Você está na página 1de 4

DNA- extração

Objetivos da experimentação
-Conhecer como se dá o procedimento de extração do DNA.

-Identificar o local onde o DNA é encontrado.

Materiais utilizados:

- 1/3 de banana e/ou 01 morango e/ou ¼ de cebola grande; -01 faca de cozinha; -01 copo de
Becker ou potinho graduado; -01 coador de chá; -01 pilão; -02 tubos de 50 mL com tampa; -
01 colher de chá; -01 potinho dosador; -01 pote plástico grande para manter o álcool gelado; -
gelo; -água quente (60°C); -01 pano de limpeza; -20 mL de álcool etílico 90° gelado (a
temperatura de 10°C); -10 mL de solução de lise (água+ detergente + sal de cozinha).

Procedimento:

- Retirar a casca da cebola e cortá-la em pedaços bem pequenos. No caso da banana fazer o
mesmo. Quanto ao morango retirar apenas as folhas do ápice e cortar em pedaços; -Macerar
os pedaços com auxílio do pilão até formar uma pasta. Se necessário acrescentar o mínimo de
água; -Com o auxílio da colher, colocar o macerado na peneira apoiada sobre o potinho
dosador e pressionar a malha, de modo a peneirar o material; -Usar o potinho graduado para
colocar 10 mL de solução lise no tubo de 50 mL e adicionar em seguida ao mesmo tubo 10
mL do caldo peneirado; -Tampar o tubo e movimentá-lo suavemente, evitando a formação de
espuma, até que o caldo se misture com a solução lise; -Colocar o tubo na vasilha com água
fervendo e deixar em banho- maria por 15 min. Em uma única vasilha, deverão ser colocados
os tubos de todos os grupos (banana, morango e cebola); - Retirar os tubos da água quente e
adicionar lentamente, com o auxílio do potinho graduado, 20 mL de álcool etílico gelado,
deixando escorrer pela parede do tubo; -Observar o aparecimento do aglomerado de DNA
como uma nuvem branca na fase alcoólica. Caso ainda não seja possível a visualização,
misture delicadamente a amostra e aguarde 5 minutos; -Com o auxílio da colher de chá, retirar
o aglomerado filamentoso de DNA da solução.
As experiências devem ser realizadas com frequência

Os alunos devem aprender a manunsear rapidamente os a aparelhos;

• Os alunos não devem realizar experiências com substâncias venenosas ou explosivas;

A prática das experiencias dos alunos no laboratório permite o melhor aprendizado e


retenção de conteúdos por parte dos alunos isto é contribui para estimular e despertar o
interesse dos mesmos na aprendizagem.
O professor tem de planificar as experiências dos alunos considerando todas as funções didácticas
(etapas pedagógicas da aula).

1. Motivar e despertar a atenção dos alunos; 2. Desenvolver a capacidade de trabalhar em grupo; 3.


Desenvolver a iniciativa pessoal e a tomada de decisão; 4. Estimular a criatividade; 5. Aprimorar a
capacidade de observação e registro de informações; 6. Aprender a analisar dados e propor
hipóteses para os fenômenos; 7. Aprender conceitos científicos; 8. Detectar e corrigir erros
conceituais dos alunos; 9. Compreender a natureza da ciência e o papel do cientista em uma
investigação; 10.Compreender as relações entre ciência, tecnologia e sociedade; 11.Aprimorar
habilidades manipulativas (Oliveira, 2010, p.141-146)

As experiências devem ser realizadas com frequência


Os alunos devem aprender a manunsear rapidamente os a aparelhos;
 Os alunos não devem realizar experiências com substâncias venenosas ou explosivas
1

experiência no processo de ensino-aprendizagem de Biologia., as actividades experimentais devem


ser garantidas de maneira a evitar que a relação teoria-prática seja transformada numa dicotomia. As
experiências dispertam em geral um grande interesse nos alunos além de propiciar uma situação de
investigação. No entanto, não é suficiente usar laboratório ou fazer experiências , podendo mesmo
esta prática vir a reforçar o carácter autoritário e dogmático do ensino de ciências

a desvantagens da realização da experiência de demonstração são Exige mais tempo Exige grupos


reduzidos e Necessita de material pedagógico
é recomendável que o professor aplique experiências demontrativas 
As experiências devem ser realizadas com frequência
Os alunos devem aprender a manunsear rapidamente os a aparelhos;
 Os alunos não devem realizar experiências com substâncias venenosas ou explosivas
 
Falta de laboratório nas escolas.
 A deficiência dos laboratórios, traduzida na ausência de materiais e reagentes, etc.
A inadequação dos espaços disponibilizados para aulas experimentais, que muitas vezes são
salas comuns que não contam com instalações mínimas de água, gás, electricidade, etc.
Efeito do calor nas vitaminas

Materiais

 Frutas cítricas (laranjas, limões, etc.)


 1 colher de sopa de amido de milho (amido de milho)
 Iodo
 Água
 2 recipientes de vidro
 Bico de Bunsen (ou fogão)
 Pipeta (ou conta-gotas)
 Vários tubos de ensaio com prateleira
 Luvas resistentes ao calor
 Uma folha branca de papel
 Lápis
 Blog de anotações

1Misture a colher de sopa de amido de milho com um pequeno volume de água, misture para
formar uma pasta.

2-Adicione 250 ml de água e deixe ferver por cerca de 5 minutos.

3-Com a pipeta, adicione 10 gotas da solução fervida a 75 ml de água.

4-Adicione o iodo à mistura até que fique uma cor roxa escura.

A planificação da actividade expermental do docente tem constituído hoje, um assunto muito debatido
nos espaços educativos, visando sobretudo chamar a atenção dos professores para a necessidade de
planificarem as suas aulas pratica, como garantia do sucesso de todo o processo educativo.

Você também pode gostar