 5 %.

31. Um transformador de 380/110 V, 1000 VA, tem uma potência de curto-circuito de 30 W e uma
reactância reduzida ao secundário de 0,6 Ω. Calcule:
a) As intensidades nominais no primário e no secundário.
b) A resistência reduzida ao secundário.
c) A impedância reduzida ao secundário.
d) A tensão de curto-circuito, em percentagem.
e) As correntes de curto-circuito no primário e no secundário.
Solução (nem sempre correcta...):

1 a) 1.96; b)0.19 W; c) 2.16 %; d) 8,61 W; e) 0.29; f) 1571,4 Ω


2 1a) 1,85; 1b) 0,18 W; 1c) 2,05%; 1d) 8,62 W; 1e) 0,36; 1f) 500 Ω
2) Porque o ensaio em vazio do transformador pode ser feito tanto pelo primário como pelo
secundário, pois as perdas no ferro dependem do fluxo, o qual éo mesmo, visto termos as mesmas tensões
num lado e no outro do transformador
3 a) 1,8; b) 0,18; c) 440 Ω; d) Ao cuidado do aluno
4 0,75 A
5 75 W
6 a)19Ω ; b) 37Ω; c) 1.19 Ω; d) 2.31 Ω; e) 4,75 W
7 a) 4,6 Ω; b) 9,2 Ω; c) 0,51 Ω; d) 1,02 Ω; e) 4,6 W
8 a) 1.19 Ω; b) 2.31 Ω c) 19 Ω; d) 37 Ω; e) 4,75 W
9 a) 1 Ω; b) 1,625 Ω; c) 4 Ω; d) 6,5 Ω; e) 2,25 W
10 a) 3,54; b) 1,68 Ω; c) 25 W
11 a) 1,67 !þ; b) 1 ,44 tþ
12 a) 3; b) 4 Ω; 0,5 Ω; c) 8,5 Ω; d) 0,95 Ω
13 a) 4%; b) 4,4; c) 2 V; d) 0.19 Ω; 0,25 Ω; 0,16 Ω; e) 3,6 Ω; 4.8 Ω; 3.2Ω; f) 0,75
14 a) 5,5%; b) 1,47; c) 8,23 V; d) 2,3 Ω; 2,74 Ω; 1,49 Ω; e) 4,97 Ω; 5,92 Ω; 3,23Ω; f) 0,85
15 a) 5%; b) 2; c) 11 V; d) 2.56 Ω; 3.7 Ω; 2.67 Ω; e) 0.64 Ω; 0.92 Ω; 0.66 Ω
16 a) 4%; b) 4,4; c) 8,8 V; d) 3,9 Ω; 4,8 Ω; 2,9 Ω; e) 0,20 Ω; 0,25 Ω; 0,15 Ω; f) 0,81
17 a) 5,5%; b) 100 VA; c) 0,89; d) 5,9 Ω; 3,1 Ω; 6,7 Ω; e) 23,7 Ω; 12,2 Ω; 26,7 Ω; f) Ao cuidado do
aluno
18 1a) 5,6%; 1b) 100 VA; 1c) 0,86; 1d) 23,7 Ω; 14,1 Ω; 27,6 Ω; 1e) 5;9 Ω; 3,6 Ω; 6,9 Ω; 1f)ao cuidado
do aluno; 2) Porque o ensaio mede as perdas no cobre, sendo as correntes iguais nos dois casos
19 a) 12 W; b) 6,5 Ω
20 7,1 %
21 a1) 6.8 V; 223.2 V; a2) 10.9 V; 219.1 V; a3) -3.2 V; 233.2 V; B) Na carga resistiva houve uma queda
de tensão de 6.8 V. Como a relação de transformação é de 6.52, será necessário aplicar ao primário mais
6.52x6.8=44.3V => tensão no primário = 1500+44.3 V = 1544.3 V. outro processo é diminuir o n.º de
espiras no primário na percentagem pretendida.
22 a) 7,4 V; 222,6 V; b) 8,6 V; 221,4 V; c) -1,2 V; 231,2 V
23 a) 1 Ω; 1,5 Ω; b1) 223,5 V; b2) 218,9 V; b3) 230,7 V; c) 48,3 V
98V
24 a) 1598 V (=1500+15 x rt); b) retirar 6,5% de espiras ( = x100 )
1500V
25 a) 0,16 Ω; 0,35 Ω; b1) 215,5 V; b2) 235,5 V
26 a) 218,5 V; b) 0,16 Ω; 0,21 Ω; 0,26 Ω; c) 222,3 V
27 a) 61,7 Ω; b) 1,1 Ω; 1,2 Ω; 1,6 Ω; c) 215,6 V
28 a) 8,9 V; b) 228,9 V; c) 9957 VA=10 kVA
29 a) 2.27 A; 4.55 A; b) 45.4 A ; 91 A
30 a) 3 A; 13,6 A; b) 60 A; 272 A
31 a) 2,6 A; 9,1 A; b) 0,36 Ω; c) 0,7 Ω; d) 5,8%; e) 44,8 A; 154,7 A