Você está na página 1de 15

Machine Translated by Google

CONSTITUIÇÃO DA BÓSNIA E HERZEGOVINA1


tradução bósnio

PREÂMBULO

Baseando-se no respeito pela dignidade humana, liberdade e igualdade,

Comprometidos com a paz, a justiça, a tolerância e a reconciliação,

Convencidos de que as autoridades democráticas e os procedimentos justos criam melhor relações pacíficas dentro
de uma sociedade pluralista,

Desejando promover o bem-estar geral e o desenvolvimento econômico através da proteção da propriedade privada e
da melhoria da economia de mercado,

Guiados pelos objetivos e princípios da Carta das Nações Unidas,

Comprometida com a soberania, integridade territorial e independência política da Bósnia e Herzegovina de acordo
com o direito internacional,

Determinado a assegurar o pleno respeito ao Direito Internacional Humanitário,

Inspirado na Declaração Universal dos Direitos Humanos, nos Pactos Internacionais sobre Direitos Civis e Políticos e
Direitos Econômicos, Sociais e Culturais, e
Declaração sobre os Direitos das Pessoas Pertencentes a Minorias Nacionais ou Étnicas, Religiosas e Linguísticas,
bem como Outros Instrumentos de Direitos Humanos,

Recordando os Princípios Básicos acordados em Genebra a 8 de Setembro de 1995 e em Nova Iorque a 26 de


Setembro de 1995, os bósnios, croatas e sérvios, enquanto povos constituintes (juntamente com outros), e os cidadãos
da Bósnia e Herzegovina estabelecem a Constituição. :

Artigo I
Bósnia e Herzegovina

1. Continuidade

A República da Bósnia e Herzegovina, cujo nome oficial é agora "Bósnia e Herzegovina", continua a sua existência
legal sob o direito internacional como Estado, com uma estrutura interna modificada por esta Constituição e com
fronteiras existentes internacionalmente reconhecidas.
Continua a ser um Estado Membro das Nações Unidas e pode, como a Bósnia e Herzegovina, manter a adesão ou
solicitar a admissão em organizações do sistema das Nações Unidas, bem como em outras organizações internacionais.

1
Constituição da Bósnia e Herzegovina. Sarajevo. OHR, Gabinete do Alto Representante
Machine Translated by Google

2. Princípios democráticos

A Bósnia-Herzegovina é um Estado democrático que funciona de acordo com a lei e em


a base de eleições livres e democráticas.

3. Composição

A Bósnia e Herzegovina é composta por duas entidades: a Federação da Bósnia e Herzegovina e a República
ke Srpske (doravante "entidades").

4. Movimento de mercadorias, serviços, capitais e pessoas

Existe liberdade de circulação em toda a Bósnia e Herzegovina. A Bósnia-Herzegovina e as Entidades não


devem impedir a plena liberdade de circulação de pessoas, bens, serviços e capitais em toda a Bósnia-Herzegovina.
A entidade não exercerá nenhum controle na fronteira entre as entidades.

5. Capitais

A capital da Bósnia e Herzegovina é Sarajevo.

6. Símbolos

A Bósnia-Herzegovina terá os símbolos que são determinados pela Assembleia Parlamentar e confirmados
pela Presidência.

7. Cidadania

Existe a cidadania da Bósnia e Herzegovina, regulamentada pela Assembleia Parlamentar, e o Estado


titularidade de cada entidade regulada pelas próprias entidades, desde que:

a) Todos os cidadãos de qualquer entidade são, portanto, cidadãos da Bósnia e Herzegovina.

b) Nenhuma pessoa pode ser arbitrariamente privada da cidadania da Bósnia e Herzegovina, ou da cidadania
das Entidades, ou de outra forma apátrida. Ninguém pode ser privado da nacionalidade da Bósnia e Herzegovina,
ou das Entidades, por qualquer motivo como sexo, raça, cor, língua, religião, opinião política ou de outra natureza,
origem nacional ou social, filiação a uma minoria nacional, propriedade , nascimento ou qualquer outra
nacionalidade. que outro status.

c) Todas as pessoas que eram cidadãos da República da Bósnia e Herzegovina, imediatamente antes da
entrada em vigor da presente Constituição, são cidadãos da Bósnia e Herzegovina. Cidadania de pessoas
naturalizadas após 6 de abril de 1992. ano, e antes da entrada em vigor desta Constituição, será regulamentada
pela Assembleia Parlamentar.

d) Os cidadãos da Bósnia-Herzegovina podem ter a nacionalidade de outro Estado, desde que exista um
acordo bilateral entre a Bósnia-Herzegovina e aquele Estado que rege a matéria, aprovado pela Assembleia
Parlamentar nos termos do artigo IV, n.º 4, alínea ). As pessoas com dupla cidadania podem votar na Bósnia e
Herzegovina e nas entidades apenas se a Bósnia e Herzegovina for o seu país de residência.
Machine Translated by Google

e) Um cidadão da Bósnia e Herzegovina goza da proteção da Bósnia e Herzegovina no exterior. Cada entidade pode emitir
passaportes da Bósnia e Herzegovina aos seus cidadãos, na forma regulamentada pela Assembleia Parlamentar. A Bósnia e
Herzegovina pode emitir passaportes para os cidadãos cujos passaportes não tenham sido emitidos pelas Entidades. Será
estabelecido um registo central de todos os passaportes emitidos pelas entidades e pela Bósnia e Herzegovina.

Artigo II

Direitos humanos e liberdades fundamentais

1. Direitos humanos

A Bósnia-Herzegovina e ambas as entidades garantirão o mais alto nível de direitos humanos e liberdades fundamentais
reconhecidos internacionalmente. Para o efeito, existe uma Comissão de Direitos Humanos para a Bósnia-Herzegovina, conforme
previsto no Anexo 6 do Acordo-Quadro Geral.

2. Padrões internacionais

Os direitos e liberdades previstos na Convenção Europeia para a Protecção dos Direitos do Homem e das Liberdades
Fundamentais e respectivos protocolos são directamente aplicáveis na Bósnia-Herzegovina. Esses atos têm precedência sobre todas
as outras leis.

3. Catálogo de Leis

Todas as pessoas no território da Bósnia e Herzegovina gozam dos direitos humanos e liberdades referidos no n.º 2 do presente
membro, que inclui:

a) O direito à vida.

b) O direito de uma pessoa a não ser submetida a tortura nem a penas ou tratamentos desumanos ou degradantes.

c) O direito de uma pessoa não ser mantida em escravidão ou servidão, nem em trabalho forçado ou obrigatório.

e) O direito à liberdade e segurança pessoal.

e) O direito a um julgamento justo em matéria civil e penal e outros direitos relacionados com
procedimentos criminais.

f) O direito à vida privada e familiar, ao domicílio e à correspondência.

g) Liberdade de pensamento, consciência e religião.

h) Liberdade de expressão.

i) Liberdade de reunião pacífica e liberdade de associação com outros.

j) O direito de casar e constituir família.


Machine Translated by Google

k) Direito de propriedade.

l) O direito à educação.

m) O direito à livre circulação e residência.

4. Não discriminação

O gozo dos direitos e liberdades previstos neste artigo ou nos acordos internacionais enumerados no Anexo I à
presente Constituição será garantido a todas as pessoas na Bósnia e Herzegovina, sem discriminação por motivos de
sexo, raça, cor, língua, religião , opinião política ou outra, origem nacional ou social, filiação a uma minoria nacional,
propriedade, nascimento ou outra condição.

5. Refugiados e pessoas deslocadas

Todos os refugiados e deslocados têm o direito de regressar livremente às suas casas. Eles têm o direito, de acordo
com o Anexo 7 do Acordo-Quadro Geral, de devolver a eles os bens dos quais foram privados durante as hostilidades
desde 1991 e de receber indenização por todos esses bens, que não podem ser devolvidos a eles. Quaisquer obrigações
ou declarações relacionadas a tal propriedade, feitas sob coação, são nulas.

6. Implementação

A Bósnia-Herzegovina e todos os tribunais, instituições, autoridades e órgãos indiretamente administrados pelas


Entidades ou que operam dentro das Entidades estão sujeitos ou exercem os direitos humanos e liberdades fundamentais
estabelecidos no parágrafo 2.

7. Acordos internacionais

A Bósnia e Herzegovina permanecerá ou tornar-se-á Parte nos acordos internacionais enumerados no Anexo I da
presente Constituição.

8. Cooperação

Todas as autoridades competentes da Bósnia-Herzegovina devem cooperar e assegurar o acesso irrestrito a: todos
os mecanismos internacionais de monitorização dos direitos humanos estabelecidos para a Bósnia-Herzegovina; órgãos
de supervisão estabelecidos por qualquer acordo internacional listado no Anexo I desta Constituição; O Tribunal
Internacional para a ex-Iugoslávia (e, em particular, cumprirá as ordens emitidas nos termos do artigo 29 do Estatuto do
Tribunal); e qualquer outra organização autorizada pelo Conselho de Segurança das Nações Unidas com mandato
relacionado a direitos humanos ou direito humanitário.

Artigo III
Competências e relações entre as instituições da Bósnia e Herzegovina e as entidades

1. Competências das instituições da Bósnia e Herzegovina

As seguintes questões são da competência das instituições da Bósnia-Herzegovina:


Machine Translated by Google

a) Política externa.

b) Política de comércio exterior.

c) Política aduaneira.

d) Política monetária, conforme previsto no artigo VII.

e) Financiamento de instituições e obrigações internacionais da Bósnia e Herzegovina.

f) Política e regulamentação de questões de imigração, refugiados e asilo.

d) Implementação do direito penal internacional e interentidades, incluindo


relações com a Interpol.

h) Estabelecimento e funcionamento de meios de comunicação comuns e internacionais.

i) Regulamentação do transporte entre entidades.

j) Controle de tráfego aéreo.

2. Competências das entidades

a) As Entidades têm o direito de estabelecer relações paralelas especiais com Estados vizinhos,
em conformidade com a soberania e integridade territorial da Bósnia e Herzegovina.

b) Cada entidade prestará toda a assistência necessária ao Governo da Bósnia e Herzegovina para lhe permitir
cumprir as obrigações internacionais da Bósnia e Herzegovina, desde que as obrigações financeiras contraídas por
uma entidade sem o consentimento da outra e da Herzegovina continuem a ser a obrigação dessa entidade, a menos
que essa obrigação seja necessária para a continuação da adesão da Bósnia-Herzegovina a uma organização
internacional.

c) As Entidades devem reunir todas as condições para a segurança jurídica e proteção das pessoas sob sua
jurisdição, a manutenção de órgãos civis de aplicação da lei, operando de acordo com padrões internacionalmente
reconhecidos, respeitando os direitos humanos e liberdades fundamentais internacionalmente reconhecidos, referidos
no artigo II . desta Constituição, e tomando outras medidas apropriadas.

d) Qualquer entidade pode também celebrar acordos com Estados e organizações internacionais com o
consentimento da Assembleia Parlamentar. A Assembleia Parlamentar pode prever por lei que tal consentimento
não seja necessário para certos tipos de acordos.

3. Ordem jurídica e competências das instituições

a) Todas as funções e poderes do governo que não sejam explicitamente confiados a esta instituição por esta Constituição
A Bósnia e Herzegovina pertencem às entidades.

b) As Entidades e todas as suas unidades administrativas devem cumprir integralmente a presente Constituição,
que revoga as disposições legais da Bósnia-Herzegovina e as disposições constitucionais e legais
Machine Translated by Google

disposições das entidades que não concordam com ela, bem como a decisão das instituições da Bósnia e Herzegovina. Os
princípios gerais do direito internacional são parte integrante da ordem jurídica da Bósnia-Herzegovina e das entidades.

4. Coordenação

A Presidência pode decidir encorajar a coordenação interentidades em matérias que não sejam da competência da Bósnia-
Herzegovina prevista na presente Constituição, salvo se, num caso específico, uma entidade se opuser.

5. Competências adicionais

a) A Bósnia e Herzegovina assumirá jurisdição nas matérias que venham a ser acordadas pelas Entidades; matérias
previstas nos Anexos 5 a 8 do Acordo-Quadro Geral; ou que sejam necessários para a preservação da soberania, integridade
territorial, independência política e subjetividade internacional da Bósnia e Herzegovina, de acordo com a divisão de
competências entre as instituições da Bósnia e Herzegovina. Instituições adicionais podem ser estabelecidas conforme
necessário para exercer essas responsabilidades.

b) No prazo de 6 meses a contar da entrada em vigor da presente Constituição, as Entidades encetarão negociações com
vista à inclusão de outras questões da competência das instituições da Bósnia-Herzegovina, incluindo a utilização de fontes de
energia e projetos.

Artigo IV

Assembleia Parlamentar

A Assembleia Parlamentar tem duas casas: a Câmara dos Povos e a Câmara dos Representantes.

1. Casa do Povo

A Câmara dos Povos é composta por 15 delegados, dois terços da Federação (incluindo cinco croatas e cinco bósnios) e
um terço da Republika Srpska (cinco sérvios).

a) Os delegados croatas ou bósnios nomeados da Federação serão eleitos pelos delegados croatas ou bósnios na Câmara
dos Povos da Federação. Os delegados da Republika Srpska são eleitos pela Assembleia Nacional da Republika Srpska.

b) Nove membros da Câmara dos Povos constituirão um quórum, desde que pelo menos três estejam presentes
bósnio, três delegados croatas e três sérvios.

2. Câmara dos Deputados

A Câmara dos Representantes é composta por 42 membros, dois terços dos quais são eleitos do território da Federação e
um terço do território da Republika Srpska.

a) Os membros da Câmara dos Deputados são eleitos directamente da sua entidade, nos termos de lei eleitoral a aprovar
pela Assembleia Parlamentar. No entanto, as primeiras eleições serão realizadas de acordo com o Anexo 3 do Acordo-Quadro
Geral.

b) A maioria de todos os membros eleitos para a Câmara dos Representantes constituirá o quórum.
Machine Translated by Google

3. Procedimento

a) Ambas as casas serão convocadas em Sarajevo, o mais tardar 30 dias após a sua eleição.

b) Cada Câmara adoptará, por maioria de votos, o seu regulamento interno e elegerá de entre os seus
membros um sérvio, um bósnio e um croata como presidente e vice-presidente, sendo a presidência rotativa
entre estas três pessoas.

c) Todas as decisões legislativas devem ser aprovadas por ambas as casas.

d) Todas as decisões em ambas as casas são tomadas por maioria de votos dos presentes e votantes. Os
delegados e membros envidarão todos os esforços para que a maioria inclua pelo menos um terço dos votos
dos delegados ou membros do território de cada entidade. Se a maioria não incluir um terço dos votos dos
delegados ou membros do território de cada entidade, o presidente e os seus suplentes devem, em comissão,
procurar chegar a acordo no prazo de três dias a contar da votação.
Se esses esforços falharem, as decisões serão tomadas por maioria dos presentes e votantes, desde que os
votos contra não incluam dois terços ou mais dos delegados ou membros eleitos de cada entidade.

e) A decisão proposta da Assembleia Parlamentar pode ser declarada destrutiva no interesse vital do povo
bósnio, croata ou sérvio por maioria de votos dos delegados bósnios, croatas ou sérvios eleitos de acordo com
o parágrafo 1 (a). Tal decisão exigirá o consentimento da Câmara dos Povos, votada pela maioria dos bósnios,
maioria dos croatas e maioria dos delegados sérvios presentes e votantes.

f) Quando a maioria dos delegados bósnios, croatas ou sérvios se opuser à referência à alínea (e), o
Presidente da Câmara dos Povos convocará imediatamente uma Comissão Mista composta por três delegados,
cada um eleito entre os bósnios, croatas e sérvios delegados, a fim de resolver essa questão. Se a Comissão
não o fizer no prazo de cinco dias, o caso é remetido ao Tribunal Constitucional, que analisará com urgência a
regularidade processual do caso.

d) A Câmara dos Povos pode ser dissolvida por decisão da Presidência ou da própria Câmara, desde que a
decisão da Câmara sobre a dissolução seja tomada por maioria que inclua a maioria dos delegados de pelo
menos dois povos, bósnios, croatas ou Sérvio. A Câmara dos Povos eleita nas primeiras eleições após a entrada
em vigor desta Constituição não pode ser dissolvida.

h) As decisões da Assembleia Parlamentar não entram em vigor antes de serem publicadas.

i) Serão publicadas as atas completas das audiências em ambas as casas, e suas sessões serão públicas,
salvo em situações excepcionais de acordo com o Regimento.

j) Os delegados e membros não podem ser responsabilizados criminal ou civilmente


qualquer acto praticado no exercício das suas funções na Assembleia Parlamentar.

4. Poderes

Compete à Assembleia Parlamentar:


Machine Translated by Google

a) Adopção das leis necessárias à execução das decisões da Presidência ou ao desempenho das funções da
Assembleia ao abrigo desta Constituição.

b) Decidir sobre as fontes e o montante dos fundos para o trabalho das instituições da Bósnia-Herzegovina e para
obrigações internacionais da Bósnia e Herzegovina.

c) Aprovação do orçamento das instituições da Bósnia e Herzegovina.

d) Decidir sobre o consentimento para ratificação do tratado.

e) Outras matérias necessárias ao desempenho das suas funções, ou que lhe sejam atribuídas de comum acordo
das Entidades.

Artigo V
Presidência

A Presidência da Bósnia e Herzegovina é composta por três membros: um bósnio e um croata, cada um eleito
diretamente do território da Federação, e um sérvio, eleito diretamente do território da Republika Srpska.

1. Eleição e mandato

a) Os membros da Presidência são eleitos diretamente em cada entidade, de modo que cada eleitor
votos para preencher um lugar na Presidência), de acordo com a lei eleitoral aprovada pela Assembleia Parlamentar.
No entanto, as primeiras eleições serão realizadas de acordo com o Anexo 3.
Acordo-Quadro Geral. Qualquer vaga na Presidência será preenchida pela entidade competente, nos termos de lei a
aprovar pela Assembleia Parlamentar.

b) O mandato dos membros da Presidência eleitos nas primeiras eleições será de dois anos; o mandato dos
membros eleitos posteriormente será de quatro anos. Os membros da Presidência poderão ser eleitos para mais um
mandato consecutivo, após o qual não poderão ser eleitos para a Presidência antes do término do mandato de quatro
anos.

2. Procedimento

a) A Presidência adoptará o seu regulamento interno que deverá prever um prazo adequado
prazo para o anúncio das sessões da Presidência.

b) Os membros da Presidência designarão de entre si um membro como presidente. No primeiro mandato da


Presidência, o presidente será o membro que obtiver o maior número de votos. A partir de então, a forma de eleição
do Presidente, por rotação ou de outra forma, será determinada pela Assembleia Parlamentar de acordo com o Artigo
IV, parágrafo 3.

c) A Presidência esforçar-se-á por adoptar todas as decisões da Presidência - ou seja, as relativas às questões
decorrentes do artigo V, n.º 3, alíneas a) ae) - por consenso. Tais decisões podem, sujeitas ao parágrafo (d) deste
parágrafo, ser adotadas por dois membros se todas as tentativas de chegar a um consenso falharem.
Machine Translated by Google

d) O membro da Presidência que não concorde com a decisão pode declarar a decisão da Presidência destrutiva dos
interesses vitais das Entidades para o território de que foi eleito, desde que o faça nos três dias seguintes à sua adopção.
Tal decisão será imediatamente enviada à Assembleia Nacional da Republika Srpska, se a declaração for feita por um
membro daquele território; Delegados bósnios à Câmara dos Povos da Federação, se tal declaração foi feita por um
membro bósnio; ou aos delegados croatas no mesmo órgão, se a declaração foi feita por um membro croata. Se tal
proclamação for confirmada por maioria de dois terços no prazo de 10 dias a contar da sua remessa, a decisão
impugnada da Presidência não produz efeitos.

3. Poderes

A Presidência é responsável por:

a) Conduzir a política externa da Bósnia e Herzegovina.

b) Nomeação de Embaixadores e Outros Representantes Internacionais da Bósnia e Herzegovina, de


dos quais um máximo de dois terços podem ser selecionados no território da Federação.

c) Representar a Bósnia-Herzegovina em organizações e instituições internacionais e europeias e pretender ser


membro das organizações e instituições internacionais das quais a Bósnia-Herzegovina não seja membro.

d) Conduzir negociações para a celebração de acordos internacionais da Bósnia e Herzegovina, despedimentos


e, com o consentimento da Assembleia Parlamentar, a ratificação de tais tratados.

e) Execução das decisões da Assembleia Parlamentar.

f) Propor o orçamento anual à Assembleia Parlamentar, com recomendação do Conselho de Ministros.

g) Apresentação do relatório sobre as despesas da Presidência à Assembleia Parlamentar


pedido, mas pelo menos uma vez por ano.

h) Coordenação, conforme apropriado, com organizações internacionais e não governamentais na Bósnia e


Herzegovina.

i) Desempenhar outras atividades que possam ser necessárias para o desempenho de suas funções
suportados pela Assembleia Parlamentar, ou acordados pelas Entidades.

4. Conselho de Ministros

A Presidência designará o Presidente do Conselho de Ministros, que tomará posse com a aprovação da Câmara dos
Deputados. O Presidente nomeará o Ministro das Relações Exteriores, o Ministro do Comércio Exterior e outros Ministros
conforme necessário, que tomarão posse com a aprovação da Câmara dos Deputados.

a) Os Presidentes e Ministros formarão conjuntamente o Conselho de Ministros e serão responsáveis pela


implementação das políticas e decisões da Bósnia e Herzegovina nas áreas especificadas nos parágrafos 1, 4 e 5 do
Artigo III, e reportarão à Assembleia Parlamentar. Bósnia e Herzegovina).
Machine Translated by Google

b) Um máximo de dois terços de todos os ministros podem ser nomeados do território da Federação.
O Presidente também indicará Vice-Ministros (que não serão da mesma população constituinte de seus ministros), que tomarão posse
após aprovação pela Câmara dos Deputados.

c) O Conselho de Ministros demitir-se-á se a Assembleia Parlamentar nele votar desaprovação.

5. Comitê Permanente

a) Cada membro da Presidência deverá, ex officio, servir como comandante civil das forças armadas. Nenhuma entidade pode
ameaçar ou usar a força contra outra entidade e em nenhuma circunstância as forças armadas de uma entidade podem entrar ou
residir no território de outra entidade sem o consentimento do seu governo e da Presidência da Bósnia e Herzegovina. Todas as forças
armadas da Bósnia e Herzegovina funcionarão de acordo com a soberania e a integridade territorial da Bósnia e Herzegovina.

b) Os membros da Presidência elegem uma Comissão Permanente de Assuntos Militares para coordenar as atividades das forças
armadas na Bósnia-Herzegovina. Os membros da Presidência são também membros da Comissão Permanente.

Artigo VI
corte Constitucional

1. Composição

O Tribunal Constitucional da Bósnia e Herzegovina é composto por nove membros.

a) Quatro membros são eleitos pela Câmara dos Representantes da Federação e dois membros pela Assembleia da Republika Srpska.
Os restantes três membros são eleitos pelo Presidente do Tribunal Europeu dos Direitos do Homem após consulta à Presidência.

b) Juízes serão advogados proeminentes de alto nível moral. Qualquer pessoa que preencha tal qualificação e tenha direito a voto
pode ser nomeado juiz do Tribunal Constitucional. Os juízes eleitos pelo Presidente do Tribunal Europeu dos Direitos do Homem não
podem ser cidadãos da Bósnia-Herzegovina ou de qualquer país vizinho.

c) O mandato dos juízes nomeados em primeira convocação é de cinco anos, salvo se renunciarem ou forem devidamente
destituídos por consenso dos demais juízes. Os juízes nomeados em primeira convocação não podem ser reconduzidos. Os juízes
nomeados após a primeira convocação servirão até os 70 anos, salvo se renunciarem ou forem destituídos por motivo de consenso
dos demais juízes.

d) Para as nomeações efectuadas após um período de cinco anos a contar das primeiras nomeações, a Assembleia Parlamentar
pode prever por lei um método diferente de eleição dos três juízes eleitos pelo Presidente do Tribunal Europeu dos Direitos do Homem.

2. Procedimentos

a) A maioria de todos os membros do tribunal constituirá o quórum.


Machine Translated by Google

b) O Tribunal, por maioria de todos os seus membros, adoptará o seu regulamento interno. O tribunal vai realizar
debates, e explicará publicamente e publicará suas decisões.

3. Jurisdição

O Tribunal Constitucional respeitará esta Constituição.

a) O Tribunal Constitucional é o único competente para decidir sobre qualquer litígio que surja ao abrigo do presente
Constituição entre as duas entidades, ou entre a Bósnia e Herzegovina e uma ou ambas as entidades, e entre as
instituições da Bósnia e Herzegovina, incluindo, mas não se limitando a:

- Se a decisão das Entidades de estabelecer uma relação paralela especial com um Estado vizinho está de acordo
com esta Constituição, incluindo as disposições relativas à soberania e integridade territorial da Bósnia e Herzegovina.

- Se alguma disposição da constituição ou lei de uma entidade está de acordo com esta Constituição.

Os litígios podem ser iniciados por um membro da Presidência, o Presidente do Conselho de Ministros, o Presidente,
ou o seu Adjunto, de qualquer Casa da Assembleia Parlamentar; um quarto dos membros/delegados de qualquer casa
da Assembleia Parlamentar, ou um quarto dos membros de qualquer casa do corpo legislativo de uma entidade.

b) O Tribunal Constitucional também terá jurisdição de recurso sobre as matérias contidas na presente Constituição,
quando forem objecto de litígio por sentença de qualquer tribunal da Bósnia-Herzegovina.

c) O Tribunal Constitucional é competente nas questões que lhe sejam submetidas por qualquer tribunal da Bósnia-
Herzegovina para saber se a lei de que depende a sua decisão é compatível com a presente Constituição, a Convenção
Europeia dos Direitos do Homem e das Liberdades Fundamentais e os seus protocolos, ou as leis da Bósnia e
Herzegovina; ou em relação à existência ou existência de uma regra geral de direito internacional público relevante para
a decisão do tribunal.

4. Decisões

As decisões do Tribunal Constitucional são finais e vinculativas.

Artigo VII
Banco Central

O Banco Central da Bósnia e Herzegovina é a única instituição autorizada a imprimir dinheiro e


política monetária em toda a Bósnia e Herzegovina.

1. As competências do Banco Central são determinadas pela Assembleia Parlamentar. No entanto, por um período
de seis anos a partir da entrada em vigor desta Constituição, o Banco Central não poderá conceder empréstimos por
meio da impressão de dinheiro, nem funcionará como comissão de moeda; após esse prazo, a Assembleia Parlamentar
pode delegar essa competência no Banco Central.

2. O primeiro Conselho de Administração do Banco Central será composto pelo Governador nomeado pelo Fundo
Monetário Internacional, após consulta à Presidência, e três membros nomeados pela Presidência, dois da Federação
(um bósnio e um croata, para partilhar um voto) e um da Republika Srpska - todos com mandato de 6 anos. Governador,
que não
Machine Translated by Google

ser cidadão da Bósnia-Herzegovina ou de qualquer estado vizinho, pode ter voto de qualidade em caso de
empate.

3. Após esse período, o Conselho Directivo do Banco Central da Bósnia-Herzegovina é composto por
cinco pessoas nomeadas pela Presidência por um período de 6 anos. O Conselho nomeará um Governador
de entre os seus membros para um mandato de 6 anos.

Artigo VIII
Finança

1. Anualmente, a Assembleia Parlamentar, sob proposta da Presidência, aprova um orçamento para


financiar as despesas necessárias ao exercício das competências das instituições da Bósnia-Herzegovina
e das obrigações internacionais da Bósnia-Herzegovina.

2. Se tal orçamento não for aprovado em tempo hábil, o orçamento do ano anterior será
usado de forma temporária.

3. A Federação fornecerá dois terços e a Republika Srpska um terço das receitas necessárias ao
orçamento, salvo se as receitas forem cobradas na forma determinada pela Assembleia Parlamentar.

Artigo IX
Disposições gerais

1. Nenhuma pessoa cumprindo uma sentença imposta por uma sentença do Tribunal Internacional para
a ex-Iugoslávia, e nenhuma pessoa acusada pelo Tribunal que desobedeceu a uma ordem para comparecer
perante o Tribunal, pode ser candidata ou ter qualquer pessoa não identificada. outro cargo público no
território da Bósnia e Herzegovina.

2. A indemnização de pessoas que exerçam funções nas instituições da Bósnia-Herzegovina não pode
ser reduzido durante o mandato do titular.

3. Os funcionários nomeados para cargos nas instituições da Bósnia-Herzegovina devem, em regra,


refletir a composição do povo da Bósnia-Herzegovina.

Artigo X
Alterações

1. Procedimento de alteração

A presente Constituição pode ser alterada por decisão da Assembleia Parlamentar, que
inclui uma maioria de dois terços dos presentes e votantes na Câmara dos Representantes.

2. Direitos humanos e liberdades fundamentais

Nenhuma emenda a esta Constituição poderá eliminar ou diminuir quaisquer dos direitos e liberdades
estabelecidos no Artigo II desta Constituição, nem modificar esta disposição.
Machine Translated by Google

Artigo XI
Provisões transitórias

As disposições transitórias relativas aos cargos públicos, à aplicação da lei e outras matérias constam do Anexo II
à presente Constituição.

Artigo XII
Entrada em vigor

1. A Constituição entra em vigor com a assinatura do Acordo-Quadro Geral como acto constitucional que altera e
revoga a Constituição da República da Bósnia-Herzegovina.

2. No prazo de três meses a contar da entrada em vigor da presente Constituição, as Entidades alteram os seus
estatutos por meio de emendas para assegurar o cumprimento desta Constituição, nos termos da alínea b) do n.º 3 do
artigo III.

Anexo I
Acordos adicionais de direitos humanos a serem aplicados na Bósnia e Herzegovina

1. Convenção sobre a Prevenção e Punição do Crime de Genocídio (1948)

2. Convenções de Genebra I-IV sobre a Proteção das Vítimas de Guerra (1949) e Protocolos Adicionais I-II (1977)

3. Convenção sobre o Estatuto dos Refugiados (1951) e Protocolo (1966)

4. Convenção sobre a Nacionalidade das Mulheres Casadas (1957)

5. Convenção sobre a Redução da Apatridia (1961)

6. Convenção Internacional sobre a Eliminação de Todas as Formas de Discriminação Racial (1965)

7. Pacto Internacional sobre Direitos Civis e Políticos (1966) e Protocolos Facultativos (1966 e 1989)

8º Pacto Internacional sobre Direitos Econômicos, Sociais e Culturais (1966)

9. Convenção sobre a Eliminação de Todas as Formas de Discriminação contra a Mulher (1979)

10. Convenção contra a Tortura e Outros Tratamentos ou Penas Cruéis, Desumanos ou Degradantes (1984)

11. Convenção Europeia para a Prevenção da Tortura e Tratamentos ou Penas Desumanas ou Degradantes
ou Castigo (1987)

12. Convenção sobre os Direitos da Criança (1989)

13. Convenção Internacional sobre a Proteção dos Direitos de Todos os Trabalhadores Migrantes e Membros de
Suas Famílias (1990)

14. Carta Europeia das Línguas Regionais ou Minoritárias (1992)


Machine Translated by Google

15. Convenção-Quadro para a Proteção das Minorias Nacionais (1994)

Anexo II
Provisões transitórias

1. Comissão de Transição Conjunta

a) As Partes estabelecem uma Comissão Transitória Conjunta que terá poderes para discutir questões práticas
relacionadas com a implementação da Constituição da Bósnia-Herzegovina, o Acordo-Quadro Geral e seus anexos, e para
fazer recomendações e propostas.

b) A Comissão de Transição Conjunta será composta por quatro pessoas da Federação, três da Republika Srpska e um
representante da Bósnia e Herzegovina.

c) As reuniões da Comissão são presididas pelo Alto Representante ou por pessoa por ele designada.

2. Continuidade dos regulamentos legais

Todas as leis, regulamentos e normas judiciais em vigor no território da Bósnia-Herzegovina no momento da entrada em
vigor da Constituição permanecerão em vigor na medida em que não estejam em conflito com a Constituição até determinação
em contrário pela autoridade competente da Bósnia e Herzegovina.

3. Procedimentos legais e administrativos

Todos os processos em tribunais ou órgãos administrativos, que estejam em curso na Bósnia e Herzegovina no
momento da entrada em vigor da presente Constituição, devem ser continuados ou transferidos para outros tribunais ou
órgãos na Bósnia e Herzegovina, em conformidade com os regulamentos que regem a jurisdição dessas instituições .

4. Autoridades estaduais

Até que sejam substituídos por um novo acordo ou lei, autoridades, instituições e outros
os órgãos da Bósnia e Herzegovina funcionarão de acordo com os regulamentos aplicáveis.

5. Contratos

Todos os tratados ratificados pela República da Bósnia e Herzegovina entre 1.1.1992. anos e a entrada em vigor desta
Constituição será disponibilizada aos membros da Presidência no prazo de 15 dias a contar da sua entrada em funções;
Qualquer contrato que não seja disponibilizado será declarado nulo. No prazo de 6 meses após a primeira sessão da
Assembleia Parlamentar, a pedido de qualquer membro da Presidência, a Assembleia Parlamentar ponderará a possibilidade
de rescindir qualquer outro acordo.
Machine Translated by Google

Declaração em nome da República da Bósnia e Herzegovina

A República da Bósnia e Herzegovina aprova a Constituição da Bósnia e Herzegovina no Anexo IV da


acordo-quadro.

Muhamed Šaÿirbegoviÿ
Pela República da Bósnia e Herzegovina

Declaração em nome da Federação da Bósnia e Herzegovina

A Federação da Bósnia e Herzegovina, em nome dos povos e cidadãos que a constituem, aprova a Constituição da
Bósnia e Herzegovina no Anexo IV do Acordo-Quadro Geral.

Krešimir Zubak
Pela Federação da Bósnia e Herzegovina

Declaração em nome da Republika Srpska

A Republika Srpska aprova a Constituição da Bósnia e Herzegovina no Anexo IV do Acordo-Quadro Geral.

Nikola Koljevic
Pela República Srpska

Você também pode gostar