Você está na página 1de 9

Auditoria e Certificação Ambiental Sistema de Gestão Ambiental ISO 14.001

Prof. William Costa Rodrigues Dr. em Agronomia

2007

Conceituação

A

auditoria ambiental consiste em processo sistemático de inspeção, análise

e

avaliação das condições gerais ou especificas de uma determinada

empresa em relação a fontes de poluição, eficiência dos sistemas de controle de poluentes, riscos ambientais, legislação ambiental, relacionamento da

empresa com a comunidade e órgão de controle, ou ainda do desempenho ambiental da empresa.

A

auditoria ambiental tem como objetivo caracterizar a situação da empresa

para fornecer um diagnóstico atual no que diz respeito a poluição do ar, águas e resíduos sólidos, favorecendo a definição das ações de controle e de gerenciamento que deverão ser tomadas para proporcionar a sua melhoria

ambiental.

A

auditoria fornece recomendações de ações emergenciais, de curto, médio

e

longo prazo que deverão ser tomadas para proporcionar a melhoria

ambiental da empresa. De forma sucinta, pode-se dizer que a auditoria ambiental compara resultados com expectativas ambientais.

Auditoria e Certificação Ambiental

Conceituação

• O sistema de gestão ambiental está intimamente ligado à auditoria ambiental. O SGA depende da auditoria para poder evoluir na perspectiva de melhoria contínua. Ao se implementar um sistema de gestão ambiental, automaticamente implementa-se a auditoria ambiental periódica. Assim, é necessário o conhecimento da auditoria ambiental como instrumento de gestão ambiental que irá “pilotar” o SGA

• De acordo com a NBR ISO 14010 (ABNT 1996c), auditoria ambiental é o processo sistemático e documentado de verificação, executado para obter e avaliar, de forma objetiva, evidências de auditoria para determinar se as atividades, eventos, sistema de gestão e condições ambientais especificados ou as informações relacionadas a estes estão em conformidade com os critérios de auditoria, e para comunicar os resultados deste processo ao cliente.

Auditoria e Certificação Ambiental

Histórico

• A auditoria ambiental surgiu nos Estados Unidos no final da década de 70, com o objetivo principal de verificar o cumprimento da legislação.

• Ela era vista pelas empresas norte-americanas como uma ferramenta de gerenciamento utilizada para identificar, de forma antecipada, os problemas provocados por suas operações.

• Essas empresas consideravam a auditoria ambiental como um meio de minimizar os custos envolvidos com reparos, reorganizações, saúde e reivindicações.

• Muitas empresas aplicavam, também, a auditoria para se prepararem para inspeções da Environmental Protection Agency - EPA e para melhorar suas relações com aquele órgão governamental.

Auditoria e Certificação Ambiental

Histórico

• Na Europa, a auditoria ambiental começou a ser utilizada na Holanda, em 1985, em filiais de empresas norte-americanas, por influência de suas matrizes.

• Em seguida, em outros países da Europa, a prática da auditoria passou a ser disseminada em países como Reino Unido, Noruega e Suécia, também por influência de matrizes americanas.

• É na Europa, em 1992, no Reino Unido, que surgiu a primeira norma de sistema de gestão ambiental, a BS 7750 (BSI, 1994), baseada na BS 5770 de Sistema de Gestão da Qualidade, onde a auditoria ambiental encontra-se ali normalizada.

Auditoria e Certificação Ambiental

Histórico

• Na seqüência, outros países, como, por exemplo, França e Espanha, também apresentam suas normas de sistema de gestão ambiental e de auditoria ambiental.

• Em 1993, começou a ser discutido o Regulamento da Comunidade Econômica Européia - CEE no 1.836/93, em vigor a partir de 10 de abril de 1995, que trata do sistema de gestão e auditoria ambiental da União Européia (Environmental Management and Auditing Scheme - Emas).

Auditoria e Certificação Ambiental

Histórico

• No Brasil, a auditoria ambiental surgiu, pela primeira vez, por meio da legislação, no início da década de 90, quando da publicação de diplomas legais sobre o tema, citados a seguir:

– Lei no 790, de 5/11/91, do Município de Santos-SP;

– Lei no 1.898, de 16/11/91, do Estado do Rio de Janeiro;

– Lei no 10.627, de 16/1/92, do Estado de Minas Gerais;

– Lei no 4.802, de 2/8/93, do Estado do Espírito Santo;

– Projeto de Lei Federal no 3.160, de 26/8/92; e

– Anteprojeto de Lei do Estado de São Paulo.

• Internacionalmente, a auditoria ambiental sobre base normalizada começou a ser discutida em 1991 com a criação do Strategic Advisory Group on Environment – Sage no âmbito da ISSO

• A discussão se amplia mundialmente, em 1994, com a divulgação dos projetos de norma dentro da série ISSO 14000.

• Em 1996, tais projetos de norma são alçados à categoria de normas internacionais, sendo adotadas pelos países participantes da ISO. No Brasil, a Associação Brasileira de Normas Técnicas - ABNT apresentou, em dezembro de 1996, as NBR ISO 14010, 14011 e 14012, referentes à auditoria ambiental.

Auditoria e Certificação Ambiental

Tipos de Auditoria Ambiental

• A auditoria ambiental, para um empreendimento habitacional, pode ser interna ou externa.

A auditoria interna, executada pelos moradores, por meio de uma associação representativa e, se necessário por auditores independentes contratados, tem seus resultados (conclusão da auditoria) de uso interno ou condominial.

A auditoria externa é realizada, necessariamente, por auditores independentes externos à organização, sendo seus resultados avaliados por terceiros, como organização de certificação, e seu uso deve ser atinente ao Poder Público, por meio de órgãos responsáveis por políticas habitacionais e/ou ambientais, e mesmo disponibilizados para consulta pública, principalmente no caso de determinadas leis.

Auditoria e Certificação Ambiental

Papel da EPA

• 1980 - requeria a implantação de programas de auditoria ambiental a qualquer empresa que causasse danos ao meio ambiente;

• 1981 - passou a encarar a auditoria ambiental como de utilização voluntária por parte das empresas e as incentivava a adotá-la fornecendo em contrapartida, por exemplo, a agilização de processos de pedidos de licença e a diminuição no número de visitas de fiscalização; e

• 1982 - assumiu o papel de incentivadora de auditorias voluntárias, sem conceder benefícios, e de fornecedora de assistência a programas de auditoria ambiental.

Auditoria e Certificação Ambiental

Formas de Auditorias Ambientais

Auditoria dos impactos ambientais:

– Onde é feita uma avaliação dos impactos ambientais no ar, água,solo e comunidade de uma determinada unidade industrial ou de um determinado processo com objetivo de fornecer subsídios para ações de controle da poluição, visando a minimização destes impactos.

Auditoria dos riscos ambientais:

– Onde é feita uma avaliação dos riscos ambientais reais ou potenciais de uma fábrica ou de um processo industrial especifico.

Auditoria da legislação ambiental:

– Onde é feita uma avaliação da situação ambiental de uma determinada fábrica ou organização em relação ao cumprimento da legislação vigente.

Auditoria e Certificação Ambiental

 

Formas de Auditorias Ambientais

Auditoria de sistemas de gestão ambiental:

É

uma avaliação sistemática para determinar se o sistema da gestão ambiental e

 

o

desempenho ambiental de uma empresa está de acordo com sua política

ambiental, e se o sistema esta efetivamente implantado e adequado para atender aos objetivos ambientais da organização.

 

A

auditoria de sistema de gestão é uma ferramenta de gestão, compreendendo

 

uma avaliação sistemática, documentada, periódica e objetiva sobre como os equipamentos, gestão e organização ambiental estão desempenhando o objetivo de ajudar a proteger o meio ambiente.

 

A

maioria das auditorias ambientais é uma combinação de uma e outra forma de

 

auditoria. Contudo, o objetivo principal de qualquer auditoria ambiental e a realização de um diagnóstico da situação atual para verificar o que está faltando e promover ações futuras que tragam a melhora do desempenho ambiental da

 

empresa.

Auditoria e Certificação Ambiental

 

Aplicações e Vantagens da Auditoria Ambiental

Melhoria do controle da poluição nas empresas Verificação das condições da empresa em relação à legislação ambiental Substituição parcial do governo na fiscalização ambiental Avaliação dos riscos existentes e da vulnerabilidade da empresa, assim como identificação dos riscos antecipadamente. Priorização de atividades e verbas para o controle ambiental Dotação adequada de verbas para o controle ambiental Verificação da condição ambiental de unidades a serem adquiridas e avaliação de alternativas de crescimento Corte de gastos desnecessários, favorecendo ações econômicas e eficazes, reduzindo desperdícios. Melhora no relacionamento empresa-governo e vice-versa Atendimento à legislação de forma sistemática e consistente, com resposta imediata às novas exigências legais Fornecimento de uma terceira visão do problema ambiental (do auditor) Maior credibilidade e maior flexibilidade nas exigências da fiscalização Proteção e melhoria da imagem da empresa junto à comunidade

 

Auditoria e Certificação Ambiental

Precauções Importantes

Confidencialidade em relação aos segredos industriais e as informações sensíveis à opinião publica

Cuidados com a divulgação pública

A empresa deve contratar auditores qualificados

Apontando os problemas e não havendo a correção, fica difícil a defesa legal em caso de problemas, como acidentes, por exemplo

Analisar o custo-benefício da auditoria, principalmente nas empresas menores

Auditoria e Certificação Ambiental

Exigências em Relação aos Auditores Independentes

A auditoria deve ser efetuada segundo normas usuais, seguindo critérios e procedimentos adequados nas circunstancias especificas, com cuidado e zelo.

A auditoria deve expressar a situação real da empresa.

Os auditores devem ter capacidade técnica, competência e independência ético profissional e devem manter confidencialidade, não divulgando fatos e não utilizando informações para beneficio próprio ou de terceiros.

O exame de auditoria deverá ser planejado e supervisionado convenientemente, devendo ser conclusivos quanto aos elementos comprobatórios.

O conceito de relevância deve ser aplicado, assim como um certo grau de risco deve ser aceito para maximizar a eficiência e melhorar a qualidade do trabalho.

A atenção do auditor deve ser dirigida para os aspectos mais importantes e vitais.

O auditor deve ter consciência de sua responsabilidade legal e das possíveis repercussões de conclusões e opiniões exageradas.

Auditoria e Certificação Ambiental

SGA ISO 14001

SGA ISO 14001 Auditoria e Certificação Ambiental

Auditoria e Certificação Ambiental

PDCA

• O NBR ISO 14001 é baseada na metodologia Plan-Do-Check-Act (PDCA) / Planejar-Executar-Verificar-Agir.

• O PDCA pode ser brevemente descrito como:

Planejar – Estabelecer os objetivos e processos necessários para atingir os resultados em concordância como a política ambiental da organização.

Executar – Implementar os processos

Verificar – Monitorar e medir os processos em conformidade com a política ambiental, objetivos, metas, requisitos legais e outros, e relatar os resultados.

Agir – Agir para continuamente melhorar o desempenho do sistema de gestão ambiental.

Auditoria e Certificação Ambiental

Etapas da Auditoria

Fixação dos objetivos da auditoria

A alta direção deve definir o que espera da auditoria

Formação da equipe auditora

Planejamento dos trabalhos

Atividades a serem executadas

Áreas a serem verificadas

Pessoas envolvidas

Pessoas a serem ouvidas

Cronograma de execução

Revisão da pré-inspeção

Briefing para a equipe auditora

Coleta a revisão de informações já existentes

Legislação aplicável

Preparar check-list para inspeção

Visita as instalações

Solicitação de informações adicionais

Analise e conclusões preliminares

Discussão

Elaboração do relatório final.

Auditoria e Certificação Ambiental

Metodologia

Metodologia Auditoria e Certificação Ambiental

Auditoria e Certificação Ambiental