Você está na página 1de 5

Relatos de Tratamento Apometrico na Umbanda.

Consulente: DMS, 50 anos, mulher, viúva, espírita.

Sintomas: Faz 10 anos que a consulente tem aumento súbito do


batimento cardíaco, acompanhado de dor no peito e sensação de
fraqueza. Estes sintomas eram esporádicos até então. Assim como
apareciam sumiam, de uma hora para outra. Ocorre que de um mês
para cá se intensificaram, aumentando a freqüência do mal estar
súbito. Quando chegou para o atendimento na Choupana, em dia
de sessão de preto velho, tal mal estar havia se tornado diário,
sempre de noite: disparo do batimento cardíaco, entorpecimento do
lado esquerdo do corpo, dor no peito do lado do coração, sensação
de peso e falta de ar. DMS se apresenta fraca, com olheiras, mas
ainda consegue trabalhar. É assistente administrativa de um grande
hospital público de Porto Alegre e fez todos os exames possíveis
que a tecnologia moderna permite para auxiliar a medicina e nada
de anormal foi diagnosticado. Os médicos não sabem o que fazer e
a paciente se apresenta desanimada e fraca. Foi marcado
atendimento com apometria em dia específico para este fim.

A Dinâmica do Atendimento: os atendimentos se dão na frente do


congá, com os médiuns sentados em círculo. O consulente fica
sentado no meio. São permitidas manifestações simultâneas e
todas as formas espirituais são bem vindas. Regularmente
utilizamos pontos cantados e todos os elementos peculiares à
magia na umbanda. Encaminhamos espíritos doentes ao plano
espiritual através de um breve diálogo fraterno. Nem todas as
manifestações são mediúnicas e o animismo perde o estigma de
mistificação, sendo comum as catarses referentes à traumas da
vida passada do consulente.

Atendimento: durante a anamnese – entrevista com o consulente –


verificou-se que a mesma tem um filho esquizofrênico de 30 anos,
dependente dela e que reside junto. Aberta a freqüência da
consulente e do seu filho doente, dado que ele não tem
discernimento para entender a situação, pela aplicação de pausada
contagem, estalar de dedos induzindo o desdobramento de ambos,
se constatou vários espíritos sofredores no campo energético do
filho. Todos foram tratados e encaminhados com a vibração dos
exus e de Oxossi.
Após este socorro, descobrimos um espírito de mulher “grudado” no
filho, sendo que sempre que ele dorme, de noite, se desloca
violentamente para atacar a mãe, ao qual nutre ódio mortal. Esta
entidade está desgrenhada, com sérias deformações em seu corpo
astral.

Ataca DMS com uma tesoura na mão e tentar arrancar-lhe o


coração, pois em sua perturbação se enxerga em situação de outra
encarnação em que foi amante do filho e a atual mãe era a esposa.
Tendo ficado grávida e sendo descoberta pela esposa de outrora,
hoje a mãe atacada, que mandou capturarem-na e deixou-a morrer
a míngua de fome e sede num calabouço, isto grávida avançada,
com quase 9 meses. Com os pontos cantados de pomba gira das
rosas, este espírito foi socorrido e se re-encontrou no astral com
seu antigo filho – o bebê que ela perdeu nas entranhas – que veio
socorrê-la. Ato contínuo, “refizemos” os chacras “danificados” da
consulente com a vibração do oriente, oxum e Yemanjá.

Conclusão: não temos o direito de julgar ninguém. Mediunidade e


apometria são ferramentas de auxílio incondicional ao próximo. Ao
depararmo-nos com o presente quadro familiar, certamente uma
encarnação de resgate por débitos do passado, nos defrontamos
com um filho esquizofrênico, que vive mais o plano astral na mão
dos inimigos desencarnados do que a vida da presente encarnação.

Com o socorro feito, houve o alívio, se não duradouro ao menos


temporário, dando um alento a todos os envolvidos: a atual mãe
atacada diariamente, a mãe e amante do passado que se encontra
novamente com seu filhinho, e o filho doente de agora –
esquizofrênico –Ex marido traidor, que tem um alívio na
repercussão vibratória enfermiça da entidade doente que estava
fixa em seu campo vibratório, utilizando-se de sua mediunidade
descontrolada para usá-lo como trampolim de sua vingança contra
a atual mãe e antiga desafeta. O tempo – e xangô – regem os
caminhos ascensionais de todos nós e sabem o que é de cada um
para aprendizado e evolução. Não nos foi dado saber a
anterioridade do enredo entre estes três espíritos. Com certeza são
consciências muito ligadas em obsessão recíproca. A cada um
segundo suas obras diante das soberanas leis cósmicas que
imputam a reencarnação a todos nós.

====================================================
A sessão de caridade foi muito procurada naquela noite no terreiro.
Vários consulentes com desequilíbrios sexuais, seja excesso ou
ausência de intercurso com o sexo semelhante ou oposto, traições,
trocas de parceiros. A maioria com vampirizações por espíritos
densos no chacra básico.

Graças a Oxalá, sou médium consciente. Isto não quer dizer que
terei lembrança de tudo que foi dito pela entidade quando me
irradiava vibratoriamente. É me dado lembrar com mais vivacidade
aspectos importante para o meu aprendizado ou para os trabalhos
que continuarão ocorrendo à noite durante o sono físico.

Desdobramos parcialmente nosso corpo astral durante a sessão de


caridade e completamente durante o sono físico, dependendo da
especificidade do trabalho e da quantidade de fluído vital - axé –
ectoplasma – que os guias necessitarão durante os trabalhos de
caridade.

A noite, após a sessão, tive uma experiência gratificante...Vou


compartilhar...

Me vi desdobrado, em corpo astral, na beira de um rio....


No meio deste rio de águas correntes, pomba gira das águas dança
e roda ao redor de centenas de espíritos

Ressoam os atabaques...

A preta velha, Vovó Maria Conga, chega e se acopla no meu corpo


astral...

Fico completamente dominado no mental, não sou mais eu, mas


estou plenamente consciente, ouço e vejo tudo...

Pomba gira das águas, um Exu feminino cruzado com Oxum - água
doce - chega perto dançando...

Não reconhece, inicialmente a preta velha "escondida" em meu


corpo astral

A preta diz: sabe quem fala, é Vovó Maria Conga....


A pomba gira das águas chega até a entidade guia, para de
dançar, se ajoelha e beija as mãos da preta velha...

A entidade alisa os cabelos dela, num indizível amor, e diz:

"- Continua filha, continua com a tua dança que os atabaques não
pararam...Continua ajudando os maninhos da Terra a se livrarem
das suas cargas deletérias pelos seus descontroles sexuais. Todos
eles estiveram na sessão desta noite (se referindo a sessão de
caridade no terreiro)."

Mostraram-me, com a maior consciência que já tive, uma


incorporação completa em desdobramento astral...

O médium não perde a consciência, escuta e ouve tudo, mas não é


dono do seu mental. É como um garoto escondido acocorado no
cantinho do cinema, não pode sentar na poltrona. Compreendem?
Sente-se a entidade, o rosto se repuxa num envelhecimento, a voz
fica rouca igual a dos velhos e um indizível amor e bem estar se
instalam...Amor pelos espíritos ditos "marginais" aos fracos e
hipócritas da Terra...Sem julgamentos....

Nem sabia que existia exu feminino de limpeza cruzado com água
doce...pomba gira das águas....

Fiquei assistindo aquelas centenas de espíritos desdobrados


"hipnotizados" ao som dos atabaques. No centro do rio a pomba
gira dançando e conforme sua sensualidade os hipnotizava eles
entravam nas águas correntes, que na sua correnteza escurecia,
ficavam turvas das impurezas dos desmandos sexuais dos
encarnados. Foi uma experiência inesquecível.

Lembro novamente que houve vários consulentes com problemas


sexuais na sessão de caridade da noite.

Fica a lição que o desdobramento astral, também o induzido pela


apometria, pois condiciona os corpos do médium, não invalida a
"incorporação".

Facilita a entidade no plano astral.

O que ocorre no terreiro na gira é só uma pontinha da montanha...


CREIO QUE O CONCEITO DE DESDOBRAMENTO ASTRAL
DEVE SER CADA VEZ MAIS DIFUNDIDO NO MEIO DA
UMBANDA...

Tudo isto muito CONSCIENTE. Vamos quebrar tabus.


A INCORPORAÇÃO É COMPLETA EM DESDOBRAMENTO POIS
O CORPO FÍSICO É UMA BARREIRA ENERGÉTICA PARA A
PLENITUDE DA MANIFESTAÇÃO QUANDO ESTAMOS EM
ESTADO DE VIGÍLIA...CLARO, ESTOU FALANDO DE MÉDIUNS
NA ATUALIDADE, CONSCIENTES.....

O médium desdobrado e incorporado no Astral pelo guia doa


ectoplasma – fluído vital - através do cordão de prata e do duplo
etéreo deslocado. Com esta energia, a força mental de Vovó Maria
Conga manteve todo aquele cenário plasmado. Os atabaques, uma
vibração sonora próxima dos encarnados, criou potente campo de
força de atração e retenção, oportunizando uma concha astral que
manteve unidos todos os atendidos pelo tempo necessário para a
descarga...

Todos desdobrados durante o sono físico. Dois espíritos


conduzindo os trabalhos, uma preta velha e uma pomba gira...
Ao menos os que eu vi... eram muitos mais... com certeza...
Na Umbanda, tudo é energia, tudo são vibrações, tudo é movimento
e se expressa através dos orixás na natureza transmutadora... Não
é LINDA a BANDA?!!

Saravá!

Você também pode gostar