Você está na página 1de 383

Enem

Semana 5
Semana

Este conteúdo pertence ao Descomplica.


Está vedada a cópia ou a reprodução não
autorizada previamente e por escrito.
Todos os direitos reservados.
Sumário
Faixa base
Membrana e transporte..................................................................................................4

Desequilíbrio ecológico.................................................................................................17
Período Helenista...........................................................................................................29

Exercícios sobre Queda livre e lançamento vertical para cima.......................................39

Leis de Newton..............................................................................................................45

Hidrostática: teorema de Arquimedes............................................................................58

População: crescimento e estrutura...............................................................................72

Transição demográfica e pirâmide etária........................................................................84

Como estudar matemática............................................................................................102

História da Escravidão: conceitos e perspectivas..........................................................108

O século das luzes........................................................................................................122

Romantismo: poesia da 1a geração...............................................................................135

Função afim..................................................................................................................148

Li dos senos e dos cossenos.........................................................................................163

Trigonometria no triângulo retângulo...........................................................................179

Exercícios sobre Função Afim........................................................................................195

Verbos..........................................................................................................................205
Sumário
Casos simples...............................................................................................................230

Relações numéricas e leis ponderais.............................................................................243

Conclusão: funções e estratégias..................................................................................259

Marx e seus conceitos...................................................................................................269

Aprofundamento

Atividade e inibição enzimática...................................................................................283

Queda livre a lançamento vertical para cima...............................................................295

Tipos de mão de obra, desemprego e mercado formal...............................................301

A Expansão Marítima e a colonização da América.......................................................309

Exercícios: quadriláteros..............................................................................................328

Coesão textual: o pronome na coesão textual............................................................335

Funções inorgânicas...................................................................................................347

Análise de atualidades: relações familiares..................................................................361


Análise de atualidades: nacionalismo, identidade e religião.......................................366

Émile Durkheim...........................................................................................................375
Biologia

Membrana e transporte

Objetivo
Aprender as principais características da membrana celular e sobre os transporte em membrana: ativo e
passivo.

Se liga
Para esse conteúdo, você precisa saber o que é uma célula, além do significado de soluto e solvente.

Curiosidade
Todas as células possuem membrana plasmática, ribossomos e material genético, independente se ela é
procarionte ou eucarionte; vegetal ou animal.

Teoria

As células, estudadas no campo da Citologia, são a unidade básica da vida. Do mais complexo vegetal ou
animal à mais primitiva bactéria, pode-se observar uma estrutura celular. Todos os tipos de células são
delimitados pela membrana plasmática.

Membrana Plasmática
A membrana celular, também chamada membrana plasmática ou plasmalema, delimita a superfície celular, e
é algo que todas as células têm em comum. Ela evita o vazamento do conteúdo interno da célula ao ambiente,
mas também controla a passagem de substâncias pela célula, estejam elas tentando entrar ou sair.
É composta por uma dupla camada lipoproteica, sendo produzida a partir de fosfolipídios e proteínas. É
possível observar, além dessas proteínas, moléculas de colesterol e glicídios ao longo da membrana das
células animais, que servem uma função de reconhecimento celular. É uma estrutura dinâmica e em
constante movimento.

Imagem 1. Essa imagem representa a membrana celular.


Biologia

Esses fosfolipídios formam uma membrana dupla, colocando sua porção hidrofílica (a cabeça) voltada tanto
para o meio externo como interno da célula, enquanto a região hidrofóbica de cada um fica em contato, no
centro.

Função da membrana plasmática:


● Revestimento celular
● Interação celular
● Permeabilidade seletiva

A disposição lateral deles permite o deslocamento sem a ruptura, conferindo dinamicidade à membrana
plasmática, conforme a necessidade surge.

Proteínas de membrana, como glicoproteínas, podem estar aderidas à superfície da membrana, ou mesmo
atravessando-a completamente, como é o caso das proteínas carreadoras. Essas proteínas podem atuar no
transporte de substâncias ou no reconhecimento celular, podendo movimentar-se paralelamente ao plano da
membrana, sem desconfigurar sua forma, no que é conhecido como modelo mosaico-fluido.

Especializações de Membrana

Imagem 2. Essa imagem ilustra as especializações da membrana.

● Microvilosidades: dobras que aumentam a superfície de contato


● Glicocálix: glicoproteínas para reconhecimento celular
● Interdigitações: dobras de membrana entre células que aumentam a adesão célula a célula
● Desmossomos: âncora de filamentos entre uma célula e outra
● Zônula de oclusão ou adesão: cinturão adesivo situado junto à borda livre das células epiteliais
impedindo a passagem de moléculas entre células
● Junções comunicantes: permite trocas de substâncias dos citoplasmas de duas células (íons e
pequenas moléculas)
● Plasmodesmos: interligação entre membranas de células vizinhas que criam pontes citoplasmáticas
Biologia

Transporte em membrana

A membrana permite a entrada e saída de substâncias seletas, podendo haver um transporte sem gasto de
energia (passivo) ou com gasto de energia (ativo).
O transporte passivo se dá a favor do gradiente de concentração (mais concentrado ao menos concentrado)
e não envolve gasto energético. É dividido em:
● Osmose: Transporte de água (solvente) do meio hipotônico ao hipertônico, buscando isotonia. A água
passa pela bicamada fosfolipídica.

Imagem 3. Esquema mostrando a osmose ocorrendo através de uma membrana semipermeável, com a passagem de água para o
meio com mais soluto. Ilustração por Rebeca Khouri.

● Difusão simples: Transporte de soluto do meio hipertônico ao meio hipotônico. Os solutos passam pela
bicamada fosfolipídica.
● Difusão facilitada: Transporte de soluto através de proteínas carreadoras (permeases). Os solutos
passam pelas proteínas da membrana.

No transporte ativo ocorre a quebra de ATP (gasto energético) para realizar um transporte contra o gradiente
de concentração, através de proteínas de membrana. O soluto passa do meio menos concentrado para o mais
concentrado, ou seja, indo contra o gradiente de concentração. Como exemplo, podemos citar a bomba de
sódio e potássio.

Imagem 4. Essa imagem mostra a membrana plasmática com as proteínas e a membrana fosfolipídica, juntamente com os
transportes ocorrendo em cada componente da membrana. Ilustração por Rebeca Khouri.
Biologia

Problemas no transporte de substâncias podem levar ao inchaço da célula (turgência) pela entrada de
substâncias, podendo causar a ruptura da membrana plasmática (plasmoptise). A saída de substâncias da
célula pode levar à plasmólise.

Imagem 5. Essa imagem representa as células animal e vegetal em alguns estados: equilíbrio, plasmoptise e plasmólise. Ilustração
por Rebeca Khouri.

Moléculas orgânicas grandes são incapazes de atravessar a membrana, exigindo processos diferenciados.
Endocitose: Entrada de grandes moléculas, através da fagocitose (ingestão de partículas sólidas e grandes
através da emissão de pseudópodes), pinocitose (captura de líquidos agtravés de invaginação da membrana)
ou endocitose mediada (similar a fagocitose, porém com adesão de partículas a receptores específicos).

Imagem 7. Esquema ilustrando os 3 tipos de endocitose. Ilustração por Rebeca Khouri.


Biologia

Exocitose: Moléculas são eliminadas da célula, através de vesículas que são transportadas à membrana e se
desfazem, liberando o conteúdo no meio extracelular.

Imagem 8. Nessa imagem temos a ilustração de como ocorre a exocitose. Ilustração por Rebeca Khouri.
Biologia

Exercícios de fixação

1. Quais as funções da membrana plasmática?

2. O que é o modelo mosaico-fluido?

3. Qual é a diferença entre difusão simples e facilitada? Elas são exemplos de que tipo de transporte?

4. Para uma célula que sofre de lise celular, ela necessita estar em que solução? Qual célula não sofre lise
celular?

5. Qual a diferença entre fagocitose e exocitose?


Biologia

Exercícios de vestibulares

1. (PUC-RJ 2012) Quando comemos em um restaurante, as saladas de alface que são servidas não
contêm, em geral, sal ou nenhum tipo de condimento. As saladas são temperadas apenas na hora de
comer.
Esse procedimento evita que a salada murche rapidamente, pois, quando adicionamos sal e outros
condimentos à salada,
a) o meio externo torna-se hipotônico, e as células da alface ficam túrgidas.
b) o meio externo torna-se isotônico, e as células da al- face ficam túrgidas.
c) o meio externo torna-se hipertônico, e as células da alface sofrem plasmólise.
d) o meio externo torna-se hipertônico, e as células da alface sofrem lise celular.
e) o meio externo torna-se isotônico, e as células da alface sofrem lise celular.

2. (IF-PR 2018) O modelo denominado mosaico fluido é atribuído a membrana plasmática que é
constituída por:
a) camada única de proteína com a presença de carboidratos imersos.
b) bicamada proteica com a presença de lipídios imersos.
c) bicamada fosfolipídica com a presença de proteínas incrustadas.
d) camada única fosfolipídica com a presença de carboidratos incrustados.
e) bicamada de carboidratos com a presença de lipídios imersos.

3. (EBMSP 2017) A membrana plasmática é constituída, basicamente, por uma bicamada de fosfolipídios
associados a moléculas de proteína. Essa estrutura delimita a célula, separa o conteúdo celular do meio
externo e possibilita o trânsito de substâncias entre os meios intra e extracelular.
Sobre o transporte através da membrana, é correto afirmar:

a) A passagem de substâncias através da membrana plasmática, utilizando proteínas


transportadoras é denominada difusão simples.
b) A difusão facilitada é o transporte de substâncias pela membrana com o auxílio de proteínas
transportadoras e gasto de energia.
c) A osmose é a passagem de substâncias através da membrana plasmática em direção à menor
concentração de solutos.
d) Uma membrana permeável à substância A possibilitará o transporte dessa substância para fora da
célula, desde que exista ATP disponível.
e) No transporte ativo, ocorre a passagem de substâncias por proteínas de membrana com gasto de
energia.
Biologia

4. (UFMS 2018) "A membrana plasmática é um componente essencial que constitui as células.
Desempenha funções importantes, como revestimento e proteção, sendo uma barreira, auxiliando na
sinalização celular ao dar suporte físico para a interação entre diversas moléculas que nela se
encontram, como hormônios, neurotransmissores e fatores de crescimento provenientes do meio
extracelular, além de participar dos processos de endocitose e de exocitose. Ao longo da história,
diversos modelos foram criados para representar sua estrutura e composição química. Em 1972, Singer
e Nicholson propuseram um modelo de membrana celular, o qual se tornou o modelo mais aceito até
os dias de hoje, chamado de modelo do mosaico fluido."
Alberts, B. et al. Estrutura da Membrana. In: ____. Biologia molecular da célula. 5. ed. Porto Alegre: Artmed, 2010.

Figura 1. Representação gráfica mostrando a visão tridimensional da membrana celular


Fonte: modificado de Alberts, B. et al. Biologia molecular da célula.

A respeito do modelo de mosaico fluido, assinale a alternativa que descreve corretamente as suas
características e quais seriam os principais componentes da membrana plasmática:
a) Estrutura impermeável; distribuição específica de proteínas ao longo de sua extensão, sem
contatos moleculares permanentes, que permitem o baixo reconhecimento e adesão entre si e com
componentes da matriz extracelular, além de poucos componentes estruturais, conferindo dessa
forma baixo dinamismo da membrana, sendo composta por uma bicamada de carboidratos e
colesterol.
b) Permeabilidade seletiva; distribuição aleatória de proteínas ao longo de sua extensão; contatos
moleculares quase permanentes que permitem o reconhecimento e adesão entre si e com
componentes da matriz extracelular, sendo composta por uma bicamada majoritariamente de
fosfolipídios, além de colesterol, glicolipídios, proteínas e glicídios.
c) É uma estrutura impermeável, possuindo uma distribuição específica de proteínas ao longo de sua
extensão, contatos moleculares permanentes que permitem o reconhecimento e forte adesão entre
si e com componentes da matriz extracelular, sendo composta por uma bicamada de proteínas.
d) Estrutura com permeabilidade seletiva, possuindo uma distribuição específica de proteínas ao
longo de sua extensão, sem contatos moleculares permanentes, que permitem o baixo
reconhecimento e adesão entre si e com componentes da matriz extracelular; é composta por uma
única camada majoritariamente de fosfolipídios e glicoproteínas.
e) Estrutura com permeabilidade pouco seletiva; distribuição específica de proteínas ao longo de sua
extensão; contatos moleculares permanentes que permitem o reconhecimento e adesão entre si e
com componentes da matriz extracelular, sendo composta por uma bicamada fosfolipídica,
revestida em sua totalidade por uma camada proteica, havendo poros que permitem a passagem
de substâncias através da membrana.
Biologia

5. (FPS 2018) O estudo da célula foi possível com a utilização do microscópio, que permite o aumento da
imagem. Acerca da célula, seu funcionamento e seus constituintes, é correto afirmar que
a) o glicocálice é um envoltório externo à membrana plasmática e está presente nas células dos
fungos e de muitos protistas.
b) os seres vivos são constituídos por células, à exceção dos protistas.
c) a plasmólise é observada quando a célula vegetal é exposta em solução hipotônica.
d) a membrana plasmática é constituída principalmente por fosfolipídios e proteínas.
e) a clasmocitose representa a penetração de resíduos dentro da célula.

6. (Enem 2017) Uma das estratégias para conservação de alimentos é o salgamento, adição de cloreto
de sódio (NaCl), historicamente utilizado por tropeiros, vaqueiros e sertanejos para conservar carnes
de boi, porco e peixe. O que ocorre com as células presentes nos alimentos preservados com essa
técnica?
a) O sal adicionado diminui a concentração de solutos em seu interior.
b) O sal adicionado desorganiza e destrói suas membranas plasmáticas.
c) A adição de sal altera as propriedades de suas membranas plasmáticas.
d) Os íons Na+ e CI- provenientes da dissociação do sal entram livremente nelas.
e) A grande concentração de sal no meio extracelular provoca a saída de água de dentro delas.

7. A membrana plasmática é um revestimento relativamente fino que envolve a célula. De acordo com o
modelo do mosaico fluido, essa estrutura é constituída por:
a) uma dupla camada proteica onde estão mergulhados lipídios.
b) uma camada proteica onde estão mergulhados carboidratos.
c) uma dupla camada de fosfolipídeos onde estão incrustadas proteínas.
d) uma camada de fosfolipídeos onde estão incrustados carboidratos.
e) uma dupla camada de carboidratos onde estão mergulhados lipídios.
Biologia

8. (Enem 2019) Uma cozinheira colocou sal a mais no feijão que estava cozinhando. Para solucionar o
problema, ela acrescentou batatas cruas e sem tempero dentro da panela. Quando terminou de
cozinhá-lo, as batatas estavam salgadas, porque absorveram parte do caldo com excesso de sal.
Finalmente, ela adicionou água para completar o caldo do feijão.
O sal foi absorvido pelas batatas por

a) osmose, por envolver apenas o transporte do solvente.


b) fagocitose, porque o sal transportado é uma substância sólida.
c) exocitose, uma vez que o sal foi transportado da água para a batata.
d) pinocitose, porque o sal estava diluído na água quando foi transportado.
e) difusão, porque o transporte ocorreu a favor do gradiente de concentração.

9. (Enem 2010) Para explicar a absorção de nutrientes, bem como a função das microvilosidades das
membranas das células que revestem as paredes internas do intestino delgado, um estudante realizou
o seguinte experimento:
Colocou 200 mL de água em dois recipientes. No primeiro recipiente, mergulhou, por 5 segundos, um
pedaço de papel liso, como na FIGURA 1; no segundo recipiente, fez o mesmo com um pedaço de papel
com dobras simulando as microvilosidades, conforme FIGURA 2. Os dados obtidos foram: a quantidade
de água absorvida pelo papel liso foi de 8 mL, enquanto pelo papel dobrado foi de 12 mL.

Com base nos dados obtidos, infere-se que a função das microvilosidades intestinais com relação à
absorção de nutrientes pelas células das paredes internas do intestino é a de:
a) manter o volume de absorção.
b) aumentar a superfície de absorção.
c) diminuir a velocidade de absorção.
d) aumentar o tempo de absorção.
e) manter a seletividade na absorção.
Biologia

10. (Enem 2012) Osmose é um processo espontâneo que ocorre em todos os organismos vivos e é
essencial à manutenção da vida. Uma solução 0,15 mol/L de NaCl (cloreto de sódio) possui a mesma
pressão osmótica das soluções presentes nas células humanas.
A imersão de uma célula humana em uma solução 0,20 mol/L de NaCl tem como consequência, a
a) adsorção de íons Na+ sobre a superfície da célula.
b) difusão rápida de íons Na+ para o interior da célula.
c) diminuição da concentração das soluções presentes na célula.
d) transferência de íons Na+ da célula para a solução.
e) transferência de moléculas de água do interior da célula para a solução

Sua específica é biológicas e quer continuar treinando esse conteúdo?


Clique aqui para fazer uma lista extra de exercícios
Biologia

Gabaritos

Exercícios de fixação

1. As funções da membrana plasmática são: revestimento celular, interação celular e permeabilidade


seletiva.

2. A membrana plasmática é formada por uma bicamada lipídica na qual estão inseridas proteínas. A
disposição desses componentes gera um aspecto de mosaico fluido pois eles mudam de posição
constantemente, porém, sem alterar a forma da membrana.

3. Os dois processos são transportes passivos, ou seja, sem gasto de energia, porém, a difusão simples
ocorre através da bicamada fosfolipídica e, a difusão facilitada, através de uma proteína.

4. A plasmoptise ocorre quando uma célula animal é colocada em solução hipotônica e sofre lise celular.
A célula vegetal, por possuir parede celular, fica túrgida em solução hipotônica, porém, não sofre lise.

5. A fagocitose é um tipo de endocitose. A fagocitose é caracterizada pela ingestão de partículas sólidas e


grandes através da emissão de pseudópodes na membrana plasmática. A exocitose é um processo
contrário a endocitose, pois, na exocitose ocorre eliminação de moléculas da célula através de vesículas
que são transportadas à membrana e se desfazem, liberando o conteúdo no meio extracelular.

Exercícios de vestibulares

1. C
Quando colocamos sal na salada, a salada se torna hipotônica em relação ao meio. Isso faz com que a
tendência osmótica seja de que a água saia da célula para o meio externo, murchando-a.

2. C
A composição da membrana plasmática é de uma bicamada fosfolipídica, e a presença de proteínas
inseridas nela ajudam a formar o que chamamos de modelo mosaico. Como as proteínas não são fixas
na membrana, este mosaico é fluido.

3. E
O transporte ativo é todo transporte pela membrana, em que a substância flui do meio de menor
concentração para o meio de maior concentração, com gasto de ATP pela célula.

4. B
A membrana plasmática apresenta permeabilidade seletica (permite que algumas substâncias de
determinados tamanhos e polaridade passem, mas não todas); apresenta proteínas distribuídas (modelo
do mosaico); apresenta glicoproteínas e especializações que ajudam no reconhecimento e adesão entre
moléculas e outras células; formada por uma bicamada de fosfolipídios e também apresenta colesterol,
glicolipídios, proteínas e glicídios.
Biologia

5. D
A membrana plasmática é formada principalmente por uma bicamada fosfolipídica e proteínas
associadas a ela.

6. E
A técnica de salgamento promove a formação de um ambiente hipertônico, que aumenta a pressão
osmótica externa promovendo a desidratação das células.

7. C
Segundo o modelo do mosaico fluido, a membrana plasmática é formada por uma dupla camada
fosfolipídica com proteínas incrustadas. Essas proteínas mudam constantemente de lugar, uma vez que
a dupla camada é fluída.

8. E
O transporte de sal na membrana plasmática ocorre por difusão, que é caracterizado por ser um
transporte passivo, onde não envolve gasto energético e é a favor do gradiente de concentração. Devido
ao caldo do feijão ser hipertônico, o sal passa para as células da batata, que são hipotônicas.

9. B
As microvilosidades são especializações da membrana que aumentam a área de absorção, conforme
mostrado na figura da questão.

10. E
Na osmose, ocorre fluxo de água da solução mais rica em água (com menor concentração de soluto)
para a solução hipertônica (com maior concentração de soluto). Então, na situação acima, haverá fluxo
de água de dentro da célula para a solução.
Biologia

Desequilíbrio ecológico

Objetivo
Identificar quais os principais impactos ao meio ambiente e agravantes dos desequilíbrios ecológicos.

Se liga
Nada como um mapa mental resumindo todos os desequilíbrios ecológicos, né? E você pode encontrar um
neste vídeo aqui!

Curiosidade
Você ainda vai estudar isso em geografia, mas você sabia que existem diversas medidas internacionais para
prevenir e tentar reduzir impactos ambientais? Uma das mais conhecidas é o controle de crédito de carbono,
determinado na ECO-92.

Teoria

Os desequilíbrios ecológicos ocorrem quando o bom funcionamento de um ecossistema se quebra, podendo


interferir tanto nos fatores bióticos quanto abióticos. Os desequilíbrios mais graves são aqueles que ocorrem
por conta da ação antrópica, ou seja, com a interferência da ação humana.

Agravamento do efeito estufa: o efeito estufa é um efeito natural, responsável por manter a temperatura na
Terra constante. Porém, com a emissão de gases estufas, como o gás carbônico e o metano, esta função de
reter calor tem se agravado, aumentando a temperatura do Planeta e trazendo diversas consequências, como
mudança do nível do mar, derretimento das calotas polares e interferência na fisiologia de diversos animais.

1
Biologia

Buraco na camada de ozônio: a camada de ozônio protege a superfície da Terra da incidência direta de raios
ultravioletas (uV). Com a liberação de certos gases, como o CFC (clorofluorcarbono), a camada se desfaz e a
incidência dos raios uV pode aumentar o risco de mutações e câncer.

Cores mais frias, em roxo e azul, mostram uma baixa concentração de ozônio.

Chuva ácida: ocorre quando há o aumento de ácidos na atmosfera, como o NOX, SOX, HNO3 e H2SO4. A água
da chuva se acidifica, podendo danificar prédios e monumentos, além de poluir corpos de água e o solo.

Inversão térmica: é outro processo natural, onde ocorre a troca de massas de ar quente e fria, e a massa de
ar fria fica mais próxima da superfície. Porém, em cidades onde há muita poluição, a massa de ar frio fica
presa na camada de ar fria, não sofrendo a convecção, podendo causar diversos problemas respiratórios.

2
Biologia

Magnificação trófica: o acúmulo de compostos não biodegradáveis dentro de uma cadeia ou teia alimentar
causa esse desequilíbrio. Organismos com maiores níveis tróficos são os mais afetados.

Esquema de uma pirâmide ecológica mostrando a concentração de DDT. Os valores deste composto no fitoplâncton são tão baixos
que no esquema são mostrados em conjunto com a concentração de zooplâncton.

Branqueamento de corais: o aumento da temperatura da água faz com que microalgas que vivem em
mutualismo com corais (cnidários) morram, e com isso os corais perdem sua cor.

Eutrofização artificial: com a liberação de compostos orgânicos em corpos de água (por exemplo, esgoto),
há uma proliferação de organismos decompositores, seguido pela diminuição do oxigênio da água, causando
a morte de organismos aeróbicos.
Também pode acontecer de modo menos frequente com fertilizantes, ou seja, matéria inorgânica, sobre
ambientes aquáticos.

3
Biologia

Maré negra: este impacto ocorre quando há derramamento de petróleo em ambientes aquáticos. O petróleo
impede a passagem de luz, interrompendo a atividade do fitoplâncton, além de impactar outros animais, como
aves e peixes, que ficam com dificuldades de locomoção e respiração.

Desertificação: ocorre quando uma área que antes era fértil se torna pobre em relação ao solo e à
biodiversidade, devido à degradação do ambiente. Pode ocorrer por questões climáticas naturais ou pela ação
humana.

Baixe aqui o ppt utilizado em aula.

4
Biologia

Exercícios de fixação

1. Qual um impacto do agravamento do efeito estufa?


a) Aumento da incidência de câncer de pele.
b) Aumento de doenças respiratórias.
c) Redução da fotossíntese.
d) Aumento do nível do mar.

2. Quais principais gases envolvidos na destruição da camada de ozônio?


a) NO3.
b) CFC.
c) CH4.
d) H2SO3.

3. Em que estação do ano é comum ocorrer a inversão térmica?


a) Primavera.
b) Verão.
c) Outono.
d) Inverno.

4. Qual nível trófico é mais afetado na magnificação trófica?


a) Produtor.
b) Consumidor primário.
c) Consumidor secundário.
d) Todos os níveis são afetados igualmente.

5. Apesar de ocorrerem por causas diferentes, a maré negra e a eutrofização apresentam que
consequência em comum?
a) Aumento da temperatura da água.
b) Redução na taxa de fotossíntese.
c) Aumento na decomposição aeróbica.
d) Melhoria na qualidade da água.

5
Biologia

Exercícios de vestibulares

1. Se por um lado a Revolução Industrial instituiu um novo patamar de tecnologia e, com isso, uma
melhoria na qualidade de vida da população, por outro lado os resíduos decorrentes desse processo
podem se acumular no ar, no solo e na água, causando desequilíbrios no ambiente.
O acúmulo dos resíduos provenientes dos processos industriais que utilizam combustíveis fósseis traz
como consequência o(a)
a) eutrofização dos corpos-d’ água, aumentando a produtividade dos sistemas aquáticos.
b) precipitação de chuvas ácidas, danificando florestas, ecossistemas aquáticos e construções.
c) mudança na salinidade dos mares, provocando a mortalidade de peixes e demais seres aquáticos.
d) acúmulo de detritos, causando entupimento de bueiros e alagamento das ruas.
e) presença de mosquitos, levando à disseminação de doenças bacterianas e virais.

2. O ciclo da água envolve processos de evaporação, condensação e precipitação da água no ambiente.


Na etapa de evaporação, pode-se dizer que a água resultante encontra-se pura; entretanto, quando em
contato com poluentes atmosféricos, como os óxidos sulfuroso e nitroso, é contaminada. Dessa forma,
quando a água precipita, traz consigo substâncias que interferem diretamente no ambiente.
A qual problema ambiental o texto faz referência?
a) Chuva ácida.
b) Poluição do ar.
c) Aquecimento global.
d) Destruição da camada de ozônio.
e) Eutrofização dos corpos hídricos.

6
Biologia

3. Devido ao aquecimento global e à consequente diminuição da cobertura de gelo no Ártico, aumenta a


distância que os ursos polares precisam nadar para encontrar alimentos. Apesar de exímios nadadores,
eles acabam morrendo afogados devido ao cansaço.
A situação descrita acima
a) enfoca o problema da interrupção da cadeia alimentar, o qual decorre das variações climáticas.
b) alerta para prejuízos que o aquecimento global pode acarretar à biodiversidade no Ártico.
c) ressalta que o aumento da temperatura decorrente de mudanças climáticas permite o surgimento
de novas espécies.
d) mostra a importância das características das zonas frias para a manutenção de outros biomas na
Terra.
e) evidencia a autonomia dos seres vivos em relação ao habitat, visto que eles se adaptam
rapidamente às mudanças nas condições climáticas.

4. A caixinha utilizada em embalagens como as de leite “longa vida” é chamada de “tetra brick”, por ser
composta de quatro camadas de diferentes materiais, incluindo alumínio e plástico, e ter a forma de
um tijolo (brick, em inglês).
Esse material, quando descartado, pode levar até cem anos para se decompor.
Considerando os impactos ambientais, seria mais adequado
a) utilizar soda cáustica para amolecer as embalagens e só então descartá-las.
b) promover a coleta seletiva, de modo a reaproveitar as embalagens para outros fins.
c) aumentar a capacidade de cada embalagem, ampliando a superfície de contato com o ar para sua
decomposição.
d) constituir um aterro específico de embalagens “tetra brick”, acondicionadas de forma a reduzir seu
volume.
e) proibir a fabricação de leite “longa vida”, considerando que esse tipo de embalagem não é
adequado para conservar o produto.

5. A combinação entre baixa biodiversidade, altas concentrações de poluentes e baixas concentrações


de oxigênio dissolvido, que é verificada nos rios que passam por grandes centros urbanos no Brasil,
deve‐se principalmente à(ao)
a) descarte de garrafas PET e sacolas plásticas, aumentando a cadeia de produção de
microplásticos.
b) aumento de intervenções de engenharia, como a construção de pontes e dragagens.
c) aquecimento da água do rio devido ao aumento da temperatura média nas metrópoles.
d) descarte de esgoto doméstico e industrial sem tratamento.
e) ocorrência mais frequente de longos períodos de estiagem, aumentando a evaporação.

7
Biologia

6. Um agricultor, buscando o aumento da produtividade de sua lavoura, utilizou o adubo NPK (nitrogênio,
fósforo e potássio) com alto teor de sais minerais. A irrigação dessa lavoura é feita por canais que são
desviados de um rio que abastece os canais, devido à contaminação das águas pelo excesso de adubo
usado pelo agricultor.
Que processo biológico pode ter sido provocado na água do rio pelo uso do adubo NPK?
a) Lixiviação, processo em que ocorre a lavagem do solo, que acaba disponibilizando os nutrientes
para a água do rio.
b) Acidificação, processo em que os sais, ao se dissolverem na água do rio, formam ácidos.
c) Eutrofização, ocasionada pelo aumento do fósforo e nitrogênio dissolvidos na água, que resulta
na proliferação do fitoplâncton.
d) Aquecimento, decorrente do aumento de sais dissolvidos na água do rio, que eleva sua
temperatura.
e) Desnitrificação, processo em que o excesso de nitrogênio que chega ao rio é disponibilizado para
a atmosfera, prejudicando o desenvolvimento dos peixes.

7. O dióxido de carbono passa para o estado sólido (gelo seco) a –78°C e retorna ao estado gasoso à
temperatura ambiente. O gás é facilmente solubilizado em água, capaz de absorver radiação
infravermelha da superfície da terra e não conduz eletricidade. Ele é utilizado como matéria-prima para
a fotossíntese até o limite de saturação. Após a fixação pelos organismos autotróficos, o gás retorna
ao meio ambiente pela respiração aeróbica, fermentação, decomposição ou por resíduos industriais,
queima de combustíveis fósseis e queimadas. Apesar da sua importância ecológica, seu excesso
causa perturbações no equilíbrio ambiental.
Considerando as propriedades descritas, o aumento atmosférico da substância afetará os organismos
aquáticos em razão da
a) redução do potencial hidrogeniônico da água.
b) restrição da aerobiose pelo excesso de poluentes.
c) diminuição da emissão de oxigênio pelos autótrofos.
d) limitação de transferência de energia entre os seres vivos.
e) retração dos oceanos pelo congelamento do gás nos polos.

8
Biologia

8. Os oceanos absorvem aproximadamente um terço das emissões de CO2 procedentes de atividades


humanas, como a queima de combustíveis fósseis e as queimadas. O CO2 combina-se com as águas
dos oceanos, provocando uma alteração importante em suas propriedades. Pesquisas com vários
organismos marinhos revelam que essa alteração nos oceanos afeta uma série de processos
biológicos necessários para o desenvolvimento e a sobrevivência de várias espécies da vida marinha.
A alteração a que se refere o texto diz respeito ao aumento
a) da acidez das águas dos oceanos.
b) do estoque de pescado nos oceanos.
c) da temperatura média dos oceanos.
d) do nível das águas dos oceanos.
e) da salinizaçăo das águas dos oceanos.

9. Os corais funcionam como termômetros, capazes de indicar, mudando de coloração, pequenas


alterações na temperatura da água dos oceanos. Mas, um alerta, eles estão ficando brancos. O seu
clareamento progressivo acontece pela perda de minúsculas algas, chamadas zooxantelas, que vivem
dentro de seus tecidos, numa relação de mutualismo.
(Disponível em: http://super.abril.com.br. Acesso em: 6 dez. 2012. Adaptado.)

O desequilíbrio dessa relação faz com que os pólipos que formam os corais tenham dificuldade em
a) produzir o próprio alimento.
b) obter compostos nitrogenados.
c) realizar a reprodução sexuada.
d) absorver o oxigênio dissolvido na água.
e) adquirir nutrientes derivados da fotossíntese.

9
Biologia

10. Mortandade de peixes e coloração da água do Rio Tietê preocupam no interior de SP.

Rio Tietê está ficando irreconhecível em parte do interior paulista.

A água de cor estranha e o cheiro forte estão preocupando quem mora perto do rio. Pescadores estão
voltando para casa com as redes vazias. “O que você está vendo são os peixes mortos. Mas não
morrem só peixes, morre toda uma cadeia abaixo dos peixes, que são outros microrganismos,
pequenos crustáceos, pequenos moluscos que são alimentos dos peixes”, explica o biólogo Arif Cais,
professor voluntário aposentado da Unesp de São José do Rio Preto.
(Disponível em: https://g1.globo.com, 11.05.2019. Adaptado.)

A reportagem faz referência ao fenômeno de eutrofização. Nesse fenômeno, um dos eventos que
precedem e um dos eventos que sucedem a mortandade dos peixes são, respectivamente:
a) despejo de esgotos nas águas e decomposição aeróbica;
b) proliferação de microrganismos aeróbicos e decomposição anaeróbica;
c) redução da matéria orgânica disponível e mortandade de crustáceos e moluscos;
d) turvação da água e redução da matéria orgânica disponível;
e) produção de gás sulfídrico e proliferação de microrganismos aeróbicos.

Sua específica é biológicas e quer continuar treinando esse conteúdo?


Clique aqui para fazer uma lista extra de exercícios.

10
Biologia

Gabaritos

Exercícios de fixação

1. D
Com o aumento da temperatura da Terra, por consequência do agravamento do efeito estufa, as geleiras
derretem e o nível do mar aumenta.

2. B
Os gases CFC, clorofluorcarbono, reagem com moléculas de ozônio, destruindo esta camada.

3. D
Durante o inverno, ocorre a troca de massas de ar quente e fria, e a massa de ar fria fica mais próxima
da superfície, prendendo poluentes na região mais próxima da superfície.

4. C
Os níveis tróficos mais altos sempre são os mais afetados pela magnificação trófica, por conta do
acúmulo de compostos no organismo deles.

5. B
Tanto na maré negra quanto na eutrofização a taxa de fotossíntese fica reduzida.

Exercícios de vestibulares

1. B
A queima de combustíveis fósseis libera óxidos de nitrogênio e de enxofre que reagem com a água,
formando ácidos que precipitam juntamente com as chuvas.

2. A
A precipitação da água na forma de chuva com pH ácido, em decorrência de óxidos sulfuroso e nitroso,
é conhecida como chuva ácida.

3. B
A morte dos ursos polares reflete o impacto causado pelo derretimento das geleiras, alertando os
prejuízos à biodiversidade decorrente do aquecimento global.

4. B
O modo mais sustentável seria reaproveitar a embalagem para outros fins. Existe a criação de vasos
para hortas familiares e a colocação no telhado para refletir os raios solares.

5. D
O descarte de esgoto doméstico e industrial sem tratamento nos rios provoca a eutrofização. Ocorre
aumento da decomposição aeróbia e, posteriormente, graças à diminuição do oxigênio disponível devido
a proliferação de organismos aeróbios, a decomposição anaeróbia. Todo esse processo resultará na
diminuição da biodiversidade.

6. C
Excesso de fertilizantes (matéria inorgânica) em corpos d’água pode provocar o fenômeno da
eutrofização, com a grande proliferação de seres fotossintetizantes. Entretanto, o processo mais comum
que provoca a eutrofização artificial é o derramamento de esgoto.

11
Biologia

7. A
O aumento do CO2 atmosférico promove aumento da concentração desse gás no meio aquoso. Nos
corpos d’água, o CO2 reage com a H2O formando ácido carbônico que reduz o pH do meio.

8. A
O CO2, ao reagir com moléculas de água, forma o H2CO3, ácido carbônico, que reduz o pH do ambiente
marinho.

9. E
Essas algas, zooxantelas, são seres fotossintetizantes e transferem matéria orgânica para os pólipos.
Sendo assim, o aumento da temperatura, que gera o branqueamento dos corais, prejudica essa relação
mutualística.

10. B
A mortandade dos peixes ocorre devido a proliferação dos microrganismos aeróbios: com a maior
concentração de matéria orgânica no rio, ocorre proliferação de microrganismos aeróbios, que resulta
na diminuição dos níveis de oxigênio disponível na água, provocando, assim, a mortandade dos peixes e
demais organismos aeróbios e aumentando a quantidade de organismos anaeróbios (pois há diminuição
do nível de oxigênio disponível e acúmulo de matéria orgânica).

12
Filosofia

Período Helenista

Objetivo
Você aprenderá as principais correntes ou escolas filosóficas do período helenista, quais sejam, epicurismo,
estoicismo, ceticismo e cinismo, bem como a noção de felicidade presente em cada uma delas.

Se liga
Você pode assistir ao vídeo com o mapa mental dessa aula clicando aqui.

Curiosidades
O filme Alexander, de 2004 (dirigido por Oliver Stone) narra, através de Ptolomeu (Anthony Hopkins), a
trajetória e as inúmeras conquistas de Alexandre, o Grande. Tais conquistas transformaram profundamente
a filosofia, dando origem ao período helenista.

Teoria

Império Macedônico
Na época em que Alexandre Magno (ou Alexandre, o Grande) conquistou a Grécia, o
Egito e todo o Oriente Médio, construindo um verdadeiro império intercontinental e
dando início ao período histórico conhecido como período helenista, a filosofia sofreu
inúmeras transformações. Com a morte de Aristóteles, último grande filósofo do
período clássico, o que se formou foi uma série de correntes filosóficas divergentes,
denominadas filosofias helenísticas. Tais correntes constituíram a última fase da
Filosofia Antiga e duraram desde o século IV a.C. até o século VI d. C., depois da queda
do Império Romano do Ocidente, quando o imperador bizantino Justiniano proibiu
definitivamente a promoção de qualquer vertente de pensamento pagã.
Antes de tratarmos de cada uma das correntes filosóficas
do período helenista, é necessário compreender o que
todas elas tinham em comum: tratavam-se de vertentes
filosóficas fundamentalmente éticas, isto é, voltadas para
a questão da conduta e da ação humanas. Suas
preocupações, muito mais do que com problemas teóricos
e especulativos, como a origem do mundo, o fundamento
do conhecimento e a ordem do universo, eram com
questões práticas, em particular aquelas que dizem
respeito à boa vida, isto é, à felicidade humana. Para os helenísticos, não é que as questões teóricas não
fossem relevantes ou que a realidade não devesse ser compreendida, mas sim que essas coisas são
importantes apenas porque ajudam o homem a viver melhor — e não o contrário.

1
Filosofia

Epicurismo
Para o epicurismo, o homem vive dividido entre duas possibilidades básicas: o prazer e a dor. Sua felicidade,
assim, consiste em obter o máximo de prazer e o mínimo de dor possíveis. O que não significa, porém, que o
epicurismo seja hedonismo, ou seja, uma busca desenfreada por qualquer tipo de prazer. Ao contrário,
segundo Epicuro, fundador da escola, há
muitas dores passageiras que, a longo
prazo, geram prazeres enormes (como
estudar muito para passar no vestibular),
assim como há prazeres intensos que
depois promovem dores maiores (como
beber muito e ficar de ressaca). A busca
pelo prazer e a fuga da dor, portanto, não
deve ser impulsiva e irracional, mas
ponderada e equilibrada. Atomistas, os
epicuristas diferenciavam-se de
Demócrito, por não acreditarem que tudo
é determinado pela constituição dos
átomos; para eles o homem é livre em suas decisões. Para alcançar a felicidade, um estado de ausência de
dor denominado ataraxia, os epicuristas defendiam que era preciso aprender a dominar o imediatismo e os
prazeres exagerados da paixão, como o medo, o apego e a cobiça. Desse modo, esse estado de
imperturbabilidade da alma decorre da prática dos prazeres que encantam o espírito, como a contemplação
das artes em geral e a boa conversação.

Estoicismo
Para o estoicismo, a felicidade humana consiste na ataraxia, “tranquilidade da alma”, ou apatheia, “ausência
de perturbações”. Tal tranquilidade é obtida quando o
homem, guiando-se por sua razão, vence o poder das
paixões e sentimentos sobre seu ânimo. Guiar-se pela
razão é a grande meta da filosofia estoica, que é
alcançada, segundo Zenão, fundador da escola, a partir
do momento em que o homem reconhece que há uma
razão universal e divina que rege e conduz o mundo. Ao
reconhecê-la, percebe que a realidade possui uma
estrutura lógica e coerente à qual o homem, para ser
feliz, precisa se vincular. Diante dos sobressaltos da
vida, é preciso aceitar e compreender que eles fazem
parte dos princípios racionais que regem a existência. Os
estoicos defendiam que essa serenidade é
consequência de uma atitude de austeridade física e
moral, baseada em virtudes como a resistência ante o
sofrimento, a coragem ante o perigo, a indiferença ante as riquezas materiais.

2
Filosofia

Ceticismo
Para o ceticismo, que tem Pirro de Élis como principal expoente
(sendo por isso também conhecido como pirronismo), a ataraxia,
“tranquilidade da alma”, é obtida através da suspensão do juízo
(epokhé), isto é, do abandono de toda e qualquer convicção. Para os
céticos, tudo é duvidoso, questionável e não se pode ter certeza de
coisa alguma. Assim, as crenças firmes, seja no atomismo, na razão
universal ou em qualquer outra coisa, muito mais do que satisfação,
geram dor e incômodo, uma vez que podem sempre ser postas em
dúvida. A felicidade, portanto, não se encontra quando abraçamos
uma visão de mundo específica, mas sim quando percebemos a
relatividade de todas as crenças e suspendemos o juízo a respeito
de tudo. Segundo Pirro, o verdadeiro sábio é aquele que se fecha em si mesmo e silencia, isto é, não emite
nenhum juízo. Apenas isso lhe trará felicidade. Nesse sentido, é possível relacionar o ceticismo ao
pensamento dos sofistas, sobretudo Górgias, considerado pai do ceticismo absoluto.

Cinismo
Para o cinismo, a felicidade é obtida pela autarkeia: a autossuficiência, o autodomínio. Porém, isso só se
torna possível mediante uma vida totalmente dedicada
à prática filosófica e um rompimento radical com os
padrões morais e sociais estabelecidos. Tais
pensadores, por isso, viviam de maneira totalmente
anárquica: sem teto, nas ruas, como mendigos. Diz-se
que o próprio Diógenes, por exemplo, morava em um
barril e perambulava pelas ruas com uma lamparina
dizendo estar à procura de um único homem honesto.
Porque, para ser ético, acreditava-se que era
necessário seguir os instintos. Por esse
comportamento rebelde, tais filósofos foram comparados a cães (do grego “kynos”), isso explica a origem do
termo cínico, que não tem nada a ver com o sentido que atribuímos hoje.

3
Filosofia

Exercícios de fixação

1. O que as diferentes correntes filosóficas do período helenista têm em comum?

2. Em que consiste a felicidade para o epicurismo?

3. Em que consiste a felicidade para o estoicismo?

4. Em que consiste a felicidade para o ceticismo?

5. Em que consiste a felicidade para o cinismo?

4
Filosofia

Exercícios de vestibulares

1. XI. Jamais, a respeito de coisa alguma, digas: “Eu a perdi”, mas sim: “eu a restituí”. O filho morreu? Foi
restituído. A mulher morreu? Foi restituída. “A propriedade me foi subtraída”, então também foi
restituída. “Mas quem a subtraiu é mau”. O que te importa por meio de quem aquele que te dá a pede
de volta? Na medida em que ele der, faz uso do mesmo modo de quem cuida das coisas de outrem. Do
mesmo modo como fazem os que se instalam em uma hospedaria.
EPICTETO. Encheirídion. In: DINUCCI, A. Introdução ao Manual de Epicteto. São Cristóvão: UFS, 2012 (adaptado).

A característica do estoicismo presente nessa citação do filósofo grego Epicteto é


a) explicar o mundo com números.
b) identificar a felicidade com o prazer.
c) aceitar os sofrimentos com serenidade.
d) questionar o saber científico com veemência.
e) considerar as convenções sociais com desprezo.

2. Alguns dos desejos são naturais e necessários; outros, naturais e não necessários; outros, nem naturais
nem necessários, mas nascidos de vã opinião. Os desejos que não nos trazem dor se não satisfeitos
não são necessários, mas o seu impulso pode ser facilmente desfeito, quando é difícil obter sua
satisfação ou parecem geradores de dano.
EPICURO DE SAMOS. Doutrinas principais. In: SANSON, V. F. Textos de filosofia. Rio de Janeiro: Eduff, 1974.

No fragmento da obra filosófica de Epicuro, o homem tem como fim


a) alcançar o prazer moderado e a felicidade.
b) valorizar os deveres e as obrigações sociais.
c) aceitar o sofrimento e o rigorismo da vida com resignação.
d) refletir sobre os valores e as normas dadas pela divindade.
e) defender a indiferença e a impossibilidade de se atingir o saber.

3. “Pelo menos desde Sócrates, os filósofos gregos refletem sobre a vida humana. Algumas escolas
filosóficas antigas fizeram desse tema uma preocupação central e desenvolveram a ética como forma
de ‘arte de viver’, uma reflexão constante sobre a vida e um trabalho permanente de cada um sobre sua
própria vida.”
(GALLO, 2014).

Algumas dessas escolas se difundiram durante o período helenístico. Uma dessas escolas ganhou
popularidade com Diógenes de Sinope. Sua filosofia apresentava-se como uma crítica aos costumes
instituídos, lançando mão de recursos humorísticos e da ironia. Essa escola ficou conhecida como:
a) Cinismo
b) Estoicismo
c) Epicurismo
d) Neoplatonismo
e) Pitagorismo

5
Filosofia

4. Em meados do século IV a.C., Alexandre Magno assumiu o trono da Macedônia e iniciou uma série de
conquistas e, a partir daí, construiu um vasto império que incluía, entre outros territórios, a Grécia. Essa
dominação só teve fim com o desenvolvimento de outro império, o romano. Esse período ficou
conhecido como helenístico e representou uma transformação radical na cultura grega. Nessa época,
um pensador nascido em Élis, chamado Pirro, defendia os fundamentos do ceticismo. Ele fundou uma
escola filosófica que pregava a ideia de que:
a) seria impossível conhecer a verdade.
b) seria inadmissível permanecer na mera opinião.
c) os princípios morais devem ser inferidos da natureza.
d) os princípios morais devem basear-se na busca pelo prazer.
e) que os princípios morais são definidos por Deus.

5. “Alexandre desembarca lá onde foi fundada a atual cidade de Alexandria. Pareceu-lhe que o lugar era
muito bonito para fundar uma cidade e que ela iria prosperar. A vontade de colocar mãos à obra fez
com que ele próprio traçasse o plano da cidade, o local da Ágora, dos santuários da deusa egípcia Ísis,
dos deuses gregos e do muro externo.”
Flávio Arriano. Anabasis Alexandri (séc. I d.C.).

Desse trecho de Arriano, sobre a fundação de Alexandria, é possível depreender


a) o significado do helenismo, caracterizado pela fusão da cultura grega com a egípcia e as do
Oriente Médio.
b) a incorporação do processo de urbanização egípcio, para efetivar o domínio de Alexandre na
região.
c) a implantação dos princípios fundamentais da democracia ateniense e do helenismo no Egito.
d) a permanência da racionalidade urbana egípcia na organização de cidades no Império helênico.
e) o impacto da arquitetura e da religião dos egípcios, na Grécia, após as conquistas de Alexandre.

6. Pirro afirmava que nada é nobre nem vergonhoso, justo ou injusto; e que, da mesma maneira, nada
existe do ponto de vista da verdade; que os homens agem apenas segundo a lei e o costume, nada
sendo mais isto do que aquilo. Ele levou uma vida de acordo com esta doutrina, nada procurando evitar
e não se desviando do que quer que fosse, suportando tudo, carroças, por exemplo, precipícios, cães,
nada deixando ao arbítrio dos sentidos.
LAÉRCIO, D. Vidas e sentenças dos filósofos Ilustres. Brasília: Editora UnB, 1988.

O ceticismo, conforme sugerido no texto, caracteriza-se por:


a) Desprezar quaisquer convenções e obrigações da sociedade.
b) Atingir o verdadeiro prazer como o princípio e o fim da vida feliz.
c) Defender a indiferença e a impossibilidade de obter alguma certeza.
d) Aceitar o determinismo e ocupar-se com a esperança transcendente.
e) Agir de forma virtuosa e sábia a fim de enaltecer o homem bom e belo.

6
Filosofia

7. “A quem não basta pouco, nada basta”.


EPICURO. Os pensadores. São Paulo: Abril Cultural, 1985.

Remanescente do período helenístico, a máxima apresentada valoriza a seguinte virtude:


a) Esperança, tida como confiança no porvir.
b) Justiça, interpretada como retidão de caráter.
c) Temperança, marcada pelo domínio da vontade.
d) Coragem, definida como fortitude na dificuldade.
e) Prudência, caracterizada pelo correto uso da razão.

8. A respeito da civilização helenística escreveu o erudito Paul Petit: “Não se poderá negar a originalidade
da civilização helenística; basta comparar a acrópole de Pérgamo à de Atenas, a história de Políbio à
de Tucídides, o estoicismo ao platonismo.”
(Idel Becker. Pequena História da Civilização Ocidental)

Quanto ao estoicismo, mencionado no texto, uma das escolas filosóficas mais importantes, em se
tratando da filosofia helenística, é correto afirmar que:
a) considerava que a felicidade do homem consistia no prazer, mas distinguia entre os falsos
prazeres materiais e o verdadeiro prazer que se pode alcançar pela renúncia àqueles.
b) julgava que as coisas do mundo físico, que se percebem pelos sentidos, nada mais são do que
cópias das idéias, modelos perfeitos e eternos que só podem ser percebidos pelo espírito.
c) considerava que o mundo material existia objetivamente e a natureza não dependia de idéia
alguma, assim as formas não se situavam num mundo exterior mais elevado e acima dos
fenômenos, mas existiam nas próprias coisas.
d) propunha que o segredo da felicidade residia, não na procura sôfrega do prazer, mas no perfeito
equilíbrio do espírito, que permite aceitar com a mesma serenidade a sorte ou a desgraça, a riqueza
ou a pobreza, o prazer ou a dor.
e) duvidava de tudo e negava que o homem pudesse alcançar a verdade, sendo assim o homem
deveria desistir das infrutíferas cogitações sobre a verdade absoluta e deixar de preocupar-se,
meditando sobre o bem e o mal. Só a renúncia a toda e qualquer certeza pode trazer a felicidade.

9. “Quando te custa levantar de manhã, tem presente este pensamento: desperto para um trabalho de
homem. Enfada-me ainda sair para o mister para o qual fui posto no mundo? Ou fui constituído para
me aquecer deitado sob as cobertas?”
(MARCO AURÉLIO. Meditações, Coleção Os Pensadores, Abril, São Paulo. 1973).

Para os estoicos, é imperativo que cada homem assuma:


a) a postura de buscar o prazer moderado, respeitando os deuses e a natureza.
b) suas responsabilidades e deveres, agindo assim de acordo com a natureza e o destino.
c) a impossibilidade de se alcançar um critério forte que permita uma distinção entre as filosofias, de
modo que a felicidade deriva da epoché (a suspensão do juízo).
d) a inutilidade das convenções sociais.
e) a postura altiva da busca pelo conhecimento das primeiras causas.

7
Filosofia

10. O período helenístico foi marcado pela troca de ricas experiências culturais e caracterizou-se, também,
pela difusão da cultura e das idéias gregas no Egito e em todo o Oriente próximo. Os valores e os ideais
propostos pelas correntes filosóficas nesse período valorizavam
a) o empenho social e civil, o amor à pátria, a competição econômica e a tolerância.
b) o individualismo e a ausência de angústias e de paixões, obtida por meio da autodisciplina.
c) o espírito competitivo, a participação na vida política, o individualismo e um particular prejuízo na
vida moral.
d) a austeridade, a perspectiva da vida após a morte, o amor à pátria e o empenho social.
e) o mundo inteligível, a superioridade da alma em relação ao corpo e a dialética, como fonte do
conhecimento verdadeiro.

Sua específica é humanas e quer continuar treinando esse conteúdo?


Clique aqui para fazer uma lista extra de exercícios.

8
Filosofia

Gabaritos

Exercícios de fixação

1. As correntes filosóficas do período helenista têm em comum o fato de todas elas serem vertentes
fundamentalmente éticas, isto é, voltadas para a questão da conduta e da ação humanas. Suas
preocupações, muito mais do que com problemas teóricos e especulativos, como a origem do mundo, o
fundamento do conhecimento e a ordem do universo, eram com questões práticas, em particular aquelas
que dizem respeito à boa vida, isto é, à felicidade humana.

2. Para os epicuristas, a felicidade consiste em um estado de ausência de dor denominado ataraxia.


Segundo eles, para alcançá-lo, é preciso aprender a dominar o imediatismo e os prazeres exagerados da
paixão, como o medo, o apego e a cobiça. Desse modo, esse estado de imperturbabilidade da alma
decorre da prática dos prazeres que encantam o espírito, como a contemplação das artes em geral e a
boa conversação.

3. Para o estoicismo, a felicidade humana consiste na ataraxia, “tranquilidade da alma”, ou apatheia,


“ausência de perturbações”. Guiar-se pela razão é a grande meta da filosofia estoica, que é alcançada,
segundo Zenão, fundador da escola, a partir do momento em que o homem reconhece que há uma razão
universal e divina que rege e conduz o mundo. Nessa perspectiva, a serenidade é consequência de uma
atitude de austeridade física e moral, baseada em virtudes como a resistência ante o sofrimento, a
coragem ante o perigo, a indiferença ante as riquezas materiais.

4. Para o ceticismo, a felicidade não se encontra quando abraçamos uma visão de mundo específica (seja
a busca pelo prazer dos epicuristas, a austeridade dos estoicos ou a crítica aos padrões morais dos
cínicos), mas sim quando percebemos a relatividade de todas as crenças e suspendemos o juízo a
respeito de tudo. Segundo Pirro, o verdadeiro sábio é aquele que se fecha em si mesmo e silencia, isto é,
não emite nenhum juízo.

5. Para o cinismo, a felicidade consiste na autarkeia: a autossuficiência, o autodomínio. Porém, isso só se


torna possível mediante uma vida totalmente dedicada à prática filosófica e um rompimento radical com
os padrões morais e sociais estabelecidos. Tais pensadores, por isso, viviam de maneira totalmente
anárquica: sem teto, nas ruas, como mendigos.

Exercícios de vestibular

1. C
A característica do estoicismo presente na citação do filósofo Epicteto é, claramente, a aceitação dos
sofrimentos da vida com serenidade. Trata-se de aprender a entender as perdas com tranquilidade, sem
maiores agitações e perturbações da alma. A alternativa correta é a letra C.

2. A
A ética epicurista baseava-se na busca do prazer e na fuga da dor. Só mediante a posse de prazeres
sólidos é que o homem poderia ser feliz. Trata-se de uma busca moderada, pois não é hedonista ou
irracional, baseada no que é mais imediato. A alternativa correta é a letra A.

3. A

9
Filosofia

Para o cinismo, a felicidade é obtida pela autarkeia: a autossuficiência, o autodomínio. Porém, isso só se
torna possível mediante uma vida totalmente dedicada à prática filosófica e um rompimento radical com
os padrões morais e sociais estabelecidos. Diz-se que Diógenes de Sinope, um dos nomes mais famosos
dessa escola, morava em um barril e perambulava pelas ruas com uma lamparina dizendo estar à procura
de um único homem honesto.

4. A
O ceticismo (ou pirronismo), baseia-se na ideia de que é impossível conhecer a realidade, pois esta é
sempre contingente e mutável. Assim, o que resta ao homem é renunciar à busca pela verdade e
suspender o juízo (epokhé). Desse modo, a alternativa correta é a letra A.

5. A
O ponto de partida para a formação das filosofias do período helenista foi um fator histórico muito
concreto: o domínio de Alexandre Magno sobre a Grécia e todo Oriente, sepultando o regime das cidades-
Estado e fundindo a cultura grega com as culturas orientais.

6. C
O ceticismo é uma corrente de conhecimento que defende que o homem não é capaz de alcançar
nenhuma certeza sobre a verdade, o que causa uma dúvida constante e uma incapacidade de conhecer
qualquer tema.

7. C
A máxima da proposta epicurista visa a ataraxia (imperturbabilidade da alma), através da busca pelos
prazeres. Porém, esses prazeres deveriam ser alcançados através da virtude da temperança, que
demonstra a moderação da vontade e dos prazeres.

8. D
Para o estoicismo, a felicidade humana consiste na ataraxia, “tranquilidade da alma”, ou apatheia,
“ausência de perturbações”. Ou seja, diante dos sobressaltos da vida, é preciso aceitar e compreender
que eles fazem parte dos princípios racionais que regem a existência. Os estoicos defendiam que essa
serenidade é consequência de uma atitude de austeridade física e moral, baseada em virtudes como a
resistência ante o sofrimento, a coragem ante o perigo, a indiferença ante as riquezas materiais.

9. B
Para os estoicos, o homem deve assumir suas responsabilidades e deveres, agindo de acordo com a
natureza e com o destino. Guiar-se pela razão é a grande meta da filosofia estoica, que é alcançada,
segundo Zenão, fundador da escola, a partir do momento em que o homem reconhece que há uma razão
universal e divina que rege e conduz o mundo. Ao reconhecê-la, percebe que a realidade possui uma
estrutura lógica e coerente à qual o homem, para ser feliz, precisa se vincular. Portanto, a alternativa B é
o gabarito da questão.

10. B
No plano político, a liberdade do cidadão grego, exercida no contexto de autonomia de suas cidades, foi
abalada pelo domínio macedônico, que gerou um declínio da participação do cidadão nos destinos da
pólis. Desse modo, as preocupações coletivas deram lugar às preocupações pessoais. Por isso, no
pensamento filosófico, o período helenístico se caracteriza pelo enfraquecimento do componente
sociopolítico e pelo fortalecimento do componente ético individual. De modo geral, as escolas buscavam
a ausência de angústias e de paixões, obtida por meio da autodisciplina.

10
Física

Exercícios sobre Queda Livre e Lançamento vertical para cima

Exercícios

1. Um garoto, na sacada de seu apartamento, a 20 metros de altura, deixa cair um biscoito, quando tem
então a ideia de medir o tempo de queda desse biscoito. Desprezando a resistência do ar e adotando
g = 10m/s², qual o tempo gasto pelo corpo para chegar ao térreo?
a) 1s
b) 2s
c) 4s
d) 8s
e) 10s

2. Abandonando um corpo do alto de uma montanha de altura H, este corpo levará 9 segundos para atingir
o solo. Considerando g = 10 m/s², qual a altura da montanha?
a) 280m
b) 310m
c) 405m
d) 500m
e) 572m

3. Um ponto material, lançado verticalmente para cima, atinge a altura de 45 m. Qual a velocidade de
lançamento? Adote g = 10m/s²
a) 20𝑚/𝑠
b) 25𝑚/𝑠
c) 30𝑚/𝑠
d) 35𝑚/𝑠
e) 40 𝑚/𝑠

1
Física

4. Um projétil de brinquedo é arremessado verticalmente para cima, da beira da sacada de um prédio, com
uma velocidade inicial de 10 m/s. O projétil sobe livremente e, ao cair, atinge a calçada do prédio com
uma velocidade de módulo igual a 30 m/s. Quanto tempo o projétil permaneceu no ar, supondo o
módulo da aceleração da gravidade igual a 10 m/s² e desprezando os efeitos de atrito sobre o
movimento do projétil.
a) 2s
b) 6s
c) 8s
d) 4s
e) 5s

5. Um objeto é solto de uma posição alta e leva 3,0 s para atingir a velocidade de 15,0 m/s. A aceleração
de gravidade nesse local é de:
a) 5,0m/s²
b) 6,0m/s²
c) 7,0m/s²
d) 10,0m/s²
e) 15,0m/s²

6. Em um local onde o efeito do ar é desprezível, um objeto é abandonado, a partir do repouso, de uma


altura H acima do solo. Seja H1 a distância percorrida na primeira metade do tempo de queda e H2 a
distância percorrida na segunda metade do tempo de queda. Qual a razão H1 / H2?
1
a)
3
1
b)
2
c) 2
d) 3
e) 5

7. Um pequeno objeto é largado do 15° andar de um edifício e cai, com atrito do ar desprezível, sendo
visto 1s após o lançamento passando em frente à janela do 14° andar. Em frente à janela de qual andar
ele passará 2 s após o lançamento? Admita g = 10m/s².
a) 13° andar
b) 8° andar
c) 9° andar
d) 11° andar
e) 1° andar

2
Física

8. Um objeto cai, a partir do repouso, de cima de uma superfície, chegando ao solo em 4 s. A velocidade
desse objeto, imediatamente antes de tocar o solo, em km/h, é igual a:
a) 180 km/h
b) 72 km/h
c) 90 km/h
d) 144 km/h
e) 300 km/h

9. Uma pedra é lançada para cima, a partir do topo de um edifício de 60 m com velocidade inicial de 20
m/s. Desprezando a resistência do ar, qual a velocidade da pedra ao atingir o solo, em m/s? (g=10m/s²).
a) 35
b) 40
c) 45
d) 50
e) 55

10. Partindo do repouso, duas pequenas esferas de aço começam a cair, simultaneamente, de pontos
diferentes localizados na mesma vertical, próximos da superfície da Terra. Desprezando a resistência
do ar, a distância entre as esferas durante a queda irá:
a) aumentar.
b) diminuir.
c) permanecer a mesma.
d) aumentar, inicialmente, e diminuir, posteriormente.
e) diminui, inicialmente, e aumento, posteriormente.

3
Física

Gabarito

1. B
𝑠 = 𝑠𝑜 + 𝑣𝑜. 𝑡 + ½ 𝑔. 𝑡 ²
20 = 0 + 0. 𝑡 + ½ .10 𝑡 ²
20 = 0 + 10 ÷ 2 𝑡 ²
20 = 5 𝑡²
20 ÷ 5 = 𝑡 ²
𝑡² = 4
𝑡 = 2𝑠

2. C
Calculando a velocidade de queda do corpo
𝑣 = 𝑣0 + 𝑔. 𝑡
𝑣 = 0 + 10.9
90𝑚
𝑣=
𝑠
Agora vamos calcular a altura da montanha
𝑣02
ℎ=
2. 𝑔
90²
ℎ=
2.10
ℎ = 405𝑚

3. C
𝑉² = 𝑉0 ² + 2. 𝑔. ∆𝑠
0 = 𝑉0 ² + 2. (−10). (45)
𝑉0 ² = 900
𝑉0 = √900
𝑉0 = 30𝑚/𝑠

4. D
Atinge o solo com velocidade de -30m/s, pois já está em movimento retrógrado
𝑉 = 𝑉0 – 𝑔. 𝑡
−30 = 10 – 10. 𝑡
𝑡 = 4𝑠

5. A
A equação capaz de relacionar a velocidade e o tempo da queda livre com a aceleração da gravidade é:
𝑣 = 𝑔. 𝑡
Tomando os dados fornecidos pelo enunciado do exercício, teremos:
15 = 𝑔. 3
15
𝑔= = 5𝑚/𝑠²
3

A aceleração da gravidade nesse local é de 5,0 m/s².

4
Física

6. A
1
𝑠 = 𝑠𝑜 + 𝑣𝑜. 𝑡 + 𝑔. 𝑡 ²
2

1
Instante t: H1 = g.t ² (1)
2

1
Instante 2t: H1 + H2 = g.(2t)²
2

H1 + H2 = 2gt² (2)

Agora vamos substituir (1) em (2)


1
𝑔. 𝑡² + 𝐻2 = 2𝑔𝑡²
2
3
𝐻2 = 𝑔. 𝑡 ² (3)
2
Comparando (3) e (1) temos:
𝐻2 = 3 𝐻1
𝐻1 1
=
𝐻2 3

7. D
Calculando a velocidade do objeto no 14° andar:
𝑣 = 𝑣𝑜 + 𝑔. 𝑡
𝑣 = 0 + 10.1
𝑣 = 10 𝑚/𝑠
Calculando agora a altura de cada andar...
𝑣 ² = 𝑣𝑜² + 2𝑔. 𝛥𝑠
10 ² = 0 + 2.10. 𝛥𝑠
100 = 20 𝛥𝑠
100 ÷ 20 = 𝛥𝑠
𝛥𝑠 = 5𝑚

Após dois segundos de movimento, teremos:


1
𝑠 = 𝑠𝑜 + 𝑣𝑜𝑡 + 𝑔. 𝑡 ²
2
1
𝑠 = 5.0. 𝑡 + .10. 2 ²
2
𝑠 = 0 + 10/2 .2 ²
𝑠 = 10/2 .4
𝑠 = 5 .4
𝑠 = 20 𝑚
Portanto, podemos concluir que, como o objeto percorreu 20m em 2s, ele estará passando pela janela
do 11° andar.

8. D
A aceleração da gravidade tem valor constante. Dessa forma, o movimento de queda livre pode ser
entendido como um Movimento Retilíneo Uniformemente Variado (MRUV). Com isso, podemos calcular
a velocidade do objeto durante a queda com a equação a seguir:

5
Física

𝑣 = 𝑔. 𝑡
Tomando os dados fornecidos pelo enunciado do exercício, teremos a seguinte igualdade:
40𝑚
𝑣 = 10.4 = = 40. 3,6 = 144𝑘𝑚/ℎ
𝑠
Na resolução acima, multiplicamos 40 m/s pelo fator 3,6 para converter a unidade de m/s para km/h,
resultando em uma velocidade de 144km/h

9. B
Colocando a origem no ponto de lançamento, a pedra sobe, atinge a altura máxima e quando chega ao
solo ocupa a posição
S = – 60m (instante em que ela chega ao solo)
𝑡²
𝑆 = 𝑉0 . 𝑡 – 𝑔.
2
−60 = 20𝑡 – 5𝑡²
𝑡² − 4𝑡 − 12 = 0
𝑡 = 6𝑠 (𝑖𝑛𝑠𝑡𝑎𝑛𝑡𝑒 𝑒𝑚 𝑞𝑢𝑒 𝑒𝑙𝑎 𝑐ℎ𝑒𝑔𝑎 𝑎𝑜 𝑠𝑜𝑙𝑜)
velocidade dela quando chega ao solo (t=6s)
𝑉 = 𝑉0 – 𝑔𝑡
𝑉 = 20 – 10.6
𝑉 = −40𝑚/𝑠
Em módulo
𝑉 = 40𝑚/𝑠

10. C
Como em cada instante elas tem a mesma aceleração e consequentemente a mesma velocidade,
percorrem a mesma distância no mesmo tempo

6
Física

Leis de Newton

Objetivo
Iniciamos o estudo da Dinâmica. Duas grandezas serão apresentadas: massa e força. A primeira é uma
grandeza escalar, e a segunda, vetorial; relacionam-se pela equação fundamental da Dinâmica.

Se liga
Que tal assistir esse mapa mental para entender ainda mais sobre esse conteúdo tão importante da Física?

Curiosidade
A dinâmica é uma síntese dos princípios da Mecânica Clássica proposta por Newton.

Teoria

Isaac Newton (1642 -1727). Inglês de Woolstorpe, fundamentou-se nos trabalhos


de Galileu para apresentar as leis do movimento em seu livro Philosophiae
Naturalis Principia Mathematica. Elaborou a importantíssima Lei da Atração das
Massas, que deu à Física e à Astronomia explicações essenciais. Formulou teorias
sobre Óptica e estudou a decomposição da luz branca nos prismas. Ao perceber
que a matemática da época era insuficiente para descrever completamente os
fenômenos físicos conhecidos, desenvolveu o Cálculo Diferencial Integral, abrindo
novos horizontes aos pesquisadores. Segundo Voltaire, Newton seria “o maestro
que regeria a orquestra quando, um dia, todos os gênios do mundo se reunissem”.

Força é o agente físico cujo efeito dinâmico é a aceleração.

Conceito de força resultante


Consideremos o arranjo experimental representado na figura abaixo, em que um bloco, apoiado em uma mesa
horizontal e lisa, é puxado horizontalmente pelos garotos A e B. garoto A puxa o bloco para a direita, aplicando-
lhe uma força 𝐹⃗𝐴 . O garoto B, por sua vez, puxa o bloco para a esquerda, exercendo uma força 𝐹⃗𝐵 .
Esquematicamente, temos:

Tópicos de Física - Vol.1 – 21ª Ed. 2012

1
Física

Se apenas A puxasse o bloco, este seria acelerado para a direita, com aceleração 𝑎⃗𝐴 . Se, entretanto, apenas
B puxasse o bloco, este seria acelerado para a esquerda, com aceleração 𝑎⃗𝐵 .
Supondo que A e B puxem o bloco conjuntamente, observaremos como produto final uma aceleração 𝑎⃗, que
poderá ter características diversas. Tudo dependerá da intensidade de 𝐹⃗𝐴 comparada à de 𝐹⃗𝐵 :
• Se |𝐹⃗ A| > |𝐹⃗ B|, notaremos 𝑎⃗ dirigida para a direita;

• ⃗⃗⃗⃗ A| = |𝐹⃗ B|, teremos 𝑎⃗ = 0


Se |𝐹 ⃗⃗ (equilíbrio);

• Se ⃗⃗⃗⃗
|𝐹 A| < |𝐹⃗ B|, 𝑎⃗ será orientada para a esquerda.

A força resultante de 𝐹⃗𝐴 e 𝐹⃗𝐵 equivale a uma força única que, atuando sozinha, imprime ao bloco a mesma
aceleração a que 𝐹⃗𝐴 e 𝐹⃗𝐵 imprimiriam se agissem em conjunto.

Com base no que foi exposto, podemos concluir:

Tudo o que possui matéria tem inércia.


A inércia é uma característica própria da matéria.

E ainda: Para que as tendências inerciais de um corpo sejam vencidas, é necessária a intervenção de força
externa.

Princípio da Inércia (1ª Lei de Newton)


Este princípio está implícito nos itens anteriores. Vamos agora formalizá-lo por meio de dois enunciados
equivalentes.

Se a força resultante sobre uma partícula é nula, ela permanece em repouso ou em movimento retilíneo e
uniforme, por inércia.

Note que, para variar a velocidade vetorial de um corpo, é necessária a intervenção de uma força resultante,
fruto das ações de agentes externos ao corpo. Sozinho (livre de força resultante externa), um corpo em
movimento mantém velocidade vetorial constante, por inércia.

2
Física

Princípio Fundamental da Dinâmica (2ª Lei de Newton)


Consideremos uma partícula submetida à ação de uma força resultante 𝐹⃗ . O que devemos esperar que
aconteça com essa partícula? Ela adquirirá uma aceleração 𝑎⃗, isto é, experimentará variações de velocidade
com o decorrer do tempo. Supondo que 𝐹⃗ seja horizontal e dirigida para a direita, qual será a direção e o
sentido de 𝑎⃗? Mostra a experiência que 𝑎⃗ terá a mesma orientação de 𝐹⃗ , ou seja, será horizontal para a direita.

Ou, de forma genérica:


F=ma

Escrevendo essa expressão na forma vetorial, temos:

𝐅⃗ = 𝐦𝐚⃗⃗

Força [F] = kg.m/s² = kg.m.s-2 = N (newton).

Um newton é a intensidade da força que, aplicada em uma partícula de massa


igual a 1 quilograma, produz na sua direção e no seu sentido uma aceleração de
módulo 1 metro por segundo, por segundo.

Peso de um corpo
Uma caixa de isopor vazia é leve ou pesada? Um grande paralelepípedo maciço de aço é leve ou pesado? As
noções de leve ou pesado fazem parte de nosso dia a dia e nos possibilitam responder de imediato a
perguntas como essas: a caixa de isopor vazia é leve e o grande paralelepípedo maciço de aço é pesado.
Um corpo é tanto mais pesado quanto mais intensa for a força de atração gravitacional exercida pelo planeta
sobre ele. Por outro lado, todos sabemos que, se largarmos uma laranja ou outros corpos nas proximidades
da Terra, eles cairão verticalmente, indo de encontro à superfície do planeta. Isso se deve também a uma
interação de natureza gravitacional que ocorre entre a Terra e o corpo, que recebe uma força atrativa dirigida
para o centro de massa do planeta. Essa força é o que, na ausência de atritos, faz o corpo despencar em
movimento acelerado até colidir com o solo.

Ex.1: Ao caminhar, uma pessoa age no chão, empurrando-o


“para trás”. Este, por sua vez, reage na pessoa, empurrando-a
“para a frente”. Observemos, nesse caso, que a ação está
aplicada no solo, enquanto a reação está aplicada na pessoa.

Fonte: Tópicos de Física - Vol.1 – 21ª Ed. 2012

3
Física

Ex.2: Na colisão entre dois automóveis, ambos se deformam. Isso


prova que, se um deles age, o outro reage em sentido contrário. Os
automóveis trocam forças de ação e reação que têm mesma
intensidade, mesma direção e sentidos opostos.
Embora os carros troquem forças de intensidades iguais, ficará
menos deformado aquele que receber a pancada numa região de
estrutura mais resistente.

Tópicos de Física - Vol.1 – 21ª Ed. 2012

Ex.3: Ao remar um barco, uma pessoa põe em prática a Lei da Ação e da Reação. O remo age na água,
empurrando-a com uma força −𝐹⃗ . Esta, por sua vez, reage no remo, empurrando-o em sentido oposto com
uma força 𝐹⃗ .
É importante notar que a ação −𝐹⃗ está aplicada na água, enquanto a reação 𝐹⃗ está aplicada no remo. Ação e
reação aplicam-se em corpos diferentes.

Tópicos de Física - Vol.1 – 21ª Ed. 2012

Ex.4: Consideremos um corpo sobre a influência do campo1 gravitacional terrestre. Conforme sabemos, o
corpo é atraído gravitacionalmente, sendo solicitado por uma força 𝑃⃗⃗. Mas, se a Terra, por meio do seu campo
de gravidade, age no corpo, este reage na Terra, atraindo-a com uma força −𝑃⃗⃗.

O corpo e a Terra interagem gravitacionalmente, formando um par ação-reação. Observemos que 𝑃⃗⃗ está
aplicada no corpo, enquanto −𝑃⃗⃗ está aplicada na Terra (no seu centro de massa).

Ilustração fora de escala e em cores-fantasia.


Fonte: Tópicos de Física - Vol.1 – 21ª Ed. 2012

1campo: O conceito de campo será desenvolvido futuramente. No entanto, tenha em mente já de que campo é uma
propriedade dos pontos do espaço.

2
Física

Obs.: Nos três primeiros exemplos, as forças de ação e reação exercidas pelos corpos descritos são forças
de contato. Entretanto, no exemplo 4, a interação entre a Terra e o corpo se dá a uma certa distância, ou seja,
não precisa de um contato físico para ocorrer, constituindo, assim, forças de campo.
É importante perceber que as forças de ação e reação têm sempre a mesma natureza, ou seja, são ambas de
contato ou ambas de campo.

3ª Lei de Newton (ação e reação)


Um experimento simples que você já deve ter realizado está esquematizado na figura abaixo, na qual está
representado um balão de borracha movimentando-se à medida que expele o ar existente em seu interior.

Esse fenômeno pode ser explicado pelo Princípio da Ação e da Reação. Cada partícula do ar ejetado recebe
“força para trás”. Essas partículas, que são em grande número, reagem no balão com “pequenas forças para
a frente”. Essas “forças” originam uma força resultante expressiva, capaz de acelerar o corpo elástico.
Toda ação acompanha uma reação com forças de:
• Mesmo módulo;
• Mesma direção;
• Sentidos opostos;
• Atuam em corpos diferentes.

3
Física

Exercícios de Fixação

1. Uma partícula A está livre da ação de forças, enquanto outra partícula B está sujeita a duas forças de
mesma intensidade, mesma direção e sentidos contrários. É correto afirmar que as partículas estão
em repouso?

2. Um ponto material de massa igual a 2 kg parte do repouso sob a ação de uma força constante de
intensidade 6 N, que atua durante 10 s, após os quais deixa de existir. Determine:
a) a aceleração nos 10 s iniciais;

b) a velocidade ao fim de 10 s.

3. Uma partícula de massa 0,50 kg realiza um movimento retilíneo uniformemente variado. Num percurso
de 4,0 m sua velocidade varia de 3,0 m/s a 5,0 m/s. Qual é o módulo da força resultante que age sobre
a partícula?

4. Um objeto encontra-se em repouso num plano horizontal perfeitamente liso. Num instante 𝑡𝑜 uma força
horizonta de módulo constante é aplicada ao objeto. Sob ação dessa força o objeto é acelerado e, num
instante posterior 𝑡, quando a velocidade do objeto é 𝑣, a força é retirada. Após o instante 𝑡, o objeto:
I. para imediatamente.
II. adquire movimento acelerado.
III. prossegue em movimento retilíneo uniforme com velocidade 𝑣.

Qual das afirmações acima é correta?

5. Um corpo com massa de 60 kg está na superfície do planeta Marte, onde a aceleração da gravidade é
3,71 m/s². De acordo com esses dados, responde:

a) Qual o peso desse corpo na superfície de Marte?

b) Suponha que esse mesmo objeto seja trazido para a Terra, onde 𝑔 = 9,78 𝑚/𝑠², qual será o seu
peso?

4
Física

Exercícios de Vestibulares

1. O peso de um corpo depende basicamente de sua massa e da aceleração da gravidade em um local. A


tirinha a seguir mostra que o Garfield está tentando utilizar seus conhecimentos de Física para enganar
o seu amigo.

De acordo com os princípios da Mecânica, se Garfield for para esse planeta:


a) ficará mais magro, pois a massa depende da aceleração da gravidade.
b) ficará com um peso maior.
c) não ficará mais magro, pois sua massa não varia de um local para outro.
d) ficará com o mesmo peso.
e) não sofrerá nenhuma alteração no seu peso e na sua massa.

2. O texto abaixo é um pequeno resumo do trabalho de Sir Isaac Newton (1643 – 1727) e refere-se à(s)
seguinte(s) questões de Física.
Sir Isaac Newton foi um cientista inglês, mais reconhecido como físico e matemático, embora tenha
sido também astrônomo, alquimista, filósofo natural e teólogo. Devido à peste negra, em 1666, Newton
retoma à casa de sua mãe e, neste ano de retiro, constrói suas quatro principais descobertas: o
Teorema Binomial, o Cálculo, a Lei da Gravitação Universal e a natureza das cores. Foi Newton quem
primeiro observou o espectro visível que se pode obter pela decomposição da luz solar ao incidir sobre
uma das faces de um prisma triangular transparente (ou outro meio de refração ou de difração),
atravessando-o e projetando-se sobre um meio ou um anteparo branco, fenômeno este conhecido
como dispersão da luz branca. No artigo "Nova teoria sobre luz e cores" (1672) e no livro Óptica (1704)
Newton discutiu implicitamente a natureza física da luz, fornecendo alguns argumentos a favor da
materialidade da luz (Teoria corpuscular da luz). Construiu o primeiro telescópio de reflexão em 1668.
Em 1687 publica Philosophiae Natura/is Principia Mathematica (Princípios matemáticos da filosofia
natural), em três volumes, obra na qual enunciou a lei da gravitação universal generalizando e
ampliando o trabalho de Kepler. Nesta obra descreve, além das três leis de Newton, que fundamentam
a mecânica clássica, o movimento dos corpos em meios resistentes, vibrações isotérmicas, velocidade
do som, densidade do ar, queda dos corpos na atmosfera, pressão atmosférica, resumindo suas
descobertas. O trabalho de Newton é atemporal e um dos alicerces da Mecânica Clássica tal como a
conhecemos. De acordo com as Leis do Movimento de Newton, a atração gravitacional da Terra confere
peso aos objetos fazendo com que caiam quando são soltos no ar (como a atração é mútua, a Terra
também se move em direção aos objetos, mas apenas por uma ínfima fração). Sendo o peso de um
corpo, na Terra, de 360 N, qual será este peso, na Lua, onde a aceleração da gravidade é um sexto da
aceleração da gravidade na Terra?
a) 60 N
b) 120 N
c) 180 N
d) 360 N

1
Física

3. Para transportar os operários numa obra, a empresa construtora montou um elevador que consiste
numa plataforma ligada por fios ideais a um motor instalado no telhado do edifício em construção. A
figura mostra, fora de escala, um trabalhador sendo levado verticalmente para cima com velocidade
constante, pelo equipamento. Quando necessário, adote g = 10 m/s².

Preocupada com as normas de segurança, a empresa responsável pelo elevador afixou a placa
mostrada a seguir, indicando a carga máxima que pode ser transportada por ele.

Considerando-se as unidades de medidas estabelecidas pelo Sistema Internacional, quem escreveu os


dizeres da placa cometeu um erro e, para corrigi-lo, bastaria trocar “600 kg” por
a) 600000 g
b) 0,6 kgf
c) 60 N
d) 600 N
e) 6000 N

4. A Terra é azul!
Por: Othon Winter

Em 1961, um homem – Yuri Gagarin – subia, pela primeira vez, ao espaço. O feito posicionou os russos
na frente da corrida espacial travada com os Estados Unidos após o fim da Segunda Guerra. Em 2011,
comemorando 5 décadas dessa façanha.
Em 12 de abril de 1961, Yuri Alekseevich Gagarin estava a bordo da espaçonave Vostok-1, lançada de
uma plataforma em Baikonur, no Cazaquistão, por um foguete Soyuz. Durante o voo, que durou 108
minutos, sendo 90 minutos efetivamente no espaço, completou uma órbita ao redor da Terra, viajando
a uma velocidade aproximada de 27 mil km/h. Na descida, foi ejetado da nave quando estava a 7 km
de altura e chegou ao solo suavemente, com o auxílio de paraquedas. Em órbita, Gagarin fez algumas
anotações em seu diário de bordo. Porém, ao tentar usá-lo, o diário flutuou e voltou para ele sem o lápis,
que estava conectado ao livro por uma mola. A partir de então, todos os registros tiveram que ser feitos
por meio de um gravador de voz. Como ele era ativado por som, a fita ficou logo cheia, pois muitas

1
Física

vezes o equipamento era ativado pelos ruídos na cápsula. Durante o voo, Gagarin se alimentou e tomou
água, mantendo contato contínuo com a Terra por rádio, em diferentes canais, telefone e telégrafo. Ele
foi o primeiro ser humano a ver a Terra do espaço. Pôde vê-la como um todo e, entre as observações
que fez, uma é marcante. Impressionado com o que via, afirmou: “A Terra é azul!”.
(Trecho adaptado a partir de matéria publicada na Revista Ciência Hoje, vol. 47, ed. 280. p. 72-73)

“Na descida, foi ejetado da nave quando estava a 7 km de altura e chegou ao solo suavemente, com o
auxílio de paraquedas.”

Após o paraquedas ter sido aberto, entendendo-se que o astronauta passou a descer com velocidade
escalar constante, a resultante das forças que atuava sobre Gagarin era igual
a) ao seu peso.
b) ao seu peso e ao peso do paraquedas.
c) a força da resistência do ar.
d) a zero.

5. Um corpo de 20 kg de massa cai em queda livre de uma altura de 2 m. Considerando a aceleração da


gravidade g = 10 m/s², é correto afirmar que, durante a queda, o corpo atrai a Terra com:
a) força desprezível, aproximadamente zero.
b) força menor que 200 N
c) força superior a 200 N
d) força igual a 200 N
e) uma força cada vez maior à medida que se aproxima do chão.

6. Um objeto de 3,10 kg é liberado por um astronauta, a partir do repouso, e cai em direção à superfície do
planeta Marte. Calcule a força peso em Newtons sobre o objeto, expressando o resultado com o número
de algarismos significativos apropriado.
Considere a aceleração da gravidade gMarte = 3,69 m/s²
a) 31,0
b) 11,439
c) 11,44
d) 11,4
e) 6,79

2
Física

7. Em uma academia, a aceleração de uma esteira e a resultante da força exercida sobre ela foram
medidas ao longo de 10 s. Os resultados estão representados nos gráficos abaixo.

Com base nos gráficos, determine, em quilogramas, a massa da esteira.


a) m = 20 kg
b) m = 10 kg
c) m = 1 kg
d) m = 200 kg
e) m = 2kg

8. Em 2006, foi criado o “O Dia Mundial do Pulo”, uma iniciativa organizada na internet
(www.worldjumpday.org), pelo artista alemão Torsten Lauschmann, alegando ser um Professor Hans
Peter Niesward do Instituto de Física Gravitacional de Munique. No dia 20 de julho às 07h39 (horário de
Brasília), a organização do evento planejou ter 600 milhões de pessoas do hemisfério ocidental pulando
simultaneamente, com o objetivo de mover a Terra para uma nova órbita e, desse modo, criar condições
para diminuir o aquecimento global.
Do ponto de vista da Física, essa proposta:
a) é correta, pois a quantidade de movimento das pessoas após o pulo é pouco menor que a
quantidade de movimento da Terra.
b) é correta, pois a ação das pessoas sobre a Terra criaria uma reação igual e contrária que alteraria
a sua rotação.
c) é falsa, pois a força que as pessoas fariam seria radial no sentido do centro da Terra, o que não
alteraria sua rotação.
d) é falsa, pois a força que as pessoas fariam sobre a Terra é uma força interna entre elementos do
próprio planeta.

3
Física

9. Dois carros que transportam areia se deslocam sem atrito na horizontal e sob a ação de duas forças
constantes e iguais. Ao longo do deslocamento, há vazamento do material transportado por um furo
em um dos carros, reduzindo sua massa total.
Considerando que ambos partiram do repouso e percorrem trajetórias paralelas e retas, é correto
afirmar que após um intervalo de tempo igual para os dois, a velocidade do carro furado, se comparada
à do outro carro,
a) é menor e o carro furado tem maior aceleração.
b) é maior e o carro furado tem menor aceleração.
c) é menor e o carro furado tem menor aceleração.
d) é maior e o carro furado tem maior aceleração.

10. Um objeto colocado em uma balança de pratos é equilibrado por uma massa de 13 kg. Quando o objeto
é colocado em uma balança de mola, o mostrador indica 13 kg. Todo o conjunto (objeto, balança de
pratos, pesos da balança de pratos e balança de mola) é transportado pela empresa SpaceX para o
planeta Marte, onde a aceleração em queda livre é 2,6 vezes menor que a aceleração em queda livre
na Terra.

As leituras da balança de pratos e da balança de mola, em Marte, são, respectivamente:


a) 13 kg e 13 kg
b) 13 kg e 5 kg
c) 5 kg e 5 kg
d) 5 kg e 13 kg
e) 13 kg e 34 kg

Sua específica é exatas e quer continuar treinando esse conteúdo?


Clique aqui para fazer uma lista extra de exercícios

4
Física

Gabaritos

Exercícios de fixação

1. Não, pois no caso temos duas partícuas isoladas e, de acordo com o princípio da inércia, as partículas ou
estão em repouso ou realizam movimento retilíneo uniforme.

2. a) De 𝐹𝑅 = 𝑚𝑎, sendo 𝐹𝑅 = 𝐹 = 6 𝑁 e 𝑚 = 6 𝑘𝑔, vem:


b) Ao fim de 10 s a velocidade do corpo é: 𝑣 = 𝑣𝑂 + 𝑎𝑡 (sendo 𝑣𝑂 = 0, 𝑎 = 3 𝑚/𝑠² e 𝑡 = 10 𝑠)
𝑣 = 3 ∙ 10 = 30 𝑚/𝑠

3. Utilizando a equação de Torricelli, podemos determinar a aceleração escalar 𝛼:


𝑣 2 = 𝑣𝑜2 + 2𝛼∆𝑆 ⇒ (5,0)2 = (3,0)2 + 2 ∙ 𝛼 ∙ 40
𝛼 = 2,0 𝑚/𝑠²

Sendo o movimento retilíneo, resulta: 𝛼 = |𝛼| = 2,0 𝑚/𝑠²


Pela equação fundamental da Dinâmica calculamos o módulo da força resultante:
𝐹𝐹 = 𝑚𝑎 ⇒ 𝐹𝑅 = 0,50 ∙ 2,0 ⇒ 𝐹𝑅 = 1,0 𝑁

4. A afirmativa correta é a III, pois quando a não há mais essa força sobre o objeto a força resultante é nula,
logo, não há aceleração, sendo assim, este objeto continuará se movendo com velocidade constante, ou
seja, movimento retilíneo uniforme, de acordo com a primeira lei de Newton.

5. a) Na superfície de Marte:
𝑃 = 𝑚𝑔 ⇒ 𝑃 = 60 ∙ 3,71 ⇒ 𝑃 = 222,6 𝑁

b) Na Terra:
𝑃 = 𝑚𝑔 ⇒ 𝑃 = 60 ∙ 9,78 ⇒ 𝑃 = 586,8 𝑁

Exercícios de vestibulares

1. C
Mudando-se para um planeta de menor gravidade, o peso de Garfield será menor, mas sua massa
permanecerá a mesma.

2. A
𝒈𝑻𝒆𝒓𝒓𝒂 𝑷𝑻𝒆𝒓𝒓𝒂 𝟑𝟔𝟎
PLua = m . gLua = m . = = = 60 N.
𝟔 𝟔 𝟔

3. E
Peso é uma força, portanto deve ser medido em newtons.
P = mg = 600 (10)  P = 6.000 N.

5
Física

4. D
Se a descida foi com velocidade constante, é porque a força peso e a força de resistência do ardo ar que
atuavam sobre o conjunto Gagarin-paraquedas estavam equilibradas, ou seja, pelo Princípio da Inércia, a
resultante era nula.

5. D
Pelo princípio da ação-reação, as forças de interação entre o corpo e a Terra têm a mesma intensidade,
igual ao peso do corpo.
Fcorpo/Terra = Fterra/corpo = P = m g = 20 x 10 = 200 N.

6. D
P = mg = 3,10 x 3,69 = 11, 4390N
O resultado deve ser expresso com o mesmo número de algarismos significativos da parcela mais pobre.
As duas medidas têm três algarismos significativos. O resultado também deve ser expresso com três
significativos.
Resultado: 11, 4N.

7. A
Supondo que a força mostrada no gráfico seja a resultante, para o instante 10 s, têm-se
F = 20N e a = 1m s2. Aplicando o princípio fundamental da dinâmica:
F 20
F=mam= =  m = 20 kg.
a 1

8. D
A ação de forças internas não altera o estado de movimento, pois estão acompanhadas de seus pares
ação e reação que possuem mesmo módulo e direção, mas sentidos contrários, sendo assim, o somatório
dessas forças no sistema seria anulado. Para que conseguíssemos alterar a órbita da Terra,
necessitaríamos um “empurrão” externo como um corpo de grande massa interagindo com o sistema
Terra-Lua como um asteroide capturado pela gravidade da Terra, por exemplo. Resposta correta [D].

9. D
Considerando que essas forças sejam as resultantes, sendo elas constantes, os movimentos são
retilíneos, havendo apenas acelerações tangenciais. De acordo com o Princípio Fundamental da Dinâmica
(2ª Lei de Newton), a aceleração é inversamente proporcional à massa.
F
a= R.
m
Então, no carro furado, de menor massa, a aceleração é maior, acarretando maior velocidade.

10. B
A balança de pratos retornará o mesmo valor de massa, pois funciona por comparação com uma massa
já conhecida e independe da aceleração em queda livre.
Para a balança de pratos, teremos:
13gTerra
PTerra = 13gTerra e PMarte = 13gMarte =
2,6
PMarte 13 gTerra 1 P
=   PMarte = Terra
PTerra 2,6 13 gTerra 2,6

Portanto, como o peso em Marte será 2,6 vezes menor que na Terra, a massa medida também seguirá
13 kg
a mesma relação, ou seja, = 5 kg.
2,6

6
Física

Hidrostática: Teorema de Arquimedes

Objetivo
Aprender uma nova grandeza dinâmica: empuxo. Essa força faz parte das listas de forças capazes de
aparecer na sua prova do Enem.

Se liga
Você pode complementar seus estudos com um mapa mental que mostra de forma simples e conceitual o
que é o empuxo.

Curiosidade
Você sabia que é graças à grandeza empuxo que entendemos por que certos objetos boiam e outros não? A
famosa história de Arquimedes com a coroa do rei Hierão foi capaz de contribuir para invenções incríveis,
como o navio.

Teoria

Princípio de Arquimedes
Consideremos um corpo sólido cilíndrico circular, de área da base A e altura h, totalmente imerso num fluido
em equilíbrio, cuja densidade é d (Figura 1). Por simetria, vemos que as forças sobre a superfície lateral do
cilindro se equilibram duas a duas [pressões (p, p) e (p´, p´) na figura]. Entretanto a pressão p2 exercida pelo
fluido sobre a base inferior é maior do que a pressão p 1 sobre a base superior. Pelo teorema de Stevin:

p2 – p1 = dgh

Figura 1. Princípio de Arquimedes.

1
Física
Logo a resultante das forças superficiais exercidas pelo fluido sobre o cilindro será uma força vertical 𝐸⃗ ,
dirigida para cima, com:

𝐸 = 𝑝2 𝐴 − 𝑝1 𝐴 = 𝑑𝑔ℎ𝐴 = 𝑑𝑉𝑔 = 𝑚𝑔

onde V = hA é o volume do cilindro e m = dV é a massa de fluido deslocada pelo cilindro. Por conseguinte, o
módulo da força E, que se chama empuxo, é dada por:

𝐸 = 𝑑𝑉𝑔

Obs.: - d é a densidade do fluido (dfluido);


- V é o volume do corpo que está submerso no fluido;
- g é a intensidade do campo gravitacional local.

Com essas observações feitas, vamos reescrever o módulo do empuxo, para não esquecermos desses
detalhes importantes!

𝐸 = 𝑑𝑓𝑙𝑢𝑖𝑑𝑜 . 𝑉𝑠𝑢𝑏𝑚𝑒𝑟𝑠𝑜 . 𝑔

Obs.: perceba, caro leitor, que o empuxo é igual ao peso do volume do fluido deslocado.

Uma verificação da lei do empuxo


Consideremos a situação representada na Figura 2, em que se tem uma balança de travessão de braços
iguais em equilíbrio. Nessas condições, o peso pendente na extremidade esquerda do travessão tem
intensidade igual à do peso pendente na extremidade direita.

Figura 2. Tópicos da Física – Vol.1 – 21 ª Ed. 2012.

Admitamos, agora, a situação representada na Figura 3. Introduzindo o corpo de ferro não poroso
(dependurado no prato esquerdo) em um recipiente contendo água, verificamos certo desequilíbrio da
balança. Isso ocorre porque, ao ser imerso na água, o corpo de ferro recebe desta uma força vertical e dirigida
para cima – o empuxo –, que provoca uma redução na intensidade da força que traciona a extremidade
esquerda do travessão.

2
Física

Figura 3. Tópicos da Física – Vol.1 – 21 ª Ed. 2012.

Na situação mostrada na Figura 4, o travessão encontra-se novamente em equilíbrio, tendo retornado à sua
posição inicial. Para isso, foi necessário reduzir a intensidade do peso pendente à direita, retirando-se um dos
massores do prato.

Figura 4. Tópicos da Física – Vol.1 – 21 ª Ed. 2012.

Supondo que a retirada de um massor do prato à direita tenha sido suficiente para recolocar o travessão na
horizontal, podemos afirmar que a intensidade do peso desse objeto é igual à do empuxo recebido pelo corpo
de ferro imerso na água.

3
Física

Exercícios de fixação

1. (Mackenzie, SP) Um navio flutua porque


a) seu peso é pequeno quando comparado com seu volume.
b) seu volume é igual ao volume do líquido deslocado.
c) o peso do volume do líquido deslocado é igual ao peso do navio.
d) o peso do navio é menor que o peso do líquido deslocado.
e) o peso do navio é maior que o peso do líquido deslocado.

2. Marque a alternativa correta a respeito do empuxo.


a) O empuxo é uma força vertical e descendente, que atua sobre objetos mergulhados
exclusivamente em líquidos.
b) O empuxo é uma força vertical e ascendente, que atua sobre objetos mergulhados em fluidos.
Essa grandeza equivale ao peso de fluido deslocado pelo objeto mergulhado.
c) O empuxo terá o mesmo módulo da força peso.
d) O empuxo é uma força vertical e ascendente, que atua sobre objetos mergulhados exclusivamente
em líquidos. Essa grandeza equivale ao peso de fluido deslocado pelo objeto mergulhado.
e) Todas as alternativas estão incorretas.

3. Um objeto, de volume 0,5 m³, possui 30% do seu volume mergulhado em um recipiente com água.
Sabendo que a densidade no local é de 9,8 m/s² e que a densidade da água é de 1000 kg/m³, determine
o empuxo sobre o objeto.
a) 1000 N.
b) 4700 N.
c) 2700 N.
d) 1550 N.
e) 1470 N.

4. A expressão “Isso é apenas a ponta de um iceberg” – muito usada conotativamente hoje em dia para
mostrar que se vê apenas uma parte muito pequena de um problema, ficando o resto “escondido” – faz
referência a uma situação física.
Assinale a alternativa cujos dados relacionam-se corretamente com essa situação:
a) Poder das Pontas e a Rigidez Dielétrica;
b) Arquimedes e o Teorema do Empuxo;
c) Pascal e o Princípio da Prensa Hidráulica;
d) Newton e o Princípio da Ação e Reação;
e) A Lei de Stevin e a Diferença de Pressão.

4
Física

5. O empuxo é um fenômeno bastante familiar. Um exemplo é a facilidade relativa com que você pode
levantar-se de dentro de uma piscina em comparação com tentar levantar-se de fora da água, ou seja,
no ar.
Sobre o princípio de Arquimedes, que define empuxo, marque a proposição correta:
a) quando um corpo flutua na água, o empuxo recebido pelo corpo é menor que o peso do corpo;
b) o Princípio de Arquimedes somente é válido para corpos mergulhados em líquidos e não pode ser
aplicado para gases;
c) um corpo total ou parcialmente imerso em um fluido sofre uma força vertical para cima e igual em
módulo ao peso do fluido deslocado;
d) se um corpo afunda na água com velocidade constante, o empuxo sobre ele é nulo;
e) Dois objetos de mesmo volume, quando imersos em líquidos de densidades diferentes, sofrem
empuxos iguais.

5
Física

Exercícios de vestibulares

1. (UFJF, 2019) Conta a lenda que, no século III a.C., Herão, rei de Siracusa, havia pedido a Arquimedes
que verificasse se teria sido enganado por um ourives, ao desconfiar que este havia misturado prata
na confecção de uma coroa de ouro. Sentado numa banheira, Arquimedes imaginou um método de
resolver o problema – e, saltando da banheira, saiu correndo nu para casa gritando “Eureka, eureka”.
A ideia de Arquimedes permite explicar, por exemplo, a flutuação de navios, o sobe e desce dos
submarinos, ou o movimento de balões. A solução do problema ficou conhecida como o “Princípio de
Arquimedes”, cujo enunciado é: todo corpo imerso completa ou parcialmente num fluido recebe deste
uma força resultante vertical denominada “empuxo”, que tem:
a) módulo proporcional ao peso da fração imersa do corpo;
b) módulo proporcional ao volume do corpo imerso;
c) módulo proporcional à massa total do fluido no qual o corpo está imerso;
d) módulo proporcional ao volume de fluido deslocado;
e) módulo proporcional ao peso total do fluido no qual o corpo está imerso.

2. Em um experimento realizado para determinar a densidade da água de um lago, foram utilizados alguns
materiais conforme ilustrado: um dinamômetro D com graduação de 0 N a 50 N e um cubo maciço e
homogêneo de 10 cm de aresta e 3 kg de massa. Inicialmente, foi conferida a calibração do
dinamômetro, constatando-se a leitura de 30 N quando o cubo era preso ao dinamômetro e suspenso
no ar. Ao mergulhar o cubo na água do lago, até que metade do seu volume ficasse submersa, foi
registrada a leitura de 24 N no dinamômetro.

Considerando que a aceleração da gravidade local é de 10 m/s², a densidade da água do lago, em


g/cm³, é
a) 0,6.
b) 1,2.
c) 1,5.
d) 2,4.
e) 4,8.

6
Física

3. (CFTMG, 2019) O empuxo é um fenômeno bastante familiar. Um exemplo é a facilidade relativa com
que você pode se levantar de dentro de uma piscina em comparação com tentar se levantar de fora da
água, ou seja, no ar. De acordo com o Princípio de Arquimedes, que define empuxo, marque a
proposição correta.
a) Quando um corpo flutua na água, o empuxo recebido por ele é menor do que o seu peso.
b) Dois objetos de mesmo volume, quando imersos em líquidos de densidades diferentes, sofrem
empuxos iguais.
c) O Princípio de Arquimedes é válido para corpos mergulhados em líquidos e não pode ser aplicado
para gases.
d) Um corpo total ou parcialmente imerso em um fluido sofre uma força vertical para cima e igual em
módulo ao peso do fluido deslocado.
e) Um corpo totalmente imerso em um fluido sofre a ação do empuxo, sendo ele uma força horizontal
para a direita e com módulo igual ao peso.

4. (CPS, 2019) Os estudos de hidrostática de Arquimedes (288-212 a.C.) o levaram à conclusão de que
corpos imersos em um líquido, total ou parcialmente, sofrem a ação de uma força vertical, voltada para
cima, denominada empuxo. Devido às características dessa força, o empuxo opõe-se à ação do peso,
que atua sobre todos os corpos. Quando um corpo se encontra totalmente submerso, a relação entre
a força peso e a força de empuxo reduz-se a um confronto entre densidades: a do corpo e a do líquido
no qual ele se encontra submerso. Para obter o empuxo necessário, alguns peixes ósseos possuem
um órgão denominado bexiga natatória que os auxilia no controle de sua flutuação sem o auxílio de
suas nadadeiras, devido à presença de gás em seu interior. Quando um peixe desse tipo apresenta
problemas na bexiga natatória e não consegue manter o gás aprisionado, terá dificuldades em manter-
se a uma mesma profundidade e também em aproximar-se da superfície, tendendo a ficar no fundo.

Para o peixe, nessas condições, podemos concluir corretamente que o


a) seu peso é nulo.
b) empuxo é nulo.
c) empuxo é maior que seu peso.
d) empuxo é igual ao seu peso.
e) empuxo é menor que seu peso.

7
Física

5. Uma pedra cujo peso vale 500 N é mergulhada e mantida submersa dentro d’água em equilíbrio por
meio de um fio inextensível e de massa desprezível. Este fio está preso a uma barra fixa, como mostra
a figura. Sabe-se que a tensão no fio vale 300 N. Marque a opção que indica corretamente a densidade
da pedra em kg/m³.
Dados: densidade da água = 1 g/cm³ e g = 10 m/s²

a) 200.
b) 800.
c) 2000.
d) 2500.
e) 2800.

6. (EBMSP, 2017) A prática de atividade física na água aquecida traz muitos efeitos terapêuticos
benéficos, como o relaxamento, a analgesia, a redução do impacto nas articulações. Desprezando os
efeitos da variação da temperatura e da variação do volume corporal durante a inspiração e a expiração
e sabendo que
- o módulo da aceleração da gravidade local é igual a 1 m/s2,
- a densidades da água é igual a 1,00 g/cm3,
- a densidade do corpo humano é igual a 0,93 g/cm3,
determine o módulo do peso de um objeto que deverá ficar emerso sobre uma pessoa, com massa
igual a 70,0 kg, para mantê-la completamente submersa e em equilíbrio, flutuando horizontalmente sob
a superfície da água de uma piscina térmica.
a) 62,3 N.
b) 93,2 N.
c) 70,0 N.
d) 52,7 N.
e) 50,0 N.

8
Física

7. (PUCRS, 2016) Para responder à questão, analise a situação representada na figura abaixo, na qual
uma esfera de isopor encontra-se totalmente submersa em um recipiente contendo água. Um fio ideal
tem uma de suas extremidades presa à esfera, e a outra está fixada no fundo do recipiente. O sistema
está em equilíbrio mecânico.

Considerando que as forças que atuam na esfera sejam o peso (𝑃⃗ ), o empuxo (𝐸⃗ ) e a tensão (𝑇
⃗ ), a
alternativa que melhor relaciona suas intensidades é
a) 𝐸 = 𝑃 + 𝑇.
b) 𝐸 > 𝑃 + 𝑇.
c) 𝑃 = 𝐸 + 𝑇.
d) 𝑃 > 𝐸 + 𝑇.
e) 𝑃 = 𝐸 e 𝑇 = 0.

8. (IMED, 2016) Uma criança brincando com uma balança de verdureiro, instrumento utilizado para a
medição de massas, mergulha e tira uma caneca de porcelana de uma bacia cheia de água. Fora da
água, a balança registra uma massa de 360 g para a caneca e, mergulhada totalmente, uma massa de
320 g.
Com base nessas informações, qual a força de empuxo sobre a caneca quando ela está totalmente
mergulhada? Considere a aceleração da gravidade igual a 10 m/s2.
a) 0,4 N.
b) 1,2 N.
c) 3,2 N.
d) 3,6 N.
e) 4,0 N.

9
Física

9. (CFTMG, 2016) Dois blocos, A e B, de mesmas dimensões e materiais diferentes, são pendurados no
teto por fios de mesmo comprimento e mergulhados em uma cuba cheia de água, conforme a figura
abaixo. Cortando-se os fios, observa-se que A permanece na mesma posição dentro da água, enquanto
B vai para o fundo.

Com relação a esse fato, pode-se afirmar que a densidade do bloco


a) B é menor que a de A.
b) A é menor que a de B.
c) A é menor que a da água.
d) B é menor que a da água.
e) B é igual a de A.

10. (Unesp, 2012) A maioria dos peixes ósseos possui uma estrutura chamada vesícula gasosa ou bexiga
natatória, que tem a função de ajudar na flutuação do peixe. Um desses peixes está em repouso na
água, com a força peso, aplicada pela Terra, e o empuxo, exercido pela água, equilibrando-se, como
mostra a figura 1. Desprezando a força exercida pelo movimento das nadadeiras, considere que, ao
aumentar o volume ocupado pelos gases na bexiga natatória, sem que a massa do peixe varie
significativamente, o volume do corpo do peixe também aumente. Assim, o módulo do empuxo supera
o da força peso, e o peixe sobe (figura 2).

Na situação descrita, o módulo do empuxo aumenta, porque


a) é inversamente proporcional à variação do volume do corpo do peixe.
b) a intensidade da força peso, que age sobre o peixe, diminui significativamente.
c) a densidade da água na região ao redor do peixe aumenta.
d) depende da densidade do corpo do peixe, que também aumenta.
e) o módulo da força peso da quantidade de água deslocada pelo corpo do peixe aumenta.

10
Física

Sua específica é exatas e quer continuar treinando esse conteúdo?


Clique aqui para fazer uma lista extra de exercícios.

11
Física

Gabaritos

Exercícios de fixação

1. C
O empuxo corresponde ao peso de volume do líquido deslocado pelo objeto e possui direção contrária
à do peso. Sendo assim, o navio será mantido em equilíbrio no caso de essas forças serem iguais

2. B
A alternativa correta apresenta a exata definição do empuxo.

3. E
𝐸 = 𝑑𝑙í𝑞𝑢𝑖𝑑𝑜 . 𝑉𝑖𝑚𝑒𝑟𝑠𝑜 . 𝑔
𝐸 = 1000 . 0,5 . 0,3 . 9,8
𝐸 = 1470 𝑁

4. B
A expressão faz referência à pequena porção do iceberg que fica exposta acima da superfície da água.
Os icebergs são formados por água doce. No estado sólido, a densidade da água é menor do que no
estado líquido, dessa forma, apesar de sua grande massa, apenas uma pequena porção
dos icebergs fica para fora da água.
A força responsável pela sustentação desses grandes blocos de gelo é o empuxo, descrito pelo princípio
de Arquimedes.

5. C
a) Falsa – para que um corpo possa flutuar sobre a água, é necessário que a força de empuxo sobre ele
seja maior ou pelo menos igual em módulo ao seu peso, de modo que o seu peso aparente seja nulo;
em outras palavras, a força resultante sobre ele deve ser igual a zero.
b) Falsa – o Princípio de Arquimedes é válido para fluidos, sejam eles gasosos, sejam líquidos.
c) Verdadeira – o teorema do empuxo diz que o módulo da força de empuxo exercida sobre um corpo
depende diretamente do volume de fluido deslocado pelo corpo imerso, portanto a alternativa está
correta.
d) Falsa – para um corpo afundar com velocidade constante, é necessário que a força resultante sobre
ele seja nula. Quando imerso em um fluido, o corpo ocupa um espaço, deslocando uma quantidade de
fluido. Nesse caso, o empuxo sobre ele nunca será nulo.
e) Falsa – o empuxo depende diretamente da densidade do fluido no qual o objeto imerso está inserido.
É por isso que é mais difícil para um corpo afundar nas águas do Mar Morto, por exemplo, que apresenta
muito mais sal que a de outros mares.

Exercícios de vestibulares

1. D
O empuxo tem módulo igual ao peso de líquido deslocado pela inserção do corpo. Mas o volume
deslocado de líquido é igual ao volume imerso de sólido. Assim:
𝐸 = 𝑃𝑙í𝑞 = 𝑚𝑙í𝑞 𝑔 = 𝜌𝑙í𝑞 𝑉𝑖 𝑔 ⇒ 𝐸 = 𝜌𝑙í𝑞 𝑔𝑉𝑖
Essa expressão mostra que o empuxo tem módulo proporcional ao volume do corpo que se encontra
imerso no líquido.

12
Física

2. B
Dados: 3 kg = 3000 g; P = 30 N; Vl = V/2; a = 10 cm; T = 24 N; g = 10 m/s²
Calculando o volume do cubo: V = a³ = 10³ cm³ = 10-3 m³
A figura mostra as forças que agem no cubo, quando mergulhado na água do lago.

Do equilíbrio, temos:
T + E = P → E = P – T = 30 – 24 = 6 N
Da expressão do empuxo:
10−3 𝑘𝑔 𝑔
𝐸 = 𝜌á𝑔𝑢𝑎 . 𝑉𝑖𝑚𝑒𝑟𝑠𝑜 . 𝑔 → 6 = 𝜌á𝑔𝑢𝑎 . . 10 → 𝜌á𝑔𝑢𝑎 = 1200 3 = 1,2
2 𝑚 𝑐𝑚 3

3. D
Análise das alternativas:
a) Falsa. O corpo em equilíbrio que flutua em um fluido tem os módulos do empuxo e do peso iguais.
b) Falsa. O módulo do empuxo depende da massa específica do líquido, do volume de líquido deslocado
pelo corpo e da aceleração gravitacional; assim, ao mudar de líquido, temos alteração da intensidade do
empuxo.
c) Falsa. O Princípio de Arquimedes envolve qualquer fluido seja líquido ou gasoso.
d) Verdadeira. A alternativa representa o enunciado do Princípio de Arquimedes.
e) Falsa. O vetor que representa o empuxo é sempre vertical e com sentido para cima.

4. E
Se o peixe não consegue aprisionar gás, seu volume imerso não é suficiente para provocar um empuxo
necessário para equilibrar ou superar o peso. Assim ele desce porque o empuxo é menor que seu peso.

5. D
O equilíbrio de forças nos fornece o empuxo:
E = P – T ⇒ E = 500 – 300 = 200 N
Com o empuxo, podemos descobrir o volume da pedra:
𝐸 200
𝐸 = 𝜇𝑙í𝑞. . 𝑉. 𝑔 → 𝑉 = = = 0,02 𝑚 3
𝜇𝑙𝑖𝑞. . 𝑔 1000.10
Logo, a massa específica da pedra será:
𝑚 50 𝑘𝑔
𝜇= = = 2500 3
𝑉 0,02 𝑚

13
Física

6. D
𝑚 𝑚𝑝𝑒𝑠𝑠𝑜𝑎 70
𝑑= ⇒ 𝑑𝑝𝑒𝑠𝑠𝑜𝑎 = ⇒ 0,93 = ⇒ 𝑣 = 75,27 𝑐𝑚 3
𝑣 𝑣𝑝𝑒𝑠𝑠𝑜𝑎 𝑣
𝐸 = 𝑃𝑝𝑒𝑠𝑠𝑜𝑎 + 𝑃𝑏𝑙𝑜𝑐𝑜
𝑑á𝑔𝑢𝑎 ⋅ 𝑣𝑝𝑒𝑠𝑠𝑜𝑎 ⋅ 𝑔 = 𝑚𝑝 ⋅ 𝑔 + 𝑃𝑏
𝑃𝑏
𝑑á𝑔𝑢𝑎 ⋅ 𝑣𝑝𝑒𝑠𝑠𝑜𝑎 = 𝑚𝑝 +
𝑔
𝑃𝑏
1 ⋅ 75,27 = 70 +
𝑔
𝑃𝑏
= 75,27 − 70
𝑔
𝑃𝑏
= 5,27
10
𝑃𝑏 = 52,7 𝑁

7. A
De acordo com o diagrama de corpo livre, as forças que atuam na esfera são:

Os módulos das forças Empuxo, Tração e Peso se relacionam entre si de acordo com a equação de
equilíbrio:
𝐸 =𝑃+𝑇

8. A
O módulo do empuxo é a diferença entre o peso medido fora da água e o peso aparente medido para a
caneca totalmente mergulhada na água.
𝐸 = 𝑃 − 𝑃𝑎𝑝 ⇒ 𝐸 = (𝑚 − 𝑚𝑎𝑝 ) 𝑔 ⇒ 𝐸 = (0,36𝑘𝑔 − 0,32𝑘𝑔) ⋅ 10 𝑚/𝑠 2 ∴ 𝐸 = 0,4𝑁

9. B
O bloco A continua na mesma posição: sua densidade é igual à da água.
O bloco B vai para o fundo: sua densidade é maior que a da água.
Assim:
𝑑𝐴 = 𝑑á𝑔
{ ⟩ ⇒ 𝑑𝐴 < 𝑑𝐵
𝑑𝐵 > 𝑑á𝑔

10. E
De acordo com o Teorema de Arquimedes, a intensidade do empuxo é igual à intensidade do peso de
líquido deslocado. Ao aumentar o volume da bexiga natatória, o peixe aumenta o volume de líquido
deslocado, aumentando, consequentemente, o módulo da força peso da quantidade de água deslocada.

14
Geografia

População: crescimento e estrutura

Objetivos
Estudar os aspectos relativos ao crescimento e distribuição da população pelo mundo e diferenciar conceitos
como populoso, povoado, crescimento vegetativo e demográfico.

Se liga
Essa aula é uma introdução aos aspectos da população e será fundamental para criar uma base para os
conteúdos futuros.

Curiosidade
O site do IBGE disponibiliza diversos dados sobre a população do Brasil e do mundo.

Teoria

Crescimento e distribuição da população mundial


Atualmente, existem sete bilhões de pessoas no mundo e grande diversidade de idiomas, culturas, tradições,
etnias e religiões. A maior parte dessa população está concentrada na Ásia, especificamente na região abaixo:

Tradução: “Existem mais pessoas vivendo dentro desse círculo do que fora dele.”

1
Geografia

Vídeo animado do crescimento da população mundial em milhões de habitantes por continente nos últimos
doze mil anos:

Distribuição da população
Em termos de distribuição, pode-se afirmar que a densidade demográfica mundial (número de habitantes por
quilômetro quadrado) é concentrada e desigual. Nesse sentido, é importante diferenciar país populoso de
país povoado.
• Populoso: conceito relacionado à população absoluta de um país. Em números absolutos, corresponde a
quantos habitantes vivem em determinado lugar. Nesse sentido, quando a população absoluta é bastante
expressiva, fala-se em país populoso, cidade populosa.
• Povoado: conceito que expressa a relação entre o número total de habitantes e sua distribuição no
território por quilômetro quadrado. Essa relação corresponde à divisão da população absoluta de um país
pela área desse mesmo território. Essa informação constitui o dado denominado densidade demográfica
(hab./km²).

Densidade demográfica brasileira


No caso do Brasil, o país possui uma população absoluta de, aproximadamente, 210 milhões de habitantes e
uma área de, aproximadamente, 8,5 milhões de quilômetros quadrados. Nesse sentido, sua densidade
demográfica é em torno de 24,7 hab./km² (total de habitantes dividido pela área do território). Desse modo,
pode-se afirmar que o Brasil é um país populoso e pouco povoado, pois possui uma elevada população
absoluta e uma baixa densidade demográfica.

2
Geografia

Densidade demográfica do Brasil

Crescimento populacional
Para a compreensão do crescimento da população mundial, é necessária uma análise estatística através de
dados demográficos encontrados, por exemplo, em censos demográficos, como aqueles realizados pelo
IBGE, além de uma análise histórica e geográfica dessas populações. Após esse conjunto de procedimentos,
é possível identificar e compreender os padrões de crescimento da população, que estão associados, por
exemplo, à queda da mortalidade, ao aumento da expectativa de vida, entre outros.

Crescimento vegetativo
Hoje, o ritmo de crescimento populacional vem diminuindo a cada ano. Esse crescimento é medido através
do chamado crescimento vegetativo, que consiste na diferença entre a taxa de natalidade (número de
nascidos vivos em um ano) e a taxa de mortalidade (número de óbitos registrados em um ano) e que,
geralmente, é expresso em porcentagem.
• Crescimento vegetativo positivo: quando o número de nascimentos é maior que o número de mortes.
• Crescimento vegetativo negativo: quando o número de mortes supera o número de nascimentos.

Crescimento demográfico
O crescimento demográfico é outro dado utilizado para se entender o comportamento da população de um
país. É calculado a partir do somatório do crescimento vegetativo e do saldo migratório (população que entra
e sai).

3
Geografia

Exercícios de fixação

1. É possível afirmar que a população mundial é concentrada e desigual? Justifique.

2. A população de Mônaco é de 38.964 habitantes distribuídos por dois quilômetros quadrados. Nesse
sentido, Mônaco é considerado um país:
a) populoso;
b) superpopuloso;
c) povoado.

3. A população dos Estados Unidos é de 328 milhões de habitantes distribuídos por 9.371.175
quilômetros quadrados. A densidade demográfica do país é de aproximadamente:
a) 28 hab./km²;
b) 35 hab./km²;
c) 42 hab./km².

4. A população de uma região aumenta ou diminui em função das migrações e do _________. A partir
desses dois indicadores é possível calcular o crescimento real da população de um país. Nesse sentido,
_________ é um país cujo aumento populacional tem como principal fator o crescimento _________.
a) crescimento vegetativo – o Brasil – natural.
b) crescimento vegetativo – a Síria – demográfico.
c) saldo populacional – a Alemanha – natural.

5. Qual a diferença entre crescimento vegetativo e crescimento demográfico?

4
Geografia

Exercícios de vestibulares

1. (Enem, 2011) O professor Paulo Saldiva pedala 6 km em 22 minutos de casa para o trabalho, todos os
dias. Nunca foi atingido por um carro. Mesmo assim, é vítima diária do trânsito de São Paulo: a cada
minuto sobre a bicicleta, seus pulmões são envenenados com 3,3 microgramas de poluição particulada
– poeira, fumaça, fuligem, partículas de metal em suspensão, sulfatos, nitratos, carbono, compostos
orgânicos e outras substâncias nocivas.
ESCOBAR, H. Sem Ar. O Estado de São Paulo. Ago. 2008.

A população de uma metrópole brasileira que vive nas mesmas condições socioambientais das do
professor citado no texto apresentará uma tendência de
a) ampliação da taxa de fecundidade.
b) diminuição da expectativa de vida.
c) elevação do crescimento vegetativo.
d) aumento na participação relativa de idosos.
e) redução na proporção de jovens na sociedade.

2. (Enem, 2004) Ao longo do século XX, as características da população brasileira mudaram muito. Os
gráficos mostram as alterações na distribuição da população da cidade e do campo e na taxa de
fecundidade (número de filhos por mulher) no período entre 1940 e 2000.

IBGE

Comparando-se os dados dos gráficos, pode-se concluir que


a) o aumento relativo da população rural é acompanhado pela redução da taxa de fecundidade.
b) quando predominava a população rural, as mulheres tinham em média três vezes menos filhos do
que hoje.
c) a diminuição relativa da população rural coincide com o aumento do número de filhos por mulher.
d) quanto mais aumenta o número de pessoas morando em cidades, maior passa a ser a taxa de
fecundidade.
e) com a intensificação do processo de urbanização, o número de filhos por mulher tende a ser menor.

5
Geografia

3. Em cerca de quarenta anos, o Brasil passou da iminente ameaça de explosão demográfica para a
perspectiva de redução da população, caso continuem nascendo relativamente tão poucas crianças e
não haja um processo de imigração internacional que compense a diminuição dos nascimentos. Hoje
a população brasileira continua crescendo, mas em ritmo cada vez menor.
LÚCIO, C. et al. As mudanças da população brasileira. Le Monde Diplomatique Brasil. São Paulo, ano 6, n. 71, jun. 2013. p.26.

O atual padrão demográfico do Brasil apresenta como tendência a(o)


a) aceleração do crescimento vegetativo.
b) progressão do envelhecimento.
c) estagnação da emigração internacional.
d) aumento da taxa de mortalidade infantil.
e) elevação da taxa de fecundidade.

4. (Enem, 2004) A distribuição da População Economicamente Ativa (PEA) no Brasil variou muito ao longo
do século XX. O gráfico representa a distribuição por setores de atividades (em %) da PEA brasileira em
diferentes décadas.

As transformações socioeconômicas ocorridas ao longo do século XX, no Brasil, mudaram a


distribuição dos postos de trabalho do setor
a) agropecuário para o industrial, em virtude da queda acentuada na produção agrícola.
b) industrial para o agropecuário, como consequência do aumento do subemprego nos centros
urbanos.
c) comercial e de serviços para o industrial, como consequência do desemprego estrutural.
d) agropecuário para o industrial e para o de comércio e serviços, por conta da urbanização e do
avanço tecnológico.
e) comercial e de serviços para o agropecuário, em virtude do crescimento da produção destinada à
exportação.

6
Geografia

5. A taxa de dependência total corresponde ao percentual do conjunto da população jovem (menores de


15 anos) e idosa (com 60 anos ou mais) em relação à população total. Ela expressa a proporção da
população sustentada pela população economicamente ativa.

Adaptado de veja.abril.com.br, 28/11/2012

A manutenção da tendência apresentada no gráfico pode favorecer o seguinte impacto sobre as


despesas governamentais nas próximas duas décadas:
a) redução do déficit da previdência social;
b) diminuição das verbas para a rede de saúde;
c) elevação dos investimentos na educação infantil;
d) ampliação dos recursos com seguro-desemprego;
e) diminuição dos investimentos em saneamento básico.

6. (Enem, 2013)

IBGE. Censo demográfico 2010: resultados gerais da amostra. Disponível em: ftp://ftp.ibge.gov.br. Acesso em: 12 mar. 2013.

O processo registrado no gráfico gerou a seguinte consequência demográfica:


a) Decréscimo da população absoluta;
b) Redução do crescimento vegetativo;
c) Diminuição da proporção de adultos;
d) Expansão de políticas de controle da natalidade;
e) Aumento da renovação da população economicamente ativa.

7
Geografia

7. (Enem, 2001) De acordo com reportagem sobre resultados recentes de estudos populacionais:
“... a população mundial deverá ser de 9,3 bilhões de pessoas em 2050. Ou seja, será 50% maior que os
6,1 bilhões de meados do ano 2000.(...) Essas são as principais conclusões do relatório Perspectivas
da População Mundial – Revisão 2000, preparado pela Organização das Nações Unidas (ONU). (...)
Apenas seis países respondem por quase metade desse aumento: Índia (21%), China (12%), Paquistão
(5%), Nigéria (4%), Bangladesh (4%) e Indonésia (3%).
Esses elevados índices de expansão contrastam com os dos países mais desenvolvidos. Em 2000, por
exemplo, a população da União Europeia teve um aumento de 343 mil pessoas, enquanto a Índia
alcançou esse mesmo crescimento na primeira semana de 2001. (...)
Os Estados Unidos serão uma exceção no grupo dos países desenvolvidos. O país se tornará o único
desenvolvido entre os 20 mais populosos do mundo.”
O Estado de S. Paulo, 03 de março de 2001.

Considerando as causas determinantes de crescimento populacional, pode-se afirmar que,


a) na Europa, altas taxas de crescimento vegetativo explicam o seu crescimento populacional em
2000.
b) nos países citados, baixas taxas de mortalidade infantil e aumento da expectativa de vida são as
responsáveis pela tendência de crescimento populacional.
c) nos Estados Unidos, a atração migratória representa um importante fator que poderá colocá-lo entre
os países mais populosos do mundo.
d) nos países citados, altos índices de desenvolvimento humano explicam suas altas taxas de
natalidade.
e) nos países asiáticos e africanos, as condições de vida favorecem a reprodução humana.

8. A proporção entre a população e a superfície territorial é um dos elementos que define a relação entre
sociedade e espaço. Observe os dados informados abaixo:

País População absoluta (2008) Superfície (km quadrados)


China 1.313.000.000 9.572.900
França 61.000.000 543.965
Holanda 16.300.000 41.528
Argentina 38.700.000 2.780.403

De acordo com a tabela, o país mais povoado é a:


a) China;
b) França;
c) Holanda;
d) Argentina;
e) Brasil.

8
Geografia

9. Observe os seguintes mapas do Brasil.

Os mapas representam, respectivamente, os temas:


a) Natalidade – Mortalidade infantil – IDH;
b) Mortalidade infantil – Alfabetização – Trabalho infantil;
c) Alfabetização – Trabalho infantil – IDH;
d) Natalidade – IDH – Trabalho infantil;
e) Alfabetização – Mortalidade infantil – Natalidade;

9
Geografia

10. Em 2011 o IBGE divulgou a Sinopse do Censo Demográfico 2010. Observe alguns dados:

De acordo com os dados é possível afirmar:


a) O Brasil passa a apresentar um processo de envelhecimento a partir das décadas de 1950 e 1960;
b) A diminuição da população brasileira é observada a partir das duas últimas décadas devido à queda
da fecundidade;
c) A queda da taxa de fecundidade na metade do século XX e o processo de urbanização, que se seguiu
a partir desse período, ajudam a compreender o crescimento vegetativo;
d) A queda da taxa de mortalidade que provocou a desaceleração do crescimento vegetativo nos anos
1950 está relacionada à evolução da medicina e à melhoria das condições sanitárias;
e) A população brasileira segue aumentando apesar da desaceleração do crescimento.

Sua específica é humanas e quer continuar treinando esse conteúdo?


Clique aqui para fazer uma lista extra de exercícios.

10
Geografia

Gabaritos

Exercícios de fixação

1. Sim. O maior contingente populacional está concentrado na Ásia, especialmente no sul, sudeste e leste
asiático, em países como China, Índia e Indonésia, enquanto outras porções continentais possuem
significativamente menos população.

2. C
Mônaco é um país povoado, pois apresenta elevada densidade demográfica.

3. B
A densidade demográfica de um país pode ser obtida a partir da divisão da população total pela área em
quilômetros quadrados. No caso, 328.000.000 dividido por 9.371.175, que é igual a, aproximadamente,
35 hab./km².

4. A
O Brasil é um país cujo saldo migratório pouco contribui para seu crescimento. Assim é o crescimento
vegetativo ou natural da população brasileira, que mais contribui para seu crescimento.

5. O crescimento vegetativo consiste na diferença entre a taxa de natalidade e a taxa de mortalidade de


uma determinada área, região ou país. Ele indica o crescimento natural de uma população, porém o
crescimento de uma determinada população pode ser afetada por migrações. Caso uma região receba
um número gigantesco de migrantes, ela pode crescer de forma artificial. Nesse sentido, o crescimento
demográfico é um dado muito utilizado para entender o comportamento da população, pois ele é
calculado a partir do fluxo de migrações e do crescimento vegetativo.

Exercícios de vestibulares

1. B
Os problemas apontados no texto impactam sensivelmente a qualidade de vida e contribuem para a
diminuição da expectativa de vida.

2. E
Ao se analisar os gráficos, percebe-se que, a partir da década de 1970, a população urbana passa a
crescer mais do que a população rural, que começa a decrescer (urbanização). Observa-se também que,
a partir da mesma década, há uma queda da taxa de fecundidade (número de filhos por mulher). Isso
permite concluir que, com a intensificação do processo de urbanização, o número de filhos por mulher
tende a ser menor.

3. B
No Brasil, verifica-se um progressivo número de idosos, decorrente da associação de dois processos:
queda da taxa de natalidade e aumento da expectativa de vida.

4. D
A questão ajuda a elucidar a importância de um percentual considerável da população, sendo a PEA
direcionada economicamente de acordo com os postos de serviço disponíveis. Com o crescimento das
atividades industriais nas cidades e o processo de modernização da agricultura em curso, a urbanização
se intensificou e impactou também os setores econômicos, ocorrendo, assim, o crescimento dos setores
secundário e terciário.

11
Geografia

5. A
O sistema previdenciário (aposentadorias, pensões e auxílios) é possível a partir da contribuição em
forma de imposto pago pela PEA (População Economicamente Ativa). Com a arrecadação desses
valores, é possível pagar as aposentadorias. O gráfico mostra que, entre 2001 e 2011, a taxa de
dependência diminuiu, o que significa que se observou um aumento da PEA, ou seja, das contribuições.
Com uma maior quantidade de população economicamente ativa contribuindo com impostos, fica
temporariamente mais fácil pagar o sistema previdenciário, portanto observa-se uma redução do déficit
da previdência social.

6. B
A taxa de fecundidade refere-se ao número de filhos por mulher. Quando essa taxa entra em declínio,
como mostrado no gráfico, consequentemente há uma redução do crescimento vegetativo (diferença
entre a taxa de natalidade e a taxa de mortalidade).

7. C
É abordado o conceito de crescimento demográfico, que considera dois aspectos: o crescimento
vegetativo e a taxa de migração. No caso citado, os Estados Unidos são uma exceção entre os países
desenvolvidos, porque o número de pessoas no país acaba aumentando devido ao número elevado de
imigrantes.

8. C
O termo “povoado” caracteriza a densidade demográfica de um país, cujo cálculo é feito por meio da
divisão da população absoluta pela área. Dessa forma, a densidade demográfica da China é de 137
hab./km2, da França é de 112 hab./km2, da Holanda é de 392 hab./km2 e da Argentina é de 13 hab./km 2.
Portanto a Holanda é o país mais povoado.

9. C
Os mapas revelam as disparidades regionais no Brasil: as regiões Sudeste e Sul apresentam indicadores
sociais superiores à média nacional; entretanto, na região Nordeste, concentram-se os piores indicadores
sociais, como revela o mapa referente ao IDH (Índice de Desenvolvimento Humano). O IDH varia de 0 a
1: quanto mais próximo de zero, pior é esse indicador. Nenhum dos mapas revela a mortalidade infantil.

10. E
O gráfico mostra um decrescimento no quantitativo populacional geral, o que não indica ausência de
crescimento, apenas uma mudança de ritmo.

12
Geografia

Transição demográfica e pirâmide etária

Objetivo
Aprender sobre a Transição Demográfica e ser capaz de distinguir as fases de transição, além de identificar
o comportamento das taxas de natalidade e mortalidade em cada uma dessas fases, entender o que são e
saber ler as pirâmides etárias, perceber quais indicadores sociais podem ser deduzidos a partir da leitura de
pirâmides etárias e compreender as tendências populacionais da transição demográfica e como isso se
reflete no formato das pirâmides.

Se liga
Essa aula é uma das mais importantes do tema “população”!

Curiosidade
Não deixe de assistir aos vídeos: População idosa brasileira do IPEA, Fecundidade no Brasil (IBGE Explica),
Pirâmide etária: uma viagem no tempo pelas características da população brasileira (IBGE Explica),
Expectativa de vida no Brasil (IBGE Explica) e também o vídeo da BBC Brasil.

Teoria

Transição demográfica
A teoria da transição demográfica busca explicar o comportamento da população (natalidade e mortalidade)
ao longo do tempo, identificando quando há uma mudança no perfil demográfico. Todos os países passariam
por essas quatro fases abaixo, em diferentes momentos.

Observe a imagem a seguir:

8
Geografia

(Fonte: https://www.redesagrado.com/)

Primeira fase – pré-transição


Apresenta elevadas taxas de natalidade e mortalidade que resultam em baixo crescimento vegetativo.
Nenhum país hoje se encontra nessa fase.

Segunda fase – transição da mortalidade


A taxa de natalidade se mantém elevada, porém observa-se uma queda na taxa de mortalidade, devido à
Revolução Industrial, à urbanização e à modernização da sociedade (conquistas médicas, sanitárias e
tecnológicas). Tal comportamento resultou em um crescimento vegetativo elevado acelerando o
crescimento populacional em determinados países. Período também denominado explosão demográfica ou
“Baby boom”. Alguns países africanos encontram-se nessa fase.

Terceira fase – transição da fecundidade


A taxa de natalidade começa a diminuir devido à queda na taxa de fecundidade, enquanto a mortalidade se
mantém baixa. Aos poucos foram sendo rompidos os padrões culturais e históricos que se caracterizavam
pela formação de famílias numerosas, bem como o elevado custo de vida nas cidades e a maior
independência da mulher resultaram na desaceleração do crescimento vegetativo. A maior parte dos países
emergentes e subdesenvolvidos encontram-se nessa fase.

8
Geografia

Quarta fase – estabilização demográfica


As taxas de natalidade e mortalidade reduziram ao ponto que uma praticamente anula o efeito da outra.
Observa-se um crescimento vegetativo próximo de zero ou às vezes negativo. Fase relacionada ao
envelhecimento da população. A maioria dos países desenvolvidos encontram-se nessa fase.

Quinta fase – redução populacional e uma dúvida


Existe uma discussão sobre essa quinta fase. Muitos estudiosos da demografia não concordam com a
existência dela, pois seria uma variação da quarta fase. Nessa, o crescimento vegetativo é negativo, causando
o encolhimento da população absoluta.

Perdas populacionais
Alemanha e Rússia são exemplos de países que apresentaram redução da população absoluta em períodos
recentes. Alguns países com esse comportamento incentivam a migração como forma de manter o
crescimento populacional. Atenção para não considerar os países em guerra como pertencentes a essa fase.
Mesmo que seja muito comum tentar associar uma data ou período a essas fases, é necessário um cuidado
maior. Como são associadas às dinâmicas demográficas dos países e eles transitam por essas fases em
períodos diferentes, não há, portanto, uma data certa para quando esses períodos ocorreram. Porém, pode-
se dizer que o fim da primeira fase ocorreu com a Revolução Industrial na Europa e, desde então, podem-se
observar essas diferentes fases nos países.

(Disponível em: https://4.bp.blogspot.com/)

8
Geografia

Projeção dos países mais populosos até 2100 - Instituto de Métricas e Avaliação em Saúde (2017)

(Fonte: Instituto de Métricas e Avaliação em Saúde.)

8
Geografia

Pirâmides demográficas
São gráficos que expressam o número de habitantes de uma cidade, estado ou país, a partir da sua
distribuição por gênero (homens e mulheres) e faixa etária (jovens, adultos e idosos). A pirâmide etária é
dividida horizontalmente em três partes: a base corresponde à população jovem; o corpo corresponde à
população adulta; e o ápice corresponde à população idosa.

Compreender a representação de uma determinada população permite observar a tendência de crescimento


populacional e, com isso, é possível realizar um planejamento populacional futuro. Por exemplo, se a parte
mais larga da pirâmide é a faixa de jovens, há necessidade de investimentos na educação fundamental; se a
parte mais larga é a faixa de adultos, há necessidade de criação de mais oportunidades de emprego; se a
faixa de idosos é a mais larga, há necessidade de atenção à questão previdenciária.

Destacam-se quatro tipos de pirâmides mais comuns:


• Pirâmide crescente: apresenta uma base larga, devido à elevada natalidade da população, e as outras
partes menos largas. Geralmente, é associada aos países subdesenvolvidos.

8
Geografia

• Pirâmide estacionária: Apresenta a base larga, porém, observa-se que o corpo e o ápice têm se alargado,
ou seja, é uma pirâmide de transição.

• Pirâmide decrescente: Apresenta o corpo mais largo que as outras partes da pirâmide. Geralmente, é
associada aos países desenvolvidos.

• Pirâmide rejuvenescente: Nessa pirâmide, observa-se a tendência de crescimento da população jovem,


devido ao aumento da fecundidade.

8
Geografia

População Economicamente Ativa (PEA)


PEA (População Economicamente Ativa) é um conceito utilizado para designar a quantidade da população
inserida no mercado de trabalho ou exercendo algum tipo de atividade remunerada. Não existe um método
universal para definir aqueles que fazem parte da PEA. Por exemplo, em países subdesenvolvidos geralmente
o índice inclui pessoas em uma faixa etária de 10 a 60 anos, enquanto nos países desenvolvidos considera-
se a faixa etária acima de 15 anos.
A parcela da população que está desempregada, ou seja, que não exerce nenhuma atividade remunerada, é
denominada População Economicamente Inativa. Nela, estão incluídas crianças menores de 10 anos e
estudantes, ou pessoas que não estão procurando emprego.

Ou seja, de modo resumido, devemos olhar uma pirâmide etária buscando algumas informações:
• Ao olharmos para a base da pirâmide, estamos olhando para as taxas de natalidade. Se a natalidade
está alta, pode indicar baixa urbanização e baixo desenvolvimento no país. Se há uma redução do
número de filhos por mulher em relação aos anos anteriores, as primeiras barrinhas da pirâmide ficam
menores, e pode indicar um aumento da urbanização e do desenvolvimento do país, uma entrada na
transição demográfica.
• Ao olharmos o topo, o ápice da pirâmide, estamos vendo a quantidade de população mais velha, de
população idosa. Logo, num país onde muitas pessoas conseguem chegar aos 100 anos, isso significa
que há uma alta expectativa de vida, uma boa qualidade e um bom desenvolvimento.
• O corpo da pirâmide significa a PEA. Um corpo largo representa uma grande quantidade de população
adulta, podendo representar um bônus demográfico: quando a proporção de adultos em idade de
trabalho é grande.

Pirâmides de base larga e topo fino, portanto, indicam uma alta natalidade e baixa expectativa de vida, típica
de países com baixo desenvolvimento econômico.
Pirâmides de base se reduzindo e topo largo indicam que a natalidade vem caindo, e a expectativa de vida
melhorando. Quanto mais largo o topo e menor a base, mais desenvolvido é o país.

Lembre-se também que há sempre um crescente de evolução população, de acordo com o que vimos na
teoria da transição demográfica. Se você observar a pirâmide etária de uma cidade, referente ao ano de 2001
por exemplo, e comparar a pirâmide da mesma população, so que no ano de 2006, a primeira barrinha, que
representava a população de 0 a 5 anos, por exemplo, estará em outra faixa de idade, 5 anos depois. Logo, se
antigamente nossas avós e avôs tinham mais irmãos, era mais comum que uma única família tivesse 7, 8, 10
filhos, isso significa que a natalidade era bem maior, ao mesmo tempo que a expectativa de vida era menor,
isso se refletia na pirâmide. Essa geração de crianças que tinham 7, 8 irmãos, depois de 30 anos se tornam o
corpo da pirâmide, a população de adultos.
A nossa geração, por outro lado, tem muitos filhos únicos. Com o aumento da urbanização, o número de filhos
por mulher se reduz. Portanto a pirâmide atual mostra as duas tendências: uma base se reduzindo, e um corpo
mais largo, fruto da geração de adultos que são filhos de uma época de grande natalidade há 30, 40 anos
atrás. Essa alta natalidade antigamente, fruto de uma menor urbanização, hoje representa uma grande
população de adultos. Nossa geração atual já demonstra uma redução do número de filhos por mulher, grande
população urbana, etc.

8
Geografia

Então essa geração de menor quantidade de crianças, em médio prazo se tornará a população de adultos,
reduzida. Ao mesmo tempo, a população idosa será grande, fruto daquela antiga época onde a natalidade era
alta. Quando a geração idosa é maior do que a PEA, pode-se haver um desbalanço econômico.

Observe como as pirâmides etárias ficam, portanto no processo de transição demográfica;

8
Geografia

Exercícios de fixação

1. A respeito da transição demográfica, responda


a) Existem países na primeira fase da transição demográfica? Justifique.
b) Todos os países passam pela transição demográfica? Justifique.

2. "O Brasil vive uma crise sem igual. O mercado de trabalho brasileiro já estava ruim na primeira metade
da atual década, piorou com a crise de 2014 e 2016 e entrou em colapso com a pandemia da covid-19.
Enquanto cresce a população total e a população em idade de trabalhar a população ocupada tem
diminuído. O desperdício da força de trabalho é preocupante para o futuro do país."
(Fonte: https://outraspalavras.net/outrasmidias/o-desperdicio-ultrajante-da-forca-de-trabalho-no-brasil)
Descreva o que é a PEA e explique o prejuízo de não aproveitá-la em abundância num período de bônus
demográfico.

3. Com a __________ praticamente estabilizada e quedas de __________ observa-se uma redução da taxa
de crescimento. Esta é a fase de __________ da transição demográfica.
a) Natalidade – fertilidade – conclusão
b) Mortalidade – fertilidade – conclusão
c) Natalidade – mortalidade – início

4. "O bônus demográfico é caracterizado pelo período em que, por causa da redução do número de filhos
por mulher, a estrutura populacional fica favorável ao crescimento econômico. Isso acontece porque
há proporcionalmente menos crianças na população, e o percentual de idosos ainda não é alto."
(GOIS, A. O Globo, 5 abr. 2015 (adaptado).)
Qual característica da pirâmide pode indicar que a localidade passa por um bônus demográfico?
a) Corpo largo e base se reduzindo
b) Ápice e base largas
c) Base, corpo e ápice curtos
d) Base, corpo e ápice largos

5. Quais características de uma pirâmide etária podem representar a necessidade de reformas e ajustes
nas políticas previdênciárias?

8
Geografia

Exercícios de vestibulares

1. O envelhecimento da população está mudando radicalmente as características da população da


Europa, onde o número de pessoas com mais de 60 anos deverá chegar nas próximas décadas a 30%
da população total. Graças aos avanços da medicina e da ciência, a população está cada vez mais
velha. Isso ocorre em função do:
a) Declínio da taxa de natalidade e aumento da longevidade.
b) Aumento da natalidade e diminuição da longevidade.
c) Crescimento vegetativo e aumento da taxa de natalidade.
d) Aumento da longevidade e do crescimento vegetativo.
e) Declínio da taxa de mortalidade e diminuição da longevidade.

2. Considere o gráfico abaixo:


Taxas brutas de natalidade e mortalidade (por mil habitantes) no Brasil – 1881 – 2007

(IBGE, Séries Históricas e Estatísticas. População e Demografia, 1881-2007.)


A partir do gráfico e de seus conhecimentos sobre população, é possível afirmar que:
a) A queda das taxas de natalidade e mortalidade indica a diminuição da participação dos idosos e a
redução da participação de crianças e jovens na população brasileira.
b) A década de 2000 é caracterizada pela contínua queda da taxa de natalidade e aumento da taxa
de mortalidade, que resultam na redução do crescimento populacional.
c) A primeira fase do ciclo demográfico, caracterizada por baixo crescimento populacional derivado
de alta taxa de natalidade e baixa taxa de mortalidade, foi ultrapassado pelo Brasil ainda no século
XX.
d) O Brasil vive uma fase de “transição demográfica” em seu ciclo evolutivo da população, com queda
na taxa de natalidade e mortalidade e, consequente redução do ritmo de crescimento populacional.
e) O intervalo entre as décadas de 1940 e 1980 destacou-se pelo baixo crescimento populacional
brasileiro, resultado da combinação entre a queda acentuada da mortalidade e a aumento da
natalidade.

8
Geografia

3. De acordo com o IPEA (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), a população de idosos no Brasil
chegará a 20 milhões até 2030, o dobro da população atual. Além disso, o Brasil será o quarto país com
maior crescimento no número de idosos até 2030, perdendo apenas para a China, Índia e Estados
Unidos.
(População idosa brasileira deve aumentar. Adaptado de: ipea.gov.br.)
Os motivos para o crescimento da população idosa podem ser atribuídos:
a) ao aumento da População Economicamente Ativa (PEA).
b) ao aumento da taxa de natalidade e à redução da taxa de mortalidade.
c) à queda da taxa de natalidade e ao aumento da expectativa de vida.
d) à melhora da qualidade de vida no país e ao alargamento da base da pirâmide etária brasileira.
e) ao aumento da taxa de fecundidade e à redução da mortalidade infantil.

4. (Enem 2018 PPL)

(Fonte IBGE: Disponível em: http://revistaepoca.globo.com. Acesso em: 30 jun. 2015.)


A evolução da pirâmide etária apresentada indica a seguinte tendência:
a) Crescimento da faixa juvenil.
b) Aumento da expectativa de vida.
c) Elevação da taxa de fecundidade.
d) Predomínio da população masculina.
e) Expansão do índice de mortalidade.

8
Geografia

5. (Enem 2007) Os gráficos abaixo, extraídos do sítio eletrônico do IBGE, apresentam a distribuição da
população brasileira por sexo e faixa etária no ano de 1990 e projeções dessa população para 2010 e
2030.

A partir da comparação da pirâmide etária relativa a 1990 com as projeções para 2030 e considerando-
se os processos de formação socioeconômica da população brasileira, é correto afirmar que
a) a expectativa de vida do brasileiro tende a aumentar na medida em que melhoram as condições
de vida da população.
b) a população do país tende a diminuir na medida em que a taxa de mortalidade diminui.
c) a taxa de mortalidade infantil tende a aumentar na medida em que aumenta o índice de
desenvolvimento humano.
d) a necessidade de investimentos no setor de saúde tende a diminuir na medida em que aumenta a
população idosa.
e) o nível de instrução da população tende a diminuir na medida em que diminui a população.

8
Geografia

6. As pirâmides etárias brasileiras

(O Globo, 25/04/2010)
Nas duas últimas décadas, o governo federal vem propondo ações no sentido de oferecer uma resposta
às transformações na composição etária da população brasileira. Essas ações têm seguido uma
tendência que se manifesta mais diretamente na seguinte iniciativa:
a) revisão das bases da legislação sindical
b) alteração das regras da previdência social
c) expansão das verbas para o ensino fundamental
d) ampliação dos programas de prevenção sanitária
e) redução dos investimentos no ensino superior

7. O declínio da fertilidade no mundo é surpreendente. Em 1970, o índice de fertilidade total era de 4,45 e
a família típica no mundo tinha quatro ou cinco filhos. Hoje é de 2,435 em todo o mundo, e menor em
alguns lugares surpreendentes. O índice de Bangladesh é de 2,16, uma queda de 50% em 20 anos. A
fertilidade no Irã caiu de 7, em 1984, para 1,9, em 2006. Grande parte da Europa e do Extremo Oriente
tem índices de fertilidade abaixo dos níveis de reposição.
(Carta Capital, 02.11.2011.)
A queda da fertilidade em um país é responsável por novos arranjos demográficos, dentre eles
a) o forte aumento das taxas de urbanização.
b) a emergência de padrões de vida mais elevados.
c) a mudança na composição etária da população.
d) o aumento da expectativa de vida.
e) a estabilização da densidade demográfica.

8
Geografia

8. Observe as duas pirâmides etárias a seguir:

(Organização das Nações Unidas e Wikimedia Common.)


A diferença entre as duas informações é que:
a) a primeira é característica de países da Europa central, enquanto a segunda é predominante em
países da América Anglo-saxônica.
b) a primeira é mais comum em países em desenvolvimento, como o Brasil, enquanto a segunda é
exclusiva de países com elevada densidade demográfica, como a China.
c) a primeira faz referência a países pouco urbanizados e subdesenvolvidos, e a segunda é
proveniente de países industrializados centrais.
d) a primeira destaca o envelhecimento rápido da população, e a segunda, uma maior estabilidade
demográfica.
e) a primeira está relacionada com as elevadas taxas de mortalidade infantil, enquanto a segunda
está associada a uma baixa expectativa de vida.

9. (Enem 2018) Os países industriais adotaram uma concepção diferente das relações familiares e do
lugar da fecundidade na vida familiar e social. A preocupação de garantir uma transmissão integral das
vantagens econômicas e sociais adquiridas tem como resultado uma ação voluntária de limitação do
número de nascimentos.
(GEORGE, Panorama do mundo atual. São Paulo: Difusão Européia do Livro, 1968 (adaptado).)
Em meados do século XX, o fenômeno social descrito contribuiu para o processo europeu de
a) estabilização da pirâmide etária.
b) conclusão da transição demográfica.
c) contenção da entrada de imigrantes.
d) elevação do crescimento vegetativo.
e) formação de espaços superpovoados.

8
Geografia

10. A pirâmide demográfica retrata não apenas a distribuição etária da população em dado momento,
como também os eventos marcantes da história de uma determinada sociedade.

(Adaptado de commons.wikimedia.org.)
As anomalias em destaque na estrutura etária russa estão relacionadas com os dois eventos históricos
apontados, tendo em vista que estes contribuíram decisivamente para a redução dos valores do
seguinte indicador demográfico:
a) saldo da migração
b) taxa de natalidade
c) expectativa de vida
d) razão de dependência
e) razão de sexo

Sua específica é humanas e quer continuar treinando esse conteúdo?


Clique aqui para fazer uma lista extra de exercícios.

8
Geografia

Gabaritos

Exercícios de fixação

1.
a) Não. Todos os países já estão na segunda fase da transição demográfica ou em fases posteriores.
Isso ocorre devido aos avanços econômicos e sociais, além da ajuda humanitária em países com
dificuldades.
b) Sim. A teoria da Transição Demográfica tem se mostrado como uma excelente análise do
comportamento das populações em diversos países, regiões e continentes. Porém, os países
transitam por essas fases em períodos diferentes e, portanto, não há uma data certa para essas
fases. É preciso analisar país por país.

2. PEA (População Economicamente Ativa) é um conceito utilizado para designar a quantidade da


população inserida no mercado de trabalho ou exercendo algum tipo de atividade remunerada. Não
existe um método universal para definir aqueles que fazem parte da PEA. Por exemplo, em países
subdesenvolvidos geralmente o índice inclui pessoas em uma faixa etária de 10 a 60 anos, enquanto nos
países desenvolvidos considera-se a faixa etária acima de 15 anos. A População Economicamente
Inativa por sua vez inclui crianças menores de 10 anos e estudantes, ou pessoas que não estão
procurando emprego, assim como os idosos. Num período de bônus demográfico, onde a PEA é
abundante, aproveitar a mão de obra disponível para gerar empregos pode ser de grande
desenvolvimento econômico para o país. Por outro lado, pode agravar uma crise de desemprego gerando
déficit econômico e aumentando a desiguladade, quando não bem aproveitada.

3. B
O erro da alternativa A é apontar que a taxa de natalidade está estabilizada com queda de fertilidade.
Quando se observa a redução da taxa de fecundidade isso significa uma redução da taxa de natalidade.
A alternativa B está correta e caracteriza a quarta fase de transição demográfica. A alternativa C está
incorreta, pois com a natalidade estabilizada e queda da mortalidade observa-se um crescimento
populacional.

4. A
O bônus ou janela demográfica é o momento em que se observa o maior percentual de PEA (população
economicamente ativa) e proporcionalmente a menor de PEI (população economicamente ativa). O
corpo da pirâmide, portanto representa a população adulta, a PEA, fica largo, e a base mostra certa
redução. Isso significa um ótimo momento para gerar riqueza no país pois existe um menor gasto com
dependentes e para isso é necessário investir na qualificação de mão de obra a partir de universidades
e institutos técnicos.

8
Geografia

5. A
O alargamento do topo da pirâmide em função do aumento da expectativa de vida, associado a redução
da natalidade que, a médio prazo, gera uma redução da PEA - População Economicamente Ativa, pode
representar um problema. Isso porque a população adulta, que é ativa economicamente deve sempre ser
maior do que a população de crianças e idosos, que não trabalham e dependem da renda gerada pela
população de adultos. Uma sociedade com muitos idosos e poucos adultos para trabalhar pode ter
problemas, o que justificou em parte diversas reformas nas políticas de previdência e aposentadoria ao
redor do mundo.

Exercícios de vestibulares

1. A
O crescente número de idosos é decorrente da queda de nascimentos e do aumento da longevidade dos
indivíduos.

2. D
A cada ano, o Brasil passa por uma redução do número de nascimentos, isso porque o número de filhos
por mulher vem decaindo devido a diversos fatores, tais como o planejamento familiar e o adiamento da
maternidade. Soma-se a isso a queda da mortalidade devido às pesquisas científicas associadas ao
setor farmacêutico e à medicina. Esse quadro traduz-se em uma redução do ritmo de crescimento
populacional.

3. C
O Brasil está passando pela janela demográfica, marcada por uma queda na natalidade, uma alta
proporção da População Economicamente Ativa (PEA) e um envelhecimento da população, resultante da
melhora da qualidade de vida.

4. B.
Olhando para a base da pirâmide podemos inferir os dados da natalidade daquele ano, uma vez que a
base representa a população com menor idade. A expectativa de vida por sua vez por ser conferida
olhando o ápice da pirâmide, onde uma população com muitos idosos acima dos 80 anos por exemplo
representa uma boa expectativa de vida.

5. D.
Nas figuras de pirâmides etárias, você deve ter reparado que elas são compostas por barras empilhadas
na horizontal. A base sempre representa a população de bebes e crianças numa população. Quanto mais
longas horizontalmente essas barras são, maior a quantidade de população naquela faixa etária. A faixa
etária sempre vai de baixo pra cima, de modo que o topo ou ápice da pirâmide permite visualizar o
tamanho da população idosa.

8
Geografia

6. PEA (População Economicamente Ativa) é um conceito utilizado para designar a quantidade da


população inserida no mercado de trabalho ou exercendo algum tipo de atividade remunerada. Não
existe um método universal para definir aqueles que fazem parte da PEA. Por exemplo, em países
subdesenvolvidos geralmente o índice inclui pessoas em uma faixa etária de 10 a 60 anos, enquanto nos
países desenvolvidos considera-se a faixa etária acima de 15 anos. A População Economicamente
Inativa por sua vez inclui crianças menores de 10 anos e estudantes, ou pessoas que não estão
procurando emprego, assim como os idosos. Num período de bônus demográfico, onde a PEA é
abundante, aproveitar a mão de obra disponível para gerar empregos pode ser de grande
desenvolvimento econômico para o país. Por outro lado, pode agravar uma crise de desemprego gerando
déficit econômico e aumentando a desiguladade, quando não bem aproveitada.

7. C
A queda da fertilidade é consequência do custo dos filhos e da inserção da mulher no mercado
competitivo. Esse momento do desenvolvimento marca um processo de envelhecimento da população.

8. C
A primeira pirâmide apresenta um formato jovem, com elevada natalidade e baixa expectativa de vida,
típica de países pouco urbanizados e subdesenvolvidos. A segunda pirâmide, com um corpo mais
alargado e um topo estreito, faz referência a países desenvolvidos, isto é, os países centrais.

9. B
A transição demográfica é uma teoria e explica que todos os países irão passar por diferentes etapas do
crescimento populacional. A última fase é caracterizada por uma baixa natalidade e mortalidade,
representando um pequeno crescimento vegetativo. A diminuição da natalidade na Europa, pelo alto
custo de vida e a vontade de transmitir o padrão econômico para gerações futuras, iniciou o
encaminhamento do continente para a última fase (IV) desse processo.

10. B
Eventos históricos e geopolíticos com impactos sociais e econômicos, como a Segunda Guerra Mundial
(1939-1945) e o fim da União Soviética (1991), tiveram repercussão nos indicadores demográficos,
principalmente na taxa de natalidade. O primeiro explica-se por perda demográfica relativa à Segunda
Guerra Mundial, e o segundo, por recessão econômica decorrente da transição para o capitalismo. Tais
circunstâncias fazem as famílias terem menos filhos.

8
Guia do Estudo Perfeito

Como estudar Matemática

Teoria

Existe um manual sobre como estudar Matemática?


É claro que não! Existem diversas opiniões sobre metodologias e estratégias de estudo, uma vez que elas
partem de concepções distintas e que dependem para cada estudante. Há pessoas que, por exemplo, adoram
estudar Matemática com uma música de fundo (talvez para distrair ou para tornar o estudo mais divertido).
Outras, que precisam do silêncio total. Porém, sem desânimo! Existem sim estratégias mais específicas que
você pode incorporar na sua rotina e experimentá-las, mas outras que são quase senso comum entre os
professores dessa disciplina. Vamos lá?

1. Por onde começar?


Os esforços de um estudante frequentemente precisam se voltar para duas frentes: os estudos guiados e os
estudos autônomos. Chamaremos aqui de estudos guiados aqueles que você está sendo acompanhado de
perto pelos professores: eles selecionam os conteúdos das aulas, os exercícios adequados, simulados,
ministram as aulas – e você vai seguindo a onda! Afinal, eles são qualificados para isso. Mas, apesar desse
acompanhamento, você possui dificuldades e necessidades específicas que só você sabe quais são! Assistiu
a uma aula e ficou perdido em como fazia uma operação? É de sua responsabilidade correr atrás do conteúdo
relacionado para sanar suas dúvidas! Isso faz parte de seu estudo autônomo.
Inclusive, você sabia que o Desco possui uma aba de aulas de Matemática Básica? Suas dúvidas estruturais
podem ser sanadas com essa coletânea de aulas! Para acessá-las, vá ao menu lateral e clique em
“Disciplinas”. Uma delas será intitulada “Exatas Básica”. Se joga nessas aulas!

Tenha autonomia para reconhecer suas dificuldades. Fuja de um estudo passivo que você só assiste às aulas
e faz alguns exercícios. É necessário ter maturidade para identificar as dúvidas estruturais que você possui e
estudá-las antes de continuar. Valorize a Matemática Básica! Sem ela firme, sua rotina de estudos de
matemática perderá fôlego.

1
Guia do Estudo Perfeito

A matéria acumulou por muito tempo? Tem medo de não ter


mais tempo para se preparar?

Em primeiro lugar, respira! O Desco possui diversas turmas ao


longo do ano, iniciando em meses distintos. Pode ser
interessante que, nesse caso, você migre para uma turma que
começou mais tarde para acelerar seus estudos.
Ainda, será necessário que você saiba priorizar. Existem
conteúdos que caem com mais frequência que outros. Por
isso, registramos abaixo uma lista de assuntos quentes para o
Enem. Eles são os requisitos mínimos para você fazer a prova
de Matemática.

Top assuntos quentes para cair no Enem:

• Realização de operações básicas e uso da Matemática Básica


• Grandezas proporcionais e escala
• Funções afim, quadrática, logaritmo e trigonométricas
• Porcentagem
• Conceitos iniciais de estatística: medidas de centralidade (moda, média e mediana) e interpretação de
gráficos e tabelas
• Análise Combinatória
• Probabilidade
• Progressão Aritmética
• Geometria Plana: estudos de polígonos (em especial triângulos e quadriláteros), círculos e
circunferências.
• Geometria Espacial: projeção de corpos 3D em superfícies 2D, cálculos de volumes e classificação dos
principais sólidos geométricos: prismas, pirâmides, cones, cilindros e esferas.

2. Estratégias recomendadas por 10 em cada 10 professores de Matemática

Como dissemos, algumas estratégias são praticamente de aprovação unânime entre os professores! Vamos
a elas?

a) Pratique muito! Mas não só pratique! Corrija! Anote as fórmulas usadas!


Já é um mantra que você escuta frequentemente: “para estudar Matemática, é preciso praticar”. E isso é
verdade! Mas você precisa aprimorar essa máxima. Ao errar uma questão, não deixe esse erro se resumir
a um “X” que você marcou no caderno de caneta vermelha ao lado da reposta errada. Você precisa
entender o porquê errou aquela questão. Foi erro de conta? Não sabia nada do conteúdo? Interpretou o
enunciado errado? Usou um conceito ou fórmula que não eram adequados? Por isso, assista as aulas de
exercícios (elas são ministradas aqui no Desco pela manhã, mas elas ficam gravadas, você pode acessar
o link da aula que já passou a qualquer hora do dia) e de monitoria (elas são ministras aqui no Desco pela

2
Guia do Estudo Perfeito

manhã ou tarde, mas não ficam gravadas). Ali, você pode tirar suas dúvidas e acompanhar quais
estratégias os professores utilizam!

Além disso, fuja da ideia de que você chegou “perto da resposta” e


que está tudo certo! Isso é comum especialmente em questões
múltipla-escolha e sobre o assunto de Análise Combinatória. O
“quase”, ou o “próximo da alternativa”, não estão certos! Busque
entender o que você errou! Isso também vale, evidentemente, para
as questões que você acertou no chute em um simulado! Cuidado
para seus erros não virarem uma bola de neve! Por isso, questione:
como? Posso utilizar isso? Por quê?

b) Errei tudo da lista. E agora?


Isso é sinal de que a teoria precisa ser revista! Reassistir a aula ministrada sobre o conteúdo faz parte
do processo de aprendizagem e deve ser sua prioridade nesses casos. Não valorize quantidade de
aulas assistidas, valorize qualidade. Só então você pode seguir para os exercícios! É natural que você
se frustre com esse cenário de errar muito, mas é necessário se movimentar para alterá-lo!

c) Praticando seu tempo de resolução.


Para praticar seu tempo de resolução de questões (o famoso três minutos por questão), não se baseie
em uma lista sobre um único assunto. Existem assuntos cujas questões demoram muito mais do
que de outros. Entenda que os três minutos por questão é uma média, mas que é melhor você pensar
em grupo um pouco maiores. Por isso é importante a prática de tempo por meio de simulados. Nos
exercícios base, específicos de cada conteúdo, o importante é você entender a aplicação da teoria, e
não a correria em resolver a questão.

d) Trabalhe a memorização das fórmulas por meio dos exercícios.


Mesmo que alguns professores defendam que você não precisa decorar a fórmula X ou Y, algumas
fórmulas você certamente precisará decorar. Não deixe de memorizar todas de última hora! Ao longo
da resolução dos exercícios, sempre escrava a fórmula que você está usando (isto é, já não saia
jogando os números nela, primeiro escreva ela na sua forma geral, antes da substituição numérica).

e) Compartilhe!
Estude em grupo! Compartilhe suas dúvidas! Ajude os colegas! Marque aquela chamada no meet (já
que vivemos em uma situação de pandemia) e mãos à obra! Estudar em grupo pode ser mais
prazeroso e ajuda todos envolvidos, tanto quem está com mais dúvidas quanto quem está sabendo
mais. Questione também como os colegas estudam!

f) Trabalhe com exemplos.


Às vezes o professor colocou uma propriedade no quadro cheia de letras, certo? Pois coloque em seu
caderno um exemplo numérico da aplicação daquela propriedade. E mais, se o professor colocou um
exemplo numérico no quadro, escreva um outro da sua cabeça, isso te dará autonomia e uma
sensação de satisfação por estar fazendo parte do processo de aprendizagem.

3
Guia do Estudo Perfeito

g) Registre termos do vocabulário matemático que você não entendeu e os registre.


A Matemática, tal como outras ciências, possui um vocabulário específico da área. Se você não
compreendeu um termo, dê um Google (lembrando, assumir autonomia no seu processo de
aprendizagem é importante) ou questione o professor! E claro, registre no seu caderno o que aquilo
significa!

h) Refaça os exercícios.
Cruzou com algum exercício que você já fez em uma lista, simulado, na escola, etc? Refaça-o! Às
vezes descobrimos novas formas, e talvez mais rápidas, de realizar aquela questão, além de fixar
ainda mais o conteúdo.

i) Tenha uma agenda de exercícios.


Regularidade é uma palavra importante quando se trata de estudo. Separe horários na sua agenda
(com certa flexibilidade) para que você tenha seu momento de prática e resolução de exercícios.
Realize pausas (mas cuidado para as pausas não serem enormes!) ao longo do processo para não
se cansar. Uma boa ideia é fazê-las de forma organizada (a cada dez questões ou 30 minutos de
estudo descansar 𝑋 minutos).

3. Uso de softwares no processo de aprendizagem.


Para ter ainda mais autonomia e enriquecer sua aprendizagem de matemática, você pode se
aventurar em alguns softwares para concretizar alguns conceitos que são abstratos. Uma
recomendação que fazemos para o estudo de funções e geometria é o Geogebra Online, cuja acesso
pode ser feito clicando aqui. Existem diversos materiais prontos para explorar e a possibilidade de
você construir os seus!

4. Entenda o processo.
Lembre-se que cada um possui seu tempo e ritmo para aprender qualquer coisa. Com a Matemática,
isso não é diferente. É importante avaliar sua evolução para que você repense, ou reforce, suas
estratégias! Além disso, valorize seu processo de aprendizagem de Matemática. Como a variabilidade
de acertos nessa parte do Enem é maior, as notas podem atingir patamares muito elevados se você
se destacar (você sabia que já tivemos notas maiores que mil em Matemática no Enem? É
extremamente raro, mas já ocorreu!), consequência dos cálculos envolvidos na Teoria de Resposta
ao Item (TRI), utilizada nos cálculos das notas finais. Portanto, caia dentro nos estudos dessa
disciplina! Cada esforço conta e, no processo, você pode criar uma afinidade ainda maior com a
Matemática.

4
Guia do Estudo Perfeito

Além disso, um progresso de 5 questões pode fazer uma boa diferença na sua nota, então fique ligado
em metas gradativas. Se você possui dificuldade nessa disciplina, não mire direto nos 45 acertos do Enem,
por exemplo. Se esforce sempre mirando nesse número, mas entenda que a evolução para chegar em
acertos elevados requer uma melhoria no número de acertos gradual.

5
Guia do Estudo Perfeito

Exercícios

Para aplicar o que foi recomendado nessa aula, adote as seguintes práticas nessa semana:

1. Reserve um tempo de estudo para Matemática: duas, três, quatro vezes na semana (conforme queira e
necessidade).

2. Ao fazer os exercícios, registre as fórmulas utilizadas em cada questão quando for utilizá-las.

3. Corrija os exercícios.

4. Caso não tenha compreendido o que errou, procure as monitorias, aulas de exercícios, colegas,
professores ou outras fontes confiáveis para entender o que errou.

5. Consulte as aulas de Exatas Básica disponível aqui no Descomplica caso sinta necessidade.

6. Ao assistir as aulas de Matemática, tente construir pelo menos um exemplo autoral de alguma
propriedade que o professor utilizou (pode ser a partir de um que tenha sido utilizado na aula, trocando
os números, por exemplo). Ou ainda, crie uma questão (elaborando o enunciado e a resolvendo) sobre
o assunto! Se estiver empolgado, pode até pesquisar para contextualizá-la!

6
História

História da Escravidão: Conceitos e Perspectivas

Objetivo
Você aprenderá sobre a diferença entre os conceitos de escravidão na antiguidade e na modernidade. Além
disso, você verá como foi o processo de formação da escravidão negra durante a modernidade e como ela se
tornou a base de todo o periodo colonial e imperial brasileiro, compreendendo como esse fator moldou a
formação da sociedade.

Se liga
Para essa matéria é importante que você saiba o conteúdo de Expansão Maritima e ocupação do território
americano.

Curiosidade
A alguns anos se vem discutindo sobre a presença de estátuas que exaltem figuras que tiveram um prcesso
controverso na história. Aqui no Brasil, existe uma discussão bem forte acerca dos monumentos dos
bandeirantes, por exemplo. Nesse link você pode dar uma olhada em uma reportagem que apresenta alguns
pontos de vista sobre essa questão. Você já reparou de quem são os monumentos e de quem são os nomes
que estão espalhados pelo local aonde você mora?

Teoria

A Escravidão Antiga
A prática escravista acompanha os seres humanos desde a antiguidade,
sendo vários os motivos usados para justificar o uso dessa forma de
produção. Atualmente, temos registros históricos desse mecanismo que
indicam a escravidão como espólio de guerra ou por dívida, como na cultura
greco-romana, como punição por crimes em diversos países ocidentais, ou
até mesmo pela justificativa do escravizado pertencer a uma “cultura
inferior”.
Nem sempre as civilizações que utilizavam a escravidão dependiam
unicamente dela, no Antigo Egito, por exemplo, os faraós utilizavam a mão
de obra escravizada nas guerras, como reforço do exército, e para serviços
domésticos. As obras públicas, como as esfinges, eram feitas pelos
agricultores em dias específicos de trabalhos para o faraó. Nas cidades-
estados gregas a escravidão era usada em diversos setores, mas, como no Egito, não era a principal fonte de
mão de obra. Já no Império Romano, que era uma sociedade escravista, existia uma economia baseada neste
tipo de produção, com uma enorme rede de comércio de seres humanos escravizados no império.

8
História

Portanto, a escravidão durante muitos anos não teve um alvo étnico ou local específico, no entanto no período
da colonização das Américas, a escravidão passou a ter um fundo étnico-racial. Dentre as justificativas,
destaca-se a religiosa, que interpretava a maldição bíblica de Noé, jogada aos descendentes de Cam
(condenando-os a terem a pele escura) como uma prova da inferioridade dos povos africanos. Além da
questão religiosa, os portugueses aproveitaram também a atividade escravista já existente no continente, no
entanto, vale destacar que essa prática africana estava ligada à escravidão por guerras (a preferência era por
mulheres já que estas poderiam gerar filhos, que muitas vezes eram livres, e eram mãos a mais na agricultura).

O modelo africano não necessariamente conferia aos escravizados uma posição subalterna ou de maus
tratos, alguns povos os admitiam até mesmo como funcionários públicos, tendo casos de mulheres
escravizadas que geraram herdeiros que comandaram diversas civilizações. Assim, a escravidão realizada na
África se diferenciava muito do modelo construído pelo europeu, com base mercantilista, religiosa e que
traficava seres humanos em massa pelo mundo como objetos.
O tráfico de escravizados na África foi amplamente explorado pelos Árabes, principalmente depois do século
VII, depois da conquista do Magreb e do Leste Africano, no entanto não somente os africanos eram
comercializados, mas pessoas de outras regiões, como a Espanha (sob domínio árabe), Rússia, Oriente Médio
e Índia. Os árabes vendiam estas pessoas na Península Arábica e na China.

A Escravidão Moderna
Com o processo de Expansão Maritima e a conquista de Ceuta pelos
portugueses no século XV, os europeus entraram na grande rede de comércio
de escravizados que durou até o século XIX. Tal prática se baseou na
migração forçada de milhares de pessoas para alimentar a necessidade de
mão de obra nas recém-dominadas colônias americanas. A justificativa dos
portugueses era que os habitantes de Ceuta eram infiéis, inimigos da fé
católica e prisioneiros de guerra.
Desde essa conquista começamos a perceber a expansão de uma rede de
comércio humano em todo o oceano atlântico, praticamente todas as nações
europeias utilizaram o modo de produção escravista. Foi através do tráfico
transatlântico de seres humanos que milhares de africanos foram tirados de
seu continente de origem rumo às Américas no processo conhecido como
Diáspora Africana.
Os portugueses adotaram amplamente esse trabalho forçado, já os espanhóis
utilizavam como mão de obra complementar nas colônias da América do Sul. No entanto, devido ao
extermínio dos povos nativos do Caribe insular, a mão de obra escravizada foi amplamente utilizada em Cuba,
Jamaica e Santo Domingo. Os ingleses, por sua vez, utilizavam escravizados somente no sul das 13 colônias.
Ainda assim, praticamente todos os seres humanos eram comercializados por navios portugueses, já que
estes detinham colônias em toda a costa do Atlântico africano.

8
História

Esse comércio se aproveitava muito das guerras internas entre os povos africanos, uma vez que os escravos
vendidos por determinados grupos, normalmente, pertenciam a outras etnias e eram inimigos de guerra. Um
fator importante de se pontuar é que o comércio de escravizados não foi a única relação comercial entre
europeus e africanos, muitos reinos que viviam ali possuíam produtos com tecnologia mais avançada que os
homens do Velho Mundo conheciam até então. Apesar da escravidão ser uma coisa anterior a chegada dos
europeus ao continente, não existia um aspecto inerentemente comercial nessa relação, como falamos lá em
cima, quem inaugura esse processo de tornar a escravidão uma atividade mercantil são os europeus.

Pega a visão: Lembrem-se que nesse primeiro momento os europeus não adentraram o continente africano
completamente, as relações comerciais se mantiveram, normalmente, restritas ao litoral. E umas principais
justificativas para isso, é o fato de que os europeus eram mais sensivéis as doenças do continente africano,
o que dificultava uma ocupação em larga escala.

A Escravidão Indígena e a Resistência


Mesmo com o comércio de escravizados sendo forte na parte insular do império português, como Cabo Verde,
os primeiros povos a serem escravizados no Brasil foram os povos nativos. Estes eram capturados
principalmente na região que hoje conhecemos como São Paulo, pelos bandeirantes, que se embrenhavam
pelo interior brasileiro em busca de nativos para o trabalho na plantação de cana-de-açúcar.
No entanto, a cultura de subsistência nativa e a divisão sexual do trabalho indígena (homens com funções
militares e de caça e as mulheres na agricultura) atrapalharam a empreitada dos portugueses. Além disso, os
constantes ataques aos portugueses por causa da atividade e a alta taxa de mortalidade indígena pelo contato
com as doenças europeias fez com que os portugueses desistissem da escravidão de nativos em larga
escala. Porém, foi o crescimento do comércio de escravos africanos e a pressão da igreja contra a escravidão
dos indígenas que fez a atividade ser proibida no século XVIII. Ainda assim encontramos documentos de
herança do século XIX que passavam a propriedade de indígenas entre os herdeiros.

Escravidão Africana
A escravização de africanos era comum e utilizada em larga escala nas plantations e em todas as atividades
que existiram na colônia, sejam elas complementares ou principais. Como dito acima, a Igreja, principal fator
organizador da sociedade colonial, corroborava com a prática e justificava religiosamente o trabalho
escravizado. Dentro desse contexto, é essencial compreender que mais do que apenas uma mão de obra, a
escravidão era um comércio extremamente lucrativo com o Tráfico Negreiro e se tornou um modo de
produção que permitiu a institucionalização da escravidão tanto no aspecto legal (lei) quanto no social.
Dentro da sociedade colonial, o escravizado era um item de luxo que
demonstrava riqueza e opulência, além de ser um simbolo de prestígio
social. A posse de escravizados era utilizada como uma forma de
distinguir, hierarquizar e organizar a lógica social, politica e econômica
dessas colônias. Sendo assim, é possivel dizer que a sociedade colonial,
e posteriormente, a sociedade brasileira não apenas possuia
escravizados, ela era escravista.

8
História

Pega a visão: A escravidão está diretamente ligada a uma estrutura hierarquizante de poder que também
se manifesta na escrita da História. Por isso, se faz necessário citar que atualmente a historiografia vem
deixando de utilizar o termo “escravo” e passando a usar a palavra “escravizado”. O intuito é combater a ideia
de que essas pessoas trazidas as forças eram naturalmente escravas, quando na verdade, elas foram
tornadas tal, os africanos foram escravizados.

Ao serem arrancados dos seus locais de origem, esses grupos enfrentavam o transporte da África para a
colônia nos porões dos navios negreiros, onde muitos morriam antes de chegar ao destino final. Inclusive,
muitos se jogavam ao mar como forma de resistir a essa dominação. Após serem vendidos como mercadoria,
eram obrigados a trabalhar, recebendo uma alimentação de péssima qualidade e ficavam sujeitos aos mando
e desmandos dos seus donos. Alguns estudos apontam que a expectativa de vida dos escravizados variava
em torno de 19 anos.

Outro fator importante para a entender da complexidade da relação entre senhor x escravizado é que esses
corpos eram vistos como seres animalizados e como propriedade desses senhores, que se sentiam livres
para abusar fisicamente, através de castigos, surras, estrupos e etc, e para abusar psicologicamente da
mente desses escravizados. Alguns autores que possuem uma perspectiva panafricanista e decolonial sobre
a História afirmam que esses corpos morriam duas vezes dentro desse processo: a primeira morte seria a
separação desse ser com a sua história, sua lingua, sua religiosidade e sua terra. Já a segunda morte, seria a
imposição de valores completamente distintos dos seus e do convencimento desses povos de uma suposta
inferioridade e da necessidade de negar tudo aquilo que pertencia a sua terra natal e a seus ancestrais.

Portanto, entre os escravizados era muito comum o sentimento conhecido como “banzo”, que era um estado
de melancolia e de tristeza que muitos ficavam ao chegar aqui na América. Tal sensação seria ocasionada
pelo desgosto com a privação de liberdade e a saudade da sua terra natal.
Embora a escravidão ao longo do contiente americano tenha sido diferente em cada local, em geral, algumas
características eram comuns na construção de uma sociedade que giarava em torno da escravidão e do
modelo agroexportador. As fazendas escravistas representavam mais do que apenas um local de trabalho e
produção, também eram um espaço de reprodução da ordem social vigente, sendo os “senhores” a
representação máxima de poder. Dentro dessas fazendas, algumas construções eram comuns, como:

• Casa grande: local onde os senhores e suas famílias moravam.


• Senzala: local onde os escravizados habitavam.
• Capela: servia para professar a religião e evangellizar os escravizados.
• Pelourinho: local onde eram aplicados os castigos públicos que eram usados para servir de exemplo.

8
História

Além disso, existiam diferentes tipos de escravizados que eram designados de acordo com suas funções:

• Escravo de ganho: eram aqueles que viviam no meio urbano com seus senhores e trabalhavam vendendo
algo ou prestando serviços e seus ganhos eram destinados aos seus senhores.
• Escravos da casa grande/domésticos: eram os escravizados que trabalhavam diretamente na Casa
Grande e prestando serviços diretos ao senhor e sua família.
• Escravo de campo: trabalham nas plantações e em atividades complementares a ela.
• Escrava mina: eram empregados na atividade mineradora por possuírem conhecimentos específicos
sobre mineração.
• Escravo de aluguel: escravizados que os senhores alugavam para outros, normalmente, era uma forma
de aumentar a sua arrecadação.
Ou seja, a escravidão não era algo rígido, os escravizados podiam ser alocados de acordo com suas
habilidades, a necessidade de seus donos e de acordo com o seu comportamento.

O processo de resistência
A exploração não se deu sem luta, tanto por parte dos nativos americanos quanto por
parte dos escravizados africanos. Apesar do apagamento histórico do processo de
resistência negra durante todo o Brasil Colonial, falar sobre isso é permitir que seus
descendentes reconstruam uma história que não está vinculada apenas a exploração
dos corpos dos seus antepassados, mas sim, a um processo de luta constante, pela
qual esses africanos e seus sucessores se propuseram ao longo de quase quatrocentos anos de colonização.

A resistência se deu de diversas formas, como o sincretismo religioso, que fazia com que os africanos
misturassem suas práticas religiosas com a religião católica para que conseguissem professar livremente
suas crenças. Contudo, é importante pontuar que o sincretismo não foi uma unanimidade, muitos africanos
conseguiram manter suas tradições religiosas e passa-las à frente, prova disso é a manutenção de religiões
como o candomblé. Havia, além disso, outras formas de resistência, como o aborto, o suicídio, a quebra de
maquinários, a capoeira, a bebida e ações mais violentas contra os seus senhores. Alguns autores ainda
defendem que até mesmo a formação de famílias dentro das senzalas pode ser vista como uma forma de
resistir à dominação e a animalização desses corpos.
Outra forma comum de resistência que é pouco falado e talvez não seja tão obvia é a compra alforrias,
especialmente a partir da descoberta do ouro. Alguns escravizados conseguiam juntar dinheiro para comprar
sua própria liberdade e alguns acabavam ganhando de seus senhores.

Porém, a forma de resistência mais conhecida é a fuga, onde podemos citar, por exemplo, a própria formação
dos quilombos, que eram comunidades e reinos formados por africanos e seus descendentes localizados no
interior brasileiro. Nesses locais, os escravizados encontravam refúgio longe dos engenhos e podiam praticar
suas culturas e religiões. Em alguns casos, estes quilombos formavam reinos e comunidades tão fortes e
respeitadas que conseguiam inclusive manter um comércio com colonos nas proximidades ou mesmo abrigar
alguns brancos livres empobrecidos. Durante a colonização, havia centenas de quilombos espalhados pelo
território, principalmente, pelos atuais estados da Bahia, Pernambuco, Goiás, Mato Grosso, Minas Gerais e
Alagoas.

8
História

Palmares foi o maior quilombo do período colonial brasileiro e era dividido em uma
série de pequenos núcleos, conhecidos como mocambos, que promoviam a
manutenção das diferentes tradições africanas que coexistiam ali. Também conhecido
como Angola Janga, ele se localizava na Serra da Barriga, antiga Capitania de
Pernambuco, e se tornou uma referência de resistência à escravidão. Estima-se que o
local chegou a abrigar cerca de 30 mil pessoas ao longo de mais de 100 anos de
duração, do final do século XVI até o final do século XVII. Sua força e organização eram
tão grandes que eles promoviam ataques a fazendas para libertar os escravizados.
Além disso, a produção agrícola que era excedente acabava sendo comercializada
com as vilas o redor, o que mostra a importância econômica que o quilombo ganhou na região.
Seu líder mais famoso foi Zumbi dos Palmares e no dia da sua morte, 20 de novembro, é comemorado o Dia
da Consciência Negra como uma forma de reconhecer a sua importância na luta contra a escravidão. A morte
do líder quilombola foi determinada pelo governo geral da capitania, que através do sertanismo de contrato,
pagou bandeirantes, como Domingos Jorge Velho, para destruir o espaço e matar o seu líder Zumbi.

O Quilombo do Piolho também foi um local extremamente importante para a luta negra durante o período
colonial. Apagado da historiografia oficial, o quilombo foi liderado por Teresa de Benguela após a morte de
seu marido, José Piolho. Também conhecido como Quilombo do Quariterê, era localizado no Mato Grosso,
bem próximo à fronteira com a Bolívia, resistindo ao longo do século XVIII. Apesar de não se ter muitos
registros sobre a morte de Teresa, sua luta foi reconhecida oficialmente com a promulgação de uma lei, em
2014, que declarou o dia 25 de julho, o Dia Nacional de Tereza de Benguela e da Mulher Negra.

8
História

Exercícios de fixação

1. Explique as principais justificativas para a substituição em larga escala da mão de obra nativa pela mão
de obra africana no período colonial.

2. A escravidão não foi inaugurada durante Idade Moderna, entre as sociedades do peirodo antigo a
escravidão era comum, porém não possuía um caráter:
a) social
b) étnico–racial
c) econômico
d) sócio-político

3. Diferente da América portuguesa, a América espanhola utilizava a escravidão de africanos como mão
de obra complementar porque:
a) a morte entre os africanos era alta devido ao contato com doenças europeias
b) não havia necessidade de tanta mão de obra, uma vez que as plantations eram raras
c) os africanos não possuíam conhecimento para extrair as pratas das minas
d) preferiram explorar a mão de obra nativa com a imposição do trabalho compulsório

4. A escravidão negra durou cerca de quase 400 anos no território brasileiro, tanto no periodo colonial
quanto no periodo imperial, ela foi a sua principal força de trabalho. Explique porque podemos afirmar
que a sociedade colonial e imperial era escravista.

5. Apesar da historiografia oficial ter apagado por muito tempo o processo de resistência negra,
atualmente, muitos movimentos têm resgatado e apontado para diversas formas de luta contra a
escravidão durante o periodo colonial, dentre elas, podemos apontar
a) a manutenção de uma religiosidade ligada a algumas culturas africanas
b) a construção de estátuas em locais estratégicos para a formação de quilombos
c) a quebra de protocolo dos senhores de engenho que casavam com escravizadas
d) a transformação de escravizados em capitães do mato

8
História

Exercícios de vestibulares

1. (Enem) Associados a atividades importantes e variadas na evolução das sociedades americanas


modernas, os africanos conseguiram impor sua marca nas línguas, culturas, economias, além de
participar, quase invariavelmente, na composição étnica das comunidades do Novo Mundo. A sua
influência alcançou mais fortemente as regiões do latifúndio agrícola, em comunidades cujo
desenvolvimento ocorreu às margens do Atlântico e do mar das Antilhas, do sudeste dos Estados
Unidos até a porção nordeste do Brasil, e ao longo das costas do Pacífico, na Colômbia, no Equador e
no Peru.
(KNIGHT, F. W. A diáspora africana. In: AJAYI, J. F. A. (Org.). História geral da África:
África do século XIX à década de 1880. Brasília: Unesco, 2010 (adaptado).)
Uma das contribuições da diáspora descrita no texto para o continente americano foi o(a)
a) fim da escravidão indígena.
b) declínio de monoculturas locais.
c) introdução de técnicas produtivas.
d) formação de sociedades estamentais.
e) desvalorização das capitanias hereditárias

2. (Enem) No dia 16 de agosto passado fugiu da Companhia de Mineração do Cuiabá o escravo de nome
Severino, de 19 anos de idade, cabra, claro, estatura mais que regular, boa figura, bons dentes, e tem um
sinal de cortadura de uma polegada pouco mais ou menos na testa. Levou chapéu de palha trançado, 1
par de calças azuis, paletó preto, camisa branca, e outras roupas. Está armado de uma pistola pequena
de algibeira e uma faca de ponta. Gratifica-se com a quantia acima de 100$000 a quem o apreender e
levá-lo a seu senhor, residente em Sabará, ou o puser em qualquer cadeia da província.
(Sabará, 2 de outubro de 1880. Jornal A Província de Minas, Ouro Preto, edição 26, 18 dez.1880.)
O anúncio de jornal sobre a fuga do escravo Severino mostra um aspecto importante do escravismo
brasileiro. Qual das seguintes afirmações expressa tal aspecto?
a) As alforrias no sistema escravista brasileiro eram obtidas tanto pelo livre consentimento do senhor
quanto pela compra.
b) As fugas de escravos eram duramente reprimidas pelo Estado e pelos senhores de escravos.
c) O movimento abolicionista teve papel fundamental para o fim da escravidão.
d) O paternalismo da escravidão brasileira gerava a preocupação do senhor em conseguir encontrar
o seu escravo em fuga.
e) Os quilombos eram organizações revolucionárias voltadas para o combate ao sistema escravista
brasileiro.

8
História

3. (Unesp 2012) A escravatura [na Roma antiga] foi praticada desde os tempos mais remotos dos reis,
mas seu desenvolvimento em grande escala foi consequência das guerras de conquista […].
(Patrick Le Roux. Império Romano, 2010.)
Sobre a escravidão na Roma antiga, é correto afirmar que
a) assemelhava-se à escravidão ocorrida no Brasil colonial, pois era determinada pela procedência e
pela raça.
b) aumentou significativamente durante a expansão romana pelo Mar Mediterrâneo.
c) atingiu o auge com a ocupação romana da Germânia e de territórios na Europa Central.
d) diminuiu bastante após a implantação do Império e foi abolida pelos imperadores cristãos.
e) diferenciava-se da escravidão ocorrida no Brasil colonial, pois os escravos romanos nunca podiam
se tornar livres.

4. (Enem) As pessoas do Rio de Janeiro se fazem transportar em cadeirinhas bem douradas sustentadas
por negros. Esta cadeira é seguida por um ou dois negros domésticos, trajados de librés mas com os
pés nus. Se é uma mulher que se transporta, ela tem frequentemente quatro ou cinco negras
indumentadas com asseio; elas vão enfeitadas com muitos colares e brincos de ouro. Outras são
levadas em uma rede. Os que querem andar a pé são acompanhados por um negro, que leva uma
sombrinha ou guarda-chuva, como se queira chamar.
(LARA, S. H. Fragmentos setecentistas. São Paulo: Cia. das Letras, 2007 (adaptado).)
Essas práticas, relatadas pelo capelão de um navio que ancorou na cidade do Rio de Janeiro em
dezembro de 1748, simbolizavam o seguinte aspecto da sociedade colonial:
a) A devoção de criados aos proprietários, como expressão da harmonia do elo patriarcal.
b) A utilização de escravos bem-vestidos em atividades degradantes, como marca da hierarquia
social.
c) A mobilização de séquitos nos passeios, como evidência do medo da violência nos centros
urbanos.
d) A inserção de cativos na prestação de serviços pessoais, como fase de transição para o trabalho
livre.
e) A concessão de vestes opulentas aos agregados, como forma de amparo concedido pela elite
senhorial.

8
História

5. (Enem) Como tratar com os índios


A experiência de trezentos anos tem feito ver que a aspereza é um meio errado para domesticar os
índios; parece, pois, que brandura e afago são os meios que nos restam. Perdoar-lhes alguns excessos,
de que sem dúvida seria causa a sua barbaridade e longo hábito com a falta de leis. Os habitantes da
América são menos sanguinários do que os negros d’África, mais mansos, tratáveis e hospitais.
(VILHENA, L. S. A Bahia no século XVIII. Salvador: Itapuã, 1969 (adaptado).)
O escritor português Luís Vilhena escreve, no século XVIII, sobre um tema recorrente para os homens
da sua época. Seu posicionamento emerge de um contexto em que
a) o índio, pela sua condição de ingenuidade, representava uma possibilidade de mão de obra nas
indústrias.
b) a abolição da escravatura abriu uma lacuna na cadeia produtiva, exigindo, dessa forma, o trabalho
do nativo.
c) o nativo indígena, estereotipado como um papel em branco, deveria adequar-se ao mundo do
trabalho compulsório.
d) a escravidão do indígena apresentou-se como alternativa de mão de obra assalariada para a
lavoura açucareira.
e) a escravidão do negro passa a ser substituída pela indígena, sob a alegação de os primeiros serem
selvagens.

6. (Enem) Os escravos tornam-se propriedade nossa seja em virtude da lei civil, seja da lei comum dos
povos; em virtude da lei civil, se qualquer pessoa de mais de vinte anos permitir a venda de si própria
com a finalidade de lucrar conservando uma parte do preço da compra; e em virtude da lei comum dos
povos, são nossos escravos aqueles que foram capturados na guerra e aqueles que são filhos de
nossas escravas.
(CARDOSO, C. F. Trabalho compulsório na Antiguidade. São Paulo: Graal, 2003.)
A obra Institutas, do jurista Aelius Marcianus (século III d.C.), instrui sobre a escravidão na Roma antiga.
No direito e na sociedade romana desse período, os escravos compunham uma
a) mão de obra especializada protegida pela lei.
b) força de trabalho sem a presença de ex cidadãos.
c) categoria de trabalhadores oriundos dos mesmos povos.
d) condição legal independente da origem étnica do indivíduo
e) comunidade criada a partir do estabelecimento das leis escritas.

8
História

7. (Enem) A população africana residente nesta província, bem como a de todo o Império, compõe-se de
indivíduos de diferentes lugares da África que variam em costumes e religiões; a que aqui segue o
maometismo, à qual pertencemos, é uma população pequena, porém, distinta entre si, e notando a
necessidade de sustentarmos nosso culto e fundados ainda no artigo 5º da Constituição do Império,
requeremos ao sr. chefe de polícia licença para exercermos o culto.
(REIS, J. J.; GOMES, F. S.; CARVALHO, M. J. M. O Alufá Rufino: tráfico, escravidão e
liberdade no Atlântico negro (1822-1853). São Paulo: Cia. das Letras, 2010 (adaptado).)
O pedido de um grupo de africanos de Recife ao chefe de polícia local tinha como objetivo, naquele
contexto,
a) criticar a doutrina oficial.
b) professar uma fé alternativa.
c) assegurar a cidadania política.
d) legalizar os terreiros de candomblé.
e) eliminar algumas tradições culturais.

8. (Enem) A África Ocidental é conhecida pela dinâmica das suas mulheres comerciantes, caracterizadas pela
perícia, autonomia e mobilidade. A sua presença, que fora atestada por viajantes e por missionários
portugueses que visitaram a costa a partir do século XV, consta também na ampla documentação sobre a
região. A literatura é rica em referências às grandes mulheres como as vendedoras ambulantes, cujo jeito para
o negócio, bem como a autonomia e mobilidade, é tão típico da região.
(HAVIK, P. Dinâmicas e assimetrias afro-atlânticas: a agência feminina e representações em
mudança na Guiné (séculos XIX e XX). In: PANTOJA, S. (Org.). Identidades, memórias e
histórias em terras africanas, Brasília: LGE; Luanda: Nzila, 2006.)
A abordagem realizada pelo autor sobre a vida social da África Ocidental pode ser relacionada a uma
característica marcante das cidades no Brasil escravista nos séculos XVIII e XIX, que se observa pela
a) restrição à realização do comércio ambulante por africanos escravizados e seus descendentes.
b) convivência entre homens e mulheres livres, de diversas origens, no pequeno comércio.
c) presença de mulheres negras no comércio de rua de diversos produtos e alimentos.
d) dissolução dos hábitos culturais trazidos do continente de origem dos escravizados.
e) entrada de imigrantes portugueses nas atividades ligadas ao pequeno comércio urbano.

8
História

9. (UEA) Segundo a lei, há escravo e homem reduzido à escravidão; a lei é uma convenção segundo a qual
todo homem vencido na guerra se reconhece como sendo propriedade do vencedor.
(Aristóteles. A política, s/d.)
"A política" foi um livro escrito por Aristóteles, no período em que ele dirigia o Liceu em Atenas, entre
331 e 323 a. C. No trecho, Aristóteles refere-se:
a) ao tráfico de escravos como fator de acumulação de capital.
b) às rebeliões permanentes dos escravos contra os seus senhores.
c) à oposição dos filósofos à escravidão na Antiguidade Clássica.
d) ao escravo como mercadoria que pode ser livremente comercializada.
e) a um traço que, de certa forma, particulariza a escravidão na Antiguidade.

10. (Unesp) [Na Mesopotâmia,] todos os bens produzidos pelos próprios palácios e templos não eram
suficientes para seu sustento. Assim, outros rendimentos eram buscados na exploração da população
das aldeias e das cidades. As formas de exploração eram principalmente duas: os impostos e os
trabalhos forçados.
(Marcelo Rede. A Mesopotâmia, 2002.)
Entre os trabalhos forçados a que o texto se refere, podemos mencionar a
a) internação de doentes e loucos em áreas rurais, onde deviam cuidar das plantações de algodão,
cevada e sésamo.
b) utilização de prisioneiros de guerra como artesãos ou pastores de grandes rebanhos de gado
bovino e caprino.
c) escravidão definitiva dos filhos mais velhos das famílias de camponeses, o que caracterizava o
sistema econômico mesopotâmico como escravista.
d) servidão por dívidas, que provocava a submissão total, pelo resto da vida, dos devedores aos
credores.
e) obrigação de prestar serviços, devida por toda a população livre, nas obras realizadas pelo rei,
como templos ou muralhas.

Sua específica é humanas e quer continuar estudando esse assunto?


Clique aqui para fazer uma lista de exercícios extras.

8
História

Gabaritos

Exercícios de fixação

1. Dentre as principais justificativas, se pode citar: a alta lucratividade do tráfico negreiro / a aprovação da
Igreja a escravidão africana / a posição da Igreja contra a escravidão indigena / a forte resistência dos
nativos que acabavam fugindo para o interior

2. B
A escravidão durante muitos anos não teve um alvo étnico ou local específico, no entanto no período da
colonização das Américas, a escravidão passou a ter um fundo étnico-racial. Apoiado em justificativas
religiosas, econômicas e civilizatórias, os europeus deram inicio a escravidão moderna como um
comércio altamente lucrativo que sustentou o sistema capitalista desde a sua origem.

3. D
Os espanhóis se aproveitaram do sistema de trabalho que já existia entre alguns povos nativos da região
e impuseram o trabalo compulsório aos indigenas. Em contrapartida, utilizaram a mão de obra
escravizada como complementar nas colônias da América do Sul e no Caribe insular.

4. Devido a lógica da sociedade colonial girar em torno da mão de obra escravizada e da posse de
escravizados ser considerada uma forma de distinção social, podemos afirmar que a sociedade formada
durante o periodo colonial não apenas possuia escravizados, mas como toda sua lógica politica,
econômica, social, cultural e religiosa girava em torno desse modo de produção. O escravizado, no Brasil,
era um item de luxo que demonstrava riqueza e opulência, além de ser um simbolo de prestígio social.

5. A
A pesar do sincretismo religioso ser sempre citado quando se fala de resistência, pouco se fala sobre a
preservação e manutenção da religiosidade oriunda de alguns povos do continente africano, que também
foi uma das formas de resistência durante o periodo colonial.

Exercícios de vestibulares

1. C
A diáspora africana para a América foi marcada pelas trocas de técnicas, desde o cultivo até a
mineiração, que esses grupos trouxeram de seus continentes. Portanto, a introdução de novas técnicas
de cultivo foi apenas o resultado da aplicação dos saberes que esses povos carregavam consigo.

2. B
A fuga era uma das principais formas de resistência a escravidão e o trecho destacado aponta para a
repressão desse movimento evidenciando a caça dos fugitivos com a anuência do Estado, uma vez que
ele poderia ser entregue em qualquer cadeia da região.

8
História

3. B
O expansionismo romano levou ao aumento significativo do número de escravizados, uma vez que os
povos dominados acabavam se tornando subjugados ao Império, tornando-se a base de sustentação
social do mesmo.

4. B
A presença de escravizados “bem vestidos” aponta para a demonstração de poder través da quantidade
de escravos e das suas vestes, tornando-os simbolos de distinção social dos seus senhores dentro da
sociedade colonial.

5. C
Muitos dos europeus que entravam em contato com os indigenas defendiam que eles eram seres
ingênuos e inocentes, na realidade, acreditavam que eles eram selvagens que precisavam ser educados
e evangelizados nos moldes europeus.

6. D
A escravidão na antiguidade não estava ligada a nenhum fator étnico, como fica exposto no texto, todos
poderiam ser escravizados, desde de que perdessem uma guerra e fossem capturados, por isso durante
a expansão do Império Romano houve o alargamento da quantidade de escravizados sob seu domínio.

7. B
O trecho evidencia como a escravidão foi um sistema complexo, uma vez que o requerinte está
solicitando a possibilidade de professar uma fé alternativa baseando-se na constituição do império.
Portanto, vale ressaltar que uma das formas de resistência que esses escravizados utilizavam era a lei,
que embora pesasse para o lados dos escravizados, alguns tentavam encontrar uma brecha.

8. C
O trecho expõe a similaridade entre o continente africano e americano no que concerne a presença de
mulheres negras atuando dentro das cidades em atividades comerciais, sendo importante ressaltar que
existiam vários tipos de escravizados, dentre eles, o escravo de ganho, que vivia no ambiente urbano
prestando serviços para os seus senhores.

9. E
Aristóteles em seu texto aponta uma particularidade da escravidão na antiguidade: o fato de que ela se
dava por espólios de guerra.

10. E
Apesar da escravidão ter sido comum no Mundo Antigo, na Antiguidade Oriental o que predominava era
a servidão coletiva, que ficou conhecida como o modo de produção asiático, aonde os súditos tinha a
obrigação de prestar serviços por tempos determinados para o Estado.

8
História

O Século das Luzes

Objetivo
Você aprenderá sobre a formação do Iluminismo e seu contexto político, econômico e social. Além disso,
conhecerá os principais pensadores iluministas.

Se liga
Para essa matéria é importante que você tenha visto o conteúdo de Renascimento (cultural, comercial e
urbano); além disso, é essencial dar uma olhadinha na matéria de Absolutismo.

Curiosidade
O pensador François Marie Arouet, popularmente conhecido como Voltaire (1694 – 1778), foi preso na
Bastilha (sim, ela mesma, aquela que gerou a treta na Revolução Francesa) em 1717. Olha aí, porque a
Bastilha era um dos grandes símbolos do absolutismo francês!

Teoria

O Século das Luzes

Desde o período do Renascimento Urbano e Comercial, com o retorno da circulação de pessoas em cidades,
com o crescimento das trocas comerciais e o maior contato com a cultura oriental, a Europa construía um
cenário fértil para o surgimento de novas universidades, de pensadores e de uma burguesia forte. Já com o
Renascimento Cultural e Artístico, a criação da prensa de tipos móveis, de Johannes Gutenberg (1455),
permitiu uma circulação muito maior de livros, textos e panfletos que difundiam as novas ideias que
surgiam.
Dessa forma, com uma conjuntura propícia para a proliferação de novas
ideias, a razão voltou a ganhar grande força entre os filósofos europeus que
desejavam compreender o mundo não mais através de misticismos ou da
religiosidade, mas sim de forma racional, como já faziam muitos filósofos da
antiguidade. O alvorecer da razão na Idade Moderna permitiu que métodos
científicos e novas formas de pensar ganhassem espaço entre as antigas
“verdades absolutas” pregadas pelos monarcas e pela Igreja Católica. Assim,
o questionamento, a crítica, a experimentação e o ato de pensar se tornavam grandes valores intelectuais.
Logo no século XIV, um dos grandes precursores do pensamento iluminista, o francês René Descartes,
lançou a base do chamado racionalismo, com o seu método da “dúvida hiperbólica”, que consistia em
questionar de forma dedutiva todas as teorias preexistentes, para então reconstruir as ideias. Essa
constante dúvida sobre tudo levou Descartes a concluir que a única verdade absoluta era a sua capacidade
crítica, o poder humano da dúvida; logo, para este pensador, a condição da própria existência seria o
pensamento, o que foi sintetizado na famosa expressão “Penso, logo existo”.

1
História

Essa metodologia do questionamento constante construiu um novo filtro, sobretudo para a burguesia em
ascensão, que passava a ver o mundo através de novas teorias. O pensamento crítico pautado na razão
levou essa classe a questionar coisas impostas há séculos como naturais, como o direito divino dos reis, as
sociedades estamentais, os privilégios da nobreza e do clero e até mesmo as verdades religiosas.
Em 1784, em resposta a um jornalista que havia perguntado “O que é o Iluminismo?”, o filósofo Immanuel
Kant respondeu que o iluminismo era um processo de “esclarecimento”, que tiraria o homem da
“menoridade” em que ele mesmo se colocou. Essa chamada menoridade seria um período da história
europeia em que o homem se encontrava preso às ordens religiosas, à opressão do misticismo e à falta de
liberdade de pensamento e expressão, período esse que, para os pensadores ilustrados, teria a Idade Média
como o seu auge.
Dessa forma, o Iluminismo se consolidou entre a burguesia, que se
formava como uma classe econômica dominante e lutava para
também dominar a política. Acreditando que a menor interferência
do monarca e do Estado nas liberdades individuais e econômicas
poderia ampliar seus negócios e poderes, essa burguesia passou a
questionar cada vez mais o chamado Antigo Regime, com seu
absolutismo e com o mercantilismo.
Dessa forma, buscando romper com esse chamado “obscurantismo” medieval e com as supostas verdades
impostas pelo absolutismo e pela Igreja, autores dos séculos XVII e XVIII, como John Locke, Kant, Jean-
Jacques Rousseau, Voltaire, Montesquieu, Diderot e outros, resolveram questionar tudo o que era
considerado natural e verdadeiro, propor novas formas de pensar o mundo e de construir uma sociedade
esclarecida.
A consequência da difusão desses pensamentos foi uma mudança nas próprias estruturas do mundo
ocidental, com a ascensão da burguesia e a formação de grandes nações através de revoluções e
independências; dentre elas, destacamos as pioneiras influenciadas pelo Iluminismo: a Independência das
13 colônias inglesas e a Revolução Francesa.

Pensadores iluministas
Um dos filósofos precursores do Iluminismo foi John Locke (1632-1704). Locke viveu na Inglaterra, no
contexto das Revoluções Inglesas e, criticando a sociedade de sua época, defendia a ideia de que os
homens possuíam direitos naturais: vida, liberdade, igualdade e propriedade privada – essa última seria
derivada do trabalho e, portanto, natural. As ideias de Locke influenciaram a formulação do pensamento
iluminista e contribuíram para o conceito de contratualismo, ao defenderem a ideia de que os homens
abririam mão dos seus direitos naturais para garantir a segurança e a liberdade individual, e tal garantia
deveria ser assegurada pela existência de um Estado.
No campo político, é fundamental destacarmos as concepções filosóficas de Montesquieu (1689-1755),
que, ao criticar o absolutismo monárquico, defendia a teoria da tripartição dos poderes, ou seja, a divisão do
Estado em três poderes: executivo, legislativo e judiciário.
Do ponto de vista social, o movimento iluminista criticava a sociedade estamental, em que as desigualdades
eram determinadas pelo nascimento. Desse modo, seus filósofos questionavam a ideia de que o primeiro e
o segundo estado (clero e nobreza) detinham privilégios, enquanto o terceiro estado (burguesia,
camponeses, trabalhadores urbanos) era visto como inferior. Na sociedade absolutista, havia pouquíssima
mobilidade social e as desigualdades eram naturalmente aceitas. Os iluministas buscaram, através da
razão, questionar esse modelo de sociedade, que garante privilégios oriundos do nascimento, porque, ao

2
História

contrário disso, defendiam a igualdade jurídica entre os indivíduos. Podemos dizer que, do ponto de vista
social, defendiam que todos os homens nasciam iguais, questionando a sociedade do Antigo Regime, ainda
fundamentada em privilégios feudais. Voltaire (1694 – 1778) foi bastante importante nesse aspecto, pois
criticou os privilégios da nobreza e da Igreja, defendendo as liberdades individuais.
O movimento iluminista também exerceu influência no âmbito
econômico. As ideias como a liberdade de mercado e o fim dos
monopólios da nobreza e do rei surgiram nessa época. Há, assim,
uma crítica às práticas mercantilistas e a defesa do liberalismo
econômico. Considerado o pai do liberalismo e um dos grandes
nomes da Escola Liberal Clássica, Adam Smith, em seu livro “A
Riqueza das Nações”, defendia que o governo não deveria intervir em
assuntos econômicos. Para ele, os preços e tarifas seriam regulados
pela mão invisível do mercado, a lei da oferta e da procura.
Havia ainda uma corrente ideológica que dava destaque às atividades agrícolas. A Fisiocracia defendia,
assim como o liberalismo econômico de Adam Smith, a não interferência do Estado nos assuntos
econômicos, com a diferença de colocar na atividade agrícola todo o fruto das riquezas das nações. Tal
corrente de pensamento representava a ideia de uma valorização da terra e da agricultura como a
verdadeira fonte de todas as riquezas. Enquanto a indústria seria apenas uma etapa de um processo, o da
transformação da matéria, e o comércio seria outra fase, o da circulação da riqueza, era a agricultura a
verdadeira raiz de tudo.
Obviamente que, em um mundo de desenvolvimento capitalista e industrial, essa ideologia não ganharia a
mesma força que as ideias de Adam Smith, assim essa ideologia foi sendo considerada obsoleta com o
passar dos anos.
Além dos filósofos citados, é importante relembrarmos a importância de Rousseau (1712-1778),
considerado o mais radical entre os iluministas, pois criticava a sociedade burguesa. De acordo com ele,
para que a liberdade, a segurança e a igualdade pudessem ser conciliadas em uma sociedade, era
necessária a crítica à propriedade privada, uma vez que ela era responsável pela desigualdade entre os
homens. Um dos mais famosos defensores do contratualismo, o pensador defendia que o homem era
originalmente bom, o que o corrompia era a sociedade; logo, o Estado deveria existir para assegurar a
liberdade e frear a desordem. Além disso, o autor defendia um governo que representasse a soberania do
povo e a vontade geral da população.
Uma das principais características do Iluminismo foi a sua visão universalista, que acreditava na
construção de conhecimentos e verdades universais. Por mais que hoje tenhamos esse universalismo como
uma utopia, muitas vezes eurocêntrica, os pensadores desse período acreditavam e defendiam essas
ideias.
Tendo em vista essa característica, os franceses Denis Diderot e Jean le Rond
D’Alembert realizaram uma compilação de textos, com 130 colaboradores e 35
volumes, que tinham o objetivo de reunir todo o conhecimento humano
acumulado até então. Essa empreitada, muito além de lançar bases para
pensamentos liberais e iluministas, realizava um trabalho de democratização do
conhecimento. Tendo em vista que durante séculos livros e textos só
circulavam entre o clero e a nobreza, e a maior parte da população europeia era
analfabeta, a chamada Enciclopédia de Diderot teria como missão difundir o
conhecimento também entre as classes não privilegiadas.

3
História

A concepção de mundo defendida pelos iluministas teve grande adesão da burguesia, cuja insatisfação com
os privilégios do clero e da nobreza era cada vez maior. Por isso, muitos pensadores também criticavam o
excesso de poder da Igreja dentro da sociedade e defendiam um anticlericalismo, alegando que não havia
necessidade de um intermédio entre Deus e os fiéis.
Pega a visão: Cuidado! Apesar de muitos criticarem o clericalismo, não significava que eles eram
anticristãos; esses homens apenas entendiam que a Igreja, enquanto instituição, não poderia exercer um
poder político e social tão grande.
Ainda no século XVIII, o Iluminismo se expandiu para outros locais e influenciou diversos acontecimentos
fora do eixo europeu. Movimentos como a Revolução Francesa, as Conjurações (mineira e baiana), na
América portuguesa, e a Independência das Treze Colônias foram influenciadas pelo Iluminismo.
Consolidando princípios do liberalismo político e econômico, o Iluminismo também é central para
compreendermos o século XIX, conjuntura em que uma “onda” de revoluções liberais eclodiram para
derrubar definitivamente o absolutismo da Europa.

4
História

Exercícios de fixação

1. A valorização da razão no século XVIII levou ao aumento das críticas por parte de qual classe social e
sobre que tipo regime político?
a) camponeses - fisiocracia
b) burguesia - feudal
c) burguesia - absolutista
d) camponeses - capitalismo

2. Dentre as alternativas abaixo qual associa corretamente um pensador iluminista e uma ideia defendia
por ele:
a) John Locke - ausência de direitos naturais
b) Rousseau - critica a propriedade privada
c) Rene Descartes - repartição dos poderes
d) Adam Smith - defesa da terra como principal riqueza

3. Dentre as características do Iluminismo, podemos citar:


a) universalismo e ação baseada na fé
b) racionalidade e igualdade econômica
c) liberdades individuais e o método dedutivo
d) anticlericalismo e a igualdade civil

4. O século XVIII foi marcado por uma série de acontecimentos importantes para a História mundial,
dentre eles, podemos citar o Movimento Iluminista, a Revolução Francesa e o (a)
a) Revolução Industrial
b) Imperialismo
c) Expansão Marítima
d) Revolução Inglesa

5. Um dos legados deixados pelos pensadores iluministas para a sociedade contemporânea foi:
a) a crença no ideal fisiocrata
b) o abandono da religiosidade
c) a ideia de tripartição dos poderes
d) a criação do método indutivo

5
História

Exercícios de vestibulares

1. (Enem 2017) Os direitos civis, surgidos na luta contra o Absolutismo real, ao se inscreverem nas primeiras
constituições modernas, aparecem como se fossem conquistas definitivas de toda a humanidade. Por isso,
ainda hoje invocamos esses velhos “direitos naturais” nas batalhas contra os regimes autoritários que
subsistem.
(QUIRINO, C. G.; MONTES, M. L. Constituições. São Paulo: Ática, 1992 (adaptado))

O conjunto de direitos ao qual o texto se refere inclui:


a) voto secreto e candidatura em eleições.
b) moradia digna e vagas em universidade.
c) previdência social e saúde de qualidade.
d) igualdade jurídica e liberdade de expressão.
e) filiação partidária e participação em sindicatos.

2. (UFS 2018) Conhecido como o século das Luzes ou do Iluminismo, o século XVIII foi marcado por um
movimento do pensamento europeu (ocorrido mais especificamente na segunda metade do século
XVIII) que abrangeu o pensamento filosófico e gerou uma grande revolução nas artes (principalmente
na literatura), nas ciências, nos costumes, na teoria política e na doutrina jurídica. O Iluminismo
também se distinguiu pela centralidade da ciência e da racionalidade crítica no questionamento
filosófico.

Disponível em: https://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/15543/15543_3.pdf. Acesso em: 12/09/2017.

Tomando como base o contexto abordado, podemos afirmar corretamente que


a) o liberalismo econômico deu ênfase à economia mercantilista, na qual o Estado seria
responsável pela regulamentação de preços e mercados para evitar abusos que prejudicariam a
população.
b) a Escola Fisiocrata sustentou a ideia de que existem leis naturais regendo a sociedade, mas que
poderiam ser alteradas pelo bem da humanidade, e, além disso, defendeu que a indústria e o
comércio seriam responsáveis pela riqueza de uma nação.
c) as ideias defendidas por John Locke, na obra O contrato social, afirmam que o soberano deve
conduzir o Estado de forma democrática, de acordo com a vontade do povo.
d) o Despotismo Esclarecido, ligado à associação entre as ideias das luzes e o poder absolutista
dos reis, foi aplicado com ênfase em todos os Estados europeus no início do século XVIII,
resultando no nascimento de dezenas de monarquias parlamentaristas.
e) o Iluminismo combateu o mercantilismo, o tradicionalismo religioso herdado da Idade Média e a
divisão da sociedade em estamentos.

6
História

3. (Uncisal 2015) “Sempre considerei as ações dos homens como as melhores intérpretes dos seus
pensamentos.”
John Locke

A frase de John Locke nos remete ao Iluminismo e seus objetivos nos diversos âmbitos que formam
a vida em sociedade. Sobre o ideário iluminista, infere-se que

a) seu caráter popular afastou os intelectuais e aproximou a pequena burguesia da nobreza togada.
b) o intelectualismo se tornou um obstáculo à expansão do iluminismo, fato que minimizou sua
influência nas revoluções burguesas.
c) Adam Smith dissocia a liberdade econômica da liberdade política, fazendo prevalecer esta última
em detrimento da primeira.
d) a razão apresenta um poder emancipador capaz de tirar o homem da menoridade e libertá-lo da
opressão política e dos resquícios das trevas medievais.
e) o projeto iluminista não se opunha totalmente ao mercantilismo nem ao absolutismo já que
preserva em grande parte as instituições do Antigo Regime.

4. (FGV 2020) O século XVIII não se confunde totalmente com as Luzes. As Luzes excedem o século.
Parte do século escapa-lhes. As Luzes são o século XVIII duradouro, o que faz parte do nosso
patrimônio. Um século XVIII que, antes do mais, se inscreve nas palavras. Partir das palavras, partir do
essencial.
CHAUNU, P. A civilização da Europa das Luzes. Lisboa: Estampa, 1985, vol. I, p. 23-24.

São palavras essenciais do século das Luzes:


a) internacionalismo, razão, messianismo e cientificismo.
b) progresso, obscurantismo, cientificismo, teocentrismo.
c) superstição, empirismo, sensualismo, messianismo.
d) socialismo, razão, progresso, superstição.
e) racionalismo, cientificismo, progresso, esclarecimento.

7
História

5. (Enem 2018) O século XVIII é, por diversas razões, um século diferenciado. Razão e experimentação se
aliavam no que se acreditava ser o verdadeiro caminho para o estabelecimento do conhecimento científico,
por tanto tempo almejado. O fato, a análise e a indução passavam a ser parceiros fundamentais da razão. É
ainda no século XVIII que o homem começa a tomar consciência de sua situação na história.
(ODALIA, N. In: PINSKY, J.; PINSKY, C. B. História da cidadania. São Paulo: Contexto, 2003.)

No ambiente cultural do Antigo Regime, a discussão filosófica mencionada no texto tinha como uma de suas
características a
a) aproximação entre inovação e saberes antigos.
b) conciliação entre revelação e metafísica platônica.
c) vinculação entre escolástica e práticas de pesquisa.
d) separação entre teologia e fundamentalismo religioso.
e) contraposição entre clericalismo e liberdade de pensamento.

6. (Unicentro 2017) Nas últimas décadas do século 20, a expressão “neoliberalismo” passou a fazer
parte não só do dia a dia de economistas, mas, também, do noticiário jornalístico, que difundiu o
termo para toda a sociedade. Obviamente, para haver um “neoliberalismo”, é preciso que tenha
havido, anteriormente, um “liberalismo”, doutrina econômica que tem suas bases em autores
clássicos, como o filósofo escocês Adam Smith.

“O liberalismo vem do individualismo. As três questões básicas do liberalismo são a garantia da


propriedade privada, a garantia dos excedentes monetários e a liberdade de usar os excedentes
monetários, para qual se usa a doutrina de Adam Smith”, diz o professor do Departamento de
Ciências Sociais da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), Valter Duarte Ferreira Filho.
(LIBERALISMO... 2016).

O liberalismo econômico surgiu dentro do âmbito da passagem do mundo feudal para o sistema
capitalista. Considerando-se esse contexto, é correto afirmar que
a) a defesa da liberdade de comércio e da produção se opunha às restrições do sistema
mercantilista.
b) o controle estatal na economia contribuiu para o pioneirismo inglês no processo da Revolução
Industrial.
c) a Lei do Máximo, estabelecida pelo governo jacobino no processo da Revolução Francesa,
concretizou as concepções de Adam Smith.
d) o Império Napoleônico estabeleceu os princípios defendidos por Rousseau e a restrição do
comércio com a Inglaterra.
e) a teoria da mais valia defendeu, na íntegra, os princípios liberais, ao afirmar que o trabalho seria a
única fonte de riqueza.

8
História

7. (UEFS 2013) Os iluministas adotaram o princípio de que a natureza fez com que todos os homens
nasçam iguais. Isso quer dizer que a lei deve ser universal, ou seja, todos os homens, exatamente por
terem nascidos humanos, têm os mesmos direitos. Portanto, o regime político só seria justo se
estabelecesse a igualdade jurídica. [...] não se trata da igualdade social e econômica. Os iluministas
não aceitavam as leis e tribunais especiais para os nobres, nem que principais cargos do Estado
fossem reservados para as famílias nobres.
(SCHMIDT, 2005, p. 250).

A concepção iluminista relativa à universalidade da lei, como indicada no texto, opunha-se à antiga
concepção do Direito Romano, segundo a qual
a) os direitos individuais eram estabelecidos pela religião oficial.
b) os patrícios e os plebeus gozavam dos mesmos direitos perante a lei.
c) a garantia dos direitos era fundamentada no poder do pater família.
d) a desigualdade social definia a posição desigual do indivíduo perante a lei.
e) a Lei das Doze Tábuas garantia iguais direitos a todos que nascessem na cidade de Roma,
capital do Império.

8. (Unesp 2012) Encontrar uma forma de associação que defenda e proteja a pessoa e os bens de cada
associado com toda a força comum, e pela qual cada um, unindo-se a todos, só obedece contudo a si
mesmo, permanecendo assim tão livre quanto antes. Esse, o problema fundamental cuja solução o
contrato social oferece.
[...]
Cada um de nós põe em comum sua pessoa e todo o seu poder sob a direção suprema da vontade
geral, e recebemos, enquanto corpo, cada membro como parte indivisível do todo.
(Jean-Jacques Rousseau. Do contrato social, 1983.)

O texto apresenta características

a) iluministas e defende a liberdade e a igualdade social plenas entre todos os membros de uma
sociedade.
b) socialistas e propõe a prevalência dos interesses coletivos sobre os interesses individuais.
c) iluministas e defende a liberdade individual e a necessidade de uma convenção entre os
membros de uma sociedade.
d) socialistas e propõe a criação de mecanismos de união e defesa de todos os trabalhadores.
e) iluministas e defende o estabelecimento de um poder rigidamente concentrado nas mãos do
Estado.

9
História

9. (PUC Campinas 2017) Os enciclopedistas constituíram uma pequena elite de letrados e de técnicos,
ligados à vida material como elementos de ponta do progresso econômico e também estreitamente
vinculados ao aparato estatal, o qual se esforçaram por tornar melhor e mais racional. (...) Por toda a
parte na Europa das Luzes, encontramos esta pretensão e esta vontade [dos filósofos] de pôr-se à
testa e na direção da sociedade.
(VENTURI, Franco. Utopia e reforma no Iluminismo. Bauru: Edusc, 2003, p. 44, 239-240)

A elite intelectual a que o texto se refere foi responsável pela organização e publicação do mais
importante veículo de divulgação das ideias do Iluminismo, no século XVIII: a Enciclopédia. Essa obra
de inspiração racionalista,
a) defendia a teoria de que a economia deveria funcionar por suas próprias leis e na eliminação da
intervenção do Estado sobre os negócios comerciais que entravava as aduanas internas.
b) estabelecia a tese segundo a qual as estruturas sociais eram determinadas pelas circunstâncias
ambientais e pela liberdade como direito incontestável de todos os homens da época.
c) afirmava que a única esperança de garantir os direitos de cada um seria ceder todos esses
direitos à comunidade civil para que a governasse de acordo com as ideias dos filósofos
iluministas.
d) defendia uma monarquia absolutista moderada por um governo baseado na razão e no ideário
político e social vigente na época e não mais pelos pressupostos religiosos divulgados pela
Igreja.
e) propunha, de maneira geral, a imediata autonomização da Igreja em relação ao Estado e o
combate às superstições e às diversas manifestações do pensamento dogmático eclesiástico.

10
História

10. (UFG 2013)

No século XVIII, criou-se um projeto arquitetônico para as prisões chamado “pan-óptico”. O objetivo
era transformar a ambiência do confinamento, distinguindo-a das masmorras do Antigo Regime. Tal
como demonstra a imagem, o projeto estabelecia no centro uma torre com um vigia e, na periferia,
uma construção em forma de anel. A construção periférica era dividida em celas para os presos, com
duas janelas (uma interna ao anel e outra externa), que permitiam a luz atravessar a cela. Com essa
disposição espacial, o pan-óptico expressava o ideal iluminista, na medida em que o controle sobre os
indivíduos era exercido por meio da
a) descentralização dos espaços reservados para os confinados.
b) valorização da punição ao comportamento em detrimento da vigilância.
c) manutenção de comunicação monitorada entre o ambiente de confinamento e a sociedade.
d) hierarquização entre os presos separados pelas celas construídas no anel.
e) utilização da claridade para conferir visibilidade aos presos e às suas ações.

Sua específica é humanas e quer continuar treinando esse conteúdo?


Clique aqui para fazer uma lista extra de exercícios.

11
História

Gabaritos

Exercícios de fixação

1. C
A burguesia aproveitou o movimento iluminista para dar base às suas críticas contra o regime
absolutista, à sociedade estamental, que era baseada nos privilégios do clero e da nobreza, e às
práticas mercantilistas, que eram vistas como um empecilho para o amplo desenvolvimento comercial
e industrial.

2. B
Apesar de boa parte do movimento iluminista defender o direito à propriedade privada como um bem
inalienável, Rousseau considerava a sua existência como a principal causa da desigualdade entre os
homens. Entre os pensadores iluministas, era visto como o mais radical, pela crítica à propriedade
privada e a defesa da soberania popular.

3. D
O movimento construído ao longo do século XVIII nasce com a proposta de trazer a “luz” para iluminar
as “trevas”. Essa última fazia referência ao Antigo Regime. Sendo assim, o anticlericalismo foi uma das
bandeiras desses pensadores, que entendiam que a instituição religiosa não poderia interferir na
sociedade de forma tão abrangente. Além disso, a igualdade perante a lei visava quebrar a lógica
estamental do absolutismo.

4. A
Dentre os acontecimentos mais marcantes do século XVIII, podemos citar a Revolução Industrial
promovida pela burguesia, que passou a utilizar o discurso iluminista para ganhar poder político e
expandir o modo de vida burguês, baseado na industrialização.

5. C
O pensador iluminista Montesquieu foi o grande responsável pela formulação da teoria da tripartição
dos poderes, ou seja, a divisão do Estado em três poderes: executivo, legislativo e judiciário. Tal
modelo, que defende a harmonia e a independência entre os poderes, é aplicado atualmente em
diversos locais do mundo, como no Brasil.

Exercícios de vestibulares

1. D
O século XVIII marca o intenso descontentamento com o absolutismo, tanto no continente europeu quanto no
continente americano. Essas críticas ao poder absoluto dos reis se materializaram em independências e
revoluções, que originaram o surgimento de constituições e cartas defendendo os direitos inalienáveis dos
homens.

12
História

2. E
O movimento iluminista nasceu propondo fazer uma critica às principais bases de sustentação da
sociedade absolutista, criticando, assim, as práticas mercantilistas, a sociedade estamental e o
domínio religioso promovido pela Igreja Católica.

3. D
De acordo com a frase de Locke, podemos compreender que, para os iluministas, a razão era a
prerrogativa para a emancipação do homem e a fonte do progresso, individual e coletivo, da sociedade.

4. E
É importante compreender que o Iluminismo não nasceu do nada, ele é uma continuidade do
humanismo que despontou ainda no século XIV e que desembocou no movimento que surge no século
XVIII. Portanto, o racionalismo, o cientificismo, o progresso e o esclarecimento são características que
foram amadurecendo ao longo dos séculos.

5. E
O século XVIII, conhecido também como o “século das luzes”, foi marcado pelo surgimento do movimento
iluminista, que valorizava a razão e o cientificismo em detrimento do clericalismo. Além disso, é também nesse
século que as ideias liberais ganham força dentro do continente europeu.

6. A
Conhecido como “pai do liberalismo econômico”, Adam Smith criticava as restrições do mercantilismo,
sistema econômico que estava atrelado ao absolutismo, defendendo uma maior liberdade comercial e
produtiva como sinônimo de progresso.

7. D
Diferente dos iluministas, que acreditavam, em teoria, que a igualdade perante a lei deveria ser um
direito universal (embora seja possível fazer uma série de críticas aqui), os romanos antigos, durante
boa parte da sua história, tratavam de forma desigual perante a lei os grupos sociais que detinham
menor poder econômico.

8. C
Fica claro no texto que Rousseau está falando da teoria do Contrato Social, que, para ele, seria a
alternativa viável para garantir a liberdade individual, através de um acordo entre os membros da
sociedade.

9. E
A Enciclopédia de Diderot tinha como missão difundir o conhecimento também entre as classes não
privilegiadas, combatendo assim, o misticismo e as superstições que teriam sido propagados pela
Igreja ao logo dos anos.

10. E
O projeto pan-óptico nasceu no final do século XVIII, e tinha como uma de suas pretensões disciplinar o
homem moderno através de espaços de vigilância que facilitavam o controle social de forma mais
eficiente. Dentro desse pensamento, o projeto arquitetônico citado permitia que esses presos fossem
vigiados e analisados em 100% do tempo.

13
Literatura

Romantismo: poesia da 1ª geração

Objetivo
Você irá conhecer o gênero literário Romantismo, assim como suas características principais e contextos
históricos.

Se liga
Para que você possa entender esse conteúdo, é necessário revisitar as primeiras escolas literárias do período
brasileiro colonial. Isso irá auxiliar a compreensão crítica, para seguir ao contexto de império.

Curiosidade
Embora o Romantismo tenha seu lado crítico, foi a primeira escola literária criada para garantir um
entendimento de cultura nacional. Na poesia, a primeira geração ganhou destaque com a literatura que
enaltece o indígena.

Teoria

O Romantismo
A primeira geração romântica é caracterizada como
Nacionalista ou Indianista e tinha o intuito de despertar o
sentimento de amor à pátria, uma vez que, após tantos anos de
Brasil-Colônia, era necessário implantar um apego à terra
tupiniquim e valorizar as belezas e os valores da região, ainda
que de forma idealizada. Além disso, a imagem do índio é
resgatada como a representação do herói nacional.

Contexto histórico
O contexto histórico da
primeira geração é marcado pela transição do Brasil-Colônia para o
Brasil-Império. Em 1822, com a Independência do Brasil, após tantos
anos com o país vivendo como colônia, fez-se necessário criar uma
arte vinculada às nossas raízes nacionais. Os principais
acontecimentos e influências que marcam esse período são:
● Instalação da Corte Portuguesa no Brasil (1808);
● Abertura dos Portos;
● Chegadas das missões estrangeiras (científicas e culturais);
● Revolução Industrial;
● Era Napoleônica;
● Revolução Francesa.

1
Literatura

Principais características do Romantismo


Veja abaixo os principais aspectos da escola romântica:
● Idealização amorosa;
● Sentimento nacionalista, culto à pátria;
● Fuga da realidade;
● Índio abordado de forma superficial, salvador da pátria;
● Linguagem subjetiva;
● Maior liberdade formal;
● Vocabulário mais simples;
● Natureza mais real, que deixa de ser pano de fundo e interage com o eu lírico.

Na poesia, os nomes que mais se destacam são Gonçalves Dias e Gonçalves de Magalhães.

Textos de apoio
Prólogo de “Suspiros poéticos e saudades”, obra inaugural do Romantismo no Brasil
É um Livro de Poesias escritas segundo as impressões dos lugares; ora assentado entre as ruínas da antiga
Roma, meditando sobre a sorte dos impérios; ora no cimo dos Alpes, a imaginação vagando no infinito como
um átomo no espaço, ora na gótica catedral, admirando a grandeza de Deus, e os prodígios do Cristianismo;
ora entre os ciprestes que espalham sua sombra sobre túmulos; ora enfim refletindo sobre a sorte da Pátria,
sobre as paixões dos homens, sobre o nada da vida. São poesias de um peregrino, variadas como as cenas
da Natureza, diversas como as fases da vida, mas que se harmonizam pela unidade do pensamento, e se
ligam como os anéis de uma cadeia; poesias d'alma, e do coração, e que só pela alma e o coração devem ser
julgadas.
Quem ao menos uma vez separou-se de seus pais, chorou sobre a campa de um amigo, e armado com o
bastão de peregrino, errou de cidade em cidade, de ruína em ruína, como repudiado pelos seus; quem no
silêncio da noite, cansado de fadiga, elevou até Deus uma alma piedosa, e verteu lágrimas amargas pela
injustiça, e misérias dos homens; quem meditou sobre a instabilidade das coisas da vida, e sobre a ordem
providencial que reina na história da Humanidade, como nossa alma em todas as nossas ações; esse achará
um eco de sua alma nestas folhas que lançamos hoje a seus pés, e um suspiro que se harmonize com o seu
suspiro. (...)
Uma vez determinado e conhecido o fim, o gênero se apresenta naturalmente. Até aqui, como só se procurava
fazer uma obra segundo a Arte, imitar era o meio indicado: fingida era a inspiração, e artificial o entusiasmo.
Desprezavam os poetas a consideração se a Mitologia podia, ou não, influir sobre nós. Contanto que
dissessem que as Musas do Hélicon os inspiravam, que Febo guiava seu carro puxado pela quadriga, que a
Aurora abria as portas do Oriente com seus dedos de rosas, e outras tais e quejandas imagens tão usadas,
cuidavam que tudo tinham feito, e que com Homero emparelhavam; como se pudesse parecer belo quem
achasse algum velho manto grego, e com ele se cobrisse. Antigos e safados ornamentos, de que todos se
servem, a ninguém honram!
Quanto à forma, isto é, a construção, por assim dizer, material das estrofes, e de cada cântico em particular,
nenhuma ordem seguimos; exprimindo as ideias como elas se apresentaram, para não destruir o acento da
inspiração; além de que, a igualdade dos versos, a regularidade das rimas, e a simetria das estâncias produz
uma tal monotonia, e dá certa feição de concertado artifício que jamais podem agradar. Ora, não se compõe
uma orquestra só com sons doces e flautados; cada paixão requer sua linguagem própria, seus sons
imitativos, e períodos explicativos.
(Gonçalves de Magalhães)

2
Literatura

Marabá
Eu vivo sozinha; ninguém me procura! — Como hástea pendente do cáctus em flor;
Acaso feitura — Mimosa, indolente, resvalo no prado,
Não sou de Tupá? — Como um soluçado suspiro de amor! —
Se algum dentre os homens de mim não se
esconde, "Eu amo a estatura flexível, ligeira,
— Tu és, me responde, "Qual duma palmeira,
— Tu és Marabá! Então me responde; "tu és Marabá:
"Quero antes o colo da ema orgulhosa,
— Meus olhos são garços, são cor das safiras, "Que pisa vaidosa,
— Têm luz das estrelas, têm meigo brilhar; "Que as flóreas campinas governa, onde está."
— Imitam as nuvens de um céu anilado,
— As cores imitam das vagas do mar! — Meus loiros cabelos em ondas se anelam,
— O oiro mais puro não tem seu fulgor;
Se algum dos guerreiros não foge a meus passos: — As brisas nos bosques de os ver se enamoram,
"Teus olhos são garços, — De os ver tão formosos como um beija-flor!
Responde anojado; "mas és Marabá:
"Quero antes uns olhos bem pretos, luzentes, Mas eles respondem: "Teus longos cabelos,
"Uns olhos fulgentes, "São loiros, são belos,
"Bem pretos, retintos, não cor d'anajá!" "Mas são anelados; tu és Marabá:
"Quero antes cabelos, bem lisos, corridos,
— É alvo meu rosto da alvura dos lírios, "Cabelos compridos,
— Da cor das areias batidas do mar; "Não cor d'oiro fino, nem cor d'anajá."
— As aves mais brancas, as conchas mais puras
— Não têm mais alvura, não têm mais brilhar. — E as doces palavras que eu tinha cá dentro
A quem nas direi?
Se ainda me escuta meus agros delírios: O ramo d'acácia na fronte de um homem
"És alva de lírios", Jamais cingirei:
Sorrindo responde; "mas és Marabá:
"Quero antes um rosto de jambo corado, Jamais um guerreiro da minha arazóia
"Um rosto crestado Me desprenderá:
"Do sol do deserto, não flor de cajá." Eu vivo sozinha, chorando mesquinha,