Você está na página 1de 372

APRENDER

SEMPRE
VOLUME 1

2º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL


LÍNGUA PORTUGUESA E MATEMÁTICA
2022

PROFESSOR
Governo do Estado de São Paulo

Governador
João Doria

Vice-Governador
Rodrigo Garcia

Secretário da Educação
Rossieli Soares da Silva

Secretária Executiva
Renilda Peres de Lima

Chefe de Gabinete
Henrique Cunha Pimentel Filho

Coordenador da Coordenadoria Pedagógica


Caetano Pansani Siqueira

Presidente da Fundação para o Desenvolvimento da Educação


Nourival Pantano Junior

Nome da Escola:

Nome do Estudante:

Data: _______/_______/2022 Turma:


COORDENADORIA PEDAGÓGICA Karina Santos da Silva
Caetano Pansani Siqueira Ivan Cruz Rodrigues
Leandro Rodrigo de Oliveira
APRESENTAÇÃO DIRETORA DO DEPARTAMENTO DE Lívia Rodrigues Pinheiro Leiria
DESENVOLVIMENTO CURRICULAR E DE Marina Sabaine Cippola
GESTÃO PEDAGÓGICA Murilo Borduqui
Estas sequências didáticas foram elaboradas com o intuito de oferecer um suporte adicional aos estudantes, auxiliando-os
Viviane Pedroso Domingues Cardoso Raphaelle Fernandes Vicentin
no processo de recuperação e aprofundamento de aprendizagens essenciais para seu percurso educacional.
Renata Carolina Casagrande Pastrello Silva
Com o intuito de favorecerDIRETORA
a aprendizagem de todosDE
DO CENTRO osEDUCAÇÃO
estudantes, não deixando Sandra
ninguémMariapara trás, serão oferecidas,
de Araújo Dourado
além das sequências de atividades, avaliações diagnósticas
INFANTIL E ANOS INICIAIS DO ENSINO e formativas para acompanhar a evolução da aprendizagem dos
estudantes e direcionar o ensino às suas necessidades;
FUNDAMENTAL – CEIAI e formações, com foco no uso do resultado das avaliações, em meto-
dologias que favorecem a recuperação
MarianaeSalesaprofundamento da aprendizagem, e no desenvolvimento
de Araújo Carvalho das atividades presentes
LEITURA CRÍTICA:
neste material. Ione Aparecida Cardoso Oliveira
Os materiais, as avaliaçõesASSESSORIA
e as formações TÉCNICA Milena Soldá
do Programa de Recuperação e Aprofundamento estãoPolicastro
articulados entre si,
fortalecendo o desenvolvimento Aline habilidades essenciais para o percurso educacionalRuy
dasNavarro dosCésar Pietropaolo.
estudantes.
Cassia
Essas habilidades essenciais foram Vassi Fernanda
Beluche a partir de análises do Currículo Paulista
selecionadas no Medeiros Alves Besouchet
Ensino Fundamental, dos Marti
Deisy Christine Boscaratto Ione Aparecida Cardoso
resultados de avaliações externas, diagnósticas e formativas realizadas pela SEDUC-SP, em um trabalho conjunto entre a Oliveira
Isaque Mitsuo
equipes curriculares da Coordenadoria Kobayashi
Pedagógica (COPED), PCNP e professores da rede.TâniaConsiderando
Sztutman a importância da
Luiza Helena Vieira Girão
continuidade do trabalho de recuperação iniciado em 2020, a matriz de habilidades essenciais que serviu de base a este
material, foi elaborado tendo Silvana
em contaAparecida
um ciclo dedeprogressão
Oliveira Navia REVISÃO
das aprendizagens de 2020 DE LÍNGUA:
a 2021.
Valquiria Kelly Braga Aleksandro Nunes
As sequências didáticas contam
ViniciuscomGonzalez
orientações didáticas que auxiliarão no trabalhoAlexandre
Bueno para o desenvolvimento
Napoli das habili-
dades essenciais de cada ano/série, de forma articulada aos demais materiais disponibilizados pela SEDUC.
Aline Lopes Ohkawa
Para favorecer esse entrelaçamento, há indicações DO
EQUIPE CURRICULAR de como
CENTROutilizar
DEas sequências didáticas
Priscilajuntamente com os materiais
Colhado Ferrarotto
didáticos Currículo em Ação / São Paulo FazINFANTIL
EDUCAÇÃO Escola. E ANOS INICIAIS DO Rodrigo Luiz Pakulski Vianna
Cada professor, a partir deENSINO FUNDAMENTAL
seu contexto, poderá utilizar– CEIAI
essas sequências didáticas/deRomina Harrison
atividades para promover o desen-
volvimento dos estudantes, deCaren
acordoAline Ribeiro
com as Santosde
necessidades Fernandes Rúbia
cada um, com o objetivo de de Abreu
oferecer a todosCavalcante
oportunidades de
Kelly Cristina
aprendizagem, não deixando ninguém para trás. de Souza B. Muniz Moraes
Mariana Sales de Araújo Carvalho PROJETO GRÁFICO E DIAGRAMAÇÃO:
Nicole Alves Pereira André Coruja
Desejamos a todos um excelente
Noemitrabalho!
Devai Sâmella Arruda
Coordenadoria PedagógicaRoberta
- Coped N. de Proença Silveira Alice Brito
Sônia de Oliveira N. Alencar Amanda Pontes
Vanessa Cristina Amoris Domingues Ana Gabriella Carvalho
Viviane da Costa Batista Pereira. Cristall Hannah Boaventura
Emano Luna
EQUIPE DE ELABORAÇÃO Julliana Oliveira
Raph Gomes Alves Kamilly Lourdes
Sônia de Gouveia Jorge Lucas Nóbrega
Camila Taira Nakamura Perazzo Freire
Isadora Lutterbach Ferreira Guimarães Rayane Patrício
Elisa Rodrigues Alves Wellington Costa
Estela Choi
Giovanna Ferreira Reggio Suporte a imagem:
Lilian Avrichir Lays da Silva Amaro
Luísa Schalch Otávio Coutinho
Veridiana Santana
Alex Silvio de Moraes
Andréa Dias Tambelli
Érica de Faria Dutra
LÍNGUA PORTUGUESA
1º Bimestre
4 caderno do professor

Olá, Professor!
Olá, Professor!
Olá, Professora!
Olá, Professora!
A volta às aulas, no início do ano, pede um momento para os estudantes se conhecerem melhor e é uma ótima oportu-
nidade para escreverem sobre si mesmos. A proposta desta sequência didática é articular o aspecto afetivo com o cognitivo
da aprendizagem. Para tanto, o trabalho foi organizado com o intuito de os estudantes escreverem uma legenda em foto ou
desenho que represente
desenhoum quepouco
represente
de cadaum
umpouco
e suasdepreferências.
cada um e suas preferências.
Para participarem dessa situação comunicativa de produção textual, primeiro serão convidados a criar uma legenda em
uma foto de apresentação do/a professor/a. Feito isso, passarão pelas operações textuais que a proposta exige (tomada de
nota sobre as preferências, planejamento, textualização e revisão) de maneira coletiva para, em seguida, escreverem, em
duplas ou individualmente,
duplas ou individualmente,
as próprias legendas.
as próprias
Segundolegendas.
a especialista
Segundoargentina
a especialista
Delia Lerner
argentina
1
, essas operações
Delia Lerner1 são con-
teúdos e, portanto devem ser ensinadas aos estudantes quando eles realizarem uma produção escrita. Ao escrever uma

ao destinatário. Conhecer esse contexto é o que confere sentido às propostas. Por isso, logo no início da sequência, converse

pelos órgãos de saúde.


caderno do professor 5

Habilidades a serem desenvolvidas nesta sequência didática.

Aulas em que as Aulas em que as


Objetos de conhecimento Habilidades Habilidades habilidades são habilidades são
trabalhadas trabalhadas

(EF01LP07)
(EF01LP07) Compreender Compreender
as notações as notações
do sistema do alfabética
de escrita sistema de escrita alfabética
Construção do sistema alfabético Aulas 3 e 4 Aulas 3 e 4
– segmentos sonoros e letras.os sonoros e letras.

(EF01LP02) Escrever, espontaneamente ou por ditado, palavras e


Construção do sistema alfabético (EF02LP02) Grafar palavras desconhecidas apoiando-se no som e na
frases de forma alfabética – usando
grafia de palavrasletras/grafemas
familiares e/ouque representem
estáveis. Aulas 3 e 4 Aulas 3 e 4
fonemas.

(EF01LP03)
(EF01LP03) Comparar Comparar escritas
escritas convencionais convencionais
e não e não convencionais,
convencionais,
Construção do sistema alfabético Aula 4 Aula 4
observando
observando semelhanças semelhanças e diferenças.
e diferenças.

Substantivos Próprios
(EF02LP01A) Grafar(EF02LP01A)
corretamente palavras
Grafar conhecidas/familiares.
corretamente Aula 9
palavras conhecidas/familiares. Aula 9
familiares

(EF12LP11A) Planejar e produzir,Planejar


(EF12LP11A) em colaboração com
e produzir, emoscolaboração
colegas com os colegas
e com a ajuda do professor, textosdodoprofessor,
e com a ajuda campo datextos
vida pública
do campo (foto-
da vida pública (foto-
Produção escrita legendas, manchetes, notíciasmanchetes,
legendas, digitais ounotícias
impressas, entreououtros),
digitais Aulas
impressas, entre 5, 6, 7, 8 e 9 Aulas 5, 6, 7, 8 e 9
outros),
considerando a situação comunicativa,
considerando o tema/assunto,
a situação comunicativa,a estrutura
o tema/assunto, a estrutura
composicional e o estilo do gênero.
composicional e o estilo do gênero.

(EF12LP11B) Revisar e editar fotolegendas,


(EF12LP11B) manchetes,
Revisar e editar notíciasmanchetes, notícias
fotolegendas,
Produção escrita digitais ou impressas, entreououtros
digitais textosentre
impressas, produzidos
outros cuidando da
textos produzidos Aulasda9 e 10
cuidando Aulas 9 e 10

(EF12LP08) Ler e compreender,


(EF12LP08) Ler eme colaboração
compreender, comemoscolaboração
colegas e comcom os colegas e com
a ajuda do professor, textosdodoprofessor,
a ajuda campo datextos
vida pública
do campo (fotolegendas,
da vida pública (fotolegendas,
Compreensão em leitura
manchetes, lides em notícias, entre
manchetes, lides outros), considerando
em notícias, a situação
entre outros), considerando a Aulas 1e2
situação Aulas 1 e 2
comunicativa, o tema/assunto,
comunicativa, a estrutura composicional
o tema/assunto, e o estilo
a estrutura do
composicional e o estilo do
gênero. gênero.

Compreensão em leitura Aula 2 Aula 2


outros textos (digitais ou impressos).
outros textos (digitais ou impressos).
64 caderno
cadernodo 4 caderno do professor
doprofessor
professor
2 | LÍNGUA PORTUGUESA

AULA 1 – RODAAULA
DE CON-
1 – RODA DE CON-
VERSA: APRESENTAÇÃO
VERSA: APRESENTAÇÃO
DA SEQUÊNCIADA SEQUÊNCIA
(EF12LP08) Ler eConversa
compre- com o/a profes-
sor/a
ender, em colaboração
com os colegasTEMPO
e com a
ajuda do professor,
Umatextos
aula.
do campo da vida pública
ORGANIZAÇÃO DA TURMA
(fotolegendas, manchetes,
Coletiva.
lides em notícias, entre
MATERIAIS
outros), considerando a
Revistas,o jornais, álbum
situação comunicativa,
tema/assunto, a de fotos, fotos diversas,
estrutura
composicional egizo eestilo
lousa.
do gênero. A recomendação é evitar
que os estudantes manu-
seiem os mesmos mate-
TEMPO riais e sejam agrupados.
Uma aula. É importante seguir as
ORGANIZAÇÃO DAorientações
TURMA vigentes dos
órgãos de saúde, respei-
Coletiva. tando o distanciamento
MATERIAIS entre os estudantes e a hi-
gienização
Revistas, jornais, álbum de suas mãos e
materiais.
de fotos, fotos diversas,
PREPARAÇÃO
giz e lousa.
Separe materiais em quan-

PREPARAÇÃO o uso de todos os estudan-


tes equan-
Separe materiais em selecione, entre eles,
fotos e/ou imagens que
o uso de todos osapresentem
estudan- legendas a
serem exploradas
tes e selecione, entre eles, durante
a roda.
fotos e/ou imagens que
apresentem legendas a Ler e compre-
(EF12LP08)
serem exploradasender,
duranteem colaboração
a roda. com os colegas e com a
ajuda do professor, textos
do campo da vida pública
(fotolegendas,manchetes,
lides em notícias, entre
outros), considerando a DESENVOLVIMENTO
DESENVOLVIMENTO E INTERVENÇÕESE INTERVENÇÕES
situação comunicativa, o
Nos primeiros meses do ano letivo é comum destinarmos um tempo para os estu-
tema/assunto, dantes
a estrutura
se conhecerem melhor. Uma maneira interessante de fazer essa interação é
composicionalcriando
e o estilo
um mural de apresentações em que cada um escreva algo sobre si mesmo
do gênero. que gostaria de compartilhar com os colegas. Nesta primeira aula da sequência, o
5 do
caderno
caderno do professorcaderno do professor
professor 57
LÍNGUA PORTUGUESA | 3

varem quais informações


varem quais informações
existem sobre elas.
existem sobre elas.
Em seguida, selecione
Em seguida,al- selecione al-
gumas legendasgumas– aquelas
legendas – aquelas
que foram exploradas
que foram pe- exploradas pe-
los estudantes los
– eestudantes
socia- – e socia-
lize com todos lize
eles,com
mos-todos eles, mos-
trando a foto etrando
lendoa ofoto e lendo o
que se refere a que
ela. se
Dessa
refere a ela. Dessa
conversa sairãoconversa
algumassairão algumas
das características
das docaracterísticas
gê- do gê-
nero. Anote-as nero.
na lousa,
Anote-as na lousa,
com a ajuda doscom estudan-
a ajuda dos estudan-
tes, para eles registrarem
tes, para eles registrarem
no material pessoal.
no material
Vale pessoal. Vale
salientar que osalientar
propósitoque o propósito
não é explicar sobre
não éoexplicar
gê- sobre o gê-
nero, tampouco nero,
trazertampouco
uma trazer uma

observações realizadas
observações
por realizadas por
eles, mesmo porque
eles, mesmo
essa porque essa
discussão continuará
discussãona continuará na
próxima aula. próxima aula.
Como tarefa deComo
casa, peça
tarefa de casa, peça
que eles tragamque
umaeles
foto
tragam uma foto
deles em um deles
lugar empre- um lugar pre-
ferido, ou fazendo
ferido,algo
ou fazendo algo
de que gostemdemuito,
que gostem
e muito, e
combine uma combine
data parauma data para
entrega. entrega.
O QUE APRENDEMOS
O QUE APRENDEMOS
HOJE? HOJE?
Converse com os Converse
estudan-com os estudan-
tes sobre as descobertas
tes sobre as descobertas
realizadas na exploração
realizadas na exploração
dos materiais disponibili-
dos materiais disponibili-
zados e considerezados
o gêne-
e considere o gêne-
ro, mas tambémro,asmas carac-
também as carac-
terísticas dos portadores.
terísticas dos portadores.

objetivo é apresentar a proposta, conversar sobre o que eles pensam a respeito e


quais ideias possuem para que essa apresentação possa ocorrer de forma mais sig-

sso, aproximar-se
Além disso,doaproximar-se
gênero – legenda
do gênero
de fotos
– legenda
ou de outras
de fotos
imagens
ou de outras
– é umimagens – é um
dosorganizar
propósitos
umaaoroda
organizar
de exploração
uma rodadedemateriais
exploração
como
de materiais
jornais, revis-
como jornais, revis-
. Peça
taspara
e álbuns.
os estudantes
Peça paralocalizarem
os estudantes
imagens
localizarem
nessesimagens
portadores
nesses
e obser-
portadores e obser-
86 caderno
cadernodo 6 caderno do professor
doprofessor
professor
4 | LÍNGUA PORTUGUESA

AULA 2 – CONHECENDO
AULA 2 – CONHECENDO
UMA LEGENDA UMA LEGENDA
(EF02LP16B) Conversa com o/a profes-
sor/a
e manter a estrutura com-
TEMPO
Umaavisos,
bilhetes, recados, aula.
cartas, receitas,ORGANIZAÇÃO
relatos, DA TURMA
entre outros textos
Coletiva(di-
e em duplas.
gitais ou impressos).
MATERIAIS
(EF12LP08) LerMaterial
e com-do estudante, giz
e lousa.
preender, em colaboração
com os colegasPREPARAÇÃO
e com a
ajuda do professor, textosas duplas de tra-
Organize
do campo da vida pública
balho de modo que haja
(fotolegendas, um manche-
leitor mais experiente
tícias,
tes, lides em noem cadaen-
agrupamento.
tre outros), considerando
(EF02LP16B)
a situação comunicativa, o
tema/assunto, a estruturaa estrutura com-
e manter
composicional e o estilo
do gênero. bilhetes, recados, avisos,
cartas, receitas, relatos,
entre outros textos (di-
TEMPO gitais ou impressos).
Uma aula. (EF12LP08) Ler e com-
ORGANIZAÇÃO DA TURMA em colaboração
preender,
Coletiva e em duplas.os colegas e com a
com
ajuda do professor, textos
MATERIAIS
do campo da vida pública
Material do estudante, giz
(fotolegendas, manche-
e lousa. tes, lides em notícias, en-
PREPARAÇÃO tre outros), considerando
Organize as duplas de tra-comunicativa, o
a situação
balho de modotema/assunto,
que haja a estrutura
um leitor mais experiente
composicional e o estilo
em cada agrupamento.
do gênero.
DESENVOLVIMENTO
DESENVOLVIMENTO
E IN- E IN-
TERVENÇÕES TERVENÇÕES
O foco maior desta
O focoaula
maior desta aula
é a leitura deé algumas
a leitura de algumas
legendas para ampliar
legendasasparaEm ampliar aspeça para os estudantes lerem uma legenda e discutirem, juntos, as in-
duplas,
análises realizadas
análises
na pro-
realizadas na pro-contidas e a forma como foram escritas. Circule pela sala ajudando na
formações
posta anterior. posta
Vale des-
anterior. Vale des-
tacar o valor datacar
atividade
o valor da atividadee anote
discussões as principais
discussões descobertas.
e anote as principais descobertas.
em possibilitar em
às crianças
possibilitarÉàs crianças
possível observar contextos diversos, desde legendas mais informativas, jornalís-
ticas, até as mais pessoais, de cunho afetivo. O contexto em que as fotos/imagens
leitoras, mesmoleitoras,
que ain-
mesmo queretiradas
foram ain- contribuem para uma melhor compreensão das suas características
da não saibam ler
da conven-
não saibamlinguísticas.
ler conven- Os conteúdos são distintos devido a esse contexto e também devido à
cionalmente. cionalmente.
7 do
caderno
caderno do professorcaderno do professor
professor 97
LÍNGUA PORTUGUESA | 5

Depois de analisar,
Depoisreto-
de analisar, reto-
me o que já haviamme o queano- já haviam ano-
tado sobre a exploração
tado sobre a exploração
inicial feita nas legendas
inicial feita
e nas legendas e
amplie a lista, consideran-
amplie a lista, consideran-

torno do gênero.
torno
É impor-
do gênero. É impor-
tante que os estudantes
tante que os estudantes
ditem o que vaiditem
escrever,
o que vai escrever,
e que a linguagem
e queutiliza-
a linguagem utiliza-
da seja muito próxima
da seja muito
do próxima do
universo linguístico
universo
deleslinguístico deles
para que as informações
para que as informações

Pode ser interessante


Pode serterinteressante ter
essas informações
essas
noinformações
mu- no mu-
ral da classe. Reúna
ral datodas
classe. Reúna todas
as que foram as discutidas
que foram discutidas
nas duas aulas,nasanote-as
duas aulas, anote-as
e deixe-as expostas
e deixe-as
ao expostas ao
longo do trabalho
longo
comdoastrabalho com as
legendas. legendas.
O QUE APRENDEMOS
O QUE APRENDEMOS
HOJE? HOJE?
Retome as características
Retome as características
discutidas sobrediscutidas
as legen-sobre as legen-
das das fotos edasimagens,
das fotos e imagens,
comparando-as comparando-as
com ou- com ou-
tros textos conhecidos
tros textos conhecidos

estabelecerem estabelecerem
relações relações
de proximidadede ouproximidade
distan- ou distan-
ciamento da forma
ciamento
comoda forma como
eles se organizam.
eles se organizam.

forma como a linguagem escrita é organizada. Porém, há algo de semelhante entre


elas, como:
• são textos que descrevem a imagem e também destacam algo a mais para o
leitor;
• os textos são curtos, de uma ou no máximo duas frases;
• a linguagem é mais técnica a depender do propósito da legenda – como na in-
formação sobre o macaco e sua extinção, na qual consta também seu nome cientí-
10
8 caderno
cadernodo 8 caderno do professor
doprofessor
professor
6 | LÍNGUA PORTUGUESA
9 do
caderno do professorcaderno
caderno do professor
professor 119

AULA 3 – MINHAS PREFERÊNCIAS


(EF01LP07) Compreender as notações do sistema de escrita alfabética – segmentos sonoros e letras.
(EF02LP02)

TEMPO
Uma aula.
ORGANIZAÇÃO DA TURMA
Individual.
MATERIAIS
Material do estudante.
PREPARAÇÃO
Considere em seu planejamento os estudantes que mais precisam de ajuda nesse momento de escrita. Planeje
Compreender as notações
do funcionamento doConsidere
da escrita. sistema que
de escrita alfabética
em outras situações– de
segmentos
escrita vocêsonoros e letras.e atender outros
deverá revezar
estudantes.
DESENVOLVIMENTO E INTERVENÇÕES
Uma possibilidade de conteúdo para os estudantes se apresentarem na legenda é considerar algumas de suas
preferências. Nesta aula, a proposta é, justamente, que escrevam uma comida, uma história, uma brincadeira e
algo de que gostem muito de fazer para contribuir com a produção da escrita, mas também para oferecer uma

Algumas intervenções também contribuem para o avanço do conhecimento dos estudantes acerca da escrita. Para
os que ainda não fonetizam (aqueles que apresentam escrita pré-silábica), ou seja, que ainda não compreendem
a escrita como uma representação da fala, as intervenções precisam se concentrar nos eixos quantitativos e quali-
tativos da escrita. Perguntas que os ajudem a compreender que as letras são utilizadas para escrever, e não outros
sistemas, como o numérico, por exemplo; que ajudem a controlar a quantidade de letras, diferenciando-as quando
escreverem palavras distintas, essas são algumas das possibilidades.
Para os estudantes que já compreenderam que a escrita é um sistema de representação da fala, as intervenções
podem se concentrar nas relações entre a pauta sonora e o que vai ser escrito a partir do uso de palavras estáveis
ou de referência. O nome próprio é uma ótima fonte de análise, porque os estudantes sabem que se trata de uma
escrita estável, que não muda, independentemente do contexto. Por isso, inclusive, que consta uma linha para a
escrita do próprio nome. Por meio dela, podemos saber se os estudantes já escrevemcomseus
autonomia
nomes com autonomia
ou se precisam de apoio. Essa escrita também pode servir de referência e fonte de informação no momento de

crianças para consulta e busca de referenciais. Há também uma linha em branco na tabela para complementarem
com algo que avaliem importante e que não tenha sido contemplado nos itens anteriores.
Embora o registro tenha que ser feito individualmente, nada impede que os estudantes tenham o apoio de um
colega para as dúvidas que surgirem no momento da escrita e para algumas tomadas de decisão ao longo da pro-
dução. Sugerimos que selecione algumas crianças para fazer intervenções mais pontuais e que reveze essa escolha
ao longo das propostas, assim, todos poderão contar com seu apoio.
O QUE APRENDEMOS HOJE?
Peça aos estudantes que compartilhem suas preferências para que possam, a partir delas, observar as semelhanças
que existem entre eles, tendo em conta o gosto de cada um. Falar sobre si é um jeito de se conhecer melhor e ter
a oportunidade de se relacionar com o mundo de maneira proativa.

1. Ferreiro, Emília. Psicogênese da língua escrita.

3. Weisz, Telma. Aprendizagem do Sistema de escrita: questões teóricas e didáticas.


12 caderno
caderno do 10 caderno do professor
doprofessor
professor

AULA 4 – PREFAULA
ERÊNCIAS
4 – PREFERÊNCIAS
DO/A PROFESSOR/A
DO/A PROFESSOR/A
Conversa com o/a professor/a
(EF01LP07) Compreender as notações do sistema de escrita alfabética - segmentos sonoros e letras.
(EF02LP02) TEMPO
Uma aula.
(EF01LP03) Comparar escritas convencionais e não convencionais, observando semelhanças e diferenças.
ORGANIZAÇÃO DA TURMA
TEMPO Em duplas e coletivo.
Uma aula. MATERIAIS
ORGANIZAÇÃO DA TURMAdo estudante, letras móveis, giz e lousa.
Material
PREPARAÇÃO
Em duplas e coletivo.
MATERIAIS
escrita sejam
Material do estudante, letras próximos.
móveis, gizConsidere
e lousa. um conjunto de letras móveis para cada estudante.
PREPARAÇÃO (EF01LP07) Compreender as notações do sistema de escrita alfabética - segmentos sonoros e letras.
(EF02LP02)de trabalho de modo que os conhecimentos desses estudantes sobre o sistema de
Forme duplas produtivas
escrita sejam pr(EF01LP03)
óximos. Considere um escritas
Comparar conjuntoconvencionais
de letras móveis para
e não cada estudante.
convencionais, observando semelhanças e diferenças.
DESENVOLVIMENTO E INTERVENÇÕESE INTERVENÇÕES
DESENVOLVIMENTO
Para os estudantes participarem da escrita de uma legenda, nas atividades subsequentes, tendo o/a professor/a
como escriba, a proposta desta aula é registrar, por meio de um ditado, quais são suas preferências. Compartilhe
com eles a informação de que o mural precisará conter algo sobre o/a professor/a. Para isso, todos irão ajudar na
escrita da legenda
escrita
e será
da necessário,
legenda e será
primeiro,
necessário,
saber primeiro,
quais são saber
as suas
quais
preferências.
são as suas preferências.
Dite a informação para cada item da tabela e peça para as duplas decidirem, juntas, a forma de escrever com as

existem letras que


existem
não são
letras
necessárias.
que não são necessárias.
-

suas escolhas sobre o modo de grafar. Assim, os demais colegas podem pensar e interagir a partir do registro. Em
-
colhas, para então comparar e problematizar a forma grafada. Essa escolha não é aleatória e deve ser feita a partir
das observaçõesdasrealizadas
observações
ao longo
re da atividade, considerando ainda o conhecimento que possui dos alunos. Faça
isso com mais uma ou, no máximo, duas duplas e crie um clima acolhedor das diferenças. Não é necessário chegar
à escrita convencional das palavras em questão, o propósito é que eles participem de um espaço de intercâmbio
no qual possamno interagir
qual possam
com a interagir
ideia do outro
com aeideia
avançar
do outro
em suas
e avançar
conceitualizações.
em suas conceitualizações.
Faça essa discussão com cada palavra ditada e peça, em seguida, que registrem a última versão produzida na tabe-
la, visto que a chamada
la, visto que
dos estudantes
a chamada dos
é num
estudantes
crescenteé de
numconhecimentos
crescente de conhecimentos
sobre o sistema.sobre o sistema.
O QUE APRENDEMOS
O QUEHOJE?
APRENDEMOS HOJE?

sobre a escrita das palavras. Ajude-os a pensar sobre quais estratégias utilizadas podem ser generalizadas para
escreverem outras
escreverem
palavras.outras palavras.
11 do
caderno
caderno do professorcaderno do professor
professor 13
11
LÍNGUA PORTUGUESA | 7
14
12 caderno
cadernodo 12 caderno do professor
doprofessor
professor
8 | LÍNGUA PORTUGUESA
13 do
caderno
caderno do professorcaderno do professor
professor 15
13

AULA 5 –FOTO
LEGENDA
DO/A PROFESSOR/A
DA FOTO DO/A PROFESSOR/A
(EF12LP11A) Planejar e produzir, em colaboração com os colegas e com a ajuda do professor, textos do campo
da vida pública (fotolegendas, manchetes, notícias digitais ou impressas, entre outros), considerando a situação
comunicativa, o tema/assunto, a estrutura composicional e o estilo do gênero.

TEMPO
Uma aula.
ORGANIZAÇÃO DA TURMA
Coletiva.
MATERIAIS
Cartaz elaborado pelo grupo sobre o gênero legenda, lousa e giz.
Planejar e produzir, em colaboração com os colegas e com a ajuda do professor, textos do campo
PREPARAÇÃO
Separe o cartaz com as características de uma legenda e leia, previamente, as orientações do encaminhamento
da aula para garantia de algumas condições didáticas sobre o ditado ao/à professor/a.
DESENVOLVIMENTO E INTERVENÇÕES
Para a escrita da legenda da foto/imagem com o propósito de apresentar o/a professor/a, é necessário
que, primeiro, seja retomado o que uma legenda precisa ter e quais características devem considerar no processo
de produção. Leia os registros feitos nas aulas 1 e 2 e destaque a brevidade do texto, por exemplo. A tabela de pre-
ferências feita na aula anterior pode ser utilizada para nortear a escolha do conteúdo da legenda; não é necessário

Compartilhe com os estudantes quais informações você gostaria que constasse em sua apresentação, combinem a
ordem delas e listem, na lousa, o que irão considerar para produzir o texto.
Em seguida, peça que os estudantes ditem o texto para você. Para isso, devem combinar previamente a forma
como vão empregar a linguagem escrita, ou seja, quais palavras vão escolher e como irão organizá-las para formar
o texto. É necessário que seja acordado entre todos, que haja um debate para decidir qual é a melhor forma de
escrever a apresentação do/a professor/a. É função dos estudantes, portanto, organizar o texto e ditar em um ritmo
adequado para o/a professor/a escrever, a textualização é feita por eles. Já o escriba, nesse caso o/a professor/a,
- -
cional da pontuação. As decisões sobre as marcas de oralidade e repetição de palavras, por exemplo, podem ser

textualizaram.

adequação aos propósitos e ao destinatário, pode ser uma intervenção importante; assim como consultar o plane-

apontar todas as inadequações, pelo contrário, o/a professor/ deve deixá-las conforme ditado pelos estudantes.
exemplo
oferecerdeum
legenda similar
exemplo para quesimilar
de legenda os estudantes
para queobservem comoobservem
os estudantes ela foi textualizada,
como ela foipodendo
textualizada, podendo
rever e reformular o que ditaram, buscando um outro modo de escrever.
Estimule a participação de todos e cuide para não valorizar sempre a mesma voz. Antes de escrever algo, valide

nicativa para ajudar nas decisões a serem tomadas.


O QUE APRENDEMOS HOJE?

que e como se escreve. As decisões são tomadas a partir de um propósito comum, que confere sentido à proposta.
16
14 caderno
caderno do 14 caderno do professor
doprofessor
professor

AULA 6 – REVIAULA
SÃO DA6 –LEGENDA
REVISÃO DA LEGENDA
(EF12LP11A) Planejar e produzir,
Conversa com o/a em colaboração com os colegas e com a ajuda do professor, textos do campo
professor/a
da vida pública TEMPO
(fotolegendas, manchetes, notícias digitais ou impressas, entre outros), considerando a situação
comunicativa, o Uma
tema/assunto,
aula. a estrutura composicional e o estilo do gênero.
ORGANIZAÇÃO DA TURMA
TEMPO Coletiva.
Uma aula. MATERIAIS
ORGANIZAÇÃO DA TURMA produzida pelos estudantes em parceria com o/a professor/a.
Legenda
Coletiva. PREPARAÇÃO
MATERIAIS
Legenda produzida
sobrepelos estudantes
a linguagem em parceria
escrita com o/a professor/a.
e as adequações às características do gênero.
PREPARAÇÃO (EF12LP11A)

comunicativa,
sobre a linguagem escrita e asoadequações
tema/assunto, a estrutura composicional
às características do gênero. e o estilo do gênero.
DESENVOLVIMENTO E INTERVENÇÕESE INTERVENÇÕES
DESENVOLVIMENTO
Nesta aula, o propósito é revisar a legenda que apresenta o/a professor/a. Retome os objetivos dessa escrita, co-
mente que estãomente
preparando
que estão
umpreparando
mural de apresentação
um mural depara
apresentação
todos se conhecerem
para todos se
melhor.
conhecerem melhor.

para que os colegas de outras salas, os leitores da legenda, compreendam quem é o/a professor/a. Estimule a par-
ticipação de todos
ticipação
para opinarem
de todos apara
esseopinarem
respeito. a esse respeito.
Algumas questões que costumam ser encontradas em textos ditados pelos estudantes ao/à professor/a são marcas
de oralidade como “daí, então, aí”, bem como a repetição de palavras e conectores. Se, ao ler o texto, as crianças
já observarem essa inadequação, coloque em discussão quais são as possibilidades de correção. Para a repetição
de palavras, por exemplo, podemos substituir por um sinônimo, pronome ou ainda usar uma estratégia chamada
elipse, quando retiramos do texto a palavra repetida e não a substituímos por outra, pois o sentido está garantido
no trecho anterior.
no trecho anterior.
Durante a revisão, não passe a limpo o texto, porque essa é outra tarefa. No decorrer da discussão, puxe setas, use
símbolos, risque,
símbolos,
mostrando,
risque,
assim,
mostrando,
como sãoassim,
as estratégias
como sãoutilizadas
as estratégias
por revisores.
utilizadas por revisores.
Para os estudantes
Paraque
os estudantes
ainda não trouxeram
que ainda suas
não trouxeram
fotos, peçasuas
que fotos,
as levem
peçanaque
próxima
as levem
aula.na próxima aula.
O QUE APRENDEMOS
O QUEHOJE?
APRENDEMOS HOJE?
-
das para tornar o texto mais bem escrito; comente que essas discussões sobre a produção fazem parte do processo
de aprendizagem dedeaprendizagem
um escritor competente.
de um escritor competente.
15 do
caderno
caderno do professorcaderno do professor
professor 17
15
LÍNGUA PORTUGUESA | 9
18
16 caderno
cadernodo 16 caderno do professor
doprofessor
professor
10 | LÍNGUA PORTUGUESA

AULA 7 – PLANEJAMEN-
AULA 7 – PLANEJAMEN-
TO DA LEGENDATO DA LEGENDA
Conversa com o/a profes-
(EF12LP11A) Planejar
sor/a e
produzir, em colaboração
TEMPO
com os colegasUma e comaula.a
ajuda do professor, textos
do campo da vidaORGANIZAÇÃO
pública DA TURMA
Individual.
(fotolegendas, manche-
MATERIAIS
tes, notícias digitais ou
impressas, entre outros),do estudante,
Material
considerando foto
a situação
do estudante, riscan-
comunicativa, tes o paratema/
desenhar e cartaz
assunto, a estrutura
sobre com-
as características do
posicional e ogênero.
estilo do
gênero. PREPARAÇÃO
Peça, com antecedência,
o envio de uma foto em
TEMPO que o estudante esteja em
Uma aula. seu lugar preferido ou fa-
ORGANIZAÇÃO DA TURMA
zendo algo de que goste.
Individual. Depois, leia as orientações
MATERIAIS para a realização da ativi-
Material do dade.estudante,
(EF12LP11A)
foto do estudante, riscan- Planejar e
tes para desenhar e cartazem colaboração
produzir,
sobre as características
com os do colegas e com a
gênero. ajuda do professor, textos
PREPARAÇÃO do campo da vida pública
(fotolegendas, manche-
Peça, com antecedência,
o envio de uma tes,fotonotícias
em digitais ou
que o estudanteimpressas,
esteja em entre outros),
considerando
seu lugar preferido ou fa- a situação
zendo algo de quecomunicativa,
goste. o tema/
assunto, a estrutura com-
Depois, leia as orientações
para a realizaçãoposicional
da ativi- e o estilo do
dade. gênero.
DESENVOLVIMENTO
DESENVOLVIMENTO
E IN- E IN-
TERVENÇÕES TERVENÇÕES
A primeira atividade
A primeira
pro- atividade pro-
põe uma análisepõe dasuma
ima-análise das ima-
gens e das possíveis
gens e le- o conteúdo
das possíveis le-da imagem.
o conteúdo A dadapeteca,
imagem. porAexemplo,
da peteca,traz
pora ex
origem da palavra e o con-
gendas que as gendas
compõem. texto em
que as compõem. que o brinquedo é utilizado. Nas demais, as brincadeiras das imagens são
A ideia é que possam
A ideiaper- reveladas
é que possam per- na legenda, bem como quem são as crianças que aparecem. Estabelecer
ceber a relaçãoceber
existente essas relações
a relação existente pode
essas possibilitar
relações pode
uma possibilitar
aproximação umacom
apro
as características do gênero e
entre o texto e aentre
imagem, também
o texto e a imagem, pode ajudar
também no pode
processoajudar
de produção
no processo dade
própria
produção
legenda.
da própria legenda.
no sentido de observarem Vale destacar que
no sentido de observarem Valea escrita
destacardaquelegenda
a escrita
pelos
da estudantes
legenda pelosé proposta
estudantes
paraéserproposta
feita a para ser
as descrições e as
asinforma- partir de uma
descrições e as informa- foto,
partir
masdea uma
falta foto,
dela mas
não pode
a falta
ser
dela
motivo
não pode
da não
serrealização
motivo dado
nãotrabalho.
realização do tr
ções que complementam Por isso,
ções que complementam uma opção
Por isso,
é o uma
desenho.
opção Peça
é o aos
desenho.
estudantes
Peça aos
que estudantes
desenhem que
a si mesmos
desenhem a si
17 do
caderno
caderno do professorcaderno do professor
professor 19
17
LÍNGUA PORTUGUESA | 11

sa ser uma dassaprimeiras


ser uma das primeiras
informações. informações.
Circule pela classe
Circule
ajudan-
pela classe ajudan-
do as crianças adotomarem
as crianças a tomarem
decisões sobre odecisões
conteúdo sobre o conteúdo
da legenda, masdaprincipal-
legenda, mas principal-
mente sobre como mente regis-
sobre como regis-
trar essas informações.
trar essas informações.
O QUE APRENDEMOS
O QUE APRENDEMOS
HOJE? HOJE?
Explique aos estudantes
Explique aos estudantes
que planejar a escrita
que planejar
é um a escrita é um
apoio importanteapoio
paraimportante
o para o
processo de textualização,
processo de textualização,
é um procedimento
é um queprocedimento que
utilizam, portanto,
utilizam,
faz par-
portanto, faz par-
te do saber escrever.
te do saber escrever.

retomar podem
a tabelaretomar
de preferências
a tabela para
de preferências
buscar algumaparainspiração
buscar alguma
nas anotações
inspiração nas anotações
radas. lá registradas.
uida, peça
Emque
seguida,
listempeça
o queque
precisam
listem oconsiderar
que precisamantesconsiderar
de escreverantes
a legen-
de escrever a legen-
da, sim,
planejando,
o texto. assim,
Para osoestudantes
texto. Para compreenderem
os estudantes compreenderem
melhor essa melhor essa
- -
ra se inspirarem
sor/a paraeseobservarem
inspiraremcomo
e observarem
foi feito. Eles
comoprecisam
foi feito.decidir
Eles precisam
quais decidir quais
ções farão
informações
parte da legenda.
farão parte
O nome
da legenda.
de cadaO um
nomenãodepode
cadafaltar
um nãoe preci-
pode faltar e preci-
20
18 caderno
cadernodo 18 caderno do professor
doprofessor
professor
12 | LÍNGUA PORTUGUESA

AULA 8 – ESCRITA
AULA 8DA– ESCRITA DA
LEGENDA LEGENDA
Conversa
(EF12LP11A) Planejar e com o/a profes-
sor/a
produzir, em colaboração
com os colegasTEMPO e com a
Uma textos
ajuda do professor, aula.
do campo da vida ORGANIZAÇÃO DA TURMA
pública
(fotolegendas, manchetes,
Individual.
notícias digitais MATERIAIS
ou impres-
sas, entre outros), conside-
Material do estudante.
rando a situação comuni-
PREPARAÇÃO
cativa, o tema/assunto, a
Leia os e planejamentos
estrutura composicional
feitos na aula anterior e
o estilo do gênero.
revise com os estudantes,
caso necessite de altera-
ções, antes da produção
TEMPO proposta nesta aula.
Uma aula.
(EF12LP11A Planejar e
ORGANIZAÇÃO DA TURMA
produzir, em colaboração
Individual. com os colegas e com a
MATERIAIS ajuda do professor, textos
Material do estudante.
do campo da vida pública
PREPARAÇÃO (fotolegendas, manchetes,
notícias digitais ou impres-
Leia os planejamentos
feitos na aula sas, entre eoutros), conside-
anterior
rando
revise com os estudantes, a situação comuni-
cativa,
caso necessite de altera- o tema/assunto, a
ções, antes da produçãocomposicional e
estrutura
o estilo do gênero.
proposta nesta aula.
DESENVOLVIMENTO
DESENVOLVIMENTO
E IN- E IN-
TERVENÇÕES TERVENÇÕES
A partir do planejamento
A partir do planejamento
feito, peça quefeito,
os estu-
peça que os estu-
dantes escrevamdantesa le-
escrevam a le-
genda. Nesta genda.
atividade,
Nesta atividade,
precisamos garantir
precisamos
um garantir um
tempo para que tempo
possam
para que possam
escrever com autonomia.
escrever com autonomia.

professor/a nãoprofessor/a
possa aju- não possa aju-
dar quando solicitado/a. de modo que um
dar quando solicitado/a. de estudante
modo queajudasse
um estudante
na produção
ajudasse
dana
legenda
produção
do colega
da legenda
e, depois,
do colega e,
É comum pedirem É comum
ajuda pedirem ajuda
quanto à formaquanto
de escre-
à formaa linguagem
de escre- escrita
a linguagem
aconteceria
escrita
duasaconteceria
vezes. duas vezes.
ver determinada ver palavra
determinada palavra
É fundamental encorajá-los a escrever, validar suas escritas e valorizar o esforço
ou para compreenderem
ou para compreenderem
despendido, independentemente do resultado. Vale destacar que temos mais duas
melhor a proposta.
melhor a proposta.
aulas para realizar
aulas
as revisões
para re e que durante a textualização pode ser que faltem tre-
Outra possibilidade chos
Outradepossibilidade
en- importantes
de en- ou que a conexão entre as ideias não seja a mais adequada. Essas
caminhamento caminhamento
seria reali- questões poderão
seria reali- ser discutidas depois. São muitas as decisões durante a escrita,
zar a produção zar
em adupla,
produção em dupla, -
19 do
caderno
caderno do professorcaderno do professor
professor 21
19

cisão. As intervenções, portanto, precisam ocorrer quando o/a professor/a for solicitado/a. Provavelmente dúvidas
sobre como as palavras são escritas serão as mais solicitadas nesse momento, e o apoio dos colegas pode ser uma

principalmente aquelas relacionadas a outras palavras estáveis, ao pedido de leitura por parte escrita e até mesmo
ao controle entre o que já foi escrito e o que ainda falta.
O QUE APRENDEMOS HOJE?
Em conversa com os estudantes é possível pedir que destaquem quais ajudas foram necessárias para textualizar a
legenda e o que, de maneira consciente, eles consideram ter aprendido ao participar dessa atividade.

AULA 9 – REVISÃO DA LEGENDA


(EF12LP11A) Planejar e produzir, em colaboração com os colegas e com a ajuda do professor, textos do campo
da vida pública (fotolegendas, manchetes, notícias digitais ou impressas, entre outros), considerando a situação
comunicativa, o tema/assunto, a estrutura composicional e o estilo do gênero.
(EF12LP11B) Revisar e editar fotolegendas, manchetes, notícias digitais ou impressas, entre outros textos
produzidos cuidando da apresentação final do texto.
(EF02LP01A) Grafar corretamente palavras conhecidas/familiares.
TEMPO
Uma aula.
ORGANIZAÇÃO DA TURMA
Coletiva e individual.
MATERIAIS
Planejar e produzir, em colaboração com os colegas e com a ajuda do professor, textos do campo
Material do estudante.
PREPARAÇÃO
Revisar
Leia aseproduções
editar fotolegendas,
feitas pelosmanchetes,
estudantesnotícias digitais
e analise quaisousão
impressas, entre outros
os problemas textos produ-
encontrados. Diante dessa análise,
selecione um ou dois aspectos para considerar durante a revisão.
Grafar corretamente palavras conhecidas/familiares.
DESENVOLVIMENTO E INTERVENÇÕES
-
-
comprovam que a participação reiterada de processos de revisão ensina aos estudantes formas de adentrar o texto

incorporando o procedimento de releitura, que é tão importante no processo de produção.


Nesta aula, o foco da revisão se concentrará em alguns conteúdos discursivos e textuais. A ideia é que, a partir da

de coerência entre as informações da legenda, a repetição de palavras ou o uso inadequado de conectores, entre
-
-
tir, diga que é o texto de um estudante de outra turma, em seguida, peça para procurarem uma solução conjunta
e adequada para melhorar o texto. Instigue a participação de todos, não valide prontamente a primeira solução,

uma legenda bem escrita que possa oferecer referência do aspecto que está sendo tematizado com a turma para
realizar uma análise comparativa com a legenda em revisão.
Em seguida, estando cada um com sua legenda, peça que eles, apoiados nas discussões feitas, revisem os textos. Cir-
cule pela sala ajudando no que for preciso. Uma intervenção potente é ler o texto em voz alta para que o estudante
-
- -
te, mesmo que apresentem certa irregularidade, precisam ser escritas convencionalmente devido -à recorrência do
uso. Por isso, retome quais são e peça aos estudantes que as revisem. Se a escrita não for alfabética, podemos colo-
22
20 caderno
caderno do 20 caderno do professor
doprofessor
professor

car em discussão
caralgumas
em discussão algumas
palavras na lousa
palavrasparana lousa para
- -
mente sobre quais
mente letras,
sobre quais letras,
quantas e em que
quantas
ordem e em que ordem
podem ser usadas,
podem assim
ser usadas, assim

Em seguida, peça
Em que
seguida,
re- peça que re-
visem a própriavisem
legenda.
a própria legenda.
Se achar pertinente,
Se acharfor-pertinente, for-
me duplas paramequeduplas
um para que um
ajude o outro aajude
pensaro na
outro a pensar na

da competênciadadocompetência
outro do outro
e avançar na representa-
e avançar na representa-

O QUE APRENDEMOS
O QUE APRENDEMOS
HOJE? HOJE?
Converse com os Converse
estudan-com os estudan-
tes sobre o processo
tes sobre de o processo de
revisão, que requer
revisão,
aten-
que requer aten-
ção aos detalhesçãodoaos
texto
detalhes do texto
produzido e aoproduzido
contexto e ao contexto
da produção paradaajustar
produçãoa para ajustar a
escrita ao interlocutor
escrita ao
e àinterlocutor e à
situação em quesituação
circulará.
em que circulará.
Pergunte o quePergunte
acreditamo que acreditam
ter aprendido tere amplie,
aprendido e amplie,
se for o caso, explicitando
se for o caso, explicitando
- -
alizadas ao longo
alizadas
da aula.
ao longo da aula.

AULA 10 – MURAL
AULADE10APRESENTAÇÕES
– MURAL DE APRESENTAÇÕES
(EF12LP11B) Revisar e editar
Conversa fotolegendas,
com o/a professor/a manchetes, notícias digitais ou im-
TEMPO
TEMPO Uma aula.
Uma aula. ORGANIZAÇÃO DA TURMA
ORGANIZAÇÃO DA TURMA
Coletiva.
Coletiva. MATERIAIS
Material do estudante.
21 do
caderno
caderno do professorcaderno do professor
professor 23
21
LÍNGUA PORTUGUESA | 13

Organize as crianças
Organize emas crianças em
roda para combinarem
roda para combinarem
como será feitocomoo mural.
será feito o mural.
Pergunte se elasPergunte
sabemse elas sabem
o que costumaoter quenesse
costuma ter nesse
espaço, se há ilustrações,
espaço, se há ilustrações,
fotos, textos oufotos,outros
textos ou outros
elementos. Peça elementos.
para Peça para
compartilharemcompartilharem
o que já o que já
viram e busquevirammodelos
e busque modelos
de murais na internet
de murais
parana internet para
ampliar a discussão.
ampliarDe- a discussão. De-
cidam juntos secidam
terá juntos
um se terá um
título, como será
título,
a dispo-
como será a dispo-
sição das imagens
siçãoedas dasimagens e das
legendas produzidas,
legendasseproduzidas, se
há necessidadehá denecessidade
outros de outros
textos ou de outras
textos ima-
ou de outras ima-
gens. Anote ogens.que elas
Anote o que elas
forem combinandoforem em combinando em
um cartaz que um apoiará
cartaza que apoiará a
- -
ção geral do mural.
ção geral
Deixe-do mural. Deixe-
-as participarem-asdeparticiparem
toda de toda
montagem, uma montagem,
vez que uma vez que
a edição do mural
a edição
é umado mural é uma
das operaçõesdastextuaisoperações textuais
que a turma podeque apren-
a turma pode apren-
der. der.
O QUE APRENDEMOS
O QUE APRENDEMOS
HOJE? HOJE?
Converse com os Converse
estudan-com os estudan-
tes sobre o que tes apren-
sobre o que apren-
deram nesta deram sequência
nesta sequência
didática, isso pode
didática,
incluir
isso pode incluir
o gênero, a relação
o gênero,
que a relação que
se estabeleceuse com estabeleceu
os com os
colegas, a escritacolegas,
das pala-
a escrita das pala-
vras, bem comovras, a melhor
bem como a melhor
maneira de organizar
maneira ade organizar a
linguagem escrita.
linguagem escrita.

MATERIAIS
Material do estudante.
Revisar e editar fotolegendas, manchetes, notícias digitais ou im-
PREPARAÇÃO
Separe todos os materiais necessários para a edição do mural.
DESENVOLVIMENTO E INTERVENÇÕES
Uma vez terminada a revisão, combine com os estudantes como farão a organização
do mural. A partir disso, peça que passem a limpo a legenda, juntando a ela a foto
ou o desenho produzido para colocarem no mural.
24
22 caderno
caderno do 22 caderno do professor
doprofessor
professor

Sugestões de atividades
Sugestões
dode
Leratividades
e Escreverdo Ler e Escrever

Atividades 1 a 5DAtividades 1 a 5D
Sistema de escrita
SistemaUnidade
de escrita
1 Unidade 1
(págs. 132 a 139)(págs. 132 a 139)
1º ano 1º ano
Volume 1 Volume 1
Atividades habituais
Atividades habituais
Sistema de escrita
SistemaUnidade
de escrita
3 Unidade 3
(págs. 120 a 133)(págs. 120 a 133)
caderno do professor 27
29

Olá, Professor! Olá, Professora!

- -

- -

Aulas em que as Aulas em que as


Objetos de conhecimento Habilidades Habilidades habilidades são habilidades são
trabalhadas trabalhadas

Construção do sistema alfabético

(EF02LP02) Grafar palavras desconhecidas apoiando-se no som e na


Construção do sistema alfabético grafia de palavras familiares e/ou estáveis.

Construção do sistema alfabético

Construção do sistema alfabético


30 caderno do professor
28

Construção do sistema
Construção
alfabético
do sistema alfabético

Conhecimento do Conhecimento
alfabeto do alfabeto

- -
Construção
Construção do sistema do sistema alfabético
alfabético

AULA 1 – RODA DE CONVERSA


AULA 1 – RODA DE CONVERSA
TEMPO
(EF01LP10B)
(EF01LP07)
ORGANIZAÇÃO DA TURMA
TEMPO

ORGANIZAÇÃO DAMATERIAIS
TURMA
Coletiva e individual (carteiras em roda).
MATERIAIS
PREPARAÇÃO
PREPARAÇÃO

(EF01LP10B)
(EF01LP07)
DESENVOLVIMENTO E INTERVENÇÕES
DESENVOLVIMENTO E INTERVENÇÕES

-
3 do
caderno
caderno do professorcaderno do professor
professor 31
293
LÍNGUA PORTUGUESA | 15

- -

O QUE APRENDEMOS HOJE?


30
32
4 caderno
cadernodo 4 caderno do professor
doprofessor
professor
16 | LÍNGUA PORTUGUESA

AULA 2 – PARLENDAS
AULA 2 – PARLENDAS
CONHECIDAS CONHECIDAS
(EF12LP01) - -

TEMPO

ORGANIZAÇÃO DA TURMA

(EF01LP08) -
gentes,das
elementos sonoros respeitando o dis-
tanciamento
- entre os es-
tudantes, de acordo com
TEMPO
PREPARAÇÃO

ORGANIZAÇÃO DA TURMA -
Em duplas. dade proposta no material
PREPARAÇÃO -

-
dade proposta no material
-
-

(EF12LP01)
-

DESENVOLVIMENTO E IN-
TERVENÇÕES (EF01LP08)
elementos sonoros das
-
ler por si mesmos as par-
DESENVOLVIMENTO E IN-
TERVENÇÕES
-

-
Atividade
ler por si mesmos as par-1 Atividade 1 -
-
-
-

- -

-
-
5 do
caderno
caderno do professorcaderno do professor
professor 31
335
LÍNGUA PORTUGUESA | 17

- -

consideraram para
consideraram
tomar para tomar
- -
- -

prontamente asprontamente
respostas as respostas
- -

oportunidade
oportunidade para consi- para consi-
derar outras
derar outras maneiras de maneiras de
pensar e acompreender a
pensar e compreender
- -

uma parlenda éuma


maisparlenda
lon- é mais lon-

do oralpode
do oral com o escrito com o escrito pode

- -
- -
- -

- -
ampliando o seu reper- o seu reper-
ampliando

- propor outras
- situações de situações de
propor outras
- -
de consulta aodelongo de ao longo de
consulta
Atividade 2
32
34
6 caderno
cadernodo 6 caderno do professor
doprofessor
professor
18 | LÍNGUA PORTUGUESA

O QUE APRENDEMOS
O QUE APRENDEMOS
HOJE? HOJE?
- -

- -

pergunte se os nomes dosse os nomes dos


pergunte
- -
- -

AULA 3 – COMPARANDO
AULA 3 – COMPARANDO
PARLENDAS PARLENDAS
-

(EF01LP07) Com preender


TEMPO
as notações do sistema de
escrita alfabética -
segmentos sonORGANIZAÇÃO
oros e DA TURMA
letras.
(EF12LP01) Ler palavras
tomando como referência -
peitando
palavras conhecidas e/ou o distanciamen-
memorizadas (etostáentre
veis),os estudantes, de
como o próprio nome ecom
acordo o as orientações
de colegas.
MATERIAIS
TEMPO Materiais do estudante,

PREPARAÇÃO
ORGANIZAÇÃO DA TURMA

MATERIAIS estudantes e articule-a


com as orientações para
Materiais do estudante,

PREPARAÇÃO (EF01LP07)
Como sugestão, leia a atividade proposta aos/às estudantes e articule-a com as
(EF12LP01)
orientações para planejar a aula. Considere os conhecimentos do seu grupo e organize
-
alguns estudantes para que fiquem próximos a você a fim de acompanhar a atividade e
fazer as intervenções necessárias.
7 do
caderno
caderno do professorcaderno do professor
professor 35
337
LÍNGUA PORTUGUESA | 19

ao escrito, indicando o indicando o


ao escrito,

- -
mento dos estudantes,
mento dos estudantes,

- -

Em seguida, organize os
estudantes em estudantes
duplas e em duplas e
peça que- escrevam a
versão conhecida no
Devido ao distanciamen-
quadro. Essa orientação é
to social, cada fundamental
estudante porque a
deve escrever troca
em entre
seu eles permite
material, masreflexões
decidir mais apuradas
com os colegassobre
a forma
as letras, o número
de escrever. Essa orien-e a ordem em
de letras
que são escritas.
DESENVOLVIMENTO E INTERVENÇÕES

- -
-
34
36
8 caderno
cadernodo 8 caderno do professor
doprofessor
professor
20 | LÍNGUA PORTUGUESA

estudantes, orientando-os
estudantes, orientando-os
O QUE APRENDEMOS
HOJE? O QUE APRENDEMOS
HOJE? -
-
-
-

pergunte se os nomes
pergunte se os nomes
-
-
-
pere com eles os recursos -
pere com eles os recursos
modo a construir um re-
-
modo a construir um re-
-
9 do
caderno
caderno do professorcaderno do professor
professor 35
379

AULA 4 – ORGANIZANDO AS PARLENDAS


(EF01LP07)
TEMPO

ORGANIZAÇÃO DA TURMA

MATERIAIS

PREPARAÇÃO
- -

DESENVOLVIMENTO E INTERVENÇÕES
-
-
-
-

-
-

-
-

-
-

O QUE APRENDEMOS HOJE?


36
38
10 caderno
cadernodo
doprofessor
professor

AULA 5 – VOTAÇÃO DA PARLENDA PREFERIDA DA TURMA

(EF01LP07) Compreender as notações do sistema de escrita alfabética - segmentos sonoros e letras.


(EF02LP02) Grafar palavras desconhecidas apoiando-se no som e na grafia de palavras familiares e/ou estáveis.
TEMPO

ORGANIZAÇÃO DA TURMA
Coletiva e em duplas (carteiras em semicírculo).
MATERIAIS

PREPARAÇÃO

DESENVOLVIMENTO E INTERVENÇÕES
no primeiro
no segundo

Atividade 1 -

Atividade 2

-
cadernodo
caderno do professor
professor 39
37
11
LÍNGUA PORTUGUESA | 21

Para saber mais:


-
lação entre a oralidade
e a escrita não constitui
uma simples passagem
de uma linguagem a

estudante um processo
de reconstrução, como

-
sição não pode ser en-
tendido como uma pas-
sagem direta do oral ao
escrito, mas como um
complexo processo de
reconstrução de um do-
-

sistema de escrita nas


crianças a partir dos
-
-

-
-

O QUE APRENDEMOS
HOJE?
-
-

-
-
40
38
12 caderno
cadernodo 12 caderno do professor
doprofessor
professor
22 | LÍNGUA PORTUGUESA

AULA 6 – ESCRITA
AULA 6DA– ESCRITA DA
PARLENDA PARLENDA
-
(EF01LP07)
as notações do sistema
TEMPO de
-
ORGANIZAÇÃO DA TURMA
(EF02LP02) Grafar
palavras desconhecidas -
apoiando-se no som e na
grafia de palavras -
gentes,
familiares e/ou estáveis. respeitando o dis-
tanciamento entre os es-
TEMPO tudantes, de acordo com

ORGANIZAÇÃO DA TURMA
MATERIAIS
Coletiva (carteiras em
semicírculo) Material do estudante,

MATERIAIS PREPARAÇÃO
Material do estudante,
escrita da parlenda, deixe
PREPARAÇÃO anotada na lousa ou no
texto,deixe
escrita na aula an-
escrita da parlenda,
anotada na lousa ou no
(EF01LP07)
texto, escrita naas aula an- do sistema de
notações
-
DESENVOLVIMENTO E IN-
(EF01LP02) -
TERVENÇÕES pontaneamente ou por di-

primeira parte da parlen-

parte do texto, e pergunte


aos estudantesDESENVOLVIMENTO
se muda- E IN-
TERVENÇÕES
riam a escrita de alguma
-
-
primeira parte da parlen-

parte do texto, e pergunte -


aos estudantes se muda-
riam a escrita de alguma -
-
-
13 do
caderno
caderno do professorcaderno doprofessor
do professor
professor 41
39
13

- -

O QUE APRENDEMOS HOJE?


- -
42
40
14 caderno
cadernodo 14 caderno do professor
doprofessor
professor

AULA 7 – LEITURA
AULADE7 PARLENDA
– LEITURA DE PARLENDA
(EF01LP08)
(EF01LP13) TEMPO

TEMPO ORGANIZAÇÃO DA TURMA

ORGANIZAÇÃO DA TURMA
Em duplas. MATERIAIS
MATERIAIS
PREPARAÇÃO
PREPARAÇÃO

(EF01LP08)
(EF01LP13)
DESENVOLVIMENTO E INTERVENÇÕES
DESENVOLVIMENTO E INTERVENÇÕES
-

O QUE APRENDEMOS HOJE?


O QUE APRENDEMOS HOJE?
15 do
caderno
caderno do professorcaderno do professor
professor 43
41
15
LÍNGUA PORTUGUESA | 23
44
42 caderno
16 cadernodo 16 caderno do professor
doprofessor
professor
24 | LÍNGUA PORTUGUESA

AULA 8 – PARLENDA
AULA 8 – PARLENDA
PREFERIDA PREFERIDA
-
(EF01LP13)
-
TEMPO

(EF01LP03) ORGANIZAÇÃO
Comparar DA TURMA
escritas convencionais e
não convencionais, obser-
vando semelhanças e -
diferenças. peitando o distanciamen-
to entre os estudantes, de
TEMPO acordo com as orientações

MATERIAIS
ORGANIZAÇÃO DA TURMA
estudante e material do
MATERIAIS
PREPARAÇÃO
estudante e material do

PREPARAÇÃO criança e considerar seus

criança e considerar seus


(EF01LP13)
-

DESENVOLVIMENTO E IN-
TERVENÇÕES (EF01LP03)
-
-

DESENVOLVIMENTO E IN-
TERVENÇÕES
mais uma parlenda, agora -
-
Atividade 1 – tem o

mais uma parlenda, agora

Atividade 1 – tem o

mo as letras serão orga-


-

mo as letras serão orga-


17 do
caderno
caderno do professorcaderno do professor
professor 45
43
17
LÍNGUA PORTUGUESA | 25

- -

- -
para comparar, para
por exem-
comparar, por exem-
- -

- -
tros segmentos tros
e discuta
segmentos
a e discuta a

Atividade
Atividade 2 – com a par- 2 – com a par-
os integrantes osda integrantes
dupla da dupla
materiais
materiais e, como nas ou-e, como nas ou-
tras situações,traspensem
situações, pensem
- -
- -
ções pontuais ações
partirpontuais
dos a partir dos
- -

orientações paraorientações
todas as para todas as

• • - -

• •

• •
aula,
aula, como a lista decomo
no- a lista de no-

• •

• •
- -
- -
- - O QUEHOJE?
O QUE APRENDEMOS APRENDEMOS HOJE?
- -
- -

- -
46
44
18 caderno
caderno do 18 caderno do professor
doprofessor
professor
26 | LÍNGUA PORTUGUESA

AULA 9 – ESCRITA
AULAINDI-
9 – ESCRITA INDI-
VIDUAL DA PARLENDA
VIDUAL DA PARLENDA
-

(EEF02LP02) TEMPOGrafar
palavras desconhecidas
apoiando-se noORGANIZAÇÃO
som e na DA TURMA
grafia de palavras
familiares e/ou estáveis. -
gentes, respeitando o dis-
TEMPO tanciamento entre os es-
tudantes, de acordo com

ORGANIZAÇÃO DA TURMA
MATERIAIS
Individual.
PREPARAÇÃO
MATERIAIS Para os estudantes escre-
-
-
PREPARAÇÃO
Para os estudantes escre-
- -
-
gestões, considerando o

(EF01LP02) -
pontaneamente
- ou por di-
gestões, considerando o

DESENVOLVIMENTO E IN-
TERVENÇÕES
DESENVOLVIMENTO
- E IN-
tante retomar aTERVENÇÕES
situação
-
tante retomar a situação
-
-
tir disso, oriente cada um -
-
tir disso, oriente cada um

-
-
-
19 do
caderno
caderno do professorcaderno do professor
professor 47
45
19
LÍNGUA PORTUGUESA | 27

AULA 10 – O AULA
LIVRO10DE– O LIVRO DE
PARLENDAS PARLENDAS
-
(EEF02LP02) Grafar
TEMPO palavras desconhecidas
apoiando-se no som e na
ORGANIZAÇÃO DA TURMA de
grafia palavras
familiares e/ou estáveis.
-
(EF01oLPdis-
gentes, respeitando 07) Compreender
tanciamento entre os es- do sistema de
as notações
tudantes, de acordo
escritacom alfabética -
segmentos sonoros e
MATERIAIS letras.
TEMPO
PREPARAÇÃO
ORGANIZAÇÃO
Leia todos os textos produ- DA TURMA
Em duplas.-
MATERIAIS

PREPARAÇÃO
Leia todos os textos produ-
depender das condições -

depender das condições


-
-
(EF01LP02) -
pontaneamente ou por

- -

(EF01LP07)
O QUE APRENDEMOS HOJE? as notações do sistema de
-
48
46
20 caderno
caderno do 20 caderno do professor
doprofessor
professor

DESENVOLVIMENTO
DESENVOLVIMENTO
E INTERVENÇÕESE INTERVENÇÕES
-

O QUE APRENDEMOS
O QUEHOJE?
APRENDEMOS HOJE?

Sugestões de atividades dode


Sugestões Leratividades
e Escreverdo Ler e Escrever

Unidade 1 Unidade 1

Unidade 1 Unidade 1
caderno do professor 49
47
50 caderno do professor
48
caderno do professor 55
49

Olá, Professor! Olá, Professora!


No processo de alfabetização inicial, o trabalho de reescrita é especialmente favorável devido à possibilidade de os estu-

- -

- -

- -

Aulas em que as Aulas em que as


Objetos de conhecimento Habilidades Habilidades habilidades são habilidades são
trabalhadas trabalhadas

Construção do sistema alfabético Aula 3 Aula 3

Produção escrita

Produção escrita

Construção do sistema alfabético

Construção do sistema alfabético


56
50 caderno do professor

Construção do sistema
Construção
alfabético
do sistema alfabético

- -
Construção do sistema alfabético
Construção do sistema alfabético

Segmentação de palavras
Segmentação de palavras

- -
Compreensão em Compreensão
leitura em leitura

Compreensão em Compreensão
leitura em leitura
Elementos
Elementos constitutivos da constitutivos da
narrativa narrativa
3 do
caderno
caderno do professorcaderno do professor
professor 573
51
LÍNGUA PORTUGUESA | 31

MATERIAIS ORGANIZAÇÃO DA TURMA


Coletiva (carteiras em
do acervo da escola,
roda).texto
O príncipe-rã ou Henrique
de ferro MATERIAIS
PREPARAÇÃO
do acervo da escola, texto
O príncipe-rã ou Henrique
de ferro
melhor maneira de apre-
PREPARAÇÃO
sentar a proposta aos es-
precisa ser feita a partir de
melhor maneira de apre-
pense para quem sentar a proposta aos es-
a rees-
crita de um conto pode ser
encaminhada eprecisa ser feita a partir de
considere
o portador mais ajustado
pense para quem a rees-
destinado à aula crita
comde an-
um conto pode ser
encaminhada e considere
o portador
de contos do acervo da es- mais ajustado
cola para poder fazer uma
destinado à aula com an-
(EF01LP26A) de contos -do acervo da es-
preender diferentes tex-poder fazer uma
cola para
-
-
DESENVOLVIMENTO E IN-
(EF01LP26B) TERVENÇÕES
na leitura de diferentes -
tando aos -estudantes que
-literário (contos, fábulas,
elementos trabalho a partir da leitu-
constituintes
ra e da reescrita de con-
quais eles conhecem,
quais são os preferidos
DESENVOLVIMENTO delesE e IN-
estimule-os para
TERVENÇÕES que comentem sobre os
-
tando aos estudantes que
sobre as tramas que
AULA 1 – APRESENTAÇÃO DO TRABALHO ÀS CRIANÇAS trabalho a partirconsideram
da leitu- mais atra-
tivas.
ra e da reescrita de con-
(EF01LP26A) Ler e compreender diferentes textos do campo artístico-literário:
contos, fábulas, lendas, entre outros.
(EF01LP26B) Identificar, na leitura de diferentes textos do campo quais artístico-eles conhecem,
quais são os preferidos
-literário (contos, fábulas, lendas, entre outros), os elementos constituintes da
narrativa: personagens, narrador, conflito, enredo, tempo e espaço. deles e estimule-os para
que comentem sobre os
TEMPO
58
52
4 caderno
cadernodo 4 caderno do professor
doprofessor
professor
32 | LÍNGUA PORTUGUESA

sobre as tramas que consi-


O príncipe-rã ou Henrique
de ferro e promova uma
conversa em torno da lei- ou Henrique
O príncipe-rã
de ferro e promova uma
apresentadas no materialem torno da lei-
conversa
do aluno e outras conside-
apresentadas - no material
tos de tradição do
oralaluno
costu-e outras conside-
-
que pode ser umatos dechave
tradição oral costu-
de leitura interessante no
que pode ser uma chave
de leitura interessante no
e as diferenças entre as
ser uma maneirae de
as apro-
diferenças entre as
fundar a compreensão da
leitura ao mesmo tempo
ser uma maneira de apro-
-
fundar a compreensão da
leitura ao mesmo tempo
das partes que costumam -
apresentar diferenças é
das partes que costumam
com a rã em seu quarto; diferenças é
apresentar
há textos em que ela bei-
com a rã -em seu quarto;
há textos em que ela bei-
-
estudantes conhecerem
comparação entre elas ou conhecerem
estudantes
apresente outras inter-
comparação entre elas ou
opor apresente outras inter-
opor

contos tradicionais e rees-


crever um deles por meio
contos tradicionais e rees-
crever um deles por meio
com eles sobre a situação
comunicativa proposta,
com eles sobreapresentar em uma rede social da escola, um livro para presentear outra turma, entre
a situação
onde o texto será publi-
comunicativa proposta,
cado, quem serão os lei-
onde o texto será publi- -
escreverão e como lizados na
será serão os lei-
cado, quem roda, permitindo o empréstimo para a realização da leitura em casa, se

escreverão e como será


5 do
caderno
caderno do professorcaderno do professor
professor 595
53

O QUE APRENDEMOS HOJE?

AULA 2 – AGENDA DE LEITURA


(EF01LP08)
(EF01LP13)
(EF12LP01)

(EF01LP26A) -
TEMPO

ORGANIZAÇÃO DA TURMA
Coletiva e individual.
MATERIAIS

PREPARAÇÃO

DESENVOLVIMENTO E NTERVENÇÕES

- -

-
-

-
tipo de leitu-

tipo de leitu-
660
54 caderno
cadernodo 6 caderno do professor
doprofessor
professor

O QUE APRENDEMOS
O QUEHOJE?
APRENDEMOS HOJE?

AULA 3 – PERSONAGENS
AULA 3 – PERSONAGENS
(EF01LP07) TEMPO
(EF01LP13)
(EF01LP26B)
ORGANIZAÇÃO DA TURMA
TEMPO
MATERIAIS
ORGANIZAÇÃO DA TURMA
Individual. PREPARAÇÃO
MATERIAIS

PREPARAÇÃO (EF01LP07)
(EF01LP13)
(EF01LP26B)
DESENVOLVIMENTO E INTERVENÇÕES
DESENVOLVIMENTO E INTERVENÇÕES

Na Atividade 1
Na Atividade 1

A Atividade 2
A Atividade 2 -

O QUE APRENDEMOS HOJE?


O QUE APRENDEMOS HOJE?
7 do
caderno
caderno do professorcaderno do professor
professor 617
55
LÍNGUA PORTUGUESA | 33
62
56
8 caderno
cadernodo 8 caderno do professor
doprofessor
professor
34 | LÍNGUA PORTUGUESA
9 do
caderno
caderno do professorcaderno do professor
professor 639
57
LÍNGUA PORTUGUESA | 35

MATERIAIS MATERIAIS
Os sete corvos
Os sete corvos

PREPARAÇÃO PREPARAÇÃO
- -

mediação que mediação


contribua que contribua
para que os estudantes
para que os estudantes
avancem na compreensão
avancem na compreensão
leitora
leitora e possam e possam reescre-
reescre-

(EF01LP26A) -
preender diferentes tex-
DESENVOLVIMENTO E IN-
TERVENÇÕES
A proposta da aula é fazer
a leitura do conto Os sete
DESENVOLVIMENTO E IN-
corvos, escolhido para ser
TERVENÇÕES -
A proposta da aula é fazer
produção,
a leitura do conto Os sete para quem e
corvos, escolhidopara serproduzirão uma
paraque
versão do- conto, e expli-
que que é muito impor-
produção, paratante
quempres e tarem atenção
para que produzirão uma
versão do conto, e expli-
que que é muito a entonação,
impor- o ritmo e
tante prestaremas atenção
pausas ajustadas em

narrativa, por exemplo,


a entonação, o ritmo e
(quando
as pausas ajustadas ema menina sai em
-
cantamento
narrativa, por exemplo, dos estudan-
tes (no encontro dos ir-
(quando a menina sai em
para pode- r conversar em
cantamento dos estudan-
tes (no encontro dos ir- -
tas podem nortear a con-
constam do mate-
versa eem
para poder conversar
AULA 4 – LEITURA DE UM CONTO
(EF01LP26A) Ler e compreender diferentes textos do campo artístico-literário; escutando- primeiramente
o que
tas podem nortear eles comentam so-
a con-
conto, fábulas, lendas, entre outros. versa e constam do mate-
TEMPO
escutando primeiramente
ORGANIZAÇÃO DA TURMA o que eles comentam so-
Coletiva (carteiras em roda).
64
58
10 caderno
cadernodo 10 caderno do professor
doprofessor
professor
36 | LÍNGUA PORTUGUESA

provoquem umaprovoquem
maior re- uma maior re-

que os estudantes
que os
ques-
estudantes ques-

entre eles para entre


pensarem
eles para pensarem

permite que todos


permite
se be-
que todos se be-

O QUE APRENDEMOS
O QUE APRENDEMOS
HOJE? HOJE?
- -
tes sobre quaistesaspectos
sobre quais aspectos
do conto mais apreciaram
do conto mais apreciaram
e que precisam,e que
necessa-
precisam, necessa-
riamente, estarriamente,
presentesestar presentes

AULA 5 – LEItura
AULA PLA-
5 – LEITURA, RE-
NEJAMENTO E RECONTO
CONTO E PLANEJAMENTO
(EF01LP26B) Identificar, na- -
leitura de diferentes textos
TEMPO
do campo artístico-literário
(contos, fábulas, lendas,
entre ORGANIZAÇÃO
outros), os DA TURMA
elementos constituintes da -
narrativa: personagens,
narrador, conflito,
tes,enredo,
respeitando o distan-
tempo e espaço.ciamento entre os estu-
dantes, de acordo com as
TEMPO

MATERIAIS
ORGANIZAÇÃO DA TURMA
Ossetecorvos
Coletiva (carteiras
PREPARAÇÃO
em semicírculo).
aula anterior, leia o texto
MATERIAIS - (EF01LP26B)
neje uma nova mediação nova mediação que contribua, agora, para que os estudantes
Os sete corvos planeje uma
observem detalhes considerados cruciais para a reescrita do conto e que foram
PREPARAÇÃO que os estudantes poucoobser-
observados.
DESENVOLVIMENTO E INTERVENÇÕES
vem detalhesDESENVOLVIMENTO
considera- E INTERVENÇÕES
dosocruciais
aula anterior, leia texto para a rees- -
crita do conto
- e que foram
11 do
caderno
caderno do professorcaderno do professor
professor 65
59
11

A Atividade 1 consiste em ler novamente o texto na íntegra para conversar com os/as estudantes - sobre os
detalhes que talvez não tenham sido percebidos anteriormente, bem como para que a discussão foque mais
na sequência dos acontecimentos que marcam a narrativa.
Na Atividade 2, após terem conhecido bem o conto, os/as estudantes irão listar coletivamente - quais são os
episódios que não podem faltar na reescrita. Essa lista é denominada planejamento do texto e deve apoiar o
processo de textualização do conto. É um procedimento de escritor/a que precisa ser ensinado aos/às estudantes.
No caso da reescrita, uma lista com os acontecimentos já é o suficiente para a produção, mas um cuidado precisa
ser levado em consideração: o registro é algo muito sintético e não apresenta linguagem típica do conto. Por
exemplo, em vez de escrever “era uma vez um homem que tinha sete filhos e a mulher estava esperando mais
um” escreva “apresentação dos personagens – o homem com sete daí, então,
filhos para contar
e aaímulher a his- uma menina”.
esperando
Essa orientação é importante para que, no momento da textualização, o/a estudante possa de fato pensar na
linguagem escrita e organizá-la do melhor modo para escrever.
Antes de planejamento
sugerir a reescrita do conto (aula seguinte), os/as estudantes farão o reconto do texto- Os sete corvos.
Peça aos/às estudantes que recontem oralmente a história de acordo com o planejamento. Esta -atividade é uma
ótima oportunidade para recuperarem e organizarem os acontecimentos do conto, observando a sequência
narrativa e as relações existentes. Nessas situações, podem fazer uso de recursos próprios da linguagem escrita,
característicos do gênero que aprendem conforme ouvem e contam as histórias. Além disso, o reconto - contribui
para que escritores/as iniciantes aprendam a textualizar em linguagem escrita. Ao recontarem como se
estivessem lendo no livro, se esforçam para dizer como autores/as buscam manter as marcas do registro literário.
É comum estudantes falarem a parte da história que querem recontar sem utilizar a linguagem escrita para se
expressar. Outro aspecto esperado é que usem as expressões da oralidade, como “daí”, “então”, “aí”, para contar
a história. Nesses casos, faça intervenções que contribuam para uma reflexão sobre o emprego da linguagem
escrita; voltar ao texto-fonte pode ser uma maneira de ajudar a pensar as alternativas.

Os sete corvos

O QUE APRENDEMOS HOJE?


66
60
12 caderno
cadernodo 12 caderno do professor
doprofessor
professor

AULA 6 – RECONTO
AULA E6REESCRITA
– RECONTO–E1ªREESCRITA
PARTE – 1ª PARTE

(EF01LP25B) TEMPO
(EF01LP25C)
ORGANIZAÇÃO DA TURMA
TEMPO

ORGANIZAÇÃO DA TURMA
MATERIAIS
Coletiva (carteiras em semicírculo).
Os sete corvos
MATERIAIS
PREPARAÇÃO
Os sete corvos

PREPARAÇÃO (EF01LP25B)
(EF01LP25C)
DESENVOLVIMENTO
DESENVOLVIMENTO E INTERVENÇÕESE INTERVENÇÕES

Uma orientação muito importante é escrever exatamente o que eles ditam, sem substituir palavras, sem suprimir

O QUE
O QUE APRENDEMOS APRENDEMOS HOJE?
HOJE?
13 do
caderno
caderno do professorcaderno do professor
professor 67
61
13
LÍNGUA PORTUGUESA | 37

MATERIAIS MATERIAIS

e o conto Os sete
e o corvos
conto Os sete corvos

PREPARAÇÃO PREPARAÇÃO
- -
posto no mural posto
da salanooumural da sala ou

DESENVOLVIMENTO
DESENVOLVIMENTO
E IN- E IN-
TERVENÇÕES TERVENÇÕES

combinem que combinem


darão con- que darão con-
tinuidade ao processo
tinuidadedeao processo de

releiam o que releiam


foi escrito,
o que foi escrito,
fazendo os ajustes
fazendo
neces-
os ajustes neces-

os motivos pelososquais
motivos
es- pelos quais es-
tão reescrevendo
tãooreescrevendo
conto o conto
e leiam com foco
e leiam
na ade-
com foco na ade-
- -

ser que queiram


ser mudar
que queiram mudar
- -

- -

objetivo
objetivo é que os é que os estudan-
estudan-
(EF01LP25B)
lidos, tendo o professor como

(EF01LP25C) os problemas osenfrenta-


problemas enfrenta-
contos produzidos, cuidando da
foco para revisarfoco para revisar e, assim,
e, assim,
não
não se concentrar emsetudo
concentrar em tudo
o que uma
o que pode aparecer, pode aparecer, uma
vez que será vez que será proposta
proposta
uma atividadeuma de atividade
revi- de revi-

AULA 7 – REESCRITA – 2ª PARTE realizadas, faça realizadas,


apenas as faça apenas as
(EF01LP25B) Produzir contos lidos, tendo o professor como escriba.
considerar serem
considerar
per- serem per-
(EF01LP25C) Revisar e editar os contos produzidos, cuidando da apresentação
tinentes, respeitando
tinentes, o respeitando o
final do texto.
TEMPO Uma possibilidade
Umadepossibilidade
en- de en-
caminhamento caminhamento
seria com- seria com-
ORGANIZAÇÃO DA TURMA parar trechos escritos
parar trechos
por escritos por
Coletiva (carteiras em semicírculo). eles com o modo
eles como
com o modo como
68
62
14 caderno
cadernodo 14 caderno do professor
doprofessor
professor
38 | LÍNGUA PORTUGUESA

um autor tenhaumtextuali-
autor tenha textuali-
zado um trechozado
parecido
um trecho parecido
para provocar, para
por exem-
provocar, por exem-
plo, que observem
plo,aque
varie-
observem a varie-

anão da mesa de refeição


anão da mesa de refeição

para o processopara
de escrita
o processo de escrita
e, no seu encaminhamen-
e, no seu encaminhamen-
to, leve em consideração
to, leve em consideração
- -
dos, de não valorizar
dos, desem-
não valorizar sem-
os estudantes menos par- menos par-
os estudantes
ticipativos paraticipativos
que co- para que co-
de escrita de uma passa- de uma passa-
de escrita
que validem ouque
nãovalidem
uma ou não uma

O QUE APRENDEMOS
O QUE APRENDEMOS
HOJE? HOJE?
- -
de o ritmo do de
ditado ser do ditado ser
o ritmo
de acordo com de
o ritmo docom o ritmo do
acordo
escriba e chame atenção
escriba e chame atenção
para a escolhapara
das apala-
escolha das pala-

observarem queobservarem
o contex- que o contex-
15 do
caderno
caderno do professorcaderno do professor
professor 69
63
15

AULA 8 – REESCRITA DA ÚLTIMA PARTE DO CONTO


(EF01LP25B)
(EF01LP25C)

TEMPO

ORGANIZAÇÃO DA TURMA

MATERIAIS

PREPARAÇÃO

DESENVOLVIMENTO E INTERVENÇÕES

-
-

-
-

Combine com a turma que cada dupla irá ler o final que produziu, e que depois escolherão um para finalizar a
PRENDEMOS HOJE?
história produzida coletivamente. Informe que o final escolhido será revisado com o restante do texto.
O QUE APRENDEMOS HOJE?
70
64
16 caderno
cadernodo 16 caderno do professor
doprofessor
professor

AULAs 9 E 10 –AULA
REVISANDO E EDITANDO
9 – REVISÃO O CONTO
DO TEXTO
(EF01LP25B)
(EF01LP25C) TEMPO
(EF01LP03)
(EF01LP12B) ORGANIZAÇÃO DA TURMA

TEMPO
Duas aulas.
MATERIAIS
ORGANIZAÇÃO DA TURMA
Coletivo e em duplas.
PREPARAÇÃO
MATERIAIS

PREPARAÇÃO

(EF01LP25B)
(EF01LP25C)
(EF01LP03)
(EF01LP12B)
DESENVOLVIMENTO E INTERVENÇÕES

DESENVOLVIMENTO E INTERVENÇÕES

Atividade 2, peça que os estudantes deem continuidade ao


-
Atividade 2 -

processo de apropriação da base alfabética, porque não é esperado que deem conta de todos os problemas obtidos

Na Atividade 3 -
-
Na Atividade 3
caderno do professor
caderno professor 65
71
LÍNGUA PORTUGUESA | 39

DESENVOLVIMENTO E
INTERVENÇÕES
Retome os combinados
feitos no início da sequên-
cia sobre o lugar e a for-
ma de circulação do texto
produzido. A partir das
escolhas, oriente quanto à
exploração dos materiais
selecionados para que os/
as estudantes se inspirem
e definam os aspectos grá-
ficos do produto final. Em
seguida, peça que ilustrem
algo da história que consi-
deram interessante e im-
portante para estar presen-
te no livro/mural. Depois,
deixe um tempo para que
apreciem o desenho dos
colegas.
Por fim, os estudantes de-
vem retomar os detalhes
da produção final, consi-
derando o leitor. Considere
as perguntas da Atividade
2 para envolver todos os
estudantes na tomada de
decisões em torno do pro-
duto final.
O QUE APRENDEMOS HOJE?
Converse com os/as estu-
dantes sobre o que apren-
deram ao reescrever o con-
to e ao passar por todo o
processo de revisão. Desta-
que alguns pontos em que
houve avanço e outros que
ainda merecem atenção.
Coloque em discussão tam-
bém, o processo de edição
do produto final como um
que todos possam se beneficiar da competência do outro, considerando uma análise que procedimento importante
não havia sido pensada anteriormente e, diante de alguns desafios, possa ocorrer avanço do escritor, bem como as
nos conhecimentos. decisões tomadas, o resul-
Depois de ter discutido coletivamente, convide os estudantes a revisarem tais palavras e tado final, entre outros as-
outras que considerarem necessárias para deixar o texto bem escrito. Nesse momento, faça pectos relevantes.
invervenções que os ajudem na reflexão sobre a escrita, do mesmo modo que foi feito de
forma coletiva.
66
72
18 caderno
cadernodo 18 caderno do professor
doprofessor
professor
40 | LÍNGUA PORTUGUESA

AULA 10 – REVISÃO DOS


ASPECTOS NOTACIONAIS
-

TEMPO

ORGANIZAÇÃO DA TURMA

-
peitando o distanciamen-
to entre os estudantes, de

MATERIAIS

PREPARAÇÃO

-
lhante ao que será produ-
zido para orientar as esco-

(EF01LP25C)
editar os contos produzi-
dos, cuidando da apresen-

DESENVOLVIMENTO E IN-
TERVENÇÕES
-
do os combinados feitos

de circulação do texto

escolhas, oriente quanto à


exploração dos materiais
selecionados para que os
estudantes se inspirem e
-

que consideram interes-


sante e importante para
19 do
caderno
caderno do professorcaderno do professor
professor 73
67
19

Atividade 2
Sugestões para ampliar o trabalho com o Ler e Escrever

-
Unidade 1 Era uma vez um conto de fadas

O gato de botas
O patinho feio
Sugestões para ampliar o trabalho com o Ler e Escrever
O rouxinol do imperador

Unidade 1 Era uma vez um conto de fadas

O gato de botas
O patinho feio
O rouxinol do imperador
68
74 caderno do professor

Anexo I - Aula
Anexo1 I - Aula 1
O PRÍNCIPE-RÃ
O PRÍNCIPE-RÃ
OU HENRIQUEOUDE
HENRIQUE
FERRO DE FERRO
Irmãos Grimm Irmãos Grimm

companheira de brinquedos, se me deixar sentar ao seu lado à mesa, comer no seu prato de ouro, beber no seu copo, dormir
caderno do professor 75
69

- -
70
76 caderno do professor

Anexo II - Anexo
Aula 4 II - Aula 4
OS SETE CORVOS
OS SETE CORVOS
Irmãos Grimm Irmãos Grimm

A partir desse momento, não se passou um dia sem que a menina se culpasse pela perda dos irmãos, pensando no que
caderno do professor 77
71

- -

Assim dizendo, o anãozinho foi para dentro e voltou trazendo a comida dos corvos em sete pratinhos e a bebida em
caderno do professor 81
73

Olá, Professor! Olá, Professora!

Aulas em que as Aulas em que as


Objetos de conhecimento
Objetos de conhecimento Habilidades Habilidades habilidades são habilidades são
trabalhadas trabalhadas

Construção do sistema alfabético

(EF02LP02) Grafar palavras desconhecidas apoiando-se no


Construção do sistema alfabético som e na grafia de palavras familiares e/ou estáveis.

- -
Construção do sistema alfabético

Construção do sistema alfabético

Construção do sistema alfabético


74
82 caderno do professor

- -

AULA 1 – RODA DE ADIVINHAS


AULA 1 – RODA DE ADIVINHAS
(EF01LP07)
TEMPO
(EF02LP02) Grafar palavras desconhecidas apoiando-se no som e na grafia de palavras familiares e/ou estáveis.
TEMPO ORGANIZAÇÃO DA TURMA

ORGANIZAÇÃO DA TURMA
Coletiva e em duplas (carteiras em círculo).
MATERIAIS
MATERIAIS
PREPARAÇÃO
PREPARAÇÃO
-

(EF01LP07
DESENVOLVIMEN(EF01LP02)
TO E INTERVENÇÕES
-
DESENVOLVIMENTO E INTERVENÇÕES

-
3 do
caderno
caderno do professorcaderno do professor
professor 75
833
LÍNGUA PORTUGUESA | 43

- -

- -

• •

• •
- -

• • - -

- -
- -

O QUE APRENDEMOS
HOJE? O QUE APRENDEMOS HOJE?
- -

- -

- -

- -

- -

- -

- -
76
84
4 caderno
cadernodo 4 caderno do professor
doprofessor
professor
44 | LÍNGUA PORTUGUESA

BOTÃO

BOTÃO

ALHO

ALHO

CHUVA

BULE

BULE
5 do
caderno
caderno do professorcaderno do professor
professor 85
775

AULA 2 – LEITURA DE ADIVINHAS


(EF01LP13)
(EF12LP01) -

(EF01LP08)
TEMPO

ORGANIZAÇÃO DA TURMA
Coletiva e em duplas (carteiras em círculo).
MATERIAIS

PREPARAÇÃO
-
DESENVOLVIMENTO E INTERVENÇÕES
Atividade 1

Atividade 2 - -

O QUE APRENDEMOS HOJE?


78
86
6 caderno
cadernodo 6 caderno do professor
doprofessor
professor

AULA 3 – ESCRITA
AULADE3 UMA
– ESCRITA
ADIVINHA
DE UMA ADIVINHA
(EF02LP12) TEMPO
(EF01LP13)
(EF01LP18) ORGANIZAÇÃO DA TURMA

TEMPO
MATERIAIS
ORGANIZAÇÃO DA TURMA
PREPARAÇÃO
Coletiva e em duplas (carteiras em círculo).

MATERIAIS (EF02LP12)

PREPARAÇÃO (EF01LP13)
(EF01LP18)

DESENVOLVIMENTO E INTERVENÇÕESE INTERVENÇÕES


DESENVOLVIMENTO
Atividade 1 Atividade 1

Atividade 2 Atividade 2
-

Na Atividade 3Na Atividade 3 -

O QUE APRENDEMOS
O QUEHOJE?
APRENDEMOS HOJE?
-
7 do
caderno
caderno do professorcaderno do professor
professor 79
877
LÍNGUA PORTUGUESA | 45
80
88
8 caderno
cadernodo
doprofessor
professor
46 | LÍNGUA PORTUGUESA

A CERCA.

O FUTURO.

QUE ELA ESTEJA ACESA.

GUARDA DE TRÂNSITO.

RABO DE CAVALO.

CAIXA DE FÓSFOROS.

PORQUE SABE A MÚSICA DE COR.


cadernodo
caderno do professor
professor 899
81

AULA 4 – LEITURA DE ADIVINHAS E ESCRITA DAS RESPOSTAS


(EF01LP07) Compreender as notações do sistema de escrita alfabética - segmentos sonoros e letras.
(EF02LP02) Grafar palavras desconhecidas apoiando-se no som e na grafia de palavras familiares e/ou estáveis.
(EF01LP13) Comparar o som e a grafia de diferentes partes da palavra (começo, meio e fim).

TEMPO

ORGANIZAÇÃO DA TURMA

MATERIAIS

PREPARAÇÃO

DESENVOLVIMENTO E INTERVENÇÕES

Ressaltando que a reflexão sobre os aspectos quantitativos pode fazer mais sentido aos/às estudantes com
escrita pré-silábica.
-

O QUE APRENDEMOS HOJE?


90
82
10 caderno
cadernodo 10 caderno do professor
doprofessor
professor

AULA
AULA 5 – ESCRITA DE5UMA
– ESCRITA DE UMA ADIVINHA
ADIVINHA
(EF01LP18) TEMPO

TEMPO ORGANIZAÇÃO DA TURMA

ORGANIZAÇÃO DA TURMA
Em duplas. MATERIAIS
MATERIAIS
PREPARAÇÃO
PREPARAÇÃO

(EF01LP18)
DESENVOLVIMENTO E INTERVENÇÕES
DESENVOLVIMENTO E INTERVENÇÕES -

O QUE APRENDEMOS HOJE?


O QUE APRENDEMOS HOJE? -

AULA 6 – REVISANDO AS PALAVRAS


(EF01LP18) AULA 6 – REVISANDO AS PALAVRAS

(EF01LP03) TEMPO
TEMPO
ORGANIZAÇÃO DA TURMA
ORGANIZAÇÃO DA TURMA
Em duplas.
MATERIAIS MATERIAIS

PREPARAÇÃO PREPARAÇÃO
-

(EF01LP18)
11 do
caderno
caderno do professorcaderno do professor
professor 91
83
11
LÍNGUA PORTUGUESA | 47

- -
- -
- -
- -
- -
- -

- -

• •
- -

• •
- -
- -

- -

- -

- -
- -

O QUE O QUE APRENDEMOS


APRENDEMOS
HOJE? HOJE?

- -

- - -
- -
DESENVOLVIMENTO E INTERVENÇÕES
- -
- -
- -
- -
92
84
12 caderno
cadernodo 12 caderno do professor
doprofessor
professor
48 | LÍNGUA PORTUGUESA

AULA 7 – CRIANDO
AULA 7UM– CRIANDO UM
CADRAQUE CADRAQUE
-
(EF01LP18)
TEMPO

ORGANIZAÇÃO
- DA TURMA
-

-
-
TEMPO

ORGANIZAÇÃO DA TURMA
MATERIAIS

MATERIAIS PREPARAÇÃO

PREPARAÇÃO

-
- -
-
(EF01LP18)

DESENVOLVIMENTO E IN-
TERVENÇÕES -
-
-

DESENVOLVIMENTO E IN-
TERVENÇÕES
- -

-
13 do
caderno
caderno do professorcaderno do professor
professor 93
85
13
LÍNGUA PORTUGUESA | 49

AULA 8 – ESCRITA
AULA 8DE– ESCRITA DE
UMA ADIVINHAUMA
CONHE-
ADIVINHA CONHE-
CIDA CIDA -
(EF01LP18)
-

TEMPO
-
-
ORGANIZAÇÃO DA TURMA

TEMPO
-
-
ORGANIZAÇÃO DA TURMA
Individual.
MATERIAIS
MATERIAIS

PREPARAÇÃO
PREPARAÇÃO
Disponibilizar um
banco de adivinhas
conhecidas,
- utilizando
algum recurso
imagético- para que os/
as estudantes
- possam
escolher qual delas é a
preferida. Não é
necessário que seja
(EF01LP18) escrito, justamente
para que os/as
estudantes redijam.
-
DESENVOLVIMENTO E IN-
-
TERVENÇÕES

DESENVOLVIMENTO E IN- -
TERVENÇÕES
-
-
-

-
-
Pode ser muito interessante pedir que os estudantes compartilhem as estratégias
-
utilizadas para escrever o Cadraque. Por exemplo, o modo como decidiram o que
descrever sobre a palavra escolhida para a resposta. Perguntar, no final, qual Cadraque
eles acharam mais fácil, mais difícil ou mais interessante, podendo ser uma forma de
finalizar a aula. - -
O QUE APRENDEMOS HOJE?
Produzir um texto exige pensar sobre o que estamos escrevendo, para quem e
por quê.
94
86 caderno
14 cadernodo 14 caderno do professor
doprofessor
professor
50 | LÍNGUA PORTUGUESA

- -

- -

-
grafar as palavras. Uma -
sugestão seria escrever a
adivinha pesquisada
entre os familiares. Como -
eles compartilharam com -
a turma, devem saber de
memória.
Lembre-se do início da
adivinha (O que é, o que -
é...), pois esse trecho, por
ter sido lido e escrito em
vários momentos pelos
estudantes, precisa de
atenção redobrada para -
não ser esquecido. Se as -
crianças precisarem de
apoio, ofereça um
contexto escrito, algo do -
mural da sala que possa
ajudá-las na escrita.
- -
-
-
-
-

- -

O QUE - APRENDEMOS
O QUE APRENDEMOS
HOJE? - HOJE?
- -

- -
-
15 do
caderno
caderno do professorcaderno do professor
professor 95
87
15

AULA 9A –ADIVINHA
REVISÃO DA ADIVINHA

(EF01LP18)

(EF01LP03)
TEMPO

ORGANIZAÇÃO DA TURMA
Em duplas.
MATERIAIS
-
PREPARAÇÃO
-

DESENVOLVIMENTO E INTERVENÇÕES

-
-

Para além dos aspectos da escrita das palavras, é fundamental que os/as estudantes tenham a oportunidade de
observar os aspectos específicos do gênero, relacionando-os com a situação comunicativa. Por isso, selecione
uma adivinha para fazer a revisão coletivamente. Faça um planejamento dos aspectos importantes para realizar a
revisão, a partir das observações e análises dos textos dos/das estudantes. -
O QUE APRENDEMOS HOJE?
-

AULA 10 – FESTIVAL DE ADIVINHAS


(EF02LP02) Grafar palavras desconhecidas apoiando-se no som e na grafia de palavras familiares e/ou estáveis.
TEMPO

ORGANIZAÇÃO DA TURMA
Coletiva e individual.
MATERIAIS

PREPARAÇÃO
-
96
88
16 caderno
caderno do 16 caderno do professor
doprofessor
professor

DESENVOLVIMENTO
DESENVOLVIMENTO E INTERVENÇÕESE INTERVENÇÕES

O QUE APRENDEMOS
Para terminar a sequência HOJE? faça uma conversa em torno das perguntas da Atividade 3, considerando a
e concluir o trabalho,
reação do público, a expectativa criada por cada um, como se deu o resultado e o que gostariam de destacar sobre a
experiência vivida.

O QUE APRENDEMOS HOJE?


Nesta aula, aprendemos o quão importante foi estudar e escrever adivinhas para apresentá-las para o público.

Sugestões de atividades do Ler e Escrever


Sugestões de atividades do Ler e Escrever
caderno do professor 97
89

Anexo I - BANCO
Anexo DE
I - ADIVINHAS
BANCO DE ADIVINHAS
O QUE É, OOQUE
QUEÉ...
É, O QUE É...
98 caderno do professor
90
caderno do professor 99
91
caderno do professor 103
93

Olá, Professor! Olá, Professora!


Esta sequência tem o propósito de trabalhar com as receitas preferidas dos estudantes. Do ponto de vista da aprendiza-
gem da língua, eles serão colocados diante de uma prática social real, da qual fazem parte, ao aprender a ler e escrever para
entender o modo de preparo e os ingredientes necessários para fazer uma receita. Dessa forma, o foco desta sequência são

consolidação da alfabetização por meio de suas receitas preferidas.


De acordo com Ana María Kaufman e María Helena Rodríguez1(1995, , “os textos instrucionais
p. 35-36) 1
, “os textos
dãoinstrucionais
orientações dão orientações
precisas para a realização das mais diversas atividades, como jogar, preparar comida, cuidar de plantas ou animais domésti-
cos, usar um aparelho eletrônico, consertar um carro etc. [...] Todos eles, independente de sua complexidade, compartilham
da função apelativa, à medida que prescrevem ações e empregam a trama descritiva para representar o processo a ser se-
guido na tarefa empreendida. [...] A habilidade alcançada no domínio destes textos incide diretamente em nossa atividade

algumas de suas variedades, como as receitas e as instruções.”

leitura e escrita tenham algum sentido. Além disso, as listas de ingredientes, por sua estrutura simples, oportunizam muitas

- -
sões ao longo do trabalho para cumprir o propósito estabelecido.

Habilidades do Currículo Paulista a serem desenvolvidas nesta sequência didática:

Aulas em que as Aulas em que as


Objetos de conhecimento Habilidades Habilidades habilidades são habilidades são
trabalhadas trabalhadas

(EF01LP07) Compreender as notações


(EF01LP07) do sistema
Compreender de escrita
as notações do alfabética
sistema de escrita alfabética
Construção do sistema alfabético Aulas 1, 3, 5, 6, 7 eAulas
9 1, 3, 5, 6, 7 e 9
– segmentos sonoros e letras. sonoros e letras.
– segmentos

(EF01LP02) Escrever, espontaneamente ou por ditado, palavras e


(EF02LP02) Grafar palavras desconhecidas apoiando-se no som e na
Construção do sistema
frasesalfabético
de forma alfabética - usando
grafia de letras/grafemas
palavras familiares e/ouque representem
estáveis. Aulas 1, 4, 5 e 7 Aulas 1, 4, 5 e 7
fonemas.

(EF01LP03) Comparar escritas convencionais


(EF01LP03) e não
Comparar escritas convencionais,
convencionais e não convencionais,
Construção do sistema alfabético Aulas 1, 2, 6 e 9 Aulas 1, 2, 6 e 9
observando semelhanças e diferenças.
observando semelhanças e diferenças.

Construção do sistema alfabético Aulas 3, 5 e 6 Aulas 3, 5 e 6

1 KAUFMAN, A. M.; RODRÍGUEZ, M. eH.produção


Escola, leitura de textos.
Escola, leitura Porto Alegre:
e produção Artmed,
de textos. Porto1995.
Alegre: Artmed, 1995.
104 caderno do professor
94

(EF01LP17) Produzir,(EF01LP17)
em colaboração
Produzir,
comemoscolaboração
colegas e com
coma os
docolegas
pro- e com a do pro-
fessor, legendas para
fessor,
álbuns,
legendas
fotos ou
parailustrações
álbuns, fotos
(digitais
ou ilustrações
ou impres-(digitais ou impres-
Produção escrita Produção escrita sos), entre outros textos
sos), entre
do campo
outrosdatextos
vida cotidiana,
do campoconsiderando
da vida cotidiana,
a considerando
Aulas 4, 7, 8,a 9 e 10
situação comunicativa,
situação
o tema/assunto,
comunicativa, a estrutura
o tema/assunto,
composicional
a estrutura
e o composicional e o
estilo do gênero. estilo do gênero.

(EF02LP16A) Ler e compreender


(EF02LP16A) Ler diferentes
e compreender
textos dodiferentes
campo datextos
vida do campo da vida
cotidiana (bilhetes,cotidiana
recados, (bilhetes,
avisos, cartas,
recados,
receitas,
avisos,
relatos,
cartas,
entre
receitas, relatos, entre
Compreensão em Compreensão
leitura em leitura Aula 2 Aula 2
outros), considerando
outros),
a situação
considerando
comunicativa,
a situação
o tema/assunto,
comunicativa, a o tema/assunto, a
estrutura composicional
estrutura
e o estilo
composicional
do gênero.e o estilo do gênero.

AULA 1 – CONHAULA
ECENDO
1 – RECEITAS
CONHECENDO RECEITAS
Conversa
(EF01LP03) Comparar com o/a
escritas professor/a e não convencionais, observando semelhanças e diferenças.
convencionais
TEMPO
(EF01LP07) Compreender as notações do sistema de escrita alfabética - segmentos sonoros e letras.
Uma
(EF02LP02) Grafar aula. desconhecidas apoiando-se no som e na grafia de palavras familiares e/ou estáveis.
palavras
ORGANIZAÇÃO DA TURMA
TEMPO Coletiva e individual.
Uma aula. MATERIAIS
Material
ORGANIZAÇÃO DA TURMAdo estudante, tarjetas de papel.
Coletiva e individual.
zação dos objetos.
MATERIAIS PREPARAÇÃO
Material do estudante, tarjetas de papel.
aos conhecimentos prévios do grupo.
PREPARAÇÃO
Reserve tarjetas(EF01LP03) Comparar
de papel para escritas convencionais
cada estudante e leia todas aseorientações
não convencionais, observando
da sequência semelhanças
para ajustar e diferenças.
as propostas
(EF01LP07) Compreender
aos conhecimentos prévios do grupo. as notações do sistema de escrita alfabética - segmentos sonoros e letras.
(EF01LP02)
DESENVOLVIMENTO mas Eque
INTERVENÇÕES
representem fonemas.
Comece a aula com uma roda de conversa
DESENVOLVIMENTO sobre as comidas preferidas das crianças, destacando aquelas que pre-
E INTERVENÇÕES
cisam de preparo e não são industrializadas ou de origem vegetal que podem ser comidas cruas, como as frutas.
Quando mencionarem um bolo, por exemplo, pergunte se sabem como é feito e como podemos conhecer o seu
modo de preparo. A ideia é sondar se elas entendem que as receitas são textos aos quais recorremos para preparar
um prato doce ouQuando mencionarem
salgado. Provoque umaum bolo, por exsobre isso: “Se quisermos preparar um bolo, em que textos
discussão
poderemos procurar o seu modo de preparo?”.
Depois de ouvirpoderemos
suas respostas, siga para
procurar o seuomodo
material do estudante para ler a receita do bolo de cenoura. Pergunte a
de preparo?”.
elas se gostam desse bolo e informe-as de que começarão a ler as receitas para analisar como são escritas.
Depois de ouvir suas respostas, siga para o material do estudante para
elas se gostam desse bolo e informe-as de que começarão a ler as receitas para analisar como são escritas.
“Precisamos de quantas e quais letras para compor a palavra que queremos registrar?”; “Que posição elas devem
ocupar?” etc. Utilize as palavras estáveis (em geral, o nome dos estudantes) para servir de apoio à escrita.
ocupar?” etc. Utilize as palavras estáveis (em geral, o nome dos estudantes) para servir de apoio à escrita.
3 do
caderno
caderno do professorcaderno professor 105
do professor 953
LÍNGUA PORTUGUESA | 51

- -
que a produção,queconferin-
a produção, conferin-
do sentido à tarefa.
do sentido à tarefa.
O QUE APRENDEMOS
O QUE APRENDEMOS
HOJE? HOJE?
Converse com osConverse
estudan-com os estudan-
tes sobre a receita
tes sobre
comoa receita como
um texto que procuramos
um texto que procuramos
para preparar para
um prato
preparar um prato
e destaque as eprimeiras
destaque as primeiras

do gênero. Comente
do gênero.
tam- Comente tam-

e os resultados,e tanto
os resultados,
em tanto em
relação às preferências
relação às preferências
dos estudantes,doscomo
estudantes,
da como da
escrita que produziram
escrita quee produziram e
sua evolução. sua evolução.

preferidos dos estudantes.


A partir A partir
da análise da análise
das receitas quedas receitas
ocupam os que ocupam os primeiros
primeiros
vão ler e escrever as receitas doce e salgada preferidas da turma e pergunte o que
poderiam fazer com elas. Eles poderão escrever as receitas para publicar em uma
rede social da escola ou da turma, organizar um livro ou, ainda, servir um lanche na
escola. O importante é garantir que as receitas produzidas tenham um interlocutor,
4106
96 caderno
cadernodo 4 caderno do professor
doprofessor
professor
52 | LÍNGUA PORTUGUESA

AULA 2 – RODAAULA
DE LEI-
2 – RODA DE LEI-
TURA TURA
Conversa com o/a profes-
(EF02LP16A) Ler sor/a
e com-
TEMPO tex-
preender diferentes
tos do campo da Uma aula.
vida co-
tidiana (bilhetes, recados, DA TURMA
ORGANIZAÇÃO
avisos, cartas, receitas,
Coletivare-e em pequenos
latos, entre outros), consi-
grupos.
derando a situação comu-
MATERIAISa
nicativa, o tema/assunto,
Material edo estudante, li-
estrutura composicional
vros de receitas, revistas e
o estilo do gênero.
receitas avulsas.
TEMPO É importante seguir as
Uma aula. orientações dos órgãos de
saúde sobre o distancia-
ORGANIZAÇÃO DA TURMA
mento entre os estudan-
Coletiva e em tes pequenos
e a higienização dos
grupos. objetos.
PREPARAÇÃO
MATERIAIS Separe materiais em
Material do estudante, li-
vros de receitas,para
revistas
o usoe de todos os es-
receitas avulsas.tudantes. Se a quantidade

PREPARAÇÃO selecione receitas avul-


Separe sas. Considere
materiais em na escolha
receitas com diferentes
estruturas
para o uso de todos os es- para poder te-
matizar
tudantes. Se a quantidade as características
do gênero.
(EF02LP16A)
selecione receitas avul- Ler e com-
sas. Considere na escolha diferentes tex-
preender
receitas com tos diferentes
do campo da vida co-
estruturas paratidiana
poder (bilhetes,
te- recados,
matizar as características
avisos, cartas, receitas, re-
do gênero. latos, entre outros), consi-
derando a situação comu-
nicativa, o tema/assunto, a
estrutura composicional e
o estilo do gênero.
DESENVOLVIMENTO
DESENVOLVIMENTO
E IN- nização
E da
IN-obra, mas, se não for possível, podem ser usadas revistas ou receitas avul-
TERVENÇÕES TERVENÇÕES
Nesta aula, a proposta
Nesta aula, é a leitura,
proposta façaé colocações que exijam a análise do portador, por exemplo: “Como faço
que os estudantes que façam
os estudantes façamse hápara
para saber umasaber
receita
se de
há doce, como brigadeiro,
uma receita no material?”.
de doce, como brigadeiro, no material?”.
uma leitura exploratória
uma leitura exploratória
Outra análise necessária é sobre os diferentes formatos do gênero: algumas receitas
de materiais que de podem
materiais que podemapenas os ingredientes e o modo de preparo, enquanto outras apresen-
informam
conter receitas.conter
O idealreceitas.
é O ideal é -
ter livros, para que
ter eles
livros,
ob-para que
te tereles ob-diversidade de estruturas composicionais para discutir mais amplamente
essa
servem o índiceservem
e a orga-
o índice e a orga- as
as informações queinformações
podem constar
que nas receitas.
podem constar nas receitas.
5 do
caderno
caderno do professorcaderno professor 107
do professor 975
LÍNGUA PORTUGUESA | 53

O QUE APRENDEMOS
O QUE APRENDEMOS
HOJE? HOJE?
Nesta aula, os estudantes
Nesta aula, os estudantes
se aproximaram se aproximaram
ainda ainda
mais do gênero maisreceita.
do gênero receita.
Professor/a, relacione
Professor/a,
o relacione o
que já sabiam eque
o que
já des-
sabiam e o que des-
cobriram a partir
cobriram
das dis-a partir das dis-
cussões com basecussões
nos ma-
com base nos ma-
teriais disponibilizados.
teriais disponibilizados.
AULA 3 – LENDO
AULAO 3ÍN-– LENDO O ÍN-
DICE DE UM DICE
LIVRODEDEUM LIVRO DE
RECEITAS RECEITAS
Conversa com
o/a profes-
sor/a (EF01LP07) Compreender
TEMPO
as notações do sistema de
mpostos de escrita alfabética – seg-
Uma
ue as aula.
instru-
mentos sonoros e letras.
ORGANIZAÇÃO DA(EF01LP13)
TURMA Comparar o
- duplas.
Coletiva e em -
e aproximar tes partes da palavra (co-
MATERIAIS
Material do estudante, li-
vros de receitas,TEMPO
revistas.
É importante Uma seguir as
aula.
orientações dos órgãos de
saúde sobre o ORGANIZAÇÃO
distancia- DA TURMA
mento entre osColetiva
estudan-e em duplas.
tes e a higienização
MATERIAISdos
objetos. Material do estudante, li-
PREPARAÇÃO vros de receitas, revistas.
Dos materiais disponíveis,
PREPARAÇÃO
selecione alguns livros
que contenhamDos materiais
índices e disponíveis,
sumários com característi- alguns livros
selecione
que
cas distintas para contenham índices e
explorar
com os estudantes. Deixecom característi-
sumários
cas inclusi-
alguns separados, distintas para explorar
com ospré-
ve com uma seleção estudantes. Deixe
alguns
via de partes que podemseparados, inclusi-
interessá-los. ve com uma seleção pré-
via de partes que podem
(EF01LP07) Compreender
interessá-los.
as notações do sistema de
Os estudantes também poderão observar que os ingredientes são co escrita alfabética – seg-
uma lista de elementos necessários, com suas devidas quantidades, e q mentos sonoros e letras.
ções são organizadas em tópicos no modo de preparo. É comum o uso (EF01LP13)
de palavras Comparar o
- -
dantes não precisam compreender que se trata de verbos, mas podem s tes partes da palavra (co-
roximar
das ações de comando geralmente presentes no texto das receitas.
Depois de deixar os estudantes explorarem os materiais, abra uma roda para a so-
cialização das descobertas. Registre em um cartaz as conclusões a que chegaram.
6 caderno do professor
6 caderno do professor
108
98
6 caderno
cadernodo 6 caderno do professor
doprofessor
professor
54 | LÍNGUA PORTUGUESA
DESENVOLVIMENTO
DESENVOLVIMENTO
E IN- E IN-
DESENVOLVIMENTO
TERVENÇÕES DESENVOLVIMENTO
E IN-
TERVENÇÕES E IN-
TERVENÇÕES TERVENÇÕES
A exploração doA índice exploração é do índice é
Auma exploração
boa situação doAuma índice
exploração
didática é do índice
boa situação didáticaé
uma boa situação
para a leitura que uma
para didática
boa
leitura que didática
osaestu- situação os estu-
para a leitura
dantes podem dantes que
para fazer leitura
os a estu-
podemquefazer
por os estu-
por
dantes podem
si mesmos, permitindo dantes
fazer por
podem
si mesmos, permitindo fazer por
si mesmos,
muitas discussões permitindo
si
muitas mesmos,
sobrediscussões
a permitindo
sobre a
muitas
organização discussões
dosmuitas sobrediscussões
organização
livros. a dos livros. sobre a
organização
A Atividade 1 tem dos organização
livros.
A Atividade dos
o pro- 1 tem o pro- livros.
Atividade
Apósito 1 tem
de retomar ApósitoAtividade
o pro-
as dis-
de retomar1 tem as o pro-
dis-
pósito de retomar
cussões das aulas pósito
cussões as dis-
de
ante- retomar
das aulas ante- as dis-
cussões das
riores e proporcionaraulas
cussões
riores uma ante- das aulas
e proporcionar uma ante-
riores e proporcionar riores uma e proporcionar
- uma-
dice. Faça uma exploraçãodice. Faça uma exploração-
-
dice.
dos materiais dice.
Faça uma exploração
dos Faça
vocêuma exploração
que materiais que você
dos materiais
selecionou paraselecionoudos que materiais
os estu-você paraque você
os estu-
selecionou
dantes aprofundarem para selecionou
os estu-
dantes aprofundarem
as para os estu-
as
dantes
discussões aprofundarem
sobre dantes
discussões
a orga- aprofundarem
as sobre a orga- as
discussões
nização dos livros sobre discussões
nização a orga-
e revis- sobre a
dos livros e revis- orga-
nização
tas por meio dos livros
dosnização epor
tasíndices/ revis-
dos livros
meio e revis-
dos índices/
tas por meio
sumários. Casosumários.dostas índices/
por meio dos
surjam Caso surjam índices/
sumários.
novos elementos Casosumários.
novos surjam
para Caso surjam
elementos para
novos elementos
compor o cartazcompor novos
produzido paraelementos
o cartaz produzido para
compor o cartaz compor
anteriormente, anteriormente,produzido
retome-o o cartaz produzido
retome-o
anteriormente,
para fazer as inclusões anteriormente,
para retome-o
fazerne-as inclusõesretome-o ne-
para
cessárias.fazer as inclusões
para
cessárias. fazerne- as inclusões ne-
cessárias.
A Atividade 2 traz cessárias.
A Atividade
o trecho 2 traz o trecho
AdeAtividade
um índice2para AdeAtividade
traz oos
um índice2para
trecho
estu- traz oostrecho
estu-
de um índice
dantes decidirem parade
dantes os
um estu-
índice
suas decidirem
op- para os estu-
suas op-
dantes decidirem
ções preferidas dantes
ções suas
de decidirem
op-
recei-
preferidas suas
de op-
recei-
ções preferidas
tas. É importante çõesde
tas.oferecerrecei-
preferidas
É importante oferecerde recei-
tas. É importante
o contexto verbal, tas. oferecer
ouÉ importante
o contexto seja, verbal, oferecer
ou seja,
oinformar
contextoo verbal, o está escri-o verbal,
contexto
que informar ou seja, que está ouescri-
seja,
informar o que
to, mas sem apontar informar
está
to, mas escri-
ousem o que está
fa- apontar ou fa- escri-
to,
zermas semdas
a leitura apontar
to,
zer mas
receitas ousem
a leiturafa- das
na apontar
receitasou na
fa-
zer a leitura das
ordem em que ordem zer
receitas
a
aparecem.leitura
na das receitas
em que aparecem. na
ordem
Assim, aem queda
partir ordem
aparecem.
Assim,
escolha, aem queda
partir aparecem.
escolha,
Assim, a partir da
os estudantesos poderão Assim,
escolha, a partir
estudantes poderãoda escolha,
os estudantes
localizar e circular os poderão
localizar estudantes
as suas poderão
e circular as suas
localizar
favoritas.e Nessa
circularlocalizar
as suas
favoritas.
situação e Nessa
circularsituação
as suas
favoritas. Nessa
de leitura, eles favoritas.
situação
de podem Nessa
leitura, eles podem situação
de leitura,
colocar eles
vários de
colocar podem
leitura,
conheci- várioseles conheci-
podem
colocar vários
mentos em prática: colocar
conheci-
mentos como vários
em prática: conheci-
como pode
mentos emtodas
prática:
mentos que também queser
também
um critério
podede serescolha.
um critério
Os estudantes
de escolha.poderão
Os estudantes
circularpoder
“TORTA
o título de as como
o título emtodas
recei-
de prática:
que
DE as como
recei- pode
também
MORANGO”, que
por ser
também
um critério
exemplo, pode
por de
serescolha.
ter um critério
menos Os estudantes
de escolha.
palavras que poderão
Os estudantes
“TORTA DE circularpoder
FRUTAS “TORTA
SECAS”
otastítulo de todas
de torta começaotastítulo
asdeigual,
recei-
de todas
torta começa
DE as igual,
recei- por exemplo, por ter menos palavras que “TORTA DE FRUTAS SECAS”
MORANGO”,
tas
sua de torta começa
atenção será tas deigual,
suadesloca- torta começa
atenção ou “TORTA
será igual,DE
desloca- FRUTAS
ou “TORTA
COM CALDA”. Se forem concentrar a atenção entre “limão” e
ou “TORTA
“morango”, DE FRUTAS
ou “TORTA
COM CALDA”. Se palavra.
forem concentrar a atenção entreestudantes,
“limão” e
sua atenção
da para será
as palavras sua
dadesloca-
atenção
paraloca- será desloca-
as palavras
“morango”, loca-podem observar oo início
podem observar início da
da palavra.
Neste caso,
Neste caso,
para alguns
para alguns estudantes,
da paradepois
lizadas as palavras da
de para
lizadas loca-
“TORTA as palavras
depois de “TORTAloca-
lizadas depois
DE”. Além disso,DE”. lizadas
de “TORTA
os Além depois
textosdisso, intervenções,
deos textos portanto,
“TORTA precisam ser ajustadas aos conhecimentos dos estudantes.
DE”. Além disso, DE”.
os Além
textos disso,intervenções,
os textos
Relacionar portanto, precisam ser ajustadas
ser umaaos conhecimentos
maneira dedos estudantes.
apresentam diferentes apresentam ex- diferentes
Relacionar ex-com palavras estáveis
com palavras
estáveis
pode
pode ser uma
ótima
ótima maneira de
localizar
localizar
o que
o que
apresentam diferentes
tensões, com variação apresentam
tensões,da ex- diferentes
com buscam; ex-
variação delimitar
da a quantidade de escolha pode ser outro ajuste necessário. Avalie
tensões, comdevariação
tensões,da com buscam;
variação
ajustesdadelimitar a quantidade de escolha pode ser outro ajuste necessário. Avalie
quantidade palavras,
quantidade o deos palavras, de
o acordo com as
os ajustes derespostas
acordo com dosasestudantes.
respostas dos estudantes.
quantidade de palavras, quantidade o deospalavras,
ajustes de o acordo com as
os ajustes derespostas
acordo com dosasestudantes.
respostas dos estudantes.
7 do
caderno
caderno do professorcaderno professor 109
do professor 997

A Atividade 3 pode ser pensada agrupando os estudantes de acordo com o seu conhecimento sobre o sistema
alfabético.
O QUE APRENDEMOS HOJE?
Converse com os estudantes que avançaram no conhecimento do portador (livros e revistas de receitas) e também
sobre como se lê, destacando as estratégias que utilizaram para localizar a torta mais apreciada pelo grupo.
AULA 4 – ESCREVENDO UMA RECEITA
(EF02LP02) Grafar palavras desconhecidas apoiando-se no som e na grafia de palavras familiares e/ou estáveis.
(EF01LP17) Produzir, em colaboração com os colegas e com a do professor, legendas para álbuns, fotos ou ilustra-
ções (digitais ou impressos), entre outros textos do campo da vida cotidiana, considerando a situação comunica-
tiva, o tema/assunto, a estrutura composicional e o e stilo do gênero.
TEMPO
Uma aula.
ORGANIZAÇÃO DA TURMA
Em duplas.
MATERIAIS
Escrever, espontaneamente ou por ditado, palavras e frases de forma alfabética – usando letras/grafe-
Material do estudante.
PREPARAÇÃO
Produzir, em colaboração com os colegas e com a do professor, legendas para álbuns, fotos ou ilustra-
Organize com antecedência o agrupamento para esta produção, considerando os conhecimentos dos estudantes
sobre o sistema de escrita alfabética.
DESENVOLVIMENTO E INTERVENÇÕES
A proposta é escrever uma receita. Para a primeira produção, foi escolhida uma receita simples, do ponto de vista
dos comandos no modo de preparo, para concentrar a atenção no funcionamento do sistema de escrita. Isso não
que todos discutam como os comandos são utilizados.
Outro motivo para a escolha da salada de frutas é que a receita não exige leituras prévias para conhecer o seu
funcionamento. A parte dos ingredientes pode ser escrita com as frutas preferidas dos estudantes, organizados

pois assim eles pensarão juntos na forma de usar as letras. Depois, você pode selecionar uma ou duas frutas cujos
nomes foram escritos de maneira distinta pelas duplas e pedir que cada uma registre as palavras na lousa do seu
jeito. Isso promoverá uma discussão sobre a pertinência das letras e das posições em que foram colocadas. Vale
destacar que o propósito não é fazer uma correção e chegar a uma escrita convencional, e sim discutir as possibili-
dades de análise pelos estudantes.
Para a segunda parte da atividade, peça que os estudantes ditem o modo de preparo da salada de frutas. Embora
as instruções sejam simples, essa é uma oportunidade de colocar em ação os verbos no imperativo e o texto em
tópicos. Caso as crianças ditem “pegar todos os ingredientes e picar”, pergunte a elas se existe outra maneira
de ditar esse comando. Se preciso, volte a uma receita e destaque a forma de uso do verbo (“pegue” em vez de
“pegar”; “pique” em vez de “picar” etc.).
- -
piem em seu material.
O QUE APRENDEMOS HOJE?
Converse com os estudantes sobre a forma como escreveram as palavras na lista de ingredientes e a linguagem
utilizada no modo de preparo. Eles poderão observar que o emprego da linguagem varia de acordo com o tipo de
texto que produzem. Pergunte a eles o que destacam como uma aprendizagem e retome aspectos da discussão
que merecem ser sistematizados.
18100
10 caderno
caderno do 8 caderno do professor
doprofessor
professor

AULA 5 – PESQAULA 5 – PESQUISANDO


UISANDO RECEITAS SALGADAS
RECEITAS SALGADAS
Conversa com o/a professor/a
(EF01LP07) Compreender
TEMPO as notações do sistema de escrita alfabética – segmentos sonoros e letras.
(EF01LP13) Uma aula.
ORGANIZAÇÃO
(EF02LP02) Grafar DA TURMA apoiando-se no som e na grafia de palavras familiares e/ou estáveis.
palavras desconhecidas
Em duplas.
TEMPO MATERIAIS
Uma aula. Material do estudante.
ORGANIZAÇÃO DA TURMA
Em duplas. zação dos objetos.
MATERIAIS PREPARAÇÃO

Material do estudante.
dantes. Deixe alguns separados, inclusive com uma seleção prévia de partes que podem interessá-los.
PREPARAÇÃO (EF01LP07) Compreender as notações do sistema de escrita alfabética – segmentos sonoros e letras.
Selecione alguns livros que contenham índices e sumários com características distintas para explorar com os estu-
(EF01LP13)
dantes. Deixe alguns separados, inclusive com uma seleção prévia de partes que podem interessá-los.
(EF01LP02)
DESENVOLVIMENTO masEque INTERVENÇÕES
representem fonemas.
A proposta da aula é novamente proporcionar
DESENVOLVIMENTO E INTERVENÇÕESum momento de leitura para o estudante a partir do trecho de um
índice, desta vez com opções de receitas salgadas. Siga as orientações da Aula 3. Assim como naquela situação, o
início do título das receitas é igual, o que deverá concentrar a atenção dos estudantes nas palavras encontradas
depois de “SANDUÍCHE”. Além disso, os textos variam na quantidade de palavras e na forma como começam e ter-
minam. Na Atividade 1 aparecem números. Pergunte aos estudantes o que eles representam em um índice. Usar
os livros de receitas
minam. paraNa
novas explorações
Atividade 1 do índice é uma possibilidade.
A Atividade 2 éos umalivros de receitas para novasingredientes
proposta de escrita dos exploraçõesque os estudantes
do índice gostariam de colocar no sanduíche.
é uma possibilidade.
Circule pela salaA eAtividade
faça intervenções
2 na escrita das palavras. Ajudar no controle do que já foi e do que ainda falta

O QUE APRENDEMOS HOJE?


Converse com osO estudantes a respeito
QUE APRENDEMOS das novas descobertas sobre o índice e peça que socializem as estratégias
HOJE?
utilizadas para localizar as palavras que buscavam.
utilizadas para localizar as palavras que buscavam.
9 do
caderno
caderno do professorcaderno professor 111
do professor 1019
LÍNGUA PORTUGUESA | 55
112
102
10 caderno
cadernodo 10 caderno do professor
doprofessor
professor
56 | LÍNGUA PORTUGUESA
11 do
caderno
caderno do professorcaderno professor 113
do professor 103
11

AULA 6 – COMPARANDO RECEITAS

(EF01LP07) Compreender as notações do sistema de escrita alfabética – segmentos sonoros e letras.


(EF01LP13)
TEMPO
Uma aula.
ORGANIZAÇÃO DA TURMA
Em duplas.
MATERIAIS
Material do estudante.
PREPARAÇÃO
Considere os diferentes encaminhamentos propostos para esta atividade a partir dos conhecimentos dos estu-
dantes. Para fazer os ajustes necessários, planeje com antecedência.
Compreender as notações do sistema de escrita alfabética – segmentos sonoros e letras.
DESENVOLVIMENTO E INTERVENÇÕES
A proposta desta aula é promover situações de leitura distintas que considerem os conhecimentos dos estudantes
sobre a escrita. As diferenças que marcam as duas receitas são a uva-passa, que em uma receita é listada como
ingrediente opcional, e o sal. Alguns ingredientes diferem na quantidade e na apresentação. Essas diferenças
promovem ótimas oportunidades para pensar a escrita, então, é possível perguntar:
• Qual receita podemos escolher, considerando que algumas pessoas não gostam de uva-passa?
• Qual receita apresenta ovos como ingrediente? Qual apresenta ovos inteiros?
• Qual receita apresenta maçã sem casca como ingrediente?
• Qual receita apresenta xícara de óleo vegetal como ingrediente? Qual apresenta xícara de óleo?
Em todas essas situações, o comando deve ser oral para oferecer a oportunidade de relacionar com o que está
escrito. Para as crianças que estiverem menos avançadas no conhecimento alfabético, um ajuste importante é

A Atividade 2 consiste em retomar o propósito comunicativo do trabalho: ler e escrever receitas para alguém ler
consiste em retomar o propósito comunicativo do trabalho: ler e escrever receitas para alguém ler -
lha, peça que pesquisem as receitas como tarefa de casa, a ser compartilhada na última aula da sequência.
-
O QUE APRENDEMOS HOJE?
Converse com os estudantes sobre as pequenas diferenças entre os ingredientes das duas receitas e como conse-
guiram observá-las, destacando a forma encontrada por cada um para localizar os ingredientes.
104caderno
114 caderno do 12 caderno do professor
do professor
pr
ppofessor

AULA 7 – ASSISAULA
TINDO7 AO
– ASSISTINDO
PREPARO DEAOUMA
PREPARO
RECEITA
DE UMA RECEITA
Conversa com o/a professor/a
(EF01LP07) Compreender
TEMPO as notações do sistema de escrita alfabética – segmentos sonoros e letras.
Uma aula.
(EF02LP02) Grafar palavras desconhecidas apoiando-se no som e na grafia de palavras familiares e/ou estáveis.
ORGANIZAÇÃO DA TURMA
(EF01LP17) Produzir,
Coletivaem colaboração
e em duplas. com os colegas e com a do professor, legendas para álbuns, fotos ou ilus-
trações (digitais ou impressos), entre outros textos do campo da vida cotidiana, considerando a situação comunica-
MATERIAIS
tiva, o tema/assunto, a estrutura composicional e o estilo do gênero.
Material do estudante, projetor para vídeo, telão, computador, receita proposta no vídeo.
TEMPO
Uma aula. zação dos objetos.
ORGANIZAÇÃO DA TURMA
PREPARAÇÃO
Coletiva e em duplas.
MATERIAIS
questõesprojetor
Material do estudante, ajustadas
paraàsvídeo,
necessidades dos estudantes.
telão, computador, receita proposta no vídeo.
PREPARAÇÃO (EF01LP07) Compreender as notações do sistema de escrita alfabética – segmentos sonoros e letras.
Tenha em mãos(EF01LP02)
a receita completa para possíveis retomadas ao longo da aula. Assista previamente ao vídeo a
mas que representem fonemas.
(EF01LP17)
questões ajustadas às necessidades dos estudantes.
DESENVOLVIMENTO E INTERVENÇÕES
tiva, o tema/assunto, a estrutura composicional e o estilo do gênero.
A proposta desta aula é assistir ao vídeo do preparo de uma receita típica paulista para escrever seu texto. O vídeo
DESENVOLVIMENTO
tem grande potencial didático pelasE INTERVENÇÕES
diferentes linguagens que traz, nesse caso, aprender o modo como o gênero
está organizado. Abaixo um link possível de ser assistido junto aos/às estudantes para poder escrever em seguida.
https://www.youtube.com/watch?v=aJEJPpfRcIk&t=25s. Acesso em 10 out. 2021.
A turma pode escolher outra receita, desde que não seja complicada demais ou que tenha explicação confusa.
um link
Peça aos estudantes quepossível
atentemdeaosseringredientes
assistido junto aos que
e diga alunos para
você poder escrever
informará em seguida.
a quantidade depois. Se necessário,
https://www.youtube.com/watch?v=pekmooyivtc.
volte ao vídeo mais de uma vez para que eles retomem o que tiverem Acesso em 28 ago. 2020.
esquecido.
Em seguida, peça que escrevam os ingredientes no material. Como nas outras situações de escrita em dupla, o
foco da intervenção é o avanço na compreensão das regras que regem o sistema. Siga as orientações das aulas
volteque
anteriores, pedindo ao vídeo mais de uma
os estudantes vezsuas
leiam paraproduções;
que eles retomem
digam ooque
quejátiverem esquecido.
escreveram e o que falta escrever;
relacionem o que
Emprecisam
seguida,escrever
peça que comescrevam
palavrasosestáveis
ingredientes
que sirvam
no material.
de apoioComo
etc. nas outras situações
O QUE APRENDEMOS HOJE?
Converse com os estudantes sobre o vídeo como um portador de receitas que circula na internet e é muito utili-
relacionem
zado atualmente. o que
Compartilhe precisam
com todos asescrever com empregadas
estratégias palavras estáveis
paraque sirvamsoluções
encontrar de apoiopara
etc. as dúvidas no
O QUE
momento da escrita. APRENDEMOS HOJE?

momento da escrita.
13 do
caderno
caderno do professorcaderno professor 105
do professor 115
13
LÍNGUA PORTUGUESA | 57
116 caderno
106
14 cadernodo 14 caderno do professor
doprofessor
professor
58 | LÍNGUA PORTUGUESA

AULA 8 – ESCREVENDO
AULA 8 – ESCREVENDO
UMA RECEITA –UMA
PARTE
RECEITA
2 – PARTE 2
Conversa com o/a profes-
sor/a
(EF01LP17) Produzir,
TEMPO em
colaboração com Uma os aula.
cole-
gas e com a do professor,
legendas paraORGANIZAÇÃO
álbuns, DA TURMA
Em duplas.
fotos ou ilustrações (digi-
MATERIAIS
tais ou impressos), entre
outros textos do campo
Material do estudante,
da vida cotidiana, consi-
projetor para vídeo, telão,
derando a situação comu-
computador, receita pro-
nicativa, o tema/assunto, a
posta no vídeo.
estrutura composicional
A recomendação é evitar
e o estilo do gênero.
que os estudantes se
agrupem e manuseiem os
TEMPO
mesmos materiais. É im-
Uma aula. portante seguir as orienta-
ORGANIZAÇÃO DA TURMA
ções dos órgãos de saúde
Em duplas. sobre o distanciamento
MATERIAIS entre os estudantes e a
Material do higienização
estudante, dos objetos.
PREPARAÇÃO
projetor para vídeo, telão,
computador, receita
Tenha pro-em mãos a receita
posta no vídeo. completa para possíveis
retomadas ao longo da
PREPARAÇÃO aula.
Tenha em mãos(EF01LP17)
a receita Produzir, em
completa para colaboração
possíveis com os cole-
retomadas ao gas longoe comda a do professor,
aula. legendas para álbuns,
DESENVOLVIMENTO fotosEouIN-ilustrações (digi-
TERVENÇÕES tais ou impressos), entre
outros
Com os estudantes, textos do campo
assista
novamente ao vídeo quecotidiana, consi-
da vida
utilizaram comoderando
base paraa situação comu-
nicativa,
a escrita da receita e peça o tema/assunto, a
que observem o preparo.composicional e
estrutura
o estilooral-
Em seguida, retome do gênero.
mente o passoDESENVOLVIMENTO
a passo. E IN-
TERVENÇÕES Pode ser interessante Pode ser interessante
relembrar comorelembrar
o modo de como o modo
preparo é escrito; volte ao cartaz
de preparo
produzido
Com os estudantes, assista e produzido
converse sobree converse
as sobre
anotações as anotações
feitas. feitas.
novamente aoPeça queque
vídeo P essa parte da receita. Divida as funções de cada estudante na du-
escrevam
pla, de
utilizaram como base paramodo que um dite e o outro escreva. O mais avançado no sistema de escrita
a escrita da receita e peça
que observemdeoque ambos estejam trabalhando na escrita. Caso se esqueçam e perguntem o que
preparo.
acontece
Em seguida, retome oral- antes ou depois de um preparo, dê a resposta, mas sem ditar nem informar
mente o passo a passo.
15 do
caderno
caderno do professorcaderno professor 107
do professor 117
15
LÍNGUA PORTUGUESA | 59

AULA 9 – REVISANDO
AULA 9 –A REVISANDO A
RECEITA RECEITA
Conversa com o/a profes-
sor/a
(EF01LP03) Comparar es-
TEMPO critas convencionais e não
Uma aula. convencionais, observando
ORGANIZAÇÃO DA TURMA
semelhanças e diferenças.
(EF01LP07) Compreender
Coletiva e em duplas.
MATERIAIS as notações do sistema
de escrita alfabética – seg-
Material do estudante.
mentos sonoros e letras.
É importante (EF01LP17)
seguir as Produzir, em
orientações doscolaboração
órgãos de com os cole-
saúde sobre o gas distancia-
e com a do professor,
mento entre oslegendas
estudan- para álbuns,
tes e a higienização
fotos ou dosilustrações (digi-
objetos. tais ou impressos), entre
PREPARAÇÃO outros textos do campo
Leia previamente datodos
vida oscotidiana, consi-
derando a situação comu-
ajustar o encaminhamen-
nicativa, o tema/assunto,
to da revisão às necessida-
a estrutura composicional
des do grupo. e o estilo do gênero.
(EF01LP03) Comparar es-
critas convencionais e não
convencionais,observando
semelhanças e diferenças.
TEMPO
(EF01LP07) Compreender
as notações doUma aula.
sistema
de escrita alfabética – seg- DA TURMA
ORGANIZAÇÃO
mentos sonorosColetiva
e letras.
e em duplas.
(EF01LP17) Produzir, em
colaboração comMATERIAIS
os cole-
gas e com a do Material
professor,do estudante.
legendas paraPREPARAÇÃO
álbuns,
fotos ou ilustrações (digi-
Leia previamente todos os
tais ou impressos), entre
outros textos do campo
ajustar
da vida cotidiana, o encaminhamen-
consi-
to dacomu-
derando a situação revisão às necessida-
des do grupo.
nicativa, o tema/assunto,
e sim pensar no emprego da linguagem escrita, na forma de registrar ao estrutura
modo de composicional
DESENVOLVIMENTO E IN-
preparo. Se necessário, volte ao vídeo para retomar uma parte da receita. estilo do gênero.
e o TERVENÇÕES
O QUE APRENDEMOS HOJE? DESENVOLVIMENTO RetomeE IN-
a situação comu-
- TERVENÇÕES- nicativa combinada no
dução e pergunte como solucionaram essas questões. Compartilhar esses procedi-
Retome a situação comu-
mentos pode favorecer a troca entre os colegas e servir de apoio para decisões
nicativa em início danosequência e pro-
combinada
escritas futuras. início da sequência e pro-
118
108 caderno
16 cadernodo 16 caderno do professor
doprofessor
professor
60 | LÍNGUA PORTUGUESA

ponha a revisãoponha
em duasa revisão em duas
fases da receitafases
produzi-
da receita produzi-
da nas aulas da anteriores.
nas aulas anteriores.
Na Atividade 1,Naa Atividade
ideia é 1, a ideia é
centrar a atenção
centrar
dos es-
a atenção dos es-
tudantes nas palavras
tudanteses-nas palavras es-
critas na seção critas
dos ingre-
na seção dos ingre-
dientes. Selecione
dientes.umaSelecione uma
ou duas palavrasou que
duasfo-palavras que fo-
ram escritas deram maneira
escritas de maneira
diferente e proponha
diferente
umae proponha uma
discussão sobrediscussão
a sua gra-sobre a sua gra-

o espaço para oo espaço


debate,para o debate,
mais oportunidades
mais os
oportunidades
es- os es-

sobre quais letras,


sobrequan-
quais letras, quan-
tas letras e em que
tas letras
ordeme em que ordem
são escritas. Após
sãoa discus-
escritas. Após a discus-
são, peça que retornem
são, peça àque retornem à
lista de ingredientes
lista depara
ingredientes para
revisar o texto. revisar o texto.
A Atividade 2 consiste
A Atividadena 2 consiste na
revisão do modo revisão
de pre-
do modo de pre-
paro. Retome paro.oralmente
Retome oralmente
todas as ações necessárias
todas as ações necessárias
e, em seguida,e,peça em seguida,
aos peça aos
estudantes queestudantes
revisem que revisem

estão todas estão


presentes.
todas presentes.
É comum os estudantes
É comum os estudantes
não escreveremnãoverbos
escreverem
no verbos no
imperativo, porimperativo,
isso pro- por isso pro-
põe-se que leiam
põe-se
um tre-
que leiam um tre-
cho da receita do
chobolo
da receita
de do bolo de
cenoura e discutam
cenourao que
e discutam o que
as palavras grifadas
as palavras
têm grifadas têm
em comum. Nãoem se comum.
espera Não se espera
que digam que que
se trata
digamde que se trata de
um verbo, mas um
queverbo,
obser-mas que obser-
vem que essasvem palavras
que essas palavras
marcam a ação marcam
necessáriaa ação necessária
para preparar para prepararvosaoureceita.
a receita. textuais, como alguma ação incompleta ou confusa, aproveite esse momento
partir dessa discussão, para
A partir dessa Adiscussão, para oportunizar a revisão.
oportunizar a revisão.
peça que voltempeçaao que O QUE
textovoltem aoAPRENDEMOS
texto O QUEHOJE?
APRENDEMOS HOJE?
e revisem essasepalavras.
revisem essas palavras.
Converse com os estudantes sobre como o processo de revisão faz parte dos momen-
Caso tenha observado
Caso tenha tos de produção,
ou- observado ou- justamente por ser necessário adequar o texto à situação comuni-
tros problemastrosdiscursi-
problemas discursi-
utilizaram para utilizaram
revisar. para revisar.
17 do
caderno
caderno do professorcaderno professor 109
do professor 119
17

AULA 10 – PUBLICANDO AS RECEITAS PREFERIDAS


(EF01LP17) Produzir, em colaboração com os colegas e com a do professor, legendas para álbuns, fotos ou ilus-
trações (digitais ou impressos), entre outros textos do campo da vida cotidiana, considerando a situação comunica-
tiva, o tema/assunto, a estrutura composicional e o estilo do gênero.
TEMPO
Uma aula.
ORGANIZAÇÃO DA TURMA
Coletiva e individual.
MATERIAIS

PREPARAÇÃO
Produzir, em colaboração com os colegas e com a do professor, legendas para álbuns, fotos ou ilus-
DESENVOLVIMENTO E INTERVENÇÕES

A depender das escolhas, você poderá pedir que copiem essa última receita conforme as características do gênero
e do portador selecionado.
Copiar a receita faz sentido porque a atividade está inserida em um propósito maior: compartilhar com alguém o
prato de doce ou salgado preferido da turma. Para isso, é importante que os estudantes copiem a receita correta-

peça que digitem as receitas escolhidas com uma breve introdução, contando o percurso do grupo; se forem pro-
duzir um livro de receitas, considere as características do portador para que os estudantes se aproximem dele.
Independentemente das escolhas, os estudantes devem ter participação ativa nas decisões, na elaboração do pro-
roximem dele.
O QUE APRENDEMOS HOJE?
Converse com os estudantes sobre a produção e a entrega ao destinatário escolhido e como as decisões da produ-
ção são feitas a partir desse propósito. Faça também uma retomada do trabalho como um todo e pergunte o que

Sugestões de atividades do Ler e Escrever


Sugestões de atividades do Ler e Escrever
2º ano Projeto Receitas de um jeito gostoso de aprender
Unidade 2
Volume 1 a ler e a escrever (p. 181 a 187).
2º ano Projeto Receitas de um jeito gostoso de aprender
Unidade 2
Volume 1 a ler e a escrever (p. 181 a 187).
LÍNGUA PORTUGUESA
2º Bimestre
caderno do professor 1155

Olá, Professor! Olá, Professora!


Esta sequência tem como propósito contribuir para o avanço da competência leitora dos estudantes a partir de textos
do campo da vida cotidiana. Por meio de troca de mensagens, os estudantes irão participar de propostas didáticas em que
poderão utilizar distintas estratégias de leitura, bem como observar e desenvolver certos comportamentos leitores e escritores
típicos dessas situações.
As atividades propostas procuram ampliar a inserção dos estudantes na cultura escrita e enfocam a reflexão sobre a
linguagem escrita com base nos gêneros textuais previstos no Currículo Paulista. Ao final desta sequência, espera-se que
os estudantes escrevam um verbete “Você sabia” para compartilhar o que aprenderam durante o estudo. Assim, para a
elaboração desta Sequência Didática, foram selecionadas algumas habilidades do Currículo Paulista, elencadas no quadro
abaixo.

Aulas em que as
Objetos de conhecimento Habilidades habilidades são
trabalhadas

(EF02LP16A) Ler e compreender diferentes textos do campo da vida


Estrutura composicional do texto cotidiana (bilhetes, recados, avisos, cartas, receitas, relatos, entre Aulas 1, 2, 3, 4, 5 e
Compreensão em leitura outros), considerando a situação comunicativa, o tema/assunto, a 6
estrutura composicional e o estilo do gênero.

(EF01LP08) Relacionar elementos sonoros das palavras com sua Aulas 1, 2, 3, 4, 5,


Construção do sistema alfabético
representação escrita. 6, 8, 9 e 10

(EF01LP07) Compreender as notações do sistema de escrita Aulas 1, 2, 3, 4, 5, 6


Construção do sistema alfabético
alfabética - segmentos sonoros e letras. e8

(EF02LP16B) Identificar e manter a estrutura composicio-nal


Compreensão em leitura Aulas 2, 3, 4, 5, 6, 7
específica de bilhetes, recados, avisos, cartas, receitas, relatos, entre
Estrutura composicional do texto e8
outros textos (digitais ou impressos).

(EF01LP12B) Segmentar palavras, ainda que não conven-


Segmentação de palavras Aulas 4, 6, 7 e 8
cionalmente, na produção escrita de textos de diferentes gêneros.

(EF02LP13A) Planejar e produzir, em colaboração com os colegas e


com a ajuda do professor, bilhetes, cartas entre outros textos do
Produção Escrita campo da vida cotidiana (impresso ou digital), considerando a Aula 7
situação comunicativa, o tema/assunto, a estrutura composicional e o
estilo do gênero.

(EF02LP18A) Planejar e produzir, em colaboração com os colegas e


com a ajuda do professor, textos para a divulgação de eventos da
escola ou da comunidade (convite, propaganda, comunicado, carta,
Compreensão em leitura
bilhete, convocação...), utilizando linguagem persuasiva e elementos Aulas 9 e 10
Produção Escrita
textuais visuais (tamanho da letra, leiaute, imagens), considerando a
situação comunicativa, o tema/assunto, a estrutura composicional e o
estilo do gênero.
6 caderno do professor
116

AULA 1 – RODA DE CONVERSA


(EF02LP16A) Ler e compreender diferentes textos do campo da vida cotidiana (bilhetes, recados, avisos, cartas,
receitas, relatos, entre outros), considerando a situação comunicativa, o tema/assunto, a estrutura composicional e
o estilo do gênero.
(EF01LP07) Compreender as notações do sistema de escrita alfabética - segmentos sonoros e letras.
(EF01LP08) Relacionar elementos sonoros das palavras com sua representação escrita.
TEMPO
Uma aula.
PREPARAÇÃO
Professor/a, leia a sequência antecipadamente, compreendendo as dinâmicas e a progressão proposta, garantindo
também um olhar que trará identidade para os estudantes que tiverem acesso a este material.
MATERIAL
Giz, lousa e material do estudante.
ORGANIZAÇÃO DA TURMA
Carteiras em semicírculo voltadas para a lousa.
DESENVOLVIMENTO E INTERVENÇÕES
Estamos iniciando mais uma Sequência Didática e, desta vez, teremos como objeto de estudo os gêneros textuais
do campo da vida cotidiana com o foco na comunicação. São textos que carregam consigo um conteúdo capaz de
garantir a interação entre as pessoas, que levam informação, deixam uma pista ou avisam. Podem também ser
fonte de expressão daquilo que a presença não sustenta, sendo tão flexíveis, que vão do âmbito mais formal ao
mais afetivo e emocional. As cartas, os bilhetes, recados, e-mails e avisos serão gêneros tratados nesta sequência.
A Aula 1 tem como objetivo fazer um levantamento inicial sobre os conhecimentos prévios dos estudantes em re-
lação às mensagens do dia a dia. Inicie a roda de conversa perguntando: “Por que escrevemos mensagens?”. Tente
direcionar a discussão para chegarem à ideia de comunicação, de expressão e à forma com que as mensagens
contribuem para a relação humana. Reflita com os estudantes: “Quais são os textos que costumamos escrever para
enviar mensagens, para conversar com outras pessoas que estão distantes?”, “Onde escrevemos?”, “Como envia-
mos?”, “De que modo essa forma de se expressar evoluiu ao longo do tempo?”.
Essas reflexões serão valorosas para que você identifique o que eles sabem e ao que já tiveram acesso. Assim, você
poderá tomar nota disso, colhendo mais indícios sobre os saberes dos estudantes e unindo informações sobre as
crianças em seus processos de aprendizagem. Documentar falas e metáforas criadas pelosestudantes é um interes-
sante meio de conhecê-los e compreender suas formas de aprender.
No decorrer da discussão, vá anotando na lousa as conclusões que levantaram sobre o assunto discutido, isso ser-
virá de referência para o registro no material do estudante.
Para materializar a discussão por meio de um exemplo, vocês farão a leitura de uma mensagem enviada pela Na-
rizinho à Vovó Benta perguntando sobre uma receita, texto que, aliás, foi estudado no 1° bimestre. Leia-a para os
estudantes.
Em seguida, conduza a conversa a partir da análise destas indagações “Quem vai ler? Quem escreveu? Quando foi
escrita? Para onde foi enviada? O que a pessoa que enviou está querendo dizer?”.
O QUE APRENDEMOS HOJE?
Ao final da aula, converse com os estudantes e retome o que aprenderam sobre as mensagens e o que registraram
em seu material.
cadernodo
caderno professor 11737
do professor
LÍNGUA PORTUGUESA | 63
84 caderno
118 cadernodo
doprofessor
professor
64 | LÍNGUA PORTUGUESA
cadernodo
caderno professor 11959
do professor
LÍNGUA PORTUGUESA | 65

sonoros e letras.
(EF02LP16B) Identificar e
manter a estrutura com-
posicional específica de
bilhetes, recados, avisos,
cartas, receitas, relatos,
entre outros textos (digi-
tais ou impressos).
TEMPO
Uma aula.
PREPARAÇÃO
Leitura prévia da ativida-
de.
MATERIAIS
Giz, lousa e material do
estudante.
ORGANIZAÇÃO DA TURMA
Coletiva
DESENVOLVIMENTO E
INTERVENÇÕES
O objetivo dessa aula é
ampliar a compreensão
leitora de diferentes
textos (bilhete, carta e e-
mail) da vida cotidiana,
considerando a situação
comunicativa, o tema, o
estilo e a estrutura
composicional de cada
gênero.
É importante salientar
que entendemos a
linguagem escrita como
forma de interação nos
diferentes campos de
atuação da vida social,
por isso, quando
propomos situações de
aprendizagem como essa,
não devemos focar no
AULA 2 – COMPARANDO FORMAS DE SE COMUNICAR POR ESCRITO ensino do gênero, mas
nas possibilidades de
(EF02LP16A) Ler e compreender diferentes textos do campo da vida cotidiana (bi- análise que trazem. Dessa
lhetes, recados, avisos, cartas, receitas, relatos, entre outros), considerando a situação forma, eles terão a
comunicativa, o tema/assunto, a estrutura composicional e o estilo do gênero. oportunidade de
(EF01LP08) Relacionar elementos sonoros das palavras com sua representação es- desenvolver e participar
crita. da cultura letrada,
envolvendo-se com mais
(EF01LP07) Compreender as notações do sistema de escrita alfabética - segmentos autonomia e
protagonismo na vida
social.
10
120
6 caderno
cadernodo
doprofessor
professor
66 | LÍNGUA PORTUGUESA

Leia a proposta
coletivamente, explicando
o que farão nessa
atividade. Ao fazer a
leitura de cada um dos 1- Bilhete: traz informações cotidianas, mais informais e pontuais. É um texto curto, com frases
textos, faça perguntas que breves e assinatura no final. Sua escrita é bastante pessoal e é finalizado, normalmente, com uma
sirvam de norte para os saudação. Dependendo da proximidade entre quem envia e quem recebe o bilhete, as palavras
estudantes perceberem a usadas podem ser mais afetivas.
função comunicativa, as
características e a
estrutura, como: “A quem
este texto se destina?”,
“Qual mensagem ele 2 - Carta: traz um conteúdo mais elaborado, com mais detalhes e informações. Pode ser enviado
traz?”, “Quem assina?”, contando uma novidade, um agradecimento, um fato importante, entre outros motivos. O texto é
“Por que ele foi escrito?”, mais longo. No início, coloca-se a cidade de onde se escreve e a data, com saudação e assinatura no
“Que tipo de texto é final. A carta busca explicar ou apresentar algo de maneira mais detalhada e, dependendo também
esse?”. Separe a lousa em da intimidade entre o remetente e o destinatário, pode trazer saudações afetuosas.
três partes e, de acordo
com o que forem dizendo,
escreva: BILHETE, CARTA,
E-MAIL.
3 - E-mail: traz características semelhantes aos bilhetes e cartas, dependendo da intencionalidade de
Durante as observações quem o envia. Tem um endereço eletrônico que garante o envio. Pode ter um conteúdo elaborado,
feitas pelos estudantes, mas também breve. Pode ser formal ou informal, permitindo anexos (imagens, vídeos, arquivos),
pergunte se já tiveram e geralmente precisa de uma frase que resuma o assunto do e-mail. Alguns e-mails, normalmente
contato com esse tipo de os de trabalho, têm uma assinatura padrão, que já é gerada automaticamente quando o e-mail está
sendo escrito.
texto, onde, quando e por
quê.
Vá realizando registros,
anotando os pontos
observados pelos
estudantes.
Chame a atenção tanto
para o conteúdo temático
quanto para a forma como
cada gênero se organiza,
além, é claro, de perceber
onde esse texto circula.
Deve ficar claro que todas
essas questões estão
relacionadas. Nas
sugestões de respostas,
alguns pontos podem ser O QUE APRENDEMOS HOJE?
observados. Ao final da aula, converse com os estudantes, retome o que aprenderam sobre
as mensagens e o que registraram em seus materiais. Relembre com o grupo o
que estudaram.
cadernodo
caderno do professor 117
professor 121
LÍNGUA PORTUGUESA | 67

sonoros e letras.
(EF02LP16B) Identificar e
manter a estrutura com-
posicional específica de
bilhetes, recados, avisos,
cartas, receitas, relatos,
entre outros textos (digi-
tais ou impressos).
TEMPO
Uma aula.
PREPARAÇÃO
Leitura prévia da ativida-
de.
MATERIAIS
Giz, lousa e material do
estudante.
ORGANIZAÇÃO DA TURMA
Individual.
DESENVOLVIMENTO E
INTERVENÇÕES
Nessa aula, o foco de estu-
do está no gênero bilhe-
te. É essencial que leiam
coletivamente e discutam
se o modelo apresentado
está no seu formato ade-
quado e se consegue de-
senvolver seu objetivo de
comunicar algo.
Provavelmente, os estu-
dantes perceberão que o
texto tem palavras mais
gerais, faltando informa-
ções essenciais para a situ-
ação comunicativa se efe-
tivar por meio do bilhete
deixado, que não nos per-
mite saber quem escreveu
e a quem se destinava;
além de perceberem tam-
AULA 3 – O BILHETE bém que isso dificulta a
compreensão. Reforce
(EF02LP16A) Ler e compreender diferentes textos do campo da vida cotidiana (bi- esses detalhes, indicando
lhetes, recados, avisos, cartas, receitas, relatos, entre outros), considerando a situação que o nome do destina-
comunicativa, o tema/assunto, a estrutura composicional e o estilo do gênero. tário é muito importante
(EF01LP08) Relacionar elementos sonoros das palavras com sua representação es-
crita.
(EF01LP07) Compreender as notações do sistema de escrita alfabética - segmentos
12
122
8 caderno
cadernodo
doprofessor
professor
68 | LÍNGUA PORTUGUESA

para garantir que a men-


sagem chegue, bem como
que traga mais elementos
explicativos para comu-
nicar o que é necessário
e, principalmente, que
também tenha uma assi-
natura.
Após essa reflexão cole-
tiva, eles poderão res-
ponder às perguntas do
registro do material do es-
tudante, compartilhando
suas respostas.
O QUE APRENDEMOS
HOJE?
Retome, com os
estudantes, como o
conteúdo temático e a
estrutura do bilhete são
fatores essenciais para
cumprir a função de
comunicação.

AULA 4 – TROCANDO BILHETES


(EF01LP12B) Segmentar palavras, ainda que não convencionalmente, na produção
escrita de textos de diferentes gêneros.
(EF02LP16A) Ler e compreender diferentes textos do campo da vida cotidiana (bi-
lhetes, recados, avisos, cartas, receitas, relatos, entre outros), considerando a situa-
ção comunicativa, o tema/assunto, a estrutura composicional e o estilo do gênero.
(EF01LP08) Relacionar elementos sonoros das palavras com sua representação es-
cadernodo
caderno do professor 139
professor 123
LÍNGUA PORTUGUESA | 69

PREPARAÇÃO
Leitura prévia da ativida-
de.

MATERIAIS
Diferentes papéis e cane-
tinhas.
ORGANIZAÇÃO DA TURMA
Organize as mesas em
um círculo de modo que
os estudantes escrevam o
bilhete para o colega ao
lado. Você pode dispor no
centro os materiais
utilizados na aula.
DESENVOLVIMENTO E
INTERVENÇÕES
No início da aula, explique
o porquê da organização
em círculo e o que farão
nesse dia: cada estudante
irá escolher uma situação
apresentada na Atividade
1. Entregue os papéis e so-
licite que escrevam um bi-
lhete, comunicando o que
definiram para o/a seu/
sua colega do lado (esco-
lha um lado para que se
estabeleça uma corrente
e todos tenham condições
de entregar e receber um
bilhete).
Antes que iniciem a escri-
ta, relembrem as conclu-
sões da aula anterior para
que escrevam o bilhete
da melhor maneira. Após
finalizarem, podem fazer
a entrega.
Para a Atividade 2, orien-
crita. te que leiam o bilhete e
(EF01LP07) Compreender as notações do sistema de escrita alfabética - segmentos respondam à proposta.
sonoros e letras. Reforce que o respeito à
produção do/a colega é
(EF02LP16B) Identificar e manter a estrutura composicional específica de bilhetes,
recados, avisos, cartas, receitas, relatos, entre outros textos (digitais ou impressos).
TEMPO
Uma aula.
14
124
10 caderno
cadernodo
doprofessor
professor
70 | LÍNGUA PORTUGUESA

muito importante nesse


momento e que o foco
está no aprendizado. Abra
uma conversa sobre as
dicas possíveis para enri-
quecer a escrita uns dos
outros.
Na Atividade 3, os estu-
dantes deverão produzir
um bilhete de resposta e
demonstrar com essa pro-
dução a consolidação de
seu aprendizado em rela-
ção a esse gênero.
O QUE APRENDEMOS
HOJE?
Ao finalizar a aula, con-
verse com os estudantes
e retome o que foi discu-
tido sobre bilhetes princi-
palmente, identificando
todos os pontos funda-
mentais para garantir a
comunicação por meio
deles.

AULA 5 - A CARTA
(EF02LP16A) Ler e com-
preender diferentes tex-
tos do campo da vida co-
tidiana (bilhetes, recados,
avisos, cartas, receitas, re-
latos, entre outros), consi-
derando a situação comu-
nicativa, o tema/assunto, a
estrutura composicional e
o estilo do gênero.
(EF01LP08) Relacionar
elementos sonoros das
palavras com sua repre-
sentação escrita. bilhetes, recados, avisos, cartas, receitas, relatos, entre outros textos (digitais ou im-
(EF01LP07) Compreender pressos).
as notações do sistema TEMPO
de escrita alfabética - seg- Uma aula.
mentos sonoros e letras. PREPARAÇÃO
(EF02LP16B) Identificar e Ler antecipadamente a atividade.
manter a estrutura com- MATERIAIS
posicional específica de Giz, lousa e material do estudante.
cadernodo
caderno do professor 15
professor 125
11
LÍNGUA PORTUGUESA | 71

Leia a carta para os/as


estudantes e peça que
acompanhem em seu
material. Levante,
inicialmente, quais
características os
estudantes já
conhecem sobre as
cartas e anote essas
observações na lousa:
“Para que escrevemos
cartas?”, “Para
quem?”, “Quando?”,
“Por onde enviamos?”.
Em seguida, convide-
os para ler também,
individualmente. Deixe-
os bem à vontade e
respeite o tempo de
cada um. Em seguida,
leia as perguntas, eles
devem responder
coletivamente. Escreva as
respostas na lousa para
servir de referência.
O QUE APRENDEMOS
HOJE?
Ao finalizar a aula, conver-
se com os estudantes e
retome o que foi discuti-
do sobre cartas. Espera-
se que eles tenham mais
elementos que
possibilitem a
compreensão do gêne-
ro, podendo, assim,
ler, analisar e
compreender a estrutura
de uma carta, bem como
o que ela pode comunicar
e de que maneira isso
ORGANIZAÇÃO DA TURMA acontece.
Individual.
DESENVOLVIMENTO E INTERVENÇÕES
A intenção dessa aula é apresentar a estrutura de uma carta aos estudantes
para observarem como ela foi escrita: os aspectos composicionais (sua estrutura
e suas características) e os recursos linguísticos usados pela remetente (se seu
estilo é formal ou não e o porquê).
16
126
12 caderno
cadernodo
doprofessor
professor
72 | LÍNGUA PORTUGUESA

AULA 6 - PLANEJANDO A
ESCRITA DE UMA CARTA
(EF01LP12B) Segmentar
palavras, ainda que não
convencionalmente, na
produção escrita de textos
de diferentes gêneros.
(EF02LP16A) Ler e com-
preender diferentes tex-
tos do campo da vida co-
tidiana (bilhetes, recados,
avisos, cartas, receitas, re-
latos, entre outros), consi-
derando a situação comu-
nicativa, o tema/assunto, a
estrutura composicional e
o estilo do gênero.
(EF01LP08) Relacionar
elementos sonoros das
palavras com sua repre-
sentação escrita.
(EF01LP07) Compreender
as notações do sistema
de escrita alfabética - seg-
mentos sonoros e letras.
(EF02LP16B) Identificar e
manter a estrutura com-
posicional específica de
bilhetes, recados, avisos,
cartas, receitas, relatos,
entre outros textos (digi-
tais ou impressos).
TEMPO
Uma aula.
PREPARAÇÃO
Ler antecipadamente a ati-
vidade.
MATERIAIS
Giz, lousa e material do es-
tudante. A fim de ampliar va, de Eva Furnari (Ed. Moderna). Ressaltando que há outros títulos na sala de
o repertório, você poderá leitura de sua escola.
buscar algumas histórias ORGANIZAÇÃO DA TURMA
para deixar à disposição
dos estudantes. Seguem Agrupe os estudantes em trios.
duas sugestões: O carteiro DESENVOLVIMENTO E INTERVENÇÕES
chegou, de Janet e Allan O objetivo dessa aula é ampliar o repertório dos estudantes sobre cartas. Dessa ma-
Ahlberg (Ed. Companhia
das Letrinhas), e Felpo Fil-
cadernodo
caderno do professor 17
professor 127
13
LÍNGUA PORTUGUESA | 73

respeitar a vez de cada


um contribuir com
sugestões para a escrita,
decidindo o que e como
devem desenvolver a
carta juntos. Na
Atividade 2, no
momento da escrita, os
estudantes terão a
oportunidade de
discutir sobre o
assunto, determinando
o que será e como será
escrita a carta resposta.
Vale circular entre os
grupos para garantir
que estejam
conseguindo planejar a
escrita da carta por
tópicos, sem a
necessidade de colocar,
ainda, na estrutura
ideal. À medida que os
trios estiverem
trabalhando, vá
acompanhando os
grupos e fazendo as
intervenções
necessárias, ajudando-os
na garantia da coesão e
coerência do texto.
Quando todos tiverem
finalizado o
planejamento da carta,
faça uma roda para que
os grupos compartilhem
suas versões.
O QUE APRENDEMOS
HOJE?
Converse com os
estudantes sobre o que
já aprenderam,
neira, é bastante relevante que as crianças tenham a oportunidade de ler, observar e organize um registro e
comparar diferentes cartas, observando a estrutura composicional e o estilo de cada deixe no mural da sala
uma. Depois de organizar os trios, ofereça um tempo para discutirem a Atividade para ser preenchido
1, que terá como foco: o conteúdo da carta, quem assinará, a quem será destinada conforme eles avançam
e como será enviada. Nesse momento, retome com o grupo o valor do trabalho co- nas descobertas.
letivo para o processo de consolidação da alfabetização, ressaltando que esse é um
momento importante para avaliar as aprendizagens de sua turma.
Professor/a, explique à sua turma que ela irá produzir, em trios, a resposta para a
carta da profa. Marcela. Portanto, faça combinados com os estudantes, que deverão
18
128
14 caderno
cadernodo
doprofessor
professor
74 | LÍNGUA PORTUGUESA

AULA 7 - ESCREVENDO
UMA CARTA PARA A
PROFESSORA MARCELA
(EF01LP12B)
Segmentar palavras,
ainda que não
convencionalmente, na
produção escrita de
textos de diferentes
gêneros.
(EF02LP13A) Planejar e
produzir, em
colaboração com os
colegas e com a ajuda
do professor, bilhetes,
cartas entre outros
textos do campo da
vida cotidiana
(impresso ou digital),
considerando a situação
comunicativa, o tema/
assunto, a estrutura
composicional e o estilo
do gênero.
(EF02LP16B) Identificar e
manter a estrutura
composicional específica
de bilhetes, recados,
avisos, cartas, receitas,
relatos, entre outros
textos (digitais ou
impressos).

TEMPO
Uma aula.
cadernodo
caderno do professor 19
professor 129
15

PREPARAÇÃO
Ler antecipadamente a atividade.
MATERIAIS
Giz, lousa e material do estudante.
ORGANIZAÇÃO DA TURMA
Em trios.
DESENVOLVIMENTO E INTERVENÇÕES
Nesta aula, os estudantes terão a oportunidade de textualizar a carta em resposta à professora Marcela. Nessa
situação de aprendizagem, eles precisam pôr em jogo como escrever o texto convencionamento, por isso, a
proposta de fazê-lo em trio é bastante potente, permitindo que os estudantes troquem informações sobre como
escrever.
Como ainda são escritores iniciais, podem apresentar bastante dificuldade em lidar com a demanda de: (1)
escrever convencionalmente, (2) produzir a mensagem da carta conforme o planejamento e (3) seguir a estrutura
composicional do gênero. Porém, escolha nesse momento, auxiliá-los na reflexão sobre o sistema de escrita
alfabética, pois, nas aulas posteriores, eles poderão revisar as cartas e refletir sobre os outros aspectos.
Na Atividade 1, os estudantes irão retomar a estrutura da carta. Lembre-os de que saber como ela se organiza é
importante para garantir sua função.
Em seguida, na Atividade 2, devem retomar o planejamento e escrever a carta.
Circule entre os trios para auxiliá-los na produção, favorecendo as intervenções e trocas entre os estudantes.
O QUE APRENDEMOS HOJE?
Pergunte aos estudantes o que foi mais difícil na hora de escrever a carta e o que aprenderam com isso.
20
130
16 caderno
cadernodo
doprofessor
professor

AULA 8 - PENSANDO SOBRE A ESCRITA DE ALGUMAS PALAVRAS


(EF01LP12B) Segmentar palavras, ainda que não convencionalmente, na produção escrita de textos de diferentes
gêneros.
(EF01LP08) Relacionar elementos sonoros das palavras com sua representação escrita.
(EF01LP07) Compreender as notações do sistema de escrita alfabética - segmentos sonoros e letras.
(EF02LP16B) Identificar e manter a estrutura composicional específica de bilhetes, recados, avisos, cartas, receitas,
relatos, entre outros textos (digitais ou impressos).
TEMPO
Uma aula.
PREPARAÇÃO
Ler antecipadamente as produções dos estudantes e levantar palavras para serem trabalhadas na aula.
MATERIAIS
Giz, lousa e material do estudante.
ORGANIZAÇÃO DA TURMA
Coletiva e em trios.
DESENVOLVIMENTO E INTERVENÇÕES
Nesta primeira aula de revisão, os estudantes refletirão sobre os elementos sonoros das palavras e compreenderão
as notações do sistema alfabético. Explique que o leitor da carta precisa compreender o que está escrito, por isso,
vocês farão uma revisão para garantir que as palavras estejam escritas da maneira convencional. Portanto, a
revisão estará pautada, inicialmente, sobre esse aspecto.
Selecione palavras que tenham aparecido nas cartas com certa frequência ou palavras que tragam boa
possibilidade de reflexão aos estudantes.
Para cada palavra apresentada, o/a professor/a poderá realizar em forma de ditado comentado (ele/a dita, pede
que eles registrem e depois comentem sobre como escreveram e chegaram à escrita convencional juntos) ou
selecionando estudantes para escreverem na lousa. Por exemplo, se a palavra selecionada for "amizade", pode-se
escolher um estudante com escrita silábica de pertinência sonora e outro com escrita silábica alfabética.
Todo momento deve ser favorável para os estudantes se sentirem à vontade para expor suas hipóteses e refletir
sobre elas.
Ao final das reflexões, divida-os em trios e peça que façam a revisão do texto, verificando se as palavras
selecionadas encontram-se escritas da forma convencional nas cartas.
O QUE APRENDEMOS HOJE?
Nesta aula, aprendemos que a forma como escrevemos também é importante para garantir que a comunicação
com o leitor seja eficiente.
cadernodo
caderno do professor 21
professor 131
17
LÍNGUA PORTUGUESA | 75
22
132
18 caderno
cadernodo
doprofessor
professor
76 | LÍNGUA PORTUGUESA

AULA 9 – REVISANDO A
MENSAGEM E
ESTRUTURA DA CARTA
(EF02LP18A) Planejar e
produzir, em colaboração
com os colegas e com a
ajuda do professor, textos
para a divulgação de
eventos da escola ou da
comunidade (convite,
propaganda, comunicado,
carta, bilhete,
convocação...), utilizando
linguagem persuasiva e
elementos textuais
visuais (tamanho da
letra, leiaute,
imagens), considerando a
situação comunicativa, o
tema/assunto, a estrutura
composicional e o estilo
do gênero.
(EF01LP08)
Relacionar elementos
sonoros das palavras
com sua representação
escrita.
TEMPO
Uma aula.
PREPARAÇÃO
Leitura das cartas.
MATERIAIS
Giz, lousa, e material
do estudante.
ORGANIZAÇÃO DA TURMA
Em trios.
DESENVOLVIMENTO E
INTERVENÇÕES
Nesta aula, os
estudantes revisarão o
conteúdo temático e a Divida-os em trios, distribua as produções das cartas revisadas na aula anterior e
estrutura composicional peça que eles acompanhem a leitura dos itens da tabela, observando cada um deles
do gênero carta. Sempre na carta que produziram. Durante esse momento, circule entre os trios, garantindo
bom ressaltar que não que consigam observar os aspectos que estão sendo trazidos. Se achar pertinente,
se trata do ensino do traga alguns apontamentos sobre as cartas para garantir que pontos importantes
gênero em si, mas da não fiquem sem análise e revisão. Exemplos: frases inacabadas, ausência de
ampliação das determinadas palavras, falta de coerência etc.
competências leitoras e Após analisarem a carta, dê um tempo para que possam reescrevê-la a partir do que
escritoras dentro de um puderam perceber.
contexto de produção
estabelecido.
cadernodo
caderno do professor 23
professor 133
19

O QUE APRENDEMOS HOJE?


Ao produzirmos uma carta, aprendemos que precisamos cuidar de vários elementos: a forma como escrevemos e
organizamos nosso texto, por exemplo.
24
134
20 caderno
cadernodo
doprofessor
professor

AULA 10 - EDITANDO E COMPARTILHANDO A VERSÃO FINAL DAS CARTAS


(EF02LP18A) Planejar e produzir, em colaboração com os colegas e com a ajuda do professor, textos para a
divulgação de eventos da escola ou da comunidade (convite, propaganda, comunicado, carta, bilhete,
convocação...), utilizando linguagem persuasiva e elementos textuais visuais (tamanho da letra, leiaute,
imagens), considerando a situação comunicativa, o tema/assunto, a estrutura composicional e o estilo do gênero.
(EF01LP08) Relacionar elementos sonoros das palavras com sua representação escrita.
TEMPO
Uma aula.
PREPARAÇÃO
Releia as cartas para verificar se algo ainda precisa ser trabalhado.
MATERIAIS
Material do estudante.
ORGANIZAÇÃO DA TURMA
Em trios e coletiva. Os mesmos da aula anterior.
DESENVOLVIMENTO E INTERVENÇÕES
A proposta dessa aula é de que os estudantes possam finalizar o estudo sobre carta e compartilhar com os
colegas as produções dos trios.
Antes, entretanto, devem passar a carta a limpo, verificando se ela está legível para o leitor.
Você pode aproveitar esse momento para fazer uma última orientação a determinados trios que tenham
apresentado ainda alguma dificuldade para escrever carta.
Em seguida, fale sobre a importância do envelope e de como eles são necessários para o envio da carta de
um local para outro, principalmente quando a distância é longa.
Coloquem o endereço da escola para facilitar o registro.
Preencham o envelope, frente e verso, coletivamente.
Em seguida, professor/a, promova uma roda de leitura para que os estudantes compartilhem o resultado final
de suas produções com os colegas.
O QUE APRENDEMOS HOJE?
Parabenize os trios pela participação e pelo empenho no desenvolvimento das atividades. Pergunte como foi
escrever uma carta, o que mais gostaram de aprender e por quê. Questione também se pretendem escrever mais
cartas e para quem.
cadernodo
caderno do professor 25
professor 135
21
LÍNGUA PORTUGUESA | 77
26
136
22 caderno
cadernodo
doprofessor
professor
78 | LÍNGUA PORTUGUESA
cadernodo
caderno do professor 27
professor 137
23

Sugestões de Sequências Didáticas do Ler e Escrever - 2º ano

Volume 1 Unidade 1 Projeto Cantiga Págs. 144 a 151

Volume 1 Unidade 2 Projeto Receita Págs. 181 a 187

Atividade 3D Pág. 163

Atividade 4F Pág. 168


Volume 2 Unidade 3
Atividade J Pág. 170

Atividade 5A Pág.174
29
caderno do professor 139

Olá, Professor! Olá, Professora!


Com esta Sequência Didática, os estudantes poderão conhecer um pouco mais sobre parlendas, trava-línguas e bilhetes
enquanto textos do campo da vida cotidiana. Assim, aprenderão sobre suas características e suas funções socioculturais, além
de resgatar essa diversão com as palavras e expandir seus repertórios, criando, ainda, novos jogos com as palavras, as rimas
e os ritmos que são tão presentes em nossas brincadeiras tradicionais.
Nas próximas aulas, os estudantes brincarão com parlendas e trava-línguas; analisarão esses textos, compreendendo
sua essência cultural, popular e comunicativa e, por fim, poderão compartilhar seus saberes com a comunidade escolar,
comunicando o que aprenderam. Além disso, terão muitas oportunidades de escrita e leitura, reflexões e trabalho coletivo,
quesitos valorosos para o desenvolvimento.
Desse modo, para a elaboração desta Sequência Didática, foram selecionadas algumas habilidades do Currículo Paulista,
elencadas no quadro abaixo.

Aulas em que as
Objetos de conhecimento Habilidades habilidades são
trabalhadas

(EF01LP16) Ler e compreender, em colaboração com os


colegas e com a ajuda do professor, quadrinhas, parlen-
das, trava-línguas, cantigas, entre outros textos do campo
Compreensão em leitura Aulas 1,2,3,4 e 5.
da vida cotidiana, considerando a situação comunicativa,
o tema/assunto, a estrutura composicional, o estilo e a
finalidade do gênero.

(EF01LP18) Produzir, em colaboração com colegas e com


a ajuda do professor, cantigas, quadrinhas, parlendas, Aulas 1,3,4,5,6,7,8
Produção Escrita
trava-línguas, entre outros textos do campo da vida e 9.
cotidiana.

(EF01LP07) Compreender as notações do sistema de


Construção do sistema alfabético Aulas 1, 3 e 4.
escrita alfabética - segmentos sonoros e letras.

(EF01LP08) Relacionar elementos sonoros das palavras


Construção do sistema alfabético Aulas 2, 4 e 9
com sua representação escrita.

(EF01LP12B) Segmentar palavras, ainda que não conven-


Segmentação de palavras cionalmente, na produção escrita de textos de diferentes Aulas 1,3,4,5,6,7,8,9
gêneros.

(EF02LP07A) Planejar e produzir textos conhecidos de


diferentes gêneros, considerando a situação comunicati-
Produção Escrita Aulas 5,6,7,8 e 9
va, o tema/assunto, a estrutura composicional, o estilo e a
finalidade do gênero.
30 caderno do professor
140

Substantivos próprios (EF02LP01A) Grafar corretamente palavras conhecidas/


Aulas 2,5,6,7,8 e 9
Grafia de palavras conhecidas/familiares familiares.

(EF02LP18A) Planejar e produzir, em colaboração com os


colegas e com a ajuda do professor, textos para a divul-
Compreensão em leitura
gação de eventos da escola ou da comunidade (convite,
Produção Escrita
propaganda, comunicado, carta, bilhete, convocação...),
Aula 10
utilizando linguagem persuasiva e elementos textuais
visuais (tamanho da letra, leiaute, imagens), consideran-
do a situação comunicativa, o tema/assunto, a estrutura
composicional e o estilo do gênero.
cadernodo
caderno do professor 313
professor 141
LÍNGUA PORTUGUESA | 79

(EF01LP07) Compreender
as notações do sistema
de escrita alfabética - seg-
mentos sonoros e letras.
(EF01LP12B) Segmentar
palavras, ainda que não
convencionalmente, na
produção escrita de textos
de diferentes gêneros.
TEMPO
Uma aula.
PREPARAÇÃO
Leitura prévia da ativida-
de e conhecimento geral
da sequência para levan-
tar um repertório dos
gêneros estudados a fim
de enriquecer o estudo.
É importante que você
conheça a estrutura geral
das atividades, que virão
nas próximas 10 aulas,
para apresentar o contexto
completo desta
sequência.
MATERIAIS
Giz, lousa, cartolina e ma-
terial do estudante.
ORGANIZAÇÃO DA TURMA
Organize as carteiras, em
um semicírculo,
voltadas para a lousa.

DESENVOLVIMENTO E
INTERVENÇÕES
Professor/a, iniciamos
uma nova Sequência Di-
dática que terá como obje-
AULA 1 – RELEMBRANDO ALGUNS TEXTOS tivo desenvolver as habili-
dades de leitura, escrita e
(EF01LP16) Ler e compreender, em colaboração com os colegas e com a ajuda do pro- reflexão sobre o sistema
fessor, quadrinhas, parlendas, trava-línguas, cantigas, entre outros textos do campo alfabético dentro dos se-
da vida cotidiana, considerando a situação comunicativa, o tema/assunto, a estrutura guintes gêneros textuais:
composicional, o estilo e a finalidade do gênero. parlendas, trava-línguas e
(EF01LP18) Produzir, em colaboração com colegas e com a ajuda do professor, can- cantigas (que chamamos
tigas, quadrinhas, parlendas, trava-línguas, entre outros textos do campo da vida co- de textos para ler, escre-
tidiana. ver e brincar), os quais se
32
142
4 caderno
cadernodo
doprofessor
professor
80 | LÍNGUA PORTUGUESA

encontram como práti-


ca comunicativa da vida
cotidiana dos estudantes.
A Atividade 1 pretende
trazer à tona o
conhecimento prévio dos
estudantes sobre os
gêneros estudados, suas
experiências pessoais
de brincadeira com
parlendas, trava-línguas
e cantigas e garantir que
todos se preparem para o
início do estudo.
Para isso, peça que
leiam, colaborativamente,
os três textos
apresentados, de-
safiando-os a lhe ajudar
na leitura. Depois inicie a
conversa, questionando
se conhecem esses
textos, onde
ouviram, com quem
aprenderam, quais são
as mais conhecidas do
grupo etc. Você poderá
escrever na lousa uma
lista com as ideias que
os estudantes
levantarem. Tente
questioná-los em relação
às suas observações dian-
te dos textos que leram
e, com o levantamento
das parlendas, dos
trava-línguas e das
cantigas que trouxerem,
vá selecionando o que
é parlenda, o que é
trava-língua e o que é
cantiga. Eles podem per-
ceber, por
exemplo, que a expor na sala e ajudar no desenvolvimento desta sequência. Você também pode
parlenda nem sempre pedir que, depois dessa definição coletiva, os estudantes copiem em seus cadernos
é cantada, ao contrário a explicação do que é uma parlenda, um trava-língua e uma cantiga.
da cantiga, que tem Na Atividade 2, faça uma votação de qual desses textos é o preferido do grupo e
essa característica, ou prepare um ditado para que eles escrevam no Material do Estudante como prática de
que todos escrita e reflexão do sistema alfabético.
apresentam versos rima- O QUE APRENDEMOS HOJE?
dos e ritmados. Relembre com os estudantes os aprendizados da aula, repetindo as observações le-
Assim, você poderá vantadas na comparação de ambos os gêneros trabalhados na aula, bem como reto-
escrever na cartolina
essas definições para
cadernodo
caderno do professor 335
professor 143
LÍNGUA PORTUGUESA | 81

crita.
(EF02LP01A) Grafar corre-
tamente palavras conheci-
das/familiares.
TEMPO
Uma aula.
PREPARAÇÃO
Leitura prévia da
atividade.
MATERIAIS
Giz, lousa e material do
estudante.
ORGANIZAÇÃO DA TURMA
Coletiva e em duplas.
Organize as carteiras,
em um semicírculo,
voltadas para a lousa.
DESENVOLVIMENTO E
INTERVENÇÕES
Nessa aula, os estudantes
terão que ouvir a sua lei-
tura, identificando a partir
dela as palavras faltantes
em dupla. Por isso, leia
diversas vezes, não
coloque ênfase nas
palavras que faltam.
Depois de ler algumas
vezes, peça que façam a
leitura, ajustando o falado
ao escrito e completando
com o que falta. Como as
parlendas são textos
conhecidos, pode ser que
façam uma leitura de
memória do texto e, as-
sim, vá explorando novas
formas de leitura para de-
safiá-los: o estudante 1 lê
mando os desafios da leitura e da escrita que tiveram em sala.
AULA 2 – COMPLETE A PARLENDA
(EF01LP16) Ler e compreender, em colaboração com os colegas e com a ajuda do pro-
fessor, quadrinhas, parlendas, trava-línguas, cantigas, entre outros textos do campo
da vida cotidiana, considerando a situação comunicativa, o tema/assunto, a estrutura
composicional, o estilo e a finalidade do gênero.
(EF01LP08) Relacionar elementos sonoros das palavras com sua representação es-
34
144
6 caderno
cadernodo
doprofessor
professor
82 | LÍNGUA PORTUGUESA

o primeiro verso, e o estu-


dante 2 completa a última
palavra; o estudante 3 lê o
segundo verso, e o estu-
dante 4 completa; e assim
por diante.
Depois desse exercício de
leitura, peça que os estu-
dantes sentem-se em du-
plas (você poderá mapear
anteriormente as duplas
que serão mais potentes
em relação à reflexão so-
bre o sistema alfabético;
dê preferência para crian-
ças que estão alfabéticas
e outras que ainda estão
nessa construção) e com-
parem a escrita que fize-
ram completando a par-
lenda. Com isso, poderão
confrontar hipóteses de
escrita, refletir sobre o sis-
tema alfabético de escrita
e também sobre algumas
regras ortográficas, como
o uso do rr (arroz), ou so-
bre a composição silábica
que apresenta encontros
consonantais (inglês, pra-
to) e até mesmo o uso do
plural em palavras termi-
nadas em i (pastéis). Em
seguida, peça que com-
partilhem suas reflexões,
registrando-as no Material
do Estudante. Vocês pode-
rão coletar essas reflexões
e problematizá-las de
acordo com o que apare-
cer, registrando na lousa
as conclusões do grupo.
O QUE APRENDEMOS AULA 3 – EXPLORANDO OS TRAVA-LÍNGUAS
HOJE?
Ao final da aula, retome os (EF01LP16) Ler e compreender, em colaboração com os colegas e com a ajuda do pro-
registros elaborados para fessor, quadrinhas, parlendas, trava-línguas, cantigas, entre outros textos do campo
que relembrem o que da vida cotidiana, considerando a situação comunicativa, o tema/assunto, a estrutura
aprenderam juntos: leitu- composicional, o estilo e a finalidade do gênero.
ra da parlenda, completar (EF01LP18) Produzir, em colaboração com colegas e com a ajuda do professor, can-
as palavras e refletir sobre tigas, quadrinhas, parlendas, trava-línguas, entre outros textos do campo da vida co-
a escrita delas. tidiana.
cadernodo
caderno do professor 357
professor 145
LÍNGUA PORTUGUESA | 83

MATERIAIS
Giz, lousa, material do es-
tudante.
ORGANIZAÇÃO DA TURMA
Individual e coletiva – em
duplas.
DESENVOLVIMENTO E IN-
TERVENÇÕES
Nessa aula, além de co-
nhecerem diferentes tra-
va-línguas, os estudantes
terão o desafio de fazer a
leitura dessas frases.
Na Atividade 1, separe-os
em duplas para que leiam
os trava-línguas da pro-
posta diversas vezes jun-
tos. Dedique um tempo
para que explorem oral-
mente esses textos e brin-
quem com as palavras, es-
timulando-os a pensar nas
dificuldades que tiveram
nesse exercício. Depois
de fazerem essa explora-
ção, pergunte ao grupo
se alguém gostaria de fa-
lar um dos trava-línguas
tentando não errar. Essa
pode ser uma brincadeira
coletiva, rápida, que pode
trazer possibilidades de
reflexões dos estudantes
diante da dificuldade de
repeti-los. A partir disso,
vá perguntando aos estu-
dantes quais desafios en-
contraram. Alguns podem
ser: a combinação entre os
sons de sílabas com r e p,
pode confundir e acabar ti-
rando um p, falando a pa-
(EF01LP07) Compreender as notações do sistema de escrita alfabética - segmentos lavra errada (rapto - rato,
sonoros e letras. por exemplo); ou o r dos
(EF01LP12B) Segmentar palavras, ainda que não convencionalmente, na produção “tigres tristes”, ora está na
escrita de textos de diferentes gêneros. primeira sílaba (tristes),
TEMPO ora na segunda (tigres),
Uma aula. entre outras possibilida-
PREPARAÇÃO
Leitura prévia da atividade.
36
146
8 caderno
cadernodo
doprofessor
professor
84 | LÍNGUA PORTUGUESA

des que levantarão.


Em seguida, oriente cada
dupla a tentar criar seu
próprio trava-língua a
partir do seu repertório
de palavras, refletindo so-
bre sua pronúncia. Aqui,
pode ser que apareçam
as rimas como possibili-
dade de combinação das
palavras para a elaboração
do texto. Evidencie essas
ocorrências, caso elas apa-
reçam, pois as rimas serão
um importante fio de co-
nexão dos trava-línguas
com outros textos para
brincar (aprofundaremos
mais nas Aulas 5 e 6).
O QUE APRENDEMOS
HOJE?
Retome os desafios da
leitura e da memorização
dos trava-línguas com os
estudantes, assim como
o que já compreenderam
de sua estrutura: palavras
com sílabas iguais ou pa-
recidas, rimas e repeti-
ções.
cadernodo
caderno do professor 379
professor 147

AULA 4 – QUAIS CANTIGAS CONHECEMOS?


(EF01LP16) Ler e compreender, em colaboração com os colegas e com a ajuda do professor, quadrinhas, parlendas,
trava-línguas, cantigas, entre outros textos do campo da vida cotidiana, considerando a situação comunicativa, o
tema/assunto, a estrutura composicional, o estilo e a finalidade do gênero.
(EF01LP18) Produzir, em colaboração com colegas e com a ajuda do professor, cantigas, quadrinhas, parlendas,
trava-línguas, entre outros textos do campo da vida cotidiana.
(EF01LP07) Compreender as notações do sistema de escrita alfabética - segmentos sonoros e letras.
(EF01LP12B) Segmentar palavras, ainda que não convencionalmente, na produção escrita de textos de diferentes
gêneros.
(EF01LP08) Relacionar elementos sonoros das palavras com sua representação escrita.
TEMPO
Uma aula.
PREPARAÇÃO
Leitura prévia da atividade.
MATERIAIS
Giz, lousa, material do estudante.
ORGANIZAÇÃO DA TURMA
Individual.
DESENVOLVIMENTO E INTERVENÇÕES
O objetivo dessa aula é apresentar aos estudantes um dos gêneros que elencamos para esta sequência. As cantigas
são textos comuns no repertório das crianças e, agora, o desafio é trazê-las para o registro escrito como forma de re-
fletir sobre o sistema alfabético. Assim, a Atividade 1 dessa aula é fazer uma conversa sobre as cantigas e registrar
em uma lista algumas delas. Ao longo da conversa, vá escrevendo também na lousa, com a mesma organização
que apresenta o Material do estudante. Depois, se elaborarem a lista de cantigas, os estudantes terão que escolher
uma para ditar para você, que escreverá em uma cartolina e deixará registrado na sala. O ditado ao/à professor/a
é uma estratégia pedagógica importante para que os estudantes observem a forma de escrita do/da professor/a
como escriba, compreendendo aspectos importantes como o espaçamento, as reflexões diante da relação entre
como se fala e como se escreve e, principalmente, a importância da releitura e da revisão.
Lembre-se de escrever considerando a organização textual, as margens e linhas, pois, visualmente, isso contribui
para a reflexão dos estudantes.
No decorrer da escrita, pontue também algumas características textuais das cantigas, como a presença de versos,
rimas e repetições.
O QUE APRENDEMOS HOJE?
Ao final da aula, retome o texto produzido coletivamente com os estudantes e relembre as observações que fize-
ram ao longo da aula sobre a postura de escriba, bem como as reflexões sobre o gênero textual que utilizamos.
38
148
10 caderno
cadernodo
doprofessor
professor

AULA 5 – TEXTOS PARA LER, ESCREVER E BRINCAR


(EF01LP16) Ler e compreender, em colaboração com os colegas e com a ajuda do professor, quadrinhas, parlendas,
trava-línguas, cantigas, entre outros textos do campo da vida cotidiana, considerando a situação comunicativa, o
tema/assunto, a estrutura composicional, o estilo e a finalidade do gênero.
(EF01LP18) Produzir, em colaboração com colegas e com a ajuda do professor, cantigas, quadrinhas, parlendas,
trava-línguas, entre outros textos do campo da vida cotidiana.
(EF01LP12B) Segmentar palavras, ainda que não convencionalmente, na produção escrita de textos de diferentes
gêneros.
(EF02LP07A) Planejar e produzir textos conhecidos de diferentes gêneros, considerando a situação comunicativa,
o tema/assunto, a estrutura composicional, o estilo e a finalidade do gênero.
(EF02LP01A) Grafar corretamente palavras conhecidas/familiares.
TEMPO
Uma aula.
PREPARAÇÃO
Leia antecipadamente a proposta da aula para selecionar os recursos e materiais necessários.
Escolha previamente diferentes livros e materiais de pesquisa, para que os estudantes possam conhecer ou re-
visitar a diversidade desses textos. Se sua escola tiver recursos tecnológicos como computadores, notebooks ou
tablets com acesso à internet, disponibilize um deles para as crianças explorarem. Se possível, prepare também
aparelho de som ou outros instrumentos nos quais possa colocar músicas que tragam os gêneros – você encontrará
facilmente nas plataformas musicais ou no YouTube, por exemplo: Palavra Cantada (<https://www.youtube.com/
watch?v=cqp4N_Hqxvs> ou Hélio Ziskind (<https://www.youtube.com/watch?v=dKVQn-601Dw>.
MATERIAIS
Giz, lousa, aparelho de som, recursos tecnológicos como computadores, notebooks ou tablets, livros sobre parlen-
das, cantigas e outros textos de cultura popular e o Material do Estudante.
ORGANIZAÇÃO DA TURMA
Organize espaços de pesquisa em mesas unidas. Espalhe o material que levantou para que os estudantes possam
manusear e pesquisar.
DESENVOLVIMENTO E INTERVENÇÕES
O objetivo dessa aula é ampliar o repertório dos estudantes em relação aos gêneros estudados, ampliando suas
possibilidades de leitura, escrita e reflexão sobre o sistema alfabético de escrita.
A partir dessa pesquisa, os estudantes terão contato com diferentes textos para brincar, como cantigas, quadri-
nhas, adivinhas, provérbios, entre outros. Faça um levantamento prévio desse repertório e traga, no material,
essa nomenclatura. Ande pelos pequenos grupos para apoiar os estudantes na compreensão e diferenciação des-
ses textos.
Enquanto pesquisam, peça que façam o registro da Atividade 1, trazendo suas observações em relação a esses
diferentes textos. Você poderá problematizar com o grupo aspectos como: os versos, as rimas, o ritmo, a brinca-
deira coletiva, entre outros.
O QUE APRENDEMOS HOJE?
Para finalizar a aula, revisite o registro que realizaram, fazendo um levantamento das observações sobre as diferen-
ças e semelhanças entre esses “textos para brincar”.
cadernodo
caderno do professor 39
professor 149
11
LÍNGUA PORTUGUESA | 85
23
40
150
12 caderno
cadernodo
doprofessor
professor
86 | LÍNGUA PORTUGUESA

AULA 6 – AS RIMAS
(EF01LP18) Produzir,
em colaboração com
colegas e com a ajuda
do professor, cantigas,
quadrinhas, parlendas,
trava-línguas, entre outros
textos do campo da vida
cotidiana.
(EF01LP12B) Segmentar
palavras, ainda que não
convencionalmente, na
produção escrita de textos
de diferentes gêneros.
(EF02LP07A) Planejar e
produzir textos conhe-
cidos de diferentes gê-
neros, Considerando a
situação comunicativa, o
tema/assunto, a estrutura
composicional, o estilo e a
finalidade do gênero.
(EF02LP01A) Grafar corre-
tamente palavras conheci-
das/familiares.
TEMPO
Uma aula.
PREPARAÇÃO
Leitura prévia das ativi-
dades e seleção de obje-
tos que poderão ajudar a
construir rimas.
MATERIAIS
Giz, lousa, material do
estudante e objetos que
possam suscitar rimas.
ORGANIZAÇÃO DA TURMA
Coletiva – mesas em semi-
círculo.
DESENVOLVIMENTO E
perceber que elas são um dos fatores que tornam os textos divertidos e possíveis de
INTERVENÇÕES
construir movimento, ritmo, desafio, interação e relação. Além disso, para o desenvol-
vimento da leitura, da escrita e da reflexão sobre o sistema alfabético, as rimas contri-
O objetivo dessa aula é fa- buem para a consciência fonológica e, a partir delas, podemos criar e recriar escritas.
zer com que os estudantes
percebam as rimas como Sendo assim, nessa aula, você irá propor que resgatem as rimas nos textos já traba-
um elemento comum lhados nesta sequência. O intuito é localizá-las e fazer um quadro com elas. O estu-
entre os gêneros textuais dantes podem circular as rimas encontradas e anotar suas conclusões na tabela da
estudados, bem como Atividade 1. Depois desse levantamento, proponha também a construção de novas
rimas, mostrando os objetos que você trouxe para apresentar.
cadernodo
caderno professor 151
do professor 41
13
LÍNGUA PORTUGUESA | 87

AULA 7 – CRIANDO
TEXTOS RIMADOS
(EF01LP18) Produzir, em
colaboração com colegas e
com a ajuda do professor,
cantigas, quadrinhas, par-
lendas, trava-línguas, en-
tre outros textos do campo
da vida cotidiana.
(EF01LP12B) Segmentar
palavras, ainda que não
convencionalmente, na
produção escrita de textos
de diferentes gêneros.
(EF02LP07A) Planejar e
produzir textos conhe-
cidos de diferentes gê-
neros, considerando a
situação comunicativa, o
tema/assunto, a estrutura
composicional, o estilo e a
finalidade do gênero.
(EF02LP01A) Grafar corre-
tamente palavras conheci-
das/familiares.
TEMPO
Uma aula.
PREPARAÇÃO
Leitura prévia da atividade
e seleção de materiais que
possam colaborar com a
criação dos estudantes;
organização prévia dos
agrupamentos, conside-
rando a potencialidade de
cada estudante para a pro-
dução escrita coletiva.
MATERIAIS
Cartolinas, cartões, folha
Esses registros de rimas possíveis poderão ajudar os estudantes na próxima aula, de papel sulfite, caneti-
tendo em vista a produção de textos rimados para ler, escrever e brincar. nhas e material do estu-
dante.
O QUE APRENDEMOS HOJE?
ORGANIZAÇÃO DA TURMA
Relembre, ao final da aula, o que estudaram e discutiram, tendo como foco as rimas,
as quais interligam os gêneros que estudamos nesta sequência e que possibilitam Em quartetos. Organize
a brincadeira, a musicalidade e o ritmo em todos esses textos. de modo que no mesmo
grupo os estudantes pos-
sam confrontar hipóteses
escritas e refletir sobre o
42
152
14 caderno
cadernodo
doprofessor
professor
88 | LÍNGUA PORTUGUESA

sistema de escrita.
DESENVOLVIMENTO E
INTERVENÇÕES
Depois de explorar de
diversas maneiras os gê-
neros selecionados para a
sequência, os estudantes
agora irão criar coletiva-
mente pequenos “textos
para brincar”, tendo em
vista seus conhecimentos
em relação aos elemen-
tos que compõem esses
gêneros e todo seu reper-
tório criativo para produzir
textos escritos.
Assim, separe os grupos
de acordo com o seu pla-
nejamento prévio, que
precisará considerar as
hipóteses de escrita das
crianças e sobretudo ga-
rantir que, de maneira co-
operativa, os estudantes
possam confrontar gene-
rosamente suas hipóteses
e, assim, refletir sobre o
sistema alfabético de es-
crita.
Retome as rimas produ-
zidas com os estudantes.
Durante a produção coleti-
va, passe por cada peque-
no grupo, refletindo sobre
seus textos e colaborando
com o que for necessário.
O QUE APRENDEMOS
HOJE?
Ao finalizar a aula, relem-
bre aos estudantes que o
maior aprendizado está
na oportunidade de criar
textos e aprender a escre-
vê-los, possibilitando tam-
bém uma reflexão sobre o
sistema de escrita (quan-
tas e quais letras usar) e o
compartilhamento de
diferentes saberes com os
colegas.
cadernodo
caderno do professor 43
professor 153
15

AULA 8 – BANCO DE TEXTOS PARA LER, ESCREVER E BRINCAR


(EF01LP18) Produzir, em colaboração com colegas e com a ajuda do professor, cantigas, quadrinhas, parlendas,
trava-línguas, entre outros textos do campo da vida cotidiana.
(EF01LP12B) Segmentar palavras, ainda que não convencionalmente, na produção escrita de textos de diferentes
gêneros.
(EF02LP07A) Planejar e produzir textos conhecidos de diferentes gêneros, considerando a situação comunicativa,
o tema/assunto, a estrutura composicional, o estilo e a finalidade do gênero.
(EF02LP01A) Grafar corretamente palavras conhecidas/familiares.
TEMPO
Uma aula.
PREPARAÇÃO
Organize cartões para os estudantes escreverem os textos destinados ao banco de textos, bem como uma caixa em
que possam colocá-los.
MATERIAIS
Cartões de papel, canetinhas, giz, lousa, caixa de papelão para abrigar os cartões e material do estudante.
ORGANIZAÇÃO DA TURMA
Quartetos selecionados na aula anterior.
DESENVOLVIMENTO E INTERVENÇÕES
A essa altura, os estudantes já devem ter enriquecido seu repertório de “textos para ler, escrever e brincar” com
parlendas, trava-línguas e cantigas. Portanto, a intenção dessa aula é que cada pequeno grupo selecione, além do
texto de sua autoria, um desses textos e brincadeiras para registrar em um cartão, o qual comporá um banco de
textos que poderá ser usado ao longo do ano, formando um acervo de ideias textuais que os estudantes poderão
ler, escrever e se divertir no momento do intervalo ou em outras situações cotidianas da escola.
Na Atividade 1, os estudantes farão a revisão dos textos rimados que elaboraram coletivamente e, em seguida,
escolherão, juntos, mais um para registrar e contribuir com o “Banco de textos para ler, escrever e brincar”.
O QUE APRENDEMOS HOJE?
Reforce que os estudantes estão construindo um vasto repertório de textos para ler escrever e brincar e, com isso,
consolidando diferentes habilidades para aprender a ler e escrever.
44
154
16 caderno
cadernodo
doprofessor
professor

AULA 9 – VEM BRINCAR COMIGO? CONSTRUINDO O “BANCO DE TEXTOS PARA LER, ESCREVER E BRINCAR”
(EF01LP18) Produzir, em colaboração com colegas e com a ajuda do professor, cantigas, quadrinhas, parlendas,
trava-línguas, entre outros textos do campo da vida cotidiana.
(EF01LP12B) Segmentar palavras, ainda que não convencionalmente, na produção escrita de textos de diferentes
gêneros.
(EF02LP07A) Planejar e produzir textos conhecidos de diferentes gêneros, considerando a situação comunicativa,
o tema/assunto, a estrutura composicional, o estilo e a finalidade do gênero.
(EF02LP01A) Grafar corretamente palavras conhecidas/familiares.
(EF01LP08) Relacionar elementos sonoros das palavras com sua representação escrita.
TEMPO
Uma aula.
PREPARAÇÃO
Leitura prévia da atividade, seleção de materiais necessários para a aula.
MATERIAIS
Caixa de papelão decorada para ser o “Banco de textos para ler, escrever e brincar”, cartões de cartolina, canetinhas,
lápis de cor e material do estudante.
ORGANIZAÇÃO DA TURMA
Quartetos selecionados na aula anterior.
DESENVOLVIMENTO E INTERVENÇÕES
Estamos chegando ao fim de mais uma Sequência Didática, e a ideia dessa aula é finalizarmos a proposta do “Ban-
co de textos para ler, escrever e brincar”. O objetivo desse banco é montar e disponibilizar para as crianças um acer-
vo de pequenos textos que elas poderão ler, reescrever, ditar e brincar com os colegas. Sendo assim, é
importante que, depois de produzidos, os cartões sejam plastificados, a fim de aumentar a durabilidade e
também facilitar a higienização. Se possível, converse com os estudantes para que cuidem do material.
Para a escrita dos cartões, peça que os pequenos grupos revisem a escrita, lembrando que a intenção dos
textos escritos é comunicar para outra pessoa as parlendas, os trava-línguas e as cantigas que selecionaram e
criaram. Por isso, a revisão precisa ser minuciosa. A forma como se escreve terá que ser legível e com todo cuidado
estético. Apoie e oriente os estudantes para isso.
Assim que tiver tudo pronto, ofereça aos estudantes a oportunidade de brincarem com seu banco de textos
para ler, escrever e brincar, explorando os textos com leitura, reescrita e muita brincadeira.
O QUE APRENDEMOS HOJE?
Ao final dessa aula, questione o que os estudantes acharam dessa experiência de estudo com textos que promo-
vem brincadeiras, retomando ainda os registros que fizeram e lembrando também tudo o que produziram.
cadernodo
caderno do professor 45
professor 155
17
LÍNGUA PORTUGUESA | 89
27
46
156
18 caderno
cadernodo
doprofessor
professor
90 | LÍNGUA PORTUGUESA
cadernodo
caderno do professor 47
professor 157
19

AULA 10 – VEM BRINCAR COMIGO?


(EF02LP18A) Planejar e produzir, em colaboração com os colegas e com a ajuda do professor, textos para a divul-
gação de eventos da escola ou da comunidade (convite, propaganda, comunicado, carta, bilhete, convocação...,
utilizando linguagem persuasiva e elementos textuais visuais (tamanho da letra, leiaute, imagens, considerando
a situação comunicativa, o tema/assunto, a estrutura composicional e o estilo do gênero.
TEMPO
Uma aula.
PREPARAÇÃO
Leitura prévia da atividade.
MATERIAIS
Cartolinas, canetinhas, giz e lousa.
ORGANIZAÇÃO DA TURMA
Coletiva, com as mesas dispostas em semicírculos.
DESENVOLVIMENTO E INTERVENÇÕES
Para compartilhar os aprendizados desenvolvidos nesta sequência, propusemos que fizessem um convite para
outra turma da escola. O intuito é que explorem juntos o banco de textos que construíram. Além disso, espera-se
que dividam os saberes adquiridos nesse percurso e, principalmente, convoquem a comunidade escolar para
brincar com os textos, tornando o estudo mais interessante e rico.
Para tanto, após anunciar que precisarão organizar esse momento, selecione um grupo da turma para elaborar o
convite. Depois, eles poderão escrevê-lo juntos, considerando as observações dos convites que colocamos como
modelo na Atividade 1. Você poderá ser o escriba do convite, e os estudantes poderão criá-lo, oralmente, ditando
para você.
O QUE APRENDEMOS HOJE?
Chegamos ao fim de mais uma sequência e é importante fazer uma retomada geral dos conhecimentos construí-
dos nesse processo. Relembre os estudantes que, nessa aula, eles tiveram contato com mais parlendas, trava-lín-
guas e convites, e que poderão registrar em seus cadernos a conclusão escrita na lousa.

Sugestões de Sequências Didáticas do Ler e Escrever - 2º ano

Atividade 5, págs. 92 a 95
Etapa 1, págs. 122 a 126
Unidade 1 Etapa 2 – págs. 126 a 129
Etapa 3, págs. 131 a 135
Volume 1 Etapa 4, págs. 136 a 139

Atividade 2D -
Unidade 2 Atividade 3 – págs. 264 a 271
Nossa língua – Parte 1 – Atividade 2, pág. 252

Volume 2 Etapa 4 Atividade 4B


49
caderno do professor 159

Olá, Professor! Olá, Professora!


Esta Sequência Didática tem como objetivo apresentar o jornal como um espaço de investigação sobre os gêneros
textuais do campo da vida pública, entre eles, notícias, anúncios publicitários, slogans e campanhas. Para tanto, tenha em
mãos diferentes exemplares de jornais para a exploração dos estudantes. É possível recorrer a jornais impressos e jornais
on-line, com especial atenção ao Jornal JOCA que tem conteúdo direcionado à faixa etária. Se tiver acesso à impressão,
pode ser uma alternativa ou, ainda, utilizar retroprojetor para demonstração dos jornais on-line. Além disso, o diálogo com
outros gêneros textuais tornará o estudo ainda mais rico e significativo. Que as aulas sejam de muitas descobertas e
aprendizados!
Assim, para a elaboração desta Sequência Didática, foram selecionadas algumas habilidades do Currículo Paulista,
elencadas no quadro abaixo:

Aulas em que as
Objetos de conhecimento Habilidades habilidades são
trabalhadas

Análise linguística/substantivos próprios (EF02LP01A) Grafar corretamente palavras conhecidas/ Aulas 1, 2, 3, 4, 6, 7


Grafia de palavras conhecidas/familiares familiares. e8

(EF12LP02B) Ler, com a mediação do professor, textos


Compreensão em leitura que circulam em meios impressos ou digitais, de acordo Aulas 1, 2, 3, 4 e 6
com as necessidades e interesses individuais e da turma.

(EF02LP26) Ler e compreender, em colaboração com os


colegas e com a ajuda do professor, notícias, entre outros
textos do campo da vida pública, que possam ser orali-
Compreensão em leitura Aulas 1, 2, 3, 4, 6 e 7
zados (em áudio ou vídeo), considerando a situação de
comunicação, o tema/assunto, a estrutura composicional
e o estilo do gênero.

(EF12LP11A) Planejar e produzir, em colaboração com os


colegas e com a ajuda do professor, textos do campo da
vida pública (fotolegendas, manchetes, notícias
Produção escrita digitais ou impressas, entre outros), considerando a Aulas 5 e 8
situação comunicativa,
o tema/assunto, a estrutura composicional e o estilo do
gênero.
50 caderno do professor
160

(EF12LP16) Manter a estrutura composicional própria de


textos do campo da vida pública (anúncios publicitários,
Compreensão em leitura campanhas de conscientização, entre outros), inclusive o Aulas 5, 8, 9 e 10
uso de imagens, na produção escrita de cada um desses
gêneros.

(EF02LP07A) Planejar e produzir textos conhecidos de


diferentes gêneros, considerando a situação comunicati-
Produção escrita Aulas 5, 6, 7, 8, 9
va, o tema/assunto, a estrutura composicional, o estilo e a
finalidade do gênero.

Aula 1 – Para começo de conversa...


(EF02LP26) Ler e compreender, em colaboração com os colegas e com a ajuda do professor, notícias, entre outros
textos do campo da vida pública, que possam ser oralizados (em áudio ou vídeo), considerando a situação de co-
municação, o tema/assunto, a estrutura composicional e o estilo do gênero.
(EF12LP02B) Ler, com a mediação do professor, textos que circulam em meios impressos ou digitais, de acordo
com as necessidades e interesses individuais da turma.
(EF02LP01A) Grafar corretamente palavras conhecidas/familiares.
TEMPO
Uma aula.
PREPARAÇÃO
Seleção de exemplares de jornais com o intuito de selecionar conteúdos indicados para a faixa etária. É importante
atentar se o jornal escolhido contém os gêneros que vamos explorar: notícias, anúncios, slogans e campanhas.
Pense na sua turma de estudantes e avalie se é interessante organizar previamente os trios para a observação do
material. Esta aula será feita em trios, por isso, é fundamental olhar para seu grupo de estudantes e fazer uma
separação prévia deles, considerando as respectivas habilidades e os respectivos desafios para criar agrupamentos
produtivos, que contenham crianças com diferentes hipóteses de escrita, unindo crianças alfabéticas com aquelas
que ainda não estão alfabéticas.
cadernodo
caderno do professor 513
professor 161
LÍNGUA PORTUGUESA | 91
29

DESENVOLVIMENTO E
INTERVENÇÕES
A ideia da primeira aula
é uma introdução que
permita saber qual é o
conhecimento prévio dos
estudantes em relação ao
suporte (jornal impresso)
que vamos estudar, com
foco no desenvolvimento
das habilidades de leitura
relacionadas aos gêneros
do campo vida pública:
notícia, slogan, anúncio e
campanha.
“Para começo de con-
versa...” pergunte aos
estudantes: “O que é um
jornal?”; “Onde encon-
tramos esse material?”;
“Para que ele serve?”. Dei-
xe que eles respondam
refletindo coletivamente
nesse momento que indi-
camos ser uma conversa.
É provável que apareçam
diferentes formas deste
gênero textual, contem-
plando, por exemplo, a
forma digital (telejornal,
jornais virtuais), além da
forma impressa, que será
o foco desta aula. Anuncie
que hoje a forma impressa
será explorada.
Separe, então, os trios e
entregue um exemplar de
jornal a cada grupo, orien-
tando-os que explorem
as páginas. A sugestão de
duração da livre explora-
ção é de, aproximadamen-
MATERIAIS te, 10 minutos. Peça, em
Giz, lousa, jornais e material do estudante. seguida, que cada estu-
dante do trio escolha uma
ORGANIZAÇÃO DA TURMA parte que mais chamou a
Organização coletiva, em trios, e, depois, carteiras em rodas. atenção, registrando na
atividade 1.
Depois, organize uma
roda de conversa em que
eles compartilharão o que
52
162
4 caderno
cadernodo
doprofessor
professor
92 | LÍNGUA PORTUGUESA

escolheram, observaram e
registraram.
Enquanto os estudantes
apresentam, você poderá
anotar na lousa os gêne-
ros que forem aparecen-
do, como notícia, anúncio,
slogan, campanha, entre
outros, além das caracte-
rísticas, ou seja, o que in-
formam, o que anunciam,
o formato, a imagem uti-
lizada e a temática geral.
Analise coletivamente os
que foram mais recorren-
tes no interesse dos estu-
dantes e problematize o
motivo. Tais informações
serão essenciais para nor-
tear seus relançamentos,
interligando a Sequência
a outras propostas que
planejar.
O QUE APRENDEMOS
HOJE?
No fim da atividade, soli-
cite que narrem o que vi-
veram, procure trazer que
começamos conversando
sobre jornais, depois ex-
ploraram um exemplar
impresso e tudo que ele
pode trazer dentro dele,
diversidade de textos,
imagens, publicidades,
aprendendo a reconhecer
suas partes e identifican-
do alguns dos gêneros
que compõem o material.

Aula 2 – Explorando UMA NOTÍCIA


(EF02LP26) Ler e compreender, em colaboração com os colegas e com a ajuda do
professor, notícias, entre outros textos do campo da vida pública, que possam ser
oralizados (em áudio ou vídeo, considerando a situação de comunicação, o tema/
assunto, a estrutura composicional e o estilo do gênero.
(EF12LP02B) Ler, com a mediação do professor, textos que circulam em meios im-
pressos ou digitais, de acordo com as necessidades e interesses individuais da turma.
cadernodo
caderno do professor 535
professor 163
LÍNGUA PORTUGUESA | 93

MATERIAIS
Material do estudante.
ORGANIZAÇÃO DA TURMA
Disposição das carteiras
em roda.
DESENVOLVIMENTO E
INTERVENÇÕES
Nesta aula, professor/a,
inicie com a leitura colabo-
rativa da notícia do Jornal
Joca. É importante ajudar
os estudantes com pala-
vras mais complicadas e
também na parte dos nú-
meros e porcentagens. Na
parte da porcentagem, ex-
plique que, quanto mais
perto do 0%, a proporção
é menor; quanto mais
perto dos 50%, é metade
e, quanto mais perto dos
100%, é próximo da tota-
lidade. Outras pausas im-
portantes podem ser fei-
tas nas abreviações, como
as siglas que aparecem no
texto e nos estrangeiris-
mos, como a palavra PET
(animal de estimação),
além das palavras que
podem gerar dúvidas,
por exemplo: comissão
(quando várias pessoas se
juntam para acompanhar
alguma coisa); residên-
cias e lares (sinônimos de
casa), cidadãos (pessoas
que moram em alguma
cidade), classes sociais
(ricos, classe média e po-
bres). Depois da leitura, as
crianças responderão ao
(EF02LP01A) Grafar corretamente palavras conhecidas/familiares. questionário da atividade.
TEMPO Em seguida, verão uma
Uma aula. imagem da mesma notí-
PREPARAÇÃO cia, mas na versão impres-
Leitura prévia da atividade. É importante lembrar que alguns estudantes podem não sa do Jornal Joca. A ideia é
estar com uma hipótese de escrita alfabética, portanto é importante colocá-los, quan- que, por meio das pergun-
do necessário, em posições estratégicas que facilitem o seu apoio. tas, as crianças comparem
as versões. Quando você
for explicar a atividade 1,
54
164
6 caderno
cadernodo
doprofessor
professor
94 | LÍNGUA PORTUGUESA

procure trazer a orienta-


ção de olhar as diferenças
de organização espacial
do texto, as cores, as ima-
gens e para o que os da-
dos estatísticos e gráficos
serviram. Espera-se que
os estudantes percebam
que a primeira versão lida
é muito “menos chamati-
va” e até “menos interes-
sante” do que a segunda,
que se utiliza de vários
recursos gráficos para
apresentar as mesmas in-
formações.
Depois que terminarem
de responder às pergun-
tas da atividade, você po-
derá ler uma a uma, ouvir
as ideias de resposta e tra-
çar uma resposta comum
escrevendo na lousa. Caso
o grupo seja mais autô-
nomo, faça a conversa de
cada uma das perguntas
deixando-os escrever so-
zinhos e passe pela sala
validando as hipóteses e
apoiando-os no que for
necessário.
O QUE APRENDEMOS
HOJE?
Relembre com os estu-
dantes que, nesta aula, foi
possível ler uma notícia
colaborativamente, com-
preendê-la e comparar os
respectivos formatos para
conhecer os meios em
que são elas publicadas
(digital ou impresso).
cadernodo
caderno do professor 557
professor 165
LÍNGUA PORTUGUESA | 95
56
166
8 caderno
cadernodo
doprofessor
professor
96 | LÍNGUA PORTUGUESA

Aula 3 – CONHECENDO
COMO SE ORGANIZA A
NOTÍCIA
(EF02LP26) Ler e compre-
ender, em colaboração
com os colegas e com a
ajuda do professor, notí-
cias, entre outros textos
do campo da vida pública,
que possam ser oraliza-
dos (em áudio ou vídeo),
considerando a situação
de comunicação, o tema/
assunto, a estrutura com-
posicional e o estilo do
gênero.
(EF12LP02B) Ler, com a
mediação do professor,
textos que circulam em
meios impressos ou di-
gitais, de acordo com as
necessidades e interesses
individuais da turma.
(EF02LP01A) Grafar corre-
tamente palavras conheci-
das/familiares.
TEMPO
Uma aula.
PREPARAÇÃO
Leitura prévia da ativida-
de. Nesta aula, os
estudantes farão a análise
da notícia que está no
material, coletivamente.
Outras notícias podem ser
trazidas para que eles
percebam e generalizem a
forma composicional
desse gênero textual.
Caso seja possível, o/a
professor/a pode projetar ORGANIZAÇÃO DA TURMA
as notícias para análise. Coletivamente.
MATERIAIS DESENVOLVIMENTO E INTERVENÇÕES
Material do estudante, Nesta aula, os estudantes vão conhecer algumas partes importantes da notícia para
giz, lousa, jornais e compreender o que essa estrutura os ajuda na compreensão e no entendimento das
projetor. informações que ela traz. O foco não é a estrutura ou a definição do que cada parte
é, mas o que elas trazem e que antecipa e ajuda a aprofundar e tornar interessante
cadernodo
caderno do professor 579
professor 167
LÍNGUA PORTUGUESA | 97

pacto para chamar aten-


ção do leitor.
-Imagens: ilustram a no-
tícia antecipando, muitas
vezes, os personagens
que farão parte dela.
- Corpo da notícia: parte
em que o texto explica o
que a notícia comunica,
dando detalhes e narran-
do os fatos.
- Gráficos: ajudam a dei-
xar as informações e os
dados mais fáceis de ler.
Podem ser consultados
para pegar os dados mais
importantes que a notícia
traz. Existem alguns grá-
ficos, denominados info-
gráficos, que contam com
imagens e representações
que deixam o conteúdo
ainda mais sistematizado.
- Legenda: ajuda a com-
preender o gráfico e as
imagens.
Vocês podem levantar
mais algumas caracte-
rísticas na análise que
fizerem. Retome observa-
ções dos estudantes para
problematizar. Utilize as
reflexões e as anotações
da aula anterior, que com-
param as duas formas da
notícia, para compreender
os elementos levantados
nesta aula.
Para a Atividade 1, vocês
devem reler a notícia e,
coletivamente, preencher
a tabela. Aproveite para
a leitura de determinada notícia. Nesse sentido, vale retomar com os estudantes a problematizar cada
última questão da aula anterior (aula 2), em que eles refletiram sobre as vantagens aspecto da notícia,
de uma notícia completa e que não traga apenas textos, mas tenha uma formatação potencializando a reflexão
interessante, chamativa e com dados imagéticos e estatísticos para além do texto. sobre sua função no texto.
Recupere os jornais usados na aula 1 para que a turma relembre os aspectos
observados. Antes de entregar o jornal, mostre a imagem da atividade 1 para
que identifiquem cada elemento selecionado como relevante. Você pode colocar
na lousa uma referência desses pontos fundamentais e analisar com a turma essas
partes:
- Título ou manchete: frase de maior destaque, geralmente traz informações de im-
58
168
10 caderno
cadernodo
doprofessor
professor
98 | LÍNGUA PORTUGUESA

Analisem a função do
título. Depois, sigam
juntos para o corpo da
notícia. A ideia é que os
estudantes percebam que
essa parte traz a maioria
das informações sobre o
texto, mas é apoiada pelas
imagens e explica o título/
a manchete. Na parte das
imagens, dos gráficos e da
legenda, chame atenção
para a importância desses
complementos a fim de
melhorar a compreensão
da mensagem que a
notícia quer passar, além
de ser um chamativo e
ficar mais interessante.
Direcione o olhar dos
estudantes para a data e o
tipo de informação. Com
relação à data, é
importante destacar o tipo
de informação, por
exemplo: se ajuda a saber
se já é um fato passado ou,
ainda, se buscamos uma
informação sobre alguma
pesquisa. É bom saber
quando ela foi publicada
para avaliar se os dados
são atuais.
O QUE APRENDEMOS
HOJE?
Retome as ideias que
construíram a respeito do
gênero textual. O que des-
cobriram sobre os termos
específicos desse tipo de
comunicação e sua função
social.
Aula 4 - A FUNÇÃO DA NOTÍCIA
(EF02LP26) Ler e compreender, em colaboração com os colegas e com a ajuda do
professor, notícias, entre outros textos do campo da vida pública, que possam ser
oralizados (em áudio ou vídeo), considerando a situação de comunicação, o tema/
assunto, a estrutura composicional e o estilo do gênero.
(EF12LP02B) Ler, com a mediação do professor, textos que circulam em meios im-
pressos ou digitais, de acordo com as necessidades e interesses individuais da turma.
cadernodo
caderno do professor 59
professor 169
11
LÍNGUA PORTUGUESA | 99

MATERIAIS
Material do estudante,
giz, lousa, cartolina e ca-
netinha.
ORGANIZAÇÃO DA TURMA
Disposição das carteiras
em roda.
DESENVOLVIMENTO E
INTERVENÇÕES
O foco desta aula é
sistematizar o que os
estudantes sabem sobre
as notícias para, assim,
utilizarem as anotações
na produção do texto
durante a Sequência
Didática. Na aula, o/a
professor/a poderá
realizar o levantamento
do que os estudantes já
sabem e o que ainda
precisam saber sobre a
notícia. É fundamental, ao
final da aula, que eles
percebam a notícia como
um texto jornalístico que
traz um acontecimento da
atualidade, bem como
informa onde ocorreu,
como, com quem e por
quê. A notícia tem que
tratar de um assunto
relevante para a
comunidade.
O QUE APRENDEMOS
HOJE?
Nesta aula, os
estudantes tiveram a
oportunidade de
sistematizar o que
aprenderam sobre a
(EF02LP01A) Grafar corretamente palavras conhecidas/familiares. notícia, dentro do
TEMPO propósito comunicativo
Uma aula. em que ela está inserida.
PREPARAÇÃO
Leitura prévia da atividade. É importante lembrar que alguns estudantes podem não
estar com uma hipótese de escrita alfabética, portanto é importante colocá-los em
posições estratégicas, próximas a você, para facilitar o seu apoio, quando necessário.
60
170
12 caderno
cadernodo
doprofessor
professor
100 | LÍNGUA PORTUGUESA
cadernodo
caderno do professor 61
professor 171
13

Aula 5 – SELECIONANDO UM TEMA PARA A NOTÍCIA


(EF02LP07A) Planejar e produzir textos conhecidos de diferentes gêneros, considerando a situação comunicativa,
o tema/assunto, a estrutura composicional, o estilo e a finalidade do gênero.
(EF12LP11A) Planejar e produzir, em colaboração com os colegas e com a ajuda do professor, textos do campo
da vida pública (fotolegendas, manchetes, notícias digitais ou impressas, entre outros), considerando a situação
comunicativa, o tema/assunto, a estrutura composicional e o estilo do gênero.
(EF12LP16) Manter a estrutura composicional própria de textos do campo da vida pública (anúncios publicitários,
campanhas de conscientização, entre outros), inclusive o uso de imagens, na produção escrita de cada um desses
gêneros.
TEMPO
Uma aula.
PREPARAÇÃO
Levantar previamente os assuntos mais importantes da comunidade e trazê-los para debater com a turma.
MATERIAIS
Material do estudante, giz e lousa.
ORGANIZAÇÃO DA TURMA
Coletivamente.
DESENVOLVIMENTO E INTERVENÇÕES
Nesta aula, os estudantes farão a escolha do tema da notícia que será produzida pela turma. É importante sempre
recuperar o propósito comunicativo da produção da notícia, comentando com eles onde ela irá circular, quem lerá e
por que é relevante à comunidade.
Liste, com a turma, temas possíveis de serem abordados. Traga algumas contribuições para garantir que haja
diferentes possibilidades.
Como eles vão produzir uma notícia, é fundamental abordar a maneira como coletarão os dados a serem postos.
O QUE APRENDEMOS HOJE?
Nesta aula, decidimos o acontecimento que será abordado na notícia e como faremos para buscar mais informação
sobre ele.
62
172
14 caderno
cadernodo
doprofessor
professor

Aula 6 – PLANEJAMENTO DA NOTÍCIA


(EF02LP26) Ler e compreender, em colaboração com os colegas e com a ajuda do professor, notícias, entre outros
textos do campo da vida pública, que possam ser oralizados (em áudio ou vídeo), considerando a situação de co-
municação, o tema/assunto, a estrutura composicional e o estilo do gênero.
(EF02LP07A) Planejar e produzir textos conhecidos de diferentes gêneros, considerando a situação comunicativa,
o tema/assunto, a estrutura composicional, o estilo e a finalidade do gênero.
(EF02LP01A) Grafar corretamente palavras conhecidas/familiares.
(EF12LP02B) Ler, com a mediação do professor, textos que circulam em meios impressos ou digitais, de acordo
com as necessidades e interesses individuais da turma.
TEMPO
Uma aula.
PREPARAÇÃO
Traga para a aula informações sobre o tema escolhido pela turma para produzir a notícia. De preferência, traga
outras notícias sobre o mesmo assunto para fazer a mediação entre esses textos e o conhecimento que os
estudantes têm a respeito do assunto.
MATERIAIS
Material do estudante e informações sobre o acontecimento escolhido.
ORGANIZAÇÃO DA TURMA
Coletivamente.
DESENVOLVIMENTO E INTERVENÇÕES
Esta aula tem como objetivo recuperar o acontecimento sobre o qual os estudantes escreverão a notícia. A partir do
que descobriram e pesquisaram, eles pensarão nas informações que devem aparecer na notícia escrita pela turma.
O planejamento apoiará os estudantes na tarefa de produzir a notícia, garantindo que todos os aspectos
composicionais e estruturais desse gênero estejam presentes. Depois de conversarem na Atividade 1 sobre o
assunto escolhido, eles devem, em duplas, escrever pelo menos três informações que não podem faltar na notícia
(AAtividade 2). Circule entre as duplas para potencializar as escritas.
Depois disso, eles devem compartilhar o que escreveram e compor, coletivamente, o planejamento da turma
(AAtividade 3).
O QUE APRENDEMOS HOJE?
O planejamento do texto, especialmente quando se trata de um texto jornalístico, ajuda a garantir que todos os
elementos importantes estejam presentes.
cadernodo
caderno do professor 63
professor 173
15
LÍNGUA PORTUGUESA | 101
64
174
16 caderno
cadernodo
doprofessor
professor
102 | LÍNGUA PORTUGUESA

Aula 7 – ESCRITA DA
NOTÍCIA
(EF02LP26) Ler e compre-
ender, em
colaboração com os
colegas e com a ajuda
do professor, notícias,
entre outros textos do
campo da vida pública,
que possam ser oraliza-
dos (em áudio ou vídeo),
considerando a situação
de comunicação, o
tema/assunto, a
estrutura composicional
e o estilo do gênero.
(EF02LP07A) Planejar e
produzir textos
conhecidos de diferentes
gêneros, considerando a
situação comunicativa, o
tema/assunto, a estrutura
composicional, o estilo e
a finalidade do gênero.
(EF02LP01A) Grafar corre-
tamente palavras conheci-
das/familiares.
TEMPO
Uma aula.
PREPARAÇÃO
Leitura prévia da ativida-
de. É importante
lembrar que alguns
estudantes podem não
estar com uma
hipótese de escrita
alfabética, portanto é
fundamental, quando
necessário, colocá-los
em posições estratégicas
que facilitem o seu apoio. ORGANIZAÇÃO DA TURMA
MATERIAIS Individual.
Giz, lousa e material do DESENVOLVIMENTO E INTERVENÇÕES
estudante. O objetivo dessa aula é fazer com que os estudantes retomem o contexto de
produção da tarefa proposta nesta Sequência Didática.
Por isso, na primeira atividade, eles vão registrar: o que farão, para quê, como,
quem vai ler, onde circulará e quando será publicada a notícia.
Em seguida, textualizar a notícia ditando ao/à professor/a desde o título até o final,
seguindo o planejamento da aula anterior.
cadernodo
caderno do professor 65
professor 175
17
LÍNGUA PORTUGUESA | 103

Por fim, devem marcar os elementos que gostariam de acrescentar à notícia. Você
pode orientar que busquem informações em casa ou realizem a pesquisa,
coletivamente, utilizando um computador com acesso à internet e um projetor.
O QUE APRENDEMOS HOJE?
Retome com os estudantes sobre as campanhas e a relação que estabelecem com
os anúncios, ressaltando o objetivo da conscientização e a relevância social.
66
176
18 caderno
cadernodo
doprofessor
professor
104 | LÍNGUA PORTUGUESA
cadernodo
caderno do professor 67
professor 177
19

Aula 8 – REVISANDO A NOTÍCIA PRODUZIDA


(EF12LP16) Manter a estrutura composicional própria de textos do campo da vida pública (anúncios publicitários,
campanhas de conscientização, entre outros), inclusive o uso de imagens, na produção escrita de cada um desses
gêneros.
(EF02LP07A) Planejar e produzir textos conhecidos de diferentes gêneros, considerando a situação comunicativa,
o tema/assunto, a estrutura composicional, o estilo e a finalidade do gênero
(EF12LP11A) Planejar e produzir, em colaboração com os colegas e com a ajuda do professor, textos do campo
da vida pública (fotolegendas, manchetes, notícias digitais ou impressas, entre outros, considerando a situação
comunicativa, o tema/assunto, a estrutura composicional e o estilo do gênero.
(F02LP01A) Grafar corretamente palavras conhecidas/familiares.
TEMPO
Uma aula.
PREPARAÇÃO
Leia a notícia produzida e elenque pontos que precisam ser observados durante a revisão.
MATERIAIS
Giz, lousa, se possível, computador com texto digitalizado, notícia produzida e material do estudante.
ORGANIZAÇÃO DA TURMA
Em duplas ou trios.
DESENVOLVIMENTO E INTERVENÇÕES
Nesta aula, os estudantes deverão revisar a notícia produzida. Como são escritores e leitores iniciantes, que pouco
têm contato com o gênero, pode ser mais difícil revisar. Portanto, o papel do/a professor/a é primordial para
materializar as questões e torná-las observáveis.
Leia previamente o texto e marque os pontos de atenção. Projete o texto com ajuda de um computador ou o
escreva na lousa. Revisem o texto, melhorando os aspectos necessários.
O QUE APRENDEMOS HOJE?
Nesta aula, aprendemos a importância de revisitar o texto para melhorar a qualidade do conteúdo que chegará
aos nossos leitores.
68
178
20 caderno
cadernodo
doprofessor
professor

Aula 9 – ORGANIZANDO A NOTÍCIA


(EF12LP11A) Planejar e produzir, em colaboração com os colegas e com a ajuda do professor, textos do campo da
vida pública (fotolegendas, manchetes, notícias digitais ou impressas, entre outros), considerando a situação
comunicativa, o tema/assunto, a estrutura composicional e o estilo do gênero.
(EF02LP07A) Planejar e produzir textos conhecidos de diferentes gêneros, considerando a situação comunicativa,
o tema/assunto, a estrutura composicional, o estilo e a finalidade do gênero.
TEMPO
Uma aula.
PREPARAÇÃO
Texto digitalizado, fotos e outros elementos que serão utilizados.
MATERIAIS
Material do estudante, computador e projetor ou cartolina/papel kraft, imagens impressas e outros elementos
que farão parte da notícia.
ORGANIZAÇÃO DA TURMA
Coletiva, garantindo a mobilidade do grupo para que os estudantes conversem e criem juntos.
DESENVOLVIMENTO E INTERVENÇÕES
Nesta aula, os estudantes cuidarão dos aspectos da edição da notícia. Esse aspecto não é apenas gráfico, ele
influencia diretamente na leitura, por isso, o/a professor/a deve retomar, desde o princípio da Sequência, como foi
o trabalho com esse gênero.
A atividade é coletiva e todas as decisões sobre como escrever, o que destacar, onde colocar a imagem, o que
escrever na legenda etc., devem ser tomadas pelo grupo.
O QUE APRENDEMOS HOJE?
Aprendemos que a forma como organizamos o texto influencia a maneira como o leitor realizará a leitura, assim
como amplia sua qualidade e a possibilidade de compreensão.
cadernodo
caderno do professor 69
professor 179
21
LÍNGUA PORTUGUESA | 105
70
180
22 caderno
cadernodo
doprofessor
professor
106 | LÍNGUA PORTUGUESA
cadernodo
caderno do professor 71
professor 181
23

Aula 10 – PUBLICANDO A NOTÍCIA


(EF12LP16) Manter a estrutura composicional própria de textos do campo da vida pública (anúncios publicitários,
campanhas de conscientização, entre outros), inclusive o uso de imagens, na produção escrita de cada um desses
gêneros.
(EF12LP11A) Planejar e produzir, em colaboração com os colegas e com a ajuda do professor, textos do campo da
vida pública (fotolegendas, manchetes, notícias digitais ou impressas, entre outros), considerando a situação
comunicativa, o tema/assunto, a estrutura composicional e o estilo do gênero.
TEMPO
Uma aula.
PREPARAÇÃO
Leitura prévia da aula.
MATERIAIS
Material do estudante e notícia produzida e diagramada.
ORGANIZAÇÃO DA TURMA
Coletiva.
DESENVOLVIMENTO E INTERVENÇÕES
Chegamos ao fim de mais uma Sequência, que foi cheia de desafios e aprendizados para os estudantes. É
provável que o grupo esteja entusiasmado com a publicação da notícia. Aproveite essa energia para observar
os estudantes, que pode ajudar você na avaliação processual.
Hoje, os estudantes publicarão a notícia no mural e/ou nas mídias sociais da escola. Escolham um local adequado
considerando a circulação de pessoas, a altura que será afixada, entre outros elementos.
Realize uma roda de conversa para avaliar o processo e garanta espaço para que todos possam conversar sobre o
assunto e expor suas ideias e impressões.
O QUE APRENDEMOS HOJE?
Tão importante quanto o resultado final, é o processo que percorremos para chegar ao fim de dez aulas com a
nossa notícia publicada.

Sugestões Programa Ler e Escrever - 2º ano

ATIVIDADES DE LEITURA DE DIFERENTES GÊ-


Volume 1 Unidade 2 NEROS - ATIVIDADE 1A – RODA DE JORNAL (p.
171 a 174)
73
caderno do professor 183

Olá, professor! Olá, professora!


Começamos mais uma Sequência Didática e desta vez estudaremos as lendas brasileiras como um gênero textual do
campo literário, que nos trará diversas possibilidades de análise e conhecimento dessas histórias do nosso país. As lendas
são histórias contadas de geração para geração, portanto de tradição oral, que têm um valor muito grande na nossa cultura.
Isso posto, o objetivo desta Sequência é proporcionar aos estudantes diferentes leituras, tendo em vista diversos procedi-
mentos e habilidades que eles possam desenvolver a partir da leitura e compreensão do texto e de seus conhecimentos pré-
vios. Em seguida, também poderão produzir textos de reescrita, a fim de compartilharem dentro do grupo suas produções,
para que possam, juntos, refletir sobre o sistema de escrita.
Assim, para a elaboração desta Sequência Didática, foram selecionadas algumas habilidades do Currículo Paulista, elen-
cadas no quadro a seguir:

Aulas em que as
Objetos de conhecimento Habilidades habilidades são
trabalhadas

(EF02LP28A) Ler e compreender, com certa autonomia,


contos de fadas, maravilhosos, populares, fábulas,
Compreensão em leitura crônicas, entre outros textos do campo artístico-literário, Aulas 1, 2, 3, 4, 5 e 6
considerando a situação comunicativa, o tema/ o estilo do
gênero.
(EF01LP26A) Ler e compreender diferentes textos do
Compreensão em leitura campo artístico-literário: contos, fábulas, lendas, entre Aulas 2, 3, 4, 5 e 6
outros.

(EF15LP02B) Confirmar (ou não) antecipações e infe-


Estratégia de leitura rências realizadas antes e durante a leitura do gênero Aulas 1, 2, 3, 4, 5 e 6
textual.

(EF15LP03) Localizar informações explícitas em textos de


Estratégia de leitura Aulas 3, 4, 5 e 6
diferentes gêneros textuais.

(EF12LP08) Ler e compreender, em colaboração com os


colegas e com a ajuda do professor, textos do campo da
vida pública (fotolegendas, manchetes, lides em notícias,
Compreensão em leitura Aula 5
entre outros), considerando a situação comunicativa, o
tema/assunto, a estrutura composicional e o estilo do
gênero.
(EF01LP12B) Segmentar palavras, ainda que não conven-
Segmentação de palavras cionalmente, na produção escrita de textos de diferentes Aulas 1, 3 e 6
gêneros.

(EF02LP27A) Planejar e produzir, com a colaboração


de colegas e a ajuda do professor, diferentes textos do
campo artístico-literário (contos de fadas, maravilhosos,
Produção escrita Aulas 7, 8, 9 e 10
populares, fábulas, crônicas entre outros), considerando
a situação comunicativa, o tema/assunto, a estrutura
composicional e o estilo do gênero.
74 caderno do professor
184

(EF02LP07A) Planejar e produzir textos conhecidos de


diferentes gêneros, considerando a situação comunicati-
Produção escrita Aulas 7, 8, 9 e 10
va, o tema/assunto, a estrutura composicional, o estilo e a
finalidade do gênero.

Produção escrita (EF02LP07B) Revisar e editar os textos produzidos, utili-


Letra cursiva zando a letra cursiva e cuidando da apresentação final do Aula 7, 8, 9 e10
texto.

Análise linguística/substantivos próprios (EF02LP01A) Grafar corretamente palavras conhecidas/ Aulas 1, 2, 4, 5, 6, 7,


Grafia de palavras conhecidas/familiares familiares. 8, 9 e 10

Análise linguística/semiótica (EF02LP03) Grafar corretamente palavras com correspon-


(ortografização) dências regulares diretas (f/v, t/d, p/b) e correspondências Aulas 8, 9 e 10
regulares contextuais (c/qu; g/gu, r/rr, s/z inicial).

(EF01LP17) Produzir, em colaboração com os colegas


e com a do professor, legendas para álbuns, fotos ou
ilustrações (digitais ou impressos), entre outros textos
Produção escrita Aula 2
do campo da vida cotidiana, considerando a situação
comunicativa, o tema/assunto, a estrutura composicional
e o estilo do gênero.

AULA 1 - VOCÊ CONHECE ALGUMA LENDA BRASILEIRA?


(EF02LP28A) Ler e compreender, com certa autonomia, contos de fadas, maravilhosos, populares, fábulas, crônicas,
entre outros textos do campo artístico-literário, considerando a situação comunicativa, o tema/ o estilo do gênero.
(EF15LP02B) Confirmar (ou não) antecipações e inferências realizadas antes e durante a leitura do gênero textual.
(EF01LP12B) Segmentar palavras, ainda que não convencionalmente, na produção escrita de textos de diferentes
gêneros.
(EF02LP01A) Grafar corretamente palavras conhecidas/familiares.
TEMPO
Uma aula.
PREPARAÇÃO
Leia previamente toda a sequência para ter uma ideia geral do caminho que percorreremos e faça um levantamen-
to dos livros sobre lendas disponíveis no acervo da escola.
MATERIAIS
Giz, lousa, livros sobre lendas e material do Estudante.
ORGANIZAÇÃO DA TURMA
Coletiva, mesas organizadas em semicírculo, voltadas para a lousa.
DESENVOLVIMENTO E INTERVENÇÕES
Estamos iniciando mais uma Sequência Didática com a proposta de ampliar o repertório dos estudantes em relação
aos gêneros textuais do campo literário e, para isso, elegemos as lendas do nosso país como objeto de estudo.
As lendas brasileiras são histórias populares que compõem nossa cultura e são contadas de geração para gera-
cadernodo
caderno do professor 753
professor 185
LÍNGUA PORTUGUESA | 107

cem?”. Provavelmente, os
estudantes trarão títulos
como: Saci-pererê, Mula
sem cabeça, Boto-cor-de-
-rosa, Curupira, entre ou-
tras mais famosas. Se tiver
conseguido levantar livros
no acervo da escola, você
poderá mostrá-los e até ler
uma dessas histórias para
que relembrem.
Enquanto compartilham
suas ideias e experiências,
você pode anotar na lousa,
como referência escrita. A
partir desse levantamento
inicial, vá guiando a con-
versa também para a ori-
gem dessas histórias: “De
onde elas vêm? Quem nos
contou/ensinou?”. Tente
reforçar o fato de as len-
das terem uma tradição
oral, mesmo que hoje já
estejam escritas em mui-
tos livros.
Para finalizar esta aula,
peça que os estudantes
registrem no seu Material
do Estudante os aspectos
discutidos.

O QUE APRENDEMOS
HOJE?
No fim da aula, peça que
alguns estudantes com-
partilhem o que regis-
traram sobre as lendas
brasileiras no Material do
Estudante. Esta será uma
forma de sintetizar os
aprendizados do dia.
ção, oralmente; elas podem ter diversas versões e variações, de acordo com a região
do país. Além disso, elas representam um importante papel no folclore, pois são a
expressão direta de um povo, que conta fatos e cria um imaginário dentro de sua
realidade.
Então, vamos embarcar em uma viagem pela nossa cultura, resgatando essa memó-
ria coletiva e incentivando a valorização e o cultivo dessa herança cultural.
Na Aula 1, iniciaremos com um levantamento dos conhecimentos prévios dos estu-
dantes, possibilitando, assim, que compartilhem suas experiências e ideias. Para isso,
inicie uma Roda de Conversa com a pergunta: “Quais lendas brasileiras vocês conhe-
76
186
4 caderno
cadernodo
doprofessor
professor
108 | LÍNGUA PORTUGUESA
cadernodo
caderno do professor 775
professor 187

Aula 2 – BOITATÁ
(EF01LP26A) Ler e compreender diferentes textos do campo artístico-literário: contos, fábulas, lendas, entre outros.
(EF02LP28A) Ler e compreender, com certa autonomia, contos de fadas, maravilhosos, populares, fábulas, crônicas,
entre outros textos do campo artístico-literário, considerando a situação comunicativa, o tema/o estilo do gênero.
(EF15LP02B) Confirmar (ou não) antecipações e inferências realizadas antes e durante a leitura do gênero textual.
(EF02LP01A) Grafar corretamente palavras conhecidas/familiares.
(EF01LP17) Produzir, em colaboração com os colegas e com a do professor, legendas para álbuns, fotos ou ilustra-
ções (digitais ou impressos), entre outros textos do campo da vida cotidiana, considerando a situação comunicati-
va, o tema/assunto, a estrutura composicional e o estilo do gênero.

TEMPO
Uma aula.
PREPARAÇÃO
Leitura prévia da aula.
MATERIAIS
Giz, lousa, lápis de cor e material do estudante.
ORGANIZAÇÃO DA TURMA
Coletiva, mesas organizadas em semicírculo, voltadas para a lousa.
DESENVOLVIMENTO E INTERVENÇÕES
O objetivo desta aula é apresentar informações sobre o personagem Boitatá a partir da antecipação das ideias que
os estudantes têm sobre o personagem e suas características.
A pronúcia da palavra boitatá tem várias entonações possíveis. Há pessoas que leem o nome do personagem com
a sílaba tônica no final da palavra e outras entendendo sua origem indígena, que vem da junção de duas
palavras: boi, que em tupi significa cobra, e tata, que significa fogo. Na Língua Portuguesa, Boitatá enquanto
um nome não diz nada sobre o personagem. Se perguntássemos que animal ele poderia ser, bois e vacas
poderiam surgir
como hipótese. É por isso que a proposta da atividade 1, desta aula, é que os estudantes antecipem do que trata
o texto: como é o boitatá, quais são suas características e se já sabem algo sobre a origem da palavra. Aproveite
essa oportunidade para falar sobre nossa língua e suas influências: “Quais palavras em tupi nós conhecemos?”.
Você pode aprimorar a proposta com a leitura de um livro chamado O tupi que você fala, do autor Claudio Fragata,
editora Globo. Caso não tenha o exemplar na sala de leitura, verifique outra obra similar para enriquecer o
trabalho. Ressalte a influência indígena em nossa história e cultura e o quanto esses povos originários
contribuíram para a criação de muitas lendas.
Depois de levantarem essas hipóteses sobre a atividade 1, siga para a atividade 2, na qual irão ler de maneira
colaborativa informações sobre o Boitatá. Sugira que os estudantes acompanhem a leitura sublinhando ou
circulando partes importantes do texto que descrevem o personagem. Como os estudantes reescreverão uma
lenda ao final da Sequência Didática, é importante garantir a leitura, pelo/a professor/a, de diversas lendas.
Faça um cronograma de leitura diária, incluindo as lendas do Boitatá, Curupira, Bumba Meu Boi, Boto-cor-de-rosa,
entre outras.

O QUE APRENDEMOS HOJE?


Explicite para os estudantes seus aprendizados da aula: conheceram uma personagem e fizeram antecipações
sobre ela.
78
188
6 caderno
cadernodo
doprofessor
professor

AULA 3 - A LENDA DO GUARANÁ


(EF01LP26A) Ler e compreender diferentes textos do campo artístico-literário: contos, fábulas, lendas, entre outros.
(EF02LP28A) Ler e compreender, com certa autonomia, contos de fadas, maravilhosos, populares, fábulas, crônicas
entre outros textos do campo artístico-literário, considerando a situação comunicativa, o tema/assunto e o estilo
do gênero.
(EF15LP02B) Confirmar (ou não) antecipações e inferências realizadas antes e durante a leitura do gênero textual.
(EF15LP03) Localizar informações explícitas em textos de diferentes gêneros textuais.
(EF01LP12B) Segmentar palavras, ainda que não convencionalmente, na produção escrita de textos de diferentes
gêneros.
TEMPO
Uma aula.
PREPARAÇÃO
Leitura prévia da atividade.
MATERIAIS
Giz, lousa e material do estudante.
ORGANIZAÇÃO DA TURMA
Coletiva, mesas organizadas em semicírculo, voltadas para a lousa.
DESENVOLVIMENTO E INTERVENÇÕES
O objetivo desta aula é a prática de leitura e compreensão do texto e, para isso, faça a leitura colaborativa,
pedindo que a acompanhem em seu material. Após a leitura, faça algumas perguntas visando levantar a
compreensão dos estudantes: “Quem são os personagens dessa lenda? Onde ela se passa? Qual o grande conflito
da lenda? Como é o desfecho?”. Deixe que aconteça uma conversa em relação à estrutura desse texto. Você
poderá observar como os estudantes identificam cada um desses pontos importantes no desenvolvimento de uma
narrativa.
Após essa conversa inicial, anuncie que começarão a proposta da atividade 1: leia as perguntas para as crianças,
depois peça que voltem ao texto para encontrar a sua resposta e, então, dê um tempo para que as respondam. Em
seguida, discuta com elas as interpretações. Na questão 1, espera-se que os estudantes, identifiquem que o casal
de índios pediu a Tupã uma criança, pois não conseguiam ter filhos há anos. Na questão 2, de maneira direta,
poderão encontrar no texto adjetivos que ressaltam o merecimento do casal: eles eram cheios de bondade. Na
questão 3, precisarão reconhecer o grande vilão dessa narrativa, Jurupari, o Deus da escuridão que com inveja
do menino resolve matá-lo, transformando-se em uma cobra que vai picá-lo. Essa questão pode levantar algumas
emoções; por isso, acolha e respeite, explicando que as lendas têm a característica de abordar assuntos mais mis-
teriosos, assustadores e às vezes trágicos, como a passagem da morte do menino e o desespero da mãe, que retira
seus olhos para plantá-los. Na questão 4, precisarão reconhecer o desfecho, compreendendo que a mãe enterrou
os olhos do menino, que deram origem a uma planta com um fruto parecido com os olhos dos humanos. Você po-
derá sugerir ao grupo uma pesquisa de imagens do guaraná, caso eles nunca tenham percebido essa semelhança.
O QUE APRENDEMOS HOJE?
Ao final da aula é importante ressaltar que, quanto mais lemos, mais somos capazes de ler e que a leitura é um
elemento fundamental para desenvolver as habilidades de escrita. Retome a lenda que foi lida e pergunte aos
estudantes qual a diferença entre última e a do Boitatá, apresentando uma estrutura narrativa.
cadernodo
caderno do professor 797
professor 189
LÍNGUA PORTUGUESA | 109
80
190
8 caderno
cadernodo
doprofessor
professor
110 | LÍNGUA PORTUGUESA

AULA 4 – “JURO QUE VI”


(EF01LP26A) Ler e com-
preender diferentes tex-
tos do campo artístico-li-
terário: contos, fábulas,
lendas, entre outros.
(EF02LP28A) Ler e com-
preender, com certa au-
tonomia, contos de fadas,
maravilhosos, populares,
fábulas, crônicas entre
outros textos do campo
artístico-literário, conside-
rando a situação comuni-
cativa, o tema/ o estilo do
gênero.
(EF15LP03) Localizar in-
formações explícitas em
textos de diferentes gêne-
ros textuais.
(EF15LP02B) Confirmar
(ou não) antecipações e
inferências realizadas an-
tes e durante a leitura do
gênero textual.
(EF02LP01A) Grafar corre-
tamente palavras conheci-
das/familiares.
TEMPO
Uma aula.
PREPARAÇÃO
Organize um espaço onde
os estudantes possam
assistir a um vídeo conec-
tado à internet. Sugestão
de vídeo: Série Juro que
vi; escolha uma das len-
das para mostrar aos es-
tudantes. Disponível em:
http://multirio.rio.rj.gov. rá baixá-lo na internet e reproduzir usando uma TV ou projetor, usar a sala de informá-
br/index.php/busca?mul- tica (se for uma realidade da escola), usar notebooks ou tablets em pequenos grupos,
t=&cat=&tip=&pro- dentre outras possibilidades. Caso não consiga meios para a reprodução, a atividade
j=2536&txt. Acesso em: 7 poderá ser realizada em casa mediante solicitação de auxílio dos familiares.
nov. 2020. Será necessário
buscar os recursos multi- MATERIAIS
mídias da escola para que Giz, lousa, material do estudante e equipamento capaz de transmitir um vídeo da
os estudantes possam as- internet (notebook, computador, televisão smart, conexão do computador por HDMI,
sistir ao vídeo. Você pode- datashow ou outro equipamento).
cadernodo
caderno do professor 819
professor 191
LÍNGUA PORTUGUESA | 111

ter acesso a diferentes len-


das, estabelecendo uma
relação entre as lingua-
gens.A proposta de descri-
ção do personagem trará a
possibilidade de traduzir
de maneira escrita a per-
cepção dos estudantes em
relação ao conteúdo assis-
tido.
Para tanto, a sugestão
desta aula é que assistam
juntos a um dos vídeos de
uma série chamada Juro
que vi, disponível no site
da Multirio, que contém
mídias educativas da cida-
de do Rio de Janeiro. Os
vídeos são animações que
narram as características
de personagens das prin-
cipais lendas brasileiras:
O Saci, A Iara, Curupira e
Boto. Escolha a história
que mais faça sentido
para o grupo que acompa-
nha esta Sequência.
Assim que os estudantes
terminarem de assistir ao
vídeo, levante diferentes
pontos essenciais da len-
da: “Quem são os perso-
nagens dessa lenda? O
que acontece? Quais as
características dele? Quais
fatos são importantes des-
tacar?”.
Em seguida, proponha
que escrevam suas descri-
ções, considerando as ob-
servações que fizeram, e
que façam uma ilustração
ORGANIZAÇÃO DA TURMA com base no que viram e
Coletiva, mesas organizadas em semicírculo, voltadas para o equipamento que pas- compreenderam. Depois,
sará o vídeo. tente atender um a um,
para que veja a hipótese
DESENVOLVIMENTO E INTERVENÇÕES de escrita dos estudan-
O objetivo desta aula é a prática de escrita a partir de uma referência de conteúdo. tes; faça anotações sobre
Para isso, esta aula propõe apresentar novas mídias pelas quais os estudantes elas para que lhes sirvam
podem de indícios para interven-
ções.
82
192
10 caderno
cadernodo
doprofessor
professor
112 | LÍNGUA PORTUGUESA

Ao final da aula, explore o


título da série e da aula –
Juro que vi: “Por que tem
esse nome?”. O objetivo
dessa pergunta é leva-los/
as a pensar na expressão
sob o aspecto da tradição
oral das lendas, que carre-
gam a ideia de serem tex-
tos/histórias que ninguém
sabe se é verdade ou men-
tira, mas que muita gente
“jura que viu”.
O QUE APRENDEMOS
HOJE?
Convide os estudantes a
relatarem o que aprende-
ram com as atividades tra-
balhadas nesta aula.

AULA 5 – BUMBA MEU


BOI
(EF12LP08) Ler e compre-
ender, em colaboração
com os colegas e com a
ajuda do professor, textos
do campo da vida pública
(fotolegendas, manche-
tes, lides em notícias, en-
tre outros), considerando
a situação comunicativa, o
tema/assunto, a estrutura
composicional e o estilo
do gênero.
(EF15LP02B) Confirmar
(ou não) antecipações e
inferências realizadas an-
tes e durante a leitura do
gênero textual.
(EF15LP03) Localizar in-
formações explícitas em (EF02LP01A) Grafar corretamente palavras conhecidas/familiares.
textos de diferentes gêne- (EF02LP28A) Ler e compreender, com certa autonomia, contos de fadas, maravilho-
ros textuais. sos, populares, fábulas, crônicas, entre outros textos do campo artístico-literário, con-
(EF01LP26A) Ler e com- siderando a situação comunicativa, o tema/ o estilo do gênero.
preender diferentes tex- (EF02LP01A) Grafar corretamente palavras conhecidas /familiares.
tos do campo artístico-li-
terário: contos, fábulas, TEMPO
lendas, entre outros. Uma aula.
cadernodo
caderno do professor 83
professor 193
11
LÍNGUA PORTUGUESA | 113

DESENVOLVIMENTO E IN-
TERVENÇÕES
Nesta aula, trazemos uma
notícia que conta um pou-
co sobre o valor cultural
de uma lenda que é reco-
nhecida como patrimônio
cultural da humanidade.
Faça uma reflexão com os
estudantes a respeito des-
se valor e o quanto cultivar
essas histórias e festejos é
uma forma de cuidar da
história do nosso povo.
Leia de maneira colabora-
tiva a notícia desta aula e
questione: “Já conheciam
essa lenda? O que acham
dela?”. Como as lendas
têm um teor muito místi-
co (ser verdadeiro ou não),
traga esse olhar para os
estudantes expressarem
suas concepções diante
disso. Pode ser que surjam
outras histórias, como len-
das urbanas, que contem-
plam também o repertório
imaginário das crianças.
Depois dessa conversa ini-
cial, leiam as perguntas e
respondam coletivamen-
te, localizando no texto
as informações. Estas po-
dem ser destacadas com
uma caneta marca-texto
ou mesmo um lápis de
cor. Ao longo do desen-
volvimento da atividade,
a partir das questões que
surgirem com a leitura,
peça que os estudantes
PREPARAÇÃO apontem trechos da repor-
tagem que comprovem
Leitura prévia da atividade. suas ideias.
MATERIAIS Como esta aula traz a no-
Giz, lousa e material do estudante. tícia como outro gênero
ORGANIZAÇÃO DA TURMA textual, relembre com os
Individual. estudantes o que já estu-
daram sobre ele e identi-
fique os pontos estrutu-
84
194
12 caderno
cadernodo
doprofessor
professor
114 | LÍNGUA PORTUGUESA

rais do texto lido: “Qual


a manchete? O que diz a
legenda da imagem? Qual
o corpo do texto? O que
ele deseja comunicar? A
quem?”.
O QUE APRENDEMOS
HOJE?
Ao final da aula, retome
com os estudantes os pon-
tos fundamentais tratados
na atividade: conheceram
uma nova lenda, discuti-
ram sobre o valor cultural
delas e fizeram a compre-
ensão do texto.

AULA 6 – CRIATURAS
FOLCLÓRICAS
(EF02LP28A) Ler e com-
preender, com certa au-
tonomia, contos de fadas,
maravilhosos, populares,
fábulas, crônicas, entre
outros textos do campo
artístico-literário, conside-
rando a situação comuni-
cativa, o tema/ o estilo do
gênero.
(EF01LP26A) Ler e com-
preender diferentes tex-
tos do campo artístico-li-
terário: contos, fábulas,
lendas, entre outros.
(EF15LP02B) Confirmar
(ou não) antecipações e
inferências realizadas an-
tes e durante a leitura do
gênero textual.
(EF15LP03) Localizar in- (EF02LP01A) Grafar corretamente palavras conhecidas/familiares.
formações explícitas em TEMPO
textos de diferentes gêne- Uma aula.
ros textuais.
PREPARAÇÃO
(EF01LP12B) Segmentar Leia previamente as atividades, pesquise e escolha livros sobre as lendas e o folclore
palavras, ainda que não brasileiro.
convencionalmente, na
MATERIAIS
produção escrita de textos
de diferentes gêneros. Giz, lousa, material do estudante, livros sobre o assunto da aula (criaturas folclóricas)
cadernodo
caderno do professor 85
professor 195
13
LÍNGUA PORTUGUESA | 115

5 aplica esse termo a um


desses personagens, a
Caipora. Além dela, exis-
tem diversos outros exem-
plos que os estudantes
poderão explorar, como:
Mula sem cabeça, Boto,
Curupira, Lobisomem,
Mapinguari, Iara, Saci-pe-
rerê, Cuca, Negrinho do
Pastoreio, Vitória-régia
entre outros. Você poderá
fazer uma seleção de pa-
lavras-chave para que pes-
quisem usando a inter-
net. Sugerimos: criaturas
folclóricas, personagens
do folclore, lendas brasi-
leiras e lendas folclóricas.
A pesquisa na internet
exige cuidado e supervi-
são, esteja atento aos de-
safios que possam surgir;
caso tenham dificuldade
para acessar a internet,
sugerimos trabalhar com
os livros indicados. Há
alguns títulos de livros
que podem fazer parte da
busca: Viagem pelo Brasil
em 52 histórias, de Silva-
na Salerno, editora Cia.
das Letrinhas; Mata: con-
tos do folclore brasileiro,
de Heloísa Prieto, editora
Cia. das Letrinhas; Lendas
e fábulas do folclore bra-
sileiro, de Walcyr Carrasco
– vol. 2, editora Manole, e
Turma da Mônica: Lendas
Brasileiras, de Maurício
de Souza, editora Girassol.
Caso não encontre essas
e equipamentos tecnológicos para pesquisa. obras na sala de leitura,
ORGANIZAÇÃO DA TURMA selecione títulos similares
Coletiva, em pequenos grupos (quartetos). para que os estudantes
DESENVOLVIMENTO E INTERVENÇÕES possam realizar a pesqui-
A intenção desta aula é proporcionar aos estudantes mais leituras sobre as lendas, sa.
por meio de uma pesquisa sobre as criaturas folclóricas. A notícia trazida na Aula Sugerimos, também, que
dê uma olhada nesta re-
portagem do Jornal Joca
86
196
14 caderno
cadernodo
doprofessor
professor
116 | LÍNGUA PORTUGUESA

que traz alguns perso-


nagens do folclore bra-
sileiro que não são tão
conhecidos: https://www.
jornaljoca.com.br/5-per-
sonagens-do-folclore-bra-
sileiro-que-voce-nao-co-
nhece/.
Explique que os pequenos
grupos poderão revezar as
fontes de pesquisa, am-
pliando as possibilidades.
Um circuito de pesquisa
seria adequado: você pre-
para estações de pesquisa
e, por um determinado
tempo, os grupos acessam
as informações que preci-
sam passando por esses
espaços.
Exponha aos estudantes
a estrutura do registro
da pesquisa, no preen-
chimento da tabela da
atividade 1. Na primeira
coluna, devem escrever
o nome do personagem
que selecionaram e, na
segunda coluna, algumas
características dele.
Ao final da atividade, re-
force que na próxima aula
haverá um momento em
que suas pesquisas serão
compartilhadas.
O QUE APRENDEMOS
HOJE?
Nesta aula, os estudantes
puderam ter contato com
diferentes leituras de tex-
tos sobre lendas, sejam
eles impressos ou digitais.
Essa possibilidade de ex-
plorar diferentes textos e
linguagens dará aos es-
tudantes mais elementos
para reconhecerem e com-
preenderem as lendas
como um gênero textual
do campo literário.
cadernodo
caderno do professor 87
professor 197
15

Aula 7 – SELECIONANDO UMA LENDA PARA SER REESCRITA


(EF02LP27A) Planejar e produzir, com a colaboração de colegas e a ajuda do professor, diferentes textos do campo
artístico-literário (contos de fadas, maravilhosos, populares, fábulas, crônicas entre outros), considerando a situa-
ção comunicativa, o tema/assunto, a estrutura composicional e o estilo do gênero.
(EF02LP07A) Planejar e produzir textos conhecidos de diferentes gêneros, considerando a situação comunicativa,
o tema/assunto, a estrutura composicional, o estilo e a finalidade do gênero.
(EF02LP01A) Grafar corretamente palavras conhecidas/familiares.
TEMPO
Uma aula.
PREPARAÇÃO
Garantir que a maioria das lendas listadas tenham sido lidas para a turma.
MATERIAIS
Giz, lousa e material do estudante.
ORGANIZAÇÃO DA TURMA
Mesas organizadas em semicírculo, voltadas para a lousa.
DESENVOLVIMENTO E INTERVENÇÕES
Nesta aula, os estudantes terão a oportunidade de ler a lista de lendas e verificar o que está escrito. Além disso,
eles devem circular as lendas que já foram lidas pelo/a professor/a. Não adianta apenas ter ouvido falar do
personagem, porque isso não garante o enredo posto, que é característica fundamental para essa proposta de
reescrita.
Após verificarem quais lendas conhecem, eles poderão acrescentar mais alguma lida pelo/a professor/a, mas que
não consta na lista. Problematize a escrita e torne esse momento um espaço de reflexão sobre o sistema de
escrita.
Em seguida, abra a conversa para que eles discutam que lenda será reescrita e por quê. Nesse momento, é
fundamental retomar o contexto de produção para que a atividade ganhe sentido e a produção do texto seja
potencializada.
O QUE APRENDEMOS HOJE?
Ao final da aula, retome a importância de refletir sobre as escolhas a partir de quem lerá a lenda.
88
198
16 caderno
cadernodo
doprofessor
professor

AULA 8 – REESCREVENDO UMA LENDA


(EF02LP27A) Planejar e produzir, com a colaboração de colegas e a ajuda do professor, diferentes textos do campo
artístico-literário (contos de fadas, maravilhosos, populares, fábulas, crônicas entre outros), considerando a situa-
ção comunicativa, o tema/assunto, a estrutura composicional e o estilo do gênero.
(EF02LP07A) Planejar e produzir textos conhecidos de diferentes gêneros, considerando a situação comunicativa,
o tema/assunto, a estrutura composicional, o estilo e a finalidade do gênero.
(EF02LP07B) Revisar e editar os textos produzidos, utilizando a letra cursiva e cuidando da apresentação final do
texto.
(EF02LP01A) Grafar corretamente palavras conhecidas/familiares.
(EF02LP03) Grafar corretamente palavras com correspondências regulares diretas (f/v, t/d, p/b) e correspondências
regulares contextuais (c/qu; g/gu, r/rr, s/z inicial).
TEMPO
Uma aula.
PREPARAÇÃO
Leitura prévia das próximas três aulas.
MATERIAIS
Giz, lousa e material do estudante.
ORGANIZAÇÃO DA TURMA
Inicie a aula com as mesas organizadas em semicírculo, com os estudantes voltados para a lousa. Depois, deverão
ser formados trios.
DESENVOLVIMENTO E INTERVENÇÕES
O planejamento da escrita da lenda deve garantir que eles conheçam bem o enredo, portanto, antes de propor o
planejamento, releia a lenda e peça que recontem oralmente – tal como se estivessem lendo – e, por fim, que
façam o levantamento dos principais acontecimentos da lenda; depois, que preencham coletivamente a lista da
tabela de planejamento com foco no item final.
O QUE APRENDEMOS HOJE?
Hoje, aprendemos que, para reescrever o texto, precisamos conhecê-lo bem e planejar sua escrita a fim de garantir
que os principais acontecimentos sejam contemplados.
cadernodo
caderno do professor 89
professor 199
17
LÍNGUA PORTUGUESA | 117
90
200
18 caderno
cadernodo
doprofessor
professor
118 | LÍNGUA PORTUGUESA

AULA 9 – ESCREVENDO A
LENDA
(EF02LP27A) Planejar e
produzir, com a colabora-
ção de colegas e a ajuda
do professor, diferentes
textos do campo artístico-
literário (contos de fadas,
maravilhosos, populares,
fábulas, crônicas entre
outros), considerando a
situação comunicativa, o
tema/ assunto, a estrutura
composicional e o estilo
do gênero.
(EF02LP07A) Planejar e
produzir textos conhe-
cidos de diferentes gê-
neros, considerando a
situação comunicativa, o
tema/assunto, a estrutura
composicional, o estilo e a
finalidade do gênero.
(EF02LP07B) Revisar e
editar os textos produzi-
dos, utilizando a letra cur-
siva e cuidando da apre-
sentação final do texto.
(EF02LP01A) Grafar corre-
tamente palavras conheci-
das/familiares.
TEMPO
Uma aula.
PREPARAÇÃO
Mantenha a sala organiza-
da para que os estudantes
iniciem a produção assim
que chegarem.
MATERIAIS
Giz, lousa e material do DESENVOLVIMENTO E INTERVENÇÕES
estudante. Esta será uma aula de produção da reescrita da história. Solicite que os
ORGANIZAÇÃO DA TURMA estudantes retomem a tabela da Aula 8. Nela, estarão os principais pontos que não
Coletiva. podem faltar na produção deles.
cadernodo
caderno do professor 91
professor 201
19
LÍNGUA PORTUGUESA | 119

O QUE APRENDEMOS
HOJE?
Proponha aos estudantes
uma conversa sobre a ex-
periência de produzir um
texto guiado por planeja-
mento de reescrita.

AULA 10 - REVISÃO E
EDIÇÃO DA LENDA
(EF02LP27A) Planejar e
produzir, com a colabora-
ção de colegas e a ajuda
do professor, diferentes
textos do campo artístico-
-literário (contos de fadas,
maravilhosos, populares,
fábulas, crônicas entre
outros), considerando a
situação comunicativa, o
tema/ assunto, a estrutura
composicional e o estilo
do gênero.
(EF02LP07A) Planejar e
produzir textos conhe-
cidos de diferentes gê-
neros, considerando a
situação comunicativa, o
tema/assunto, a estrutura
composicional, o estilo e a
finalidade do gênero.
(EF02LP07B) Revisar e
editar os textos produzi-
dos cuidando da apresen-
tação final do texto.
TEMPO
Uma aula.

É importante dizer que o/a professor/a será o/a escriba. Portanto, nesse momento, o
esforço será manter a narrativa da lenda e o conteúdo temático. Por isso, não deve
ser tratada nenhuma questão de ortografia.
Peça que os estudantes ditem a lenda seguindo o planejamento e os ajude, quando
necessário, retomando o texto fonte.
92
202
20 caderno
cadernodo
doprofessor
professor
120 | LÍNGUA PORTUGUESA

PREPARAÇÃO
Leia antecipadamente a
lenda e traga os pontos
de atenção para a turma
refletir.
MATERIAIS
Giz, lousa e material do
estudante.
ORGANIZAÇÃO DA TURMA
Coletiva, em duplas.
DESENVOLVIMENTO E
INTERVENÇÕES
Esta aula será destinada à
revisão e edição do texto.
Portanto, organize os
estudantes em
semicírculo e projete a
lenda produzida
utilizando um
computador. Se preferir,
copie-a na lousa ou em
um cartaz.
Você poderá retomar
com os estudantes
algumas regras
importantes para a escrita
de um texto: considerar
a situação comu-
nicativa, o tema/assunto, a
estrutura composicional, o
estilo e a finalidade do gê-
nero; É preciso que o/a
professor/a faça uma
leitura e um
levantamento prévio das
questões que precisam
ser revisitadas pelos
estudantes. Por isso, leia
o texto e vá parando e
questionando os pontos
que precisam se tornar
observáveis para os A revisão é uma prática muito potente para desenvolver habilidades de escrita.
estudantes.
Favoreça a troca entre eles
para que todos possam
comentar e achar
soluções para os
problemas encontrados.
cadernodo
caderno do professor 93
professor 203
21

O QUE APRENDEMOS HOJE?


Na aula de hoje, pudemos ajustar o texto conforme a situação comunicativa que ele tem, considerando suas
características e sua função social.

Sugestões de atividades do Ler e Escrever – 2º ano

Unidade 2 O Rouxinol e o Imperador (p. 238 a 248)


Volume 1
Sequência Didática – Nossa Língua – Parte 1
Unidade 2 (p. 249 a 274)
95
caderno do professor 205

Olá, Professor! Olá, Professora!


Iniciamos mais uma Sequência Didática, agora com foco em mais um gênero do campo artístico-literário, cujo objetivo é
proporcionar aos estudantes diferentes oportunidades de leitura, ampliando seu repertório e enriquecendo sua habilidade
escrita.
As fábulas são pequenas histórias muito antigas e populares que até hoje fazem parte do imaginário dos estudantes.
Por serem textos pequenos, a ideia da sequência é dar condições aos estudantes para que sejam capazes de escrever suas
próprias fábulas, desenvolvendo cada vez mais a leitura e a escrita.
Assim, é importante que leiam toda a sequência das aulas, tendo condições de antecipar qualquer necessidade e estando
preparados e repertoriados para explorar as propostas.
Para a elaboração desta Sequência Didática, foram selecionadas algumas habilidades do Currículo Paulista, elencadas no
quadro abaixo.

Aulas em que as
Objetos de conhecimento Habilidades habilidades são
trabalhadas

(EF01LP08) Relacionar elementos sonoros das palavras


Construção do sistema alfabético Aulas 7 e 8
com sua representação escrita.

(EF12LP02B) Ler, com a mediação do professor, textos


Compreensão em leitura que circulam em meios impressos ou digitais, de acordo Aulas 1, 2, 3, 4, 5 e 6
com as necessidades e interesses individuais e da turma.

(EF15LP02B) Confirmar (ou não) antecipações e infe-


Estratégia de leitura rências realizadas antes e durante a leitura do gênero Aulas 1, 2, 4, 5 e 6
textual.

(EF15LP03) Localizar informações explícitas em textos de


Estratégia de leitura Aulas 1, 2, 3, 4, 5 e 6
diferentes gêneros textuais.

(EF02LP28A) Ler e compreender, com certa autonomia,


contos de fadas, maravilhosos, populares, fábulas,
Compreensão em Leitura crônicas entre outros textos do campo artístico-literário, Aulas 1, 2, 3, 4, 5 e 6
considerando a situação comunicativa, o tema/ o estilo do
gênero.

(EF02LP27A) Planejar e produzir, com a colaboração


de colegas e a ajuda do professor, diferentes textos do
campo artístico-literário (contos de fadas, maravilhosos,
Produção Escrita populares, fábulas, crônicas entre outros), considerando Aulas 7, 8 e 9
a situação comunicativa, o tema/assunto, a estrutura
composicional e o estilo do gênero.
96 caderno do professor
206

(EF02LP07B) Revisar e editar os textos produzidos, utili-


zando a letra cursiva e cuidando da apresentação final do
Produção Escrita Aula 10
texto.

(EF01LP12B) Segmentar palavras, ainda que não conven-


Segmentação de palavras cionalmente, na produção escrita de textos de diferentes Aulas 7, 8 e 9
gêneros.

Análise Linguística / semiótica (EF02LP03) Grafar corretamente palavras com correspon-


(Ortografização) dências regulares diretas (f/v, t/d, p/b) e correspondências Aulas 7, 8 e 9
regulares contextuais (c/qu; g/gu, r/rr, s/z inicial).

Substantivos próprios
(EF02LP01A) Grafar corretamente palavras conhecidas/
Grafia de palavras conhecidas/ familiares Aulas 7, 8 e 9
familiares

(EF02LP07A) Planejar e produzir textos conhecidos de


diferentes gêneros, Considerando a situação comunicati-
Produção Escrita Aulas 7, 8 e 9
va, o tema/assunto, a estrutura composicional, o estilo e a
finalidade do gênero.
cadernodo
caderno do professor 973
professor 207
LÍNGUA PORTUGUESA | 121

(EF12LP02B) Ler, com a


mediação do professor,
textos que circulam em
meios impressos ou di-
gitais, de acordo com as
necessidades e interesses
individuais e da turma.
(EF15LP03) Localizar in-
formações explícitas em
textos de diferentes gêne-
ros textuais.
TEMPO
Uma aula.
PREPARAÇÃO
Leitura prévia da ativida-
de.
MATERIAIS
Giz, lousa, cartolina e ma-
terial do estudante.
ORGANIZAÇÃO DA TURMA
Individual.

DESENVOLVIMENTO E
INTERVENÇÕES
Iniciamos mais uma
Sequência Didática.
Dessa vez, explorando as
fábulas. Esses antigos
textos exigem que o
leitor compreenda não
só o que está explícito,
mas também o que está
nas entrelinhas, am-
pliando as possibilidades
de interpretação e per-
cepção da história.
Assim, traremos esses
textos com o intuito de
oferecer ferramentas que
aprimoram a competência
AULA 1 – LEITURA DE FÁBULA - O LEÃO E O RATINHO leitora das crianças.
Para tanto, proponha uma
(EF15LP02B) Confirmar (ou não) antecipações e inferências realizadas antes e duran- leitura colaborativa, con-
te a leitura do gênero textual. vidando os estudantes à
(EF02LP28A) Ler e compreender, com certa autonomia, contos de fadas, maravilho- participação: “Alguém
sos, populares, fábulas, crônicas, entre outros textos do campo artístico-literário, con- gostaria de ler o título?”,
siderando a situação comunicativa, o tema/assunto, a estrutura composicional e o “Alguém gostaria de ler
estilo do gênero.
98
208
4 caderno
cadernodo
doprofessor
professor
122 | LÍNGUA PORTUGUESA

a fala do leão?”, “Alguém


gostaria de ler o final da
história?”. Faça uma pri-
meira leitura com a classe,
tendo como objetivo que
todos compreendam a
história de modo geral.
Em seguida, pergunte aos
estudantes do que
gostaram na história; do
que não gostaram; tente
verificar de que forma os
estudantes entenderam o
texto. Comece o estudo
do texto a partir de
questões orientadoras. A
intenção, nesse momento,
é aprofundar a
compreensão dos estu-
dantes e, ao mesmo tem-
po, estudar os recursos
discursivos e linguísticos
nele apresentados. Leia
as questões e abra um
espaço de reflexão e ex-
pressão das crianças. Peça
que retomem o texto para
comprovar suas teorias,
solicite que releiam passa-
gens que tragam indícios.
Oriente os estudantes a
utilizarem recursos do pró-
prio texto para comprovar
suas ideias, isso possibili-
tará diferentes ideias.
O QUE APRENDEMOS
HOJE?
Para finalizar a aula,
converse com os
estudantes sobre a
importância de ler o texto
em colaboração com
outros leitores para
ampliar o entendimento
da fábula.
cadernodo
caderno do professor 995
professor 209
LÍNGUA PORTUGUESA | 123

(EF15LP03) Localizar in-


formações explícitas em
textos de diferentes gêne-
ros textuais.
(EF15LP02B) Confirmar
(ou não) antecipações e
inferências realizadas an-
tes e durante a leitura do
gênero textual.
TEMPO
Uma aula.
PREPARAÇÃO
Leitura prévia da ativida-
de.
MATERIAIS
Giz, lousa e material do
estudante.
ORGANIZAÇÃO DA TURMA
Em duplas.
DESENVOLVIMENTO E
INTERVENÇÕES
Apresentaremos, nessa
aula, mais uma fábula
para que os estudantes te-
nham a possibilidade de
ler e compreender. Feito
isso, dê um tempo para
que as duplas, juntas, ten-
tem ler a fábula, já que
essa é mais conhecida e
as imagens podem ajudar
no processo. Esteja dis-
ponível para andar pela
sala, tentando apoiá-los
no que for necessário.
Quando as duplas finali-
zarem a leitura, retome a
conversa sobre a história,
levantando, oralmente, a
interpretação mais global
AULA 2 – Leitura da Fábula a Lebre e a tartaruga que tiveram na leitura au-
tônoma. Para isso, pode
(EF02LP28A) Ler e compreender, com certa autonomia, contos de fadas, maravi- fazer perguntas norteado-
lhosos, populares, fábulas, crônicas, entre outros textos do campo artístico-literário, ras: “Quem são os perso-
considerando a situação comunicativa, o tema/assunto, a estrutura composicional o nagens?”, “O que acontece
estilo do gênero. com eles?”, “O que achou
(EF12LP02B) Ler, com a mediação do professor, textos que circulam em meios im-
pressos ou digitais, de acordo com as necessidades e interesses individuais e da tur-
ma.
100
210
6 caderno
cadernodo
doprofessor
professor
124 | LÍNGUA PORTUGUESA

do conflito?”, “Como foi


resolvido?”. Essa fábula
apresenta uma moral ex-
plícita, diferentemente da
outra, mas ambas deixam
uma mensagem pareci-
da sobre não julgar pela
aparência, pelo tamanho
e pela velocidade.
Após a leitura em duplas
e depois dessa conversa
geral sobre o texto, leiam
as questões orientadas na
atividade, buscando pis-
tas que comprovem suas
ideias no texto. Dessa vez,
retome expressões e pala-
vras que contribuam para
sua interpretação.
O QUE APRENDEMOS
HOJE?
No final da aula, pergunte
como conseguiram des-
cobrir o significado de di-
ferentes partes do texto:
quais estratégias usaram
para a compreensão do
texto e quanto elas foram
importantes para aprimo-
rar as suas habilidades de
leitores.
cadernodo
caderno do professor 1017
professor 211
LÍNGUA PORTUGUESA | 125

(EF15LP03) Localizar in-


formações explícitas em
textos de diferentes gêne-
ros textuais.
TEMPO
Uma aula.
PREPARAÇÃO
Leitura prévia da aula, se-
leção de duplas de traba-
lho pertinentes para rea-
lizar uma leitura. Escolha
crianças que conseguem
ler com autonomia e for-
me duplas com aqueles
que ainda estão desenvol-
vendo essa habilidade.
MATERIAIS
Material do estudante.
ORGANIZAÇÃO DA TURMA
Coletiva e em duplas.
DESENVOLVIMENTO E
INTERVENÇÕES
Com o intuito de ampliar
o repertório de leitura
dos estudantes, a propos-
ta dessa aula é que eles
leiam mais três fábulas
para compreender melhor
esse tipo de texto. Para
tanto, indique as duplas
de trabalho selecionadas
previamente a partir das
habilidades de leitura.
Sugira que façam a leitura
em duplas e discutam um
pouco sobre as histórias
e o que elas apresentam.
Faça perguntas como:
“Qual delas mais gostou
e por quê?”, “Quais os
AULA 3 - CONHECENDO MAIS FÁBULAS aspectos comuns e diver-
gentes?”. Essas questões
(EF02LP28A) Ler e compreender, com certa autonomia, contos de fadas, maravilho- podem ajudar a elaborar
sos, populares, fábulas, crônicas, entre outros textos do campo artístico-literário, con- as discussões. Ande pela
siderando a situação comunicativa, o tema/assunto, a estrutura composicional e o sala apoiando na leitura
estilo do gênero. e compreensão do texto.
(EF12LP02B) Ler, com a mediação do professor, textos que circulam em meios im-
pressos ou digitais, de acordo com as necessidades e interesses individuais e da tur-
ma.
102
212
8 caderno
cadernodo
doprofessor
professor
126 | LÍNGUA PORTUGUESA

A leitura poderá ocorrer


na primeira metade da
aula e na outra metade.
Crie um espaço para que
os estudantes comparti-
lhem suas observações,
você poderá anotar aqui-
lo que for pertinente em
relação às perguntas que
norteiam a reflexão da ati-
vidade. Espera-se que os
estudantes tragam pontos
explícitos sobre as carac-
terísticas do texto, como a
presença de personagens
animais, conflitos e desfe-
chos (quem vence quem)
que culminam em uma
lição, além de observarem
que são histórias breves.
Depois de compartilha-
rem suas observações,
vocês poderão escrever
coletivamente um texto
que sintetize essas carac-
terísticas comuns às fábu-
las no caderno.
O QUE APRENDEMOS
HOJE?
Ao final da aula, relembre,
com os estudantes, as fá-
bulas que conheceram a
partir das leituras feitas,
resgatando as característi-
cas comuns a elas.
cadernodo
caderno do professor 1039
professor 213
LÍNGUA PORTUGUESA | 127

(EF15LP03) Localizar in-


formações explícitas em
textos de diferentes gêne-
ros textuais.
(EF15LP02B) Confirmar
(ou não) antecipações e
inferências realizadas an-
tes e durante a leitura do
gênero textual.
TEMPO
Uma aula.
PREPARAÇÃO
Leitura prévia da ativida-
de.
MATERIAIS
Giz, lousa e material do
estudante.
ORGANIZAÇÃO DA TURMA
Coletiva, com mesas or-
ganizadas em semicírculo
e voltadas para a lousa.
DESENVOLVIMENTO E
INTERVENÇÕES
O objetivo dessa aula é
que os estudantes come-
cem a se apropriar dos ele-
mentos que constituem as
fábulas, pois eles podem
ajudar os estudantes a
produzirem a sua própria
fábula. Sendo assim, ini-
ciaremos com a observa-
ção sobre os personagens.
Na Atividade 1, terão que
retomar os personagens
das leituras que fizeram
nas aulas anteriores, dese-
nhá-los e elencar algumas
de suas características,
como: leão - grande, forte,
AULA 4 - AS FÁBULAS E SEUS PERSONAGENS mal-humorado; ratinho -
pequeno, corajoso e grato;
(EF02LP28A) Ler e compreender, com certa autonomia, contos de fadas, maravilho- lebre - convencida e veloz;
sos, populares, fábulas, crônicas, entre outros textos do campo artístico-literário, con- tartaruga - persistente e
siderando a situação comunicativa, o tema/assunto, a estrutura composicional e o devagar. Incentive a busca
estilo do gênero.
(EF12LP02B) Ler, com a mediação do professor, textos que circulam em meios im-
pressos ou digitais, de acordo com as necessidades e interesses individuais e da tur-
ma.
104
214
10 caderno
cadernodo
doprofessor
professor
128 | LÍNGUA PORTUGUESA

de características que vão


além daquelas explícitas
no texto, é importante que
tentem compreender, no
contexto da história, o que
os caracteriza por meio de
suas atitudes.
Na Atividade 2, os estu-
dantes precisarão levan-
tar as semelhanças entre
os personagens Leão e
Lebre. Com características
de superioridade, ambos
parecem se gabar por suas
habilidades e diminuir o
outro por isso. O Ratinho
e a Tartaruga são mais
humildes, mais conscien-
tes de suas capacidades e
reconhecem que são di-
ferentes dos outros, mas
certos de seus valores.
Esse levantamento já dará
indícios para a conversa
da Atividade 3, na qual
os estudantes relaciona-
rão essas características.
Nesse momento, você po-
derá conduzir a discussão,
trazendo questões como:
“Em ambas as histórias
há personagens antagôni-
cos. Você conhece alguma
outra fábula em que apa-
rece esse antagonismo?
Quais?”, “Por que será que
isso é importante nas fá-
bulas?”. Você e as crianças
poderão retomar os títulos
das fábulas apresentadas
na Aula 1 para analisar
essas informações, bem
como buscar outros exem-
plos no repertório deles. O QUE APRENDEMOS HOJE?
Relembre, com a turma, os principais pontos estudados nessa aula: as características
dos personagens das fábulas e como eles são marcantes e semelhantes em várias
histórias.
cadernodo
caderno do professor 105
professor 215
11
LÍNGUA PORTUGUESA | 129

(EF15LP03) Localizar in-


formações explícitas em
textos de diferentes gêne-
ros textuais.
(EF15LP02B) Confirmar
(ou não) antecipações e
inferências realizadas an-
tes e durante a leitura do
gênero textual.
TEMPO
Uma aula.
PREPARAÇÃO
Leitura prévia de ativida-
de.
MATERIAIS
Giz, lousa e material do
estudante.
ORGANIZAÇÃO DA TURMA
Coletiva e em trios.
DESENVOLVIMENTO E
INTERVENÇÕES
Essa aula tem por objetivo
aprofundar o conhecimen-
to dos estudantes em rela-
ção aos conflitos das fá-
bulas apresentadas nesta
sequência. Sendo assim,
leia a introdução dessa
aula com os estudantes e
sugira que busquem, nos
textos anteriores, esses
momentos que definimos
como conflito.
Você pode fazer uma refle-
xão em relação ao conflito,
trazendo questões já trata-
das nas aulas anteriores,
nas quais os estudantes
perceberam diferentes
elementos no textos es-
AULA 5 - OS CONFLITOS tudados e que também
se relacionavam aos con-
(EF02LP28A) Ler e compreender, com certa autonomia, contos de fadas, maravilho- flitos.
sos, populares, fábulas, crônicas, entre outros textos do campo artístico-literário, con-
siderando a situação comunicativa, o tema/assunto, a estrutura composicional e o Na primeira fábula, O Leão
estilo do gênero. e o Ratinho, o conflito tem
(EF12LP02B) Ler, com a mediação do professor, textos que circulam em meios im-
pressos ou digitais, de acordo com as necessidades e interesses individuais e da tur-
ma.
106
216
12 caderno
cadernodo
doprofessor
professor
130 | LÍNGUA PORTUGUESA

três partes e se inicia com


o Leão sendo acordado
pelo Ratinho em sua juba.
Esse é o primeiro grande
acontecimento que en-
corpa o resto da história.
Nas fábulas, esse conflito
pode se iniciar bem no
início da narrativa, e você
pode evidenciar isso para
os estudantes. O segundo
acontecimento é o fato de
o Leão prender o Ratinho
com a pata, ameaçando
comê-lo. O terceiro e úl-
timo, dando abertura ao
desfecho, é o Ratinho ou-
vindo os rugidos fortes do
Leão e percebendo que
precisa de ajuda.
A segunda fábula, cujo
conflito tem duas partes,
inicia-se com a Tartaruga
desafiando a Lebre para
uma corrida. Em seguida,
o fato de a Lebre tirar uma
soneca no meio da corri-
da.
Deixe um tempo para que
os estudantes discutam
suas ideias e levantem
suas teorias. Eles poderão
fazer as anotações em seu
material nesse momento.
O QUE APRENDEMOS
HOJE?
Ao final da aula, resgate
as reflexões que ajudaram
a conceituar o conflito de
uma narrativa, demons-
trando que os estudantes
identificaram o conflito de
cada fábula estudada, dei-
xando claro que o repertó-
rio adquirido os ajudará
na elaboração da própria
fábula.
cadernodo
caderno do professor 107
professor 217
13

AULA 6 – MORAL DA HISTÓRIA


(EF02LP28A) Ler e compreender, com certa autonomia, contos de fadas, maravilhosos, populares, fábulas, crônicas
entre outros textos do campo artístico-literário, considerando a situação comunicativa, o tema/assunto, a estrutura
composicional e o estilo do gênero.
(EF12LP02B) Ler, com a mediação do professor, textos que circulam em meios impressos ou digitais, de acordo
com as necessidades e interesses individuais e da turma.
(EF15LP03) Localizar informações explícitas em textos de diferentes gêneros textuais.
(EF15LP02B) Confirmar (ou não) antecipações e inferências realizadas antes e durante a leitura do gênero textual.
TEMPO
Uma aula.
PREPARAÇÃO
Leitura prévia da atividade, selecionar materiais necessários (fazer pequenos cartões com a lista de moral).
MATERIAIS
Material do estudante, giz, lousa e cartolina cortada em pequenos cartões.
ORGANIZAÇÃO DA TURMA
Coletiva, com mesas organizadas em semicírculo e voltadas para a lousa.
DESENVOLVIMENTO E INTERVENÇÃO
A moral da história é um importante elemento que compõe as fábulas. Por isso, dedicaremos essa aula a esse
tema, considerando a compreensão dos estudantes em relação à moral dos textos lidos nesta sequência, bem
como fazendo um levantamento de novas possibilidades de frases que sintetizem essas ideias. Para tanto,
organize inicialmente uma roda de conversa para falar sobre moral da história. Ouça o que os estudantes
elaboraram sobre o tema e anote na lousa algumas ideias. Por exemplo, uma criança considera que na fábula A
Lebre e a Tartaruga, além da lição trazida pelo texto, também existem mais possibilidades, como: “Não cante a
vitória antes da hora.” e “Não diminua seu adversário.”. Assim como podem aparecer outras em relação ao Leão e
o Ratinho: “Todo mundo tem o seu valor.”, “Ninguém é grande demais que não possa precisar de outra pessoa.”,
entre outras. Anote o que surgir na lousa e, se precisar, ofereça o repertório dos exemplos.
Depois de levantarem algumas ideias sobre as fábulas da sequência, façam o registro delas na Atividade 1 do
material do estudante.
O QUE APRENDEMOS HOJE?
Retome, com os estudantes, o que foi desenvolvido nessa aula, relembrando o que compreenderam sobre a moral
das histórias.
108
218
14 caderno
cadernodo
doprofessor
professor

AULA 7 - PLANEJAMENTO DO TEXTO


(EF02LP27A) Planejar e produzir, com a colaboração de colegas e a ajuda do professor, diferentes textos do campo
artístico-literário (contos de fadas, maravilhosos, populares, fábulas, crônicas entre outros), considerando a situa-
ção comunicativa, o tema/assunto, a estrutura composicional e o estilo do gênero.
(EF02LP07A) Planejar e produzir textos conhecidos de diferentes gêneros, considerando a situação comunicativa,
o tema/assunto, a estrutura composicional, o estilo e a finalidade do gênero
(EF02LP01A) Grafar corretamente palavras conhecidas/familiares.
(EF02LP03) Grafar corretamente palavras com correspondências regulares diretas (f/v, t/d, p/b) e correspondências
regulares contextuais (c/qu; g/gu, r/rr, s/z inicial).
(EF01LP12B) Segmentar palavras, ainda que não convencionalmente, na produção escrita de textos de diferentes
gêneros.
(EF01LP02) Escrever, espontaneamente ou por ditado, palavras e frases de forma alfabética, usando letras/grafe-
mas que representem fonemas.
TEMPO
Uma aula.
PREPARAÇÃO
Leitura prévia das próximas aulas.
MATERIAIS
Material do estudante, giz e lousa.
ORGANIZAÇÃO DA TURMA
Em duplas.
DESENVOLVIMENTO E INTERVENÇÕES
Essa aula será o início de um processo de produção escrita dos estudantes, por isso, é importante fazer uma retoma-
da do que já estudaram até aqui sobre as fábulas. Você poderá fazer esse resgate de forma coletiva, lembrando os
elementos que compõem esse gênero textual; Forme duplas produtivas para que haja intercâmbio das
informações.
Estudamos, nas aulas anteriores, três pontos que traremos como estrutura básica das fábulas: os personagens e
suas características, conflito e desenvolvimento e moral da história.
Depois dessa retomada, anuncie aos estudantes que eles iniciarão a produção de uma reescrita. Para isso, eles
precisarão escolher uma fábula que conheceram e, então, reescrevê-la a partir da própria perspectiva. Nessa
experiência de produção escrita é importante construir uma ideia de que sempre redigimos com um objetivo e, na
maioria das vezes, também precisamos alinhar um destinatário, ou seja, alguém a quem direcionar o texto.
Nesse sentido, eleja uma forma de publicação das produções feitas e ilustradas por eles: pode ser um “Varal de
Fábulas”, cujas versões ficarão expostas na sala para as crianças lerem sempre que desejarem; ou um livro
artesanal de reescritas; ou, ainda, um painel interativo (com outros textos e informações do estudo) com
envelopes contendo as versões das fábulas, entre outras ideias que possam surgir.
Depois dessa decisão, oriente os estudantes a preencherem a tabela da Atividade 1 com o planejamento do texto.
O QUE APRENDEMOS HOJE?
Retome o tema da escrita de um texto e demonstre aos estudantes que essa tarefa exige um planejamento, sendo
essa uma estratégia para produções textuais.
cadernodo
caderno do professor 109
professor 219
15
LÍNGUA PORTUGUESA | 131
110
220
16 caderno
cadernodo
doprofessor
professor
132 | LÍNGUA PORTUGUESA
cadernodo
caderno do professor 111
professor 221
17

AULA 8 – PRODUÇÃO DA REESCRITA


(EF02LP27A) Planejar e produzir, com a colaboração de colegas e a ajuda do professor, diferentes textos do campo
artístico-literário (contos de fadas, maravilhosos, populares, fábulas, crônicas entre outros), considerando a situa-
ção comunicativa, o tema/assunto, a estrutura composicional e o estilo do gênero.
(EF02LP07A) Planejar e produzir textos conhecidos de diferentes gêneros, considerando a situação comunicativa,
o tema/assunto, a estrutura composicional, o estilo e a finalidade do gênero.
(EF02LP01A) Grafar corretamente palavras conhecidas/familiares.
(EF02LP03) Grafar corretamente palavras com correspondências regulares diretas (f/v, t/d, p/b) e correspondências
regulares contextuais (c/qu; g/gu, r/rr, s/z inicial).
(EF01LP12B) Segmentar palavras, ainda que não convencionalmente, na produção escrita de textos de diferentes
gêneros.
(EF01LP02) Escrever, espontaneamente ou por ditado, palavras e frases de forma alfabética usando letras/grafe-
mas que representem fonemas.
TEMPO
Uma aula.
PREPARAÇÃO
Leitura prévia das atividades.
MATERIAIS
Material do estudante.
ORGANIZAÇÃO DA TURMA
Duplas.
DESENVOLVIMENTO E INTERVENÇÕES
Essa será uma aula de reescrita. Retome o tema da importância de se apoiar no planejamento feito. Esteja
disponível para andar pela sala e apoiar os estudantes no que precisarem. O ideal é que haja pelo menos um
estudante alfabético por dupla. Caso essa não seja a realidade da turma, o/a professor/a poderá formar trios ou
quartetos, pois a proposta está focada no ensino do uso da linguagem escrita do gênero fábulas.
Circule entre os estudantes para garantir que eles consigam atender à proposta, voltando ao planejamento sempre
que necessário.
O QUE APRENDEMOS HOJE?
Encerre a aula ouvindo um pouco os estudantes sobre suas experiências de reescrever uma fábula: “Que desafios
tiveram?”, “Como buscaram resolvê-los?”. Assim, vá retomando aspectos importantes no âmbito da produção
textual, como o uso dos pontos levantados no planejamento do texto e como eles ajudam na elaboração.
112
222
18 caderno
cadernodo
doprofessor
professor

AULA 9 - REVISÃO TEXTUAL


(EF02LP27A) Planejar e produzir, com a colaboração de colegas e a ajuda do professor, diferentes textos do campo
artístico-literário (contos de fadas, maravilhosos, populares, fábulas, crônicas entre outros), considerando a situa-
ção comunicativa, o tema/assunto, a estrutura composicional e o estilo do gênero.
(EF02LP07A) Planejar e produzir textos conhecidos de diferentes gêneros, considerando a situação comunicativa,
o tema/assunto, a estrutura composicional, o estilo e a finalidade do gênero.
(EF02LP01A) Grafar corretamente palavras conhecidas/familiares.
(EF02LP03) Grafar corretamente palavras com correspondências regulares diretas (f/v, t/d, p/b e correspondências
regulares contextuais (c/qu; g/gu, r/rr, s/z inicial.
(EF01LP12B) Segmentar palavras, ainda que não convencionalmente, na produção escrita de textos de diferentes
gêneros.
(EF01LP02) Escrever, espontaneamente ou por ditado, palavras e frases de forma alfabética usando letras/grafe-
mas que representem fonemas.
TEMPO
Uma aula.
PREPARAÇÃO
Leitura prévia da atividade.
MATERIAIS
Material do estudante.
ORGANIZAÇÃO DA TURMA
Coletiva e em duplas.
DESENVOLVIMENTO E INTERVENÇÕES
Nesta aula, selecione trechos dos textos produzidos pelas duplas e faça a análise com o grupo. Não selecione um
texto completo, assim você dará a chance de cada dupla revisar o próprio texto.
Selecione os trechos de acordo com os aspectos que gostaria de tornar observável para o grupo. Por exemplo, um
trecho com repetição de palavras, sem o uso da pontuação ou com problemas de coerência.
Não faça mudanças no texto dos estudantes. Se eles perceberem que as palavras estão repetidas, pergunte: "E
como os autores poderiam escrever?". O momento da revisão deve ser reflexivo. Os estudantes do 2º ano
possivelmente não conseguirão olhar para todos os aspectos ao mesmo tempo, por isso, selecione aqueles que
são mais pertinentes à turma.
O QUE APRENDEMOS HOJE?
Ao final da aula, retome os temas que desenvolveram ao longo da aula, relembrando a importância da revisão e
da ilustração em um texto.
cadernodo
caderno do professor 113
professor 223
19
LÍNGUA PORTUGUESA | 133
114
224
20 caderno
cadernodo
doprofessor
professor
134 | LÍNGUA PORTUGUESA
cadernodo
caderno do professor 115
professor 225
21

AULA 10 - FINALIZAÇÃO
(EF02LP07B) Revisar e editar os textos produzidos, utilizando a letra cursiva e cuidando da apresentação final do
texto.
TEMPO
Uma aula.
PREPARAÇÃO
Organizar todos os materiais necessários.
MATERIAIS
Material do estudante e versão final da fábula.
ORGANIZAÇÃO DA TURMA
Coletiva.
DESENVOLVIMENTO E INTERVENÇÕES
Chegamos ao fim de mais uma Sequência Didática. Nessa aula, esteja atento/a e organize todos os preparativos
necessários para a publicação do texto, da maneira que o grupo escolheu.
Assim que tudo tiver revisado, proponha aos estudantes que façam a escrita da versão final, considerando todas as
edições necessárias.
Além do texto produzido no material do estudante, sugira que façam uma versão avulsa. Assim, poderão compar-
tilhar suas reescritas e também ler os textos uns dos outros.
O QUE APRENDEMOS HOJE?
Finalize essa aula com uma retomada geral dos aprendizados da sequência e com a publicação que pensaram para
as produções textuais.

Sugestões de atividades do Ler e Escrever - 2º ano


Atividade de Leitura de Diferentes Gêneros,
pág. 170
Atividade 2 – Roda de Leitura – Texto Narrati-
vo, pág. 178
Atividade 2A – Leitura Colaborativa de Texto
Volume 1 Unidade 2 Narrativo, pág. 178 Atividade 3 – Leitura Co-
laborativa de Contos Populares, pág. 180
Atividade 3A – Leitura Colaborativa de Conto
Popular, pág. 180
Atividade 3B – Leitura Colaborativa de Conto
Popular, pág. 183
MATEMÁTICA
1º Bimestre
caderno do professor 231
123

Olá,
ssor!Professor!
Olá, Professora!
Olá, Professora!
sequência didática
Esta sequência
é organizada
didática
porémeio
organizada
de atividades
por meio
ordenadas,
de atividades
estruturadas
ordenadas,
e articuladas
estruturadas
a partir
e articuladas
de habilida-
a partir de habilida-

A proposta desteAmaterial
de aula. propostaé deste
recuperar a aprendizagem,
material é recuperar abem como atender
aprendizagem, bemàscomo
habilidades
atenderprevistas no Currículo
às habilidades previstas no Currículo
A sequência é proposta
Paulista. para ser
A sequência desenvolvida
é proposta emdesenvolvida
para ser 10 aulas e trazemrecomendações
10 aulas e trazerecomendações
sugestões de intervenções,
e sugestões de intervenções, de
atender às necessidades
modo a atender de aprendizagemdedeaprendizagem
às necessidades todos os estudantes.
de todosEsta
os sequência
estudantes.prevê a retomadaprevê
Esta sequência de habilidades
a retomada de habilidades
das diferentes
essenciaisUnidades Temáticas
das diferentes que compõem
Unidades Temáticaso que
ensino da Matemática,
compõem o ensinocomo: Números, como:
da Matemática, Álgebra, Geometria,
Números, Álgebra, Geometria,
Grandezasrobabilidade
e medidaseeestatística.
Probabilidade e estatística.
esentadas
As nesta
atividades sequência, nesta
apresentadas consideram as seguintes
sequência, as habilidades
consideram doasCurrículo
as seguintes Paulista:
habilidades do Currículo Paulista:

Aulas em que as Aulas em que as


Habilidades Habilidades habilidades são habilidades são
trabalhadas trabalhadas

até 100 unidades eaté


apresentar o resultado
100 unidades por registros
e apresentar o resultado por registros
verbais e simbólicos, em situações
verbais de seu
e simbólicos, eminteresse,
situações de seu interesse,
escrita e comparação de números
Leitura, escrita natu- de números natu-
e comparação
rais (até 100) Aulas 1 e 2 Aulas 1 e 2
outros. outros.
Reta numérica
(EF01MA05) Comparar númerosComparar
(EF01MA05) naturais de até duas
números naturais de até duas
ordens em situações cotidianas,
ordens com e sem
em situações suportecom
cotidianas, da e sem suporte da
reta numérica. reta numérica.

(EF01MA06) Construir fatos fundamentais


(EF01MA06) da adição
Construir fatos e
fundamentais da adição e
Construção de fatos fundamentaisutilizá-los
da adiçãoem procedimentos de procedimentos
utilizá-los em cálculo para resolver Aula 2
de cálculo para resolver Aula 2
problemas. problemas.

(EF01MA08) Resolver (EF01MA08)


e elaborarResolver e elaborar
problemas problemas
de adição e de adição e
de subtração,
de subtração, envolvendo númerosenvolvendo números
de até dois algaris-de até dois algaris-
Aulas 3, 4 e 10 Aulas 3, 4 e 10
, retirar) separar, retirar) retirar, com o suporte de imagens
retirar, e/ou material
com o suporte manipu-
de imagens e/ou material manipu-
lável, utilizando estratégias e formas
lável, utilizando de registroe formas
estratégias pessoais.de registro pessoais.

Aula 5 Aula 5
ões em sequência
regularidades ou padrões em sequência
como cor, forma e medida.
como cor, forma e medida.

(EF01MA12)
(EF01MA12) Descrever Descrever
a localização a localização
de pessoas e de de pessoas e de

utilizando diversos pontos


eferência e voca- compreendendo
de referência e voca- que, para a utilização
compreendendo que,depara
termos que se de termos Aula
a utilização 5
que se Aula 5
opriadobulário apropriado referem à posição, referem
como direita, esquerda,
à posição, comoem cima,esquerda,
direita, em em cima, em
baixo, é necessáriobaixo,
explicitar-se o referencial.
é necessário explicitar-se o referencial.

(EF01MA15) Comparar comprimentos,


(EF01MA15) Compararcapacidades ou capacidades ou
comprimentos,
Medidas, massa e capacida- massamassas,
de comprimento, utilizando massas,
e capacida- termos como mais termos
utilizando alto, mais baixo,
como mais alto, mais baixo,
ações ede:
unidades de medida
comparações não de medida não
e unidades Aula 7 Aula 7
convencionais largo, mais pesado,largo,
mais mais
leve, pesado,
cabe mais, cabe
mais menos,
leve, cabe mais, cabe menos,
124 caderno do professor
232

(EF01MA17) Reconhecer
(EF01MA17)
e relacionar
Reconhecer
períodos
e relacionar
do dia, períodos do dia,
dias da semana e meses
dias dadosemana
ano, utilizando
e meses calendário,
do ano, utilizando calendário,
Medidas de tempo:Medidas
unidades
dedetempo:
medida
unidades
de de quando
medida necessário.
de quando necessário.
Aula 6 Aula 6
tempo, suas relações
tempo,
e o uso
suas
dorelações
calendário
e o uso do calendário
(EF01MA18) Produzir(EF01MA18)
a escrita de
Produzir
uma data,
a escrita
apresentan-
de uma data, apresentan-
do o dia, o mês e odo
ano,
o dia,
e indicar
o mêsoediao ano,
da semana
e indicardeouma
dia da semana de uma
data, consultando calendários.
data, consultando calendários.

(EF01MA19) Reconhecer
(EF01MA19)
e relacionar
Reconhecer
valoresede
relacionar
moedasvalores de moedas
Sistema monetárioSistema
brasileiro:
monetário brasileiro: e cédulas do sistema
e cédulas do sistema
Aula 8 Aula 8
reconhecimento dereconhecimento
cédulas e moedas
de cédulas e moedas
monetário brasileiro
monetário
para resolver
brasileiro
situações
para simples
resolverdo
situações simples do
cotidiano do estudante.
cotidiano do estudante.

Noção de acaso Noção de acaso como “acontecerá com


comocerteza”,
“acontecerá
“talvez
com
aconteça”
certeza”,e“talvez
“é aconteça” eAula
“é 9 Aula 9
impossível acontecer”,
impossível
em situações
acontecer”,
do cotidiano.
em situações do cotidiano.
234
4126 caderno
caderno do 4 caderno do professor
doprofessor
professor
78 | MATEMÁTICA
136

AULA 1 – OS AULA
NÚMEROS
1 – OS NÚMEROS
NO JOGO DE NO
AMARELI-
JOGO DE AMARELI-
NHA NHA
Conversa com o/a profes-
(EF01MA04) sor/a Contar a
quantidade de objetos de
coleções até 100TEMPO
unidades
e apresentar oUma aula.
resultado
por registros verbais e sim-
MATERIAIS
bólicos, em situações
Quadro de degiz para registro
seu interesse, como jogos, dos números
das escritas
brincadeiras, materiais
e quadrodanumérico com a
sala de aula, entre outros.
escrita dos números de 0
(EF01MA05) sala Comparar
de aula em altura que
números naturais de atéàs crianças uma
possibilite
duas ordens emvisualização
situações adequada e
cotidianas, comque
e sem
elassu-
possam, inclusive,
indicar números.
porte da reta numérica.
10 10 1 1
ORGANIZAÇÃO DA
ORGANIZAÇÃO
TURMA DA TURMA
Atividade em duplas,
Atividade
comem duplas, com
as crianças dispostas
as crianças
em dispostas em 8 89 9 3 2 3
“U” para discussões
“U” para
e co-discussões e co-
mentários. mentários.
7 7 4 4
TEMPO (EF01MA04) Contar a
Uma aula. quantidade de objetos de
MATERIAIS coleções até 100 unidades 6 65 5 5 6 5
e apresentar o resultado
Quadro de giz parapor registro
registros verbais e sim-
das escritas dosbólicos,
números em situações de 4 4 7 7
e quadro numéseu rico interesse,
com a como jogos,
escrita dos núm eros de 0 materiais da
brincadeiras,
sala de aula, entre outros.
sala de aula em altura que
possibilite às crianças uma
(EF01MA05) Comparar
visualização adequada
números enaturais de até
que elas possam, inclusive,
duas ordens em situações
indicar números.cotidianas, com e sem su-
porte da reta numérica.
DESENVOLVIMEDESENVOLVIMENTO
NTO E IN- E IN-
TERVENÇÕES TERVENÇÕES
Essas atividadesEssas
têm como
atividades têm como
objetivo a realização
objetivo
da lei-
a realização da lei-
no espaço da escola. Para isso,
no espaço desenhe
da escola. o jogo
Para isso,no piso doo pátio.
desenhe jogo noComente
piso doque a Ativida-
pátio. Comente que a
tura e comparação tura de
e comparação
nú- de 1 apresenta
de nú- um de 1Jogo de Amarelinha convencional e outro em que os números estão
meros de até duas merosordens
de até dispostos
duas ordensem ordem decrescente,
dispostos em ordemou decrescente,
seja, do maioroupara
seja,o do
menor.
maior para o menor.
(dois algarismos)
(dois algarismos) pelos/las es- pelas
tudantes. crianças.
Inicie uma conversa
Inicie uma
com conversa com apresentados no quadro de giz com a reprodução dos desenhos, e propo-
podem estar
as crianças sobreaso crianças
Jogo de sobre
nhaoaJogo dedosnha
leitura números.
a leitura dos números.
Amarelinha e solicite
Amarelinha
que e solicite que
5 do
caderno
caderno do professorcaderno professor 235
doprofessor
do professor 1275
MATEMÁTICA | 137

14 20 29 37 40
20 29 37 40

49
49

50
50

Atividade 2 e observe se fazem


Atividade 2 e observe
a recitação
se fazem
dos números,
a recitaçãosedos
há números, se há

os comentários e os resultados.
O QUE APRENDEMOS HOJE?
- -
tado na Atividade 2. Você pode ampliar essa atividade e questionar em que local deve
236
128
6 caderno
cadernodo 6 caderno do professor
doprofessor
professor
128
6 caderno
cadernodo 6 caderno do professor 138
doprofessor
professor 80 | MATEMÁTICA
6 caderno do professor
6 caderno do professor 80
6AULA 2 –do os
caderno 6AULA
números
professor 2 –do professor
caderno os números
no desenho
AULA node desenho
2 – os AULA
números2ga- de ga-
– os números
briel
AULA 2 – os briel
AULA
números
no desenho node desenho2
ga-– os números
de ga-
no desenho
briel
AULA no de desenho
briel
2 – os AULA
números2ga-
Conversa –com o/adeprofes-
os números ga-
briel
(EF01MA05) Comparar
briel
sor/a
no desenho Conversa
no de desenho
ga-com o/adeprofes-
ga-
números
Conversa naturais
briel
(EF01MA05) o/a de
Comparar
com sor/a
Conversa
briel atécom o/a profes-
profes-
TEMPO
duas
sor/a ordens
números emsor/a
naturais situações
de atécom o/a profes-
Conversa
cotidianas, com
com o/a
Conversa
Uma profes-
esituações
TEMPO sem aula.
su-
duas
sor/a ordens em sor/a
TEMPO
porte
cotidianas,da retacom Uma
TEMPO
numérica.
e sem
MATERIAIS aula.su-
Uma aula.
TEMPO Uma
Quadro
TEMPO aula.de giz para registro
porte da reta numérica.MATERIAIS
Uma
(EF01MA06)
MATERIAISaula. UmaConstruir
aula.
dos comentários
Quadro
MATERIAIS de giz para eregistro repro-
fatos
Quadro
(EF01MA06)
MATERIAISfundamentais
de giz para Quadro
dos da
Construir
dução adi-
dodequadro
registro
MATERIAIS comentários giz paranumérico
e registro
repro-
çãodosefundamentais
fatos
Quadro utilizá-los
comentários
de giz para em
dos
dução
Quadroedaproce-
apresentado adi-
comentários
repro- gizna
dodequadro
registro atividade.
para eregistro
numéricorepro-
dimentos
çãoduçãoe
dos comentáriosdosde
utilizá-los
do quadrocálculo
em
dução proce-
numérico
apresentado para
do
e comentários
repro-
ORGANIZAÇÃO quadro
na numérico
atividade.
DAeTURMArepro-
resolver
dimentos
apresentadodoproblemas.
de na cálculo
apresentado
atividade. para
dução quadro dução
numérico
Atividade
ORGANIZAÇÃO do quadroemnaduplas,
atividade.
DAnumérico
TURMA com
resolver
apresentado problemas.
na apresentado
atividade.
ORGANIZAÇÃO
TEMPO as TURMA
DA crianças
Atividade
ORGANIZAÇÃO emna atividade.
dispostas
duplas,
DA TURMA comem
UmaAtividade
aula.
ORGANIZAÇÃO
TEMPO em “U”
duplas,
Atividade
as
DA para
crianças
ORGANIZAÇÃO
TURMA com discussões
em duplas,
dispostas
DA TURMA e emco-
com
as crianças
Atividade
Uma
MATERIAIS aula. em duplas, mentários.
dispostas
as
“U” crianças
Atividadepara em Essa
discussões
comem duplas, com orientação
dispostas e em
co-
“U”crianças
as para discussõesdeve
“U”
mentários.
dispostas
as eser
para
crianças em analisada
co-discussões
Essa orientação
dispostas econ-
emco-
Quadro
MATERIAIS de giz para registro
siderando as orientações
mentários.
“U” comentários
para Essa mentários.
orientação
deve ser Essa
analisada orientaçãocon-
dos
Quadro
deve do de discussões
ser
“U”eregistro
gizanalisada
para de
deve
siderando
parae co-discussões e co-
repro-
distanciamento
ser
con-Essaanalisada
as orientações social
con-
mentários.
dução
dos Essa
quadro
comentários mentários.
orientação
numérico
e repro- orientação
siderando
deve do serquadroas vigentes.
orientações
siderando
de
analisada
deve distanciamento
ser as orientações
con- analisada con- social
apresentado
dução na atividade.
numérico
de distanciamento
siderando as de
vigentes.
orientações
siderando distanciamento
socialas orientações social
apresentado
vigentes.
ORGANIZAÇÃO na atividade.
DA(EF01MA05)
vigentes.
TURMA Comparar Possibilidades que Juliana pode encontrar: 1 e 9; 2 e 8; 3 e 7; 4 e 6.
de distanciamento de
números distanciamento
socialnaturais de socialaté
Atividade
vigentes.
ORGANIZAÇÃO em duplas,
DA(EF01MA05)
vigentes.
TURMA com Comparar Possibilidades que Juliana pode encontrar: 1 e 9; 2 e 8; 3 e 7; 4 e 6.
(EF01MA05)
as crianças
Atividade emdispostasduas
Comparar
números
(EF01MA05)
duplas, com ordens
em em
naturais situações
Comparar
de até
“U”
as números naturais
para discussões
(EF01MA05)
crianças cotidianas,
números
duas de
Comparar
(EF01MA05)
dispostas eordens
emco- com
aténaturais esituações
sem
em Comparar de até su-
duas
números
mentários.
“U” ordens em
naturais
para discussões e co- porte
duassituações
cotidianas,
números de da
ordens
atéretacomnumérica.
em
naturais e situações
semde su-
até
cotidianas,
duas
mentários. ordenscom cotidianas,
esituações
porte
emduas sem da su-
retacom
ordens em esituações
numérica. sem su-
porte da reta
cotidianas,
DESENVOLVIMENTO comnumérica.
porte
(EF01MA06)
cotidianas,
e sem EdaIN-su-retacom e Construir
numérica.
sem su-
porte da reta numérica.
TERVENÇÕES
DESENVOLVIMENTO fatosEda
porte
(EF01MA06) fundamentais
reta numérica.
IN- da adi-
Construir
Essas atividades fatos
(EF01MA06)
TERVENÇÕES ção
têm ecomo
Construir
(EF01MA06) utilizá-los em
fundamentais daproce-
Construiradi-
fatos
objetivo fundamentais
a dimentos
fatos
construção,
Essas atividades têm como
(EF01MA06) ção eda
Construir
(EF01MA06) pe- de
fundamentais
adi-
utilizá-los cálculo
em da para
proce-
Construir adi-
ção
las
fatos e utilizá-los
crianças, de
fundamentais
objetivo a construção, pe- resolver
ção
fatosem
dimentos
fatos eproce-
funda-
da problemas.
utilizá-los
de
fundamentais
adi- em
cálculo da proce-
para
adi- 8 8
dimentos
mentais
ção
las da deadição
e utilizá-los
crianças, cálculo
dimentos
ção
de fatos em relativos
resolver para
eproce-
funda- de cálculo
problemas.
utilizá-los em proce- para 8 8
resolver problemas. DESENVOLVIMENTO
resolver problemas. E IN-
adimentos
dois números
mentais da de
adição cuja
cálculo
dimentos soma
relativos
TERVENÇÕES para de cálculo para 8 8 8
éaresolver
igual a 10, para
problemas. DESENVOLVIMENTO
que
resolver pos-problemas. E IN- 8
dois números cuja
DESENVOLVIMENTO Essas somaatividades têm como
DESENVOLVIMENTO
TERVENÇÕES E IN- E IN- 8 8
ésamigual utilizá-los
a 10, para em cálculos
que
objetivo pos-
Essas ea construção,
atividades têm como pe-
TERVENÇÕES
DESENVOLVIMENTO TERVENÇÕES
DESENVOLVIMENTO
E IN- E IN-
para utilizá-los
sam resolver problemas,
em cálculos
Essas
TERVENÇÕES
a escrita atividades
de oito las
Essas
têm
objetivocrianças,
TERVENÇÕES
números como
atividades
a de fatos
têm
construção, funda-
como
pe-
para resolver
objetivo problemas,
mentais
a construção,
objetivo eda
pe- adição
a construção, relativospe-
Essas
naturais
alas escrita atividades
até
de duas
oito las
Essas
têm crianças,
como
atividades
ordens,
números de fatos
têm funda-
como
crianças,
objetivo
ditados pelo/a a de a
fatos
las dois
mentais
construção,
objetivo
professor/a, números
crianças,
funda- da
pe-a de
adição cuja
fatos
construção, soma
funda-
relativospe-
naturais até duas ordens,
épara,
igual ada 10,adição
mentais
las crianças,
comparando-os
ditados
da adição
pelo/a de amentais
fatos
las relativos
dois números
crianças,
professor/a,funda-em depara
fatosque
cuja pos-
relativos
soma
funda-
a dois
mentais números
da adição
seguida, escreverpara, ésam
a cuja
dois
igual
mentais utilizá-los
soma
relativos
os quatro números
a da10, para
adição em
Comocuja
que cálculos
jásoma
trabalhado
pos-
relativos Comoemjá atividades
trabalhadoanteriores,
em atividadespromova uma conversa com as crianças
anterior
comparando-os
é igual a 10, para para
é igual
que em
resolver
pos-
a 10, problemas,
para
e que
solicite pos-
quee digam dois números cuja soma seja o número 10. Eles com
podem apoiar-se
a dois
maiores em
seguida, números ordem
escrever sam
a cuja
dois utilizá-los
soma
decres-
osescrita
quatro números emcujacálculos
soma
Como já trabalhado Comoemjá atividades
trabalhadoanteriores,
em atividadespromova uma conversa
anterior as crianças
ésam
igual utilizá-los
a 10, em
para a
sam
para
é cálculos
igual
que utilizá-los
resolver
pos-
a de
10, oitoem
nos
Como números
problemas,
para que cálculos
dedosjá pos-das
e mãos
trabalhado
Como e
em apresentar
já atividades
trabalhado diferentes
cente. em ordem decres- e solicite que digam dois números cuja soma seja o número 10. Eles podem apoiar-seanteriores,
em possibilidades
atividades
promova
anterior
uma ou podem
conversa ter
com os
as números
crianças
maiores
para utilizá-los naturais
resolver problemas,
para resolveraté
e oitoduas
problemas,
de ordens,
cabeça, e
por terem memorizado pares de números que satisfazem a condição.
sam
cente. a
em
sam escrita
cálculos de
utilizá-los eemsolicite
números
nos dedos
Como cálculos que digam
das mãos
já trabalhadoComoem dois números
ejáapresentar cuja
trabalhadodiferentes
atividades soma
anteriores, seja o número
possibilidades
em atividadespromova 10. Eles
umaouconversa
anterior podem
podem com criançasEm
apoiar-se
ter osasnúmeros
a escrita
para resolverde oito aditados
números
escrita
naturais
problemas,
para pelo/a
resolver ede duas
até oitoprofessor/a,
nos números
seguida,
dedos
problemas,ordens,
edesolicite
cabeça,que solicite
das
e que
mãos
pordigam resolvam
seguida,
e
teremdois solicite
apresentar
memorizado a que
números cuja resolvam
diferentes
paressoma
Atividade a
possibilidades
de números
1 ou podem
que satisfazem
seja o número
Atividade ter os
a condição.
10. Eles podem
1 números
Em
apoiar-se
anaturais
escrita até de oitoduas comparando-os
naturais
aditados ordens,
números
escrita até oito
pelo/a
de duas
de
Para para,ordens,
cabeça,
professor/a,
números
seguida,
nos resolver em
dedossolicite por
a terem
Para memorizado
resolver
que resolvam
seguida,
das mãos a
comente
solicite que
e apresentar
Atividade 2, pares
que
resolvam
diferentes
Atividade de números
você fará o que
ditadosatisfazem
de um a
númerocondição.
a Atividade 1ou podem ter os números
1possibilidades
2 e, apósEma
ditados pelo/a
naturais até duas seguida,
professor/a,
ditados
comparando-os
naturais
ordens, escrever
pelo/a
até duas
de
Para os
para,
escrita
cabeça,quatro
professor/a,
seguida,ordens,
resolver solicite
em
pelo por seguida,
grupo,quesolicitará
terem
Para resolvam
solicite
que
memorizado
resolver
a Atividade a Atividade
que
uma
2, acomente resolvam
pares
Atividade criança
quede oafará
escreva
1números
2você que
Atividade nosatisfazem
o ditadoquadro
1de um de agiz
número para
condição. a turma
e, apósEma
comparando-os
ditados maiores
comparando-os
para, pelo/a
seguida,
pelo/a professor/a,
ditados emem ordem
escrever para,
os
validar
Para
seguida,
escrita decres-
quatro
professor/a,ou
resolver em
não.
a
solicite
pelo grupo,Dessa
Para forma,
resolver
seguida,
quesolicitará
resolvam
Atividade a atividade
comente
solicite
2, a que
que poderá
que
umaresolvam
criança
Atividade você trazer
fará
1 oa escreva
2 o
Atividadecontribuições
ditado
no quadro
1 de um para
número a escrita
e,
de giz para a turma dosa
após
seguida, escrever
comparando-os cente.
seguida,
os quatro
maiores
comparando-os
para, em
em escrever
ordem
validar
Para os
para,
escrita quatro
decres-
em
pelo
ou não.
resolver grupo,
Dessasolicitará
a Atividadeforma,
Para resolver que uma
2, acomente
atividade
Atividade criança
poderá
que o escreva no
trazero ditado
2você fará quadro
contribuições de
de um para giz
número para
a escritaa turma
e, apósdosa
maiores em
seguida, ordem
escrever maiores
os decres-
cente.
seguida,quatro em ordem
escreverescrita decres-
os quatro
validar ou não.
pelo grupo,Dessa forma,que
solicitará a atividade poderá
uma criança trazer no
o escreva contribuições
quadro de gizparapara a escrita
a turmados
cente. em ordem
maiores cente.
maioresdecres- em ordem decres-
validar ou não. Dessa forma, a atividade poderá trazer contribuições para a escrita dos
cente. cente.
7 do
caderno
caderno do professorcaderno professor 237
do professor 1297
MATEMÁTICA | 139 7 do
caderno
caderno do professorcaderno professor 1297
do professor
O QUE APRENDEMOS
O QUE APRENDEMOS
HOJE? HOJE?
O QUE APRENDEMOS
O QUE APRENDEMOS
NÃO, PORQUE 8+3 = 11 HOJE? HOJE?
com as criançascom doisasnú- crianças dois nú-
NÃO, PORQUE 8+3NÃO,
= 11PORQUE 8+3 = 11 meros cuja somameros
com as criançascom seja cuja
10.
doisasnú- soma dois
crianças seja 10.
nú-
NÃO, PORQUE 8+3 = 11 meros cuja soma meros
seja cuja
10. soma seja 10.
adições em queadições
é válidaem a que é válida a
propriedade comutativa:
propriedade
adições em queadiçõesé válidaem a que comutativa:
é válida a
4propriedade
+ 6 e 6 + 4, 4comutativa:
8propriedade
++ 62 ee 62 + 4,comutativa:
8+2e2
+48,+ ou
6 eseja,
6 +a4,+ordem
488,
++ou62das
eeseja,
62 + a4,ordem
8 + 2 das
e2
parcelas não altera
+ 8, ou seja, a +parcelas
a
ordem soma.
8, oudasnão altera a soma.
seja, a ordem das
Apresente essas
parcelas não Apresente
adições
altera
parcelas no
a soma. essas
não adições
altera no
a soma.
quadro e questione
quadro
Apresente essas Apresenteo que
e questione
adições noessas adições noo que
8 18 38 20 observam. observam.
quadro e questione quadro o quee questione o que
8 818 1838 3820 20 observam. observam.
8 18 38 20
29 35 52 81
29 35
29 3552 5281 81
29 35 52 81

81 52 38 35
81 52
81 5238 3835 35
81 52 38 35

38
38 38
38

Caso surjam dúvidas durante o ditado, você pode propor a recitação da sequência dos
números 10, 20,dúvidas
Caso surjam 30, ... Assim, com
durante apoio do
o ditado, quadro
você podenumérico, as crianças
propor a recitação da podem locali-
sequência dos
zar números
o número10,ditado e escrevê-lo.
20, 30, ... Assim, com apoio do quadro numérico, as crianças podem locali-
zar o número ditado e escrevê-lo.
sendo comparados.
sendo comparados.
130
238caderno
cadernodo
doprofessor
8 caderno do professor
professor
130 caderno do professor
8 caderno do professor MATEMÁTICA
82 | MATEMÁTICA
140

AULA 3 – A BRINCADEI-
AULA 3 – A BRINCADEI- 82 | MATEMÁTICA

RA DE3CABO
AULA RAGUERRA
DE3CABO
– A BDRINCADEI-
EAULA DE GUERRA
– A BRINCADEI-
RA DE CABO DERAConversa
GUERRA
DE CABO comDEo/a profes-
GUERRA
(EF01MA08) Resolver e ela-
sor/a
Conversa com o/a profes-
borar problemas
(EF01MA08) de adição
Resolver
sor/a
TEMPO e ela-
e de subtração,
borar problemasenvolvendo
Uma aula.
de adição
números TEMPO
de até envolvendo
dois algaris-
e de subtração, Uma aula.
MATERIAIS
números de até dois algaris-
Quadro
separardee giz para registro
juntar, acrescentar,MATERIAIS
retirar, acrescentar,
juntar, com o suportedos
Quadrodecomentários
separar dee giz paraeregistro
ima- de pro-
gens e/ou dosdecomentários
material
retirar, com o suporte manipu-
ima- e de pro-
lável, e/ou
gens utilizando estratégias
material manipu-e
formas
lável, de registro
utilizando os estudantes
estratégias e conhecerem.
pessoais.
formas de registroos estudantes conhecerem.
ORGANIZAÇÃO DA TURMA
pessoais. Atividade
ORGANIZAÇÃO em duplas,
DA TURMA com
TEMPO as crianças dispostas em “U”
Atividade em duplas, com
Uma aula.
TEMPO para discussões e
as crianças dispostas em “U” comentá- PARTICIPARÃOPARTICIPARÃO
15 AMIGOS (13 15+AMIGOS
2). (13 + 2).
MATERIAIS
Uma aula. rios. Essa orientação
para discussões e comentá- deve PARTICIPARÃO 15 AMIGOS (13 + 2).
PARTICIPARÃO 15 AMIGOS (13 + 2).
Quadro de giz para
MATERIAIS ser registro
rios. analisada
Essa orientaçãoconsiderando
deve
dos comentários
Quadro aseorientações
ser
de giz para analisada
registro de distancia-
de pro- considerando
mento
dos comentáriosaseorientações social vigentes.
de pro- de distancia-
mento
(EF01MA08)
os estudantes conhecerem. social vigentes.
Resolver e ela-
ORGANIZAÇÃO DAborar
os estudantes conhecerem. TURMA problemas
(EF01MA08) Resolver de adição
e ela-
e
borarde subtração,
problemas envolvendo
de adição HAVERÁ 8 PARTICIPANTES
HAVERÁ 8 PARTICIPANTES NA OUTRA EQUIPE (15 – 7 = 8).
ORGANIZAÇÃO DA
Atividade em duplas, TURMA
números
com
de até dois algaris- NA OUTRA EQUIPE (15 – 7 = 8).
as criançasem
Atividade e deem
dispostas
duplas, subtração,
“U”
com envolvendo HAVERÁ 8 PARTICIPANTES NA OUTRA EQUIPE (15 – 7 = 8).
para
as discussões
crianças números
e comentá-
dispostas de até dois algaris- HAVERÁ 8 PARTICIPANTES NA OUTRA EQUIPE (15 – 7 = 8).
em acrescentar,
“U”
juntar,
rios. discussões e comentá- separar e
para retirar,com o suporte de ima-
rios. juntar, acrescentar, separar e
DESENVOLVIMENTO gens E e/ou
IN- material
retirar,com o suporte de ima- manipu-
TERVENÇÕES gens
DESENVOLVIMENTO lável, utilizando
E e/ou
IN- material estratégias
manipu-e
A atividade temlável,
TERVENÇÕES formas
como de registro
utilizando pessoais.
ob- estratégias e
A atividade tem como ob-registro pessoais.
jetivo a formas
resolução, de
pelas
DESENVOLVIMENTO FICARAM(15
E IN- FICARAM 11 AMIGOS 11 –AMIGOS
4 = 11).(15 – 4 = 11).
crianças, de pro
jetivo a resolução, blemas
TERVENÇÕES
pelas
DESENVOLVIMENTO do FICARAM(15
E IN- FICARAM 11 AMIGOS 11 –AMIGOS
4 = 11).(15 – 4 = 11).
campo aditivo
crianças, de procTERVENÇÕES
Aom os sig-
atividade
blemas do tem como ob-
campo aditivo cAjetivoom os asig-resolução,
atividade tem comopelas ob-
e de transformação, crianças, comde problemas do
ideias jetivo
de juntar,campo a
acrescen- resolução, pelas
e de transformação, aditivo
com
crianças, de problemas do com os sig-
tar e separar.
ideias de juntar,campoacrescen-
Inicie uma conversa aditivo com os sig-
tar e separar.
o jogo Cabo de Guerrae de sobre
transformação,
e com
Inicie uma conversa ideias de
sobre juntar, acrescen-
jogo Cabose deoetar
opergunte de transformação,
conhecem
Guerra e
e separar.
com
e já participaram
pergunte se o Inicie ideias
de
conhecem de
algu- juntar, acrescen-
uma
essa.conversa sobre
participaramctar e separar. item A item A -
emajá atividade o
omo
de
jogo algu-
Cabo de
que Guerra
o que e que
entendeu: o que
quais entendeu:
são as quais
informações são
e as
o informações
que é e
solicitado.o que é solicitado.
ma atividade cInicie omo uma essa.se conversa sobre item A item A -
opergunte
jogo Cabo o conhecem
de
que Guerra e que oquais
o que entendeu: que são
entendeu: quais sãoe as
as informações informações
o que e o que é solicitado.
é solicitado.
o jogo, bem com e ojáaparticiparam
pergunte regrase oestá de
conhecemalgu-em algarismos), que serão acrescidos aos 2 amigos (Gabriel e Juliana), tota-
escrito
ma atividade
e ojáaparticiparam como essa.
oque é utilizada.
jogo, bem com regra está de algu-
escrito em algarismos), que serão acrescidos aos 2 amigos (Gabriel e Juliana), tota-
que é utilizada. ma atividade como
Proponha essa.
que Proponha
resolvam que resolvam
o item B o item B
Proponha queresolvam Proponha que resolvam
o item B o item B
o jogo, bem como a regra
oque é utilizada.
jogo, bem como a regra
ser feito ser uma
realizando feito realizando
sobrecontagem, uma sobrecontagem,
partindo de 8 até partindo
chegar de
a 158 até chegar
(9, 10, a 15É (9, 10, ..
... 15).
que é utilizada.ser feito realizando ser uma
feito realizando
sobrecontagem, uma sobrecontagem,
partindo de 8 até partindo
chegar de
a 158 até chegar
(9, 10, a 15É (9, 10, ..
... 15).
9 do
caderno
caderno
caderno do professorcaderno doprdo 2399 131
131
professor
professor
ofessor
MATEMÁTICA | 141
83 O QUE APRENDEMOS
HOJE?
O QUE APRENDEMOS
HOJE? Ao final da aula, retome
com os estudantes as
com as crianças estratégias
as estraté- de cálculos
utilizadas pela turma, bem
como
e a notação matemática as sentenças
matemáticas que podem
representar cada situação.
há várias situações do dia
Neste a
sentido, dê especial
dia em que não necessaria-
atenção às diferentes
mente precisamos de um que podem
sentenças
representar o segundo
problema: 15 - 7 = 8 e 7 +
8 = 15. Seria interessante
construir representações
visuais, como desenhos,
AULA 4 – A BRINCADEI-
esquemas e diagramas,
RA CINCO MARIAS para ilustrar essas
possibilidades de respostas.
Conversa com o/a profes-
sor/a AULA 4 – A BRINCADEI-
TEMPO RA CINCO MARIAS
Uma aula.
MATERIAIS (EF01MA08) Resolver e
Quadro de giz para elaborar problemas de adi-
registro
NO TOTAL ELES FIZERAM 12 + 15 = 27 JOGOS. dos comentários e de pro-subtração, envol-
ção e de
vendo números de até dois
cedimentos. Providencie
também um jogo para os -
cados
estudantes que não conhe- de juntar, acrescen-
tar, separar e retirar, com
o suporte de imagens e/ou
ORGANIZAÇÃO DA TURMA
material manipulável, utili-
Atividade em duplas,
zando com
estratégias e formas
as crianças dispostas em pessoais.
de registro
“U” para discussões e co-
mentários. EssaTEMPOorientação
COM GABRIEL, FICARAM 22 – 10 = 12 JOGOS. deve ser analisada con-
Uma aula.
siderando as orientações
de distanciamento social
MATERIAIS
vigentes. Quadro de giz para
Resolverdos
(EF01MA08) registro e comentários
elaborar problemas de adi-
e de procedimentos e os
ção e de subtração, envol-com areia da
saquinhos
vendo números de até dois
haja controleque
importante sobre
hajaessa contagem,
controle sobreque
essapode ocorrer que
contagem, compode
a utilização com a utilização brincadeira- Cinco Marias
ocorrerdos
dos dedosrcasdasque façam
mãos noma
ou de espaço reservado
rcas que façampara a resolução.
no espaço cados de juntar,para
reservado para a resolução. acrescen-
os estudantes terem
tar, separar e retirar,
o contatocom
físico.
o, inclusive a que propõe
do grupo, cálculos,
inclusive e, em seguida,
a que propõe cálculos,solicite que resolvam
e, em seguida, o item
solicite C. o suporte
que resolvam o itemde C.imagens e/ou
- material manipulável, utili- DA TURMA
ORGANIZAÇÃO
zando estratégias e formas
- Atividade em duplas,
4 e contem
risquinhos, os demais,
marquem também
4 e contem chegando
os demais, tambémao resultado
chegandoigual ltadode
a 11.
ao resu registro
igual a 11. pessoais.
com as crianças dispos-
tas em “U” para discus-
sões e comentários.
240caderno
132
10 cadernodo
caderno 10 caderno do professor
doprofessor
professor
professor
| MATEMÁTICA
84142 | MATEMÁTICA

DESENVOLVIMENTO
DESENVOLVIMENTO
E IN- E IN-
TERVENÇÕES TERVENÇÕES
A atividade tem como
A atividade
obje- tem como obje-
tivo a resolução tivo
de proble-
a resolução de proble-
mas do campo aditivo
mas docomcampo aditivo com
- -
ção, com ideias ção,
de juntar
com ideias
e de juntar e
separar, e a elaboração
separar, de
e a elaboração de
problemas que problemas
podem ser que podem ser
resolvidos por uma
resolvidos
adiçãopor uma adição
ou por uma subtração.
ou por uma subtração.
Inicie uma conversa
Inicie uma
so- conversa so-
bre o jogo CincobreMarias
o jogoe Cinco Marias e
pergunte se o pergunte
conhecem.se o conhecem.

o jogo, bem como o jogo,


a regra
bem como a regra
que é utilizada. Incentive-as
que é utilizada. Incentive-as
a pesquisar sobre a pesquisar
brinca- sobre brinca-
deiras infantis que
deiras
adultos
infantis que adultos
- -
tabeleça um momento
tabeleçapara
um momento para
que haja a socialização
que hajadasa socialização das
informações obtidas.
informações obtidas.
Promova uma leitura
Promovacom-uma leitura com-

e comente que,epara
comente
jogar que, para jogar
Cinco Marias, são
Cinconeces-
Marias, são neces-
sários cinco sários
saquinhos cinco saquinhos
preenchidos com preenchidos
areia ou com areia ou
outro material. outro
Peça material.
que Peça que
uma criança façaumaa leitura
criança faça a leitura
do item A do item A
houve entendimento
houve das entendimento das
informações e doinformações
que foi e do que foi ESTÁ ENTRE CINCO MARIAS E CORRE COTIA, OU ACIMA DO JOGO DOS PONTINHOS.
solicitado. solicitado. ESTÁ ENTRE CINCO MARIAS E CORRE COTIA.
Peça que resolvam
Peça oquepro-resolvam o pro-
- -
do e os comentários.
do e os comentários.

faça a leitura do
façaitem
a leitura
B do item B
e promova umae conversa
promova uma conversa
sobre as informações
sobre ase oinformações e o
que se quer determinar.
que se querÉ determinar. É na
a apresentação a apresentação
socialização. na socialização.
No item C, paraNoa elaboração
item C de um problema de adição, proponha uma formulação
que sejam feitosqueregistros
sejam feitos registros
coletiva. Você pode escrever as sugestões das crianças no quadro de giz, fazendo ques-
de 22 jogos por risquinhos.
de 22 jogos por risquinhos.a partir dos comentários delas. Finalizada a construção do problema, pro-
tionamentos
- ponha que o-resolvam
ponha equesocialize
o resolvam
as estratégias
e socializee oasresultado.
estratégias e o resultado.
narem 10, quenarem façam10,a que façam a
contagem dos contagem
elementos dos elementos
que restaram, chegando
que restaram,
ao chegando ao
11 do professor
caderno
CA
caderno do professorcaderno 241133
DO PROFESSOR
MATEMÁTICA
MATEMÁTICA| 143
| 85

AULA 5 – EXPOSIÇÃO
AULA 5 DE
– EXPOSIÇÃO DE
REGRAS DE BRINCADEI-
REGRAS DE BRINCADEI-
RAS INFANTIS RAS INFANTIS
NÃO. ENCONTRA-SE À ESQUERDA.
Conversa com o/a profes- Descrever a
(EF01MA12)
sor/a localização de pessoas e de
NÃO. ENCONTRA-SE À ESQUERDA.
TEMPO objetos no espaço segundo
Uma aula. um dado ponto de referên-
ORGANIZAÇÃO DA cia,TURMA
compreendendo que,
JOGO DOS PONTINHOS.
Atividades em duplas,a com
para utilização de termos
JOGO DOS PONTINHOS.
as crianças dispostas em
que se referem à posição,
“U” para discussões e co- esquerda, em
como direita,
mentários. -
-
(EF01MA12) Descrever
cial. a
localização de pessoas e de
objetos no espaço(EF01MA09)
segundo Organizar e
um dado ponto ordenar
de referên-objetos familiares
cia, compreendendo que, -
para a utilizaçãoguras,
de termos
por meio de atribu-
que se referemtos,à posição,
tais como cor, forma e
como direita, esquerda,
medida.em
-
TEMPO -
cial. Uma aula.
ORGANIZAÇÃO DA TURMA
(EF01MA09) Organizar
Atividadese em duplas, com
A–C–D–B ordenar objetosasfamiliares
crianças dispostas em
A–C–D–B -
“U” para discussões e co-
guras, por meiomentários.
de atribu-
tos, tais como cor, forma e
DESENVOLVIMENTO E IN-
medida. TERVENÇÕES
DESENVOLVIMENTO A Atividade
E IN- 1 tem como
TERVENÇÕES objetivo a avaliação da
A Atividade 1 tem como localização de
descrição da
um objeto
objetivo a avaliação da no espaço, de
descrição da localização de pontos de refe-
acordo com
rência. E,detem como intuito
um objeto no espaço,
acordo com pontosa ampliação
de refe- do pensamen-
to geométrico
rência. E, tem como intuito para que as
a ampliação do pensamen- -
lização
to geométrico para que as de objetos.
-
O QUE APRENDEMOS HOJE?
lização de objetos.
e saliente que, para utilizar
Retome com a turma a importância de, encontrada termos como à direita, à es-
realmente está aem
solução de um problema,
conformidade e saliente querda, em cima, em bai-
verificar se o resultado está de acordo com as informações e se realmente está que, para utilizar
em conformidade com o que foi proposto (procedimento da validação). termos como à direita, à es-
o referencial.
querda, em cima, em bai- Na atividade,
é a criança que está sendo
Acesso em 24 Out. 2021. o referencial. Na atividade,
é a criança que está sendo
134 caderno
242
12 cadernodo 12 caderno do professor
doprofessor
professor

considerada emconsiderada
frente ao em frente ao
mural, olhandomural, olhando para ele.
para ele.

para o quadro dpara


e giz,o obje-
quadro de giz, obje-
tos que podemtos queà podem
estar es- estar à es-
querdaacima
querda ou à direita, ou à direita, acima

Peça queàsrespondam às
Peça que respondam
perguntas. No perguntas.
item A, é No item A, é
- -
lizaçãosobre
lização do material do material sobre

que os
que ele está entre ele ma-
está entre os ma-
teriaisMarias
teriais sobre Cinco sobre Cinco Marias
e Corre Cotia oue Corre Cotia ou que está
que está
acima das regrasacima das regras do Jogo
do Jogo
dos Pontinhos. dos Pontinhos.

os resultados. os resultados.
Peça que leiam,Peça que leiam, em duplas,
em duplas,
- -
serve se houveserve se houve o entendi-
o entendi-
mentoe,daseproposta e, se
mento da proposta

solicite que umasolicite queo uma criança o


criança
faça Após
faça para o grupo. para oa grupo. Após a
resolução,
resolução, socialize os co-socialize os co-
mentários e os resultados.
mentários e os resultados.
O QUE APRENDEMOS
O QUE APRENDEMOS
HOJE?
HOJE? -
va uma
Ao final da aula, promova conversa com as
uma conversacrianças
com sobre
as localizações
crianças sobre localiza- da sala de aula
de objetos
ções de objetos da sala de
aula e modifique os
que as que
referenciais para orientações devem
ser alteradas.
dependendo do referen-
cial utilizado, tanto as
orientações como as
respostas possam ser
alteradas.
244
136 caderno
14 cadernodo 14 caderno do professor
doprofessor
professor
86 | MATEMÁTICA
144
136
14 caderno
cadernodo 14 caderno do professor
doprofessor
professor
AULA 6 – O PREENCHI-
AULA 6 – O PREENCHI-
MENTO DE UMMENTO
CALEN-DE UM CALEN-
86 | MATEMÁTICA

DÁRIO DÁRIO
AULA 6 – O PREENCHI-
AULA 6 – O PREENCHI-
MENTO DE UMConversa
MENTO comUM
CALEN-DE o/aCALEN-
profes-
DÁRIO sor/a
DÁRIO
Conversa com o/a profes-
(EF01MA17) Reconhecer
TEMPO
sor/a
Uma aula.
dias da semana e meses do
(EF01MA17) Reconhecer
TEMPO
ano, utilizando MATERIAIS
calendário,
quando Uma aula. do mês em que
Calendário
necessário.
dias da semana ae atividade
meses do
MATERIAIS será realizada.
ano, utilizando calendário,
(EF01MA18)
quando necessário. Calendárioado mês
Produzir
ORGANIZAÇÃO em que
DA TURMA
escrita de uma aAtividade
atividade
data, será realizada.
apre-individual, com
as mês
sentando o diaProduzir
(EF01MA18) ,o crianças
ORGANIZAÇÃO e oa dispostas
DA TURMA em
escrita de umao“U”
ano, e indicar dia para
da discussões
se-
Atividade individual, com
data, apre- e co-
mana de uma
sentando mentários.
o diadata,
,o consul-
as crianças dispostas em
mês e o
tandoecalendár
ano, indicar oio“U”
s.diapara
da se- discussões e co-
(EF01MA17) Reconhecer
mana
TEMPO de uma mentários.
data, consul-
tandoaula.
Uma calendáriodiass. da semana e meses do
(EF01MA17) Reconhecer
TEMPO
MATERIAIS ano, utilizando calendário,
Uma aula. do mês
Calendário quando
dias em necessário.
da semana
que e meses do
ano,
a atividade será realizada.
MATERIAIS utilizando calendário,
(EF01MA18)
quando Produzir a
necessário.
Calendário do mês
ORGANIZAÇÃO DA emde
TURMA
escrita queuma data, apre-
aAtividade
atividadeindiv
seráidual,
rsentando
ealizada.
como dia, o mês e o
as
ORGANIZAÇÃO
(EF01MA18)
crianças dispostas em oProduzir
ano, e indicar
DA TURMA dia da
a
se-
“U” para discus escrita de uma data, apre-
Atividade sões de
mana
individual,
sentando ecom
co-
uma data,
o dia, consul-
o mês eo
mentários. tandoecalendários.
as crianças dispostas em
ano, indicar o dia da se-
“U” para discusmana sões e co-
DESENVOLVIME
mentários. NTO EdeIN- uma data, consul-
DESENVOLVIMENTO E IN- A RESPOSTA DEPENDE DO MÊS EM QUE A ATIVIDADE SERÁ REALIZADA.
tando
TERVENÇÕES TERVENÇÕES calendários. A RESPOSTA DEPENDE DO MÊS EM QUE A ATIVIDADE SERÁ REALIZADA.

Essa atividade DESENVOLVIMENTO


DESENVOLVIME Essa
tem como
NTO atividade
E IN- tem como
E IN- A RESPOSTA DEPENDE DO MÊS EM QUE A ATIVIDADE SERÁ REALIZADA.
A RESPOSTA DEPENDE DO MÊS EM QUE A ATIVIDADE SERÁ REALIZADA.
TERVENÇÕES TERVENÇÕES
Essa atividade Essa
tem como
atividade tem como A RESPOSTA DEPENDE DO MÊS EM QUE A ATIVIDADE SERÁ REALIZADA.
A RESPOSTA DEPENDE DO MÊS EM QUE A ATIVIDADE SERÁ REALIZADA.
em que a atividade em que seráa atividade será
A RESPOSTA DEPENDE DO MÊS EM QUE A ATIVIDADE SERÁ REALIZADA.
realizada,dae a produção da
realizada, e a produção
escrita
em quedea uma escrita
data,que
atividade
em dea uma
com
será data, com
atividade será
A RESPOSTA DEPENDE DO MÊS EM QUE A ATIVIDADE SERÁ REALIZADA.
apresentação apresentação
do
realizada, e a produção dia, do
realizada, do dia, do
dae a produção da
mês e do
escrita deano. mêsdata,e do
uma escrita deano.
com uma data, com
apresentação do apresentação
dia, do do dia, do
calendário
mês e do ano. calendário
relativo
mês aoe do
mês relativo ao mês
ano.
vigente, peça que vigente, peçaprimeira
locali- célula do
que locali- primeira célulaVocê
calendário. do calendário. Você pode questionar:
pode questionar:
zem o dia da zem
semana
calendário relativo o
calendáriodia
rela-da —semana
No mês
ao mês relativo ao mês rela-
em que— No mês
estamos, ememque
qualestamos,
dia da em qualocorre
semana dia daosemana
dia 1º? ocorre o dia 1º?
vigente, peça que vigente, peça—primeira
locali- Quantos
que célula
locali- — Quantos
dias tem
do este mês?
primeira diasVocê
calendário.
célula tem este mês?
do calendário.
pode questionar:
Você pode questionar:
ozem
registram
o dia da ozem
nosemana registram
quadro. Elasda
o rela-
dia no—semana
quadro.
O Elas
mêsrela-
Noúltimo diaque
em desteOestamos,
— No último
mês dia
mês ocorre
em deste
emque
qual mêsda
emestamos,
que
dia ocorre
dia
semana
em emocorre
qual que
da semana? diaosemana
dia da da semana?
dia 1º? ocorre o dia 1º?
É— importante
Quantos diasque tem haja
esteum
— Quantos calendário
mês?
dias tem estena mês?
sala de aula ou que você reproduza o calendá-
1º não ocorre
o registram 1º
no quadro. nãoElas
onecessaria-
registramocorre necessaria-
no—quadro. Elas
mente no domingo mentee,no O último
se domingo dia deste
e, se —naO último
mês ocorre
dia deste
em que
mêsdia
ocorre
da semana?
em que dia da semana?
isso ocorrer,isso
não ocorre não ocorre
o número É importante
ocorrer,necessaria-
o número que haja um calendário na sala de aula ou que você reproduza o calendá-
1º não 1º
necessaria-
não na
1mente
não será
no domingo1mente
nãoe,será
registrado na
no registradoe, na
se domingo se
isso não ocorrer,issoo número
não ocorrer, o número
1 não será registrado
1 não será na registrado na
15 do
caderno
caderno do professorcaderno do professor 137
professor 245
15
MATEMÁTICA | 145
87
15 do
caderno
caderno do professorcaderno professor 137
do professor 15
um desses dias um
MATEMÁTICA | 87 e dos desses
me- dias e dos me-
ses do ano. Retome ses doo ano. dia Retome o dia
um desses em
da semana um
diasque
dae dos desses
me- em
semana
ocorreu diasque
e dos me-
ocorreu
ses
o diado1ºano. ses
Retome a do
o dia
e sinalize o ano.
1º dia Retome
e sinalize
impor- o dia
a impor-
da semana
tância em que
de observarda
tânciasemana
ocorreu
que de em queque
nãoobservar ocorreu
não
onecessariamente onecessariamente
dia 1º e sinalize dia
a impor-
ele 1º e sinalize ele
ocor- a impor-
ocor-
A RESPOSTA DEPENDE DA SEMANA EM QUE A ATIVIDADE SERÁ REALIZADA.
tância de observar
re no primeiro tância
re no
“quadrinho” de
nãoobservar
queprimeiro que não
“quadrinho”
A RESPOSTA DEPENDE DA SEMANA EM QUE A ATIVIDADE SERÁ REALIZADA. necessariamente
da esquerda para necessariamente
daele ocor- para ele
aesquerda
direita ocor-
a direita
re
danoprimeira
primeirolinhare
danoprimeira
doprimeiro
“quadrinho” “quadrinho”
ca- linha do ca-
da esquerda para da aesquerda
direita para a direita
da primeira
ocorrerá quando da
linha o primeira
do
dia ca-
ocorrerá linhao do
quando
1º dia ca-

for um domingo.for um domingo.
ocorrerá quandoocorrerá
o dia 1º quando o dia 1º
for um domingo.for um domingo.
AULA 7 – COMPARANDO
AULA 7 – COMPARANDO
COMPRIMENTOS COMPRIMENTOS
E ALTU- E ALTU-
AULA
RAS 7 – COMPARANDO
AULA
RAS 7 – COMPARANDO
COMPRIMENTOS
Conversa com o/aE profes-
ALTU-
COMPRIMENTOS
(EF01MA15) E ALTU-
Comparar
RAS
sor/a RAS
comprimentos, capacida-
Conversa
TEMPO
com o/a
des profes-
(EF01MA15)
ou massas, Comparar
utilizando
sor/a comprimentos,
termos como maiscapacida-
alto,
Uma aula. des ou massas, utilizando
TEMPO
MATERIAIS termos comomais
maisgrosso,
alto,
Uma aula. mais curto,
Quadro de giz.
MATERIAIS mais curto,
pesado,
ORGANIZAÇÃO DA TURMA maismais
leve,grosso,
cabe
Quadro de giz. mais, cabe menos, entre
Atividade individual, com
ORGANIZAÇÃO
as crianças dispostaspesado,
DA TURMA
outros, em maisordenar
para leve, obje-
cabe
Atividade individual,
“U” para discussões tos deecom
mais, cabe menos,
co- cotidiano.
uso entre
as crianças dispostas
mentários. outros, em
TEMPO
para ordenar obje-
“U” para discussões e co- cotidiano.
tos de uso
mentários.
(EF01MA15) Comparar
Uma
TEMPO
aula.
comprimentos, MATERIAIScapacida-
des ou massas,Uma
(EF01MA15) Comparar
aula.
utilizando
Quadro de giz.
comprimentos,
termos como MATERIAIS capacida-
mais alto,
ORGANIZAÇÃO DA TURMA
A CORDA 1 É A MAISACOMPRIDA.
CORDA 1 É A MAIS COMPRIDA. des ou massas,Quadro utilizandode individual,
giz.
termoscurto, comomais Atividade
mais alto, com
mais as grosso,
ORGANIZAÇÃO DA TURMA
crianças dispostas em
A CORDA 1 É A MAISACOMPRIDA.
CORDA 1 É A MAIS COMPRIDA.
Atividade individual, com
mais curto,
pesado, maismaisas grosso,
“U”
leve, para
cabediscussões
crianças dispostase emco-
mentários.
mais, cabe menos, entre
pesado,
outros, para “U”
leve,para
maisordenar cabediscussões e co-
obje-
mais,
tos de uso mentários.
cabecotidiano.
menos, entre
outros, para ordenar obje-
tos de uso cotidiano.
DESENVOLVIMENTO DESENVOLVIMENTO
E IN- E IN-
TERVENÇÕES TERVENÇÕES
- DESENVOLVIMENTO - DESENVOLVIMENTO
E IN- E IN-
rios e os resultados. As atividades
As atividades apresentam apresentam
TERVENÇÕES
situações para TERVENÇÕES
-- situações para comparação
- comparação
rios e os resultados. de atividades- apresentam
As comprimentos. As comprimentos.
de atividades apresentam
- situações para comparação
situações
A Atividade- 1AapresentaAtividade para 1comparação
apresenta
localizem, no calendário, a segunda-feira correspondente a essa semana. de comprimentos. de comprimentos.
a ilustração de atrês ilustração
cordas de três cordas
O QUE APRENDEMOS HOJE?
localizem, no calendário, a segunda-feira correspondente a essa semana. Apara
Atividade apresenta
1Apara
que as crianças que 1 apresenta
com-as crianças
Atividade com-
aparem
ilustração de três
a cordas
ilustração de
parem os comprimentos
os comprimentos três cordas
O QUE APRENDEMOS HOJE? para que as crianças
para que com-as crianças com-
parem os comprimentos
parem os comprimentos
246 caderno
138 caderno do professor
do professor
88 | MATEMÁTICA
146

e identifiquem qual delas é


a mais comprida. Além
disso, propõe a comparação
SIM
do comprimento dessa SIM, POIS O COMPRIMENTO DA CORDA É MAIOR QUE A ALTURA DE GABRIEL.
corda com a altura de
Gabriel. Proponha a resolu-
ção da atividade e observe
os procedimentos que elas
utilizam para fazer as GABRIEL - UEVERTON - ALICE - JULIANA - MARCELO.
comparações e chegar às
suas conclusões. Estabeleça
uma roda de conversa para
que exponham suas ideias
e garanta que, em casos de
discordância, as crianças
solicitem o direito à palavra
e o respeito às ideias dos
colegas. Peça que resolvam
a Atividade 2 e socialize os
resultados.

O QUE APRENDEMOS
HOJE? 1 REAL 10 CENTAVOS

Ao final da aula, proponha


às crianças a comparação de
50 CENTAVOS 10 CENTAVOS
comprimentos de objetos
presentes na sala de aula
pela percepção visual e, em
caso de comprimentos 25 CENTAVOS 5 CENTAVOS
próximos, comente sobre a
necessidade da medição,
que pode ser feita com a 25 CENTAVOS
ajuda de instrumentos
como fitas métricas, e por
palmos, passos ou com o
auxílio de um pedaço de
barbante, por exemplo.

aula 8 – os valores
das moeda
(EF01MA19) Reconhecer
e relacionar valores de
moedas e cédulas do sistema
monetário brasileiro para
resolver situações simples DESENVOLVIMENTO E INTERVENÇÕES
do cotidiano do estudante.
As atividades têm como objetivo o reconhecimento das moedas do sistema monetário
brasileiro que estão em circulação. Dessa forma, os/as estudantes podem relacionar os
valores para resolver problemas.
cadernodo
caderno professor 247
do professor 139
17
MATEMÁTICA | 147
89

Na Atividade 3, proponha

-
tes maneiras de fazer a

diferentes possibilidades
e apresente algumas que
não tenham sido sugeridas
pela turma.
O QUE APRENDEMOS
HOJE?

as moedas que estão em


circulação e proponha às
crianças algumas trocas.
Incentive-as na recitação
de 10 em 10, de 50 em 50,
para facilitar contagens de
valores de moedas.

9 REAIS

DUAS MOEDAS DE 50 CENTAVOS; QUATRO MOEDAS DE 25 CENTAVOS; UMA MOEDA DE


50 CENTAVOS E DUAS MOEDAS DE 25 CENTAVOS; DEZ MOEDAS DE 10 CENTAVOS; E
OUTRAS POSSIBILIDADES.

brasileiro e seus valores.


Proponha que resolvam a Atividade 1 -

moedas de 25 centavos são necessárias para realizar uma troca por uma moeda de 50
centavos? Quantas moedas de 10 centavos equivalem a uma moeda de 50 centavos?
Na Atividade 2, as crianças devem fazer a contagem dos valores das moedas para des-
cobrir quantos reais Gabriel e Juliana juntaram, que foi 9 reais. Observe se fazem agrupa-
mentos de duas moedas de 50 centavos para ter 1 real e, assim, facilitar a contagem.
140
248
18 caderno
cadernodo 18 caderno do professor
doprofessor
professor
90 | MATEMÁTICA
148
140
18 caderno
caderno do 18 caderno do professor
doprofessor
professor
AULA 9 – O QUE
AULAPODE
9 – O QUE 90PODE
ACONTECER ACONTECER
DURANTE DURANTE
| MATEMÁTICA

UMA caminhada
AULA UMAPODE
9 – O QUE
AULA caminhada
9 – O QUE PODE
ACONTECER
(EF01MA20) Conversa
ACONTECER
DURANTE com DURANTE
o/a profes-
UMA sor/a
caminhada
UMA caminhada
eventos envolvendo o
acaso, tais como
(EF01MA20) Conversa
TEMPO“aconte- com o/a profes-
cerá com envo
eventos sor/a
Uma “talve
certeza”,
lvendo aula.o z
acaso, tais como TEMPO
ORGANIZAÇÃO
“aconte- DA TURMA
acontecer”,
cerá emUma
com certeza”, aula. zcoletiva, com as
situações
Atividade
“talve
do cotidiano. ORGANIZAÇÃO
crianças dispostas em “U”
DA TURMA
acontecer”,
TEMPO em para discussões
situações
Atividade coletiva, com e comen- as
do cotidiano.
Uma aula. crianças dispostas em deve
tários. Essa orientação “U”
TEMPO
ser analisada
para discussões considerando
e comen-
ORGANIZAÇÃO DA as orientações
TURMA
tários. Essa de distancia-
orientação deve
Uma aula. coletivmento
Atividade comsocial vigentes.
sera,analisada as considerando
crianças dispostas
ORGANIZAÇÃO DA em “U” de distancia-
as(EF01MA20)
orientações
TURMA
Atividade coletivmento
para discussões a,e com social
comen-
eventos vigentes.
as envolvendo o
crianças
tários. dispostas em “U ”
acaso, tais como “aconte-
para (EF01MA20)
discussões cerá e comen-
DESENVOLVIMENTO eventos Ecom certeza”, “talvez
IN-envolvendo o
tários.
TERVENÇÕES acaso, tais como “aconte-
Essa atividade cerá
DESENVOLVIMENTO acontecer”,
tem Ecom em situações
IN- certeza”,
como “talvez
TERVENÇÕES
objetivo a análise do das
cotidiano.
ima-
Essa pelas criacontecer”,
gens,atividade anças,
tem como queem situações
DESENVOLVIMENTO E IN-
do cotidiano.
das ima--
objetivo a análiseTERVENÇÕES
ções como
gens, pelas“acontecerá
crianças, com
Essa atividade
que tem Ecomo
certeza”, “talvezDESENVOLVIMENTO
aconteça” e
objetivo a- análise
IN-
das ima-
TERVENÇÕES
ções como “acontecerá gens,atividade
Essa pelas crianças,
com tem como que
Inicie uma
certeza”, conversa
“talvez aconteça” come -
elas e solicite queobjetivo a análise das ima-
çõesrelatem
gens, como
pelas “acontecerá
crianças, com
que
um fato
Inicie umaqueconversa
accerteza”,
onteceu com no aconteça” e
“talvez
dia de hoje e se, antes de -
elas e solicite que ções relatem
como “acontecerá com
ocorrer,
fato achavam que acon-
Inicie umano conversa
um
teceria.
que accerteza”,
Peça
onteceu
também “talvez
que aconteça”com e
dia de hoje e se, elas e solicite
antes de que relatem
relatemachavam
algo qum ue
queespera-
fato queconversa
aconteceu
ocorrer,
vam acontecer Inicie acon-
uma comno
teceria. Peça também dianão
e
elas de
e
acon-
hoje eque
que
solicite se, relatem
antes de
teceu. E, algo
relatem ainda,queqocorrer,
ueespera-
descre- achavam que acon-
vam um evento um fato têm
que que aconteceu no
vam acontecer dia eteceria.
não
de acon-Peçae se,
hoje também
antes que
de
certezaE,de
teceu. queqnão
ainda, aconte-
relatem
ue descre- algo que espera-
cerá no ocorrer, achavam que acon-
vam umdia de hoje.
evento vamquePromo-
teceria. acontecer
têm
Peça tambéme não acon-
que
va uma convers
certeza de que não teceu.
a sobre
relatem E,algo
aconte- ainda,
os que queespera-
descre-
cerá no dia de hoje. vamPromo-
vam um evento
acontecer e nãoqueacon-têm
têmuma
va a mesma certeza E, de
aapreciação.
conversteceu. sobre osqueao
ainda, não
que aconte-
descre-
item D, pode haver alguma criança que diga “isso acontecerá com certeza”, pois é
cerá no
vam umdia de hoje.
evento quePromo-
têm
têm a mesma certeza va umadeconversa
apreciação. queaonão sobre
aconte- os
item D, pode haver alguma criança que diga “isso acontecerá com certeza”, pois é
cerá no dia de - hoje. Promo-
possibilidade, porém muito pequena,
possibilidade, pois não
porém muito é comum
pequena, poisisso
nãoocorrer.
é comum isso ocorrer.
vatêmuma a mesma
conversaapreciação.
sobre os
- possibilidade,
suas hipóteses asuas
partir
porém dos pequena,
muito
possibilidade, comentários
hipóteses a partir
porém pois
muitodos
dos
nãocolegas.
comentários
é comum
pequena, dos
poisisso colegas.
nãoocorrer.
é comum isso ocorrer.
têm a mesma apreciação.
-
suas hipóteses asuas partirhipóteses
dos comentários doscomentários
a partir dos colegas. dos colegas.
-
19 do
caderno
caderno do professorcaderno professor 249
do professor 141
19
MATEMÁTICA | 149
91
19 do
caderno
caderno do professorcaderno professor 141
do professor 19
AULA
MATEMÁTICA | 91 10 – ASAULA
BRINCA-
10 – AS BRINCA-
DEIRAS INFANTIS DEIRAS
E OSINFANTIS E OS
AULA 10 – ASNÚMEROS
NÚMEROS AULA
BRINCA-
10 – AS BRINCA-
DEIRAS INFANTIS
DEIRAS
Conversa com o/a profes-E OSINFANTIS E OS
NÚMEROS
sor/a NÚMEROS
(EF01MA08) Resolver e
Conversa com elaborar
TEMPO o/a profes-
problemas de adi-
sor/a (EF01MA08)
ção Resolver
e de subtração, envol-e
Uma aula. elaborar
vendo problemas
números dedois
de até adi-
TEMPO ção e de subtração, envol-
MATERIAIS -
Uma aula.
Quadro de giz para vendo
cados registro
números
de juntar,de até dois
acrescen-
dos comentáriostar,
MATERIAIS e de pro- e retirar, com-
separar
Quadro de giz
cedimentos para
utilizados.
cados registro
o suporte de de juntar, acrescen-
imagens e/ou
dos comentários
ORGANIZAÇÃO DA TURMA e
tar,
material de pro-
separar e retirar,
manipulável, com
utili-
cedimentos
Atividade emutilizados.
o suporte
zando
duplas, comde imagens
estratégias e/ou
e formas
asORGANIZAÇÃO de
crianças dispostas material
DAregistro
TURMA manipulável,
em pessoais. utili-
Atividade
“U” zando
em duplas,
para discussões estratégias
e com
co- e formas
TEMPO
de registro pessoais.
as criançasEssa
mentários. dispostas
orientação
Uma aula. em
“U” para
deve ser discussões
analisada TEMPOecon- co-
mentários.asEssaorientações
siderando orientação
MATERIAIS
Uma aula.
dedeve ser analisada
distanciamento Quadro con-
social
de giz para registro
siderando as dos
vigentes. orientações
MATERIAIS
comen tários e de pro-
de distanciamento Quadro
cedimentos social
de giz para registro
utilizados.
(EF01MA08)
vigentes. Resolver
dos comen e tários e de pro-
elaborar problemas de adi- utilizados.
cedimentos
ORGANIZAÇÃO DA TURMA
ção e de subtração,
(EF01MA08) Resolver
envol- e
Atividade em duplas, com
elaborar
vendo problemas
números de
as atédedois
ORGANIZAÇÃO
criançasadi- dispostas
DA TURMA em
5 + 3 + 2 = 10 CRIANÇAS
ção e de subtração, Atividadeenvol- -
“U” para discussões e com
em duplas, co-
5 + 3 + 2 = 10 CRIANÇAS
vendodenúmeros
cados de até dois dispostas em
juntar,mentários.
asacrescen-
crianças
tar, separar e retirar, “U” para -
comdiscussões e co-
cados de juntar,
o suporte de imagens acrescen-
mentários. e/ou
DESENVOLVIMENTO E IN-
tar, separar
material e TERVENÇÕES
retirar,utili-
manipulável, com
o suporte de
zando estratégias imagens e/ou
e formas tem comoE ob-
ADESENVOLVIMENTO
atividade IN-
dematerial
registromanipulável,
pessoais.TERVENÇÕES utili-
jetivo a solução de proble-
zando estratégias e do
formas
A atividade
PEDRO FALOU 60. mas
de registro pessoais.
DESENVOLVIMENTO IN- tem
E campo comocom
aditivo ob-
TERVENÇÕES jetivo a solução de proble- -
PEDRO FALOU 60. A atividade tem como ob-
DESENVOLVIMENTO mas
ção edoE decampo
IN- aditivo
transformação, com
jetivo a soluçãobem
TERVENÇÕES como de ideias de-
de proble-
A atividade
mas do campotem ção
juntar
como
aditivo e ecomde
ob- transformação,
acrescentar.
jetivo a soluçãoIniciebem como
de proble- de ideiascom
uma- conversa de
masedode
ção campo juntar
asaditivo
transformação, e
crianças acrescentar.
come questione se
bem como de ideias deo- hábito
Inicie
elas têm uma conversade com
pu-
ção e de transformação,
juntar acrescentar. as crianças e questione se
O QUE APRENDEMOS HOJE? bem como de ideias
elas
positiva,
Inicie uma conversa com têm de
o hábito
pergunte decomopu-
asjuntar e acrescentar.
crianças procedemsepara realizar a
e questione
O QUE APRENDEMOS HOJE? Inicie
elas têmuma positiva,
conversa
o hábito de compu-pergunte como -
que nunca vimos ou presenciamos e que, por isso, podemos considerar que as crianças
nunca procedem
solvam
ocor-e questione se os para
três realizar
problemas a
elas têm pergunte
positiva, e
o hábito de socialize
como pu- as estratégias -
que nunca vimos ou presenciamos e que, por isso, podemos considerar que nunca ocor-
procedem solvam
para realizar a os três problemas
positiva, pergunte e socialize
como- as estratégias
procedem
solvam paraproblemas
os três realizar a
e socialize as estratégias-
solvam os três problemas
e socialize as estratégias
250
142
20 caderno do
cadernodo 20 caderno do professor
professor
doprofessor
professor
92| |MATEMÁTICA
150 MATEMÁTICA

observadas, especialmente
observadas, especialmente
as que possam trazer
as queavan-
possam trazer avan-
ços na aprendizagem
ços na das
aprendizagem das
crianças. crianças.
O QUE APRENDEMOS
O QUE APRENDEMOS
HOJE? HOJE?
ELE AINDA PRECISA DAR
ELE AINDA
11 PULOS.
PRECISA DAR 11 PULOS.
Promova uma Promovaconversa uma conversa
com as criançascom sobre
as si-
crianças sobre si-
tuações que já tuações
ocorreram
que já ocorreram
no dia da aula enoproponha
dia da aula e proponha
a criação de umaproblema.
criação de um problema.
Retome com elas Retome
a impor-
com elas a impor-
tância de, encontrada
tância de,a encontrada a
solução de um solução
problema,
de um problema,

de acordo comdeasacordo
infor- com as infor-
mações e se está
mações
em con-e se está em con-
formidade com formidade
o que foi com o que foi
proposto (procedimento
proposto (procedimento
da validação). da validação).
caderno do professor 251
143

SUGESTÕESPARA
SUGESTÕES DE ATIVIDADES DE ATIVIDADES PARA A COMPLEMENTAÇÃO
A COMPLEMENTAÇÃO DAS AULAS COM ODAS AULAS COM O EMAI
EMAI

HABILIDADES HABILIDADES SEQUÊNCIA


SEQUÊNCIA NO EMAI – 1º ANONO EMAI2 – 1º ANO
– VOL. – VOL. 2
ATIVIDADE(S) ATIVIDADE(S)
(EF01MA08) Resolver e elaborar problemas de adição e de
subtração, envolvendo números de até dois algarismos, com
20.3 20.3
Sequência 20 Sequência 20 20.4 20.4
o suporte de imagens e/ou material manipulável, utilizando
20.5 20.5
estratégias e formas de registro pessoais.

no espaço segundo um dado ponto de referência, compreen-


dendo que, para a utilização de termos que se referem à posi- Sequência 21 Sequência 21 21.2 21.2
ção, como direita, esquerda, em cima, em baixo, é necessário
explicitar-se o referencial.
(EF01MA15) Comparar comprimentos, capacidades ou
massas, utilizando termos como mais alto, mais baixo, mais Sequência 18 Sequência 18 18.1 a 18.5 18.1 a 18.5
Sequência 19 Sequência 19 19.1 19.1
pesado, mais leve, cabe mais, cabe menos, entre outros, para

(EF01MA17) Reconhecer e relacionar períodos do dia, dias


da semana e meses do ano, utilizando calendário, quando 19.3 19.3
necessário. 19.4 19.4
Sequência 19 Sequência 19
(EF01MA18) Produzir a escrita de uma data, apresentando o 19.5 19.5
dia, o mês e o ano, e indicar o dia da semana de uma data,
consultando calendários.

“acontecerá com certeza”, “talvez aconteça” e “é impossível Sequência 21 Sequência 21 21.3 21.3
acontecer”, em situações do cotidiano.

IMAGENS E ILUSTRAÇÕES
IMAGENS E ILUSTRAÇÕES
pixabay.com - freepik.com
pixabay.com - freepik.com
252
146 caderno do professor

Olá, Professor! Olá, Professora!


Olá, Professor! Olá, Professora!
Esta sequência didática é organizada por meio de atividades ordenadas, estruturadas e articuladas a partir de habilida-

sala de aula. A proposição deste material é recuperar a aprendizagem no retorno às aulas presenciais, bem como atender às
habilidades previstas no Currículo Paulista. A sequência é proposta para ser desenvolvida em 10 aulas e traz recomendações
e sugestões de intervenções, de modo a atender às necessidades de aprendizagem de todos os estudantes. Esta sequência
prevê a retomada de habilidades essenciais das diferentes unidades temáticas que compõem o ensino da Matemática, como:
Números, Álgebra, Geometria,
Números, Grandezas
Álgebra, e medidas
Geometria, e Probabilidade
Grandezas e medidaseeestatística.
Probabilidade e estatística.
As atividades apresentadas nesta
As atividades sequência consideram
apresentadas as seguintes
nesta sequência habilidades
consideram do Currículo
as seguintes Paulista:
habilidades do Currículo Paulista:

Aulas em que as
Habilidades Habilidades habilidades são
trabalhadas

Leitura, escrita e comparação


Leitura, escrita
de números
e comparação
natu- de números natu-
até 100 unidades eaté
apresentar
100 unidades
o resultado
e apresentar
por registros
o resultado por registros
rais (até 100). rais (até 100).
verbais e simbólicos,
verbais
em situações
e simbólicos,
de seu
eminteresse,
situações de seu interesse,
Aula 1 Aula 1
Reta numérica. Reta numérica.
outros. outros.

(EF01MA06) Construir (EF01MA06)


fatos fundamentais
Construir fatos
da adição
fundamentais
e da adição e
Construção de fatosConstrução
fundamentais
de fatos
da adição.
fundamentaisutilizá-los
da adição.em procedimentos
utilizá-los em
de procedimentos
cálculo para resolver
de cálculo para resolver
Aula 2 Aula 2
problemas. problemas.

(EF01MA15) Comparar(EF01MA15)
comprimentos,
Compararcapacidades
comprimentos,
ou capacidades ou
Medidas de comprimento,
Medidasmassa
de comprimento,
e capacida- massamassas,
e capacida-
utilizando massas,
termos como
utilizando
mais termos
alto, mais
como
baixo,
mais alto, mais baixo,
de: comparações ede:
unidades
comparações
de medida
e unidades
não de medida não Aula 3 Aula 3
convencionais. convencionais. largo, mais pesado,largo,
mais mais
leve, pesado,
cabe mais,
mais
cabe
leve,
menos,
cabe mais, cabe menos,

EF01MA08) Resolver EF01MA08)


e elaborarResolver
problemas
e elaborar
de adiçãoproblemas
e de adição e
de subtração, envolvendo
de subtração,
númerosenvolvendo
de até dois
números
algaris-de até dois algaris-
Aulas 2, 4 e 8
separar, retirar). separar, retirar). retirar, com o suporte
retirar,
de imagens
com o suporte
e/ou material
de imagens
manipu-
e/ou material manipu-
lável, utilizando estratégias
lável, utilizando
e formasestratégias
de registroe formas
pessoais.
de registro pessoais.

Figuras geométricas
Figuras
espaciais:
geométricas
reconhecimento
espaciais:e reconhecimento e
Aula 5 Aula 5
familiares do mundo
familiares
físico. do mundo físico.

Figuras geométricas
Figuras
planas:
geométricas
reconhecimento
planas: reconhecimento
quadrado, retânguloquadrado,
e triângulo)
retângulo
em desenhos
e triângulo)
apresen-
em desenhos apresen-
Aula 5 Aula 5
tados em diferentestados
disposições
em diferentes
ou em disposições
contornos deou em contornos de
espaciais. espaciais.
faces de sólidos geométricos.
faces de sólidos geométricos.
caderno do professor 147
253

,a(EF01MA17) p ran(EF01MA17)
id od sodoíreReconhecer receReconhecer
oicaleer erelacionar R )71eAM
hnoceperíodos relacionar
do FE( períodos do dia,
10dia,
Medidas de tempo: unidades de medida de ed adidem ed sedadinu :opmet ed sadideM
6 aluA ,odias
irádnda
elasemana tdias
u ,onda
c odnazeilimeses osemana
ado dano, meemeses
seseutilizando do
s aano,
d saiutilizando
anamecalendário,
d calendário,
Aula 6 Aula 6
tempo, suas relações e o uso do calendário. .oirádnelac od osu o e seõçaler saus ,opmet
quando necessário.quando necessário. .oirássecen odnauq

- - -
7 aluA Aula 7 Aula 7
simples. cos de colunas
cos de colunas simples. .selpsimples.
mis sanuloc ed soc .selpmis

Sistema monetário brasileiro:sad(EF01MA19)


eom ed serolReconhecer
av ran(EF01MA19)
oicaleer erelacionar
receReconhecer
hnocevalores
R )91eAde
M 1moedas
0FE( valores de moedas:orielisarb oirátenom ametsiS
relacionar
9 aluAde cédulas e moedas.
reconhecimento revelocédulas
ser arapdoorsistema
ielisarebcédulas
omonetário
irátenodomsistema
abrasileiro
metsismonetário
odpara
saluresolver
décbrasileiro
e .saAula
deom
para resolver9 e saludéc edAula
otne9micehnocer
situações.esimples
tnadutsedo odcotidiano
onaidisimples
situações tocdo
odestudante.
sedo
lpm is seõçaudo
cotidiano tisestudante.

Noção de acaso.
01 aluA é“ e ”a“acontecerá
como acomo
çetnoca zevlcom z“acontecerá
t“ ,”acerteza”, oc árcom
etrec m“talvez etncerteza”,
ecaconteça”
oca“ ome“talvez
o“éc aconteça”Aula
e “é 10 .os10
Aula aca ed oãçoN
c od seimpossível
.onaiditoacontecer”,
impossível õçaem meacontecer”,
utissituações
,”recetdo caem
levísituações
ssopmi do cotidiano.
nocotidiano.
3 do
caderno
caderno do professorcaderno professor 149
do professor 2553
MATEMÁTICA | 151
95

AULA 1 - as miniaturas
AULA 1 - as miniaturas
de gabriel de gabriel
Conversa com o/a profes-
sor/a (EF01MA04) Contar a
TEMPO quantidade de objetos de
Uma aula. coleções até 100 unidades
MATERIAIS e apresentar o resultado
por registros verbais e sim-
na parede da sala de aula,
bólicos, em situações de
em altura que possibilite como jogos,
seu interesse,
que as crianças brincadeiras,
possam vi- materiais da
sualizá-lo adequadamente
sala de aula, entre outros.
e, inclusive, indicar
TEMPO os nú-
meros. Uma aula.
ORGANIZAÇÃO DA TURMA
MATERIAIS
Atividade individual, com
as crianças dispostas em
U para as discussões e co- da sala de aula,
na parede
mentários. em altura que possibilite
que as crianças possam vi-
Contar aadequadamente
(EF01MA04) sualizá-lo
quantidade de objetos de indicar os nú-
e, inclusive,
coleções até 100meros.
unidades
e apresentar oORGANIZAÇÃO
resultado DA TURMA
por registros verbais e sim-
Atividade
bólicos, em situações de individual, com
25 25 seu interesse, como jogos, dispostas em
as crianças
U para as
brincadeiras, materiais dadiscussões e co-
mentários.
sala de aula, entre outros.
DESENVOLVIMENTO
DESENVOLVIMENTO
E IN- E IN-
TERVENÇÕES TERVENÇÕES
Estas atividadesEstas
têm oatividades
ob- têm o ob-
2 GRUPOS DE210
GRUPOS
E UM GRUPO
DE 10 EDE
UM5. GRUPO DE 5. jetivo de as crianças
jetivodeter-
de as crianças deter-
minarem a quantidade
minaremdea quantidade de
objetos de umaobjetos
coleçãodee uma coleção e
registrarem o resultado por o resultado por
registrarem
meio de algarismos.
meio de algarismos.
Inicie uma conversa comconversa com os/
Inicie uma
os estudantes sobre cole-
as estudantes sobre cole-
ções e pergunteções
se alguém
e pergunte se alguém
coleciona algo ecoleciona
o que, oualgo e o que, ou
se conhece alguémse que co- alguém que
conhece
lecione. colecione.
Faça uma leitura Façacompar-
uma leitura compar-

Atividade 1. Solicite que 1. Solicite que


Atividade
observem a ilustração e de-a ilustração e de-
observem
terminem a quantidade
terminem dea quantidade de
miniaturas da coleção de da coleção de
miniaturas
Gabriel. Gabriel.
256
150
4 caderno
caderno do 4 caderno do professor
doprofessor
professor
96 | MATEMÁTICA
152

Para realizar a Para


contagem,
realizar a contagem,
as crianças devem
as crianças
apoiar- devem apoiar-
-se na sequência-senumérica
na sequência numérica
e estabelecer euma estabelecer
cor- uma cor-
respondência entre
respondência
cada entre cada
elemento (ou desenho
elementodo(ou desenho do
elemento) dessaelemento)
coleção a dessa coleção a
um número, respeitando
um número, respeitando
a ordem da sequência
a ordemnu- da sequência nu-
mérica dos números
méricanatu-
dos números natu-
rais. rais.
/as - -
tes a recitação da
tessequên-
a recitação da sequên-
cia numérica deve
cia ser uma deve ser uma
numérica
atividade rotineira, assimrotineira, assim
atividade
como fazer associações dos associações dos
como fazer
números aos elementos
númerosde aos elementos de
uma coleção. Socialize o re- Socialize o re-
uma coleção.
sultado. sultado.
Peça que resolvam
Peçaa Ativi-
que resolvam a Ativi-
dade 2 e compartilhem
dade 2 eoscompartilhem os
procedimentos. procedimentos.
Você pode Você pode DE 25 MINIATURAS.
DE 25 MINIATURAS.
reproduzir o desenho
reproduzirno o desenho no

alguma criançaalguma
observoucriança observou
a organização dos
a organização
quadra- dos quadra-
dos no tapete edos
contou
no tapete
de e contou de
5 em 5. Garanta5a em
apresen-
5. Garanta a apresen-
tação dessa estratégia
tação dessa
na estratégia na
socialização. socialização.
O QUE APRENDEMOS
O QUE APRENDEMOS
HOJE? HOJE?

uma roda de recitação


uma roda dede recitação de
um em um, deumdois emem um, de dois em
dois e de cincodoisem ecinco
de cinco em cinco
para que os para estudantes
que os estudantes
ampliem o repertório
ampliememo repertório em
procedimentos procedimentos
de conta- de conta-
gem de elementos gemdedeumaelementos de uma
coleção. Retomecoleção.
a impor-Retome a impor-
tância de observar
tância
como deos
observar como os
elementos de uma elementos
coleção de uma coleção
estão dispostos eestão
de buscar
dispostos e de buscar
estratégias que estratégias
facilitem a que facilitem a
contagem. contagem.
5 do
caderno
caderno do professorcaderno do professor 2575
professor 151
MATEMÁTICA | 153
97

AULA 2 - OS CÁLCULOS
AULA 2 - OS CÁLCULOS
QUE JULIANA REALIZOU
QUE JULIANA REALIZOU
Conversa com o/a profes-
sor/a
TEMPO (EF01MA06) Construir
Uma aula. fatos fundamentais da adi-
MATERIAIS ção e utilizá-los em proce-
dimentos
Quadro de giz para repro-de cálculo para
resolver
dução das cartelas. problemas.
TEMPO
ORGANIZAÇÃO DA TURMA
Atividade coletiva, com
Uma aula.
MATERIAIS
as crianças dispostas em
U para as discussões e co-
mentários. Quadro de giz para repro-
dução das cartelas.
Construir DA TURMA
(EF01MA06) ORGANIZAÇÃO
fatos fundamentais da adi- coletiva, com
Atividade
ção e utilizá-los as
emcrianças
proce- dispostas em
dimentos de cálculo
U parapara
as discussões e co-
resolver problemas.
mentários.
DESENVOLVIMENTO E IN-
DESENVOLVIMENTO E IN-
TERVENÇÕES TERVENÇÕES
As atividades têm
As oatividades
objeti- têm o objeti-
vo de as crianças
vo constru-
de as crianças constru-
írem fatos fundamentais
írem fatos fundamentais
da adição e realizarem
da adiçãocál-e realizarem cál-
culos que possam ter apoio
culos que possam ter apoio
em tais fatos. em tais fatos.
Solicite que resolvam a resolvam a
Solicite que
Atividade 1 e socialize
Atividade os 1 e socialize os
resultados. resultados.
6258 caderno
152 cadernodo 6 caderno do professor
doprofessor
professor
98 | MATEMÁTICA
154

Para a Atividade
Para2,apeça
Atividade 2, peça
que resolvam umque item
resolvam
e um item e
aguardem a socialização
aguardem a socialização
para dar continuidade
para daraoscontinuidade aos
demais. Promovademais.
uma dis-
Promova uma dis-
cussão após a cussão
realização
após a realização 8
8
9
9
de cada item para
de cada
que ositem para que os
comentários e observações
comentários e observações
possam colaborar
possam
para colaborar
a para a
resolução dos demais.
resoluçãoNados demais. Na 12 12 13 13
socialização desocialização
procedi- de procedi-
mentos e resultados,
mentos ve-e resultados, ve-

16 16 17 17
que o resultadoquede 6o +resultado
6 de 6 + 6
- -
minar o resultado
minar
de 6o+resultado
7, de 6 + 7,
pois 6 + 7 = 6 pois
+6+ 6+ 1 e,
7 = 6 + 6 + 1 e,
2 2 20 20
portanto, é igualportanto,
a 12 + 1é igual a 12 + 1
= 13; o resultado
= de13;2o+resultado
3 de 2 + 3
= 5 possibilita encontrar
= 5 possibilita
o encontrar o
resultado de 20 +
resultado
30 = 50.de 20 + 30 = 50.
Caso as relaçõesCaso
não sejam
as relações não sejam 3 3 30 30

grupo para que os


grupo
fatospara
bá- que os fatos bá-
sicos construídossicos
possibili-
construídos possibili-
tem obter os resultados
tem obterdeos resultados de 5 5 50 50
cálculos que podem
cálculosestar
que podem estar
apoiados neles. apoiados neles.
O QUE APRENDEMOS
O QUE APRENDEMOS
HOJE? HOJE? 7
7
70
70

com as criançascomas obser-


as crianças as obser-
vações realizadasvações
e escreva
realizadas e escreva
no quadro, adições
no quadro,
para adições para
obter resultadosobter
a partir
resultados a partir
de resultados conhecidos.
de resultados conhecidos.
Você pode escrever
Você4pode
+ 4 escrever 4 + 4
= 8 e pedir que= deem
8 e pedir
os que deem os
resultados de 4resultados
+ 5 e de de 4 + 5 e de
40 + 40. 40 + 40.
7 do
caderno
caderno do professorcaderno professor 153
do professor 2597
MATEMÁTICA | 155
99

Espera-se que os/as estudantes observem que: saber o resultado de 1 + 1 ajuda a calcular 10 + 10,

pois basta acrescentar o zero; saber os resultados de 5 + 5 e 7 + 7, respectivamente podem ajudar a

calcular os resultados de 5 + 6 e 7 + 8, pois foi acrescentada apenas uma unidade no segundo número

de cada sentença.
260caderno
154 cadernodo 8 caderno do professor
do professor
100 | MATEMÁTICA
156

AULA 3 - AULA 3 - quem é mais


COMPARANDO leve? quem é mais pe-
ALTURAS
sado?
NA FAMÍLIA DE JULIANA
E GABRIEL Conversa
sor/a
com o/a profes-

(EF01MA15) TEMPO
Comparar
comprimentos, Uma aula.
capacida-
des ou massas,MATERIAIS
utilizando
termos como Quadro
mais alto,
de giz.
mais curto, maisORGANIZAÇÃO
grosso, DA TURMA
Atividade em duplas, com
pesado, mais as crianças
leve, cabe dispostas em U
para asentre
mais, cabe menos, discussões e comen-
tários. obje-
outros, para ordenar
tos de uso cotidiano.
(EF01MA15) Comparar
TEMPO comprimentos, capacida-
Uma aula. des ou massas, utilizando
termos como mais alto,
MATERIAIS
Quadro de giz. mais curto, mais grosso,
ORGANIZAÇÃO DA TURMA
mais leve, cabe Visualmente, Jorge parece ter a maior altura.
pesado,com
Atividade em duplas,
mais,em
as crianças dispostas cabe
U menos, entre
para as discussões e comen- ordenar obje-
outros, para
tários. tos de uso cotidiano.
Visualmente, Juliana e Gabriel parecem ter a menor altura.
DESENVOLVIMENTO E IN-
DESENVOLVIMENTO E IN-
TERVENÇÕES TERVENÇÕES
A atividade apreAsenta
atividade
situ- apresenta situ-
ações para
ações para comparação decomparação de
massas e comprimentos.
massas e comprimentos.

dos familiares dedosJuliana


familiares de Juliana
e Gabriel. Na Atividade
e Gabriel. Na Atividade
1 1 - -
çasque,
ças e solicite para e solicite
em para que, em
duplas, decidamduplas,
quem decidam
éa quem é a
pessoa mais altapessoa mais leve represen-
represen-
tadae quem
tada na ilustração na ilustração e quem
é a mais baixa.é a mais pesada. Para a
da Ativi- da Atividade
Para a realizaçãorealização
dade 2, com antecedên-
2, pergunte se sabem qual
cia, peça às crianças que de cada um (no
é a massa
pesquisem a sua dia aaltura
dia, é comumcadautilizar
um. Se possível, promova a medição das alturas das crianças. Proponha que
com seus familiares
a palavraoupeso realizem
para fazeruma pesquisa com quatro funcionár