Você está na página 1de 8

I

relevância na implementação/ desenvolvimento


Embora consciente, não valoriza ou reconhece

da dimensão.
É capaz de se exprimir fluente e correctamente de modo a atingir o seu propósito comunicativo,

ar
in
adequando a complexidade (e velocidade) linguística à audiência.

pl
ci
is
rd
Recorrendo aos meios necessários, é capaz de analisar, compreender, modelizar e testar aspectos

be
formais e conteudais.

sa
De modo a implementá-los criticamente, compreende as exigências do programa que implementa:
-Objectivos dos vários ciclos - Objectivos de ano

o
tic
É capaz de identificar e analisar os constrangimentos situacionais que condicionam a consecução das

ác
id
finalidades do programa, p. ex., condições institucionais, manual adoptado, conhecimento e atitudes dos

rd
alunos, etc., de modo a assegurar uma decisão informada.

be
sa
Revela conhecimento sobre metodologias e teorias de aprendizagem (da língua), que utiliza
criticamente.

ional
Como líder é capaz de gerir/ participar na gestão de um grupo (criar e manter a identidade e finalidade
do grupo, através da criação e manutenção de uma atmosfera produtiva, onde todos os membros se
sentem apoiados, valorizados, motivados e à--vontade) nos vários níveis: turma, núcleo, departamento, s
profis
escola.
oal e
p es s

Enquanto membro de vários grupos (núcleo, departamento, escola) é capaz de participar activa e
produtivamente, mostrando vontade de tomar as medidas necessárias para facilitar a consecução dos
objectivos do grupo, procurando e/ou oferecendo ajuda quando necessário.
ento
im
nvolv

É capaz de lidar com as exigências quotidianas dos vários papéis profissionais, mantendo o nível
necessário de qualidade mediante uma preparação atempada.
dese

É capaz de promover o seu desenvolvi-mento profissional.

É capaz de identificar, seleccionar e/ou definir objectivos de aprendizagem relevantes e adequados, a


longo prazo, integrados numa estratégia consistente e informada, de modo a maximizar a aprendizagem
e desenvolvimento dos alunos dentro e fora da sala de aula, p. ex., atender a necessidades especiais, ou
privilegiar determinados domínios da aprendizagem, promovendo e incrementando a participação e
autonomia dos alunos.
ão

É capaz de planificar uma unidade de aulas, a médio prazo, adequadas à consecução dos objectivos

definidos, permitindo a aprendizagem gradual e sistemática, desenvolvimento e avaliação (diagnóstica,


c
ifi

formativa, sumativa) das competências visadas.


an
pl

É capaz de planificar aulas, a curto prazo, com o detalhe suficiente de modo a atingir plenamente os
objectivos da aula, nomeadamente pela sua qualidade (relevância, adequação e rigor) e pela qualidade
dos procedimentos pedagógicos (adequação às finalidades e objectivos e aos constrangimentos
situacionais identificados).
É capaz de seleccionar, produzir e/ou adaptar actividades e materiais adequados à consecução dos
objectivos definidos.
ão

É capaz de implementar o plano de acção, identificando e lidando com os constrangimentos situacionais


ec

de modo a atingir plenamente os resultados pretendidos, nomeadamente pela implementação de um


ex

ritmo adequado, monitorizando a acção e indo ao encontro das necessidades dos alunos.
e
ad
ivid
É capaz de reflectir sobre e decidir de modo informado acerca da consecução dos objectivos definidos,

l ex
identificando causas de insucesso e delinear abordagens alternativas de combate às mesmas. É
receptivo/a, interessado/a e motivado/a para procurar opiniões de terceiros sobre os aspectos relevantes.

ref
ão

É capaz de avaliar as aprendizagens dos alunos em todas as áreas relevantes, garantindo a sua validade

al i
e fiabilidade através do recurso a critérios relevantes e adequados.

av
ão

É capaz de mobilizar os vários intervenientes da situação de ensino/ aprendizagem na análise dos

roa
resultados, de modo a promover o desenvolvimento crítico das várias partes envolvidas, permitindo

ret
decisões futuras mais informadas.
r

É capaz de seguir minimamente as


explicações/ descrições da implementação da
II
dimensão e implementar acriticamente
abordagens convencionais.

É suficientemente capaz de estabelecer


objectivos a atingir na dimensão, mas necessita
frequentemente de apoio de terceiros para os
III

atingir. Procura de forma activa ‘feedback’


informativo, sobre o qual age de modo a
melhorar o seu desempenho.

Com níveis de sucesso satisfatórios revela


autonomia na dimensão, embora, por vezes,
possa ter necessidade de consultar terceiros
sobre determinados aspectos. É genericamente
IV a

capaz de se auto-avaliar e agir tendo em vista a


melhoria.

Com níveis de sucesso frequentemente


elevados, revela autonomia na dimensão,
embora, por vezes, possa ter necessidade de
consultar terceiros sobre determinados
aspectos. Revela uma cultura de partilha
IV b

activa.É genericamente capaz de se auto-


avaliar e agir tendo em vista a melhoria.

Consecução confiante dos objectivos


estabelecidos para a dimensão. É
genericamente capaz de se auto-avaliar e agir
V

tendo em vista a melhoria.É motivado e capaz


de ajudar outros a desenvolver competência na
dimensão.

O mesmo que em V. É produtor de inovação,


questionando paradigmas aceites, propondo
VI

visões novas/ alternativas da dimensão e


desenvolvendo novos modos de a trabalhar.
I II
Embora consciente, não valoriza ou reconhece relevância na É capaz de seguir minimamente as explicações/ descrições da
implementação/ desenvolvimento da dimensão. implementação da dimensão e implementar acriticamente
abordagens convencionais.
III IV a
É suficientemente capaz de estabelecer objectivos a atingir na Com níveis de sucesso satisfatórios revela autonomia na
dimensão, mas necessita frequentemente de apoio de terceiros dimensão, embora, por vezes, possa ter necessidade de
para os atingir. Procura de forma activa ‘feedback’ consultar terceiros sobre determinados aspectos. É
informativo, sobre o qual age de modo a melhorar o seu genericamente capaz de se auto-avaliar e agir tendo em vista a
desempenho. melhoria.
IV b V
Com níveis de sucesso frequentemente elevados, revela Consecução confiante dos objectivos estabelecidos para a
autonomia na dimensão, embora, por vezes, possa ter dimensão. É genericamente capaz de se auto-avaliar e agir
necessidade de consultar terceiros sobre determinados tendo em vista a melhoria.É motivado e capaz de ajudar
aspectos. Revela uma cultura de partilha activa.É outros a desenvolver competência na dimensão.
genericamente capaz de se auto-avaliar e agir tendo em vista a
melhoria.
VI
O mesmo que em V. É produtor de inovação, questionando
paradigmas aceites, propondo visões novas/ alternativas da
dimensão e desenvolvendo novos modos de a trabalhar.