Você está na página 1de 16

Aluno: AMANDA GOUVEIA DE SOUSA

CARACTERÍSTICAS CARACTERÍSTICAS CARACTERÍSTICAS TRATAMENTO E


CLÍNICAS RADIOGRÁFICAS HISTOPATOLÓGICAS PROGNÓSTICO

CISTO DO DUCTO O cisto do ducto As radiografias geralmente O epitélio de revestimento dos Remoção cirúrgica.
NASOPALATINO nasopalatino pode se exibem uma lesão radiolúcida cistos do ducto nasopalatino é
Os cistos do ducto
desenvolver praticamente bem circunscrita próxima ou bastante variável. Muitas vezes,
(cisto não odontogênico) nasopalatino são
em qualquer idade, porém é na linha média da região mais de um tipo de epitélio é
encontrado no mesmo cisto. O
tratados por enucleação
mais comum entre a quarta anterior de maxila, entre os
epitélio pavimentoso cirúrgica.
e a sexta década de vida. ápices dos incisivos centrais.
Os sintomas mais comuns Outros casos podem exibir o estratificado é o mais comum,
estando presente em 75% de todos
incluem tumefação da formato clássico de coração*
os cistos. Nervos de tamanho
região anterior do palato,
moderado, arteríolas e veias são
drenagem e dor.
frequentemente encontrados na
parede do cisto.

CISTO NASOLABIAL O cisto nasolabial em geral Como o cisto nasolabial O cisto nasolabial é O tratamento de eleição
se apresenta como um origina-se nos tecidos moles, caracteristicamente revestido consiste na remoção
(cisto de desenvolvimento
aumento de volume do na maioria dos casos não há por epitélio colunar cirúrgica total por
raro)
lábio superior alterações radiográficas. Em pseudoestratificado, exibindo acesso intraoral.
lateralmente à linha alguns casos, pode ocorrer muitas vezes células
média, resultando na reabsorção do osso subjacente caliciformes e ciliadas.
elevação da asa do nariz. pela pressão exercida pelo
A dor é rara, exceto quando cisto.
a lesão está
secundariamente infectada.
O cisto pode se romper de
forma espontânea e drenar
para a cavidade oral ou
nasal.

CISTO ÓSSEO SIMPLES Em geral: achado O cisto ósseo simples é Nunca existe um revestimento O cisto ósseo simples
radiográfico. geralmente descoberto como epitelial. As paredes do defeito dos ossos gnáticos são
achados em radiografia de são forradas por uma camada manuseados com
Diferentemente das lesões
rotina que são realizadas por fina de tecido conjuntivo fibroso exploração cirúrgica e
extragnáticas, as lesões dos
outras razões. A lesão se vascular. curetagem. A
ossos gnáticos tendem a
apresenta como uma exploração cirúrgica
não apresentar sinais ou
radiolucidez unilocular, bem com ou sem curetagem
sintomas.
delimitada. Entretanto, usualmente induz a
Aproximadamente 20%
margens mal definidas e lesões regeneração óssea.
dos pacientes, têm
multiloculares também são
aumento de volume
possíveis. O defeito pode
indolor da área afetada.
variar de 1 a 10 cm de
Dor e parestesia são
diâmetro.
notadas com pouca
frequência.

DEFEITO DE STAFNE É uma lesão radiolúcida Lesão radiolúcida, abaixo do Devido ao aspecto radiográfico Não há necessidade de
assintomática. A maioria canal mandibular, entre característico, em geral a biopsia tratamento para os
(pseudocisto)
dos defeitos de Stafne é molares e ângulo. não é necessária para o defeitos de Stafne, e o
unilateral, embora também diagnóstico dos defeitos de prognóstico é excelente.
haja casos bilaterais. Stafne na região posterior da
mandíbula. Quando a biopsia é
realizada, geralmente se observa
tecido de glândula
submandibular normal.

CISTO PERIAPICAL Caracteristicamente, os Uma perda da lâmina dura é O cisto é revestido por epitélio Quando as
pacientes com cistos observada ao longo da raiz escamoso estratificado. O características clínicas e
(cisto inflamatório)
periapicais não têm adjacente e uma radiolucidez lúmen do cisto pode ser radiográficas indicarem
sintomas, a menos que arredondada cerca o ápice preenchido por fluido e uma lesão inflamatória
haja uma exacerbação dentário afetado. A resíduos celulares. A parede do periapical, faz-se a
inflamatória aguda. Além reabsorção radicular é comum. cisto consiste em tecido extração ou a terapia
disso, se o cisto alcançar conjuntivo fibroso denso – endodôntica não
um tamanho grande, então frequentemente com um cirúrgica
pode ser observado infiltrado inflamatório. conservadora.
inchaço e sensibilidade
branda.

CISTO RESIDUAL Geralmente inflamatório, O cisto periapical residual As características Como qualquer número
pode ser decorrente da aparece como uma histopatológicas dos três tipos de cistos e tumores
(cisto inflamatório)
ressecção incompleta de radiolucidez de tamanho de cistos inflamatórios são odontogênicos e não
um cisto. variável, de forma redonda a semelhantes (periapical, residual odontogênicos pode
oval, dentro da crista e lateral). simular a aparência de
alveolar no sítio de uma um cisto periapical
extração dentária prévia. residual, todos esses
cistos devem sofrer
excisão cirúrgica.

CISTO PARADENTÁRIO Se desenvolve na face As radiografias mostram uma As características microscópicas O cisto da bifurcação
vestibular do primeiro lesão radiolúcida unilocular não são específicas e mostram vestibular geralmente é
(cisto odontogênico molar inferior bem circunscrita envolvendo um cisto que é revestido por tratado por meio de
inflamatório incomum) permanente, embora a bifurcação vestibular e a epitélio pavimentoso enucleação; não é
alguns casos envolvam o região da raiz do dente em estratificado não necessária a extração do
segundo molar. O paciente questão. O tamanho médio do queratinizado com áreas de dente associado.
apresenta sensibilidade defeito radiolúcido é de 1,2 hiperplasia.
leve a moderada na face cm, mas a lesão pode atingir
vestibular do primeiro até 2,5 cm de diâmetro.
molar inferior, que pode
estar em processo de
erupção. O paciente nota
com frequência um
aumento de volume
clínico associado à saída
de secreção de gosto
desagradável.

CISTO DENTÍGERO Envolve a coroa de um Os cistos dentígeros No cisto dentígero não Enucleação cuidadosa
demonstram uma área inflamado, o tecido conjuntivo
dente incluso. do cisto junto com a
(cisto odontogênico de radiolúcida unilocular fibroso da parede cística é
associada à coroa de um dente organizado frouxamente e contém remoção do dente não
desenvolvimento) substâncias compostas de
incluso. erupcionado.
glicosaminoglicanos. O
revestimento epitelial consiste em
duas a quatro camadas de células
achatadas não queratinizadas, e a
interface entre o epitélio e o
tecido conjuntivo é plana.

No cisto dentígero inflamado,


que é bastante comum, a parede
fibrosa da cavidade cística possui
mais colágeno, apresentando uma
variação de infiltrado de
inflamatório crônico. A camada
epitelial pode demonstrar
quantidade variável de hiperplasia
com o desenvolvimento de cristas
epiteliais e características
escamosas mais definidas.

CISTO PERIODONTAL O cisto periodontal lateral é Radiograficamente, o cisto O cisto periodontal lateral A enucleação
LATERAL mais frequentemente uma aparece como uma área apresenta uma cápsula fibrosa conservadora do cisto
lesão assintomática que é radiolúcida bem circunscrita delgada, geralmente sem periodontal lateral é o
(cisto odontogênico de
detectada apenas durante localizada de modo lateral à inflamação, com um tratamento de escolha.
desenvolvimento)
um exame radiográfico. raiz ou raízes de dentes com revestimento epitelial que Na maioria das vezes,
Ocorre com maior vitalidade. A maioria destes possui, em sua maior parte, isso pode ser alcançado
frequência em pacientes da cistos possui menos de 1,0 cm apenas uma a três camadas de sem danos aos dentes
quinta à sétima década de em seu maior diâmetro. espessura. adjacentes.
vida, raramente
acometendo pessoas com
menos de 30 anos de idade.
Cerca de 75% a 80% dos
casos ocorre na região de
pré-molares, canino e
incisivo lateral inferiores.

QUERATOCISTO E SCNB Pequenos queratocistos Os queratocistos exibem uma Cápsula delgada e friável. A maioria dos
geralmente são área radiolúcida, com Epitélio pavimentoso queratocistos são
(cisto odontogênico de
assintomáticos e margens radiopacas regulares estratificado com 6 a 8 células. tratados de maneira
desenvolvimento distinto)
descobertos somente bem definidas. Lesões grandes, similar aos outros cistos
O queratocisto exibe uma
durante um exame em particular no corpo odontogênicos, ou seja,
cápsula delgada, friável, que
radiográfico de rotina. posterior e no ramo da por meio de enucleação
muitas vezes provoca
Queratocistos de grandes mandíbula, podem se dificuldades em ser enucleada e curetagem. A
dimensões podem estar apresentar multiloculadas. do osso em uma peça única. O remoção completa do
associados à dor, lúmen cístico pode conter um cisto em uma peça única
aumento de volume ou líquido claro semelhante a é geralmente difícil
drenagem de secreção. transudato seroso ou pode estar devido à natureza fina e
Contudo, alguns cistos preenchido por um material friável da parede cística.
extremamente grandes caseoso que, ao exame Em contraste a outros
podem ser assintomáticos. microscópico, consiste em cistos odontogênicos, os
lâminas de queratina. queratocistos têm
tendência de recidiva
após o tratamento.

ENUCLEAÇÃO: Procedimento cirúrgico de remoção de cisto dos maxilares, que se remove totalmente o cisto deixando a cavidade óssea vazia. Dependendo do tipo de cisto
pode ser fazer enxerto ósseo e preencher a cavidade resultante da enucleação, ou mesmo ser necessária uma ampliação daquela cavidade promovendo uma margem de
segurança afim de evitar recidiva(retorno) da patologia, e programar a reconstrução com enxerto em novo tempo cirúrgico.
CISTO DO DUCTO NASOPALATINO:

CISTO NASOLABIAL:
CISTO ÓSSEO SIMPLES:
DEFEITO DE STAFNE:
CISTO PERIAPICAL:
CISTO RESIDUAL:
CISTO PARADENTÁRIO:
CISTO DENTÍGERO:
CISTO PERIODONTAL LATERAL:
QUERATOCISTO:

Você também pode gostar