Você está na página 1de 3

PRÁTICA COMO COMPONENTE CURRICULAR – TERCEIRO SEMESTRE

FICHAMENTO BIBLIOGRÁFICO

• Sintagma Adverbial (Capítulo 13)


CASTILHO, Ataliba T. de. Nova Gramática do Português Brasileiro. 1ª edição. São Paulo:
Contexto, 2019

ESTRUTURA DO SINTAGMA ADVERBIAL (P. 541-542)

Ao iniciar as discussões sobre o Sintagma Adverbial (Sadv), Castilho apresenta a estrutura genérica
dos SAdvs, assim temos:
SAdv = (Especificador) + Núcleo + (Complementador).

São apresentados exemplos de SAdvs, como:


Cheguei [aqui] [anteontem]. E exemplos como: O candidato falou [demais] durante a entrevista,
mas em geral falou [muito bem], aonde a expressão “em geral”, apesar de funcionar como
advérbio, não integra a classe dos SAdvs, pois a expressão é constituída por um sintagma
preposicionado. Sintagmas preposicionados, que tem função de advérbio, recebem a designação de
adverbiais.

ESTATUTO CATEGORIAL DO ADVÉRBIO (P. 542-544)

Segundo o professor, na perspectiva da Gramática Tradicional do Português o advérbio é uma


palavra invariável, tendo como função de modificador do verbo. Pode-se entender que modificar
significa o mesmo que predicar, e já que vários adjetivos também predicam, tem-se visto o advérbio
com a função de adjetivar e de substituir, dado que o advérbio pode substituir o sintagma
preposicionado.

A Nova Nomenclatura Brasileira apresenta 7 tipos de advérbios, número que pode chegar a 14 se a
Nomenclatura Gramatical Portuguesa for considerada: Afirmação, dúvida, intensidade, lugar, modo,
negação, tempo, ordem, inclusão, designação, realce, retificação, situação, advérbios interrogativos.

Pesquisadores do Projeto de Gramática do Português Falado optaram por reconhecer que os


advérbios são um conjunto de expressões que desempenham funções semelhantes e não como uma
classe homogênea. É impossível, segundos pesquisadores do projeto, reunir todos os advérbios sob
uma única função, a de modificação/predicação. Necessariamente, precisaria postular duas outras
funções adverbiais, a de verificação e a de dêixis.

DESCRIÇÃO DO NÚCLEO (P. 544-582)

 Sintaxe do advérbio

Analisando o comportamento do advérbio na sentença, nota-se que alguns tomam por escopo um
constituinte da sentença, outros tomam toda a sentença por escopo.
Conforme Castilho, sintaticamente os advérbios podem funcionar como: (i) quase argumentos; (ii)
adjuntos adverbiais ou adsentenciais; (iii) marcadores sintáticos de argumentos e adjuntos. O autor
ressalta que os adverbiais são de constituinte, pois o escopo desses advérbios é um constituinte da
sentença. Já os adsentenciais são os que tomam por escopo toda a sentença.
A colocação do SAdv na sentença pode ter as seguintes possibilidades:
Posição 1: SAdv antes da sentença.
[realmente] você vê que aqui você passa melhor.

Posição 2: SAdv depois da sentença.


Você vê que aqui você passa melhor, [realmente].

Posição 3: SAdv entre o sujeito e o verbo.


Você vê [realmente] que aqui você passa melhor.
Posição 4: SAdv entre o verbo e seu argumento interno.
Você vê [realmente] que aqui você passa melhor.

Nas linhas do autor, alguns advérbios nas posições 3 e 4 propõem significados diferentes, como o
caso de “exatamente” que funciona como confirmador nas posições 1 e 2, e na posição 3 funciona
como verificador focalizador.

 Semântica do advérbio (p. 551)

Sob a perspectiva da semântica, os advérbios são palavras predicadoras, em outras palavras,


operadores que transferem traços semânticos para seus escopos que estes antes não dispunham.
Castilho descreve nesse tópico os advérbios predicativos, os de verificação e os dêiticos.

● Advérbios predicativos

Quanto aos predicativos, há três tipos de predicação, a saber: predicação de primeira, segunda e
terceira ordem. A predicação de terceira ordem também é chamado hiperpredicação. O professor
ainda fala sobre a quantidade de classes predicada/escopadas, por exemplo, se o advérbio incidir
sobre uma única classe, teremos um significado unívoco. Agora, se mais de uma classe for
escopada, teremos um significado plurívoco.
Os advérbios predicadores podem ser classificados conforme as atuações semânticas que
desempenham, veja:
I. Predicação por avaliação da classe-escopo: Advérbios modalizadores;
II. Predicação por quantificação da classe-escopo: Advérbios quantificadores;
III. Predicação por qualificação da classe-escopo: Advérbios qualificadores.

• Advérbios modalizadores (p. 553)


Os modalizadores fazem uma avaliação sobre o conteúdo ou a forma de uma proposição, e isso
pode se apresentar de duas formas. Na primeira, o falante apresenta o conteúdo da proposição de
forma asseverativa, interrogativa ou jussiva. Na segunda, o falante faz uma avaliação do teor de
verdade da proposição ou faz um julgamento sobre a verbalização do conteúdo.

• Advérbios qualificadores (p. 558)


A predicação qualificadora acontece quando um operador incide sobre uma classe modificando ou
confirmando sua intenção, ou seja, as propriedades específicas, seus traços semânticos.
Uma característica dos predicadores qualificadores é que estes tomam por escopo outros
predicadores, como adjetivos, verbos e os próprios advérbios.
Os qualificadores apresentam os seguintes subtipos: qualificadores propriamente ditos,
qualificadores graduadores, qualificadores aspectualizadores e qualificadores delimitadores
aproximativos.

• Advérbios quantificadores (p. 565)


Os Advérbios predicativos quantificadores modificam a extensão da classe-escopo. Substantivos,
verbos, adjetivos e sentenças podem ser quantificados. Os qualificadores podem ser identificados
como -aspectualizadores e delimitadores de domínio.

● Advérbios de verificação (p. 571)

Sobre os advérbios de verificação, eles não sendo predicativos, não transferem nenhuma
propriedade semântica aos escopos. Esses advérbios, segundo o professor Castilho, aplicam em
algum constituinte um tipo de carimbo de conferido, sugerindo que o locutor tem posse dos
resultados de uma verificação feita.
O autor classifica os verificadores em – advérbios focalizadores, de inclusão/exclusão e de
afirmação/negação.

• Advérbios focalizadores
Quando aplicados a algum segmento da sentença fornecem informações mais apuradas em função
de um processo prévio de verificação. Os focalizadores fazem uma comparação implícita como o
modelo ou parâmetro nem sempre verbalizado, contudo, recuperável pelo contexto.

• Advérbios de inclusão/exclusão
Esses têm dupla função, (i) incluir e (ii) retirar indivíduos de um dado conjunto. Advérbios que
incluem são: Mais, até, inclusive e também. O que excluem: menos, exceto, salvante e tirante.
Quanto aos escopos desses advérbios serão os substantivos, expressos ou não.
Ressalta-se que alguns advérbios que geralmente têm função de incluir podem fugir do modelo.

• Advérbios de afirmação/negação
Com esses advérbios estabelecemos conformidade de uma proposição com aquilo que acontece no
mundo. É afirmado ou negado todo o conteúdo proposicional ou apenas o argumento do verbo.

● Advérbios dêiticos (p. 578)

Sobre dêixis Castilho afirma que muitos advérbios e adverbiais têm caráter dêitico, e que há
advérbios quase-argumentais capazes de receber papel temático. Os dêiticos podem se descritos
como: Advérbios dêiticos de lugar e advérbios dêiticos de tempo.
Para finalizar o capítulo sobre o Sintagma Adverbial, Castilho ainda falou sobre “advérbios no
texto”, aonde afirma que advérbios modalizadores asseverativos têm se apresentado de maneira
desigual nas entrevistas do Projeto Nurc, e que os dêiticos de lugar podem operar como conectivos
de sentenças e unidades discursivas, bem como outras classes semânticas dos advérbios podem
atuar como conectivos de segmentos de texto.

Você também pode gostar