Você está na página 1de 18

A HISTÓRIA DE ADÃO E EVA

Por: Chan Thomas


Documento desclassificado (em parte) da CIA em 24/06/2013.

PARA

WAYO

Sem a ajuda dela ao longo dos anos de noites sem dormir


E trilhas aparentemente intermináveis de estudo e tradução Este livro nunca teria surgido.

Traduzido por @Marhamor

CONTEÚDO

O próximo cataclismo I
As grandes enchentes 7
A história 19
O evento 29
Gênesis 35
Conclusão 45

PG. 01

PG. 2 (NÃO CONSTA)

Com um estrondo tão baixo a ponto de ser inaudível, crescendo, latejando e depois se
transformando em um rugido trovejante, o terremoto começa. .... só que não é como nenhum
terremoto registrado na história. Na Califórnia, as montanhas tremem como samambaias ao vento; o
poderoso Pacífico recua e se acumula em uma montanha de água com mais de três quilômetros de
altura, então começa sua corrida para o leste. Com a força de mil exércitos o vento ataca, rasgando,
despedaçando tudo em seu bombardeio supersônico. A incrível montanha de água do mar do
Pacífico segue o vento para o leste, enterrando Los Angeles e São Francisco como se fossem apenas
grãos de areia. Nada impressionante de vento e oceano. - mas nada - pára o implacável, sobre- Em
todo o continente, o vento de mil milhas por hora espalha sua vingança profana, em toda parte, sem
piedade, sem cessar. Cada ser vivo é feito em pedaços enquanto é levado pelo campo; e o terremoto
não deixa nenhum lugar intocado. Em muitos lugares, a subcamada derretida da terra rompe e
espalha um mar de fogo líquido incandescente para aumentar o holocausto. Em três horas, a
fantástica parede de água se move através do continente, enterrando a terra devastada pelo vento
sob três quilômetros de água fervente de costa a costa. Em uma fração de dia, todos os vestígios de
civilização se foram, e as grandes cidades Los Angeles, San Francisco, Chicago, Dallas, Nova York
- não passam de lendas. Quase não resta uma pedra onde milhões caminharam apenas algumas
horas antes. Alguns sortudos que conseguem encontrar abrigo contra o vento forte a sotavento de
Pike's Peak observam o mar de fogo derretido atravessar os vales trêmulos abaixo. As águas
furiosas seguem, acumulando-se cada vez mais alto, vaporizando sobre o fogo da terra derretida e
subindo
PG. 3

quase a seus pés. Apenas grandes montanhas como esta podem resistir ao ataque cataclísmico. A
América do Norte não está sozinha em seus estertores de morte. A América Central sofre o mesmo
vento de canhão, fogo de terra e inundação. A América do Sul encontra os Andes não altos o
suficiente para impedir a violência cataclísmica produzida pela natureza em sua fúria frenética. Em
menos de um dia, Equador, Peru e o oeste do Brasil são sacudidos loucamente pelo terremoto
devastador, queimado por fogo de terra derretido, soterrado por quilômetros cúbicos de torrenciais
mares do Pacífico e depois transformado em um inferno congelado. Tudo congela. Homem, besta,
planta e lama ficam duros como pedra em menos de quatro horas. A Europa não pode escapar ao
ataque. O furioso Atlântico se acumula cada vez mais alto sobre si mesmo, seguindo o vento forte
para o leste. Os Alpes, os Pirenéus, os Urais e as montanhas escandinavas são sacudidos e erguidos
ainda mais antes que a parede de água se atinja. A África Ocidental e as areias do Saara
desaparecem na fúria da natureza, sob o ataque selvagem do vento e do oceano. A área delimitada
pelo Congo, África do Sul e Quênia sofre apenas terremotos e ventos severos - nenhuma inundação.
Os sobreviventes ficam maravilhados com o Sol, que fica parado no céu por quase meio dia. A
Sibéria Oriental e o Oriente sofrem um destino estranho, de fato - como se uma foice subterrânea
gigante varresse as fundações da Terra, acompanhada pelo vento em sua sinfonia gritante de morte
supersônica e destruição. À medida que a baci
a do Ártico deixa seu lar polar, o leste da Sibéria, Manchúria, China e Birmânia estão sujeitos à
mesma aniquilação que a América do Sul: vento, fogo de terra, inundação e congelamento. Os
animais da selva são reduzidos a tiras pelo vento, amontoados em montanhas de carne e ossos e
enterrados sob avalanches de água do mar e lama. Em seguida, vem o frio terrível e paralisante.
Nem homem, nem besta, nem planta, nem

PG. 4

a terra é deixada descongelada em todo o continente asiático oriental, a maior parte do qual
permanece abaixo do nível do mar. A leste dos Urais, no oeste da Sibéria, algumas pessoas de sorte
sobrevivem a ventos e terremotos fantásticos. A Antártica e a Groenlândia, com suas calotas
polares, agora giram em torno da Terra na Zona Torrid; e a fúria do vento e da inundação continua
por seis dias e seis noites. Durante o sexto dia, os oceanos começam a se estabelecer em suas novas
casas, fugindo dos terrenos altos. No sétimo dia, a terrível violência acabou. A era do gelo do Ártico
terminou e uma nova era da pedra começa. Os oceanos, os grandes homogeneizadores, depositaram
outra camada profunda de lama sobre os estratos existentes nas grandes planícies, conforme exposto
no Grand Canyon, Painted Desert e Badlands. A bacia da Baía de Bengala, a leste da Índia, está
agora no Pólo Norte. O Oceano Pacífico, a oeste do Peru, está no Pólo Sul. A Groenlândia e a
Antártica, agora girando equatorialmente na Zona Tórrida, descobrem que suas calotas polares se
dissolvem loucamente no calor tropical. Enormes paredes de água e gelo surgem em direção aos
oceanos, tomando todos os caminhos, criando imensas moreias sazonais. Em menos de 25 anos, as
calotas polares desapareceram e os oceanos ao redor do mundo aumentaram mais de 60 metros com
a água recém-descoberta. A Zona Torrid ficará envolta em uma névoa por gerações devido às
enormes quantidades de umidade despejadas na atmosfera pelas calotas polares derretidas. - das
montanhas às planícies - jorrando, agitando-se Novas calotas polares começam a se formar nas
novas áreas polares. A Groenlândia e a Antártica surgem com folhagem tropical verdejante. A
Austrália é o novo continente inexplorado na Zona Temperada do Norte, com apenas alguns poucos
sobreviventes povoando sua vastidão. Nova York fica no fundo do Atlântico, estilhaçada, derretida
pela terra -

PG. 5

fogo, e coberto por quantidades inacreditáveis de lama. De São Francisco e Los Angeles, nenhum
vestígio resta. O Egito emerge de sua inundação no Mediterrâneo novo e mais alto ainda a terra de
todos os tempos. O lugar-comum de nosso tempo torna-se o misterioso Baalbek da nova era. Uma
nova era! Sim, o cataclismo funcionou bem. O maior regulador populacional de todos faz mais uma
vez pelo homem o que ele se recusa a fazer por si mesmo, e leva os poucos miseráveis que
sobrevivem a uma nova idade da pedra. Mais uma vez, a Terra mudou sua casca de 60 milhas de
espessura, com os pólos movendo-se quase para o equador em uma fração de dia. Mais uma vez, a
atmosfera e os oceanos, recusando-se a mudar de direção com a concha da Terra, acabaram com
quase toda a vida. Depois dessa queda, nos juntamos a Noé, Adão e Eva, Atlântida, Mu e Olimpo e
Jesus se junta a Osíris, Ta'aroa, Zeus e Vishnu.

PG. 6

OS GRANDES INUNDAÇÕES

Pg. 7

PG. 8 (NÃO CONSTA)

Noé? Adão e Eva? Vishnu? Osiris? O que eles têm em comum? Eles representam eras distantes - e
mesmo assim, de alguma forma, todos eles se dão as mãos no próximo cataclismo e caminham
conosco. Existem outros que caminham conosco também: homens de ciência - há muito esquecidos
- aqueles que viram pela primeira vez que essas quedas, essas cataclísmicas catástrofes ou
"revoluções" da concha da terra já aconteceram antes, incontáveis vezes. J. Andre DeLuc em 1779 e
Georges Cuvier em 1812 foram os primeiros. Dolomieu, o famoso ministro-eralogista, juntou-se ao
consenso, assim como Escher e Forel, os geólogos suíços; tam
bém J. Andre DeLuc Jr. e Von Buch. Todos concordaram que os cataclismos foram causados por
repentinas revoluções na superfície da Terra. Cuvier, em sua "Teoria da Terra", publicada pela
primeira vez em 1812, baseou suas conclusões em sua pesquisa correlativa incomparável em
estratigrafia, anatomia comparada e paleontologia. Naquela época, ele escreveu: "Cada parte da
terra, cada hemisfério, cada continente, exibe o mesmo fenômeno ... Houve, portanto, uma sucessão
de variações na economia da natureza orgânica ... As várias catástrofes que perturbaram os
estratos ... deram origem a numerosos deslocamentos desta bacia (continental) .... É muito
importante assinalar que estas repetidas irrupções e recuos do mar não foram nem lentos nem
graduais; ao contrário, a maioria das catástrofes que as ocasionaram foram repentinas; e isso é
especialmente fácil de ser provado, no que diz respeito à última dessas catástrofes .... Concordo,
portanto, com MM. DeLuc e Dolomieu, em pensar , que se alguma coisa na geologia for
estabelecida, é que a superfície do nosso globo sofreu uma grande e repentina revolução, cuja
data ... não pode ser ... muito anterior a cinco ou seis mil anos atrás ... (também), uma revolução
anterior, pelo menos, colocou (os continentes) e er água. . . talvez duas ou três irrupções do mar. "

PG. 9

"Essas alternâncias agora me parecem formar o problema da geologia que é da maior importância
resolver ... Para resolvê-lo de forma satisfatória, seria necessário descobrir a causa desses
eventos .... Essas idéias têm assombrada, quase posso dizer que me atormentou, durante minhas
pesquisas entre ossos fósseis ... Pesquisas que abrangem apenas uma pequena parte daqueles
fenômenos da era anterior à última revolução geral do globo, e que ainda estão intimamente ligados
a todos os outros .... " Muitas tentativas foram feitas para responder à acusação feita à profissão
geológica por Cuvier para explicar essas revoluções repentinas. Entre outros, Velikovsky
experimentou através de seu estudo de mitos e lendas; Hapgood tentou; Brown tentou, e no
processo acumulou uma enorme biblioteca de dados geológicos. Cada vez que o conceito
cataclísmico ganha vida, a "besta" é apedrejada, queimada na fogueira, espancada até virar polpa e
enterrada com toda a força; mas o cadáver simplesmente não permanecerá morto. A cada vez, ele
levanta a tampa do caixão e diz em tom sepulcral: "Você vai morrer antes de mim". O mais recente
dos desafiadores é o Prof. Frank C. Hibben, que em seu livro, "The Lost Americans", disse: "... Esta
não foi uma extinção comum de um vago período geológico que fracassou até um fim incerto. foi
catastrófico e inclusivo ... O que causou a morte de quarenta milhões de animais ... O "corpus
delicti" neste mistério pode ser encontrado em quase qualquer lugar. Seus ossos jazem descoloridos
nas areias da Flórida e nos cascalhos de Nova Jersey. Eles saem dos terraços secos do Texas e se
projetam da lama pegajosa dos poços de alcatrão do Wilshire Boulevard, em Los Angeles. Os
corpos das vítimas estão por toda parte ... Encontramos literalmente milhares juntos ... jovens e
velhos, potro com mãe, bezerro com vaca ... Os fossos de esterco do Alasca são 1 Thomas Y.
Crowell Co., Nova York, Apollo Edition 1961

Pg. 10

cheio de evidências de morte universal. . . uma imagem de rápida extinção. . . . Qualquer argumento
quanto à causa. .. deve se aplicar à América do Norte, Sibéria e Europa também. "... Mamute e bisão
foram rasgados e torcidos como se por uma mão cósmica em uma fúria divina. Em muitos lugares,
o cobertor de sujeira do Alasca está cheio de ossos de animais e detritos em lotes de trem. ..
mamute, mastodonte... Bisão, cavalos, lobos, ursos e leões ... Uma população faunística ... no meio
de alguma cataclísmica cataclísmica ... foi subitamente congelada ... em uma farsa sombria. "
Ventos fantásticos; queima vulcânica; inundação e sepultamento na lama; preservação por
congelamento. “Qualquer boa solução para um mistério consumidor deve res
ponder a todos os fatos”, desafia Hibben. O desafio não me deixaria em paz. Como uma fome, ele
corroeu meu subconsciente. Eu podia ouvir os tons profundos do desafio de Cuvier, "encontrar a
causa desses eventos", ainda reverberando pelos salões sagrados da ciência, fantasmagoricamente,
sem resposta. Senti o desafio de Hibben mais tarde, incitando: "... responda a todos os fatos." Decidi
que esse conceito cataclísmico, esse fim catastrófico que parece visitar nosso planeta vez após vez,
precisava de verificação ou refutação de uma vez por todas. O primeiro passo foi reunir todos os
dados conhecidos e aceitos do maior número possível de ciências da "terra": estratigrafia,
arqueologia, antropologia, paleontologia, radiologia, oceanografia, sismologia, glaciologia e muitos
outros campos. A correlação dos dados entre as ciências deu a resposta: embora haja dados
suficientes em cada ciência para indicar que esses cataclismos acontecem, não foram suficientes
para comprovar o conceito; mas a correlação entre as ciências mostrou de fato que o conceito era
verdadeiro. Não apenas verificou se os eventos aconteceram, mas divulgou quando ocorreram os
últimos cinco cataclismos e o que

PG. 11

ções em que a casca da Terra esteve nos últimos 35.000 anos. Assim, após anos de pesquisa,
começando em 1949, o desafio de Cuvier tinha uma resposta: Sim, de fato os cataclismos
acontecem. E o último, 6.500 anos atrás, foi o Dilúvio de Noé! Tudo bem. Então eles acontecem; o
que é que acontece cada vez? O desafio era realmente duplo: Encontrar o processo - o que acontece
em um cataclismo; e o gatilho - o que causa o início de um cataclismo. Que perseguição! E que
história dramática da história da Terra nós descobrimos: Civilizações de 20.000 anos atrás, mais
avançadas do que nossa imaginação mais selvagem; lendas pré-históricas da Grécia, Egito, Índia e
América do Sul que se tornaram história em vez de lenda; continentes perdidos no Atlântico e no
Pacífico que se tornaram realidades datadas, com razões lógicas para seu súbito desaparecimento.
Sim, Vishnu ganhou vida: um homem que viveu um cataclismo 70.000 anos antes de nossa época,
na verdade, dez cataclismos atrás! Agora ele é conhecido como o deus hindu das dez ressurreições
das águas. Osíris também foi redescoberto; ele era o Jesus de seu tempo - Egito, cerca de 15.000
anos atrás. Noah sorriu para nós nas páginas da "Epopéia de Gilgamesh"; na verdade, ele era um
sumério chamado Utnapishtim, que viveu 6.500 anos atrás. A arca que ele construiu é mais do que
uma lenda. um homem de - O processo de um cataclismo é conhecido agora. Observe a seção
transversal da Terra dentro da tampa frontal. Você verá duas camadas derretidas - as laranja. O
importante é a fina camada derretida com cerca de 60 milhas de espessura, que está entre 60 e 120
milhas abaixo, abaixo da superfície da terra. A espessa e profunda camada derretida, começando por
1.800 milhas na parte inferior do manto e se estendendo por 1300 milhas mais profundamente, é o
núcleo externo.

PG. 12

Agora, ambas as camadas fundidas são líquidas; no entanto, a estrutura magnética e elétrica interna
da Terra faz com que essas camadas ajam como se fossem quase sólidas ou de plástico. Enquanto a
estrutura magnética e elétrica mantiver sua ordem, esta velha terra continuará girando em seu eixo
de maneira normal. As calotas polares em crescimento - Antártica e Groenlândia não estão
centradas no eixo da Terra; e, porque giram em torno dos pólos, estão tentando balançar para baixo
em direção ao equador. A única maneira que eles poderiam fazer seria puxar toda a casca de 60
milhas de espessura ao redor com eles. Contanto que a camada fundida rasa permaneça de plástico,
a casca não se deslocará; mas a cada poucos milhares de anos, a ordem magnética e elétrica dentro
da Terra é interrompida, e a camada derretida pode agir como um líquido livre, o que era o tempo
todo, de qualquer maneira. Em seguida, ele serve como um lubrificante para as calotas polares puxa
rem a casca da terra para dentro. Em 4 a 2 por dia, os pólos se movem quase até o equador, e o
inferno se solta. A atmosfera e os oceanos não mudam com a concha - eles apenas continuam
girando de oeste para leste - e no equador essa velocidade é de 1.600 quilômetros por hora. Tem que
ser, normalmente, fazer uma rotação por dia. Assim, enquanto a concha muda com os pólos indo em
direção ao equador, os ventos e oceanos vão para o leste, soprando sobre a face da Terra com
velocidades supersônicas, inundando continentes com águas com quilômetros de profundidade.
Agora, e quanto ao gatilho? Essa acabou sendo a peça mais evasiva de todo o quebra-cabeça. Não
podíamos confiar em alguma explicação sobrenatural - como alguns acontecimentos ocorridos nos
céus de um caráter vago que na verdade violava as leis da natureza; não, tinha que ser algo natural,
uma parte da estrutura comum da natureza, que perturba a estrutura elétrica e magnética interna da
Terra sempre que acontece.

Pg. 13

Certa vez, pensamos que as manchas solares poderiam ser a causa, porque elas perturbam a
estrutura elétrica e magnética interna da Terra; mas estávamos errados. Descobrimos que a “usina
da natureza” é um sistema motor-gerador existente em muitas magnitudes diferentes. É uma
estrutura básica do universo. A estrutura de energia de um átomo é idêntica à de um planeta em
rotação; a uma estrela branco-azulada; para uma galáxia; a uma supergaláxia; a todos os níveis de
supergaláxias, incluindo um universo e ainda mais. Como um nêutron que escapou da zona neutra
de seu átomo-pai se separa em partículas, uma estrela através de uma mancha solar emite matéria
neutra que explode ao ser energizada; assim, uma galáxia dá à luz uma estrela em explosão quando
uma estrela "morta" escapa de sua zona neutra no centro; e como uma galáxia "morta" explode
quando escapa da zona neutra central de sua supergaláxia-mãe. Um planeta, portanto, deve agir da
mesma forma em seu nível de energia. - Então, aparentemente, uma vez a cada poucos milhares de
anos, a matéria neutra escapa do núcleo interno de raio de 860 milhas para o núcleo externo
derretido de 1300 milhas de espessura, e há uma explosão atômica literal dentro da Terra. A
explosão na camada de alta energia do núcleo externo interrompe completamente a estrutura elétrica
e magnética, tanto no núcleo externo derretido quanto na camada fundida externa de 60 milhas de
espessura. Finalmente, as calotas polares podem puxar a casca da terra ao redor do seu interior, com
a camada fundida rasa lubrificando todo o deslocamento. Você pode ver, então, que as eras glaciais
não são uma questão de avanço e recuo do gelo; é simplesmente que diferentes áreas da Terra estão
em regiões polares em momentos diferentes, por durações de tempo diferentes, com as mudanças
entre as posições ocorrendo em uma fração de dia. A história ao redor do mundo dá um testemunho
silencioso: - O mamute Beresovka, congelado na lama, com botões de ouro na boca; -

Pg. 14

- A idade das gargantas abaixo das Cataratas do Niágara e das Cataratas de Santo Antônio, ambas
cerca de 6, s00 anos; O fim repentino da calota polar da Bacia Laurentiana no Canadá, cerca de
11.500 anos atrás; - Os anos ininterruptos de evolução no Gala- pagos, acima de I1.000; As datações
geológicas no sistema da Bacia do Rio Murrumbidgee, na Austrália, mostrando o fim de uma calota
polar há cerca de 11.500 anos; - A idade dos ossos fósseis retirados dos poços de alcatrão do
Wilshire Boulevard, mais de 11.000 anos; - O fim repentino de todo o trabalho na cidade pré-
histórica de Tiahuanaco, Peru, 9,5 so a.C., ou 11.500 anos atrás; - o grande trabalho de Leonard
Woolley na Terra Santa, datando o dilúvio de Noé há cerca de 6.000 anos; O fim da calota polar de
Wisconsin, cerca de 29.000 anos atrás; - O súbito aumento de 60 metros dos oceanos em todo o
mundo, de 6.00 a 7.000 anos atrás; O súbito aumento do leito do Rio São Lourenço 6.500 anos
atrás; - Os níveis variáveis da linha costeira na Baía
de Hudson; - - Os blocos de granito dos Alpes, situados nas encostas orientais das montanhas do
Jura, a 4.000 pés acima do nível do mar; - A descoberta do grande lendário Fraser de mais de 8.000
lendas de sobrevivência à inundação na região da Península Malaia; - O pântano Pejark na
Austrália, que mostra a rápida extinção de uma civilização há 1.500 anos;

Pg. 15

- O mapa de Piri Reis, mostrando o Pólo Norte na Bacia do Sudão; - O relógio de água egípcio,
mostrando concordância com o mapa de Piri Reis; - Granito no topo das montanhas ao redor do
Vale da Morte na Califórnia! - As grandes estratificações do Grand Canyon, Painted Desert e
Badlands, cada camada homogênea, mostrando que foi depositada ali repentinamente por
fantásticas quantidades de água; - A idade computável das calotas polares da Antártica e da
Groenlândia, cerca de 6.500 anos; - O atual crescimento da calota de gelo da Antártica, cerca de 293
milhas cúbicas por ano; - As lendas do homem primitivo na Terra do Fogo, no extremo sul da
América do Sul, no dia em que o Sol se pôs na direção errada; - As lendas do homem primitivo no
Peru do dia em que o Sol parou; - As lendas dos aborígenes da Malásia e Sumatra da longa noite; -
O varve (estratos terrestres) conta em Wrenshall, Minnesota e Hackensack, Nova Jersey, que
concordam; - A prevalência do jade no Oriente, que é o material levantado do manto, próximo aos
pontos de pivô equatoriais durante uma queda; - A fantástica evidência de uma crescente população
tropical no Ártico da Sibéria e no Alasca, completamente exterminada em uma fração de dia; - A
semelhança das línguas em todo o mundo, do polinésio ao grego, ao egípcio, ao maia, ao esquimó,
ao yakut, ao oriental e muito mais;

Pg. 16

- A correlação de eras glaciais e extinções rápidas em todo o mundo; A sobrevivência da vida


primitiva nos pontos centrais do equador - as duas últimas sendo a Península Malaia e as
Galápagos, agora repletas de lagartos; - A existência de um recife de coral no fundo do Oceano
Ártico; E mais e mais e mais e mais nos dão uma imagem histórica da concha da Terra durante os
últimos 35.000 anos. A evidência esmagadora, quando colocada em ordem, dá um quadro dramático
de quais áreas estiveram no Pólo Norte, quando se mudaram para o pólo, e por quanto tempo
estiveram lá: (Anos atrás) (anos) Oceano Ártico 6.500 Sudão Bacia II, 500 6.500 5.000 Baía de
Hudson 18.500 II, 500 7.000 Mar Cáspio 29.000 18.500 10.500 Wisconsin 35.000 29.000 6.000
Sim, Noah, Adam e Eva, Osiris, Ta'aroa, Zeus , e Vishnu têm significados muito mais profundos
agora; e, enquanto eles se dão as mãos e caminham conosco, ouvimos Adão e Eva dizendo: "Ouça -
por enquanto podemos realmente compartilhar nossa história com você!"

Pg. 17

PG. 18 (NÃO CONSTA)

A HISTÓRIA
Enigma ...
Perseguição ...
Desvendando ...

Pg. 19

PG. 20 (NÃO CONSTA)

É engraçado como algumas coisas podem atormentá-lo desde a infância até a idade adulta. Não
grandes coisas, mas pequenas coisas, que não persistem exatamente, mas irritantemente enfiam a
cabeça pela porta da sua vida e dizem "Buu!" apenas para que você saiba que eles ainda estão lá. Se
eu fizesse uma lista de todas essas coisas em minha vida, poderia ocupar um livro inteiro. Eu
gostaria de falar sobre apenas um desses bichos-papões. Desde a primeira vez que ouvi a história da
criação e de Adão e Eva, ela me "zumbiu", como diria meu filho. Bem, para mim a resposta não era
simplesmente uma das duas alternativas usuais: ou fé inquestionável na história como ela se
apresenta ou o repúdio completo como um total absurdo. Não, a resposta parecia estar em outro
lugar. Se a história fosse ensinada como a verdade de maneira tão uniforme, apesar de sua aparente
divergência das verdades científicas, então para mim o verdadeiro curso pareceria ser uma busca
pelo fundamento da história, o que então levaria a uma leitura verdadeira di
sso. A perseguição aconteceu quase por acidente. Anos de correlação de dados no estudo do
conceito de tombamento da terra mostraram que a última queda ocorreu há cerca de 6.500 anos; que
Noé, ou Utnapishtim, ou qualquer que fosse seu nome, existiu e sobreviveu àquele cataclismo
específico. Um amigo meu sugeriu que Gênesis I é uma descrição quase perfeita das condições em
nosso planeta imediatamente após uma queda. Ao relê-lo, tive que concordar; Gênesis II até
menciona que uma névoa, ou inundação, subiu da terra e regou toda a superfície do solo. Bem
agora! Vale a pena pensar nisso. Se fosse assim, então seria a queda que precedeu a de Noé (outra
história fascinante!), Cerca de 11.500 anos atrás. Este, então, poderia ser aproximadamente o tempo
da história de Adão e Eva. A perseguição começou. Se a história teve origem nessa queda, em que
idioma foi escrita pela primeira vez? Certamente não era hebraico ou grego, pois, pelo que sabemos,
eles não existiam naquela época.

Pg. 21

Se olharmos para homens como Don Antonio Batres Juarequi e James Churchward, podemos ter
nossa resposta. Certamente, seu conhecimento de línguas pré-históricas pode ser a chave, e mais
tarde discutiremos o papel dos Naga e dos Antigos Maias na história de Adão e Eva; primeiro, no
entanto, vamos examinar a história de Gênesis I, II e III. Existem muitas escolas de pensamento
sobre este assunto, mas a mais predominante é que Moisés foi o originador. Isso não parece muito
rebuscado, já que Moisés foi criado na tradição egípcia, em uma casa real, e provavelmente teve
acesso a muitos escritos e ensinamentos religiosos agora perdidos com a passagem dos arquivos do
Egito, em Alexandria, Heliópolis, e Sais. Certamente os Dez Mandamentos foram uma condensação
das quarenta e duas perguntas de Osíris para entrar no céu. Se Moisés escreveu parte do Antigo
Testamento, então ele deve ter tido os escritos das tabuinhas dos Naga, ou interpretações egípcias
deles, transmitidos aos egípcios por milhares de anos; e o sacerdócio egípcio teve conhecimento de
um cataclismo há 11.500 anos. Os padres do Egito supostamente disseram a Sólon durante seus dez
anos no Egito (cerca de 600 a.C.) que 9.000 anos antes houve um cataclismo que enterrou Atlântida
sob o oceano. Observe que 9.000 + 600 a.C. + 1950 DC é igual a 11.550 anos atrás. O irmão de
Moisés, Aarão, tornou-se o primeiro sacerdote-chefe dos hebreus por volta de 1300 a.C. Em algum
lugar entre 15 e 18 gerações mais tarde, o sacerdócio principal tendo sido transmitido de pai e filho
através das gerações, Seraías (ou Seraias) era o sacerdote principal (veja Esdras, e 1 e 2 Esdras). Em
586 a.C., no 19º ano do reinado de Nabucodonosor, Seraías foi preso e executado, e seu filho Esdras
feito cativo na Pérsia (ver 2 Reis). Naquela época, Jerusalém foi saqueada, e todos os registros
hebraicos, incluindo suas leis e registros do Antigo Testamento, foram queimados com o templo em
Jerusalém, por Nebuza-adã, capitão da guarda de Nabucodonosor.

PG. 22

Em 458 a.C., durante o sétimo ano do reinado de Artaxerxes I na Pérsia, Esdras foi encarregado de
restabelecer a religião e a lei hebraica. De acordo com 2 Esdras, Esdras reescreveu a história dos
hebreus desde o início e restabeleceu suas leis. Agora, de $ 86 a 458 a.C. é de 128 anos. O último
que Esdras poderia ter nascido foi após o assassinato de seu pai, Seraías, também poderia ser (veja a
história de Onan, Gênesis 38: 8-10); portanto, o mais jovem que ele poderia ter sido em 458 a.C.
tinha 127 anos. Ele estava trabalhando em uma longa memória. Vamos examinar essa anomalia.
Como mencionado antes, a linhagem de Aarão a Esdras contém de 17 a 20 gerações, incluindo
Aarão e Esdras. Assumindo (1) 1300 a.C. para o início do sacerdócio de Aarão (1290 a.C. é
considerado o tempo do Êxodo); (2) 458 a.C. estar perto do fim do sacerdócio de Esdras; então,
descobrimos que o prazo médio do sacerdócio por geração está entre 42,1 e 49,5 anos. Em vista
disso, podemos acreditar que Esdras serviu no
sacerdócio por aproximadamente 130 anos? Pareceria muito mais plausível supor que foi o avô de
Esdras, Azarias, em vez de seu pai Seraías, que foi levado e executado pelos homens de
Nabucodonosor em 586 aC. Então Seraías e Esdras teriam servido como sacerdotes durante o ano
128 anos de 586 a 458 aC, com uma média de 64 anos cada. É até plausível que o bisavô de Esdras,
Helchiah, pudesse ter sido a vítima em 586 aC, deixando Azarias, Seraías e Esdras para servir os
128 anos por uma média de 42 anos cada, o que é ainda mais próximo da média geral de Aarão até
Esdras, durante um período de cerca de 845 anos. Isso significa que a história de Adão e Eva foi
vista por escrito pela última vez por Helquias ou Azarias, portanto, transmitida verbalmente,
possivelmente por Azarias, e certamente por Seraías e Esdras, e finalmente ditada por Esdras a
cinco escribas. São os escritos dos cinco escribas que temos hoje como obra de Esdras. E o inglês
nem é uma tradução literal. . . por exemplo, "sem forma e vazio" mais literalmente seria
"inundações violentas e ventos horrendos". . .

Pg. 23

Agora, através da reconstrução de Gênesis por Esdras, somos informados de muitas coisas: 1. Por
causa do uso de "árvore", "fruto", "serpente", "querubins" e outras palavras que eram glifos na
linguagem pictórica da pré-história, é evidente que as histórias da Criação e de Adão e Eva foram
provavelmente escritas originalmente nos glifos de Naga, o idioma predominante no hemisfério
oriental de 11.500 anos atrás. Este idioma é quase idêntico ao antigo maia e o progenitor de muitos
idiomas, incluindo as línguas oriental e polinésia, egípcio, grego e yakut. 2. Moisés (e
possivelmente Aarão) pode ter tido acesso a essas tabuinhas, ou versões egípcias delas. 3. Nem
Moisés nem Arão sabiam ler a língua antiga, portanto, liam os glifos literalmente. 4. Não sendo
capaz de ler o simbolismo dos glifos Naga, além de lê-los literalmente, Moisés e Aarão (e
possivelmente Esdras) leram na história de Adão e Eva as atitudes sociais e religiosas de seus dias.
Naquela época, a mulher era considerada a raiz de todo pecado, uma criatura humilde, seu
nascimento registrado apenas como uma exceção, e basicamente sendo a causa de cada queda do
homem - um potencial diário. Essa atitude persiste em algumas religiões até os nossos dias. É de se
admirar que Eva foi carregada com a responsabilidade pela queda de toda a humanidade, como
resultado das interpretações lidas nos Naga por Moisés? E na leitura de Moisés por Esdras? Talvez
também tenha sido interpretado na história por sacerdotes egípcios muito antes da época de Moisés,
e passado a ele como história. s. A fusão de duas histórias (versões P e J) em uma para fazer a
história de Gênesis I, II e III pode confundir "o homem" com Adão. É possível que Adão, estando
apenas nove gerações à frente de Noé, com o intervalo de tempo da Era Polar da Bacia do Sudão
cobrindo 5.000 anos, não fosse "o homem" referido na criação, mas seu nome e experiências
posteriores foram fundidos com " a história do homem.

Pg. 24

Lembre-se, entretanto, que somos informados de que Esdras ditou de memória toda a história para
cinco escribas, e esta obra contém Gênesis como o conhecemos hoje. Para ele, lembrar dos arquivos
de sua mente o que ele fez - tão bem quanto fez - certamente indica inspiração de alta ordem; mas
também parece evidente que ele não tinha conhecimento do fato de 5.000 anos transcorrerem entre
Gênesis I e o dilúvio de Noé. É claro em 2 Esdras 3: 9 que Gênesis I e o dilúvio de Noé
representaram duas inundações, porém, ao falar das duas ocasiões, ele diz do dilúvio de Noé: “E
novamente no decorrer do tempo trouxeste o dilúvio sobre aqueles que habitaram no mundo e os
destruíram. " Agora, mencionamos antes que a linhagem dos sumos sacerdotes de Aarão a Esdras
difere em número de gerações (17 ou 20) e nomes como apresentados em 1 e 2 Esdras; e ambos
diferem em nomes do livro de Esdras. Também encontramos diferenças nas linhagens de Noé a
Jesus (aprox
imadamente 51 gerações) na Bíblia. É de se admirar, portanto, que algumas gerações pudessem ter
sido omitidas na linha de Adão a Noé? E a linha de Aaron para Ezra? E à luz do fato de que, além
de evidências científicas avassaladoras, existem inúmeras lendas na área da Ásia-Pacífico,
transmitidas da inundação de 11.500 anos atrás, de uma criação muito parecida com a de Gênesis I e
II , não é possível que "o homem" da história do Gênesis tenha se confundido com Adão ao longo
dos milhares de anos, e por meio de uma queda e inundação sucessivas na época de Noé, há 6.500
anos? O milagre na verdade é que toda a história da "criação" e de Adão e Eva é tão não distorcida
quanto é; com 11.500 anos de idade, ela sofreu muitos desastres causados por seus guardiões nos
anos que se seguiram. Por causa da falta de informações de resolução, "o homem" e Adão são
mantidos como um nesta tradução-interpretação.

PG. 25

6. Os glifos Naga significativos que nos foram dados por Esdras através da leitura direta de Moisés
são: Querubins Homem Fruta Costela Mulher Serpente O sono de Adão Espada Flamejante da
Árvore Nosso conhecimento dos glifos Naga nos diz que a árvore (da vida) simbolizava um
continente-mãe, um pai civilização durando milhares de anos a mais do que a nossa hoje. Uma
serpente sem adornos representava a água, ou o oceano; uma serpente enroscada na árvore
significava que o continente-mãe estava rodeado de água. Gênesis III, 15 realmente descreve o
calcanhar de Eva na cabeça da serpente, mostrando sua vitória sobre os oceanos. Querubins - que
não eram bebês bonitos e roliços, mas homem e fera híbridos - eram os glifos para as pernas, ou
alicerces, ou sustentáculos. Em vez de ser colocado no jardim do Éden, um foi levado embora; e
uma leitura naga ou maia do Livro dos Mortos egípcio mostra que os querubins do Norte, Leste, Sul
e Oeste foram retirados - o que significa que as fundações do continente-mãe, em todas as direções,
foram removidas ou destruídas. A espada flamejante era o símbolo de fogo e terremoto. O fogo
significou o que todas as lendas desses cataclismos chamam de fogo da terra, que é a camada
derretida abaixo da casca da Terra de 60 milhas de espessura rompendo a superfície durante uma
queda, um verdadeiro inferno. É muito provavelmente a origem do conceito de inferno do homem,
na verdade. Agora, de volta à árvore: os frutos crescendo naquela árvore simbolizavam a
humanidade original que estabeleceu o continente-mãe eras antes de Adão e Eva. O fato de
comerem do fruto nos diz que eles eram descendentes dessa humanidade originária do continente.
Eva comendo primeiro significa que ela pertencia à geração depois de Adão, tornando-a sua filha.
Sua filha!?

Pg. 26

O glifo da criação é ainda mais revelador. Existem três figuras representadas nesta imagem; a figura
superior é o rosto de uma pessoa adormecida ou morta (não havia símbolos separados para morte e
sono em Naga - ambos eram representados da mesma forma). A figura do meio é mostrada como
um homem e a figura de baixo uma mulher que é representada como a mãe de toda a humanidade.
Além disso, existem linhas curvas da pessoa adormecida ou morta e da figura média masculina até a
figura feminina inferior. Este glifo foi interpretado como significando que a figura do meio, um
homem, foi adormecida, mostrada pela figura superior, e uma costela (ou costelas) removida dele
(as costelas sendo as linhas curvas) e moldadas na figura inferior , a mãe feminina de toda a
humanidade. Isso se encaixa lindamente com a história da criação de Eva, sendo Adão, portanto, a
figura média masculina e a figura superior, uma pessoa adormecida (ou morta). Há um pequeno
obstáculo nessa história, no entanto: a figura superior, dormindo ou morta, é retratada como uma
mulher! Como poderia ser Adão, adormecido, acordado, morto ou Além disso, em Naga as linhas
curvas denotam linhagem em vez de costelas; então, mais razoavelmente, parece que a figura
superior é uma mulher morta, cuja descendência pela figura médi
Norte. Esta foi a época que o Talmud afirma ser o cenário das Plêiades abaixo do horizonte, quando
a Terra Santa foi movida para uma "região de frio terrível" por muitas gerações - na verdade por
5.000 anos até o dilúvio de Noé, 6.500 anos atrás. Os pontos de pivô equatorial estavam na costa do
meio do Chile e no meio da China, perto do Yangtze, ao norte do Vietnã. O grande continente do
Pacífico desapareceu quase completamente - o que agora é a Ilha de Páscoa, então na borda do
continente, caiu para permanecer no fundo do Oceano Pacífico por 5.000 anos para ser levantado
novamente no cataclismo que causou a enchente de Noé. O que restou do vasto continente do
Pacífico rolou para o Pólo Sul, para ser descoberto

Pg. 32

erigido pelos exploradores maias como os últimos vestígios de sua pátria, um "reservatório
congelado de lama no fundo da terra", com milhões de quilômetros quadrados de área. Do grande
continente no Atlântico, apenas uma grande ilha foi deixada no oeste, enquanto o oceano entre lá e
Gibraltar a leste foi deixado raso, lamacento e intransitável para os navios. Uma pista sobre o
grande conhecimento daquela época surgiu quando o Capitão Cook descobriu a tribo Maori da
Polinésia na Nova Zelândia em 1700. Eles lhe contaram sobre lendas antigas dos anéis de Saturno -
e eles nem tinham ouvido falar de telescópios. Agora você tenta ver esses anéis a olho nu e
descobrirá que é impossível. As evidências em Tiahuanaco mostram que sua grande civilização foi
destruída tão repentinamente que as pessoas foram apanhadas no meio de suas atividades diurnas
normais por uma inundação catastrófica. Além disso, as evidências mostram que esta fabulosa
cidade sofreu o mesmo destino que a Ilha de Páscoa: embora as Montanhas Rochosas e os Andes
tenham começado neste cataclismo, Tiahuanaco foi soterrada sob o Pacífico, para permanecer lá por
$, 000 anos, depois ser levantada à sua altitude atual de 12.500 pés no último cataclismo, 6.500 anos
atrás. Assim, o cataclismo de 11.500 anos atrás viu a Baía de Hudson e a área polar oposta logo a
sudoeste da Austrália rolar para o equador em lados opostos da Terra, e a região da Bacia do Sudão
rolar para o Pólo Norte, para permanecer lá durante o nos próximos muuuuito anos. Enquanto essa
mudança estava ocorrendo, levando apenas 4 a um dia para se completar, os oceanos e a atmosfera
da Terra, por meio do momento angular, continuaram girando em sua direção normal durante a
maior parte da mudança, com os oceanos inundando violentamente a maior parte das terras de a
Terra e a atmosfera trazendo furacões inimagináveis de velocidades de vento supersônicas.
Continentes inteiros foram submetidos a tremendas convulsões e terremotos. A camada fundida
abaixo do

Pg. 33

a casca de 60 milhas de espessura da terra rompeu a casca em lugares por todo o mundo, e foi
posteriormente chamada de "fogo da terra" pelos poucos que sobreviveram. . . . . Os oceanos e os
ventos levaram seis dias após o início do cataclismo para resolver suas guerras holocaústicas na
superfície da terra, e no sétimo dia começaram a se estabelecer em 5.000 anos de complacência
normal. As calotas polares de três quilômetros de espessura da Bacia Laurentiana e do Oceano
Índico, tendo mudado de suas casas polares e iniciado um novo curso de rotação equatorial,
começaram a derreter em velocidades tremendas no calor tórrido, abrindo grandes sulcos nas
montanhas como o apressando, jorrando, rodopiando água e gelo oprimindo tudo em seus
caminhos. A grande quantidade de umidade derramada na atmosfera envolvia a Zona Torrid em uma
névoa escura por muitos anos durante várias gerações. Os oceanos subiram cerca de 6 metros em
todo o mundo com o súbito derretimento das calotas polares, como ocorre após cada cataclismo. O
fim da Idade do Gelo Laurentiana e o início da "Velha Idade da Pedra" foram completos. A língua
maia sobreviveu em restos dispersos: línguas polinésias, grego, yakut, egípcio, línguas esquimós,
nômades, oriental, alemão, índio americano - quase
todas as línguas. A ressurreição das águas Tau - viveu em muitas histórias de um homem que
sobreviveu, mais tarde se tornou Ta'aroa, Tongaroa, Taroa'a, dependendo da lenda da tribo que você
encontrar. Adão e Eva poderiam ter surgido da mesma história. Quem sabe?

Pg. 34

GÊNESE: 4, s00.000.000 ANOS ATRÁS ESTA REGENESIS: 11.500 ANOS ATRÁS Ambos na
Bíblia Uma tradução-interpretação de Gênesis I, II e III, de uma reconstrução do que os Naga
devem ter sido para nos dar os capítulos como nós os tinha em inglês; em seguida, traduzindo
diretamente do Naga para o inglês, ignorando o grego e o hebraico.

PG. 35

PG. 36 (NÃO CONSTA)

O LIVRO DE GÊNESIS (Capítulos I, IIánd III). I. 1. I No início (4,5 bilhões de anos atrás) o
universo foi criado no grande desígnio de Deus. Incluído estava nosso Sol e nosso planeta Terra. 2.
E durante um dos muitos cataclismos que ocorreram durante a história da Terra (este sendo 11.500
anos atrás), as terras da Terra foram todas inundadas por águas turbulentas e devastadas por ventos
horrendos; e os oceanos estavam todos escuros de lama. E o vento mau trovejou sobre as águas
turbulentas também. 3. E à medida que as tempestades diminuíam, a luz do sol voltou à face da
terra, como Deus pretendia. 4. E, enquanto o holocausto estava diminuindo, mais uma vez a
escuridão e a luz do sol foram restabelecidas e distinguíveis, e isso era bom. S. E a luz do sol era
novamente diurna, e as trevas novamente noturnas, de acordo com o desígnio de Deus; e a tarde e a
manhã formavam um dia. 6. I Novamente, o desígnio original de Deus era que houvesse um céu
entre as nuvens e os oceanos; 7. E de acordo com o desígnio de Deus, os céus foram restabelecidos,
de modo que o céu novamente ficou entre as nuvens e os oceanos, à medida que o ataque das
grandes tempestades diminuía. 8. E os céus de Deus foram de fato restabelecidos; e aquela tarde e
aquela manhã foram o início do segundo dia.

Pg. 37
9. I E o desígnio de Deus era que as terras não fossem totalmente cobertas pelos oceanos, pois
estavam imediatamente após um cataclismo, de modo que os oceanos perturbados, agora se
assentando, drenaram das terras mais altas. 10. E, de acordo com o desígnio de Deus, a terra seca
era terra, e, as águas, oceanos, e mais uma vez foi restabelecida e boa, como Deus pretendia. 11. E
visto que o desígnio de Deus era que a terra produzisse grama e ervas, produzindo sua semente, e o
fruto produzindo fruto contendo sua semente; e a terra foi novamente restabelecida. 12. Portanto, a
terra, sendo restabelecida, produziu grama e ervas, dando sua semente, e a árvore frutífera dando
frutos contendo sua semente; e foi bom, como Deus pretendia. 13. E a tarde e a manhã foram o
início do terceiro dia. 14. I De acordo com o desígnio de Deus, normalmente havia luzes nos céus,
que serviam para indicar meses, estações, dias e anos; 15. Eles também serviram para fornecer luz
na terra, como Deus pretendia. 16. E quando a grande névoa se dissipou e as nuvens se dissiparam,
o Sol e a Lua reapareceram, e também as estrelas; 17. E mais uma vez, conforme a intenção de
Deus, eles brilharam dos céus; 18. E o Sol e a Lua novamente foram capazes de dividir a luz e as
trevas, o que foi bom. 19. E a tarde e a manhã foram o início do quarto dia. 20. E era a vontade de
Deus que algumas de todas as criaturas vivas, e pássaros voando, sobrevivessem à in- undação
cataclísmica.

Pg. 38

21. Sobreviveram então as grandes baleias e todas as criaturas vivas do mar e todas as espécies de
aves aladas; e foi como Deus pretendia, e bom. 22. E eles foram abençoados com o desígnio
original de Deus para serem frutíferos, se reproduzirem e encherem os oceanos com vida marinha e
o ar com aves. 23. E foi a tarde e a manhã o início do quinto dia. 24. I E era a vontade de Deus que
algumas de todas as criaturas, gado e coisas rastejantes e bestas da terra, sobrevivessem à inundação
cataclísmica; 25. Sobreviveram então
os animais, o gado e tudo o que rasteja sobre a terra; e foi como Deus pretendia, e bom. 26. E de
acordo com o desígnio de Deus, o homem, que foi criado à imagem que Deus pretendia, também
deveria sobreviver e ter domínio sobre as aves do ar, e sobre o gado, e sobre toda a terra, e sobre
todos os répteis coisa que se arrasta na terra. 27. Portanto, era desígnio de Deus que o homem,
criado à imagem que Deus pretendia, tanto homem quanto mulher, sobrevivesse à inundação
cataclísmica. 28. E eles foram abençoados com o desígnio original de Deus de serem frutíferos, se
multiplicar e encher a terra e controlá-la; e dominem os peixes do mar e as aves do céu e todos os
seres vivos que se movem sobre a terra. 29. I E o desígnio de Deus era que o homem, recebendo
toda erva que produza semente, que está sobre a face de toda a terra, e toda árvore, na qual é o fruto
de uma árvore que dê semente; para o homem deveria ser para comida. 30. E a todos os animais da
terra, e a todas as aves do ar, e a todas as coisas que rastejam sobre a terra, em que

Pg. 39

existe vida, o desígnio de Deus era que as ervas verdes servissem como alimento; e foi como Deus
pretendia. 31. E tudo o que sobreviveu era como Deus havia originalmente criado, e ainda estava no
desígnio de Deus e era bom. E a tarde e a manhã foram o início do sexto dia. II. 1. I Assim os céus e
a terra foram restabelecidos, todas as hostes deles. 2. E no sétimo dia a recuperação do holocausto e
do dilúvio foi completa; e o sétimo dia trouxe descanso da luta pela sobrevivência contra o
holocausto e seus efeitos colaterais. 3. E o sétimo dia trouxe a abençoada paz de Deus, pois o
holocausto havia diminuído, deixando aqueles de sua criação que sobreviveram. 4. I Essas são as
mesmas regenerações dos céus e da terra que foram restabelecidas após a queda anterior à desta
história, quando o Senhor Deus restabeleceu a terra e os céus. 5. E cada planta do campo antes
daquele cataclismo estava na terra, e cada erva do campo antes de crescer. Pois o Senhor Deus não
trouxe chuva sobre a terra nesta região, e não havia homem para lavrar a terra. 6. Mas houve este
cataclismo, e grandes inundações surgiram sobre a terra. 7. E era a vontade de Deus que o homem
se levantasse da terra e guardasse o fôlego da vida e permanecesse uma alma vivente. Esta é a
história dele. 8. I E era a vontade de Deus, após um cataclismo, que um continente a leste fosse
estabelecido, e lá no Éden vivia o homem desta história.

PG. 40

9. E desta terra cresceram outras civilizações, em outras terras, com a pátria no meio de tudo sendo
a sede da sabedoria, de todo o conhecimento, tanto do bem como do mal. 10. E a inundação destruiu
o Éden, deixando apenas suas quatro terras descendentes. (Nota: Os próximos quatro versículos
estão provavelmente incorretos, com a descrição verdadeira bloqueada em traduções corretas do
"Livro dos Mortos" do Egito e a parte ausente do mapa de Piri Reis.) 11. A primeira terra fica perto
do rio Pison, que inclui toda a terra de Havilá, onde há ouro; 12. E o ouro daquela terra é bom: ali
está o bdélio e a pedra ônix. 13. E a segunda terra é perto do rio Giom: a mesma terra que inclui
toda a terra da Etiópia. 14. E a terceira terra é perto do rio Hidequel: esta é a terra que fica ao
oriente da Assíria. E o quarto terreno fica perto do rio Eufrates. 15. E era na província de Deus que
o homem era do Éden, onde vivia e trabalhava. 16. E ele era descendente da humanidade original
que estabeleceu aquela pátria mãe. 17. E o desígnio de Deus era que o homem fosse avisado:
embora a pátria fosse a fonte de todo o conhecimento, tanto o bem quanto o mal, se ele ficasse ali,
certamente morreria. 18. I E era desígnio de Deus que o homem não ficasse só, portanto uma
companheira deveria ser sua; 19. E visto que Deus havia originalmente criado cada animal do
campo e ave do ar, e em seu tempo Adão havia nomeado cada um;

Pg. 41

20. E Adão deu nomes a todos os animais domésticos e às aves


a masculina (Adão) foi a figura feminina inferior (Eva), a mãe dos hebreus. eu tenho?

Pg. 27

Então, em essência, a história lida dos glifos seria que Adão e Eva, que viviam no Jardim do Éden
no continente-mãe (árvore), eram descendentes da humanidade original (fruto) daquela terra, que
aliás era rodeado inteiramente por água (serpente ao redor da árvore). Eva era filha de Adão e ele
era viúvo. Eles perceberam que, para sobreviver, teriam que partir e nunca mais tentar retornar, pois
a pátria seria destruída por uma inundação cataclísmica. Eles saíram; e depois, o continente (árvore)
foi sujeito a um terremoto de fogo (espada flamejante), durante o qual perdeu seus alicerces
(querubins), e afundou no oceano (serpente) que para sempre andou depois sobre o continente
submerso ( em sua barriga). Portanto, vamos revisar o evento - dois cataclismos atrás - e então
aplicar nosso conhecimento a uma tradução-interpretação representativa de Gênesis I, II e III. Pode
ser a leitura mais precisa de uma história escrita há 1.500 anos.

PG. 28

O EVENTO há 11.500 anos ...

Pg. 29

PG. 30 (NÃO CONSTA)

Você já se sentou à noite em uma mesa de cartas com um quebra-cabeça de 1000 peças? Por você
mesmo? Leva horas e horas para montá-lo, não é? Com tentativa, erro e paciência, todos
desempenhando seus papéis. Ainda estamos testando algumas das peças que ainda não foram
encaixadas em nosso quebra-cabeça mundial e estamos "na mesa" desde 1949. No entanto, embora
incompleto, ele nos mostra uma representação gráfica da imagem da Terra I1 , 500 anos atrás. Olhe
para um globo do mundo. Selecione Longitude 90 ° W - Latitude 60 ° N. Este ponto fica na parte
oeste da Baía de Hudson. Agora segure o globo de forma que 90 ° W - 60 ° N esteja no Pólo Norte,
no eixo de rotação. Essa foi a configuração do mundo entre 18.500 anos atrás e 11.500 anos atrás. A
capa de gelo do Pólo Norte formou a Bacia Laurentiana no Canadá. Os continentes, entretanto, não
eram exatamente os mesmos. Havia um enorme continente na área do Oceano Atlântico, que se
estendia da Islândia e da Inglaterra através do Atlântico até as Bahamas. O Golfo do México e o
Mar do Caribe não existiam - eram terras naquela época. Havia outro continente no Pacífico
cobrindo uma área agora circundada pelas ilhas Havaianas, os Gala-pagos, a Ilha de Páscoa, o Taiti,
as Ilhas Salomão e as Ilhas Carolines. A Província do Ceilão detinha a principal civilização da Índia.
O Egito e a Terra Santa eram misturas prósperas de vegetação e civilização. A Grécia, terra dos
helenos, era o lar de uma raça loira alta, de olhos azuis, com padrões de ciência e lei incomparáveis
até hoje. A Bacia Amazônica era um mar interior - as lendas o chamam de Mar de Xarayes - e a foz
do rio Amazonas

PG. 31

era então uma ampla conexão marítima entre o Atlântico e Xarayes. A costa oeste da América do
Sul não era montanhosa, a cidade pré-histórica de Tiahuanaco, no Peru, agora a 12,50 pés acima do
Pacífico, estava então ao nível do mar. Era um porto marítimo de metrópole, com um sistema de
canais para navios do tamanho de qualquer um que temos hoje, atravessando do Pacífico ao mar
interior. Os astrônomos de Tiahuanaco usaram telescópios como os nossos de hoje; e eles tinham
um enorme satélite orbitando a Terra - de oeste a leste, 449 vezes por ano, que eles usavam como
um padrão de tempo, sua órbita era muito precisa. Ahoydia, agora um subúrbio de Lucknow, era a
capital da Índia. E os grandes navegadores, os grandes cientistas, os grandes exploradores do
hemisfério oriental eram os maias de olhos e cabelos escuros. Cerca de 11.500 anos atrás, em 9.550
aC, conforme datado por astrônomos do Observatório de Potsdam a partir de escritos nas ruínas de
Tiahuanaco - a casca da Terra com 60 milhas de espessura mudou de posição mais uma vez em 4 a
2 por dia, 7.000 anos após a mudança anterior . O Pólo Norte mudou-se para o sul, e a Bacia do
Sudão na África mudou para o Pólo
do céu e a todos os animais do campo; mas para Adam não havia companheira. 21. Pois a
companheira de Adão havia morrido, após dar à luz um filho de Adão; 22. E o filho do homem era
uma mulher, feita à imagem que Deus planejou; 23. E Adão disse: esta criança é osso de meus ossos
e carne de minha carne; e ela cresceu e se tornou mulher. 24. Portanto, o homem era pai e mãe para
ela, e ela morava com ele, como se fossem uma só carne. 25. E o clima lá era quente, exigindo
pouca ou nenhuma roupa. III. 1. I Bem, no momento do início desta história, os oceanos estavam
em seu estado normal de quietude; e era sabido pela mulher desta história que ela não era
descendente de nenhum dos povos das terras que surgiram do continente-mãe; 2. E o desígnio de
Deus era que a mulher aprendesse que o povo da prole continuaria a viver, 3. Mas o povo da pátria
mãe, de quem ela descendia, certamente morreria. 4. E ela sabia que, apesar da inundação iminente,
ela certamente não morreria; 5. Pois o desígnio de Deus era que, desde o dia em que ela nasceu, ela
descendesse da humanidade original da pátria mãe, e estava destinada a conhecer tudo, para
discernir o bem e o mal. 6. E a mulher, sendo da pátria mãe, e sendo sábia e boa, sabia que ela e seu
pai eram

Pg. 42

descendia da humanidade original da pátria. 7. E ambos eram sábios e tinham levado uma vida boa;
e era aquela época do ano em que algumas roupas eram necessárias para se aquecer. 8. E no frio
daqueles dias, quando eles estavam se perguntando para qual das terras descendentes eles deveriam
ir, e a presença de Deus foi sentida fortemente por eles, 9. Adão sentiu o chamado de Deus, 10. E
disse: Eu ouvi Aviso de Deus desde o verão, e temido, pois não sabia onde encontrar refúgio; 11. E
o aviso de Deus veio a ele no verão, como um aviso para deixar a terra de seus ancestrais. 12. E o
homem disse, a mulher que é minha filha, e descendente de meus antepassados, deu-me este
conhecimento; 13. E perguntou-lhe: Que dom de conhecimento Deus te deu? E a mulher disse: Sou
de vossos antepassados e herdei a sua sabedoria; e as inundações dos oceanos que se aproximam me
foram reveladas; 14. E o desígnio de Deus era que os oceanos inundassem as terras, e afogassem
todo o gado e todos os animais do campo, e enterrassem todo o pó, 15. E Deus, assim, me deu a
vitória sobre os oceanos, de modo que o a semente das gerações futuras está em você e em mim,
pois os oceanos afogarão todas as outras. 16. E o desígnio de Deus era que, embora a inundação
multiplicasse grandemente suas tristezas, ela ainda assim geraria filhos, pois seu amor seria por seu
marido, e o dele por ela. 17. E para Adão era a vontade de Deus que ele atendesse as palavras de sua
filha, e a advertência de Deus de que, embora fossem descendentes da humanidade original da
pátria, eles deveriam deixá-la, pois ela estava destinada à destruição, e se eles ficassem , com
certeza eles se arrependeriam;

Pg. 43

18. E para onde Adão deveria ir, a terra seria difícil de cultivar, com abundantes espinhos e
abrolhos; e mesmo assim a erva do campo deveria ser seu alimento. 19. Por seu próprio trabalho e
suor ele estava destinado a lutar pela sobrevivência após a inundação, até o fim de seus dias, quando
ele retornaria à mãe Terra, pois era da Terra o homem veio, e à Terra ele deverá Retorna. 20. E após
a inundação, Adão, portanto, fez da mulher sua esposa, e chamou-a de Eva, porque ela seria a mãe
de todos os viventes da pátria mãe. 21. E, novamente após a inundação, como eles estavam em um
clima mais frio, foi o desígnio de Deus como parte de sua sobrevivência que eles fizessem casacos
de peles e se vestissem. 22. I E era o desígnio de Deus que Adão levasse consigo o conhecimento do
bem e do mal da pátria mãe, conforme ele partiu e partiu para viver; 23. Portanto, de acordo com a
vontade de Deus, ele deixou o jardim do Éden para sobreviver e viver do solo para onde deveria ir.
24. Então o homem foi embora; e o jardim do Éden foi sujeito a um cataclismo de te
rremotos e incêndios, e a pátria mãe perdeu seus alicerces e afundou nos oceanos.

Pg. 44

CONCLUSÃO
Índia ...
Grécia ...
Egito ...

Pg. 45

PG. 46 (NÃO CONSTA)

Quando Indra, Rei dos Deuses, destruiu o Titã que mantinha as águas da terra cativas em suas
entranhas, ele retornou às alturas da Montanha Central com o canto das chuvas e águas correntes
em seus ouvidos. Mas onde ficava sua morada, ele viu apenas ruínas e cinzas. Então ele convocou
Visvakarman, deus das obras e artes, e pediu-lhe que construísse outro palácio que combinasse com
seus poderes. O arquiteto começou a trabalhar; logo torres, edifícios e jardins se ergueram entre
lagos e bosques. Indra o incentivou a seguir em frente com impaciência. Cada dia ele clamava por
alguma nova maravilha, novo deleite para os olhos, paredes mais imperiais, pavilhões mais
ricamente adornados, estátuas em maior número e astúcia. Uma febre parecia queimar nele. E
Visvakarman, exausto por seus labores, decidiu apresentar uma reclamação ao Criador do mundo.
Brahma o recebeu, deu ouvidos, aprovou e foi pleitear sua causa perante Vishnu, o Ser supremo.
Ajuda foi prometida. Logo um jovem brâmane apareceu no palácio do rei e exigiu uma audiência.
Encantado com a luz de seus olhos, Indra atendeu ao seu pedido. "Oh, rei", disse o mensageiro, "teu
palácio será o mais nobre de todos." Essas palavras foram doces aos ouvidos de Indra, e ele se
alegrou. O mensageiro de Vishnu continuou: "Será o mais nobre dos palácios que os Indras antes de
ti tentaram construir." O rei ficou inquieto. "Você diz que houve outros Indras, outros Visvakarmans
antes de nós, outros palácios antes do meu?" "De fato, sim", respondeu o jovem. "Eu os vi." "Além
disso, eu vi o mundo surgir e desaparecer, surgir e desaparecer novamente, como a carapaça de uma
tartaruga saindo do oceano infinito e afundando de volta. Eu estava presente no amanhecer e no
crepúsculo dos Ciclos, depois de contar em seus números, nem poderia contar todos os Indras e
Visvakarmans, mesmo os Vishnus e Brahmas, seguindo um ao outro sem fim. " Brahmavaivarta
Purana e Krishnajanma Khanda

Pg. 47

PG. 48 (NÃO CONSTA)

"Ó Sólon, Sólon, vocês helenos são apenas crianças... Não existe nenhuma doutrina antiga
transmitida entre vocês por tradição antiga, nem qualquer ciência que esteja envelhecida com a
idade, e eu lhe direi a razão por trás disso. Houve e haverá ser novamente muitas destruições da
humanidade decorrentes de muitas causas, a maior tendo sido provocada pelo fogo da terra e
inundações. O que quer que tenha acontecido em seu país ou no nosso ou em qualquer outro país de
que estamos informados, qualquer ação que seja nobre e grande ou de qualquer outra forma notável
que aconteceu, tudo o que foi inscrito há muito tempo nos registros do nosso templo, enquanto você
e outras nações não mantiveram registros imperecíveis. E então, após um período de tempo, as
habituais visitas de inundação como uma peste e deixa apenas aqueles de vocês que estão
destituídos de letras e educação. E, portanto, vocês têm que começar de novo como crianças e nada
saber do que aconteceu nos tempos antigos, seja entre nós ou entre vocês. " "Quanto às suas
genealogias que nos relatou, não são melhores do que contos de crianças; porque, em primeiro
lugar, você se lembra de apenas um dilúvio, enquanto havia um certo número deles. E no próximo
lugar morou em sua terra, que você não conhece, a mais bela e nobre raça de homens que já viveu,
da qual você é apenas uma semente ou remanescente. E isso não era conhecido por você porque por
muitas gerações os sobreviventes daquela destruição não fizeram nenhum registro. " Platão: Timeu
(falado por um sacerdote do Egito)

PG. 49

PG. 50 (NÃO CONSTA).

Portanto, não temeremos, ainda que a terra seja removida e as montanhas sejam carregadas para o
meio do mar; Embora as águas rugam e sejam agitadas, embora as montanhas estremecem com o
seu aumento. Salmo 46

Pg. 51

O Autor

O Sr. Thomas frequ


entou o Dartmouth College e a Co-lumbia University, recebendo "seu diploma em Engenharia
Elétrica da última em 1943. Como resultado de sua pesquisa desde 1949, o Sr. Thomas tornou-se
reconhecido como a maior autoridade mundial no campo da geologia cataclísmica e sua relação
com a geologia uniformitariana. Em 1959, ele aplicou suas descobertas à possibilidade de previsão
de terremotos e, em um seminário em novembro de 1959, publicou os resultados de seus estudos.
Ele então previu com precisão os meses, anos e locais de os principais terremotos africanos e
chilenos de 1960, o terremoto iraniano de 1962, o terremoto Jugoslavo de 1963 e ainda previu que a
Califórnia não teria grandes terremotos nos cinco anos seguintes. Sua pesquisa de correlação nos
campos de estratigrafia, paleontologia de vertebrados, radiologia , oceanografia, glacio- ogly,
sismologia, paleofilologia, magnetismo terrestre, antropologia e outros campos relacionados,
demonstrou que o catac as teorias da geologia lísmica apresentadas por DeLuc em 1779 e Cuvier
em 1812 são definitivamente mais aceitáveis do que eram anteriormente nos círculos científicos
internacionais. Os esforços definitivos do Sr. Thomas em integrar as várias ciências da terra o
distinguiram como o único americano hoje com tal forte científico especializado. Sua pesquisa em
paleociências levou a novas explicações de enigmas como a Pirâmide de Khufu em Gizeh, as
antigas cidades de Tiahuanaco e Baalbek e as estátuas gigantes da Ilha de Páscoa.

PG. 55

LEITURA SUPLEMENTAR

Cidades Secretas da América do Sul Harold T. Wilkins; As Cidades Perdidas da África Basil
Davidson; O Continente Perdido de Mu James Churchward; Os Americanos Perdidos Frank C.
Hibben; Deuses, Túmulos e Estudiosos CW Ceram; O Planeta Terra Scientific American; A Nova
Astronomia Scientific American; Primitive Man e seus caminhos Kaj Birket Smith; Povos
primitivos hoje Edward Weyer, Jr.; Mundo estranho Frank Edwards; A Bíblia como história Werner
Keller; Sexo e família na Bíblia Raphael Patai; Desenho do universo Fritz Kahn; Mundos em
colisão Immanuel Velikovsky; Quantos anos tem a Terra? Patrick M. Hurley.

Você também pode gostar