Você está na página 1de 8

SEI/MJ - 13138167 - Projeto Básico https://sei.mj.gov.br/sei/controlador.php?acao=documento_imprimir_web&acao_origem=arvore_visua...

13138167 08020.001359/2020-20

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA E SEGURANÇA PÚBLICA


Esplanada dos Ministérios, Bloco T, Anexo II, sala 507, - Bairro Zona Cívico-Administra�va, Brasília/DF, CEP 70064-901
Telefone: (61) 2025-9753 / 9892 / 9646 - h�ps://www.jus�ca.gov.br

PROJETO BÁSICO

INEXIGIBILIDADE DE LICITAÇÃO Nº 4/2020


PROCESSO Nº 08020.001359/2020-20

(COMPRAS)

1. DO OBJETO:
1.1. Aquisição de espargidores de agente de pimenta �po espuma a serem doados às Polícias Militares dos Estados, visando mi�gar as
demandas dessas ins�tuições, em consonância com o Programa de Reaparelhamento da Diretoria de Polí�cas de Segurança Pública - DPSP, conforme
condições, quan�dades e exigências estabelecidas neste instrumento:
ITEM DESCRIÇÃO/
IDENTIFICAÇÃO CATMAT UNIDADE DE MEDIDA QUANTIDADE
ESPECIFICAÇÃO
1 Espargidor de Espuma de Agente de Pimenta (OC) uso individual 458225 unidade 12.483
1.2. O prazo de vigência da contratação é de 12 (doze) meses contados da assinatura do contrato prorrogável na forma do art. 57, § 1°, da Lei
n° 8.666/93.
1.3. As especificações técnicas dos objetos estão descritas no Anexo I-A deste Projeto Básico, e foram detalhadas de forma a garan�r que os
objetos tenham qualidade e cumpram a finalidade para a qual foram adquiridos.
1.4. A Secretaria Nacional de Segurança Pública - SENASP/MSP, ao promover a presente aquisição, observará os preceitos dispostos na
Instrução Norma�va SLTI/MPOG nº 01, de 19/01/2010 e no Guia Nacional de Licitações Sustentáveis da Advocacia Geral da União, que "dispõe sobre os
critérios de sustentabilidade ambiental na aquisição de bens, contratação de serviços ou obras pela Administração Pública Federal direta, autárquica e
fundacional e dá outras providências".
1.5. Ainda com o foco na sustentabilidade visando diminuir a poluição ou agressão exagerada ao meio ambiente, a Contratada deverá atender
aos requisitos de reu�lização ou a reciclagem de PCE ou de seus resíduos, após expirado o seu prazo de validade, obedecendo, no que couber, o disposto
na Lei nº 12.305, de 2 de agosto de 2010, conjunto com o previsto no Art. 10 do Decreto nº 10.030, de 30 de setembro de 2019.
1.6. O Sindicato Nacional das Indústrias de Materiais de Defesa - SIMDE, estatuto 13107515, expediu a Declaração de Exclusividade à
empresa CONDOR S.A, DE nº S003/2020 (13016597), emi�da em 31 de agosto de 2020, com a validade até dia 27/02/2021.
1.7. Sobre a exclusividade, foi demonstrado nos autos que a empresa CONDOR é a unica fabricante e vendedora do objeto - espargidor de
pimenta em forma de espuma, pois além da Declaração de Exclusividade - DE nº S003/2020 (13016597) e os documentos que atestam sua veracidade,
há também, a resposta da Diretoria de Fiscalização de Produtos Controlados - DFPC, do Exército Brasileiro sobre as empresas que podem fabricar e
comercializar, ainda e de relevância, a nota da pesquisa de preço com a ausência de proposta comercial pelas empresas cadastradas no DFPC, ou seja,
neste caso par�cular, a exclusividade do Espargidores de Espuma de Agente Pimenta (OC), pela empresa CONDOR é fato indubitável.
1.8. Diante da exclusividade de fornecimento do bem pretendido, a aquisição em cena recai sobre a modalidade de INEXIGIBILIDADE de
licitação, com base no art. 25 inciso I da Lei nº 8.666 de 21/06/199.
"Art. 25. É inexigível a licitação quando houver inviabilidade de compe�ção...”

2. JUSTIFICATIVA E OBJETIVO DA CONTRATAÇÃO:


2.1. A Jus�fica�va e obje�vo da contratação encontra-se pormenorizada em Tópico específico dos Estudo Técnico Preliminar, SEI (12720359),
apêndice deste Projeto Básico.
3. DESCRIÇÃO DA SOLUÇÃO:
3.1. A descrição da solução como um todo, encontra-se pormenorizada em Tópico específico do Estudo Técnico Preliminar SEI (12720359),
apêndice deste Projeto Básico.
4. ENTREGA E CRITÉRIOS DE ACEITAÇÃO DO OBJETO
4.1. O prazo de entrega dos bens é de 120 (cento e vinte) dias corridos dias, contados da assinatura do contrato, em remessa única, nos
endereços constantes na tabela abaixo:

DESCRIÇÃO / UND
ITEM LOCAL ENTREGA ENDEREÇO Quan�dade
ESPECIFICAÇÃO DE MEDIDA
Secretária de Estado de Segurança Avenida Getúlio Vargas 232 - Palácio das Secretarias - Subsolo - Centro.
350
Espargidor de Pública do Acre CEP 69.900-660 - Rio Branco/AC - Tels: (68) 3224-1183 / 1189/7865
Espuma de Secretária de Segurança Pública Rua Zadir Indio s/nº - centro, CEP: 57.020-150 Maceio - AL. Tels: (82)
1 Unidade 350
Agente de do Alagoas 3315-2378 / 2372
Pimenta (OC) Secretária de Estado de Segurança Avenida Torquato Tapajós, nº 5.555, Bairro Flores. Tels:(92) 3237-8584 /
350
Pública do Amazonas (92) 3652 -2015

1 of 8 20/05/2021 14:12
SEI/MJ - 13138167 - Projeto Básico https://sei.mj.gov.br/sei/controlador.php?acao=documento_imprimir_web&acao_origem=arvore_visua...

Secretária de Estado da Jus�ça e Avenida Padre Julio Maria Lombaerd, nº 810 - Bairro: Central CEP:
350
Segurança Pública do Amapá 68.900-030 - Macapá/AP. Tels: (96) 3225-8573
Secretária de Segurança Pública Centro Administra�vo da Bahia – 4ª Avenida, nº 430 - 3º andar. CEP:
554
da Bahia 41.745-002 - Salvador/BA. Tels: (71) 3115-1914 / 1913 / 1864
Secretária de Segurança Pública e Avenida Bezerra de Menezes, nº 581 - Bairro: São Gerardo. Cep:
554
Defesa Social do Ceará 60.325-003 – Fortaleza/CE. Tels: (85) 3101-6501 / 6503
Secretária de Estado de Segurança SAM - Conjunto "A", Bloco “A”, Ed. Sede da SSP /DF - 4º andar. CEP
350
Pública do Distrito Federal 70.620-000 - Brasília - DF. Tels: (61) 3441-8749 / 8730 / 8852
: Avenida Marechal Mascarenhas de Moraes, nº 2.355, Bento Ferreira.
Secretária de Estado da Segurança
CEP: 29.050-625 - Vitória/ES. Tels: (27) 3636-1501 / 1502 / 350
Pública e Defesa Social do Espírito Santo
1503/1505/1500
Secretária de Segurança Pública Avenida Anhangüera, 7364, Setor Aeroviário. CEP: 74.435-300 -
554
do Goiás Goiânia/GO. Tels: (62) 3201-1049 / 1050 / 1052 / 1075 / 1090 /1063
Secretária de Segurança Pública Avenida dos franceses, s/nº -Vila Palmeira. CEP: 65.036-283 - São
554
do Maranhão Luís/MA. Tels: (98) 3214. 3708 / 3704 / 3779/ 3204
Rod. Papa João Paulo II, nº 4.143, Ed. Minas Gerais, 3ºandar , Serra
Secretária de Segurança Pública
Verde. CEP: 31.630-900 - Belo Horizonte/MG. Tels: (31) 3915-5525 /5538 749
de Minas Gerais
/5539 / 5500/ 5501/ 5510
Secretária de Estado de Jus�ça e
Avenida do poeta Bloco IV - Parque dos Poderes. CEP: 79.031-350 –
Segurança Pública do Mato Grosso do 350
Campo Grande/MS. Tels: (67) 3318 - 6702 (67) 3318 - 6799
Sul
Secretária de Segurança Pública Centro Polí�co e Administra�vo Bloco “B” 2ª Transversal Anexo 2 - 1º
350
do Mato Grosso Piso. CEP: 78.050-970 - Cuiabá /MT. Tels: (65) 3613-5505 / 5542
Secretária de Estado de Segurança Rua Arcipreste Manoel Teodhoro, nº 305 - Bairro Ba�sta Campos. CEP:
554
Pública e Defesa Social do Pará 66.023-700 - Belém/PA. Tels: (91) 3184-2555 / 2525
Secretária de Segurança Pública e da Rua Avenida Hilton Souto Maior s/nº Mangabeira 1. CEP: 58.055-018 -
554
Defesa Social da Paraíba João Pessoa/PB. Telefone: (83) 3213-9003 / 3238-5062
Secretária de Defesa Social Rua São Geraldo, 111, Santo Amaro. CEP: 50.040-020 -
554
de Pernambuco Recife/PE. Telefone: (81) 3183-5028 / 5068 / 5089 / 5021
Rua Tersandro Paz 3.150 - Piçarra. CEP: 64.015-015 -
Secretário de Segurança Pública do Piauí 350
Teresina/PI. Telefone: : (86) 3216-5221
Secretário de Estado de Segurança Rua Dep. Mário de Barros 1290, Ed. Caetano Munhoz da Rocha 4º andar,
Pública e Administração Penitenciária Centro Cívico. CEP: 80530-280 - Curi�ba/PR. Telefone: (41) 3313-1949 / 554
do Paraná. 1992 /1953/ 1974 /1901
Secretaria de Estado de Polícia
Av. Feliciano Sodré, 190 - Centro, Niterói - RJ, 24030-011 (21) 2717-6250 749
Militar do Rio de Janeiro
Secretaria de Estado da Segurança Centro Administra�vo do Governo do Estado - Escola de Governo, 1º
Pública e da Defesa Social do Rio Grande andar BR 101 Km 0 - Bairro Lagoa Nova. CEP: 59.064-901 - 350
do Norte Natal/RN. Telefone: (84) 3232-1084 / 1082 / 1083.
Av. Farquar, 2986 - Bairro: Pedrinhas, Complexo Rio Madeira, Curvo 2, 3º
Secretária de Segurança Pública e
andar. CEP: 76801-470 - Porto Velho/RO. Telefone: (69) 3216-8922 / 350
Cidadania de Rondônia
8918 / 8905 / 3216-7280.
Secretaria de Estado da Segurança Avenida Ville Roy, nº 5604 – Centro. CEP: 69.301-000 - Boa
350
Pública de Roraima Vista/RR. Telefone: (95) 2121-8534 / 8529 /8509 - Fax: (95) 2121-8509
Secretária da Segurança Pública Rua Voluntários da Pátria, 1358, 8°andar – Centro, Ala Norte. CEP:
554
de Porto Alegre 90.230-010 - Porto Alegre/RS. Telefone: (51) 3288-1906 / 1905.
Secretaria de Estado da Segurança Avenida Governador Ivo Silveira, 1521 – Bairro Capoeiras -
350
Pública de Santa Catarina Florianópolis/SC. CEP: 88.085.000 - Florianópolis/SC. Tel: (48) 3665-8100
Secretário de Segurança Pública Praça Tobias Barreto, 20 - São José. CEP: 49.015-130 -
350
de Sergipe Aracaju/SE. Telefone: (79) 3216-5444 / 5404 / 5405 / 5400
Rua Líbero Badaró 39 - Sé 12º Andar Centro. CEP: 01.009-000 - São
Secretário de Estado da Segurança
Paulo SP. Telefone: (11) 3291-6830 / 6832 / 6836 / 6823 / 6836/ 6852 / 749
Pública de São Paulo
6801/6845/6782
Secretário de Segurança Pública Esplanada das Secretarias Praça do Girassol. CEP: 77.015-900 -
350
do Tocan�ns Palmas/TO. Telefones: (63) 3218-1801 / 1804 / 6700 / 1810 / 6800

4.2. O prazo de validade na data da entrega não poderá ser inferior a 04 (quatro) anos e 08 (oito) meses do prazo total recomendado pelo
fabricante.
4.3. Os bens serão recebidos provisoriamente no prazo de 10 (dez) dias corridos, pela Comissão de Recebimento Provisório devidamente
designada, sendo composta de no mínimo 03 (três) integrantes indicados pelo Estado que receberá o material, para efeito de posterior verificação de sua
conformidade com as especificações constantes neste Projeto Básico.
4.4. Os bens poderão ser rejeitados, no todo ou em parte, quando em desacordo com as especificações constantes neste Projeto Básico e na
proposta, devendo ser subs�tuídos no prazo de 30 (trinta) dias, a contar da no�ficação da contratada, às suas custas, sem prejuízo da aplicação das
penalidades.
4.5. Os bens serão recebidos defini�vamente no prazo de 30 (trinta) dias corridos, contados do recebimento provisório, após a verificação da
qualidade e quan�dade do material e consequente aceitação mediante termo circunstanciado.
4.5.1. Na hipótese de a verificação a que se refere o subitem anterior não ser procedida dentro do prazo fixado, reputar-se-á como
realizada, consumando-se o recebimento defini�vo no dia do esgotamento do prazo.
4.6. O recebimento provisório ou defini�vo do objeto não exclui a responsabilidade da contratada pelos prejuízos resultantes da incorreta
execução do contrato.
4.7. A entrega deverá ser efetuada em dias úteis, no horário de expediente compreendido entre 08h às 12h e 14h às 18h. A empresa deverá
comunicar à contratante, com 72h de antecedência para o agendamento da entrega nos telefones informados na tabela acima.
4.8. Os bens serão recebidos mediante Termo Circunstanciado por comissões compostas por representantes do Estado que receberá o
equipamento e da Secretaria Nacional de Segurança Pública - SENASP/MJSP, designados através de portaria para esse fim.
4.8.1. As comissões de que tratam o item anterior se referem à Comissão de Recebimento Provisório, composta por no mínimo 03 (três)
representantes do Estado que receberá o equipamento e Comissão de Recebimento Defini�vo, composta por servidores indicados pela SENASP.

2 of 8 20/05/2021 14:12
SEI/MJ - 13138167 - Projeto Básico https://sei.mj.gov.br/sei/controlador.php?acao=documento_imprimir_web&acao_origem=arvore_visua...

4.9. A Comissão de Recebimento Provisório deverá:


4.9.1. Analisar o objeto recebido, verificando se os bens cumprem as especificações técnicas e quan�dades con�das neste Projeto Básico,
atestando as informações no Termo de Recebimento Provisório.
4.9.2. Confeccionar Relatório Fotográfico, que deverá ser enviado anexo ao Termo de Recebimento Provisório.
4.9.3. Carrear os autos com todos os documentos imprescindíveis para subsidiar o recebimento defini�vo, devendo ser enviados à SENASP
no endereço eletrônico (que será fornecido posteriormente quando da publicação das portarias de designação das Comissões de Recebimento) em
até dois dias anteriores ao término do prazo de recebimento provisório.
4.10. Caso entenda necessário, a Comissão de Recebimento Defini�vo fará visita in loco ao Estado que atuará de forma a sanar qualquer dúvida
ou inconsistência quanto ao recebimento provisório.
4.11. Caso os objetos sejam diferentes dos propostos ou apresentarem defeitos, serão considerados não entregues e a contagem do prazo de
entrega não será interrompida em decorrência do não recebimento, arcando a empresa fornecedora com o ônus decorrente deste atraso.
4.12. Os objetos desta aquisição deverão ser entregues acondicionados em embalagem que sa�sfaça o Art. 5º da Instrução Norma�va
SLTI/MPOG nº 01, de 19/01/2010, com boa qualidade, resistente a empilhamento, que ofereça proteção ao material contra ação de agentes externos
que possam lhe causar danos, devidamente iden�ficada na parte externa com e�queta autocolante em local visível e de fácil leitura.
4.13. Deverá constar nas notas fiscais os números dos lotes de rastreabilidade com vistas a proporcionar maior controle e agilidade por parte da
contratada.
4.14. A distribuição dos objetos por ins�tuição de Segurança Pública deverá ser feita de acordo com o item 4.1.
5. OBRIGAÇÕES DA CONTRATANTE
5.1. São obrigações da Contratante:
5.1.1. receber o objeto no prazo e condições estabelecidas no Projeto Básico e seus anexos;
5.1.2. verificar minuciosamente, no prazo fixado, a conformidade dos bens recebidos provisoriamente com as especificações constantes do
Projeto Básico e da proposta, para fins de aceitação e recebimento defini�vo;
5.1.3. comunicar à Contratada, por escrito, sobre imperfeições, falhas ou irregularidades verificadas no objeto fornecido, para que seja
subs�tuído, reparado ou corrigido;
5.1.4. acompanhar e fiscalizar o cumprimento das obrigações da Contratada, através de comissão/servidor especialmente designado;
5.1.5. efetuar o pagamento à Contratada no valor correspondente ao fornecimento do objeto, no prazo e forma estabelecidos no Projeto
Básico e seus anexos;
5.2. A Administração não responderá por quaisquer compromissos assumidos pela Contratada com terceiros, ainda que vinculados à execução
do presente Termo de Contrato, bem como por qualquer dano causado a terceiros em decorrência de ato da Contratada, de seus empregados, prepostos
ou subordinados.
6. OBRIGAÇÕES DA CONTRATADA
6.1. A Contratada deve cumprir todas as obrigações constantes no Projeto Básico, seus anexos e sua proposta, assumindo como
exclusivamente seus os riscos e as despesas decorrentes da boa e perfeita execução do objeto e, ainda:
6.1.1. efetuar a entrega do objeto em perfeitas condições, conforme especificações, prazo e local constantes no Projeto Básico e seus
anexos, acompanhado da respec�va nota fiscal, na qual constarão as indicações referentes a: marca, fabricante, modelo, procedência e prazo de
garan�a ou validade;
6.2. responsabilizar-se pelos vícios e danos decorrentes do objeto, de acordo com os ar�gos 12, 13 e 17 a 27, do Código de Defesa do
Consumidor (Lei nº 8.078, de 1990);
6.3. subs�tuir, reparar ou corrigir, às suas expensas, no prazo fixado neste Projeto Básico, o objeto com avarias ou defeitos;
6.4. comunicar à Contratante, no prazo máximo de 24 (vinte e quatro) horas que antecede a data da entrega, os mo�vos que impossibilitem o
cumprimento do prazo previsto, com a devida comprovação;
6.5. manter, durante toda a execução do contrato, em compa�bilidade com as obrigações assumidas, todas as condições de habilitação e
qualificação exigidas na contratação;
6.6. indicar preposto para representá-la durante a execução do contrato.
7. DA SUBCONTRATAÇÃO
7.1. Não será admi�da a subcontratação do objeto.
8. DA ALTERAÇÃO SUBJETIVA
8.1. É admissível a fusão, cisão ou incorporação da contratada com/em outra pessoa jurídica, desde que sejam observados pela nova pessoa
jurídica todos os requisitos de habilitação exigidos na contratação original; sejam man�das as demais cláusulas e condições do contrato; não haja
prejuízo à execução do objeto pactuado e haja a anuência expressa da Administração à con�nuidade do contrato.
9. DO CONTROLE E FISCALIZAÇÃO DA EXECUÇÃO
9.1. Nos termos do art. 67 Lei nº 8.666, de 1993, será designado representante para acompanhar e fiscalizar a entrega dos bens, anotando em
registro próprio todas as ocorrências relacionadas com a execução e determinando o que for necessário à regularização de falhas ou defeitos observados.
9.1.1. O recebimento de material de valor superior a R$ 176.000,00 (cento e setenta e seis mil reais) será confiado a uma comissão de, no
mínimo, 3 (três) membros, designados pela autoridade competente.
9.2. A fiscalização de que trata este item não exclui nem reduz a responsabilidade da Contratada, inclusive perante terceiros, por qualquer
irregularidade, ainda que resultante de imperfeições técnicas ou vícios redibitórios, e, na ocorrência desta, não implica em corresponsabilidade da
Administração ou de seus agentes e prepostos, de conformidade com o art. 70 da Lei nº 8.666, de 1993.
9.3. O representante da Administração anotará em registro próprio todas as ocorrências relacionadas com a execução do contrato, indicando
dia, mês e ano, bem como o nome dos funcionários eventualmente envolvidos, determinando o que for necessário à regularização das falhas ou defeitos
observados e encaminhando os apontamentos à autoridade competente para as providências cabíveis.
10. DO PAGAMENTO

3 of 8 20/05/2021 14:12
SEI/MJ - 13138167 - Projeto Básico https://sei.mj.gov.br/sei/controlador.php?acao=documento_imprimir_web&acao_origem=arvore_visua...

10.1. O pagamento será realizado no prazo máximo de até 30 (trinta) dias, contados a par�r do recebimento da Nota Fiscal ou Fatura, através de
ordem bancária, para crédito em banco, agência e conta corrente indicados pelo contratado.
10.1.1. Os pagamentos decorrentes de despesas cujos valores não ultrapassem o limite de que trata o inciso II do art. 24 da Lei 8.666, de
1993, deverão ser efetuados no prazo de até 5 (cinco) dias úteis, contados da data da apresentação da Nota Fiscal, nos termos do art. 5º, § 3º, da Lei
nº 8.666, de 1993.
10.2. Considera-se ocorrido o recebimento da nota fiscal ou fatura no momento em que o órgão contratante atestar a execução do objeto do
contrato.
10.3. A Nota Fiscal ou Fatura deverá ser obrigatoriamente acompanhada da comprovação da regularidade fiscal, constatada por meio de
consulta on-line ao SICAF ou, na impossibilidade de acesso ao referido Sistema, mediante consulta aos sí�os eletrônicos oficiais ou à documentação
mencionada no art. 29 da Lei nº 8.666, de 1993.
10.3.1. Constatando-se, junto ao SICAF, a situação de irregularidade do fornecedor contratado, deverão ser tomadas as providências
previstas no do art. 31 da Instrução Norma�va nº 3, de 26 de abril de 2018.
10.4. Havendo erro na apresentação da Nota Fiscal ou dos documentos per�nentes à contratação, ou, ainda, circunstância que impeça a
liquidação da despesa, como, por exemplo, obrigação financeira pendente, decorrente de penalidade imposta ou inadimplência, o pagamento ficará
sobrestado até que a Contratada providencie as medidas saneadoras. Nesta hipótese, o prazo para pagamento iniciar-se-á após a comprovação da
regularização da situação, não acarretando qualquer ônus para a Contratante.
10.5. Será considerada data do pagamento o dia em que constar como emi�da a ordem bancária para pagamento.
10.6. Antes de cada pagamento à contratada, será realizada consulta ao SICAF para verificar a manutenção das condições de habilitação exigidas
no Projeto Básico.
10.7. Constatando-se, junto ao SICAF, a situação de irregularidade da contratada, será providenciada sua no�ficação, por escrito, para que, no
prazo de 5 (cinco) dias úteis, regularize sua situação ou, no mesmo prazo, apresente sua defesa. O prazo poderá ser prorrogado uma vez, por igual
período, a critério da contratante.
10.8. Previamente à emissão de nota de empenho e a cada pagamento, a Administração deverá realizar consulta ao SICAF para iden�ficar
possível suspensão temporária de par�cipação em licitação, no âmbito do órgão ou en�dade, proibição de contratar com o Poder Público, bem como
ocorrências impedi�vas indiretas, observado o disposto no art. 29, da Instrução Norma�va nº 3, de 26 de abril de 2018.
10.9. Não havendo regularização ou sendo a defesa considerada improcedente, a contratante deverá comunicar aos órgãos responsáveis pela
fiscalização da regularidade fiscal quanto à inadimplência da contratada, bem como quanto à existência de pagamento a ser efetuado, para que sejam
acionados os meios per�nentes e necessários para garan�r o recebimento de seus créditos.
10.10. Persis�ndo a irregularidade, a contratante deverá adotar as medidas necessárias à rescisão contratual nos autos do processo
administra�vo correspondente, assegurada à contratada a ampla defesa.
10.11. Havendo a efe�va execução do objeto, os pagamentos serão realizados normalmente, até que se decida pela rescisão do contrato, caso a
contratada não regularize sua situação junto ao SICAF.
10.11.1. Será rescindido o contrato em execução com a contratada inadimplente no SICAF, salvo por mo�vo de economicidade, segurança
nacional ou outro de interesse público de alta relevância, devidamente jus�ficado, em qualquer caso, pela máxima autoridade da contratante.
10.12. Quando do pagamento, será efetuada a retenção tributária prevista na legislação aplicável.
10.12.1. A Contratada regularmente optante pelo Simples Nacional, nos termos da Lei Complementar nº 123, de 2006, não sofrerá a retenção
tributária quanto aos impostos e contribuições abrangidos por aquele regime. No entanto, o pagamento ficará condicionado à apresentação de
comprovação, por meio de documento oficial, de que faz jus ao tratamento tributário favorecido previsto na referida Lei Complementar.
10.13. Nos casos de eventuais atrasos de pagamento, desde que a Contratada não tenha concorrido, de alguma forma, para tanto, fica
convencionado que a taxa de compensação financeira devida pela Contratante, entre a data do vencimento e o efe�vo adimplemento da parcela, é
calculada mediante a aplicação da seguinte fórmula:
EM = I x N x VP, sendo:
EM = Encargos moratórios;
N = Número de dias entre a data prevista para o pagamento e a do efe�vo pagamento;
VP = Valor da parcela a ser paga.
I = Índice de compensação financeira = 0,00016438, assim apurado:
( 6 / 100 ) I = 0,00016438
I = (TX) I =
365 TX = Percentual da taxa anual = 6%

11. DO REAJUSTE
11.1. Os preços são fixos e irreajustáveis no prazo de um ano contado da data limite para a apresentação das propostas.
11.1.1. Dentro do prazo de vigência do contrato e mediante solicitação da contratada, os preços contratados poderão sofrer reajuste após o
interregno de um ano, aplicando-se o índice de reajustamento pelo IPCA/IBGE (índice oficial de monitoramento da inflação no Brasil) exclusivamente
para as obrigações iniciadas e concluídas após a ocorrência da anualidade.
11.2. Nos reajustes subsequentes ao primeiro, o interregno mínimo de um ano será contado a par�r dos efeitos financeiros do úl�mo reajuste.
11.3. No caso de atraso ou não divulgação do índice de reajustamento, o CONTRATANTE pagará à CONTRATADA a importância calculada pela
úl�ma variação conhecida, liquidando a diferença correspondente tão logo seja divulgado o índice defini�vo. Fica a CONTRATADA obrigada a apresentar
memória de cálculo referente ao reajustamento de preços do valor remanescente, sempre que este ocorrer.
11.4. Nas aferições finais, o índice u�lizado para reajuste será, obrigatoriamente, o defini�vo.
11.5. Caso o índice estabelecido para reajustamento venha a ser ex�nto ou de qualquer forma não possa mais ser u�lizado, será adotado, em
subs�tuição, o que vier a ser determinado pela legislação então em vigor.
11.6. Na ausência de previsão legal quanto ao índice subs�tuto, as partes elegerão novo índice oficial, para reajustamento do preço do valor
remanescente, por meio de termo adi�vo.
11.7. O reajuste será realizado por apos�lamento.
12. DA GARANTIA DE EXECUÇÃO

4 of 8 20/05/2021 14:12
SEI/MJ - 13138167 - Projeto Básico https://sei.mj.gov.br/sei/controlador.php?acao=documento_imprimir_web&acao_origem=arvore_visua...

12.1. O adjudicatário, no prazo de 10 (dez) dias úteis, após a assinatura do Termo de Contrato, prestará garan�a no valor correspondente a 2%
(dois por cento) do valor do Contrato, que será liberada de acordo com as condições previstas neste Projeto Básico, conforme disposto no Art. 56 da Lei
nº 8.666, de 1993, desde que cumpridas as obrigações contratuais.
12.2. Caberá ao contratado optar por uma das seguintes modalidades de garan�a:
12.2.1. caução em dinheiro ou em �tulos da dívida pública, devendo estes ter sido emi�dos sob a forma escritural, mediante registro em
sistema centralizado de liquidação e de custódia autorizado pelo Banco Central do Brasil e avaliados pelos seus valores econômicos, conforme
definido pelo Ministério da Fazenda;
12.2.2. seguro-garan�a;
12.2.3. fiança bancária.
12.3. A garan�a em dinheiro deverá ser efetuada em favor da Contratante, na Caixa Econômica Federal, com correção monetária, em favor do
contratante.
12.4. No caso de alteração do valor do contrato, ou prorrogação de sua vigência, a garan�a deverá ser readequada ou renovada nas mesmas
condições.
12.5. Se o valor da garan�a for u�lizado total ou parcialmente em pagamento de qualquer obrigação, a Contratada obriga-se a fazer a respec�va
reposição no prazo máximo de 10 (dez) dias úteis, contados da data em que for no�ficada.
12.6. A Contratante executará a garan�a na forma prevista na legislação que rege a matéria.
12.7. A garan�a prestada pelo contratado será liberada ou res�tuída após a execução do contrato e, quando em dinheiro, atualizada
monetariamente. (ar�go 56, §4º da Lei nº 8666/93).
13. DAS SANÇÕES ADMINISTRATIVAS
13.1. Comete infração administra�va nos termos da Lei nº 10.520, de 2002, a Contratada que:
13.1.1. inexecutar total ou parcialmente qualquer das obrigações assumidas em decorrência da contratação;
13.1.2. ensejar o retardamento da execução do objeto;
13.1.3. falhar ou fraudar na execução do contrato;
13.1.4. comportar-se de modo inidôneo;
13.1.5. cometer fraude fiscal;
13.2. Pela inexecução total ou parcial do objeto deste contrato, a Administração pode aplicar à CONTRATADA as seguintes sanções:
13.2.1. Advertência, por faltas leves, assim entendidas aquelas que não acarretem prejuízos significa�vos para a Contratante;
13.2.2. multa moratória de até 0,5% (cinco décimas por cento) por dia de atraso injus�ficado sobre o valor da parcela inadimplida, até o
limite de 10 (dez) dias;
13.2.3. multa compensatória de até 10% (dez por cento) sobre o valor total do contrato, no caso de inexecução total do objeto;
13.2.4. em caso de inexecução parcial, a multa compensatória, no mesmo percentual do subitem acima, será aplicada de forma proporcional
à obrigação inadimplida;
13.2.5. suspensão de licitar e impedimento de contratar com o órgão, en�dade ou unidade administra�va pela qual a Administração Pública
opera e atua concretamente, pelo prazo de até dois anos;
13.2.6. impedimento de licitar e contratar com órgãos e en�dades da União com o consequente descredenciamento no SICAF pelo prazo de
até cinco anos;
13.2.6.1. A Sanção de impedimento de licitar e contratar prevista neste subitem também é aplicável em quaisquer das hipóteses
previstas como infração administra�va no subitem 13.1 deste Projeto Básico;
13.2.7. declaração de inidoneidade para licitar ou contratar com a Administração Pública, enquanto perdurarem os mo�vos determinantes
da punição ou até que seja promovida a reabilitação perante a própria autoridade que aplicou a penalidade, que será concedida sempre que a
Contratada ressarcir a Contratante pelos prejuízos causados;
13.3. As sanções previstas nos subitens 13.2.1, 13.2.5, 13.2.6 e 13.2.7 poderão ser aplicadas à CONTRATADA juntamente com as de multa,
descontando-a dos pagamentos a serem efetuados.
13.4. Também ficam sujeitas às penalidades do art. 87, III e IV da Lei nº 8.666, de 1993, as empresas ou profissionais que:
13.4.1. tenham sofrido condenação defini�va por pra�car, por meio dolosos, fraude fiscal no recolhimento de quaisquer tributos;
13.4.2. tenham pra�cado atos ilícitos visando a frustrar os obje�vos da licitação;
13.4.3. demonstrem não possuir idoneidade para contratar com a Administração em virtude de atos ilícitos pra�cados.
13.5. A aplicação de qualquer das penalidades previstas realizar-se-á em processo administra�vo que assegurará o contraditório e a ampla
defesa à Contratada, observando-se o procedimento previsto na Lei nº 8.666, de 1993, e subsidiariamente a Lei nº 9.784, de 1999.
13.6. As multas devidas e/ou prejuízos causados à Contratante serão deduzidos dos valores a serem pagos, ou recolhidos em favor da União, ou
deduzidos da garan�a, ou ainda, quando for o caso, serão inscritos na Dívida A�va da União e cobrados judicialmente.
13.6.1. Caso a Contratante determine, a multa deverá ser recolhida no prazo máximo de 10 (dez) dias úteis, a contar da data do recebimento
da comunicação enviada pela autoridade competente.
13.7. Caso o valor da multa não seja suficiente para cobrir os prejuízos causados pela conduta do licitante, a União ou En�dade poderá cobrar o
valor remanescente judicialmente, conforme ar�go 419 do Código Civil.
13.8. A autoridade competente, na aplicação das sanções, levará em consideração a gravidade da conduta do infrator, o caráter educa�vo da
pena, bem como o dano causado à Administração, observado o princípio da proporcionalidade.
13.9. Se, durante o processo de aplicação de penalidade, se houver indícios de prá�ca de infração administra�va �pificada pela Lei nº 12.846, de
1º de agosto de 2013, como ato lesivo à administração pública nacional ou estrangeira, cópias do processo administra�vo necessárias à apuração da
responsabilidade da empresa deverão ser reme�das à autoridade competente, com despacho fundamentado, para ciência e decisão sobre a eventual
instauração de inves�gação preliminar ou Processo Administra�vo de Responsabilização - PAR.

5 of 8 20/05/2021 14:12
SEI/MJ - 13138167 - Projeto Básico https://sei.mj.gov.br/sei/controlador.php?acao=documento_imprimir_web&acao_origem=arvore_visua...

13.10. A apuração e o julgamento das demais infrações administra�vas não consideradas como ato lesivo à Administração Pública nacional ou
estrangeira nos termos da Lei nº 12.846, de 1º de agosto de 2013, seguirão seu rito normal na unidade administra�va.
13.11. O processamento do PAR não interfere no seguimento regular dos processos administra�vos específicos para apuração da ocorrência de
danos e prejuízos à Administração Pública Federal resultantes de ato lesivo come�do por pessoa jurídica, com ou sem a par�cipação de agente público.
13.12. As penalidades serão obrigatoriamente registradas no SICAF.
14. ESTIMATIVA DE PREÇOS E PREÇOS REFERENCIAIS
14.1. O custo es�mado da contratação é de R$ 1.833.752,70 (um milhão, oitocentos e trinta e três mil setecentos e cinquenta e dois reais e
setenta centavos).
15. DOS RECURSOS ORÇAMENTÁRIOS.
15.1. As despesas decorrentes desta aquisição correrão à conta dos recursos consignados no Orçamento Geral da União, para o exercício do
corrente ano, a cargo do Ministério da Jus�ça e Segurança Pública, cujos programas de trabalho e elemento de despesas seguem descritos abaixo:
Origem do recurso Programa de Trabalho Natureza de Despesa PI PTRES Fonte PO
FUNDO NACIONAL DE SEGURANÇA PÚBLICA 06 181 2081 20ID 0001 33 90 30 SP949BQ3PS3 06.181.5016.21BQ.003 0100, 0118 0004
ANEXO I - ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS
1. CARACTERÍSTICAS GERAIS
1.1. O espargidor de gás pimenta deverá ter em sua composição química a Capsaicina natural, sendo de uso operacional, com
acionamento manual por meio de uma válvula e conjunto atuador, acionado diretamente contra o alvo.
1.2. Propelente não inflamável, que não comprometa a saúde humana e o meio ambiente.
1.3. Caso haja solvente, este e a solução resultante, também não deverão ser inflamáveis e que não comprometam a saúde humana e ao
meio ambiente.
1.4. No momento do acionamento, em forma de espuma, a solução propelida deverá ocasionar irritação temporária e imediata nos olhos,
derme e mucosas.
1.5. O fabricante deverá fornecer, juntamente com cada espargidor, um coldre com sistema de fechamento através de botão ou encaixe
do �po “Clip”, manual e/ou panfleto informa�vo com dados técnicos do produto, condições de uso, estocagem, descarte e de descontaminação,
obje�vando prover informações adequadas ao usuário e à Ins�tuição.
2. CARACTERÍSTICAS ESPECÍFICAS
2.1. O espargidor para uso individual deverá ter as seguintes caracterís�cas:
2.1.1. Peso líquido do agente químico de no mínimo 80 (oitenta) gramas, pressurizado em composto de tubo cilíndrico em alumínio
alta resistência, com as seguintes dimensões para acondicionamento adequado em porta-espargidor fornecido pela Ins�tuição.
2.1.2. Diâmetro externo: mínimo 30 mm (trinta milímetros) e máximo de 40 mm (quarenta milímetros).
2.1.3. Comprimento do tubo cilíndrico com a válvula e conjunto atuador de mínimo de 160 mm (cento e sessenta milímetros) e
máximo de 175 mm (cento e setenta e cinco milímetros).
2.1.4. Alcance efe�vo: mínimo 1 (um) metro.
2.1.5. Quan�dade de acionamentos: mínimo de 15 (quinze) jatos de 1 (um) segundo de duração.
2.1.6. Válvula com disposi�vo de segurança que impeça acionamentos acidentais e que evite a contaminação das mãos do usuário.
3. DA IDENTIFICAÇÃO
3.1. No espargidor deverá ter gravado, em local de fácil visibilidade no vasilhame, a inscrição SENASP (Secretaria Nacional de Segurança
Pública), em letra “ARIAL”, tamanho médio 12, seguida da iden�ficação sequencial numérica em tamanho ajustável (mínimo 12), bem como conter
em igual forma de gravação a data de fabricação, prazo de validade, material de composição do produto e medidas de descontaminação e primeiros
socorros.
4. DA EMBALAGEM
4.1. Para melhor estocagem de material, este deverá ser entregue em caixas com robustez e resistência suficientes para permi�r o
empilhamento de no mínimo 8 (oito) unidades, sem comprometer a qualidade e a segurança do produto;
4.2. As caixas deverão ser iden�ficadas, com �nta indelével e resistente à abrasão, quanto a iden�ficação do material, dados do
fabricante, regras de manuseio e acondicionamento, e a classificação de classe quanto à produtos perigosos.
4.3. Deverá ainda estar fixada em local de fácil visibilidade, uma e�queta adesiva, com a inscrição SENASP (Secretaria Nacional de
Segurança Pública), em letra “ARIAL”, seguida pela inscrição do �po de espargidor (ambos no tamanho mínimo 36), em fonte de tamanho 24.
5. GARANTIA, ASSISTÊNCIA TÉCNICA E LOGÍSTICA REVERSA
5.1. A garan�a total do produto contra defeitos de fabricação ou de matéria prima dos componentes, desde que seguidas às
recomendações do fabricante, será contada a par�r da data do recebimento defini�vo, pela Comissão Técnica de Recebimento de Material, e deverá
ser de no mínimo 05 (cinco) anos.
5.2. A empresa deverá fornecer assistência técnica ou indicar local para que seja, em território nacional, caso necessário, bem como
garan�r a re�rada e entrega do material em cada ins�tuição, durante a vigência da garan�a.
5.3. Ficará a cargo da fabricante a re�rada e o envio dos materiais à assistência técnica ou para a fábrica, juntamente com os documentos
necessários, bem como esta se responsabilizará pelos custos totais da reparação ou subs�tuição do material.
5.4. A fabricante terá o prazo de 10 (dez) dias corridos para que efetue o conserto dos materiais, contados da no�ficação do pedido de
assistência técnica e 15 (quinze) dias corridos para promover sua subs�tuição, caso necessário.
5.5. A fabricante deverá realizar a logís�ca reversa do produto ao término da validade ou no decorrer desta, em lote único ou em lotes
menores.
6. DA VALIDADE
6.1. O espargidor deverá ter validade mínima de 05 (cinco) anos.

6 of 8 20/05/2021 14:12
SEI/MJ - 13138167 - Projeto Básico https://sei.mj.gov.br/sei/controlador.php?acao=documento_imprimir_web&acao_origem=arvore_visua...

7. DAS EXIGÊNCIAS
7.1. O espargidor de gás pimenta deverá possuir número de Relatório Técnico Experimental (ReTEx) específico emi�do pelo Ministério da
Defesa – Exército Brasileiro, por meio do Centro de Avaliações do Exército (CAEx), ou órgão semelhante, e Cer�ficado de Registro ou Título de
Registro do produto, devidamente apos�lado, devendo estes serem apresentados na assinatura do contrato.
7.2. Deverá ser fornecido um manual ou cartão com informações, em material de qualidade e rela�va resistência, contendo instruções de
conservação e limites de aplicação do material, entre outras informações de uso correto e armazenamento do produto, em linguagem clara e de
fácil compreensão ao usuário comum, em língua pátria.
7.3. Não poderá exis�r nenhum �po de propaganda do fabricante, em áreas visíveis do espargidor e seus acessórios, a exemplo de
e�quetas expostas, marcas impressas e/ou outras de mesma natureza, devendo estas estarem vinculadas às partes internas dos materiais, não
visíveis e em conformidade com as normas ora elencadas.
7.4. A fabricante deverá colocar à disposição da Administração, a pedido, técnicos e laboratórios para prestar qualquer análise quanto à
performance do produto e/ou diagnós�co para verificar falhas apresentadas em operações ou em treinamento.
ANEXO II - PROPOSTA DE PREÇOS
Ao
MINISTÉRIO DE JUSTIÇA E SEGURANÇA PÚBLICA
Esplanada dos Ministérios, Ministério da Jus�ça, Anexo I, sala 202, Brasília – DF
CEP 70064-900.

Proposta que faz a empresa _______________________________, inscrita no CNPJ n.º___________ para a aquisição do objeto descrito na tabela abaixo,
de acordo com as especificações e condições do Projeto Básico.

UF ICMS PRODUTO Und. Quan�dade Valor Unitário R$ Valor Total (R$)


Espargidor de Espuma de Agente de Pimenta (OC) uso individual
TOTAL

1. Valor total da proposta: R$ ______ (VALOR POR EXTENSO).


2. Esta proposta é válida por 180 (cento e oitenta) dias, a contar da data de sua apresentação.
3. Prazo de entrega:
4. Especificações:
5. Forma de pagamento:
6. Garan�a:
7. Informamos, por oportuno, que nos preços apresentados acima já estão computados todos os custos necessários decorrentes da entrega do objeto
desta contratação, bem como já incluídos todos os impostos, encargos trabalhistas, previdenciários, fiscais, comerciais, taxas, fretes, seguros,
deslocamentos de pessoal e quaisquer outros que incidam direta ou indiretamente.
8.Os dados da nossa empresa são:
a) Razão Social: ________________________________________________;
b) CNPJ (MF) nº: ________________________________________________;
c) Representante (s) legal (is) com poderes para assinar o contrato: _______;
d) CPF: _______________________ RG: ______________ ________-_____;
e) Inscrição Estadual nº: __________________________________________;
f) Endereço: ____________________________________________________;
g) Fone: _____________ Fax: ___________ E-mail: _____________________;
h) CEP: __________________________;
i) Cidade: ________________________ Estado: _______________________.
j) Banco:________Conta Corrente:_________________Agência:__________;
k) Contato: _______________________ Fone/Ramal: ___________________.
Local e data

______________________________________________________
Assinatura do Representante Legal

Documento assinado eletronicamente por TIAGO GONÇALVES SOUSA DE MELO, Servidor(a) Mobilizado(a) da Secretaria Nacional de Segurança Pública,
em 17/11/2020, às 14:46, conforme o § 1º do art. 6º e art. 10 do Decreto nº 8.539/2015.

7 of 8 20/05/2021 14:12
SEI/MJ - 13138167 - Projeto Básico https://sei.mj.gov.br/sei/controlador.php?acao=documento_imprimir_web&acao_origem=arvore_visua...

Documento assinado eletronicamente por Guilherme Bressan Carneiro, Servidor(a) Mobilizado(a) da Secretaria Nacional de Segurança Pública, em
17/11/2020, às 14:46, conforme o § 1º do art. 6º e art. 10 do Decreto nº 8.539/2015.

Documento assinado eletronicamente por Mário Anderson de Araújo Santos, Servidor(a) Mobilizado(a) da Secretaria Nacional de Segurança Pública,
em 17/11/2020, às 16:44, conforme o § 1º do art. 6º e art. 10 do Decreto nº 8.539/2015.

Documento assinado eletronicamente por MARCELO APARECIDO MORENO, Diretor(a) de Polí�cas de Segurança Pública, em 18/11/2020, às 18:03,
conforme o § 1º do art. 6º e art. 10 do Decreto nº 8.539/2015.

A auten�cidade do documento pode ser conferida no site h�p://sei.auten�ca.mj.gov.br informando o código verificador 13138167 e o código CRC
17EABC95
O trâmite deste documento pode ser acompanhado pelo site h�p://www.jus�ca.gov.br/acesso-a-sistemas/protocolo e tem validade de prova de registro
de protocolo no Ministério da Jus�ça e Segurança Pública.

Referência: Processo nº 08020.001359/2020-20 SEI nº 13138167

8 of 8 20/05/2021 14:12

Você também pode gostar