Você está na página 1de 24

Nº. 370 "aa expressão da nossa terra" 2011.04.

26

26 DE ABRIL
2011
Ano XXXV
2ª. SÉRIE
Bimensal PORTE
PAGO
0,60 Euros DAS COMUNIDADES DO PINHAL INTERIOR NORTE
(IVA INCLUIDO)

Fundador: Marçal Pires-Teixeira SEDE E ADMINISTRAÇÃO: Pág. 15


PUBLICAÇÕES
Director: Henrique Pires-Teixeira Rua Dr. António José de Almeida, 41

Desportiva vence derbie


PERIÓDICAS
AUTORIZADO A CIRCULAR
EM INVÓLUCRO FECHADO Director-Adjunto: Valdemar Alves 3260 - 420 Figueiró dos Vinhos
DE PLÁSTICO OU PAPEL
TAXA PAGA
PODE ABRIR-SE PARA
VERIFICAÇÃO POSTAL PORTUGAL E-MAIL: acomarca.jornal@gmail.com | Telef.: 236 553 669 | Fax : 236 553 692
CCE TAVEIRO

CASTANHEIRA
SEMANA SANTA EM
FIGUEIRÓ DOS VINHOS
Saint-Maximin homenageia
DE PERA Figueiró dos Vinhos com a

PEDRÓGÃO
- Ampliação do atribuição do nome a uma
Quartel dos Praça nova daquela cidade

Bombeiros já
começou
GRANDE Pág. 12

- Aldeia de Xisto
do Camelo é
aposta no Pág. 5
Pág. 5

Turismo Rural PEDRÓGÃO GRANDE


Pág. 7
Inaugurada nova Pista
EFEMÉRIDE polivalente para Cross
25 de Abril na
comarca Pág. 13

OPINIÃO
Kalidás Barreto, Delmar
de Carvalho, Luis
Lopes, José Martins,
Bernardo Gonçalves Foto Maryluz Pág. 11

Pág. 8 e 9

Pág. 4

FIGUEIRÓ DOS VINHOS: Sta. Casa inaugura PAMPILHOSA DA SERRA: Dia do Concelho
2 2011.04.26
PÁGINA DOIS

R ÍZES
OBITUÁRIO
ANTÓNIO
MARIA ELVIRA PIRES-TEIXEIRA
NEVES LOPES

F
aleceu no passado dia 15 de Abril, aos como independente a lista do mesmo partido
90 anos de idade, António Neves à Câmara Municipal).
Lopes, empresário e ex-presidente da Tal participação traduziu-se num sucesso,
Junta de Freguesia de Pedrógão visto que foi eleito como presidente dessa

Belas Artes Grande.


António Neves Lopes, foi sempre
um empresário multifacetado, ope-
Junta, creditando pela primeira vez uma
vitória em benefício do Partido Socialista
no concelho.

E
rando sucessivamente, e por vezes Quatro anos volvidos, voltaria a can-
stávamos nos anos 50. Lisete estava a terminar o curso simultaneamente, em vários sectores didatar-se ao mesmo lugar, na mesma
de Belas Artes em Lisboa. Reinava uma grande amizade de actividade. condição e pelo mesmo partido, nas eleições
entre colegas que partilhavam os sonhos de uma mo- Residiu quase sempre em Pedrógão autárquicas de 1997. Mas diferentemente
cidade que se adivinhava de futuro feliz, pela bela arte Grande, sua terra natal, com exce- do que sucedera no acto eleitoral anterior,
do exercício de um dom, já por ele tão especial. Depois do curso
pção de um período em que esteve conseguiu a proeza de ser eleito para a Junta
terminado, cada um seguiu o seu caminho. Lisete tinha conquis-
no Congo, em África. de Freguesia, enquanto que, para a Câmara,
tado o coração de um jovem médico mas só teria autorização dos
Figura muito popular, acabou por a lista do Partido Socialista não logrou
pais para se casar depois de terminar o curso. O noivo seguiu
ser desafiado para nas eleições idêntico êxito. Esta diferença de resultado
para Moçambique e, depois do casamento, Lisete foi ter com o
marido. Também ela acompanhava o marido pelas terras, fossem autárquicas de 1993 encabeçar, veio demonstrar que o António Neves Lopes
vilas, cidades ou pequenas aldeias, no litoral e no interior africano, como independente, a lista do Par- era uma pessoa querida e respeitada em
de carro em picadas ou estradas de terra batida ou de avioneta. tido Socialista à Junta de Fregue- Pedrógão Grande, movido por um grande
Enfim, uma vida dedicada ao próximo, a maior parte, gente do sia de Pedrógão sentido prático e de devoção à causa
mato, necessitada de cuidados de saúde, que era partilhada pelo Grande (no pública, indiferente às picardias políticas.
casal. Vieram os filhos e Lisete passou a ficar mais em casa, mesmo ano Foi um dos casos em que a vida pública foi
quantas vezes em aflição quando o marido demorava, quando era em que o tributária da sua rica experiência como
o tempo das chuvas que levavam pontes e iam destruindo tudo à Eng. Mário empresário e do seu espírito empreendedor.
sua passagem: palhotas, animais e, até, pessoas. Fernandes Os seus problemas de saúde porém não
Apesar de não ter exercido o seu curso, o bom gosto nunca liderou permitiram que levasse o segundo mandato
faltou à sua volta. A sua casa passou a ser o seu mundo de arte. até ao fim.
Quando regressou de Moçambique, ainda pôde viver muitos Com o seu desaparecimento esvai-se um
anos com o homem que escolheu para a sua vida até que o destino pouco da história viva do concelho. Mas o
ditou que a minha amiga perdesse o seu marido. Lisete ressentiu-
seu nome permanecerá na memória das
se muito com a perda e preocupou filhos, noras, netos, toda a
pessoas e das realizações como persona-
família e também os amigos.
lidade engrandecedora e benfazeja dos
Mas Deus é amigo e está atento. Assim, o filho que trabalha na
RTP, assim como a sua esposa, conheceram uma senhora que os destinos da comunidade pedroguense.
interpelou pelo apelido que tinham. E perguntaram se conheciam O jornal “A Comarca” apresenta a
alguma Lisete… Tinha sido uma colega sua de curso e que tinha todos os familiares, especialmente à sua
perdido o contacto com ela. mulher e ao seu filho, Eng. Carlos Roldão
Lisete ficou a saber que os seus colegas de curso se reuniam Lopes (pessoa que acelerou o regresso de
todos os meses. A princípio aderiu a custo mas, lentamente, foi Macau justamente para apoiar os pais),
cedendo ao reacender de velhas e boas amizades. Recuperou a expressão do seu mais sentido pesar.
amigas e amigos e o tempo das memórias felizes. Bem hajam. hpt

António Bahia António Bahia


Tlm: 96 647 02 99 Tlm: 96 647 02 99

Amândio Antunes Amândio Antunes


Tlm: 96 647 02 97 Tlm: 96 647 02 97

ADVOGADOS ADVOGADOS
Praça José António Pimenta, nº 9 - 1º. A. Praça José António Pimenta, nº 9 - 1º. A.
Telf./Fax: 236 551 533 * 3260 - 409 FIGUEIRÓ DOS VINHOS Tlm: 917 198 927 * Telf.: 236 553 470 Telf./Fax: 236 551 533 * 3260 - 409 FIGUEIRÓ DOS VINHOS
Rua Dr. António José de Almeida, nº 12 - 1º. Esq.
Avenida Emídio Navarro, nº 93 - 2º C Avenida Emídio Navarro, nº 93 - 2º C
3260 - 420 FIGUEIRÓ DOS VINHOS
3000-151 COIMBRA 3000-151 COIMBRA
REGIÃO 2011.04.26
3
SOB A BATUTA DE JOÃO MARQUES

CIMPIN FIRME NA DEFESA DA REGIÃO


A Assembleia da Comu-
nidade Intermunicipal do
Pinhal Interior Norte reuniu
em sessão ordinária, no
passado dia 8 de Abril, nos
Paços do Concelho de
Arganil, com a presença de
48 dos 54 Deputados
Intermunicipais.
No primeiro ponto da
Ordem de Trabalhos – In-

MARTA BRÁS EM 5º POR LEIRIA


formações - os deputados
usaram da palavra e eviden-
ciaram algumas das suas
preocupações em termos

CARLOS LOPES NOS ÓRGÃOS


de desenvolvimento do
território, nomeadamente o
“Metro Mondego”, a “Rea-

NACIONAIS DO PS
bilitação da EN 342” e a
“Deslocalização do helicó-
ptero do INEM de Santa
Comba Dão”.
O Presidente do Consel-
ho Executivo (Dr. João
Em cima,
Marques, Presidente da pormenor da
Câmara Municipal de Pe- Assembleia com
drógão Grande) manifes- os representantes
tou-se solidário com os as- figueiroenses
suntos aflorados e realçou (Paulo Camoezas,
a intenção da CIMPIN em José Pires e
continuar a defender os Mendes Lopes) em
interesses regionais. primeiro plano.
Seguiu-se a aprovação Em baixo, João
do relatório de contas, on- Marques,
de constam as despesas Presidente
correntes no montante de Executivo da
152.090,00 Euros, e as des- CIMPIN e João
pesas de capital no mon- Cardoso,
tante de 238.26 Euros. Este Secretário da Mesa
da Assembleia da
relatório e o Relatório de Ac-
CIMPIN
tividades de 2010, foram apro-
vados por unanimidade.
O Presidente do Consel- municipais dos 14 con- endedores que a CIMPIN dia da CIMPIN. A figueiroense Marta Inês Brás é a grande surpresa na
ho Executivo da Comuni- celhos da CIMPIN. Referiu colocará no terreno. No final da reunião, a lista de candidatos a deputados à Assembleia da Repú-
dade Intermunicipal infor- ainda que, brevemente, os A 10 de Setembro será Câmara Municipal de Arg- blica por Leiria, surgindo num destacado 5º lugar. De
mou que está em fase final municípios da Comunidade Castanheira de Pera (numa anil ofereceu aos presentes recordar que Carlos Lopes foi recentemente Deputado
de concurso público o poderão beneficiar da can- lógica de rotatividade por um lanche em que as quando ocupava o 6º lugar nestas listas.
recrutamento de uma em- didatura sobre o “empreen- ordem alfabética) a receber melhores iguarias gastro- A Comissão Política Distrital de Leiria do PS aprovou,
presa formadora, no âmbito dedorismo local”, recente- a próxima reunião da As- nómicas foram magnifi- na passada sexta-feira - 15 de Abril, com 33 votos a favor,
da candidatura aprovada mente aprovada no QREN sembleia Intermunicipal. camente apresentadas por 12 votos brancos e 1 voto contra, esta lista de candidatos
no POPH, tendo em vista a e visando o apoio e acom- Nesse mesmo dia e local cada uma das diversas a deputados à Assembleia da República, liderada pelo
formação de funcionários panhamento a novos empre- será também assinalado o freguesias do concelho. independente Basílio Horta, Presidente da Agência para
o Investimento e Comércio Externo de Portugal.
Esta distinção surge num momento particular feliz para
FIGUEIRÓ DOS VINHOS a Secção Concelhia do Partido Socialista de Figueiró dos
Vinhos que semanas antes tinha visto o seu líder, Carlos
Lopes, sido eleito para dirigente Nacional do PS.

Município disponibiliza oleões em pontos estratégicos Para Carlos Lopes o 5º lugar nas listas ocupado por
Marta Brás, como representante do norte do distrito, é
“uma vitória da Concelhia do PS de Figueiró dos Vinhos”
- Preservar o meio ambiente é o grande objectivo e o “reconhecimento do nosso trabalho que resulta da
nossa unidade e do respeito que conquistámos no distrito
Dando seguimento a diversas acções de sensibilização podem ser reciclados”, refere a autarquia numa nota de Leiria”.
para as questões ambientais, o Município de Figueiró dirigida aos municípes. Para tal, bastará depositar num Marta Brás tem 41 anos, é casada, licenciada em Gestão
dos Vinhos instalou, recentemente, alguns ‘oleões’ em dos ‘oleões’, de cor laranja, situados no Bairro S. João e Administração Pública e é Técnica Superior na Câmara
pontos estratégicos da vila possibilitando, assim, a Batista, Avenida José Malhoa (junto à Escola Básica), Municipal de Figueiró dos Vinhos.
utilização destes equipamentos para a recolha de óleos Rua do Areal ou Rua 25 de Abril (junto ao Mercado Além de Basilio Horta, apenas João Paulo Pedrosa
alimentares usados. Municipal), o óleo acondicionado em garrafas ou (Presidente da Federação Distrital do PS), em segundo;
”De facto, tal como fazemos com o papel, o vidro e garrafões até 3 litros (devidamente fechados), contri- Odete João, em terceiro e Jorge Gonçalves, em quarto,
com as embalagens, também os óleos alimentares usados buindo assim para a preservação do meio ambiente. antecedem Marta Brás.
4 2011.04.26
REGIÃO

INSCRIÇÕES ABERTAS ATÉ TERCEIRA INAUGURAÇÃO EM 5 ANOS...


13 DE MAIO
SANTA CASA INAUGUROU LAR RESIDENCIAL
CONCURSO FIGUEIRÓ A secretária de Estado
Adjunta e da Reabilitação,

FLORIDO 2011
Idália Serrão inaugurou no
pretérito dia 13 de Abril o
Lar Residencial da Santa
Casa da Misericórdia de
Figueiró dos Vinhos, que
alberga, há cerca de um
ano, 16 cidadãos portado-
res de deficiência.
O lar, cujo investimento
ronda os 440 mil euros, foi
construído de raiz junto ao
Centro de Actividades
Ocupacionais, em Ervideira
e encontra-se concluído há
cerca de um ano. “Só agora
é que há condições para o
inaugurar”, refere Fernan-
do Conceição, Provedor da
Santa Casa da Misericórdia dade financeira, alargar as que representa 1,7 por cen- informação, cultura e lazer.
de Figueiró dos Vinhos. instalações dando assim to da população total. Considerando a idade
Recorde-se que foi esta resposta á procua existente. De acordo com o último avançada de grande parte
mesma governante que em O Provedor refere que aque- levantamento efectuado, da população portadora de
8 de Abril de 2008 colocou la capacidade de alojamen- em 2009, existiam no con- deficiência e, consequen-
a primeira pedra do edifício. to poderia ser maior, indo celho 126 indivíduos porta- temente da sua família de
Com a chegada da Primavera as flores que vão abrindo A obra contou com um ao encontro das necessida- dores de deficiência, 45 por suporte, é registada a ne-
nas janelas, varandas e jardins perfumam o ar deixando financiamento próprio da des da procura, mas o ter- cento dos quais com defi- cessidade de respostas
antever mais um Concurso Figueiró Florido. Misericórdia e do um apoio reno disponível assim não ciência mental. sociais como o lar residen-
Esta iniciativa da Câmara Municipal conta anualmente do Programa de Alargamen- o permitiu. O mesmo estudo revela que cial da Misericórdia.
com um grande número de participantes de todo o to da Rede de Equipamen- Esta valência é a terceira a maioria das pessoas porta- Nerste concelho existe, ain-
concelho de Figueiró dos Vinhos, o que demonstra o seu tos Sociais (PARES) de inaugurada pela Santa Casa doras de deficiência e con- da, uma acção activa e perma-
sucesso desde 1999. cerca de 230 mil euros. da Misericórdia figueiro- sequentemente das suas fa- nente, direccionada para a
As inscrições estão abertas até ao dia 13 de Maio e O lar acolhe 16 utentes, ense nos últimos cinco mílias, vivem com baixos re- inclusão social daquela popu-
podem ser feitas no Posto de Turismo ou em qualquer jovens e adultos com defi- anos, depois do Lar de Ido- cursos económicos limitan- lação, com destaque para o
Junta de Freguesia do Concelho de Figueiró dos Vinhos. ciência que se encontram sos e da Unidade de Cuida- do ainda mais o acesso, Serviço de Informação e Me-
O júri fará a apreciação dos motivos concorrentes nos impedidos temporária ou dos Continuados. tanto aos serviços básicos diação para Pessoas com De-
dias 26 e 27 de Maio e a entrega de prémios será feita definitivamente de residir O concelho de Figueiró de saúde, incluindo os ser- ficiência (SIM-PD) e os cen-
durante as Festas do Concelho no Jardim Municipal de no seu meio familiar. dos Vinhos regista uma per- viços de reabilitação, como tros de inclusão Espaço IN,
Figueiró dos Vinhos. A instituição pretende centagem de população a outros serviços de comu- criados no âmbito do pro-
ainda, caso tenha capaci- portadora de deficiência nidade, como serviços de jecto Comenius Régio.

EDUCAÇÃO SEXUAL, A ESCOLA E A FAMÍLIA

EM CONFERÊNCIA E DEBATE COM ALUNOS DE HUMANIDADES


Realizou-se no passado A organização esteve sultou num debate bastante
dia 16 de Fevereiro, uma também a cargo da Associa- animado, em que muitos
conferência no âmbito da ção de Estudantes, que alunos intervieram sempre
Educação Sexual, que visa- convidou a Associação de num manifesto interesse.
va debater o tema, no âmbi- Pais a participar na mesa. De facto, alunos, profes-
to das Ciências Humanas. A directora da escola Fer- sores e conferencistas re-
Tendo sido direccionada nanda Dias deu início aos flectiam e debateram as re-
para as turmas de Humani- trabalhos, a que se seguiu lações humanas e os afec-
dades, foi promovida e dina- o psicólogo António Fran- tos, a sua evolução históri-
mizada pelo Grupo de His- cisco, a professora Marga- ca e filosófica até à actuali-
tória da Escola Secundária rida Herdade Lucas, os re- dade, dando-se assim um
de Figueiró dos Vinhos. presentantes da Associa- novo tratamento ao tema
Teve como convidado o Dr. ção de Estudantes e um em análise, de forma a evi-
Miguel Ferraz, mestrando representante dos pais. denciar o valor do ser hu-
de Teologia, pela Universi- O convidado principal, mano como factor-chave
dade Católica, também che- Miguel Ferraz, rapidamente para compreender e viver a
fe de redacção do Jornal, O cativou a atenção dos alu- sexualidade.
Mensageiro, de Leiria e dire- nos através da dinâmica que Foi, decerto uma jornada
ctor do Jornal da Golpilheira. imprimiu ao tema, o que re- importante para todos.
REGIÃO 2011.04.26
5
“FIGUEIRÓ DOS VINHOS” É NOME DE PRAÇA EM SAINT-MAXIMIN

COMITIVA REFORÇA LAÇOS DE “AMIZADE E SOLIDARIEDADE”


De 15 a 22 de Abril uma
comitiva figueiroense
esteve de visita de Saint-
Maximin, nos arredores
de Paris, França no
âmbito da geminação que
o município de Figueiró
dos Vinhos fez com
aquela vila há cerca de 2
anos.

Rui Silva presidente da


Câmara Municipal de Fi- Foto grande:
gueiró, liderou esta co- parte da comitiva
mitiva de aproximadamente figueiroense junto com
trinta pessoas que incluía, alguns dos emigrantes
ainda, várias “famílias de figueiroenses, Serge
acolhimento”; Jorge Do- Macudzinski e esposa,
mingues, Chefe de Gabinete tendo como cenário a
do Presidente; José Carlos placa da “Praça Figueiró
Ideias, em representação da dos Vinhos”, acabada de
Assembleia Municipal; a inaugurar.
repórter de “A Comarca” Fotos pequenas: em cima
(único órgão da Comunica- - Rui Silva durante uma
ção Social regional portu- das muitas intervenções. a
guesa presente); Joaquim Na oportunidade, Serge “Estas geminações são que ali habitam e trabalham Entretanto, à margem da boa disposição é bem
Pinto, Comandante dos Macudzinski, Maire de uma boa oportunidade para há décadas. inauguração da “Praça de patente;
Bombeiros (no sentido de Saint-Maximin, afirmou que se abrir aos outros, conhe- Rui Silva realçou, ainda, Figueiró dos Vinhos”, Rui em baixo - comunidade de
se fazer uma permuta no “ao atribuir a esta praça o cer outros mundos, outras a importância dos intercâm- Silva apresentou o projecto Saint-Maximin
âmbito do combate a incên- nome de Figueiró dos Vin- culturas, desenvolver a ami- bios com as várias colecti- do Parque Empresarial de (portugueses e francses)
dios florestais e urbanos); hos, quisemos mostrar as zade entre os povos deste vidades das duas regiões e Figueiró dos Vinhos e o Lo- e comitiva figueiroense,
Fernando Conceição, Pro- nossas intenções: teste- planeta”, disse Serge Macu- considerou que esta gemi- teamento Urbano do Bom todos juntos; ao meio e á
vedor da Santa Casa e vá- munhar os laços positivos dzinski que terminou afir- nação tem dado resultados Jesus da Sobreira, durante direita, momentos de
rios empresários, ambos de e fortes que unem Saint- mando que “desejo que os e o cruzamento de sectores a reunião de trabalho que convívio onde não faltou
forma a estabelecerem in- Maximin a Figueiró dos nossos laços de amizade se com a educação, desporto teve lugar na quarta-feira na a prova de águas
tercâmbios, em que também Vinhos. São laços de ami- desenvolvam, desejo que o ou economia tem fortale- Mairie de Saint-Maximin. francesas que a foto
serão parceiros a Filarmó- zade, de solidariedade que conhecimento mútuo dos cido laços. “Os custos são Fátima Lima documenta...
nica Figueiroense, a Asso- existem desde a criação nossos países se reforcem, reduzidos pois nas deslo- (Estagiária Finalista do
ciação Desportiva, o Agru- desta geminação”, ainda que cada país se enriqueça cações as pessoas ficam Curso de Comunicação
pamento de Escolas e a segundo o autarca francês, com a cultura tão rica dos em famílias de acolhimento Social e Multimédia - IPL)
AEPIN, entidades que já se “queremos inscrever este nossos dois países”. e muitas refeições são fei-
fizeram representar ou que laço no âmago, no coração Ideias partilhadas por Rui tas ao estilo de pic-nic” -
o farão em futuras oportuni- do nosso bairro, no centro Silva, Presidente da Autar- concluiu.
dades. da vida da nossa cidade e quia figueiroense, que viu Segundo Rui Silva avan-
A visita que decorreu de dos seus habitantes”. neste gesto o “grande recon- çou ao jornal “A Comarca”,
15 a 22 de Abril, incluindo a Para Serge Macudzinski, hecimento para com a vila o concelho figueiroense
viagem que se realizou de esta é também uma homena- portuguesa e estreita cada está já a pensar retribuir
autocarro fretado para o gem às mulheres e homens vez mais os laços existentes esta homenagem e reforçar
efeito, aconteceu nesta al- figueiroenses “que moram entre as duas regiões”. ainda mais este intercâmbio
tura porque a Mairie atribu- em Saint-Maximin e que vi- Também em matéria de re- fazendo uma sessão semel-
iu o nome de Figueiró dos eram para aqui há quarenta conhecimento os dois autar- hante de toponímia, atribu-
Vinhos a uma praça de anos. Vieram viver e trabal- cas estão em sintonia, Rui indo o nome de Saint-Maxi-
Saint-Maximin, vila onde har para a nossa cidade, Silva considerou, também, min a um espaço desta vila,
habitam cerca de 200 emi- aqui casaram e tiveram esta uma homenagem às neste ou num dos próximos
grantes figueiroenses. filhos”. dezenas de figueiroenses festejos de S. João.
6 2011.04.26
REGIÃO

“A QUINTA DOS PAIVAS, OU A QUINTA DO RIBEIRO TRAVESSO” VI FEIRA VELHARIAS DE FIGUEIRÓ

MARGARIDA LUCAS E MIGUEL PORTELA EXPOSITORES ESQUECERAM-SE...


COMPRADORES NÃO FALTARAM
APRESENTAM LIVRO - Ranchos foram inovação que se saúda
A apresentação do livro A
Quinta dos Paivas, ou a Quinta
do Ribeiro Travesso, de Miguel
Portela e de Margarida Her-
dade Lucas aconteceu este sába-
do, dia 16 de Abril, na Quinta
dos Paivas, em Figueiró dos
Vinhos, comemorando o Dia
Internacional dos Monumen-
tos e Sítios.
O evento que contou com
uma afluência de público consi-
derável constou de uma visita
à quinta e de um Porto de honra
nos jardins Destaque natural
para o Governador Civil de
Leira, Dr. Paiva de Carvalho, No passado dia 24 de Abril, Domingo de Páscoa, realizou-
embora ali mais presente na se a VI edição da Feira de Velharias e Antiguidades de
condição de familiar e amigo do seu fundador. Figueiró dos Vinhos.
que de representante do Go- Regista-se, com esta pub- Esta iniciativa, promovida pela Câmara Municipal de
verno no distrito. Destaque, lica-ção, mais uma parte da Figueiró dos Vinhos em colaboração com a AEPIN e este
também, para a presença de História e da vida cultural da ano também com a empresa Danimóveis - empresa do ramo
duas netas do irmão do funda- região que envolve Figueiró dos das antiguidades, decorreu durante todo o dia na Avenida
dor desta quinta e para uma Vinhos, no período de transição Padre Diogo de Vasconcelos (Ramal), dando seguimento
turma da Universidade Sénior do séc. XIX para o séc. XX, às edições que têm vindo a decorrer e a consolidar prestígio
de Figueiró dos Vinhos que, numa época de grandes mudan- nos anos anteriores. Este ano, a grande novidade foi a
mesmo em férias, mostram a ças políticas e sociais para o actuação de dois Ranchos Folclóricos, o de Cernache do
sua união e vontade de saber e país, ao mesmo tempo que no Bonjardim e o “Flores da Alegria”, de Almofala da freguesia
conhecer cada vez mais. Interior se lutava tenazmente de Aguda. Inovação que foi do agrado da população do
Fruto da pesquisa dos auto- pelo desenvolvimento. concelho, em geral, e dos comerciantes locais, em particu-
res e de um roteiro sobre as O lema “Civilização e Pro- lar, dado o grande número de pessoas que ocorreu a este
“Quintas com História” da gresso”, em que acreditavam evento dando uma animação muito especial à vila,
Associação ALBAIAZ de profundamente, foi de facto principalmente, durante toda a tarde, o que valeu
Alvaiázere, esta publicação traduzido em obras concretas. observações muito positivas por parte dos empresários
visa documentar um dos sítios As suas marcas ficaram, figueiroenses com quem falámos.
mais emblemáticos da região de constituindo um manancial de Já a Feira de Velharias, propriamente dita, teve cerca de
Figueiró dos Vinhos, ao apre- valores culturais para redesco- senta uma monumentalidade ram a Quinta do Ribeiro uma terça parte dos vendedores relativamente ao ano
sentar ao público a História, e brir. À luz do presente. em arquitectura e paisagismo, Travesso num espaço singular, passado, o que se estranha já que nessa edição em
as memórias, desta Quinta que Sendo única na região, apre- pela estética do conjunto que que ao mesmo tempo foi conversa que fomos tendo com estes o contentamento
continua na posse da família Joaquim Lopes de Paiva, o seu marcando a vida de várias era generalizado, conforme também podiamos ir
fundador, ali projectou e gerações, desde o final do observando pelo grande número de compradores que ali
construiu. século XIX. afluiam.
A Vegetação da envolvente Será um livro para ler e para O bonito dia primaveril - já a fazer lembrar o Verão - foi
geográfica e a variedade de guardar. traído pelo pequeno número de expositores. A rever...
espécies que possui converte- Entretanto, os compradores marcaram presença em grande
número daí que os expositores presentes não se queixaram
da crise...

SEDE: FILIAL 2:
R. CONDE REDONDO, Nº 62 A/B PRAÇA DO AREEIRO, 6 D/E
Tel.: 213 561 147 (4 linhas) Tel.: 218 483 311
1100 - 108 LISBOA 1000 - 159 LISBOA
Fax: 213 150 963
75 anos ao
Serviço da PARQUE PRIVATIVO - CLIENTES
Hotelaria R. BERNARDIM RIBEIRO, 93-A
1150 - 070 LISBOA

213 920 560


BUSCA AUTOMÁTICA
FAX 213 951 052 Rua da Estrela 61/65 * 1200-668 LISBOA
E-MAIL: geral@jotelar.com SITE: www.jotelar.com
REGIÃO 2011.04.26
7
CAMELO - COENTRAL VAMOS TODOS AJUDAR...

ALDEIA DE XISTO É APOSTA NO TURISMO RURAL OBRAS DE AMPLIAÇÃO DO


No passado dia 2 de Abril
teve lugar a inauguração do
QUARTEL DOS BOMBEIROS DE
CASTANHEIRA JÁ COMEÇARAM
espaço de Turismo Rural
‘Aldeia do Camelo’ na
freguesia do Coentral,
Castanheira de Pera.
Primeira surpresa: uma
verdadeira pista serve
agora toda esta parte norte
de Castanheira de Pera
aproximando todas estas
localidades da sede do con-
celho.
Relativamente à inaugu-
ração, tratou-se de uma ce-
rimónia muito informal, em
que o Arq. Jorge Magal-
hães dirigiu breves pala
vras aos presentes, onde
apresentou a empresa, a In-
vesfox S.A, “uma pequena hamento deste projecto de DEPOSITE NESTA CONTA,
recuperação, ele próprio já
empresa familiar”, falou de
objectivos deste empreen- um habitante do Camelo
COLABORE COM OS BOMBEIROS
dimento, “devolver Portu- muito bem ambientado, co- DE CASTANHEIRA DE PERA:
gal às suas origens” e ter- mo podemos constatar pelo Caixa Geral de Depósitos
minou com rasgados elo- carinho que os locais sem- Conta nº 021900013880530
gios à beleza da região não -pre lhe dispensaram. NIB: 0035 0219 00013880530 67
poupando também elogios Segundo o Arq. Magal-
IBAN: PT50 0035 0219 0001 3880 5306 7
e agradecimentos “à mara- hães, a Invesfox S.A. teve
vilhosa «auto-estrada» que como objectivo conseguir As obras de ampliação e beneficiação do Quartel do
nos serve até aqui”. uma sustentabilidade soci- Bombeiros Voluntários de Castanheira de Pera já se
Seguiu-se um almoço al, ambiental e autónoma em iniciaram.
oferecido aos presentes, diversas vertentes, como a Segundo o Presidente da Direcção, Baltazar Lopes, em
entre eles o Presidente da energética. Foram assim cri- carta enviada a este jornal, trata-se de um “importante
autarquia castanheirense, adas três unidades de turis- projecto iniciado há quatro anos e apoiado pelo QREN
Fernando Lopes, acompan- mo rural (3 casas para férias) inserido no POVT - Programa Operacional Temático e
hado dos vereadores Ana numa rede que pretende Valorização do Território” que “vem colmatar as
Paula Neves e Arnaldo San incluir os proprietários de vulnerabilidades do actual quartel, proporcionando
tos; o Presidente da Junta outras casas na aldeia. melhores condições operacionais para o desempenho da
do Coentral, Jorge Neves; A recuperação destas nobre missão dos nossos Bombeiros - a protecção de
o Presidente da autarquia casas seguiu e respeitou té- pessoas e bens, designadamente o socorro de feridos,
figueiroense, Rui Silva; cnicas e materiais tradicio- doentes ou náufragos e a extinção de incêndios”.
entre outros, onde não nais acrescentando confor- O custo total da obra, somente as infra-estruturas, está
faltou a tradicional “sopar- to e sistemas de climatiza- orçado em 340.427,10 Euros, sendo financiado pela
ra” e o pão confeccionado ção solar e biomassa com Estrutura de Missão para a Gestão de Fundos
no local. Após o almoço os combustíveis locais. Há Comunitários até ao valor máximo de 213.597,25 Euros,
presentes foram convida- ainda uma aposta na agri- significa que o restante valor necessário à execução da
dos a fazer uma visita gui- cultura e produtos autócto- obra terá de ser assegurado integralmente pela
ada pelas três casas tradici- nes, criando-se uma mais Associação, ou seja, 126.829,85 Euros.
-onais recuperadas e uma valia turística em activida- Resulta daqui que a Direcção desta associação irá
explicação sobre este pro- des como a pastorícia. Pro- “desenvolver diversas acções no sentido de angariar os
jecto e investimento em al- moveu-se com a “Reserva Questionado pelo nosso jor- de um estudo que partiu de fundos necessários, não deixando de apelar à sua (NR.:
deias, agora já cargo de ou- de Burros” e “Naturanima” nal do porquê do investimen- vários pressupostos, tais de todos nós) indispensável participação e colaboração”.
tro Magalhães, o filho, uma instalação de um peque- to no Camelo, bem no inte- como distância máxima de “Qualquer contributo ser,á sem dúvida, uma mais-valia
também arquitecto e a quem no núcleo de passeios de rior do país, o Arq. Magalhães Lisboa de 2 horas, nature- para o sucesso desta importante obra que a todos vem
se deve todo o acompan- burros na Serra da Lousã. respondeu-nos que resultou za, vegetação e água. beneficiar”.

JOSÉ CARLOS LEITÃO FERNANDO MANATA


ADVOGADO - Telm.: 917277096
ADVOGADO
ANA LÚCIA MANATA
ADVOGADA - Telm.: 912724959
Rua António José Almeida, 71
3260 Figueiró dos Vinhos
Rua Dr. Manuel Simões Barreiros, Nº 60 - R/C. 3260 - 424 FIGUEIRÓ DOS VINHOS
- Telm.: 968 918 283
Telf./Fax: 236 551 095
8 2011.04.26
PAMPILHOSA DA SERRA - REGIÃO
DA

PAMPILHOSA DA SERRA COMEMOROU DIA DO CONCELHO

“AUTO-ESTIMA COLECTIVA” DOS PAMPILHOSENSES EM ALTA


MEDALHAS E DESTINÇÕES
HONORÍFICAS
António
Alegre

Carlos Dias

Antes do inicio da Ceri- Olivença, do Dr. José Cun- sessão de formação para localização deste instru-
mónia Oficial e aproveitan- ha (Ex- Presidente da As- professores da Europa, mento de suma importância
do a data festiva do Muni- sembleia Municipal de com o intuito de testar a a nível planetário», expli-
cípio, os Bombeiros Volun- Pampilhosa da Serra) e das adaptar os recursos às dife- cou o edil, sublinhando
Real tários de Pampilhosa da Juntas de Freguesias do rentes realidades dos paí- que se trata de um dos pro-
Confraria Serra associaram-se às Co- Concelho, respectivamen- ses participantes, teve jectos que «utiliza as nos-
do Maranho memorações, consagrando te. lugar em Pampilhosa da sas potencialidades, do
6 Bombeiros com o Crachá O inicio da Cerimónia Ofi- Serra, até ao dia 13 de Abril, qual muito nos orgulhamos,
de Ouro atribuído pela Liga cial, começou com a assina- a 2.ª sessão de formação. que nos dignifica e eleva a
dos Bombeiros Portugue- tura de Protocolos com José Brito Dias durante a nossa auto-estima colec-
ses, fruto de 35 anos dedi- Instituições do Concelho, sua intervenção congratu- tiva enquanto pampilho-
cados à causa humanitária. notáveis embaixadores da lou-se com instalação de senses».
«Não podemos esquecer cultura pampilhosense, e instrumento de investiga- Além da Câmara Munici-
o papel fundamental do ainda com o NUCLIO. ção espacial que “dignifica pal da Pampilhosa da Serra
associativismo que se O NUCLIO é o promotor e eleva a auto-estima colec- e do laboratório Lawrence
constitui como uma forma do Projecto “Connecting tiva” dos pampilhosenses. Berkeley, representado pe-
de organização social de Classrooms to the Milky «O concelho, está hoje, lo grupo de George Smoot,
grande contributo para a Way” (Conectando Salas definitivamente, conectado são parceiros neste projec-
Perpétua criação de espaços de part- de Aula à Via Láctea), que com a investigação científi- to o Instituto de Telecomu-
Afonso ilha e de convivência», re- contempla a instalação de ca espacial», afirmou José nicações, representado na
feriu o presidente da Câma- uma antena em Portugal, Brito Dias, presidente da cerimónia por Carlos Sale-
ra, José Brito. Assim, foram que será no edifício JIRA, Câmara da Pampilhosa da ma, o Departamento de Fí-
agraciados com o crachá de na Vila de Pampilhosa da Serra, na cerimónia de co- sica da Universidade de
ouro seis elementos que Serra. memoração do Dia do Mu- Milão e o Instituto de Pes-
compõem o corpo de Bom- Este projecto pretende le- nicípio. quisas Especiais do Brasil,
beiros da Pampilhosa Serra, var a rádio astronomia às O autarca referia-se à assim como a Universidade
«pelos bons serviços que salas de aula de França, antena radiotelescópica de de Aveiro, representada pe-
prestaram à comunidade ao Espanha, Polónia, Roménia nove metros, inaugurada lo seu reitor, Manuel As-
longo de trinta e cinco e Portugal, através da insta- ontem, instalada numa ele- sunção.
anos», nomeadamente Car- lação de pequenos radiote- vação, conhecida como Ca- Dirigindo-se ao reitor,
los Dias, Carlos Alegre, lescópios, denominados beço do Carvalhal, em Porto José Brito Dias afirmou que
José Augusto António Dias, Armando Small Radio Antenas (SRT). da Balsa, na freguesia de de facto se trata de «um
Almeida Ricardo, Henrique Reis e Os SRT podem ser opera- Fajão. A antena, doada pela bom exemplo de ligação
Fernando Simões. dos remotamente pela co- TMN, encontra-se inserida entre a Universidade e os
Logo após seguiu-se a munidade escolar, através no projecto GEM-P (Galac- territórios», vaticinando
Entrega e Bênção de uma da internet, permitindo a tic Emission Mapping), que «este seja o primeiro
Ambulância, um Barco, 50 introdução de diversas te- coordenado pelo Nobel da de muitos passos em con-
equipamentos NOMEX e máticas, como por exemplo: Física George Smoot, e não junto».
30 Capacetes Florestais à o Sol, a Galáxia, a matéria foi instalada no concelho A este projecto já se as-
Associação dos Bombeiros escura, etc. da Pampilhosa da Serra por sociaram outros, designa-
Voluntários de Pampilhosa Decorreu em Paris em No- mero acaso. «Foram as con- damente a instalação de
da Serra, fruto da genero- vembro, a primeira reunião dições específicas do nos- uma antena radiotelescópio
sidade do Empresário Rui do consórcio, e a primeira so território que ditaram a de monitorização da activi-
REGIÃO - PAMPILHOSA D
PAMPILHOSA A SERRA
DA 2011.04.26
9
PAMPILHOSA DA SERRA COMEMOROU DIA DO CONCELHO DE 11 A 21 DE ABRIL

INAUGURADO MAIOR TELESCÓPIO DO IX PÁSCOA EM MOVIMENTO


HEMISFÉRIO NORTE NO FAJÃO
dade solar e de meteorolo-
gia do espaço, pelo Obser-
vatório Astronómico da
Faculdade de Ciências da
Universidade do Porto,
liderada pelo professor
Dalmiro Maia. Para alem
disso, revelou o autarca,
«temos estabelecidas ou-
tras parcerias ao nível das
ciências, acolhendo a Pam-
pilhosa, a partir de hoje (dia
10 de Abril), a formação
internacional de professo-
res do programa Comenius,
no âmbito do projecto
“conectando salas de aula
à via láctea”, que prevê a
instalação de uma antena
SRT no espaço JIRA». De 11 a 21 de Abril realizou-se a IX edição do programa
Seguidamente foram Carlos Dias, Carlos Alegre, António Dias, Armando Ricardo, Henrique de férias lectivas “Páscoa em Movimento”, promovido
agraciados e distinguidos Reis e Fernando Simões, os Bombeiros medalhados. pela Ludoteca Criativa “Pampilho” do Município de
aqueles que se notabiliza- Pampilhosa da Serra em parceria com o ATL da Cáritas
ram por méritos pessoais antigo funcionário da Câmara terra», a Medalha de Mé- Pampilhosa da Serra du- Diocesana de Coimbra.
ou institucionais, actos, Municipal da Pampilhosa da rito Municipal foi entre- rante dezoito anos e que O programa conta com imensas actividades, tais como:
feitos cívicos ou mesmo Serra foi distinguido com a gue à Real Confraria do «muito lutou pela melhoria piscina, cinema, música, ciência, visita à Feira do Livro,
por serviços prestados ao Medalha de Bons Serviços, Maranho, «pela forma das condições de vida dos uma gincana inter-geracional, caça aos ovos da Páscoa,
Município, ao País ou à com a Medalha de Valor e Al- como tem defendido a pampilhosenses». palestra da Guarda Nacional Republicana e uma visita à
Humanidade, com a atribui- truísmo foi agraciado Carlos gastronomia tradicional Antes do almoço volante Bracalândia e muito mais…
ção de medalhas e distin- Dias, que serviu os bombeir- do nosso concelho» e foi ainda efectuada uma De referir, que este programa conta com a colaboração
ções honoríficas. os mais de 35 anos, a Medal- com «a mais alta insígnia visita que culminou com a da Santa Casa da Misericórdia de Pampilhosa da Serra
Porque «dentro e fora ha de Mérito Municipal foi do município», a Medal- inauguração de uma An- que disponibiliza o almoço a preço de cantina escolar
das instituições o que inte- para Maria Perpétua Afonso, ha de Honra, foi distin- tena do Projecto GEM em para as crianças e jovens participantes.
ressa são as pessoas», «uma mulher extraordinária guido José Augusto Portugal em colaboração
também foram agraciadas que tem demonstrado uma Almeida, presidente da com o Instituto de Teleco-
algumas. António Alegre, dedicação extrema à sua Câmara Municipal da municações de Aveiro.

Maior telescópio do hemisfério norte inaugurado em Fajão RAID PEDESTRE


PAMPILHOSA DA SERRA -
O Telescópio tem 9 metros
de diâmetro e uma área colec-
tora maior que um aparta-
mento T2 (80m2) e foi doado
pela Portugal Telecom.

TORRE (SERRA DA ESTRELA)


Esta antena do Projecto
GEM está operacional no
concelho de Pampilhosa da
Serra, numa parceria da
Câmara Municipal e do Ins- No próximo dia 25 de Junho, a Liga de Melhoramentos
tituto de Telecomunicações, da Freguesia do Cabril, com o apoio do Município de
com participação internacio- Pampilhosa da Serra, vai promover um Raid Pedestre entre
nal de Instituições de Inves- a Pampilhosa da Serra e a Torre (Serra da Estrela).
tigação ligadas à NASA e Este percurso tem como objectivos divulgar a Pampil-
AESA, entre estas a Univer-
hosa da Serra e a sua rede de percursos pedestres ligando
sidade da Califórnia, o Insti-
o ponto mais alto do Concelho ao ponto mais alto de
tuo Nacional de Pesquisas
Portugal.
Espaciais do Brasil, a Uni-
versidade de Milão e o Insti- O percurso previsto terá o seu início junto à Casa do
tuto de Astrofísica de Itália, jecto a Câmara Municipal de Universidade de Aveiro e o a instalação de um Telescó- Guarda, situada na estrada Fajão-Vidual, seguindo pelos
contando também com Inves- Pampilhosa da Serra desenvol- programa “Hands on Uni- pio de 9 metros para rastrei- pon-tos mais altos do concelho até às Pedras Lavradas,
tigadores da Missão Espacial veu um projecto educativo le- verse”, coordenado pelo os das Explosões Solares na Estrada Nacional 230, onde se inicia a subida para a
PLANCK. vando ao aparecimento de duas NUCLIO e que instalará num projecto complementar Torre.
Este radiotelescópio será grandes linhas de acção com uma antena de 3 metros para à monitorização da Metere- O encerramento será brindado com um jantar convívio,
dedicado a rastreios da Via impacto no entusiasmo pela uso remoto pelas Escolas de ologia do Espaço pela AESA, aberto a todos os participantes.
Láctea para uso de Missões Ciência do Concelho: - A acção toda a Europa. um projecto coordenado pela As inscrições deverão ser feitas até ao dia 25 de Abril,
Espaciais. “Cientistas na Serra”, dinamiza- Adicionalmente serão Faculdade de Ciências da por e-mail: lmfcabril@sapo.pt; vitorbarata@live.com, ou
Juntamente com este pro- do pela Fábrica Ciência Viva da lançadas as fundações para Universidade do Porto. para o telemóvel 960125401.
10 2011.04.26
REGIÃO

LOURICEIRA - PEDRÓGÃO GRANDE NO MOSTEIRO - PEDRÓGÃO GRANDE

ASSOCIAÇÃO COMPLETOU 29 ANOS JÁ NA AL-BAIÄZ E CÂMARA VÃO


NOVA SEDE AO MOINHO
A Associação de
Melhoramentos Cultura e
Recreio da Louriceira
promoveu no passado dia
23 de Abril - Sábado -
mais uma jornada de
alegre convivência entre
os louriceirenses,
familiares e amigos, com
a realização do seu já
tradicional almoço-
convívio anual.

Tradicionalmente realiza- AAl-Baiäz – Associação de Defesa do Património em parceria


do no fim-de-semana da com a Câmara Municipal de Pedrógão Grande e integrando o
Páscoa, este ano quase programa geral do Instituto de Gestão do Património
coincidia com o dia de ani- da Associação, António inaugurada o ano passado, e apelou “aos que cá estão”
Arquitectónico (IGESPAR), comemorou, no dia 16 de Abril, o
versário, neste caso o 29º, Simões, foi o primeiro a um orgulho da Associação para falar com “os que cá
Dia Internacional dos Monumentos e Sítios, no lugar do
o que aconteceu no dia intervir, para lamentar o mas que urge colocá-la ao não estão” no sentido de Mosteiro, concelho de Pedrógão Grande.
anterior, dia 22 de Abril. menor número de louricei- serviço dos louriceirenses. passar a mensagem de que Depois de fazer a apresentação do evento e os respectivos
Pela primeira vez, o al- renses presentes, mas não Finalmente, usou da “ninguém deve ser excluído agradecimentos aos guias, Eng.ª Sofia Carmo e Eng.º João Coelho
moço realizou-se na Sede (o deixando de afirmar que palavra o Presidente da ou auto-excluir”. e à Câmara Municipal pelo excelente apoio prestado a esta
ano passado foi a inaugu- “somos poucos mas bons”, Autarquia Pedroguense, João Marques elogiou a realização, o presidente da Al-Baiäz, Élio Marques, deu algumas
ração) o que, infelizmente, no que foi muito aplaudido. Dr. João Marques que co- voluntariedade e força de informações sobre a documentação distribuída aos participantes,
não se traduziu em maior António Simões falou de meçou por falar de “recor- vontade de António Simões nomeadamente: o levantamento das espécies botânicas, da
número de louriceirenses dificuldades, de sacrifícios, dações de pequeno. e terminou deixando a sua autoria do Prof. Mário Lousã; um pequeno texto sobre a lenda
presentes. Pelo contrário, mas deixou a promessa de Recordações de trabalho, disponibilidade em conti- da Princesa Peralta, publicada na Miscelânea do Sítio de Nossa
foi mesmo o ano com “continuar a lutar” e que mas boas recordações”, nuar a colaborar com esta Senhora da Luz de Pedrógão Grande, de Miguel Leitão de
menor adesão: 72 pessoas. “vamos fazer obra”. O líder falando dos seus tempos associação. Andrada, 1629; alguma poesia de Alfredo Keil sobre Pedrógão
Ainda assim, este almoço desta associação lamen- quando ainda muito jovem Seguiu-se o tradicional Grande, publicada no seu livro Tojos e Rosmaninhos, 1907; um
(que ao som de um teclista tou, ainda, a falta de jovens ali ia em trabalho ajudando cantar dos “Parabéns” pelo texto sobre moinhos da autoria do Eng. João Coelho e alguma
contratado se prolongou e de não haver um residente o seu pai. 29º aniversário da Associa- poesia alusiva à temática dos moinhos.
tarde fora até ao lanche na Louriceira que assuma João Marques partilhou ção que, efectivamente, os Seguidamente os presentes partiram à descoberta do
servido perto das 19 horas) o leme da Associação, pois e reforçou a mensagem de tinha completado no dia património cultural e natural nas margens da Ribeira de Pera e
voltou a constituir uma estando presente no dia-a- António Simões relativa- anterior. lugar do Mosteiro. O Eng.º João Coelho, natural do referido
oportunidade óptima para dia terá sempre outras mente ao despovoamento Quando nos tivemos que lugar, falou sobre a história, tradições, usos e costumes desta
rever amigos de infância possibilidades, nomeada- das aldeias mas lembrou ausentar para outras repor- localidade e das suas gentes, tendo como mote a água desta
que já anseiam por este dia mente na abertura da sede que “as pessoas não per- tagens, a jornada continu- ribeira. Percorremos novas e antigas pontes, vimos levadas e
para matar saudades de tão e realização de eventos. dem o sentimento pela sua ou ao som do teclista, com sistemas de regadio, antigos lagares e moinhos, antigas fontes,
genuínas e autênticas António Simões lembrou o terra”, principalmente uns a dançar, outros a jogar centenários carvalhos e um dos principais centros de produção
amizades. facto de há 17 anos que é aquelas que por um motivo as cartas, outros simples- agrícola do actual concelho de Pedrógão Grande.
De realçar a presença do presidente desta associa- ou por outro se tiveram que mente a conversar. Chegados ao antigo moinho de rodízio com dois pares de
Presidente da Autarquia ção, também por isso consi- ausentar do seu “rincão Na agenda estava, ainda, mós, esperava-nos o seu antigo moleiro, o Sr. Marcolino, com a
pedroguense, Dr. João derou estar na hora de Natal” à procura de melhor apagar as belas do bolo de bonita idade de 84 anos para nos explicar, com sabedoria e arte
Marques e do Presidente aparecerem “caras novas”. qualidade de vida. aniversário, o que terá as técnicas ancestrais da moagem do cereal.
da Junta de Pedrógão Gran- O Presidente da associa- O Autarca realçou o pa- acontecido ao fim da tarde No final do evento decorreu na praia fluvial, no restaurante
de, Pedro Nunes. ção louriceirense terminou pel de “fundamental impor- após o lanche servido a “Lagar do Mosteiro”, uma prova de deliciosos chás
O Presidente da Direcção falando na sede, uma obra tância” destas associações partir das 19 horas. acompanhados por alguns bolos da doçaria tradicional de
Pedrógão Grande.
REGIÃO 2011.04.26
11
PISTA DE CROSS MULTIUSOS FEITA PARA VENCER ESCALOS FUNDEIROS

ESPECTADORES AFEREM SUCESSO PASSEIO DE PASTELEIRAS


No passado dia 25 de
Abril de 2011 foi
inaugurada a Pista de
Cross Multiusos de
DIA 15 DE MAIO
Pedrógão Grande com a
realização, pela primeira
vez neste concelho de
uma prova de Quadcross,
o1ºQX de Pedrógão
Grande que foi
organizado pelos
Bombeiros Voluntários
de Pedrógão Grande e
pelo Recreio
Pedroguense com o apoio
do Município de Pedrógão
Grande e da VSL –
Sistemas Portugal S.A.,
entre outros.

Centenas de espectado-
res disseram presente a
este evento fazendo do 10h15 às 12h15, e com as
1ºQX de Pedrógão Grande Foto Maryluz
mangas das diversas clas-
um grande sucesso popular ses (Promoção e Elite) a
num espaço que reune iniciarem às 12h25.
excelentes condições para Esta prova rodeada de
a prática destas especta- grandes emoções e
culares modalidades de adrenalina contou com a
cross, quer para pratican- presença de alguns pilotos
tes, quer para especta- nacionais vindos de Norte
dores. a Sul do país, entre eles o
A prova foi realizada Campeão Nacional 2010,
numa pista criada de raiz, Jonathan Gil e também com
com aproximadamente 1100 alguns que se encontravam
metros de comprimento, afastados da competição A Associação de Melhoramentos de Cultura e Recreio
num terreno com 7 hectares nacional. dos Escalos Fundeiros, Pedrógão Grande promove no
e rodeada por uma beleza No final, o Campeão próximo dia 15 de Maio, Domingo, o 1º Passeio de
natural impar. Esta pista Nacional 2010, Jonathan Pasteleiras e Bicicletas antigas.
permite que com pequenas Gil, foi o segundo classifica- Trata-se de mais uma iniciativa daquela dinâmica
alterações de arrastamento do na prova de Elite. associação do norte da freguesia de Pedrógão Grande
de terras que ali se dispu- Trofinha, em primeiro e com o apoio da Câmara Municipal e da Junta de Freguesia
tem provas com carros - Adrien Felix, em terceiro, de Pedrógão Grande.
está já uma agendada para completaram o pódio. “Este Passeio é mais uma iniciativa desta Associação, e
o próximo mês de Maio - de Em Promoção, Paulo tem por fim recordar os meios de transporte de outros
cross e super-cross. Russo, o “vizinho” do tempos” - palavras de Alcides Fernandes, Presidente da
O 1º QX de Pedrógão concelho de Ansião, foi o Direcção da associação promotora do evento que apela
Grande decorreu junto ao grande vencedor. O Pódio aos participantes para que usem um traje adequado à
cruzamento das Fontain- ficou completo com Hape, época, o que dará outro colorido e brilho à iniciativa.
has, nas proximidades do em 2º lugar e Henrique A concentração terá lugar logo pelas 9 horas junto à
Campo Municipal São Alves, em terceiro. Foto Maryluz sede, nos Escalos Fundeiros - estando já garantidas
Mateus, com os treinos das CS algumas “pasteleiras” cuidadaosamente recuperadas que
irão fazer as delícias de participantes - e não só. A partida
rumo à Devesa, na sede do concelho onde terá lugar um

PEDRÓGÃO GRANDE – Homem detido


reforço está agendada para as 10 horas. Às 13 horas será
servido o almoço já de novo na sede, seguido da entrega
de prémios e lembranças.
Para este 1º Passeio, a organização instituiu dois prémios:

por posse de material explosivo


o melhor traje e a bicicleta mais original. No entanto, todos
os participantes terão direito a uma lembrança.
As inscrições poderão ser feitas na sede que está aberta
aos fins-de-semana, ou junto do Presidente Alcides
Um homem de 39 anos foi detido em Pedrógão Grande, do suspeito, em Pedrógão Grande, onde foi encontrado Fernandes, pesoalmente ou pelo telefone 919879545.
na primeira semana de Abril, pelo Núcleo de Investiga- este arsenal. Ao todo as autoridades encontraram 84
ção Criminal da GNR de Pombal, por ter em seu poder velas diversas de explosivos, dois metros de cordão
um conjunto de material explosivo. Em causa está equi- detonante vermelho, 75 metros de cordão detonante azul
pamento considerado particularmente perigoso e que, e 16 metros de cordão lento. No total, os explosivos to-
por isso mesmo, a sua aquisição e manuseamento requer talizam, de acordo com informação da GNR, 11,750 quilos.
autorizações especiais. Ao que apuramos o Ministério Público vai continuar
No decurso de um inquérito em investigação, elemen- com as investigações, no sentido de perceber a origem
tos do NIC de Pombal efectuaram uma busca à residência deste material e qual o fim a que se destinaria.
12 2011.04.26
REGIÃO

SEMANA SANTA EM PEDRÓGÃO GRANDE 13ª EDIÇÃO: “MOSTRA” DE VOLTA

MILHARES DE PESSOAS NAS CELEBRAÇÕES FEIRA DO PETISCO É


A NOVIDADE

Pedrógão Grande assistiu desde 9 de Abril até ao Em cima, o “Encontro” (Dia dos
passado dia 24 de Abril, à celebração dos Passos, Semana Passos); em baixo, D. Albino Cleto a
Santa e Páscoa, este ano enriquecidas pela visita do Bispo celebrar a Missa
de Diocese de Coimbra, D. Albino Cleto, que presidiu às
cerimónias do dia 10 de Abril.
Pedrógão Grande transformou-se numa grande Via
Sacra, num sinal de Fé e Cultura que se perde nas origens
do tempo. A Vila preparou-se especialmente para esta
Vai decorrer emm Pedrógão Grande, nos dias 29 e 30 de
“manifestação” - decorou ruas, as varandas e sacadas, Abril e 1 de Maio, a “XIII Mostra de Produtos Regionais”,
preparou as estações ao longo do percurso da Procissão a que este ano se junta o certame “I Feira do Petisco”.
- criando efeitos estéticos de grande beleza, sinais de O evento tem a organização do Município de Pedrógão
uma cultura popular sedimentada ao longo de décadas. Grande, da Escola Tecnológica e Profissional da Zona do
A celebração dos Passos e a Sexta-feira Santa foram os Pinhal e da Associação Empresarial Penedo do Granada.
dias que mais gente trouxe até Pedrógão Grande. Nos O certame terá lugar num espaço criado unicamente
Passos, um lindo dia de sol deu ainda mais brilho às para este fim, numa lógica de concentração de artesãos,
celebrações em que D. Albino Cleto esteve presente e às gastronomia e animação, mantendo, como principal
quais presidiu, celebrando a Missa pela manhã e objectivo, dar a conhecer o que de melhor se faz na região
protagonizando o Sermão do Encontro, á tarde. Nestas de Pedrógão Grande.
celebrações a Procissão que integra o Senhor dos Passos Para o efeito será montada uma tenda de grandes
– vinda da Igreja Matriz para o Calvário – encontra-se dimensões junto do Mercado Municipal na sede de
com a S.ª das Dores, dando de imediato início ao Sermão concelho.
do Encontro. Cerimónia muito bonita, de um significado A animação musical vai ficar a cargo de grupos
cristão enorme. seguindo-se a Missa na Igreja Matriz que marcou o final folclóricos,
Dia 22 de Abril, “Sexta-feira Santa”, a chuva fez várias das celebrações. tunas, bandas filarmónicas e grupos de música popular.
A grande novidade é a 1ª Feira do Petisco que promete
aparições. As celebrações tiveram o seu início pelas 11 Organizadas pela Santa Casa da Misericórdia e pela
segurar os visitantes pela boca.
horas, com a celebração da Paixão do Senhor; ás 15 horas, Fábrica da Igreja de desta localidade com a colaboração
o “ponto alto”, com a realização do sermão, no Calvário, da Câmara Municipal, Bombeiros Voluntários, Escuteiros,
este ano a cargo do Padre Pedro Miranda - ex-Pároco de Junta de Freguesia e Região de Turismo do Centro e a
Pedrógão Grande. Com a chuva a dar tréguas, este participação da Banda Filarmónica de Pedrógão Grande,
momento constituiu um momento de emoção colectiva, as celebrações de 2011 ficaram marcadas pelo rigor e
perante a presença de largas centenas de pessoas que de competência de uma organização que reconhece nestas
seguida tiveram oportunidade de se integrarem na celebrações um património cultural muito mais vasto, que
RESTEUROPA @ MAIL.TELEPAC.PT

Procissão do Enterro do Senhor que percorreu o centro diz respeito à generalidade das gentes do concelho e não
histórico e as principais artérias da vila. Ainda durante a apenas à comunidade Cristã.
Sexta-feira Santa, pelas 21 horas realizou-se o Oficio da Mesmo aqueles que, por opção de consciência,
Morte do Senhor (Trevas) e ás 21H45, a Procissão do professam ideias diferentes, ou não se consideram
Silêncio. crentes, entendem a mística desta quadra litúrgica, altura Telf.: 236 438 943 | Tlm.: 938641520 |
Dia 23 de Abril, Sábado Santo” as celebrações em que, inclusivamente, muitos dos pedroguenses a
MOREDOS - CAST. DE PERA
prosseguiram com a realização da Vígilia Pascal. residir fora do concelho aproveitam para dar “uma saltada
“Domingo de Páscoa”, dia 24 de Abril, pelas 11H30, à terra”, matando saudades da família e dos amigos. * Feijoada de Marisco * Arroz de Lampreia (na época) *
Ensopado de Javali * Cabrito à Europa * Bacalhau na Canôa
realizou-se a Procissão da Ressurreição do Senhor, CS
REGIÃO 2011.04.26
13
25 DE ABRIL ASSINALADO NA COMARCA

NO 37º ANIVERSÁRIO DA REVOLUÇÃO, CRAVOS SÓ EM PEDRÓGÃO


EM FIGUEIRÓ DOS VINHOS EM PEDRÓGÃO EM CASTANHEIRA DE PERA

JOVENS ASSOCIAM-SE GRANDE 25 DE ABRIL SEM CRAVOS


Distrital de
Leiria da JS
comemorou 37º
Aniversário do
25 de Abril
A Federação Distrital de
Leiria da Juventude
Socialista (JS), no âmbito do
Este ano o Município de Figueiró dos Vinhos começou a assinalar o 25 de Abril Este ano as celebrações do 25 de Abril tiveram um “registo” diferente
seu programa de
no dia 23 com a realização na Casa da Cultura de um Espectáculo Musical de tributo em Castanheira de Pera. A tradicional sessão solene que se realizava
comemorações do 37º
ao 25 de Abril, com o grupo Tributabril. Um espectáculo organizado pela Associação nos Paços do Concelho deu lugar a uma inauguração de exposição
Aniversário do 25 de Abril versando “Abril”; a mesa do Salão Nobre com o majestoso arranjo de
Terractividade, numa iniciativa que se saúda, principalmente numa altura em que o de 1974 - “Revolução dos
“alheamento” dos jovens começa a preocupar. cravos, deu lugar a uma vitrina com “imagens de Abril” a servir de mesa.
Cravos”, elegeu no presente Faltaram os cravos mas sobrou a vontade de cumprir Abril, “os
No dia 25, pelas 9 horas, teve lugar o Hastear da Bandeira na Praça do Município,
ano, o Concelho de tempos que vivemos já não são nada fáceis, mas também não vamos
a que se seguiu uma visita a uma Exposição alusiva a esta efeméride, patente nos
Pedrógão Grande, como fugir porque ainda somos muitos mil e acreditamos que ainda é possível
Paços do Concelho. Ainda durante a manhã, realizou-se no Pavilhão
anfitrião destas fazer cumprir Abril” - palavras de Fernando Lopes que começou a
Gimnodesportivo um Torneio de Basquetebol.
comemorações. sua intervenção precisamente por referir as diferenças nas celebrações,
À tarde, no Clube Figueiroense - Casa da Cultura, foi exibido um Documentário
Deste modo, no passado dia “registo diferente, mais reduzido, menos formal, mas não menos signi-
sobre o 25 de Abril de 1974.
25 de Abril, a Federação ficativo. Assumimos, sem receios, conscientes até de que muitas vozes
Distrital de Leiria da JS, com se vão levantar contra, este novo registo comemorativo” - afirmou.

Bombeiros assinalam 25 de Abril


a colaboração da Concelhia “No momento que vivemos devemos centrar na ideia firme de que
de Pedrógão Grande da JS, devemos ter cada vez menos comemoração e cada vez mais acção” -
levou a efeito uma diria ainda Fernando Lopes que recusa a “resignação”: “somos homens
Os Bombeiros Voluntários de Figueiró dos Vinhos também assinalaram o 37º distribuição de cravos à livres sim, mas liberdade implica responsabilidade. Somos homens
aniversário da Revolução dos Cravos. população, iniciativa que livres sim, mas liberdade deve significar construção. Somos homens
Logo pelas 9 horas participaram nas cerimónias do Hastear da Bandeira com decorreu pelas ruas da vila livres sim, mas liberdade deve manifestar-se com acção. Orgulho nas
dezenas de elementos na parada prestando as respectivas honras à bandeira. de Pedrógão Grande. conquistas, inconformismo na atitude, determinação na acção. Saber
Seguiu-se o já tradicional jogo de futebol entre os Bombeiros da corporação Segundo Diogo Coelho, interpretar estes sinais é pois, a verdadeira expressão do homem
figueiroense. São momentos de convívio em que o futebol é apenas um pretexto em lider destas duas estruturas, livre. Porque homem livre é e será sempre aquele que jamais aceitará
que o resultado é secundários (aliás, alguém sabe como ficou o resultado?...). a Federação Distrital de a condição de imbecil” - justificou o Autarca aproveitando para deixar
Finalmente, e para retemperar forças, uma “almoçarada”. Uma belissima feijoada Leiria da JS “pretendeu com algumas críticas afirmando que “imbecil é todo aquele que se deita à
para continuar a festa... esta iniciativa sensibilizar a sombra daqueles que constroem mas que nada mais sabem fazer que
população para a dar a entender que tudo são capazes de fazer”.
importância dos ideais de “Não queremos fomentar as divisões mas, ao invés, lutar por mais
Abril, designadamente, a e melhor democracia. Essa será sempre a nossa insígnia!
Liberdade, Igualdade e Trinta e sete anos depois, importa afirmar que Abril é hoje e sê-lo-á
Fraternidade, num período também amanhã, mas só o será, verdadeiramente, se soubermos honrar
político, económico e social as suas conquistas e respeitar os valores a elas inerentes e que ainda
bastante difícil que o País sustentam as nossas convicções mais profundas” - concluiu o Autraca.
atravessa, em que é Entretanto, já a Presidente da Assembleia Municipal, Conceição
necessário o empenho de Soares tinha já intervido começando logo por afirmar “sinto falta dos
todos os cidadãos para cravos”, para logo deixar uma mensagem de esperança afirmando “mas
vencer este enorme desafio. eles estão sempre no meu pensamento”.
A distribuição do cravo, Conceição Soares considerou que “Portugal precisa de nós”, e
símbolo indissociável da afirmou difícil de acreditar que “37 anos depois isto está-nos a
conquista da Democracia e acontecer, um país a afundar-se cada vez mais”.
da Liberdade em Portugal, é Para a Presidente da Assembleia Municipal só haverá Abril quando
uma das melhores formas de “houver liberdade, paz, pão, saúde, habitação” e afirmou que os
homenagear e de cumprir o políticos estão desacreditados.
espírito e os elevados ~”Façamos um Portugal onde todos tenhamos um lugar ao Sol” -
desígnios do 25 de Abril de concluiu Conceição Soares.
O programa das celebrações incluiu ainda um espectáculo de música
1974”.
de intervenção, dia 24 à noite no Auditório da Praça da Notabilidade.
14 2011.04.26 DESPOR
DESPORTTO

RECREIO PEDROGUENSE, 3 | DESPORTIVA FIGUEIRÓ, 4


“DERBIE COM TODOS”: GOLOS, CASOS, EXPULSÕES E MUITA EMOÇÃO
Árbitro: Rodolfo Deyllont
Auxiliares: João Ruivo e
Mariana Domingos
RECREIO
PEDROGUENSE: Mika;
Toni, Rodrigo, Luis Pedro
e Sérgio, Abdel, Gonçalo,
Garfo e Flávio Salgado,
Jocy e Faca.
Suplentes utilizados:
Helder Vaz e Marcelo
Treinador: Carlos Alegre

DESPORTIVA DE FIG. Jogada da expulsão de Jocy...


DOS VINHOS: João
Pedro, Camisas, Zé
Napoleão, Renato e
Estêvão, Beto, Albertinho,
Rafael e Mika, Ferraz e
Panzer
Suplentes utilizados:
Futre e Joel
Treinador: Paulo Neves Muita entrega: o 3-4 sai de uma jogada tirada a papel quimico com a desta foto
GOLOS: 0-1, Albertinho; 1-
1, Jocy; 1-2, Ferraz; 1-3, Recreio começava a impor (segundo melhor marcador são de uma grande penali-
Ferraz, 2-3, Luis Pedro; 3- o seu meio campo mas a na Honra) e ficava a jogar dade, ainda que duvidosa.
3, Marcelo; 3-4, Futre. Desportiva sempre que com um jogador a menos. Paulo Neves troca Mika
descia ao ataque fazia-o Como se não bastasse, por Futre e a Desportiva
Cientes da importância com perigo, até porque a mesmo a terminar a primeira perde, durante algum tem- Muita entrega: dois guarda-redes de classe
deste jogo na luta pela fuga defesa do Recreio não acer- parte Ferraz aumenta para po, quem segure a bola a
à descida de divisão, a tava nem com as marcações 1-3 e a situação parecia meio campo e dê alguma mas o árbitro assim não A vitória visitante aceita-
equipa de Figueiró dos nem com as suas funções. complicar-se para o Pedro- magia e imprevisibilidade entendeu. Encobertos pela se num excelente derbie em
Vinhos entrou ao ataque, Assim, foi com alguma guense. ao jogo. Futre foi entrando defesa também não po- que houve de tudo: muitos
surpreendendo a equipa da naturalidade que a Despor- O apito para o intervalo no jogo e a equipa foi-se demos opinar com rigor. golos, uns bons, outros
casa e abrindo o activo tiva se voltou a colocar em surge mesmo numa altura reequilibrando, mas, entre- Apenas dois minutos muito facilitados; expul-
logo aos 2 minutos num vantagem com um golo de em que se adivinhava o KO tanto, o Pedroguense apro- depois, Renato vê o segun- sões, casos, incerteza no
lance de oportunidade de Ferraz, mas todo ele “dado” para a equipa da casa – veita o desnorte visitante e do amarelo e recebe ordem marcador e emoção até ao
Albertinho a aproveitar um por Mika que “partiu” os salvos pelo gongo. o empate surge com justiça de expulsão. fim.
desentendimento na defen- adversários que lhe apare- A desvantagem caseira (70’) por intermédio do Pensou-se que o Pedro- Quanto á arbitragem, foi
siva contrária. ceram ao caminho. de 1-3 foi o resultado que jovem Marcelo que havia guense pudesse voltar a re- muito fraquinha. O árbitro
Nos minutos que se se- O jogo continuava bom as equipas levaram para o entrado entretanto e que agir, mas os figueiroense esteve mal e foi mal ajuda-
guiram ao golo os foraste- e qualquer das equipas intervalo e que castigava a veio dar nova alma ao souberam gerir o jogo e o do. Louve-se o facto de ter
iros foram mais esclarecidos mostrava que podia marcar. inoperância defensiva dos ataque pedroguense. Ale- tempo sem percalços até ao errado para os dois lados.
e trocavam a bola no meio Os guarda-redes Mika e pedroguenses. gre voltava a mexer bem na fim. CS
campo adversário. João Pedro mostravam Para a segunda parte com equipa.
Aos 7’, a primeira reac-

MANUEL MARTINS DA SILVA


porque é que são conside- a Desportiva com mais um A equipa da casa acredi-
ção do Pedroguense com rados dos melhores desta jogador e com dois golos tava mas foi aí que apareceu
Gonçalo (em posição de Honra. de vantagem pensava-se um super-Camisas, enchen-

MANUEL F. BARATA DIAS


fora de jogo) a servir Faca Aos 36’, Jocy pontapeia que o jogo estava resol- do o lado direito e colocan-
que falha por milímetros. Rafael (que havia feito falta vido. Puro engano, Alegre do a defensiva pedrogue-
Apenas 2 minutos volvi- sobre si) e é - correcta- tira Toni e mete Helder Vaz nse em sentido. Aliás, foi
dos Jocy, pleno de opor- mente - expulso. Rafael viu e o Pedroguense ganhou mesmo Camisas que em
tunidade repunha a igual- amarelo - bem! O Pedro- novo folgo, não estranhan- cima dos 85’ deu o golo a TÉCNICOS OFICIAIS DE
dade.
O jogo estava bom, o
guense perdia a sua unida-
de atacante mais perigosa
do, por isso o 2-3 aos 63’
por Luis Pedro na conver-
Futre. Alguns jogadores da
casa pediram mão de Futre
CONTAS
CONTABILIDADE/IRC/ IVA/IRS/SALARIOS

RETIRO "O FIGUEIRAS"


SEGUROS EM TODOS OS RAMOS:
AGENTE DAS COMPANHIAS
IMPÉRIO BONANÇA * MAPFRE *
Esplanada e
LUSITANIA * ZURICH
Parque de
Estacionamento PROMOTOR CGD:
CREDITO HABITAÇÃO * LEASING AUTOMÓVEL
Mariscos e Petiscos

Rua Major Neutel de Abreu, 16-18 !


3260-427 FIGUEIRÓ DOS VINHOS
- Tel. 236 553 258 - TELF/FAX:236551360 | TELM: 919267343/962024421 |
3260 FIGUEIRÓ DOS VINHOS E-MAIL: translelo@sapo.pt
DESPOR
DESPORTTO 2011.04.26
15
FUTEBOL 11 / HONRA AX TRAIL 2011
CLASSIFICAÇÃO RESULTADOS
22ªJornada
SL Marinha 0 - Alqueidão da Serra 0
FOZ DE ALGE/ CASAL S. SIMÃO/
FERRARIA S. JOÃO: GRANDE
Figueiró dos Vinhos 1(Carô) - Grap/Pousos 1(Eurico)
Pedroguense 3(Jocy, Faca e Luis Pedro) - Biblioteca 0
Alvaiázere 1(Carlos Lima) - Marrazes 0
SGaeirense 0 - Guiense 7 (Joel 4, Canas, Félix e Leal)
“Os Nazarenos” 2 - Beneditense 1 (Rodrigo)

“EMPENO”
Pataiense 2(Jordan e França) - Ansião 1(Diogo Bispo)
Portomosense 0 - Alcobaça 3(Rúben Silva, Fabinho e Nuno Sousa)

23ªJornada
Alcobaça 6 (Rúben 3, Nuno Coelho, D. Caracol e Ruben Santos) - Marinha 0
Alqueidão da Serra 4(H.Carvalho 2, Jackson e Nicolas) - Fig. Vinhos 0 Este domingo teve início o AXtrail®series - circuito de
Grap/Pousos 2 (Batista e Eurico) - Pedroguense 1 (Jocy) trail running nas Aldeias do Xisto, com um percurso de
Biblioteca 1(Tropa) - Alvaiázere 2(Luís Simões e Tiago Sobreiro) 30 km que uniu a Foz de Alge às Aldeias do Xisto de
Marrazes 1(a.g) - Gaeirense 0 Casal de S. Simão e Ferraria de S. João. Dos 144 atletas
Guiense 2(Joel e João do Toco) - “Os Nazarenos” 1(H.Piló) que percorreram os trilhos da prova, sagrou-se vencedor
Beneditense 2 (Gonçalo Melo e Ag) - Pataiense 1 (Rui Macedo) Nuno Silva, com o tempo de 03:02:39, seguido de Victor
Ansião 0 - Portomosense 2 (Afonso e Cedric g.p) Teixeira e Samuel Lopes.
Nas senhoras, vence a atleta apoiada pela Salomon,
24ªJornada
Susana Simões com o tempo de 03:47:29, seguida de
Figueiró Vinhos 2 - Marinha 2 (Rui Natário e Roldão g.p)
Natércia Silvestre e Glória Serrazina.
Recreio 1 (Jocy) - Alq. da Serra 2(Jackson e Nicolas)
Os atletas da Salomon, Alcino Serras e Albino
Alvaiázere 1(Mário g.p) - Grap/Pousos 2(Eurico e F. Martins)
Gaeirense 2 - Biblioteca 3(Zezinho 2 e V.Pombinha) Magalhães apesar de terem feito mais 7km que os
Nazarenos 1(Duarte Vivo) - Marrazes 2(Pedro Lee e Pontes) restantes atletas, ainda terminaram em 4º e 5º lugar.
Pataiense 2 (França e Jordan) - Guiense 2(Miguel Cá e Fábio Ferreira) A Aldeia do Xisto de Ferraria de S. João, no concelho
Portomosense 1 (Pedro Órfão) - Beneditense 3 (Alexandre e Pimenta 2) de Penela, recebeu no passado domingo, dia 10 de Abril,
Ansião 2(Padeiro e Ruizito) - Alcobaça 2 (Rúben e Fabinho) vários atletas, acompanhantes e caminheiros, todos eles
com o mesmo objectivo: participar na #01 serie do

MELHORES MARCADORES HONRA


25ªJornada AXtrail®2011. Da Ferraria, os atletas foram transportados
Alcobaça 2 - AD Figueiró Vinhos 1 até Foz de Alge, no município de Figueiró dos Vinhos,
Marinha 4(M.Balseiro, Ely , Marcóides e João Paz) - Recreio 5 dando-se então início à prova de trail running.
1ºJoel Domingues (GD Guiense) - 27 Golos Alqueidão Serra 0 - Alvaiázere 1 O percurso com 30km de distância e cerca de 1330m de
2ºRúben Silva (GC Alcobaça) - 26 Golos Grap/Pousos 5(Capão, a.g , Marco Roda, Rachida e Eurico) - Gaeirense 1 desnível, surpreendeu quer pela sua tecnicidade e dureza
3ºJocy (Recreio Pedroguense) - 18 Golos Biblioteca 2 (Abreu e Tropa) - Nazarenos 1(Henrique Piló) quer pelas paisagens idílicas e diferenciadas: trilhos
4ºPimenta (Benedita), Tropa (Biblioteca) - 17 Golos Marrazes 0 - Pataiense 3(300, João Costa e Vinhas) ribeirinhos, lama, água e sombra, caminhos agrícolas,
6ºFutre (AD Figueiró dos Vinhos) - 15 Golos Guiense 1 (Joelito) - Portomosense 3(Vindima 3) florestais e de pastoreio, singletracks e ainda pedra, muita
7ºPedro Vindima (AD Portomosense) - 14 Golos Beneditense 1 (Serrazina) - Ansião 0 pedra, que no final do percurso, marcou a principal
8ºAfonso (Portomosense) e Eurico (Pousos) - 13 Golos dificuldade dos atletas. À chegada a palavra de ordem
10ºJordan (Pataiense) e Ely (SL Marinha) - 12 Golos 26ªJornada
era o “empeno”! A organização prometeu e cumpriu e os
12ºRicardo Mobarq (GD Alvaiázere) - 10 Golos Beneditense 1 (Rodrigo) – Alcobaça 0
atletas, apesar do cansaço não escondiam o contenta-
13ºFaca (Recreio Pedroguense) - 9 Golos Recreio 3(Jocy, Luis Pedro g.p e Marcelo) – Fig. Vinhos 4 (Albertinho, Ferraz 2 e Futre)
Portomosense 1 – Marrazes 3 (João Miguel, Diogo António e Ag) mento e os elogios ao percurso: “Grande prova, grandes
14ºFerraz (AD Figueiró dos Vinhos) ; Cedric (AD trilhos, paisagens magníficas, organização 5*!!!
Pataiense 1(Pedro Morais) – Biblioteca IR 0
Portomosense) ; Canas (GD Guiense), Bruno Novo Tudo somado deu um grande empeno e uma grande
Gaeirense 0 – Alq. Serra 5(Hugo Carvalho , Norberto 2 e Félix 2)
(GC Alcobaça) e Nelinho (SCL Marrazes) - 8 Golos satisfação!! Venha a próxima...” diz Vitor Andrade, atleta
Os Nazarenos 0 – Grap/Pousos 1 (Portugal)
19ºJackson Rodrigues e Hugo Carvalho (CCR do Paredes Aventura.
Alvaiázere 2 (Ricardo Mobarq e Luís Simões) – Marinha 1 (Marcóides)
Alqueidão da Serra) ; Tiago Domingos (GD “Os Ansião 1(Pernadas 1) – Guiense 2(Joelito 2) A próxima prova deste circuito está marcada para o dia
Nazarenos”) ; Pedro Neves e Diogo Bispo (CC 10 de Junho na Aldeia do Xisto de Martim Branco, em
Ansião) - 7 Golos Castelo Branco, e tem a particularidade de ser uma prova
nocturna. Na #03 serie o AXtrail regressa à estrutura de
jornada dupla: no mesmo fim-de-semana (10 e 11 de
Setembro) os atletas poderão correr em duas prova, a
realizar em duas Aldeias do Xisto: sábado em Benfeita -
Arganil e no domingo em Fajão - Pampilhosa da Serra. A
grande final deste circuito terá lugar na Lousã a 8 de
Outubro, com as provas K42 e K21. O vencedor levará
como prémio uma viagem à Argentina e a inscrição na
final do circuito K42.
Caminho do Xisto Conforme o previsto às 09:30h deu-
se início ao Caminho do Xisto. O guia do percurso
acompanhou um grupo de 22 caminheiros com idades
compreendidas entre os 7 e os 73 anos, pelos trilhos da
Ferraria de S. João, num percurso de aproximadamente 5
km que combina os caminhos agrícolas com a margem da
ribeira das Ferrarias, subindo depois à crista quartzítica
do monte de S. João, onde os esperava uma surpresa: o
toque de uma gaita de foles! Do topo do monte, os
caminheiros voltaram à Ferraria atravessando o sobreiral
e entrando na aldeia pela rua dos currais comunitários,
seguindo depois para junto do Centro de BTT, onde os
esperava o almoço: sopa, churrasco, e fruta.
Durante toda a tarde houve música, comida e bebida
para caminheiros, atletas e acompanhantes.
A entrega dos prémios teve lugar pelas 16:30h, quando
os últimos atletas alcançavam a meta.
16 2011.04.26
VÁRIOS .
CARTÓRIO NOTARIAL
A CARGO DA NOTÁRIA ANA PAULA PINTO ALVES
CERTIDÃO
Nos termos do artigo n.° 100° do Código do Notariado, CERTIFICO, PARA EFEITOS DE PUBLICAÇÃO, que por escritura lavrada
no dia vinte e seis de abril de dois mil e onze, exarada a folhas trinta e seis e seguintes do livro de notas para escrituras diversas número
Oitenta e Cinco-A, deste Cartório Notarial, sito na Avenida Heróis do Ultramar, Galerias Jerónimo, Loja treze, na cidade de Pombal,
a cargo da notária, Ana Paula Pinto Alves, os outorgantes:
ACÍLIO DA SILVA MARQUES, contribuinte número 147 337 615, e mulher, MARIA JOSÉ D’ASSUNCÃO ANTUNES, contribuinte
número 159 741 599, casados sob o regime da comunhão geral de bens, como declararam, naturais, ele da freguesia de Aguda,
concelho de Figueiró dos Vinhos, onde residem em Almofala de Baixo, e ela da freguesia de Graça, concelho de Pedrógão Grande,
declararam:
Que, com exclusão de outrem, são donos e legítimos possuidores dos seguintes bens, situados na freguesia de Aguda, concelho de
Figueiró dos Vinhos:
Um - Prédio rústico, sito em Cabeço da Mata, composto de pinhal, mato e vinha, com a área de dois mil e cem metros quadrados, a
confrontar de norte com José Lopes do Rego, de sul com Humberto Alves Fernandes, de nascente com José Lopes do Rego e de poente
com caminho, inscrito na respectiva matriz, em nome dele, justificante marido, sob o artigo número 949, ainda por descrever na
Conservatória do Registo Predial de Figueiró dos Vinhos.
Dois - Prédio rústico, sito em Lomba, composto de pinhal, com a área de mil e oitenta metros quadrados, a confrontar de norte com
caminho, de sul com Ilídio da Silva, de nascente com Ilídio da Silva e de poente com Celeste Mendes, inscrito na respectiva matriz,
em nome de José Simões d’Abreu, sob o artigo número 1042, ainda por descrever na Conservatória do Registo Predial de Figueiró
dos Vinhos. Alice da Piedade
Três - Prédio rústico, sito em Lomba, composto de pinhal, com a área de três mil cento e cinquenta metros quadrados, a confrontar
de norte com caminho, de sul com Adelino Marques do Rego, de nascente com Joaquim dos Santos e outros e de poente com caminho,
inscrito ria respectiva matriz, em nome de Dinis Ferreira Fernandes, sob o artigo número 1089, ainda por descrever na Conservatória
Leal
do Registo Predial de Figueiró dos Vinhos.
Nasc. 05/10/1931
Que entraram na posse dos identificados prédios, em datas que já não sabem precisar mas que se situam, em relação ao da verba um
por volta do ano de mil novecentos e setenta e três, através de uma doação meramente verbal que dele lhes ajustou fazer o avô do Falec. 05/14/2011
justificaníe marido, Posidónio Marques, viúvo, residente que foi em Alrnofala de Baixo, dita freguesia de Aguda, em relação ao da
verba dois por volta do ano de mil novecentos e setenta e oito, através de uma compra meramente verbal que dele ajustaram fazer Natural: Fig. Vinhos
ao referido José Simões d’Abreu, viúvo, residente quer foi em Azeitão, mencionada freguesia de Aguda, e em ralação ao da verba
número três por volta do ano de mil novecentos e oitenta, através de uma compra meramente verbal que dele ajustaram fazer ao Residente: Bairro Teófilo
referido Dinis Ferreira Fernandes, viúvo, residente que foi no referido lugar de Almofala de Baixo, doação e compras essas que não Braga - Fig. Vinhos.
lhes foi nem é agora possível titular por escritura pública, dado o falecimento do doador e o desconhecimento que têm do paradeiro
dos vendedores. Sua família agradece por
Desde as mencionadas datas tomaram a posse efectiva dos aludidos prédios, tendo vindo desde então a gozar todas as utilidades este meio a todos quantos
por eles proporcionadas, neles praticando os actos materiais de fruição e conservação correspondentes ao direito de propriedade, os acompanharam neste
designadamente, cultivando-os e colhendo os seus frutos, limpando o mato, vendendo árvores para corte e avivando as estremas, tudo
na convicção plena que momento de dor
sempre tiveram e têm de ser de facto proprietários.
Todos estes actos de posse foram, como se disse, praticados pelos justificantes, em nome próprio e pessoalmente, durante mais de vinte
anos, sem interrupção e ostensivamente, com o conhecimento e o acatamento de toda a gente da região, sendo por isso uma posse
pacífica, contínua e pública, que conduz à aquisição por usucapião, que expressamente invocam, não tendo os justificantes, dado o
modo de aquisição, documentos que lhes permitam fazer a prova do seu direito de propriedade plena pelos meios extrajudiciais Tratou: Agência Funerária
normais. José Carlos Coelho Unip. Lda
Pombal, vinte e seis de abril de dois mil e onze
Fig. Vinhos | Tlf.: 236552555
A Notária
Ana Paula Pinto Alves Nº 370 de 2011.04.26 Nº 370 de 2011.04.26 Tlm.: 960022663 | 917217112

AGRADECIMENTO AGRADECIMENTO AGRADECIMENTO


AURORA CONCEIÇÃO COSTA MARCOLINO DAS DORES SANTOS ANTÓNIO DAS NEVES LOPES
Nasceu: 11.11.1905 * Faleceu: 25.04.2011 Nasceu: 5.05.1927 * Faleceu: 17.03.2011 Nasceu: 15.08.1920 * Faleceu: 08.04.2011

Sua FILHA, GENRO e Sua ESPOSA, FILHO,


NETOS, NETOS e RESTANTE
na impossibilidade de o FAMÍLIA,
poderem fazer pes- na impossibilidade de o
soalmente a todos os que, poderem fazer pes-
manifestaram de alguma soalmente a todos os que,
forma, bem como nos manifestaram de alguma
acompanharam na nossa forma, bem como nos
dor, vêm por este meio, acompanharam na nossa
expressar a sua gratidão, dor, vêm por este meio,
profundamente expressar a sua gratidão,
sensibilizados pelas provas profundamente
de carinho, amizade e sensibilizados pelas provas
pesar recebidas pela Campelo - Fig. dos Vinhos de carinho, amizade e pesar
ocasião do falecimento do recebidas pela ocasião do
seu ente querido. Sua ESPOSA, FILHAS, FILHO, GENROS, NORAS e NETOS, falecimento do seu ente
agradecem reconhecidamente a todas as pessoas que querido.
acompanharam o seu ente querido à sua última morada, bem como
BEM HAJAM Salgueiro da Lomba todos aqueles que, por outro meio, lhes manifestaram o seu pesar. BEM HAJAM Pedrógão Grande
Aguda - Fig. Vinhos BEM HAJAM

FUNDADOR AGENTES: SEDE E ADMINISTRAÇÃO SÓCIOS FUNDADORES DE:


Concelho de Castanheira de Pera: Rua Dr. António José de Almeida, 41 Fundação Vasco da Gama (Lisboa), Clube
Marçal Manuel Pires-Teixeira 3260 - 420 Figueiró dos Vinhos
Vila: Café Central; Moredos: Café-Restaurante CentroAventura (Figueiró dos Vinhos); Centro
Telef. 236553669 - Fax 236553692 Hípico de Figueiró dos Vinhos e Comité
PROPRIEDADE Europa; Coentral Grande: Joaquim Barata; E-MAIL:acomarca.jornal@gmail.com Internacional de Solidariedade para com Timor
Maria Elvira Silva Castela Pires-Teixeira
Concelho de Figueiró dos Vinhos:
FICHA TÉCNICA Papelaria Jardim;
DELEGAÇÃO EM LISBOA
Avenida Duque de Loulé, 1 - 2º.-E - Assinatura:
DIRECTOR: Henrique Pires-Teixeira (TE 675)
1050-085 Lisboa CONTINENTE: Anual: - 15,0 Euros
DIRECTOR ADJUNTO: Valdemar Alves Concelho de Pedrógão Grande: Risco Telf. 213547801 - Fax:213579817
BIMENSÁRIO REGIONALISTA CHEFE DE REDACÇÃO: Carlos A. Santos (CP 2887)
Ponderado. - Reformados e Cartão Jovem: 12,0 Euros
DELEGAÇÃO/REDACÇÃO EM PEDRÓGÃO GRANDE EUROPA: Anual: - 22,0 Euros
PARA OS CONCELHOS DE Risco Ponderado
RESTO DO MUNDO: Anual: - 24,0 Euros
CASTANHEIRA DE PERA, FIGUEIRÓ CONVIDADOS ESPECIAIS: (Junto à CGD) - Pedrógão Grande
DOS VINHOS, PEDRÓGÃO GRANDE, Kalidás Barreto, Eng. José M. Simões, Eng. José Preço Unitário:
REDACTORES: COORDENAÇÃO E SECRETARIADO - 0,60 Euros (120$00)
SERTÃ E PAMPILHOSA DA SERRA Pais, Dr. Tózé Silva, Luis F. Lopes, Antonino Membros da
Inácio de Passos, Carlos A. Santos Elvira Pires Teixeira, Sandra Simões e Sandra Henriques. IVA (5%) incluído
Salgueiro, Zilda Candeias, Engº. José A. Pais,
(redactores principais) Dr. Jorge Costa Reis, Dr. Luis Silveirinha, Dr. MAQUETAGEM, PAGINAÇÃO
Contribuinte nº. 153 488 255 Elvira Pires-Teixeira, Margarida Pires-Teixeira, Pedro Maia, Cecília Tojal, Isaura Baeta, Isolina “A Comarca” - Carlos Santos. e
Depósito Legal nº. 45.272/91 - Nº. de Registo 123.189 no ICS Valdemar Ricardo, Tânia Pires-Teixeira, Alves Santos, Delmar Carvalho, Dr. Batalha TWO COMMUNICATIONS
TIRAGEM MÉDIA: 5.000 exemplares Rui Silva e Telmo Alves (Desporto) PLASTIFICAÇÃO, EXPEDIÇÃO E IMPRESSÃO
Gouveia, Eduardo Gageiro (Fotografia). Mirandela Artes Gráficas, S.A. Londres - Inglaterra

A assinatura pode ser paga através Em Figueiró dos Vinhos


ONDE PPAAGAR A de cheque cruzado a remeter para o
Jornal A Comarca, Apartado 25, 3260-
- Na sede do jornal; e/ou - Na Papelaria Jardim
Em Pedrógão Grande - Brevemente
ASSIN
ASSINAATURA 420 Figueiró dos Vinhos, ou ainda nos
seguintes locais:
Em Castanheira de Pera
- No Café do Henrique (Café Central) ; e/ou- No Restaurante Europa
OPINIÃO 2011.04.26
17

OPINIÃO pelo
Dr. José Martins
A FESTA CARNAVALESCA
Segundo a Wikipédia a festa gorda) último dia antes da as e os carros alegóricos. Ao ca- época festiva onde multidões de os moradores dos bairros ou
carnavalesca surgiu a partir da Quaresma. rácter de festa popular e desor- pessoas, não só do concelho, das aldeias. Multiplicam-se
implantação, no século XI, da O carnaval da Antiguidade era ganizada juntaram-se outros compareceram no centro da Vila grandes lanches ajantarados,
Semana Santa pela Igreja Cató- marcado por grandes festas, tipos de comemoração e pro- para contemplar o corso carna- reúnem-se as famílias, os
lica, antecedida por quarenta onde se comia, bebia e participa- gressivamente a festa foi valesco, à semelhança dos outros amigos e a alegria e o humor
dias de jejum, a Quaresma. Esse va em alegres celebrações e tomando o formato actual. anos, Figueiró dos Vinhos co- vem ao de cima. Este ano en-
longo período de privações aca- busca incessante dos prazeres. memorou mais uma vez o Car- volveram-se cerca de quinhen-
baria por incentivar a reunião O Carnaval prolongava-se por Cálculo do dia de Carnaval naval com muita folia e boa tos foliões nos corsos (um nu-
de diversas festividades nos sete dias nas ruas, praças e casas Todos os feriados eclesiásticos disposição. Pelo quinto ano mero significativo num Concel-
dias que antecediam a Quarta- da Antiga Roma. Todas as activi- são calculados em função da data consecutivo que acompanho de ho pequeno como o nosso). O
feira de Cinzas, o primeiro dia dades e negócios eram suspen- da Páscoa, com excepção do perto o esforço de muitos figuei- nosso Carnaval é promovido
da Quaresma. A palavra “carna- sos neste período, os escravos Natal. Como o domingo de Pás- roenses que após um dia de pela Autarquia que em esforço,
val” está, desse modo, relacio- ganhavam liberdade temporária coa ocorre no primeiro domingo trabalho se juntam para a cons- não quis deixar de fazer este
nada com a ideia de deleite dos para fazer o que em quisessem e após a primeira lua cheia que se trução do carro alegórico e da investimento essencial em prol
prazeres da carne marcado pela as restrições morais eram relaxa- verificar a partir do equinócio da confecção das roupas carnava- da tradição, revitalização e
expressão “carnis valles”, que, das. As pessoas trocavam pre- primavera (no hemisfério norte) lescas. Os homens, geralmente, dinamização do nosso comér-
acabou por formar a palavra sentes, um rei era eleito por brin- ou do equinócio do Outono (no dedicam-se à construção do carro cio tradicional.
“carnaval”, sendo que “carnis” cadeira e comandava o cortejo hemisfério sul), e a sexta-feira da e as mulheres às roupas. Para Do programa fizeram parte os
do grego significa carne e pelas ruas (Saturnalicius prince- Paixão é a que antecede o Domin- além do muito trabalho que têm, corsos Carnavalescos, os Bai-
“valles” significa prazeres. ps) e as tradicionais fitas de lã go de Páscoa, então a terça-feira existe também a parte agradável les de máscaras de Sábado e
Em geral, o carnaval tem a que amarravam aos pés da está- de Carnaval ocorre 47 dias antes da”coisa”; Segunda-feira, o Desfile das
duração de três dias, os dias tua do deus Saturno eram retira- da Páscoa. O ano passa em que vizinhos Escolas e o Enterro do Entrudo.
que antecedem a Quarta-feira das, como se a cidade o convi- não se juntam para uma festa de O nosso carnaval continua a
de Cinzas. Em contraste com a dasse para participar da folia. Carnaval em Figueiró dos confraternização. Nos dias de ser de características muito
Quaresma, tempo de penitên- No período do Renascimento Vinhos hoje andamos todos atarefados populares, peculiar até, que os
cia e privação, estes dias são as festas que aconteciam nos O Carnaval de Figueiró dos sem tempo para nada. O carnaval anos foram amadurecendo e
chamados “gordos”, em espe- dias de carnaval incorporaram os Vinhos tem grande tradição nas surge como uma oportunidade hoje é uma referência na Região.
cial a terça-feira (Terça-feira bailes, com as suas ricas fantasi- festividades da nossa Vila. É uma para que haja um convívio entre Viva o nosso carnaval!

JANELA FECHADA
Na tarde daquele dia de primavera, casais novos e crianças que partem,
quando, ao fim de mais uma jornada de jovens que já há muito cruzam o nome
trabalho, subia a ladeira que conduz à de Figueiró apenas com alguns fins de
propriedade que me foi doada pelos semana ou curtos dias de férias,
meus pais e onde, a pulso, construí um deixando antever que o futuro próximo
ninho familiar, levantei, por momentos será um longo e contínuo funeral.
os olhos para a varanda de um segundo Ao discorrer estes pensamentos vêm-
andar na esperança de ouvir, uma vez me à memória uma voz que,
mais, uma voz terna de criança que, repetidamente, afirmou que Figueiró era
emoldurada pelo brilho de uns olhos que um concelho do interior e que isto só lá
riem, costumava tratar-me por “tio ia com uma discriminação positiva por
Luís”.Mas naquela tarde a voz não se parte do governo o que é o mesmo que
fez ouvir e, o que é profundamente mais dizer que já há muito tempo deixámos de
penoso, as persianas estavam corridas trabalhar, lutar e acreditar, assumindo
até ao fundo, numa demonstração aquela velha atitude de quem, estando
evidente de que não estava ninguém em com fome, se põe debaixo da árvore à
casa e que ausência seria prolongada. espera que o fruto caia em vez de trepar,
E é assim que se vai escrevendo a colher o fruto e saciar o estado faminto
história contemporânea deste concelho em que se encontra.
com janelas e portas que se fecham,
18 2011.04.26 PUB
PUB.. OBRIGATÓRIA
OBRIGATÓRIA
CARTÓRIO NOTARIAL DA SERTÃ CARTÓRIO NOTARIAL DA LOUSÃ

JOSÉ MANUEL SILVA


DE TERESA VALENTINA SANTOS a Notaria em substituição, Lic. Maria João Teixeira da Encarnação
JUSTIFICAÇÃO Av. S. Silvestre, n.° 35,1.º Dto
Certifico que por escritura de um de Abril de dois mil e onze, no Cartório Notarial da 3200-203 Lousã
Sertã de Teresa Valentina Cristóvão Santos, lavrada de folhas sessenta e oito a folhas EXTRACTO DE JUSTIFICAÇÃO NOTARIAL
setenta e uma verso, do livro de notas para escrituras diversas número cento e vinte e Certifico, narrativamente, para efeitos de publicação, que neste Cartório, foi lavrada
SOLICITADOR seis - F, compareceram:
MANUEL DE JESUS DOS SANTOS e mulher MARIA IRENE DE ABREU RIBEIRA
SANTOS, casados sob o regime da comunhão geral de bens, naturais da freguesia de
uma escritura de justificação notarial, no livro de notas para escrituras diversas número
4-A a folhas 62, pela qual ANÍBAL TAVARES HENRIQUES DOS SANTOS casado
Campelo, concelho de Figueiró dos Vinhos, onde residem habitualmente no lugar de com Maria Helena Almeida Simões Tavares dos Santos, sob o regime da comunhão de
Rua Dr. José Martinho Simões, 40 - 1º Sala G Fontão Fundeiro, E DECLARARAM: adquiridos, natural da freguesia e concelho de Castanheira de Pêra, residente na Rua
José Santos Carvalho, 12-A, no lugar de Vinhas de Fiscais, freguesia de Vilarinho,
Que, ele e a sua representada, são donos e legítimos possuidores com exclusão de
FIGUEIRÓ DOS VINHOS outrem dos seguintes prédios: concelho da Lousã, pela qual disse é dono e legitimo possuidor, com exclusão de
outrem, dos seguintes prédios, sitos na freguesia e concelho de Castanheira de Pêra: 1
UM - Rústico, sito em Serrada, freguesia de Campelo, concelho de Figueiró dos Vinhos,
Contactos: 965 426 617 - 914 115 298 - 236 551 955 composto de terreno de cultura, com a área de noventa e cinco metros quadrados, a
confrontar do norte com o ribeiro, sul e nascente com a estrada e poente com Laudemira
- PRÉDIO RÚSTICO, sito em Lameiro, composto de terreno com pinhal e mato, com
a área de 16.000 m2, a confinar de norte com Eduardo Fernandes, herdeiros, do sul
Email: 4479@solicitador.net Silva, inscrito na matriz sob o artigo 19802.
DOIS - Rústico, sito em Serrada, freguesia de Campelo, concelho de Figueiró dos
com baldio, de nascente com estrada nacional e de poente com estrada do vertente,
inscrito na matriz em nome de Manuel Tavares dos Santos na proporção de 50.066/
Vinhos, composto de terreno de cultura, com a área de cento e oitenta metros quadrados, 100000 e em nome de João Antunes, cabeça-de-casal da herança de na restante
a confrontar do norte com o ribeiro, sul com a estrada, nascente com Lídia de J. Silva proporção, sob o artigo 18.013; 2 -PRÉDIO RÚSTICO, sito em Quintal, composto de
e poente com Vitorino Lucas Prior, inscrito na matriz sob o artigo 19803. terreno de cultura com seis oliveiras, com a área de 396 m2, a confinar de norte com
TRÊS - Rústico, sito em Serrada, freguesia de Campelo, concelho de Figueiró dos
NOTARIADO PORTUGUÊS estrada, de sul com Laurinda Maria Alves, de nascente com João Antunes e de poente
Vinhos, composto de terreno de cultura com videiras em latada, com a área de cento
CARTÓRIO NOTARIAL DE FIGUEIRÓ DOS VINHOS com Gormecindo Antunes da Silva, inscrito na matriz em nome de Manuel Tavares dos
e cinquenta e seis metros quadrados, a confrontar do norte com Laudemira de Jesus,
CERTIFICO, para fins de publicação, que no dia 18 de Abril de 2011, no livro de notas sul com o caminho, nascente com Amadeu Godinho dos Santos e poente com o ribeiro, Santos, sob o artigo 18.765. Que os prédios não se encontram descritos na Conservatória
para escrituras diversas número dezasseis, deste Cartório, a folhas vinte e seis foi inscrito na matriz sob o artigo 19804. do Registo Predial Castanheira de Pêra. Que o justificante não é detentor de qualquer
lavrada uma escritura de justificação na qual, JOSÉ RIBEIRO COELHO BRANCO e QUATRO - Rústico, sito em Serrada, freguesia de Campelo, concelho de Figueiró dos título formal que legitime a posse dos prédios os quais vieram à sua posse, por volta do
mulher, MARIA MANUELA PERES DE SOUSA BRANCO, casados no regime da Vinhos, composto de terreno de cultura com videiras em latada, com a área de cento ano de 1980, ainda no estado de solteiro, maior, metade da verba 1 e a verba 2 por
comunhão de adquiridos, naturais, ele da freguesia de Sobreira Formosa, concelho de e cinquenta e seis metros quadrados, a confrontar do norte com Vitorino Lucas Prior, doação feita pela forma meramente verbal pelo seu pai Manuel Tavares dos Santos,
Proença - a - Nova, e ela da freguesia de Aguda, concelho de Figueiró dos Vinhos, onde sul e nascente com o caminho e poente com Vitorino S. Costa, inscrito na matriz sob o casado com Maria Adelina Henriques e a restante metade da verba um por compra
residem no lugar de Lameirinha, NIF 147.337.550 e 147.337.526, respectivamente, artigo 19805. que fez pela forma meramente verbal ao seu tio, João Antunes, casado, ambos residentes
declararam ser, com exclusão de outrem, donos e legítimos possuidores do seguinte CINCO - Rústico, sito em Serrada, freguesia de Campelo, concelho de Figueiró dos que foram no referido lugar de Gestosa Cimeira, da freguesia e concelho de Castanheira
prédio situado na freguesia de Aguda, concelho de Figueiró dos Vinhos: Vinhos, composto de terreno de cultura, com a área de trezentos e doze metros quadrados, de Pêra, já falecidos, e desde então têm exercido nele todos os actos de posse
URBANO, sito em “Lameirinha”, composto por arrecadações e arrumos, com a a confrontar do norte com Palmira dos Santos Costa, sul com António dos Santos Costa, conducentes à usucapião que a seu favor invocam.
superfície coberta de setenta e quatro vírgula quarenta metros quadrados e a superfície nascente com o caminho e poente com o ribeiro, inscrito na matriz sob o artigo 19806. ESTÁ CONFORME O ORIGINAL.
descoberta de duzentos e vinte e quatro metros quadrados, SEIS - Rústico, sito em Serrada, freguesia de Campelo, concelho de Figueiró dos Vinhos, Cartório Notarial da Lousã em 13/04/2011.
a confrontar do norte com ribeiro, do sul com estrada, do nascente com José Ribeiro composto de terreno de cultura e pastagem, com a área de cento e trinta e seis metros
A Colaboradora,
Coelho Branco e do poente com João Augusto Curado, quadrados, a confrontar do norte e sul com Amadeu Godinho dos Santos, nascente com
(Ana Rita Francisco dos Santos Alves - Inscrita na Ordem dos Notários com o n.°
inscrito na matriz em nome do justificante marido sob o artigo 2.428, com o valor o caminho e poente com o ribeiro, inscrito na matriz sob o artigo 19807.
SETE - Rústico, sito em Serrada, freguesia de Campelo, concelho de Figueiró dos 341/2, de 02/02/2011)
patrimonial tributário de Euros 6.960,00, igual ao atribuído,
omisso na Conservatória do Registo Predial de Figueiró dos Vinhos. Vinhos, composto de terreno de cultura, com a área de noventa e oito metros quadrados, Nº 370 de 2011.04.26
a confrontar do norte com António dos Santos Costa, sul com a ponte, nascente com o
Que o citado prédio veio à sua posse por doação verbal, já no estado de casados, feita
caminho e poente com o ribeiro, inscrito na matriz sob o artigo 19808.
por volta do ano de mil novecentos e oitenta e três, por Clotilde Rodrigues Peres, viúva,
Todos os prédios se encontram omissos na Conservatória do Registo Predial de Figueiró
mãe da justifícante mulher, residente no mencionado lugar de Lameirinha, sem que,
dos Vinhos. CARTÓRIO NOTARIAL DE ANSIÃO DA NOTÁRIA MARIA DA GRAÇA
todavia, desse facto, tenham ficado a dispor de título válido para o seu registo, tendo
Que os justificantes possuem em nome próprio o prédio referido sob o número um DAMASCENO PASSOS COELHO TAVARES
entrado de imediato na posse do mesmo.
desde mil novecentos e oitenta e cinco, por compra meramente verbal a Lídia de Jesus
A verdade, porém, é que a partir daquela data possuem assim aquele prédio, em nome Certifico para efeitos de publicação, que por escritura desta data, lavrada de folhas
Silva, viúva, residente que foi no lugar de Fontão Fundeiro, freguesia de Campelo,
próprio, há mais de vinte anos, passando a usufruí-lo sem a menor oposição de quem concelho de Figueiró dos Vinhos, cujo título não dispõem. 58 a folhas 59 verso, do livro de escrituras diversas 104-A, TEODORO CARVALHO
quer que seja desde o seu início, guardando nele alfaias agrícolas, fazendo nele obras Que os justificantes possuem em nome próprio o prédio referido sob o número dois GONÇALVES e cônjuge MARIA HELENA TOMÁS DE CARVALHO GONÇALVES,
de conservação, retirando dele todas as utilidades possíveis, pagando as respectivas desde mil novecentos e oitenta e cinco, por compra meramente verbal a Laudemira de casados sob o regime da comunhão geral, naturais ele da freguesia de Dornelas do
contribuições e impostos - posse que sempre exerceram sem interrupção e Jesus Silva, viúva, residente que foi no lugar de Fontão Fundeiro, freguesia de Campelo, Zêzere, concelho de Pampilhosa da Serra e ela da freguesia e concelho de
ostensivamente, com o conhecimento da generalidade das pessoas da indicada freguesia, concelho de Figueiró dos Vinhos, cujo título não dispõem. Castanheira de Pêra, onde residem no lugar de Sapateira, declararam:
lugares e freguesias vizinhas - traduzida pois em actos materiais de fruição, sendo por Que os justificantes possuem em nome próprio os restantes prédios referidos desde mil Que são donos e legítimos possuidores, há mais de vinte anos, com exclusão de outrem, de
isso uma posse pacífica, porque adquirida sem violência, contínua, porque sem novecentos e oitenta e cinco, por compra meramente verbal a Vitorino Lucas Prior, um prédio rústico composto por terreno com pinhal e mato com a área de seis mil e
interrupção desde o seu início, pública, porque do conhecimento da generalidade das viúvo, residente que foi no lugar de Fontão Fundeiro, freguesia de Campelo, concelho quinhentos metros quadrados, sito no Vale do Mendo, freguesia e concelho de Castanheira
pessoas e de boa-fé, porque ignorando no momento do apossamento lesar direito de de Figueiró dos Vinhos, cujo título não dispõem. de Pera, a confrontar do Norte com herdeiros de Manuel Fernandes Cortês e outros, do Sul
outrem - pelo que verificados os elementos integradores - o decurso do tempo e uma Está conforme. com Domingos dos Santos, do Nascente com Liberata Pires e outros e do Poente com José
especial situação jurídica - posse - adquiriram o referido prédio por usucapião, não Cartório Notarial da Sertã, 1 de Abril de 2011. Carvalho David, inscrito na matriz respectiva sob o artigo 16586, com o valor patrimonial
tendo, todavia, dado o modo de aquisição, documento que lhes permita fazer prova do A COLABORADORA, e atribuído de MIL OITOCENTOS E NOVE EUROS E VINTE E CINCO CÊNTIMOS,
seu direito de propriedade perfeita pelos meios extrajudiciais normais. (Maria Helena Teixeira Marques Xavier, colaboradora n° 322/1 do Cartório Notarial da Sertã,
no uso das competências conferidas pela Notária Teresa Valentina Cristóvão Santos, através omisso na Conservatória do Registo Predial de Castanheira de Pera.
Está conforme.
de autorização publicitada em 31/01/201 1 no sítio da Ordem dos Notários.) Que o mencionado imóvel veio à sua posse no ano de mil novecentos e oitenta e cinco por
Cartório Notarial de Figueiró dos Vinhos, 18 de Abril de 2011.
compra que dele fizeram a Ataíde Barata e mulher Maria Aline Simões Ferreira, residentes
A Notária, Nº 370 de 2011.04.26
Patrícia Isabel Marques Fernandes Figueiredo Nº 370 de 2011.04.26 que foram no lugar do Amioso do Cimeiro, dita freguesia de Alvares, concelho de Góis,
acto esse que nunca chegou a ser formalizado.
Que desde então, porém, têm possuído o mencionado imóvel em nome próprio e sobre ele
CARTÓRIO NOTARIAL DA SERTÃ têm exercido todos os actos materiais que caracterizam a posse, nomeadamente a defesa
DE TERESA VALENTINA SANTOS e a conservação da propriedade, plantando e cortando os pinheiros, recolhendo a lenha,
NOTARIADO PORTUGUÊS JUSTIFICAÇÃO roçando o mato, avivando as estrentas, dele retirando todos os rendimentos inerentes à sua
CARTÓRIO NOTARIAL DE FIGUEIRÓ DOS VINHOS Certifico que por escritura de oito de Abril de dois mil e onze, no Cartório Notarial da natureza, conservando-o e pagando pontualmente as contribuições e impostos por ele
CERTIFICO, para fins de publicação, que no dia 18 de Abril de 2011, no livro de notas Sertã de Teresa Valentina Cristóvão Santos, lavrada de folhas cento e trinta e dois a devidos, sempre à vista e com o conhecimento de toda a gente, de uma forma contínua,
para escrituras diversas número dezasseis, deste Cartório, a folhas vinte e três foi folhas cento e trinta e quatro, do livro de notas para escrituras diversas número cento pacifica, pública e de boa fé, sem oposição de quem quer que seja.
lavrada uma escritura de justificação na qual, AMÉRICO DA CONCEIÇÃO BORGES e vinte e seis - F, compareceram: Tais factos integram a figura juridica da USUCAPIÃO, que invocam na impossibilidade
e mulher, IDALINA MORAIS LUÍS BORGES, casados no regime da comunhão de LUÍS DO CARMO FERNANDES e mulher IDALINA MARIA COELHO DAVID de comprovar o referido domínio e posse pelos meios extrajudiciais normais.
adquiridos, naturais, da freguesia de Arega, concelho de Figueiró dos Vinhos, onde resi- FERNANDES, casados sob o regime da comunhão geral de bens, naturais da freguesia CONFERIDA, ESTÁ CONFORME.
dem no lugar de Carreira, NIF 142.466.336 e 149.772.947, respectivamente, declararam e concelho de Pedrógão Grande, onde residem habitualmente no lugar de Tojeira, E Ansião, 13 de Abril de 2011.
ser, com exclusão de outrem, donos e legítimos possuidores dos seguintes prédios: DECLARARAM: A Notária,
(………) Que são donos e legítimos possuidores, com exclusão de outrem, dos seguintes prédios: Maria da Graça Damasceno Passos Coelho Tavares
Situados na freguesia de Arega, concelho de Figueiró dos Vinhos: UM - Rústico, sito em Vale, freguesia e concelho de Pedrógão Grande, composto de
Nº 370 de 2011.04.26
DOIS - RÚSTICO, sito em “Fontanheira”, composto por mato com sobreiros e cultura pinhal, com a área de quatro mil e quinhentos metros quadrados, a confrontar do norte
com oliveiras, com a área de trezentos e cinquenta metros quadrados, com Ângelo dos Santos, sul com Armando Moreira, nascente com Artur Rosa e
a confrontar do norte com Vitorino da Conceição Rodrigues, do sul com Manuel Rodrigues, poente com herdeiros de Albino Prata, inscrito na matriz sob o artigo 17566, não
CARTÓRIO NOTARIAL DA SERTÃ
do nascente com ribeiro e do poente com Lino da Conceição Santos, descrito na Conservatória do Registo Predial.
DOIS - Rústico, sito em Tojeira, freguesia e concelho de Pedrógão Grande, composto DE TERESA VALENTINA SANTOS
inscrito na matriz sob o artigo 5.637, com o valor patrimonial tributário de Euros 141,23, JUSTIFICAÇÃO
de pinhal, com a área de noventa metros quadrados, a confrontar do norte com Manuel
igual ao atribuído;
Simões Lopes, sul com Abílio Ferreira Lopes, nascente com Adelino Maria Simões e Certifico por escritura de onze de Abril de dois mil e onze, no Cartório Notarial da Sertã
TRÊS - RÚSTICO, sito em “Fontanheira”, composto por pastagem com sobreiros,
outro e poente com a Estrada Nacional, inscrito na matriz sob o artigo 14964, não de Teresa Valentina Cristóvão Santos, lavrada de folhas cento e trinta e nove a folhas
árvores dispersas e cultura com oliveiras, com a área de cento e setenta metros
descrito na Conservatória do Registo Predial. cento e quarenta verso, do livro de notas para escrituras diversas número cento e vinte
quadrados,
TRÊS - Rústico, sito em Riones, freguesia e concelho de Pedrógão Grande, composto e seis - F, compareceram:
a confrontar do norte com Manuel Rodrigues, do sul com Carlos Almeida, do nascente
de cultura com videiras, com a área de mil e setecentos metros quadrados, a confrontar JORGE DA SILVA SIMÕES e mulher MARIA AMÉLIA DE JESUS SIMÕES, casados
com ribeiro e do poente com Lino da Conceição Santos,
do norte com Álvaro das Neves Nunes, sul com João Pires Barata, nascente com João sob o regime da comunhão de adquiridos, naturais, ele da freguesia e concelho de
inscrito na matriz sob o artigo 5.636, com o valor patrimonial tributário de Euros 66,88, Pirão Barata e poente com o viso, inscrito na matriz sob o artigo 15589, não descrito na
igual ao atribuído; Oleiros e ela da freguesia de Graça, concelho de Pedrógão Grande, onde residem
Conservatória do Registo Predial. habitualmente no lugar de Marinha, E DECLARARAM:
QUATRO - RÚSTICO, sito em “Corgas”, composto por terra de cultura com oliveiras QUATRO - Rústico, sito em Penedo do Riones, freguesia e concelho de Pedrógão
e videiras em cordão, com a área de oitocentos e vinte metros quadrados, Que são donos e legítimos possuidores, com exclusão de outrem, dos seguintes prédios:
Grande, composto de pinhal, com a área de novecentos metros quadrados, a confrontar
a confrontar do norte com António Costa Patrocínio, do sul com Manuel Nunes Luís, UM - Rústico, sito em Tapada da Lameira, freguesia da Graça, concelho de Pedrógâo
do norte com Eduardo Molim, sul com o viso, nascente com Adelino David Antunes
do nascente com ribeiro e do poente com António Marques Serra, Grande, composto de terra de cultura com oliveiras, com a área de duzentos metros
Dias e poente com João Pirão Barata, inscrito na matriz sob o artigo 15650, não descrito
inscrito na matriz sob o artigo 6.212, com o valor patrimonial tributário de Euros 447,30, quadrados, a confrontar do norte com João Lopes Cortês, sul com Alberto Dias Dinís,
na Conservatória do Registo Predial.
igual ao atribuído; nascente com Manuel Luís David e poente com Francisco António da Silva, inscrito na
CINCO - Rústico, sito em Tojeira, freguesia e concelho de Pedrógão Grande,
omissos na Conservatória do Registo Predial de Figueiró dos Vinhos. composto de pinhal, com a área de mil e seiscentos metros quadrados, a confrontar do matriz sob o artigo 10027, não descrito na Conservatória do Registo Predial.
Que os citados prédios vieram à sua posse, já no estado de casados, (……..) norte com Adelino Maria Simões, sul com João da Silva Martins, nascente com a DOIS - Rústico, sito ern Vale da Vinha, freguesia da Graça, concelho de Pedrógâo
o identificado na verba dois a Mário Baião Simões e mulher, Zulmira Dias Santos, estrada e poente com Abílio Pereira Lopes, inscrito na matriz sob o artigo 14965, não Grande, composto de cultura com oliveiras e mato, com a área de mil e trezentos
residentes na Rua Capitão Henrique Galvão, Lote 12, n° 8, Bairro da Ariola, Santa Iria descrito na Conservatória do Registo Predial. metros quadrados, a confrontar do norte com Joaquim Coelho Nunes Rodrigues, sul
da Azóia, o identificado na verba três a Vitorino da Conceição Rodrigues e mulher, Que eles justificantes possuem em nome próprio o prédio referido sob a verba um, com Adelino Coelho Nunes, nascente com Isidro Coelho e poente com Manuel Nunes,
Conceição Cláudia Fernandes, residentes na Travessa da Cruz de Soure, 23, 2 F, Lisboa desde mil novecentos e oitenta e nove, por compra meramente verbal a João Branco inscrito na matriz sob o artigo 9918, não descrito na Conservatória do Registo Predial,
e o identificado na verba quatro a Leontina da Conceição, solteira, maior, residente na Rodrigues e mulher Maria Amélia Barra, residentes no lugar, freguesia e concelho de Que eles justificantes possuem em nome próprio o prédio referido sob a verba um,
Quinta da Sapata, Coimbra, sem que, todavia, desse facto, tenham ficado a dispor de Pedrógão Grande, cujo título não dispõem. desde mil novecentos e oitenta e sete, já no estado de casados, por compra meramente
título válido para o seu registo, tendo de imediato entrado na posse dos mesmos. Que eles justificantes possuem em nome próprio o prédio referido sob a verba dois, verbal à Fábrica da Igreja Paroquial da Freguesia de Graça, com sede freguesia da
A verdade, porém, é que a partir daquela data possuem, assim, aqueles prédios, em desde mil novecentos e noventa, por compra meramente verbal a António Fernandes Graça, concelho de Pedrógão Grande, cujo titulo não dispõem.
nome próprio, há mais de vinte anos, passando a usufruí-los sem a menor oposição de Bernardo e mulher Ilda Maria, residentes no lugar de Pesos Cimeiros, freguesia e Que eles justificantes possuem em nome próprio o prédio referido sob a verba dois,
quem quer que seja desde o seu início, cultivando-os, colhendo os seus frutos, plantando concelho de Pedrógão Grande, cujo título não dispõem. desde mil novecentos e noventa, já no estado de casados, por compra meramente
e cortando árvores, roçando o mato, avivando estremas, retirando deles todas as Que eles justificantes possuem em nome próprio os prédios referidos sob as verbas verbal a Víctor Manuel Paiva Coelho, solteiro maior, residente no lugar de Marinha,
utilidades possíveis - posse que sempre exerceram sem interrupção e ostensivamente, três e quatro, desde mil novecentos e oitenta e nove, por compra meramente verbal a freguesia de Graça, concelho de Pedrógão Grande e Fernando Carlos Paiva Alberto e
com o conhecimento da generalidade das pessoas da indicada freguesia, lugares e António Antunes David e mulher Maria Amélia, residentes que foram no lugar de mulher Maria Assunção Antunes Paiva, residentes no lugar de Pobrais, freguesia de
freguesias vizinhas - traduzida pois, em actos materiais de fruição, sendo, por isso, uma Pesos Cimeiros, freguesia e concelho de Pedrógão Grande, cujo título não dispõem. Vila Facaia, concelho de Pedrógão Grande, cujo título não dispõem.
posse pacífica, porque adquirida sem violência, contínua, porque sem interrupção desde Que eles justificantes possuem em nome próprio o prédio referido sob a verba cinco, Está conforme.
o seu início, pública, porque do conhecimento da generalidade das pessoas e de boa- desde mil novecentos e oitenta e nove, por compra meramente verbal a Maria Florinda Cartório Notarial da Sertã, 11 de Abril de 2011.
fé, porque ignorando no momento do apossamento lesar direito de outrem - pelo que Fernandes Conde, viúva, residente que foi em Penha de França, número 240, primeiro a Notária,
direito, Lisboa, cujo título não dispõem. Nº 370 de 2011.04.26
verificados os elementos integradores - o decurso do tempo e uma especial situação Teresa Valentina Cristóvão Santos
jurídica - posse - adquiriram os referidos prédios por usucapião, não tendo, todavia, Está conforme.
dado o modo de aquisição, documento que lhes permita fazer prova do seu direito de Cartório Notarial da Sertã, 8 de Abril de 2011.
A COLABORADORA,
propriedade perfeita pelos meios extrajudiciais normais.
(Maria Helena Teixeira Marques Xavier, colaboradora n° 322/1 do Cartório Notarial da Sertã,
Está conforme. no uso das competências conferidas pela Notária Teresa Valentina Cristóvão Santos, através
Cartório Notarial de Figueiró dos Vinhos, 18 de Abril de 2011. de autorização publicitada em 31/01/201 1 no sítio da Ordem dos Notários.)
A Notária
Patrícia Isabel Marques Fernandes Figueiredo Nº 370 de 2011.04.26 Nº 370 de 2011.04.26
PUB
PUB.. OBRIGATÓRIA
OBRIGATÓRIA 2011.04.26
19
CARTÓRIO NOTARIAL A CARGO DO NOTÁRIO LIC. LUIS MANUEL CANHA
JUSTIFICAÇÃO NOTARIAL
Certifico, para efeitos de publicação que no dia 16 de Março de 2011, de fls. 115 a fls. 127, ----- DEZASSETE: - Prédio rústico composto de terreno de cultura com doze oliveiras ----- TRINTA E CINCO: - Prédio rústico composto de terreno de cultura situado em Casal,
verso, do livro de notas 193-A, do Cartório Notarial de Cantanhede, sito no Largo Cândido situado em Junqueira, freguesia e concelho de Pedrógão Grande, com a área de duzentos freguesia e concelho de Pedrógão Grande, com a área de oitenta metros quadrados,
dos Reis, 15, salas 4 e 5, na cidade de Cantanhede, a cargo do notário Lic. Luís Manuel e setenta metros quadrados, a confrontar do norte com Otília Joaquina Pedroso, do sul a confrontar do norte com Joaquim Pedro Matos e outro, do sul com Arnaldo das Neves
Canha, foi lavrada uma escritura de justificação notarial pela qual Vítor Fernandes com Armando do Nascimento Alves, do nascente com Vítor Manuel Marques e do poente Pedroso, do nascente com Manuel Lourenço e do poente com Arnaldo das Neves Pedroso, não
Managil e mulher Maria Fernanda Jesus Carvalho Managil casados sob o regime de com Manuel Pedroso Simões, não descrito na dita Conservatória e inscrito na matriz descrito na dita Conservatória e inscrito na matriz predial respectiva em nome de António
comunhão de adquiridos, naturais, ele da freguesia e concelho de Castanheira de Pêra predial respectiva em nome de António da Conceição Henriques David sob o artigo 7293, Tomás Fernandes sob o artigo 6133, com o valor patrimonial de 0,67 Euros e para efeitos
e ela da freguesia e concelho de Pedrógão Grande e nela residentes no lugar de São com o valor patrimonial de 6,28 Euros e para efeitos de IMT o valor igual ao declarado de IMT o valor igual ao declarado de quinze euros e setenta e quatro cêntimos;
Mateus declararam ser, com exclusão de outrem, donos e legítimos possuidores dos de cento e oitenta euros e cinquenta e sete cêntimos; ----- TRINTA E SEIS: - Prédio rústico composto de pinhal situado em Valanchas, freguesia e
seguintes imóveis: ----- DEZOITO: - Prédio rústico composto de terreno de cultura com nove oliveiras situado concelho de Pedrógão Grande, com a área de dois mil trezentos e vinte metros quadra-
em Casal, freguesia e concelho de Pedrógão Grande, com a área de quatrocentos e quarenta dos, a confrontar do norte com António Tomás Júnior, do sul com estrada, do nascente
----- UM: - Prédio rústico composto de pinhal e mato situado em Vale da Pereira, freguesia metros quadrados, a confrontar do norte com António Tomás Tomé, do sul com Manuel Fernandes com Acácio Alves e outro e do poente com Leopoldina Inácio e outro, não descrito na
e concelho de Pedrógão Grande, com a área de quinhentos e sessenta metros quadrados, Tomás, do nascente com Albino Bernardo Tomás e do poente com José dos Anjos, não descrito dita Conservatória e inscrito na matriz predial respectiva em nome de Manuel Tomás sob
a confrontar do norte com Rosa Maria Alves, do sul com Raul Vicente Tomás e outro, do na dita Conservatória e inscrito na matriz predial respectiva em nome de Emília da Conceição o artigo 17774, com o valor patrimonial de 8,05 Euros e para efeitos de IMT o valor igual
nascente com Rosa Maria Alves e outro e do poente com José Tomás Pinto, não descrito Fernandes sob o artigo 6151, com o valor patrimonial de 5,08 Euros e para efeitos de IMT ao declarado de quinhentos e vinte e nove euros e noventa e um cêntimos;
na dita Conservatória e inscrito na matriz predial respectiva em nome do cabeça de casal o valor igual ao declarado de cento e quarenta e nove euros e dez cêntimos; ----- TRINTA E SETE: - Prédio rústico composto de pinhal e mato situado em Vale da Velha,
da herança de José Tomás Pinto sob o artigo 6204, com o valor patrimonial de • 4,55 e ----- DEZANOVE: - Prédio rústico composto de pinhal e mato situado em Vale de Moinhos, freguesia freguesia e concelho de Pedrógão Grande, com a área de dois mil setecentos e noventa
para efeitos de IMT o valor igual ao declarado de cento e trinta e três euros e trinta e seis e concelho de Pedrógão Grande, com a área de três mil duzentos e quarenta metros quadrados, metros quadrados, a confrontar do norte com viso, do sul com viso, do nascente com
cêntimos; --- a confrontar do norte com João Luís, do sul com Francisco da Rosa, do nascente com Amélia Leopoldina Inácio e do poente com Raul Vicente Tomás, não descrito na dita Conservatória
----- DOIS: - Prédio rústico composto de terreno de cultura com treze oliveiras e pinhal do Carmo e do poente com Francisco da Rosa e outro, não descrito na dita Conservatória e inscrito na matriz predial respectiva em nome de António Tomás Fernandes sob o artigo
situado em Valanchos, freguesia e concelho de Pedrógão Grande, com a área de quatro e inscrito na matriz predial respectiva em nome de Emília da Conceição Fernandes sob o 7014, com o valor patrimonial de 22,60 Euros e para efeitos de IMT o valor igual ao
mil e setecentos metros quadrados, a confrontar do norte com estrada, do sul com Isidro artigo 7103, com o valor patrimonial de 18,71 Euros e para efeitos de IMT o valor igual declarado de seiscentos e cinquenta e nove euros e trinta e quatro cêntimos;
Henriques David e outro, do nascente com Vicente Marques Pedroso e do poente com ao declarado de quinhentos e quarenta e cinco euros e sessenta e cinco cêntimos; --- TRINTA E OITO: - Prédio rústico composto de pinhal e mato situado em Vale da Cadela,
Leovegildo Pereira e outros, não descrito na dita Conservatória e inscrito na matriz ----- VINTE: - Prédio rústico composto de terreno de cultura com dez oliveiras situado em Junqueira, freguesia e concelho de Pedrógão Grande, com a área de setecentos e oitenta metros
predial respectiva em nome do cabeça de casal da herança de Maria Rosa Nazaré sob freguesia e concelho de Pedrógão Grande, com a área de duzentos e oitenta metros qua- quadrados, a confrontar do norte com João Tomás de Almeida, do sul com Maria da
o artigo 17787, com o valor patrimonial de 49,20 Euros e para efeitos de IMT o valor igual drados, a confrontar do norte com Joaquim Henriques Júnior, do sul com Isidro Henriques David, Encarnação das Neves e outros, do nascente com viso e do poente com Aires Henriques
ao declarado de mil quatrocentos e quarenta euros e vinte e quatro cêntimos; do nascente com Acácio Alves e do poente com Manuel Pedroso Simões, não descrito na dita David, não descrito na dita Conservatória e inscrito na matriz predial respectiva em nome
----- TRÊS: - Prédio rústico composto de terreno de cultura e mato situado em Tapada Conservatória e inscrito na matriz predial respectiva em nome de Otília Joaquina Pedroso de José Coelho sob o artigo 7197, com o valor patrimonial de 6,28 Euros e para efeitos
da Várzea, freguesia e concelho de Pedrógão Grande, com a área de duzentos e cinquenta sob o artigo 7294, com o valor patrimonial de 4,41 Euros e para efeitos de IMT o valor igual de IMT o valor igual ao declarado de cento e oitenta e quatro euros e cinquenta cêntimos;
metros quadrados, a confrontar do norte com ribeira, do sul com António Tomás de ao declarado de cento e vinte e cinco euros e quarenta e nove cêntimos; ----- TRINTA E NOVE: - Prédio rústico composto de terreno de cultura situado em Junquei-
Almeida, do nascente com António Tomás de Almeida e do poente com José dos Anjos, ----- VINTE E UM: - Prédio rústico composto de terreno de cultura com cinco oliveiras, ra, freguesia e concelho de Pedrógão Grande, com a área de trezentos e sessenta metros
não descrito na dita Conservatória e inscrito na matriz predial respectiva em nome de pinhal e mato situado em Junqueira, freguesia e concelho de Pedrógão Grande, com a quadrados, a confrontar do norte com Palmira Maria Alves, do sul com Raul Pedroso
Emília da Conceição Fernandes sob o artigo 7151, com o valor patrimonial de 2,27 Euros área de seiscentos e sessenta e cinco metros quadrados, a confrontar do norte com Tomás, do nascente com Benedita Maria Henriques e do poente com Manuel Lourenço,
e para efeitos de IMT o valor igual ao declarado de sessenta e dois euros e noventa e caminho, do sul com Arnaldo Vicente Pedroso, do nascente com Manuel Pedroso Simões não descrito na dita Conservatória e inscrito na matriz predial respectiva em nome de
quatro cêntimos; e do poente com Manuel das Neves Pedroso, não descrito na dita Conservatória e inscrito José Nazaré Alves sob o artigo 7346, com o valor patrimonial de 0,94 Euros e para efeitos
----- QUATRO: - Prédio rústico composto de pinhal e mato situado em Vale da Cadela, na matriz predial respectiva em nome de Carlos Alves Pedroso sob o artigo 7297, com o de IMT o valor igual ao declarado de vinte e sete euros e cinquenta e quatro cêntimos;
freguesia e concelho de Pedrógão Grande, com a área de dois mil trezentos e quarenta valor patrimonial de 3,61 Euros e para efeitos de IMT o valor igual ao declarado de cento ----- QUARENTA: - Prédio rústico composto de terreno de cultura situado em Valanchas, freguesia
metros quadrados, a confrontar do norte com António Tomás de Almeida, do sul com e cinco euros e oitenta e dois cêntimos; e concelho de Pedrógão Grande, com a área de quatro mil e oitocentos metros quadrados, a
Amaro de Oliveira Managil, do nascente com viso e do poente com viso, não descrito na ----- VINTE E DOIS: - Prédio rústico composto de terreno de cultura com treze oliveiras, confrontar do norte com Manuel Tomás e outros, do sul com Maria da Encarnação Neves,
dita Conservatória e inscrito na matriz predial respectiva em nome de Emília da Conceição cinco videiras em cordão, pinhal e mato situado em Junqueira, freguesia e concelho de do nascente com Evangelina Maria Marques e do poente com António Tomás Júnior, não
Fernandes sob o artigo 7185, com o valor patrimonial de 18,98 e para efeitos de IMT o Pedrógão Grande, com a área de mil setecentos e oitenta metros quadrados, a confrontar descrito na dita Conservatória e inscrito na matriz predial respectiva em nome de José
valor igual ao declarado de quinhentos e cinquenta e três euros e cinquenta e um cêntimos; do norte com Joaquim Moreira, do sul com António Alves, do nascente com António da Nazaré Alves sob o artigo 17765, com o valor patrimonial de 38,10 Euros e para efeitos de
----- CINCO: - Prédio rústico composto de terreno de cultura situado em Lameira, freguesia Rosa e do poente com Maria Rosa Luís, não descrito na dita Conservatória e inscrito na IMT o valor igual ao declarado de mil cento e catorze euros e cinquenta cêntimos;
e concelho de Pedrógão Grande, com a área de duzentos e oitenta metros quadrados, matriz predial respectiva em nome de António da Conceição Henriques David sob o artigo ----- QUARENTA E UM: - Prédio rústico composto de pinhal e mato situado em Vale da Velha,
a confrontar do norte com herdeiros de António Alves Rosa, do sul com ribeiro, do 7305, com o valor patrimonial de 17,11 Euros e para efeitos de IMT o valor igual ao freguesia e concelho de Pedrógão Grande, com a área de três mil novecentos e sessenta metros
nascente com Vítor Manuel Marques e do poente com Roberto Martins das Neves, não declarado de quatrocentos e noventa e oito euros e quarenta e quatro cêntimos; quadrados, a confrontar do norte com Aires Henriques David, do sul com viso, do nascente com
descrito na dita Conservatória e inscrito na matriz predial respectiva em nome de Américo ----- VINTE E TRÊS: - Prédio rústico composto de pinhal e mato situado em Lobatos, José Tomás e outros e do poente com Roberto Martins das Neves e outro, não descrito na dita
Henriques Pedroso sob o artigo 17700, com o valor patrimonial de 4,55 Euros e para freguesia e concelho de Pedrógão Grande, com a área de quatro mil e setecentos metros Conservatória e inscrito na matriz predial respectiva em nome de Américo Henriques Pe-
efeitos de IMT o valor igual ao declarado de cento e cinquenta e seis euros e noventa e quadrados, a confrontar do norte com Roberto Martins das Neves, do sul com Manuel droso sob o artigo 7017, com o valor patrimonial de 31,82 Euros e para efeitos de IMT o
sete cêntimos; Carvalho Ferreira, do nascente com viso e do poente com Maria Encarnação das Neves, valor igual ao declarado de novecentos e trinta e três euros e noventa e três cêntimos;
----- SEIS: - Prédio rústico composto de pinhal e mato situado em Cova da Colmeira, não descrito na dita Conservatória e inscrito na matriz predial respectiva em nome de José ----- QUARENTA E DOIS: - Prédio rústico composto de terreno de cultura com três oliveiras
freguesia e concelho de Pedrógão Grande, com a área de quatro mil novecentos e Coelho sob o artigo 7490, com o valor patrimonial de 37,70 Euros e para efeitos de IMT e mato situado em Junqueira, freguesia e concelho de Pedrógão Grande, com a área de
cinquenta metros quadrados, a confrontar do norte com Domingues Fernandes, do sul o valor igual ao declarado de mil cento e seis euros e sessenta e três cêntimos; quinhentos e quarenta metros quadrados, a confrontar do norte com António da Rosa,
com Maria Cândida Dinis Barreto Carvalho, do nascente com Manuel Nunes Laranjeira ----- VINTE E QUATRO: - Prédio rústico composto de pinhal e mato situado em Vale da do sul com caminho público, do nascente com José Pais Júnior e outros e do poente com
e do poente com Domingos Fernandes, não descrito na dita Conservatória e inscrito na Pereira, freguesia e concelho de Pedrógão Grande, com a área de duzentos e oitenta Artur do Carmo Reis, não descrito na dita Conservatória e inscrito na matriz predial
matriz predial respectiva em nome de Manuel Tomás sob o artigo 5058, com o valor metros quadrados, a confrontar do norte com Aires Henriques David, do sul com Francelino respectiva em nome de Américo Henriques Pedroso sob o artigo 7352, com o valor
patrimonial de 39,97 Euros e para efeitos de IMT o valor igual ao declarado de mil cento das Neves e outro, do nascente com Bengelina Maria Marques e do poente com Vítor patrimonial de 0,94 Euros e para efeitos de IMT o valor igual ao declarado de vinte e três
e sessenta e nove euros e cinquenta e oito cêntimos; Manuel Marques, não descrito na dita Conservatória e inscrito na matriz predial respectiva euros e sessenta cêntimos;
----- SETE: - Prédio rústico composto de terreno de cultura e mato com onze oliveiras e em nome de cabeça de casal da herança de Artur Carmo dos Reis sob o artigo 6208, com ----- QUARENTA E TRÊS: - Prédio rústico composto de terreno de cultura com uma laranjeira
três sobreiros, situado em Junqueira, freguesia e concelho de Pedrógão Grande, com a o valor patrimonial de 2,41 Euros e para efeitos de IMT o valor igual ao declarado de e uma oliveira, pinhal e mato situado em Junqueira, freguesia e concelho de Pedrógão
área de quinhentos metros quadrados, a confrontar do norte com José Tomás Pinto e sessenta e seis euros e oitenta e oito cêntimos; Grande, com a área de oitocentos e vinte metros quadrados, a confrontar do norte com
outro, do sul com Acácio Alves, do nascente com Manuel Fernandes e do poente com ----- VINTE E CINCO: - Prédio rústico composto de pinhal e mato situado em Junqueira, caminho público, do sul com Acácio Alves, do nascente com Benedita Maria Henriques
caminho, não descrito na dita Conservatória e inscrito na matriz predial respectiva em freguesia e concelho de Pedrógão Grande, com a área de trezentos e oitenta metros e do poente com Manuel Lourenço, não descrito na dita Conservatória e inscrito na matriz
nome de Fernando Manuel Pedroso Simões sob o artigo 7277, com o valor patrimonial quadrados, a confrontar do norte com caminho público, do sul com herdeiros de António predial respectiva em nome de José Nazaré Alves sob o artigo 7347, com o valor
de 5,35 Euros e para efeitos de IMT o valor igual ao declarado de cento e cinquenta e seis Alves da Rosa, do nascente com Isidro Henriques David e do poente com Porfírio Antunes, patrimonial de 3,34 Euros e para efeitos de IMT o valor igual ao declarado de noventa
euros e noventa e sete cêntimos; não descrito na dita Conservatória e inscrito na matriz predial respectiva em nome de e sete euros e noventa e seis cêntimos;
----- OITO: - Prédio rústico composto de terreno de cultura com sete oliveiras, pinhal e Serafim das Neves sob o artigo 7357, com o valor patrimonial de 3,08 Euros e para efeitos ----- Que os bens atrás identificados pertencem a eles justificantes:
mato, situado em Junqueira, freguesia e concelho de Pedrógão Grande, com a área de de IMT o valor igual ao declarado de noventa euros e nove cêntimos; ----- Os referenciados sob os números um, dois e nove por os terem verbalmente comprado
seiscentos e trinta e cinco metros quadrados, a confrontar do norte com caminho, do ----- VINTE E SEIS: - Prédio rústico composto de terreno de cultura com quatro oliveiras e cerca do ano de mil novecentos e oitenta e cinco, a José Tomás Pinto e mulher Arminda
sul com Arnaldo Vicente Pedroso, do nascente com Joaquim Henriques Júnior e do uma fruteira situado em Tapada do Carril, freguesia e concelho de Pedrógão Grande, com Tomás de Almeida, residentes no lugar de Escalos do Meio, freguesia e concelho de
poente com Laura Maria Pedroso, não descrito na dita Conservatória e inscrito na matriz a área de sessenta metros quadrados, a confrontar do norte com José Fernandes, do sul com Pedrógão Grande;
predial respectiva em nome de Fernando Manuel Pedroso Simões sob o artigo 7296, com Manuel Jacinto Tomás, do nascente com ribeiro e do poente com urbano do proprietário, não ----- Os referenciados sob os números três e quatro, dezoito e dezanove por os terem
o valor patrimonial de 5,08 Euros e para efeitos de IMT o valor igual ao declarado de descrito na dita Conservatória e inscrito na matriz predial respectiva em nome de Humberto verbalmente comprado cerca do mesmo ano de mil novecentos oitenta e cinco, a Emília
cento e quarenta e nove euros e dez cêntimos; Fernandes Coutinho sob o artigo 6488, com o valor patrimonial de 3,61 Euros e para efeitos da Conceição Fernandes e marido José Fernandes, residentes no mesmo lugar de Escalos
----- NOVE: - Prédio rústico composto de pinhal e mato situado em Cova da Maria Joana, de IMT o valor igual ao declarado de cento e cinco euros e oitenta e dois cêntimos; do Meio; ----
freguesia e concelho de Pedrógão Grande, com a área de cinco mil e seiscentos metros ----- VINTE E SETE: - Prédio rústico composto de pinhal e mato situado em Covão ----- Os referenciados sob os números cinco, catorze, quarenta e um e quarenta e dois,
quadrados, a confrontar do norte com José Tomás Pinto, do sul com João Luís, do nascente Redondo, freguesia e concelho de Pedrógão Grande, com a área de quatro mil novecentos por os terem verbalmente comprado cerca do mesmo ano, a Américo Henriques Pedroso
com Raul Vicente Tomás e do poente com viso, não descrito na dita Conservatória e e setenta e cinco metros quadrados, a confrontar do norte com herdeiros de Joaquim e mulher Maria do Carmo Luís Pedroso, residentes no mesmo lugar de Escalos do Meio;
inscrito na matriz predial respectiva em nome do cabeça de casal da herança de José Ferreira, do sul com Ramiro Nunes, do nascente com Artur Simões Tomás e do poente ----- O referenciado sob o número seis por o terem verbalmente comprado cerca do
Tomás Pinto sob o artigo 7453, com o valor patrimonial de 44,92 Euros e para efeitos de com viso, não descrito na dita Conservatória e inscrito na matriz predial respectiva em mesmo ano a Manuel Tomás, solteiro, maior, residente em Lisboa;
IMT o valor igual ao declarado de mil trezentos e dezoito euros e sessenta e oito cêntimos; nome de Rosa Maria Almeida da Silva sob o artigo 7477, com o valor patrimonial de 40,10 ----- Os referenciados sob os números sete e oito, por os terem verbalmente comprado
----- DEZ: - Prédio rústico composto de pinhal situado em Costa d’Alva, freguesia e Euros e para efeitos de IMT o valor igual ao declarado de mil cento e setenta e três euros cerca desse mesmo ano, a Manuel Pedroso Simões e mulher Maria do Carmo Pedroso,
concelho de Pedrógão Grande, com a área de três mil e novecentos metros quadrados, e cinquenta e um cêntimos; residentes na vila e concelho de Castanheira de Pera;
a confrontar do norte com José Pereira, do sul com viso, do nascente com Acácio Alves ----- VINTE E OITO: - Prédio rústico composto de pinhal e mato situado em Vale do Moinho, ----- O referenciado sob os números dez, onze, doze, treze e quinze por os terem verbalmente
e do poente com José Pereira, não descrito na dita Conservatória e inscrito na matriz freguesia e concelho de Pedrógão Grande, com a área de dois mil e cem metros quadrados, comprado cerca do mesmo ano a Isaura da Conceição Pedroso, viúva, Rosa dos Reis e
predial respectiva em nome de Isaura da Conceição Pedroso Rosa Reis sob o artigo a confrontar do norte com Joaquim Henriques, do sul com José Pereira, do nascente com marido Manuel Tomás dos Reis, residentes no dito lugar de Escalos do Meio;
17834, com o valor patrimonial de 22,60 Euros e para efeitos de IMT o valor igual ao Raul Vicente Tomás e do poente com Maria Susana Gouveia de Carvalho, não descrito na ----- O referenciado sob o número dezasseis por o terem verbalmente comprado cerca
declarado de seiscentos e cinquenta e nove euros e trinta e quatro cêntimos; dita Conservatória e inscrito na matriz predial respectiva em nome de Serafim das Neves do mesmo ano a Alice Pedroso Lopes e marido António Martins, residentes no dito lugar
----- ONZE: - Prédio rústico composto de terreno de cultura com três oliveiras, pinhal e sob o artigo 7115, com o valor patrimonial de 16,98 Euros e para efeitos de IMT o valor de Escalos do Meio;
mato situado em Areeiro, freguesia e concelho de Pedrógão Grande, com a área de igual ao declarado de quatrocentos e noventa e quatro euros e cinquenta cêntimos; ----- Os referenciados sob os números dezassete, vinte e dois, trinta e um, trinta e três e
quinhentos e noventa metros quadrados, a confrontar do norte com Roberto Martins das ----- VINTE E NOVE: - Prédio rústico composto de pinhal e mato situado em Botelhas, freguesia trinta e quatro por os terem verbalmente comprado cerca do mesmo ano a Aires Henriques
Neves, do sul com Joaquim Tomás dos Reis, do nascente com ribeira e do poente com e concelho de Pedrógão Grande, com a área de mil e duzentos metros quadrados, a confrontar David e mulher Maria da Conceição, residentes no dito lugar de Escalos do Meio;
viso, não descrito na dita Conservatória e inscrito na matriz predial respectiva em nome do norte com Leopoldina Inácio, do sul com José Campos, do nascente com viso e do poente ----- Os referenciados sob os números vinte e vinte e um por os terem verbalmente
de Isaura da Conceição Pedroso Rosa Reis sob o artigo 5987, com o valor patrimonial de com viso, não descrito na dita Conservatória e inscrito na matriz predial respectiva em nome comprado cerca do mesmo ano de mil novecentos e oitenta e cinco a Carlos Alves
6,95 Euros e para efeitos de IMT o valor igual ao declarado de duzentos e quatro euros de António Tomás Fernandes sob o artigo 17735, com o valor patrimonial de 7,22 Euros Pedroso e mulher Maria do Carmo Rodrigues, também residentes em Escalos do Meio;
e dezassete cêntimos; e para efeitos de IMT o valor igual ao declarado de duzentos e doze euros e quatro cêntimos; ----- Os referenciados sob os números vinte e três e quarenta e quatro por os terem
----- DOZE: - Prédio rústico composto de terreno de cultura com três oliveiras, pinhal e ----- TRINTA: - Prédio rústico composto de cultura com doze videiras situado em Botelhas, verbalmente comprado cerca do mesmo ano a José Coelho e mulher Arminda Rosa
mato, situado em Areeiro, freguesia e concelho de Pedrógão Grande, com a área de freguesia e concelho de Pedrógão Grande, com a área de trezentos e sessenta metros Pinto, residentes em Lisboa;
quinhentos e trinta metros quadrados, a confrontar do norte com António da Rosa, do quadrados, a confrontar do norte com João Antunes Henriques, do sul com Leopoldina ----- O referenciado sob o número vinte e quatro por o terem verbalmente comprado
sul com Isidro Tomás de Almeida, do nascente com ribeira e do poente com viso, não Inácio, do nascente com José Campos e do poente com António Tomás Fernandes, não cerca do mesmo ano a Aurora Maria Reis e marido Artur do Carmo Reis, residentes no
descrito na dita Conservatória e inscrito na matriz predial respectiva em nome de Joaquim descrito na dita Conservatória e inscrito na matriz predial respectiva em nome de António dito lugar de Escalos do Meio;
Tomé dos Reis sob o artigo 5988, com o valor patrimonial de 6,28 Euros e para efeitos de Tomás Fernandes sob o artigo 17740, com o valor patrimonial de 6,55 Euros e para efeitos de ----- Os referenciados sob os números vinte e cinco e vinte e oito por os terem verbalmente
IMT o valor igual ao declarado de cento e oitenta euros e cinquenta e sete cêntimos; IMT o valor igual ao declarado de cento e noventa e dois euros e trinta e sete cêntimos; comprado cerca do mesmo ano a Serafim das Neves e mulher Maria da Luz Bento,
----- TREZE: - Prédio rústico composto de pinhal e mato, situado em Vale da Pereira, freguesia ----- TRINTA E UM: - Prédio rústico composto de pinhal e mato situado em Arroteia Cimeira, residentes em Lisboa;
e concelho de Pedrógão Grande, com a área de trezentos e quarenta metros quadrados, freguesia e concelho de Pedrógão Grande, com a área de quatro mil novecentos e ----- O referenciado sob o número vinte e seis por o terem verbalmente comprado cerca
a confrontar do norte com António Tomás Pinto, do sul com Raul Vicente Tomás, do oitenta e cinco metros quadrados, a confrontar do norte com Bengelina Maria Marques, do mesmo ano a Gracinda Engrácia e marido José Coutinho, residentes no dito lugar de
nascente com Vítor Manuel Marques e do poente com António Tomás Pinto, não descrito do sul com Raul Pedroso, do nascente com Raul Pedroso Tomás e do poente com José Escalos do Meio;
na dita Conservatória e inscrito na matriz predial respectiva em nome de Rosa Maria Alves Coelho e outros, não descrito na dita Conservatória e inscrito na matriz predial ----- O referenciado sob o número vinte e sete por o terem verbalmente comprado cerca do
Alves sob o artigo 6205, com o valor patrimonial de 2,81 Euros e para efeitos de IMT o respectiva em nome de António da Conceição Henriques David sob o artigo 6970, com o mesmo ano a Rosa Maria Almeida da Silva e marido Gervásio Ribeiro, residentes em Lisboa;
valor igual ao declarado de oitenta e dois euros e vinte e dois cêntimos; valor patrimonial de 40,24 Euros e para efeitos de IMT o valor igual ao declarado de mil ----- Os referenciados sob os números vinte e nove, trinta, trinta e cinco, trinta e seis e
----- CATORZE: - Prédio rústico composto de terreno com quatro oliveiras, pinhal e duzentos e dezasseis euros e setenta e nove cêntimos; trinta e sete por os terem verbalmente comprado cerca do mesmo ano a António Fernandes
mato, situado em Lameiras, freguesia e concelho de Pedrógão Grande, com a área de ----- TRINTA E DOIS: - Prédio rústico composto de terreno de cultura com catorze oliveiras, Tomás e mulher Maria de Lurdes Tomás Fernandes, residentes em Escalos do Meio;
mil quatrocentos e trinta metros quadrados, a confrontar do norte com Evangelina pinhal e mato situado em Junqueira, freguesia e concelho de Pedrógão Grande, com a ----- O referenciado sob o número trinta e dois por o terem verbalmente comprado cerca
Maria Marques, do sul com Roberto Martins das Neves, do nascente com Evangelina área de dois mil cento e trinta metros quadrados, a confrontar do norte com António do mesmo ano a Aníbal Pedroso Rosa e mulher Cesarina Pedroso Lopes, residentes na
Maria Marques e do poente com Roberto Martins das Neves, não descrito na dita Fonseca Tomás, do sul com Aires Henriques David, do nascente com António Martins e dita vila de Castanheira de Pera;
Conservatória e inscrito na matriz predial respectiva em nome de Américo Henriques outros e do poente com Maria Rosa Dinis e outro, não descrito na dita Conservatória e ----- Os referenciados sob os números trinta e oito, trinta e nove, quarenta e quarenta e três,
Pedroso sob o artigo 17791, com o valor patrimonial de 11,77 Euros e para efeitos de IMT inscrito na matriz predial respectiva em nome de Aníbal Pedroso da Rosa sob o artigo por os terem verbalmente comprado cerca do mesmo ano a Acácio Alves e mulher Arminda
o valor igual ao declarado de trezentos e quarenta e um euros e quarenta e sete cêntimos; 7272, com o valor patrimonial de 17,38 Euros e para efeitos de IMT o valor igual ao Nazaré, residentes em Escalos do Meio, sem que, todavia, tenham sido lavradas as competentes
----- QUINZE: - Prédio rústico composto de terreno de cultura com latada situado em declarado de quinhentos e dez euros e vinte e quatro cêntimos; escrituras públicas, tendo os justificantes, desde então até hoje, desfrutado os ditos imóveis como
Nateiro da Costa de Alva, freguesia e concelho de Pedrógão Grande, com a área de ----- TRINTA E TRÊS: - Prédio rústico composto de pinhal e mato situado em Atalho, coisas próprias, autónomas e exclusivas, deles retirando as vantagens de que são susceptíveis,
setecentos e cinquenta metros quadrados, a confrontar do norte com Manuel Pedroso freguesia e concelho de Pedrógão Grande, com a área de dois mil trezentos e dez metros neles efectuando as tradicionais culturas da região, colhendo e apropriando-se dos respectivos
Simões, do sul com António Neves Nazaré, do nascente com Isidro Henriques David e quadrados, a confrontar do norte com António da Rosa, do sul com Mário Alves Coelho, frutos, pagando os respectivos impostos e neles praticando os actos materiais correspondentes
do poente com Joaquim Henriques, não descrito na dita Conservatória e inscrito na matriz do nascente com António da Rosa e outros e do poente com Isidro Henriques David, não ao direito de propriedade plena na convicção de não lesarem o direito de outrem, pelo que
predial respectiva em nome de Isaura da Conceição Pedroso Rosa Reis sob o artigo descrito na dita Conservatória e inscrito na matriz predial respectiva em nome de António possuem esses bens em nome próprio há mais de vinte anos, sem a menor oposição de quem
17827, com o valor patrimonial de 16,45 Euros e para efeitos de IMT o valor igual ao da Conceição Henriques David sob o artigo 7407, com o valor patrimonial de 18,71 Euros quer que seja, desde o seu início, posse que sempre exerceram sem interrupção e ostensiva-
declarado de quatrocentos e setenta e oito euros e setenta e sete cêntimos; e para efeitos de IMT o valor igual ao declarado de quinhentos e quarenta e cinco euros mente, com o conhecimento e acatamento de toda a gente, sendo, por isso, uma posse pública,
----- DEZASSEIS: - Prédio rústico composto de terreno de cultura com latada, três e sessenta e cinco cêntimos; pacífica e contínua, pelo que os adquiriram por usucapião, não havendo, todavia, dado o modo
oliveiras e pastagem, situado em Nateiro da Costa de Alva, freguesia e concelho de ----- TRINTA E QUATRO: - Prédio rústico composto de pinhal e mato situado em Sardinhas, de aquisição, documentos que lhes permitam fazer a prova do seu direito de propriedade perfeita.
Pedrógão Grande, com a área de novecentos metros quadrados, a confrontar do norte freguesia e concelho de Pedrógão Grande, com a área de quatro mil oitocentos e dez ----- Está conforme ao original;
com viso, do sul com António Rosa, do nascente com António Neves Nazaré e do poente metros quadrados, a confrontar do norte com José Tomás e outro, do sul com Manuel Cantanhede, 16 de Março de 2011.
com Joaquim Henriques, não descrito na dita Conservatória e inscrito na matriz predial Neves Coelho, do nascente com viso e do poente com Francisco da Rosa, não descrito na O Notário,
respectiva em nome de Alice Pedroso Lopes, cabeça de casal de herança sob o artigo dita Conservatória e inscrito na matriz predial respectiva em nome de António da Conceição Lic Luís Manuel Canha
17826, com o valor patrimonial de 41,44 Euros e para efeitos de IMT o valor igual ao Henriques David sob o artigo 4978, com o valor patrimonial de 38,77 Euros e para efeitos
Nº 370 de 2011.04.26
declarado de seiscentos e oito euros e vinte cêntimos; de IMT o valor igual ao declarado de mil cento e trinta e quatro euros e dezassete cêntimos;
CL
20 2011.04.26
PUBLICID ADE
PUBLICIDADE

SSIFICADOS
anuncie já! através do tel.: 236553669, fax 236 553 692 , mail’s: acomarca@mail.telepac.pt ou acomarca.jornal@gmail.com

FÉRIAS EM QUARTEIRA CONTACTO:


917 761 751 e/ou 917 806 164
Alugo apartamento T3: Junho - Julho - Setembro
ALUGA-SE PARA "a expressão da
COMÉRCIO OU INDÚSTRIA, nossa terra"
PARA SE TORNAR ASSINANTE
armazém coberto e escritório c/ OU ACTUALIZAR A SUA ASSINATURA
1000 m2 de área, na Zona Recorte este cupão devidamente preenchido e junte o valor da assinatura anual:
Industrial de Pedrógão Grande - 15,0 Euros | 12,0 Euros (para reformados e jovens detentores de cartão)

(Lote 7) NOME---------------------------------------------------------------------------------

Contactos: 236 552 267 / 911 938 038 / 933 706 583 ------------------------------------------------------------------------------------------

RUA/AV/PRAÇA:-----------------------------------------------------------------

ALUGA-SE LOJA ------------------------------------------------------------------------------------------

LOCALIDADE---------------------------------------------------------------------

(em Pedrógão Grande CÓD. POSTAL----------------------------------------------------------------------


ENVIO
ao lado da Farmácia) EUROS:_____________________________________________,em:
CHEQUE VALE DE CORREIO NUMERÁRIO
CONTACTO: 965 064 964 e/ou SE JÁ É ASSINANTE E PRETENDE APENAS
963 465 526 REGULARIZAR A SUA ASSINATURA, ASSINALE X

COMPRA-SE
VENDE-SE MORADIA
para construção (Pedra á vista) em arredores de
TRESPASSA-SE
ANTIGUIDADES,
Ansião, com logradouro à volta (Quintal 400m2)
Preço: 36.000,00 Euros
Negócio no centro
VELHARIAS, OURO, PRATA, VENDE-SE TERRENO PLANO de Figueiró dos Vinhos
RELÓGIOS E POTES
nos arredores de Alvaiázere com 1300 m2, para
construção de casa de madeira, com estrada bom preço
alcatroada, água e luz.
CONTACTO: 96 410 74 17 Preço 4.500,00 Euros | Contacto: 964104318 CONTACTO: 96 649 52 21
COLABORAÇÕES 2011.04.26
21

DELMAR
DE
CARVALHO
O MEIO AMBIENTE
Parte V
Alucinações Fraudulentas
por Bernardo
Ramos
Parte V também que, na medida em que será algo positivo, mas temos hecido. Gonçalves
o ser humano deixar de comer de avançar, progredir. Como aumentam os argu-
Sendo o Amor a solução carne, a sua mente será mais Chegou a Hora de, repito, mentos positivos deste regí-
para todos os problemas; Ele lúcida, afinal mais uma douta incluir este regímen na instru- men, e face ao estado do pla-
será a base da Futura Educa- opinião sobre o que antes ção desde o inicio, sem nada neta Terra, urge mudar de rumo alucinacoesfraudulentas.blogspot.com/
ção, onde o vegetarianismo, falámos. impor, há que englobar nos na educação alimentar, o que
como sistema pleno de valores
éticos, irá ser um dos pilares
Os argumentos contra este
sistema de vida alimentar, ou
sistemas de ensino, o nutrici-
onismo, numa base de alimen-
está sendo já feito; contudo,
temos de acelerar para bem de
Tudo se aprende pelo modo mais
difícil, quando se cresce depressa...

A
libertadores. contra o seu uso na alimen- tação racional, e ao mesmo toda a criação.
Cada vez mais se fala na tação infantil não têm razão tempo a vegetariana e cada O vegetarianismo, como
de ser; na realidade eles são qual seguirá o que entender. filosofia de vida, encerra ideais inda, com cheiro de pobre abandonado, rasguei
educação como a base da reno-
anti-científicos, embora exis- Nada deve ser imposto. de defesa do meio ambiente, um pedaço de carne sangrenta como se comete-
vação do ser humano, fonte
tam cientistas que têm outra O tempo se encarregará de de fraternidade, de amor aos se um homicídio horroroso ao passado. Espetara-
para uma melhor civilização.
tese. nos conduzir à vivência desta animais, como incentiva a lhe uma faca ilusória entre os seus rasgos insatis-
Educar é libertar as potenci-
Estes, em nossa opinião, filosofia, a nível universal. Só cooperação, em vez da compe- feitos e inconclusivos dando de beber às fotogra-
alidades que cada ser humano
nesta área cristalizaram a sua que tudo tem o seu tempo. tição; uma vida simples como fias, que aniquilaram momentos remotos, todas as minhas
tem em seu interior e que estão
mente; ao invés, este regímen Não será, neste século, contu- existe nas Leis da Natureza, lágrimas vítreas, que caíram desamparadas na calçada rasgada
mais ou menos latentes, de
é benéfico em todas as idades do, ao longo dele irão ser dados em vez desta civilização de da rua. Apenas sei que acabei numa paragem de autocarro à
modo a tornarem-se dinâmi-
do ser humano, e especialmen- passos gigantescos, rumo ao consumo infinito num planeta espera de tomar um novo rumo e sempre perseguido pelas
cas, inovadoras, livres e fra-
te na fase da gravidez como na vegetarianismo, por vários que é finito. gotas de sofrimento, que apesar dos obstáculos alcançavam
ternas, iluminando o caminho
infantil. motivos, desde a saúde, ao Estes e outros factores sempre o seu criador. Comecei a sentir que fugir era o único
para a Unidade da Vida.
Sabemo-lo até por experiên- meio ambiente, à economia, à benéficos devem ser cada vez motivo que me poderia manter vivo. O único motivo que me
Ao destruirmos as árvores,
cia própria, educámos os paz e segurança. mais ponderados na conce- poderia levar a conhecer a verdadeira realidade. Uma realidade
ao envenenarmos a água, o ar
nossos filhos por este sistema Voltando à educação alimen- pção dos programas educati- repleta de livre arbítrio, repleta de essência própria.
e a terra, com produtos tóxi-
com efeitos altamente bené- tar da criança, as provas dos vos escolares. Enquanto esperava pelo autocarro certo, fui-me alimentando
cos, ao matarmos os animais,
ficos, incluindo para a saúde, efeitos benéficos do regímen Cabe aos pais a nobre desta ira, até que esta deixou de dar frutos e passou a dar-me
estamos destruindo a Nature-
pois quando crianças foram vegetariano são cada vez mais responsabilidade de educar. de comer todas as amarguras conscientes, que me levaram a
za no seu maravilhoso e sábio
sempre saudáveis, como dos conclusivas, mais abrangentes Nesta obra como em outras desistir de uma vida forçada e sem felicidade, mas que era de
conjunto, ao qual pertence-
melhores alunos nos diversos desde a saúde até ao desenvol- ligadas a este sistema, encon- facto a minha vida. Mas a minha convicção nunca se deixou
mos. Logo, estamos destruin-
graus de ensino. vimento intelectual. trarão dados que pensamos abalar. Talvez, porque, nesta cruel realidade, não tinha vida.
do-nos a nós mesmos.
Como disse Paracelso, as Uma das Universidades que serão muito benéficos O mais irónico é que fui quase dado como morto e como
É que tudo isso é o nosso
teorias têm de vir da prática e mais conceituadas a nível inter- para o cumprimento dessas mero ignorante inconsciente que ainda poderia fazer das suas
próximo como, claramente,
não o contrário. Por isso, nacional é a de Southampton funções. amarguras uma fonte de fraternidade. Isto tudo, depois de
esclarecemos em nosso tra-
quem não tenha saber experi- na Inglaterra. Graças às inves- Cabe também aos professo- apanhar o autocarro e de me esconder da realidade que para
balho: QUEM É PRÓXIMO?
mentado, será melhor, em tigações sobre esta área, em res, a nobre missão de educar, mim não era aceitável. Uma realidade pugnada por metas do
QUEM É DEUS?.
primeiro lugar, libertar-se do mais de oito mil pessoas de até porque, na sua maioria, padrão social.
Como o que semeamos, col-
conhecimento de sebenta, mais ambos os sexos, com mais de também são pais, o que por Ainda hoje não percebo porque desde pequenos somos incen-
hemos, quando vivemos
ou menos escolástico. 30 anos em que Quociente de vezes, alguns políticos se tivados a sermos melhor que os outros em vez de melhorarmos,
contra as Leis da Natureza,
No nosso caso, pois tanto o Inteligência (QI) há sido esquecem…e nessa ação, evoluirmos enquanto pessoa. O pior é que todos aqueles que
estamos semeando ventos,
Suplemento do jornal A Gaz- analisado, quando tinham 10 contribuírem para a mudança pisam a linha da diferença, ou seja, que pretendem educar-se
logo vamos colher tempesta-
eta do Sul, como a revista Na- anos, revelou que os vegetari- de hábitos alimentares, pelo de uma forma mais digna, são apedrejados pela sociedade.
des. Estas podem ser em
tura, número 230, de Novem- anos tinham subido mais 5 menos que os educandos Por vezes, isto torna-nos vulneráveis. Ficamos fracos e num
alterações climatéricas, como
bro de 1973, se referiram aos pontos que os não vegetari- recebam aulas para uma sufoco profundo. Começamos a cair na triste realidade, que
em doenças, insegurança,
nossos filhos. anos. Este estudo foi publicado alimentação equilibrada e o para atingir o futuro pretendido, é preciso deixar tudo aquilo
fome, e assim por diante.
Transcrevemos algo do tex- no British Medical Journal, 15 mais regeneradora possível. de que se gosta para trás.
Na medida em que o tempo
to:…Por outro lado, as crian- de Dezembro de 2006. Cabe às Associações de Tudo isto se deve à dedicação inapropriada do Homem em des-
passa, também começam a
ças assim criadas, serão ele- Um dos mais ilustres ho- Pais, estamos ligados à criação cobrir o seu corpo e não a sua alma. Em descobrir tudo em seu
passar as teorias mais ou me-
mentos de grande valor, pes- mens de Estado americano e de duas delas, a missão de redor, em vez do seu interior. Foi neste monstro que o Homem, ao
nos cristalizadas dos omnívo-
soas equilibradas e capazes de cientista, Benjamim Franklin, ajudar à concretização deste longo dos tempos, se tornou. Acho que nunca cresceu. Manteve-
ros. Em vários países aumen-
agir positivamente a favor de (1707-1790) grande defensor ideal. se sempre na fase de criança, na fase da exploração desordeira
tam, com frequência, as provas
uma sociedade melhor. do vegetarianismo, afirmou Cabe aos Sindicatos darem e inconclusiva. Na fase da frustração progressiva por nunca
científicas sobre o valor do
Em vários países, desde a que este regímen contribuía também o seu contributo. conseguir definir a origem exacta do Universo. Mas como o
vegetarianismo na prevenção
Inglaterra, à Alemanha, Espan- para uma mente mais viva, Cabe aos políticos a grande Homem não aceita que exista algo oculto, prefere viver na igno-
e no tratamento. Remar contra
ha, França, Dinamarca, e com maior capacidade de responsabilidade em legislar rância dogmática e apresentar como origem o Acaso. Foi uma
a Verdade ou somos dogmá-
outros, como, nas Américas, compreensão e para um no sentido de serem fomenta- opção do Homem. Desde a sua origem que sempre preferiu
ticos, ou escolásticos, ou es-
aumenta o número de crianças espírito com ideias mais claras. dos os valores éticos e liberta- optar pelo fruto proibido em vez de cultivar os seus alertas.
tamos dominados pelo nosso
educadas neste regímen. Aliás, Uma das suas invenções dores, que ajudem à prevenção Presentemente, tornou-se nisto. Um ser materialista, preocu-
egoísmo e materialismo. Em
nas Escolas da Inglaterra, país pouco comunicadas foi um da enfermidade, cujos efeitos pado em atingir a fama, o poder, o dinheiro e o espaço. É neste
todos os casos, estamos retro-
pioneiro nos direitos huma- instrumento musical, harmó- benéficos em todos os outros registo que a sociedade quer que todos vivamos? De facto é.
gradando como as regiões, os
nos, também o tem sido, nesta nica de vidro, que, mais tarde aspectos da vida são Infelizmente, é. A sociedade apenas quer quantidade sem quali-
povos que não souberem
área, pois as crianças podem o grande compositor rosacru- evidentes, desde o estudo, à dade. Quer sentir o prazer de se poder resguardar no seu
evoluir.
escolher este regímen alimen- ciano, Mozart, com o seu ami- capacidade de trabalho, como mundo, que pensa que é controlado pelas suas forças indefesas,
Como tudo tem o seu tem-
tar nos seus Estabelecimentos go médico e rosacruz Mesmer, a renovação dos sistemas e de enterrar com supremacia todos os cadáveres futuristas e
po, é tempo de o vegetaria-
de Ensino. em trabalho de grupo, educativos. idealistas, que matou com escárnio. Este pobre coitado, julga-
nismo, como filosofia de vida
Urge difundir esta norma em melhoraram-no e usaram-no Para uma educação integral, se ser imortal perante todas as forças da Natureza. Estará o
humanista, fazer parte dos
todos os restantes povos, em composições musicais para uma formação mais pro- Homem consciente da sua vulnerabilidade? De certo que não.
sistemas educativos, como
começando por casa, pela para obter efeitos benéficos na funda, é necessário a introdu- Nem sequer da sua maldade tem consciência quanto mais da
meio para fomentar os valores
U.E., como nos outros países saúde. ção do nutricionismo na ins- sua insignificância face às energias do Universo.
éticos, a paz, a fraternidade e
europeus e nos restantes Sobre este assunto, poderão trução e, entre ele, os ideais Será que errei em escapar a este preceito medonho do
a melhoria da capacidade
continentes. ler mais dados no nosso do vegetarianismo. Homem? É disto que tenho de sentir culpa? Se for, rendo-me
intelectual.
Começar por esta base já trabalho, Mozart, esse descon- (continua) à pena de morte porque, desta maneira cruel, eu não vivo.
Albert Einstein defendeu
22 2011.04.26 SOCIED ADE
SOCIEDADE

FINALMENTE... FIGUEIRÓ DOS VINHOS TEM ORGANIZAÇÃO DE CASA DO CANTO

CLINICA VETERINÁRIA QUIM BARREIROS NO


Com uma equipa de CENTRO NEGÓCIOS
três médicos
veterinários, abriu
recentemente em
Figueiró dos Vinhos
uma Clinica
Veterinária, situada na
Avenida José Malhoa -
mesmo a seguir à sede
da Filarmónica
Figueiroense.
Segundo nota enviada à
imprensa, a Vetfigueiró é
uma jovem empresa sedi-
ada no concelho de Fi-
gueiró dos Vinhos, cuja
principal actividade baseia-
se na prestação de serviços
veterinários. Esta empresa
surgiu com o objectivo de
colmatar a falta de apoio
médico veterinário neste
concelho, apostando num efectuar os melhores cuida- são importantes para o tares de diagnóstico, entre
serviço diário evitando que dos aos seus animais. bem-estar dos nossos ani- outros, bem como outros
a maioria da população Sabemos que a actual mais. É aqui que surge a pequenos conselhos que
tivesse que esperar pelo conjuntura económica, em Vetfigueiró, de forma a que aquando da deslocação
final do dia para poder nada é favorável ao nosso a população de Figueiró dos clientes à Vetfigueiró, Realiza-se no próximo dia 21 de Maio, a partir das 21h30,
socorrer os seus animais, país e que muitas vezes, o dos Vinhos e concelhos a sua equipa de veteriná- no Centro de Negocios de Ansião (Camporês) um Concerto
ou então, deslocar-se até dinheiro torna-se escasso limitrofes sinta-se apoiada! rios fornecerá. Solidárioa a favor do Centro de Acolhimento Temporário
distâncias bastante para suportar as despesas Uma correcta vacinação Para tal, não deixe de con- “Casa do Canto”, de Chão de Couce.
consideráveis. diárias, contudo devemos e desparasitação são servi- tactar-nos, 24 horas, atra- Este concerto solidário com o artista QUIM BARREI-
Desta forma, a Vetfiguei- ter em conta que, os nossos ços básicos essenciais vés do número 924142777, ROS, inicia-se com a actuação da Tuna Real Fortuna. Para
ró proporciona aos seus animais de estimação são para a saúde dos animais. ou então pessoalmente, na terminar a noite haverá um Baile com a Banda Kremlin.
clientes um vasto leque de um bem precioso que temos Para além destes serviços, Avenida José Malhoa, n.º A venda de bilhetes vai ser feita pela própria instituição
serviços, tentando abran- e que devemos proporci- a Vetfigueiró disponibiliza, 1 em Figueiró dos Vinhos na Casa do Canto e na Junta de Freguesia de Chão de
ger todo o tipo de animais, onar-lhes uma vida o mais ainda, consultas de medici- (avenida do tribunal e das Couce. Os bilhetes para o concerto são de 10,00 Euros.
desde o coelho até ao cava- longínqua possível. Desta na geral e de especialida- escolas), das 10 às 13 horas O Centro de Acolhimento Temporário “Casa do Canto”
lo, apostando numa equipa forma, existem alguns des, nomeadamente, oftal- e das 15 às 20 horas, de de Chão de Couce desenvole a sua actividade nos
de três médicos veteriná- cuidados, os quais não se mologia, pequenas cirur- segunda a sexta-feira, e aos domínios da protecção e defesa dos direitos da criança e
rios sempre prontos para deve pensar em adiar, pois gias, exames complemen- sábados das 10 às 13 horas. da família.

NA BIBLIOTECA MUNICIPAL DE MIRANDA DO CORVO


UM NOVO OLHAR SOBRE MALHOA | À LUZ DE UMA EXPOSIÇÃO EM VIAGEM
Realizou-se, no dia 9 de Abril, Sábado, às facto, o pintor, que nasceu nas Caldas da
17h30, na Biblioteca Municipal de Miranda Rainha, escolheu Figueiró dos Vinhos para
do Corvo, a abertura da exposição José Mal- residência e aí decidiu realizar as suas obras
hoa – Com a Arte na Alma, de Miguel Portela mais significativas, dando corpo ao estilo
e Margarida Herdade Lucas, que continuará único que o consagrou.
patente ao público até ao dia 7 de Maio. Continua assim, esta exposição a divulgar
Pelas suas características de itinerância, o pintor que provocou um novo olhar sobre
esta exposição percorreu vários muícipios em a arte do seu tempo, ao conquistar os salões
torno da região de Figueiró dos vinhos. de pintura de Paris, com os rostos e a luz do
Depois de ter sido realizada, com o mesmo seu “Figueiró das cores”, como ele próprio
título, uma exposição congénere em Ansião, dizia.
viajou até Oleiros, Sertã, Pedrógão Grande, Os seus quadros iluminam muitas salas
Pampilhosa da Serra, Proença-a-Nova, de museus, no país e no estrangeiro. Consti-
Penela, Castanheira de Pêra, Alvaiázere, tuem também a visão do artista do centro de
Ourém e também nas Caldas da Rainha. De Portugal. Para ler a vida nas cores e na luz.
COLABORAÇÕES 2011.04.26
23
Que na próxima Sexta-feira Santa, Se os beijos dão saúde Um dia nesta cidade

DIA 13 DE ABRIL, DIA MUNDIAL DO BEIJO

A PABLO NERUDA
PÁSCOA

Pilatos não leve de novo as suas mãos. É um negócio a pensar Gritou alto a mocidade!
Que sejam mais unidos os cristãos, Devia haver na farmácia Viva a liberdade!
E que César não tenha tanta garganta. Beijinhos para comprar
É claro q comprados Esta rua não é muda!
Tenta camuflar a Páscoa não adianta, Mora cá Pablo Neruda...
Ela deve chegar até a todos os pagãos. não tem o mesmo sabor
E todos os que tiveram seus espíritos sãos, é o mesmo que serem dados
através do computador Corre, pula, salta, avança...
Verão porque é que Cristo os espanta!
O sonho de ser criança.
Com os olhos eu te beijo
Semeemos na Páscoa belas rosas, E com a boca te chamo
E que as mulheres todas que são formosas, Todas brincam sem maldade!
Com os lábios eu te beijo
Imitem nossa Senhora aos pés da cruz. Com o coração eu te amo
Viva a diversidade!...

Quero com isto dizer que sejam grandiosas, O beijo dado na boca É cantando e rindo que vamos
Perante as dificuldades tão estrondosas, é dado com emoção progredindo!
Que fazem seus filhos semelhantes a Jesus! Não fica a marca na boca Falta cá o Saramago!
Mas fica no coração
lábios sábio são fadados Ninguem pode ficar calado!
DE POESIA

para incendiar desejos


De CRISTO a vida se sente! e deixam nos beijos dados
“A QUARESMA E A PÁSCOA”

por Traidores lá longe, a vós... Vontade de novos beijos


Alcides
Tampos que o bom Crente
Martins Beijo na testa é respeito
Traz em si, e põe em nós!
beijo no rosto é carinho - Miguel Portela
Beijo no queixo é vontade - In livro do autor:
Chegada a Semana SANTA, “Jamais”
Como é pura a Sanidade DE subir mais um pouquinho
Que a fé em JESUS levanta, Estudos indicam que o beijo
Crescendo na Cristandade! Quando dado de coraçaõ
Além de matar o desejo
Depois do drama na Cruz, ajuda a combater a depressão

POESIA COM HUMOR


O CRISTO a subir aos CÉUS
E S P E TO

Para confirmar que JESUS Beijo é algo que faz parte


É CRISTO-REI e nosso DEUS! da história da humanidade
Há vário relatos sobre ele
Aleluias canta mundo Seja de amor ou amizade CAMÕES RESSUSCITADO...
Pela PÁSCOA de Alegria
Unindo-nos tão profundo,
DEUS PAI, JESUS e MARIA!
Se há gestos de louvar
Digo com toda a franqueza À rasca ...
Com JESUS, o grande Dia!
não devemos duvidar
É o “beijo” de certeza espalharei por toda a parte
E com DEUS me comovo Dá-se beijos na esposa
I
O Milagre de SANTA LUSIA! E a esposa no marido As sarnas de barões todos inchados
CRISTO e LÁZARO, de novo! Apostar a dar mais beijos Eleitos pela plebe lusitana
Evita o antidepressivo Que agora se encontram instalados
Estou na luta, trabalho Fazendo o que lhes dá na real gana.
Que JESUS me inspirou! Há o beijo da doçura Nos seus poleiros bem engalanados,
Eu chorando “nada valho” Há o beijo da amizade Mais do que permite a decência humana,
Vou rezando, aqui estou! também há o da ternura
Olvidam-se de quanto proclamaram
E o da fraternidade
Manuel Marques Garcia
Nas campanhas com que nos enganaram!
Caparito-Figueiró dos Vinhos Termino com um beijinho II
02/03/2011 E não me levem a mal E também as jogadas habilidosas
Que envio com carinho Daqueles tais que foram dilatando
para os leitores deste jornal Contas bancárias ignominiosas,

Dia da Mãe Do Minho ao Algarve tudo devastando,


Guardam para si as coisas valiosas.
Mãe que cresceu sonhando amor Desprezam quem de fome vai chorando!
e com amor foste Mãe Gritando levarei, se tiver arte,
a Mãe p´ra sempre adorada Esta falta de vergonha a toda a parte!
a Mãe que tudo perdoa III
que chora quando encantada Clarinda
Henriques Falam da crise grega todo o ano!
e ri se alguém a magoa E das aflições que à Europa deram;
a Mãe que branca estremece
Calam-se aqueles que, por engano,
quando um filho perigo corre
Votaram no refugo que elegeram!
que adoece, se adoece
e morre se o filho morre Que a mim mete-me nojo o peito ufano
e vibra se ele è feliz De crápulas que só enriqueceram
e reza p´ra agradecer Com a prática de trafulhice tanta
no dia que outro petiz Que andarem à solta só me espanta.
è novo ser do seu ser IV
e veste o melhor que tem E vós, ninfas da Ria onde eu nado,
e vai aos pés do altar Por quem sempre senti carinho ardente,
a avó que já foi Mãe com o neto a batizar Não me deixeis agora abandonado
e quando o nome lhe é dado E concedei engenho à minha mente,
e dada a bênção de Deus De modo a que possa, convosco ao lado,
ela diz, muito obrigado, Desmascarar de forma eloquente
levando os olhos aos Céus. Aqueles que já têm no seu gene
(Rui Paula Santos) A besta horrível do poder perene!
Autor desconhecido
26 ABRIL
2011 última página
DIA 8 DE MAIO, EM CASTANHEIRA DE PERA

1º AQUABIKE PRAIA DAS ROCAS


PARA ONDE cambistas sentados ás
bancas. Fez então um
VAMOS? chicote de cordas, e
expulsou-os a todos, do
A confusão é tão grande por templo com as ovelhas e os
este país fora que confunde bois; deitou por terra o
e entristece um povo dinheiro dos cambistas e
generoso que engole tudo o derrubou-lhes as mesas; e
que lhe “vendem” e não disse aos que vendiam
percebeu ainda a palavra de pombas: «Tirai tudo isto
ordem do cântico da daqui: não façais da casa de
liberdade tão cantado no 25 meu Pai casa de
de Abril: “o povo é quem comércio.»”
mais ordena”.
De chicote na mão, Cristo
Infelizmente este povo não hesitou: deitou por terra
pacifico e de grande o dinheiro dos cambistas e
coragem deixou entrar no derrubou-lhes as mesas.
“templo” da politica todos os
Não reza a história que
vendilhões, todo o clero sem
Cristo fosse violento, mas
alma, toda a nobreza sem
tudo tem um limite.
honra e todos os que, sendo
do povo, se venderam por Estão a emporcalhar o
trinta dinheiros – politiqueiros templo da política, estão a A Prazilândia Turismo e Ambiente, ção e divertimento situado num lago com quase 1 km de
de ralé. vender a Pátria e calamo- E.E.M. em conjunto com a Federação de extensão, bem no coração de Castanheira de Pera e que
nos. Triatlo Portugal realizará, no próximo dia inclui a maior piscina de ondas do país.
O “templo” está invadido 8 de Maio de 2011, a primeira prova a O segmento de natação (750 metros) arranca junto ao
pelos que se candidatam a Não defendo a violência, nível nacional de Aquabike, prova paredão e depois de 500 metros de natação os atletas saem
lugares para, se servirem e mas estamos a ser pontuável para o Circuito Nacional da água para correr 20 metros e entrarem na piscina de
não para servir o povo que escarnecidos por países que Aquabike, uma competição num formato ondas e ali cumprirem os cerca de 200 metros até ao final.
inovador (Natação + Ciclismo) que O segmento de BTT será disputado em linha numa
dizem amar e a pátria que não tem a nossa História;
certamente será do agradado dos amantes extensão de 17Km, sempre em terra batida. Este segundo
afirmam defender. será que esta geração não dos grandes desafios. segmento da prova vai certamente marcar os participantes:
sabe o que é patriotismo? A primeira das três provas deste novo por um lado, pela beleza da paisagem e, por outro, pelo
Neste período da paixão de
circuito realiza-se no próximo dia 8 de enorme desafio físico que vai constituir, onde só os mais
Cristo; com todo o respeito, Será que não há vergonha na
Maio (domingo) em Castanheira de Pera resistentes conseguem chegar ao Poços do Santo António
vale a pena comparar e cara quando estrangeiros e será composta de um percurso de da Neve, a 1200m de altitude.
recordar o evangelho de S. vem mandar com as armas natação com 750 metros de extensão e de O Aquabike vai colocar à prova a capacidade atlética
Lucas. do Deus Capital que um segmento de BTT que levará os dos triatletas nacionais, sobretudo no segmento de
escraviza mais que as armas atletas a escalar desde os 450 metros da ciclismo. O Circuito Nacional de Aquabike 2011 vai arrancar
“Estava próxima a Páscoa Praia das Rocas até aos 1200 metros do em Castanheira de Pera, passando depois por Marvão (em
de fogo?
dos judeus, e Jesus subiu a Santo António da Neve/Serra da Lousã. 31 de Julho) e Raiva (7 de Agosto).
Jerusalém. Encontrou no Se não tem coragem, Esta 1º Prova de Aquabike irá pro- O denominador comum às três provas nacionais é o
templo os vendedores de aconselho a cantarem o porcionar a todos um evento inesquecí- formato Natação + Ciclismo, sendo este último segmento
bois, ovelhas e pombas, e os “Hino Nacional” todos os dias! vel, que terá a partida instalada na Praia cumprido em rampa, ou seja, terminando num ponto
das Rocas, um complexo de lazer, anima- significativamente mais alto que o ponto de partida.

restaurante
Restaurante “VARANDA DO
CASAL”, em CASAL S. SIMÃO

PANORAMA
PANORAMATUR - RESTAURAÇÃO E TURISMO, LDA.
Tel. 236 552 115/552260 - Fax 236 552887 * 3260-427 FIG.dos VINHOS

- “Varanda do Casal” - Casal S. Simão


e ainda - ESPL ANADA
ESPLANADA /BAR
ANADA/BAR JARDIM
- PRAIA FLUVIAL DAS FRAGAS DE S. SIMÃO - BAR DO CINEMA

Interesses relacionados