Avaliação de contaminação e remediação da planta industrial e da área circundante da Solvay em Santo André

Agosto 1999

PhD.br 2 .org. 2331 055509-006 São Paulo – SP www.1 REQUISITOS PARA AVALIAÇÃO DO LOCAL 1.4 AVALIAÇÃO DE CONTAMINAÇÃO DE DIQUES DE RESÍDUOS 1.greenpeace.3 AVALIAÇÃO DO SEDIMENTO 1.Avaliação de contaminação e remediação da planta industrial e da área circundante da Solvay em Santo André Por Darryl Luscombe.7 CONCLUSÃO 1. MRACI Greenpeace Agosto de 1999 1.2 USO DOS VALORES ALVO E DE INTERVENÇÃO HOLANDESES 1.5 ÁREA DE REMEDIAÇÃO 1.6 FINGERPRINTING 1.8 REFERÊNCIAS 3 4 6 8 9 10 10 12 Greenpeace Brasil Rua Alvarenga.

• Uso atual (e usos passados. tanto atual. como historicamente. para avaliação de saúde pública1. i. para remediá-las. grade. . dos Diques ou do Rio Grande.). • Equipamento utilizado para amostragem e método(s) para descontaminação entre amostras. etc. composto.e. • Condição estrutural atual dos "containers". A deficiência de dados da Solvay está destacada em negrito. • Informação operacional presente e passada sobre o tratamento. uma avaliação completa do estado atual de contaminação deve ser realizada dentro e ao redor do local da fábrica. HISTÓRIA DO SITE • Datas de operações e eventos significativos (ex. estocagem ou descarte de resíduos perigosos no site. • Bases racionais ou método estatístico utilizado para seleção dos locais para amostragem. os itens em destaque (negrito) na Tabela 1 não foram adequadamente tratados pela Solvay. incêndios. para as quais o plano amostral deve ser desenhado para representar • Intensão da estratégia amostral. para uma série de outras agências nos E. Não está claro como a Solvay selecionou o espectro de substâncias químicas para análise. Tabela 1. troca de proprietários ou produtos. Em particular. definição da média ou do espectro de concentrações. diques). isto é. muros de contenção. Além disso.. bem como avaliar todos os possíveis contaminantes e resíduos que podem ser encontrados na área. • Localização e razões para seleção de amostras de "background". Austrália e União Européia. Requisitos semelhantes são necessários. Como exemplo.. sem antes avaliar todo o histórico de uso industrial do local. as deficiências relacionadas ao histórico do local da planta da Solvay devem ser fornecidas.1 REQUISITOS PARA AVALIAÇÃO DO LOCAL De acordo com a Agência Americana para Registro de Doenças e Substâncias Tóxicas (ATSDR). • Descrição das barreiras físicas para prevenir o transporte de poluentes (ex. cercas. qualquer avaliação do potencial de contaminação e requisitos para análise química do local da planta. Para a Greenpeace. GERAL • Área geográfica ou fonte. em nenhuma documentação atualmente disponível. há uma série de requisitos local ou sítio-específicos..A. para determinar a probabilidade de contaminação corrente. navios. devem ser baseados em todos os possíveis contaminantes gerados na planta da Solvay. Além do mais. Requisitos Para Avaliação do Local (Site).U. caso tivessem sito diferentes) de todos os edifícios e áreas onde o público ou trabalhadores possam ficar expostos a 3 .1. randômico.. as exigências da ATSDR encontram-se listadas na Tabela 1. etc. vasilhames e construções contendo substâncias. • Descrição de liberações prévias e ações tomadas pela instalação. como uma questão de urgência. estratificado.

Austrália). embora os Valores Holandeses tivessem sido escolhidos pela Solvay para esta análise. 4 . ar. • Estimativa de quantidade de contaminantes liberados para cada meio (solo. trabalho. 2 Por exemplo. não há justificativa científica adequada para a aplicabilidade dos valores Holandeses para o site em São Paulo. Identificação de resíduos e quantidades. EUA.. É de grande preocupação o fato de que Solvay não forneceu qualquer justificativa para o uso dos Valores de intervenção Holandeses nesta investigação. • Concentração máxima. • Documentação de qualquer fenômeno químico. • Freqüência estimada de atividades no local. na avaliação dos perigos associados com contaminação por metais pesados.) • Cópia de planos de relações com a comunidade • Tipos de barreiras ou sinais utilizados para evitar acesso do público. ou qualquer avaliação da relação entre os Valores Alvo e de Intervenção. Na verdade. como um Valor de Intervenção. mecânico.6 Km do site (ou dentro da área potencialmente afetada). antigos edifícios de formulação de pesticida e área de lavagem externa.3 Há uma correção similar que deve ser aplicada aos contaminantes orgânicos.contaminantes. espectro e extensão da contaminação em cada meio (incluindo biota)..2 USO DOS VALORES ALVO E DE INTERVENÇÃO HOLANDESES A Solvay escolheu os Valores de Intervenção Holandeses para Remediação do Solo como os parâmetros para a presente avaliação de contaminação no site da empresa (Solvay). Mais ainda. área de terremotos. ex. A Solvay não fez esta correção em nenhum dos documentos disponíveis. os Valores de Intervenção Holandês devem ser relacionados ao conteúdo de matéria orgânica e argila no solo. Canadá. SUBSTÂNCIAS IDENTIFICADAS • Lista dos nomes químicos e os números do "Chemical Abstract System" (CAS) se forem conhecidos. • Número e tipos de outras fontes potenciais de contaminação ambiental. nem tampouco qualquer avaliação de solo/sedimento ou critério de remediação para águas subterrânea. pesca etc. caça. meteorológico.) 1. eles não seguiram todos os requisitos determinados pelo Ministério Holandês.. Reino Unido. superfície da água e águas subterrânea). etc. como usados em outros países (ex. ou outros fenômenos que possam rapidamente alterar o estado físico atual dos produtos químicos presentes ou as condições gerais do site (ex. convertidos em áreas de atendimento diário ou escritórios. alagamentos. RELAÇÃO COM A COMUNIDADE VIZINHA • Atividades no local e número estimado de pessoas envolvidas em cada atividade (ex. e não meramente ao valor da citado na Tabela. em até 1.

B e C = valor de intervenção para o solo em avaliação (mg/kg) = valor de intervenção para o solo padrão (mg/kg) = percentagem de argila medida no solo em avaliação = percentagem de matéria orgânica medidano solo em avaliação = constantes que dependem da substância (ver tabela 1) (1) A fim de aplicar a correções do tipo de solo para os Valores de Intervenção na fórmula (1) (Ie e Ist) são substituídos pelos valores alvo.0017 1 0 0 1.2 50 1 10 50 B 0.5 Adicionalmente. se a concentração média solo/ sedimento de pelo menos uma substância em pelo menos 25 m3 de solo-volume'. 5 “…os valores de intervenção estão relacionados a parâmetros espaciais.6 0. e portanto o solo sendo seriamente contaminado.4 5 0. Estes valores são considerados como tendo sido excedidos.28 0. o Valor de Intervenção para Solo Padrão e o Valor de Intervenção Específico do Site para Metais Pesados é obtida a partir da seguinte fórmula de correção para o tipo de solo: Ie = Ist x A + B x %(argila) + C x %(matéria orgânica) A + Bx25 + Cx10 onde: Ie Ist %argila %mat. aproximadamente 7 x 7 x 0. Constantes Substância-dependente para metais4 Substância Arsênico Bário1 Cádmio Cromo Cobalto1 Cobre Mercúrio Chumbo Molibdênio2 Níquel Zinco A 15 30 0.4 50 2 15 0. ou concentração água subterrânea em pelo menos 100 m3 de ‘solo-volume’. Conforme citado na relevante Circular do Ministério Holandês do Meio Ambiente. os Valores de Intervenção Holandeses são baseados em um volume amostral especificado em 25 m3.021 0 0 0.5m).e. Os protocolos para as investigações preliminares e adicionais do local descrevem a maneira na qual a conformidade com padrões deve ser testada.007 2 0.A relação entre % argila. 5 .4 0 0. Tabela 2.0034 1 0 1 3 C 0. A.org. baseada em grade retangular de 7 x 7m. excederem o valor de intervenção. Os protocolos prescrevem a amostragem.6 0. (i. % matéria orgânica.

sem nenhuma justificativa adequada. o nível atual poderia ser considerado. [Risco Máximo Aceitável. 1. do topo. como uma investigação preliminar. Assim. Mais ainda. que o critério de 25m3 está sendo atendido. Solvay não adotou o critério Holandês para investigação adicional no local. gera preocupações. Então.5m. a pessoa encarregada deve ela mesma garantir e demonstrar de modo adequado. Na avaliação da Solvay da extensa contaminação dos Diques. De acordo com a Agência Nacional de Pesquisa Holandesa. Se for usado um procedimento para coleta de amostras diferente do recomendado nos protocolos. se os Valores do Critério Holandês forem usados na avaliação da contaminação em Diques. De acordo com a Circular do Ministério Holandês: Os protocolos para investigação preliminar e adicional do site determinam que o montante ½( valores de intervenção + valor alvo) devem ser usados como critério para determinar se há necessidade de investigação adicional. os Valores Holandeses não se baseiam no teste da toxicidade real para a biota aquática. RIVM. A respeito da avaliação de Diques. é impossível avaliar a extensão total da contaminação e qual o volume de remediação necessário. utilizando-se o método de Equilíbrio Compartimentalizado.3 AVALIAÇÃO DO SEDIMENTO A escolha dos Valores de Intervenção Holandeses para Remediação do Solo.” 6 . na melhor das hipóteses. a Solvay deve providenciar a amostragem suficiente para permitir uma avaliação adequada do local. para avaliação dos sedimentos do Rio Grande. Isto deve ser abordado como tópico de urgência. Greenpeace acredita que uma avaliação completa do site deve levar em consideração uma avaliação completa de todos os critérios internacionais disponíveis e em total conformidade com as diretrizes para amostragem e avaliação.A fim de determinar se os valores de intervenção são ultrapassados em uma secção de 25m3. e não forneceu qualquer dado sobre a contaminação abaixo de 15-25 cm. Adicionalmente. Além disto. o montante ½(valores de intervenção) deve ser utilizado ao invés de ½(valores de intervenção + valor alvo).MAR] valores MAR para o sedimento portanto derivam indiretamente dos valores MAR para água. amostras podem ser retiradas dos quatro cantos. a uma profundidade de 0. baseada no volume apropriado de solo/calcário que permita uma avaliação adequada do local em questão.6: “Para o sedimento não há dados disponíveis sobre toxicidade. a avaliação fornece um numero completamente inadequado de amostragem para se atingir estes critérios.” A Solvay apenas apresentou dados para a camada superficial dos sedimentos. Para aquelas substâncias para as quais o valor alvo não se encontra estabelecido.

e outros químicos identificados como sendo liberados em quantidades significativas em operações históricas de Solvay. Uma Seleção de Critério de Efeitos no Sedimento. Adicionalmente. os efeitos eco-toxicológicos utilizados na derivação dos Valores de Intervenção Holandeses são. Juntamente com uma história detalhada dos processamentos. e AET-H = Limiar de Efeitos Aparentes Alto.9 Uma seleção de critérios para o sedimento para efeitos em organismos bênticos para o metal pesado mercúrio.15 0.1 TEL (marinh o) (ppm) 0. 7 “…quantificados em termos de concentrações no solo no qual 50% das espécies realmente (ou potencial) existentes podem sofrer efeitos adversos. Comparado aos níveis de mercúrio encontrados na superfície do Rio Grande na vizinhança da planta da Solvay. Uma lista dos componentes químicos identificados adjacentes à fabrica de PVC na Turquia são mostrados na Tabela 4. para Mercúrio11 Concentração de Sedimento ER-L ER-M AET. Tabela 3.486 ER-L = Espectro de Efeitos Baixo. Canadá e Austrália.∗ A extensão atual da amostragem analítica dos sedimentos do Rio Grande é considerada pelo Greenpeace como sendo completamente inadequada. mais de 60?% das amostras de sedimentos de superfície para mercúrio foram maiores que o valor AET-H de 2.” Há um amplo espectro de critérios para o sedimento que foram avaliados em extensos testes de campo e laboratoriais. é mostrada na Tabela 3.147 PEL (água doce) (ppm) 0.Tal abordagem pode não ser efetiva na identificação de efeitos tóxicos em uma ampla variedade de espécies aquáticas. Não houve testes para toda a gama de contaminantes potenciais associados com a manufatura de EDC/VC/PVC. operações e práticas de descarte de resíduo industriais de Solvay.AET-H (ppm) (ppm) L (ppm) (ppm) 0. Por exemplo. TEL = Nível de Efeitos Limítrofe. isto forma a base de um abrangente conjunto de análises que determinam a extensão da remediação necessária nos sedimentos do Rio Grande. e 80?% estavam acima do critério de nível de Efeitos Provável (PEL) para água doce.59 2. Na pior das hipóteses. as avaliações do sedimento devem ser feitas para dioxinas (incluindo furanos).13 PEL (mari nho) (ppm) 0. AET-L = Limiar De Efeitos Aparentes Baixo.1 ppm. ER-M = Espectro de Efeitos Médio.10 há uma razão considerável para preocupação com a saúde ambiental do rio.71 0. ∗ Uma avaliação completa dos métodos utilizados para derivar estes valores de critério podem ser encontrados nas referências 9 e 11 e referências aí contidas. PEL = Nível de Efeitos Provável.696 TEL (água doce) (ppm) 0. 7 . e a metodologia utilizada para derivá-los encontrou larga aplicabilidade nos EUA. particularmente nos Estados Unidos. PCBs.8 O uso destes valores. PAHs.

Entretanto é claramente insuficiente para permitir uma avaliação detalhada quanto à remediação a ser executada. Estudos da Suécia em lodos provenientes de eletrólise de baterias de mercúrio em uma fábrica de PVC encontrou níveis de dioxina de até 650. não estão se acumulando na biota aquática em níveis que possam causar efeitos adversos tóxicos. PCBs. não foi fornecida história detalhada do despejo de resíduos na área. a amostragem deveria. O quadro apresentando por estes dados é preocupante e demonstra contaminação excessiva. a densidade da amostragem é também muito abaixo da requerida pelo critério Holandês para Remediação do Solo. deve ser usada como base para seleção de elementos químicos de escolha para uma avaliação apropriada da extensão completa da contaminação na área. Por exemplo. e outros componentes químicos preocupantes. Canada. De acordo com o Ministro do Meio Ambiente de Ontário. Como discutido acima. A metodologia de amostragem usada parece ter sido uma tentativa preliminar de criar um quadro geral da contaminação nos Diques. Tal estudo deve ser realizado para demonstrar claramente a extensão completa da responsabilidade civil da Solvay na poluição do meio ambiente aquático. Lista dos componentes químicos encontrados em sedimentos em uma fábrica de PVC na Turquia – ver p. A biodisponibilidade dos contaminantes presentes nos sedimentos do Rio Grande só pode ser demonstrada por um programa cuidadosamente desenhado e estatisticamente válido de amostragem e análise da biota da área em questão. É surpreendente que os Diques de Salmoura não tenham sido analisados para dioxinas/furanos. PAHs. O material é presumivelmente o resíduo das células eletrolíticas de mercúrio e contém níveis extremamente altos de mercúrio.: 13 " ser conduzida em todas áreas potencialmente contaminadas identificadas na fase 1 da avaliação do site. dioxinas.Além do mais.4 AVALIAÇÃO DE CONTAMINAÇÃO DE DIQUES DE RESÍDUOS. Tabela 4. e/ou representar um sério risco de saúde para consumidores de peixes do rio.12 A avaliação de todo o processo histórico do site e resíduos. como discutido acima. utilizado pela Solvay para avaliação do site. a Solvay não forneceu nenhum dado para demonstrar que o mercúrio. Um número suficiente de amostragem de sites deveria ser claramente estabelecidos para delinear cada área potencial de 8 . Devese assumir que a Solvay está ciente da extensão total dos materiais despejados em Diques.000 pg/g. e os constituintes químicos do resíduo. 11 1. O nível atual de avaliação de Diques de Resíduos é claramente inadequado para permitir uma análise detalhada das necessidades de remediação da área.

Devido à natureza dos despejos de resíduos. Entretanto. estratigrafia do solo (i. Como resultado. a Greenpeace acredita que a real responsabilidade civil da Solvay neste caso deverá ser endereçada somente através do tratamento de áreas significativamente contaminadas. o uso de geoestatística como uma ferramenta de interpretação poderia gerar um plano amostral diferente de métodos interpretativos convencionais. móvel vs. A metodologia com base estatisticamente válida deve ser aplicada ao programa de amostragem. Também gera preocupação o fato de que a própria documentação da Solvay indique uma contaminação de mercúrio em cursodas águas subterrâneas. ela deve arcar com os custos da correção. ao longo do tempo nos Diques. através do compromisso com uma política de descarga tóxica zero para o meio ambiente. um número significativo de locais de amostragem será necessáriopara identificar as áreas de preocupação. a amostragem deve se estender além da zona de contaminação.contaminação.e. Para garantir que não seja gerada poluição futura após remediação da área. Isto é claramente inaceitável e deve ser abordado como uma questão de urgência.5 ÁREA DE REMEDIAÇÃO O objetivo final da investigação presente deve ser a descontaminação de todo resíduo perigoso no local. A incineração de organoclorados pode causar poluição posterior por dioxina. Apenas deixar o problema enterrado não constitui uma solução de longo prazo e resultará somente em legado para o futuro. argila). Tecnologia para o tratamento de contaminação por organoclorados e metais pesados tem sido aplicada por toda a América do Norte. O padrão real e número de amostras locais dependerão dos métodos estatísticos escolhidos para analisar dos dados químicos resultantes e os parâmetros químicos sendo medidos. a fim de permitir tomada de decisões quanto à válida remediação. Por exemplo. Isto necessita que alguma amostragem se dê em áreas não suspeitas de contaminação. da mesma maneira como os fatores acima. não-móvel). O único meio pelo qual toda a poluição futura desta sensível área ecológica pode ser eliminada é através da remoção da fonte de contaminação. e a incineração de materiais contaminados com mercúrio resultará em emissões significativas deste metal para um ambiente mais amplo. e o tipo de contaminante (i. areia vs.e. é óbvio que pontos mais perigosos de contaminação serão mais provavelmente encontrados no material lodoso. subterrânea vs. Europa e Austrália. A profundidade da amostragem dependerá da natureza e localização da fonte (i. A proposta de conter os resíduos em Diques por meio de barreiras geotécnicas e hidráulicas é uma solução essencial a curto prazo. porém. nem dos Diques. Não está claro no programa de amostragem usado pela Solvay que seja utilizado qualquer método estatístico para avaliar a suficiência do programa de amostragem adotado. Como Solvay gerou a contaminação por meio de suas próprias práticas.e. superficial). 9 . a Solvay deve se comprometer para eliminar qualquer possibilidade de poluição futura. no Rio Grande. 1. A incineração não é considerada uma solução apropriada para a remediação dos sedimentos do Rio Grande.

estudos recentes da CEGEQ demonstraram claramente que o simples aquecimento da cal da Solvay pode gerar quantidades significativas de 2. Entretanto. Isto deve incluir os diques para resíduos. a Solvay forneceu cal à indústria de polpas cítrica e amostras do seu deposito de resíduos confirmaram que o cal estava contaminado com dioxina.3.7. a informação disponível indica que há necessidade de ação imediata de contenção. Embora a Solvay admitisse ser uma possível fonte de furanos para a polpa cítrica. usada como ração para gado leiteiro.7.6 FINGERPRINTING Em 1998 foi descoberta na Europa contaminação da polpa cítrica brasileira por dioxina.8-TCDD da contaminação.7 CONCLUSÃO A Solvay contaminou extensivamente uma sensível área ecológica. De acordo com a avaliação do Ministério da Agricultura e Abastecimento e da União Européia. Infelizmente. bem como avaliação adicional quanto às opções para remediação. 1. Anos de despejo de resíduos de forma irresponsável deixou um legado devastador de poluição tóxica que permeando todo o ambiente e poluindo o Rio Grande. 1. avaliando estes tipos de tecnologia segue em anexo. a Solvay foi a uma fonte de dioxina por meio da venda de cal contaminada a produtores de polpa cítrica. é essencial estabelecer as áreas que devem ser corrigidas (clean-up) utilizando tecnologia não-incineradora. os estudos até então conduzidos pela Solvay são inadequados para avaliar de forma acurada a extensão completa da contaminação. há mais de 11 toneladas de percloroetileno e mais de 50 toneladas de mercúrio nos Diques de resíduos e há poluição por mercúrio e organoclorados nas águas subterrâneas e sedimentos do rio. a Solvay deve acatar a total responsabilidade pela da comercialização de cal contaminada por dioxina. O Greenpeace crê que. os sedimentos do Rio Grande e o local da fábrica propriamente dito. Para que sejam tomadas medidas adequadas quanto à remediação e a caracterização adequada de todo o local. de acordo com a CETESB. com base nesta última evidência. Uma cópia de Relatório recente do Greenpeace. 10 .3. De acordo com a avaliação da própria Solvay. No entanto. Adicionalmente. negou a responsabilidade pelo componente 2.Uma série de tecnologias não-incineradoras tem sido desenvolvida nos últimos 15 anos para suplantar as desvantagens da incineração.8-TCDD e que o perfil de congêneres gerado é compatível com o da polpa cítrica contaminada.

Lista dos componentes químicos encontrados em sedimentos em uma fábrica de PVC na Turquia 11 .Tabela 4.

J. National Biological Service Final Report for the U. Kjeller L. Department of Soil Protection (IPC 625). Calculation and evaluation of sediment effect concentrations for the amphipod hyalella azteca and the midge chironomus riparius. Alders. The Hague. 10 Qualidade das aguas e sedimentos do Rio Grande na area de influencia da Solvay Indupa Do Brasil S.8 REFERÊNCIAS ENVIRONMENTAL DATA NEEDED FOR PUBLIC HEALTH ASSESSMENT .E.M. C. 4 ibid. Spatial Planning and the Environment.E. Agosto 1999. Dwyer. Gestel CAM van .G. Mount. Ingersoll. F. C.S. Ontario Ministry of Environment and Energy Standards Development Branch. P. Canfield.S. E. The Hague. Canton JH . Figuras e Anexos. Background study for the policy document "Setting Environmental Quality Standards for Water and Soil" Meent D van de . EPA 905-R96-008.1.S. N. Chemosphere.R. Texto. Calculation and evaluation of sediment effect concentrations for the amphipod hyalella azteca and the midge chironomus riparius.G. J.S. F. Spatial Planning and the Environment. Profiles and Patterns of PCDDs and PCDFs in samples related to the Production and Use of Chlorine.September 1996.J. 12 Rappe C. Directorate-General for Environmental Protection. T. Kulp S-E. Dwyer. 5 ibid.S.G..L. Kemble and D. Directorate-General for Environmental Protection. and references therein. 1990 7 Circular on intervention values for soil remediation. Kemble and D. Haverland.L. 6 RIVM Report number 670101001 & 670101002 "Desire for levels. Haverland. December.E. Atlanta. Office of Science and Technology United States Environmental Protection Agency. U. Bottura Consultoria. 11 Adapted from.J. C. Hasselsten I and Palm O. National Biological Service Final Report for the U. Georgia. Mount. 23 (1991) 1629-1636. Washington.R. 1996 1 12 . Environmental Protection Agency Great Lakes National Program Office (GLNPO) Assessment and Remediation of Contaminated Sediment (ARCS) Project. de Wit C. T. Netherlands 8 The Incidence And Severity Of Sediment Contamination In Surface Waters Of The United States: Volume 1: National Sediment Quality Survey September 1997. Alders. June 1994. EPA 905-R96-008. Brunson. N.A Guidance Manual. Department of Health and Human Services. C.. Henke. Slooff W 147 pages. Ingersoll. Levels. Aldenberg T . P.. 13 Guidance on Sampling and Analytical Methods for Use at Contaminated Sites in Ontario. E. Environmental Protection Agency Great Lakes National Program Office (GLNPO) Assessment and Remediation of Contaminated Sediment (ARCS) Project. from The Minister of Housing. from The Minister of Housing.J. DC 20460.M. 9 Adapted from.E.G.September 1996.A. 2 Circular on intervention values for soil remediation. Agency for Toxic Substances and Disease Registry. Department of Soil Protection (IPC 625). Canfield. J. Netherlands 3 ibid. Henke. Brunson.

Master your semester with Scribd & The New York Times

Special offer for students: Only $4.99/month.

Master your semester with Scribd & The New York Times

Cancel anytime.