Você está na página 1de 2

Parte 1

Natureza da Doença: pg 53

" A saber: O contágio e a precipitada invasão da morte" - Existia uma imensa


dificulda em definir a peste, dificuldade essa que se mantêm ainda hoje.

-> Definição (p 53): A elevada mortandade/ taxa de mortalidade era um dos aspectos
mais importantes para definir a peste, ao passo que actualmente o mais importante
de saber é qual o agente microbiano.

embora lhe dotassem de "qualidade oculta", associando a peste a existência de algo


que não se via, o conceito de microrganismo só viria a aparecer muito mais tarde,
no séc XX.

-> Condição e Costume (p 55)

Castro teoriza que as mulheres e crianças são mais susceptíveis à infecção, porém
não apresenta, pelo menos neste tratado qualquer explicação para tal. No entanto
existe subentende-se, pois era conhecimento comum na época, que a natureza física
feminina era diferente da masculina, postulando-se que a textura da carne de um era
diferente do outro. No caso das crianças refere apenas que são mais debeís.

-> Causas (p 55):

Para além da vontade divina, algo que mais tarde diz que não lhe compete a ele
discutir mas sim aos teólogos (salvam almas), Castro enumera 3 causas naturais para
a peste:

poderia ser por causa de corpos superiores (posição de determinados planetas em


certas casas dos signos).

Ou por terramoto, aguas estagnadas, ou mortos mal enterrados . Para Castro a peste
de hamburgo acontece principalmente segundo esta causa.

Quando tenta enumerar as causas da Doença, Castro apoia-se meramente em


observações, pois não consegue apresentar nenhuma explicação conclusiva.

Referência a Hipócrates: Castro apoia-se em Fontes e referência teóricas como


argumentos de autoridade ao logo de todo o tratado.

"(...) com efeito, os casebres subterrâneos que os mais pobres habitam ficaram
demasiado húmidos. Mas a humidade em conjunto com a sujidade, (...) gera muito
facilmente a putrefacção." - Castro consciencia para os problemas urbanos que já
eram bastante constantes. Problemas não da doença em si mas que ficam claros quando
a doença ocorre e que disseminam a doença.

(Espírito: não ler de forma metafisica. ar vital que respiramos que alimenta o
corpo. de expiração. Contrário do significado cristão ou esóterico.)

P 63: "Alguns respondem, com o Conciliador, que a natureza, aterrorizada por causa
da qualidade maligna, se recompõe para desempenhar as suas funções, como os
artífices que, conquistada a cidade, depõem as armas e voltam aos seus misteres.
Esta opinião, todavia, é completamente indigna de um médico e filósofo, porque
a pernície não é capaz de aterrorizar a natureza com a malignidade, uma vez que
é um agente natural" - A peste , mesmo sendo um mal, é natural, assim sendo a
natureza não se assuta, ou não o teme.
-> Prognósticos (P 67)

Linha 14 - Mais uma vez a expressão "espirito com mau odor", não está ligada a
nenhuma superstição, visto que esta obra é estritamente de cariz científico, mesmo
tendo em conta a época em que foi escrita, em que todo o tipo de superstições ou
esóterismos eram comuns.

Castro vê sobrevivência à doença como uma medida de forças, partindo do pressuposto


de que a doença tem uma força propria e o paciente teria a sua, o quantas mais
vezes a doença atacasse menos chances de sobrevivencia teria o paciente.

Parte 2: O método de preservação contra a peste (p 69)

Como já foi referido anteriormente, segundo Castro, o papel do médico é ajudar a


prolongar a vida das pessoas, não de salvar as suas almas, isso era reservado aos
teólogos.

As ciencias (Filosofia, Teologia, Medecina) são tratadas como áreas separadas e


reverenciadas pelo autor.

-> Vénus (p 73)

Vénus é um sinónimo de sexo, ou para a prática de sexo.

5 F's: Modos/estilos de vida; estão associados à prevenção da doença.

Outras pilulas: Castro escreveu o tratado não com intuito de ganhar dinheiro com
ele directamente, apenas notariedade e status. No entanto não deixou de fazer auto-
propanganda, publicitando as receitas do seus remedios na esperanças de conseguir
mais clientes e negócios com Boticas (boticários).

Nosocómio (Hospitais):
aparecem 1º no imperio romano, mas rapidamente desaparecem, voltam a aparecer na
epoca medeival, ligado a assistencia social, apenas para a classe baixa, miseria.
condições horriveis.

Sangria: Sim ou Não?

p105?

"Com efeito, como diz Galeno, em O método terapêutico 11.15, nenhum remédio é mais
abrangente ou mais útil à saúde, em todas as febres, sobretudo nas pútridas, do que
fazer um corte na veia;"- explica a sua utilidade, através da diluição do sangue, a
putrefacção seria limpa do organismo.

Referência a Galeno que utilizou este método na Peste Antonina e com resultados
positivos.

No entanto, o erro de Castro, é partir do pressuposto que o agente microbiano era o


mesmo.
O enviesamento histórico cria dificuldades gigantes em comparar categorias de
análises diferentes. Apenas quando temos a certeza que as categorias são as mesmas
é que é possivel fazer estas extrapolações/suposições.

Você também pode gostar